SlideShare uma empresa Scribd logo
1
SECRETARIA DA INCLUSÃO SOCIAL DESPORTIVA E CULTURAL
Av. Jorge Domingues, 1083, Centro. Irauçuba – CE. CEP. 62.620 – 000
E-mail: sidesc@iraucuba.ce.gov.br-Fone: (88) 3625 1266
2
PROJETOS DESENVOLVIDOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES REALIZADOS PELA SECRETARIA DA INCLUSÃO SOCIAL,
DESPORTIVA E CULTURAL -SIDESC
1. PROGRAMA/PROJETO: SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS
O SCFV é um serviço da Proteção Social Básica do SUAS que é ofertado de forma complementar ao trabalho social com famílias
realizado por meio do Serviço de Proteção e Atendimento Integral às Famílias (PAIF) e do Serviço de Proteção e Atendimento
Especializado às Famílias e Indivíduos (PAEFI).
O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) realiza atendimentos em grupo. São atividades artísticas, culturais,
de lazer e esportivas, dentre outras, de acordo com a idade dos usuários.
É uma forma de intervenção social planejada que cria situações desafiadoras, estimula e orienta os usuários na construção e
reconstrução de suas histórias e vivências individuais, coletivas e familiares.
Objetivos: Fortalecer as relações familiares e comunitárias, além de promover a integração e a troca de experiências entre os
participantes, valorizando o sentido de vida coletiva. O SCFV possui um caráter preventivo, pautado na defesa e afirmação de
direitos e no desenvolvimento de capacidades dos usuários.
Público-alvo: 282 alunos com faixa etária entre 0 a 17 anos.
Recursos: CRAS
NÚCLEO LOCAL DE
ATENDIMENTO
FAIXA
ETÁRIA
TOTAL DE ALUNOS DIAS/HORÁRIOS RESPONSÁVEL COORDENAÇÃO PERÍODO
Sede CRAS Tia Maria
Janica
0-6 anos 30 alunos,
divididos em 2
turmas de 15
cada
Terça/Quinta
8h30 às 9h30
Amanda
Lopes
CRAS Sede 20 de
Março a
31 de
Dezembro
Campinas EEF Manoel
Coelho da
Cruz
6 a 12 anos 23 alunos Segunda-feira
13h às 17h
Silvana Sousa
Barreiras Escola de 13 a 17 anos 25 alunos Terça-feira Silvana Sousa
3
Barreiras 18h ás 21h
Boa Vista do
Caxitoré
Sindicato dos
Trabalhadores
13 a 17 anos 17 alunos Segunda e sexta-
feira
7h30 às 9h30
Elaine
Santana
Missi CRAS Missi 6 a 9 anos 30 alunos,
dividido em duas
turmas de 15
alunos
Terça – 8h às 10h
Quinta-15h às 17h
Clenice
Almeida
CRAS Missi
Missi CRAS Missi 15 a 17 anos 32 alunos,
dividido em duas
turmas de 16
alunos
Segunda – 10h às
12h
Quarta-15h às 17h
Clenice
Almeida
Missi CRAS Missi 11 a 13 anos 30 alunos Quarta- 8h às 9h30 Pedro
Rodrigues
Missi CRAS Missi 13 a 15 anos 21 alunos Quinta- 13h30 às
15h
Pedro
Rodrigues
Juá Sindicato 6 a 11 anos 25 alunos Segunda e quarta-
16h às 18h
Vanessa
Cyntia
Juá Sindicato 12 a 15 anos 19 alunos Terça e quinta- 16h
às 18h
Vanessa
Cyntia
Coité Casa Verde 15 a 17 anos 30 alunos Quarta e sexta-18h
às 19h
Elizangela
Firmino
4
2. PROGRAMA/PROJETO: PROGRAMA CRIANÇA FELIZ
O Programa Criança Feliz tem caráter intersetorial tendo em vista promover o desenvolvimento integral das crianças na primeira
infância, considerando sua família e seu contexto de vida. Coordenado pelo Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário, o
programa articula ações das políticas de assistência social, saúde, educação, cultura, direitos humanos, tendo como
fundamento a Lei nº 13.257, de 8 de março de 2016 – conhecida como Marco Legal da Primeira Infância. O programa fortalece a
trajetória brasileira de enfrentamento da pobreza com redução de vulnerabilidades e desigualdades e potencializa a integração
do acesso à renda com inclusão em serviços e programas. Renova, ainda, os compromissos do Brasil com a atenção às crianças
com deficiência beneficiárias do BPC e suas famílias e também às crianças privadas do convívio familiar, em serviços de
acolhimento, e suas famílias.
Objetivos: De acordo com o Art. 3º do Decreto nº 8.869/2016 o Programa Criança Feliz tem como objetivos:
• Promover o desenvolvimento humano a partir do apoio e do acompanhamento do desenvolvimento infantil integral na primeira
infância;
• Apoiar a gestante e a família na preparação para o nascimento e nos cuidados perinatais;
• Colaborar no exercício da parentalidade, fortalecendo os vínculos e o papel das famílias para o desempenho da função de
cuidado, proteção e educação de crianças na faixa etária de até seis anos de idade;
• Mediar o acesso da gestante, de crianças na primeira infância e de suas famílias a políticas e serviços públicos de que
necessitem;
• Integrar, ampliar e fortalecer ações de políticas públicas voltadas para as gestantes, crianças na primeira infância e suas
famílias.
Público-alvo: 150 pessoas.
Pessoas que devem ser atendidas pelo Programa: Gestantes, crianças de até 36 meses e suas famílias beneficiárias do Programa
Bolsa Família; • Crianças de até 72 meses e suas famílias beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada; • Crianças de até
72 meses afastadas do convívio familiar em razão da aplicação de medida de proteção prevista no Art. 101, caput, incisos VII e
VIII, da Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, e suas famílias.
5
ATENDIMENTOS POR ADL/CRONOGRAMA SEMANAL
SEDE
80 Crianças de 0 a 3 anos
4 Crianças beneficiária do BPC
29 Gestantes
MISSI
12 Crianças de 0 a 3 anos
1 Criança beneficiária do BPC
11 Gestantes
COITÉ
4 Crianças de 0 a 3 anos
1 Criança beneficiária do BPC
4 Gestantes
SÃO JOAQUIM
4 Crianças de 0 a 3 anos
1 Gestante
SEGUNDA – FEIRA
Planejamento com as visitadoras
TERÇA
Visitas domiciliares
Sede/ manha e tarde
QUARTA
Visitas domiciliares
Sede/ manhã
São Joaquim/ tarde
6
QUINTA
Visitas domiciliares
Missi/ manhã
Sede/ tarde
SEXTA
Visitas domiciliares
Sede/ manhã e tarde
Crianças de 0 a 3 anos são visitadas semanalmente.
Crianças beneficiárias do BPC são visitadas quinzenalmente.
Gestantes são visitadas mensalmente.
Metodologia: Visitas domiciliares feita por 06 visitadores sob Supervisão de Técnica Social. Orientações; Encaminhamentos para as
demais áreas quando necessitar (saúde, educação, CRAS, etc.)
Recursos: Programa Primeira Infância no SUAS/Criança Feliz
Período: Agosto a Dezembro
Visitadoras: 06
Supervisora: Josielma Morais
7
3. PROGRAMA/PROJETO: SERVIÇO DE PROTEÇÃO E ATENDIMENTO ESPECIALIZADO A FAMÍLIAS E INDIVÍDUOS (PAEFI).
O Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS) constitui-se como uma das unidades de referência para a
oferta de serviços especializados no âmbito da Proteção Social Especial de Média Complexidade, atendendo famílias e
indivíduos através do Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI).
De acordo com a demanda existente na Sede do Município foram criados 02 grupos de PAEFI com adolescentes e jovens
de faixa etária entre 11 a 15 anos contemplando membros de famílias em situação de vulnerabilidade social do Município.
OBJETIVO GERAL: Formar grupos compostos por adolescentes que estão em situação de risco social ou tiveram seus direitos
violados, fortalecendo a função protetiva destas famílias diante do conjunto de condições que as vulnerabilizam.
PÚBLICO ALVO: 20 Adolescentes e jovens dos bairros Cruzeiro e Esperança que estejam vivenciando situação de risco social e
pessoal, por violação de direitos.
METODOLOGIA: 01 Encontro por mês com cada grupo a partir do mês de novembro dará início as oficinas de cultura e esporte
para os alunos.
REALIZAÇÃO: Centro de Referencia Especializado da Assistência Social-CREAS
RECURSOS: CREAS
8
4. PROGRAMA/PROJETO: PFORR-PROGRAMA PARA RESULTADOS
O Programa contempla uma operação de crédito com o Banco Mundial, contratada pelo Governo do Ceará, para garantir a
continuidade dos investimentos em áreas estratégicas do Estado. A ação promoverá o crescimento econômico, privilegiando a
inclusão social e as políticas ambientalmente sustentáveis, através dos eixos de capacitação profissional, assistência à família,
qualidade da água e gestão por resultado. A STDS insere-se no PforR no eixo da Assistência à Família, executado nos CRAS, onde
são atendidas pessoas que se encontram em extrema pobreza, incluindo os grupos mais vulnerabilizados.
Objetivos: Fortalecer os vínculos familiares, assegurar maior participação e acessos dos mais pobres aos benefícios e serviços
sociais prestados pelo governo, a partir da capacitação das equipes de referência dos CRAS, tanto as de nível médio e superior,
e do acompanhamento e monitoramento das famílias atendidas. O foco são as famílias na extrema pobreza, com filhos de zero a
seis anos de idade.
Local de atendimento/Metodologia: Visitas domiciliares feita Técnicas do CRAS. Orientações. Encaminhamentos para as demais
áreas quando necessitar (saúde, educação, CRAS, etc.)
Público-alvo: 142 Crianças de até 6 anos de idade, que vivem em extrema pobreza e vulnerabilidade social.
Recursos: Não tem recursos para o programa, as ações são executadas pela equipe dos CRAS.
Período: Até Dezembro de 2017
Total geral de crianças e adolescentes atendidos nos programas da assistência: 594.
9
II- PROJETOS EM PARCERIA COM A SECRETARIA DA EDUCAÇÃO COORDENADOS PELA SIDESC
ORD NOME DO PROJETO/AÇÕES OBJETIVO LOCAL DE
ATENDIMENTO
PÚBLICO ALVO TOTAL DE
ALUNOS
RECURSOS PERÍODO
1. Projeto Esporte na Escola
Formação de núcleos de
escolinhas de futebol de
campo e de futsal com alunos
e alunas do ensino
fundamental nas escolas de
ensino fundamental da Sede e
Distritos de Juá, Missi e Coité.
As aulas acontecem no contra
turno escolar com o objetivo
de diminuir o tempo ocioso
dos alunos e aumentar a
permanência dos mesmos na
escola, bem como
democratizar o acesso à
prática esportiva nos
estabelecimentos de ensino.
São priorizados os alunos que
se encontram em situação de
vulnerabilidade social, aqueles
estão desestimulados em sala
de aula e também aqueles
que se destacam no esporte
nas aulas de educação física.
Desenvolver
atividades
esportivas que irão
contribuir para a
melhoria da
qualidade de vida
e inclusão social
de crianças,
adolescentes e
jovens, através de
atividades
esportivas nas
escolas de ensino
fundamental
situadas na Sede e
nos Distritos de
Coité, Missí e Juá,
do Município de
Irauçuba.
Sede:
Escola Paulo
Bastos, CEPABB,
Gil Bastos
Juá:
Escola Miguel
Fernandes
Missi:
Escola Josefa
Clotilde
Coité:
Escola Júlio
Pinheiro
Alunos do
Fundamental II
360
(60 em
cada
escola)
FME Abril a
Dezembro
2. Projeto Dança-escola–
Dialogando com o corpo, a
arte e a educação.
O Projeto “PROJETO DANÇA-
Ensinar a arte da
dança nas escolas
como forma de
entretenimento,
lazer, educação,
Sede:
Escola Paulo
Bastos
CEPABB
Gil Bastos
Alunos do
Fundamental II
120 FME Abril a
Dezembro
10
ESCOLA, DIALOGANDO COM
O CORPO, A ARTE E A
EDUCAÇÃO” é destinado aos
alunos de Escolas de Ensino
Fundamental II da sede.
Trata-se de um importante
trabalho visto que, pode
melhorar o rendimento escolar
e diminuir o índice de evasão
e repetência, além de
aprimorar o corpo para o
movimento, dando sentido e
organizando as suas
potencialidades. Serão
priorizados os alunos que se
encontram em situação de
vulnerabilidade social, os que
são desestimulados em sala
de aula e também aqueles
que se destacam na dança.
Este projeto não tem como
objetivo apenas a dança na
escola, mas, sobretudo, formar
multiplicadores desta
linguagem em nosso município
e fomentar a geração de
renda e a valorização do
indivíduo como artista e
agente transformador de sua
própria realidade sócio-
econômica e cultural.
socialização e
inclusão social das
crianças e
adolescentes
dentro de
atividades
produtivas, tanto
para a escola
como para a
comunidade, ao
mesmo tempo em
que, estimula os
alunos a
freqüentarem a
escola com mais
motivação e
interesse.
Anexo CEPABB.
11
3. Escola de Teatro Mel de
Abelha
O uso do teatro na educação
traz a possibilidade de
desenvolver e aprimorar as
diversas linguagens usadas na
comunicação (oral, escrita,
plástica) com o cunho social
voluntário dos próprios alunos
contarem e encenarem
histórias para seus pares no
próprio período escolar
contrário.
Há, contudo e não menos
especial, a possibilidade de
trabalhar valores e resgatar a
autoestima dos participantes,
que apresentam problemas
de aprendizagem,
comportamentais e
psicológicos (violência, baixa-
estima, timidez, preconceito,
inclusão, etc)
Formar um grupo
de teatro em
Irauçuba, tendo
como público-alvo
estudantes da
sede e Distrito do
Juá visando o
desenvolvimento
integral dos
participantes,
como fator de
formação da
cidadania e
melhoria da
qualidade de vida.
Sede: Escola
Paulo Bastos,
CEPABB, Gil Bastos
Juá: Escola Miguel
Fernandes
Alunos do
Fundamental II
80 FME Abril a
Dezembro
4. Música na Escola
Aulas de flautas e instrumentos
musicais (Preparação para a
Banda de Música Mestre Vino)
O Projeto Música na Escola
reforça outros trabalhos e
ações que já estão em
andamento em nosso
município e que têm
demonstrado que a arte da
música contribui para a
criação de relacionamento
sociocultural de nossos
estudantes e bom
Promover a Escola
pública como
espaço de
educação integral
da comunidade
onde faz parte, em
prol do
desenvolvimento
da sensibilidade e
criatividade
humana por meio
do contato com a
linguagem
artístico-musical,
visando a
Sede: Ensina no
centro Cultural
alunos da Escola
Paulo Bastos,
CEPABB, Gil Bastos
e Lucas Ferreira
Alunos do
Fundamental II
50 FME Abril a
Dezembro
12
relacionamento entre
comunidade e a escola.
Embora já seja obrigatório o
ensino dessa disciplina na sala
de aula, o projeto vai dar
maior suporte incrementando
materiais diversos como
flautas, instrumentos
diversificados e a escola ficam
com a parte mais teórica e
outras atividades relacionadas
à musicalidade. Os alunos
inseridos no projeto participam
de aulas práticas no Centro
Cultural em horários extra do
período de aulas. Através
desse projeto serão
descobertos novos talentos
artísticos e será
potencializado o dom musical
que os alunos possuem.
formação do
cidadão, capaz
de contribuir
ativamente com
as mudanças
socioculturais
necessárias para a
construção de
uma sociedade
mais ética e digna
(Fundação Carlos
Gomes, 2009).
TOTAL: 610 alunos atendidos nos projetos da Educação
III- OUTROS PROJETOS EM PARCERIA COM A SIDESC
1. PROJETO DE CAPOEIRA PÉ NO CHÃO
Local: Bairro Gil Bastos, segunda e quarta, das 18h às 19h.
Organização: Associação Comunitária dos Moradores do Bairro Gil Bastos e Professor Idanclier Mota
Total: 30 alunos
2. PROJETO CAPOEIRA INCLUSÃO E ARTE
Organização: Associação Comunitária dos Moradores do Bairro Gil Bastos e Professor Idanclier Mota
13
Locais de funcionamento/Dias/Horários
Escola Lucas Ferreira-Terça-feira, das 18h às 19h. Total: 11 alunos
Quadra do Cruzeiro: Sexta-feira, às 11h. Total: 13
Missi-Quinta, das 19h às 20h e Sábado, das 10h às 11h. Total: 17 alunos
Escola Paulo Bastos- Sábado- Das 16h às 17h. Total: 8 alunos
Total: 49 alunos
Resumo do total de alunos atendidos nos diversos projetos:
SIDESC: 594
Parceria com Educação: 610
Parceria com outras entidades: 49
Total: 1.253
Irauçuba, 19 de Outubro de 2017
Geraldina Lopes Braga
Secretária da SIDESC

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação Prêmio Salvador Celia - 2016
Apresentação Prêmio Salvador Celia - 2016Apresentação Prêmio Salvador Celia - 2016
Apresentação Prêmio Salvador Celia - 2016
Pim Das Ses
 
Propostas ulisses
Propostas ulissesPropostas ulisses
Propostas ulisses
ronilsonsb
 
PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP. - 2015 a 2024
PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP.  - 2015 a 2024PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP.  - 2015 a 2024
PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP. - 2015 a 2024
Marcelo Celloto
 
Relatório Peteca Quiterianópolis 2011
Relatório Peteca Quiterianópolis 2011Relatório Peteca Quiterianópolis 2011
Relatório Peteca Quiterianópolis 2011
Ministério Público do Trabalho
 
Pe 2014 2015 creche
Pe 2014 2015 creche Pe 2014 2015 creche
Pe 2014 2015 creche
Anabela Branco
 
Proposta governo Reinoldo
Proposta governo ReinoldoProposta governo Reinoldo
Proposta governo Reinoldo
dilmairon
 
Proposta governo Nego
Proposta governo NegoProposta governo Nego
Proposta governo Nego
dilmairon
 
TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.
TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.
TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.
Leonam pepper Moreira
 
Proposta de governo sýýo bento do trairi 2013
Proposta de governo sýýo bento do trairi 2013Proposta de governo sýýo bento do trairi 2013
Proposta de governo sýýo bento do trairi 2013
Rozinaldo Cardoso
 
Ações de responsabilidade social
Ações de responsabilidade socialAções de responsabilidade social
Ações de responsabilidade social
tommymarras
 
Proposta de (kaly)governo sýýo bento do trairi 2013 ( kaly)
Proposta de (kaly)governo sýýo bento do trairi 2013 ( kaly)Proposta de (kaly)governo sýýo bento do trairi 2013 ( kaly)
Proposta de (kaly)governo sýýo bento do trairi 2013 ( kaly)
Rozinaldo Cardoso
 
Proposta de governo para o ano 2013 a 2016
Proposta de governo para o ano 2013 a 2016Proposta de governo para o ano 2013 a 2016
Proposta de governo para o ano 2013 a 2016
Rozinaldo Cardoso
 
Pe 2014 2015 jardim
Pe 2014 2015 jardimPe 2014 2015 jardim
Pe 2014 2015 jardim
Anabela Branco
 
Diário Oficial: 19-11-2015
Diário Oficial: 19-11-2015Diário Oficial: 19-11-2015
Diário Oficial: 19-11-2015
Prefeitura Guarujá
 
Pe 2013 2016 creche1
Pe 2013 2016 creche1Pe 2013 2016 creche1
Pe 2013 2016 creche1
Anabela Branco
 
PIM - Apresentação Geral - Site (2017)
PIM - Apresentação Geral - Site (2017)PIM - Apresentação Geral - Site (2017)
PIM - Apresentação Geral - Site (2017)
Pim Das Ses
 
16 secretaria municipal de inclusão social
16 secretaria municipal de inclusão social16 secretaria municipal de inclusão social
16 secretaria municipal de inclusão social
Edinho Silva
 
Plano municipal para_a_infância_e_adolescência_-_oficial_e_impresso_para_popu...
Plano municipal para_a_infância_e_adolescência_-_oficial_e_impresso_para_popu...Plano municipal para_a_infância_e_adolescência_-_oficial_e_impresso_para_popu...
Plano municipal para_a_infância_e_adolescência_-_oficial_e_impresso_para_popu...
Rosemary Batista
 

Mais procurados (18)

Apresentação Prêmio Salvador Celia - 2016
Apresentação Prêmio Salvador Celia - 2016Apresentação Prêmio Salvador Celia - 2016
Apresentação Prêmio Salvador Celia - 2016
 
Propostas ulisses
Propostas ulissesPropostas ulisses
Propostas ulisses
 
PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP. - 2015 a 2024
PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP.  - 2015 a 2024PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP.  - 2015 a 2024
PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - PEDREIRA SP. - 2015 a 2024
 
Relatório Peteca Quiterianópolis 2011
Relatório Peteca Quiterianópolis 2011Relatório Peteca Quiterianópolis 2011
Relatório Peteca Quiterianópolis 2011
 
Pe 2014 2015 creche
Pe 2014 2015 creche Pe 2014 2015 creche
Pe 2014 2015 creche
 
Proposta governo Reinoldo
Proposta governo ReinoldoProposta governo Reinoldo
Proposta governo Reinoldo
 
Proposta governo Nego
Proposta governo NegoProposta governo Nego
Proposta governo Nego
 
TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.
TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.
TCC - INCLUSÃO MUSICAL Á DEFICIENTES VISUAIS.
 
Proposta de governo sýýo bento do trairi 2013
Proposta de governo sýýo bento do trairi 2013Proposta de governo sýýo bento do trairi 2013
Proposta de governo sýýo bento do trairi 2013
 
Ações de responsabilidade social
Ações de responsabilidade socialAções de responsabilidade social
Ações de responsabilidade social
 
Proposta de (kaly)governo sýýo bento do trairi 2013 ( kaly)
Proposta de (kaly)governo sýýo bento do trairi 2013 ( kaly)Proposta de (kaly)governo sýýo bento do trairi 2013 ( kaly)
Proposta de (kaly)governo sýýo bento do trairi 2013 ( kaly)
 
Proposta de governo para o ano 2013 a 2016
Proposta de governo para o ano 2013 a 2016Proposta de governo para o ano 2013 a 2016
Proposta de governo para o ano 2013 a 2016
 
Pe 2014 2015 jardim
Pe 2014 2015 jardimPe 2014 2015 jardim
Pe 2014 2015 jardim
 
Diário Oficial: 19-11-2015
Diário Oficial: 19-11-2015Diário Oficial: 19-11-2015
Diário Oficial: 19-11-2015
 
Pe 2013 2016 creche1
Pe 2013 2016 creche1Pe 2013 2016 creche1
Pe 2013 2016 creche1
 
PIM - Apresentação Geral - Site (2017)
PIM - Apresentação Geral - Site (2017)PIM - Apresentação Geral - Site (2017)
PIM - Apresentação Geral - Site (2017)
 
16 secretaria municipal de inclusão social
16 secretaria municipal de inclusão social16 secretaria municipal de inclusão social
16 secretaria municipal de inclusão social
 
Plano municipal para_a_infância_e_adolescência_-_oficial_e_impresso_para_popu...
Plano municipal para_a_infância_e_adolescência_-_oficial_e_impresso_para_popu...Plano municipal para_a_infância_e_adolescência_-_oficial_e_impresso_para_popu...
Plano municipal para_a_infância_e_adolescência_-_oficial_e_impresso_para_popu...
 

Semelhante a PROJETOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES REALIZADOS E/OU COORDENADOS PELA SIDESC

Seminário Mais Infância: Josbertini Clementino
Seminário Mais Infância: Josbertini Clementino Seminário Mais Infância: Josbertini Clementino
Seminário Mais Infância: Josbertini Clementino
Governo do Estado do Ceará
 
IV Semana de Pedagogia - Minicurso: A atuação do pedagogo nos programas socia...
IV Semana de Pedagogia - Minicurso: A atuação do pedagogo nos programas socia...IV Semana de Pedagogia - Minicurso: A atuação do pedagogo nos programas socia...
IV Semana de Pedagogia - Minicurso: A atuação do pedagogo nos programas socia...
UBIRAJARA COUTO LIMA
 
Seminário Mais Infância: Jimmy Oliveira
Seminário Mais Infância: Jimmy OliveiraSeminário Mais Infância: Jimmy Oliveira
Seminário Mais Infância: Jimmy Oliveira
Governo do Estado do Ceará
 
Caderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdf
Caderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdfCaderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdf
Caderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdf
EloinaSoares1
 
Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...
Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...
Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...
SAE - Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República
 
2 Mikaelle - Santa Filomena
2 Mikaelle - Santa Filomena2 Mikaelle - Santa Filomena
2 Mikaelle - Santa Filomena
estrategiabrasileirinhos
 
IX ENNOEPE - VALENÇA-BA
IX ENNOEPE - VALENÇA-BAIX ENNOEPE - VALENÇA-BA
IX ENNOEPE - VALENÇA-BA
UBIRAJARA COUTO LIMA
 
Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares- Virgínia Ma...
Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares- Virgínia Ma...Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares- Virgínia Ma...
Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares- Virgínia Ma...
SAE - Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República
 
cidadao do futuro
 cidadao do futuro cidadao do futuro
cidadao do futuro
Jorge Mineiro
 
A familia
A familiaA familia
Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares - Maria do S...
Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares - Maria do S...Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares - Maria do S...
Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares - Maria do S...
SAE - Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República
 
Passoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacaoPassoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacao
Wosley Arruda
 
Passoapassomaiseducacao
PassoapassomaiseducacaoPassoapassomaiseducacao
Passoapassomaiseducacao
Cristiana Franco
 
Passoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacaoPassoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacao
Raimundo Bezerra
 
PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO
PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃOPROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO
PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO
gisianevieiraanana
 
Projeto saúde na escola
Projeto saúde na escolaProjeto saúde na escola
Projeto saúde na escola
elianabizarro
 
Projeto saúde na escola
Projeto saúde na escolaProjeto saúde na escola
Projeto saúde na escola
elianabizarro
 
Ações Socioeduc na assist social
Ações Socioeduc na assist socialAções Socioeduc na assist social
Ações Socioeduc na assist social
NandaTome
 
A familia
A familiaA familia
A familia
asustecnologia
 
CADERNO_DE_ATIVIDADES_SCFV_0_A_6_ANOS.pdf
CADERNO_DE_ATIVIDADES_SCFV_0_A_6_ANOS.pdfCADERNO_DE_ATIVIDADES_SCFV_0_A_6_ANOS.pdf
CADERNO_DE_ATIVIDADES_SCFV_0_A_6_ANOS.pdf
yolandaabreu210
 

Semelhante a PROJETOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES REALIZADOS E/OU COORDENADOS PELA SIDESC (20)

Seminário Mais Infância: Josbertini Clementino
Seminário Mais Infância: Josbertini Clementino Seminário Mais Infância: Josbertini Clementino
Seminário Mais Infância: Josbertini Clementino
 
IV Semana de Pedagogia - Minicurso: A atuação do pedagogo nos programas socia...
IV Semana de Pedagogia - Minicurso: A atuação do pedagogo nos programas socia...IV Semana de Pedagogia - Minicurso: A atuação do pedagogo nos programas socia...
IV Semana de Pedagogia - Minicurso: A atuação do pedagogo nos programas socia...
 
Seminário Mais Infância: Jimmy Oliveira
Seminário Mais Infância: Jimmy OliveiraSeminário Mais Infância: Jimmy Oliveira
Seminário Mais Infância: Jimmy Oliveira
 
Caderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdf
Caderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdfCaderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdf
Caderno-de-Orientações-Técnicas-do-SCFV-para-Crianças-de-0-a-6-Anos-1.pdf
 
Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...
Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...
Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...
 
2 Mikaelle - Santa Filomena
2 Mikaelle - Santa Filomena2 Mikaelle - Santa Filomena
2 Mikaelle - Santa Filomena
 
IX ENNOEPE - VALENÇA-BA
IX ENNOEPE - VALENÇA-BAIX ENNOEPE - VALENÇA-BA
IX ENNOEPE - VALENÇA-BA
 
Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares- Virgínia Ma...
Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares- Virgínia Ma...Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares- Virgínia Ma...
Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares- Virgínia Ma...
 
cidadao do futuro
 cidadao do futuro cidadao do futuro
cidadao do futuro
 
A familia
A familiaA familia
A familia
 
Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares - Maria do S...
Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares - Maria do S...Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares - Maria do S...
Informação, acolhimento e fortalecimento dos vínculos familiares - Maria do S...
 
Passoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacaoPassoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacao
 
Passoapassomaiseducacao
PassoapassomaiseducacaoPassoapassomaiseducacao
Passoapassomaiseducacao
 
Passoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacaoPassoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacao
 
PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO
PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃOPROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO
PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO
 
Projeto saúde na escola
Projeto saúde na escolaProjeto saúde na escola
Projeto saúde na escola
 
Projeto saúde na escola
Projeto saúde na escolaProjeto saúde na escola
Projeto saúde na escola
 
Ações Socioeduc na assist social
Ações Socioeduc na assist socialAções Socioeduc na assist social
Ações Socioeduc na assist social
 
A familia
A familiaA familia
A familia
 
CADERNO_DE_ATIVIDADES_SCFV_0_A_6_ANOS.pdf
CADERNO_DE_ATIVIDADES_SCFV_0_A_6_ANOS.pdfCADERNO_DE_ATIVIDADES_SCFV_0_A_6_ANOS.pdf
CADERNO_DE_ATIVIDADES_SCFV_0_A_6_ANOS.pdf
 

PROJETOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES REALIZADOS E/OU COORDENADOS PELA SIDESC

  • 1. 1 SECRETARIA DA INCLUSÃO SOCIAL DESPORTIVA E CULTURAL Av. Jorge Domingues, 1083, Centro. Irauçuba – CE. CEP. 62.620 – 000 E-mail: sidesc@iraucuba.ce.gov.br-Fone: (88) 3625 1266
  • 2. 2 PROJETOS DESENVOLVIDOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES REALIZADOS PELA SECRETARIA DA INCLUSÃO SOCIAL, DESPORTIVA E CULTURAL -SIDESC 1. PROGRAMA/PROJETO: SERVIÇO DE CONVIVÊNCIA E FORTALECIMENTO DE VÍNCULOS O SCFV é um serviço da Proteção Social Básica do SUAS que é ofertado de forma complementar ao trabalho social com famílias realizado por meio do Serviço de Proteção e Atendimento Integral às Famílias (PAIF) e do Serviço de Proteção e Atendimento Especializado às Famílias e Indivíduos (PAEFI). O Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) realiza atendimentos em grupo. São atividades artísticas, culturais, de lazer e esportivas, dentre outras, de acordo com a idade dos usuários. É uma forma de intervenção social planejada que cria situações desafiadoras, estimula e orienta os usuários na construção e reconstrução de suas histórias e vivências individuais, coletivas e familiares. Objetivos: Fortalecer as relações familiares e comunitárias, além de promover a integração e a troca de experiências entre os participantes, valorizando o sentido de vida coletiva. O SCFV possui um caráter preventivo, pautado na defesa e afirmação de direitos e no desenvolvimento de capacidades dos usuários. Público-alvo: 282 alunos com faixa etária entre 0 a 17 anos. Recursos: CRAS NÚCLEO LOCAL DE ATENDIMENTO FAIXA ETÁRIA TOTAL DE ALUNOS DIAS/HORÁRIOS RESPONSÁVEL COORDENAÇÃO PERÍODO Sede CRAS Tia Maria Janica 0-6 anos 30 alunos, divididos em 2 turmas de 15 cada Terça/Quinta 8h30 às 9h30 Amanda Lopes CRAS Sede 20 de Março a 31 de Dezembro Campinas EEF Manoel Coelho da Cruz 6 a 12 anos 23 alunos Segunda-feira 13h às 17h Silvana Sousa Barreiras Escola de 13 a 17 anos 25 alunos Terça-feira Silvana Sousa
  • 3. 3 Barreiras 18h ás 21h Boa Vista do Caxitoré Sindicato dos Trabalhadores 13 a 17 anos 17 alunos Segunda e sexta- feira 7h30 às 9h30 Elaine Santana Missi CRAS Missi 6 a 9 anos 30 alunos, dividido em duas turmas de 15 alunos Terça – 8h às 10h Quinta-15h às 17h Clenice Almeida CRAS Missi Missi CRAS Missi 15 a 17 anos 32 alunos, dividido em duas turmas de 16 alunos Segunda – 10h às 12h Quarta-15h às 17h Clenice Almeida Missi CRAS Missi 11 a 13 anos 30 alunos Quarta- 8h às 9h30 Pedro Rodrigues Missi CRAS Missi 13 a 15 anos 21 alunos Quinta- 13h30 às 15h Pedro Rodrigues Juá Sindicato 6 a 11 anos 25 alunos Segunda e quarta- 16h às 18h Vanessa Cyntia Juá Sindicato 12 a 15 anos 19 alunos Terça e quinta- 16h às 18h Vanessa Cyntia Coité Casa Verde 15 a 17 anos 30 alunos Quarta e sexta-18h às 19h Elizangela Firmino
  • 4. 4 2. PROGRAMA/PROJETO: PROGRAMA CRIANÇA FELIZ O Programa Criança Feliz tem caráter intersetorial tendo em vista promover o desenvolvimento integral das crianças na primeira infância, considerando sua família e seu contexto de vida. Coordenado pelo Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário, o programa articula ações das políticas de assistência social, saúde, educação, cultura, direitos humanos, tendo como fundamento a Lei nº 13.257, de 8 de março de 2016 – conhecida como Marco Legal da Primeira Infância. O programa fortalece a trajetória brasileira de enfrentamento da pobreza com redução de vulnerabilidades e desigualdades e potencializa a integração do acesso à renda com inclusão em serviços e programas. Renova, ainda, os compromissos do Brasil com a atenção às crianças com deficiência beneficiárias do BPC e suas famílias e também às crianças privadas do convívio familiar, em serviços de acolhimento, e suas famílias. Objetivos: De acordo com o Art. 3º do Decreto nº 8.869/2016 o Programa Criança Feliz tem como objetivos: • Promover o desenvolvimento humano a partir do apoio e do acompanhamento do desenvolvimento infantil integral na primeira infância; • Apoiar a gestante e a família na preparação para o nascimento e nos cuidados perinatais; • Colaborar no exercício da parentalidade, fortalecendo os vínculos e o papel das famílias para o desempenho da função de cuidado, proteção e educação de crianças na faixa etária de até seis anos de idade; • Mediar o acesso da gestante, de crianças na primeira infância e de suas famílias a políticas e serviços públicos de que necessitem; • Integrar, ampliar e fortalecer ações de políticas públicas voltadas para as gestantes, crianças na primeira infância e suas famílias. Público-alvo: 150 pessoas. Pessoas que devem ser atendidas pelo Programa: Gestantes, crianças de até 36 meses e suas famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família; • Crianças de até 72 meses e suas famílias beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada; • Crianças de até 72 meses afastadas do convívio familiar em razão da aplicação de medida de proteção prevista no Art. 101, caput, incisos VII e VIII, da Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, e suas famílias.
  • 5. 5 ATENDIMENTOS POR ADL/CRONOGRAMA SEMANAL SEDE 80 Crianças de 0 a 3 anos 4 Crianças beneficiária do BPC 29 Gestantes MISSI 12 Crianças de 0 a 3 anos 1 Criança beneficiária do BPC 11 Gestantes COITÉ 4 Crianças de 0 a 3 anos 1 Criança beneficiária do BPC 4 Gestantes SÃO JOAQUIM 4 Crianças de 0 a 3 anos 1 Gestante SEGUNDA – FEIRA Planejamento com as visitadoras TERÇA Visitas domiciliares Sede/ manha e tarde QUARTA Visitas domiciliares Sede/ manhã São Joaquim/ tarde
  • 6. 6 QUINTA Visitas domiciliares Missi/ manhã Sede/ tarde SEXTA Visitas domiciliares Sede/ manhã e tarde Crianças de 0 a 3 anos são visitadas semanalmente. Crianças beneficiárias do BPC são visitadas quinzenalmente. Gestantes são visitadas mensalmente. Metodologia: Visitas domiciliares feita por 06 visitadores sob Supervisão de Técnica Social. Orientações; Encaminhamentos para as demais áreas quando necessitar (saúde, educação, CRAS, etc.) Recursos: Programa Primeira Infância no SUAS/Criança Feliz Período: Agosto a Dezembro Visitadoras: 06 Supervisora: Josielma Morais
  • 7. 7 3. PROGRAMA/PROJETO: SERVIÇO DE PROTEÇÃO E ATENDIMENTO ESPECIALIZADO A FAMÍLIAS E INDIVÍDUOS (PAEFI). O Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS) constitui-se como uma das unidades de referência para a oferta de serviços especializados no âmbito da Proteção Social Especial de Média Complexidade, atendendo famílias e indivíduos através do Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI). De acordo com a demanda existente na Sede do Município foram criados 02 grupos de PAEFI com adolescentes e jovens de faixa etária entre 11 a 15 anos contemplando membros de famílias em situação de vulnerabilidade social do Município. OBJETIVO GERAL: Formar grupos compostos por adolescentes que estão em situação de risco social ou tiveram seus direitos violados, fortalecendo a função protetiva destas famílias diante do conjunto de condições que as vulnerabilizam. PÚBLICO ALVO: 20 Adolescentes e jovens dos bairros Cruzeiro e Esperança que estejam vivenciando situação de risco social e pessoal, por violação de direitos. METODOLOGIA: 01 Encontro por mês com cada grupo a partir do mês de novembro dará início as oficinas de cultura e esporte para os alunos. REALIZAÇÃO: Centro de Referencia Especializado da Assistência Social-CREAS RECURSOS: CREAS
  • 8. 8 4. PROGRAMA/PROJETO: PFORR-PROGRAMA PARA RESULTADOS O Programa contempla uma operação de crédito com o Banco Mundial, contratada pelo Governo do Ceará, para garantir a continuidade dos investimentos em áreas estratégicas do Estado. A ação promoverá o crescimento econômico, privilegiando a inclusão social e as políticas ambientalmente sustentáveis, através dos eixos de capacitação profissional, assistência à família, qualidade da água e gestão por resultado. A STDS insere-se no PforR no eixo da Assistência à Família, executado nos CRAS, onde são atendidas pessoas que se encontram em extrema pobreza, incluindo os grupos mais vulnerabilizados. Objetivos: Fortalecer os vínculos familiares, assegurar maior participação e acessos dos mais pobres aos benefícios e serviços sociais prestados pelo governo, a partir da capacitação das equipes de referência dos CRAS, tanto as de nível médio e superior, e do acompanhamento e monitoramento das famílias atendidas. O foco são as famílias na extrema pobreza, com filhos de zero a seis anos de idade. Local de atendimento/Metodologia: Visitas domiciliares feita Técnicas do CRAS. Orientações. Encaminhamentos para as demais áreas quando necessitar (saúde, educação, CRAS, etc.) Público-alvo: 142 Crianças de até 6 anos de idade, que vivem em extrema pobreza e vulnerabilidade social. Recursos: Não tem recursos para o programa, as ações são executadas pela equipe dos CRAS. Período: Até Dezembro de 2017 Total geral de crianças e adolescentes atendidos nos programas da assistência: 594.
  • 9. 9 II- PROJETOS EM PARCERIA COM A SECRETARIA DA EDUCAÇÃO COORDENADOS PELA SIDESC ORD NOME DO PROJETO/AÇÕES OBJETIVO LOCAL DE ATENDIMENTO PÚBLICO ALVO TOTAL DE ALUNOS RECURSOS PERÍODO 1. Projeto Esporte na Escola Formação de núcleos de escolinhas de futebol de campo e de futsal com alunos e alunas do ensino fundamental nas escolas de ensino fundamental da Sede e Distritos de Juá, Missi e Coité. As aulas acontecem no contra turno escolar com o objetivo de diminuir o tempo ocioso dos alunos e aumentar a permanência dos mesmos na escola, bem como democratizar o acesso à prática esportiva nos estabelecimentos de ensino. São priorizados os alunos que se encontram em situação de vulnerabilidade social, aqueles estão desestimulados em sala de aula e também aqueles que se destacam no esporte nas aulas de educação física. Desenvolver atividades esportivas que irão contribuir para a melhoria da qualidade de vida e inclusão social de crianças, adolescentes e jovens, através de atividades esportivas nas escolas de ensino fundamental situadas na Sede e nos Distritos de Coité, Missí e Juá, do Município de Irauçuba. Sede: Escola Paulo Bastos, CEPABB, Gil Bastos Juá: Escola Miguel Fernandes Missi: Escola Josefa Clotilde Coité: Escola Júlio Pinheiro Alunos do Fundamental II 360 (60 em cada escola) FME Abril a Dezembro 2. Projeto Dança-escola– Dialogando com o corpo, a arte e a educação. O Projeto “PROJETO DANÇA- Ensinar a arte da dança nas escolas como forma de entretenimento, lazer, educação, Sede: Escola Paulo Bastos CEPABB Gil Bastos Alunos do Fundamental II 120 FME Abril a Dezembro
  • 10. 10 ESCOLA, DIALOGANDO COM O CORPO, A ARTE E A EDUCAÇÃO” é destinado aos alunos de Escolas de Ensino Fundamental II da sede. Trata-se de um importante trabalho visto que, pode melhorar o rendimento escolar e diminuir o índice de evasão e repetência, além de aprimorar o corpo para o movimento, dando sentido e organizando as suas potencialidades. Serão priorizados os alunos que se encontram em situação de vulnerabilidade social, os que são desestimulados em sala de aula e também aqueles que se destacam na dança. Este projeto não tem como objetivo apenas a dança na escola, mas, sobretudo, formar multiplicadores desta linguagem em nosso município e fomentar a geração de renda e a valorização do indivíduo como artista e agente transformador de sua própria realidade sócio- econômica e cultural. socialização e inclusão social das crianças e adolescentes dentro de atividades produtivas, tanto para a escola como para a comunidade, ao mesmo tempo em que, estimula os alunos a freqüentarem a escola com mais motivação e interesse. Anexo CEPABB.
  • 11. 11 3. Escola de Teatro Mel de Abelha O uso do teatro na educação traz a possibilidade de desenvolver e aprimorar as diversas linguagens usadas na comunicação (oral, escrita, plástica) com o cunho social voluntário dos próprios alunos contarem e encenarem histórias para seus pares no próprio período escolar contrário. Há, contudo e não menos especial, a possibilidade de trabalhar valores e resgatar a autoestima dos participantes, que apresentam problemas de aprendizagem, comportamentais e psicológicos (violência, baixa- estima, timidez, preconceito, inclusão, etc) Formar um grupo de teatro em Irauçuba, tendo como público-alvo estudantes da sede e Distrito do Juá visando o desenvolvimento integral dos participantes, como fator de formação da cidadania e melhoria da qualidade de vida. Sede: Escola Paulo Bastos, CEPABB, Gil Bastos Juá: Escola Miguel Fernandes Alunos do Fundamental II 80 FME Abril a Dezembro 4. Música na Escola Aulas de flautas e instrumentos musicais (Preparação para a Banda de Música Mestre Vino) O Projeto Música na Escola reforça outros trabalhos e ações que já estão em andamento em nosso município e que têm demonstrado que a arte da música contribui para a criação de relacionamento sociocultural de nossos estudantes e bom Promover a Escola pública como espaço de educação integral da comunidade onde faz parte, em prol do desenvolvimento da sensibilidade e criatividade humana por meio do contato com a linguagem artístico-musical, visando a Sede: Ensina no centro Cultural alunos da Escola Paulo Bastos, CEPABB, Gil Bastos e Lucas Ferreira Alunos do Fundamental II 50 FME Abril a Dezembro
  • 12. 12 relacionamento entre comunidade e a escola. Embora já seja obrigatório o ensino dessa disciplina na sala de aula, o projeto vai dar maior suporte incrementando materiais diversos como flautas, instrumentos diversificados e a escola ficam com a parte mais teórica e outras atividades relacionadas à musicalidade. Os alunos inseridos no projeto participam de aulas práticas no Centro Cultural em horários extra do período de aulas. Através desse projeto serão descobertos novos talentos artísticos e será potencializado o dom musical que os alunos possuem. formação do cidadão, capaz de contribuir ativamente com as mudanças socioculturais necessárias para a construção de uma sociedade mais ética e digna (Fundação Carlos Gomes, 2009). TOTAL: 610 alunos atendidos nos projetos da Educação III- OUTROS PROJETOS EM PARCERIA COM A SIDESC 1. PROJETO DE CAPOEIRA PÉ NO CHÃO Local: Bairro Gil Bastos, segunda e quarta, das 18h às 19h. Organização: Associação Comunitária dos Moradores do Bairro Gil Bastos e Professor Idanclier Mota Total: 30 alunos 2. PROJETO CAPOEIRA INCLUSÃO E ARTE Organização: Associação Comunitária dos Moradores do Bairro Gil Bastos e Professor Idanclier Mota
  • 13. 13 Locais de funcionamento/Dias/Horários Escola Lucas Ferreira-Terça-feira, das 18h às 19h. Total: 11 alunos Quadra do Cruzeiro: Sexta-feira, às 11h. Total: 13 Missi-Quinta, das 19h às 20h e Sábado, das 10h às 11h. Total: 17 alunos Escola Paulo Bastos- Sábado- Das 16h às 17h. Total: 8 alunos Total: 49 alunos Resumo do total de alunos atendidos nos diversos projetos: SIDESC: 594 Parceria com Educação: 610 Parceria com outras entidades: 49 Total: 1.253 Irauçuba, 19 de Outubro de 2017 Geraldina Lopes Braga Secretária da SIDESC