SlideShare uma empresa Scribd logo
PROJETO
FAL@ SAMPA




             1
Participantes do Grupo




JOANA AP. B. MORALES          SUB VILA MARIA/VILAGUILHERME
MARÍLIA T. ALONSO GIOVANZZI   SUB VILA BRASILÂNDIA
PAULO SEABRA COSTA            SUB SANTANA
RUTH M. A. TEIXEIRA           SUB IPIRANGA
VIRGÍNIA CELIA ALVES DA COSTA SUB IPIRANGA
WAGNER DE AMORIN A. SILVA     SUB JABAQUARA
WILSON DE SOUZA R. JUNIOR     CMDH




                                                             2
ÍNDICE


Nome do Projeto.......................................................................................1
Nome dos Integrantes...............................................................................2
1. Escopo do Projeto.................................................................................4
2. Análise do Contexto e Justificativa........................................................5
2.1 Análise do Contexto.............................................................................5
2.2 Justificativa...........................................................................................5
3. Árvore de Problemas .............................................................................6
3.1 Árvore de Objetivos.............................................................................7
4. Seleção do Projeto.................................................................................8
5. Detalhamento do Projeto.......................................................................9 e 10
6. Cronograma Executivo ..........................................................................11
7. Recursos Necessários. (Orçamento)......................................................12
8. Fontes de Financiamento .......................................................................12
9. Stakeholders............................................................................................12
10. Estratégia de Implementação........................... ....................................13 e
11. Monitoramento do Projeto......................................................................15
12. Indicadores de Execução e Formas de Verificação .............................16




1 – DESCRIÇÃO DO PROJETO



                                                                                                                3
Durante o curso observou-se a oportunidade para a troca de
experiências e essa troca possibilitou a identificação do potencial de
conhecimentos e o desejo de compartilhar com os outros servidores.
      Considerando a importância da Gestão do Conhecimento como fator
estratégico das organizações, a criação de um canal de comunicação (espaços
virtuais) aberto, que facilite o diálogo entre os servidores, que possa divulgar o
conhecimento, práticas e experiências inovadoras, compartilhando idéias
inclusive com outros órgãos governamentais, objetivando a Melhoria na
Qualidade dos Serviços Públicos.
      Objetivo principal : Melhorar a sinergia criando entre os participantes a
troca de experiências, envolvimento dos servidores e eficiência dos serviços.
      Área geográfica :    Município de São Paulo
      População alvo:      Todos os servidores e os que tiverem acesso ao
conteúdo.




   OBJETIVOS ESPECÍFICOS:




      Elevar o grau de troca de experiências entre os diferentes órgãos e
      unidades organizacionais integrantes da estrutura da prefeitura, através
      da utilização de ferramentas virtuais sociais;
      Criar condições para a prática mais efetiva de benchmark interno e
      externo;
      Aperfeiçoar processos e procedimentos operacionais através da
      disseminação de práticas adotadas em unidades específicas que se
      mostrarem mais racionais e eficientes;
      Contribuir para o maior grau de homogeneização dos processos e
      procedimentos comuns às diversas unidades da prefeitura;


2 – ANÁLISE DO CONTEXTO E JUSTIFICATIVAS.




                                                                                4
2.1 – ANÁLISE DO CONTEXTO


       A formulação da presente proposta de projeto partiu da hipótese de que
práticas inovadoras, tanto em termos de estilo de gestão como em termos de
mudanças nos procedimentos correntes de trabalho, estão frequentemente
sendo experimentadas nos órgãos e unidades da Prefeitura e que várias delas
apresentam resultados positivos.
       Essas práticas não representam necessariamente alterações de grande
vulto nos processos operacionais, mas pequenas melhorias que, em seu
conjunto, podem contribuir significativamente para tornar o trabalho mais ágil e
efetivo.
       No entanto, a aplicação destas práticas ficam, quase sempre, limitadas
às unidades que as implementam, deixando de ser disseminadas e
aproveitadas pelas demais pela ausência de canais de comunicação que
permitam uma troca de experiências mais efetivas entre os diversos atores.
       O compartilhamento das práticas promoveria o diálogo entre os
servidores, que reduzindo o desperdício de informações e conhecimento,
evitando retrabalho e facilitando o desenvolvimento de novas práticas, bem
como a disseminação de inovações já existentes, dando maior efetividade na
Gestão.




2.2 – JUSTIFICATIVA


       Uma vez constatada a insuficiência de canais diretos de comunicação
entre as diversas     unidades     e servidores da PMSP prejudicando o
aproveitamento mais eficiente do potencial sinérgico representado pelas
experiências positivas em determinados órgãos ou setores, bem como o
conhecimento acumulado na esfera da gestão pública, que podem ser
aproveitados pelos demais, o projeto vem propor um meio de organizar, ajudar
e estruturar uma forma de os servidores compartilharem o conhecimento.




                                                                              5
3 - ÁRVORE DE PROBLEMAS e ÁRVORE DE OBJETIVOS




                                                6
7
4 – SELEÇÃO DO PROJETO:

      Da análise da árvore de problemas e de objetivos foi possível identificar
como problema central a Ausência de Cultura e de Instrumentos que
possibilitem o acesso e compartilhamento das informações, principalmente no
que tange às boas práticas que não são disseminadas.
      Diante disso, o projeto Fal@Sampa,        tem como objetivo principal
desenvolver instrumentos que incentivem a cultura da troca de informações e
conhecimento entre a servidores, onde o beneficiado serão os próprios
servidores que acessarem a ferramenta, com a conseqüente melhoria da
qualidade dos serviços públicos; promovendo maior satisfação ao munícipe.


Projeto: FAL@ SAMPA



      Resultados esperado: Elevar o número de acesso às informações
      contribuindo para a melhoria da Qualidade dos Serviços Prestados à
      população, promovendo a redução de custo e do tempo gasto na busca
      de soluções para desafios já alcançados por outros servidores,
      padronizando diversos procedimentos de interesse comum.




                                                                             8
5 – DETALHAMENTO DO PROJETO



        Tendo em vista que o projeto Fal@Sampa é essencialmente virtual,
uma vez aceito e autorizado pela Secretaria de Gestão Desburocratização e
Modernização e após amplamente comunicado aos Secretários e Subprefeitos;
deve inicialmente contar com a Infra- estrutura do Ambiente onde será
instalado, tais como:


          Computadores com a configuração mínima necessária.
          Acesso ilimitado à rede Internet e Intranet
          Gerenciamento da informação;


        A partir dos critérios acima, descrevemos a seguir os passos
necessários para a implantação:


        Fase 1 – Pesquisar e selecionar uma ou mais ferramentas de
Relacionamento e Comunicação, da Web 2.0 a ser utilizada, tais como;




Blogger        www.blogger.com
Fóruns         vários
Chat           vários
Skype          www.skype.com




Criação de comunidades específicas, por exemplo, do pessoal de RH, de
Finanças, de Limpeza, de Poda de Árvores, etc..




        Fase 2 – Mapear a infra-estrutura já instalada:


         A - Quantidade de computadores com a configuração necessária;



                                                                         9
B - Gerenciamento das informações e monitoramento por parte dos
responsáveis pelo suporte tecnológico da Informação e Comunicação;


      C – Estabelecer critérios para Gerenciamento do Projeto Piloto;


      Fase 3 – Implementar o Projeto Piloto com as ferramentas escolhidas;


      3.1 – Avaliação do projeto piloto e detalhamento das ações para a
generalização.


      Fase 4 – Capacitar o pessoal envolvido para o uso da ferramenta;


      Fase 5 - Estabelecer critérios para o Gerenciamento das informações.


      Fase 6 – Levantar os recursos necessários para a execução do projeto,
essencialmente de pessoas com o conhecimento,


      Fase 7 – Monitorar a execução do projeto, identificando os possíveis
desvios e efetuando os ajustes,


      Fase 8 – Identificar os indicadores que permitirão avaliar os resultados e
objetivos esperados.




                                                                              10
6 – CRONOGRAMA




                                               Meses
Atividades                         1   2   3      4    5   6        7

Mapear     a     infra-estrutura
hardware e software instalada
Pesquisar e selecionar        a
ferramenta da Web 2.0

Estabelecer critérios para o
Gerenciamento               das
informações
Identificar servidor capacitado
para o treinamento ao uso das
ferramentas       virtuais,  ou
contratação externa
Capacitar a força de trabalho
envolvida
Implementar e avaliar um
Projeto piloto
Monitorar a execução do
projeto
Avaliar    os    resultados   e
objetivos esperados




                                                               11
7 – RECURSOS NECESSÁRIOS (ORÇAMENTO)

       Considerando a utilização da base hardware e software já instalada, o
investimento na implantação do Fal@Sampa, bem como para a capacitação de
pessoas, estariam essencialmente no custo horas de trabalho do servidor com
o conhecimento estratégico e domínio da tecnologia da informação.




8 – FONTES DE FINANCIAMENTO

       Alocação de recursos em dotação própria do orçamento, destinada a
treinamento e desenvolvimento dos servidores, através da Escola do Servidor
ou cursos externos, ou ainda através de parcerias.




9 - STAKEHOLDERS


       Do ponto de vista da estratégia da organização, podemos identificar que
estaria interessada no projeto, a própria Secretaria de Gestão que objetiva com
isso promover a Gestão do Conhecimento, em cumprimento à Agenda 2012,
eixo Cidade Eficiente.

        O Grupo idealizador do projeto Fal@Sampa, uma vez que poderemos
utilizar os benefícios das ferramentas para divulgar seus trabalhos.

     Os servidores        em    geral   através    da    disseminação      das
experiências,

      O munícipe que poderá acessar e conhecer os trabalhos desenvolvidos;

       Outras organizações da Administração Pública, tais como outras
prefeituras que se beneficiariam com os conhecimentos dos servidores
paulistanos ora disseminados pela ferramenta.

      A FUNDAP, como fomentadora e partícipe na geração das idéias em
suas oficinas, fortalecendo a importância da implementação do Fal@Sampa,
na busca de melhores resultados na Gestão da Cidade.




                                                                            12
10 – ESTRATÉGIA DE IMPLEMENTAÇÃO

10.1 – Análise Swot


         Análise Swot



                            Ambiente externo
         Oportunidades                          Ameaças
     Momento propício para inovar,       Instabilidade no sistema
     uma vez que a Agenda 2012           operacional (provedor não
     desperta para a necessidade de      funcionar);
     inovar;                             Descontinuidade administrativa;
     Desenvolver e capacitar             Tarifação (cobrança pelo uso da
     servidores para utilizar as         ferramenta).
     ferramentas disponíveis pela
     internet, aumentando a cultura
     e a conscientização da
     importância da comunicação;
     Baixo custo para disseminação
     do conhecimento, através do
     Portal Corporativo para
     consolidar, gerenciar, analisar e
     distribuir a informação
                            Ambiente Interno
              Forças                            Fraquezas
     Poder contar com a infra-           Resistência por parte dos
     estrutura tecnológica já            servidores em aceitar o novo;
     instalada nas Unidades, em          Ausência de cultura (hábito) de
     conexão com a rede lógica,          acessar e estudar pela internet;
     suprida por provedores com          Não deter o conhecimento das
     acesso à Rede Municipal de          ferramentas e as possibilidades
     Computadores;                       que a internet nos oferece;
     Servidores com potencial            Falta de autonomia para
     conhecimento específico e o         divulgação ;
     desejo de compartilhar;             Não conscientização da
     Possibilidade de controle do        importância que a comunicação
     acesso através de autenticação      exerce na Organização;
     inicial de cada usuário (login e    Ausência de suporte em
     senha) e configuração do seu        tecnologia da informação e
     grau de acesso às informações;      comunicação;
                                          Provedor de acesso limitado e
                                         lento.


                                                                       13
10.2 – Divulgação


       Uma vez que a comunicação é fundamental para o sucesso de qualquer
plano, considerando que a ferramenta objetiva a aproximação de pessoas,
idealizamos a promoção de ampla divulgação para a implantação do nosso
projeto, utilizando-se das seguintes mídias:




a) - Portal da PMSP na internet;
b) - Diário Oficial do Município;
c) - Associações e Entidades de Classe;
d) - Boletins Informativos das Subprefeituras;
e) - Emails
f) - News Letter;
g) - Jornal Mural;




                                                                      14
11 – MONITORAMENTO DO PROJETO




      Tendo em vista que o nosso projeto foi concebido através da utilização
das ferramentas virtuais, a implantação, o controle e o monitoramento devem
ser feitos sobre a qualidade do que será divulgado, dentro das normas ABNT
que define requisitos para Técnicas e Sistemas de gestão de Segurança da
Informação.
      O monitoramento e o acompanhamento permanente da execução,
através do Gerenciamento das Informações, permitirá ao gestor identificar
oportunamente possíveis desvios na implantação do projeto Fal@Sampa,
possibilitando desta forma, que sejam efetuados os ajustes e as correções
necessárias.




12 – INDICADORES DE EXECUÇÃO




      Para a obtenção do índice estatístico de utilização da ferramenta, que
possibilitará medir e avaliar a cada momento, se o projeto está sendo
executado dentro do plano previsto, uma vez que ferramentas virtuais
possibilitam fácil acesso para obtenção de dados.
      Para tanto será necessário prever na implantação, o levantamento
pontual da quantidade de acessos, bem como o índice de participação. O
feedback será constantemente atualizado, possibilitando avaliar se os objetivos
estão sendo alcançados.
      Em decorrência da implantação do Fal@Sampa, uma vez iniciado o
programa de Desenvolvimento e Capacitação de servidores, teremos um índice
mais elevado de servidores habilitados, fortalecendo o Projeto INOVAGESTÃO,
elevando a Prefeitura do Município de São Paulo como a organização que
aprende.



                                                                            15
MENSAGEM FINAL:


      “Quando o mundo muda, os gerentes precisam de uma visão comum do
novo mundo. Caso contrário, decisões estratégicas descentralizadas irão
resultar em anarquia gerencial. Os cenários expressam e comunicam esta
visão comum, uma compreensão comum das novas realidades para todas as
partes da organização.”


Safári de Estratégia
Henry Mintzberg




                                                                    16

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Abidzar gifari 1610530218 s1 ti d
Abidzar gifari 1610530218 s1 ti dAbidzar gifari 1610530218 s1 ti d
Abidzar gifari 1610530218 s1 ti d
Abidzar_Gifari
 
Googleearthpres
GoogleearthpresGoogleearthpres
Googleearthpres
Dalton Earlywine
 
Historia y evolución del computador
Historia y evolución del computadorHistoria y evolución del computador
Historia y evolución del computador
dfernando99
 
Drugs voodoo causes
 Drugs  voodoo  causes  Drugs  voodoo  causes
Drugs voodoo causes
Aboregela
 
Unit 5 task 2
Unit 5 task 2Unit 5 task 2
Unit 5 task 2
Edi008317
 
Tendencias pedagógicas que he logrado permear en mi quehacer pedagógico
Tendencias pedagógicas que he logrado permear en mi quehacer pedagógicoTendencias pedagógicas que he logrado permear en mi quehacer pedagógico
Tendencias pedagógicas que he logrado permear en mi quehacer pedagógico
ADELAIDA RODRIGUEZ GARNICA
 
KAROL DAYANA GALINDO
KAROL DAYANA GALINDOKAROL DAYANA GALINDO
KAROL DAYANA GALINDO
klaumilenitha
 
Produtos para piscina e tratamento de aguas odexpool
Produtos para piscina e tratamento de aguas odexpoolProdutos para piscina e tratamento de aguas odexpool
Produtos para piscina e tratamento de aguas odexpool
ODEXLAR
 
Preguntas de examen1
Preguntas de examen1Preguntas de examen1
Preguntas de examen1
alexisrm11
 
Programa 1
Programa 1Programa 1
Programa 1
alexisrm11
 
skydrive_word_doc
skydrive_word_docskydrive_word_doc
Sesión 21
Sesión 21Sesión 21
Sesión 21
Andrés García
 
NDSatcom Certificate
NDSatcom CertificateNDSatcom Certificate
NDSatcom CertificateMuhammad Taha
 
Cuento ( cuentame los cuentos que dibujas en tus sueños
Cuento  ( cuentame los cuentos que dibujas en tus sueñosCuento  ( cuentame los cuentos que dibujas en tus sueños
Cuento ( cuentame los cuentos que dibujas en tus sueños
Dara Morales Portilla
 
Diari de tarragona
Diari de tarragonaDiari de tarragona
Diari de tarragonaviuvallmoll
 

Destaque (20)

Abidzar gifari 1610530218 s1 ti d
Abidzar gifari 1610530218 s1 ti dAbidzar gifari 1610530218 s1 ti d
Abidzar gifari 1610530218 s1 ti d
 
Googleearthpres
GoogleearthpresGoogleearthpres
Googleearthpres
 
Historia y evolución del computador
Historia y evolución del computadorHistoria y evolución del computador
Historia y evolución del computador
 
Drugs voodoo causes
 Drugs  voodoo  causes  Drugs  voodoo  causes
Drugs voodoo causes
 
Unit 5 task 2
Unit 5 task 2Unit 5 task 2
Unit 5 task 2
 
Tendencias pedagógicas que he logrado permear en mi quehacer pedagógico
Tendencias pedagógicas que he logrado permear en mi quehacer pedagógicoTendencias pedagógicas que he logrado permear en mi quehacer pedagógico
Tendencias pedagógicas que he logrado permear en mi quehacer pedagógico
 
KAROL DAYANA GALINDO
KAROL DAYANA GALINDOKAROL DAYANA GALINDO
KAROL DAYANA GALINDO
 
Produtos para piscina e tratamento de aguas odexpool
Produtos para piscina e tratamento de aguas odexpoolProdutos para piscina e tratamento de aguas odexpool
Produtos para piscina e tratamento de aguas odexpool
 
Preguntas de examen1
Preguntas de examen1Preguntas de examen1
Preguntas de examen1
 
Programa 1
Programa 1Programa 1
Programa 1
 
skydrive_word_doc
skydrive_word_docskydrive_word_doc
skydrive_word_doc
 
Sesión 21
Sesión 21Sesión 21
Sesión 21
 
NDSatcom Certificate
NDSatcom CertificateNDSatcom Certificate
NDSatcom Certificate
 
Cuento ( cuentame los cuentos que dibujas en tus sueños
Cuento  ( cuentame los cuentos que dibujas en tus sueñosCuento  ( cuentame los cuentos que dibujas en tus sueños
Cuento ( cuentame los cuentos que dibujas en tus sueños
 
10.Reklama e lokalit
10.Reklama e lokalit10.Reklama e lokalit
10.Reklama e lokalit
 
Test
TestTest
Test
 
Test
TestTest
Test
 
Diari de tarragona
Diari de tarragonaDiari de tarragona
Diari de tarragona
 
Doc.No.5 OVIVO WATER
Doc.No.5 OVIVO WATERDoc.No.5 OVIVO WATER
Doc.No.5 OVIVO WATER
 
Experience2
Experience2Experience2
Experience2
 

Semelhante a Projeto 11 Doc

Projeto 11 Ppt
Projeto 11 PptProjeto 11 Ppt
Projeto 11 Ppt
Inova Gestão
 
AGILE UNIFIED PROCESS
AGILE UNIFIED PROCESSAGILE UNIFIED PROCESS
AGILE UNIFIED PROCESS
Eder Nogueira
 
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!
Rogerio Sena
 
Metodologias ágeis de desenvolvimento trabalho
Metodologias ágeis de desenvolvimento   trabalhoMetodologias ágeis de desenvolvimento   trabalho
Metodologias ágeis de desenvolvimento trabalho
Ruan Pozzebon
 
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
Juliano Oliveira
 
Gerencia de projetos
Gerencia de projetosGerencia de projetos
Gerencia de projetos
EdisonCamilo2
 
Apresentacao Final
Apresentacao FinalApresentacao Final
Apresentacao Final
Paula Carvalho
 
Metodologias ágeis de desenvolvimento
Metodologias ágeis de desenvolvimento Metodologias ágeis de desenvolvimento
Metodologias ágeis de desenvolvimento
Paulo Ricardo Dalmagro Vinck
 
Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)
Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)
Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)
maryvascon
 
Plano do projeto de software SIGEM - Sistema de gestão de materiais
Plano do projeto de software SIGEM - Sistema de gestão de materiaisPlano do projeto de software SIGEM - Sistema de gestão de materiais
Plano do projeto de software SIGEM - Sistema de gestão de materiais
Marcos Pessoa
 
Modelo de Responsabilidade Organizacional e a Transformação Digital
Modelo de Responsabilidade Organizacional e a Transformação DigitalModelo de Responsabilidade Organizacional e a Transformação Digital
Modelo de Responsabilidade Organizacional e a Transformação Digital
Guttenberg Ferreira Passos
 
Fatto - Metodologia de Implantação da Análise de Pontos de Função
Fatto - Metodologia de Implantação da Análise de Pontos de FunçãoFatto - Metodologia de Implantação da Análise de Pontos de Função
Fatto - Metodologia de Implantação da Análise de Pontos de Função
Fatto Consultoria e Sistemas
 
Aula05 - Metodologias Ágeis
Aula05 - Metodologias ÁgeisAula05 - Metodologias Ágeis
Aula05 - Metodologias Ágeis
Daniela Brauner
 
GPT-PMBoK
GPT-PMBoKGPT-PMBoK
GPT-PMBoK
joao87vidal
 
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06
Ethel Capuano
 
Status Report do TCC: SIN-NA7
Status Report do TCC: SIN-NA7Status Report do TCC: SIN-NA7
Status Report do TCC: SIN-NA7
Alessandro Almeida
 
Estagio modelo relatorio
Estagio modelo relatorioEstagio modelo relatorio
Estagio modelo relatorio
renannmaia13
 
A proposal to combine elicitation techniques to write vision document and use...
A proposal to combine elicitation techniques to write vision document and use...A proposal to combine elicitation techniques to write vision document and use...
A proposal to combine elicitation techniques to write vision document and use...
André Agostinho
 
Gestão de Projetos e Empreendedorismo - Atividade: Status Report
Gestão de Projetos e Empreendedorismo - Atividade: Status ReportGestão de Projetos e Empreendedorismo - Atividade: Status Report
Gestão de Projetos e Empreendedorismo - Atividade: Status Report
Alessandro Almeida
 
Apresentação Plano De Investigação
Apresentação Plano De InvestigaçãoApresentação Plano De Investigação
Apresentação Plano De Investigação
Rodolfo Costa
 

Semelhante a Projeto 11 Doc (20)

Projeto 11 Ppt
Projeto 11 PptProjeto 11 Ppt
Projeto 11 Ppt
 
AGILE UNIFIED PROCESS
AGILE UNIFIED PROCESSAGILE UNIFIED PROCESS
AGILE UNIFIED PROCESS
 
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!Portfolio unopar administração 7º periodo   conceito excelente!
Portfolio unopar administração 7º periodo conceito excelente!
 
Metodologias ágeis de desenvolvimento trabalho
Metodologias ágeis de desenvolvimento   trabalhoMetodologias ágeis de desenvolvimento   trabalho
Metodologias ágeis de desenvolvimento trabalho
 
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
Proposta TCC - METODOLOGIA SCRUM APLICADA AOS PROCESSOS DE GERÊNCIA E DESENVO...
 
Gerencia de projetos
Gerencia de projetosGerencia de projetos
Gerencia de projetos
 
Apresentacao Final
Apresentacao FinalApresentacao Final
Apresentacao Final
 
Metodologias ágeis de desenvolvimento
Metodologias ágeis de desenvolvimento Metodologias ágeis de desenvolvimento
Metodologias ágeis de desenvolvimento
 
Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)
Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)
Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)
 
Plano do projeto de software SIGEM - Sistema de gestão de materiais
Plano do projeto de software SIGEM - Sistema de gestão de materiaisPlano do projeto de software SIGEM - Sistema de gestão de materiais
Plano do projeto de software SIGEM - Sistema de gestão de materiais
 
Modelo de Responsabilidade Organizacional e a Transformação Digital
Modelo de Responsabilidade Organizacional e a Transformação DigitalModelo de Responsabilidade Organizacional e a Transformação Digital
Modelo de Responsabilidade Organizacional e a Transformação Digital
 
Fatto - Metodologia de Implantação da Análise de Pontos de Função
Fatto - Metodologia de Implantação da Análise de Pontos de FunçãoFatto - Metodologia de Implantação da Análise de Pontos de Função
Fatto - Metodologia de Implantação da Análise de Pontos de Função
 
Aula05 - Metodologias Ágeis
Aula05 - Metodologias ÁgeisAula05 - Metodologias Ágeis
Aula05 - Metodologias Ágeis
 
GPT-PMBoK
GPT-PMBoKGPT-PMBoK
GPT-PMBoK
 
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06
Gestão de Projetos e Programas - Aula # 06
 
Status Report do TCC: SIN-NA7
Status Report do TCC: SIN-NA7Status Report do TCC: SIN-NA7
Status Report do TCC: SIN-NA7
 
Estagio modelo relatorio
Estagio modelo relatorioEstagio modelo relatorio
Estagio modelo relatorio
 
A proposal to combine elicitation techniques to write vision document and use...
A proposal to combine elicitation techniques to write vision document and use...A proposal to combine elicitation techniques to write vision document and use...
A proposal to combine elicitation techniques to write vision document and use...
 
Gestão de Projetos e Empreendedorismo - Atividade: Status Report
Gestão de Projetos e Empreendedorismo - Atividade: Status ReportGestão de Projetos e Empreendedorismo - Atividade: Status Report
Gestão de Projetos e Empreendedorismo - Atividade: Status Report
 
Apresentação Plano De Investigação
Apresentação Plano De InvestigaçãoApresentação Plano De Investigação
Apresentação Plano De Investigação
 

Mais de Inova Gestão

Projeto 18 Doc
Projeto 18 DocProjeto 18 Doc
Projeto 18 Doc
Inova Gestão
 
Projeto 23 Ppt
Projeto 23 PptProjeto 23 Ppt
Projeto 23 Ppt
Inova Gestão
 
Projeto 23 Doc
Projeto 23 DocProjeto 23 Doc
Projeto 23 Doc
Inova Gestão
 
Projeto 21 Ppt
Projeto 21 PptProjeto 21 Ppt
Projeto 21 Ppt
Inova Gestão
 
Projeto 21 Doc
Projeto 21 DocProjeto 21 Doc
Projeto 21 Doc
Inova Gestão
 
Projeto 22 Ppt
Projeto 22 PptProjeto 22 Ppt
Projeto 22 Ppt
Inova Gestão
 
Projeto 22 Doc
Projeto 22 DocProjeto 22 Doc
Projeto 22 Doc
Inova Gestão
 
Projeto 17 Ppt
Projeto 17 PptProjeto 17 Ppt
Projeto 17 Ppt
Inova Gestão
 
Projeto 20 Ppt
Projeto 20 PptProjeto 20 Ppt
Projeto 20 Ppt
Inova Gestão
 
Projeto 20 Doc
Projeto 20 DocProjeto 20 Doc
Projeto 20 Doc
Inova Gestão
 
Projeto 19 Ppt
Projeto 19 PptProjeto 19 Ppt
Projeto 19 Ppt
Inova Gestão
 
Projeto 16 Doc
Projeto 16 DocProjeto 16 Doc
Projeto 16 Doc
Inova Gestão
 
Projeto 19 Doc
Projeto 19 DocProjeto 19 Doc
Projeto 19 Doc
Inova Gestão
 
Projeto 15 Doc
Projeto 15 DocProjeto 15 Doc
Projeto 15 Doc
Inova Gestão
 
Projeto 18 Ppt
Projeto 18 PptProjeto 18 Ppt
Projeto 18 Ppt
Inova Gestão
 
Projeto 17 Doc
Projeto 17 DocProjeto 17 Doc
Projeto 17 Doc
Inova Gestão
 
Projeto 14 Ppt
Projeto 14 PptProjeto 14 Ppt
Projeto 14 Ppt
Inova Gestão
 
Projeto 16 Ppt
Projeto 16 PptProjeto 16 Ppt
Projeto 16 Ppt
Inova Gestão
 
Projeto 14 Doc
Projeto 14 DocProjeto 14 Doc
Projeto 14 Doc
Inova Gestão
 
Projeto 15 Ppt
Projeto 15 PptProjeto 15 Ppt
Projeto 15 Ppt
Inova Gestão
 

Mais de Inova Gestão (20)

Projeto 18 Doc
Projeto 18 DocProjeto 18 Doc
Projeto 18 Doc
 
Projeto 23 Ppt
Projeto 23 PptProjeto 23 Ppt
Projeto 23 Ppt
 
Projeto 23 Doc
Projeto 23 DocProjeto 23 Doc
Projeto 23 Doc
 
Projeto 21 Ppt
Projeto 21 PptProjeto 21 Ppt
Projeto 21 Ppt
 
Projeto 21 Doc
Projeto 21 DocProjeto 21 Doc
Projeto 21 Doc
 
Projeto 22 Ppt
Projeto 22 PptProjeto 22 Ppt
Projeto 22 Ppt
 
Projeto 22 Doc
Projeto 22 DocProjeto 22 Doc
Projeto 22 Doc
 
Projeto 17 Ppt
Projeto 17 PptProjeto 17 Ppt
Projeto 17 Ppt
 
Projeto 20 Ppt
Projeto 20 PptProjeto 20 Ppt
Projeto 20 Ppt
 
Projeto 20 Doc
Projeto 20 DocProjeto 20 Doc
Projeto 20 Doc
 
Projeto 19 Ppt
Projeto 19 PptProjeto 19 Ppt
Projeto 19 Ppt
 
Projeto 16 Doc
Projeto 16 DocProjeto 16 Doc
Projeto 16 Doc
 
Projeto 19 Doc
Projeto 19 DocProjeto 19 Doc
Projeto 19 Doc
 
Projeto 15 Doc
Projeto 15 DocProjeto 15 Doc
Projeto 15 Doc
 
Projeto 18 Ppt
Projeto 18 PptProjeto 18 Ppt
Projeto 18 Ppt
 
Projeto 17 Doc
Projeto 17 DocProjeto 17 Doc
Projeto 17 Doc
 
Projeto 14 Ppt
Projeto 14 PptProjeto 14 Ppt
Projeto 14 Ppt
 
Projeto 16 Ppt
Projeto 16 PptProjeto 16 Ppt
Projeto 16 Ppt
 
Projeto 14 Doc
Projeto 14 DocProjeto 14 Doc
Projeto 14 Doc
 
Projeto 15 Ppt
Projeto 15 PptProjeto 15 Ppt
Projeto 15 Ppt
 

Projeto 11 Doc

  • 2. Participantes do Grupo JOANA AP. B. MORALES SUB VILA MARIA/VILAGUILHERME MARÍLIA T. ALONSO GIOVANZZI SUB VILA BRASILÂNDIA PAULO SEABRA COSTA SUB SANTANA RUTH M. A. TEIXEIRA SUB IPIRANGA VIRGÍNIA CELIA ALVES DA COSTA SUB IPIRANGA WAGNER DE AMORIN A. SILVA SUB JABAQUARA WILSON DE SOUZA R. JUNIOR CMDH 2
  • 3. ÍNDICE Nome do Projeto.......................................................................................1 Nome dos Integrantes...............................................................................2 1. Escopo do Projeto.................................................................................4 2. Análise do Contexto e Justificativa........................................................5 2.1 Análise do Contexto.............................................................................5 2.2 Justificativa...........................................................................................5 3. Árvore de Problemas .............................................................................6 3.1 Árvore de Objetivos.............................................................................7 4. Seleção do Projeto.................................................................................8 5. Detalhamento do Projeto.......................................................................9 e 10 6. Cronograma Executivo ..........................................................................11 7. Recursos Necessários. (Orçamento)......................................................12 8. Fontes de Financiamento .......................................................................12 9. Stakeholders............................................................................................12 10. Estratégia de Implementação........................... ....................................13 e 11. Monitoramento do Projeto......................................................................15 12. Indicadores de Execução e Formas de Verificação .............................16 1 – DESCRIÇÃO DO PROJETO 3
  • 4. Durante o curso observou-se a oportunidade para a troca de experiências e essa troca possibilitou a identificação do potencial de conhecimentos e o desejo de compartilhar com os outros servidores. Considerando a importância da Gestão do Conhecimento como fator estratégico das organizações, a criação de um canal de comunicação (espaços virtuais) aberto, que facilite o diálogo entre os servidores, que possa divulgar o conhecimento, práticas e experiências inovadoras, compartilhando idéias inclusive com outros órgãos governamentais, objetivando a Melhoria na Qualidade dos Serviços Públicos. Objetivo principal : Melhorar a sinergia criando entre os participantes a troca de experiências, envolvimento dos servidores e eficiência dos serviços. Área geográfica : Município de São Paulo População alvo: Todos os servidores e os que tiverem acesso ao conteúdo. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: Elevar o grau de troca de experiências entre os diferentes órgãos e unidades organizacionais integrantes da estrutura da prefeitura, através da utilização de ferramentas virtuais sociais; Criar condições para a prática mais efetiva de benchmark interno e externo; Aperfeiçoar processos e procedimentos operacionais através da disseminação de práticas adotadas em unidades específicas que se mostrarem mais racionais e eficientes; Contribuir para o maior grau de homogeneização dos processos e procedimentos comuns às diversas unidades da prefeitura; 2 – ANÁLISE DO CONTEXTO E JUSTIFICATIVAS. 4
  • 5. 2.1 – ANÁLISE DO CONTEXTO A formulação da presente proposta de projeto partiu da hipótese de que práticas inovadoras, tanto em termos de estilo de gestão como em termos de mudanças nos procedimentos correntes de trabalho, estão frequentemente sendo experimentadas nos órgãos e unidades da Prefeitura e que várias delas apresentam resultados positivos. Essas práticas não representam necessariamente alterações de grande vulto nos processos operacionais, mas pequenas melhorias que, em seu conjunto, podem contribuir significativamente para tornar o trabalho mais ágil e efetivo. No entanto, a aplicação destas práticas ficam, quase sempre, limitadas às unidades que as implementam, deixando de ser disseminadas e aproveitadas pelas demais pela ausência de canais de comunicação que permitam uma troca de experiências mais efetivas entre os diversos atores. O compartilhamento das práticas promoveria o diálogo entre os servidores, que reduzindo o desperdício de informações e conhecimento, evitando retrabalho e facilitando o desenvolvimento de novas práticas, bem como a disseminação de inovações já existentes, dando maior efetividade na Gestão. 2.2 – JUSTIFICATIVA Uma vez constatada a insuficiência de canais diretos de comunicação entre as diversas unidades e servidores da PMSP prejudicando o aproveitamento mais eficiente do potencial sinérgico representado pelas experiências positivas em determinados órgãos ou setores, bem como o conhecimento acumulado na esfera da gestão pública, que podem ser aproveitados pelos demais, o projeto vem propor um meio de organizar, ajudar e estruturar uma forma de os servidores compartilharem o conhecimento. 5
  • 6. 3 - ÁRVORE DE PROBLEMAS e ÁRVORE DE OBJETIVOS 6
  • 7. 7
  • 8. 4 – SELEÇÃO DO PROJETO: Da análise da árvore de problemas e de objetivos foi possível identificar como problema central a Ausência de Cultura e de Instrumentos que possibilitem o acesso e compartilhamento das informações, principalmente no que tange às boas práticas que não são disseminadas. Diante disso, o projeto Fal@Sampa, tem como objetivo principal desenvolver instrumentos que incentivem a cultura da troca de informações e conhecimento entre a servidores, onde o beneficiado serão os próprios servidores que acessarem a ferramenta, com a conseqüente melhoria da qualidade dos serviços públicos; promovendo maior satisfação ao munícipe. Projeto: FAL@ SAMPA Resultados esperado: Elevar o número de acesso às informações contribuindo para a melhoria da Qualidade dos Serviços Prestados à população, promovendo a redução de custo e do tempo gasto na busca de soluções para desafios já alcançados por outros servidores, padronizando diversos procedimentos de interesse comum. 8
  • 9. 5 – DETALHAMENTO DO PROJETO Tendo em vista que o projeto Fal@Sampa é essencialmente virtual, uma vez aceito e autorizado pela Secretaria de Gestão Desburocratização e Modernização e após amplamente comunicado aos Secretários e Subprefeitos; deve inicialmente contar com a Infra- estrutura do Ambiente onde será instalado, tais como: Computadores com a configuração mínima necessária. Acesso ilimitado à rede Internet e Intranet Gerenciamento da informação; A partir dos critérios acima, descrevemos a seguir os passos necessários para a implantação: Fase 1 – Pesquisar e selecionar uma ou mais ferramentas de Relacionamento e Comunicação, da Web 2.0 a ser utilizada, tais como; Blogger www.blogger.com Fóruns vários Chat vários Skype www.skype.com Criação de comunidades específicas, por exemplo, do pessoal de RH, de Finanças, de Limpeza, de Poda de Árvores, etc.. Fase 2 – Mapear a infra-estrutura já instalada: A - Quantidade de computadores com a configuração necessária; 9
  • 10. B - Gerenciamento das informações e monitoramento por parte dos responsáveis pelo suporte tecnológico da Informação e Comunicação; C – Estabelecer critérios para Gerenciamento do Projeto Piloto; Fase 3 – Implementar o Projeto Piloto com as ferramentas escolhidas; 3.1 – Avaliação do projeto piloto e detalhamento das ações para a generalização. Fase 4 – Capacitar o pessoal envolvido para o uso da ferramenta; Fase 5 - Estabelecer critérios para o Gerenciamento das informações. Fase 6 – Levantar os recursos necessários para a execução do projeto, essencialmente de pessoas com o conhecimento, Fase 7 – Monitorar a execução do projeto, identificando os possíveis desvios e efetuando os ajustes, Fase 8 – Identificar os indicadores que permitirão avaliar os resultados e objetivos esperados. 10
  • 11. 6 – CRONOGRAMA Meses Atividades 1 2 3 4 5 6 7 Mapear a infra-estrutura hardware e software instalada Pesquisar e selecionar a ferramenta da Web 2.0 Estabelecer critérios para o Gerenciamento das informações Identificar servidor capacitado para o treinamento ao uso das ferramentas virtuais, ou contratação externa Capacitar a força de trabalho envolvida Implementar e avaliar um Projeto piloto Monitorar a execução do projeto Avaliar os resultados e objetivos esperados 11
  • 12. 7 – RECURSOS NECESSÁRIOS (ORÇAMENTO) Considerando a utilização da base hardware e software já instalada, o investimento na implantação do Fal@Sampa, bem como para a capacitação de pessoas, estariam essencialmente no custo horas de trabalho do servidor com o conhecimento estratégico e domínio da tecnologia da informação. 8 – FONTES DE FINANCIAMENTO Alocação de recursos em dotação própria do orçamento, destinada a treinamento e desenvolvimento dos servidores, através da Escola do Servidor ou cursos externos, ou ainda através de parcerias. 9 - STAKEHOLDERS Do ponto de vista da estratégia da organização, podemos identificar que estaria interessada no projeto, a própria Secretaria de Gestão que objetiva com isso promover a Gestão do Conhecimento, em cumprimento à Agenda 2012, eixo Cidade Eficiente. O Grupo idealizador do projeto Fal@Sampa, uma vez que poderemos utilizar os benefícios das ferramentas para divulgar seus trabalhos. Os servidores em geral através da disseminação das experiências, O munícipe que poderá acessar e conhecer os trabalhos desenvolvidos; Outras organizações da Administração Pública, tais como outras prefeituras que se beneficiariam com os conhecimentos dos servidores paulistanos ora disseminados pela ferramenta. A FUNDAP, como fomentadora e partícipe na geração das idéias em suas oficinas, fortalecendo a importância da implementação do Fal@Sampa, na busca de melhores resultados na Gestão da Cidade. 12
  • 13. 10 – ESTRATÉGIA DE IMPLEMENTAÇÃO 10.1 – Análise Swot Análise Swot Ambiente externo Oportunidades Ameaças Momento propício para inovar, Instabilidade no sistema uma vez que a Agenda 2012 operacional (provedor não desperta para a necessidade de funcionar); inovar; Descontinuidade administrativa; Desenvolver e capacitar Tarifação (cobrança pelo uso da servidores para utilizar as ferramenta). ferramentas disponíveis pela internet, aumentando a cultura e a conscientização da importância da comunicação; Baixo custo para disseminação do conhecimento, através do Portal Corporativo para consolidar, gerenciar, analisar e distribuir a informação Ambiente Interno Forças Fraquezas Poder contar com a infra- Resistência por parte dos estrutura tecnológica já servidores em aceitar o novo; instalada nas Unidades, em Ausência de cultura (hábito) de conexão com a rede lógica, acessar e estudar pela internet; suprida por provedores com Não deter o conhecimento das acesso à Rede Municipal de ferramentas e as possibilidades Computadores; que a internet nos oferece; Servidores com potencial Falta de autonomia para conhecimento específico e o divulgação ; desejo de compartilhar; Não conscientização da Possibilidade de controle do importância que a comunicação acesso através de autenticação exerce na Organização; inicial de cada usuário (login e Ausência de suporte em senha) e configuração do seu tecnologia da informação e grau de acesso às informações; comunicação; Provedor de acesso limitado e lento. 13
  • 14. 10.2 – Divulgação Uma vez que a comunicação é fundamental para o sucesso de qualquer plano, considerando que a ferramenta objetiva a aproximação de pessoas, idealizamos a promoção de ampla divulgação para a implantação do nosso projeto, utilizando-se das seguintes mídias: a) - Portal da PMSP na internet; b) - Diário Oficial do Município; c) - Associações e Entidades de Classe; d) - Boletins Informativos das Subprefeituras; e) - Emails f) - News Letter; g) - Jornal Mural; 14
  • 15. 11 – MONITORAMENTO DO PROJETO Tendo em vista que o nosso projeto foi concebido através da utilização das ferramentas virtuais, a implantação, o controle e o monitoramento devem ser feitos sobre a qualidade do que será divulgado, dentro das normas ABNT que define requisitos para Técnicas e Sistemas de gestão de Segurança da Informação. O monitoramento e o acompanhamento permanente da execução, através do Gerenciamento das Informações, permitirá ao gestor identificar oportunamente possíveis desvios na implantação do projeto Fal@Sampa, possibilitando desta forma, que sejam efetuados os ajustes e as correções necessárias. 12 – INDICADORES DE EXECUÇÃO Para a obtenção do índice estatístico de utilização da ferramenta, que possibilitará medir e avaliar a cada momento, se o projeto está sendo executado dentro do plano previsto, uma vez que ferramentas virtuais possibilitam fácil acesso para obtenção de dados. Para tanto será necessário prever na implantação, o levantamento pontual da quantidade de acessos, bem como o índice de participação. O feedback será constantemente atualizado, possibilitando avaliar se os objetivos estão sendo alcançados. Em decorrência da implantação do Fal@Sampa, uma vez iniciado o programa de Desenvolvimento e Capacitação de servidores, teremos um índice mais elevado de servidores habilitados, fortalecendo o Projeto INOVAGESTÃO, elevando a Prefeitura do Município de São Paulo como a organização que aprende. 15
  • 16. MENSAGEM FINAL: “Quando o mundo muda, os gerentes precisam de uma visão comum do novo mundo. Caso contrário, decisões estratégicas descentralizadas irão resultar em anarquia gerencial. Os cenários expressam e comunicam esta visão comum, uma compreensão comum das novas realidades para todas as partes da organização.” Safári de Estratégia Henry Mintzberg 16