SlideShare uma empresa Scribd logo
PRISÃO PREVENTIVA
. Conceito
É a prisão de natureza cautelar mais ampla,
sendo uma eficiente ferramenta de
encarceramento durante toda a persecução
penal (inquérito policial e na fase processual)
- Necessidade de ordem escrita e fundamentada da
autoridade judicial (art. 5º, inc. LXI da CF)
PRESSUPOSTOS
Prova da existência do crime (exame pericial,
testemunha, documentos, interceptação
telefônica autorizada judicialmente ou outro meio
idôneo).
Indícios suficientes da autoria – bastam indícios
fazendo crer que o agente é o autor da infração
penal. (não é necessário haver prova robusta,
somente indícios)
FUMUS COMMISSI DELICTI(Justa causa)
PRESSUPOSTOS
 PERÍCUMUM LIBERTATIS – Evidência do fator de
risco a justificar a efetividade da medida (extrema
necessidade)
Obs – Não mais existe hipótese de segregação
preventiva obrigatória (antigo art. 312 – nos
casos de crimes punidos com pena superior a 10
anos)
HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO
 GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA -
- Tranquilidade e paz no meio social (demonstração
de que solto o infrator voltará a delinquir seria
necessário a prisão cautelar)
- Gravidade do crime?
- Antecedentes criminais?
- Repercussão social?
- Credibilidade do judiciário?
- Sentimento popular?
HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO
- NECESSIDADE DE CONTEXTUALIZAÇÃO
STF - HABEAS CORPUS HC 122622 MG (STF)
Data de publicação: 20/08/2014 (STF)
Ementa: Ementa: HABEAS CORPUS. PROCESSUAL PENAL. ROUBO
CIRCUNSTANCIADO. PRISÃO PREVENTIVA DEVIDAMENTE
FUNDAMENTADA. GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA. FUNDADO RISCO
DE REITERAÇÃO DELITIVA. ORDEM DENEGADA. 1. Os fundamentos
utilizados revelam-se idôneos para manter a segregação cautelar da
paciente, na linha de precedentes desta Corte. É que a decisão aponta de
maneira concreta a necessidade de garantir a ordem pública, ante o
fundado receio de reiteração delituosa. 2. Habeas corpus denegado.
Encontrado em: A Turma, por votação unânime, denegou a ordem, nos
termos do voto do Relator. Não participou DOS SANTOS MALTA.
DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO. DEFENSOR PÚBLICO-GERAL
FEDERAL. SUPERIOR TRIBUNAL
HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO
STJ - RECURSO ORDINARIO EM HABEAS CORPUS RHC 44821 M
Data de publicação: 15/04/2014 (STJ)
Ementa: HABEAS CORPUS. ROUBO CIRCUNSTANCIADO.
PRISÃO EM FLAGRANTE. CONVERSÃO EM PREVENTIVA.
FUNDAMENTAÇÃO CONCRETA. REAL POSSIBILIDADE DE
REITERAÇÃO CRIMINOSA. GARANTIA DA ORDEM
PÚBLICA. RECURSO NÃO PROVIDO. - A prisão preventiva foi
devidamente decretada para a garantia da ordem pública,
tendo em vista a real possibilidade de reiteração criminosa. A
recorrente, apesar de primária, havia sido presa há menos de
um mês pela prática de tráfico de drogas, tendo cometido o
delito apenas 4 (quatro) dias após ser beneficiada com prisão
domiciliar. Recurso não provido.
HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO
TJ-RS - Habeas Corpus HC 70053246880 RS (TJ-RS)
Data de publicação: 01/04/2013 (TJRS)
Ementa: HABEAS CORPUS LIBERATÓRIO. HOMICIDIO
QUALIFICADO. DECRETO DE PRISÃO PARA
GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA E DA INSTRUÇÃO
CRIMINAL BASEADO APENAS NA GRAVIDADE
ABSTRATA DO DELITO, SEM INDICAR FUNDAMENTO
CONCRETO. PRECEDENTES DO STF. Ordem
concedida, ratificando a liminar. (Habeas Corpus Nº
70053246880, Terceira Câmara Criminal, Tribunal de
Justiça do RS, Relator: João Batista Marques Tovo,
Julgado em 14/03/2013).
HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO
CONVENIÊNCIA DA INSTRUÇÃO CRIMINAL
 Tutela-se a livre produção da probatória
impedindo que o agente destrua provas,
ameaçe testemunhas, ou comprometa de
qualquer maneira a busca da verdade.
HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO
STJ - HABEAS CORPUS HC 167723 DF 2010/0058576-3 (STJ)
Data de publicação: 28/03/2011 (STJ)
Ementa: HABEAS CORPUS. HOMICÍDIO QUALIFICADO. PRISÃO
PREVENTIVA DEVIDAMENTE FUNDAMENTADA NA GARANTIA DA
ORDEM PÚBLICA E CONVENIÊNCIA DA INSTRUÇÃO CRIMINAL.
ORDEM DENEGADA. 1. A prisão preventiva encontra-se
devidamente fundamentada em elementos concretos. O Paciente,
além de permanecer foragido por mais de 18 anos, foi preso em
outro Estado da Federação, sendo evidente o seu propósito de não
responder à ação penal. Além disso, consta do decreto que o
Paciente ameaçou testemunhas que poderão ser ouvidas no
julgamento do Tribunal do Júri, não tem bons antecedentes e é
reincidente 2. Ordem denegada.
Encontrado em: denegar a ordem. Os Srs. Ministros Napoleão
Nunes Maia Filho, Jorge Mussi, Adilson Vieira Macabu
HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO
GARANTIA DA APLICAÇÃO DA LEI PENAL
- Evita-se aqui a fuga do agente, impedindo o
sumiço do autor do fato, que deseja eximir-se
de eventual cumprimento da sanção penal.
Demonstração fundada quanto a possibilidade
de fuga.
HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO
STF - HABEAS CORPUS HC 123467 PR (STF)
Data de publicação: 01/10/2014 (STF)
Ementa: Ementa: HABEAS CORPUS. PROCESSUAL
PENAL. PRISÃO PREVENTIVA DEVIDAMENTE
FUNDAMENTADA. APLICAÇÃO DA LEI PENAL. FUGA DO
ACUSADO DO DISTRITO DA CULPA. ORDEM DENEGADA.
1. Os fundamentos utilizados revelam-se idôneos para
manter a segregação cautelar do paciente, na linha de
precedentes desta Corte. É que a decisão aponta de
maneira concreta a necessidade de assegurar a aplicação
da lei penal, destacando que o paciente, depois de ser
citado, não foi mais encontrado para os demais atos
processuais. 2. Ordem denegada.
HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO
GARANTIA DA ÓRDEM ECONÔMICA
Hipótese acrescentada ao CPP pela Lei 8.884 (Lei
antitruste) - Visa coibir abusos à ordem econômica –
Continuidade de prática delituosa
Ex:
Limitar, falsear ou de qualquer forma prejudicar a livre
concorrência
Dominar mercado relevante de bens ou serviços
Obs – estaria contemplado pelo que dispõe o próprios art.
312 do C.P.P (reinteração da prática delituosa)
HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO
A Lei 7.492 – Crimes contra o sistema
financeiro nacional prevê a hipótese de
decreto de prisão preventiva face a magnitude
da lesão causada fora das hipóteses do art.
312 do C.P.P
A doutrina e jurisprudência distoam de tal
possibilidade, afirmando a necessidade da
presença dos requisitos do art. 312 e ss do
CPP
HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO
STF - HABEAS CORPUS HC 99210 MG (STF)
Data de publicação: 27/05/2010 (STF)
Ementa: HABEAS CORPUS. PROCESSUAL PENAL. PRISÃO PREVENTIVA.
GARANTIA DA ORDEM ECONÔMICA. DESNECESSIDADE. EXIGÊNCIA DE BASE
CONCRETA. MAGNITUDE DA LESÃO E REFERÊNCIA HIPOTÉTICA À
POSSIBILIDADE DE REITERAÇÃO DE INFRAÇÕES PENAIS. FUNDAMENTOS
INIDÔNEOS PARA A CUSTÓDIA CAUTELAR. 1. Prisão preventiva para garantia
da ordem econômica. Ausência de base fática, visto que o paciente teve seus
bens seqüestrados, não possuindo disponibilidade imediata de seu patrimônio.
2. A magnitude da lesão não justifica, por si só, a decretação da prisão
preventiva. Precedentes. 3. Referências meramente hipotéticas à possibilidade
de reiteração de infrações penais, sem dados concretos a ampará-las, não
servem de supedâneo à prisão preventiva. Precedentes. Ordem deferida, a fim
de cassar o decreto de prisão cautelar.
Encontrado em: , INSTRUÇÃO CRIMINAL, INUTILIDADE, FUNDAMENTO,
CONTINUIDADE, PRISÃO CAUTELAR, MOMENTO POSTERIOR, REALIZAÇÃO...,
MEDIDA CAUTELAR, NECESSIDADE, INSTRUÇÃO CRIMINAL.
IMPOSSIBILIDADE, DECRETAÇÃO, PRISÃO CAUTELAR
HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO
DESCUMPRIMENTO DE QUALQUER DAS
OBRIGAÇÕES IMPOSTAS POR FORÇA DE
OUTRAS MEDIDAS CAUTELARES (Art. 282 §
4º do CPP – com redação dada pela Lei
12.403/11)
Imposição de medidas cautelares diversas da
prisão – DESCUMPRIMENTO – Substituição ou
cumulação com outra – EM ÚLTIMO CASO
DECRETAÇÃO DA PREVENTIVA
HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO
É NECESSÁRIO O CONTRADITÓRIO?
Urgência
Perigo de ineficácia
HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO
TJ-RS - Habeas Corpus HC 70059549956 RS (TJ-RS)
Data de publicação: 14/07/2014 (TJRS)
Ementa: HABEAS CORPUS. LIBERDADE PROVISÓRIA MEDIANTE
CONDIÇÕES. DESCUMPRIMENTO. AUSÊNCIA DOS REQUISITOS
ENSEJADORES DA PRISÃO CAUTELAR. APLICAÇÃO DE MEDIDAS
ALTERNATIVAS. A decretação da prisão cautelar, nas circunstâncias, é
medida desproporcional e desnecessária, pois ausentes os requisitos do
art. 312 do CPP. O paciente apresentou justificativa para o
descumprimento da medida de comparecimento quinzenal em juízo.
Ademais, não restou clara a data para a apresentação seguinte,
razoável, portanto, a concessão da liberdade, esperando-se que exercida
com responsabilidade redobrada. LIMINAR CONFIRMADA. ORDEM
CONCEDIDA. (Habeas Corpus Nº 70059549956, Primeira Câmara
Criminal, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Jayme Weingartner Neto,
Julgado em 11/06/2014)
INFRAÇÕES QUE COMPORTAM A
MEDIDA
REGRA
Crimes dolosos (Nem todos os crimes
dolosos) – excetua-se os crimes culposos
- Punição (pena máxima) in abstrato com
pena superior a 04 anos.
- Pena detenção ou reclusão
INFRAÇÕES QUE COMPORTAM A
MEDIDA
 EXCEPCIONALIDADES:
I) Réu condenado por crime doloso, em
sentença transitado em julgado
(inobservado o período depurador da
reincidência – 05 anos da extinção da pena)
Obs – obtenção livramento condicional
(exceção)
- Mesmo que o novo crime tenha pena máxima
inferior a 04 anos é possível a decretação da
preventiva (art. 313, II do CPP)
INFRAÇÕES QUE COMPORTAM A
MEDIDA
 II) Quando exista dúvida sobre a
identidade civil da pessoa e o agente não
fornece elementos suficientes para
esclarecê-la (paragrafo único art. 313)
Lei 12.037/09 – possibilita a identificação
criminal – em caso de recusa justificaria a
prisão até que a identificação seja
realizada.
INFRAÇÕES QUE COMPORTAM A
MEDIDA
 III) Se o crime envolver violência
doméstica e familiar, no objetivo de
garantir a execução das medidas
protetivas de urgência (inserida pelo art.
42 da Lei 11.340/06 – Maria da Penha)
- Basta a presença dos indícios da autoria e
prova da materialidade delitiva
- Que a prisão seja necessária para garantir
a execução das medidas protetivas
impostas.
INFRAÇÕES QUE COMPORTAM A
MEDIDA
STJ - RECURSO ORDINARIO EM HABEAS CORPUS RHC 41882
MG 2013/0356490-9 (STJ)
Data de publicação: 16/12/2013
Ementa: RECURSO EM HABEAS CORPUS. LEI MARIA DA
PENHA . PRISÃO. FUNDAMENTAÇÃO. GARANTIA DA ORDEM
PÚBLICA. DESCUMPRIMENTO DE MEDIDA PROTETIVA
ANTERIORMENTE IMPOSTA. PRIMARIEDADE E BONS
ANTECEDENTES. 1. As prisões cautelares são medidas de índole
excepcional, somente podendo ser decretadas ou mantidas caso
demonstrada, com base em elementos concretos, a efetiva
imprescindibilidade de restrição ao direito constitucional à liberdade
de locomoção, à luz de um dos fundamentos autorizadores
previstos no art. 312 do Código de Processo Penal . Precedentes.
2. Na espécie, está suficientemente fundamentada a decisão
INFRAÇÕES QUE COMPORTAM A
MEDIDA
que decretou a custódia cautelar para garantir a ordem pública,
porquanto o recorrente descumpriu medida protetiva
anteriormente imposta e agrediu a ex-companheira e sua mãe,
bem como ameaçou dois milicianos que efetuaram a prisão em
flagrante. 3. Segundo a iterativa jurisprudência desta Corte, a
primariedade e os bons antecedentes são circunstâncias que,
por si sós, não têm o condão de garantir o direito à liberdade
provisória, sobretudo quando presentes outros elementos que
indiquem a necessidade da segregação cautelar. 4. Recurso em
habeas corpus improvido.
Encontrado em: (Desembargadora convocada do TJ/SE) e Maria
Thereza de Assis Moura votaram com o Sr. Ministro Relator
DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL
Competência do juiz – sempre em decisão
fundamentada e terá lugar:
I – em qualquer fase da investigação
(inquérito policial ou procedimento de
apuração preliminar equivalente) – sempre
por provocação de um dos legitimados (MP
ou autoridade policial)
DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL
STJ - RECURSO ORDINARIO EM HABEAS CORPUS RHC
40155 BA 2013/0269436-7 (STJ)
Data de publicação: 31/03/2014 (STJ)
Ementa: RECURSO EM "HABEAS CORPUS". CRIME CONTRA A
VIDA. HOMICÍDIO TENTADO CONTRA A PRÓPRIA MÃE.
ALEGAÇÃO DE CONSTRANGIMENTO ILEGAL. PRETENSÃO
DE QUE SE RECONHEÇA NULIDADE NA CONVERSÃO DA
PRISÃO EM FLAGRANTE PARA PREVENTIVA.
INOCORRÊNCIA. PEDIDO PARA SUBSTITUIR A PRISÃO
CAUTELAR POR MEDIDA DIVERSA. INADEQUAÇÃO /
INSUFICIÊNCIA. PRECEDENTES. 1. Motivado pela existência de
dados concretos que atendam aos pressupostos autorizadores da
prisão preventiva, o Juízo processante deve convertê-la, até
mesmo de ofício, de acordo com os arts. 310 , 311 , 312 e 313 ,
todos do Código de Processo Penal . 2. Recurso em "habeas
corpus" não provido
DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL
II – Em qualquer fase do processo penal,
de ofício ou por provocação do legítimo
interessado (Ministério Público,
assistente, querelante ou por
representação da autoridade policial
Tanto nos crimes de ação pública como de
ação privada
DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL
Art. 311. Em qualquer fase da investigação policial
ou do processo penal, caberá a prisão preventiva
decretada pelo juiz, de ofício, se no curso da ação
penal, ou a requerimento do Ministério Público, do
querelante ou do assistente, ou por representação
da autoridade policial.
DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL
Relaxamento da prisão em flagrante e prisão
preventiva.
Possibilidade?
Apresentação espontânea!!!!
DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL
s
• STJ - RECURSO ORDINARIO EM HABEAS CORPUS RHC 46030 MG
2014/0055136-0 (STJ)
Data de publicação: 13/05/2014 (STJ)
Ementa: RECURSO ORDINÁRIO EM HABEAS CORPUS. PROCESSO PENAL.
ROUBO QUALIFICADO. PRISÃO PREVENTIVA. GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA,
CONVENIÊNCIA DA INSTRUÇÃO CRIMINAL E GARANTIA DA APLICAÇÃO DA LEI
PENAL. GRAVIDADE CONCRETA DO DELITO. FUGA DO RÉU DO DISTRITO DA
CULPA LOGO APÓS OS FATOS. APRESENTAÇÃO ESPONTÂNEA PERANTE A
AUTORIDADE POLICIAL. IRRELEVÂNCIA. RECURSO DESPROVIDO. 1. A prisão
preventiva foi fundamentada na garantia da ordem pública em face da periculosidade
do réu, demonstrada pelo modus operandi do crime que lhe foi imputado. O
Recorrente, além de possuir antecedente por crime contra o patrimônio, é acusado da
prática de roubo a caminhão de carga de alto valor, praticado de maneira ousada e
extremamente organizada, em concurso com quatro agentes, emprego de arma de
fogo e restrição à liberdade das vítimas, o que indica intimidade com a prática
criminosa. 2. A apresentação espontânea à autoridade policial, a teor do disposto no
art. 317 , do Código de Processo Penal , não impede a decretação da prisão
preventiva nos casos em que a lei a autoriza e nem é motivo para a sua revogação,
mormente quando concretamente demonstrada a necessidade da prisão cautelar para
garantia da instrução criminal, como no caso, onde o réu se apresentou por advogado,
anos após o crime, em outro Estado da Federação. 3. Recurso desprovido.
DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL
• PREVENTIVA E LIBERDADE PROVISÓRIA!!
• Incompatibilidade absoluta (com ou sem fiança)
• Se cabível liberdade provisória é porque não
existem os requisitos da prisão cautelar
DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL
• RECURSO:
• Em se tratando do tema de prisão e liberdade,
são recorríveis quando desfavoráveis ao
cárcere, do contrário são irrecorríveis.
• Decisão que defere liberdade provisória
• Decisão que revoga prisão preventiva e indefere a
medida
• RECURSO EM SENTIDO ESTRITO
DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL
• Se o Juiz indefere pedido de revogação de
preventiva ou a decreta – Decisão
irrecorrível (HABEAS CORPUS)
• Não há previsão legal de recurso
REVOGAÇÃO
Cláusula rebus sic stantibus (se houver
alteração das coisas, revelando-se
desnecessária a medida a revogação é
obrigatória)
• A revogação se dará de ofício ou por
provocação
• A medida poderá ser renovada tantas vezes
quanto se fizerem necessárias (art. 316 c/c o
§ 5º do art. 282)
REVOGAÇÃO
Excesso de prazo:
- Revogação ou relaxamento?
Quando se constitui excesso?
- “Razoabilidade”
REVOGAÇÃO
STJ - RECURSO ORDINARIO EM HABEAS CORPUS RHC 45235 SE
2014/0029855-7 (STJ) Data de publicação: 02/05/2014
Ementa: RECURSO ORDINÁRIO EM HABEAS CORPUS. ESTUPRO DE
VULNERÁVEL. EXCESSO DE PRAZO NA FORMAÇÃO DA CULPA. NÃO
OCORRÊNCIA. RAZOABILIDADE. INCIDENTES PROCESSUAIS.
CONSTRANGIMENTO ILEGAL. INEXISTÊNCIA. RECURSO IMPROVIDO. 1.
Conforme entendimento pacífico desta Corte Superior, a eventual ilegalidade
da prisão preventiva por excesso de prazo para conclusão da instrução
criminal deve ser analisada à luz do princípio da razoabilidade, sendo
permitido ao juízo, em hipóteses de excepcional complexidade, a extrapolação
dos prazos previstos na lei processual penal. 2. Na espécie, a ação penal
segue seu trâmite regular, sem que se observe desídia ou procrastinação por
parte do Juízo originário. Com efeito, ao que se tem dos autos, os adiamentos
das audiências, tidos como morosos pela defesa, a ensejar constrangimento
ilegal ao recorrente, foram devidamente justificados pela autoridade judiciária
e não extrapolaram o prazo razoável a justificar a concessão de liberdade
provisória ao denunciado. 3. Recurso ordinário em habeas corpus a que se
nega provimento.
REVOGAÇÃO
STJ Súmula nº 21 - 06/12/1990 - DJ 11.12.1990
Pronúncia - Constrangimento Ilegal - Instrução Criminal - Excesso de
Prazo.Pronunciado o réu, fica superada a alegação do constrangimento ilegal
da prisão por excesso de prazo na instrução
STJ Súmula nº 52 - 17/09/1992 - DJ 24.09.1992
Instrução Criminal - Constrangimento Ilegal - Excesso de Prazo -
Encerrada a instrução criminal, fica superada a alegação de
constrangimento por excesso de prazo
ObsObs - Em caso concreto o STJ vem sujeitando as súmulas a uma releitura
possibilitando o reconhecimento de excesso de prazo mesmo após o
encerramento da instrução processual e pronúncia
PREVENTIVA E EXCLUDENTE DE
ILICITUDE
PREVENTIVA E EXCLUDENTE DE
ILICITUDE
Se pela análise dos autos percebe-se que o agente
atuou sob o manto de uma excludente de ilicitude, a
preventiva não será decretada (art. 314 do C.P.P)
a) Estado de necessidade
b) Legítima defesa
c) Estrito cumprimento do dever legal
- Trata-se de cláusula impeditiva da medida prisional.
- Não é necessário a certeza quanto à presença das
excludentes. Basta indícios que convença o julgador

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Direito penal iii dano
Direito penal iii   danoDireito penal iii   dano
Direito penal iii dano
Urbano Felix Pugliese
 
Processo penal 03 procedimentos
Processo penal 03   procedimentosProcesso penal 03   procedimentos
Processo penal 03 procedimentos
Jordano Santos Cerqueira
 
Direito penal slides - power point
Direito penal   slides - power pointDireito penal   slides - power point
Direito penal slides - power point
edgardrey
 
Direito penal parte geral - slides - caderno
Direito penal   parte geral - slides - cadernoDireito penal   parte geral - slides - caderno
Direito penal parte geral - slides - caderno
edgardrey
 
Curso de Processo penal II - Faceli
Curso de Processo penal II - FaceliCurso de Processo penal II - Faceli
Curso de Processo penal II - Faceli
Jordano Santos Cerqueira
 
Direito penal ii sursis
Direito penal ii    sursisDireito penal ii    sursis
Direito penal ii sursis
Urbano Felix Pugliese
 
Tópicos tortura – lei 9455
Tópicos   tortura – lei 9455Tópicos   tortura – lei 9455
Tópicos tortura – lei 9455
crisdupret
 
Lei de Drogas para Concursos
Lei de Drogas para ConcursosLei de Drogas para Concursos
Lei de Drogas para Concursos
Estratégia Concursos
 
Lei nº 9.455\97- Lei Antitortura
Lei nº 9.455\97- Lei AntitorturaLei nº 9.455\97- Lei Antitortura
Lei nº 9.455\97- Lei Antitortura
Marcos Girão
 
Direito penal i fontes do direito penal
Direito penal i   fontes do direito penalDireito penal i   fontes do direito penal
Direito penal i fontes do direito penal
Urbano Felix Pugliese
 
Lei de Crimes Hediondos Esquematizada
Lei de Crimes Hediondos EsquematizadaLei de Crimes Hediondos Esquematizada
Lei de Crimes Hediondos Esquematizada
Marcos Girão
 
Direito penal
Direito penalDireito penal
Direito penal
Paulo Souza
 
Direito penal ii concurso de crimes
Direito penal ii   concurso de crimesDireito penal ii   concurso de crimes
Direito penal ii concurso de crimes
Urbano Felix Pugliese
 
Slides revisão direito constitucional i
Slides revisão direito constitucional iSlides revisão direito constitucional i
Slides revisão direito constitucional i
Keziah Silva Pinto
 
Criminologia slides completos
Criminologia slides completosCriminologia slides completos
Criminologia slides completos
Gesiel Oliveira
 
Inquérito Policial
Inquérito PolicialInquérito Policial
Inquérito Policial
Antonio Pereira
 
Aula 11 direito penal i - a conduta na teoria do delito
Aula 11   direito penal i - a conduta na teoria do delitoAula 11   direito penal i - a conduta na teoria do delito
Aula 11 direito penal i - a conduta na teoria do delito
Urbano Felix Pugliese
 
Lei de drogas
Lei de drogasLei de drogas
Lei de drogas
Flavio_Laudares
 
Aula 11 parte 1 - prisões
Aula 11   parte 1 - prisõesAula 11   parte 1 - prisões
Aula 11 parte 1 - prisões
Esdras Arthur Lopes Pessoa
 
Aula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo ii
Aula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo iiAula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo ii
Aula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo ii
Urbano Felix Pugliese
 

Mais procurados (20)

Direito penal iii dano
Direito penal iii   danoDireito penal iii   dano
Direito penal iii dano
 
Processo penal 03 procedimentos
Processo penal 03   procedimentosProcesso penal 03   procedimentos
Processo penal 03 procedimentos
 
Direito penal slides - power point
Direito penal   slides - power pointDireito penal   slides - power point
Direito penal slides - power point
 
Direito penal parte geral - slides - caderno
Direito penal   parte geral - slides - cadernoDireito penal   parte geral - slides - caderno
Direito penal parte geral - slides - caderno
 
Curso de Processo penal II - Faceli
Curso de Processo penal II - FaceliCurso de Processo penal II - Faceli
Curso de Processo penal II - Faceli
 
Direito penal ii sursis
Direito penal ii    sursisDireito penal ii    sursis
Direito penal ii sursis
 
Tópicos tortura – lei 9455
Tópicos   tortura – lei 9455Tópicos   tortura – lei 9455
Tópicos tortura – lei 9455
 
Lei de Drogas para Concursos
Lei de Drogas para ConcursosLei de Drogas para Concursos
Lei de Drogas para Concursos
 
Lei nº 9.455\97- Lei Antitortura
Lei nº 9.455\97- Lei AntitorturaLei nº 9.455\97- Lei Antitortura
Lei nº 9.455\97- Lei Antitortura
 
Direito penal i fontes do direito penal
Direito penal i   fontes do direito penalDireito penal i   fontes do direito penal
Direito penal i fontes do direito penal
 
Lei de Crimes Hediondos Esquematizada
Lei de Crimes Hediondos EsquematizadaLei de Crimes Hediondos Esquematizada
Lei de Crimes Hediondos Esquematizada
 
Direito penal
Direito penalDireito penal
Direito penal
 
Direito penal ii concurso de crimes
Direito penal ii   concurso de crimesDireito penal ii   concurso de crimes
Direito penal ii concurso de crimes
 
Slides revisão direito constitucional i
Slides revisão direito constitucional iSlides revisão direito constitucional i
Slides revisão direito constitucional i
 
Criminologia slides completos
Criminologia slides completosCriminologia slides completos
Criminologia slides completos
 
Inquérito Policial
Inquérito PolicialInquérito Policial
Inquérito Policial
 
Aula 11 direito penal i - a conduta na teoria do delito
Aula 11   direito penal i - a conduta na teoria do delitoAula 11   direito penal i - a conduta na teoria do delito
Aula 11 direito penal i - a conduta na teoria do delito
 
Lei de drogas
Lei de drogasLei de drogas
Lei de drogas
 
Aula 11 parte 1 - prisões
Aula 11   parte 1 - prisõesAula 11   parte 1 - prisões
Aula 11 parte 1 - prisões
 
Aula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo ii
Aula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo iiAula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo ii
Aula 03 04 - direito penal iv - crimes contra a dignidade sexual - capítulo ii
 

Destaque

Resolviendo in problema multi-objetivo de selección de requisitos mediante re...
Resolviendo in problema multi-objetivo de selección de requisitos mediante re...Resolviendo in problema multi-objetivo de selección de requisitos mediante re...
Resolviendo in problema multi-objetivo de selección de requisitos mediante re...
jfrchicanog
 
Riesgos físicos y prevención.
Riesgos físicos y prevención.Riesgos físicos y prevención.
Riesgos físicos y prevención.
María London
 
CDS POWERPOINT LOGISTICS
CDS POWERPOINT LOGISTICSCDS POWERPOINT LOGISTICS
CDS POWERPOINT LOGISTICS
Matthew Cayuth
 
(youthlab indo) Panelists Profile - The 2nd Young Ideas Salon
(youthlab indo) Panelists Profile - The 2nd Young Ideas Salon(youthlab indo) Panelists Profile - The 2nd Young Ideas Salon
(youthlab indo) Panelists Profile - The 2nd Young Ideas Salon
youth laboratory indonesia
 
Phỏng vấn học viên tại trường Anh ngữ UV ESL
Phỏng vấn học viên tại trường Anh ngữ UV ESLPhỏng vấn học viên tại trường Anh ngữ UV ESL
Phỏng vấn học viên tại trường Anh ngữ UV ESL
MYD Vietnam
 
Agility health radar
Agility health radarAgility health radar
Agility health radar
Max Carlin
 
The Meisner Law Group - Community Association Seminar
The Meisner Law Group - Community Association SeminarThe Meisner Law Group - Community Association Seminar
The Meisner Law Group - Community Association Seminar
Robert M. Meisner
 
Clasificador prep rec_y_egr_2012
Clasificador prep rec_y_egr_2012Clasificador prep rec_y_egr_2012
Clasificador prep rec_y_egr_2012
Eliangela Bonia
 
Ssr(naac ) report 2016 final
Ssr(naac ) report 2016 finalSsr(naac ) report 2016 final
Ssr(naac ) report 2016 final
Dhananjay(Parappa) Trimukhe
 
FEUCTEC 2016 - Hub de eventos com redis
FEUCTEC 2016 - Hub de eventos com redisFEUCTEC 2016 - Hub de eventos com redis
FEUCTEC 2016 - Hub de eventos com redis
Charles Lomboni
 
Global Warming
Global WarmingGlobal Warming
Global Warming
Sesilia Erica
 
IDENTIFIKASI KEJADIAN RISIKO TINGGI PADA IBU HAMIL DI PUSKESMAS KATOBU KABUPA...
IDENTIFIKASI KEJADIAN RISIKO TINGGI PADA IBU HAMIL DI PUSKESMAS KATOBU KABUPA...IDENTIFIKASI KEJADIAN RISIKO TINGGI PADA IBU HAMIL DI PUSKESMAS KATOBU KABUPA...
IDENTIFIKASI KEJADIAN RISIKO TINGGI PADA IBU HAMIL DI PUSKESMAS KATOBU KABUPA...
Warnet Raha
 
Search-Based Software Project Scheduling
Search-Based Software Project SchedulingSearch-Based Software Project Scheduling
Search-Based Software Project Scheduling
jfrchicanog
 
Freire pedagogia del oprimido
Freire pedagogia del oprimidoFreire pedagogia del oprimido
Freire pedagogia del oprimido
Aminta Carrillo
 
Mini
MiniMini
3. Hadoop
3.  Hadoop3.  Hadoop

Destaque (16)

Resolviendo in problema multi-objetivo de selección de requisitos mediante re...
Resolviendo in problema multi-objetivo de selección de requisitos mediante re...Resolviendo in problema multi-objetivo de selección de requisitos mediante re...
Resolviendo in problema multi-objetivo de selección de requisitos mediante re...
 
Riesgos físicos y prevención.
Riesgos físicos y prevención.Riesgos físicos y prevención.
Riesgos físicos y prevención.
 
CDS POWERPOINT LOGISTICS
CDS POWERPOINT LOGISTICSCDS POWERPOINT LOGISTICS
CDS POWERPOINT LOGISTICS
 
(youthlab indo) Panelists Profile - The 2nd Young Ideas Salon
(youthlab indo) Panelists Profile - The 2nd Young Ideas Salon(youthlab indo) Panelists Profile - The 2nd Young Ideas Salon
(youthlab indo) Panelists Profile - The 2nd Young Ideas Salon
 
Phỏng vấn học viên tại trường Anh ngữ UV ESL
Phỏng vấn học viên tại trường Anh ngữ UV ESLPhỏng vấn học viên tại trường Anh ngữ UV ESL
Phỏng vấn học viên tại trường Anh ngữ UV ESL
 
Agility health radar
Agility health radarAgility health radar
Agility health radar
 
The Meisner Law Group - Community Association Seminar
The Meisner Law Group - Community Association SeminarThe Meisner Law Group - Community Association Seminar
The Meisner Law Group - Community Association Seminar
 
Clasificador prep rec_y_egr_2012
Clasificador prep rec_y_egr_2012Clasificador prep rec_y_egr_2012
Clasificador prep rec_y_egr_2012
 
Ssr(naac ) report 2016 final
Ssr(naac ) report 2016 finalSsr(naac ) report 2016 final
Ssr(naac ) report 2016 final
 
FEUCTEC 2016 - Hub de eventos com redis
FEUCTEC 2016 - Hub de eventos com redisFEUCTEC 2016 - Hub de eventos com redis
FEUCTEC 2016 - Hub de eventos com redis
 
Global Warming
Global WarmingGlobal Warming
Global Warming
 
IDENTIFIKASI KEJADIAN RISIKO TINGGI PADA IBU HAMIL DI PUSKESMAS KATOBU KABUPA...
IDENTIFIKASI KEJADIAN RISIKO TINGGI PADA IBU HAMIL DI PUSKESMAS KATOBU KABUPA...IDENTIFIKASI KEJADIAN RISIKO TINGGI PADA IBU HAMIL DI PUSKESMAS KATOBU KABUPA...
IDENTIFIKASI KEJADIAN RISIKO TINGGI PADA IBU HAMIL DI PUSKESMAS KATOBU KABUPA...
 
Search-Based Software Project Scheduling
Search-Based Software Project SchedulingSearch-Based Software Project Scheduling
Search-Based Software Project Scheduling
 
Freire pedagogia del oprimido
Freire pedagogia del oprimidoFreire pedagogia del oprimido
Freire pedagogia del oprimido
 
Mini
MiniMini
Mini
 
3. Hadoop
3.  Hadoop3.  Hadoop
3. Hadoop
 

Semelhante a Prisao preventiva

Direito processual penal_procedimentos_nulidades
Direito processual penal_procedimentos_nulidadesDireito processual penal_procedimentos_nulidades
Direito processual penal_procedimentos_nulidades
Renato Kaires
 
Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000
Portal NE10
 
Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.
Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.
Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.
Francisco Brito
 
Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.
Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.
Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.
Francisco Brito
 
Hc concedido
Hc concedidoHc concedido
Hc concedido
DARLANA GODOI
 
853934
853934853934
Decisão sobre habeas corpus STF
Decisão sobre habeas corpus STFDecisão sobre habeas corpus STF
Decisão sobre habeas corpus STF
politicaleiaja
 
Curso procedimentos cpp
Curso procedimentos cppCurso procedimentos cpp
Curso procedimentos cpp
Lizandra Nunes
 
Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000
Portal NE10
 
Hc 135504 medida de seguranca relator
Hc 135504 medida de seguranca relatorHc 135504 medida de seguranca relator
Hc 135504 medida de seguranca relator
ALEXANDRE MATZENBACHER
 
860010
860010860010
decisão judicial de Cunha
decisão judicial de Cunhadecisão judicial de Cunha
decisão judicial de Cunha
Jamildo Melo
 
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
Luiz F T Siqueira
 
10.05.08 processo penal - extensivo oab sabado - centro[1]
10.05.08   processo penal - extensivo oab sabado - centro[1]10.05.08   processo penal - extensivo oab sabado - centro[1]
10.05.08 processo penal - extensivo oab sabado - centro[1]
david tanamura
 
Operação Turbulência: STF concede liberdade a acusados
Operação Turbulência: STF concede liberdade a acusadosOperação Turbulência: STF concede liberdade a acusados
Operação Turbulência: STF concede liberdade a acusados
Portal NE10
 
Informativo STF 881 - Informativo Estratégico
Informativo STF 881 - Informativo EstratégicoInformativo STF 881 - Informativo Estratégico
Informativo STF 881 - Informativo Estratégico
Ricardo Torques
 
862573
862573862573
858176
858176858176
862665
862665862665
Med. Caut. Hc 100959 Stf
Med. Caut. Hc 100959 StfMed. Caut. Hc 100959 Stf
Med. Caut. Hc 100959 Stf
ALEXANDRE MATZENBACHER
 

Semelhante a Prisao preventiva (20)

Direito processual penal_procedimentos_nulidades
Direito processual penal_procedimentos_nulidadesDireito processual penal_procedimentos_nulidades
Direito processual penal_procedimentos_nulidades
 
Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Eduardo Cunha: 0805144-47.2017.4.05.0000
 
Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.
Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.
Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.
 
Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.
Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.
Voto do ministro melo no habeas corpus do arruda.
 
Hc concedido
Hc concedidoHc concedido
Hc concedido
 
853934
853934853934
853934
 
Decisão sobre habeas corpus STF
Decisão sobre habeas corpus STFDecisão sobre habeas corpus STF
Decisão sobre habeas corpus STF
 
Curso procedimentos cpp
Curso procedimentos cppCurso procedimentos cpp
Curso procedimentos cpp
 
Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000
Habeas corpus de Henrique Alves: 0805054-39.2017.4.05.0000
 
Hc 135504 medida de seguranca relator
Hc 135504 medida de seguranca relatorHc 135504 medida de seguranca relator
Hc 135504 medida de seguranca relator
 
860010
860010860010
860010
 
decisão judicial de Cunha
decisão judicial de Cunhadecisão judicial de Cunha
decisão judicial de Cunha
 
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
É ilegal decreto de prisão em decisão de processo civil, ressalvada a obrigaç...
 
10.05.08 processo penal - extensivo oab sabado - centro[1]
10.05.08   processo penal - extensivo oab sabado - centro[1]10.05.08   processo penal - extensivo oab sabado - centro[1]
10.05.08 processo penal - extensivo oab sabado - centro[1]
 
Operação Turbulência: STF concede liberdade a acusados
Operação Turbulência: STF concede liberdade a acusadosOperação Turbulência: STF concede liberdade a acusados
Operação Turbulência: STF concede liberdade a acusados
 
Informativo STF 881 - Informativo Estratégico
Informativo STF 881 - Informativo EstratégicoInformativo STF 881 - Informativo Estratégico
Informativo STF 881 - Informativo Estratégico
 
862573
862573862573
862573
 
858176
858176858176
858176
 
862665
862665862665
862665
 
Med. Caut. Hc 100959 Stf
Med. Caut. Hc 100959 StfMed. Caut. Hc 100959 Stf
Med. Caut. Hc 100959 Stf
 

Prisao preventiva

  • 2. . Conceito É a prisão de natureza cautelar mais ampla, sendo uma eficiente ferramenta de encarceramento durante toda a persecução penal (inquérito policial e na fase processual) - Necessidade de ordem escrita e fundamentada da autoridade judicial (art. 5º, inc. LXI da CF)
  • 3. PRESSUPOSTOS Prova da existência do crime (exame pericial, testemunha, documentos, interceptação telefônica autorizada judicialmente ou outro meio idôneo). Indícios suficientes da autoria – bastam indícios fazendo crer que o agente é o autor da infração penal. (não é necessário haver prova robusta, somente indícios) FUMUS COMMISSI DELICTI(Justa causa)
  • 4. PRESSUPOSTOS  PERÍCUMUM LIBERTATIS – Evidência do fator de risco a justificar a efetividade da medida (extrema necessidade) Obs – Não mais existe hipótese de segregação preventiva obrigatória (antigo art. 312 – nos casos de crimes punidos com pena superior a 10 anos)
  • 5. HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO  GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA - - Tranquilidade e paz no meio social (demonstração de que solto o infrator voltará a delinquir seria necessário a prisão cautelar) - Gravidade do crime? - Antecedentes criminais? - Repercussão social? - Credibilidade do judiciário? - Sentimento popular?
  • 6. HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO - NECESSIDADE DE CONTEXTUALIZAÇÃO STF - HABEAS CORPUS HC 122622 MG (STF) Data de publicação: 20/08/2014 (STF) Ementa: Ementa: HABEAS CORPUS. PROCESSUAL PENAL. ROUBO CIRCUNSTANCIADO. PRISÃO PREVENTIVA DEVIDAMENTE FUNDAMENTADA. GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA. FUNDADO RISCO DE REITERAÇÃO DELITIVA. ORDEM DENEGADA. 1. Os fundamentos utilizados revelam-se idôneos para manter a segregação cautelar da paciente, na linha de precedentes desta Corte. É que a decisão aponta de maneira concreta a necessidade de garantir a ordem pública, ante o fundado receio de reiteração delituosa. 2. Habeas corpus denegado. Encontrado em: A Turma, por votação unânime, denegou a ordem, nos termos do voto do Relator. Não participou DOS SANTOS MALTA. DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO. DEFENSOR PÚBLICO-GERAL FEDERAL. SUPERIOR TRIBUNAL
  • 7. HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO STJ - RECURSO ORDINARIO EM HABEAS CORPUS RHC 44821 M Data de publicação: 15/04/2014 (STJ) Ementa: HABEAS CORPUS. ROUBO CIRCUNSTANCIADO. PRISÃO EM FLAGRANTE. CONVERSÃO EM PREVENTIVA. FUNDAMENTAÇÃO CONCRETA. REAL POSSIBILIDADE DE REITERAÇÃO CRIMINOSA. GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA. RECURSO NÃO PROVIDO. - A prisão preventiva foi devidamente decretada para a garantia da ordem pública, tendo em vista a real possibilidade de reiteração criminosa. A recorrente, apesar de primária, havia sido presa há menos de um mês pela prática de tráfico de drogas, tendo cometido o delito apenas 4 (quatro) dias após ser beneficiada com prisão domiciliar. Recurso não provido.
  • 8. HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO TJ-RS - Habeas Corpus HC 70053246880 RS (TJ-RS) Data de publicação: 01/04/2013 (TJRS) Ementa: HABEAS CORPUS LIBERATÓRIO. HOMICIDIO QUALIFICADO. DECRETO DE PRISÃO PARA GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA E DA INSTRUÇÃO CRIMINAL BASEADO APENAS NA GRAVIDADE ABSTRATA DO DELITO, SEM INDICAR FUNDAMENTO CONCRETO. PRECEDENTES DO STF. Ordem concedida, ratificando a liminar. (Habeas Corpus Nº 70053246880, Terceira Câmara Criminal, Tribunal de Justiça do RS, Relator: João Batista Marques Tovo, Julgado em 14/03/2013).
  • 9. HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO CONVENIÊNCIA DA INSTRUÇÃO CRIMINAL  Tutela-se a livre produção da probatória impedindo que o agente destrua provas, ameaçe testemunhas, ou comprometa de qualquer maneira a busca da verdade.
  • 10. HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO STJ - HABEAS CORPUS HC 167723 DF 2010/0058576-3 (STJ) Data de publicação: 28/03/2011 (STJ) Ementa: HABEAS CORPUS. HOMICÍDIO QUALIFICADO. PRISÃO PREVENTIVA DEVIDAMENTE FUNDAMENTADA NA GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA E CONVENIÊNCIA DA INSTRUÇÃO CRIMINAL. ORDEM DENEGADA. 1. A prisão preventiva encontra-se devidamente fundamentada em elementos concretos. O Paciente, além de permanecer foragido por mais de 18 anos, foi preso em outro Estado da Federação, sendo evidente o seu propósito de não responder à ação penal. Além disso, consta do decreto que o Paciente ameaçou testemunhas que poderão ser ouvidas no julgamento do Tribunal do Júri, não tem bons antecedentes e é reincidente 2. Ordem denegada. Encontrado em: denegar a ordem. Os Srs. Ministros Napoleão Nunes Maia Filho, Jorge Mussi, Adilson Vieira Macabu
  • 11. HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO GARANTIA DA APLICAÇÃO DA LEI PENAL - Evita-se aqui a fuga do agente, impedindo o sumiço do autor do fato, que deseja eximir-se de eventual cumprimento da sanção penal. Demonstração fundada quanto a possibilidade de fuga.
  • 12. HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO STF - HABEAS CORPUS HC 123467 PR (STF) Data de publicação: 01/10/2014 (STF) Ementa: Ementa: HABEAS CORPUS. PROCESSUAL PENAL. PRISÃO PREVENTIVA DEVIDAMENTE FUNDAMENTADA. APLICAÇÃO DA LEI PENAL. FUGA DO ACUSADO DO DISTRITO DA CULPA. ORDEM DENEGADA. 1. Os fundamentos utilizados revelam-se idôneos para manter a segregação cautelar do paciente, na linha de precedentes desta Corte. É que a decisão aponta de maneira concreta a necessidade de assegurar a aplicação da lei penal, destacando que o paciente, depois de ser citado, não foi mais encontrado para os demais atos processuais. 2. Ordem denegada.
  • 13. HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO GARANTIA DA ÓRDEM ECONÔMICA Hipótese acrescentada ao CPP pela Lei 8.884 (Lei antitruste) - Visa coibir abusos à ordem econômica – Continuidade de prática delituosa Ex: Limitar, falsear ou de qualquer forma prejudicar a livre concorrência Dominar mercado relevante de bens ou serviços Obs – estaria contemplado pelo que dispõe o próprios art. 312 do C.P.P (reinteração da prática delituosa)
  • 14. HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO A Lei 7.492 – Crimes contra o sistema financeiro nacional prevê a hipótese de decreto de prisão preventiva face a magnitude da lesão causada fora das hipóteses do art. 312 do C.P.P A doutrina e jurisprudência distoam de tal possibilidade, afirmando a necessidade da presença dos requisitos do art. 312 e ss do CPP
  • 15. HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO STF - HABEAS CORPUS HC 99210 MG (STF) Data de publicação: 27/05/2010 (STF) Ementa: HABEAS CORPUS. PROCESSUAL PENAL. PRISÃO PREVENTIVA. GARANTIA DA ORDEM ECONÔMICA. DESNECESSIDADE. EXIGÊNCIA DE BASE CONCRETA. MAGNITUDE DA LESÃO E REFERÊNCIA HIPOTÉTICA À POSSIBILIDADE DE REITERAÇÃO DE INFRAÇÕES PENAIS. FUNDAMENTOS INIDÔNEOS PARA A CUSTÓDIA CAUTELAR. 1. Prisão preventiva para garantia da ordem econômica. Ausência de base fática, visto que o paciente teve seus bens seqüestrados, não possuindo disponibilidade imediata de seu patrimônio. 2. A magnitude da lesão não justifica, por si só, a decretação da prisão preventiva. Precedentes. 3. Referências meramente hipotéticas à possibilidade de reiteração de infrações penais, sem dados concretos a ampará-las, não servem de supedâneo à prisão preventiva. Precedentes. Ordem deferida, a fim de cassar o decreto de prisão cautelar. Encontrado em: , INSTRUÇÃO CRIMINAL, INUTILIDADE, FUNDAMENTO, CONTINUIDADE, PRISÃO CAUTELAR, MOMENTO POSTERIOR, REALIZAÇÃO..., MEDIDA CAUTELAR, NECESSIDADE, INSTRUÇÃO CRIMINAL. IMPOSSIBILIDADE, DECRETAÇÃO, PRISÃO CAUTELAR
  • 16. HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO DESCUMPRIMENTO DE QUALQUER DAS OBRIGAÇÕES IMPOSTAS POR FORÇA DE OUTRAS MEDIDAS CAUTELARES (Art. 282 § 4º do CPP – com redação dada pela Lei 12.403/11) Imposição de medidas cautelares diversas da prisão – DESCUMPRIMENTO – Substituição ou cumulação com outra – EM ÚLTIMO CASO DECRETAÇÃO DA PREVENTIVA
  • 17. HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO É NECESSÁRIO O CONTRADITÓRIO? Urgência Perigo de ineficácia
  • 18. HIPÓTESES DE DECRETAÇÃO TJ-RS - Habeas Corpus HC 70059549956 RS (TJ-RS) Data de publicação: 14/07/2014 (TJRS) Ementa: HABEAS CORPUS. LIBERDADE PROVISÓRIA MEDIANTE CONDIÇÕES. DESCUMPRIMENTO. AUSÊNCIA DOS REQUISITOS ENSEJADORES DA PRISÃO CAUTELAR. APLICAÇÃO DE MEDIDAS ALTERNATIVAS. A decretação da prisão cautelar, nas circunstâncias, é medida desproporcional e desnecessária, pois ausentes os requisitos do art. 312 do CPP. O paciente apresentou justificativa para o descumprimento da medida de comparecimento quinzenal em juízo. Ademais, não restou clara a data para a apresentação seguinte, razoável, portanto, a concessão da liberdade, esperando-se que exercida com responsabilidade redobrada. LIMINAR CONFIRMADA. ORDEM CONCEDIDA. (Habeas Corpus Nº 70059549956, Primeira Câmara Criminal, Tribunal de Justiça do RS, Relator: Jayme Weingartner Neto, Julgado em 11/06/2014)
  • 19. INFRAÇÕES QUE COMPORTAM A MEDIDA REGRA Crimes dolosos (Nem todos os crimes dolosos) – excetua-se os crimes culposos - Punição (pena máxima) in abstrato com pena superior a 04 anos. - Pena detenção ou reclusão
  • 20. INFRAÇÕES QUE COMPORTAM A MEDIDA  EXCEPCIONALIDADES: I) Réu condenado por crime doloso, em sentença transitado em julgado (inobservado o período depurador da reincidência – 05 anos da extinção da pena) Obs – obtenção livramento condicional (exceção) - Mesmo que o novo crime tenha pena máxima inferior a 04 anos é possível a decretação da preventiva (art. 313, II do CPP)
  • 21. INFRAÇÕES QUE COMPORTAM A MEDIDA  II) Quando exista dúvida sobre a identidade civil da pessoa e o agente não fornece elementos suficientes para esclarecê-la (paragrafo único art. 313) Lei 12.037/09 – possibilita a identificação criminal – em caso de recusa justificaria a prisão até que a identificação seja realizada.
  • 22. INFRAÇÕES QUE COMPORTAM A MEDIDA  III) Se o crime envolver violência doméstica e familiar, no objetivo de garantir a execução das medidas protetivas de urgência (inserida pelo art. 42 da Lei 11.340/06 – Maria da Penha) - Basta a presença dos indícios da autoria e prova da materialidade delitiva - Que a prisão seja necessária para garantir a execução das medidas protetivas impostas.
  • 23. INFRAÇÕES QUE COMPORTAM A MEDIDA STJ - RECURSO ORDINARIO EM HABEAS CORPUS RHC 41882 MG 2013/0356490-9 (STJ) Data de publicação: 16/12/2013 Ementa: RECURSO EM HABEAS CORPUS. LEI MARIA DA PENHA . PRISÃO. FUNDAMENTAÇÃO. GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA. DESCUMPRIMENTO DE MEDIDA PROTETIVA ANTERIORMENTE IMPOSTA. PRIMARIEDADE E BONS ANTECEDENTES. 1. As prisões cautelares são medidas de índole excepcional, somente podendo ser decretadas ou mantidas caso demonstrada, com base em elementos concretos, a efetiva imprescindibilidade de restrição ao direito constitucional à liberdade de locomoção, à luz de um dos fundamentos autorizadores previstos no art. 312 do Código de Processo Penal . Precedentes. 2. Na espécie, está suficientemente fundamentada a decisão
  • 24. INFRAÇÕES QUE COMPORTAM A MEDIDA que decretou a custódia cautelar para garantir a ordem pública, porquanto o recorrente descumpriu medida protetiva anteriormente imposta e agrediu a ex-companheira e sua mãe, bem como ameaçou dois milicianos que efetuaram a prisão em flagrante. 3. Segundo a iterativa jurisprudência desta Corte, a primariedade e os bons antecedentes são circunstâncias que, por si sós, não têm o condão de garantir o direito à liberdade provisória, sobretudo quando presentes outros elementos que indiquem a necessidade da segregação cautelar. 4. Recurso em habeas corpus improvido. Encontrado em: (Desembargadora convocada do TJ/SE) e Maria Thereza de Assis Moura votaram com o Sr. Ministro Relator
  • 25. DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL Competência do juiz – sempre em decisão fundamentada e terá lugar: I – em qualquer fase da investigação (inquérito policial ou procedimento de apuração preliminar equivalente) – sempre por provocação de um dos legitimados (MP ou autoridade policial)
  • 26. DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL STJ - RECURSO ORDINARIO EM HABEAS CORPUS RHC 40155 BA 2013/0269436-7 (STJ) Data de publicação: 31/03/2014 (STJ) Ementa: RECURSO EM "HABEAS CORPUS". CRIME CONTRA A VIDA. HOMICÍDIO TENTADO CONTRA A PRÓPRIA MÃE. ALEGAÇÃO DE CONSTRANGIMENTO ILEGAL. PRETENSÃO DE QUE SE RECONHEÇA NULIDADE NA CONVERSÃO DA PRISÃO EM FLAGRANTE PARA PREVENTIVA. INOCORRÊNCIA. PEDIDO PARA SUBSTITUIR A PRISÃO CAUTELAR POR MEDIDA DIVERSA. INADEQUAÇÃO / INSUFICIÊNCIA. PRECEDENTES. 1. Motivado pela existência de dados concretos que atendam aos pressupostos autorizadores da prisão preventiva, o Juízo processante deve convertê-la, até mesmo de ofício, de acordo com os arts. 310 , 311 , 312 e 313 , todos do Código de Processo Penal . 2. Recurso em "habeas corpus" não provido
  • 27. DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL II – Em qualquer fase do processo penal, de ofício ou por provocação do legítimo interessado (Ministério Público, assistente, querelante ou por representação da autoridade policial Tanto nos crimes de ação pública como de ação privada
  • 28. DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL Art. 311. Em qualquer fase da investigação policial ou do processo penal, caberá a prisão preventiva decretada pelo juiz, de ofício, se no curso da ação penal, ou a requerimento do Ministério Público, do querelante ou do assistente, ou por representação da autoridade policial.
  • 29. DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL Relaxamento da prisão em flagrante e prisão preventiva. Possibilidade? Apresentação espontânea!!!!
  • 30. DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL s • STJ - RECURSO ORDINARIO EM HABEAS CORPUS RHC 46030 MG 2014/0055136-0 (STJ) Data de publicação: 13/05/2014 (STJ) Ementa: RECURSO ORDINÁRIO EM HABEAS CORPUS. PROCESSO PENAL. ROUBO QUALIFICADO. PRISÃO PREVENTIVA. GARANTIA DA ORDEM PÚBLICA, CONVENIÊNCIA DA INSTRUÇÃO CRIMINAL E GARANTIA DA APLICAÇÃO DA LEI PENAL. GRAVIDADE CONCRETA DO DELITO. FUGA DO RÉU DO DISTRITO DA CULPA LOGO APÓS OS FATOS. APRESENTAÇÃO ESPONTÂNEA PERANTE A AUTORIDADE POLICIAL. IRRELEVÂNCIA. RECURSO DESPROVIDO. 1. A prisão preventiva foi fundamentada na garantia da ordem pública em face da periculosidade do réu, demonstrada pelo modus operandi do crime que lhe foi imputado. O Recorrente, além de possuir antecedente por crime contra o patrimônio, é acusado da prática de roubo a caminhão de carga de alto valor, praticado de maneira ousada e extremamente organizada, em concurso com quatro agentes, emprego de arma de fogo e restrição à liberdade das vítimas, o que indica intimidade com a prática criminosa. 2. A apresentação espontânea à autoridade policial, a teor do disposto no art. 317 , do Código de Processo Penal , não impede a decretação da prisão preventiva nos casos em que a lei a autoriza e nem é motivo para a sua revogação, mormente quando concretamente demonstrada a necessidade da prisão cautelar para garantia da instrução criminal, como no caso, onde o réu se apresentou por advogado, anos após o crime, em outro Estado da Federação. 3. Recurso desprovido.
  • 31. DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL • PREVENTIVA E LIBERDADE PROVISÓRIA!! • Incompatibilidade absoluta (com ou sem fiança) • Se cabível liberdade provisória é porque não existem os requisitos da prisão cautelar
  • 32. DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL • RECURSO: • Em se tratando do tema de prisão e liberdade, são recorríveis quando desfavoráveis ao cárcere, do contrário são irrecorríveis. • Decisão que defere liberdade provisória • Decisão que revoga prisão preventiva e indefere a medida • RECURSO EM SENTIDO ESTRITO
  • 33. DECRETAÇÃO E SISTEMA RECURSAL • Se o Juiz indefere pedido de revogação de preventiva ou a decreta – Decisão irrecorrível (HABEAS CORPUS) • Não há previsão legal de recurso
  • 34. REVOGAÇÃO Cláusula rebus sic stantibus (se houver alteração das coisas, revelando-se desnecessária a medida a revogação é obrigatória) • A revogação se dará de ofício ou por provocação • A medida poderá ser renovada tantas vezes quanto se fizerem necessárias (art. 316 c/c o § 5º do art. 282)
  • 35. REVOGAÇÃO Excesso de prazo: - Revogação ou relaxamento? Quando se constitui excesso? - “Razoabilidade”
  • 36. REVOGAÇÃO STJ - RECURSO ORDINARIO EM HABEAS CORPUS RHC 45235 SE 2014/0029855-7 (STJ) Data de publicação: 02/05/2014 Ementa: RECURSO ORDINÁRIO EM HABEAS CORPUS. ESTUPRO DE VULNERÁVEL. EXCESSO DE PRAZO NA FORMAÇÃO DA CULPA. NÃO OCORRÊNCIA. RAZOABILIDADE. INCIDENTES PROCESSUAIS. CONSTRANGIMENTO ILEGAL. INEXISTÊNCIA. RECURSO IMPROVIDO. 1. Conforme entendimento pacífico desta Corte Superior, a eventual ilegalidade da prisão preventiva por excesso de prazo para conclusão da instrução criminal deve ser analisada à luz do princípio da razoabilidade, sendo permitido ao juízo, em hipóteses de excepcional complexidade, a extrapolação dos prazos previstos na lei processual penal. 2. Na espécie, a ação penal segue seu trâmite regular, sem que se observe desídia ou procrastinação por parte do Juízo originário. Com efeito, ao que se tem dos autos, os adiamentos das audiências, tidos como morosos pela defesa, a ensejar constrangimento ilegal ao recorrente, foram devidamente justificados pela autoridade judiciária e não extrapolaram o prazo razoável a justificar a concessão de liberdade provisória ao denunciado. 3. Recurso ordinário em habeas corpus a que se nega provimento.
  • 37. REVOGAÇÃO STJ Súmula nº 21 - 06/12/1990 - DJ 11.12.1990 Pronúncia - Constrangimento Ilegal - Instrução Criminal - Excesso de Prazo.Pronunciado o réu, fica superada a alegação do constrangimento ilegal da prisão por excesso de prazo na instrução STJ Súmula nº 52 - 17/09/1992 - DJ 24.09.1992 Instrução Criminal - Constrangimento Ilegal - Excesso de Prazo - Encerrada a instrução criminal, fica superada a alegação de constrangimento por excesso de prazo ObsObs - Em caso concreto o STJ vem sujeitando as súmulas a uma releitura possibilitando o reconhecimento de excesso de prazo mesmo após o encerramento da instrução processual e pronúncia
  • 38. PREVENTIVA E EXCLUDENTE DE ILICITUDE
  • 39. PREVENTIVA E EXCLUDENTE DE ILICITUDE Se pela análise dos autos percebe-se que o agente atuou sob o manto de uma excludente de ilicitude, a preventiva não será decretada (art. 314 do C.P.P) a) Estado de necessidade b) Legítima defesa c) Estrito cumprimento do dever legal - Trata-se de cláusula impeditiva da medida prisional. - Não é necessário a certeza quanto à presença das excludentes. Basta indícios que convença o julgador