SlideShare uma empresa Scribd logo
ERRO MÉDICOERRO MÉDICO
Prof. Dr. ALCINDO CERCI NETOProf. Dr. ALCINDO CERCI NETO
Universidade Estadual de LondrinaUniversidade Estadual de Londrina
CRM - PRCRM - PR
OBJETIVOSOBJETIVOS
►Diferenciar mau resultado de erro médicoDiferenciar mau resultado de erro médico
►Estudar as modalidades culposasEstudar as modalidades culposas
►Exemplificar erros frequentesExemplificar erros frequentes
O médico é umO médico é um
cidadão que faz partecidadão que faz parte
da sociedadeda sociedade
RESPONSABILIDADE MÉDICARESPONSABILIDADE MÉDICA
►Responsabilidade PenalResponsabilidade Penal
►Responsabilidade CivilResponsabilidade Civil
►Responsabilidade AdministrativaResponsabilidade Administrativa
►Responsabilidade ÉticaResponsabilidade Ética
MAU RESULTADOMAU RESULTADO
►Resultado inesperado observando-se a práticaResultado inesperado observando-se a prática
recomendado e as cautelas exigidasrecomendado e as cautelas exigidas
►Resultado que não condiz com a expectativa doResultado que não condiz com a expectativa do
pacientepaciente
►Falha inerente à técnica ou a terapêuticaFalha inerente à técnica ou a terapêutica
►Teoria do risco – necessidade de informaçãoTeoria do risco – necessidade de informação
►Insucesso – resposta orgânicaInsucesso – resposta orgânica
►Sem falha no exercícioSem falha no exercício
ERRO MÉDICOERRO MÉDICO
►Falha no exercício da profissão do que advém umFalha no exercício da profissão do que advém um
mau resultado ou um resultado adverso,mau resultado ou um resultado adverso,
efetivando-se através da ação ou omissão doefetivando-se através da ação ou omissão do
profissionalprofissional
►Poderia ser evitadoPoderia ser evitado
►Ocorreu por modalidade de culpa comprovada rOcorreu por modalidade de culpa comprovada r
com nexo causalcom nexo causal
MOTIVOS DE
DENÚNCIAS
CONTRA MÉDICO
ERRO MÉDICOERRO MÉDICO
►Erro de diagnósticoErro de diagnóstico
 Demora no diagnósticoDemora no diagnóstico
 Falha no processo diagnósticoFalha no processo diagnóstico
 Utilização de testes ou terapias em desusoUtilização de testes ou terapias em desuso
 Falha de ação em resutados ou monitorizaçãoFalha de ação em resutados ou monitorização
Leape Lucian et al. Preventing Medicl Injury. Qual. Ver. Bull: 19(5); 144-149, 1993.
ERRO MÉDICOERRO MÉDICO
►Erro de TratamentoErro de Tratamento
 Falha técnica (performance) – procedimento, cirurgiaFalha técnica (performance) – procedimento, cirurgia
 Falha na administração do tratamentoFalha na administração do tratamento
 Falha de dose ou método (medicamentos)Falha de dose ou método (medicamentos)
 Atraso evitável no tratamento ou em resposta a umAtraso evitável no tratamento ou em resposta a um
teste positivoteste positivo
 Tratamento não indicadoTratamento não indicado
Leape Lucian et al. Preventing Medicl Injury. Qual. Ver. Bull: 19(5); 144-149, 1993.
ERRO MÉDICOERRO MÉDICO
►Erro de prevençãoErro de prevenção
 Falha em prover profilaxiaFalha em prover profilaxia
 Follow-Up inadequadoFollow-Up inadequado
►OutrasOutras
 ComunicaçãoComunicação
 Falhas de equipeFalhas de equipe
 Super-indicaçãoSuper-indicação
Leape Lucian et al. Preventing Medicl Injury. Qual. Ver. Bull: 19(5); 144-149, 1993.
ERRO MÉDICOERRO MÉDICO
►Aceitável o erro diagnóstico etiológico e nãoAceitável o erro diagnóstico etiológico e não
sindrômico (diagnóstico inicial sempre deve sersindrômico (diagnóstico inicial sempre deve ser
genérico)genérico)
►Aceitável erro em diagnósticos difíceisAceitável erro em diagnósticos difíceis
►Inaceitável conduta não condizente com oInaceitável conduta não condizente com o
diagnósticodiagnóstico
►Inaceitável o erro grosseiroInaceitável o erro grosseiro
►Inaceitável insistência na conduta que não geraInaceitável insistência na conduta que não gera
benefícios e em diagnósticos incorretosbenefícios e em diagnósticos incorretos
ERRO MÉDICOERRO MÉDICO
►Erro escusávelErro escusável
 Condutas realizadas por falhas ou omissões doCondutas realizadas por falhas ou omissões do
paciente (mas que devem ser perguntadas)paciente (mas que devem ser perguntadas)
 Limitações físicas, falta de equipamentos, nãoLimitações físicas, falta de equipamentos, não
realização de exames modernosrealização de exames modernos
• Tipo de culpa por omissão
• Omissão daquilo que razoavelmente se faz,
ajustadas às condições emergentes.
• Ato omissivo, descaso, inércia.
• Omissão ou retardo na transferência ao
especialista, quando possível realizá-la.
• Falta de cuidados com a assepsia ou com
escolha do material cirúrgico adequado
NEGLIGÊNCIANEGLIGÊNCIA
• Retardo na intervenção cirúrgica, com
consequências graves para o doente.
• Prescrição medicamentosa indevida ou com
superdosagem.
• Negligência nos cuidados pré e pós-operatórios.
• Omissão das instruções necessárias ao paciente.
NEGLIGÊNCIANEGLIGÊNCIA
• Tipo de culpa por ação
• Falta de habilidade para praticar determinados
atos que exigem certo conhecimento: “É a
ignorância, incompetência, desconhecimento,
inabilidade, inexperiência na arte da profisssão
• Falta de habilitação efetiva, falta de conhecimento
técnico necessário e suficiente para a realização
do ato médicos
• “incapacidade técnica” – médico já é habilitado
• Secção dos ureteres, nas cesarianas.
IMPERÍCIAIMPERÍCIA
• Formação de fistulas vésico-vaginais em
decorrência de trabalho de parto mal conduzido.
• Formação de fistulas retais, na cirurgia perineal.
• Insuficiência tireoideana devido ao uso de
hormônios, nas terapias para emagrecimento.
IMPERÍCIAIMPERÍCIA
• Culpa por ação, faz o que não devia por
impulsividade, má avaliação dos riscos, pressa
ou leviandade
• Precipitação, falta de previsão, em contradição
com as normas do procedimento sensato
• Afoiteza no agir, o desprezo das cautelas qu7e
cada qual deve tomar com seus atos
• Clínico que se propõe que realiza procedimento
sem preparo
• Exame realizado sem o preparo adequado
IMPRUDÊNCIAIMPRUDÊNCIA
• Cirurgiões que utilizam técnicas experimentais
e não convencionais em procedimento
cirúrgico.
• Cirurgião que opera o paciente sem solicitar risco
cirúrgico prévio ou sem examiná-lo antes do ato
cirúrgico.
• Médico que receita produto farmacêutico ou avalia
um paciente por telefone.
• Anestesista que não verifica o funcionamento
dos aparelhos anteriormente ao ato.
IMPRUDÊNCIAIMPRUDÊNCIA
Caso 1Caso 1
Menor de idade internou-se para cirurgia
de pequena complexidade com anestesia
local. Passadas tres horas informou-se aos
pais que por agitacao o menos foi
submetido a anestesia gera (sem
autorizacao ou consentimento daqueles).
Sofreu PCR sendo conduzido à UTI em
estado crítico
ESPONSABILIDADE MÉDICA
O anestesista responde pelo dano ao paciente por não ter
obtido consentimento para a anestesia geral (imprudência),
não realizou exames pré anestésicos (negligencia)
Caso 2Caso 2
Paciente submetida a cirurgia para
reducao de mamas. Tinha queixas de
desconforto pelo tamanho das mamas e
tambem problemas estéticos. Os seios
ficaram com tamanhos diferentes com
cicatrizes retraidas e umbilicamento do
mamilo
ESPONSABILIDADE MÉDICA
Culpa comprovada: imperícia
Caso 3Caso 3
Hematoma em nádega e provável lesão do
nervo femural (EMG) após aplicação de
injeção intramuscular; hipostesia do
território de L3 e L4 à direita, amiotrofia da
coxa, claudicação da marcha.
ESPONSABILIDADE MÉDICA
Culpa comprovada: imperícia
Caso 4Caso 4
Paraplegia espástica pós-fractura de C7
com incontinência de esfíncteres por
acidente de viação; à entrada no SU não
apresentava sinais ou sintomatologia
neurológica.
ESPONSABILIDADE MÉDICA
Culpa comprovada: negligência, não observação de
imobilização adequada
Caso 5Caso 5
A médica de família negou-se a observar a
doente, que apresentava metrorragias
prolongadas, remetendo-a para a
enfermeira do Posto de Saúde que lhe
havia colocado um DIU; quando a situação
se agravou (anemia e complicações intra-
abdominais), recorreu ao hospital, tendo-
lhe sido diagnosticada perfuração uterina
por DIU.
ESPONSABILIDADE MÉDICA
Culpa comprovada: negligência, não observação de
imobilização adequada
Caso 6Caso 6
Atraso de cicatrização e outras
complicações por “esquecimento” de gaze
após mastectomia por neoplasia maligna.
ESPONSABILIDADE MÉDICA
Culpa comprovada: negligência
Caso 7Caso 7
Diagnóstico tardio de peritonite, choque
séptico e ileo-paralítico, 26 dias após
apendicectomia (o quadro foi interpretado
como uma situação de diabetes); a vítima
(9 anos) ficou bem.
ESPONSABILIDADE MÉDICA
Culpa comprovada: imprudência, negligência

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slide sobre Prontuario Médico do Paciente
Slide sobre Prontuario Médico do Paciente Slide sobre Prontuario Médico do Paciente
Slide sobre Prontuario Médico do Paciente
monalisanogueira
 
Segurança no Trabalho em Serviços de Saúde
Segurança no Trabalho em Serviços de SaúdeSegurança no Trabalho em Serviços de Saúde
Segurança no Trabalho em Serviços de Saúde
José Carlos Nascimento
 
As tecnologias de Informação e Comunicação na Saúde
As tecnologias de Informação e Comunicação na SaúdeAs tecnologias de Informação e Comunicação na Saúde
As tecnologias de Informação e Comunicação na Saúde
missmiracema
 
Terminologias em Saúde: ensino e aprendizagem
Terminologias em Saúde: ensino e aprendizagemTerminologias em Saúde: ensino e aprendizagem
Terminologias em Saúde: ensino e aprendizagem
http://bvsalud.org/
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
enfanhanguera
 
transplante de orgãos
transplante de orgãostransplante de orgãos
transplante de orgãos
Roseclaudia
 
Atribuicoes Da Equipe De Enfermagem
Atribuicoes Da Equipe De EnfermagemAtribuicoes Da Equipe De Enfermagem
Atribuicoes Da Equipe De Enfermagem
universidade estadual de roraima
 
Aborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legaisAborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legais
Maria Stella
 
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEMBIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
Centro Universitário Ages
 
321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf
321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf
321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf
CarolinaMelo636868
 
A importância da informática na enfermagem
A importância da informática na enfermagemA importância da informática na enfermagem
A importância da informática na enfermagem
grazy luz
 
O fim da vida: a eutanásia, a morte e o morrer
O fim da vida: a eutanásia, a morte e o morrerO fim da vida: a eutanásia, a morte e o morrer
O fim da vida: a eutanásia, a morte e o morrer
Centro Universitário Ages
 
administração hospitalar
administração hospitalaradministração hospitalar
administração hospitalar
biblisaocamilo
 
Clínica Médica l
Clínica Médica lClínica Médica l
Clínica Médica l
Paulo Alambert
 
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdfAULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
CASA
 
Enfermagem em Urgência Emergência
Enfermagem em Urgência EmergênciaEnfermagem em Urgência Emergência
Enfermagem em Urgência Emergência
Wellington Moreira Ribeiro
 
Processo de Enfermagem
Processo de Enfermagem Processo de Enfermagem
Processo de Enfermagem
Centro Universitário Ages
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Centro Universitário Ages
 
BIOÉTICA EM URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS
BIOÉTICA EM URGÊNCIAS E EMERGÊNCIASBIOÉTICA EM URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS
BIOÉTICA EM URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS
José Carlos Nascimento
 
O que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMS
O que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMSO que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMS
O que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMS
Proqualis
 

Mais procurados (20)

Slide sobre Prontuario Médico do Paciente
Slide sobre Prontuario Médico do Paciente Slide sobre Prontuario Médico do Paciente
Slide sobre Prontuario Médico do Paciente
 
Segurança no Trabalho em Serviços de Saúde
Segurança no Trabalho em Serviços de SaúdeSegurança no Trabalho em Serviços de Saúde
Segurança no Trabalho em Serviços de Saúde
 
As tecnologias de Informação e Comunicação na Saúde
As tecnologias de Informação e Comunicação na SaúdeAs tecnologias de Informação e Comunicação na Saúde
As tecnologias de Informação e Comunicação na Saúde
 
Terminologias em Saúde: ensino e aprendizagem
Terminologias em Saúde: ensino e aprendizagemTerminologias em Saúde: ensino e aprendizagem
Terminologias em Saúde: ensino e aprendizagem
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
 
transplante de orgãos
transplante de orgãostransplante de orgãos
transplante de orgãos
 
Atribuicoes Da Equipe De Enfermagem
Atribuicoes Da Equipe De EnfermagemAtribuicoes Da Equipe De Enfermagem
Atribuicoes Da Equipe De Enfermagem
 
Aborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legaisAborto: questões éticas e legais
Aborto: questões éticas e legais
 
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEMBIOÉTICA EM ENFERMAGEM
BIOÉTICA EM ENFERMAGEM
 
321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf
321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf
321961_HISTORIA_DA_ENFERMAGEM_convertido.pdf
 
A importância da informática na enfermagem
A importância da informática na enfermagemA importância da informática na enfermagem
A importância da informática na enfermagem
 
O fim da vida: a eutanásia, a morte e o morrer
O fim da vida: a eutanásia, a morte e o morrerO fim da vida: a eutanásia, a morte e o morrer
O fim da vida: a eutanásia, a morte e o morrer
 
administração hospitalar
administração hospitalaradministração hospitalar
administração hospitalar
 
Clínica Médica l
Clínica Médica lClínica Médica l
Clínica Médica l
 
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdfAULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
AULA 1 - HISTÓRIA DA ENFERMAGEM.pdf
 
Enfermagem em Urgência Emergência
Enfermagem em Urgência EmergênciaEnfermagem em Urgência Emergência
Enfermagem em Urgência Emergência
 
Processo de Enfermagem
Processo de Enfermagem Processo de Enfermagem
Processo de Enfermagem
 
Código de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagemCódigo de ética dos profissionais de enfermagem
Código de ética dos profissionais de enfermagem
 
BIOÉTICA EM URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS
BIOÉTICA EM URGÊNCIAS E EMERGÊNCIASBIOÉTICA EM URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS
BIOÉTICA EM URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS
 
O que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMS
O que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMSO que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMS
O que é segurança do paciente? - Tópico 1_Guia Curricular da OMS
 

Destaque

PUCPR aspecLeg - Aula 12 pericia médica i - conceitos básicos
PUCPR aspecLeg - Aula 12   pericia médica i - conceitos básicosPUCPR aspecLeg - Aula 12   pericia médica i - conceitos básicos
PUCPR aspecLeg - Aula 12 pericia médica i - conceitos básicos
alcindoneto
 
Pucpr aspecLeg -Aula 10 direitos sobre o corpo
Pucpr aspecLeg -Aula 10   direitos sobre o corpoPucpr aspecLeg -Aula 10   direitos sobre o corpo
Pucpr aspecLeg -Aula 10 direitos sobre o corpo
alcindoneto
 
PUCPR-Londrina- Aspectos Legais - aula 01
PUCPR-Londrina- Aspectos Legais - aula 01PUCPR-Londrina- Aspectos Legais - aula 01
PUCPR-Londrina- Aspectos Legais - aula 01
alcindoneto
 
Aula- Documentos médico legais
Aula- Documentos médico legaisAula- Documentos médico legais
Aula- Documentos médico legais
alcindoneto
 
PUCPR Aspectos Legais - Aula 7 diceologia médica
PUCPR Aspectos Legais - Aula 7    diceologia médicaPUCPR Aspectos Legais - Aula 7    diceologia médica
PUCPR Aspectos Legais - Aula 7 diceologia médica
alcindoneto
 
PUCPR Aspectos Legais - Aula 6 exercicio legal e ilegal da medicina
PUCPR Aspectos Legais - Aula 6   exercicio legal e ilegal da medicinaPUCPR Aspectos Legais - Aula 6   exercicio legal e ilegal da medicina
PUCPR Aspectos Legais - Aula 6 exercicio legal e ilegal da medicina
alcindoneto
 
PUCPR Aspectos Legais - Aula 4 omissao de socorro
PUCPR Aspectos Legais - Aula 4   omissao de socorroPUCPR Aspectos Legais - Aula 4   omissao de socorro
PUCPR Aspectos Legais - Aula 4 omissao de socorro
alcindoneto
 
Aula 5 responsabilidade ética e processo ético
Aula 5   responsabilidade ética e processo éticoAula 5   responsabilidade ética e processo ético
Aula 5 responsabilidade ética e processo ético
alcindoneto
 
PUCPR Aspectos Legais - Aula 2 responsabilidade civil do médico
PUCPR Aspectos Legais - Aula 2   responsabilidade civil do médicoPUCPR Aspectos Legais - Aula 2   responsabilidade civil do médico
PUCPR Aspectos Legais - Aula 2 responsabilidade civil do médico
alcindoneto
 
Pucpr aspecLeg - Aula 12 pericia médica i - conceitos básicos
Pucpr aspecLeg - Aula 12   pericia médica i - conceitos básicosPucpr aspecLeg - Aula 12   pericia médica i - conceitos básicos
Pucpr aspecLeg - Aula 12 pericia médica i - conceitos básicos
alcindoneto
 
PUCPR aspecLeg - Aula 13 pericia médica ii - avaliação do dano corporal
PUCPR aspecLeg - Aula 13   pericia médica ii - avaliação do dano corporalPUCPR aspecLeg - Aula 13   pericia médica ii - avaliação do dano corporal
PUCPR aspecLeg - Aula 13 pericia médica ii - avaliação do dano corporal
alcindoneto
 
Aspectos legais - Aula 3 responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
Aspectos legais - Aula 3  responsabilidade penal - doutrina e crimes comunsAspectos legais - Aula 3  responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
Aspectos legais - Aula 3 responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
alcindoneto
 

Destaque (12)

PUCPR aspecLeg - Aula 12 pericia médica i - conceitos básicos
PUCPR aspecLeg - Aula 12   pericia médica i - conceitos básicosPUCPR aspecLeg - Aula 12   pericia médica i - conceitos básicos
PUCPR aspecLeg - Aula 12 pericia médica i - conceitos básicos
 
Pucpr aspecLeg -Aula 10 direitos sobre o corpo
Pucpr aspecLeg -Aula 10   direitos sobre o corpoPucpr aspecLeg -Aula 10   direitos sobre o corpo
Pucpr aspecLeg -Aula 10 direitos sobre o corpo
 
PUCPR-Londrina- Aspectos Legais - aula 01
PUCPR-Londrina- Aspectos Legais - aula 01PUCPR-Londrina- Aspectos Legais - aula 01
PUCPR-Londrina- Aspectos Legais - aula 01
 
Aula- Documentos médico legais
Aula- Documentos médico legaisAula- Documentos médico legais
Aula- Documentos médico legais
 
PUCPR Aspectos Legais - Aula 7 diceologia médica
PUCPR Aspectos Legais - Aula 7    diceologia médicaPUCPR Aspectos Legais - Aula 7    diceologia médica
PUCPR Aspectos Legais - Aula 7 diceologia médica
 
PUCPR Aspectos Legais - Aula 6 exercicio legal e ilegal da medicina
PUCPR Aspectos Legais - Aula 6   exercicio legal e ilegal da medicinaPUCPR Aspectos Legais - Aula 6   exercicio legal e ilegal da medicina
PUCPR Aspectos Legais - Aula 6 exercicio legal e ilegal da medicina
 
PUCPR Aspectos Legais - Aula 4 omissao de socorro
PUCPR Aspectos Legais - Aula 4   omissao de socorroPUCPR Aspectos Legais - Aula 4   omissao de socorro
PUCPR Aspectos Legais - Aula 4 omissao de socorro
 
Aula 5 responsabilidade ética e processo ético
Aula 5   responsabilidade ética e processo éticoAula 5   responsabilidade ética e processo ético
Aula 5 responsabilidade ética e processo ético
 
PUCPR Aspectos Legais - Aula 2 responsabilidade civil do médico
PUCPR Aspectos Legais - Aula 2   responsabilidade civil do médicoPUCPR Aspectos Legais - Aula 2   responsabilidade civil do médico
PUCPR Aspectos Legais - Aula 2 responsabilidade civil do médico
 
Pucpr aspecLeg - Aula 12 pericia médica i - conceitos básicos
Pucpr aspecLeg - Aula 12   pericia médica i - conceitos básicosPucpr aspecLeg - Aula 12   pericia médica i - conceitos básicos
Pucpr aspecLeg - Aula 12 pericia médica i - conceitos básicos
 
PUCPR aspecLeg - Aula 13 pericia médica ii - avaliação do dano corporal
PUCPR aspecLeg - Aula 13   pericia médica ii - avaliação do dano corporalPUCPR aspecLeg - Aula 13   pericia médica ii - avaliação do dano corporal
PUCPR aspecLeg - Aula 13 pericia médica ii - avaliação do dano corporal
 
Aspectos legais - Aula 3 responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
Aspectos legais - Aula 3  responsabilidade penal - doutrina e crimes comunsAspectos legais - Aula 3  responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
Aspectos legais - Aula 3 responsabilidade penal - doutrina e crimes comuns
 

Semelhante a Pucpr aspecLeg -Aula 11 erro médico

PRM caso clinico.pdf
PRM caso clinico.pdfPRM caso clinico.pdf
PRM caso clinico.pdf
Naidilene Aguilar
 
Medir o dano
Medir o danoMedir o dano
Medir o dano
Proqualis
 
Silvia Helena de Bortoli Cassiani
Silvia Helena de Bortoli CassianiSilvia Helena de Bortoli Cassiani
Silvia Helena de Bortoli Cassiani
Sobragen-VIIIEnenge
 
segurança do paciente
segurança do paciente segurança do paciente
segurança do paciente
matheuspacheco43
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
HIAGO SANTOS
 
Prevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Prevenção Quaternária - SobrediagnósticoPrevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Prevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Centro de Desenvolvimento, Ensino e Pesquisa em Saúde - CEDEPS
 
Aula sobre segurança do paciente em pediatria
Aula sobre segurança do paciente em pediatriaAula sobre segurança do paciente em pediatria
Aula sobre segurança do paciente em pediatria
Proqualis
 
Epidemiologia -Prevenção quaternária
Epidemiologia -Prevenção quaternáriaEpidemiologia -Prevenção quaternária
Epidemiologia -Prevenção quaternária
Vinicius Moreira
 
Aprofundar o conhecimento em Segurança do Paciente/Doente
Aprofundar o conhecimento em Segurança do Paciente/DoenteAprofundar o conhecimento em Segurança do Paciente/Doente
Aprofundar o conhecimento em Segurança do Paciente/Doente
Proqualis
 
Promovendo a Segurança do Cuidado ao Recém-nascido de Risco
Promovendo a Segurança do Cuidado ao Recém-nascido de RiscoPromovendo a Segurança do Cuidado ao Recém-nascido de Risco
Promovendo a Segurança do Cuidado ao Recém-nascido de Risco
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Gilberto de Jesus
 
Uerj res enferm discursiva gabarito
Uerj res enferm discursiva gabaritoUerj res enferm discursiva gabarito
Uerj res enferm discursiva gabarito
tatysants
 
QUADRIX_001_IAMSPE-RM-2022_Prova_Pratica_ACESSO DIRETO E AREAS BASICAS.pdf
QUADRIX_001_IAMSPE-RM-2022_Prova_Pratica_ACESSO DIRETO E AREAS BASICAS.pdfQUADRIX_001_IAMSPE-RM-2022_Prova_Pratica_ACESSO DIRETO E AREAS BASICAS.pdf
QUADRIX_001_IAMSPE-RM-2022_Prova_Pratica_ACESSO DIRETO E AREAS BASICAS.pdf
lohanaVidaurres
 
PME Lecture 1: Portuguese
PME Lecture 1: Portuguese PME Lecture 1: Portuguese
PME Lecture 1: Portuguese
University of Miami
 
boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...
boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...
boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...
LuanMiguelCosta
 
Segurança do Paciente/Doente, o que é?
Segurança do Paciente/Doente, o que é?Segurança do Paciente/Doente, o que é?
Segurança do Paciente/Doente, o que é?
Proqualis
 
Cirurgiasegura
CirurgiaseguraCirurgiasegura
Cirurgiasegura
Mara Soares
 
Farmacovigilância básica
Farmacovigilância básicaFarmacovigilância básica
Farmacovigilância básica
Carlos Collares
 
Aula 1: Erros diagnósticos no contexto da Covid-19 - Wilson Shcolnik
Aula 1: Erros diagnósticos no contexto da Covid-19 - Wilson ShcolnikAula 1: Erros diagnósticos no contexto da Covid-19 - Wilson Shcolnik
Aula 1: Erros diagnósticos no contexto da Covid-19 - Wilson Shcolnik
Proqualis
 
Compreender as causas
Compreender as causasCompreender as causas
Compreender as causas
Proqualis
 

Semelhante a Pucpr aspecLeg -Aula 11 erro médico (20)

PRM caso clinico.pdf
PRM caso clinico.pdfPRM caso clinico.pdf
PRM caso clinico.pdf
 
Medir o dano
Medir o danoMedir o dano
Medir o dano
 
Silvia Helena de Bortoli Cassiani
Silvia Helena de Bortoli CassianiSilvia Helena de Bortoli Cassiani
Silvia Helena de Bortoli Cassiani
 
segurança do paciente
segurança do paciente segurança do paciente
segurança do paciente
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
 
Prevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Prevenção Quaternária - SobrediagnósticoPrevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
Prevenção Quaternária - Sobrediagnóstico
 
Aula sobre segurança do paciente em pediatria
Aula sobre segurança do paciente em pediatriaAula sobre segurança do paciente em pediatria
Aula sobre segurança do paciente em pediatria
 
Epidemiologia -Prevenção quaternária
Epidemiologia -Prevenção quaternáriaEpidemiologia -Prevenção quaternária
Epidemiologia -Prevenção quaternária
 
Aprofundar o conhecimento em Segurança do Paciente/Doente
Aprofundar o conhecimento em Segurança do Paciente/DoenteAprofundar o conhecimento em Segurança do Paciente/Doente
Aprofundar o conhecimento em Segurança do Paciente/Doente
 
Promovendo a Segurança do Cuidado ao Recém-nascido de Risco
Promovendo a Segurança do Cuidado ao Recém-nascido de RiscoPromovendo a Segurança do Cuidado ao Recém-nascido de Risco
Promovendo a Segurança do Cuidado ao Recém-nascido de Risco
 
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
Erros de medicação Prof° Gilberto de Jesus
 
Uerj res enferm discursiva gabarito
Uerj res enferm discursiva gabaritoUerj res enferm discursiva gabarito
Uerj res enferm discursiva gabarito
 
QUADRIX_001_IAMSPE-RM-2022_Prova_Pratica_ACESSO DIRETO E AREAS BASICAS.pdf
QUADRIX_001_IAMSPE-RM-2022_Prova_Pratica_ACESSO DIRETO E AREAS BASICAS.pdfQUADRIX_001_IAMSPE-RM-2022_Prova_Pratica_ACESSO DIRETO E AREAS BASICAS.pdf
QUADRIX_001_IAMSPE-RM-2022_Prova_Pratica_ACESSO DIRETO E AREAS BASICAS.pdf
 
PME Lecture 1: Portuguese
PME Lecture 1: Portuguese PME Lecture 1: Portuguese
PME Lecture 1: Portuguese
 
boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...
boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...
boas-praticas-recomendadas-para-o-cuidado-seguro-na-administracao-de-medicame...
 
Segurança do Paciente/Doente, o que é?
Segurança do Paciente/Doente, o que é?Segurança do Paciente/Doente, o que é?
Segurança do Paciente/Doente, o que é?
 
Cirurgiasegura
CirurgiaseguraCirurgiasegura
Cirurgiasegura
 
Farmacovigilância básica
Farmacovigilância básicaFarmacovigilância básica
Farmacovigilância básica
 
Aula 1: Erros diagnósticos no contexto da Covid-19 - Wilson Shcolnik
Aula 1: Erros diagnósticos no contexto da Covid-19 - Wilson ShcolnikAula 1: Erros diagnósticos no contexto da Covid-19 - Wilson Shcolnik
Aula 1: Erros diagnósticos no contexto da Covid-19 - Wilson Shcolnik
 
Compreender as causas
Compreender as causasCompreender as causas
Compreender as causas
 

Mais de alcindoneto

PUCLON - Aula 01 exame fisico em pneumologia v2
PUCLON - Aula 01   exame fisico em pneumologia v2PUCLON - Aula 01   exame fisico em pneumologia v2
PUCLON - Aula 01 exame fisico em pneumologia v2
alcindoneto
 
PUCLON -Aula 02 semiologia da i resp-ag v2
PUCLON -Aula 02  semiologia da  i resp-ag v2PUCLON -Aula 02  semiologia da  i resp-ag v2
PUCLON -Aula 02 semiologia da i resp-ag v2
alcindoneto
 
Curso MEDICINA PUCLON - Aula 03 semiologia da dor toracica v2
Curso MEDICINA PUCLON - Aula 03   semiologia da dor toracica v2Curso MEDICINA PUCLON - Aula 03   semiologia da dor toracica v2
Curso MEDICINA PUCLON - Aula 03 semiologia da dor toracica v2
alcindoneto
 
Pneumo PUCPRLON - Aula 14 micose pulmonar v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 14  micose pulmonar v2Pneumo PUCPRLON - Aula 14  micose pulmonar v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 14 micose pulmonar v2
alcindoneto
 
Pneumo PUCPRLON - Aula 13 tromboembolismo pulmonar v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 13   tromboembolismo pulmonar v2Pneumo PUCPRLON - Aula 13   tromboembolismo pulmonar v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 13 tromboembolismo pulmonar v2
alcindoneto
 
Pneumo PUCPRLON - Aula 12 derrame pleural v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 12   derrame pleural v2Pneumo PUCPRLON - Aula 12   derrame pleural v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 12 derrame pleural v2
alcindoneto
 
Pneumo PUCPRLON - Aula 09 cancer de pulmao v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 09 cancer de pulmao v2Pneumo PUCPRLON - Aula 09 cancer de pulmao v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 09 cancer de pulmao v2
alcindoneto
 
PUCPR Aula 11 pneumopatias intersticiais v1
PUCPR Aula 11   pneumopatias intersticiais v1PUCPR Aula 11   pneumopatias intersticiais v1
PUCPR Aula 11 pneumopatias intersticiais v1
alcindoneto
 
Aula 10 doenças obstrutivas dpoc
Aula 10    doenças obstrutivas dpocAula 10    doenças obstrutivas dpoc
Aula 10 doenças obstrutivas dpoc
alcindoneto
 
Aula 08 derrame pleural v2
Aula 08   derrame pleural v2Aula 08   derrame pleural v2
Aula 08 derrame pleural v2
alcindoneto
 
Aula 07 doenças obstrutivas asma v1
Aula 07   doenças obstrutivas asma v1Aula 07   doenças obstrutivas asma v1
Aula 07 doenças obstrutivas asma v1
alcindoneto
 
PUC Londrina -Pneumo Aula 06 tuberculose v2
PUC Londrina -Pneumo Aula 06   tuberculose v2PUC Londrina -Pneumo Aula 06   tuberculose v2
PUC Londrina -Pneumo Aula 06 tuberculose v2
alcindoneto
 
PUC Londrina - Pneumo Aula 04 infecção de vias aéreas superiores v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 04   infecção de vias aéreas superiores v2PUC Londrina - Pneumo Aula 04   infecção de vias aéreas superiores v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 04 infecção de vias aéreas superiores v2
alcindoneto
 
PUC Londrina - Pneumo Aula 03 métodos diagnósticos em pneumo v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 03   métodos diagnósticos em pneumo v2PUC Londrina - Pneumo Aula 03   métodos diagnósticos em pneumo v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 03 métodos diagnósticos em pneumo v2
alcindoneto
 
PUC Londrina - Pneumo Aula 02 sinais e sintomas em pneumologia v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 02   sinais e sintomas em pneumologia v2PUC Londrina - Pneumo Aula 02   sinais e sintomas em pneumologia v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 02 sinais e sintomas em pneumologia v2
alcindoneto
 
PUC Londrina - Pneumo Aula 01 anatomia e fisiologia v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 01   anatomia e fisiologia v2PUC Londrina - Pneumo Aula 01   anatomia e fisiologia v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 01 anatomia e fisiologia v2
alcindoneto
 
PUC Londrina - Pneumo Aula 05 pneumonias
PUC Londrina - Pneumo Aula 05   pneumoniasPUC Londrina - Pneumo Aula 05   pneumonias
PUC Londrina - Pneumo Aula 05 pneumonias
alcindoneto
 

Mais de alcindoneto (17)

PUCLON - Aula 01 exame fisico em pneumologia v2
PUCLON - Aula 01   exame fisico em pneumologia v2PUCLON - Aula 01   exame fisico em pneumologia v2
PUCLON - Aula 01 exame fisico em pneumologia v2
 
PUCLON -Aula 02 semiologia da i resp-ag v2
PUCLON -Aula 02  semiologia da  i resp-ag v2PUCLON -Aula 02  semiologia da  i resp-ag v2
PUCLON -Aula 02 semiologia da i resp-ag v2
 
Curso MEDICINA PUCLON - Aula 03 semiologia da dor toracica v2
Curso MEDICINA PUCLON - Aula 03   semiologia da dor toracica v2Curso MEDICINA PUCLON - Aula 03   semiologia da dor toracica v2
Curso MEDICINA PUCLON - Aula 03 semiologia da dor toracica v2
 
Pneumo PUCPRLON - Aula 14 micose pulmonar v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 14  micose pulmonar v2Pneumo PUCPRLON - Aula 14  micose pulmonar v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 14 micose pulmonar v2
 
Pneumo PUCPRLON - Aula 13 tromboembolismo pulmonar v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 13   tromboembolismo pulmonar v2Pneumo PUCPRLON - Aula 13   tromboembolismo pulmonar v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 13 tromboembolismo pulmonar v2
 
Pneumo PUCPRLON - Aula 12 derrame pleural v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 12   derrame pleural v2Pneumo PUCPRLON - Aula 12   derrame pleural v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 12 derrame pleural v2
 
Pneumo PUCPRLON - Aula 09 cancer de pulmao v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 09 cancer de pulmao v2Pneumo PUCPRLON - Aula 09 cancer de pulmao v2
Pneumo PUCPRLON - Aula 09 cancer de pulmao v2
 
PUCPR Aula 11 pneumopatias intersticiais v1
PUCPR Aula 11   pneumopatias intersticiais v1PUCPR Aula 11   pneumopatias intersticiais v1
PUCPR Aula 11 pneumopatias intersticiais v1
 
Aula 10 doenças obstrutivas dpoc
Aula 10    doenças obstrutivas dpocAula 10    doenças obstrutivas dpoc
Aula 10 doenças obstrutivas dpoc
 
Aula 08 derrame pleural v2
Aula 08   derrame pleural v2Aula 08   derrame pleural v2
Aula 08 derrame pleural v2
 
Aula 07 doenças obstrutivas asma v1
Aula 07   doenças obstrutivas asma v1Aula 07   doenças obstrutivas asma v1
Aula 07 doenças obstrutivas asma v1
 
PUC Londrina -Pneumo Aula 06 tuberculose v2
PUC Londrina -Pneumo Aula 06   tuberculose v2PUC Londrina -Pneumo Aula 06   tuberculose v2
PUC Londrina -Pneumo Aula 06 tuberculose v2
 
PUC Londrina - Pneumo Aula 04 infecção de vias aéreas superiores v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 04   infecção de vias aéreas superiores v2PUC Londrina - Pneumo Aula 04   infecção de vias aéreas superiores v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 04 infecção de vias aéreas superiores v2
 
PUC Londrina - Pneumo Aula 03 métodos diagnósticos em pneumo v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 03   métodos diagnósticos em pneumo v2PUC Londrina - Pneumo Aula 03   métodos diagnósticos em pneumo v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 03 métodos diagnósticos em pneumo v2
 
PUC Londrina - Pneumo Aula 02 sinais e sintomas em pneumologia v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 02   sinais e sintomas em pneumologia v2PUC Londrina - Pneumo Aula 02   sinais e sintomas em pneumologia v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 02 sinais e sintomas em pneumologia v2
 
PUC Londrina - Pneumo Aula 01 anatomia e fisiologia v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 01   anatomia e fisiologia v2PUC Londrina - Pneumo Aula 01   anatomia e fisiologia v2
PUC Londrina - Pneumo Aula 01 anatomia e fisiologia v2
 
PUC Londrina - Pneumo Aula 05 pneumonias
PUC Londrina - Pneumo Aula 05   pneumoniasPUC Londrina - Pneumo Aula 05   pneumonias
PUC Londrina - Pneumo Aula 05 pneumonias
 

Pucpr aspecLeg -Aula 11 erro médico

  • 1. ERRO MÉDICOERRO MÉDICO Prof. Dr. ALCINDO CERCI NETOProf. Dr. ALCINDO CERCI NETO Universidade Estadual de LondrinaUniversidade Estadual de Londrina CRM - PRCRM - PR
  • 2. OBJETIVOSOBJETIVOS ►Diferenciar mau resultado de erro médicoDiferenciar mau resultado de erro médico ►Estudar as modalidades culposasEstudar as modalidades culposas ►Exemplificar erros frequentesExemplificar erros frequentes
  • 3. O médico é umO médico é um cidadão que faz partecidadão que faz parte da sociedadeda sociedade
  • 4. RESPONSABILIDADE MÉDICARESPONSABILIDADE MÉDICA ►Responsabilidade PenalResponsabilidade Penal ►Responsabilidade CivilResponsabilidade Civil ►Responsabilidade AdministrativaResponsabilidade Administrativa ►Responsabilidade ÉticaResponsabilidade Ética
  • 5. MAU RESULTADOMAU RESULTADO ►Resultado inesperado observando-se a práticaResultado inesperado observando-se a prática recomendado e as cautelas exigidasrecomendado e as cautelas exigidas ►Resultado que não condiz com a expectativa doResultado que não condiz com a expectativa do pacientepaciente ►Falha inerente à técnica ou a terapêuticaFalha inerente à técnica ou a terapêutica ►Teoria do risco – necessidade de informaçãoTeoria do risco – necessidade de informação ►Insucesso – resposta orgânicaInsucesso – resposta orgânica ►Sem falha no exercícioSem falha no exercício
  • 6. ERRO MÉDICOERRO MÉDICO ►Falha no exercício da profissão do que advém umFalha no exercício da profissão do que advém um mau resultado ou um resultado adverso,mau resultado ou um resultado adverso, efetivando-se através da ação ou omissão doefetivando-se através da ação ou omissão do profissionalprofissional ►Poderia ser evitadoPoderia ser evitado ►Ocorreu por modalidade de culpa comprovada rOcorreu por modalidade de culpa comprovada r com nexo causalcom nexo causal
  • 8. ERRO MÉDICOERRO MÉDICO ►Erro de diagnósticoErro de diagnóstico  Demora no diagnósticoDemora no diagnóstico  Falha no processo diagnósticoFalha no processo diagnóstico  Utilização de testes ou terapias em desusoUtilização de testes ou terapias em desuso  Falha de ação em resutados ou monitorizaçãoFalha de ação em resutados ou monitorização Leape Lucian et al. Preventing Medicl Injury. Qual. Ver. Bull: 19(5); 144-149, 1993.
  • 9. ERRO MÉDICOERRO MÉDICO ►Erro de TratamentoErro de Tratamento  Falha técnica (performance) – procedimento, cirurgiaFalha técnica (performance) – procedimento, cirurgia  Falha na administração do tratamentoFalha na administração do tratamento  Falha de dose ou método (medicamentos)Falha de dose ou método (medicamentos)  Atraso evitável no tratamento ou em resposta a umAtraso evitável no tratamento ou em resposta a um teste positivoteste positivo  Tratamento não indicadoTratamento não indicado Leape Lucian et al. Preventing Medicl Injury. Qual. Ver. Bull: 19(5); 144-149, 1993.
  • 10. ERRO MÉDICOERRO MÉDICO ►Erro de prevençãoErro de prevenção  Falha em prover profilaxiaFalha em prover profilaxia  Follow-Up inadequadoFollow-Up inadequado ►OutrasOutras  ComunicaçãoComunicação  Falhas de equipeFalhas de equipe  Super-indicaçãoSuper-indicação Leape Lucian et al. Preventing Medicl Injury. Qual. Ver. Bull: 19(5); 144-149, 1993.
  • 11. ERRO MÉDICOERRO MÉDICO ►Aceitável o erro diagnóstico etiológico e nãoAceitável o erro diagnóstico etiológico e não sindrômico (diagnóstico inicial sempre deve sersindrômico (diagnóstico inicial sempre deve ser genérico)genérico) ►Aceitável erro em diagnósticos difíceisAceitável erro em diagnósticos difíceis ►Inaceitável conduta não condizente com oInaceitável conduta não condizente com o diagnósticodiagnóstico ►Inaceitável o erro grosseiroInaceitável o erro grosseiro ►Inaceitável insistência na conduta que não geraInaceitável insistência na conduta que não gera benefícios e em diagnósticos incorretosbenefícios e em diagnósticos incorretos
  • 12. ERRO MÉDICOERRO MÉDICO ►Erro escusávelErro escusável  Condutas realizadas por falhas ou omissões doCondutas realizadas por falhas ou omissões do paciente (mas que devem ser perguntadas)paciente (mas que devem ser perguntadas)  Limitações físicas, falta de equipamentos, nãoLimitações físicas, falta de equipamentos, não realização de exames modernosrealização de exames modernos
  • 13. • Tipo de culpa por omissão • Omissão daquilo que razoavelmente se faz, ajustadas às condições emergentes. • Ato omissivo, descaso, inércia. • Omissão ou retardo na transferência ao especialista, quando possível realizá-la. • Falta de cuidados com a assepsia ou com escolha do material cirúrgico adequado NEGLIGÊNCIANEGLIGÊNCIA
  • 14. • Retardo na intervenção cirúrgica, com consequências graves para o doente. • Prescrição medicamentosa indevida ou com superdosagem. • Negligência nos cuidados pré e pós-operatórios. • Omissão das instruções necessárias ao paciente. NEGLIGÊNCIANEGLIGÊNCIA
  • 15. • Tipo de culpa por ação • Falta de habilidade para praticar determinados atos que exigem certo conhecimento: “É a ignorância, incompetência, desconhecimento, inabilidade, inexperiência na arte da profisssão • Falta de habilitação efetiva, falta de conhecimento técnico necessário e suficiente para a realização do ato médicos • “incapacidade técnica” – médico já é habilitado • Secção dos ureteres, nas cesarianas. IMPERÍCIAIMPERÍCIA
  • 16. • Formação de fistulas vésico-vaginais em decorrência de trabalho de parto mal conduzido. • Formação de fistulas retais, na cirurgia perineal. • Insuficiência tireoideana devido ao uso de hormônios, nas terapias para emagrecimento. IMPERÍCIAIMPERÍCIA
  • 17. • Culpa por ação, faz o que não devia por impulsividade, má avaliação dos riscos, pressa ou leviandade • Precipitação, falta de previsão, em contradição com as normas do procedimento sensato • Afoiteza no agir, o desprezo das cautelas qu7e cada qual deve tomar com seus atos • Clínico que se propõe que realiza procedimento sem preparo • Exame realizado sem o preparo adequado IMPRUDÊNCIAIMPRUDÊNCIA
  • 18. • Cirurgiões que utilizam técnicas experimentais e não convencionais em procedimento cirúrgico. • Cirurgião que opera o paciente sem solicitar risco cirúrgico prévio ou sem examiná-lo antes do ato cirúrgico. • Médico que receita produto farmacêutico ou avalia um paciente por telefone. • Anestesista que não verifica o funcionamento dos aparelhos anteriormente ao ato. IMPRUDÊNCIAIMPRUDÊNCIA
  • 19. Caso 1Caso 1 Menor de idade internou-se para cirurgia de pequena complexidade com anestesia local. Passadas tres horas informou-se aos pais que por agitacao o menos foi submetido a anestesia gera (sem autorizacao ou consentimento daqueles). Sofreu PCR sendo conduzido à UTI em estado crítico ESPONSABILIDADE MÉDICA O anestesista responde pelo dano ao paciente por não ter obtido consentimento para a anestesia geral (imprudência), não realizou exames pré anestésicos (negligencia)
  • 20. Caso 2Caso 2 Paciente submetida a cirurgia para reducao de mamas. Tinha queixas de desconforto pelo tamanho das mamas e tambem problemas estéticos. Os seios ficaram com tamanhos diferentes com cicatrizes retraidas e umbilicamento do mamilo ESPONSABILIDADE MÉDICA Culpa comprovada: imperícia
  • 21. Caso 3Caso 3 Hematoma em nádega e provável lesão do nervo femural (EMG) após aplicação de injeção intramuscular; hipostesia do território de L3 e L4 à direita, amiotrofia da coxa, claudicação da marcha. ESPONSABILIDADE MÉDICA Culpa comprovada: imperícia
  • 22. Caso 4Caso 4 Paraplegia espástica pós-fractura de C7 com incontinência de esfíncteres por acidente de viação; à entrada no SU não apresentava sinais ou sintomatologia neurológica. ESPONSABILIDADE MÉDICA Culpa comprovada: negligência, não observação de imobilização adequada
  • 23. Caso 5Caso 5 A médica de família negou-se a observar a doente, que apresentava metrorragias prolongadas, remetendo-a para a enfermeira do Posto de Saúde que lhe havia colocado um DIU; quando a situação se agravou (anemia e complicações intra- abdominais), recorreu ao hospital, tendo- lhe sido diagnosticada perfuração uterina por DIU. ESPONSABILIDADE MÉDICA Culpa comprovada: negligência, não observação de imobilização adequada
  • 24. Caso 6Caso 6 Atraso de cicatrização e outras complicações por “esquecimento” de gaze após mastectomia por neoplasia maligna. ESPONSABILIDADE MÉDICA Culpa comprovada: negligência
  • 25. Caso 7Caso 7 Diagnóstico tardio de peritonite, choque séptico e ileo-paralítico, 26 dias após apendicectomia (o quadro foi interpretado como uma situação de diabetes); a vítima (9 anos) ficou bem. ESPONSABILIDADE MÉDICA Culpa comprovada: imprudência, negligência