SlideShare uma empresa Scribd logo
1

GOVERNO DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO
SECRETARIA DO ESTADO DA EDUCAÇÃO
SUBSECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO BÁSICA E PROFISSIONAL
GERÊNCIA DE ENSINO MÉDIO
SRE AFONSO CLAÚDIO ES
EEEFM ‘Luiz Jouffroy”

“LARANJA DA TERRA: CULTURA IN FOCO”

Laranja da Terra-ES
2013
2

"A coisa mais indispensável ao homem é
reconhecer o uso que deve fazer do seu
próprio conhecimento".
Platão
3

SUMÁRIO

1. IDENTIFICAÇÃO DA
ESCOLA........................................................................04
2- JUSTIFICATIVA...............................................................................................04
3- FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA......................................................................05.
4- OBJETIVOS EDUCACIONAIS PRETENDIDOS.............................................08
4.1- OBJETIVO GERAL........................................................................................08
4.2- OBJETIVOS ESPECÍFICOS.........................................................................08
5- CONTEXTUALIZAÇÃO DA EXPERIÊNCIA. ..................................................09
6- DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES...............................................................10
7- RESULTADOS ESPERADOS.........................................................................21
8- AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS.................................................................22
9- CONCLUSÃO..................................................................................................22
10- REFERÊNCIAS..............................................................................................22
4

PROJETO “LARANJA DA TERRA: CULTURA IN FOCO”
1. IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA
Nome da Escola: EEEFM “Luiz Jouffroy”
SRE: Afonso Claudio ES
Telefone:

(27) 3736-1378

Município: Laranja da Terra-ES
E-mail:escolaluiz@sedu.es.gov.br

Diretor: Jonatas André Drescher
Responsáveis pelo projeto: Aureana Klug Soares, Maria Lúcia Pizzáia de Souza,
Vilmar Henke, Dagmar da P.C. Reblin, Fernanda Brito, Nilza Abel Guns, Rosilandi
Melo, Marli Saebel, Andreia Rodrigues de Almeida, Uanderson Abílio dos Santos,
Marcos Aigner, Ana Mª S do N Fernandes.
Nº de alunos envolvidos no projeto: 431 alunos
Disciplinas envolvidas: Geografia, História, Filosofia, Sociologia e Ensino Religioso
Início: março de 2013
Término: dezembro de 2013
Turma/Série: Ensino Fundamental e Ensino Médio
Categoria:
2 JUSTIFICATIVA.
Normalmente ao pensarmos no passado ou vivermos determinadas situações no
presente em alguns aspectos, sentimos em nossos corações uma enorme nostalgia,
principalmente quando pensamos nos aspectos culturais de nossa região, onde os
mais velhos conhecem porque as vivenciaram e os mais jovens devido a introdução
de novos elementos culturais, o antigo vai ficando no esquecimento e quando
relembrados, não sabem o porquê de ser desse jeito.
Este projeto tem como objetivo, resgatar os valores e conhecer a história de
elementos culturais que ocasionalmente ainda são relembrados pelos laranjenses
nos casamentos pomeranos, nas festas da igreja ou ocasiões festivas da cidade,
onde muito já esquecido e perdido com o caminhar da humanidade.
Através dos alunos e comunidade escolar, queremos com esse trabalho, influenciar
positivamente, resgatar e valorizar as conquistas históricas, as brincadeiras
5

saudáveis, o artesanato, a música, a culinária, a dança, de grande valor ainda
presente nas memórias dos pais e avós.
Assim mostrar a sociedade onde a nossa escola encontra-se inserida, o seu valor na
produção histórica e que há a necessidade de uma intervenção consciente não só
pela escola, mas por todos que fazem parte dessa comunidade escolar, que de uma
maneira ou de outra, intervém, mesmo que com menor intensidade e que serão os
adultos de amanhã, que poderão ou não valorizar a cultura, respeitar o passado e
produzir um futuro mais justo, dependendo única e exclusivamente da quantidade de
boas sementes que tiverem plantadas em seus corações.

3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA.

A Cultura de Laranja da Terra é mais uma das tantas que parece conhecermos em
nosso dia a dia, onde uma sociedade caracterizada às vezes por ser maioria de
origem européia alemã e pomerana. Fato esse que atenta uma nova abordagem
significativa, quando os costumes vindos do início do processo colonizador da região
não são o mesmo, e mais ainda não é puro e muito menos singular, pois a presença
de outras etnias faz-se presente em todo o município.
A história de um povo está, diretamente, ligada a sua cultura. Esta se forma a partir
de necessidades intrínsecas a fortiori, motivadas por forças antagônicas e externas;
forças estas geográficas e, também, políticas. De maneira que forma-se uma
tradição; muitas das vezes esquecida em nosso cotidiano, que em um mundo onde
a globalização se faz forte presença ao impor uma cultura local, é necessária
atitudes e ações que fortaleçam suas culturas, para que em um futuro não muito
distante, passem a ser mais uma pesquisa armazenada em mídias digitais que
contam a história de um povo ou lugar, virando possivelmente um romance para
bilheteria de cinema.

De acordo com BARROS (2006)

A História é o estudo do Homem no Tempo e no Espaço. As
ações e transformações que afetam aquela vida humana que
pode ser historicamente considerada dão-se em um espaço
que muitas vezes é um espaço geográfico ou político, e que,
6

sobretudo, sempre e necessariamente constituir-se-á em
espaço social (Id., 2006, p.462).
Hoje vivemos em uma localidade onde negro come broti, alemão come angu,
pomeranos dançam samba, italianos tem filhos de cabelo crespo, etc. Isso
demonstra a diversidade cultural e ao mesmo tempo mesclada, confirmando que
uma tradição só se firma e se mantém como tal na medida em que é capaz de
renovar-se, quando ocorrem mudanças históricas que ameaçam sua sobrevivência
ou exigem sua transformação. Se não se transforma, a “tradição” está fadada ao
desaparecimento.
Ao usar o espaço escolar na intenção de resgatar as culturas existentes e
mescladas, a instituição cumpre com o dever de formar cidadãos e ao mesmo tempo
dá incentivo e continuidade a um processo de grande importância para toda
comunidade do município.
Quanto aos princípios norteadores do Currículo Básico Escola Estadual, quando cita
o reconhecimento da diversidade na formação da vida, diz que
É por meio da valorização e da afirmação da vida que podemos
garantir respeito à dignidade humana, pelo reconhecimento da
diversidade como traço da realidade social. Apresentar a
diversidade como princípio norteador de uma proposta curricular
implica compreender o processo de formação humana, que se
realiza em um contexto histórico, social, cultural e político. A
diversidade é um componente do desenvolvimento biológico e
cultural da humanidade e, por isso, o lugar que ocupa no
currículo escolar precisa contemplar a inter-relação entre ambos,
pois um prescinde do outro à medida que a diversidade biológica
não existe isolada de um contexto cultural. (CBC, 2010, p.23)
A proposta da área de ciências Humanas, dentro de uma nova perspectiva, de um
modo geral é ampliar a rede de contato do aluno com o moderno e o pensar erudito,
reflexivo. Mas para tal façanha cabe ao educador, traçar estratégias que simulem
situações presentes no cotidiano da vida do educando quando no exercício de sua
ação reflexiva. A partir daí, tem-se como elaborar as diversas propostas de
abordagem de ensino. Nessa abordagem reflexiva a escola busca na cultura local a
valorização não somente da cultura, mas também da sociedade mesclada do
Município de Laranja da Terra.
7

Projeta-se trazer para esta instituição de ensino alguns pressupostos teóricos dos
princípios norteadores do Currículo Básico Escola Estadual e os temas transversais
dos PCN’s, quando trata dos critérios utilizados para seleção de conteúdos.

- a relação sociocultural e política, considerando a necessidade
e a importância da atuação da escola em fornecer informações
básicas que permitam conhecer a ampla diversidade
sociocultural brasileira, divulgar contribuições dessas diferentes
culturas presentes em território nacional e eliminar conceitos
errados, culturalmente disseminados, acerca dos povos e grupos
humanos que constituem o Brasil;
- a possibilidade de desenvolvimento de valores básicos para o
exercício da cidadania, voltados para o respeito ao outro e a si
mesmo, aos Direitos Universais da Pessoa Humana e aos
direitos estabelecidos na constituição federal;
- a possibilidade de que os alunos compreendam, respeitem e
valorizem a diversidade sociocultural e a convivência solidária
em uma sociedade democrática; (PCN’s. Temas Transversais,
1998, pg.147)
Neste contexto, tal dinamicidade, quando bem trabalhada, possibilita transformar os
educandos em cidadãos de uma visão contextualizada e mais crítica. O homem
distingue-se dos outros animais pela capacidade de criar, de pensar, de ordenar
seus pensamentos e ações, projetá-las no futuro e, acima de tudo, transmitir suas
experiências às gerações futuras. Esta condição leva a escola a ir muito além de,
simplesmente, ensinar a ler e escrever; ela deve ensinar o sujeito a ser, a pensar por
si só, a caminhar sozinho, a questionar seu sistema e suas abjeções.
MORIN (2000) diz que a própria memória, não regenerada pela rememoração, tende
degradar-se, porém cada rememoração pode embelezá-la ou desfigurá-la.
O desenvolvimento econômico e social do mundo contemporâneo está associado,
cada vez mais, à capacidade humana de simbolizar, ou seja, ancora-se na
criatividade de indivíduos e grupos. Nesse contexto, investir conjuntamente em
cultura e educação é estratégico, e para isso é necessário criar instâncias de
8

coordenação entre as políticas culturais e educacionais e estimular a interação entre
as expressões da cultura e o sistema educativo.

Para Rosseau, 2009

No estado em que estão as coisas, um homem
abandonado desde seu nascimento à sua própria sorte
seria o mais desfigurado dos mortais, as preocupações, a
autoridade, a necessidade, o exemplo, todas as
instituições sociais, nas que estamos submergidos, se
apagariam no seu modo natural de ser e não colocaria
nada em seu lugar que as substituíssem. Seria como um
arbusto que, por azar, tenha vindo a nascer meio do
caminho e que os transeuntes, sacudindo-o em todas as
direções, o matariam. (Rousseau, 2009, p.4).

A cultura existente em Laranja da Terra está mesclada no conhecimento
interiorizado nas experiências daqueles que aqui chegaram no final do séc. XIX e
início do século XX no período em que Laranja da Terra passa a ser desbravado.

MARCH BLOC (2001, p.17) assinala que,
Diferentemente de outros tipos de cultura, a civilização
ocidental sempre esperou muito da memória, e assim é
introduzido um par fundamental para o historiador e para
o amante da história: história e memória – memória que é
uma das matérias-primas da história, mas que não se
identifica com ela.
A educação como base na identidade cultural deve ter por objetivo a construção de
conceitos que considerem o entendimento dos estudantes, numa manifestação
saudável, necessária e desejável, com intuito de romper com preconceitos, mitos,
tabus. Ao valorizar a cultura, essa tem como objetivo não só manter a tradição, mas
de informação na compreensão das atitudes de cada época.

4 OBJETIVOS EDUCACIONAIS PRETENDIDOS.

4.1-Objetivo Geral:
9

 Valorizar a diversidade cultural de Laranja da Terra, manifestos pelos
diferentes grupos culturais do município.
4.2- Objetivos Específicos
 Trabalhar temas direcionados ao currículo da turma/série relacionados ao
tema do projeto;
 Levantar as diferentes manifestações da cultura local.
 Identificar talentos presentes na escola.
 Criar a identidade de cada pessoa a ser descrita no projeto, fazendo uma
Biografia.
 Identificar as interferências provocadas pelos diferentes agentes culturais.
 Ensaiar apresentações para a culminância do projeto.
 Divulgar o evento nos meios de comunicação do município buscando a
participação da comunidade;
 Elaborar convites específicos aos artistas que participarão na culminância do
projeto.
5 CONTEXTUALIZAÇÃO DA EXPERIÊNCIA.
A Escola Estadual de Ensino Fundamental e médio “Luiz Jouffroy” recebe
diariamente um total aproximado de 460 alunos, distribuídos em três turnos:
Matutino, Vespertino e Noturno, possuindo características próprias, resultantes da
clientela atendida. Sua concepção de ensino é proporcionar educação de qualidade,
buscando desenvolver as habilidades individuais dos educandos. Os professores
buscam inovar sua prática pedagógica, promovendo uma educação comprometida
com o desenvolvimento da autonomia intelectual e emocional dos estudantes,
fazendo com que as idéias estruturadoras do pensamento científico sejam revistas e
relacionadas entre si.
Nesse sentido, observamos que, nossos alunos bem como a sociedade laranjenses
um todo, não valoriza, em sua totalidade as diferentes manifestações culturais desse
povo. Na maioria das vezes age de maneira discriminatória com sua própria história.
10

Diante dessa prerrogativa, idealizamos o projeto: “Laranja da Terra: Cultura in foco”
com o objetivo de valorizar a diversidade cultural de Laranja da Terra, manifestos
pelos diferentes grupos culturais do município, confrontando o aluno com a sua
própria história, proporcionando-o elementos para a compreensão das diferentes
manifestações culturais e sua relação com as mesmas.
Com o desenvolvimento deste projeto, cria-se um ambiente mais interativo no
processo de aprendizagem tornando-os cidadãos mais críticos e capazes de
valorizar e se compreender com as diversas relações da vida em sociedade. Os
alunos foram beneficiados com seu desempenho através de ações concretas,
contribuindo para sua formação e a valorização das diferentes expressões desse
povo.
6- DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES.

A área de Ciências Humanas é responsável em desenvolver a ações planejadas
para cada trimestre em consonância com toda a comunidade escolar. A saber:

1º Trimestre:
 Apresentar o projeto a comunidade escolar;
 Buscar parceiros externos para o desenvolvimento das ações;
 Pesquisar o contexto histórico e sua evolução ao longo dos anos, das
diferentes manifestações culturais da sociedade laranjenses, expressos
através da arte, dança, culinária, vestimenta, religião, artesanato e outros.
2º Trimestre:
 Preparar trabalhos, exposições, vídeos, documentários e outros trabalhos
para a realização da culminância do projeto.
3º Trimestre:
 Realizar as atividades preparadas pela comunidade escolar na culminância
do projeto.

Plano de ação
11

Série/Disciplina

Professor

2º Ano

Andreia

4º Ano e 4ª Série

Marli
Rose

5ª M01Geografia

Fernanda

Tema a ser Desenvolvido
1º T
Pesquisar
com os Pais
Brincadeiras e
Receitas da
época quando
eram
crianças.

2ºT
- Confeccionar livrinhos
com
as
Receitas/Brincadeiras.
-Confeccionar
brinquedos com os
alunos.
-Realizar com a ajuda
de uma mãe/vó/pai
uma Receita com os
alunos.
- Organizar a coleta
dos dados.
- Produzir Álbum de
fotos.
- Coletar materiais.

Atividade
3ºT
Apresentar, expor os
resultados
dos
trabalhos
na
culminância
do
Projeto.

-Pesquisar a
.Apresentar, expor os
arte presente
resultados
dos
nas diferentes
trabalhos
na
manifestações
culminância
do
culturais em
Projeto.
Laranja
da
Terra.
-Elaborar
Roteiro.
- Pesquisa de
Campo.
Pesquisar
- Expor de fotos, Apresentar, expor os
sobre
a murais e painéis.
resultados
dos
diversidade
trabalhos
na
religiosa
de
culminância
do
Laranja
da
Projeto.
Terra – ES.
- Coletar de
dados.

Conteúdo

Arte/Cultura

-Leitura escrita.
- Cultura local.
- Sistema de
medida.

Arte/Cultura.

- Leitura escrita.
- Cultura local.
Lugar
de
Vivenciar
e
cidadania.

Cultura/Diversidade

- Geografia –
Cultura
no
espaço
geográfico
de
Laranja
da
Terra – ES.
Ensino
Religioso – A
diversidade
religiosa
de
Laranja
da
12

Terra.
- Geografia –
Cultura
no
espaço
geográfico
de
Laranja
da
Terra – ES.
Ensino
Religioso – A
diversidade
religiosa
de
Laranja
da
Terra.
-Expor uma mostra Apresentar, expor os Instrumentos musicais As
diferenças
desse trabalho dentro resultados
dos - Danças
Étnico-culturais.
da sala de aula (dança trabalhos
na
música e instrumentos) culminância
do
Projeto

5ªV01Ensino Religioso

Dagmar

Pesquisar
- Expor de fotos, Apresentar, expor os
sobre
a murais e painéis.
resultados
dos
diversidade
trabalhos
na
religiosa
de
culminância
do
Laranja
da
Projeto.
Terra – ES.
- Coleta de
dados.

Cultura/Diversidade

6ªM01 – História

Ana

6ªM02 – História

Ana

-Pesquisar o
conceito
e
origem sobre
dança
e
música;
Pesquisar
sobre
a
história
dos
instrumentos
musicais
e
sua utilização;
-Levantar
dados sobre
os alunos que
tem
conhecimento
musical;
-Pesquisar o -Expor uma mostra Apresentar, expor os Instrumentos musicais As
diferenças
conceito
e desse trabalho dentro resultados
dos - Danças
Étnico-culturais.
13

6ªV01 – História

Ana

7ªM01 – Geografia

Vilmar

origem sobre
dança
e
música;
Pesquisar
sobre
a
história
dos
instrumentos
musicais
e
sua utilização;
-Levantar
dados sobre
os alunos que
tem
conhecimento
musical;
-Pesquisar o
conceito
e
origem sobre
dança
e
música;
Pesquisar
sobre
a
história
dos
instrumentos
musicais
e
sua utilização;
-Levantar
dados sobre
os alunos que
tem
conhecimento
musical;
Pesquisar o
histórico das

da sala de aula (dança trabalhos
música e instrumentos) culminância
Projeto

-Expor uma mostra
desse trabalho dentro
da sala de aula (dança,
música e instrumentos

na
do

Apresentar, expor os Instrumentos musicais As
diferenças
resultados
dos - Danças
Étnico-culturais.
trabalhos
na
culminância
do
Projeto

Levantar os diferentes Exposição
para Cultura - Bandeirolas
tipos de bandeirolas alunos e comunidade

Sociedade
Transformando
14

bandeirolas
usadas para
ornamentação
nos
casamentos
pomeranos;

7ªV01História

Lucia

8ª M01- Geografia

Vilmar

Pesquisar
sobre outros
enfeites
usados
nos
casamentos
por
outros
povos
e
culturas;
Entrevistar e
coletar dados
reconhecendo
a diversidade
cultura
no
nosso
Município.
Pesquisar o
histórico das
bandeirolas
usadas para
ornamentação
nos
casamentos
pomeranos;
Pesquisar
sobre outros
enfeites
usados
nos

usadas ao longo dos dos
tipos
de
tempos;
bandeirolas
confeccionadas;
Confeccionar
bandeirolas usando os Oficina – confecção
diferentes tipos de de bandeirolas
modelos;

paisagens

Fazer um caderno de Apresentação
na Diversidade Cultural
relatos coletados dos culminância
do
entrevistados.
Projeto.
Exposição
das
singularidades
de
algumas culturas.

O
reconhecimento
da diversidade
na
formação
humana.

Levantar os diferentes Exposição
para Cultura - Bandeirolas
tipos de bandeirolas alunos e comunidade
usadas ao longo dos dos
tipos
de
tempos;
bandeirolas
confeccionadas;
Confeccionar
bandeirolas usando os Oficina – confecção
diferentes tipos de de bandeirolas
modelos;
15

8ªV01 História

Lucia

1º M01

Vilmar

1ºM02 Geografia

Vilmar

casamentos
por
outros
povos
e
culturas;
Entrevistar e
coleta
de
dados
reconhecendo
a diversidade
cultura
no
nosso
Município.
Pesquisar o
histórico das
bandeirolas
usadas para
ornamentação
nos
casamentos
pomeranos;
Pesquisar
sobre outros
enfeites
usados
nos
casamentos
por
outros
povos
e
culturas;
- Pesquisar o
histórico das
bandeirolas
usadas para
ornamentação

Fazer um caderno de Apresentação
na Diversidade cultural
relatos coletados dos culminância
do
entrevistados.
Projeto.
Exposição
das
singularidades
de
algumas culturas.

Levantar os diferentes
tipos de bandeirolas
usadas ao longo dos
tempos;
Confeccionar
de
bandeirolas usando os
diferentes tipos de
modelos;

Exposição
para Cultura - Bandeirolas
alunos e comunidade
dos
tipos
de
bandeirolas
confeccionadas;
Oficina – confecção
de bandeirolas

Levantar
os Exposição
para Cultura - Bandeirolas
diferentes tipos de alunos e comunidade
bandeirolas usadas ao dos
tipos
de
longo dos tempos;
bandeirolas
confeccionadas;

O
reconhecimento
da diversidade
na
formação
humana.
16

1ºV01Geografia /Filosofia

1ºN01

nos
casamentos
pomeranos;
Pesquisar
sobre outros
enfeites
usados
nos
casamentos
por
outros
povos
e
culturas;
Aureana/
Pesquisar
Uanderson sobre
o
contexto
histórico
e
teórico
das
principais
festas
religiosas.
Rosilandi
Pesquisar
sobre
a
influência dos
vários povos
nos
hábitos
alimentares
dos brasileiros
e de Laranja
da
Terra.
Aspectos de
saúde
na
alimentação e
consumo de
energia
dos
alimentos.

Confeccionar
bandeirolas usando os Oficina – confecção
diferentes tipos de de bandeirolas
modelos;

- Confeccionar vídeo, - Apresentação na Festas Religiosas.
fotos e montagem de culminância
do
murais.
Projeto.
- Amostra de Vídeos,
mural e fotos.

-Produzir
documentário
de
receitas predominantes
dos grupos culturais de
Laranja da Terra – ES.

Apresentar
na
culminância
do
Projeto.
- Preparar o Café
Colonial.

Cultura
Diversidade
Etnia Racial.
17

2ºM01 – História

Marcos

Pesquisar
sobre
as
diferentes
manifestações
da moda, ao
longo
dos
séculos.
.

2ºEMI – História

Marcos

Pesquisar
sobre
as
diferentes
manifestações
da moda, ao
longo
dos
séculos.

Confeccionar
roupas Exposição
de Vestimenta
alternativas com a exemplares de moda
utilização de materiais feitos pelos alunos.
recicláveis.
Término
dos
trabalhos para a
apresentação no dia
da culminância do
projeto, quando a
sociedade
poderá
fazer parte do projeto
apreciando o que foi
trabalhado o ano
todo.

Confeccionar
roupas exposição
de Vestimenta
alternativas
com
a exemplares de moda
utilização de materiais feitos pelos alunos.
recicláveis.
Término
dos
trabalhos para a
apresentação no dia
da culminância do
projeto, quando a
sociedade
poderá
fazer
parte
do
projeto apreciando o
que foi trabalhado o

Mundo da Moda
Moda
e
utilidades.
Moda e sentido
de beleza.
Moda,
consumo
e
globalização.
Moda
e
religião.
Moda
e
tecnologia.
Toda
cultura
tem moda.
A moda e a
História.
A moda como
questão
de
gênero
e
exercício
da
sexualidade
- Mundo da
Moda
Moda
e
utilidades.
Moda
e
sentido
de
beleza.
Moda,
consumo
e
globalização.
Moda
e
religião.
Moda
e
18

ano todo.

2ºV01Geografia e Filosofia

2ºN01- História

Aureana/
Pesquisar
Uanderson sobre
o
contexto
histórico
e
teórico
das
principais
festas
religiosas.
Marcos
Pesquisar
sobre
as
diferentes
manifestações
da moda, ao
longo
dos
séculos.

- Confeccionar vídeo, Apresentação
na Festas Religiosas.
fotos e montagem de culminância
do
murais.
Projeto.
Amostra
de
Vídeos, mural e
fotos.

Confeccionar
roupas
alternativas
com
a
utilização de materiais
recicláveis

Apresentação
na Vestimenta
culminância
do
Projeto.
Amostra
de
Vídeos, mural e
fotos.

tecnologia.
- Toda cultura
tem moda.
- A moda e a
História.
- A moda como
questão
de
gênero
e
exercício
da
sexualidade
Cultura
Diversidade
Etnia Racial.

- Mundo da
Moda
Moda
e
utilidades.
Moda
e
sentido
de
beleza.
Moda,
consumo
e
globalização.
Moda
e
religião.
Moda
e
tecnologia.
- Toda cultura
tem moda.
19

3ºM01 – Sociologia

Rosilandi

3ºEMI- Sociologia

Rosilandi

Pesquisar
sobre
a
influência dos
vários povos
nos
hábitos
alimentares
dos brasileiros
e de Laranja
da
Terra.
Aspectos de
saúde
na
alimentação e
consumo de
energia
dos
alimentos.
Pesquisar
sobre
a
influência dos
vários povos
nos
hábitos
alimentares
dos brasileiros
e de Laranja
da
Terra.
Aspectos de
saúde
na
alimentação e

-Produzir documentário
de
receitas
predominantes
dos
grupos culturais de
Laranja da Terra – ES.

Apresentar
na Café Colonial
culminância
do
Projeto.
- Preparar o Café
Colonial.

-Produzir documentário
de
receitas
predominantes
dos
grupos culturais de
Laranja da Terra – ES

Apresentar
na Café colonial
culminância
do
Projeto.
- Preparar o Café
Colonial.

- A moda e a
História.
- A moda como
questão
de
gênero
e
exercício
da
sexualidade
Cultura
–
Hábitos
alimentares

Cultura
Cidadania
Cultura
Hábitos
alimentares

e
–
20

3ºV01 – Sociologia

Nilza

3ºN01 – Sociologia

Nilza

consumo de
energia
dos
alimentos.
Pesquisar
sobre
a
influência dos
vários povos
nos
hábitos
alimentares
dos brasileiros
e de Laranja
da
Terra.
Aspectos de
saúde
na
alimentação e
consumo de
energia
dos
alimentos.
Pesquisar
sobre
a
influência dos
vários povos
nos
hábitos
alimentares
dos brasileiros
e de Laranja
da
Terra.
Aspectos de
saúde
na
alimentação e
consumo de
energia
dos
alimentos.

-Produzir documentário
de
receitas
predominantes
dos
grupos culturais de
Laranja da Terra – ES

Apresentar
na Café colonial
culminância
do
Projeto.
- Preparar o Café
Colonial.

Cultura-Hábitos
alimentares

-Produzir documentário
de
receitas
predominantes
dos
grupos culturais de
Laranja da Terra – ES

Apresentar
na Café colonial
culminância
do
Projeto.
- Preparar o Café
Colonial.

Cultura Hábitos
alimentares
21

7- RESULTADOS ESPERADOS.
Ressaltar aspectos culturais não é uma forma de apenas viver de passado, sendo saudosistas
ou retrógrados, mas pelo contrário, é reafirmar nosso presente e nossa identidade humana e
social, investigando as raízes pelas quais nossa sociedade cresceu e está alicerçada. Tendo
esse aspecto vivo em nossa história espera-se que, durante o desenvolvimento desse projeto e
com sua culminância, possamos todos encontrar nosso espaço na cultura, identificando em nós
e mantendo vivos elementos pelos quais temos nossa formação cultural, ideológica e social
firmados como aqueles que nos influenciam e nos modelam. E, do mesmo modo, acenar para
os jovens a importância de reviver o passado por ser uma parte subjetiva presente no âmago
do seu Ser.

8- AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS.

O projeto visa resgatar culturas da comunidade que muitas das vezes esta adormecida,
colocando em prática. E aquelas que estão no cotidiano de nossas vidas, fazendo que o
cidadão venha apresentá-las, mostrando um pouquinho de cada cultura trazida de seus
antepassados.
A equipe EEEFM “LUIZ JOUFFROY”, tem o prazer de desenvolver o projeto e apresentar para
a sociedade baseado em informações sólidas e tangíveis, e auxiliá-las no caminho para o
autodesenvolvimento. Outro benefício é a possibilidade de descoberta de talentos resultante da
identificação das qualidades de cada pessoa da organização.

9-CONCLUSÃO
A equipe da escola tem orgulho em estar desenvolvendo o respectivo projeto. Ele envolve
muitas pessoas, desde a elaboração até a execução. É um trabalho feito a muitas mãos,
contribuindo para a conscientização dos alunos, pais e comunidade em geral a respeito do
nosso jeito de pensar, agir e a forma de nos organizarmos.

10-REFERÊNCIAS
BARROS, José D’Assunção. História, Espaço e Tempo - interações necessárias. In: VARIA
HISTORIA. Belo Horizonte, vol. 22, nº 36: Jul/Dez 2006.
22

BLOCH, Marc Leopold Benjamin. Apologia da História. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.
CURRÍCULO BÁSICO ESCOLA ESTADUAL. Ensino Fundamental: Anos Finais: área de
Ciência Humana. Secretaria de Educação. – Vitória: v.3. SEDU, 2010.
KANT, Immanuel. Resposta à Pergunta: O que é Esclarecimento? [05 de dezembro de
1783]. São Paulo: Edusp, 2009.
MORIN, Edgar. Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. 2ª ed. São Paulo:
Cortez, 2000.
PCN´s – Parâmetros Curriculares Nacionais Ensino Fundamental (HISTÓRIA). Brasília:
MEC, 1999.
ROUSSEAU, Jean Jacques. Emílio ou da Educação. São Paulo: Difel, 2009.

PROJETO “LARANJA DA TERRA” CULTURA IN FOCO”
23
24
25

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ensino de história e diversidade cultural ricardo oriá
Ensino de história e diversidade cultural   ricardo oriáEnsino de história e diversidade cultural   ricardo oriá
Ensino de história e diversidade cultural ricardo oriá
Eduardo Dantas
 
PATRIMONIO CINEMATOGRÁFICO EM CAMPO GRANDE: PERSPECTIVAS DE SUSTENTABILIDADE ...
PATRIMONIO CINEMATOGRÁFICO EM CAMPO GRANDE: PERSPECTIVAS DE SUSTENTABILIDADE ...PATRIMONIO CINEMATOGRÁFICO EM CAMPO GRANDE: PERSPECTIVAS DE SUSTENTABILIDADE ...
PATRIMONIO CINEMATOGRÁFICO EM CAMPO GRANDE: PERSPECTIVAS DE SUSTENTABILIDADE ...
1sested
 
Ensino de História e Experências
Ensino de História e ExperênciasEnsino de História e Experências
Ensino de História e Experências
Alef Lopes
 
Cartilha de Causos
Cartilha de CausosCartilha de Causos
Cartilha de Causos
fortimmjguedes
 
Diversidade educacao
Diversidade educacaoDiversidade educacao
Diversidade educacao
Valdirene Rodrigues
 
Artigo26ldb
Artigo26ldbArtigo26ldb
Artigo26ldb
QUEDMA SILVA
 
Fichamento (4) memória e patrimônio texto pierre nora
Fichamento (4) memória e patrimônio   texto pierre noraFichamento (4) memória e patrimônio   texto pierre nora
Fichamento (4) memória e patrimônio texto pierre nora
Rita Gonçalves
 
Projeto de francisca roseane educação etnicorraciais
Projeto de francisca roseane educação etnicorraciaisProjeto de francisca roseane educação etnicorraciais
Projeto de francisca roseane educação etnicorraciais
Roseane Ribeiro
 
CAPOEIRA E EDUCAÇÃO ESPECIAL: ADAPTAR OS MOVIMENTOS CORPORAIS NO TREINO É PAR...
CAPOEIRA E EDUCAÇÃO ESPECIAL: ADAPTAR OS MOVIMENTOS CORPORAIS NO TREINO É PAR...CAPOEIRA E EDUCAÇÃO ESPECIAL: ADAPTAR OS MOVIMENTOS CORPORAIS NO TREINO É PAR...
CAPOEIRA E EDUCAÇÃO ESPECIAL: ADAPTAR OS MOVIMENTOS CORPORAIS NO TREINO É PAR...
VernicaHolandaSantos
 
A CAPOEIRA É INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA E...
A CAPOEIRA É INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA E...A CAPOEIRA É INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA E...
A CAPOEIRA É INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA E...
VernicaHolandaSantos
 
A Interculturalidade nas práticas de educação e formação de professores
A Interculturalidade nas práticas de educação e formação de professoresA Interculturalidade nas práticas de educação e formação de professores
A Interculturalidade nas práticas de educação e formação de professores
CIDTFF – Centro de Investigação em Didática e Tecnologia na Formação de Formadores
 
Métodos e técnicas do ensino de história
Métodos e técnicas do ensino de históriaMétodos e técnicas do ensino de história
Métodos e técnicas do ensino de história
André Augusto da Fonseca
 
05 cultura e identidades indígenas
05 cultura e identidades indígenas05 cultura e identidades indígenas
05 cultura e identidades indígenas
primeiraopcao
 
Livro101
Livro101Livro101
Livro101
Renata Costa
 
Apresentação diversidade 2013
Apresentação diversidade 2013Apresentação diversidade 2013
Apresentação diversidade 2013
coordenacaodiversidade
 
Bicastiradentes pluralidadeculturalii etnias
Bicastiradentes pluralidadeculturalii etniasBicastiradentes pluralidadeculturalii etnias
Bicastiradentes pluralidadeculturalii etnias
temastransversais
 
Coromandel pluraridade cultural g7
Coromandel pluraridade cultural g7Coromandel pluraridade cultural g7
Coromandel pluraridade cultural g7
temastransversais
 
Monografia Claudionor Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Claudionor Pedagogia Itiúba 2012Monografia Claudionor Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Claudionor Pedagogia Itiúba 2012
Biblioteca Campus VII
 
A CAPOEIRA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA N...
A CAPOEIRA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA N...A CAPOEIRA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA N...
A CAPOEIRA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA N...
VernicaHolandaSantos
 
A MUSICALIDADE DA CAPOEIRA COMO AQUISIÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA BRASILEIRA NO ...
A MUSICALIDADE DA CAPOEIRA COMO AQUISIÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA BRASILEIRA NO ...A MUSICALIDADE DA CAPOEIRA COMO AQUISIÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA BRASILEIRA NO ...
A MUSICALIDADE DA CAPOEIRA COMO AQUISIÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA BRASILEIRA NO ...
VernicaHolandaSantos
 

Mais procurados (20)

Ensino de história e diversidade cultural ricardo oriá
Ensino de história e diversidade cultural   ricardo oriáEnsino de história e diversidade cultural   ricardo oriá
Ensino de história e diversidade cultural ricardo oriá
 
PATRIMONIO CINEMATOGRÁFICO EM CAMPO GRANDE: PERSPECTIVAS DE SUSTENTABILIDADE ...
PATRIMONIO CINEMATOGRÁFICO EM CAMPO GRANDE: PERSPECTIVAS DE SUSTENTABILIDADE ...PATRIMONIO CINEMATOGRÁFICO EM CAMPO GRANDE: PERSPECTIVAS DE SUSTENTABILIDADE ...
PATRIMONIO CINEMATOGRÁFICO EM CAMPO GRANDE: PERSPECTIVAS DE SUSTENTABILIDADE ...
 
Ensino de História e Experências
Ensino de História e ExperênciasEnsino de História e Experências
Ensino de História e Experências
 
Cartilha de Causos
Cartilha de CausosCartilha de Causos
Cartilha de Causos
 
Diversidade educacao
Diversidade educacaoDiversidade educacao
Diversidade educacao
 
Artigo26ldb
Artigo26ldbArtigo26ldb
Artigo26ldb
 
Fichamento (4) memória e patrimônio texto pierre nora
Fichamento (4) memória e patrimônio   texto pierre noraFichamento (4) memória e patrimônio   texto pierre nora
Fichamento (4) memória e patrimônio texto pierre nora
 
Projeto de francisca roseane educação etnicorraciais
Projeto de francisca roseane educação etnicorraciaisProjeto de francisca roseane educação etnicorraciais
Projeto de francisca roseane educação etnicorraciais
 
CAPOEIRA E EDUCAÇÃO ESPECIAL: ADAPTAR OS MOVIMENTOS CORPORAIS NO TREINO É PAR...
CAPOEIRA E EDUCAÇÃO ESPECIAL: ADAPTAR OS MOVIMENTOS CORPORAIS NO TREINO É PAR...CAPOEIRA E EDUCAÇÃO ESPECIAL: ADAPTAR OS MOVIMENTOS CORPORAIS NO TREINO É PAR...
CAPOEIRA E EDUCAÇÃO ESPECIAL: ADAPTAR OS MOVIMENTOS CORPORAIS NO TREINO É PAR...
 
A CAPOEIRA É INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA E...
A CAPOEIRA É INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA E...A CAPOEIRA É INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA E...
A CAPOEIRA É INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA NA E...
 
A Interculturalidade nas práticas de educação e formação de professores
A Interculturalidade nas práticas de educação e formação de professoresA Interculturalidade nas práticas de educação e formação de professores
A Interculturalidade nas práticas de educação e formação de professores
 
Métodos e técnicas do ensino de história
Métodos e técnicas do ensino de históriaMétodos e técnicas do ensino de história
Métodos e técnicas do ensino de história
 
05 cultura e identidades indígenas
05 cultura e identidades indígenas05 cultura e identidades indígenas
05 cultura e identidades indígenas
 
Livro101
Livro101Livro101
Livro101
 
Apresentação diversidade 2013
Apresentação diversidade 2013Apresentação diversidade 2013
Apresentação diversidade 2013
 
Bicastiradentes pluralidadeculturalii etnias
Bicastiradentes pluralidadeculturalii etniasBicastiradentes pluralidadeculturalii etnias
Bicastiradentes pluralidadeculturalii etnias
 
Coromandel pluraridade cultural g7
Coromandel pluraridade cultural g7Coromandel pluraridade cultural g7
Coromandel pluraridade cultural g7
 
Monografia Claudionor Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Claudionor Pedagogia Itiúba 2012Monografia Claudionor Pedagogia Itiúba 2012
Monografia Claudionor Pedagogia Itiúba 2012
 
A CAPOEIRA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA N...
A CAPOEIRA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA N...A CAPOEIRA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA N...
A CAPOEIRA COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO SOCIAL NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA N...
 
A MUSICALIDADE DA CAPOEIRA COMO AQUISIÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA BRASILEIRA NO ...
A MUSICALIDADE DA CAPOEIRA COMO AQUISIÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA BRASILEIRA NO ...A MUSICALIDADE DA CAPOEIRA COMO AQUISIÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA BRASILEIRA NO ...
A MUSICALIDADE DA CAPOEIRA COMO AQUISIÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA BRASILEIRA NO ...
 

Semelhante a Projeto eeefm luiz jouffroy cultura im foco

GLOBALIZAÇÃO E IDENTIDADE CULTURAL NO MUNICÍPIO DE.pdf
GLOBALIZAÇÃO E IDENTIDADE CULTURAL NO MUNICÍPIO DE.pdfGLOBALIZAÇÃO E IDENTIDADE CULTURAL NO MUNICÍPIO DE.pdf
GLOBALIZAÇÃO E IDENTIDADE CULTURAL NO MUNICÍPIO DE.pdf
BrunoAndrade238623
 
Aula 1: Fundamentos legais e princípios da educação
Aula 1: Fundamentos legais e princípios da educaçãoAula 1: Fundamentos legais e princípios da educação
Aula 1: Fundamentos legais e princípios da educação
Israel serique
 
Bicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendencia
Bicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendenciaBicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendencia
Bicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendencia
temastransversais
 
Resumo pcn história1
Resumo pcn história1Resumo pcn história1
Resumo pcn história1
cmsrial13
 
Educação patrimonial
Educação patrimonialEducação patrimonial
Educação patrimonial
EducacaoIntegralPTC
 
2-2020 Art Cult pop Ed patrimonial.pdf
2-2020 Art Cult pop Ed patrimonial.pdf2-2020 Art Cult pop Ed patrimonial.pdf
2-2020 Art Cult pop Ed patrimonial.pdf
PEDRO CABRAL DA COSTA
 
PROJETO EDUCAÇÃO: DIVERSIDADE CULTURAL
PROJETO EDUCAÇÃO: DIVERSIDADE CULTURALPROJETO EDUCAÇÃO: DIVERSIDADE CULTURAL
PROJETO EDUCAÇÃO: DIVERSIDADE CULTURAL
Aline Martendal
 
A arte como instrumento de educação e cultura
A arte como instrumento de educação e culturaA arte como instrumento de educação e cultura
A arte como instrumento de educação e cultura
Fabiola Oliveira
 
Resumo PCN História
Resumo PCN HistóriaResumo PCN História
Resumo PCN História
Eduardo Mariño Rial
 
Monografia Cleia pedagogia 2011
Monografia Cleia pedagogia 2011Monografia Cleia pedagogia 2011
Monografia Cleia pedagogia 2011
Biblioteca Campus VII
 
Pcn história
Pcn históriaPcn história
Pcn história
cmsrial13
 
Pcn história
Pcn históriaPcn história
Pcn história
Eduardo Mariño Rial
 
A diversidade cultural e o ensino inter 3° per
A diversidade cultural e o ensino  inter 3° perA diversidade cultural e o ensino  inter 3° per
A diversidade cultural e o ensino inter 3° per
Claudia Martins
 
Monografia correã§ã£o
Monografia correã§ã£oMonografia correã§ã£o
Monografia correã§ã£o
Katiúcia E. Silmar Piovesan
 
Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013
Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013
Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013
DafianaCarlos
 
29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigação29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigação
SimoneHelenDrumond
 
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberesTrabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
SimoneHelenDrumond
 
EDUCACAO FISICA, INCLUSAO E DIVERSIDADE[1].ppt
EDUCACAO FISICA, INCLUSAO E DIVERSIDADE[1].pptEDUCACAO FISICA, INCLUSAO E DIVERSIDADE[1].ppt
EDUCACAO FISICA, INCLUSAO E DIVERSIDADE[1].ppt
Igor Sampaio Pinho
 
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escolaManifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
Robson Godeguezi
 
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escolaManifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
Robson Godeguezi
 

Semelhante a Projeto eeefm luiz jouffroy cultura im foco (20)

GLOBALIZAÇÃO E IDENTIDADE CULTURAL NO MUNICÍPIO DE.pdf
GLOBALIZAÇÃO E IDENTIDADE CULTURAL NO MUNICÍPIO DE.pdfGLOBALIZAÇÃO E IDENTIDADE CULTURAL NO MUNICÍPIO DE.pdf
GLOBALIZAÇÃO E IDENTIDADE CULTURAL NO MUNICÍPIO DE.pdf
 
Aula 1: Fundamentos legais e princípios da educação
Aula 1: Fundamentos legais e princípios da educaçãoAula 1: Fundamentos legais e princípios da educação
Aula 1: Fundamentos legais e princípios da educação
 
Bicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendencia
Bicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendenciaBicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendencia
Bicastiradentes pluralidadeculturali afrodescendencia
 
Resumo pcn história1
Resumo pcn história1Resumo pcn história1
Resumo pcn história1
 
Educação patrimonial
Educação patrimonialEducação patrimonial
Educação patrimonial
 
2-2020 Art Cult pop Ed patrimonial.pdf
2-2020 Art Cult pop Ed patrimonial.pdf2-2020 Art Cult pop Ed patrimonial.pdf
2-2020 Art Cult pop Ed patrimonial.pdf
 
PROJETO EDUCAÇÃO: DIVERSIDADE CULTURAL
PROJETO EDUCAÇÃO: DIVERSIDADE CULTURALPROJETO EDUCAÇÃO: DIVERSIDADE CULTURAL
PROJETO EDUCAÇÃO: DIVERSIDADE CULTURAL
 
A arte como instrumento de educação e cultura
A arte como instrumento de educação e culturaA arte como instrumento de educação e cultura
A arte como instrumento de educação e cultura
 
Resumo PCN História
Resumo PCN HistóriaResumo PCN História
Resumo PCN História
 
Monografia Cleia pedagogia 2011
Monografia Cleia pedagogia 2011Monografia Cleia pedagogia 2011
Monografia Cleia pedagogia 2011
 
Pcn história
Pcn históriaPcn história
Pcn história
 
Pcn história
Pcn históriaPcn história
Pcn história
 
A diversidade cultural e o ensino inter 3° per
A diversidade cultural e o ensino  inter 3° perA diversidade cultural e o ensino  inter 3° per
A diversidade cultural e o ensino inter 3° per
 
Monografia correã§ã£o
Monografia correã§ã£oMonografia correã§ã£o
Monografia correã§ã£o
 
Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013
Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013
Projeto turma eja 1 bimestre_prof. dafiana carlos_2013
 
29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigação29 dezembro a relatório de investigação
29 dezembro a relatório de investigação
 
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberesTrabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
Trabalho 2 ok natureza e cultura conhecimentos e saberes
 
EDUCACAO FISICA, INCLUSAO E DIVERSIDADE[1].ppt
EDUCACAO FISICA, INCLUSAO E DIVERSIDADE[1].pptEDUCACAO FISICA, INCLUSAO E DIVERSIDADE[1].ppt
EDUCACAO FISICA, INCLUSAO E DIVERSIDADE[1].ppt
 
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escolaManifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
 
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escolaManifestacoes ludicas de lazer e a escola
Manifestacoes ludicas de lazer e a escola
 

Mais de Marilia Frizzera Dias

Conheça o Espírito Santo
Conheça o Espírito Santo Conheça o Espírito Santo
Conheça o Espírito Santo
Marilia Frizzera Dias
 
Oficina tablet-sreac
Oficina tablet-sreacOficina tablet-sreac
Oficina tablet-sreac
Marilia Frizzera Dias
 
Tutorial slideshare
Tutorial slideshareTutorial slideshare
Tutorial slideshare
Marilia Frizzera Dias
 
Alto Rio Possmozer
Alto Rio PossmozerAlto Rio Possmozer
Alto Rio Possmozer
Marilia Frizzera Dias
 
Projeto eeefm hermann berger atitude sustentável 2013
Projeto eeefm hermann berger  atitude sustentável 2013Projeto eeefm hermann berger  atitude sustentável 2013
Projeto eeefm hermann berger atitude sustentável 2013
Marilia Frizzera Dias
 
Projeto eeefm maria de abreu alvim
Projeto eeefm maria de abreu alvimProjeto eeefm maria de abreu alvim
Projeto eeefm maria de abreu alvim
Marilia Frizzera Dias
 
Projeto eeefm luis jouffroy bincando e aprendendo
Projeto eeefm luis jouffroy bincando e aprendendoProjeto eeefm luis jouffroy bincando e aprendendo
Projeto eeefm luis jouffroy bincando e aprendendo
Marilia Frizzera Dias
 
Ferramentas de autoria formas de utilização no processo ensino aprendizagem
Ferramentas de autoria formas de utilização no processo ensino aprendizagemFerramentas de autoria formas de utilização no processo ensino aprendizagem
Ferramentas de autoria formas de utilização no processo ensino aprendizagem
Marilia Frizzera Dias
 
Mapas conceituais cópia
Mapas conceituais   cópiaMapas conceituais   cópia
Mapas conceituais cópia
Marilia Frizzera Dias
 
3 oficina jclic jogo de memória
3 oficina jclic jogo de memória3 oficina jclic jogo de memória
3 oficina jclic jogo de memória
Marilia Frizzera Dias
 
7 convertendo o projeto jclic
7  convertendo o projeto jclic7  convertendo o projeto jclic
7 convertendo o projeto jclic
Marilia Frizzera Dias
 
5 como organizar e compartilhar jclic1
5 como organizar e compartilhar jclic15 como organizar e compartilhar jclic1
5 como organizar e compartilhar jclic1
Marilia Frizzera Dias
 
4 oficina jclic caça-palavras
4 oficina jclic caça-palavras4 oficina jclic caça-palavras
4 oficina jclic caça-palavras
Marilia Frizzera Dias
 
3 oficina jclic jogo de memória
3 oficina jclic jogo de memória3 oficina jclic jogo de memória
3 oficina jclic jogo de memória
Marilia Frizzera Dias
 
2 oficina jclic quebra-cabeça
2 oficina jclic quebra-cabeça2 oficina jclic quebra-cabeça
2 oficina jclic quebra-cabeça
Marilia Frizzera Dias
 
1 tutorial j clic
1 tutorial j clic1 tutorial j clic
1 tutorial j clic
Marilia Frizzera Dias
 
Tutorial REDE ES
Tutorial REDE ESTutorial REDE ES
Tutorial REDE ES
Marilia Frizzera Dias
 
Apresentação inicial aluno integrado
Apresentação inicial aluno integradoApresentação inicial aluno integrado
Apresentação inicial aluno integrado
Marilia Frizzera Dias
 
Oficina conteudos digitais - nteac
Oficina conteudos digitais  - nteac Oficina conteudos digitais  - nteac
Oficina conteudos digitais - nteac
Marilia Frizzera Dias
 
Tutorial ambiente colaborativo de aprendizagem epro info
Tutorial ambiente colaborativo de aprendizagem epro infoTutorial ambiente colaborativo de aprendizagem epro info
Tutorial ambiente colaborativo de aprendizagem epro info
Marilia Frizzera Dias
 

Mais de Marilia Frizzera Dias (20)

Conheça o Espírito Santo
Conheça o Espírito Santo Conheça o Espírito Santo
Conheça o Espírito Santo
 
Oficina tablet-sreac
Oficina tablet-sreacOficina tablet-sreac
Oficina tablet-sreac
 
Tutorial slideshare
Tutorial slideshareTutorial slideshare
Tutorial slideshare
 
Alto Rio Possmozer
Alto Rio PossmozerAlto Rio Possmozer
Alto Rio Possmozer
 
Projeto eeefm hermann berger atitude sustentável 2013
Projeto eeefm hermann berger  atitude sustentável 2013Projeto eeefm hermann berger  atitude sustentável 2013
Projeto eeefm hermann berger atitude sustentável 2013
 
Projeto eeefm maria de abreu alvim
Projeto eeefm maria de abreu alvimProjeto eeefm maria de abreu alvim
Projeto eeefm maria de abreu alvim
 
Projeto eeefm luis jouffroy bincando e aprendendo
Projeto eeefm luis jouffroy bincando e aprendendoProjeto eeefm luis jouffroy bincando e aprendendo
Projeto eeefm luis jouffroy bincando e aprendendo
 
Ferramentas de autoria formas de utilização no processo ensino aprendizagem
Ferramentas de autoria formas de utilização no processo ensino aprendizagemFerramentas de autoria formas de utilização no processo ensino aprendizagem
Ferramentas de autoria formas de utilização no processo ensino aprendizagem
 
Mapas conceituais cópia
Mapas conceituais   cópiaMapas conceituais   cópia
Mapas conceituais cópia
 
3 oficina jclic jogo de memória
3 oficina jclic jogo de memória3 oficina jclic jogo de memória
3 oficina jclic jogo de memória
 
7 convertendo o projeto jclic
7  convertendo o projeto jclic7  convertendo o projeto jclic
7 convertendo o projeto jclic
 
5 como organizar e compartilhar jclic1
5 como organizar e compartilhar jclic15 como organizar e compartilhar jclic1
5 como organizar e compartilhar jclic1
 
4 oficina jclic caça-palavras
4 oficina jclic caça-palavras4 oficina jclic caça-palavras
4 oficina jclic caça-palavras
 
3 oficina jclic jogo de memória
3 oficina jclic jogo de memória3 oficina jclic jogo de memória
3 oficina jclic jogo de memória
 
2 oficina jclic quebra-cabeça
2 oficina jclic quebra-cabeça2 oficina jclic quebra-cabeça
2 oficina jclic quebra-cabeça
 
1 tutorial j clic
1 tutorial j clic1 tutorial j clic
1 tutorial j clic
 
Tutorial REDE ES
Tutorial REDE ESTutorial REDE ES
Tutorial REDE ES
 
Apresentação inicial aluno integrado
Apresentação inicial aluno integradoApresentação inicial aluno integrado
Apresentação inicial aluno integrado
 
Oficina conteudos digitais - nteac
Oficina conteudos digitais  - nteac Oficina conteudos digitais  - nteac
Oficina conteudos digitais - nteac
 
Tutorial ambiente colaborativo de aprendizagem epro info
Tutorial ambiente colaborativo de aprendizagem epro infoTutorial ambiente colaborativo de aprendizagem epro info
Tutorial ambiente colaborativo de aprendizagem epro info
 

Projeto eeefm luiz jouffroy cultura im foco

  • 1. 1 GOVERNO DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO SECRETARIA DO ESTADO DA EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO BÁSICA E PROFISSIONAL GERÊNCIA DE ENSINO MÉDIO SRE AFONSO CLAÚDIO ES EEEFM ‘Luiz Jouffroy” “LARANJA DA TERRA: CULTURA IN FOCO” Laranja da Terra-ES 2013
  • 2. 2 "A coisa mais indispensável ao homem é reconhecer o uso que deve fazer do seu próprio conhecimento". Platão
  • 3. 3 SUMÁRIO 1. IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA........................................................................04 2- JUSTIFICATIVA...............................................................................................04 3- FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA......................................................................05. 4- OBJETIVOS EDUCACIONAIS PRETENDIDOS.............................................08 4.1- OBJETIVO GERAL........................................................................................08 4.2- OBJETIVOS ESPECÍFICOS.........................................................................08 5- CONTEXTUALIZAÇÃO DA EXPERIÊNCIA. ..................................................09 6- DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES...............................................................10 7- RESULTADOS ESPERADOS.........................................................................21 8- AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS.................................................................22 9- CONCLUSÃO..................................................................................................22 10- REFERÊNCIAS..............................................................................................22
  • 4. 4 PROJETO “LARANJA DA TERRA: CULTURA IN FOCO” 1. IDENTIFICAÇÃO DA ESCOLA Nome da Escola: EEEFM “Luiz Jouffroy” SRE: Afonso Claudio ES Telefone: (27) 3736-1378 Município: Laranja da Terra-ES E-mail:escolaluiz@sedu.es.gov.br Diretor: Jonatas André Drescher Responsáveis pelo projeto: Aureana Klug Soares, Maria Lúcia Pizzáia de Souza, Vilmar Henke, Dagmar da P.C. Reblin, Fernanda Brito, Nilza Abel Guns, Rosilandi Melo, Marli Saebel, Andreia Rodrigues de Almeida, Uanderson Abílio dos Santos, Marcos Aigner, Ana Mª S do N Fernandes. Nº de alunos envolvidos no projeto: 431 alunos Disciplinas envolvidas: Geografia, História, Filosofia, Sociologia e Ensino Religioso Início: março de 2013 Término: dezembro de 2013 Turma/Série: Ensino Fundamental e Ensino Médio Categoria: 2 JUSTIFICATIVA. Normalmente ao pensarmos no passado ou vivermos determinadas situações no presente em alguns aspectos, sentimos em nossos corações uma enorme nostalgia, principalmente quando pensamos nos aspectos culturais de nossa região, onde os mais velhos conhecem porque as vivenciaram e os mais jovens devido a introdução de novos elementos culturais, o antigo vai ficando no esquecimento e quando relembrados, não sabem o porquê de ser desse jeito. Este projeto tem como objetivo, resgatar os valores e conhecer a história de elementos culturais que ocasionalmente ainda são relembrados pelos laranjenses nos casamentos pomeranos, nas festas da igreja ou ocasiões festivas da cidade, onde muito já esquecido e perdido com o caminhar da humanidade. Através dos alunos e comunidade escolar, queremos com esse trabalho, influenciar positivamente, resgatar e valorizar as conquistas históricas, as brincadeiras
  • 5. 5 saudáveis, o artesanato, a música, a culinária, a dança, de grande valor ainda presente nas memórias dos pais e avós. Assim mostrar a sociedade onde a nossa escola encontra-se inserida, o seu valor na produção histórica e que há a necessidade de uma intervenção consciente não só pela escola, mas por todos que fazem parte dessa comunidade escolar, que de uma maneira ou de outra, intervém, mesmo que com menor intensidade e que serão os adultos de amanhã, que poderão ou não valorizar a cultura, respeitar o passado e produzir um futuro mais justo, dependendo única e exclusivamente da quantidade de boas sementes que tiverem plantadas em seus corações. 3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA. A Cultura de Laranja da Terra é mais uma das tantas que parece conhecermos em nosso dia a dia, onde uma sociedade caracterizada às vezes por ser maioria de origem européia alemã e pomerana. Fato esse que atenta uma nova abordagem significativa, quando os costumes vindos do início do processo colonizador da região não são o mesmo, e mais ainda não é puro e muito menos singular, pois a presença de outras etnias faz-se presente em todo o município. A história de um povo está, diretamente, ligada a sua cultura. Esta se forma a partir de necessidades intrínsecas a fortiori, motivadas por forças antagônicas e externas; forças estas geográficas e, também, políticas. De maneira que forma-se uma tradição; muitas das vezes esquecida em nosso cotidiano, que em um mundo onde a globalização se faz forte presença ao impor uma cultura local, é necessária atitudes e ações que fortaleçam suas culturas, para que em um futuro não muito distante, passem a ser mais uma pesquisa armazenada em mídias digitais que contam a história de um povo ou lugar, virando possivelmente um romance para bilheteria de cinema. De acordo com BARROS (2006) A História é o estudo do Homem no Tempo e no Espaço. As ações e transformações que afetam aquela vida humana que pode ser historicamente considerada dão-se em um espaço que muitas vezes é um espaço geográfico ou político, e que,
  • 6. 6 sobretudo, sempre e necessariamente constituir-se-á em espaço social (Id., 2006, p.462). Hoje vivemos em uma localidade onde negro come broti, alemão come angu, pomeranos dançam samba, italianos tem filhos de cabelo crespo, etc. Isso demonstra a diversidade cultural e ao mesmo tempo mesclada, confirmando que uma tradição só se firma e se mantém como tal na medida em que é capaz de renovar-se, quando ocorrem mudanças históricas que ameaçam sua sobrevivência ou exigem sua transformação. Se não se transforma, a “tradição” está fadada ao desaparecimento. Ao usar o espaço escolar na intenção de resgatar as culturas existentes e mescladas, a instituição cumpre com o dever de formar cidadãos e ao mesmo tempo dá incentivo e continuidade a um processo de grande importância para toda comunidade do município. Quanto aos princípios norteadores do Currículo Básico Escola Estadual, quando cita o reconhecimento da diversidade na formação da vida, diz que É por meio da valorização e da afirmação da vida que podemos garantir respeito à dignidade humana, pelo reconhecimento da diversidade como traço da realidade social. Apresentar a diversidade como princípio norteador de uma proposta curricular implica compreender o processo de formação humana, que se realiza em um contexto histórico, social, cultural e político. A diversidade é um componente do desenvolvimento biológico e cultural da humanidade e, por isso, o lugar que ocupa no currículo escolar precisa contemplar a inter-relação entre ambos, pois um prescinde do outro à medida que a diversidade biológica não existe isolada de um contexto cultural. (CBC, 2010, p.23) A proposta da área de ciências Humanas, dentro de uma nova perspectiva, de um modo geral é ampliar a rede de contato do aluno com o moderno e o pensar erudito, reflexivo. Mas para tal façanha cabe ao educador, traçar estratégias que simulem situações presentes no cotidiano da vida do educando quando no exercício de sua ação reflexiva. A partir daí, tem-se como elaborar as diversas propostas de abordagem de ensino. Nessa abordagem reflexiva a escola busca na cultura local a valorização não somente da cultura, mas também da sociedade mesclada do Município de Laranja da Terra.
  • 7. 7 Projeta-se trazer para esta instituição de ensino alguns pressupostos teóricos dos princípios norteadores do Currículo Básico Escola Estadual e os temas transversais dos PCN’s, quando trata dos critérios utilizados para seleção de conteúdos. - a relação sociocultural e política, considerando a necessidade e a importância da atuação da escola em fornecer informações básicas que permitam conhecer a ampla diversidade sociocultural brasileira, divulgar contribuições dessas diferentes culturas presentes em território nacional e eliminar conceitos errados, culturalmente disseminados, acerca dos povos e grupos humanos que constituem o Brasil; - a possibilidade de desenvolvimento de valores básicos para o exercício da cidadania, voltados para o respeito ao outro e a si mesmo, aos Direitos Universais da Pessoa Humana e aos direitos estabelecidos na constituição federal; - a possibilidade de que os alunos compreendam, respeitem e valorizem a diversidade sociocultural e a convivência solidária em uma sociedade democrática; (PCN’s. Temas Transversais, 1998, pg.147) Neste contexto, tal dinamicidade, quando bem trabalhada, possibilita transformar os educandos em cidadãos de uma visão contextualizada e mais crítica. O homem distingue-se dos outros animais pela capacidade de criar, de pensar, de ordenar seus pensamentos e ações, projetá-las no futuro e, acima de tudo, transmitir suas experiências às gerações futuras. Esta condição leva a escola a ir muito além de, simplesmente, ensinar a ler e escrever; ela deve ensinar o sujeito a ser, a pensar por si só, a caminhar sozinho, a questionar seu sistema e suas abjeções. MORIN (2000) diz que a própria memória, não regenerada pela rememoração, tende degradar-se, porém cada rememoração pode embelezá-la ou desfigurá-la. O desenvolvimento econômico e social do mundo contemporâneo está associado, cada vez mais, à capacidade humana de simbolizar, ou seja, ancora-se na criatividade de indivíduos e grupos. Nesse contexto, investir conjuntamente em cultura e educação é estratégico, e para isso é necessário criar instâncias de
  • 8. 8 coordenação entre as políticas culturais e educacionais e estimular a interação entre as expressões da cultura e o sistema educativo. Para Rosseau, 2009 No estado em que estão as coisas, um homem abandonado desde seu nascimento à sua própria sorte seria o mais desfigurado dos mortais, as preocupações, a autoridade, a necessidade, o exemplo, todas as instituições sociais, nas que estamos submergidos, se apagariam no seu modo natural de ser e não colocaria nada em seu lugar que as substituíssem. Seria como um arbusto que, por azar, tenha vindo a nascer meio do caminho e que os transeuntes, sacudindo-o em todas as direções, o matariam. (Rousseau, 2009, p.4). A cultura existente em Laranja da Terra está mesclada no conhecimento interiorizado nas experiências daqueles que aqui chegaram no final do séc. XIX e início do século XX no período em que Laranja da Terra passa a ser desbravado. MARCH BLOC (2001, p.17) assinala que, Diferentemente de outros tipos de cultura, a civilização ocidental sempre esperou muito da memória, e assim é introduzido um par fundamental para o historiador e para o amante da história: história e memória – memória que é uma das matérias-primas da história, mas que não se identifica com ela. A educação como base na identidade cultural deve ter por objetivo a construção de conceitos que considerem o entendimento dos estudantes, numa manifestação saudável, necessária e desejável, com intuito de romper com preconceitos, mitos, tabus. Ao valorizar a cultura, essa tem como objetivo não só manter a tradição, mas de informação na compreensão das atitudes de cada época. 4 OBJETIVOS EDUCACIONAIS PRETENDIDOS. 4.1-Objetivo Geral:
  • 9. 9  Valorizar a diversidade cultural de Laranja da Terra, manifestos pelos diferentes grupos culturais do município. 4.2- Objetivos Específicos  Trabalhar temas direcionados ao currículo da turma/série relacionados ao tema do projeto;  Levantar as diferentes manifestações da cultura local.  Identificar talentos presentes na escola.  Criar a identidade de cada pessoa a ser descrita no projeto, fazendo uma Biografia.  Identificar as interferências provocadas pelos diferentes agentes culturais.  Ensaiar apresentações para a culminância do projeto.  Divulgar o evento nos meios de comunicação do município buscando a participação da comunidade;  Elaborar convites específicos aos artistas que participarão na culminância do projeto. 5 CONTEXTUALIZAÇÃO DA EXPERIÊNCIA. A Escola Estadual de Ensino Fundamental e médio “Luiz Jouffroy” recebe diariamente um total aproximado de 460 alunos, distribuídos em três turnos: Matutino, Vespertino e Noturno, possuindo características próprias, resultantes da clientela atendida. Sua concepção de ensino é proporcionar educação de qualidade, buscando desenvolver as habilidades individuais dos educandos. Os professores buscam inovar sua prática pedagógica, promovendo uma educação comprometida com o desenvolvimento da autonomia intelectual e emocional dos estudantes, fazendo com que as idéias estruturadoras do pensamento científico sejam revistas e relacionadas entre si. Nesse sentido, observamos que, nossos alunos bem como a sociedade laranjenses um todo, não valoriza, em sua totalidade as diferentes manifestações culturais desse povo. Na maioria das vezes age de maneira discriminatória com sua própria história.
  • 10. 10 Diante dessa prerrogativa, idealizamos o projeto: “Laranja da Terra: Cultura in foco” com o objetivo de valorizar a diversidade cultural de Laranja da Terra, manifestos pelos diferentes grupos culturais do município, confrontando o aluno com a sua própria história, proporcionando-o elementos para a compreensão das diferentes manifestações culturais e sua relação com as mesmas. Com o desenvolvimento deste projeto, cria-se um ambiente mais interativo no processo de aprendizagem tornando-os cidadãos mais críticos e capazes de valorizar e se compreender com as diversas relações da vida em sociedade. Os alunos foram beneficiados com seu desempenho através de ações concretas, contribuindo para sua formação e a valorização das diferentes expressões desse povo. 6- DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES. A área de Ciências Humanas é responsável em desenvolver a ações planejadas para cada trimestre em consonância com toda a comunidade escolar. A saber: 1º Trimestre:  Apresentar o projeto a comunidade escolar;  Buscar parceiros externos para o desenvolvimento das ações;  Pesquisar o contexto histórico e sua evolução ao longo dos anos, das diferentes manifestações culturais da sociedade laranjenses, expressos através da arte, dança, culinária, vestimenta, religião, artesanato e outros. 2º Trimestre:  Preparar trabalhos, exposições, vídeos, documentários e outros trabalhos para a realização da culminância do projeto. 3º Trimestre:  Realizar as atividades preparadas pela comunidade escolar na culminância do projeto. Plano de ação
  • 11. 11 Série/Disciplina Professor 2º Ano Andreia 4º Ano e 4ª Série Marli Rose 5ª M01Geografia Fernanda Tema a ser Desenvolvido 1º T Pesquisar com os Pais Brincadeiras e Receitas da época quando eram crianças. 2ºT - Confeccionar livrinhos com as Receitas/Brincadeiras. -Confeccionar brinquedos com os alunos. -Realizar com a ajuda de uma mãe/vó/pai uma Receita com os alunos. - Organizar a coleta dos dados. - Produzir Álbum de fotos. - Coletar materiais. Atividade 3ºT Apresentar, expor os resultados dos trabalhos na culminância do Projeto. -Pesquisar a .Apresentar, expor os arte presente resultados dos nas diferentes trabalhos na manifestações culminância do culturais em Projeto. Laranja da Terra. -Elaborar Roteiro. - Pesquisa de Campo. Pesquisar - Expor de fotos, Apresentar, expor os sobre a murais e painéis. resultados dos diversidade trabalhos na religiosa de culminância do Laranja da Projeto. Terra – ES. - Coletar de dados. Conteúdo Arte/Cultura -Leitura escrita. - Cultura local. - Sistema de medida. Arte/Cultura. - Leitura escrita. - Cultura local. Lugar de Vivenciar e cidadania. Cultura/Diversidade - Geografia – Cultura no espaço geográfico de Laranja da Terra – ES. Ensino Religioso – A diversidade religiosa de Laranja da
  • 12. 12 Terra. - Geografia – Cultura no espaço geográfico de Laranja da Terra – ES. Ensino Religioso – A diversidade religiosa de Laranja da Terra. -Expor uma mostra Apresentar, expor os Instrumentos musicais As diferenças desse trabalho dentro resultados dos - Danças Étnico-culturais. da sala de aula (dança trabalhos na música e instrumentos) culminância do Projeto 5ªV01Ensino Religioso Dagmar Pesquisar - Expor de fotos, Apresentar, expor os sobre a murais e painéis. resultados dos diversidade trabalhos na religiosa de culminância do Laranja da Projeto. Terra – ES. - Coleta de dados. Cultura/Diversidade 6ªM01 – História Ana 6ªM02 – História Ana -Pesquisar o conceito e origem sobre dança e música; Pesquisar sobre a história dos instrumentos musicais e sua utilização; -Levantar dados sobre os alunos que tem conhecimento musical; -Pesquisar o -Expor uma mostra Apresentar, expor os Instrumentos musicais As diferenças conceito e desse trabalho dentro resultados dos - Danças Étnico-culturais.
  • 13. 13 6ªV01 – História Ana 7ªM01 – Geografia Vilmar origem sobre dança e música; Pesquisar sobre a história dos instrumentos musicais e sua utilização; -Levantar dados sobre os alunos que tem conhecimento musical; -Pesquisar o conceito e origem sobre dança e música; Pesquisar sobre a história dos instrumentos musicais e sua utilização; -Levantar dados sobre os alunos que tem conhecimento musical; Pesquisar o histórico das da sala de aula (dança trabalhos música e instrumentos) culminância Projeto -Expor uma mostra desse trabalho dentro da sala de aula (dança, música e instrumentos na do Apresentar, expor os Instrumentos musicais As diferenças resultados dos - Danças Étnico-culturais. trabalhos na culminância do Projeto Levantar os diferentes Exposição para Cultura - Bandeirolas tipos de bandeirolas alunos e comunidade Sociedade Transformando
  • 14. 14 bandeirolas usadas para ornamentação nos casamentos pomeranos; 7ªV01História Lucia 8ª M01- Geografia Vilmar Pesquisar sobre outros enfeites usados nos casamentos por outros povos e culturas; Entrevistar e coletar dados reconhecendo a diversidade cultura no nosso Município. Pesquisar o histórico das bandeirolas usadas para ornamentação nos casamentos pomeranos; Pesquisar sobre outros enfeites usados nos usadas ao longo dos dos tipos de tempos; bandeirolas confeccionadas; Confeccionar bandeirolas usando os Oficina – confecção diferentes tipos de de bandeirolas modelos; paisagens Fazer um caderno de Apresentação na Diversidade Cultural relatos coletados dos culminância do entrevistados. Projeto. Exposição das singularidades de algumas culturas. O reconhecimento da diversidade na formação humana. Levantar os diferentes Exposição para Cultura - Bandeirolas tipos de bandeirolas alunos e comunidade usadas ao longo dos dos tipos de tempos; bandeirolas confeccionadas; Confeccionar bandeirolas usando os Oficina – confecção diferentes tipos de de bandeirolas modelos;
  • 15. 15 8ªV01 História Lucia 1º M01 Vilmar 1ºM02 Geografia Vilmar casamentos por outros povos e culturas; Entrevistar e coleta de dados reconhecendo a diversidade cultura no nosso Município. Pesquisar o histórico das bandeirolas usadas para ornamentação nos casamentos pomeranos; Pesquisar sobre outros enfeites usados nos casamentos por outros povos e culturas; - Pesquisar o histórico das bandeirolas usadas para ornamentação Fazer um caderno de Apresentação na Diversidade cultural relatos coletados dos culminância do entrevistados. Projeto. Exposição das singularidades de algumas culturas. Levantar os diferentes tipos de bandeirolas usadas ao longo dos tempos; Confeccionar de bandeirolas usando os diferentes tipos de modelos; Exposição para Cultura - Bandeirolas alunos e comunidade dos tipos de bandeirolas confeccionadas; Oficina – confecção de bandeirolas Levantar os Exposição para Cultura - Bandeirolas diferentes tipos de alunos e comunidade bandeirolas usadas ao dos tipos de longo dos tempos; bandeirolas confeccionadas; O reconhecimento da diversidade na formação humana.
  • 16. 16 1ºV01Geografia /Filosofia 1ºN01 nos casamentos pomeranos; Pesquisar sobre outros enfeites usados nos casamentos por outros povos e culturas; Aureana/ Pesquisar Uanderson sobre o contexto histórico e teórico das principais festas religiosas. Rosilandi Pesquisar sobre a influência dos vários povos nos hábitos alimentares dos brasileiros e de Laranja da Terra. Aspectos de saúde na alimentação e consumo de energia dos alimentos. Confeccionar bandeirolas usando os Oficina – confecção diferentes tipos de de bandeirolas modelos; - Confeccionar vídeo, - Apresentação na Festas Religiosas. fotos e montagem de culminância do murais. Projeto. - Amostra de Vídeos, mural e fotos. -Produzir documentário de receitas predominantes dos grupos culturais de Laranja da Terra – ES. Apresentar na culminância do Projeto. - Preparar o Café Colonial. Cultura Diversidade Etnia Racial.
  • 17. 17 2ºM01 – História Marcos Pesquisar sobre as diferentes manifestações da moda, ao longo dos séculos. . 2ºEMI – História Marcos Pesquisar sobre as diferentes manifestações da moda, ao longo dos séculos. Confeccionar roupas Exposição de Vestimenta alternativas com a exemplares de moda utilização de materiais feitos pelos alunos. recicláveis. Término dos trabalhos para a apresentação no dia da culminância do projeto, quando a sociedade poderá fazer parte do projeto apreciando o que foi trabalhado o ano todo. Confeccionar roupas exposição de Vestimenta alternativas com a exemplares de moda utilização de materiais feitos pelos alunos. recicláveis. Término dos trabalhos para a apresentação no dia da culminância do projeto, quando a sociedade poderá fazer parte do projeto apreciando o que foi trabalhado o Mundo da Moda Moda e utilidades. Moda e sentido de beleza. Moda, consumo e globalização. Moda e religião. Moda e tecnologia. Toda cultura tem moda. A moda e a História. A moda como questão de gênero e exercício da sexualidade - Mundo da Moda Moda e utilidades. Moda e sentido de beleza. Moda, consumo e globalização. Moda e religião. Moda e
  • 18. 18 ano todo. 2ºV01Geografia e Filosofia 2ºN01- História Aureana/ Pesquisar Uanderson sobre o contexto histórico e teórico das principais festas religiosas. Marcos Pesquisar sobre as diferentes manifestações da moda, ao longo dos séculos. - Confeccionar vídeo, Apresentação na Festas Religiosas. fotos e montagem de culminância do murais. Projeto. Amostra de Vídeos, mural e fotos. Confeccionar roupas alternativas com a utilização de materiais recicláveis Apresentação na Vestimenta culminância do Projeto. Amostra de Vídeos, mural e fotos. tecnologia. - Toda cultura tem moda. - A moda e a História. - A moda como questão de gênero e exercício da sexualidade Cultura Diversidade Etnia Racial. - Mundo da Moda Moda e utilidades. Moda e sentido de beleza. Moda, consumo e globalização. Moda e religião. Moda e tecnologia. - Toda cultura tem moda.
  • 19. 19 3ºM01 – Sociologia Rosilandi 3ºEMI- Sociologia Rosilandi Pesquisar sobre a influência dos vários povos nos hábitos alimentares dos brasileiros e de Laranja da Terra. Aspectos de saúde na alimentação e consumo de energia dos alimentos. Pesquisar sobre a influência dos vários povos nos hábitos alimentares dos brasileiros e de Laranja da Terra. Aspectos de saúde na alimentação e -Produzir documentário de receitas predominantes dos grupos culturais de Laranja da Terra – ES. Apresentar na Café Colonial culminância do Projeto. - Preparar o Café Colonial. -Produzir documentário de receitas predominantes dos grupos culturais de Laranja da Terra – ES Apresentar na Café colonial culminância do Projeto. - Preparar o Café Colonial. - A moda e a História. - A moda como questão de gênero e exercício da sexualidade Cultura – Hábitos alimentares Cultura Cidadania Cultura Hábitos alimentares e –
  • 20. 20 3ºV01 – Sociologia Nilza 3ºN01 – Sociologia Nilza consumo de energia dos alimentos. Pesquisar sobre a influência dos vários povos nos hábitos alimentares dos brasileiros e de Laranja da Terra. Aspectos de saúde na alimentação e consumo de energia dos alimentos. Pesquisar sobre a influência dos vários povos nos hábitos alimentares dos brasileiros e de Laranja da Terra. Aspectos de saúde na alimentação e consumo de energia dos alimentos. -Produzir documentário de receitas predominantes dos grupos culturais de Laranja da Terra – ES Apresentar na Café colonial culminância do Projeto. - Preparar o Café Colonial. Cultura-Hábitos alimentares -Produzir documentário de receitas predominantes dos grupos culturais de Laranja da Terra – ES Apresentar na Café colonial culminância do Projeto. - Preparar o Café Colonial. Cultura Hábitos alimentares
  • 21. 21 7- RESULTADOS ESPERADOS. Ressaltar aspectos culturais não é uma forma de apenas viver de passado, sendo saudosistas ou retrógrados, mas pelo contrário, é reafirmar nosso presente e nossa identidade humana e social, investigando as raízes pelas quais nossa sociedade cresceu e está alicerçada. Tendo esse aspecto vivo em nossa história espera-se que, durante o desenvolvimento desse projeto e com sua culminância, possamos todos encontrar nosso espaço na cultura, identificando em nós e mantendo vivos elementos pelos quais temos nossa formação cultural, ideológica e social firmados como aqueles que nos influenciam e nos modelam. E, do mesmo modo, acenar para os jovens a importância de reviver o passado por ser uma parte subjetiva presente no âmago do seu Ser. 8- AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS. O projeto visa resgatar culturas da comunidade que muitas das vezes esta adormecida, colocando em prática. E aquelas que estão no cotidiano de nossas vidas, fazendo que o cidadão venha apresentá-las, mostrando um pouquinho de cada cultura trazida de seus antepassados. A equipe EEEFM “LUIZ JOUFFROY”, tem o prazer de desenvolver o projeto e apresentar para a sociedade baseado em informações sólidas e tangíveis, e auxiliá-las no caminho para o autodesenvolvimento. Outro benefício é a possibilidade de descoberta de talentos resultante da identificação das qualidades de cada pessoa da organização. 9-CONCLUSÃO A equipe da escola tem orgulho em estar desenvolvendo o respectivo projeto. Ele envolve muitas pessoas, desde a elaboração até a execução. É um trabalho feito a muitas mãos, contribuindo para a conscientização dos alunos, pais e comunidade em geral a respeito do nosso jeito de pensar, agir e a forma de nos organizarmos. 10-REFERÊNCIAS BARROS, José D’Assunção. História, Espaço e Tempo - interações necessárias. In: VARIA HISTORIA. Belo Horizonte, vol. 22, nº 36: Jul/Dez 2006.
  • 22. 22 BLOCH, Marc Leopold Benjamin. Apologia da História. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997. CURRÍCULO BÁSICO ESCOLA ESTADUAL. Ensino Fundamental: Anos Finais: área de Ciência Humana. Secretaria de Educação. – Vitória: v.3. SEDU, 2010. KANT, Immanuel. Resposta à Pergunta: O que é Esclarecimento? [05 de dezembro de 1783]. São Paulo: Edusp, 2009. MORIN, Edgar. Os Sete Saberes Necessários à Educação do Futuro. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 2000. PCN´s – Parâmetros Curriculares Nacionais Ensino Fundamental (HISTÓRIA). Brasília: MEC, 1999. ROUSSEAU, Jean Jacques. Emílio ou da Educação. São Paulo: Difel, 2009. PROJETO “LARANJA DA TERRA” CULTURA IN FOCO”
  • 23. 23
  • 24. 24
  • 25. 25