SlideShare uma empresa Scribd logo
QUEM SOMOS NÓS...
PSICOPEDAGOGOS
 A Psicopedagogia, como área de estudos, surgiu da necessidade de
atendimento e orientação a crianças que apresentavam dificuldades ligadas à
sua educação, mais especificamente à sua aprendizagem, quer cognitiva,
quer de comportamento social. Procurava-se, assim, o porquê ocorria essa
problemática, avaliando e diagnosticando a criança, física e psiquicamente.
Envolvidos nessa busca, estavam professores, psicólogos, médicos,
fonoaudiólogos e psicomotricistas. Nessa primeira etapa da história da
Psicopedagogia, todo diagnóstico recaia sobre a criança, o que significava que
nela estava o problema, sendo então encaminhada para atendimento
especializado. Esse enfoque de diagnóstico, prescrição e tratamento,
envolvendo prognóstico, trazia implícita uma concepção de que o fim da
educação era de adaptar o homem à sociedade (MASINI, 2006
 É preciso levar em consideração que o psicopedagogo em sua função pode
estar desenvolvendo trabalhos hospitalares, clínicos, escolares e também,
empresariais, trabalhando com observação, terapias, tratamentos clínicos, e
orientando professores, onde seu foco principal é a aprendizagem do ser
humano.
 Ausubel, nos fala sobre a aprendizagem significativa que é norteada pelos
novos significados, e esses se dão a aprendizagem significativa. Também nos
diz que:
 A essência do processo de aprendizagem significativa é que as idéias
expressas simbolicamente são relacionadas às informações previamente
adquiridas pelo aluno através de uma relação não arbitrária e substantiva
(não literal). Uma relação não arbitrária e substantiva significa que as idéias
são relacionadas a algum aspecto relevante existente na estrutura do
cognitivo do aluno, como, por exemplo, uma imagem, um símbolo, um
conceito ou uma proposição (1980, p.34).
 O aluno carrega sua bagagem de conhecimentos, esses são acrescidos quando,
ou modificados conforme as informações que recebe, formando assim novos
conceitos, assim se dá a aprendizagem significativa.
 É a área de estudo dos processos e das dificuldades de aprendizagem de
crianças, adolescentes e adultos. O psicopedagogo identifica as dificuldades e
os transtornos que impedem o estudante de assimilar o conteúdo ensinado na
escola. Para isso, faz uso de conhecimentos da pedagogia, da psicanálise, da
psicologia e da antropologia. Analisa o comportamento do aluno, observando
como ele aprende. Promove intervenções em caso de fracasso ou de evasão
escolar. Além de trabalhar em escolas, pode atuar em hospitais, auxiliando os
pacientes a manter contato com os conteúdos escolares. Pode trabalhar
também em centros comunitários ou em consultório, público ou particular,
orientando estudantes e seus familiares no processo de aprendizagem
 A Psicopedagogia vem buscando entender os problemas de aprendizagem que
cada vez mais estão presentes nas escolas, onde, muitas vezes não se
compete a comportamentos inadequados das crianças, mas sim, a
dificuldades e transtornos que acabam interferindo no desenvolvimento
escolar.
 Cabe ao psicopedagogo identificar e tratar das dificuldades na aprendizagem,
proporcionando e oferecendo recursos para que tanto na escola, hospitais, e
próprias clínicas, sejam organizados projetos de prevenção, auxílio, criação
de estratégias para que ocorra o ensino aprendizagem. Para que tanto o
professor como o aluno tenha um novo olhar na arte de ensinar e aprender,
mudando tanto as estratégias de passar o conhecimento ao educando
 A Psicopedagogia, área de conhecimento interdisciplinar, tem como objeto de
estudo a aprendizagem humana. É papel fundamental do psicopedagogo
potencializá-la e atender as necessidades individuais, no decorrer do
processo. O trabalho psicopedagógico pode adquirir caráter preventivo,
clínico, terapêutico ou de treinamento, o que amplia sua área de atuação,
seja ela escolar - orientando professores, realizando diagnósticos, facilitando
o processo de aprendizagem, trabalhando as diversas relações humanas que
existem nesse espaço; empresarial - realizando trabalhos de treinamento de
pessoal e melhorando as relações interpessoais na empresa; clínica -
esclarecendo e atenuando problemas; ou hospitalar - atuando junto à equipe
multidisciplinar no pós-operatório de cirurgias ou tratamentos que afetem a
aprendizagem. É importante salientar que a Psicopedagogia é uma área que
vem para somar, trabalhando em parceria com os diversos profissionais que
atuam em sua área de abrangência (BEYER, 2003).
 A literatura francesa influencia as ideias sobre Psicopedagogia na Argentina, a
qual, por sua vez, influencia a práxis brasileiras. A psicpedagogia francesa
apresenta algumas considerações sobre o termo Psicopedagogia e sobre a
origem dessas idéias na Europa, e os trabalhos de George Mauco, fundador do
primeiro centro médico psicopedagógico na França, em que se percebem as
primeiras tentativas de articulação entre medicina, psicologia, psicanálise e
pedagogia, na solução dos problemas de comportamento e de aprendizagem
(BOSSA, 2007, p. 39).
 A prática psicopedagógica partiu inicialmente de médico-pedagógico para
identificar os problemas de aprendizagem. Atualmente, a área da
Psicopedagogia envolve uma equipe multidisciplinar com profissionais de
psicologia, pedagogia, neurologia, psicanálise, assistente social e
fonoaudióloga.
 Tanto para Vygotsky (1984) como para Piaget (1975), o desenvolvimento não é
linear, mas evolutivo e, nesse trajeto, a imaginação se desenvolve. Uma vez
que a criança brinca e desenvolve a capacidade para determinado tipo de
conhecimento, ela dificilmente perde esta capacidade. É com a formação de
conceitos que se dá a verdadeira aprendizagem e é no brincar que está um
dos maiores espaços para a formação de conceitos (DALLABONA; MENDES,
2004, p.109).
 O psicopedagogo pode estar atuando tanto na área Institucional como na área Clinica, trabalhando com o
processo de aprendizagem. Segundo a BEYER:
 CAPÍTULO I: DOS PRINCÍPIOS
 Artigo 1º
 A psicpedagogia é um campo de atuação em Saúde e Educação que lida com o processo de aprendizagem
humana; seus padrões normais e patológico, considerando a influência do meio – família, escola e sociedade
– no seu desenvolvimento, utilizando procedimentos próprios da psicopedagogia.
 Parágrafo único
 A intervenção psicopedagógica é sempre da ordem do conhecimento relacionado com o processo de
aprendizagem
 Artigo 2º
 A Psicopedagogia é de natureza interdisciplinar. Utiliza recursos das várias áreas do conhecimento humano
para a compreensão do ato de aprender, no sentido ontogenético e filogenético, valendo-se de métodos e
técnica próprios.
 Artigo 3º
 O trabalho psicopedagógico é de natureza clínica e institucional, de caráter preventivo e/ou remediativo.
 Artigo 3º
 O trabalho psicopedagógico é de natureza clínica e institucional, de caráter
preventivo e/ou remediativo.
 Artigo 4º
 Estarão em condições de exercício da Psicpedagogia os profissionais graduados em
3º grau, portador de certificados de curso de Pós-Graduação em Psicopedagogia,
ministrados em estabelecimento de ensino oficial e/ou reconhecido, ou mediante
direitos adquiridos, sendo indispensável submeter-se à supervisão e aconselhável
trabalho de formação pessoal.
 Artigo 5º
 O trabalho psicopedagógico tem como objetivo: (i) promover a aprendizagem,
garantindo o bem-estar das pessoas em atendimento profissional, devendo valer-
se dos recursos disponíveis, incluindo a relação interprofissional; (ii) realizar
pesquisas científicas no campo da Psicopedagogia (2003).

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Psicopedagogia, introodução, o que é como seguir

Introdução à psicologia capa
Introdução à psicologia capaIntrodução à psicologia capa
Introdução à psicologia capa
Francisco Martins
 
Fundamentos básicos da psicopedagogia: uma introdução
Fundamentos básicos da psicopedagogia: uma introduçãoFundamentos básicos da psicopedagogia: uma introdução
Fundamentos básicos da psicopedagogia: uma introdução
MARACRISTINAFORTUNAD
 
Artigo carolinakopschina
Artigo carolinakopschinaArtigo carolinakopschina
Artigo carolinakopschina
Ana Justino DE Faria
 
Psicologia escolar e educacional
Psicologia escolar e educacionalPsicologia escolar e educacional
Psicologia escolar e educacional
Thiago de Almeida
 
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.pptvdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
Binho36
 
Fundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da PsicopedagogiaFundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da Psicopedagogia
Glaucia Correa Peres
 
Fundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da PsicopedagogiaFundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da Psicopedagogia
psicologiainside
 
02.psicologia escolar e educacional
02.psicologia escolar e educacional02.psicologia escolar e educacional
02.psicologia escolar e educacional
Rosenira Dantas II
 
A trajetória da psicopedagogia
A trajetória da psicopedagogiaA trajetória da psicopedagogia
A trajetória da psicopedagogia
Jamille Araújo
 
Tcc 172128
Tcc 172128Tcc 172128
Tcc 172128
UNICEP
 
Psicologia educacional
Psicologia educacionalPsicologia educacional
Psicologia educacional
Ana Pereira
 
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e ClínicaFundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
Instituto Consciência GO
 
A atuação do psicólogo escolar multirreferencialidade, implicação e escuta ...
A atuação do psicólogo escolar   multirreferencialidade, implicação e escuta ...A atuação do psicólogo escolar   multirreferencialidade, implicação e escuta ...
A atuação do psicólogo escolar multirreferencialidade, implicação e escuta ...
Thiago Cardoso
 
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogia
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogiaFundamentos epistemológicos da psicopedagogia
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogia
Vanessa Casaro
 
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docxMemorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Rafael408221
 
Psicologia FMU
Psicologia FMUPsicologia FMU
Psicologia FMU
FMU - Oficial
 
O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...
O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...
O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...
GELCINEIA POLIZELLO
 
Psicologia escolar
Psicologia escolarPsicologia escolar
Psicologia escolar
Felix Jose
 
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
crisostomopedro
 
Artigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolarArtigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolar
Patricia Rodrigues
 

Semelhante a Psicopedagogia, introodução, o que é como seguir (20)

Introdução à psicologia capa
Introdução à psicologia capaIntrodução à psicologia capa
Introdução à psicologia capa
 
Fundamentos básicos da psicopedagogia: uma introdução
Fundamentos básicos da psicopedagogia: uma introduçãoFundamentos básicos da psicopedagogia: uma introdução
Fundamentos básicos da psicopedagogia: uma introdução
 
Artigo carolinakopschina
Artigo carolinakopschinaArtigo carolinakopschina
Artigo carolinakopschina
 
Psicologia escolar e educacional
Psicologia escolar e educacionalPsicologia escolar e educacional
Psicologia escolar e educacional
 
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.pptvdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
vdocuments.mx_psicopedagogia-clinica-e-institucional.ppt
 
Fundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da PsicopedagogiaFundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da Psicopedagogia
 
Fundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da PsicopedagogiaFundamentos da Psicopedagogia
Fundamentos da Psicopedagogia
 
02.psicologia escolar e educacional
02.psicologia escolar e educacional02.psicologia escolar e educacional
02.psicologia escolar e educacional
 
A trajetória da psicopedagogia
A trajetória da psicopedagogiaA trajetória da psicopedagogia
A trajetória da psicopedagogia
 
Tcc 172128
Tcc 172128Tcc 172128
Tcc 172128
 
Psicologia educacional
Psicologia educacionalPsicologia educacional
Psicologia educacional
 
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e ClínicaFundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
Fundamentos da Psicopedagogia Institucional e Clínica
 
A atuação do psicólogo escolar multirreferencialidade, implicação e escuta ...
A atuação do psicólogo escolar   multirreferencialidade, implicação e escuta ...A atuação do psicólogo escolar   multirreferencialidade, implicação e escuta ...
A atuação do psicólogo escolar multirreferencialidade, implicação e escuta ...
 
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogia
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogiaFundamentos epistemológicos da psicopedagogia
Fundamentos epistemológicos da psicopedagogia
 
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docxMemorial_reflexivo_de_estagio_.docx
Memorial_reflexivo_de_estagio_.docx
 
Psicologia FMU
Psicologia FMUPsicologia FMU
Psicologia FMU
 
O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...
O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...
O planejamento de uma intervenção psicopedagógica para a melhoria das dificul...
 
Psicologia escolar
Psicologia escolarPsicologia escolar
Psicologia escolar
 
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
Definiçao de conceito (salvo automaticamente)
 
Artigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolarArtigo orientação da queixa escolar
Artigo orientação da queixa escolar
 

Mais de DouglasVasconcelosMa

BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacionalBENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
DouglasVasconcelosMa
 
DEPENDENCIA AFETIVA- emocional e apego a outro
DEPENDENCIA AFETIVA-  emocional  e apego a outroDEPENDENCIA AFETIVA-  emocional  e apego a outro
DEPENDENCIA AFETIVA- emocional e apego a outro
DouglasVasconcelosMa
 
COMO ESTRUTURAR A AVALIAÇÃO psicopedagogica
COMO ESTRUTURAR A AVALIAÇÃO psicopedagogicaCOMO ESTRUTURAR A AVALIAÇÃO psicopedagogica
COMO ESTRUTURAR A AVALIAÇÃO psicopedagogica
DouglasVasconcelosMa
 
SOCIO EMOCIONAL- listagem da verificação
SOCIO EMOCIONAL- listagem da verificaçãoSOCIO EMOCIONAL- listagem da verificação
SOCIO EMOCIONAL- listagem da verificação
DouglasVasconcelosMa
 
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolarMODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
DouglasVasconcelosMa
 
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA - escolar e clinica
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA  - escolar e clinicaINTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA  - escolar e clinica
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA - escolar e clinica
DouglasVasconcelosMa
 
educação especia, tea el autismo educare.pdf
educação especia, tea el autismo educare.pdfeducação especia, tea el autismo educare.pdf
educação especia, tea el autismo educare.pdf
DouglasVasconcelosMa
 
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA - leitura
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA  - leituraINTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA  - leitura
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA - leitura
DouglasVasconcelosMa
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
DouglasVasconcelosMa
 
CAA-PECS - Comunicação Alternativa - baici e alto custo
CAA-PECS - Comunicação Alternativa - baici e alto custoCAA-PECS - Comunicação Alternativa - baici e alto custo
CAA-PECS - Comunicação Alternativa - baici e alto custo
DouglasVasconcelosMa
 
o modelo DIRFloortime usado no desenvolvimento de crianças com autismo (1).pptx
o modelo DIRFloortime usado no desenvolvimento de crianças com autismo (1).pptxo modelo DIRFloortime usado no desenvolvimento de crianças com autismo (1).pptx
o modelo DIRFloortime usado no desenvolvimento de crianças com autismo (1).pptx
DouglasVasconcelosMa
 
Aperfeiçoamento . Alfabetização e Letramento DI
Aperfeiçoamento . Alfabetização e Letramento DIAperfeiçoamento . Alfabetização e Letramento DI
Aperfeiçoamento . Alfabetização e Letramento DI
DouglasVasconcelosMa
 
COMUNICAÇÃO ALTERNATIVA F.ppt- pranchas
COMUNICAÇÃO ALTERNATIVA  F.ppt- pranchasCOMUNICAÇÃO ALTERNATIVA  F.ppt- pranchas
COMUNICAÇÃO ALTERNATIVA F.ppt- pranchas
DouglasVasconcelosMa
 
HTPF : PAUTA FORMATIVA: PROJETO LEITURA.
HTPF : PAUTA FORMATIVA: PROJETO LEITURA.HTPF : PAUTA FORMATIVA: PROJETO LEITURA.
HTPF : PAUTA FORMATIVA: PROJETO LEITURA.
DouglasVasconcelosMa
 
SLIDE APRESENTAÇÃO TCC :O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO NO PROCESSO E...
SLIDE APRESENTAÇÃO TCC :O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO NO PROCESSO E...SLIDE APRESENTAÇÃO TCC :O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO NO PROCESSO E...
SLIDE APRESENTAÇÃO TCC :O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO NO PROCESSO E...
DouglasVasconcelosMa
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
DouglasVasconcelosMa
 
Língua Portuguesa - 4º bimestre - Ficha técnica e Dígrafos.docx
Língua Portuguesa - 4º bimestre - Ficha técnica e Dígrafos.docxLíngua Portuguesa - 4º bimestre - Ficha técnica e Dígrafos.docx
Língua Portuguesa - 4º bimestre - Ficha técnica e Dígrafos.docx
DouglasVasconcelosMa
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
DouglasVasconcelosMa
 

Mais de DouglasVasconcelosMa (18)

BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacionalBENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
BENEFÍCIOS DA NEUROPSICOPEDAGOGIA educacional
 
DEPENDENCIA AFETIVA- emocional e apego a outro
DEPENDENCIA AFETIVA-  emocional  e apego a outroDEPENDENCIA AFETIVA-  emocional  e apego a outro
DEPENDENCIA AFETIVA- emocional e apego a outro
 
COMO ESTRUTURAR A AVALIAÇÃO psicopedagogica
COMO ESTRUTURAR A AVALIAÇÃO psicopedagogicaCOMO ESTRUTURAR A AVALIAÇÃO psicopedagogica
COMO ESTRUTURAR A AVALIAÇÃO psicopedagogica
 
SOCIO EMOCIONAL- listagem da verificação
SOCIO EMOCIONAL- listagem da verificaçãoSOCIO EMOCIONAL- listagem da verificação
SOCIO EMOCIONAL- listagem da verificação
 
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolarMODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
 
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA - escolar e clinica
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA  - escolar e clinicaINTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA  - escolar e clinica
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDA - escolar e clinica
 
educação especia, tea el autismo educare.pdf
educação especia, tea el autismo educare.pdfeducação especia, tea el autismo educare.pdf
educação especia, tea el autismo educare.pdf
 
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA - leitura
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA  - leituraINTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA  - leitura
INTRODUÇÃO À NEUROPSICOPEDAGOGIA - leitura
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
CAA-PECS - Comunicação Alternativa - baici e alto custo
CAA-PECS - Comunicação Alternativa - baici e alto custoCAA-PECS - Comunicação Alternativa - baici e alto custo
CAA-PECS - Comunicação Alternativa - baici e alto custo
 
o modelo DIRFloortime usado no desenvolvimento de crianças com autismo (1).pptx
o modelo DIRFloortime usado no desenvolvimento de crianças com autismo (1).pptxo modelo DIRFloortime usado no desenvolvimento de crianças com autismo (1).pptx
o modelo DIRFloortime usado no desenvolvimento de crianças com autismo (1).pptx
 
Aperfeiçoamento . Alfabetização e Letramento DI
Aperfeiçoamento . Alfabetização e Letramento DIAperfeiçoamento . Alfabetização e Letramento DI
Aperfeiçoamento . Alfabetização e Letramento DI
 
COMUNICAÇÃO ALTERNATIVA F.ppt- pranchas
COMUNICAÇÃO ALTERNATIVA  F.ppt- pranchasCOMUNICAÇÃO ALTERNATIVA  F.ppt- pranchas
COMUNICAÇÃO ALTERNATIVA F.ppt- pranchas
 
HTPF : PAUTA FORMATIVA: PROJETO LEITURA.
HTPF : PAUTA FORMATIVA: PROJETO LEITURA.HTPF : PAUTA FORMATIVA: PROJETO LEITURA.
HTPF : PAUTA FORMATIVA: PROJETO LEITURA.
 
SLIDE APRESENTAÇÃO TCC :O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO NO PROCESSO E...
SLIDE APRESENTAÇÃO TCC :O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO NO PROCESSO E...SLIDE APRESENTAÇÃO TCC :O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO NO PROCESSO E...
SLIDE APRESENTAÇÃO TCC :O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO NO PROCESSO E...
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
Língua Portuguesa - 4º bimestre - Ficha técnica e Dígrafos.docx
Língua Portuguesa - 4º bimestre - Ficha técnica e Dígrafos.docxLíngua Portuguesa - 4º bimestre - Ficha técnica e Dígrafos.docx
Língua Portuguesa - 4º bimestre - Ficha técnica e Dígrafos.docx
 
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURACRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
CRONOGRAMA: AÇÕES DO PROJETO ESTAÇÃO LEITURA
 

Último

A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
samucajaime015
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 

Último (20)

A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
Aula de fundamentos de Programação Orientada a Objeto na linguagem de program...
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 

Psicopedagogia, introodução, o que é como seguir

  • 2.  A Psicopedagogia, como área de estudos, surgiu da necessidade de atendimento e orientação a crianças que apresentavam dificuldades ligadas à sua educação, mais especificamente à sua aprendizagem, quer cognitiva, quer de comportamento social. Procurava-se, assim, o porquê ocorria essa problemática, avaliando e diagnosticando a criança, física e psiquicamente. Envolvidos nessa busca, estavam professores, psicólogos, médicos, fonoaudiólogos e psicomotricistas. Nessa primeira etapa da história da Psicopedagogia, todo diagnóstico recaia sobre a criança, o que significava que nela estava o problema, sendo então encaminhada para atendimento especializado. Esse enfoque de diagnóstico, prescrição e tratamento, envolvendo prognóstico, trazia implícita uma concepção de que o fim da educação era de adaptar o homem à sociedade (MASINI, 2006
  • 3.  É preciso levar em consideração que o psicopedagogo em sua função pode estar desenvolvendo trabalhos hospitalares, clínicos, escolares e também, empresariais, trabalhando com observação, terapias, tratamentos clínicos, e orientando professores, onde seu foco principal é a aprendizagem do ser humano.  Ausubel, nos fala sobre a aprendizagem significativa que é norteada pelos novos significados, e esses se dão a aprendizagem significativa. Também nos diz que:
  • 4.  A essência do processo de aprendizagem significativa é que as idéias expressas simbolicamente são relacionadas às informações previamente adquiridas pelo aluno através de uma relação não arbitrária e substantiva (não literal). Uma relação não arbitrária e substantiva significa que as idéias são relacionadas a algum aspecto relevante existente na estrutura do cognitivo do aluno, como, por exemplo, uma imagem, um símbolo, um conceito ou uma proposição (1980, p.34).  O aluno carrega sua bagagem de conhecimentos, esses são acrescidos quando, ou modificados conforme as informações que recebe, formando assim novos conceitos, assim se dá a aprendizagem significativa.
  • 5.  É a área de estudo dos processos e das dificuldades de aprendizagem de crianças, adolescentes e adultos. O psicopedagogo identifica as dificuldades e os transtornos que impedem o estudante de assimilar o conteúdo ensinado na escola. Para isso, faz uso de conhecimentos da pedagogia, da psicanálise, da psicologia e da antropologia. Analisa o comportamento do aluno, observando como ele aprende. Promove intervenções em caso de fracasso ou de evasão escolar. Além de trabalhar em escolas, pode atuar em hospitais, auxiliando os pacientes a manter contato com os conteúdos escolares. Pode trabalhar também em centros comunitários ou em consultório, público ou particular, orientando estudantes e seus familiares no processo de aprendizagem
  • 6.  A Psicopedagogia vem buscando entender os problemas de aprendizagem que cada vez mais estão presentes nas escolas, onde, muitas vezes não se compete a comportamentos inadequados das crianças, mas sim, a dificuldades e transtornos que acabam interferindo no desenvolvimento escolar.  Cabe ao psicopedagogo identificar e tratar das dificuldades na aprendizagem, proporcionando e oferecendo recursos para que tanto na escola, hospitais, e próprias clínicas, sejam organizados projetos de prevenção, auxílio, criação de estratégias para que ocorra o ensino aprendizagem. Para que tanto o professor como o aluno tenha um novo olhar na arte de ensinar e aprender, mudando tanto as estratégias de passar o conhecimento ao educando
  • 7.  A Psicopedagogia, área de conhecimento interdisciplinar, tem como objeto de estudo a aprendizagem humana. É papel fundamental do psicopedagogo potencializá-la e atender as necessidades individuais, no decorrer do processo. O trabalho psicopedagógico pode adquirir caráter preventivo, clínico, terapêutico ou de treinamento, o que amplia sua área de atuação, seja ela escolar - orientando professores, realizando diagnósticos, facilitando o processo de aprendizagem, trabalhando as diversas relações humanas que existem nesse espaço; empresarial - realizando trabalhos de treinamento de pessoal e melhorando as relações interpessoais na empresa; clínica - esclarecendo e atenuando problemas; ou hospitalar - atuando junto à equipe multidisciplinar no pós-operatório de cirurgias ou tratamentos que afetem a aprendizagem. É importante salientar que a Psicopedagogia é uma área que vem para somar, trabalhando em parceria com os diversos profissionais que atuam em sua área de abrangência (BEYER, 2003).
  • 8.  A literatura francesa influencia as ideias sobre Psicopedagogia na Argentina, a qual, por sua vez, influencia a práxis brasileiras. A psicpedagogia francesa apresenta algumas considerações sobre o termo Psicopedagogia e sobre a origem dessas idéias na Europa, e os trabalhos de George Mauco, fundador do primeiro centro médico psicopedagógico na França, em que se percebem as primeiras tentativas de articulação entre medicina, psicologia, psicanálise e pedagogia, na solução dos problemas de comportamento e de aprendizagem (BOSSA, 2007, p. 39).  A prática psicopedagógica partiu inicialmente de médico-pedagógico para identificar os problemas de aprendizagem. Atualmente, a área da Psicopedagogia envolve uma equipe multidisciplinar com profissionais de psicologia, pedagogia, neurologia, psicanálise, assistente social e fonoaudióloga.
  • 9.  Tanto para Vygotsky (1984) como para Piaget (1975), o desenvolvimento não é linear, mas evolutivo e, nesse trajeto, a imaginação se desenvolve. Uma vez que a criança brinca e desenvolve a capacidade para determinado tipo de conhecimento, ela dificilmente perde esta capacidade. É com a formação de conceitos que se dá a verdadeira aprendizagem e é no brincar que está um dos maiores espaços para a formação de conceitos (DALLABONA; MENDES, 2004, p.109).
  • 10.  O psicopedagogo pode estar atuando tanto na área Institucional como na área Clinica, trabalhando com o processo de aprendizagem. Segundo a BEYER:  CAPÍTULO I: DOS PRINCÍPIOS  Artigo 1º  A psicpedagogia é um campo de atuação em Saúde e Educação que lida com o processo de aprendizagem humana; seus padrões normais e patológico, considerando a influência do meio – família, escola e sociedade – no seu desenvolvimento, utilizando procedimentos próprios da psicopedagogia.  Parágrafo único  A intervenção psicopedagógica é sempre da ordem do conhecimento relacionado com o processo de aprendizagem  Artigo 2º  A Psicopedagogia é de natureza interdisciplinar. Utiliza recursos das várias áreas do conhecimento humano para a compreensão do ato de aprender, no sentido ontogenético e filogenético, valendo-se de métodos e técnica próprios.  Artigo 3º  O trabalho psicopedagógico é de natureza clínica e institucional, de caráter preventivo e/ou remediativo.
  • 11.  Artigo 3º  O trabalho psicopedagógico é de natureza clínica e institucional, de caráter preventivo e/ou remediativo.  Artigo 4º  Estarão em condições de exercício da Psicpedagogia os profissionais graduados em 3º grau, portador de certificados de curso de Pós-Graduação em Psicopedagogia, ministrados em estabelecimento de ensino oficial e/ou reconhecido, ou mediante direitos adquiridos, sendo indispensável submeter-se à supervisão e aconselhável trabalho de formação pessoal.  Artigo 5º  O trabalho psicopedagógico tem como objetivo: (i) promover a aprendizagem, garantindo o bem-estar das pessoas em atendimento profissional, devendo valer- se dos recursos disponíveis, incluindo a relação interprofissional; (ii) realizar pesquisas científicas no campo da Psicopedagogia (2003).