SlideShare uma empresa Scribd logo
Reino protista (protozoarios)
Classificados no Reino Protoctista (Protista).
Unicelulares (realizam todas as funções vitais).
Eucariontes (c/ núcleo organizado).
Com mobilidade especializada.
Vida livre, mutualistas, comensais e parasitas.
Heterótrofos (alimentação por englobamento ou
absorção).
EQUILÍBRIO OSMÓTICO
Protozoários marinhos – isotônicos em relação ao meio.
Protozoários dulcícolas – hipertônicos em relação ao meio
(tendem a ganhar água por osmose).
* Apresentam vacúolo
contrátil (eliminação
do excesso de água).
TROCAS GASOSAS E EXCREÇÃO
Difusão direta.
ALIMENTAÇÃO
Fagocitose.
Vacúolo digestivo (digestão
intracelular).
Vacúolo residual.
Clasmocitose (exocitose).
Em protozoários dulcícolas a excreção (amônia) também
pode ser realizada pelo vacúolo contrátil.
Protozoários amebóides (rizópodas)
Vida livre e parasitas
(amebíase).
Outros tipos de protozoários
ameboides
Presença de pseudópodes.
Protozoários flagelados (mastigóforas)
Vida livre e parasitas
(giardíase, tricomoníase,
leishmanioses e doença
de Chagas).
Presença de flagelos.
Protozoários ciliados
Presença de cílios.
Vida livre e parasitas
(balantidiose).
Citóstoma - entrada de
alimentos.
Citopígeo - eliminação de
resíduos alimentares.
Macronúcleo – função
vegetativa.
Micronúcleo – função
reprodutiva.
Protozoários esporozoários (apicomplexos)
Exclusivamente parasitas
(toxoplasmose e malária).
Sem estrutura de locomoção.
Possuem um complexo apical
que se prende ou penetra na
célula hospedeira.
ASSEXUADA
Um indivíduo se divide dando
origem a dois novos indivíduos.
Cissiparidade / Bipartição / Divisão Binária (ameboides,
flagelados e ciliados)
Divisão múltipla (esporozoários)
Várias divisões do núcleo, e
cada núcleo resultante, dará
origem a um novo indivíduo.
Esquizogonia – antes da fecundação.
Esporogonia – após a fecundação.
SEXUADA
Troca de micronúcleos entre dois indivíduos.
Conjugação (ciliados)
Reino protista (protozoarios)
Agente etiológico: Entamoeba histolytica
(parasita intestinal)
Sintomas: disenteria, anemia,
ulcerações na parede intestinal,
necroses hepáticas, pulmonares
e cerebrais.
Profilaxia: saneamento básico,
higiene pessoal, cuidados com
água e alimentos.
Transmissão: ingestão de
cistos em água e alimentos.
Agente etiológico: Giardia lamblia
(parasita intestinal)
Sintomas: diarreia, duodenite
(lesões na parede intestinal),
cólicas...
Profilaxia: saneamento básico,
higiene pessoal, cuidados com
água e alimentos.
Transmissão: ingestão de cistos
em água e alimentos.
Agente etiológico: Balantidium coli
(parasita intestinal)
Sintomas: febre, náuseas, lesões
no intestino grosso, diarreia com
sangue.
Profilaxia: saneamento básico,
higiene pessoal, cuidados com
água e alimentos.
Transmissão: ingestão de cistos
em água e alimentos.
Ag. etiológico
Leishmania donovani
(calazar - leishmaniose visceral)
Leishmania brasiliensis
(úlcera de Bauru)
Transmissão: picada da ♀ do
mosquito palha (Phlebotomus
e Lutzomyia).
Sintomas:
Úlcera de Bauru: ulceras de difícil cicatrização, deformações
em mucosas e cartilagens.
Calazar: lesões no baço, fígado, rins e intestinos, redução
do tecido hematopoiético.
Profilaxia: combate ao vetor, tratamento do doente, vacinas,
eliminação de animais doentes.
Cães com leishmaniose
Agente etiológico: Trichomonas vaginalis
Sintomas: uretrite, prurido e
leucorreia.
Profilaxia: preservativos,
cuidados higiênicos.
Transmissão: contato sexual,
uso de sanitários e piscinas
públicas, e roupas íntimas em
comum (ex: toalhas).
Agente etiológico: Trypanosoma cruzi
Sintomas: cardiomegalia, fibrose
cardíaca, redução da pressão arterial,
megaesôfago e megacólon.
Profilaxia: combate ao vetor, melhoria
de moradias, controle de qualidade em
bancos de sangue.
Transmissão clássica: contato das
fezes do percevejo barbeiro (Triatoma
infestans) com o local de sua picada.
Ciclo da Doença de Chagas
Trypanosoma cruzi
(plasma sanguíneo)
Percevejo barbeiro
(Triatoma infestans)
Moradia de risco
Outras formas de transmissão
Placenta
Ingestão do parasita em
alimentos (suco de açaí,
caldo-de-cana)
Amamentação
Transfusão sanguínea
Agente etiológico: Toxoplasma gondii
Sintomas: cegueira, aborto,
má formação do sistema
nervoso em fetos.
Profilaxia: cuidados com
manipulação e destino das
fezes de animais domésticos.
Transmissão: ingestão de
cistos eliminados pelas
fezes de gatos, ingestão
de carnes contaminadas.
Agente
etiológico
Plasmodium vivax (febre terçã benigna)
Plasmodium falciparum (febre terçã maligna)
Plasmodium malariae (febre quartã)
Transmissão: picada da ♀ do
mosquito prego (Anopheles sp.).
Sintomas: febres intermitentes,
icterícia, lesões nos vasos
sanguíneos, degeneração de
tecidos, calafrios, anemia
(destruição de hemácias).
Profilaxia: tratamento do
doente,, combate ao vetor
(inseticidas, repelentes, telas
de proteção...), evitar áreas
endêmicas ou tomar
medicamentos anti-maláricos
antes de viajar.
Ciclo da malária
Hospedeiro
definitivo
(ocorre fecundação
e esporogonia)
Hospedeiro
intermediário
(ocorre esquizogonia)
Áreas endêmicas (malária)
DOENÇA AGENTE ETIOLÓGICO TRANSMISSÃO SINTOMAS PROFILAXIA
AMEBÍASE Entamoeba histolytica
rizópoda
Ingestão de cistos em água e
alimentos
Disenteria (fezes com sangue)
Anemia
Ulcerações no intestino
Necroses hepáticas, pulmonares e cerebrais
Higiene pessoal
Saneamento básico
Cuidado com água e alimentos
BALANTIDIOSE Balantidium coli
ciliado
Ingestão de cistos em água e
alimentos
Lesões no intestino grosso
Diarréia (fezes com sangue)
Higiene pessoal
Saneamento básico
Cuidado com água e alimentos
GIARDÍASE Higiene pessoal
Saneamento básico
Cuidado com água e alimentos
Giardia lamblia
flagelado
Ingestão de cistos em água e
alimentos
Diarréia (duodenite)
LEISHMANIOSE
TEGUMENTAR
(úlcera de Bauru)
Leishmania brasiliensis
flagelado
Picada do mosquito palha
(Phlebotomus sp.)
Úlcerações de difícil cicatrização
(pele, mucosas e cartilagens)
Combate ao vetor
LEISHMANIOSE
VISCERAL
(calazar)
Leishmania chagasi
flagelado
Picada do mosquito palha
(Pheblotomus sp.)
Lesões no baço, fígado, rins e
intestinos
Combate ao vetor
DOENÇA DO
SONO
Trypanosoma gambiense
flagelado
Picada da mosca tsé-tsé
(Glossina sp.)
Lesões no sistema nervoso
letargia (sonolência), caquexia
Combate ao vetor
DOENÇA DE
CHAGAS
Trypanosoma cruzi
flagelado
Contato das fezes do percevejo
barbeiro com o local da picada
Transfusão sanguínea
Amamentação e placenta
Ingestão do protozoário
Hipertrofia dos órgãos afetados
(principalmente o coração)
Combate ao vetor
Melhoria nas moradias
(casas de alvenaria)
Controle de sangue para
transfusões
TRICOMONÍASE Trichomonas vaginalis
flagelado
Contato sexual, uso de sanitários
e banheiras sem condições de higiene
uso de toalhasúmidas contaminadas
Uretrite, prurido e leucorréia Uso de preservativos, hábitos
higiênicos
TOXOPLASMOSE Toxoplasma gondii
esporozoário
Ingestão de cistos expelidos em
fezes de gatos, ingestão de carnes
contaminadas cruas ou malcozidas
Geralmente assintomática, cegueira,
aborto, problemas neurológicos (fetos)
Adotar medidas higiênicas para
o destino e manipulação de fezes
de animais
MALÁRIA Plasmodium spp.
esporozoário
Picada da fêmea do mosquito prego
(Anopheles sp.)
Febres intemitentes (cíclicas),
Espasmos musculares
Combate ao vetor (eliminac
criadouros, uso de inseticidas
e larvicidas, e uso de telas em
portas e janelas)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cnidários
CnidáriosCnidários
Cnidários
Jocimar Araujo
 
Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano
guest3519e1
 
Aula completa reino protista
Aula completa reino protistaAula completa reino protista
Aula completa reino protista
Nelson Costa
 
Reino Plantae Power Point
Reino Plantae Power PointReino Plantae Power Point
Reino Plantae Power Point
infoeducp2
 
Zoologia: Platelmintos
Zoologia: PlatelmintosZoologia: Platelmintos
Zoologia: Platelmintos
Guilherme Orlandi Goulart
 
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
URCA
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
profatatiana
 
Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)
Bio
 
Teoria sintética da evolução
Teoria sintética da evoluçãoTeoria sintética da evolução
Teoria sintética da evolução
Felipe Haeberlin
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
CristinaBrandao
 
Reino Protista
Reino ProtistaReino Protista
Reino Protista
Letícia Passos
 
Aula 1 reino protista
Aula 1  reino protistaAula 1  reino protista
Aula 1 reino protista
Neila
 
Características gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivosCaracterísticas gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivos
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
emanuel
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Slides fungos
Slides  fungosSlides  fungos
Slides fungos
Jean Carlos Wittaczik
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Reino Animal
Reino AnimalReino Animal
Os invertebrados
Os invertebrados Os invertebrados
Os invertebrados
unhadecorada
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
infoeducp2
 

Mais procurados (20)

Cnidários
CnidáriosCnidários
Cnidários
 
Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano Bactérias 7º Ano
Bactérias 7º Ano
 
Aula completa reino protista
Aula completa reino protistaAula completa reino protista
Aula completa reino protista
 
Reino Plantae Power Point
Reino Plantae Power PointReino Plantae Power Point
Reino Plantae Power Point
 
Zoologia: Platelmintos
Zoologia: PlatelmintosZoologia: Platelmintos
Zoologia: Platelmintos
 
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
 
Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)
 
Teoria sintética da evolução
Teoria sintética da evoluçãoTeoria sintética da evolução
Teoria sintética da evolução
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
 
Reino Protista
Reino ProtistaReino Protista
Reino Protista
 
Aula 1 reino protista
Aula 1  reino protistaAula 1  reino protista
Aula 1 reino protista
 
Características gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivosCaracterísticas gerais dos seres vivos
Características gerais dos seres vivos
 
Protozooses
ProtozoosesProtozooses
Protozooses
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
 
Slides fungos
Slides  fungosSlides  fungos
Slides fungos
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
Reino Animal
Reino AnimalReino Animal
Reino Animal
 
Os invertebrados
Os invertebrados Os invertebrados
Os invertebrados
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 

Destaque

Reino protista protozoarios
Reino protista protozoariosReino protista protozoarios
Reino protista protozoarios
Iuri Fretta Wiggers
 
Grupos de protozoários
Grupos de protozoáriosGrupos de protozoários
Grupos de protozoários
Isabella Silva
 
Trabalho Biologia - Doenças
Trabalho Biologia - DoençasTrabalho Biologia - Doenças
Trabalho Biologia - Doenças
2° PD
 
Protozoarios
ProtozoariosProtozoarios
Protozoarios
Marta810319
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
Jennifer Barquero
 
Protozoários de água doce
Protozoários de água doceProtozoários de água doce
Protozoários de água doce
ANDREA_SA
 
4 los protozoarios
4 los protozoarios4 los protozoarios
4 los protozoarios
Vanessa Valdés
 
Toxoplasmose
Toxoplasmose Toxoplasmose
Toxoplasmose
Silézia Carla
 
Los Microorganismos
Los Microorganismos Los Microorganismos
Los Microorganismos
Laura Fantoni
 
Aula 2º AM/2ºAV - Reino Protista
Aula 2º AM/2ºAV - Reino ProtistaAula 2º AM/2ºAV - Reino Protista
Aula 2º AM/2ºAV - Reino Protista
Prof.PS CEET
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
Jemile Bahiana
 
**Protozoos**
**Protozoos****Protozoos**
**Protozoos**
Carlos Galvis Niño
 
Protozoários e o parasitismo
Protozoários e o parasitismoProtozoários e o parasitismo
Protozoários e o parasitismo
jfquirino
 
AMEBIASIS INTESTINAL
AMEBIASIS INTESTINALAMEBIASIS INTESTINAL
AMEBIASIS INTESTINAL
Geovany Castillo
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
andreepinto
 
Aula de protozoários 08052010
Aula de protozoários 08052010Aula de protozoários 08052010
Aula de protozoários 08052010
guest9a7bfd
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
Sara Silva
 
Corrimento vaginal (1)[1]
Corrimento vaginal (1)[1]Corrimento vaginal (1)[1]
Corrimento vaginal (1)[1]
LASM_UIT
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
jfquirino
 
Phyllum protozoarios
Phyllum protozoariosPhyllum protozoarios
Phyllum protozoarios
Rosa Ana Vespa Payno
 

Destaque (20)

Reino protista protozoarios
Reino protista protozoariosReino protista protozoarios
Reino protista protozoarios
 
Grupos de protozoários
Grupos de protozoáriosGrupos de protozoários
Grupos de protozoários
 
Trabalho Biologia - Doenças
Trabalho Biologia - DoençasTrabalho Biologia - Doenças
Trabalho Biologia - Doenças
 
Protozoarios
ProtozoariosProtozoarios
Protozoarios
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Protozoários de água doce
Protozoários de água doceProtozoários de água doce
Protozoários de água doce
 
4 los protozoarios
4 los protozoarios4 los protozoarios
4 los protozoarios
 
Toxoplasmose
Toxoplasmose Toxoplasmose
Toxoplasmose
 
Los Microorganismos
Los Microorganismos Los Microorganismos
Los Microorganismos
 
Aula 2º AM/2ºAV - Reino Protista
Aula 2º AM/2ºAV - Reino ProtistaAula 2º AM/2ºAV - Reino Protista
Aula 2º AM/2ºAV - Reino Protista
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
**Protozoos**
**Protozoos****Protozoos**
**Protozoos**
 
Protozoários e o parasitismo
Protozoários e o parasitismoProtozoários e o parasitismo
Protozoários e o parasitismo
 
AMEBIASIS INTESTINAL
AMEBIASIS INTESTINALAMEBIASIS INTESTINAL
AMEBIASIS INTESTINAL
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
Aula de protozoários 08052010
Aula de protozoários 08052010Aula de protozoários 08052010
Aula de protozoários 08052010
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
Corrimento vaginal (1)[1]
Corrimento vaginal (1)[1]Corrimento vaginal (1)[1]
Corrimento vaginal (1)[1]
 
Protozoários
ProtozoáriosProtozoários
Protozoários
 
Phyllum protozoarios
Phyllum protozoariosPhyllum protozoarios
Phyllum protozoarios
 

Semelhante a Reino protista (protozoarios)

Aula 4 protista
Aula 4  protistaAula 4  protista
Aula 4 protista
Grupo UNIASSELVI
 
Biologia - Protozoários
Biologia - ProtozoáriosBiologia - Protozoários
Biologia - Protozoários
Estude Mais
 
PROTOZOARIOS.pdf
PROTOZOARIOS.pdfPROTOZOARIOS.pdf
PROTOZOARIOS.pdf
MarciaRodrigues615662
 
ESTUDO DOS PROTOZOARIOS 1º ANO.pptx
ESTUDO DOS PROTOZOARIOS  1º ANO.pptxESTUDO DOS PROTOZOARIOS  1º ANO.pptx
ESTUDO DOS PROTOZOARIOS 1º ANO.pptx
Moisslindo2
 
Protozoarios
ProtozoariosProtozoarios
Protozoarios
Anita Burgan
 
Aula 5 - Doenças transmitidas por alimentos - DTA.pdf
Aula 5 - Doenças transmitidas por alimentos - DTA.pdfAula 5 - Doenças transmitidas por alimentos - DTA.pdf
Aula 5 - Doenças transmitidas por alimentos - DTA.pdf
esusana86
 
Principais protozooses.pptx
Principais protozooses.pptxPrincipais protozooses.pptx
Principais protozooses.pptx
KarlaBittencourt2
 
Resumo parasitoses e diarreia aguda
Resumo parasitoses e diarreia agudaResumo parasitoses e diarreia aguda
Resumo parasitoses e diarreia aguda
Lívia Zadra
 
Reino Protoctista
Reino ProtoctistaReino Protoctista
Reino Protoctista
infoeducp2
 
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).pptAMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
dirleyvalderez1
 
Saneamento
SaneamentoSaneamento
Saneamento
Adriano Antonholi
 
Parasitas
ParasitasParasitas
Parasitas
Leonardo Souza
 
Reino monera
Reino moneraReino monera
Reino monera
Ewerton Leonardo
 
Platelmintos e nematódeos 2
Platelmintos e nematódeos 2Platelmintos e nematódeos 2
Platelmintos e nematódeos 2
Rita Cunha
 
Protozoários2
Protozoários2Protozoários2
Protozoários2
Ana Curado
 
Aula 5 platelmintes
Aula 5 platelmintesAula 5 platelmintes
Aula 5 platelmintes
Grupo UNIASSELVI
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
ProfDeboraCursinho
 
Filo platelmintos - vermes causadores de doenças
Filo platelmintos - vermes causadores de doençasFilo platelmintos - vermes causadores de doenças
Filo platelmintos - vermes causadores de doenças
LaianaLessaTeixeiraP
 
AULA-14-E-15-PLATELMINTOS.pptx Para o Ensino Médio
AULA-14-E-15-PLATELMINTOS.pptx Para o Ensino MédioAULA-14-E-15-PLATELMINTOS.pptx Para o Ensino Médio
AULA-14-E-15-PLATELMINTOS.pptx Para o Ensino Médio
LedaMariadaSilva1
 
AULA-14-E-15-PLATEdjdsjkjdsklLMINTOS.pptx
AULA-14-E-15-PLATEdjdsjkjdsklLMINTOS.pptxAULA-14-E-15-PLATEdjdsjkjdsklLMINTOS.pptx
AULA-14-E-15-PLATEdjdsjkjdsklLMINTOS.pptx
Tatiane Fernandes
 

Semelhante a Reino protista (protozoarios) (20)

Aula 4 protista
Aula 4  protistaAula 4  protista
Aula 4 protista
 
Biologia - Protozoários
Biologia - ProtozoáriosBiologia - Protozoários
Biologia - Protozoários
 
PROTOZOARIOS.pdf
PROTOZOARIOS.pdfPROTOZOARIOS.pdf
PROTOZOARIOS.pdf
 
ESTUDO DOS PROTOZOARIOS 1º ANO.pptx
ESTUDO DOS PROTOZOARIOS  1º ANO.pptxESTUDO DOS PROTOZOARIOS  1º ANO.pptx
ESTUDO DOS PROTOZOARIOS 1º ANO.pptx
 
Protozoarios
ProtozoariosProtozoarios
Protozoarios
 
Aula 5 - Doenças transmitidas por alimentos - DTA.pdf
Aula 5 - Doenças transmitidas por alimentos - DTA.pdfAula 5 - Doenças transmitidas por alimentos - DTA.pdf
Aula 5 - Doenças transmitidas por alimentos - DTA.pdf
 
Principais protozooses.pptx
Principais protozooses.pptxPrincipais protozooses.pptx
Principais protozooses.pptx
 
Resumo parasitoses e diarreia aguda
Resumo parasitoses e diarreia agudaResumo parasitoses e diarreia aguda
Resumo parasitoses e diarreia aguda
 
Reino Protoctista
Reino ProtoctistaReino Protoctista
Reino Protoctista
 
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).pptAMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
AMEBIASE E GIARDIASE (AULA 1).ppt
 
Saneamento
SaneamentoSaneamento
Saneamento
 
Parasitas
ParasitasParasitas
Parasitas
 
Reino monera
Reino moneraReino monera
Reino monera
 
Platelmintos e nematódeos 2
Platelmintos e nematódeos 2Platelmintos e nematódeos 2
Platelmintos e nematódeos 2
 
Protozoários2
Protozoários2Protozoários2
Protozoários2
 
Aula 5 platelmintes
Aula 5 platelmintesAula 5 platelmintes
Aula 5 platelmintes
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Filo platelmintos - vermes causadores de doenças
Filo platelmintos - vermes causadores de doençasFilo platelmintos - vermes causadores de doenças
Filo platelmintos - vermes causadores de doenças
 
AULA-14-E-15-PLATELMINTOS.pptx Para o Ensino Médio
AULA-14-E-15-PLATELMINTOS.pptx Para o Ensino MédioAULA-14-E-15-PLATELMINTOS.pptx Para o Ensino Médio
AULA-14-E-15-PLATELMINTOS.pptx Para o Ensino Médio
 
AULA-14-E-15-PLATEdjdsjkjdsklLMINTOS.pptx
AULA-14-E-15-PLATEdjdsjkjdsklLMINTOS.pptxAULA-14-E-15-PLATEdjdsjkjdsklLMINTOS.pptx
AULA-14-E-15-PLATEdjdsjkjdsklLMINTOS.pptx
 

Mais de Nome Sobrenome

Leptospirose
LeptospiroseLeptospirose
Leptospirose
Nome Sobrenome
 
Gonorreia
GonorreiaGonorreia
Gonorreia
Nome Sobrenome
 
Fisica termodinamica
Fisica termodinamicaFisica termodinamica
Fisica termodinamica
Nome Sobrenome
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
Nome Sobrenome
 
Apec
Apec Apec
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Amebíase
Nome Sobrenome
 

Mais de Nome Sobrenome (6)

Leptospirose
LeptospiroseLeptospirose
Leptospirose
 
Gonorreia
GonorreiaGonorreia
Gonorreia
 
Fisica termodinamica
Fisica termodinamicaFisica termodinamica
Fisica termodinamica
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
 
Apec
Apec Apec
Apec
 
Amebíase
AmebíaseAmebíase
Amebíase
 

Reino protista (protozoarios)

  • 2. Classificados no Reino Protoctista (Protista). Unicelulares (realizam todas as funções vitais). Eucariontes (c/ núcleo organizado). Com mobilidade especializada. Vida livre, mutualistas, comensais e parasitas. Heterótrofos (alimentação por englobamento ou absorção).
  • 3. EQUILÍBRIO OSMÓTICO Protozoários marinhos – isotônicos em relação ao meio. Protozoários dulcícolas – hipertônicos em relação ao meio (tendem a ganhar água por osmose). * Apresentam vacúolo contrátil (eliminação do excesso de água).
  • 4. TROCAS GASOSAS E EXCREÇÃO Difusão direta. ALIMENTAÇÃO Fagocitose. Vacúolo digestivo (digestão intracelular). Vacúolo residual. Clasmocitose (exocitose). Em protozoários dulcícolas a excreção (amônia) também pode ser realizada pelo vacúolo contrátil.
  • 5. Protozoários amebóides (rizópodas) Vida livre e parasitas (amebíase). Outros tipos de protozoários ameboides Presença de pseudópodes.
  • 6. Protozoários flagelados (mastigóforas) Vida livre e parasitas (giardíase, tricomoníase, leishmanioses e doença de Chagas). Presença de flagelos.
  • 7. Protozoários ciliados Presença de cílios. Vida livre e parasitas (balantidiose). Citóstoma - entrada de alimentos. Citopígeo - eliminação de resíduos alimentares. Macronúcleo – função vegetativa. Micronúcleo – função reprodutiva.
  • 8. Protozoários esporozoários (apicomplexos) Exclusivamente parasitas (toxoplasmose e malária). Sem estrutura de locomoção. Possuem um complexo apical que se prende ou penetra na célula hospedeira.
  • 9. ASSEXUADA Um indivíduo se divide dando origem a dois novos indivíduos. Cissiparidade / Bipartição / Divisão Binária (ameboides, flagelados e ciliados) Divisão múltipla (esporozoários) Várias divisões do núcleo, e cada núcleo resultante, dará origem a um novo indivíduo. Esquizogonia – antes da fecundação. Esporogonia – após a fecundação.
  • 10. SEXUADA Troca de micronúcleos entre dois indivíduos. Conjugação (ciliados)
  • 12. Agente etiológico: Entamoeba histolytica (parasita intestinal) Sintomas: disenteria, anemia, ulcerações na parede intestinal, necroses hepáticas, pulmonares e cerebrais. Profilaxia: saneamento básico, higiene pessoal, cuidados com água e alimentos. Transmissão: ingestão de cistos em água e alimentos.
  • 13. Agente etiológico: Giardia lamblia (parasita intestinal) Sintomas: diarreia, duodenite (lesões na parede intestinal), cólicas... Profilaxia: saneamento básico, higiene pessoal, cuidados com água e alimentos. Transmissão: ingestão de cistos em água e alimentos.
  • 14. Agente etiológico: Balantidium coli (parasita intestinal) Sintomas: febre, náuseas, lesões no intestino grosso, diarreia com sangue. Profilaxia: saneamento básico, higiene pessoal, cuidados com água e alimentos. Transmissão: ingestão de cistos em água e alimentos.
  • 15. Ag. etiológico Leishmania donovani (calazar - leishmaniose visceral) Leishmania brasiliensis (úlcera de Bauru) Transmissão: picada da ♀ do mosquito palha (Phlebotomus e Lutzomyia).
  • 16. Sintomas: Úlcera de Bauru: ulceras de difícil cicatrização, deformações em mucosas e cartilagens. Calazar: lesões no baço, fígado, rins e intestinos, redução do tecido hematopoiético. Profilaxia: combate ao vetor, tratamento do doente, vacinas, eliminação de animais doentes.
  • 18. Agente etiológico: Trichomonas vaginalis Sintomas: uretrite, prurido e leucorreia. Profilaxia: preservativos, cuidados higiênicos. Transmissão: contato sexual, uso de sanitários e piscinas públicas, e roupas íntimas em comum (ex: toalhas).
  • 19. Agente etiológico: Trypanosoma cruzi Sintomas: cardiomegalia, fibrose cardíaca, redução da pressão arterial, megaesôfago e megacólon. Profilaxia: combate ao vetor, melhoria de moradias, controle de qualidade em bancos de sangue. Transmissão clássica: contato das fezes do percevejo barbeiro (Triatoma infestans) com o local de sua picada.
  • 20. Ciclo da Doença de Chagas
  • 21. Trypanosoma cruzi (plasma sanguíneo) Percevejo barbeiro (Triatoma infestans) Moradia de risco
  • 22. Outras formas de transmissão Placenta Ingestão do parasita em alimentos (suco de açaí, caldo-de-cana) Amamentação Transfusão sanguínea
  • 23. Agente etiológico: Toxoplasma gondii Sintomas: cegueira, aborto, má formação do sistema nervoso em fetos. Profilaxia: cuidados com manipulação e destino das fezes de animais domésticos. Transmissão: ingestão de cistos eliminados pelas fezes de gatos, ingestão de carnes contaminadas.
  • 24. Agente etiológico Plasmodium vivax (febre terçã benigna) Plasmodium falciparum (febre terçã maligna) Plasmodium malariae (febre quartã) Transmissão: picada da ♀ do mosquito prego (Anopheles sp.).
  • 25. Sintomas: febres intermitentes, icterícia, lesões nos vasos sanguíneos, degeneração de tecidos, calafrios, anemia (destruição de hemácias).
  • 26. Profilaxia: tratamento do doente,, combate ao vetor (inseticidas, repelentes, telas de proteção...), evitar áreas endêmicas ou tomar medicamentos anti-maláricos antes de viajar.
  • 27. Ciclo da malária Hospedeiro definitivo (ocorre fecundação e esporogonia) Hospedeiro intermediário (ocorre esquizogonia)
  • 29. DOENÇA AGENTE ETIOLÓGICO TRANSMISSÃO SINTOMAS PROFILAXIA AMEBÍASE Entamoeba histolytica rizópoda Ingestão de cistos em água e alimentos Disenteria (fezes com sangue) Anemia Ulcerações no intestino Necroses hepáticas, pulmonares e cerebrais Higiene pessoal Saneamento básico Cuidado com água e alimentos BALANTIDIOSE Balantidium coli ciliado Ingestão de cistos em água e alimentos Lesões no intestino grosso Diarréia (fezes com sangue) Higiene pessoal Saneamento básico Cuidado com água e alimentos GIARDÍASE Higiene pessoal Saneamento básico Cuidado com água e alimentos Giardia lamblia flagelado Ingestão de cistos em água e alimentos Diarréia (duodenite) LEISHMANIOSE TEGUMENTAR (úlcera de Bauru) Leishmania brasiliensis flagelado Picada do mosquito palha (Phlebotomus sp.) Úlcerações de difícil cicatrização (pele, mucosas e cartilagens) Combate ao vetor LEISHMANIOSE VISCERAL (calazar) Leishmania chagasi flagelado Picada do mosquito palha (Pheblotomus sp.) Lesões no baço, fígado, rins e intestinos Combate ao vetor DOENÇA DO SONO Trypanosoma gambiense flagelado Picada da mosca tsé-tsé (Glossina sp.) Lesões no sistema nervoso letargia (sonolência), caquexia Combate ao vetor DOENÇA DE CHAGAS Trypanosoma cruzi flagelado Contato das fezes do percevejo barbeiro com o local da picada Transfusão sanguínea Amamentação e placenta Ingestão do protozoário Hipertrofia dos órgãos afetados (principalmente o coração) Combate ao vetor Melhoria nas moradias (casas de alvenaria) Controle de sangue para transfusões TRICOMONÍASE Trichomonas vaginalis flagelado Contato sexual, uso de sanitários e banheiras sem condições de higiene uso de toalhasúmidas contaminadas Uretrite, prurido e leucorréia Uso de preservativos, hábitos higiênicos TOXOPLASMOSE Toxoplasma gondii esporozoário Ingestão de cistos expelidos em fezes de gatos, ingestão de carnes contaminadas cruas ou malcozidas Geralmente assintomática, cegueira, aborto, problemas neurológicos (fetos) Adotar medidas higiênicas para o destino e manipulação de fezes de animais MALÁRIA Plasmodium spp. esporozoário Picada da fêmea do mosquito prego (Anopheles sp.) Febres intemitentes (cíclicas), Espasmos musculares Combate ao vetor (eliminac criadouros, uso de inseticidas e larvicidas, e uso de telas em portas e janelas)