SlideShare uma empresa Scribd logo
MATRIZ CURRICULAR ANUAL /JARDIM II
JATAÍ – GO
2023
DIRETORIA DE ENSINO E PROCESSOS EDUCATIVOS
COORDENADORIA PEDAGÓGICA
Quadro de conteúdos- anual  jardim II 2023.docx.pdf
As Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Infantil (DCNEI, Resolução CNE/CEB nº 5/2009)27
, em seu Artigo 4º, definem
a criança como:
sujeito histórico e de direitos, que, nas interações, relações e práticas cotidianas que
vivencia, constrói sua identidade pessoal e coletiva, brinca, imagina, fantasia, deseja,
aprende, observa, experimenta, narra, questiona e constrói sentidos sobre a
natureza e a sociedade, produzindo cultura (BRASIL, 2009).
Ainda de acordo com as DCNEI, em seu Artigo 9º, os eixos estruturantes das práticas pedagógicas dessa etapa da
Educação Básica são as interações e a brincadeira, experiências nas quais as crianças podem construir e apropriar-se de
conhecimentos por meio de suas ações e interações com seus pares e com os adultos, o que possibilita aprendizagens,
desenvolvimento e socialização.
A interação durante o brincar caracteriza o cotidiano da infância, trazendo consigo muitas aprendizagens e potenciais
para o desenvolvimento integral das crianças. Ao observar as interações e a brincadeira entre as crianças e delas com os
adultos, é possível identificar, por exemplo, a expressão dos afetos, a mediação das frustrações, a resolução de conflitos e a
regulação das emoções.
Tendo em vista os eixos estruturantes das práticas pedagógicas e as competências gerais da Educação Básica
propostas pela BNCC, seis direitos de aprendizagem e desenvolvimento asseguram, na Educação Infantil, as condições para
que as crianças aprendam em situações nas quais possam desempenhar um papel ativo em ambientes que as convidem a
vivenciar desafios e a sentirem-se provocadas a resolvê-los, nas quais possam construir significados sobre si, os outros e o
mundo social e natural.
 Conviver com outras crianças e adultos, em pequenos e grandes grupos, utilizando diferentes linguagens,
ampliando o conhecimento de si e do outro, o respeito em relação à cultura e às diferenças entre as pessoas.
 Brincar cotidianamente de diversas formas, em diferentes espaços e tempos, com diferentes parceiros (crianças
e adultos), ampliando e diversificando seu acesso a produções culturais, seus conhecimentos, sua imaginação, sua
criatividade, suas experiências emocionais, corporais, sensoriais, expressivas, cognitivas, sociais e relacionais.
 Participar ativamente, com adultos e outras crianças, tanto do planejamento da gestão da escola e das
atividades propostas pelo educador quanto da realização das atividades da vida cotidiana, tais como a escolha das
brincadeiras, dos materiais e dos ambientes, desenvolvendo diferentes linguagens e elaborando conhecimentos,
decidindo e se posicionando.
 Explorar movimentos, gestos, sons, formas, texturas, cores, palavras, emoções, transformações,
relacionamentos, histórias, objetos, elementos da natureza, na escola e fora dela, ampliando seus saberes sobre a
cultura, em suas diversas modalidades: as artes, a escrita, a ciência e a tecnologia.
 Expressar, como sujeito dialógico, criativo e sensível, suas necessidades, emoções, sentimentos, dúvidas,
hipóteses, descobertas, opiniões, questionamentos, por meio de diferentes linguagens.
 Conhecer-se e construir sua identidade pessoal, social e cultural, constituindo uma imagem positiva de si e de
seus grupos de pertencimento, nas diversas experiências de cuidados, interações, brincadeiras e linguagens
vivenciadas na instituição escolar e em seu contexto familiar e comunitário.
DIREITOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO NA EDUCAÇÃO
INFANTIL
Essa concepção de criança como ser que observa, questiona, levanta hipóteses, conclui, faz julgamentos e
assimila valores e que constrói conhecimentos e se apropria do conhecimento sistematizado por meio da ação e nas
interações com o mundo físico e social, impõe a necessidade de imprimir intencionalidade educativa às práticas
pedagógicas na Educação Infantil. Essa intencionalidade consiste na organização e proposição, pelo educador, de
experiências que permitam às crianças conhecer a si e ao outro e de conhecer e compreender as relações com a
natureza, com a cultura e com a produção científica, que se traduzem nas práticas de cuidados pessoais, nas
brincadeiras, nas experimentações com materiais variados, na aproximação com a literatura e no encontro com as
pessoas.
Parte do trabalho do educador é refletir, selecionar, organizar, planejar, mediar e monitorar o conjunto das
práticas e interações, garantindo a pluralidade de situações que promovam o desenvolvimento pleno das crianças.
Ainda, é preciso acompanhar tanto essas práticas quanto as aprendizagens das crianças, realizando a
observação da trajetória de cada criança e de todo o grupo – suas conquistas, avanços, possibilidades e
aprendizagens. Por meio de diversos registros, feitos em diferentes momentos tanto pelos professores quanto pelas
crianças (como relatórios, portfólios, fotografias, desenhos e textos), é possível evidenciar a progressão ocorrida
durante o período observado, sem intenção de seleção, promoção ou classificação de crianças em “aptas” e “não
aptas”, “prontas” ou “não prontas”, “maduras” ou “imaturas”. Trata-se de reunir elementos para reorganizar tempos,
espaços e situações que garantam os direitos de aprendizagem de todas as crianças.
É na interação com os pares e com adultos que as crianças vão constituindo um modo próprio de agir, sentir e
pensar e vão descobrindo que existem outros modos de vida, pessoas diferentes, com outros pontos de vista. Conforme
vivem suas primeiras experiências sociais (na família, na instituição escolar, na coletividade), constroem percepções e
questionamentos sobre si e sobre os outros, diferenciando-se e, simultaneamente, identificando- se como seres individuais
e sociais. Ao mesmo tempo que participam de relações sociais e de cuidados pessoais, as crianças constroem sua autonomia
e senso de autocuidado, de reciprocidade e de interdependência com o meio. Por sua vez, na Educação Infantil, é preciso
criar oportunidades para que as crianças entrem em contato com outros grupos sociais e culturais, outros modos de vida,
diferentes atitudes, técnicas e rituais de cuidados pessoais e do grupo, costumes, celebrações e narrativas. Nessas
experiências, elas podem ampliar o modo de perceber a si mesmas e ao outro, valorizar sua identidade, respeitar os outros
e reconhecer as diferenças que nos constituem como seres humanos.( BNCC)
O primeiro dos Campos de Experiência proposto pela BNCC trata sobre a construção da identidade, da subjetividade,
das relações interpessoais, do respeito próprio e coletivo, da sensação de pertencimento a um grupo. Está relacionado ao
autoconhecimento e à construção de relações, com todas as especificidades que acarretam. Busca-se desenvolver a
consciência cidadã, incentivando a criação de vínculos sociais fortes e baseados no respeito. Ao entender-se melhor, a
criança se fortalece enquanto indivíduo e estará mais apta, também, a aceitar as diferenças nas relações. O sentimento de
pertencimento ao grupo, coletividade e o respeito às diversidades culturais, são aspectos a serem trabalhados e
desenvolvidos em sala de aula.
Este campo tem a função de facilitar a compreensão do mundo ao redor, em crianças naturalmente curiosas e
dispostas a explorar o entorno social. Na medida em que são fornecidas informações sobre modos de vida diferentes ao que
a criança está habituada, diminui-se a tendência ao estereótipo e preconceito, tornando a convivência mais empática e
acolhedora.
O EU, O OUTRO, O NÓS
SENTIDOS, SABERES E CONHECIMENTOS: INTERAÇÕES, AUTONOMIA E IDENTIDADE.
Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Conteúdo
(JTI-EIOEO03)Desenvolver autonomia, criar estratégias para lidar com o conflito nas
interações com diversas crianças e adultos.
 Adaptação.
 Autonomia:
 Na execução das atividades propostas.
 No cuidado com o próprio corpo, objetos de uso pessoal.
 Na resolução de conflitos.
 Realizar escolhas intencionais de acordo com suas preferências
e respeitar as escolhas dos outros.
(EI03EO07-A)Conhecer e respeitar normas e valores do convívio social e participar
da definição de combinados do grupo.
 Construção de normas e regras de convivência em grupo e
espaço coletivo.
 Conhecer normas e valores sociais.
(JTI-EIO3EO04)Comunicar suas ideias e sentimentos a pessoas e grupos diversos, por
meio da escrita, desenho, trabalho artístico, música, dança.
 Expressão através de diferentes formas de linguagem:
 Escrita (mesmo que não seja convencional).
 Desenho.
 Dança.
 Teatro
 Música
 Histórias
 Brincadeiras de faz de conta.
(JTI-EI03EO02)Agir participando na vida social como um cidadão crítico, autônomo
e independente, com confiança em suas capacidades, reconhecendo suas
conquistas e limitações.
 Valores e altruísmo:
 Senso de responsabilidade.
 Socialização em atividades dentro e fora da sala.
 Noções e atitudes de cidadania.
 Direitos e deveres das crianças.
(JTI-EI03EO12) Participar de momentos de atividades que promovam a interação e
a socialização no grupo de hábitos e costumes de cada um, identificando pertences
pessoais.
 Identificação de pertences pessoais pelo nome.
(EI03EO01) Demonstrar empatia pelos outros, percebendo que as pessoas tem
diferentes sentimentos, necessidades e maneiras de pensar e agir.
 Relação entre o eu e o outro;
 Respeito;
 Valorização das diferenças entre pessoas: modo de agir.
(GO-EI03EO10)Perceber a importância de agregar hábitos convencionais durante os
momentos de autocuidado em relação a saúde e higiene.
 Hábitos de higiene.
 Corporal; Bucal;
 No cuidado com o próprio corpo, objetos de uso pessoal;
 No espaço coletivo onde convive.
(EI03EO05) Demonstrar valorização das características de seu corpo e respeitar as
características dos outros ( crianças e adultos com os quais convive).
 Reconhecimento do próprio corpo:
 Características físicas;
 Partes do corpo humano;
 Diversidade etnológica.
 Valorização das diferenças entre pessoas: forma física.
 Conhecimento sobre o corpo:
 Peso;
 Altura.
 Autoestima.
(EI03EO06) Manifestar interesse e respeito por diferentes culturas e modos de vida.  Cultura: Folclore brasileiro:
 Lendas regionais.
 Valorização das diferenças culturais.
CORPO, GESTOS E MOVIMENTOS
Com o corpo (por meio dos sentidos, gestos, movimentos impulsivos ou intencionais, coordenados ou espontâneos),
as crianças, desde cedo, exploram o mundo, o espaço e os objetos do seu entorno, estabelecem relações, expressam-se,
brincam e produzem conhecimentos sobre si, sobre o outro, sobre o universo social e cultural, tornando-se,
progressivamente, conscientes dessa corporeidade. Por meio das diferentes linguagens, como a música, a dança, o teatro,
as brincadeiras de faz de conta, elas se comunicam e se expressam no entrelaçamento entre corpo, emoção e linguagem.
As crianças conhecem e reconhecem as sensações e funções de seu corpo e, com seus gestos e movimentos, identificam
suas potencialidades e seus limites, desenvolvendo, ao mesmo tempo, a consciência sobre o que é seguro e o que pode ser
um risco à sua integridade física. Na Educação Infantil, o corpo das crianças ganha centralidade, pois ele é o partícipe
privilegiado das práticas pedagógicas de cuidado físico, orientadas para a emancipação e a liberdade, e não para a submissão.
Assim, a instituição escolar precisa promover oportunidades ricas para que as crianças possam, sempre animadas pelo
espírito lúdico e na interação com seus pares, explorar e vivenciar um amplo repertório de movimentos, gestos, olhares,
sons e mímicas com o corpo, para descobrir variados modos de ocupação e uso do espaço com o corpo.
SENTIDOS, SABERES E CONHECIMENTOS:GESTOS, MOVIMENTOS E CORPO
Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Conteúdo
(JTI-EI03CG10)Vivenciar e conduzir brincadeiras de esquema corporal, de
exploração e expressão corporal diante do espelho, utilizando diferentes formas
de linguagens percebendo suas características específicas e o seu funcionamento.
 Brincadeiras e atividades em frente ao espelho.
 Reconhecimento de características próprias.
 Expressões faciais na demonstração de emoções.
(JTI-EI03CG05)Demonstrar habilidades de coordenação motora grossa e fina,
atendendo adequadamente seus interesses e as necessidades em situações
propostas.
 Coordenação motora ampla, grossa e fina.
 Tonicidade.
 Trajetos e percursos.
(EI03CG03)Criar movimentos, gestos, olhares e mímicas em brincadeiras, jogos, e
atividades artísticas como dança, teatro e música.
 Expressividade – facial, corporal.
 Dança: coreografia e ritmos variados.
 Mímicas.
 Teatro.
 Música.
 Dinâmicas.
(EI03CG02-A)Desenvolver o equilíbrio, a lateralidade e o ritmo, em brincadeiras e
jogos, escuta e reconto de histórias, atividades artísticas, entre outras
possibilidades, demonstrando controle e adequação do uso do seu corpo.
 Equilíbrio.
 Lateralidade.
 Ritmo.
 Noção espacial.
 Brincadeiras com saltos, giros, deslocamentos e especificações
como: rápido, lento, forte, leve, flexível, etc.)
(GO-EI03CG09) Descobrir e nomear sensações, tais como, repulsa, surpresa,
cócegas, ansiedade, medo, satisfação etc., causadas em si, aliadas aos sentidos:
audição, visão, tato nas mais variadas situações.
 Percepção:
 Auditiva;
 Visual;
 Tátil;
 Olfativa;
 Gustativa;
 Cinco sentidos.
(JTI-EI03CG04) Demonstrar autonomia e independência relacionados aos hábitos
e cuidados com o corpo e com o meio onde vive.
(GO-EI03CG08) Identificar e praticar situações de cuidados para manutenção da
saúde e a preservação de doenças, cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar.
 Autocuidado e cuidado higiênicos nas brincadeiras e jogos.
(GO-EI03CG10) Identificar e compreender a estrutura do corpo humano, os
principais sistemas e o seu funcionamento.
 Corpo Humano:
 Cabeça, tronco, membros inferiores e superiores.
 Principais órgãos do corpo humano e suas funções.
.
ESCUTA, FALA, PENSAMENTO E IMAGINAÇÃO
Desde o nascimento, as crianças participam de situações comunicativas cotidianas com as pessoas com as quais
interagem. As primeiras formas de interação do bebê são os movimentos do seu corpo, o olhar, a postura corporal, o sorriso,
o choro e outros recursos vocais, que ganham sentido com a interpretação do outro. Progressivamente, as crianças vão
ampliando e enriquecendo seu vocabulário e demais recursos de expressão e de compreensão, apropriando-se da língua
materna – que se torna, pouco a pouco, seu veículo privilegiado de interação. Na Educação Infantil, é importante promover
experiências nas quais as crianças possam falar e ouvir, potencializando sua participação na cultura oral, pois é na escuta de
histórias, na participação em conversas, nas descrições, nas narrativas elaboradas individualmente ou em grupo e nas
implicações com as múltiplas linguagens que a criança se constitui ativamente como sujeito singular e pertencente a um
grupo social.
Desde cedo, a criança manifesta curiosidade com relação à cultura escrita: ao ouvir e acompanhar a leitura de textos,
ao observar os muitos textos que circulam no contexto familiar, comunitário e escolar, ela vai construindo sua concepção
de língua escrita, reconhecendo diferentes usos sociais da escrita, dos gêneros, suportes e portadores. Na Educação Infantil,
a imersão na cultura escrita deve partir do que as crianças conhecem e das curiosidades que deixam transparecer. As
experiências com a literatura infantil, propostas pelo educador, mediador entre os textos e as crianças, contribuem para o
desenvolvimento do gosto pela leitura, do estímulo à imaginação e da ampliação do conhecimento de mundo. Além disso,
o contato com histórias, contos, fábulas, poemas, cordéis etc. propicia a familiaridade com livros, com diferentes gêneros
literários, a diferenciação entre ilustrações e escrita, a aprendizagem da direção da escrita e as formas corretas de
manipulação de livros. Nesse convívio com textos escritos, as crianças vão construindo hipóteses sobre a escrita que se
revelam, inicialmente, em rabiscos e garatujas e, à medida que vão conhecendo letras, em escritas espontâneas, não
convencionais, mas já indicativas da compreensão da escrita como sistema de representação da língua.
SENTIDOS, SABERES E CONHECIMENTOS: CULTURAS ORAIS, CULTURAS ESCRITAS
Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Conteúdo
(JTI-EI03EF01)Expressar-se por meio da linguagem oral e escrita coletiva
transmitindo suas necessidades, desejos, ideias e compreensões do mundo.
 Oralidade em diferentes contextos:
 Pronúncia dos sons das letras do alfabeto (letra e som);
 Expressão oral: alfabeto boquinha;
 Recontos de histórias e contos: para a turma, para a família;
 Interpretação oral de pequenos textos: rótulos,
símbolos/imagens, listas, cartazes da sala, livros literários,
quadrinhas;
 Interpretação oral de músicas;
 Contagem;
 Produções orais coletivas;
 Recitações (poemas, parlendas, etc.);
 Narrações, descrições, explicações, relatos e argumentações;
 Leitura incidental ( rótulos, propagandas, objetos e símbolos);
 Sequênciação de fatos;
 Advinhas;
 Canções;
 Lendas e contos folclóricos;
 Quadrinhas;
 Cantigas de roda.
(EI03EF09)Vivenciar experiências que possibilitem perceber a presença da escrita
em diferentes ambientes compreendendo assim sua função social.
 Exploração do ambiente escolar e seu entorno observando as
informações escritas e o que elas informam.
 Exploração de alfabeto, listas, folhetos, bulas, folders, livros
literários, lendas, contos folclóricos, quadrinhas, cantigas de
roda e textos diversos.
(GO-EI03EF16) Planejar e produzir, tendo o(a) professor(a) como escriba: listas,
legendas, avisos, calendários, receitas, convites, instruções, recontos e outros
gêneros de uso cotidiano.
 Escrita de palavras iniciadas por vogais.( professor como escriba)
 Escrita de palavras iniciadas por consoantes.(professor como
escriba).
 Relação fonema/grafema.
 Formações silábicas.( Não trabalhar famílias silábicas)
 Produção de palavras, frases e textos coletivos.
OBS: Os itens acima citados, NÃO devem ser compreendidos
como apropriação do SEA ( Sistema de escrita alfabética). São
elementos que levam:
 compreensão da estrutura das palavras (palavras são
formadas por sílabas, que são combinações de letras);
 da função social da escrita;
 oralidade;
 compreensão de que tudo que falamos pode ser escrito
com palavras ( fonema/grafema).
 compreensão informal, sem sistematização( não trabalhar
formalmente os gêneros textuais), da estrutura e
características textuais ( bilhetes, receitas, regras, etc. ...).
(EI03EF01-A) Identificar e escrever seu próprio nome, conhecendo sua história e seu
significado.
 Nome e sobrenome.( escrita autônoma)
 Nome dos colegas da sala e da professora.( identificação)
(JTI-EI03EF08)Apreciar e participar de momentos de contação de histórias e de
outros gêneros textuais de diferentes maneiras. Criar histórias a partir de leitura de
ilustrações e imagens, desenvolvendo a criatividade e a imaginação.
 Apreciação e deleite através da leitura e da contação de histórias
e textos de diferentes gêneros.
 Criação individual e coletiva de frases, histórias e reconto
através de desenho.
(GO-EI03EF13)Propor e criar brincadeiras que envolvam canções de ninar,
acalantos, lengalengas, cantigas de roda, trava-língua.
 Brincadeiras cantadas e rítmicas.
 Trava-línguas.
 Folclore brasileiro:
 Parlendas;
 Lendas( dramatizações);
 Contos folclóricos ( dramatizações).
(EI03EF03)Folhear livros e escolher aqueles que mais gostam para ler em momentos
individuais, percebendo as características da língua escrita, reconhecendo letras,
sílabas e palavras.
 Manuseio e exploração de materiais gráficos (livros, revistas,
jornais, rótulos) livremente ou com a orientação da professora.
]
TRAÇOS, SONS, CORES E FORMA
Conviver com diferentes manifestações artísticas, culturais e científicas, locais e universais, no cotidiano da instituição
escolar, possibilita às crianças, por meio de experiências diversificadas, vivenciar diversas formas de expressão e linguagens,
como as artes visuais (pintura, modelagem, colagem, fotografia etc.), a música, o teatro, a dança e o audiovisual, entre
outras. Com base nessas experiências, elas se expressam por várias linguagens, criando suas próprias produções artísticas
ou culturais, exercitando a autoria (coletiva e individual) com sons, traços, gestos, danças, mímicas, encenações, canções,
desenhos, modelagens, manipulação de diversos materiais e de recursos tecnológicos. Essas experiências contribuem para
que, desde muito pequenas, as crianças desenvolvam senso estético e crítico, o conhecimento de si mesmas, dos outros e
da realidade que as cerca. Portanto, a Educação Infantil precisa promover a participação das crianças em tempos e espaços
para a produção, manifestação e apreciação artística, de modo a favorecer o desenvolvimento da sensibilidade, da
criatividade e da expressão pessoal das crianças, permitindo que se apropriem e reconfigurem, permanentemente, a cultura
e potencializem suas singularidades, ao ampliar repertórios e interpretar suas experiências e vivências artísticas.
SENTIDOS, SABERES E CONHECIMENTO: MANIFESTAÇÕES CULTURAIS, SENSIBILIDADE E CRIATIVIDADE,
MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS MÚSICA, MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS TEATRO, MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS DANÇA,
MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS AUDIOVISUAL.
Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Conteúdo
(EI03TS02)Expressar-se livremente por meio de desenho, pintura, colagem,
dobradura e escultura, criando produções bidimensionais e tridimensionais.
 Modelagem com massinha (livre e direcionada).
 Recortes e colagens.
 Desenhos livre.
 Pintura (livre e direcionada).
(GO-EI03TS06)Conhecer várias possibilidades para realizar marcas gráficas e
desenhos, em diferentes suportes, propondo diferentes combinações.
 Traçado de letras (bastão).
 Escrita do nome e sobrenome.
 Escrita de numerais.
 Escrita coletiva de palavras. (listas – professor como escriba)
 Escrita coletiva de frases. ( professor como escriba)
 Escrita coletiva de textos. ( professor como escriba)
 Linhas retas e curvas.
 Formas geométricas planas.
Obs: As escritas coletivas não devem ser reproduzidas pelo aluno.
(GO-EI03TS05)Acionar repertório de imagens, sons, palavras, movimentos,
identificar cores, para apreciar gravuras, esculturas, músicas, peças teatrais,
filmes, etc, por meio do estranhamento e do deleite.
(JTI-EI03TS08) Criar pinturas ou realizar releituras individuais e coletivas de obras
de artistas goianos utilizando diferentes suportes e materiais individuais.
 Cores primárias, secundárias e neutras.
 Uso das cores como significados:
 Semáforo;
 Leituras de imagens:
 Observação e identificação de imagens diversas;
 Apreciação de diferentes obras artísticas e seus autores.
 Faixa de pedestre;
 Faixa de retenção;
 Placas de trânsito ( apresentar algumas imagens, mas
focar nas placas mais comuns como Pare, Proibido
Estacionar; Proibido sinais sonoros, etc.)
(JTI-EI03TS03)Perceber sons graves e agudos, curtos e longos produzidos pelo
próprio corpo, objetos e instrumentos musicais.
 Música:
 Apreciação musical de diversos estilos e épocas, conhecendo
seus compositores;
 Exploração, expressão e produção de sons com a voz, o corpo, o
entorno e materiais diversos;
 Reproduzir e reconhecer melodias.
 Músicas folclóricas regionais.
(JTI-EI03TS11)Explorar diversos movimentos corporais (danças, imitações,
mímicas, gestos, expressões faciais e jogos teatrais) intensificando as capacidades
expressivas.
 Brincadeiras
 Brincadeiras de mímica;
 Brincadeiras musicais;
 Dramatizar histórias cantadas e canções.
 Danças folclóricas;
 Imitações de personagens folclóricos.
 Dramatizações com personagens folclóricos.
 Simulações com situações de trânsito.
(GO-EI03TS04) Conhecer e diferenciar as manifestações culturais de sua região das
outras localidades, reconhecendo suas características específicas, em momentos
vividos dentro e fora da instituição.
 Datas Comemorativas.
ESPAÇOS, TEMPOS, QUANTIDADES, RELAÇÕES E TRANSFORMAÇÕES
As crianças vivem inseridas em espaços e tempos de diferentes dimensões, em um mundo constituído de fenômenos
naturais e socioculturais. Desde muito pequenas, elas procuram se situar em diversos espaços (rua, bairro, cidade etc.) e
tempos (dia e noite; hoje, ontem e amanhã etc.). Demonstram também curiosidade sobre o mundo físico (seu próprio corpo,
os fenômenos atmosféricos, os animais, as plantas, as transformações da natureza, os diferentes tipos de materiais e as
possibilidades de sua manipulação etc.) e o mundo sociocultural (as relações de parentesco e sociais entre as pessoas que
conhece; como vivem e em que trabalham essas pessoas; quais suas tradições e seus costumes; a diversidade entre elas
etc.). Além disso, nessas experiências e em muitas outras, as crianças também se deparam, frequentemente, com
conhecimentos matemáticos (contagem, ordenação, relações entre quantidades, dimensões, medidas, comparação de
pesos e de comprimentos, avaliação de distâncias, reconhecimento de formas geométricas, conhecimento e
reconhecimento de numerais cardinais e ordinais etc.) que igualmente aguçam a curiosidade. Portanto, a Educação Infantil
precisa promover experiências nas quais as crianças possam fazer observações, manipular objetos, investigar e explorar seu
entorno, levantar hipóteses e consultar fontes de informação para buscar respostas às suas curiosidades e indagações.
Assim, a instituição escolar está criando oportunidades para que as crianças ampliem seus conhecimentos do mundo físico
e sociocultural e possam utilizá-los em seu cotidiano.
SENTIDOS, SABERES E CONHECIMENTOS: ESPAÇOS CARACTERÍSTICAS, PROPRIEDADES E FUNÇÕES DE OBJETOS,
ESPAÇOS E TEMPOS, TRANSFORMAÇÕES, RECURSOS E FENÔMENOS DA NATUREZA, CONHECIMENTOS MATEMÁTICO,
NÚMEROS,CONHECIMENTOS MATEMÁTICOS,GRANDEZAS E MEDIDAS.
Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Conteúdo
(JTI-EI03ET15)Compreender as funções e usos sociais dos numerais para comunicar
oralmente suas ideias, suas hipóteses e estratégias em contextos diversos e na
resolução de problemas matemáticos.
(GO-EI03ET15) Identificar e compreender a utilização de números no seu contexto
diário como indicador de quantidade, de ordem e de código.
 Números:
 Como surgiram os números (história na oralidade).
 Função social dos números: onde usamos e para que serve.
 A importância dos conceitos matemáticos no cotidiano.
JTI-EI03ET07)Representar numericamente as quantidades identificadas em
diferentes situações estabelecendo a relação entre número e quantidade.
 Números de 0 a 50.
 Representação de quantidades, através de:
 Contagem:(de meninas, meninos, objetos, brinquedos, bolas e
outros, calendário) ;
 Por meio de desenhos e registros gráficos(riscos, bolinhas,
numerais e outros);
 Agrupamentos;
 Correspondência numérica;
 Comparação de quantidades;
 Sequência numérica até 50(sempre partindo do concreto);
 Traçar e quantificar numerais: 1 ao 50-traçar os numerais de
diferentes formas (massinha, areia, alinhavo, escrita numérica,
agrupamentos, sequenciação).
 Unidades (material concreto).
 Dezena ( material concreto).
 Dúzia ( material concreto).
(GO-EI03ET17) Criar e expor estratégias próprias para solucionar situações
problemas do cotidiano.
 Situações problemas que envolvam quantidades com material
concreto.
 Noções de adição e subtração com material concreto.
(EI03ET05) Classificar objetos e figuras de acordo com suas semelhanças e
diferenças.
 Classificação e seriação: de objetos e figuras.
(EI03ET04-A)Reconhecer e registrar noções de distância: perto/longe, tendo como
referência o próprio corpo.
(EI03ET04) Registrar observações, manipulações e medidas, usando múltiplas
linguagens (desenho, registro por número ou escrita espontânea) em diferentes
suportes.
 Noções de grandezas e medidas:(perto/longe, grande/pequeno,
muito/ pouco, grosso/fino, igual/diferente, alto/baixo).
 Medidas de tempo cronológico(dia, semana, mês, ano, ontem,
hoje e amanhã).
 Escala de tempo físico(dia/noite, estações do ano).
(EI03ET08-B) Registrar quantidades em diversas situações, para construção de
tabelas e gráficos.
 Registro através de tabelas(coletivas e individuais).
 Construção coletiva de gráficos.
 Interpretação de gráficos.
 Construção individual de gráficos.
(JTI-EI03ET05) Identificar as características geométricas dos objetos como formas
bidimencionais, tridimencionais em situações de brincadeiras, exploração e
observação de imagens e ambientes, em suas produções artísticas.
 Formas geométricas (identificação e classificação de objetos de
acordo com a sua forma geométrica).
 Trânsito:
 Semáforo;
 Placas de trânsito;
 Faixa de pedestre.
(GO-EI03ET23) Compreender a partir de imagens, vídeos e de fotografias, as
intervenções realizadas pelos homens (mudanças e permanências), fazendo
registros das suas observações e identificando o que é natural e o que é modificado
pelo homem em lugares de sua vivência.
 Meio Ambiente.
 Paisagem natural e paisagem modificada.
(GO-EI03ET22) Ter noções da influência das tecnologias no dia a dia das pessoas,
percebendo seus aspectos positivos e negativos, no que se refere a saúde, conforto,
comunicação,relações sociais,degradação do meio ambiente etc.
 Meios de comunicação ( televisão, rádio, telefone, internet).
 Meios de transporte (aéreos, aquáticos e terrestres).
(EI03ET03-A) Demonstrar em ações cotidianas, respeito pela natureza e todas as
formas de vida, reconhecendo-se como parte integrante do meio, numa relação de
interdependência.
 Elementos naturais: água, solo.
(JTI-EI03ET02) Nomear e descrever características e semelhanças frente aos
fenômenos da natureza, estabelecendo algumas relações de causa e efeito,
levantando hipóteses, utilizando diferentes técnicas e instrumentos reconhecendo
algumas características e consequência para a vida da pessoa.
 Estações do ano:
 Denominação ( Primavera, verão, outono e inverno);
 Características;
 Interferência na vida das pessoas ( vestuário, alimentação,
etc.).
(JTI-EI03ET12) Observar animais no ecossistema, modos de vida, cadeia alimentar e
outras características que ameaçam a vida no nosso planeta, desenvolvendo
atividades sustentáveis e conscientes de utilização e preservação dos recursos
naturais.
 Animais selvagens e domésticos.
(GO-EI03ET20) Entender a organização dos grupos sociais e da vida em sociedade a
partir dos papéis que os sujeitos desempenham e das relações de interdependência
estabelecidas entre eles.
 Família:
 Diversidades e relações da família;
 Nome dos integrantes da família.
 Escola:
 Relações no meio escolar.
PQV-AE (PREVENÇÃO E QUALIDADE DE VIDA COM AMOR EXIGENTE)
Unidade Temática Objetivos de Aprendizagem e
Desenvolvimento
Conteúdo
Princípio Básico:
Apoiador
Princípio Ético: Coragem
(JTI-EI05AE01) Reconhecer que um grupo de
apoio, criado por laços e vínculos verdadeiros
possibilita a criação e/ou manutenção de um
ambiente mais seguro para todos.
(JTI- EI05AE02) Reconhecer que é preciso
sempre tentar resolver as diferenças e buscar
cada vez mais o equilíbrio nas relações.
 Grupo de apoio:
 O que é;
 Para que serve;
 Pais e educadores como grupo de apoio;
 Bom relacionamento entre família.
 Regras de convivência.
 O que são;
 Para que servem;
 Vivência /prática;
 A importância de um bom relacionamento, nos diferentes locais
de vivência.
 Respeito à opiniões diversas ( divergência de pensamentos ).
 Diversidade etimológica e cultural.
 Valorização da diversidade.
Princípio Básico:
Cooperação.
Princípio Ético:
Espiritualidade.
(JTI- EI05AE03) Compreender que a cooperação
é um valor que deve ser aprendido e vivenciado
desde cedo, pois ela facilita muitas coisas:
aprendizagem, diálogo, percepção, participação,
responsabilidade compartilhada, liberdade.
 Cooperação:
 Vivência/prática.
 Ajuda mútua:
 Como praticá-la;
 Relações de confiança e colaboração entre as pessoas;
 Solidariedade e companheirismo em relação ao próximo;
 Empatia.
 Espiritualidade:
 Conhecimento
(JTI-EI05AE04) Compreender que deve-se
respeitar o jeito de cada pessoa conceber a
divindade.
Compreensão;
Tolerância;
Respeito;
Valorização;
Vivência.
Princípio Básico:
Disciplinador
Princípio Ético:
Honestidade.
(JTI-EI05AE05) Compreender que a exigência na
disciplina tem o objetivo de ordenar e organizar
nossa vida e a de nossa família.
(JTI-EI05AE06) Compreender que seja na família,
na escola, onde quer que se esteja, é preciso agir
com honestidade.
 Responsabilidade nas atividades escolares, no lar e na sociedade;
 A importância das regras para organização familiar, social e escolar;
 Compreender que suas ações causam consequências.
 Honestidade.
 Conceituação , importância e vivência prática.
Princípio Básico:
recompensador
Princípio Ético: Paz
(JTI-EI05AE07)Reconhecer que o amor é doação,
bondade, desprendimento, mas, sobretudo, é
decidir fazer o que é melhor para si e para o bem
do outro.
(JTI-EI05AE08) Compreender que deve-se evitar
disputas e divergências no meio em que se vive
para que todos tenham mais harmonia em seus
relacionamentos.
 Amor fraternal:
 O que é;
 O que significa amor ao próximo;
 Formas de demonstrá-lo;
 Respeito.
 Relações interpessoais.
 Convivência familiar e social.
COORDENADORIA PEDAGÓGICA
EDUCAÇÃO INFANTIL/JARDIM II

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Planejamento 2 ano
Planejamento   2 anoPlanejamento   2 ano
Planejamento 2 ano
Ana Paula
 
Planejamento os cinco sentidos
Planejamento os cinco sentidosPlanejamento os cinco sentidos
Planejamento os cinco sentidos
SimoneHelenDrumond
 
Projeto: A AMIZADE E SEUS VALORES
Projeto: A AMIZADE E SEUS VALORESProjeto: A AMIZADE E SEUS VALORES
Projeto: A AMIZADE E SEUS VALORES
PNTCBR
 
PLANEJAMENTO 3° ANO.docx
PLANEJAMENTO 3° ANO.docxPLANEJAMENTO 3° ANO.docx
PLANEJAMENTO 3° ANO.docx
JasmimFlor
 
Aula sobre brincadeiras africanas
Aula sobre brincadeiras africanasAula sobre brincadeiras africanas
Aula sobre brincadeiras africanas
Elisângela Sooma
 
Planejamento semanal Educação Física
Planejamento semanal Educação FísicaPlanejamento semanal Educação Física
Planejamento semanal Educação Física
jonasaandre
 
Planejamento Educação Infantil fase I
 Planejamento Educação Infantil fase I Planejamento Educação Infantil fase I
Planejamento Educação Infantil fase I
lucianoproenca21
 
Geografia 1º ano
Geografia 1º anoGeografia 1º ano
Geografia 1º ano
GERALDOGOMESDEBARROS
 
Plano de Curso - Ciências 5º ano
Plano de Curso - Ciências  5º ano Plano de Curso - Ciências  5º ano
Plano de Curso - Ciências 5º ano
Mary Alvarenga
 
Projeto " Brincando no Jogo"
Projeto " Brincando no Jogo"Projeto " Brincando no Jogo"
Projeto " Brincando no Jogo"
Danielle Souza
 
Meu bairro, minha identidade, meus valores
Meu bairro, minha identidade, meus valoresMeu bairro, minha identidade, meus valores
Meu bairro, minha identidade, meus valores
Prof. Noe Assunção
 
Ed. física 2º ano
Ed. física 2º anoEd. física 2º ano
Ed. física 2º ano
GERALDOGOMESDEBARROS
 
Planejamento educação infantil
Planejamento educação infantilPlanejamento educação infantil
Planejamento educação infantil
Claudia Ramos
 
Sequência didática brincadeiras infantis
Sequência didática brincadeiras infantisSequência didática brincadeiras infantis
Sequência didática brincadeiras infantis
Fabiola Aurélio
 
Inclusão escolar o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
Inclusão escolar  o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...Inclusão escolar  o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
Inclusão escolar o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
SimoneHelenDrumond
 
Construindo PEI .pdf
Construindo PEI .pdfConstruindo PEI .pdf
Construindo PEI .pdf
LetciaCarvalhodosSan2
 
Jogos e brincadeiras para deficientes
Jogos e brincadeiras para deficientesJogos e brincadeiras para deficientes
Jogos e brincadeiras para deficientes
residencia
 
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
Joziane Pimentel
 
BNCC EDUCAÇÃO INFANTIL
BNCC EDUCAÇÃO INFANTILBNCC EDUCAÇÃO INFANTIL
BNCC EDUCAÇÃO INFANTIL
Pedagoga Claudia Oliveira Andrade
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
Adriana Vieira
 

Mais procurados (20)

Planejamento 2 ano
Planejamento   2 anoPlanejamento   2 ano
Planejamento 2 ano
 
Planejamento os cinco sentidos
Planejamento os cinco sentidosPlanejamento os cinco sentidos
Planejamento os cinco sentidos
 
Projeto: A AMIZADE E SEUS VALORES
Projeto: A AMIZADE E SEUS VALORESProjeto: A AMIZADE E SEUS VALORES
Projeto: A AMIZADE E SEUS VALORES
 
PLANEJAMENTO 3° ANO.docx
PLANEJAMENTO 3° ANO.docxPLANEJAMENTO 3° ANO.docx
PLANEJAMENTO 3° ANO.docx
 
Aula sobre brincadeiras africanas
Aula sobre brincadeiras africanasAula sobre brincadeiras africanas
Aula sobre brincadeiras africanas
 
Planejamento semanal Educação Física
Planejamento semanal Educação FísicaPlanejamento semanal Educação Física
Planejamento semanal Educação Física
 
Planejamento Educação Infantil fase I
 Planejamento Educação Infantil fase I Planejamento Educação Infantil fase I
Planejamento Educação Infantil fase I
 
Geografia 1º ano
Geografia 1º anoGeografia 1º ano
Geografia 1º ano
 
Plano de Curso - Ciências 5º ano
Plano de Curso - Ciências  5º ano Plano de Curso - Ciências  5º ano
Plano de Curso - Ciências 5º ano
 
Projeto " Brincando no Jogo"
Projeto " Brincando no Jogo"Projeto " Brincando no Jogo"
Projeto " Brincando no Jogo"
 
Meu bairro, minha identidade, meus valores
Meu bairro, minha identidade, meus valoresMeu bairro, minha identidade, meus valores
Meu bairro, minha identidade, meus valores
 
Ed. física 2º ano
Ed. física 2º anoEd. física 2º ano
Ed. física 2º ano
 
Planejamento educação infantil
Planejamento educação infantilPlanejamento educação infantil
Planejamento educação infantil
 
Sequência didática brincadeiras infantis
Sequência didática brincadeiras infantisSequência didática brincadeiras infantis
Sequência didática brincadeiras infantis
 
Inclusão escolar o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
Inclusão escolar  o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...Inclusão escolar  o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
Inclusão escolar o planejamento das aulas tem de prever atividades para todo...
 
Construindo PEI .pdf
Construindo PEI .pdfConstruindo PEI .pdf
Construindo PEI .pdf
 
Jogos e brincadeiras para deficientes
Jogos e brincadeiras para deficientesJogos e brincadeiras para deficientes
Jogos e brincadeiras para deficientes
 
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
AULA ATIVIDADES LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS
 
BNCC EDUCAÇÃO INFANTIL
BNCC EDUCAÇÃO INFANTILBNCC EDUCAÇÃO INFANTIL
BNCC EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 

Semelhante a Quadro de conteúdos- anual jardim II 2023.docx.pdf

Apresentação GRUPO1
Apresentação GRUPO1Apresentação GRUPO1
Apresentação GRUPO1
JulianeFD
 
RCNEI.pdf
RCNEI.pdfRCNEI.pdf
RCNEI.pdf
karlliny martins
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumondInvestigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
SimoneHelenDrumond
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil.
Investigação do currículo na escola da educação infantil.Investigação do currículo na escola da educação infantil.
Investigação do currículo na escola da educação infantil.
SimoneHelenDrumond
 
BEBÊS 1.pdf
BEBÊS 1.pdfBEBÊS 1.pdf
BEBÊS 1.pdf
FlviaVeiga3
 
RCNEI resumo eixos 2014
RCNEI resumo eixos 2014RCNEI resumo eixos 2014
RCNEI resumo eixos 2014
Jacqueline Campos
 
Referencial curricular volumes 2 e 3
Referencial curricular volumes 2 e 3Referencial curricular volumes 2 e 3
Referencial curricular volumes 2 e 3
mgr0708
 
Projeto Político Pedagógico
Projeto Político PedagógicoProjeto Político Pedagógico
Projeto Político Pedagógico
CeimariaizabelCei
 
Tecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativas
Tecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativasTecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativas
Tecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativas
christianceapcursos
 
29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigação29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigação
SimoneHelenDrumond
 
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberesTrabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
SimoneHelenDrumond
 
Educação infantil referencias curriculares.pptx
Educação infantil referencias curriculares.pptxEducação infantil referencias curriculares.pptx
Educação infantil referencias curriculares.pptx
AbimaelsonSantos
 
Projeto anual jogos e brincadeiras
Projeto anual jogos e brincadeirasProjeto anual jogos e brincadeiras
Projeto anual jogos e brincadeiras
Shirley Costa
 
O EU O OUTRO E O NÓS.pptx
O EU O OUTRO E O NÓS.pptxO EU O OUTRO E O NÓS.pptx
O EU O OUTRO E O NÓS.pptx
Conceição Craveiro
 
4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx
4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx
4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx
MayraAzevedo3
 
O Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO InfantilO Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO Infantil
marlene_herter
 
Perfil cidadao pre-escolar
Perfil cidadao pre-escolarPerfil cidadao pre-escolar
Perfil cidadao pre-escolar
maria do rosario macedo
 
Perfil cidadao pre-escolar
Perfil cidadao pre-escolarPerfil cidadao pre-escolar
Perfil cidadao pre-escolar
Albertina Pereira
 
Perfilcidadaopre escolar-101005075551-phpapp01
Perfilcidadaopre escolar-101005075551-phpapp01Perfilcidadaopre escolar-101005075551-phpapp01
Perfilcidadaopre escolar-101005075551-phpapp01
Glicéria Gil
 

Semelhante a Quadro de conteúdos- anual jardim II 2023.docx.pdf (20)

Apresentação GRUPO1
Apresentação GRUPO1Apresentação GRUPO1
Apresentação GRUPO1
 
RCNEI.pdf
RCNEI.pdfRCNEI.pdf
RCNEI.pdf
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumondInvestigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
Investigação do currículo na escola da educação infantil. simone helen drumond
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
Investigação do currículo na escola da educação infantil. 1
 
Investigação do currículo na escola da educação infantil.
Investigação do currículo na escola da educação infantil.Investigação do currículo na escola da educação infantil.
Investigação do currículo na escola da educação infantil.
 
BEBÊS 1.pdf
BEBÊS 1.pdfBEBÊS 1.pdf
BEBÊS 1.pdf
 
RCNEI resumo eixos 2014
RCNEI resumo eixos 2014RCNEI resumo eixos 2014
RCNEI resumo eixos 2014
 
Referencial curricular volumes 2 e 3
Referencial curricular volumes 2 e 3Referencial curricular volumes 2 e 3
Referencial curricular volumes 2 e 3
 
Projeto Político Pedagógico
Projeto Político PedagógicoProjeto Político Pedagógico
Projeto Político Pedagógico
 
Tecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativas
Tecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativasTecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativas
Tecendo caminhos na relação entre as atividades Lúdicas e as praticas educativas
 
29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigação29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigação
 
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberesTrabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
 
Educação infantil referencias curriculares.pptx
Educação infantil referencias curriculares.pptxEducação infantil referencias curriculares.pptx
Educação infantil referencias curriculares.pptx
 
Projeto anual jogos e brincadeiras
Projeto anual jogos e brincadeirasProjeto anual jogos e brincadeiras
Projeto anual jogos e brincadeiras
 
O EU O OUTRO E O NÓS.pptx
O EU O OUTRO E O NÓS.pptxO EU O OUTRO E O NÓS.pptx
O EU O OUTRO E O NÓS.pptx
 
4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx
4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx
4.1 EDUCAÇÃO INFANTIL - slide ptg 4º semestre 2019.pptx
 
O Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO InfantilO Cotidiano Da EducaçãO Infantil
O Cotidiano Da EducaçãO Infantil
 
Perfil cidadao pre-escolar
Perfil cidadao pre-escolarPerfil cidadao pre-escolar
Perfil cidadao pre-escolar
 
Perfil cidadao pre-escolar
Perfil cidadao pre-escolarPerfil cidadao pre-escolar
Perfil cidadao pre-escolar
 
Perfilcidadaopre escolar-101005075551-phpapp01
Perfilcidadaopre escolar-101005075551-phpapp01Perfilcidadaopre escolar-101005075551-phpapp01
Perfilcidadaopre escolar-101005075551-phpapp01
 

Último

Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 

Quadro de conteúdos- anual jardim II 2023.docx.pdf

  • 1. MATRIZ CURRICULAR ANUAL /JARDIM II JATAÍ – GO 2023 DIRETORIA DE ENSINO E PROCESSOS EDUCATIVOS COORDENADORIA PEDAGÓGICA
  • 3. As Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Infantil (DCNEI, Resolução CNE/CEB nº 5/2009)27 , em seu Artigo 4º, definem a criança como: sujeito histórico e de direitos, que, nas interações, relações e práticas cotidianas que vivencia, constrói sua identidade pessoal e coletiva, brinca, imagina, fantasia, deseja, aprende, observa, experimenta, narra, questiona e constrói sentidos sobre a natureza e a sociedade, produzindo cultura (BRASIL, 2009). Ainda de acordo com as DCNEI, em seu Artigo 9º, os eixos estruturantes das práticas pedagógicas dessa etapa da Educação Básica são as interações e a brincadeira, experiências nas quais as crianças podem construir e apropriar-se de conhecimentos por meio de suas ações e interações com seus pares e com os adultos, o que possibilita aprendizagens, desenvolvimento e socialização. A interação durante o brincar caracteriza o cotidiano da infância, trazendo consigo muitas aprendizagens e potenciais para o desenvolvimento integral das crianças. Ao observar as interações e a brincadeira entre as crianças e delas com os adultos, é possível identificar, por exemplo, a expressão dos afetos, a mediação das frustrações, a resolução de conflitos e a regulação das emoções. Tendo em vista os eixos estruturantes das práticas pedagógicas e as competências gerais da Educação Básica propostas pela BNCC, seis direitos de aprendizagem e desenvolvimento asseguram, na Educação Infantil, as condições para que as crianças aprendam em situações nas quais possam desempenhar um papel ativo em ambientes que as convidem a vivenciar desafios e a sentirem-se provocadas a resolvê-los, nas quais possam construir significados sobre si, os outros e o mundo social e natural.
  • 4.  Conviver com outras crianças e adultos, em pequenos e grandes grupos, utilizando diferentes linguagens, ampliando o conhecimento de si e do outro, o respeito em relação à cultura e às diferenças entre as pessoas.  Brincar cotidianamente de diversas formas, em diferentes espaços e tempos, com diferentes parceiros (crianças e adultos), ampliando e diversificando seu acesso a produções culturais, seus conhecimentos, sua imaginação, sua criatividade, suas experiências emocionais, corporais, sensoriais, expressivas, cognitivas, sociais e relacionais.  Participar ativamente, com adultos e outras crianças, tanto do planejamento da gestão da escola e das atividades propostas pelo educador quanto da realização das atividades da vida cotidiana, tais como a escolha das brincadeiras, dos materiais e dos ambientes, desenvolvendo diferentes linguagens e elaborando conhecimentos, decidindo e se posicionando.  Explorar movimentos, gestos, sons, formas, texturas, cores, palavras, emoções, transformações, relacionamentos, histórias, objetos, elementos da natureza, na escola e fora dela, ampliando seus saberes sobre a cultura, em suas diversas modalidades: as artes, a escrita, a ciência e a tecnologia.  Expressar, como sujeito dialógico, criativo e sensível, suas necessidades, emoções, sentimentos, dúvidas, hipóteses, descobertas, opiniões, questionamentos, por meio de diferentes linguagens.  Conhecer-se e construir sua identidade pessoal, social e cultural, constituindo uma imagem positiva de si e de seus grupos de pertencimento, nas diversas experiências de cuidados, interações, brincadeiras e linguagens vivenciadas na instituição escolar e em seu contexto familiar e comunitário. DIREITOS DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL
  • 5. Essa concepção de criança como ser que observa, questiona, levanta hipóteses, conclui, faz julgamentos e assimila valores e que constrói conhecimentos e se apropria do conhecimento sistematizado por meio da ação e nas interações com o mundo físico e social, impõe a necessidade de imprimir intencionalidade educativa às práticas pedagógicas na Educação Infantil. Essa intencionalidade consiste na organização e proposição, pelo educador, de experiências que permitam às crianças conhecer a si e ao outro e de conhecer e compreender as relações com a natureza, com a cultura e com a produção científica, que se traduzem nas práticas de cuidados pessoais, nas brincadeiras, nas experimentações com materiais variados, na aproximação com a literatura e no encontro com as pessoas. Parte do trabalho do educador é refletir, selecionar, organizar, planejar, mediar e monitorar o conjunto das práticas e interações, garantindo a pluralidade de situações que promovam o desenvolvimento pleno das crianças. Ainda, é preciso acompanhar tanto essas práticas quanto as aprendizagens das crianças, realizando a observação da trajetória de cada criança e de todo o grupo – suas conquistas, avanços, possibilidades e aprendizagens. Por meio de diversos registros, feitos em diferentes momentos tanto pelos professores quanto pelas crianças (como relatórios, portfólios, fotografias, desenhos e textos), é possível evidenciar a progressão ocorrida durante o período observado, sem intenção de seleção, promoção ou classificação de crianças em “aptas” e “não aptas”, “prontas” ou “não prontas”, “maduras” ou “imaturas”. Trata-se de reunir elementos para reorganizar tempos, espaços e situações que garantam os direitos de aprendizagem de todas as crianças.
  • 6. É na interação com os pares e com adultos que as crianças vão constituindo um modo próprio de agir, sentir e pensar e vão descobrindo que existem outros modos de vida, pessoas diferentes, com outros pontos de vista. Conforme vivem suas primeiras experiências sociais (na família, na instituição escolar, na coletividade), constroem percepções e questionamentos sobre si e sobre os outros, diferenciando-se e, simultaneamente, identificando- se como seres individuais e sociais. Ao mesmo tempo que participam de relações sociais e de cuidados pessoais, as crianças constroem sua autonomia e senso de autocuidado, de reciprocidade e de interdependência com o meio. Por sua vez, na Educação Infantil, é preciso criar oportunidades para que as crianças entrem em contato com outros grupos sociais e culturais, outros modos de vida, diferentes atitudes, técnicas e rituais de cuidados pessoais e do grupo, costumes, celebrações e narrativas. Nessas experiências, elas podem ampliar o modo de perceber a si mesmas e ao outro, valorizar sua identidade, respeitar os outros e reconhecer as diferenças que nos constituem como seres humanos.( BNCC) O primeiro dos Campos de Experiência proposto pela BNCC trata sobre a construção da identidade, da subjetividade, das relações interpessoais, do respeito próprio e coletivo, da sensação de pertencimento a um grupo. Está relacionado ao autoconhecimento e à construção de relações, com todas as especificidades que acarretam. Busca-se desenvolver a consciência cidadã, incentivando a criação de vínculos sociais fortes e baseados no respeito. Ao entender-se melhor, a criança se fortalece enquanto indivíduo e estará mais apta, também, a aceitar as diferenças nas relações. O sentimento de pertencimento ao grupo, coletividade e o respeito às diversidades culturais, são aspectos a serem trabalhados e desenvolvidos em sala de aula. Este campo tem a função de facilitar a compreensão do mundo ao redor, em crianças naturalmente curiosas e dispostas a explorar o entorno social. Na medida em que são fornecidas informações sobre modos de vida diferentes ao que a criança está habituada, diminui-se a tendência ao estereótipo e preconceito, tornando a convivência mais empática e acolhedora. O EU, O OUTRO, O NÓS
  • 7. SENTIDOS, SABERES E CONHECIMENTOS: INTERAÇÕES, AUTONOMIA E IDENTIDADE. Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Conteúdo (JTI-EIOEO03)Desenvolver autonomia, criar estratégias para lidar com o conflito nas interações com diversas crianças e adultos.  Adaptação.  Autonomia:  Na execução das atividades propostas.  No cuidado com o próprio corpo, objetos de uso pessoal.  Na resolução de conflitos.  Realizar escolhas intencionais de acordo com suas preferências e respeitar as escolhas dos outros. (EI03EO07-A)Conhecer e respeitar normas e valores do convívio social e participar da definição de combinados do grupo.  Construção de normas e regras de convivência em grupo e espaço coletivo.  Conhecer normas e valores sociais. (JTI-EIO3EO04)Comunicar suas ideias e sentimentos a pessoas e grupos diversos, por meio da escrita, desenho, trabalho artístico, música, dança.  Expressão através de diferentes formas de linguagem:  Escrita (mesmo que não seja convencional).  Desenho.  Dança.  Teatro  Música  Histórias  Brincadeiras de faz de conta. (JTI-EI03EO02)Agir participando na vida social como um cidadão crítico, autônomo e independente, com confiança em suas capacidades, reconhecendo suas conquistas e limitações.  Valores e altruísmo:  Senso de responsabilidade.  Socialização em atividades dentro e fora da sala.  Noções e atitudes de cidadania.  Direitos e deveres das crianças.
  • 8. (JTI-EI03EO12) Participar de momentos de atividades que promovam a interação e a socialização no grupo de hábitos e costumes de cada um, identificando pertences pessoais.  Identificação de pertences pessoais pelo nome. (EI03EO01) Demonstrar empatia pelos outros, percebendo que as pessoas tem diferentes sentimentos, necessidades e maneiras de pensar e agir.  Relação entre o eu e o outro;  Respeito;  Valorização das diferenças entre pessoas: modo de agir. (GO-EI03EO10)Perceber a importância de agregar hábitos convencionais durante os momentos de autocuidado em relação a saúde e higiene.  Hábitos de higiene.  Corporal; Bucal;  No cuidado com o próprio corpo, objetos de uso pessoal;  No espaço coletivo onde convive. (EI03EO05) Demonstrar valorização das características de seu corpo e respeitar as características dos outros ( crianças e adultos com os quais convive).  Reconhecimento do próprio corpo:  Características físicas;  Partes do corpo humano;  Diversidade etnológica.  Valorização das diferenças entre pessoas: forma física.  Conhecimento sobre o corpo:  Peso;  Altura.  Autoestima. (EI03EO06) Manifestar interesse e respeito por diferentes culturas e modos de vida.  Cultura: Folclore brasileiro:  Lendas regionais.  Valorização das diferenças culturais.
  • 9. CORPO, GESTOS E MOVIMENTOS Com o corpo (por meio dos sentidos, gestos, movimentos impulsivos ou intencionais, coordenados ou espontâneos), as crianças, desde cedo, exploram o mundo, o espaço e os objetos do seu entorno, estabelecem relações, expressam-se, brincam e produzem conhecimentos sobre si, sobre o outro, sobre o universo social e cultural, tornando-se, progressivamente, conscientes dessa corporeidade. Por meio das diferentes linguagens, como a música, a dança, o teatro, as brincadeiras de faz de conta, elas se comunicam e se expressam no entrelaçamento entre corpo, emoção e linguagem. As crianças conhecem e reconhecem as sensações e funções de seu corpo e, com seus gestos e movimentos, identificam suas potencialidades e seus limites, desenvolvendo, ao mesmo tempo, a consciência sobre o que é seguro e o que pode ser um risco à sua integridade física. Na Educação Infantil, o corpo das crianças ganha centralidade, pois ele é o partícipe privilegiado das práticas pedagógicas de cuidado físico, orientadas para a emancipação e a liberdade, e não para a submissão. Assim, a instituição escolar precisa promover oportunidades ricas para que as crianças possam, sempre animadas pelo espírito lúdico e na interação com seus pares, explorar e vivenciar um amplo repertório de movimentos, gestos, olhares, sons e mímicas com o corpo, para descobrir variados modos de ocupação e uso do espaço com o corpo.
  • 10. SENTIDOS, SABERES E CONHECIMENTOS:GESTOS, MOVIMENTOS E CORPO Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Conteúdo (JTI-EI03CG10)Vivenciar e conduzir brincadeiras de esquema corporal, de exploração e expressão corporal diante do espelho, utilizando diferentes formas de linguagens percebendo suas características específicas e o seu funcionamento.  Brincadeiras e atividades em frente ao espelho.  Reconhecimento de características próprias.  Expressões faciais na demonstração de emoções. (JTI-EI03CG05)Demonstrar habilidades de coordenação motora grossa e fina, atendendo adequadamente seus interesses e as necessidades em situações propostas.  Coordenação motora ampla, grossa e fina.  Tonicidade.  Trajetos e percursos. (EI03CG03)Criar movimentos, gestos, olhares e mímicas em brincadeiras, jogos, e atividades artísticas como dança, teatro e música.  Expressividade – facial, corporal.  Dança: coreografia e ritmos variados.  Mímicas.  Teatro.  Música.  Dinâmicas. (EI03CG02-A)Desenvolver o equilíbrio, a lateralidade e o ritmo, em brincadeiras e jogos, escuta e reconto de histórias, atividades artísticas, entre outras possibilidades, demonstrando controle e adequação do uso do seu corpo.  Equilíbrio.  Lateralidade.  Ritmo.  Noção espacial.  Brincadeiras com saltos, giros, deslocamentos e especificações como: rápido, lento, forte, leve, flexível, etc.)
  • 11. (GO-EI03CG09) Descobrir e nomear sensações, tais como, repulsa, surpresa, cócegas, ansiedade, medo, satisfação etc., causadas em si, aliadas aos sentidos: audição, visão, tato nas mais variadas situações.  Percepção:  Auditiva;  Visual;  Tátil;  Olfativa;  Gustativa;  Cinco sentidos. (JTI-EI03CG04) Demonstrar autonomia e independência relacionados aos hábitos e cuidados com o corpo e com o meio onde vive. (GO-EI03CG08) Identificar e praticar situações de cuidados para manutenção da saúde e a preservação de doenças, cobrir o nariz e a boca ao tossir e espirrar.  Autocuidado e cuidado higiênicos nas brincadeiras e jogos. (GO-EI03CG10) Identificar e compreender a estrutura do corpo humano, os principais sistemas e o seu funcionamento.  Corpo Humano:  Cabeça, tronco, membros inferiores e superiores.  Principais órgãos do corpo humano e suas funções. .
  • 12. ESCUTA, FALA, PENSAMENTO E IMAGINAÇÃO Desde o nascimento, as crianças participam de situações comunicativas cotidianas com as pessoas com as quais interagem. As primeiras formas de interação do bebê são os movimentos do seu corpo, o olhar, a postura corporal, o sorriso, o choro e outros recursos vocais, que ganham sentido com a interpretação do outro. Progressivamente, as crianças vão ampliando e enriquecendo seu vocabulário e demais recursos de expressão e de compreensão, apropriando-se da língua materna – que se torna, pouco a pouco, seu veículo privilegiado de interação. Na Educação Infantil, é importante promover experiências nas quais as crianças possam falar e ouvir, potencializando sua participação na cultura oral, pois é na escuta de histórias, na participação em conversas, nas descrições, nas narrativas elaboradas individualmente ou em grupo e nas implicações com as múltiplas linguagens que a criança se constitui ativamente como sujeito singular e pertencente a um grupo social. Desde cedo, a criança manifesta curiosidade com relação à cultura escrita: ao ouvir e acompanhar a leitura de textos, ao observar os muitos textos que circulam no contexto familiar, comunitário e escolar, ela vai construindo sua concepção de língua escrita, reconhecendo diferentes usos sociais da escrita, dos gêneros, suportes e portadores. Na Educação Infantil, a imersão na cultura escrita deve partir do que as crianças conhecem e das curiosidades que deixam transparecer. As experiências com a literatura infantil, propostas pelo educador, mediador entre os textos e as crianças, contribuem para o desenvolvimento do gosto pela leitura, do estímulo à imaginação e da ampliação do conhecimento de mundo. Além disso, o contato com histórias, contos, fábulas, poemas, cordéis etc. propicia a familiaridade com livros, com diferentes gêneros literários, a diferenciação entre ilustrações e escrita, a aprendizagem da direção da escrita e as formas corretas de manipulação de livros. Nesse convívio com textos escritos, as crianças vão construindo hipóteses sobre a escrita que se revelam, inicialmente, em rabiscos e garatujas e, à medida que vão conhecendo letras, em escritas espontâneas, não convencionais, mas já indicativas da compreensão da escrita como sistema de representação da língua.
  • 13. SENTIDOS, SABERES E CONHECIMENTOS: CULTURAS ORAIS, CULTURAS ESCRITAS Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Conteúdo (JTI-EI03EF01)Expressar-se por meio da linguagem oral e escrita coletiva transmitindo suas necessidades, desejos, ideias e compreensões do mundo.  Oralidade em diferentes contextos:  Pronúncia dos sons das letras do alfabeto (letra e som);  Expressão oral: alfabeto boquinha;  Recontos de histórias e contos: para a turma, para a família;  Interpretação oral de pequenos textos: rótulos, símbolos/imagens, listas, cartazes da sala, livros literários, quadrinhas;  Interpretação oral de músicas;  Contagem;  Produções orais coletivas;  Recitações (poemas, parlendas, etc.);  Narrações, descrições, explicações, relatos e argumentações;  Leitura incidental ( rótulos, propagandas, objetos e símbolos);  Sequênciação de fatos;  Advinhas;  Canções;  Lendas e contos folclóricos;  Quadrinhas;  Cantigas de roda. (EI03EF09)Vivenciar experiências que possibilitem perceber a presença da escrita em diferentes ambientes compreendendo assim sua função social.  Exploração do ambiente escolar e seu entorno observando as informações escritas e o que elas informam.  Exploração de alfabeto, listas, folhetos, bulas, folders, livros literários, lendas, contos folclóricos, quadrinhas, cantigas de roda e textos diversos.
  • 14. (GO-EI03EF16) Planejar e produzir, tendo o(a) professor(a) como escriba: listas, legendas, avisos, calendários, receitas, convites, instruções, recontos e outros gêneros de uso cotidiano.  Escrita de palavras iniciadas por vogais.( professor como escriba)  Escrita de palavras iniciadas por consoantes.(professor como escriba).  Relação fonema/grafema.  Formações silábicas.( Não trabalhar famílias silábicas)  Produção de palavras, frases e textos coletivos. OBS: Os itens acima citados, NÃO devem ser compreendidos como apropriação do SEA ( Sistema de escrita alfabética). São elementos que levam:  compreensão da estrutura das palavras (palavras são formadas por sílabas, que são combinações de letras);  da função social da escrita;  oralidade;  compreensão de que tudo que falamos pode ser escrito com palavras ( fonema/grafema).  compreensão informal, sem sistematização( não trabalhar formalmente os gêneros textuais), da estrutura e características textuais ( bilhetes, receitas, regras, etc. ...). (EI03EF01-A) Identificar e escrever seu próprio nome, conhecendo sua história e seu significado.  Nome e sobrenome.( escrita autônoma)  Nome dos colegas da sala e da professora.( identificação) (JTI-EI03EF08)Apreciar e participar de momentos de contação de histórias e de outros gêneros textuais de diferentes maneiras. Criar histórias a partir de leitura de ilustrações e imagens, desenvolvendo a criatividade e a imaginação.  Apreciação e deleite através da leitura e da contação de histórias e textos de diferentes gêneros.  Criação individual e coletiva de frases, histórias e reconto através de desenho. (GO-EI03EF13)Propor e criar brincadeiras que envolvam canções de ninar, acalantos, lengalengas, cantigas de roda, trava-língua.  Brincadeiras cantadas e rítmicas.  Trava-línguas.
  • 15.  Folclore brasileiro:  Parlendas;  Lendas( dramatizações);  Contos folclóricos ( dramatizações). (EI03EF03)Folhear livros e escolher aqueles que mais gostam para ler em momentos individuais, percebendo as características da língua escrita, reconhecendo letras, sílabas e palavras.  Manuseio e exploração de materiais gráficos (livros, revistas, jornais, rótulos) livremente ou com a orientação da professora. ]
  • 16. TRAÇOS, SONS, CORES E FORMA Conviver com diferentes manifestações artísticas, culturais e científicas, locais e universais, no cotidiano da instituição escolar, possibilita às crianças, por meio de experiências diversificadas, vivenciar diversas formas de expressão e linguagens, como as artes visuais (pintura, modelagem, colagem, fotografia etc.), a música, o teatro, a dança e o audiovisual, entre outras. Com base nessas experiências, elas se expressam por várias linguagens, criando suas próprias produções artísticas ou culturais, exercitando a autoria (coletiva e individual) com sons, traços, gestos, danças, mímicas, encenações, canções, desenhos, modelagens, manipulação de diversos materiais e de recursos tecnológicos. Essas experiências contribuem para que, desde muito pequenas, as crianças desenvolvam senso estético e crítico, o conhecimento de si mesmas, dos outros e da realidade que as cerca. Portanto, a Educação Infantil precisa promover a participação das crianças em tempos e espaços para a produção, manifestação e apreciação artística, de modo a favorecer o desenvolvimento da sensibilidade, da criatividade e da expressão pessoal das crianças, permitindo que se apropriem e reconfigurem, permanentemente, a cultura e potencializem suas singularidades, ao ampliar repertórios e interpretar suas experiências e vivências artísticas.
  • 17. SENTIDOS, SABERES E CONHECIMENTO: MANIFESTAÇÕES CULTURAIS, SENSIBILIDADE E CRIATIVIDADE, MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS MÚSICA, MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS TEATRO, MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS DANÇA, MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS AUDIOVISUAL. Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Conteúdo (EI03TS02)Expressar-se livremente por meio de desenho, pintura, colagem, dobradura e escultura, criando produções bidimensionais e tridimensionais.  Modelagem com massinha (livre e direcionada).  Recortes e colagens.  Desenhos livre.  Pintura (livre e direcionada). (GO-EI03TS06)Conhecer várias possibilidades para realizar marcas gráficas e desenhos, em diferentes suportes, propondo diferentes combinações.  Traçado de letras (bastão).  Escrita do nome e sobrenome.  Escrita de numerais.  Escrita coletiva de palavras. (listas – professor como escriba)  Escrita coletiva de frases. ( professor como escriba)  Escrita coletiva de textos. ( professor como escriba)  Linhas retas e curvas.  Formas geométricas planas. Obs: As escritas coletivas não devem ser reproduzidas pelo aluno. (GO-EI03TS05)Acionar repertório de imagens, sons, palavras, movimentos, identificar cores, para apreciar gravuras, esculturas, músicas, peças teatrais, filmes, etc, por meio do estranhamento e do deleite. (JTI-EI03TS08) Criar pinturas ou realizar releituras individuais e coletivas de obras de artistas goianos utilizando diferentes suportes e materiais individuais.  Cores primárias, secundárias e neutras.  Uso das cores como significados:  Semáforo;  Leituras de imagens:  Observação e identificação de imagens diversas;  Apreciação de diferentes obras artísticas e seus autores.  Faixa de pedestre;
  • 18.  Faixa de retenção;  Placas de trânsito ( apresentar algumas imagens, mas focar nas placas mais comuns como Pare, Proibido Estacionar; Proibido sinais sonoros, etc.) (JTI-EI03TS03)Perceber sons graves e agudos, curtos e longos produzidos pelo próprio corpo, objetos e instrumentos musicais.  Música:  Apreciação musical de diversos estilos e épocas, conhecendo seus compositores;  Exploração, expressão e produção de sons com a voz, o corpo, o entorno e materiais diversos;  Reproduzir e reconhecer melodias.  Músicas folclóricas regionais. (JTI-EI03TS11)Explorar diversos movimentos corporais (danças, imitações, mímicas, gestos, expressões faciais e jogos teatrais) intensificando as capacidades expressivas.  Brincadeiras  Brincadeiras de mímica;  Brincadeiras musicais;  Dramatizar histórias cantadas e canções.  Danças folclóricas;  Imitações de personagens folclóricos.  Dramatizações com personagens folclóricos.  Simulações com situações de trânsito. (GO-EI03TS04) Conhecer e diferenciar as manifestações culturais de sua região das outras localidades, reconhecendo suas características específicas, em momentos vividos dentro e fora da instituição.  Datas Comemorativas.
  • 19. ESPAÇOS, TEMPOS, QUANTIDADES, RELAÇÕES E TRANSFORMAÇÕES As crianças vivem inseridas em espaços e tempos de diferentes dimensões, em um mundo constituído de fenômenos naturais e socioculturais. Desde muito pequenas, elas procuram se situar em diversos espaços (rua, bairro, cidade etc.) e tempos (dia e noite; hoje, ontem e amanhã etc.). Demonstram também curiosidade sobre o mundo físico (seu próprio corpo, os fenômenos atmosféricos, os animais, as plantas, as transformações da natureza, os diferentes tipos de materiais e as possibilidades de sua manipulação etc.) e o mundo sociocultural (as relações de parentesco e sociais entre as pessoas que conhece; como vivem e em que trabalham essas pessoas; quais suas tradições e seus costumes; a diversidade entre elas etc.). Além disso, nessas experiências e em muitas outras, as crianças também se deparam, frequentemente, com conhecimentos matemáticos (contagem, ordenação, relações entre quantidades, dimensões, medidas, comparação de pesos e de comprimentos, avaliação de distâncias, reconhecimento de formas geométricas, conhecimento e reconhecimento de numerais cardinais e ordinais etc.) que igualmente aguçam a curiosidade. Portanto, a Educação Infantil precisa promover experiências nas quais as crianças possam fazer observações, manipular objetos, investigar e explorar seu entorno, levantar hipóteses e consultar fontes de informação para buscar respostas às suas curiosidades e indagações. Assim, a instituição escolar está criando oportunidades para que as crianças ampliem seus conhecimentos do mundo físico e sociocultural e possam utilizá-los em seu cotidiano.
  • 20. SENTIDOS, SABERES E CONHECIMENTOS: ESPAÇOS CARACTERÍSTICAS, PROPRIEDADES E FUNÇÕES DE OBJETOS, ESPAÇOS E TEMPOS, TRANSFORMAÇÕES, RECURSOS E FENÔMENOS DA NATUREZA, CONHECIMENTOS MATEMÁTICO, NÚMEROS,CONHECIMENTOS MATEMÁTICOS,GRANDEZAS E MEDIDAS. Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Conteúdo (JTI-EI03ET15)Compreender as funções e usos sociais dos numerais para comunicar oralmente suas ideias, suas hipóteses e estratégias em contextos diversos e na resolução de problemas matemáticos. (GO-EI03ET15) Identificar e compreender a utilização de números no seu contexto diário como indicador de quantidade, de ordem e de código.  Números:  Como surgiram os números (história na oralidade).  Função social dos números: onde usamos e para que serve.  A importância dos conceitos matemáticos no cotidiano. JTI-EI03ET07)Representar numericamente as quantidades identificadas em diferentes situações estabelecendo a relação entre número e quantidade.  Números de 0 a 50.  Representação de quantidades, através de:  Contagem:(de meninas, meninos, objetos, brinquedos, bolas e outros, calendário) ;  Por meio de desenhos e registros gráficos(riscos, bolinhas, numerais e outros);  Agrupamentos;  Correspondência numérica;  Comparação de quantidades;  Sequência numérica até 50(sempre partindo do concreto);  Traçar e quantificar numerais: 1 ao 50-traçar os numerais de diferentes formas (massinha, areia, alinhavo, escrita numérica, agrupamentos, sequenciação).  Unidades (material concreto).  Dezena ( material concreto).  Dúzia ( material concreto).
  • 21. (GO-EI03ET17) Criar e expor estratégias próprias para solucionar situações problemas do cotidiano.  Situações problemas que envolvam quantidades com material concreto.  Noções de adição e subtração com material concreto. (EI03ET05) Classificar objetos e figuras de acordo com suas semelhanças e diferenças.  Classificação e seriação: de objetos e figuras. (EI03ET04-A)Reconhecer e registrar noções de distância: perto/longe, tendo como referência o próprio corpo. (EI03ET04) Registrar observações, manipulações e medidas, usando múltiplas linguagens (desenho, registro por número ou escrita espontânea) em diferentes suportes.  Noções de grandezas e medidas:(perto/longe, grande/pequeno, muito/ pouco, grosso/fino, igual/diferente, alto/baixo).  Medidas de tempo cronológico(dia, semana, mês, ano, ontem, hoje e amanhã).  Escala de tempo físico(dia/noite, estações do ano). (EI03ET08-B) Registrar quantidades em diversas situações, para construção de tabelas e gráficos.  Registro através de tabelas(coletivas e individuais).  Construção coletiva de gráficos.  Interpretação de gráficos.  Construção individual de gráficos. (JTI-EI03ET05) Identificar as características geométricas dos objetos como formas bidimencionais, tridimencionais em situações de brincadeiras, exploração e observação de imagens e ambientes, em suas produções artísticas.  Formas geométricas (identificação e classificação de objetos de acordo com a sua forma geométrica).  Trânsito:  Semáforo;  Placas de trânsito;  Faixa de pedestre. (GO-EI03ET23) Compreender a partir de imagens, vídeos e de fotografias, as intervenções realizadas pelos homens (mudanças e permanências), fazendo registros das suas observações e identificando o que é natural e o que é modificado pelo homem em lugares de sua vivência.  Meio Ambiente.  Paisagem natural e paisagem modificada.
  • 22. (GO-EI03ET22) Ter noções da influência das tecnologias no dia a dia das pessoas, percebendo seus aspectos positivos e negativos, no que se refere a saúde, conforto, comunicação,relações sociais,degradação do meio ambiente etc.  Meios de comunicação ( televisão, rádio, telefone, internet).  Meios de transporte (aéreos, aquáticos e terrestres). (EI03ET03-A) Demonstrar em ações cotidianas, respeito pela natureza e todas as formas de vida, reconhecendo-se como parte integrante do meio, numa relação de interdependência.  Elementos naturais: água, solo. (JTI-EI03ET02) Nomear e descrever características e semelhanças frente aos fenômenos da natureza, estabelecendo algumas relações de causa e efeito, levantando hipóteses, utilizando diferentes técnicas e instrumentos reconhecendo algumas características e consequência para a vida da pessoa.  Estações do ano:  Denominação ( Primavera, verão, outono e inverno);  Características;  Interferência na vida das pessoas ( vestuário, alimentação, etc.). (JTI-EI03ET12) Observar animais no ecossistema, modos de vida, cadeia alimentar e outras características que ameaçam a vida no nosso planeta, desenvolvendo atividades sustentáveis e conscientes de utilização e preservação dos recursos naturais.  Animais selvagens e domésticos. (GO-EI03ET20) Entender a organização dos grupos sociais e da vida em sociedade a partir dos papéis que os sujeitos desempenham e das relações de interdependência estabelecidas entre eles.  Família:  Diversidades e relações da família;  Nome dos integrantes da família.  Escola:  Relações no meio escolar.
  • 23. PQV-AE (PREVENÇÃO E QUALIDADE DE VIDA COM AMOR EXIGENTE) Unidade Temática Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Conteúdo Princípio Básico: Apoiador Princípio Ético: Coragem (JTI-EI05AE01) Reconhecer que um grupo de apoio, criado por laços e vínculos verdadeiros possibilita a criação e/ou manutenção de um ambiente mais seguro para todos. (JTI- EI05AE02) Reconhecer que é preciso sempre tentar resolver as diferenças e buscar cada vez mais o equilíbrio nas relações.  Grupo de apoio:  O que é;  Para que serve;  Pais e educadores como grupo de apoio;  Bom relacionamento entre família.  Regras de convivência.  O que são;  Para que servem;  Vivência /prática;  A importância de um bom relacionamento, nos diferentes locais de vivência.  Respeito à opiniões diversas ( divergência de pensamentos ).  Diversidade etimológica e cultural.  Valorização da diversidade. Princípio Básico: Cooperação. Princípio Ético: Espiritualidade. (JTI- EI05AE03) Compreender que a cooperação é um valor que deve ser aprendido e vivenciado desde cedo, pois ela facilita muitas coisas: aprendizagem, diálogo, percepção, participação, responsabilidade compartilhada, liberdade.  Cooperação:  Vivência/prática.  Ajuda mútua:  Como praticá-la;  Relações de confiança e colaboração entre as pessoas;  Solidariedade e companheirismo em relação ao próximo;  Empatia.  Espiritualidade:  Conhecimento
  • 24. (JTI-EI05AE04) Compreender que deve-se respeitar o jeito de cada pessoa conceber a divindade. Compreensão; Tolerância; Respeito; Valorização; Vivência. Princípio Básico: Disciplinador Princípio Ético: Honestidade. (JTI-EI05AE05) Compreender que a exigência na disciplina tem o objetivo de ordenar e organizar nossa vida e a de nossa família. (JTI-EI05AE06) Compreender que seja na família, na escola, onde quer que se esteja, é preciso agir com honestidade.  Responsabilidade nas atividades escolares, no lar e na sociedade;  A importância das regras para organização familiar, social e escolar;  Compreender que suas ações causam consequências.  Honestidade.  Conceituação , importância e vivência prática. Princípio Básico: recompensador Princípio Ético: Paz (JTI-EI05AE07)Reconhecer que o amor é doação, bondade, desprendimento, mas, sobretudo, é decidir fazer o que é melhor para si e para o bem do outro. (JTI-EI05AE08) Compreender que deve-se evitar disputas e divergências no meio em que se vive para que todos tenham mais harmonia em seus relacionamentos.  Amor fraternal:  O que é;  O que significa amor ao próximo;  Formas de demonstrá-lo;  Respeito.  Relações interpessoais.  Convivência familiar e social. COORDENADORIA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL/JARDIM II