SlideShare uma empresa Scribd logo
PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA
ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
“Deus seja louvado”
1
Vila Velha, ES, 14 de junho de 2017.
MENSAGEM DE VETO Nº 021/2017
Senhor Presidente,
Senhores Vereadores,
Dirijo-me a Vossas Excelências para encaminhar as razões da aposição do
VETO INTEGRAL ao Autógrafo de Lei nº 3.640/2017.
Atenciosamente,
MAX FREITAS MAURO FILHO
Prefeito Municipal
PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA
ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
“Deus seja louvado”
2
Vila Velha, ES, 14 de junho de 2017.
RAZÕES DO VETO
Assunto: Veto Integral ao Autógrafo de Lei nº 3.640/2017.
Senhor Presidente,
Senhores Vereadores,
Comunicamos a essa egrégia Câmara nossa decisão de apor VETO
INTEGRAL ao Autógrafo de Lei acima enunciado que institui a gratuidade no
Sistema Municipal de Transporte Coletivo para o trabalhador desempregado que
estiver sob a assistência do benefício do seguro desemprego.
Registramos que a matéria teve a iniciativa de membro do Poder Legislativo e
foi levada à apreciação da Secretaria Municipal de Prevenção, Combate à Violência e
Trânsito - SEMPREV e da Procuradoria Geral do Município - PGM, de cuja análise
se extrai que o presente projeto de lei apresenta inviabilidade jurídica, pelas razões
que passamos a discorrer:
“Nesse sentido, apesar da liberdade de manifestação e independência dos
Procuradores Municipais, a manifestação proferida, preferencialmente
deve estar ancorada em corrente majoritária da doutrina e em
jurisprudência dominante1
, o que não ocorre no presente caso.
O parecer lavrado colide às inteiras com às normas jurídicas, doutrina
majoritária e jurisprudência dominante.
Inicialmente, cumpre observar que a iniciativa de leis no sistema jurídico
brasileiro compete a uma multiplicidade de sujeitos. Conforme prevê a
Constituição Federal, em seu art. 61, a proposição das leis
complementares e ordinárias “cabe a qualquer membro ou Comissão da
Câmara dos Deputados, do Senado Federal ou do Congresso Nacional, ao
Presidente da República, ao Supremo Tribunal Federal, aos Tribunais
Superiores, ao Procurador-Geral da República e aos cidadãos”.
De igual modo, e em decorrência do principio da simetria, a Constituição
do Estado de São tPaulo prevê em seu artigo 24 que a iniciativa das leis
complementares “cabe a qualquer membro ou Comissão da Assembléia
Legislativa, ao Governador do Estado, ao Tribunal de Justiça, ao
Procurador-Geral de Justiça e aos cidadãos”.
Geralmente as Leis Orgânicas Municipais também trazem dispositivos
semelhantes no sentido de que a iniciativa dos projetos de leis compete aos
Vereadores, Prefeitos e cidadãos.
1 Art. 2º Sem prejuízo da consultoria e assessoramento jurídico o seu cargo, conforme disposição do art. 3º da
Lei Municipal nº 4.749/2009, a manifestação da Procuradoria Geral do Município de Vila Velha - PGM se
consubstanciará em parecer ou trabalho técnico-jurídico escrito, incluídas as peças judiciais, observando-se os
prazos previstos em lei ou neste Decreto. § 1º Assegurada a independência funcional dos membros da
Procuradoria Geral, os pareceres, trabalhos técnico-jurídico escrito, as petições e demais peças judiciais devem
ser bem fundamentados em norma jurídica, preferencialmente em corrente majoritária da doutrina e em
jurisprudência dominante.
PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA
ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
“Deus seja louvado”
3
Contudo, apesar da regra geral do direito brasileiro consagrar a
democracia com relação à iniciativa legislativa, o ordenamento também
previu, de maneira necessária e fundamental, a consagrada reserva legal,
através da qual algumas matérias ficam resguardadas à iniciativa
especifica de determinado agente competente.
No modelo jurídico brasileiro, o ponto mais importante relacionado às
clausulas de reserva legal, se dá com relação às matérias cuja iniciativa é
do chefe do Poder Executivo, por incidirem em aumento de despesa pública
ou na gestão do município e suas políticas públicas, onde não há qualquer
possibilidade de avocação da competência pelo Poder Legislativo.
Como é corrente na prática do processo legislativo, leis municipais
nascidas nas Câmaras de Vereadores, dispondo sobre a organização e
estrutura da administração, suas políticas públicas e de seus serviços
públicos de modo que importem em impacto orçamentário não previsto
pelas Leis Orçamentárias, contêm vício insanável de inconstitucionalidade
porque ferem a competência do chefe do Poder Executivo, a quem incumbe
a administração do município e a organização dos órgãos da
Administração Pública.
Com efeito, de acordo com o artigo 2º da Constituição Federal, são
Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o
Executivo e o Judiciário. Desse modo, o Estado brasileiro possui três
funções básicas: a legislativa, a administrativa (ou executiva) e a
jurisdicional, sendo que estão distribuídas entre três blocos orgânicos,
denominados “Poderes”.
Como explica o professor Celso Antônio Bandeira de Mello, “tais unidades
orgânicas absorveriam, senão com absoluta exclusividade, ao menos com
manifesta predominância, as funções correspondentes a seus próprios
nomes: Legislativo, Executivo e Judiciário”.
E a função predominante do Poder Executivo consiste em administrar.
Assim como cabe ao Poder Judiciário a função jurisdicional e ao Poder
Legislativo a função legislativa. Portanto, existem funções afetas a cada
Poder, sem é claro neutralizar eventuais exceções.
O que se veda com isso é a invasão de um Poder na esfera de exercício da
função predominantemente afeta a outro Poder. Tal ocorrência implicaria
em desrespeito à tripartição de Poderes prevista na Constituição Federal.
Em decorrência disso, projetos que onerem o erário e importem em
aumento de custo efetivo para a Administração ou influam em sua estrutura
e organização, são exclusivamente de iniciativa do Prefeito, pois é a ele
que compete a previsão, organização e administração da coisa pública.
Assim, da mesma forma que o direito brasileiro não admite que decisões
judiciais obriguem o Legislativo a legislar ou à Administração a executar
ato administrativo de competência discricionária, também não admite que
o Poder Legislativo atinja a organização municipal estruturada na gestão
do patrimônio e na organização dos Serviços Público a cargo do Poder
Executivo.
E aqui, se extrai da interpretação teleológica e sistemática do ordenamento
jurídico que, a instituição no âmbito municipal de campanha permanente
para determinado fim ou de data no calendário oficial cabe unicamente ao
Chefe do Poder Executivo por se tratar de ação que demandará o
PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA
ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
“Deus seja louvado”
4
planejamento, organização e gestão administrativa, especificamente sobre
o planejamento de política pública a ser implementada anualmente,
podendo causar impacto desproporcional ao orçamento público.
Nesse sentido é a jurisprudência do colendo Tribunal de Justiça do Estado
de São Paulo, em casos em tudo e por tudo idênticos ao presente:
EMENTA - Ação direta de inconstitucionalidade. Lei nº 3.774, de 27 de
maio de 2015, do Município de Mirassol, que inclui no calendário oficial
do Município o “Dia da Comunidade Árabe”. Iniciativa parlamentar.
Inconstitucionalidade reconhecida, já que cabe privativamente ao
Executivo a iniciativa de lei que verse sobre a gestão da administração
municipal, o que compreende a criação, alteração ou extinção de serviço,
programa ou atividade e tudo o que nisso está envolvido. Hipótese em que,
ademais, a lei acaba por criar despesa sem indicação de fonte de receita.
Violação dos artigos 5º, 25, 47 incisos II e XIV e 176 inciso I da
Constituição estadual. Ação procedente. (Ação Direta de
Inconstitucionalidade nº 2167138-36.2015.8.26.0000, Órgão Especial,
Relator Des. Arantes Theodoro, julgado de 09.12.2015).
Ementa: Ação Direta de Inconstitucionalidade. Município de Hortolândia.
Lei nº 2.975/14, que dispõe sobre o “Dia municipal da luta pela eliminação
da discriminação racial”, e Lei nº 2.994/14, disciplinando o “transporte de
animais domésticos pelo serviço público municipal de transporte coletivo
de passageiros”. Alegado vício de iniciativa e falta de indicação da fonte
de custeio para seu cumprimento. 1. Vício de iniciativa, a configurar
invasão de competência do chefe do Poder Executivo na instituição de
programas, campanhas e serviços administrativos, incidindo igualmente no
óbice da ausência de previsão orçamentária. 2. Ofensa à Constituição do
Estado de São Paulo, especialmente os seus artigos 5º, 24, §2º, 2; 25, 47,
II, XIV e XVIII; 144, 158, parágrafo único, e 176, I. 3. Julgaram
procedente a ação, declarando a inconstitucionalidade das Leis nºs
2.975/14 e 2.994/14, do Município de Hortolândia. (Ação Direta de
Inconstitucionalidade nº 2141004-06.2014.8.26.0000, Órgão Especial,
Relator Des. Vanderci Álvares, julgado de 10.12.2014).
AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE. Lei nº 5.644, de 31 de
março de 2015, do Município de Catanduva, que “institui o dia municipal
do hanseniano, inclui esta data no calendário oficial municipal de eventos
do Município de Catanduva e dá outras providências”. Alegação de ofensa
ao disposto no art. 25 da Constituição do Estado. Não ocorrência. Lei que
não cria ou aumenta despesa pública. Violação da reserva de
Administração, corolário do princípio da separação dos Poderes (art. 5º
da Constituição do Estado). Ação julgada procedente. (Ação Direta de
Inconstitucionalidade nº 2092344-44.2015.8.26.0000, Órgão Especial,
Relator Des. Antonio Carlos Villen, julgado de 16.09.2015).
Nesse último caso, o eminente Desembargador Antonio Carlos Villen,
embora tenha entendido que não tenha ocorrido na espécie a criação ou
aumentado despesa pública, declarou a inconstitucionalidade da lei
municipal pontuando com muita propriedade
“A ação é procedente, contudo, por violação do disposto no art. 5º da
Constituição do Estado. Conforme Hely Lopes Meirelles, “O prefeito atua
sempre por meio de atos concretos e específicos, de governo (atos
políticos) ou de administração (atos administrativos); ao passo que a
Câmara desempenha suas atribuições típicas editando normas abstratas e
PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA
ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
“Deus seja louvado”
5
gerais de conduta (leis)” (Hely Lopes Meirelles, Direito Municipal
Brasileiro, 17ª ed., p. 739).”
É bem verdade que o arranjo político constitucional atribui ao Legislativo
alguns atos atípicos, de controle da administração, mas tais atribuições
são exceções circunscritas ao estabelecido pela Constituição do Estado,
resguardada a simetria quanto à Constituição Federal (STF, ADI-MC
1905, Rel. Min. Sepúlveda Pertence, j. 19.11.1998). Nesse sentido, a
jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, conforme decidido no RE
427.574-ED, Rel. Min. Celso de Mello, j. 13.02.2012: “Ainda que o
legislador disponha do poder de conformação da atividade administrativa,
permitindo-se-lhe, nessa condição, estipular cláusulas gerais e fixar
normas impessoais destinadas a reger e condicionar o próprio
comportamento da Administração Pública, não pode, o Parlamento, em
agindo ultra vires, exorbitar dos limites que definem o exercício de sua
prerrogativa institucional.
E isso ocorreu no caso concreto. A lei impugnada interfere em âmbito
próprio do Executivo, em violação ao que a doutrina tem denominado
“reserva de Administração”, definida por Canotilho como o “núcleo
funcional da administração contra as ingerências do parlamento” (Direito
constitucional e teoria da Constituição, 6ª ed., Coimbra, Almedina, 2002, p.
733).
Ademais, no último dia 23.05.2017 o Excelentíssimo Prefeito Municipal
firmou convênio em conjunto com Estado do Espírito Santo, a fim de que
seja promovido estudo para integrar o sistema de transporte municipal ao
Transcol.
O presente autógrafo de lei, em razão da isenção pretendida, certamente
causará obstáculo aos estudos, o que causaria diversos prejuízos aos
Munícipes e aos usuários de ambos os sistemas.
O Autógrafo de Lei em discussão, ao criar nova isenção tarifária, com o
consequente aumento de despesas, versou sobre matéria cuja iniciativa
cabe exclusivamente ao Chefe do Poder Executivo, ferindo o princípio
constitucional da separação e harmonia dos poderes.
Nesse sentido, os pretórios pátrios já se posicionaram quanto ao tema da
isenção pretendida:
“AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE. LEI ESTADUAL Nº
11.664/01. ISENÇÃO DE TARIFA NO TRANSPORTE COLETIVO
INTERMUNICIPAL A PASSAGEIROS PORTADORES DE
DEFICIÊNCIA. INICIATIVA DO PODER LEGISLATIVO. VÍCIO
FORMAL. É inconstitucional a Lei Estadual nº 11.664/01, de iniciativa do
Poder Legislativo, que estabelece isenção de tarifa no transporte coletivo
intermunicipal a passageiros portadores de deficiência física por vício de
origem, e, assim, com afronta aos artigos 8º, 10 e 82, VII, da Constituição
Estadual, uma vez dispondo sobre atribuições da administração pública,
ferindo a harmonia e independência dos Poderes e atropelando a iniciativa
privativa do Executivo. AÇÃO JULGADA PROCEDENTE. POR MAIORIA.
(Ação Direta de Inconstitucionalidade Nº 70022466023, Tribunal Pleno,
Tribunal de Justiça do RS, Relator: Arno Werlang, Julgado em
09/06/2008)”
“DIREITO CONSTITUCIONAL - AÇÃO DIRETA DE
INCONSTITUCIONALIDADE - LEI MUNICIPAL - CRIAÇÃO DE
PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA
ESTADO DO ESPÍRITO SANTO
“Deus seja louvado”
6
ISENÇÃO DE TARIFA NO TRANSPORTE COLETIVO LOCAL -
VÍCIO DE INICIATIVA - AUMENTO DE DESPESA SEM PREVISÃO
DE RECURSOS - EXISTÊNCIA - INCONSTITUCIONALIDADE
VERIFICADA. - É inconstitucional a Lei Municipal de Lins 5.349, de 2 de
julho de 2010, que instituiu hipótese de isenção de tarifa no transporte
coletivo local, por vício de iniciativa. Ademais, tal proceder configura
violação da independência e harmonia dos poderes, bem como criação de
despesa sem previsão de recursos- Violação dos arts. 2o e 61, § 1, II, b, da
Constituição Federal,aplicáveis aos Municípios por força do princípio da
simetria e "ex vi" dos arts. 5o, 25 e 47, XVIII, e 144 da Constituição
Estadual -Ação procedente. (Processo ADI 3667072820108260000 SP
0366707-28.2010.8.26.0000. Publicação: 11/11/2011. Julgamento: 26 de
Outubro de 2011. Relator: Xavier de Aquino.)””
Estas, Senhor Presidente, Senhores Vereadores, as razões que nos levam a
concluir pelo Veto Integral do Autógrafo de Lei sob comento, com fundamento no
poder conferido pelo § 1º, do art. 40, da Lei Orgânica Municipal, e que ora
submetemos à elevada apreciação dos Senhores Membros dessa Colenda Casa
Legislativa.
Atenciosamente,
MAX FREITAS MAURO FILHO
Prefeito Municipal

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O pedido
O pedidoO pedido
O pedido
Jamildo Melo
 
AÇÃO POPULAR POR ATOS LESIVOS AO PATRIMÔNIO DO MUNICÍPIO
AÇÃO POPULAR POR ATOS LESIVOS AO PATRIMÔNIO DO MUNICÍPIOAÇÃO POPULAR POR ATOS LESIVOS AO PATRIMÔNIO DO MUNICÍPIO
AÇÃO POPULAR POR ATOS LESIVOS AO PATRIMÔNIO DO MUNICÍPIO
Raul Jungmann
 
Prot. 2646 15 mensagem-veto_026_2015 autógrafo 3.436_15
Prot. 2646 15   mensagem-veto_026_2015 autógrafo 3.436_15Prot. 2646 15   mensagem-veto_026_2015 autógrafo 3.436_15
Prot. 2646 15 mensagem-veto_026_2015 autógrafo 3.436_15
Claudio Figueiredo
 
Salário vereadores petrolina
Salário vereadores petrolinaSalário vereadores petrolina
Salário vereadores petrolina
Revista do Vale
 
Prot. 3338 13 veto integral ao autógrafo de lei n° 3211-2013
Prot. 3338 13   veto integral ao autógrafo de lei n° 3211-2013Prot. 3338 13   veto integral ao autógrafo de lei n° 3211-2013
Prot. 3338 13 veto integral ao autógrafo de lei n° 3211-2013
ramonpeyroton
 
Romero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobby
Romero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobbyRomero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobby
Romero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobby
Portal NE10
 
Consep conselho comunitário de segurança pública de mg
Consep   conselho comunitário de segurança pública de mgConsep   conselho comunitário de segurança pública de mg
Consep conselho comunitário de segurança pública de mg
Nercid Lima Reis
 
Prot. 1313 17 mensagem de veto 007 - integral ao autógrafo de lei nº 3621-17
Prot. 1313 17   mensagem de veto 007 - integral ao autógrafo de lei nº 3621-17Prot. 1313 17   mensagem de veto 007 - integral ao autógrafo de lei nº 3621-17
Prot. 1313 17 mensagem de veto 007 - integral ao autógrafo de lei nº 3621-17
Claudio Figueiredo
 
Prot. 3058 15 mensagem veto 033 2015 autógrafo 3.461 15
Prot. 3058 15   mensagem veto 033 2015 autógrafo 3.461 15Prot. 3058 15   mensagem veto 033 2015 autógrafo 3.461 15
Prot. 3058 15 mensagem veto 033 2015 autógrafo 3.461 15
Claudio Figueiredo
 
Projeto de Lei nr 11-2012 Ficha Limpa Municipal
Projeto de Lei nr 11-2012 Ficha Limpa MunicipalProjeto de Lei nr 11-2012 Ficha Limpa Municipal
Projeto de Lei nr 11-2012 Ficha Limpa Municipal
Câmara Municipal de Lauro de Freitas
 
Recomendação 008 2017. nepotismo (geral) - prefeito (demissões)
Recomendação 008 2017. nepotismo (geral) - prefeito (demissões)Recomendação 008 2017. nepotismo (geral) - prefeito (demissões)
Recomendação 008 2017. nepotismo (geral) - prefeito (demissões)
Tarcio Oliveira
 
Documento - Blog do Bruno Muniz
Documento - Blog do Bruno MunizDocumento - Blog do Bruno Muniz
Documento - Blog do Bruno Muniz
Bruno Muniz
 
Incial adi cobrapol
Incial adi cobrapolIncial adi cobrapol
Incial adi cobrapol
efoadvogado
 
Portaria 001 2017 (ic 001-2017) - nepotismo - tuparetama (gestão 2017-2020)
Portaria  001 2017 (ic 001-2017) - nepotismo - tuparetama (gestão 2017-2020)Portaria  001 2017 (ic 001-2017) - nepotismo - tuparetama (gestão 2017-2020)
Portaria 001 2017 (ic 001-2017) - nepotismo - tuparetama (gestão 2017-2020)
Tarcio Oliveira
 
Limpe
LimpeLimpe
PL 001 16 acrescenta e altera dispositivos da lei orgânica do município de ...
PL 001 16   acrescenta e altera dispositivos da lei orgânica do município de ...PL 001 16   acrescenta e altera dispositivos da lei orgânica do município de ...
PL 001 16 acrescenta e altera dispositivos da lei orgânica do município de ...
Claudio Figueiredo
 
Curso preparatório para concursos - Direito Administrativo - aula 2
Curso preparatório para concursos - Direito Administrativo -  aula 2Curso preparatório para concursos - Direito Administrativo -  aula 2
Curso preparatório para concursos - Direito Administrativo - aula 2
Kerlly Dos Santos
 
Novo código de Processo Civil (2015)
Novo código de Processo Civil (2015)Novo código de Processo Civil (2015)
Novo código de Processo Civil (2015)
Leonel Kimus
 

Mais procurados (18)

O pedido
O pedidoO pedido
O pedido
 
AÇÃO POPULAR POR ATOS LESIVOS AO PATRIMÔNIO DO MUNICÍPIO
AÇÃO POPULAR POR ATOS LESIVOS AO PATRIMÔNIO DO MUNICÍPIOAÇÃO POPULAR POR ATOS LESIVOS AO PATRIMÔNIO DO MUNICÍPIO
AÇÃO POPULAR POR ATOS LESIVOS AO PATRIMÔNIO DO MUNICÍPIO
 
Prot. 2646 15 mensagem-veto_026_2015 autógrafo 3.436_15
Prot. 2646 15   mensagem-veto_026_2015 autógrafo 3.436_15Prot. 2646 15   mensagem-veto_026_2015 autógrafo 3.436_15
Prot. 2646 15 mensagem-veto_026_2015 autógrafo 3.436_15
 
Salário vereadores petrolina
Salário vereadores petrolinaSalário vereadores petrolina
Salário vereadores petrolina
 
Prot. 3338 13 veto integral ao autógrafo de lei n° 3211-2013
Prot. 3338 13   veto integral ao autógrafo de lei n° 3211-2013Prot. 3338 13   veto integral ao autógrafo de lei n° 3211-2013
Prot. 3338 13 veto integral ao autógrafo de lei n° 3211-2013
 
Romero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobby
Romero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobbyRomero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobby
Romero Jucá apresenta PEC para regularizar prática do lobby
 
Consep conselho comunitário de segurança pública de mg
Consep   conselho comunitário de segurança pública de mgConsep   conselho comunitário de segurança pública de mg
Consep conselho comunitário de segurança pública de mg
 
Prot. 1313 17 mensagem de veto 007 - integral ao autógrafo de lei nº 3621-17
Prot. 1313 17   mensagem de veto 007 - integral ao autógrafo de lei nº 3621-17Prot. 1313 17   mensagem de veto 007 - integral ao autógrafo de lei nº 3621-17
Prot. 1313 17 mensagem de veto 007 - integral ao autógrafo de lei nº 3621-17
 
Prot. 3058 15 mensagem veto 033 2015 autógrafo 3.461 15
Prot. 3058 15   mensagem veto 033 2015 autógrafo 3.461 15Prot. 3058 15   mensagem veto 033 2015 autógrafo 3.461 15
Prot. 3058 15 mensagem veto 033 2015 autógrafo 3.461 15
 
Projeto de Lei nr 11-2012 Ficha Limpa Municipal
Projeto de Lei nr 11-2012 Ficha Limpa MunicipalProjeto de Lei nr 11-2012 Ficha Limpa Municipal
Projeto de Lei nr 11-2012 Ficha Limpa Municipal
 
Recomendação 008 2017. nepotismo (geral) - prefeito (demissões)
Recomendação 008 2017. nepotismo (geral) - prefeito (demissões)Recomendação 008 2017. nepotismo (geral) - prefeito (demissões)
Recomendação 008 2017. nepotismo (geral) - prefeito (demissões)
 
Documento - Blog do Bruno Muniz
Documento - Blog do Bruno MunizDocumento - Blog do Bruno Muniz
Documento - Blog do Bruno Muniz
 
Incial adi cobrapol
Incial adi cobrapolIncial adi cobrapol
Incial adi cobrapol
 
Portaria 001 2017 (ic 001-2017) - nepotismo - tuparetama (gestão 2017-2020)
Portaria  001 2017 (ic 001-2017) - nepotismo - tuparetama (gestão 2017-2020)Portaria  001 2017 (ic 001-2017) - nepotismo - tuparetama (gestão 2017-2020)
Portaria 001 2017 (ic 001-2017) - nepotismo - tuparetama (gestão 2017-2020)
 
Limpe
LimpeLimpe
Limpe
 
PL 001 16 acrescenta e altera dispositivos da lei orgânica do município de ...
PL 001 16   acrescenta e altera dispositivos da lei orgânica do município de ...PL 001 16   acrescenta e altera dispositivos da lei orgânica do município de ...
PL 001 16 acrescenta e altera dispositivos da lei orgânica do município de ...
 
Curso preparatório para concursos - Direito Administrativo - aula 2
Curso preparatório para concursos - Direito Administrativo -  aula 2Curso preparatório para concursos - Direito Administrativo -  aula 2
Curso preparatório para concursos - Direito Administrativo - aula 2
 
Novo código de Processo Civil (2015)
Novo código de Processo Civil (2015)Novo código de Processo Civil (2015)
Novo código de Processo Civil (2015)
 

Semelhante a Prot. 3089 17 mensagem de veto 021 - integral ao autógrafo de lei nº 3640-17

Prot. 2736 15 mensagem-veto_028_2015 autógrafo 3.446_15
Prot. 2736 15 mensagem-veto_028_2015 autógrafo 3.446_15Prot. 2736 15 mensagem-veto_028_2015 autógrafo 3.446_15
Prot. 2736 15 mensagem-veto_028_2015 autógrafo 3.446_15
Claudio Figueiredo
 
Veto lei do nepotismo de Combinado (TO)
Veto lei do nepotismo de Combinado (TO)Veto lei do nepotismo de Combinado (TO)
Veto lei do nepotismo de Combinado (TO)
Dinomar Miranda
 
Prot. 3083 17 mensagem de veto 020 - integral ao autógrafo de lei nº 3652-17
Prot. 3083 17   mensagem de veto 020 - integral ao autógrafo de lei nº 3652-17Prot. 3083 17   mensagem de veto 020 - integral ao autógrafo de lei nº 3652-17
Prot. 3083 17 mensagem de veto 020 - integral ao autógrafo de lei nº 3652-17
Claudio Figueiredo
 
Mensagem veto 031 2015 autógrafo 3.449 15
Mensagem veto 031 2015 autógrafo 3.449 15Mensagem veto 031 2015 autógrafo 3.449 15
Mensagem veto 031 2015 autógrafo 3.449 15
Claudio Figueiredo
 
Prot. 717 17 pelo - acrescentar o inciso xxi ao artigo 12 - professor heli...
Prot. 717 17   pelo - acrescentar o inciso xxi ao artigo 12  - professor heli...Prot. 717 17   pelo - acrescentar o inciso xxi ao artigo 12  - professor heli...
Prot. 717 17 pelo - acrescentar o inciso xxi ao artigo 12 - professor heli...
Claudio Figueiredo
 
Oab requer ao supremo medida em defesa de usuário de serviços públicos
Oab requer ao supremo medida em defesa de usuário de serviços públicosOab requer ao supremo medida em defesa de usuário de serviços públicos
Oab requer ao supremo medida em defesa de usuário de serviços públicos
José Ripardo
 
Mensagem de Veto 001/2011
Mensagem de Veto 001/2011Mensagem de Veto 001/2011
Mensagem de Veto 001/2011
Câmara Municipal de Lauro de Freitas
 
Regras eleitorais para conselhos municipais de Ilhabela afrontam a Constituiç...
Regras eleitorais para conselhos municipais de Ilhabela afrontam a Constituiç...Regras eleitorais para conselhos municipais de Ilhabela afrontam a Constituiç...
Regras eleitorais para conselhos municipais de Ilhabela afrontam a Constituiç...
OAR Advogados
 
Veto do governo do Amapá à Lei de Cotas Raciais para Negros em Concursos Públ...
Veto do governo do Amapá à Lei de Cotas Raciais para Negros em Concursos Públ...Veto do governo do Amapá à Lei de Cotas Raciais para Negros em Concursos Públ...
Veto do governo do Amapá à Lei de Cotas Raciais para Negros em Concursos Públ...
JDados1
 
Parecer mpf bruno
Parecer mpf brunoParecer mpf bruno
Parecer mpf bruno
Portal NE10
 
Veto integral ao autógrafo de lei nº 3.538 16 cocal
Veto integral ao autógrafo de lei nº 3.538 16 cocalVeto integral ao autógrafo de lei nº 3.538 16 cocal
Veto integral ao autógrafo de lei nº 3.538 16 cocal
Claudio Figueiredo
 
Prot. 2582 15 mensagem-veto_024_2015 autógrafo 3.432_15 (1)
Prot. 2582 15   mensagem-veto_024_2015 autógrafo 3.432_15 (1)Prot. 2582 15   mensagem-veto_024_2015 autógrafo 3.432_15 (1)
Prot. 2582 15 mensagem-veto_024_2015 autógrafo 3.432_15 (1)
Claudio Figueiredo
 
Pedido intervencao gravata_pdf
Pedido intervencao gravata_pdfPedido intervencao gravata_pdf
Pedido intervencao gravata_pdf
Portal NE10
 
Pedido de Intervenção - Gravatá
Pedido de Intervenção - GravatáPedido de Intervenção - Gravatá
Pedido de Intervenção - Gravatá
Paulo Veras
 
Ação do PPS contra geraldo julio
Ação do PPS contra geraldo julioAção do PPS contra geraldo julio
Ação do PPS contra geraldo julio
Jamildo Melo
 
Prot. 2319 14 pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...
Prot. 2319 14   pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...Prot. 2319 14   pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...
Prot. 2319 14 pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...
Ramon Peyroton
 
Prot. 2319 14 pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...
Prot. 2319 14   pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...Prot. 2319 14   pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...
Prot. 2319 14 pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...
Ramon Peyroton
 
Ação Direta de Incostitucionalidade - 2014.005706-4
Ação Direta de Incostitucionalidade - 2014.005706-4Ação Direta de Incostitucionalidade - 2014.005706-4
Ação Direta de Incostitucionalidade - 2014.005706-4
Ministério Público de Santa Catarina
 
Veto integral ao autógrafo de lei nº 3581 16
Veto integral ao autógrafo de lei nº 3581 16Veto integral ao autógrafo de lei nº 3581 16
Veto integral ao autógrafo de lei nº 3581 16
Claudio Figueiredo
 
Portaria MPF - Suspensão PMCMV Catalão
Portaria MPF - Suspensão PMCMV CatalãoPortaria MPF - Suspensão PMCMV Catalão
Portaria MPF - Suspensão PMCMV Catalão
Roberto Tavares
 

Semelhante a Prot. 3089 17 mensagem de veto 021 - integral ao autógrafo de lei nº 3640-17 (20)

Prot. 2736 15 mensagem-veto_028_2015 autógrafo 3.446_15
Prot. 2736 15 mensagem-veto_028_2015 autógrafo 3.446_15Prot. 2736 15 mensagem-veto_028_2015 autógrafo 3.446_15
Prot. 2736 15 mensagem-veto_028_2015 autógrafo 3.446_15
 
Veto lei do nepotismo de Combinado (TO)
Veto lei do nepotismo de Combinado (TO)Veto lei do nepotismo de Combinado (TO)
Veto lei do nepotismo de Combinado (TO)
 
Prot. 3083 17 mensagem de veto 020 - integral ao autógrafo de lei nº 3652-17
Prot. 3083 17   mensagem de veto 020 - integral ao autógrafo de lei nº 3652-17Prot. 3083 17   mensagem de veto 020 - integral ao autógrafo de lei nº 3652-17
Prot. 3083 17 mensagem de veto 020 - integral ao autógrafo de lei nº 3652-17
 
Mensagem veto 031 2015 autógrafo 3.449 15
Mensagem veto 031 2015 autógrafo 3.449 15Mensagem veto 031 2015 autógrafo 3.449 15
Mensagem veto 031 2015 autógrafo 3.449 15
 
Prot. 717 17 pelo - acrescentar o inciso xxi ao artigo 12 - professor heli...
Prot. 717 17   pelo - acrescentar o inciso xxi ao artigo 12  - professor heli...Prot. 717 17   pelo - acrescentar o inciso xxi ao artigo 12  - professor heli...
Prot. 717 17 pelo - acrescentar o inciso xxi ao artigo 12 - professor heli...
 
Oab requer ao supremo medida em defesa de usuário de serviços públicos
Oab requer ao supremo medida em defesa de usuário de serviços públicosOab requer ao supremo medida em defesa de usuário de serviços públicos
Oab requer ao supremo medida em defesa de usuário de serviços públicos
 
Mensagem de Veto 001/2011
Mensagem de Veto 001/2011Mensagem de Veto 001/2011
Mensagem de Veto 001/2011
 
Regras eleitorais para conselhos municipais de Ilhabela afrontam a Constituiç...
Regras eleitorais para conselhos municipais de Ilhabela afrontam a Constituiç...Regras eleitorais para conselhos municipais de Ilhabela afrontam a Constituiç...
Regras eleitorais para conselhos municipais de Ilhabela afrontam a Constituiç...
 
Veto do governo do Amapá à Lei de Cotas Raciais para Negros em Concursos Públ...
Veto do governo do Amapá à Lei de Cotas Raciais para Negros em Concursos Públ...Veto do governo do Amapá à Lei de Cotas Raciais para Negros em Concursos Públ...
Veto do governo do Amapá à Lei de Cotas Raciais para Negros em Concursos Públ...
 
Parecer mpf bruno
Parecer mpf brunoParecer mpf bruno
Parecer mpf bruno
 
Veto integral ao autógrafo de lei nº 3.538 16 cocal
Veto integral ao autógrafo de lei nº 3.538 16 cocalVeto integral ao autógrafo de lei nº 3.538 16 cocal
Veto integral ao autógrafo de lei nº 3.538 16 cocal
 
Prot. 2582 15 mensagem-veto_024_2015 autógrafo 3.432_15 (1)
Prot. 2582 15   mensagem-veto_024_2015 autógrafo 3.432_15 (1)Prot. 2582 15   mensagem-veto_024_2015 autógrafo 3.432_15 (1)
Prot. 2582 15 mensagem-veto_024_2015 autógrafo 3.432_15 (1)
 
Pedido intervencao gravata_pdf
Pedido intervencao gravata_pdfPedido intervencao gravata_pdf
Pedido intervencao gravata_pdf
 
Pedido de Intervenção - Gravatá
Pedido de Intervenção - GravatáPedido de Intervenção - Gravatá
Pedido de Intervenção - Gravatá
 
Ação do PPS contra geraldo julio
Ação do PPS contra geraldo julioAção do PPS contra geraldo julio
Ação do PPS contra geraldo julio
 
Prot. 2319 14 pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...
Prot. 2319 14   pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...Prot. 2319 14   pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...
Prot. 2319 14 pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...
 
Prot. 2319 14 pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...
Prot. 2319 14   pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...Prot. 2319 14   pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...
Prot. 2319 14 pl 064-2014 - autoriza a filiação do município de vila velha ...
 
Ação Direta de Incostitucionalidade - 2014.005706-4
Ação Direta de Incostitucionalidade - 2014.005706-4Ação Direta de Incostitucionalidade - 2014.005706-4
Ação Direta de Incostitucionalidade - 2014.005706-4
 
Veto integral ao autógrafo de lei nº 3581 16
Veto integral ao autógrafo de lei nº 3581 16Veto integral ao autógrafo de lei nº 3581 16
Veto integral ao autógrafo de lei nº 3581 16
 
Portaria MPF - Suspensão PMCMV Catalão
Portaria MPF - Suspensão PMCMV CatalãoPortaria MPF - Suspensão PMCMV Catalão
Portaria MPF - Suspensão PMCMV Catalão
 

Mais de Claudio Figueiredo

Emenda modificativa dona arlete
Emenda modificativa dona arleteEmenda modificativa dona arlete
Emenda modificativa dona arlete
Claudio Figueiredo
 
Emenda aditiva_vereador osvaldo maturano_PL 4754/17
Emenda aditiva_vereador osvaldo maturano_PL 4754/17Emenda aditiva_vereador osvaldo maturano_PL 4754/17
Emenda aditiva_vereador osvaldo maturano_PL 4754/17
Claudio Figueiredo
 
PL 2624_13_Arnaldinho Borgo
PL 2624_13_Arnaldinho BorgoPL 2624_13_Arnaldinho Borgo
PL 2624_13_Arnaldinho Borgo
Claudio Figueiredo
 
Prot. 2782 17 pl institui o “boletim escolar eletrônico” nas escolas da red...
Prot. 2782 17   pl institui o “boletim escolar eletrônico” nas escolas da red...Prot. 2782 17   pl institui o “boletim escolar eletrônico” nas escolas da red...
Prot. 2782 17 pl institui o “boletim escolar eletrônico” nas escolas da red...
Claudio Figueiredo
 
Prot. 4117 17 pdl - cria a frente parlamentar de promoção da igualdade raci...
Prot. 4117 17   pdl - cria a frente parlamentar de promoção da igualdade raci...Prot. 4117 17   pdl - cria a frente parlamentar de promoção da igualdade raci...
Prot. 4117 17 pdl - cria a frente parlamentar de promoção da igualdade raci...
Claudio Figueiredo
 
Prot. 2572 17 pl cria o plano municipal de conscientização e prevenção ao ...
Prot. 2572 17   pl  cria o plano municipal de conscientização e prevenção ao ...Prot. 2572 17   pl  cria o plano municipal de conscientização e prevenção ao ...
Prot. 2572 17 pl cria o plano municipal de conscientização e prevenção ao ...
Claudio Figueiredo
 
Prot. 2312 17 pl institui a política municipal de promoção da igualdade rac...
Prot. 2312 17   pl institui a política municipal de promoção da igualdade rac...Prot. 2312 17   pl institui a política municipal de promoção da igualdade rac...
Prot. 2312 17 pl institui a política municipal de promoção da igualdade rac...
Claudio Figueiredo
 
Prot. 2000 17 pl acrescenta inciso iv ao artigo 1º da lei nº 5.466-13 - hel...
Prot. 2000 17   pl acrescenta inciso iv ao artigo 1º da lei nº 5.466-13 - hel...Prot. 2000 17   pl acrescenta inciso iv ao artigo 1º da lei nº 5.466-13 - hel...
Prot. 2000 17 pl acrescenta inciso iv ao artigo 1º da lei nº 5.466-13 - hel...
Claudio Figueiredo
 
Prot. 1726 17 pl cassação dos postos que comercializarem combustível adulte...
Prot. 1726 17   pl cassação dos postos que comercializarem combustível adulte...Prot. 1726 17   pl cassação dos postos que comercializarem combustível adulte...
Prot. 1726 17 pl cassação dos postos que comercializarem combustível adulte...
Claudio Figueiredo
 
Prot. 1011 17 pelo - acrescenta § 5º ao artigo 132 da lei orgânica do munic...
Prot. 1011 17   pelo - acrescenta § 5º ao artigo 132 da lei orgânica do munic...Prot. 1011 17   pelo - acrescenta § 5º ao artigo 132 da lei orgânica do munic...
Prot. 1011 17 pelo - acrescenta § 5º ao artigo 132 da lei orgânica do munic...
Claudio Figueiredo
 
Prot. 317 17 substitutivo - reginaldo almeida
Prot. 317 17   substitutivo - reginaldo almeidaProt. 317 17   substitutivo - reginaldo almeida
Prot. 317 17 substitutivo - reginaldo almeida
Claudio Figueiredo
 
Prot. 3363 17 pl dispõe sobre o desmembramento da secretaria municipal de a...
Prot. 3363 17   pl dispõe sobre o desmembramento da secretaria municipal de a...Prot. 3363 17   pl dispõe sobre o desmembramento da secretaria municipal de a...
Prot. 3363 17 pl dispõe sobre o desmembramento da secretaria municipal de a...
Claudio Figueiredo
 
Prot. 1138 17 pl institui a gratuidade no sistema municipal de transporte c...
Prot. 1138 17   pl institui a gratuidade no sistema municipal de transporte c...Prot. 1138 17   pl institui a gratuidade no sistema municipal de transporte c...
Prot. 1138 17 pl institui a gratuidade no sistema municipal de transporte c...
Claudio Figueiredo
 
Prot. 3088 17 mensagem de veto 023 - integral ao autógrafo de lei nº 3646-17
Prot. 3088 17   mensagem de veto 023 - integral ao autógrafo de lei nº 3646-17Prot. 3088 17   mensagem de veto 023 - integral ao autógrafo de lei nº 3646-17
Prot. 3088 17 mensagem de veto 023 - integral ao autógrafo de lei nº 3646-17
Claudio Figueiredo
 
Prot. 247 17 pl autoriza o pe a instituir o plano municipal de valorização ...
Prot. 247 17   pl autoriza o pe a instituir o plano municipal de valorização ...Prot. 247 17   pl autoriza o pe a instituir o plano municipal de valorização ...
Prot. 247 17 pl autoriza o pe a instituir o plano municipal de valorização ...
Claudio Figueiredo
 
Prot. 342 17 pl autoriza o pe a instituir o plano diretor municipal de arbo...
Prot. 342 17   pl autoriza o pe a instituir o plano diretor municipal de arbo...Prot. 342 17   pl autoriza o pe a instituir o plano diretor municipal de arbo...
Prot. 342 17 pl autoriza o pe a instituir o plano diretor municipal de arbo...
Claudio Figueiredo
 
Prot. 2050 17 pl dispõe sobre a execução do serviço de transporte de passag...
Prot. 2050 17   pl dispõe sobre a execução do serviço de transporte de passag...Prot. 2050 17   pl dispõe sobre a execução do serviço de transporte de passag...
Prot. 2050 17 pl dispõe sobre a execução do serviço de transporte de passag...
Claudio Figueiredo
 
Prot. 3084 17 mensagem de veto 019 - integral ao autógrafo de lei nº 3642-17
Prot. 3084 17   mensagem de veto 019 - integral ao autógrafo de lei nº 3642-17Prot. 3084 17   mensagem de veto 019 - integral ao autógrafo de lei nº 3642-17
Prot. 3084 17 mensagem de veto 019 - integral ao autógrafo de lei nº 3642-17
Claudio Figueiredo
 
Prot. 1979 17 pl dispõe sobre a obrigatoriedade da disponibilização de toda...
Prot. 1979 17   pl dispõe sobre a obrigatoriedade da disponibilização de toda...Prot. 1979 17   pl dispõe sobre a obrigatoriedade da disponibilização de toda...
Prot. 1979 17 pl dispõe sobre a obrigatoriedade da disponibilização de toda...
Claudio Figueiredo
 
Prot. 1169 16 pl autoriza implantar hospital veterinário municipal e postos...
Prot. 1169 16   pl autoriza implantar hospital veterinário municipal e postos...Prot. 1169 16   pl autoriza implantar hospital veterinário municipal e postos...
Prot. 1169 16 pl autoriza implantar hospital veterinário municipal e postos...
Claudio Figueiredo
 

Mais de Claudio Figueiredo (20)

Emenda modificativa dona arlete
Emenda modificativa dona arleteEmenda modificativa dona arlete
Emenda modificativa dona arlete
 
Emenda aditiva_vereador osvaldo maturano_PL 4754/17
Emenda aditiva_vereador osvaldo maturano_PL 4754/17Emenda aditiva_vereador osvaldo maturano_PL 4754/17
Emenda aditiva_vereador osvaldo maturano_PL 4754/17
 
PL 2624_13_Arnaldinho Borgo
PL 2624_13_Arnaldinho BorgoPL 2624_13_Arnaldinho Borgo
PL 2624_13_Arnaldinho Borgo
 
Prot. 2782 17 pl institui o “boletim escolar eletrônico” nas escolas da red...
Prot. 2782 17   pl institui o “boletim escolar eletrônico” nas escolas da red...Prot. 2782 17   pl institui o “boletim escolar eletrônico” nas escolas da red...
Prot. 2782 17 pl institui o “boletim escolar eletrônico” nas escolas da red...
 
Prot. 4117 17 pdl - cria a frente parlamentar de promoção da igualdade raci...
Prot. 4117 17   pdl - cria a frente parlamentar de promoção da igualdade raci...Prot. 4117 17   pdl - cria a frente parlamentar de promoção da igualdade raci...
Prot. 4117 17 pdl - cria a frente parlamentar de promoção da igualdade raci...
 
Prot. 2572 17 pl cria o plano municipal de conscientização e prevenção ao ...
Prot. 2572 17   pl  cria o plano municipal de conscientização e prevenção ao ...Prot. 2572 17   pl  cria o plano municipal de conscientização e prevenção ao ...
Prot. 2572 17 pl cria o plano municipal de conscientização e prevenção ao ...
 
Prot. 2312 17 pl institui a política municipal de promoção da igualdade rac...
Prot. 2312 17   pl institui a política municipal de promoção da igualdade rac...Prot. 2312 17   pl institui a política municipal de promoção da igualdade rac...
Prot. 2312 17 pl institui a política municipal de promoção da igualdade rac...
 
Prot. 2000 17 pl acrescenta inciso iv ao artigo 1º da lei nº 5.466-13 - hel...
Prot. 2000 17   pl acrescenta inciso iv ao artigo 1º da lei nº 5.466-13 - hel...Prot. 2000 17   pl acrescenta inciso iv ao artigo 1º da lei nº 5.466-13 - hel...
Prot. 2000 17 pl acrescenta inciso iv ao artigo 1º da lei nº 5.466-13 - hel...
 
Prot. 1726 17 pl cassação dos postos que comercializarem combustível adulte...
Prot. 1726 17   pl cassação dos postos que comercializarem combustível adulte...Prot. 1726 17   pl cassação dos postos que comercializarem combustível adulte...
Prot. 1726 17 pl cassação dos postos que comercializarem combustível adulte...
 
Prot. 1011 17 pelo - acrescenta § 5º ao artigo 132 da lei orgânica do munic...
Prot. 1011 17   pelo - acrescenta § 5º ao artigo 132 da lei orgânica do munic...Prot. 1011 17   pelo - acrescenta § 5º ao artigo 132 da lei orgânica do munic...
Prot. 1011 17 pelo - acrescenta § 5º ao artigo 132 da lei orgânica do munic...
 
Prot. 317 17 substitutivo - reginaldo almeida
Prot. 317 17   substitutivo - reginaldo almeidaProt. 317 17   substitutivo - reginaldo almeida
Prot. 317 17 substitutivo - reginaldo almeida
 
Prot. 3363 17 pl dispõe sobre o desmembramento da secretaria municipal de a...
Prot. 3363 17   pl dispõe sobre o desmembramento da secretaria municipal de a...Prot. 3363 17   pl dispõe sobre o desmembramento da secretaria municipal de a...
Prot. 3363 17 pl dispõe sobre o desmembramento da secretaria municipal de a...
 
Prot. 1138 17 pl institui a gratuidade no sistema municipal de transporte c...
Prot. 1138 17   pl institui a gratuidade no sistema municipal de transporte c...Prot. 1138 17   pl institui a gratuidade no sistema municipal de transporte c...
Prot. 1138 17 pl institui a gratuidade no sistema municipal de transporte c...
 
Prot. 3088 17 mensagem de veto 023 - integral ao autógrafo de lei nº 3646-17
Prot. 3088 17   mensagem de veto 023 - integral ao autógrafo de lei nº 3646-17Prot. 3088 17   mensagem de veto 023 - integral ao autógrafo de lei nº 3646-17
Prot. 3088 17 mensagem de veto 023 - integral ao autógrafo de lei nº 3646-17
 
Prot. 247 17 pl autoriza o pe a instituir o plano municipal de valorização ...
Prot. 247 17   pl autoriza o pe a instituir o plano municipal de valorização ...Prot. 247 17   pl autoriza o pe a instituir o plano municipal de valorização ...
Prot. 247 17 pl autoriza o pe a instituir o plano municipal de valorização ...
 
Prot. 342 17 pl autoriza o pe a instituir o plano diretor municipal de arbo...
Prot. 342 17   pl autoriza o pe a instituir o plano diretor municipal de arbo...Prot. 342 17   pl autoriza o pe a instituir o plano diretor municipal de arbo...
Prot. 342 17 pl autoriza o pe a instituir o plano diretor municipal de arbo...
 
Prot. 2050 17 pl dispõe sobre a execução do serviço de transporte de passag...
Prot. 2050 17   pl dispõe sobre a execução do serviço de transporte de passag...Prot. 2050 17   pl dispõe sobre a execução do serviço de transporte de passag...
Prot. 2050 17 pl dispõe sobre a execução do serviço de transporte de passag...
 
Prot. 3084 17 mensagem de veto 019 - integral ao autógrafo de lei nº 3642-17
Prot. 3084 17   mensagem de veto 019 - integral ao autógrafo de lei nº 3642-17Prot. 3084 17   mensagem de veto 019 - integral ao autógrafo de lei nº 3642-17
Prot. 3084 17 mensagem de veto 019 - integral ao autógrafo de lei nº 3642-17
 
Prot. 1979 17 pl dispõe sobre a obrigatoriedade da disponibilização de toda...
Prot. 1979 17   pl dispõe sobre a obrigatoriedade da disponibilização de toda...Prot. 1979 17   pl dispõe sobre a obrigatoriedade da disponibilização de toda...
Prot. 1979 17 pl dispõe sobre a obrigatoriedade da disponibilização de toda...
 
Prot. 1169 16 pl autoriza implantar hospital veterinário municipal e postos...
Prot. 1169 16   pl autoriza implantar hospital veterinário municipal e postos...Prot. 1169 16   pl autoriza implantar hospital veterinário municipal e postos...
Prot. 1169 16 pl autoriza implantar hospital veterinário municipal e postos...
 

Prot. 3089 17 mensagem de veto 021 - integral ao autógrafo de lei nº 3640-17

  • 1. PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO “Deus seja louvado” 1 Vila Velha, ES, 14 de junho de 2017. MENSAGEM DE VETO Nº 021/2017 Senhor Presidente, Senhores Vereadores, Dirijo-me a Vossas Excelências para encaminhar as razões da aposição do VETO INTEGRAL ao Autógrafo de Lei nº 3.640/2017. Atenciosamente, MAX FREITAS MAURO FILHO Prefeito Municipal
  • 2. PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO “Deus seja louvado” 2 Vila Velha, ES, 14 de junho de 2017. RAZÕES DO VETO Assunto: Veto Integral ao Autógrafo de Lei nº 3.640/2017. Senhor Presidente, Senhores Vereadores, Comunicamos a essa egrégia Câmara nossa decisão de apor VETO INTEGRAL ao Autógrafo de Lei acima enunciado que institui a gratuidade no Sistema Municipal de Transporte Coletivo para o trabalhador desempregado que estiver sob a assistência do benefício do seguro desemprego. Registramos que a matéria teve a iniciativa de membro do Poder Legislativo e foi levada à apreciação da Secretaria Municipal de Prevenção, Combate à Violência e Trânsito - SEMPREV e da Procuradoria Geral do Município - PGM, de cuja análise se extrai que o presente projeto de lei apresenta inviabilidade jurídica, pelas razões que passamos a discorrer: “Nesse sentido, apesar da liberdade de manifestação e independência dos Procuradores Municipais, a manifestação proferida, preferencialmente deve estar ancorada em corrente majoritária da doutrina e em jurisprudência dominante1 , o que não ocorre no presente caso. O parecer lavrado colide às inteiras com às normas jurídicas, doutrina majoritária e jurisprudência dominante. Inicialmente, cumpre observar que a iniciativa de leis no sistema jurídico brasileiro compete a uma multiplicidade de sujeitos. Conforme prevê a Constituição Federal, em seu art. 61, a proposição das leis complementares e ordinárias “cabe a qualquer membro ou Comissão da Câmara dos Deputados, do Senado Federal ou do Congresso Nacional, ao Presidente da República, ao Supremo Tribunal Federal, aos Tribunais Superiores, ao Procurador-Geral da República e aos cidadãos”. De igual modo, e em decorrência do principio da simetria, a Constituição do Estado de São tPaulo prevê em seu artigo 24 que a iniciativa das leis complementares “cabe a qualquer membro ou Comissão da Assembléia Legislativa, ao Governador do Estado, ao Tribunal de Justiça, ao Procurador-Geral de Justiça e aos cidadãos”. Geralmente as Leis Orgânicas Municipais também trazem dispositivos semelhantes no sentido de que a iniciativa dos projetos de leis compete aos Vereadores, Prefeitos e cidadãos. 1 Art. 2º Sem prejuízo da consultoria e assessoramento jurídico o seu cargo, conforme disposição do art. 3º da Lei Municipal nº 4.749/2009, a manifestação da Procuradoria Geral do Município de Vila Velha - PGM se consubstanciará em parecer ou trabalho técnico-jurídico escrito, incluídas as peças judiciais, observando-se os prazos previstos em lei ou neste Decreto. § 1º Assegurada a independência funcional dos membros da Procuradoria Geral, os pareceres, trabalhos técnico-jurídico escrito, as petições e demais peças judiciais devem ser bem fundamentados em norma jurídica, preferencialmente em corrente majoritária da doutrina e em jurisprudência dominante.
  • 3. PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO “Deus seja louvado” 3 Contudo, apesar da regra geral do direito brasileiro consagrar a democracia com relação à iniciativa legislativa, o ordenamento também previu, de maneira necessária e fundamental, a consagrada reserva legal, através da qual algumas matérias ficam resguardadas à iniciativa especifica de determinado agente competente. No modelo jurídico brasileiro, o ponto mais importante relacionado às clausulas de reserva legal, se dá com relação às matérias cuja iniciativa é do chefe do Poder Executivo, por incidirem em aumento de despesa pública ou na gestão do município e suas políticas públicas, onde não há qualquer possibilidade de avocação da competência pelo Poder Legislativo. Como é corrente na prática do processo legislativo, leis municipais nascidas nas Câmaras de Vereadores, dispondo sobre a organização e estrutura da administração, suas políticas públicas e de seus serviços públicos de modo que importem em impacto orçamentário não previsto pelas Leis Orçamentárias, contêm vício insanável de inconstitucionalidade porque ferem a competência do chefe do Poder Executivo, a quem incumbe a administração do município e a organização dos órgãos da Administração Pública. Com efeito, de acordo com o artigo 2º da Constituição Federal, são Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo, o Executivo e o Judiciário. Desse modo, o Estado brasileiro possui três funções básicas: a legislativa, a administrativa (ou executiva) e a jurisdicional, sendo que estão distribuídas entre três blocos orgânicos, denominados “Poderes”. Como explica o professor Celso Antônio Bandeira de Mello, “tais unidades orgânicas absorveriam, senão com absoluta exclusividade, ao menos com manifesta predominância, as funções correspondentes a seus próprios nomes: Legislativo, Executivo e Judiciário”. E a função predominante do Poder Executivo consiste em administrar. Assim como cabe ao Poder Judiciário a função jurisdicional e ao Poder Legislativo a função legislativa. Portanto, existem funções afetas a cada Poder, sem é claro neutralizar eventuais exceções. O que se veda com isso é a invasão de um Poder na esfera de exercício da função predominantemente afeta a outro Poder. Tal ocorrência implicaria em desrespeito à tripartição de Poderes prevista na Constituição Federal. Em decorrência disso, projetos que onerem o erário e importem em aumento de custo efetivo para a Administração ou influam em sua estrutura e organização, são exclusivamente de iniciativa do Prefeito, pois é a ele que compete a previsão, organização e administração da coisa pública. Assim, da mesma forma que o direito brasileiro não admite que decisões judiciais obriguem o Legislativo a legislar ou à Administração a executar ato administrativo de competência discricionária, também não admite que o Poder Legislativo atinja a organização municipal estruturada na gestão do patrimônio e na organização dos Serviços Público a cargo do Poder Executivo. E aqui, se extrai da interpretação teleológica e sistemática do ordenamento jurídico que, a instituição no âmbito municipal de campanha permanente para determinado fim ou de data no calendário oficial cabe unicamente ao Chefe do Poder Executivo por se tratar de ação que demandará o
  • 4. PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO “Deus seja louvado” 4 planejamento, organização e gestão administrativa, especificamente sobre o planejamento de política pública a ser implementada anualmente, podendo causar impacto desproporcional ao orçamento público. Nesse sentido é a jurisprudência do colendo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, em casos em tudo e por tudo idênticos ao presente: EMENTA - Ação direta de inconstitucionalidade. Lei nº 3.774, de 27 de maio de 2015, do Município de Mirassol, que inclui no calendário oficial do Município o “Dia da Comunidade Árabe”. Iniciativa parlamentar. Inconstitucionalidade reconhecida, já que cabe privativamente ao Executivo a iniciativa de lei que verse sobre a gestão da administração municipal, o que compreende a criação, alteração ou extinção de serviço, programa ou atividade e tudo o que nisso está envolvido. Hipótese em que, ademais, a lei acaba por criar despesa sem indicação de fonte de receita. Violação dos artigos 5º, 25, 47 incisos II e XIV e 176 inciso I da Constituição estadual. Ação procedente. (Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 2167138-36.2015.8.26.0000, Órgão Especial, Relator Des. Arantes Theodoro, julgado de 09.12.2015). Ementa: Ação Direta de Inconstitucionalidade. Município de Hortolândia. Lei nº 2.975/14, que dispõe sobre o “Dia municipal da luta pela eliminação da discriminação racial”, e Lei nº 2.994/14, disciplinando o “transporte de animais domésticos pelo serviço público municipal de transporte coletivo de passageiros”. Alegado vício de iniciativa e falta de indicação da fonte de custeio para seu cumprimento. 1. Vício de iniciativa, a configurar invasão de competência do chefe do Poder Executivo na instituição de programas, campanhas e serviços administrativos, incidindo igualmente no óbice da ausência de previsão orçamentária. 2. Ofensa à Constituição do Estado de São Paulo, especialmente os seus artigos 5º, 24, §2º, 2; 25, 47, II, XIV e XVIII; 144, 158, parágrafo único, e 176, I. 3. Julgaram procedente a ação, declarando a inconstitucionalidade das Leis nºs 2.975/14 e 2.994/14, do Município de Hortolândia. (Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 2141004-06.2014.8.26.0000, Órgão Especial, Relator Des. Vanderci Álvares, julgado de 10.12.2014). AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE. Lei nº 5.644, de 31 de março de 2015, do Município de Catanduva, que “institui o dia municipal do hanseniano, inclui esta data no calendário oficial municipal de eventos do Município de Catanduva e dá outras providências”. Alegação de ofensa ao disposto no art. 25 da Constituição do Estado. Não ocorrência. Lei que não cria ou aumenta despesa pública. Violação da reserva de Administração, corolário do princípio da separação dos Poderes (art. 5º da Constituição do Estado). Ação julgada procedente. (Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 2092344-44.2015.8.26.0000, Órgão Especial, Relator Des. Antonio Carlos Villen, julgado de 16.09.2015). Nesse último caso, o eminente Desembargador Antonio Carlos Villen, embora tenha entendido que não tenha ocorrido na espécie a criação ou aumentado despesa pública, declarou a inconstitucionalidade da lei municipal pontuando com muita propriedade “A ação é procedente, contudo, por violação do disposto no art. 5º da Constituição do Estado. Conforme Hely Lopes Meirelles, “O prefeito atua sempre por meio de atos concretos e específicos, de governo (atos políticos) ou de administração (atos administrativos); ao passo que a Câmara desempenha suas atribuições típicas editando normas abstratas e
  • 5. PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO “Deus seja louvado” 5 gerais de conduta (leis)” (Hely Lopes Meirelles, Direito Municipal Brasileiro, 17ª ed., p. 739).” É bem verdade que o arranjo político constitucional atribui ao Legislativo alguns atos atípicos, de controle da administração, mas tais atribuições são exceções circunscritas ao estabelecido pela Constituição do Estado, resguardada a simetria quanto à Constituição Federal (STF, ADI-MC 1905, Rel. Min. Sepúlveda Pertence, j. 19.11.1998). Nesse sentido, a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, conforme decidido no RE 427.574-ED, Rel. Min. Celso de Mello, j. 13.02.2012: “Ainda que o legislador disponha do poder de conformação da atividade administrativa, permitindo-se-lhe, nessa condição, estipular cláusulas gerais e fixar normas impessoais destinadas a reger e condicionar o próprio comportamento da Administração Pública, não pode, o Parlamento, em agindo ultra vires, exorbitar dos limites que definem o exercício de sua prerrogativa institucional. E isso ocorreu no caso concreto. A lei impugnada interfere em âmbito próprio do Executivo, em violação ao que a doutrina tem denominado “reserva de Administração”, definida por Canotilho como o “núcleo funcional da administração contra as ingerências do parlamento” (Direito constitucional e teoria da Constituição, 6ª ed., Coimbra, Almedina, 2002, p. 733). Ademais, no último dia 23.05.2017 o Excelentíssimo Prefeito Municipal firmou convênio em conjunto com Estado do Espírito Santo, a fim de que seja promovido estudo para integrar o sistema de transporte municipal ao Transcol. O presente autógrafo de lei, em razão da isenção pretendida, certamente causará obstáculo aos estudos, o que causaria diversos prejuízos aos Munícipes e aos usuários de ambos os sistemas. O Autógrafo de Lei em discussão, ao criar nova isenção tarifária, com o consequente aumento de despesas, versou sobre matéria cuja iniciativa cabe exclusivamente ao Chefe do Poder Executivo, ferindo o princípio constitucional da separação e harmonia dos poderes. Nesse sentido, os pretórios pátrios já se posicionaram quanto ao tema da isenção pretendida: “AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE. LEI ESTADUAL Nº 11.664/01. ISENÇÃO DE TARIFA NO TRANSPORTE COLETIVO INTERMUNICIPAL A PASSAGEIROS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA. INICIATIVA DO PODER LEGISLATIVO. VÍCIO FORMAL. É inconstitucional a Lei Estadual nº 11.664/01, de iniciativa do Poder Legislativo, que estabelece isenção de tarifa no transporte coletivo intermunicipal a passageiros portadores de deficiência física por vício de origem, e, assim, com afronta aos artigos 8º, 10 e 82, VII, da Constituição Estadual, uma vez dispondo sobre atribuições da administração pública, ferindo a harmonia e independência dos Poderes e atropelando a iniciativa privativa do Executivo. AÇÃO JULGADA PROCEDENTE. POR MAIORIA. (Ação Direta de Inconstitucionalidade Nº 70022466023, Tribunal Pleno, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Arno Werlang, Julgado em 09/06/2008)” “DIREITO CONSTITUCIONAL - AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE - LEI MUNICIPAL - CRIAÇÃO DE
  • 6. PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO “Deus seja louvado” 6 ISENÇÃO DE TARIFA NO TRANSPORTE COLETIVO LOCAL - VÍCIO DE INICIATIVA - AUMENTO DE DESPESA SEM PREVISÃO DE RECURSOS - EXISTÊNCIA - INCONSTITUCIONALIDADE VERIFICADA. - É inconstitucional a Lei Municipal de Lins 5.349, de 2 de julho de 2010, que instituiu hipótese de isenção de tarifa no transporte coletivo local, por vício de iniciativa. Ademais, tal proceder configura violação da independência e harmonia dos poderes, bem como criação de despesa sem previsão de recursos- Violação dos arts. 2o e 61, § 1, II, b, da Constituição Federal,aplicáveis aos Municípios por força do princípio da simetria e "ex vi" dos arts. 5o, 25 e 47, XVIII, e 144 da Constituição Estadual -Ação procedente. (Processo ADI 3667072820108260000 SP 0366707-28.2010.8.26.0000. Publicação: 11/11/2011. Julgamento: 26 de Outubro de 2011. Relator: Xavier de Aquino.)”” Estas, Senhor Presidente, Senhores Vereadores, as razões que nos levam a concluir pelo Veto Integral do Autógrafo de Lei sob comento, com fundamento no poder conferido pelo § 1º, do art. 40, da Lei Orgânica Municipal, e que ora submetemos à elevada apreciação dos Senhores Membros dessa Colenda Casa Legislativa. Atenciosamente, MAX FREITAS MAURO FILHO Prefeito Municipal