SlideShare uma empresa Scribd logo
Química Orgânica
Química Orgânica
Definição
   Química Orgânica é a parte da Química que
estuda os compostos do carbono, que é o seu
elemento fundamental .

Compostos orgânicos
           Os compostos orgânicos ou moléculas
orgânicas são as substâncias químicas que contêm
na sua estrutura Carbono e Hidrogênio, e muitas
vezes com oxigênio, nitrogênio, enxofre, fósforo,
halogênios e outros.
Relembrando...
   Valência é o número de ligações que um átomo de
certo elemento químico pode fazer de acordo com o
número de elétrons que possui em sua última
camada.
   Número de elétrons na última camada de alguns
elementos encontrados em compostos orgânicos:
Valência de alguns elementos importantes na
Química Orgânica:

Hidrogênio 1 pois ele é monovalente, faz 1 ligação.
Oxigênio 2 pois ele é divalente, faz 2 ligações.
Nitrogênio 3 pois ele é trivalente, faz 3 ligações.
Carbono 4 pois ele é tetravalente, faz 4 ligações.
Definição   Estuda compostos de carbono


                                                                   carbono
                       Definição   Substâncias      Elementos
                                    químicas        principais
                                                                   hidrogênio
           Compostos
Química    Orgânicos                  hidrogênio        Faz 1 ligação
Orgânica                               oxigênio        Faz 2 ligações
                        Valência
                                       nitrogênio      Faz 3 ligações
                                        carbono        Faz 4 ligações
Tipos de Fórmulas
  Os químicos orgânicos usam várias maneiras para
escrever fórmulas estruturais. Os tipos mais comuns
de representação são: fórmula de traço, fórmula
condensada e fórmula de linha.

1) Fórmula Molecular
  C2H6 (etano); C3H8 ( propano)
Tipos de Fórmulas
 2) Fórmulas Estruturais

a) Plana                   c) Bastão ou linha


                              (Cada vértice corresponde ao CH2 ou CH3)


  b) Condensada            d) Eletrônica ou de Lewis
Definição    Estuda compostos de carbono


                                                                     carbono
                        Definição    Substâncias      Elementos
                                      químicas        principais
                                                                     hidrogênio
           Compostos
Química    Orgânicos                    hidrogênio        Faz 1 ligação
Orgânica                                 oxigênio        Faz 2 ligações
                         Valência
                                         nitrogênio      Faz 3 ligações
                                          carbono        Faz 4 ligações

                       Molecular
           Tipos de                       Plana
           Fórmulas
                                       Condensada
                       Estruturais
                                          Linha
                                        Eletrônica
Vamos exercitar?
 (UNIRIO)“O Brasil está pressionando o laboratório suíço
Roche para reduzir o preço da sua droga anti-Aids ou
enfrentar uma competição de uma cópia local, disse
Eloan Pinheiro, diretora do laboratório estatal Far-
Manguinhos, da Fundação Oswaldo Cruz(Fiocruz), no Rio
de Janeiro.”
 A produção do AZT, que foi uma das primeiras drogas
antivirais no combate à Aids,faz parte desse cenário.
(Jornal do Brasil/2001)
A fórmula molecular do AZT é:

a) C10H12O3N5

b) C9H15O2N5

c) C11H18O3N6

d) C10H15O4N4

e) C11H17O3N5
A fórmula molecular do AZT é:

a) C10H12O3N5

b) C9H15O2N5

c) C11H18O3N6

d) C10H15O4N4

e) C11H17O3N5
Resposta
Letra (e)
e) C11H17O3N5
Agora é sua vez!
 (USJT SP) As auxinas correspondem a um grupo de
substâncias que agem no crescimento das plantas e controlam
muitas outras atividades fisiológicas. Foram os primeiros
hormônios descobertos nos vegetais. A auxina natural do vegetal
é o ácido indolacético (AIA), um composto orgânico simples, com
a seguinte fórmula estrutural.




 Qual é a sua fórmula molecular?
A) C10H11O2N
B) C10H11NO
C) C10H9NO2
D) C10H8ON
E) C H ON
Agora é sua vez!
 (USJT SP) As auxinas correspondem a um grupo de
substâncias que agem no crescimento das plantas e controlam
muitas outras atividades fisiológicas. Foram os primeiros
hormônios descobertos nos vegetais. A auxina natural do vegetal
é o ácido indolacético (AIA), um composto orgânico simples, com
a seguinte fórmula estrutural.




 Qual é a sua fórmula molecular?
A) C10H11O2N
B) C10H11NO
C) C10H9NO2
D) C10H8ON
E) C H ON
Resposta

Letra (a)
Propriedades do Carbono
 Os estudos referentes à estrutura do carbono foram
denominados de postulados de Couper-Kekulé, veja
agora estes postulados:

1º postulado: O átomo de carbono é tetravalente.
   Esta estrutura permite que o elemento estabeleça
quatro ligações covalentes.
Propriedades do Carbono
2º postulado: As quatro ligações (do tipo sigma) de
um carbono são iguais.
 Observe no seguinte exemplo que a posição do
átomo de cloro não difere os compostos.
Propriedades do Carbono
3º postulado: Átomos de carbono ligam-se
diretamente entre si, formando estruturas
denominadas cadeias carbônicas.
Tetravalente    4 ligações permanentes
          Propriedades   Ligações sigma iguais
                         Ligam-se entre si       formam cadeias carbônicas




Carbono
Classificação do Carbono
• Primário - Ligado diretamente, no máximo, a um
  outro carbono.




 Secundário - Ligado diretamente a dois outros
  carbonos.
Classificação do Carbono
• Terciário - Ligado diretamente a três outros
  carbonos.




• Quaternário - Ligado diretamente a quatro outros
  carbonos.
Tetravalente    4 ligações permanentes
          Propriedades
                          Ligações sigma iguais
                          Ligam-se entre si       Cadeias carbônicas

                           Primário      Ligado a 1 carbono
                          Secundário     Ligado a 2 carbonos
          Classificação
                           Terciário     Ligado a 3 carbonos
Carbono
                          Quaternário    Ligado a 4 carbonos
Vamos exercitar?
 A maior parte das drogas nos anticoncepcionais de
via oral é derivada da fórmula estrutural plana abaixo:




  O número de carbonos terciários presentes nesta
estrutura é:
a) 5
b) 6
c) 7
d) 8
e) 9
Vamos exercitar?
  A maior parte das drogas nos anticoncepcionais de
via oral é derivada da fórmula estrutural plana abaixo:




  O número de carbonos terciários presentes nesta
estrutura é:
a) 5
b) 6
c) 7
d) 8
e) 9
Resposta

Letra (c)
Agora é sua vez!
   Classifique os carbonos nas cadeias quanto ao
critério: primário(P), secundário(S), Terciário(T) e
quaternário(Q).
Agora é sua vez!
   Classifique os carbonos nas cadeias quanto ao
critério: primário(P), secundário(S), Terciário(T) e
quaternário(Q).
Resposta
Ligações no Carbono
  O isótopo mais abundante do carbono é o de
número de Z = 6 e A = 12. Ele é composto por 6
prótons, 6 elétrons e 6 nêutrons. Seus elétrons
são distribuídos em duas camadas eletrônicas.


 6 C → 1s2 2s2 2p2
 camada K: 2 elétrons   camada L: 4 elétrons
tetravalente    4 ligações permanentes

          Propriedades      Ligações sigma iguais

                            Ligam-se entre si       Cadeias carbônicas
                              Primário       Ligado a 1 carbono
                            Secundário      Ligado a 2 carbonos
          Classificação
                             Terciário      Ligado a 3 carbonos
                            Quaternário     Ligado a 4 carbonos
Carbono
                                                        6 prótons
                                   composição           6 elétrons
          Isótopo mais    Z=6
           abundante      A=12                         6 nêutrons
                                    Distribuição                      4 ligações
                                                    1s2 2s2 2p2      covalentes
                                     eletrônica
Tipos de Ligações
Ligação σ(sigma) : Ocorre frontalmente e é mais
  forte.




Atenção:
 Toda ligação σ será obrigatoriamente uma ligação simples.
Tipos de Ligações
 Ligação π(pi): Ocorre paralelamente e é mais fraca.




                          π:p-p

Atenção:
 A primeira ligação entre dois átomos é sempre σ , se existir
uma 2° ou 3°, esta será sempre π.
tetravalente       4 ligações permanentes

          Propriedades      Ligações sigma iguais

                            Ligam-se entre si        Cadeias carbônicas
                              Primário         Ligado a 1 carbono
                            Secundário         Ligado a 2 carbonos
          Classificação
                             Terciário         Ligado a 3 carbonos
                            Quaternário        Ligado a 4 carbonos
Carbono
                                                           6 prótons
                                      composição           6 elétrons
          Isótopo mais    Z=6
           abundante      A=12                             6 nêutrons
                                      Distribuição                       4 ligações
                                                     1s2 2s2 2p2        covalentes
                                       eletrônica
            Tipos de        Sigma           Frontalmente        Forte
            Ligações             Pi       Paralelamente         Fraca
Ligações no Carbono
 O Carbono pode se ligar a outros elementos através
de ligações covalentes :
Simples (-): Apenas uma ligação σ(sigma).
Duplas (=): uma σ e uma π(pi) .
Triplas (≡ ): uma σ e duas π.

Relembrando: Ligação covalente é um tipo de ligação química
onde há compartilhamento de elétrons.
tetravalente       4 ligações permanentes

          Propriedades      Ligações sigma iguais

                            Ligam-se entre si        Cadeias carbônicas
                              Primário         Ligado a 1 carbono
                            Secundário         Ligado a 2 carbonos
          Classificação
                             Terciário         Ligado a 3 carbonos
                            Quaternário        Ligado a 4 carbonos
Carbono
                                                           6 prótons
                                      composição           6 elétrons
          Isótopo mais    Z=6
           abundante      A=12                             6 nêutrons
                                      Distribuição                       4 ligações
                                                     1s2 2s2 2p2        covalentes
                                       eletrônica
            Tipos de        Sigma           Frontalmente        Forte
            Ligações             Pi       Paralelamente         Fraca
                           Simples       1 sigma
          Ligações no
                            Dupla         1 sigma e 1 pi
            carbono
                            Tripla        1 sigma e 2 pi
Vamos exercitar?
   O gosto amargo da cerveja é devido à seguinte
substância de fórmula estrutural plana:



 Essa substância, denominada mirceno, provém das folhas de
lúpulo adicionadas durante a fabricação da bebida.
 O número de ligações pi presentes na estrutura do mirceno é
igual a:
a) 3
b) 5
c) 8
d) 15
Vamos exercitar?
  O gosto amargo da cerveja é devido à seguinte
substância de fórmula estrutural plana:



  Essa substância, denominada mirceno, provém das folhas
de lúpulo adicionadas durante a fabricação da bebida.
 O número de ligações pi presentes na estrutura do mirceno
é igual a:
a) 3
b) 5
c) 8
d) 15
Resposta
Letra (a)




   Note que as ligações π são ligações duplas ou
triplas, logo neste composto elas só poderão
aparecer entre carbonos, pois entre carbonos e
hidrogênios há apenas ligações simples.
Agora é sua vez!
Considere os compostos I, II, III, IV e V, representados
  abaixo pelas fórmulas respectivas:

I- CH3CH2CH3
II- CH3CH2COOH
III- CH3COH
IV- CH3-CH3
V- CH2CHCH3
Agora é sua vez!
Considere os compostos I, II, III, IV e V, representados
  abaixo pelas fórmulas respectivas:

I- CH3CH2CH3
II- CH3CH2COOH
III- CH3COH
IV- CH3-CH3
V- CH2CHCH3
Agora é sua vez!
 Assinale a opção que indica somente compostos que
 possuem ligação π:

c) I e V
d)I, II e V
e)I, IV e V
f)II, III e V
g)III e IV
Agora é sua vez!
 Assinale a opção que indica somente compostos que
 possuem ligação π:

c) I e V
d)I, II e V
e)I, IV e V
f)II, III e V
g)III e IV
Resposta
 Letra (d)


II-



III-



IV-     H2C=CH–CH3
Hibridização de orbitais
  É a mistura de orbitais pertencentes a um mesmo
átomo, originando novos orbitais iguais entre si, mas
diferentes dos orbitais originais.
  A diferença destes novos orbitais atômicos,
denominados orbitais híbridos, acontece tanto na
geometria(forma) como no conteúdo energético.
 O número dos orbitais híbridos obtidos será o
mesmo dos orbitais existentes antes de serem
misturados.
  Orbitais híbridos efetuam ligações sigma ( σ ) .
Mistura dos orbitais    Gera orbitais
               Definição       de um átomo         híbridos iguais

                                  Mudança na geometria e no conteúdo energético

               Características    Nº de orbitais híbridos = Nº de orbitais originais

                                  Orbitais híbridos fazem ligações sigma
Hibridização
do carbono
Hibridização sp     3


 Na hibridização sp3 um elétron “s” é promovido para
o orbital “p” vazio, originando o carbono no estado
ativado (intermediário).
Hibridização sp      3

 O átomo de carbono situa-se no centro de um
tetraedro imaginário, estando cada uma de suas
valências dirigidas para um dos vértices do tetraedro.
   Carbono hibridizado
                                                       109° 28’
   (formas dos orbitais
        híbridos)
                                   Tetrahedral   CH4


 Nas ligações com outros
  átomos, forma quatro
    ligações “sigma”.
Hibridização sp3




 Exemplo: Metano (CH4)
Mistura dos orbitais    Gera orbitais
               Definição         de um átomo         híbridos iguais

                                    Mudança na geometria e no conteúdo energético

               Características      Nº de orbitais híbridos = Nº de orbitais originais

                                    Orbitais híbridos fazem ligações sigma
Hibridização
do carbono                       Definição       Origina carbono ativado
                        sp3
                                 Estrutura


               Tipos
Hibridização sp2
  Na hibridização sp2 a “fusão” de orbitais ocorre
entre o orbital “s” e dois orbitais “p”.
  Note que um dos orbitais “p” permaneceu puro,
pois é ele que fará ligação π.
Hibridização sp2

 Carbono hibridizado
 (formas dos orbitais
      híbridos)                 Trigonal Planar




Nas ligações com outros
   átomos, forma três
ligações “sigma” e uma
          “pi”.
Hibridização sp        2




Exemplo: Eteno(C2H4)
Mistura dos orbitais    Gera orbitais
               Definição         de um átomo         híbridos iguais

                                    Mudança na geometria e no conteúdo energético

               Características      Nº de orbitais híbridos = Nº de orbitais originais

                                    Orbitais híbridos fazem ligações sigma
Hibridização
do carbono                       Definição       Origina carbono ativado
                        sp3
                                 Estrutura

                                 Definição     Fusão: orbital s e 2 orbitais p
               Tipos    sp2
                                 Estrutura
Hibridização sp
 De forma semelhante, na hibridização sp um elétron “s”
é também promovido para o orbital “p” vazio, originando
o carbono no estado ativado (intermediário). E a “fusão”
de orbitais ocorre entre o orbital “s” e um “p”.
 Os outros dois orbitais “p” permanecem puros, pois
serão eles que farão as ligações π.
Hibridização sp

 Carbono hibridizado
 (formas dos orbitais
      híbridos)


Nas ligações com outros
  átomos, forma duas
ligações “sigma” e duas
          “pi”.
Hibridização sp




 Exemplo: Etino C2H2
Resumo de Hibridização

Hibridização Ligações Ligações   Orbitais   Orbitais   Geometria    Ângulo
             simples múltiplas   híbridos    puros
              (sigma)    (pi)

    sp3        4         0       sppp       nenhum     Tetraédrica 109° 28’

    sp2        3         1        spp          p        Trigonal      120°
                                                         Plana

    sp         2         2         sp         pp         Linear       180°
Mistura dos orbitais      Gera orbitais
               Definição           de um átomo           híbridos iguais

                                      Mudança na geometria e no conteúdo energético

               Características        Nº de orbitais híbridos = Nº de orbitais originais

                                      Orbitais híbridos fazem ligações sigma
Hibridização
do carbono                         Definição       Origina carbono ativado
                        sp3
                                   Estrutura

                                   Definição     Fusão: orbital s e 2 orbitais p
               Tipos    sp2
                                   Estrutura

                                   Definição           Fusão orbital s e 1 p
                           sp
                                   Estrutura
Vamos exercitar?
  Na composição de corretores do tipo Liquid Paper,
além de hidrocarbonetos e dióxido de titânio,
encontra-se a substância isocianato de alila, cuja
fórmula estrutural plana é representada por
CH2 = CH – CH2 – N = C = O.
 Com relação a esta molécula, é correto afirmar que o
número de carbonos com hibridação sp2 é igual a:
a) 1
b) 2
c) 3
d) 4
Vamos exercitar?
  Na composição de corretores do tipo Liquid Paper,
além de hidrocarbonetos e dióxido de titânio,
encontra-se a substância isocianato de alila, cuja
fórmula estrutural plana é representada por
CH2 = CH – CH2 – N = C = O.
  Com relação a esta molécula, é correto afirmar que o
número de carbonos com hibridação sp2 é igual a:
a) 1
b) 2
c) 3
d) 4
Resposta

Resposta: Letra (b)
Agora é sua vez!
 Indique o tipo de hibridação que ocorre nos
carbonos abaixo:
Agora é sua vez!
 Indique o tipo de hibridação que ocorre nos
carbonos abaixo:
Resposta
a- sp3          f- sp2

b- sp2         g- sp

c- sp2         h- sp2

d- sp          i- sp2

e- sp          j- sp3
Cadeias Carbônicas
  Cadeia carbônica – Nome dado ao conjunto de
átomos de carbono e/ou heteroátomos que
constituem o “esqueleto”, coluna principal, na
estrutura das substâncias orgânicas.
Exemplos:
Conjunto de átomos de carbono
             Definição
                         Esqueleto de substâncias orgânicas




 Cadeias
carbônicas
Cadeia principal
     A cadeia principal é a maior sequência de carbonos
dentro de uma cadeia.
     Se a cadeia apresentar carbonos terciários e/ou
quaternários, teremos mais de um eixo na molécula,
porém, o eixo com a sequência de carbonos mais longa
será a cadeia principal.




 Os átomos de carbono que ficarem de fora da cadeia
principal serão considerados como ramificações.
Classificação de cadeias
A) QUANTO AO FECHAMENTO DA CADEIA
 Aberta, Acíclica ou Alifática - apresenta os átomos
   de carbono sem formar um ciclo ou anel entre eles. A
   cadeia apresenta no mínimo duas extremidades.


 Fechada ou Cíclica - apresenta um ciclo, núcleo ou
anel (não apresenta extremidade).
Conjunto de átomos de carbono
             Definição
                             Esqueleto de substâncias orgânicas
                         Cadeia principal      maior sequência de carbonos
             Divisão
                         Ramificação        Átomos de carbono fora da cadeia principal
                                                       Aberta ou
                                                                        Não forma
                                                        Acíclica
                                                                          ciclo
 Cadeias                        Quanto ao              ou Alifática
carbônicas                     fechamento
                                                        Fechada          Apresenta
                                                       ou Cíclica          ciclo



             Classificação
Classificação de cadeias
B) QUANTO À DISPOSIÇÃO DOS ÁTOMOS DE
  CARBONO
• Normal – Todos os átomos de carbono pertencentes à
  cadeia encontram-se numa única sequência.



• Ramificada- O átomos de carbono pertencentes à
  cadeia apresentam mais de uma sequência.
Conjunto de átomos de carbono
             Definição
                             Esqueleto de substâncias orgânicas
                         Cadeia principal      maior sequência de carbonos
             Divisão
                         Ramificação        Átomos de carbono fora da cadeia principal
                                                       Aberta ou
                                                                            Não forma
                                                        Acíclica
                                                                              ciclo
 Cadeias                        Quanto ao              ou Alifática
carbônicas                     fechamento
                                                        Fechada             Apresenta
                                                       ou Cíclica             ciclo
                                                                      Sequência única
                                Quanto a              Normal           de carbonos
                               disposição
             Classificação     dos átomos           Ramificada          Mais de uma se-
                                                                      quência de carbonos
Classificação de cadeias
C) QUANTO À NATUREZA DOS ÁTOMOS
• Homogênea - ocorre quando não possui qualquer
  átomo diferente entre carbonos.



(esta última é homogênea, pois o oxigênio não se encontra entre átomos de carbono)
 Heterogênea - ocorre quando possui um heteroátomo
  (átomo de outro elemento) entre carbonos.
Conjunto de átomos de carbono
             Definição
                             Esqueleto de substâncias orgânicas
                         Cadeia principal      maior sequência de carbonos
             Divisão
                         Ramificação        Átomos de carbono fora da cadeia principal
                                                       Aberta ou
                                                                            Não forma
                                                        Acíclica
                                                                              ciclo
 Cadeias                        Quanto ao              ou Alifática
carbônicas                     fechamento
                                                        Fechada             Apresenta
                                                       ou Cíclica             ciclo
                                                                      Sequência única
                                Quanto a              Normal           de carbonos
                               disposição
             Classificação     dos átomos           Ramificada          Mais de uma se-
                                                                      quência de carbonos

                                 Quanto à          Homogênea          Apenas carbonos
                                 natureza                                 Apresenta
                                                   Heterogênea
                                                                         heteroátomo
Classificação de cadeias
D) QUANTO AO TIPO DE LIGAÇÃO ENTRE
  CARBONOS
 Saturada - possui somente ligações simples entre os
  átomos de carbono.



 Insaturada - possui pelo menos uma ligação dupla ou
  tripla entre átomos de carbono.
Conjunto de átomos de carbono
             Definição
                                  Esqueleto de substâncias orgânicas
                             Cadeia principal       maior sequência de carbonos
             Divisão         Ramificação         Átomos de carbono fora da cadeia principal
                                                            Aberta ou
                                                             Acíclica              Não forma
                                                                                     ciclo
                                     Quanto ao              ou Alifática
 Cadeias                            fechamento
                                                             Fechada               Apresenta
carbônicas                                                  ou Cíclica               ciclo
                                                                            Sequência única de
                                     Quanto a             Normal                carbonos
                                    disposição
                                    dos átomos          Ramificada            Mais de uma se-
                                                                            quência de carbonos
             Classificação
                                                        Homogênea             Apenas carbonos
                                      Quanto à
                                      natureza         Heterogênea               Apresenta
                                                                                heteroátomo
                                                                            Apenas ligações
                                                      Saturada                 simples
                                    Quanto ao
                                     tipo de
                                     ligação                               Presença de ligação
                                                     Insaturada               dupla ou tripla
Classificação de cadeias
 OBSERVAÇÕES:
• As cadeias fechadas podem ainda ser subdivididas
  em Aromáticas e Alicíclicas.

→ Aromáticas - São compostos de cadeia fechada que
 apresenta um ou mais anéis benzênicos. O anel
 benzênico forma os denominados compostos
 aromáticos.
Classificação de cadeias
→ Alicíclicas - São compostos de cadeia fechada que
não apresentam o anel benzênico.
Alicíclica   Sem anel benzênico

             Aromáticas     Com anel benzênico




Fechada
ou Cíclica
Classificação de Cadeias
II) As cadeias cíclicas podem ser classificadas em
Homocíclicas ou Heterocíclicas, a depender da
presença ou não de um heteroátomo no núcleo ou
ciclo.

→ Homocíclicas - Os núcleos apresentam somente
átomos de carbono entre eles.
Classificação de Cadeias
→ Heterocíclicas - Os núcleos apresentam pelo
 menos um heteroátomo.
Alicíclica     Sem anel benzênico

             Aromáticas       Com anel benzênico



             Homocíclicas        Apenas carbono

Fechada      Heterocíclicas     Apresenta heteroátomo
ou Cíclica
Classificação de Cadeias
III) A depender no número de anéis ou ciclos, as
   cadeias podem ser também classificadas em
   Mononucleares ou Polinucleares:
→ Mononucleares - as cadeias possuem somente
   um único núcleo ou anel.



→ Polinucleares - as cadeias possuem dois ou mais
 núcleos ou anéis.
Classificação de Cadeias
As cadeias Polinucleares são ainda classificadas em:
a) Polinucleares Isoladas - os núcleos ou anéis não
apresentam átomos de carbono comuns entre si.



b) Polinucleares Condensadas - os núcleos ou anéis
apresentam átomos de carbono comuns entre si. Os
anéis ou núcleos apresentam lados comuns entre si.
Alicíclica     Sem anel benzênico

              Aromáticas         Com anel benzênico



              Homocíclicas          Apenas carbono

Fechada       Heterocíclicas       Apresenta heteroátomo
ou Cíclica



             Quanto ao         Mononucleares      Apenas 1 núcleo
             número de                                              Isoladas
               anéis           Polinucleares   Mais de 1 núcleo
                                                                    Condensadas
Classificação de Cadeias
IV) Devido a uma grande quantidade de compostos
aromáticos conhecidos atualmente ocorreu uma
outra divisão dos compostos orgânicos em:
→Compostos Alifáticos - são todos os compostos
orgânicos de cadeias abertas;
→Compostos Alicíclicos - são todos os compostos
orgânicos de cadeias fechadas que não possuem anel
benzênico;
→Compostos Aromáticos - são os compostos de
cadeias fechadas formadas por anéis benzênicos.
Vamos exercitar?
Classifique as cadeias carbônicas:
Vamos exercitar?
Classifique as cadeias carbônicas:
Resposta


Resposta: Cadeia cíclica(aromática),
normal, insaturada e homogênea .



  Resposta:     Cadeia       acíclica,
  ramificada,     insaturada         e
  heterogênea .
Resposta



Resposta: Cadeia acíclica, normal,
insaturada e heterogênea.


  Resposta: Cadeia acíclica,
  ramificada, insaturada   e
  homogênea.
Agora é sua vez!
(UNIRIO RJ) A umbeliferona




é obtida da destilação de resinas vegetais (umbelliferae)
e é usada em cremes e loções para bronzear.
Agora é sua vez!
 Classifica-se sua cadeia como:
a) cíclica, alicíclica, normal insaturada.
b) cíclica, aromática, mononuclear.
c) cíclica, aromática polinuclear de núcleos condensados.
d) cíclica, alicíclica, ramificada, insaturada.
e) acíclica, aromática, polinuclear da núcleos isolados.
Agora é sua vez!
 Classifica-se sua cadeia como:
a) cíclica, alicíclica, normal insaturada.
b) cíclica, aromática, mononuclear.
c) cíclica, aromática polinuclear de núcleos condensados.
d) cíclica, alicíclica, ramificada, insaturada.
e) acíclica, aromática, polinuclear da núcleos isolados.
Resposta
Letra (b)
b) cíclica, aromática, mononuclear.
Bibliografia:
 CAMARGO, Geraldo. Química Moderna. Editora Scipione
 NUNES, Mirtes. Hibridização de orbitais.
Disponível em: <www.energiasul.com.br/.../quimica333hibridizacao>
Acesso em: 16/03/2011
 JÚNIOR, Gilvan. Química Orgânica - Introdução
Disponível em: <http://www.tecnicodepetroleo.ufpr.br/apostilas/
engenheiro_do_petróleo/introducao_quimica_org.pdf>
Acesso em: 20/03/2011
 Química Orgânica
Disponível em <http:www.unirio.br/laqam/organica/aula_1.pdf>
Acesso em: 16/03/2011
 NOVAES, Luiz. O átomo de carbono.
Disponível em: <http://luizclaudionovaes.sites.uol.com.br/cadprin.htm>
Acesso em: 20/03/2011

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Compostos de coordenação
Compostos de coordenaçãoCompostos de coordenação
Compostos de coordenação
Larissa Cadorin
 
Projeções de newman
Projeções de newmanProjeções de newman
Projeções de newman
Priscila Helmold
 
Química Orgância - Funções Orgânicas - www.CentroApoio.com - Vídeo Aulas
Química Orgância - Funções Orgânicas -  www.CentroApoio.com - Vídeo AulasQuímica Orgância - Funções Orgânicas -  www.CentroApoio.com - Vídeo Aulas
Química Orgância - Funções Orgânicas - www.CentroApoio.com - Vídeo Aulas
Vídeo Aulas Apoio
 
Química Orgânica: CARBONO
Química Orgânica: CARBONOQuímica Orgânica: CARBONO
Química Orgânica: CARBONO
DelPadre
 
Nomenclatura dos compostos orgânicos
Nomenclatura dos compostos orgânicosNomenclatura dos compostos orgânicos
Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1
Abraão Matos
 
Estrutura atômica e configuração eletrônica
Estrutura atômica e configuração eletrônicaEstrutura atômica e configuração eletrônica
Estrutura atômica e configuração eletrônica
Profª Alda Ernestina
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
José Nunes da Silva Jr.
 
Hidrocarbonetos
HidrocarbonetosHidrocarbonetos
Hidrocarbonetos
anderson85lima
 
Leis ponderais
Leis ponderaisLeis ponderais
Polaridade
PolaridadePolaridade
Polaridade
dianalove15
 
Reações orgânicas
Reações orgânicasReações orgânicas
Reações orgânicas
paramore146
 
Funções Orgânicas Nitrogenadas.
Funções Orgânicas Nitrogenadas.Funções Orgânicas Nitrogenadas.
Funções Orgânicas Nitrogenadas.
Ajudar Pessoas
 
Funções Inorgânicas
Funções InorgânicasFunções Inorgânicas
Funções Inorgânicas
loirissimavivi
 
Aula polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
Aula   polaridade,  geometria molecular e forças intermolecularesAula   polaridade,  geometria molecular e forças intermoleculares
Aula polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
Profª Alda Ernestina
 
Aula Funções Inorgânicas
Aula Funções InorgânicasAula Funções Inorgânicas
Aula Funções Inorgânicas
Nai Mariano
 
ATOMÍSTICA-INTRODUÇÃO
ATOMÍSTICA-INTRODUÇÃOATOMÍSTICA-INTRODUÇÃO
ATOMÍSTICA-INTRODUÇÃO
ORISVALDO SANTANA
 
Aula funções oxigenadas
Aula  funções oxigenadasAula  funções oxigenadas
Aula funções oxigenadas
Profª Alda Ernestina
 
Equilíbrio Iônico
Equilíbrio IônicoEquilíbrio Iônico
Equilíbrio Iônico
Paulo Filho
 
Forças intermoleculares
Forças intermolecularesForças intermoleculares
Forças intermoleculares
jorgehenriqueangelim
 

Mais procurados (20)

Compostos de coordenação
Compostos de coordenaçãoCompostos de coordenação
Compostos de coordenação
 
Projeções de newman
Projeções de newmanProjeções de newman
Projeções de newman
 
Química Orgância - Funções Orgânicas - www.CentroApoio.com - Vídeo Aulas
Química Orgância - Funções Orgânicas -  www.CentroApoio.com - Vídeo AulasQuímica Orgância - Funções Orgânicas -  www.CentroApoio.com - Vídeo Aulas
Química Orgância - Funções Orgânicas - www.CentroApoio.com - Vídeo Aulas
 
Química Orgânica: CARBONO
Química Orgânica: CARBONOQuímica Orgânica: CARBONO
Química Orgânica: CARBONO
 
Nomenclatura dos compostos orgânicos
Nomenclatura dos compostos orgânicosNomenclatura dos compostos orgânicos
Nomenclatura dos compostos orgânicos
 
Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1
 
Estrutura atômica e configuração eletrônica
Estrutura atômica e configuração eletrônicaEstrutura atômica e configuração eletrônica
Estrutura atômica e configuração eletrônica
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
 
Hidrocarbonetos
HidrocarbonetosHidrocarbonetos
Hidrocarbonetos
 
Leis ponderais
Leis ponderaisLeis ponderais
Leis ponderais
 
Polaridade
PolaridadePolaridade
Polaridade
 
Reações orgânicas
Reações orgânicasReações orgânicas
Reações orgânicas
 
Funções Orgânicas Nitrogenadas.
Funções Orgânicas Nitrogenadas.Funções Orgânicas Nitrogenadas.
Funções Orgânicas Nitrogenadas.
 
Funções Inorgânicas
Funções InorgânicasFunções Inorgânicas
Funções Inorgânicas
 
Aula polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
Aula   polaridade,  geometria molecular e forças intermolecularesAula   polaridade,  geometria molecular e forças intermoleculares
Aula polaridade, geometria molecular e forças intermoleculares
 
Aula Funções Inorgânicas
Aula Funções InorgânicasAula Funções Inorgânicas
Aula Funções Inorgânicas
 
ATOMÍSTICA-INTRODUÇÃO
ATOMÍSTICA-INTRODUÇÃOATOMÍSTICA-INTRODUÇÃO
ATOMÍSTICA-INTRODUÇÃO
 
Aula funções oxigenadas
Aula  funções oxigenadasAula  funções oxigenadas
Aula funções oxigenadas
 
Equilíbrio Iônico
Equilíbrio IônicoEquilíbrio Iônico
Equilíbrio Iônico
 
Forças intermoleculares
Forças intermolecularesForças intermoleculares
Forças intermoleculares
 

Destaque

Química orgânica 3º ano COMPLETO
Química orgânica 3º ano   COMPLETOQuímica orgânica 3º ano   COMPLETO
Química orgânica 3º ano COMPLETO
Eliando Oliveira
 
Introdução a química orgânica
Introdução a química orgânicaIntrodução a química orgânica
Introdução a química orgânica
Leimcpf
 
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Química - Química Orgânica
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Química -  Química Orgânicawww.AulasEnsinoMedio.com.br - Química -  Química Orgânica
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Química - Química Orgânica
AulasEnsinoMedio
 
Introdução à Química Orgânica
Introdução à Química OrgânicaIntrodução à Química Orgânica
Introdução à Química Orgânica
Matheus Almeida David
 
Química orgânica parte I
Química orgânica parte IQuímica orgânica parte I
Química orgânica parte I
Karol Maia
 
Física química
Física químicaFísica química
Hibridação sp sp2 e sp3
Hibridação sp sp2 e sp3Hibridação sp sp2 e sp3
Hibridação sp sp2 e sp3
Pedro Kangombe
 
Revisao -quimica_organica_funções
Revisao  -quimica_organica_funçõesRevisao  -quimica_organica_funções
Revisao -quimica_organica_funções
Escola Pública/Particular
 
Introdução a química orgânica
Introdução a química orgânicaIntrodução a química orgânica
Introdução a química orgânica
André Garrido
 
Química Orgânica 1 - ENEM 2014
Química Orgânica 1 - ENEM 2014Química Orgânica 1 - ENEM 2014
Química Orgânica 1 - ENEM 2014
Joelson Barral
 
ReacçõEs Dos Compostos OrgâNicos
ReacçõEs Dos Compostos OrgâNicosReacçõEs Dos Compostos OrgâNicos
ReacçõEs Dos Compostos OrgâNicos
danists
 
Compostos Orgânicos 2012/2013
Compostos Orgânicos 2012/2013Compostos Orgânicos 2012/2013
Compostos Orgânicos 2012/2013
António Gonçalves
 
CINÉTICA QUÍMICA
CINÉTICA QUÍMICACINÉTICA QUÍMICA
CINÉTICA QUÍMICA
eglailima
 
Cinética Química coc
Cinética Química cocCinética Química coc
Cinética Química coc
José Marcelo Cangemi
 
Introdução à química orgânica
Introdução à química orgânicaIntrodução à química orgânica
Introdução à química orgânica
Maria Naves Ribeiro Lopes
 
Ligações Químicas
Ligações QuímicasLigações Químicas
Ligações Químicas
José Nunes da Silva Jr.
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
japquimica
 
Química Orgânica I - Introdução
Química Orgânica I - IntroduçãoQuímica Orgânica I - Introdução
Química Orgânica I - Introdução
Ricardo Stefani
 
CARACTERISTICAS DO CARBONO
CARACTERISTICAS DO CARBONOCARACTERISTICAS DO CARBONO
CARACTERISTICAS DO CARBONO
Marcos França
 
Introdução à química - 9º ano
Introdução à química - 9º anoIntrodução à química - 9º ano
Introdução à química - 9º ano
V
 

Destaque (20)

Química orgânica 3º ano COMPLETO
Química orgânica 3º ano   COMPLETOQuímica orgânica 3º ano   COMPLETO
Química orgânica 3º ano COMPLETO
 
Introdução a química orgânica
Introdução a química orgânicaIntrodução a química orgânica
Introdução a química orgânica
 
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Química - Química Orgânica
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Química -  Química Orgânicawww.AulasEnsinoMedio.com.br - Química -  Química Orgânica
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Química - Química Orgânica
 
Introdução à Química Orgânica
Introdução à Química OrgânicaIntrodução à Química Orgânica
Introdução à Química Orgânica
 
Química orgânica parte I
Química orgânica parte IQuímica orgânica parte I
Química orgânica parte I
 
Física química
Física químicaFísica química
Física química
 
Hibridação sp sp2 e sp3
Hibridação sp sp2 e sp3Hibridação sp sp2 e sp3
Hibridação sp sp2 e sp3
 
Revisao -quimica_organica_funções
Revisao  -quimica_organica_funçõesRevisao  -quimica_organica_funções
Revisao -quimica_organica_funções
 
Introdução a química orgânica
Introdução a química orgânicaIntrodução a química orgânica
Introdução a química orgânica
 
Química Orgânica 1 - ENEM 2014
Química Orgânica 1 - ENEM 2014Química Orgânica 1 - ENEM 2014
Química Orgânica 1 - ENEM 2014
 
ReacçõEs Dos Compostos OrgâNicos
ReacçõEs Dos Compostos OrgâNicosReacçõEs Dos Compostos OrgâNicos
ReacçõEs Dos Compostos OrgâNicos
 
Compostos Orgânicos 2012/2013
Compostos Orgânicos 2012/2013Compostos Orgânicos 2012/2013
Compostos Orgânicos 2012/2013
 
CINÉTICA QUÍMICA
CINÉTICA QUÍMICACINÉTICA QUÍMICA
CINÉTICA QUÍMICA
 
Cinética Química coc
Cinética Química cocCinética Química coc
Cinética Química coc
 
Introdução à química orgânica
Introdução à química orgânicaIntrodução à química orgânica
Introdução à química orgânica
 
Ligações Químicas
Ligações QuímicasLigações Químicas
Ligações Químicas
 
Cinética química
Cinética químicaCinética química
Cinética química
 
Química Orgânica I - Introdução
Química Orgânica I - IntroduçãoQuímica Orgânica I - Introdução
Química Orgânica I - Introdução
 
CARACTERISTICAS DO CARBONO
CARACTERISTICAS DO CARBONOCARACTERISTICAS DO CARBONO
CARACTERISTICAS DO CARBONO
 
Introdução à química - 9º ano
Introdução à química - 9º anoIntrodução à química - 9º ano
Introdução à química - 9º ano
 

Semelhante a www.AulasDeQuimicaApoio.com - Química - Química Orgânica

Jogo- Química Orgânica.pptx
Jogo- Química Orgânica.pptxJogo- Química Orgânica.pptx
Jogo- Química Orgânica.pptx
Giuliano Lioi Munhoes
 
Tarefa semana 01
Tarefa semana 01Tarefa semana 01
Tarefa semana 01
Eliana Araujo
 
Quimica orgânica
Quimica orgânicaQuimica orgânica
Quimica orgânica
lcarlosljunior
 
Química orgânica anderson lima
Química orgânica anderson limaQuímica orgânica anderson lima
Química orgânica anderson lima
Anderson De Lima Pereira
 
Aula 1-2740.pptx
Aula 1-2740.pptxAula 1-2740.pptx
Aula 1-2740.pptx
ThaynarPinheiro
 
Revisão para prova terceiros anos
Revisão para  prova terceiros anosRevisão para  prova terceiros anos
Revisão para prova terceiros anos
DIRLUIZ
 
Química Orgânica.pptx
Química Orgânica.pptxQuímica Orgânica.pptx
Química Orgânica.pptx
FtimaEstevo
 
Introducao quimica org
Introducao quimica orgIntroducao quimica org
Introducao quimica org
apoiodequimica
 
Introducao quimica org
Introducao quimica orgIntroducao quimica org
Introducao quimica org
apoiodequimica
 
Quimica1.(simpsons)
Quimica1.(simpsons)Quimica1.(simpsons)
Quimica1.(simpsons)
segundocol
 
Rad.org.(simpsons)
Rad.org.(simpsons)Rad.org.(simpsons)
Rad.org.(simpsons)
segundocol
 
Rad.org.(simpsons)
Rad.org.(simpsons)Rad.org.(simpsons)
Rad.org.(simpsons)
JulianaGimenes
 
4 apostila-de-química-orgânica-maria-patrícia1
4 apostila-de-química-orgânica-maria-patrícia14 apostila-de-química-orgânica-maria-patrícia1
4 apostila-de-química-orgânica-maria-patrícia1
Joyce Fagundes
 
Apostila de quimica organica
Apostila  de  quimica  organicaApostila  de  quimica  organica
Apostila de quimica organica
Neejacp
 
Quimica 003 quimica organica
Quimica  003 quimica organicaQuimica  003 quimica organica
Quimica 003 quimica organica
con_seguir
 
Nomenclatura dos hidrocarbonetos.
Nomenclatura dos hidrocarbonetos.Nomenclatura dos hidrocarbonetos.
Nomenclatura dos hidrocarbonetos.
Lara Lídia
 
Pré-prova dos mais bagual Química POP
Pré-prova dos mais bagual Química POPPré-prova dos mais bagual Química POP
Pré-prova dos mais bagual Química POP
Rodrigo Oliveira
 
Apostila de Química para Enem e Vestibulares -UFJF - Profª. Maria Patrícia
Apostila de Química para Enem e Vestibulares -UFJF - Profª. Maria PatríciaApostila de Química para Enem e Vestibulares -UFJF - Profª. Maria Patrícia
Apostila de Química para Enem e Vestibulares -UFJF - Profª. Maria Patrícia
Jose Carlos Machado Cunha
 
Aula 01 quimica do petróleo (orgânica)
Aula 01   quimica do petróleo (orgânica)Aula 01   quimica do petróleo (orgânica)
Aula 01 quimica do petróleo (orgânica)
Amanda Gondim
 
Radicaisorganicos
RadicaisorganicosRadicaisorganicos
Radicaisorganicos
Fábio Garcia Ferreira
 

Semelhante a www.AulasDeQuimicaApoio.com - Química - Química Orgânica (20)

Jogo- Química Orgânica.pptx
Jogo- Química Orgânica.pptxJogo- Química Orgânica.pptx
Jogo- Química Orgânica.pptx
 
Tarefa semana 01
Tarefa semana 01Tarefa semana 01
Tarefa semana 01
 
Quimica orgânica
Quimica orgânicaQuimica orgânica
Quimica orgânica
 
Química orgânica anderson lima
Química orgânica anderson limaQuímica orgânica anderson lima
Química orgânica anderson lima
 
Aula 1-2740.pptx
Aula 1-2740.pptxAula 1-2740.pptx
Aula 1-2740.pptx
 
Revisão para prova terceiros anos
Revisão para  prova terceiros anosRevisão para  prova terceiros anos
Revisão para prova terceiros anos
 
Química Orgânica.pptx
Química Orgânica.pptxQuímica Orgânica.pptx
Química Orgânica.pptx
 
Introducao quimica org
Introducao quimica orgIntroducao quimica org
Introducao quimica org
 
Introducao quimica org
Introducao quimica orgIntroducao quimica org
Introducao quimica org
 
Quimica1.(simpsons)
Quimica1.(simpsons)Quimica1.(simpsons)
Quimica1.(simpsons)
 
Rad.org.(simpsons)
Rad.org.(simpsons)Rad.org.(simpsons)
Rad.org.(simpsons)
 
Rad.org.(simpsons)
Rad.org.(simpsons)Rad.org.(simpsons)
Rad.org.(simpsons)
 
4 apostila-de-química-orgânica-maria-patrícia1
4 apostila-de-química-orgânica-maria-patrícia14 apostila-de-química-orgânica-maria-patrícia1
4 apostila-de-química-orgânica-maria-patrícia1
 
Apostila de quimica organica
Apostila  de  quimica  organicaApostila  de  quimica  organica
Apostila de quimica organica
 
Quimica 003 quimica organica
Quimica  003 quimica organicaQuimica  003 quimica organica
Quimica 003 quimica organica
 
Nomenclatura dos hidrocarbonetos.
Nomenclatura dos hidrocarbonetos.Nomenclatura dos hidrocarbonetos.
Nomenclatura dos hidrocarbonetos.
 
Pré-prova dos mais bagual Química POP
Pré-prova dos mais bagual Química POPPré-prova dos mais bagual Química POP
Pré-prova dos mais bagual Química POP
 
Apostila de Química para Enem e Vestibulares -UFJF - Profª. Maria Patrícia
Apostila de Química para Enem e Vestibulares -UFJF - Profª. Maria PatríciaApostila de Química para Enem e Vestibulares -UFJF - Profª. Maria Patrícia
Apostila de Química para Enem e Vestibulares -UFJF - Profª. Maria Patrícia
 
Aula 01 quimica do petróleo (orgânica)
Aula 01   quimica do petróleo (orgânica)Aula 01   quimica do petróleo (orgânica)
Aula 01 quimica do petróleo (orgânica)
 
Radicaisorganicos
RadicaisorganicosRadicaisorganicos
Radicaisorganicos
 

Último

1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 

Último (20)

1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 

www.AulasDeQuimicaApoio.com - Química - Química Orgânica

  • 2. Química Orgânica Definição Química Orgânica é a parte da Química que estuda os compostos do carbono, que é o seu elemento fundamental . Compostos orgânicos Os compostos orgânicos ou moléculas orgânicas são as substâncias químicas que contêm na sua estrutura Carbono e Hidrogênio, e muitas vezes com oxigênio, nitrogênio, enxofre, fósforo, halogênios e outros.
  • 3. Relembrando... Valência é o número de ligações que um átomo de certo elemento químico pode fazer de acordo com o número de elétrons que possui em sua última camada. Número de elétrons na última camada de alguns elementos encontrados em compostos orgânicos:
  • 4. Valência de alguns elementos importantes na Química Orgânica: Hidrogênio 1 pois ele é monovalente, faz 1 ligação. Oxigênio 2 pois ele é divalente, faz 2 ligações. Nitrogênio 3 pois ele é trivalente, faz 3 ligações. Carbono 4 pois ele é tetravalente, faz 4 ligações.
  • 5. Definição Estuda compostos de carbono carbono Definição Substâncias Elementos químicas principais hidrogênio Compostos Química Orgânicos hidrogênio Faz 1 ligação Orgânica oxigênio Faz 2 ligações Valência nitrogênio Faz 3 ligações carbono Faz 4 ligações
  • 6. Tipos de Fórmulas Os químicos orgânicos usam várias maneiras para escrever fórmulas estruturais. Os tipos mais comuns de representação são: fórmula de traço, fórmula condensada e fórmula de linha. 1) Fórmula Molecular C2H6 (etano); C3H8 ( propano)
  • 7. Tipos de Fórmulas 2) Fórmulas Estruturais a) Plana c) Bastão ou linha (Cada vértice corresponde ao CH2 ou CH3) b) Condensada d) Eletrônica ou de Lewis
  • 8. Definição Estuda compostos de carbono carbono Definição Substâncias Elementos químicas principais hidrogênio Compostos Química Orgânicos hidrogênio Faz 1 ligação Orgânica oxigênio Faz 2 ligações Valência nitrogênio Faz 3 ligações carbono Faz 4 ligações Molecular Tipos de Plana Fórmulas Condensada Estruturais Linha Eletrônica
  • 9. Vamos exercitar? (UNIRIO)“O Brasil está pressionando o laboratório suíço Roche para reduzir o preço da sua droga anti-Aids ou enfrentar uma competição de uma cópia local, disse Eloan Pinheiro, diretora do laboratório estatal Far- Manguinhos, da Fundação Oswaldo Cruz(Fiocruz), no Rio de Janeiro.” A produção do AZT, que foi uma das primeiras drogas antivirais no combate à Aids,faz parte desse cenário. (Jornal do Brasil/2001)
  • 10. A fórmula molecular do AZT é: a) C10H12O3N5 b) C9H15O2N5 c) C11H18O3N6 d) C10H15O4N4 e) C11H17O3N5
  • 11. A fórmula molecular do AZT é: a) C10H12O3N5 b) C9H15O2N5 c) C11H18O3N6 d) C10H15O4N4 e) C11H17O3N5
  • 13. Agora é sua vez! (USJT SP) As auxinas correspondem a um grupo de substâncias que agem no crescimento das plantas e controlam muitas outras atividades fisiológicas. Foram os primeiros hormônios descobertos nos vegetais. A auxina natural do vegetal é o ácido indolacético (AIA), um composto orgânico simples, com a seguinte fórmula estrutural. Qual é a sua fórmula molecular? A) C10H11O2N B) C10H11NO C) C10H9NO2 D) C10H8ON E) C H ON
  • 14. Agora é sua vez! (USJT SP) As auxinas correspondem a um grupo de substâncias que agem no crescimento das plantas e controlam muitas outras atividades fisiológicas. Foram os primeiros hormônios descobertos nos vegetais. A auxina natural do vegetal é o ácido indolacético (AIA), um composto orgânico simples, com a seguinte fórmula estrutural. Qual é a sua fórmula molecular? A) C10H11O2N B) C10H11NO C) C10H9NO2 D) C10H8ON E) C H ON
  • 16. Propriedades do Carbono Os estudos referentes à estrutura do carbono foram denominados de postulados de Couper-Kekulé, veja agora estes postulados: 1º postulado: O átomo de carbono é tetravalente. Esta estrutura permite que o elemento estabeleça quatro ligações covalentes.
  • 17. Propriedades do Carbono 2º postulado: As quatro ligações (do tipo sigma) de um carbono são iguais. Observe no seguinte exemplo que a posição do átomo de cloro não difere os compostos.
  • 18. Propriedades do Carbono 3º postulado: Átomos de carbono ligam-se diretamente entre si, formando estruturas denominadas cadeias carbônicas.
  • 19. Tetravalente 4 ligações permanentes Propriedades Ligações sigma iguais Ligam-se entre si formam cadeias carbônicas Carbono
  • 20. Classificação do Carbono • Primário - Ligado diretamente, no máximo, a um outro carbono.  Secundário - Ligado diretamente a dois outros carbonos.
  • 21. Classificação do Carbono • Terciário - Ligado diretamente a três outros carbonos. • Quaternário - Ligado diretamente a quatro outros carbonos.
  • 22. Tetravalente 4 ligações permanentes Propriedades Ligações sigma iguais Ligam-se entre si Cadeias carbônicas Primário Ligado a 1 carbono Secundário Ligado a 2 carbonos Classificação Terciário Ligado a 3 carbonos Carbono Quaternário Ligado a 4 carbonos
  • 23. Vamos exercitar? A maior parte das drogas nos anticoncepcionais de via oral é derivada da fórmula estrutural plana abaixo: O número de carbonos terciários presentes nesta estrutura é: a) 5 b) 6 c) 7 d) 8 e) 9
  • 24. Vamos exercitar? A maior parte das drogas nos anticoncepcionais de via oral é derivada da fórmula estrutural plana abaixo: O número de carbonos terciários presentes nesta estrutura é: a) 5 b) 6 c) 7 d) 8 e) 9
  • 26. Agora é sua vez! Classifique os carbonos nas cadeias quanto ao critério: primário(P), secundário(S), Terciário(T) e quaternário(Q).
  • 27. Agora é sua vez! Classifique os carbonos nas cadeias quanto ao critério: primário(P), secundário(S), Terciário(T) e quaternário(Q).
  • 29. Ligações no Carbono O isótopo mais abundante do carbono é o de número de Z = 6 e A = 12. Ele é composto por 6 prótons, 6 elétrons e 6 nêutrons. Seus elétrons são distribuídos em duas camadas eletrônicas. 6 C → 1s2 2s2 2p2 camada K: 2 elétrons camada L: 4 elétrons
  • 30. tetravalente 4 ligações permanentes Propriedades Ligações sigma iguais Ligam-se entre si Cadeias carbônicas Primário Ligado a 1 carbono Secundário Ligado a 2 carbonos Classificação Terciário Ligado a 3 carbonos Quaternário Ligado a 4 carbonos Carbono 6 prótons composição 6 elétrons Isótopo mais Z=6 abundante A=12 6 nêutrons Distribuição 4 ligações 1s2 2s2 2p2 covalentes eletrônica
  • 31. Tipos de Ligações Ligação σ(sigma) : Ocorre frontalmente e é mais forte. Atenção: Toda ligação σ será obrigatoriamente uma ligação simples.
  • 32. Tipos de Ligações Ligação π(pi): Ocorre paralelamente e é mais fraca. π:p-p Atenção: A primeira ligação entre dois átomos é sempre σ , se existir uma 2° ou 3°, esta será sempre π.
  • 33. tetravalente 4 ligações permanentes Propriedades Ligações sigma iguais Ligam-se entre si Cadeias carbônicas Primário Ligado a 1 carbono Secundário Ligado a 2 carbonos Classificação Terciário Ligado a 3 carbonos Quaternário Ligado a 4 carbonos Carbono 6 prótons composição 6 elétrons Isótopo mais Z=6 abundante A=12 6 nêutrons Distribuição 4 ligações 1s2 2s2 2p2 covalentes eletrônica Tipos de Sigma Frontalmente Forte Ligações Pi Paralelamente Fraca
  • 34. Ligações no Carbono O Carbono pode se ligar a outros elementos através de ligações covalentes : Simples (-): Apenas uma ligação σ(sigma). Duplas (=): uma σ e uma π(pi) . Triplas (≡ ): uma σ e duas π. Relembrando: Ligação covalente é um tipo de ligação química onde há compartilhamento de elétrons.
  • 35. tetravalente 4 ligações permanentes Propriedades Ligações sigma iguais Ligam-se entre si Cadeias carbônicas Primário Ligado a 1 carbono Secundário Ligado a 2 carbonos Classificação Terciário Ligado a 3 carbonos Quaternário Ligado a 4 carbonos Carbono 6 prótons composição 6 elétrons Isótopo mais Z=6 abundante A=12 6 nêutrons Distribuição 4 ligações 1s2 2s2 2p2 covalentes eletrônica Tipos de Sigma Frontalmente Forte Ligações Pi Paralelamente Fraca Simples 1 sigma Ligações no Dupla 1 sigma e 1 pi carbono Tripla 1 sigma e 2 pi
  • 36. Vamos exercitar? O gosto amargo da cerveja é devido à seguinte substância de fórmula estrutural plana: Essa substância, denominada mirceno, provém das folhas de lúpulo adicionadas durante a fabricação da bebida. O número de ligações pi presentes na estrutura do mirceno é igual a: a) 3 b) 5 c) 8 d) 15
  • 37. Vamos exercitar? O gosto amargo da cerveja é devido à seguinte substância de fórmula estrutural plana: Essa substância, denominada mirceno, provém das folhas de lúpulo adicionadas durante a fabricação da bebida. O número de ligações pi presentes na estrutura do mirceno é igual a: a) 3 b) 5 c) 8 d) 15
  • 38. Resposta Letra (a) Note que as ligações π são ligações duplas ou triplas, logo neste composto elas só poderão aparecer entre carbonos, pois entre carbonos e hidrogênios há apenas ligações simples.
  • 39. Agora é sua vez! Considere os compostos I, II, III, IV e V, representados abaixo pelas fórmulas respectivas: I- CH3CH2CH3 II- CH3CH2COOH III- CH3COH IV- CH3-CH3 V- CH2CHCH3
  • 40. Agora é sua vez! Considere os compostos I, II, III, IV e V, representados abaixo pelas fórmulas respectivas: I- CH3CH2CH3 II- CH3CH2COOH III- CH3COH IV- CH3-CH3 V- CH2CHCH3
  • 41. Agora é sua vez! Assinale a opção que indica somente compostos que possuem ligação π: c) I e V d)I, II e V e)I, IV e V f)II, III e V g)III e IV
  • 42. Agora é sua vez! Assinale a opção que indica somente compostos que possuem ligação π: c) I e V d)I, II e V e)I, IV e V f)II, III e V g)III e IV
  • 44. Hibridização de orbitais É a mistura de orbitais pertencentes a um mesmo átomo, originando novos orbitais iguais entre si, mas diferentes dos orbitais originais. A diferença destes novos orbitais atômicos, denominados orbitais híbridos, acontece tanto na geometria(forma) como no conteúdo energético. O número dos orbitais híbridos obtidos será o mesmo dos orbitais existentes antes de serem misturados. Orbitais híbridos efetuam ligações sigma ( σ ) .
  • 45. Mistura dos orbitais Gera orbitais Definição de um átomo híbridos iguais Mudança na geometria e no conteúdo energético Características Nº de orbitais híbridos = Nº de orbitais originais Orbitais híbridos fazem ligações sigma Hibridização do carbono
  • 46. Hibridização sp 3 Na hibridização sp3 um elétron “s” é promovido para o orbital “p” vazio, originando o carbono no estado ativado (intermediário).
  • 47. Hibridização sp 3 O átomo de carbono situa-se no centro de um tetraedro imaginário, estando cada uma de suas valências dirigidas para um dos vértices do tetraedro. Carbono hibridizado 109° 28’ (formas dos orbitais híbridos) Tetrahedral CH4 Nas ligações com outros átomos, forma quatro ligações “sigma”.
  • 49. Mistura dos orbitais Gera orbitais Definição de um átomo híbridos iguais Mudança na geometria e no conteúdo energético Características Nº de orbitais híbridos = Nº de orbitais originais Orbitais híbridos fazem ligações sigma Hibridização do carbono Definição Origina carbono ativado sp3 Estrutura Tipos
  • 50. Hibridização sp2 Na hibridização sp2 a “fusão” de orbitais ocorre entre o orbital “s” e dois orbitais “p”. Note que um dos orbitais “p” permaneceu puro, pois é ele que fará ligação π.
  • 51. Hibridização sp2 Carbono hibridizado (formas dos orbitais híbridos) Trigonal Planar Nas ligações com outros átomos, forma três ligações “sigma” e uma “pi”.
  • 52. Hibridização sp 2 Exemplo: Eteno(C2H4)
  • 53. Mistura dos orbitais Gera orbitais Definição de um átomo híbridos iguais Mudança na geometria e no conteúdo energético Características Nº de orbitais híbridos = Nº de orbitais originais Orbitais híbridos fazem ligações sigma Hibridização do carbono Definição Origina carbono ativado sp3 Estrutura Definição Fusão: orbital s e 2 orbitais p Tipos sp2 Estrutura
  • 54. Hibridização sp De forma semelhante, na hibridização sp um elétron “s” é também promovido para o orbital “p” vazio, originando o carbono no estado ativado (intermediário). E a “fusão” de orbitais ocorre entre o orbital “s” e um “p”. Os outros dois orbitais “p” permanecem puros, pois serão eles que farão as ligações π.
  • 55. Hibridização sp Carbono hibridizado (formas dos orbitais híbridos) Nas ligações com outros átomos, forma duas ligações “sigma” e duas “pi”.
  • 57. Resumo de Hibridização Hibridização Ligações Ligações Orbitais Orbitais Geometria Ângulo simples múltiplas híbridos puros (sigma) (pi) sp3 4 0 sppp nenhum Tetraédrica 109° 28’ sp2 3 1 spp p Trigonal 120° Plana sp 2 2 sp pp Linear 180°
  • 58. Mistura dos orbitais Gera orbitais Definição de um átomo híbridos iguais Mudança na geometria e no conteúdo energético Características Nº de orbitais híbridos = Nº de orbitais originais Orbitais híbridos fazem ligações sigma Hibridização do carbono Definição Origina carbono ativado sp3 Estrutura Definição Fusão: orbital s e 2 orbitais p Tipos sp2 Estrutura Definição Fusão orbital s e 1 p sp Estrutura
  • 59. Vamos exercitar? Na composição de corretores do tipo Liquid Paper, além de hidrocarbonetos e dióxido de titânio, encontra-se a substância isocianato de alila, cuja fórmula estrutural plana é representada por CH2 = CH – CH2 – N = C = O. Com relação a esta molécula, é correto afirmar que o número de carbonos com hibridação sp2 é igual a: a) 1 b) 2 c) 3 d) 4
  • 60. Vamos exercitar? Na composição de corretores do tipo Liquid Paper, além de hidrocarbonetos e dióxido de titânio, encontra-se a substância isocianato de alila, cuja fórmula estrutural plana é representada por CH2 = CH – CH2 – N = C = O. Com relação a esta molécula, é correto afirmar que o número de carbonos com hibridação sp2 é igual a: a) 1 b) 2 c) 3 d) 4
  • 62. Agora é sua vez! Indique o tipo de hibridação que ocorre nos carbonos abaixo:
  • 63. Agora é sua vez! Indique o tipo de hibridação que ocorre nos carbonos abaixo:
  • 64. Resposta a- sp3 f- sp2 b- sp2 g- sp c- sp2 h- sp2 d- sp i- sp2 e- sp j- sp3
  • 65. Cadeias Carbônicas Cadeia carbônica – Nome dado ao conjunto de átomos de carbono e/ou heteroátomos que constituem o “esqueleto”, coluna principal, na estrutura das substâncias orgânicas. Exemplos:
  • 66. Conjunto de átomos de carbono Definição Esqueleto de substâncias orgânicas Cadeias carbônicas
  • 67. Cadeia principal A cadeia principal é a maior sequência de carbonos dentro de uma cadeia. Se a cadeia apresentar carbonos terciários e/ou quaternários, teremos mais de um eixo na molécula, porém, o eixo com a sequência de carbonos mais longa será a cadeia principal. Os átomos de carbono que ficarem de fora da cadeia principal serão considerados como ramificações.
  • 68. Classificação de cadeias A) QUANTO AO FECHAMENTO DA CADEIA  Aberta, Acíclica ou Alifática - apresenta os átomos de carbono sem formar um ciclo ou anel entre eles. A cadeia apresenta no mínimo duas extremidades.  Fechada ou Cíclica - apresenta um ciclo, núcleo ou anel (não apresenta extremidade).
  • 69. Conjunto de átomos de carbono Definição Esqueleto de substâncias orgânicas Cadeia principal maior sequência de carbonos Divisão Ramificação Átomos de carbono fora da cadeia principal Aberta ou Não forma Acíclica ciclo Cadeias Quanto ao ou Alifática carbônicas fechamento Fechada Apresenta ou Cíclica ciclo Classificação
  • 70. Classificação de cadeias B) QUANTO À DISPOSIÇÃO DOS ÁTOMOS DE CARBONO • Normal – Todos os átomos de carbono pertencentes à cadeia encontram-se numa única sequência. • Ramificada- O átomos de carbono pertencentes à cadeia apresentam mais de uma sequência.
  • 71. Conjunto de átomos de carbono Definição Esqueleto de substâncias orgânicas Cadeia principal maior sequência de carbonos Divisão Ramificação Átomos de carbono fora da cadeia principal Aberta ou Não forma Acíclica ciclo Cadeias Quanto ao ou Alifática carbônicas fechamento Fechada Apresenta ou Cíclica ciclo Sequência única Quanto a Normal de carbonos disposição Classificação dos átomos Ramificada Mais de uma se- quência de carbonos
  • 72. Classificação de cadeias C) QUANTO À NATUREZA DOS ÁTOMOS • Homogênea - ocorre quando não possui qualquer átomo diferente entre carbonos. (esta última é homogênea, pois o oxigênio não se encontra entre átomos de carbono)  Heterogênea - ocorre quando possui um heteroátomo (átomo de outro elemento) entre carbonos.
  • 73. Conjunto de átomos de carbono Definição Esqueleto de substâncias orgânicas Cadeia principal maior sequência de carbonos Divisão Ramificação Átomos de carbono fora da cadeia principal Aberta ou Não forma Acíclica ciclo Cadeias Quanto ao ou Alifática carbônicas fechamento Fechada Apresenta ou Cíclica ciclo Sequência única Quanto a Normal de carbonos disposição Classificação dos átomos Ramificada Mais de uma se- quência de carbonos Quanto à Homogênea Apenas carbonos natureza Apresenta Heterogênea heteroátomo
  • 74. Classificação de cadeias D) QUANTO AO TIPO DE LIGAÇÃO ENTRE CARBONOS  Saturada - possui somente ligações simples entre os átomos de carbono.  Insaturada - possui pelo menos uma ligação dupla ou tripla entre átomos de carbono.
  • 75. Conjunto de átomos de carbono Definição Esqueleto de substâncias orgânicas Cadeia principal maior sequência de carbonos Divisão Ramificação Átomos de carbono fora da cadeia principal Aberta ou Acíclica Não forma ciclo Quanto ao ou Alifática Cadeias fechamento Fechada Apresenta carbônicas ou Cíclica ciclo Sequência única de Quanto a Normal carbonos disposição dos átomos Ramificada Mais de uma se- quência de carbonos Classificação Homogênea Apenas carbonos Quanto à natureza Heterogênea Apresenta heteroátomo Apenas ligações Saturada simples Quanto ao tipo de ligação Presença de ligação Insaturada dupla ou tripla
  • 76. Classificação de cadeias OBSERVAÇÕES: • As cadeias fechadas podem ainda ser subdivididas em Aromáticas e Alicíclicas. → Aromáticas - São compostos de cadeia fechada que apresenta um ou mais anéis benzênicos. O anel benzênico forma os denominados compostos aromáticos.
  • 77. Classificação de cadeias → Alicíclicas - São compostos de cadeia fechada que não apresentam o anel benzênico.
  • 78. Alicíclica Sem anel benzênico Aromáticas Com anel benzênico Fechada ou Cíclica
  • 79. Classificação de Cadeias II) As cadeias cíclicas podem ser classificadas em Homocíclicas ou Heterocíclicas, a depender da presença ou não de um heteroátomo no núcleo ou ciclo. → Homocíclicas - Os núcleos apresentam somente átomos de carbono entre eles.
  • 80. Classificação de Cadeias → Heterocíclicas - Os núcleos apresentam pelo menos um heteroátomo.
  • 81. Alicíclica Sem anel benzênico Aromáticas Com anel benzênico Homocíclicas Apenas carbono Fechada Heterocíclicas Apresenta heteroátomo ou Cíclica
  • 82. Classificação de Cadeias III) A depender no número de anéis ou ciclos, as cadeias podem ser também classificadas em Mononucleares ou Polinucleares: → Mononucleares - as cadeias possuem somente um único núcleo ou anel. → Polinucleares - as cadeias possuem dois ou mais núcleos ou anéis.
  • 83. Classificação de Cadeias As cadeias Polinucleares são ainda classificadas em: a) Polinucleares Isoladas - os núcleos ou anéis não apresentam átomos de carbono comuns entre si. b) Polinucleares Condensadas - os núcleos ou anéis apresentam átomos de carbono comuns entre si. Os anéis ou núcleos apresentam lados comuns entre si.
  • 84. Alicíclica Sem anel benzênico Aromáticas Com anel benzênico Homocíclicas Apenas carbono Fechada Heterocíclicas Apresenta heteroátomo ou Cíclica Quanto ao Mononucleares Apenas 1 núcleo número de Isoladas anéis Polinucleares Mais de 1 núcleo Condensadas
  • 85. Classificação de Cadeias IV) Devido a uma grande quantidade de compostos aromáticos conhecidos atualmente ocorreu uma outra divisão dos compostos orgânicos em: →Compostos Alifáticos - são todos os compostos orgânicos de cadeias abertas; →Compostos Alicíclicos - são todos os compostos orgânicos de cadeias fechadas que não possuem anel benzênico; →Compostos Aromáticos - são os compostos de cadeias fechadas formadas por anéis benzênicos.
  • 86. Vamos exercitar? Classifique as cadeias carbônicas:
  • 87. Vamos exercitar? Classifique as cadeias carbônicas:
  • 88. Resposta Resposta: Cadeia cíclica(aromática), normal, insaturada e homogênea . Resposta: Cadeia acíclica, ramificada, insaturada e heterogênea .
  • 89. Resposta Resposta: Cadeia acíclica, normal, insaturada e heterogênea. Resposta: Cadeia acíclica, ramificada, insaturada e homogênea.
  • 90. Agora é sua vez! (UNIRIO RJ) A umbeliferona é obtida da destilação de resinas vegetais (umbelliferae) e é usada em cremes e loções para bronzear.
  • 91. Agora é sua vez! Classifica-se sua cadeia como: a) cíclica, alicíclica, normal insaturada. b) cíclica, aromática, mononuclear. c) cíclica, aromática polinuclear de núcleos condensados. d) cíclica, alicíclica, ramificada, insaturada. e) acíclica, aromática, polinuclear da núcleos isolados.
  • 92. Agora é sua vez! Classifica-se sua cadeia como: a) cíclica, alicíclica, normal insaturada. b) cíclica, aromática, mononuclear. c) cíclica, aromática polinuclear de núcleos condensados. d) cíclica, alicíclica, ramificada, insaturada. e) acíclica, aromática, polinuclear da núcleos isolados.
  • 93. Resposta Letra (b) b) cíclica, aromática, mononuclear.
  • 94. Bibliografia:  CAMARGO, Geraldo. Química Moderna. Editora Scipione  NUNES, Mirtes. Hibridização de orbitais. Disponível em: <www.energiasul.com.br/.../quimica333hibridizacao> Acesso em: 16/03/2011  JÚNIOR, Gilvan. Química Orgânica - Introdução Disponível em: <http://www.tecnicodepetroleo.ufpr.br/apostilas/ engenheiro_do_petróleo/introducao_quimica_org.pdf> Acesso em: 20/03/2011  Química Orgânica Disponível em <http:www.unirio.br/laqam/organica/aula_1.pdf> Acesso em: 16/03/2011  NOVAES, Luiz. O átomo de carbono. Disponível em: <http://luizclaudionovaes.sites.uol.com.br/cadprin.htm> Acesso em: 20/03/2011

Notas do Editor

  1. A) QUANTO AO FECHAMENTO DA CADEIA Aberta, Acíclica ou Alifática - apresenta os átomos de carbono sem formar um ciclo ou anel entre eles. A cadeia apresenta no mínimo duas extremidades. Fechada ou Cíclica - apresenta um ciclo, núcleo ou anel (não apresenta extremidade).