SlideShare uma empresa Scribd logo
Espírito Vício Sofrimento e
Arrependimento
Causa e Efeito Resignação Sentimentos Virtudes Observações
Clara Rivier Orgulho e
Vaidade
Espírito arrependido
em final de expiação
Abuso de saúde
e posição > Expia
como uma
criança doente
Sim, porque
compreende a
causa e sabe que
está no final da
expiação
Paz e
Serenidade
Paciência e
Humildade
Ajuda do guia na
provação
Espírito batedor para
provação
O avental roça a toga
Françoise
Vernes
Reparar maus
exemplos e
encarnações
passadas
Não , mas houve
entendimento da
necessidade de
reparação das faltas
Foi mau exemplo
e expiou como
cega e
educadora
Sim,
compreendeu e
aceitou a
necessidade de
reparar os seus
erros
Sente que
houve justiça
na sua pena e
evoluiu muito
com o
sofrimento
Humildade
em
reconhecer
que muito
ainda lhe
falta
Se mostrou evoluída com
muita racionalidade
Charles de
Saint G
Libertinagem Não pediu ajuda e
está numa
encarnação
compulsória
Jovem libertino >
jovem incapaz
fisica e
intelectual-
mente
Sim, porque
compreende a
causa e aceita o
desígnio de Deus
Impotência e
esperança
Paciência e
discernime
nto
O fato de se evocar um
espírito encarnado e de
ele ter consciência plena
quando desperto
Sra. De
Bordeaux
Ganância, orgulho
e vaidade
Não houve pedido
de ajuda pelo
espírito. Houve
arrependimento
após séculos de
expiações
Experimentos
em humanos
com crueldade e
sem
consentimento >
uma encarnação
com múltiplas
enfermidades
desde os 5 anos
de idade
Sim, dado o
arrependimento
e estando ela
numa
encarnação de
regeneração
Coragem Paciência,
humildade
e
resignação
Curioso que uma
encarnação repleta de
enfermidades (desde os 5
anos de idade) seja
considerada “a mais
leve”das encarnações
expiatórias, numa época
com a expectativa de vida
menor (ela viveu até os 70
anos). Quais seriam as
demais provações?
Escassez de voz do
espírito.
Não há uma só lágrima a
desfilar dos olhos que não
seja destinada a lavar
uma falta, um crime
qualquer
Joseph
Maitre
Excessos de toda
ordem, blasfêmia
a Deus, egoismo
Pediu auxílio a Deus,
piedade,
arrependeu-se
Jovem
inconsequente,
abusos de toda
ordem >
cegueira e
surdez
Aceitação por
ter fé em Deus
Alegria e
gratidão
Fé,
resignação
e prática da
caridade
Em uma encarnação
tornou-se cego aos 30
anos, revoltou-se e
blasfemou. Na outra
encarnação tornou-se
cego aos 20 anos e mais
tarde surdo, porém com
resignação e paciência.
Antonio B Egoísmo e
crueldade
Desejo de aplicar a
pena de Talião
Assassinou a
esposa. Quis
passar pela
mesma
experiência
Sim, aceitou Honestidade
e bondade
Paciência e
resignação
Porque escolher a pena
de Talião, se poderia ter
escolhido outra forma
(menos cruel) de
expiação.
Letil Injustiça e
perversi- dade
( juiz e carrasco)
Não consta na
estória
Mandou matar
uma moça (12 a
14 anos)
Sim Resignação
na fé religiosa
(espiritismo)
Sentimento
de justiça
(convicção
de que
Deus é
justo)
O auxílio da fé religiosa no
momento da provação
(inclusive com perspectiva
de esperança). Morreu
orando a Deus (médium).
Adelaide
de
Margue-
rite Gosse
Nenhum Não De rica para
pobre bondosa
Sim Serenidade e
paz
Humildade
e
abnegação
Escolheu ser pobre e
bondosa para retribuir
uma divida de
reconhecimento. Outrora
tinham sido benévolos
com ela, prestando-lhe
serviços.
História de
um criado
Vaidade e orgulho Sim, quis espiar o
orgulho na condição
de servo ao
benfeitor
Orgulhoso e
vaidoso veio
como servo
Sim, desejo
íntimo de resistir
às más
tendências
Abnegação e
humildade
Humildade,
generosi-
dade,
dedicação
Deus julgou suficiente a
prova. Esquecimento do
passado
Max o
mendigo
Orgulho, soberba
e libertinagem
Sim, pelo sofrimento
arrependeu-se
De nobre e
esnobe a
mendigo
humilde
Sim, resignou-se Gratidão e
esperança
Humildade
e paciência
Relacionamento material,
sem preces no
desencarne. Eficácia da
expiação ao invés da pena
eterna
Marcel o
número 4
Fútil e orgulhoso Sim Renegou a Deus
e prejudicou o
próximo. Nasceu
com deficiência
física
Sim Confortado.
Sentimento
de missão
cumprida
Esperança
e coragem
Teve uma reencarnação
com muitas provas até a
velhice e agora estava
vivendo os tumultos como
criança numa
reencarnação em missão
Szymel
Slizgol
Tirania,
despotismo,
violência, avareza,
luxuria, mau uso
do poder, sem
piedade
Após 3 séculos
compreendeu seus
erros e a
necessidade de
redimi-los
Foi rei poderoso
e maldoso e
expia como
mendigo pobre
Sim, se propôs a
expiar os seus
erros
Felicidade e
sentimento
de justiça nas
penas
Humildade,
caridade e
bondade a
todos
Agradecido por ter
cumprido as penas e sabe
que tem muito a expiar
Anna Bitter Filha - não
mencionado
Pai - provação de
fé
Espírito arrependido
e em final de
expiação
Causa –
definhando
lentamente sem
saber porque
Sim, porque
compreende a
causa e sabe que
está no final da
expiação já em
provação
Gratidão e
paz
Paciência e
fé
Ela em final de expiação e
indo bem e o pai em
provação de fé e se
perdendo
Julliene
Marie
Orgulho e falta de
compaixão
Aceitou sem
queixumes a
expiação,
pressentindo uma
vida melhor
Foi orgulhosa e
repelia os
pobres, teve
depois uma
existência
miserável,
enferma e
inválida
Sim,
compreendeu e
aceitou a
necessidade de
reparar suas
faltas
Felicidade e
gratidão
Caridade e
auxílio aos
que sofrem
Evoluiu muito e se tornou
uma conselheira de boas
causas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Livro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.ppt
Livro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.pptLivro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.ppt
Livro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.ppt
Patricia Farias
 
Fonte viva
Fonte vivaFonte viva
5 o natal diferente
5   o natal diferente5   o natal diferente
5 o natal diferente
Fatoze
 
O fardo lançado sobre Deus - livro
O fardo lançado sobre Deus - livroO fardo lançado sobre Deus - livro
O fardo lançado sobre Deus - livro
Silvio Dutra
 
Dicas para cerimônia fúnebre
Dicas para cerimônia fúnebreDicas para cerimônia fúnebre
Dicas para cerimônia fúnebre
prvladimir
 
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
Vanesa Silva
 
ESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
ESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOSESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
ESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
Patricia Farias
 
Perda de Entes Queridos Segundo a Doutrina Espírita
Perda de Entes Queridos Segundo a Doutrina EspíritaPerda de Entes Queridos Segundo a Doutrina Espírita
Perda de Entes Queridos Segundo a Doutrina Espírita
eduhpimentel
 
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
Joao Minelli Neto
 
Retribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bem
Lorena Dias
 
3 Lc Apelo à Solidariedade
3  Lc Apelo à Solidariedade3  Lc Apelo à Solidariedade
3 Lc Apelo à Solidariedade
Leone Orlando
 
O poder de um louvor pronto clube dos autores
O poder de um louvor pronto clube dos autoresO poder de um louvor pronto clube dos autores
O poder de um louvor pronto clube dos autores
simone soares soares
 
161 chico xavier-mariadolores-coraçãoevida
161 chico xavier-mariadolores-coraçãoevida161 chico xavier-mariadolores-coraçãoevida
161 chico xavier-mariadolores-coraçãoevida
Márcio Vieira
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Grupo Espírita Cristão
 
Oportunidades para refazer
Oportunidades para refazerOportunidades para refazer
Oportunidades para refazer
Helio Cruz
 
O cristão e o perdão
O cristão e  o perdãoO cristão e  o perdão
O cristão e o perdão
Paulo Roberto
 
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes DestruidasDecepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
igmateus
 
Boletim 250513
Boletim   250513Boletim   250513
Boletim 250513
Marcio Lira
 
Boletim 180513
Boletim   180513Boletim   180513
Boletim 180513
Marcio Lira
 
Ciência do perdão
Ciência do perdãoCiência do perdão
Ciência do perdão
Projeto Crisálida
 

Mais procurados (20)

Livro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.ppt
Livro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.pptLivro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.ppt
Livro dos Espiritos Q.178 Evangelho cap13 2.ppt
 
Fonte viva
Fonte vivaFonte viva
Fonte viva
 
5 o natal diferente
5   o natal diferente5   o natal diferente
5 o natal diferente
 
O fardo lançado sobre Deus - livro
O fardo lançado sobre Deus - livroO fardo lançado sobre Deus - livro
O fardo lançado sobre Deus - livro
 
Dicas para cerimônia fúnebre
Dicas para cerimônia fúnebreDicas para cerimônia fúnebre
Dicas para cerimônia fúnebre
 
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
48 chico xavier-espíritosdiversos-cartasdocoração
 
ESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
ESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOSESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
ESE CAP. XI - AMAI OS VOSSOS INIMIGOS
 
Perda de Entes Queridos Segundo a Doutrina Espírita
Perda de Entes Queridos Segundo a Doutrina EspíritaPerda de Entes Queridos Segundo a Doutrina Espírita
Perda de Entes Queridos Segundo a Doutrina Espírita
 
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
2015 08-11 - PAE terça - Injúrias e Violências
 
Retribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bemRetribuir o mal com o bem
Retribuir o mal com o bem
 
3 Lc Apelo à Solidariedade
3  Lc Apelo à Solidariedade3  Lc Apelo à Solidariedade
3 Lc Apelo à Solidariedade
 
O poder de um louvor pronto clube dos autores
O poder de um louvor pronto clube dos autoresO poder de um louvor pronto clube dos autores
O poder de um louvor pronto clube dos autores
 
161 chico xavier-mariadolores-coraçãoevida
161 chico xavier-mariadolores-coraçãoevida161 chico xavier-mariadolores-coraçãoevida
161 chico xavier-mariadolores-coraçãoevida
 
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)Os Inimigos Desencarnados(Ese)
Os Inimigos Desencarnados(Ese)
 
Oportunidades para refazer
Oportunidades para refazerOportunidades para refazer
Oportunidades para refazer
 
O cristão e o perdão
O cristão e  o perdãoO cristão e  o perdão
O cristão e o perdão
 
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes DestruidasDecepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
Decepcoes, Ingratidao, Afeicoes Destruidas
 
Boletim 250513
Boletim   250513Boletim   250513
Boletim 250513
 
Boletim 180513
Boletim   180513Boletim   180513
Boletim 180513
 
Ciência do perdão
Ciência do perdãoCiência do perdão
Ciência do perdão
 

Semelhante a Quadro comparativo dos espiritos em expiacao o ceu e o inferno - viii

Recado de amor
Recado de amorRecado de amor
Recado de amor
Helio Cruz
 
A divina visão
A divina visãoA divina visão
A divina visão
Helio Cruz
 
Eu Ja Estive Aqui
Eu Ja Estive AquiEu Ja Estive Aqui
Eu Ja Estive Aqui
Luiza Goes
 
O orgulho e a humildade
O orgulho e a humildadeO orgulho e a humildade
O orgulho e a humildade
Helio Cruz
 
No caminho da redenção
No caminho da redençãoNo caminho da redenção
No caminho da redenção
Helio Cruz
 
Como jejuar senhor
Como jejuar senhorComo jejuar senhor
Como jejuar senhor
Juliennerecepcoes
 
No caminho da redenção
No caminho da redençãoNo caminho da redenção
No caminho da redenção
Helio Cruz
 
O empréstimo
O empréstimoO empréstimo
O empréstimo
Helio Cruz
 
O empréstimo
O empréstimoO empréstimo
O empréstimo
Helio Cruz
 
A divina visão
A divina visãoA divina visão
A divina visão
Helio Cruz
 
O peso da luz
O peso da luzO peso da luz
O peso da luz
Helio Cruz
 
O discípulo de perto
O discípulo de pertoO discípulo de perto
O discípulo de perto
Helio Cruz
 
A razão da dor
A razão da dorA razão da dor
A razão da dor
Helio Cruz
 
O peso da luz
O peso da luzO peso da luz
O peso da luz
Helio Cruz
 
Oportunidades para refazer
Oportunidades para refazerOportunidades para refazer
Oportunidades para refazer
Helio Cruz
 
Eu Ja Estive Aqui
Eu Ja Estive AquiEu Ja Estive Aqui
Eu Ja Estive Aqui
Luiza Goes
 
adoração pelos infermos 3.pdf
adoração pelos infermos 3.pdfadoração pelos infermos 3.pdf
adoração pelos infermos 3.pdf
LucileneMariadaConce
 
Prece - 23 01 2010
Prece - 23 01 2010Prece - 23 01 2010
A parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritualA parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritual
Helio Cruz
 
ORAÇÃO DIÁRIA - DAY PRAY
ORAÇÃO DIÁRIA - DAY PRAYORAÇÃO DIÁRIA - DAY PRAY
ORAÇÃO DIÁRIA - DAY PRAY
GRUPO DE ORAÇÃO ANJO RAFAEL
 

Semelhante a Quadro comparativo dos espiritos em expiacao o ceu e o inferno - viii (20)

Recado de amor
Recado de amorRecado de amor
Recado de amor
 
A divina visão
A divina visãoA divina visão
A divina visão
 
Eu Ja Estive Aqui
Eu Ja Estive AquiEu Ja Estive Aqui
Eu Ja Estive Aqui
 
O orgulho e a humildade
O orgulho e a humildadeO orgulho e a humildade
O orgulho e a humildade
 
No caminho da redenção
No caminho da redençãoNo caminho da redenção
No caminho da redenção
 
Como jejuar senhor
Como jejuar senhorComo jejuar senhor
Como jejuar senhor
 
No caminho da redenção
No caminho da redençãoNo caminho da redenção
No caminho da redenção
 
O empréstimo
O empréstimoO empréstimo
O empréstimo
 
O empréstimo
O empréstimoO empréstimo
O empréstimo
 
A divina visão
A divina visãoA divina visão
A divina visão
 
O peso da luz
O peso da luzO peso da luz
O peso da luz
 
O discípulo de perto
O discípulo de pertoO discípulo de perto
O discípulo de perto
 
A razão da dor
A razão da dorA razão da dor
A razão da dor
 
O peso da luz
O peso da luzO peso da luz
O peso da luz
 
Oportunidades para refazer
Oportunidades para refazerOportunidades para refazer
Oportunidades para refazer
 
Eu Ja Estive Aqui
Eu Ja Estive AquiEu Ja Estive Aqui
Eu Ja Estive Aqui
 
adoração pelos infermos 3.pdf
adoração pelos infermos 3.pdfadoração pelos infermos 3.pdf
adoração pelos infermos 3.pdf
 
Prece - 23 01 2010
Prece - 23 01 2010Prece - 23 01 2010
Prece - 23 01 2010
 
A parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritualA parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritual
 
ORAÇÃO DIÁRIA - DAY PRAY
ORAÇÃO DIÁRIA - DAY PRAYORAÇÃO DIÁRIA - DAY PRAY
ORAÇÃO DIÁRIA - DAY PRAY
 

Mais de Eduardo Manoel Araujo

Queremos realmente evitar 80% das mortes por Covid19?
Queremos realmente evitar 80% das mortes por Covid19?Queremos realmente evitar 80% das mortes por Covid19?
Queremos realmente evitar 80% das mortes por Covid19?
Eduardo Manoel Araujo
 
O que mata hoje no brasil
O que mata hoje no brasilO que mata hoje no brasil
O que mata hoje no brasil
Eduardo Manoel Araujo
 
Pureza
PurezaPureza
Eh possivel ser feliz na terra slideshare
Eh possivel ser feliz na terra    slideshareEh possivel ser feliz na terra    slideshare
Eh possivel ser feliz na terra slideshare
Eduardo Manoel Araujo
 
Ecologia integral enciclica do papa francisco
Ecologia integral   enciclica do papa franciscoEcologia integral   enciclica do papa francisco
Ecologia integral enciclica do papa francisco
Eduardo Manoel Araujo
 
Termo de referencia vivendo com jesus
Termo de referencia   vivendo com jesusTermo de referencia   vivendo com jesus
Termo de referencia vivendo com jesus
Eduardo Manoel Araujo
 
Teses da encíclica Laudato Si do Papa Francisco
Teses da encíclica Laudato Si do Papa FranciscoTeses da encíclica Laudato Si do Papa Francisco
Teses da encíclica Laudato Si do Papa Francisco
Eduardo Manoel Araujo
 
Extrato resumo da enciclica Laudato Si do Papa Francisco
Extrato resumo da enciclica Laudato Si do Papa FranciscoExtrato resumo da enciclica Laudato Si do Papa Francisco
Extrato resumo da enciclica Laudato Si do Papa Francisco
Eduardo Manoel Araujo
 
Conduta evangelica
Conduta evangelicaConduta evangelica
Conduta evangelica
Eduardo Manoel Araujo
 
Esperanca - sementeira de coragem no solo do espirito
Esperanca - sementeira de coragem no solo do espiritoEsperanca - sementeira de coragem no solo do espirito
Esperanca - sementeira de coragem no solo do espirito
Eduardo Manoel Araujo
 
O céu e o inferno - cap VIII - expiacoes terrestres
O céu e o inferno - cap VIII - expiacoes terrestresO céu e o inferno - cap VIII - expiacoes terrestres
O céu e o inferno - cap VIII - expiacoes terrestres
Eduardo Manoel Araujo
 
Dinâmica - capitulo VII de: O céu e o inferno
Dinâmica - capitulo VII  de: O céu e o infernoDinâmica - capitulo VII  de: O céu e o inferno
Dinâmica - capitulo VII de: O céu e o inferno
Eduardo Manoel Araujo
 
O Céu e o Inferno - capítulo VII - Código penal da vida futura 1 a 8
O Céu e o Inferno - capítulo VII - Código penal da vida futura 1 a 8O Céu e o Inferno - capítulo VII - Código penal da vida futura 1 a 8
O Céu e o Inferno - capítulo VII - Código penal da vida futura 1 a 8
Eduardo Manoel Araujo
 
Convite ao valor
Convite ao valorConvite ao valor
Convite ao valor
Eduardo Manoel Araujo
 
A carta magna da paz - Cap II - regiões de reequilíbrio na terra
A carta magna da paz - Cap II - regiões de reequilíbrio na terraA carta magna da paz - Cap II - regiões de reequilíbrio na terra
A carta magna da paz - Cap II - regiões de reequilíbrio na terra
Eduardo Manoel Araujo
 
Vivência com consciência espírita
Vivência com consciência espíritaVivência com consciência espírita
Vivência com consciência espírita
Eduardo Manoel Araujo
 
Bem aventurados os mansos
Bem aventurados os mansosBem aventurados os mansos
Bem aventurados os mansos
Eduardo Manoel Araujo
 
Atitude Espírita
Atitude EspíritaAtitude Espírita
Atitude Espírita
Eduardo Manoel Araujo
 
Nossos filhos
Nossos filhosNossos filhos
Nossos filhos
Eduardo Manoel Araujo
 
Orgulho e humildade
Orgulho e humildadeOrgulho e humildade
Orgulho e humildade
Eduardo Manoel Araujo
 

Mais de Eduardo Manoel Araujo (20)

Queremos realmente evitar 80% das mortes por Covid19?
Queremos realmente evitar 80% das mortes por Covid19?Queremos realmente evitar 80% das mortes por Covid19?
Queremos realmente evitar 80% das mortes por Covid19?
 
O que mata hoje no brasil
O que mata hoje no brasilO que mata hoje no brasil
O que mata hoje no brasil
 
Pureza
PurezaPureza
Pureza
 
Eh possivel ser feliz na terra slideshare
Eh possivel ser feliz na terra    slideshareEh possivel ser feliz na terra    slideshare
Eh possivel ser feliz na terra slideshare
 
Ecologia integral enciclica do papa francisco
Ecologia integral   enciclica do papa franciscoEcologia integral   enciclica do papa francisco
Ecologia integral enciclica do papa francisco
 
Termo de referencia vivendo com jesus
Termo de referencia   vivendo com jesusTermo de referencia   vivendo com jesus
Termo de referencia vivendo com jesus
 
Teses da encíclica Laudato Si do Papa Francisco
Teses da encíclica Laudato Si do Papa FranciscoTeses da encíclica Laudato Si do Papa Francisco
Teses da encíclica Laudato Si do Papa Francisco
 
Extrato resumo da enciclica Laudato Si do Papa Francisco
Extrato resumo da enciclica Laudato Si do Papa FranciscoExtrato resumo da enciclica Laudato Si do Papa Francisco
Extrato resumo da enciclica Laudato Si do Papa Francisco
 
Conduta evangelica
Conduta evangelicaConduta evangelica
Conduta evangelica
 
Esperanca - sementeira de coragem no solo do espirito
Esperanca - sementeira de coragem no solo do espiritoEsperanca - sementeira de coragem no solo do espirito
Esperanca - sementeira de coragem no solo do espirito
 
O céu e o inferno - cap VIII - expiacoes terrestres
O céu e o inferno - cap VIII - expiacoes terrestresO céu e o inferno - cap VIII - expiacoes terrestres
O céu e o inferno - cap VIII - expiacoes terrestres
 
Dinâmica - capitulo VII de: O céu e o inferno
Dinâmica - capitulo VII  de: O céu e o infernoDinâmica - capitulo VII  de: O céu e o inferno
Dinâmica - capitulo VII de: O céu e o inferno
 
O Céu e o Inferno - capítulo VII - Código penal da vida futura 1 a 8
O Céu e o Inferno - capítulo VII - Código penal da vida futura 1 a 8O Céu e o Inferno - capítulo VII - Código penal da vida futura 1 a 8
O Céu e o Inferno - capítulo VII - Código penal da vida futura 1 a 8
 
Convite ao valor
Convite ao valorConvite ao valor
Convite ao valor
 
A carta magna da paz - Cap II - regiões de reequilíbrio na terra
A carta magna da paz - Cap II - regiões de reequilíbrio na terraA carta magna da paz - Cap II - regiões de reequilíbrio na terra
A carta magna da paz - Cap II - regiões de reequilíbrio na terra
 
Vivência com consciência espírita
Vivência com consciência espíritaVivência com consciência espírita
Vivência com consciência espírita
 
Bem aventurados os mansos
Bem aventurados os mansosBem aventurados os mansos
Bem aventurados os mansos
 
Atitude Espírita
Atitude EspíritaAtitude Espírita
Atitude Espírita
 
Nossos filhos
Nossos filhosNossos filhos
Nossos filhos
 
Orgulho e humildade
Orgulho e humildadeOrgulho e humildade
Orgulho e humildade
 

Último

21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 

Último (14)

21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 

Quadro comparativo dos espiritos em expiacao o ceu e o inferno - viii

  • 1. Espírito Vício Sofrimento e Arrependimento Causa e Efeito Resignação Sentimentos Virtudes Observações Clara Rivier Orgulho e Vaidade Espírito arrependido em final de expiação Abuso de saúde e posição > Expia como uma criança doente Sim, porque compreende a causa e sabe que está no final da expiação Paz e Serenidade Paciência e Humildade Ajuda do guia na provação Espírito batedor para provação O avental roça a toga Françoise Vernes Reparar maus exemplos e encarnações passadas Não , mas houve entendimento da necessidade de reparação das faltas Foi mau exemplo e expiou como cega e educadora Sim, compreendeu e aceitou a necessidade de reparar os seus erros Sente que houve justiça na sua pena e evoluiu muito com o sofrimento Humildade em reconhecer que muito ainda lhe falta Se mostrou evoluída com muita racionalidade Charles de Saint G Libertinagem Não pediu ajuda e está numa encarnação compulsória Jovem libertino > jovem incapaz fisica e intelectual- mente Sim, porque compreende a causa e aceita o desígnio de Deus Impotência e esperança Paciência e discernime nto O fato de se evocar um espírito encarnado e de ele ter consciência plena quando desperto Sra. De Bordeaux Ganância, orgulho e vaidade Não houve pedido de ajuda pelo espírito. Houve arrependimento após séculos de expiações Experimentos em humanos com crueldade e sem consentimento > uma encarnação com múltiplas enfermidades desde os 5 anos de idade Sim, dado o arrependimento e estando ela numa encarnação de regeneração Coragem Paciência, humildade e resignação Curioso que uma encarnação repleta de enfermidades (desde os 5 anos de idade) seja considerada “a mais leve”das encarnações expiatórias, numa época com a expectativa de vida menor (ela viveu até os 70 anos). Quais seriam as demais provações? Escassez de voz do espírito. Não há uma só lágrima a desfilar dos olhos que não seja destinada a lavar uma falta, um crime qualquer Joseph Maitre Excessos de toda ordem, blasfêmia a Deus, egoismo Pediu auxílio a Deus, piedade, arrependeu-se Jovem inconsequente, abusos de toda ordem > cegueira e surdez Aceitação por ter fé em Deus Alegria e gratidão Fé, resignação e prática da caridade Em uma encarnação tornou-se cego aos 30 anos, revoltou-se e blasfemou. Na outra encarnação tornou-se cego aos 20 anos e mais tarde surdo, porém com resignação e paciência. Antonio B Egoísmo e crueldade Desejo de aplicar a pena de Talião Assassinou a esposa. Quis passar pela mesma experiência Sim, aceitou Honestidade e bondade Paciência e resignação Porque escolher a pena de Talião, se poderia ter escolhido outra forma (menos cruel) de expiação. Letil Injustiça e perversi- dade ( juiz e carrasco) Não consta na estória Mandou matar uma moça (12 a 14 anos) Sim Resignação na fé religiosa (espiritismo) Sentimento de justiça (convicção de que Deus é justo) O auxílio da fé religiosa no momento da provação (inclusive com perspectiva de esperança). Morreu orando a Deus (médium). Adelaide de Margue- rite Gosse Nenhum Não De rica para pobre bondosa Sim Serenidade e paz Humildade e abnegação Escolheu ser pobre e bondosa para retribuir uma divida de reconhecimento. Outrora tinham sido benévolos com ela, prestando-lhe serviços. História de um criado Vaidade e orgulho Sim, quis espiar o orgulho na condição de servo ao benfeitor Orgulhoso e vaidoso veio como servo Sim, desejo íntimo de resistir às más tendências Abnegação e humildade Humildade, generosi- dade, dedicação Deus julgou suficiente a prova. Esquecimento do passado Max o mendigo Orgulho, soberba e libertinagem Sim, pelo sofrimento arrependeu-se De nobre e esnobe a mendigo humilde Sim, resignou-se Gratidão e esperança Humildade e paciência Relacionamento material, sem preces no desencarne. Eficácia da expiação ao invés da pena eterna Marcel o número 4 Fútil e orgulhoso Sim Renegou a Deus e prejudicou o próximo. Nasceu com deficiência física Sim Confortado. Sentimento de missão cumprida Esperança e coragem Teve uma reencarnação com muitas provas até a velhice e agora estava vivendo os tumultos como criança numa reencarnação em missão
  • 2. Szymel Slizgol Tirania, despotismo, violência, avareza, luxuria, mau uso do poder, sem piedade Após 3 séculos compreendeu seus erros e a necessidade de redimi-los Foi rei poderoso e maldoso e expia como mendigo pobre Sim, se propôs a expiar os seus erros Felicidade e sentimento de justiça nas penas Humildade, caridade e bondade a todos Agradecido por ter cumprido as penas e sabe que tem muito a expiar Anna Bitter Filha - não mencionado Pai - provação de fé Espírito arrependido e em final de expiação Causa – definhando lentamente sem saber porque Sim, porque compreende a causa e sabe que está no final da expiação já em provação Gratidão e paz Paciência e fé Ela em final de expiação e indo bem e o pai em provação de fé e se perdendo Julliene Marie Orgulho e falta de compaixão Aceitou sem queixumes a expiação, pressentindo uma vida melhor Foi orgulhosa e repelia os pobres, teve depois uma existência miserável, enferma e inválida Sim, compreendeu e aceitou a necessidade de reparar suas faltas Felicidade e gratidão Caridade e auxílio aos que sofrem Evoluiu muito e se tornou uma conselheira de boas causas