SlideShare uma empresa Scribd logo
QUÍMICA


                              REAÇÕES DE ÓXIDO-REDUÇÃO
1. CONCEITO DE OXIDAÇÃO                                                             4º) Os metais alcalinos (elementos do grupo 1 da
                                                                                       tabela periódica) e a prata tem nox igual a +1.
       O termo oxidação nasceu do fenômeno quími-                                   5º) Os metais alcalinos-terrosos (elementos do
co “reagir com o oxigênio”. É comum dizer que o                                        grupo 2 da tabela periódica) e o zinco tem nox
ferro sofreu corrosão (oxidou-se), isto é, que o ferro                                 igual a +2.
combinou-se com o oxigênio.                                                         6º) Os calcogênios (elementos do grupo 16 da ta-
       Analisando a reação abaixo:                                                     bela periódica) tem nox igual a –2.
                  3
           Fe +     O2 → Fe2O3 ,        podemos afirmar que o ferro                 7º) Os halogênios (elementos do grupo 17 da ta-
                  2
                                                                                       bela periódica) tem nox igual a –1.
metálico combinou-se com o oxigênio, formando o
                                                                                    8o) O hidrogênio, preso a metal, tem Nox igual a -
seu respectivo óxido. O que significa dizer que o fer-
                                                                                       1. Preso a ametal, tem Nox igual a +1.
ro sofreu oxidação.
       Na realidade, a equação acima é possível, pois                             Exemplo:
o ferro perde elétrons, enquanto que o oxigênio rece-
                                                                                      Ca        +      CuSO 4      CaSO4       +   Cu
be os elétrons perdidos pelo ferro.
       Então, podemos afirmar que:
       O ferro oxidou-se e o oxigênio reduziu-se.                                     0                 +2          +2             0
       Como regra geral, temos:
       Oxidar – quer dizer perder elétrons.
       Reduzir – quer dizer ganhar elétrons.                                               Oxidação
       Cuidado: a presença de oxigênio não é condi-
                                                                                                                   Redução
ção para que haja uma reação de óxido-redução.
       Para existir reações de óxido-redução, não é
necessária a presença de oxigênio.                                                         Agente oxidante:
                                                                                             É a espécie química que contém o elemento
                                   Oxidação
                                                                                             que sofre redução.

-7    -6   -5 -4    -3   -2   -1    0   +1    +2   +3   +4   +5 +6   +7                    Agente redutor:
                                    Redução                                                  É a espécie química que contém o elemento
                                                                                             que sofre oxidação.
       Oxidar-se - é perder elétrons, ou seja, aumen-                                      No exemplo acima, então, teremos:
tar o Nox (n.º de oxidação).                                                               Agente oxidante: CuSO4.
       Reduzir-se - é ganhar elétrons, ou seja, dimi-                                      Agente redutor: Ca.
nuir o Nox.
Número de oxidação ou nox                                                                             ESTUDO DIRIGIDO
       Determina a carga real ou aparente de um áto-
mo. Carga essa que ocorre devido à diferença de ele-                              1   O número de oxidação do manganês no perman-
tronegatividade entre ele e seus ligantes.                                            ganato de potássio (KMnO4) é:
                                                                                      a) +2
2. REGRAS GERAIS DE ÓXIDO-REDUÇÃO                                                     b) +3
      1o) Toda substância simples tem Nox igual a ze-                                 c) +5
ro.                                                                                   d) +7
                                   H2, Cl2, Zn, He                                    e) – 8

      2o) Em uma molécula, ou aglomerado iônico, a                                2   Numa transformação química, o estanho teve seu
         soma dos Nox é igual a zero.                                                 número de oxidação aumentado em quatros uni-
                                                                                      dades, segundo a reação:
                              H2SO4, NaCl, KOH                                                            Sn → Sn+4
                                                                                        Nessa reação, o que ocorreu com o estanho?
      3o) Em um íon, a soma dos Nox é igual à própria
         carga.
                F- (Nox = -1), NH4+ (soma = +1)

Editora Exato                                                                30
QUÍMICA

3   Em relação à equação de oxidação-redução não                  Com base no exposto, julgue os itens.
    balanceada Fe0 + CuSO4 → Fe2(SO4)3 + Cu0, po-                 1 A soma das massas dos produtos deve ser i-
    de-se afirmar que:                                               gual à soma das massas dos reagentes.
    a) O número de oxidação do cobre no sulfato cú-               2 O número de átomos de um elemento químico
       prico é +1.                                                   deve ser conservado durante a reação química.
    b) átomos de ferro perdem 2 elétrons.                         3 O número total de íons entre os produtos deve
    c) cobre sofre oxidação.                                       ser igual ao número total de íons entre os rea-
    d) ferro é o agente oxidante.                                  gentes.
    e) ferro sofre oxidação.                                      4 A soma dos coeficientes dos produtos deve
                                                                   ser igual à soma dos coeficientes dos reagen-
                                                                   tes.
           EXERCÍCIOS RESOLVIDOS                                  5 A soma das cargas elétricas dos produtos deve
                                                                   ser igual à soma das cargas elétricas dos rea-
1   Na reação: Fe3O4 + 4 CO → 3 Fe + 4 CO2 qual                    gentes.
    substância sofre oxidação e qual sofre redução?
    Resolução:
       Pelas regras dos NOX’s, os átomos de ferro na          2   Representa–se a obtenção de ferro–gusa pela e-
substância Fe3O4 terá o número de oxidação igual a +              quação abaixo. Identificando o estado de oxida-
8/3. Já, nos produtos, o número de oxidação do ferro              ção das substâncias envolvidas nessa reação,
é igual a zero, desta forma o ferro sofre redução.                julgue os itens que se seguem.
       Já, os átomos de carbono na substância CO te-                 Fe2O3(s) + C(s) + O2(g)   Fe(s) + CO2(g)
rão número de oxidação igual a +2 e no CO2 igual a +
4, desta forma os átomos de carbono estão sofrendo                1 Os átomos de Fe do Fe2O3 sofreram redução.
oxidação.                                                         2 Na reação, o gás oxigênio (O2) atua como re-
                                                                     dutor.
                                                                  3 O estado de oxidação +4 do átomo de carbono
2   Calcule o NOX das substâncias a seguir:                          no CO2 indica que tal substância é iônica.
    a) NH3.                                                       4 Nesta reação, o número total de elétrons dos
    b) MgO.                                                        reagentes é igual ao número total de elétrons
    c) NaCl.                                                       dos produtos.
    d) AlCl3.                                                     5 A soma dos coeficientes da reação é igual a
    Resolução:                                                     18.
    a) Utilizando as regras dos números de oxidação
       sabe-se que o NOX do hidrogênio é igual a +1.
       Como o somatório dos NOX deve ser igual a              3   A fotossíntese é uma reação importantíssima para
       zero, o NOX do nitrogênio terá NOX igual a –               o equilíbrio da Terra. Genericamente, ela pode
       3.                                                         ser representada pela equação:
    b) Utilizando as regras dos números de oxidação                         x H2O + y CO2 (CH2O)n + z O2,
       o Mg terá NOX igual a +2 e o oxigênio terá                    em que (CH2O)n representa o hidrato de carbo-
       NOX igual a – 2.                                       no. Quando n é igual a 6, tem–se uma molécula de
    c) Utilizando as regras dos números de oxidação           glicose. Com base nessa equação, julgue os seguintes
       o Na terá NOX igual a + 1 e o cloro terá NOX           itens.
       igual a – 1.                                               1 O processo da respiração humana também
    d) Utilizando as regras dos números de oxidação                  consome dióxido de carbono.
       sabe-se que o NOX do cloro é igual a – 1. Co-              2 No caso da formação de glicose, x + y = 9.
       mo o somatório dos NOX deve ser igual a ze-                3 A fotossíntese é uma reação de oxirredução.
       ro, o NOX do Alumínio terá NOX igual a + 3.                4 Na oxidação, a substância em questão ganha
                                                                     elétrons.
                                                                  5 No caso da formação de glicose, o CO2 não
                   EXERCÍCIOS                                        participa do processo de transferência de elé-
                                                                     trons.
1   Balancear uma equação química é determinar os
    valores dos seus coeficientes de modo a satisfazer
    certas condições. Considere a equação química             4   Para uma reação de oxi-redução, julgue os itens:
    não balanceada:                                               1 O agente redutor sofre redução.
      Cr2O7-2 + Fe2+ + H+ Cr3+ + Fe3+ + H2O                       2 O oxidante se reduz e o redutor se oxida.

Editora Exato                                            31
QUÍMICA

     3 A substância que perde o elétron é o agente re-
          dutor.
     4 O número de oxidação do agente redutor dimi-
       nui.
     5 A substância que perde elétron é o agente oxi-
       dante.

5     Sobre a reação de formação da ferrugem
     2 Fe + 3/2 O2 ¡ Fe2O3, julgue os itens abaixo:
     1 O ferro é reduzido.
     2 O oxigênio é reduzido, passando do O a –2.
     3 O ferro é oxidado, passando de O a +6.
     4 O oxigênio sofre oxidação.
     5 O número de oxidação do oxigênio permanece
        inalterado.
     6 O ferro é um agente redutor, pois é um metal,
        portanto, doa elétrons.

6     (UnB) Analise a equação abaixo (não balancea-
      da) e julgue os itens:

    HNO3(aq) + P4(s) + H2O(I) → H3PO4(aq) + NO(g)

     1 O HNO3 é o agente oxidante.
     2 A água é o agente redutor.
     3 O estado de oxidação do fósforo na substância
          P4 é quatro.


                         GABARITO

Estudo Dirigido
1     D
2     Sofreu oxidação, perdeu elétrons.
3 E
Exercícios
1     C, C, E, E, C
2     C, E, E, C, C
3     E, E, C, E, E
4     E, C, C, E, E
5     E, C, E, E, E, C
6     C, E, E




Editora Exato                                            32

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Inorganica reacoes-e-funcoes
Inorganica reacoes-e-funcoesInorganica reacoes-e-funcoes
Inorganica reacoes-e-funcoes
Maria Amélia Lattaro
 
Funcoes inorganicas
Funcoes inorganicasFuncoes inorganicas
Funcoes inorganicas
estead2011
 
Oxidos
OxidosOxidos
8. R. Oxidação - Prof Sidney - UFPI
8. R. Oxidação  - Prof Sidney - UFPI8. R. Oxidação  - Prof Sidney - UFPI
8. R. Oxidação - Prof Sidney - UFPI
Sidney Lima
 
Funções Inorgânicas e Reações Químicas
Funções Inorgânicas e Reações QuímicasFunções Inorgânicas e Reações Químicas
Funções Inorgânicas e Reações Químicas
Carlos Priante
 
Aula_ ácidos e bases
Aula_ ácidos e basesAula_ ácidos e bases
Aula_ ácidos e bases
Lorrana Nóbrega
 
21. ácidos e bases
21. ácidos e bases21. ácidos e bases
21. ácidos e bases
profaugustosergio
 
Quimica ufpe 2013
Quimica ufpe 2013Quimica ufpe 2013
Quimica ufpe 2013
Esquadrão Do Conhecimento
 
Função inorganica3
Função inorganica3Função inorganica3
Função inorganica3
estead2011
 
Capitulo 4 para internet
Capitulo 4 para internetCapitulo 4 para internet
Capitulo 4 para internet
Julyanne Rodrigues
 
Aula 8 -_proc_redox
Aula 8 -_proc_redoxAula 8 -_proc_redox
Aula 8 -_proc_redox
Janaina Leitinho
 
Lista de exercicios reações químicas
Lista de exercicios   reações químicasLista de exercicios   reações químicas
Lista de exercicios reações químicas
Profª Alda Ernestina
 
Slides cap.4: Reações em soluções aquosas e estequiometria de soluções
Slides cap.4: Reações em soluções  aquosas e estequiometria de soluçõesSlides cap.4: Reações em soluções  aquosas e estequiometria de soluções
Slides cap.4: Reações em soluções aquosas e estequiometria de soluções
Everlane1
 
Lista de exercicios reações de oxidação e redução
Lista de exercicios   reações de oxidação e reduçãoLista de exercicios   reações de oxidação e redução
Lista de exercicios reações de oxidação e redução
Profª Alda Ernestina
 
Conceito de ácidos e bases
Conceito de ácidos e basesConceito de ácidos e bases
Conceito de ácidos e bases
Bruno Vilas Boas
 
Teoria Acido-base inorganica
Teoria Acido-base inorganicaTeoria Acido-base inorganica
Teoria Acido-base inorganica
Ana Dias
 
Funções Inorganicas[1] (1)
Funções Inorganicas[1] (1)Funções Inorganicas[1] (1)
Funções Inorganicas[1] (1)
Saulo Luis Capim
 
Funções Minerais
Funções MineraisFunções Minerais
Funções Minerais
Cláudio Santos
 
QUÍMICA - FUNÇÕES INORGÂNICAS.
QUÍMICA - FUNÇÕES INORGÂNICAS.QUÍMICA - FUNÇÕES INORGÂNICAS.
QUÍMICA - FUNÇÕES INORGÂNICAS.
Fagner Aquino
 
Acidez e basicidade na química orgânica
Acidez e basicidade na química orgânicaAcidez e basicidade na química orgânica
Acidez e basicidade na química orgânica
Profª Alda Ernestina
 

Mais procurados (20)

Inorganica reacoes-e-funcoes
Inorganica reacoes-e-funcoesInorganica reacoes-e-funcoes
Inorganica reacoes-e-funcoes
 
Funcoes inorganicas
Funcoes inorganicasFuncoes inorganicas
Funcoes inorganicas
 
Oxidos
OxidosOxidos
Oxidos
 
8. R. Oxidação - Prof Sidney - UFPI
8. R. Oxidação  - Prof Sidney - UFPI8. R. Oxidação  - Prof Sidney - UFPI
8. R. Oxidação - Prof Sidney - UFPI
 
Funções Inorgânicas e Reações Químicas
Funções Inorgânicas e Reações QuímicasFunções Inorgânicas e Reações Químicas
Funções Inorgânicas e Reações Químicas
 
Aula_ ácidos e bases
Aula_ ácidos e basesAula_ ácidos e bases
Aula_ ácidos e bases
 
21. ácidos e bases
21. ácidos e bases21. ácidos e bases
21. ácidos e bases
 
Quimica ufpe 2013
Quimica ufpe 2013Quimica ufpe 2013
Quimica ufpe 2013
 
Função inorganica3
Função inorganica3Função inorganica3
Função inorganica3
 
Capitulo 4 para internet
Capitulo 4 para internetCapitulo 4 para internet
Capitulo 4 para internet
 
Aula 8 -_proc_redox
Aula 8 -_proc_redoxAula 8 -_proc_redox
Aula 8 -_proc_redox
 
Lista de exercicios reações químicas
Lista de exercicios   reações químicasLista de exercicios   reações químicas
Lista de exercicios reações químicas
 
Slides cap.4: Reações em soluções aquosas e estequiometria de soluções
Slides cap.4: Reações em soluções  aquosas e estequiometria de soluçõesSlides cap.4: Reações em soluções  aquosas e estequiometria de soluções
Slides cap.4: Reações em soluções aquosas e estequiometria de soluções
 
Lista de exercicios reações de oxidação e redução
Lista de exercicios   reações de oxidação e reduçãoLista de exercicios   reações de oxidação e redução
Lista de exercicios reações de oxidação e redução
 
Conceito de ácidos e bases
Conceito de ácidos e basesConceito de ácidos e bases
Conceito de ácidos e bases
 
Teoria Acido-base inorganica
Teoria Acido-base inorganicaTeoria Acido-base inorganica
Teoria Acido-base inorganica
 
Funções Inorganicas[1] (1)
Funções Inorganicas[1] (1)Funções Inorganicas[1] (1)
Funções Inorganicas[1] (1)
 
Funções Minerais
Funções MineraisFunções Minerais
Funções Minerais
 
QUÍMICA - FUNÇÕES INORGÂNICAS.
QUÍMICA - FUNÇÕES INORGÂNICAS.QUÍMICA - FUNÇÕES INORGÂNICAS.
QUÍMICA - FUNÇÕES INORGÂNICAS.
 
Acidez e basicidade na química orgânica
Acidez e basicidade na química orgânicaAcidez e basicidade na química orgânica
Acidez e basicidade na química orgânica
 

Destaque

Texto - Quais são as fases da história de alimentos?
Texto -  Quais são as fases da história de alimentos?Texto -  Quais são as fases da história de alimentos?
Texto - Quais são as fases da história de alimentos?
Helena Aragão De Sá Martins
 
Potencias
PotenciasPotencias
Potencias
con_seguir
 
Texto - A luz no desenvolvimento dos seres vivos
Texto -  A luz no desenvolvimento dos seres vivosTexto -  A luz no desenvolvimento dos seres vivos
Texto - A luz no desenvolvimento dos seres vivos
Helena Aragão De Sá Martins
 
FOGOS DE ARTIFÍCIOS
FOGOS DE ARTIFÍCIOSFOGOS DE ARTIFÍCIOS
FOGOS DE ARTIFÍCIOS
Helena Aragão De Sá Martins
 
Exerc resolvidos conjuntos
Exerc resolvidos conjuntosExerc resolvidos conjuntos
Exerc resolvidos conjuntos
con_seguir
 
Apostila8
Apostila8Apostila8
Apostila8
con_seguir
 
Quimica 001 classif periodica
Quimica  001 classif periodicaQuimica  001 classif periodica
Quimica 001 classif periodica
con_seguir
 
Matemática no ensino médio (livro de bolso)
Matemática no ensino médio (livro de bolso)Matemática no ensino médio (livro de bolso)
Matemática no ensino médio (livro de bolso)
con_seguir
 
Expensquim vol4
Expensquim vol4Expensquim vol4
Expensquim vol4
con_seguir
 
Quimica 002 cinetica quimica
Quimica  002 cinetica quimicaQuimica  002 cinetica quimica
Quimica 002 cinetica quimica
con_seguir
 
Quimica 003 quimica organica
Quimica  003 quimica organicaQuimica  003 quimica organica
Quimica 003 quimica organica
con_seguir
 
Quimica 002 radioatividade
Quimica  002 radioatividadeQuimica  002 radioatividade
Quimica 002 radioatividade
con_seguir
 
Quimica 002 estequiometria
Quimica  002 estequiometriaQuimica  002 estequiometria
Quimica 002 estequiometria
con_seguir
 
Quimica 003 funcoes oxigenadas
Quimica  003 funcoes oxigenadasQuimica  003 funcoes oxigenadas
Quimica 003 funcoes oxigenadas
con_seguir
 
Quimica 001 funcoes inorganicas
Quimica  001 funcoes inorganicasQuimica  001 funcoes inorganicas
Quimica 001 funcoes inorganicas
con_seguir
 
Apostila matematica 2011
Apostila matematica 2011Apostila matematica 2011
Apostila matematica 2011
con_seguir
 
Expensqui vol5
Expensqui vol5Expensqui vol5
Expensqui vol5
con_seguir
 
Quimica 002 termoquimica
Quimica  002 termoquimicaQuimica  002 termoquimica
Quimica 002 termoquimica
con_seguir
 
Quimica 001 modelos atomicos
Quimica  001 modelos atomicosQuimica  001 modelos atomicos
Quimica 001 modelos atomicos
con_seguir
 
Apostila 001 conjuntos operações
Apostila  001 conjuntos operaçõesApostila  001 conjuntos operações
Apostila 001 conjuntos operações
con_seguir
 

Destaque (20)

Texto - Quais são as fases da história de alimentos?
Texto -  Quais são as fases da história de alimentos?Texto -  Quais são as fases da história de alimentos?
Texto - Quais são as fases da história de alimentos?
 
Potencias
PotenciasPotencias
Potencias
 
Texto - A luz no desenvolvimento dos seres vivos
Texto -  A luz no desenvolvimento dos seres vivosTexto -  A luz no desenvolvimento dos seres vivos
Texto - A luz no desenvolvimento dos seres vivos
 
FOGOS DE ARTIFÍCIOS
FOGOS DE ARTIFÍCIOSFOGOS DE ARTIFÍCIOS
FOGOS DE ARTIFÍCIOS
 
Exerc resolvidos conjuntos
Exerc resolvidos conjuntosExerc resolvidos conjuntos
Exerc resolvidos conjuntos
 
Apostila8
Apostila8Apostila8
Apostila8
 
Quimica 001 classif periodica
Quimica  001 classif periodicaQuimica  001 classif periodica
Quimica 001 classif periodica
 
Matemática no ensino médio (livro de bolso)
Matemática no ensino médio (livro de bolso)Matemática no ensino médio (livro de bolso)
Matemática no ensino médio (livro de bolso)
 
Expensquim vol4
Expensquim vol4Expensquim vol4
Expensquim vol4
 
Quimica 002 cinetica quimica
Quimica  002 cinetica quimicaQuimica  002 cinetica quimica
Quimica 002 cinetica quimica
 
Quimica 003 quimica organica
Quimica  003 quimica organicaQuimica  003 quimica organica
Quimica 003 quimica organica
 
Quimica 002 radioatividade
Quimica  002 radioatividadeQuimica  002 radioatividade
Quimica 002 radioatividade
 
Quimica 002 estequiometria
Quimica  002 estequiometriaQuimica  002 estequiometria
Quimica 002 estequiometria
 
Quimica 003 funcoes oxigenadas
Quimica  003 funcoes oxigenadasQuimica  003 funcoes oxigenadas
Quimica 003 funcoes oxigenadas
 
Quimica 001 funcoes inorganicas
Quimica  001 funcoes inorganicasQuimica  001 funcoes inorganicas
Quimica 001 funcoes inorganicas
 
Apostila matematica 2011
Apostila matematica 2011Apostila matematica 2011
Apostila matematica 2011
 
Expensqui vol5
Expensqui vol5Expensqui vol5
Expensqui vol5
 
Quimica 002 termoquimica
Quimica  002 termoquimicaQuimica  002 termoquimica
Quimica 002 termoquimica
 
Quimica 001 modelos atomicos
Quimica  001 modelos atomicosQuimica  001 modelos atomicos
Quimica 001 modelos atomicos
 
Apostila 001 conjuntos operações
Apostila  001 conjuntos operaçõesApostila  001 conjuntos operações
Apostila 001 conjuntos operações
 

Semelhante a Quimica 001 reacoes de oxido reducao

Oxirredução
Oxirredução Oxirredução
Oxirredução
Bio Sem Limites
 
Oxirredução (Regra do Nox) (1).ppt
Oxirredução (Regra do Nox) (1).pptOxirredução (Regra do Nox) (1).ppt
Oxirredução (Regra do Nox) (1).ppt
PedroHenrique159156
 
Oxirredução calculo do(Regra do Nox).ppt
Oxirredução calculo do(Regra do Nox).pptOxirredução calculo do(Regra do Nox).ppt
Oxirredução calculo do(Regra do Nox).ppt
Amarelo1
 
Oxirredução (Regra do Nox).pdf
Oxirredução (Regra do Nox).pdfOxirredução (Regra do Nox).pdf
Oxirredução (Regra do Nox).pdf
HlioBuenagaSevilha
 
Número de oxidação (Nox)
Número de oxidação (Nox)Número de oxidação (Nox)
Número de oxidação (Nox)
Fábio Garcia Ferreira
 
Sebenta q5 parte 1-2
Sebenta q5 parte 1-2Sebenta q5 parte 1-2
Sebenta q5 parte 1-2
Bruno Pinto
 
Aula Oxirredução (Regra do Nox).ppt
Aula Oxirredução (Regra do Nox).pptAula Oxirredução (Regra do Nox).ppt
Aula Oxirredução (Regra do Nox).ppt
DianeRgis
 
Oxirredução (Regra do Nox).ppt
Oxirredução (Regra do Nox).pptOxirredução (Regra do Nox).ppt
Oxirredução (Regra do Nox).ppt
MarcoReisBrugnerotto
 
Oxirredução (Regra do Nox).ppt
Oxirredução (Regra do Nox).pptOxirredução (Regra do Nox).ppt
Oxirredução (Regra do Nox).ppt
MarcoReisBrugnerotto
 
AULA6-NOX.pptx
AULA6-NOX.pptxAULA6-NOX.pptx
AULA6-NOX.pptx
Larissa Paiva
 
Reações de oxidação backup
Reações de oxidação backupReações de oxidação backup
Reações de oxidação backup
Carlos Kramer
 
Messages
MessagesMessages
Messages
Laah Santana
 
140
140140
NOX E BALANCEAMENTO analise dos noxes.pptx
NOX E BALANCEAMENTO analise dos noxes.pptxNOX E BALANCEAMENTO analise dos noxes.pptx
NOX E BALANCEAMENTO analise dos noxes.pptx
rodrigpaiv65
 
Aula 10 _reações quimicas
Aula 10 _reações quimicasAula 10 _reações quimicas
Aula 10 _reações quimicas
Mírian Costa Silva
 
Atividadade 11, 12 e 14 progressao semi ext noite 2016
Atividadade 11, 12 e 14   progressao semi ext noite 2016Atividadade 11, 12 e 14   progressao semi ext noite 2016
Atividadade 11, 12 e 14 progressao semi ext noite 2016
paulomigoto
 
73162.pptx
73162.pptx73162.pptx
73162.pptx
LuizJesus22
 
73162.pptx
73162.pptx73162.pptx
73162.pptx
PattyCosta8
 
Exercicios oxi reducao
Exercicios oxi reducaoExercicios oxi reducao
Exercicios oxi reducao
CamachoJAAMC
 
Prova - Química.
Prova - Química.Prova - Química.
Prova - Química.
Julia Maldonado Garcia
 

Semelhante a Quimica 001 reacoes de oxido reducao (20)

Oxirredução
Oxirredução Oxirredução
Oxirredução
 
Oxirredução (Regra do Nox) (1).ppt
Oxirredução (Regra do Nox) (1).pptOxirredução (Regra do Nox) (1).ppt
Oxirredução (Regra do Nox) (1).ppt
 
Oxirredução calculo do(Regra do Nox).ppt
Oxirredução calculo do(Regra do Nox).pptOxirredução calculo do(Regra do Nox).ppt
Oxirredução calculo do(Regra do Nox).ppt
 
Oxirredução (Regra do Nox).pdf
Oxirredução (Regra do Nox).pdfOxirredução (Regra do Nox).pdf
Oxirredução (Regra do Nox).pdf
 
Número de oxidação (Nox)
Número de oxidação (Nox)Número de oxidação (Nox)
Número de oxidação (Nox)
 
Sebenta q5 parte 1-2
Sebenta q5 parte 1-2Sebenta q5 parte 1-2
Sebenta q5 parte 1-2
 
Aula Oxirredução (Regra do Nox).ppt
Aula Oxirredução (Regra do Nox).pptAula Oxirredução (Regra do Nox).ppt
Aula Oxirredução (Regra do Nox).ppt
 
Oxirredução (Regra do Nox).ppt
Oxirredução (Regra do Nox).pptOxirredução (Regra do Nox).ppt
Oxirredução (Regra do Nox).ppt
 
Oxirredução (Regra do Nox).ppt
Oxirredução (Regra do Nox).pptOxirredução (Regra do Nox).ppt
Oxirredução (Regra do Nox).ppt
 
AULA6-NOX.pptx
AULA6-NOX.pptxAULA6-NOX.pptx
AULA6-NOX.pptx
 
Reações de oxidação backup
Reações de oxidação backupReações de oxidação backup
Reações de oxidação backup
 
Messages
MessagesMessages
Messages
 
140
140140
140
 
NOX E BALANCEAMENTO analise dos noxes.pptx
NOX E BALANCEAMENTO analise dos noxes.pptxNOX E BALANCEAMENTO analise dos noxes.pptx
NOX E BALANCEAMENTO analise dos noxes.pptx
 
Aula 10 _reações quimicas
Aula 10 _reações quimicasAula 10 _reações quimicas
Aula 10 _reações quimicas
 
Atividadade 11, 12 e 14 progressao semi ext noite 2016
Atividadade 11, 12 e 14   progressao semi ext noite 2016Atividadade 11, 12 e 14   progressao semi ext noite 2016
Atividadade 11, 12 e 14 progressao semi ext noite 2016
 
73162.pptx
73162.pptx73162.pptx
73162.pptx
 
73162.pptx
73162.pptx73162.pptx
73162.pptx
 
Exercicios oxi reducao
Exercicios oxi reducaoExercicios oxi reducao
Exercicios oxi reducao
 
Prova - Química.
Prova - Química.Prova - Química.
Prova - Química.
 

Mais de con_seguir

Transformações geométricas no plano
Transformações geométricas no planoTransformações geométricas no plano
Transformações geométricas no plano
con_seguir
 
Sistemas lineares
Sistemas linearesSistemas lineares
Sistemas lineares
con_seguir
 
Relações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retânguloRelações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retângulo
con_seguir
 
Ponto reta
Ponto retaPonto reta
Ponto reta
con_seguir
 
Poliedro
PoliedroPoliedro
Poliedro
con_seguir
 
Numeros complexos aula
Numeros complexos aulaNumeros complexos aula
Numeros complexos aula
con_seguir
 
Numeros complexos
Numeros complexosNumeros complexos
Numeros complexos
con_seguir
 
Matematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logicoMatematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logico
con_seguir
 
Matematica questões resolvidas i
Matematica questões resolvidas iMatematica questões resolvidas i
Matematica questões resolvidas i
con_seguir
 
Geometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidosGeometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidos
con_seguir
 
Geometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da retaGeometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da reta
con_seguir
 
Geometria
GeometriaGeometria
Geometria
con_seguir
 
Fundamentos matematica iv
Fundamentos matematica ivFundamentos matematica iv
Fundamentos matematica iv
con_seguir
 
Fundamentos matematica ii
Fundamentos matematica iiFundamentos matematica ii
Fundamentos matematica ii
con_seguir
 
Fundamentos matematica i
Fundamentos matematica iFundamentos matematica i
Fundamentos matematica i
con_seguir
 
Fundamentos geometria i
Fundamentos geometria iFundamentos geometria i
Fundamentos geometria i
con_seguir
 
Funcao do primeiro grau
Funcao do primeiro grauFuncao do primeiro grau
Funcao do primeiro grau
con_seguir
 
Fisica 003 optica
Fisica   003 opticaFisica   003 optica
Fisica 003 optica
con_seguir
 
Exercicios resolvidos poligonos
Exercicios resolvidos   poligonosExercicios resolvidos   poligonos
Exercicios resolvidos poligonos
con_seguir
 
Estudos da reta
Estudos da retaEstudos da reta
Estudos da reta
con_seguir
 

Mais de con_seguir (20)

Transformações geométricas no plano
Transformações geométricas no planoTransformações geométricas no plano
Transformações geométricas no plano
 
Sistemas lineares
Sistemas linearesSistemas lineares
Sistemas lineares
 
Relações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retânguloRelações métricas no triângulo retângulo
Relações métricas no triângulo retângulo
 
Ponto reta
Ponto retaPonto reta
Ponto reta
 
Poliedro
PoliedroPoliedro
Poliedro
 
Numeros complexos aula
Numeros complexos aulaNumeros complexos aula
Numeros complexos aula
 
Numeros complexos
Numeros complexosNumeros complexos
Numeros complexos
 
Matematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logicoMatematica raciocinio logico
Matematica raciocinio logico
 
Matematica questões resolvidas i
Matematica questões resolvidas iMatematica questões resolvidas i
Matematica questões resolvidas i
 
Geometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidosGeometria analitica exercicios resolvidos
Geometria analitica exercicios resolvidos
 
Geometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da retaGeometria analitica equacao da reta
Geometria analitica equacao da reta
 
Geometria
GeometriaGeometria
Geometria
 
Fundamentos matematica iv
Fundamentos matematica ivFundamentos matematica iv
Fundamentos matematica iv
 
Fundamentos matematica ii
Fundamentos matematica iiFundamentos matematica ii
Fundamentos matematica ii
 
Fundamentos matematica i
Fundamentos matematica iFundamentos matematica i
Fundamentos matematica i
 
Fundamentos geometria i
Fundamentos geometria iFundamentos geometria i
Fundamentos geometria i
 
Funcao do primeiro grau
Funcao do primeiro grauFuncao do primeiro grau
Funcao do primeiro grau
 
Fisica 003 optica
Fisica   003 opticaFisica   003 optica
Fisica 003 optica
 
Exercicios resolvidos poligonos
Exercicios resolvidos   poligonosExercicios resolvidos   poligonos
Exercicios resolvidos poligonos
 
Estudos da reta
Estudos da retaEstudos da reta
Estudos da reta
 

Último

reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 

Último (20)

reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 

Quimica 001 reacoes de oxido reducao

  • 1. QUÍMICA REAÇÕES DE ÓXIDO-REDUÇÃO 1. CONCEITO DE OXIDAÇÃO 4º) Os metais alcalinos (elementos do grupo 1 da tabela periódica) e a prata tem nox igual a +1. O termo oxidação nasceu do fenômeno quími- 5º) Os metais alcalinos-terrosos (elementos do co “reagir com o oxigênio”. É comum dizer que o grupo 2 da tabela periódica) e o zinco tem nox ferro sofreu corrosão (oxidou-se), isto é, que o ferro igual a +2. combinou-se com o oxigênio. 6º) Os calcogênios (elementos do grupo 16 da ta- Analisando a reação abaixo: bela periódica) tem nox igual a –2. 3 Fe + O2 → Fe2O3 , podemos afirmar que o ferro 7º) Os halogênios (elementos do grupo 17 da ta- 2 bela periódica) tem nox igual a –1. metálico combinou-se com o oxigênio, formando o 8o) O hidrogênio, preso a metal, tem Nox igual a - seu respectivo óxido. O que significa dizer que o fer- 1. Preso a ametal, tem Nox igual a +1. ro sofreu oxidação. Na realidade, a equação acima é possível, pois Exemplo: o ferro perde elétrons, enquanto que o oxigênio rece- Ca + CuSO 4 CaSO4 + Cu be os elétrons perdidos pelo ferro. Então, podemos afirmar que: O ferro oxidou-se e o oxigênio reduziu-se. 0 +2 +2 0 Como regra geral, temos: Oxidar – quer dizer perder elétrons. Reduzir – quer dizer ganhar elétrons. Oxidação Cuidado: a presença de oxigênio não é condi- Redução ção para que haja uma reação de óxido-redução. Para existir reações de óxido-redução, não é necessária a presença de oxigênio. Agente oxidante: É a espécie química que contém o elemento Oxidação que sofre redução. -7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 +1 +2 +3 +4 +5 +6 +7 Agente redutor: Redução É a espécie química que contém o elemento que sofre oxidação. Oxidar-se - é perder elétrons, ou seja, aumen- No exemplo acima, então, teremos: tar o Nox (n.º de oxidação). Agente oxidante: CuSO4. Reduzir-se - é ganhar elétrons, ou seja, dimi- Agente redutor: Ca. nuir o Nox. Número de oxidação ou nox ESTUDO DIRIGIDO Determina a carga real ou aparente de um áto- mo. Carga essa que ocorre devido à diferença de ele- 1 O número de oxidação do manganês no perman- tronegatividade entre ele e seus ligantes. ganato de potássio (KMnO4) é: a) +2 2. REGRAS GERAIS DE ÓXIDO-REDUÇÃO b) +3 1o) Toda substância simples tem Nox igual a ze- c) +5 ro. d) +7 H2, Cl2, Zn, He e) – 8 2o) Em uma molécula, ou aglomerado iônico, a 2 Numa transformação química, o estanho teve seu soma dos Nox é igual a zero. número de oxidação aumentado em quatros uni- dades, segundo a reação: H2SO4, NaCl, KOH Sn → Sn+4 Nessa reação, o que ocorreu com o estanho? 3o) Em um íon, a soma dos Nox é igual à própria carga. F- (Nox = -1), NH4+ (soma = +1) Editora Exato 30
  • 2. QUÍMICA 3 Em relação à equação de oxidação-redução não Com base no exposto, julgue os itens. balanceada Fe0 + CuSO4 → Fe2(SO4)3 + Cu0, po- 1 A soma das massas dos produtos deve ser i- de-se afirmar que: gual à soma das massas dos reagentes. a) O número de oxidação do cobre no sulfato cú- 2 O número de átomos de um elemento químico prico é +1. deve ser conservado durante a reação química. b) átomos de ferro perdem 2 elétrons. 3 O número total de íons entre os produtos deve c) cobre sofre oxidação. ser igual ao número total de íons entre os rea- d) ferro é o agente oxidante. gentes. e) ferro sofre oxidação. 4 A soma dos coeficientes dos produtos deve ser igual à soma dos coeficientes dos reagen- tes. EXERCÍCIOS RESOLVIDOS 5 A soma das cargas elétricas dos produtos deve ser igual à soma das cargas elétricas dos rea- 1 Na reação: Fe3O4 + 4 CO → 3 Fe + 4 CO2 qual gentes. substância sofre oxidação e qual sofre redução? Resolução: Pelas regras dos NOX’s, os átomos de ferro na 2 Representa–se a obtenção de ferro–gusa pela e- substância Fe3O4 terá o número de oxidação igual a + quação abaixo. Identificando o estado de oxida- 8/3. Já, nos produtos, o número de oxidação do ferro ção das substâncias envolvidas nessa reação, é igual a zero, desta forma o ferro sofre redução. julgue os itens que se seguem. Já, os átomos de carbono na substância CO te- Fe2O3(s) + C(s) + O2(g) Fe(s) + CO2(g) rão número de oxidação igual a +2 e no CO2 igual a + 4, desta forma os átomos de carbono estão sofrendo 1 Os átomos de Fe do Fe2O3 sofreram redução. oxidação. 2 Na reação, o gás oxigênio (O2) atua como re- dutor. 3 O estado de oxidação +4 do átomo de carbono 2 Calcule o NOX das substâncias a seguir: no CO2 indica que tal substância é iônica. a) NH3. 4 Nesta reação, o número total de elétrons dos b) MgO. reagentes é igual ao número total de elétrons c) NaCl. dos produtos. d) AlCl3. 5 A soma dos coeficientes da reação é igual a Resolução: 18. a) Utilizando as regras dos números de oxidação sabe-se que o NOX do hidrogênio é igual a +1. Como o somatório dos NOX deve ser igual a 3 A fotossíntese é uma reação importantíssima para zero, o NOX do nitrogênio terá NOX igual a – o equilíbrio da Terra. Genericamente, ela pode 3. ser representada pela equação: b) Utilizando as regras dos números de oxidação x H2O + y CO2 (CH2O)n + z O2, o Mg terá NOX igual a +2 e o oxigênio terá em que (CH2O)n representa o hidrato de carbo- NOX igual a – 2. no. Quando n é igual a 6, tem–se uma molécula de c) Utilizando as regras dos números de oxidação glicose. Com base nessa equação, julgue os seguintes o Na terá NOX igual a + 1 e o cloro terá NOX itens. igual a – 1. 1 O processo da respiração humana também d) Utilizando as regras dos números de oxidação consome dióxido de carbono. sabe-se que o NOX do cloro é igual a – 1. Co- 2 No caso da formação de glicose, x + y = 9. mo o somatório dos NOX deve ser igual a ze- 3 A fotossíntese é uma reação de oxirredução. ro, o NOX do Alumínio terá NOX igual a + 3. 4 Na oxidação, a substância em questão ganha elétrons. 5 No caso da formação de glicose, o CO2 não EXERCÍCIOS participa do processo de transferência de elé- trons. 1 Balancear uma equação química é determinar os valores dos seus coeficientes de modo a satisfazer certas condições. Considere a equação química 4 Para uma reação de oxi-redução, julgue os itens: não balanceada: 1 O agente redutor sofre redução. Cr2O7-2 + Fe2+ + H+ Cr3+ + Fe3+ + H2O 2 O oxidante se reduz e o redutor se oxida. Editora Exato 31
  • 3. QUÍMICA 3 A substância que perde o elétron é o agente re- dutor. 4 O número de oxidação do agente redutor dimi- nui. 5 A substância que perde elétron é o agente oxi- dante. 5 Sobre a reação de formação da ferrugem 2 Fe + 3/2 O2 ¡ Fe2O3, julgue os itens abaixo: 1 O ferro é reduzido. 2 O oxigênio é reduzido, passando do O a –2. 3 O ferro é oxidado, passando de O a +6. 4 O oxigênio sofre oxidação. 5 O número de oxidação do oxigênio permanece inalterado. 6 O ferro é um agente redutor, pois é um metal, portanto, doa elétrons. 6 (UnB) Analise a equação abaixo (não balancea- da) e julgue os itens: HNO3(aq) + P4(s) + H2O(I) → H3PO4(aq) + NO(g) 1 O HNO3 é o agente oxidante. 2 A água é o agente redutor. 3 O estado de oxidação do fósforo na substância P4 é quatro. GABARITO Estudo Dirigido 1 D 2 Sofreu oxidação, perdeu elétrons. 3 E Exercícios 1 C, C, E, E, C 2 C, E, E, C, C 3 E, E, C, E, E 4 E, C, C, E, E 5 E, C, E, E, E, C 6 C, E, E Editora Exato 32