SlideShare uma empresa Scribd logo
Universidade do Minho
                                Instituto de Ciências Sociais
                                Departamento de Ciências da Comunicação




Professor Leonardo Pereira
 Ano Curricular - 2010 | 2011   ATELIER AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA I
                                Curso de Ciências da Comunicação - 2º Ano | 2º Semestre




                                Aula 06

                                PRINCÍPIOS BÁSICOS DE DESIGN GRÁFICO
                                PARA NÃO DESIGNERS

                                1. PRINCÍPIOS DE COMPOSIÇÃO VISUAL
                                EM DESIGN GRÁFICO
Universidade do Minho                     Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
Instituto de Ciências Sociais             Professor Leonardo Pereira
Departamento de Ciências da Comunicação




01
Princípios de Composição Visual




                                                                                       leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                     Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais             Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios de   O processo de composição visual é o processo de planeamento, ordenamento e arranjo
Composição      dos elementos visuais num plano visual. E dividem-se nas seguintes categorias entre
                outras:
       Visual
                       1. Princípios de cor
                	      2.	Princípos	de	Tipografia
                       3. Princípios de Coerência e unidade Visual
                       4. Princípios de Hieraquia
                       5. Princípios de legibilidade
                       6. Princípios de organização - composição espacial




                                                                                                       leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                     Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
Instituto de Ciências Sociais             Professor Leonardo Pereira
Departamento de Ciências da Comunicação




                                  Princípios de Cor




                                                                                       leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                        Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
             Instituto de Ciências Sociais                Professor Leonardo Pereira
             Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios   Quando compomos visualmente elementos gráficos num mesmo suporte devemos ter o
    de cor   cuidado de os combinar, em termos cromáticos, de uma forma que não afecte a sua
             legibilidade e de forma a que, estéticamente, tenhamos uma combinação agradável.



             Como?

             • Usar combinações com contraste
             • Solução fácil - Usar cores complementares
             • Consultar sistemas online de combinações cromáticas para se guiarem


             A evitar:
             • Evitar o uso de demasiadas cores (nem sempre isto é aplicável)
             • Evitar usar combinações que dificultem a legibilidade de elementos tipográficos
             • Evitar o uso de gradientes com muitas cores

             Nem sempre é aplicável esta última regra mas numa primeira fase de aprendizagem não
             usem! Cinjam-se para já a aprender as regras sem as quebrar.




                                                                                                       leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                      Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
             Instituto de Ciências Sociais              Professor Leonardo Pereira
             Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios   1. Combinações com contraste              2. Combinações sem contraste
    de cor



                    Teste                                     Teste




                    Teste                                     Teste                                        Teste




                    Teste                                     Teste


                                                                                                     leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                     Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
             Instituto de Ciências Sociais             Professor Leonardo Pereira
             Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios   Solução fácil - Usar cores complementares
    de cor   Estas cores são cores que se opõem no espectro de cores e que, por isso,
             se complementam dando origem a combinações equilibradas, vibrantes e agradáveis.




                                                                                                    leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                        Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
             Instituto de Ciências Sociais                Professor Leonardo Pereira
             Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios   Inspiração - Consultar sistemas que nos ajudam a encontrar combinações
    de cor   estéticamente agradáveis e com contraste.




             http://kuler.adobe.com
             http://www.colourlovers.com/
             http://www.ficml.org/jemimap/style/color/wheel.html
             http://www.colorhunter.com/
             http://www.colorjack.com/sphere/
             http://www.colorschemer.com/schemes/
             http://www.colr.org/

                                                                                                       leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                     Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
Instituto de Ciências Sociais             Professor Leonardo Pereira
Departamento de Ciências da Comunicação




                         Princípios	de	Tipografia




                                                                                       leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                                            Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais                                    Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios de   1. Não utilizar demasiadas fontes diferentes no mesmo trabalho.
   Tipografia


                  Sim                                                               Não




                   Aula de                                                           Aula de
                   Atelier Multimédia                                                Atelier Multimédia
                   Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-feiras,       Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-feiras,
                   das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria.             das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria.
                   Convém não faltar porque os conteúdos são importantes             Convém não faltar porque os conteudos são importantes
                   para a vossa formação.                                            para a vossa formacão.




                                                                                                                              leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                                            Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais                                    Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios de   2. Evitar usar apenas caixa alta.
   Tipografia
                O uso de apenas caixa alta dificulta a leitura do texto. É melhor usar caixa mista!

                  Sim                                                               Não




                   Aula de                                                          AULA DE
                   Atelier Multimédia                                               ATELIER MULTIMÉDIA
                   Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-feiras,      AULA DECORRENTE NA UNIVERSIDADE DO MINHO ÀS
                   das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria.            QUINTAS-FEIRAS, DAS 14:00 ÀS 17:00, MAIS UMA HORA DE
                   Convém não faltar porque os conteúdos são importantes            AULA DE TUTORIA. CONVÉM NÃO FALTAR PORQUE OS CON-
                   para a vossa formação.                                           TEÚDOS SÃO IMPORTANTES PARA A VOSSA FORMAÇÃO.




                                                                                                                              leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                                            Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais                                    Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios de   3. Não	justificar	o	texto.
   Tipografia
                É preferível alinhar o texto à esquerda ou à direita para não gerar “dentes de cavalo“.


                  Texto alinhado -Sim                                               Texto justificado - Não


                   Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-feiras,      Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-fei-
                   das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria.            ras, das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria.
                   Convém não faltar porque os conteúdos são importantes            Convém        não      faltar      porque     os    conteú-
                   para a vossa formação.                                           dos    são    importantes     para    a   vossa  formação.
                   Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-feiras,      Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-fei-
                   das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria.            ras, das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria.
                   Convém não faltar porque os conteúdos são importantes            Convém        não      faltar      porque     os    conteú-
                   para a vossa formação.                                           dos    são    importantes     para    a   vossa  formação.

                   Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-feiras,      Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-fei-
                   das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria.            ras, das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria.
                   Convém não faltar porque os conteúdos são importantes            Convém        não      faltar      porque     os    conteú-
                   para a vossa formação.                                           dos    são    importantes     para    a   vossa  formação.




                                                                                                                              leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                      Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais              Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios de   4. Não alongar ou apertar arbitrariamente as letras.
   Tipografia
                A menos que seja por razões expressivas, não devemos alongar ou esticar as letras.


                  Sim                                         Não




                                 A  Texto


                                                                                                        leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                       Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais               Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios de   E nunca se violam as regras?
   Tipografia   A resposta é sim. Sim, violam-se as regras nalgumas situações. Violam-se as regras
                de tipografia quando queremos dar expressão e acentuar significados na Tipografia.

                Ou seja, em situações em que se pretende que a Tipografia adquira iconicidade.




                                                                                                         leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                     Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
Instituto de Ciências Sociais             Professor Leonardo Pereira
Departamento de Ciências da Comunicação




                         Princípios de Coerência
                             e Unidade Visual




                                                                                       leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                      Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                 Instituto de Ciências Sociais              Professor Leonardo Pereira
                 Departamento de Ciências da Comunicação




    Princípios   A coerência e unidade visual obtém-se quando somos coerentes a vários níveis dos
de coerência e   elementos gráficos que utilizamos:
unidade visual   • Ao nível da tipografia;
                 • Ao nível da relação da linguagem da tipografia com a linguagem da imagem;
                 • Ao nível da linguagem gráfica e formal utilizada;
                 • Ao nível da relação das cores dos elementos gráficos com as cores das imagens.


                 Vamos ver exemplos!




                                                                                                         leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                         Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                 Instituto de Ciências Sociais                 Professor Leonardo Pereira
                 Departamento de Ciências da Comunicação




    Princípios   1. Ao nível da Tipografia
de coerência e   Quando fazemos um genérico, por exemplo, e quando escolhemos as fontes a usar,
unidade visual   devemos utilizá-las do início ao fim do genérico. Utilizar no início uma fonte, a meio outra
                 e no fim outra, quebra a unidade visual desejável que geralmente origina a identidade
                 visual de qualquer peça de caracter gráfico.

                 Vamos olhar para dois genéricos onde isso acontece:




                                 Ver genérico “Trueblood”:          Ver genérico “G. Whisperer”:
                                 http://www.youtube.com/            http://www.youtube.com/
                                 watch?v=TcCUPgkyo2I                watch?v=8mAJwENnNVM

                                                                                                            leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                       Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                 Instituto de Ciências Sociais               Professor Leonardo Pereira
                 Departamento de Ciências da Comunicação




    Princípios   2. Ao	nível	da	relação	da	linguagem	da	tipografia	com	a	linguagem	da	imagem
de coerência e   Quando um vídeo em que utilizamos elementos gráficos com uma linguagem muito
unidade visual   específica, adequar a tipografia a essa mesma linguagem é uma forma de fazer com
                 que a composição visual final seja mais coerente no seu todo e a sua identidade visual
                 seja reforçada.

                 Ora vamos ver o exemplo do vídeoclip de Junior Senior “Move your feet“ onde,
                 à semelhança das ilustrações pixelizadas que foram utilizadas, também a tipografia é
                 pixelizada:



                                                                    Ver videoclip “Move your feet”:
                                                                    http://www.youtube.com/watch?v=SPlQpGeTbIE




                                                                                                          leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                      Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                 Instituto de Ciências Sociais              Professor Leonardo Pereira
                 Departamento de Ciências da Comunicação




    Princípios   2. Ao	nível	da	relação	da	linguagem	da	tipografia	com	a	linguagem	da	imagem
de coerência e   Outra forma de adptar a linguagem do texto à linguagem formal dos elementos gráficos
unidade visual   é analisar a sua configuração formal e arranjar fontes cujo desenho tenha as mesmas
                 características (formais, visuais e cromáticas):




                                    Texto                                             Texto


                                   Texto                                             Texto

                                                                                                         leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                     Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                 Instituto de Ciências Sociais             Professor Leonardo Pereira
                 Departamento de Ciências da Comunicação




    Princípios   2. Ao	nível	da	relação	da	linguagem	da	tipografia	com	a	linguagem	da	imagem
de coerência e   Ao nível da cor pode também haver coerência e correspondência no tratamento
unidade visual   da tipografia e da imagem ou elementos gráficos:




                       Texto
                       + texto




                                                                                                        leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                       Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                 Instituto de Ciências Sociais               Professor Leonardo Pereira
                 Departamento de Ciências da Comunicação




    Princípios   2. Ao	nível	da	relação	da	linguagem	da	tipografia	com	a	linguagem	da	imagem
de coerência e   Quando usamos imagens que depois serão combinadas com tipografia e elementos
unidade visual   gráficos podemos sempre ir às imagens buscar cores para utilizar nos outros elementos.




                                                             Ou podemos mesmo fazer o contrário.
                                                             Usar nas imagens as cores que estão
                                                             nos elementos gráficos.




                                                                                                          leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                       Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                 Instituto de Ciências Sociais               Professor Leonardo Pereira
                 Departamento de Ciências da Comunicação




    Princípios   3. Ao	nível	da	linguagem	gráfica	e	formal	utilizada
de coerência e   Não devemos misturar elementos gráficos que não tenham o mesmo tratamento gráfico
unidade visual   ou linguagem visual.




                 A ilustração é uma boa forma de perceber esta coerência que deverá existir nas
                 composições gráficas e visuais que criamos.




                                                                                                          leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                      Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                 Instituto de Ciências Sociais              Professor Leonardo Pereira
                 Departamento de Ciências da Comunicação




    Princípios   3. Ao	nível	da	linguagem	gráfica	e	formal	utilizada
de coerência e   Os Simpsons, o Family Guy e o Futurama, são séries de animação que utilizam
unidade visual   linguagens visuais e gráficas semelhantes.




                                                                                                         leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                      Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                 Instituto de Ciências Sociais              Professor Leonardo Pereira
                 Departamento de Ciências da Comunicação




    Princípios   3. Ao	nível	da	linguagem	gráfica	e	formal	utilizada
de coerência e   As Power Pufs Girls, o Tom Sawyer e o Ren & Stimpy são séries de animação
unidade visual   que utilizam linguagens visuais e gráficas diferentes.




                                                                                                         leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                     Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
Instituto de Ciências Sociais             Professor Leonardo Pereira
Departamento de Ciências da Comunicação




                                   Princípios
                              de Hierarquia visual




                                                                                       leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                        Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais                Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




   Princípios   Conseguimos estabelecer hierarquias nas nossas composições pelo:
de Hierarquia   1.	tamanho	relativo	dos	elementos	gráficos
       visual
                2.	posição	relativa	dos	elementos	gráficos

                3.	destaque	cromático	relativo	de	um	elemento	gráfico

                4.	peso	relativo	da	Tipografia	entre	si	

                5.	tamanho	relativo	da	Tipografia	entre	si

                6.	valor	cromático	relativo	da	Tipografia	entre	si




                                                                                                          leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                     Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais             Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




   Princípios   1. Hierarquia	pelo	tamanho	relativo	dos	elementos	gráficos
de Hierarquia   O que é maior tende a ter maior destaque pelo seu peso visual acrescido, mesmo em
       visual   formas diferenciadas!




                                                                                                       leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                       Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais               Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




   Princípios   2. Hierarquia	pela	posição	relativa	dos	elementos	gráficos
de Hierarquia   O que está centrado e mais acima no plano ou enquadramento tende a ter mais
       visual   importância visual e destaque do que o que está na periferia do centro visual!




                                                                                                         leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                     Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
Instituto de Ciências Sociais             Professor Leonardo Pereira
Departamento de Ciências da Comunicação




Alguns exemplos...




                                                                                       leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                      Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais              Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




   Princípios   3. Hierarquia	pelo	destaque	cromático	relativo	de	um	elemento	gráfico
de Hierarquia   O que está numa cor diferente ou sai da norma da cor da maioria dos elementos
       visual   destaca-se e adquire maior importância visual do que os restantes elementos.




                                                                                                        leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                     Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
Instituto de Ciências Sociais             Professor Leonardo Pereira
Departamento de Ciências da Comunicação




Mais alguns exemplos...




                                                                                       leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                       Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais               Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




   Princípios   4. Hierarquia	pelo	peso	relativo	da	Tipografia	entre	si	
de Hierarquia
       visual
                O uso combinado de vários pesos de uma família tipográfica resulta numa hierarquia em
                que o destaque fica na tipografia que usa o peso mais “gordo“.




                             BoldLight
                             Design


                                                                                                         leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                      Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais              Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




   Princípios   5. Hierarquia	pelo	tamanho	relativo	da	Tipografia	entre	si
de Hierarquia
       visual   O uso combinado de vários tamanhos de tipografia, naturalmente que resulta também
                em importâncias e destaques diferentes, constituindo-se naturalmente uma hierarquia
                relativa entre os elementos gráficos.




                                                                                                        leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                       Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais               Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




   Princípios   6. Hierarquia	pelo	valor	cromático	relativo	da	Tipografia	entre	si
de Hierarquia
       visual   O uso combinado de duas cores em tipografia, em que uma é mais vibrante do que a
                outra determina igualmente um destaque visual e uma hierarquia de importância relativa
                entre os elementos tipográficos.




                                                                                                         leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                     Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
Instituto de Ciências Sociais             Professor Leonardo Pereira
Departamento de Ciências da Comunicação




                      Princípios de Legibilidade




                                                                                       leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                           Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais                   Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios de   1. Relação	Tipografia-fundo
 Legibilidade
                Por vezes há relações entre a tipografia e o fundo que não funcionam e que criam
                problemas de legibilidade à Tipografia. Há que ter cuidado com este aspecto.

                Quando temos no fundo uma imagem complexa, ou se muda a cor do texto, ou se usa
                um batente, ou se usa uma sombra. Caso contrário temos problemas de legibilidade.


                  Não                                     Sim                                Sim




                   Texto Texto Texto

                                                                                                             leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                       Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais               Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios de   1. Relação	Tipografia-fundo
 Legibilidade
                Outra possibilidade passa por se mudar ou alterar a cor da imagem por forma a se criar
                o contraste necessário à correcta legibilidade do Texto.

                Ou ainda, não usar imagens no fundo e substituir por uma cor plana (naturalmente forte
                para gerar contraste também).


                                    Sim                          Sim




                                     Texto                        Texto


                                                                                                         leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                     Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
Instituto de Ciências Sociais             Professor Leonardo Pereira
Departamento de Ciências da Comunicação




                      Princípios de organização
                        Composição Espacial




                                                                                       leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                      Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais              Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios de   1. Composição visual
Organização
    Espacial    Quando estamos a colocar elementos gráficos sobre um suporte estes não devem
                estar aleatoriamente “atirados” sobre o mesmo. Há uma ordem, mais dinâmica
                ou menos dinâmica, de relação entre os elementos gráficos que deve ser procurada.

                Esta procura é um acto de composição visual.



                Mas como é que se consegue?




                                                                                                        leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                      Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais              Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios de   2. Concordâncias visuais
Organização
    Espacial




                Reparem como na seguinte imagem e composição tipográfica o texto do lado direito está
                em concordância perpendicular na sua inclinação com a inclinação da haste direita da
                letra A centrada na composição.

                                                                                                        leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                      Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais              Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios de   2. Concordâncias visuais
Organização
    Espacial




                                                          Neste caso as concordâncias estão também
                                                          nas concordâncias da perpendiculariedade
                                                          relativa das inclinações dos textos.




                                                                                                        leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                      Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais              Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios de   2. Concordâncias visuais
Organização
    Espacial




                Outro exemplo de concordância compositiva é quando elementos tipográficos são
                concordantes com o contorno ou forma de outro elemento gráfico não tipográfico, como
                é o caso desta imagem.

                                                                                                        leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                       Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais               Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios de   3. Concordâncias estruturais
Organização
    Espacial




                As concordâncias estruturais referem-se a relações de alinhamentos entre diferentes
                elementos de uma composição. Este tipo de relações de alinhamento são particular-
                mente evidentes no contexto impresso e editorial, como se vê nesta imagem.

                                                                                                         leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                       Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
                Instituto de Ciências Sociais               Professor Leonardo Pereira
                Departamento de Ciências da Comunicação




Princípios de   3. Concordâncias estruturais
Organização
    Espacial




                Numa publicação os elementos obedecem a regras de composição assentes em grelhas
                esquemáticas que justificam a localização e relação entre todos os elementos gráficos.


                                                                                                         leonardpeartree@gmail.com
Universidade do Minho                         Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011
Instituto de Ciências Sociais                 Professor Leonardo Pereira
Departamento de Ciências da Comunicação




                                          Conclusão

   Todos os Princípios aqui apresentados
       são aplicáveis ao contexto dos
    Motion Graphics. Usem-nos para vos
    ajudar a fazer o vosso trabalho bem!




                                                                                           leonardpeartree@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto Pedagógico, Design - FAAC UNESP
Projeto Pedagógico, Design - FAAC UNESPProjeto Pedagógico, Design - FAAC UNESP
Projeto Pedagógico, Design - FAAC UNESP
CADunesp
 
A animação Tipográfica nos Motion Graphics / Typography animation in Motion G...
A animação Tipográfica nos Motion Graphics / Typography animation in Motion G...A animação Tipográfica nos Motion Graphics / Typography animation in Motion G...
A animação Tipográfica nos Motion Graphics / Typography animation in Motion G...
Leonardo Pereira
 
Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430
Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430
Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430
Valdir Soares
 
Fundamentos design grafico | Insper
Fundamentos design grafico | InsperFundamentos design grafico | Insper
Fundamentos design grafico | Insper
Fabio Silveira: Designer | Professor
 
Projeto Gráfico | Pictogramas
Projeto Gráfico | PictogramasProjeto Gráfico | Pictogramas
Projeto Gráfico | Pictogramas
Fabio Silveira: Designer | Professor
 
Imagens matriciais vs Imagens vectoriais
Imagens matriciais vs Imagens vectoriaisImagens matriciais vs Imagens vectoriais
Imagens matriciais vs Imagens vectoriais
RuiCorgan
 
Signos | Semiótica: símbolo, índice e ícone
Signos | Semiótica: símbolo, índice e íconeSignos | Semiótica: símbolo, índice e ícone
Signos | Semiótica: símbolo, índice e ícone
Thaís Rodrigues
 
Design Editorial | Estruturas
Design Editorial | EstruturasDesign Editorial | Estruturas
Design Editorial | Estruturas
Fabio Silveira: Designer | Professor
 
Fundamentos Super Básicos do Design 2/2
Fundamentos Super Básicos do Design 2/2Fundamentos Super Básicos do Design 2/2
Fundamentos Super Básicos do Design 2/2
Fábio Gonçalves
 
Módulo 1 - Design gráfico
Módulo 1 - Design gráficoMódulo 1 - Design gráfico
Introdução à Infografia
Introdução à InfografiaIntrodução à Infografia
Introdução à Infografia
Leonardo Pereira
 
Tipografia
TipografiaTipografia
Tipografia
Lo-Ammi Santos
 
Design Editorial | Elementos Editoriais
Design Editorial | Elementos EditoriaisDesign Editorial | Elementos Editoriais
Design Editorial | Elementos Editoriais
Fabio Silveira: Designer | Professor
 
Fundamentos Super Básicos-do Design 1/2
Fundamentos Super Básicos-do Design 1/2Fundamentos Super Básicos-do Design 1/2
Fundamentos Super Básicos-do Design 1/2
Fábio Gonçalves
 
Introdução aos Efeitos Visuais e ao Compositing
Introdução aos Efeitos Visuais e ao CompositingIntrodução aos Efeitos Visuais e ao Compositing
Introdução aos Efeitos Visuais e ao Compositing
Leonardo Pereira
 
Tipografia
TipografiaTipografia
Tipografia
Odair Cavichioli
 
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Léo Dias
 
2. Aula Tipografia
2. Aula Tipografia2. Aula Tipografia
2. Aula Tipografia
Aline Okumura
 
Tipografia - Aula
Tipografia - AulaTipografia - Aula
Tipografia - Aula
Elizabeth Fantauzzi
 
Funil de Vendas - Como Funciona o Funil de Vendas Completo
Funil de Vendas - Como Funciona o Funil de Vendas CompletoFunil de Vendas - Como Funciona o Funil de Vendas Completo
Funil de Vendas - Como Funciona o Funil de Vendas Completo
Segredos da Audiência
 

Mais procurados (20)

Projeto Pedagógico, Design - FAAC UNESP
Projeto Pedagógico, Design - FAAC UNESPProjeto Pedagógico, Design - FAAC UNESP
Projeto Pedagógico, Design - FAAC UNESP
 
A animação Tipográfica nos Motion Graphics / Typography animation in Motion G...
A animação Tipográfica nos Motion Graphics / Typography animation in Motion G...A animação Tipográfica nos Motion Graphics / Typography animation in Motion G...
A animação Tipográfica nos Motion Graphics / Typography animation in Motion G...
 
Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430
Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430
Metodologia de Projeto - Design Conceitos - 1.0.BAI430
 
Fundamentos design grafico | Insper
Fundamentos design grafico | InsperFundamentos design grafico | Insper
Fundamentos design grafico | Insper
 
Projeto Gráfico | Pictogramas
Projeto Gráfico | PictogramasProjeto Gráfico | Pictogramas
Projeto Gráfico | Pictogramas
 
Imagens matriciais vs Imagens vectoriais
Imagens matriciais vs Imagens vectoriaisImagens matriciais vs Imagens vectoriais
Imagens matriciais vs Imagens vectoriais
 
Signos | Semiótica: símbolo, índice e ícone
Signos | Semiótica: símbolo, índice e íconeSignos | Semiótica: símbolo, índice e ícone
Signos | Semiótica: símbolo, índice e ícone
 
Design Editorial | Estruturas
Design Editorial | EstruturasDesign Editorial | Estruturas
Design Editorial | Estruturas
 
Fundamentos Super Básicos do Design 2/2
Fundamentos Super Básicos do Design 2/2Fundamentos Super Básicos do Design 2/2
Fundamentos Super Básicos do Design 2/2
 
Módulo 1 - Design gráfico
Módulo 1 - Design gráficoMódulo 1 - Design gráfico
Módulo 1 - Design gráfico
 
Introdução à Infografia
Introdução à InfografiaIntrodução à Infografia
Introdução à Infografia
 
Tipografia
TipografiaTipografia
Tipografia
 
Design Editorial | Elementos Editoriais
Design Editorial | Elementos EditoriaisDesign Editorial | Elementos Editoriais
Design Editorial | Elementos Editoriais
 
Fundamentos Super Básicos-do Design 1/2
Fundamentos Super Básicos-do Design 1/2Fundamentos Super Básicos-do Design 1/2
Fundamentos Super Básicos-do Design 1/2
 
Introdução aos Efeitos Visuais e ao Compositing
Introdução aos Efeitos Visuais e ao CompositingIntrodução aos Efeitos Visuais e ao Compositing
Introdução aos Efeitos Visuais e ao Compositing
 
Tipografia
TipografiaTipografia
Tipografia
 
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
 
2. Aula Tipografia
2. Aula Tipografia2. Aula Tipografia
2. Aula Tipografia
 
Tipografia - Aula
Tipografia - AulaTipografia - Aula
Tipografia - Aula
 
Funil de Vendas - Como Funciona o Funil de Vendas Completo
Funil de Vendas - Como Funciona o Funil de Vendas CompletoFunil de Vendas - Como Funciona o Funil de Vendas Completo
Funil de Vendas - Como Funciona o Funil de Vendas Completo
 

Semelhante a Princípios clássicos de composição visual e Gráfica para não Designers

O Photoshop na Direção de Arte Publicitária
O Photoshop na Direção de Arte PublicitáriaO Photoshop na Direção de Arte Publicitária
O Photoshop na Direção de Arte Publicitária
Leonardo Pereira
 
Correcção de cor em vídeo
Correcção de cor em vídeoCorrecção de cor em vídeo
Correcção de cor em vídeo
Leonardo Pereira
 
Introdução à interatividade
Introdução à interatividadeIntrodução à interatividade
Introdução à interatividade
Leonardo Pereira
 
Introdução à mecânica de uma imagem estática
Introdução à mecânica de uma imagem estáticaIntrodução à mecânica de uma imagem estática
Introdução à mecânica de uma imagem estática
Leonardo Pereira
 
Introdução ao retoque de imagem
Introdução ao retoque de imagemIntrodução ao retoque de imagem
Introdução ao retoque de imagem
Leonardo Pereira
 
Introdução à Projeção de cameras
Introdução à Projeção de camerasIntrodução à Projeção de cameras
Introdução à Projeção de cameras
Leonardo Pereira
 
Correção de cor em Photoshop
Correção de cor em PhotoshopCorreção de cor em Photoshop
Correção de cor em Photoshop
Leonardo Pereira
 
Creative Commons & Particle Systems
Creative Commons & Particle SystemsCreative Commons & Particle Systems
Creative Commons & Particle Systems
Leonardo Pereira
 
Palestra Dr Sergio do Amaral
Palestra Dr Sergio do AmaralPalestra Dr Sergio do Amaral
Palestra Dr Sergio do Amaral
Centro de Estudos e Tecnologias Educacionais
 
O Genérico - Main Title Design and Diegetic Type
O Genérico - Main Title Design and Diegetic TypeO Genérico - Main Title Design and Diegetic Type
O Genérico - Main Title Design and Diegetic Type
Leonardo Pereira
 
Introdução à disciplina
Introdução à disciplinaIntrodução à disciplina
Tecnologias Digitais Aplicadas à Aprendizagem
Tecnologias Digitais Aplicadas à AprendizagemTecnologias Digitais Aplicadas à Aprendizagem
Tecnologias Digitais Aplicadas à Aprendizagem
Silvia Dotta
 
Técnica avançadas de recorte em Photoshop
Técnica avançadas de recorte em PhotoshopTécnica avançadas de recorte em Photoshop
Técnica avançadas de recorte em Photoshop
Leonardo Pereira
 
Ludicidade vs usabilidade num website
Ludicidade vs usabilidade num websiteLudicidade vs usabilidade num website
Ludicidade vs usabilidade num website
Leonardo Pereira
 
Avaliação de um artigo científico
Avaliação de um artigo científicoAvaliação de um artigo científico
Avaliação de um artigo científico
Pedro Cunha
 
Plano de ensino mesh
Plano de ensino   meshPlano de ensino   mesh
Plano de ensino mesh
Marlon Vinicius da Silva
 
Moodle e Multimedia
Moodle e MultimediaMoodle e Multimedia
Moodle e Multimedia
Hugo Domingos
 
8º mat agosto
8º mat agosto8º mat agosto
8º mat agosto
Eduardojr-professor
 
I SIMTVD: Modelo de Interações para os Processos de Ensino Baseados em TV D...
I SIMTVD: Modelo de Interações para os Processos de Ensino Baseados em TV D...I SIMTVD: Modelo de Interações para os Processos de Ensino Baseados em TV D...
I SIMTVD: Modelo de Interações para os Processos de Ensino Baseados em TV D...
ranierisantos
 
Escolas conectadas
Escolas conectadasEscolas conectadas
Escolas conectadas
Mariangela Santos
 

Semelhante a Princípios clássicos de composição visual e Gráfica para não Designers (20)

O Photoshop na Direção de Arte Publicitária
O Photoshop na Direção de Arte PublicitáriaO Photoshop na Direção de Arte Publicitária
O Photoshop na Direção de Arte Publicitária
 
Correcção de cor em vídeo
Correcção de cor em vídeoCorrecção de cor em vídeo
Correcção de cor em vídeo
 
Introdução à interatividade
Introdução à interatividadeIntrodução à interatividade
Introdução à interatividade
 
Introdução à mecânica de uma imagem estática
Introdução à mecânica de uma imagem estáticaIntrodução à mecânica de uma imagem estática
Introdução à mecânica de uma imagem estática
 
Introdução ao retoque de imagem
Introdução ao retoque de imagemIntrodução ao retoque de imagem
Introdução ao retoque de imagem
 
Introdução à Projeção de cameras
Introdução à Projeção de camerasIntrodução à Projeção de cameras
Introdução à Projeção de cameras
 
Correção de cor em Photoshop
Correção de cor em PhotoshopCorreção de cor em Photoshop
Correção de cor em Photoshop
 
Creative Commons & Particle Systems
Creative Commons & Particle SystemsCreative Commons & Particle Systems
Creative Commons & Particle Systems
 
Palestra Dr Sergio do Amaral
Palestra Dr Sergio do AmaralPalestra Dr Sergio do Amaral
Palestra Dr Sergio do Amaral
 
O Genérico - Main Title Design and Diegetic Type
O Genérico - Main Title Design and Diegetic TypeO Genérico - Main Title Design and Diegetic Type
O Genérico - Main Title Design and Diegetic Type
 
Introdução à disciplina
Introdução à disciplinaIntrodução à disciplina
Introdução à disciplina
 
Tecnologias Digitais Aplicadas à Aprendizagem
Tecnologias Digitais Aplicadas à AprendizagemTecnologias Digitais Aplicadas à Aprendizagem
Tecnologias Digitais Aplicadas à Aprendizagem
 
Técnica avançadas de recorte em Photoshop
Técnica avançadas de recorte em PhotoshopTécnica avançadas de recorte em Photoshop
Técnica avançadas de recorte em Photoshop
 
Ludicidade vs usabilidade num website
Ludicidade vs usabilidade num websiteLudicidade vs usabilidade num website
Ludicidade vs usabilidade num website
 
Avaliação de um artigo científico
Avaliação de um artigo científicoAvaliação de um artigo científico
Avaliação de um artigo científico
 
Plano de ensino mesh
Plano de ensino   meshPlano de ensino   mesh
Plano de ensino mesh
 
Moodle e Multimedia
Moodle e MultimediaMoodle e Multimedia
Moodle e Multimedia
 
8º mat agosto
8º mat agosto8º mat agosto
8º mat agosto
 
I SIMTVD: Modelo de Interações para os Processos de Ensino Baseados em TV D...
I SIMTVD: Modelo de Interações para os Processos de Ensino Baseados em TV D...I SIMTVD: Modelo de Interações para os Processos de Ensino Baseados em TV D...
I SIMTVD: Modelo de Interações para os Processos de Ensino Baseados em TV D...
 
Escolas conectadas
Escolas conectadasEscolas conectadas
Escolas conectadas
 

Mais de Leonardo Pereira

Tutorial de criação de paralaxe numa imagem 2D
Tutorial de criação de paralaxe numa imagem 2DTutorial de criação de paralaxe numa imagem 2D
Tutorial de criação de paralaxe numa imagem 2D
Leonardo Pereira
 
Tutorial de introducao as mascaras
Tutorial de introducao as mascarasTutorial de introducao as mascaras
Tutorial de introducao as mascaras
Leonardo Pereira
 
Estratégias de Produção de Motion Graphics para Mobile TV: O contexto português
Estratégias de Produção de Motion Graphics para Mobile TV: O contexto portuguêsEstratégias de Produção de Motion Graphics para Mobile TV: O contexto português
Estratégias de Produção de Motion Graphics para Mobile TV: O contexto português
Leonardo Pereira
 
Masks & Puppet Tool animation in After Effects
Masks & Puppet Tool animation in After EffectsMasks & Puppet Tool animation in After Effects
Masks & Puppet Tool animation in After Effects
Leonardo Pereira
 
Princípios básicos e clássicos de animação
Princípios básicos e clássicos de animaçãoPrincípios básicos e clássicos de animação
Princípios básicos e clássicos de animação
Leonardo Pereira
 
www.entaovadesign.com 2014
www.entaovadesign.com 2014www.entaovadesign.com 2014
www.entaovadesign.com 2014
Leonardo Pereira
 
Princípios Orientadores de Design de Interfaces para aplicações iTV orientada...
Princípios Orientadores de Design de Interfaces para aplicações iTV orientada...Princípios Orientadores de Design de Interfaces para aplicações iTV orientada...
Princípios Orientadores de Design de Interfaces para aplicações iTV orientada...
Leonardo Pereira
 
Provas de Doutoramento de Leonardo Pereira_17 de Dezembro 2013
Provas de Doutoramento de Leonardo Pereira_17 de Dezembro 2013Provas de Doutoramento de Leonardo Pereira_17 de Dezembro 2013
Provas de Doutoramento de Leonardo Pereira_17 de Dezembro 2013
Leonardo Pereira
 
Adding paralax to a still picture - From 2D to 2.5D
Adding paralax to a still picture - From 2D to 2.5DAdding paralax to a still picture - From 2D to 2.5D
Adding paralax to a still picture - From 2D to 2.5D
Leonardo Pereira
 
O Flash no mundo da Animação
O Flash no mundo da AnimaçãoO Flash no mundo da Animação
O Flash no mundo da Animação
Leonardo Pereira
 
Cuidados de Produção de chroma e tracking
Cuidados de Produção de chroma e trackingCuidados de Produção de chroma e tracking
Cuidados de Produção de chroma e tracking
Leonardo Pereira
 
Tutorial de retoque
Tutorial de retoqueTutorial de retoque
Tutorial de retoque
Leonardo Pereira
 
Introduction to Illustrator's workshop - Covilha October 2012
Introduction to Illustrator's workshop - Covilha October 2012Introduction to Illustrator's workshop - Covilha October 2012
Introduction to Illustrator's workshop - Covilha October 2012
Leonardo Pereira
 
Introduction to Photoshop's workshop - Covilha October 2012
Introduction to Photoshop's workshop - Covilha October 2012Introduction to Photoshop's workshop - Covilha October 2012
Introduction to Photoshop's workshop - Covilha October 2012
Leonardo Pereira
 
Tutorial de Intro ao Photoshop: Simulação de capa de livro em perspectiva 3D
Tutorial de Intro ao Photoshop: Simulação de capa de livro em perspectiva 3DTutorial de Intro ao Photoshop: Simulação de capa de livro em perspectiva 3D
Tutorial de Intro ao Photoshop: Simulação de capa de livro em perspectiva 3D
Leonardo Pereira
 
Introdução ao Photoshop
Introdução ao PhotoshopIntrodução ao Photoshop
Introdução ao Photoshop
Leonardo Pereira
 
Apresentação relatório de progresso
Apresentação relatório de progressoApresentação relatório de progresso
Apresentação relatório de progresso
Leonardo Pereira
 
Design de Interfaces IPTV para Seniores_Workshop Tecnologias Interativas de a...
Design de Interfaces IPTV para Seniores_Workshop Tecnologias Interativas de a...Design de Interfaces IPTV para Seniores_Workshop Tecnologias Interativas de a...
Design de Interfaces IPTV para Seniores_Workshop Tecnologias Interativas de a...
Leonardo Pereira
 
After Effects Camera Tracker Plug in Tutorial
After Effects Camera Tracker Plug in TutorialAfter Effects Camera Tracker Plug in Tutorial
After Effects Camera Tracker Plug in Tutorial
Leonardo Pereira
 
Leonardo Pereira's Book cover design portfolio
Leonardo Pereira's Book cover design portfolioLeonardo Pereira's Book cover design portfolio
Leonardo Pereira's Book cover design portfolio
Leonardo Pereira
 

Mais de Leonardo Pereira (20)

Tutorial de criação de paralaxe numa imagem 2D
Tutorial de criação de paralaxe numa imagem 2DTutorial de criação de paralaxe numa imagem 2D
Tutorial de criação de paralaxe numa imagem 2D
 
Tutorial de introducao as mascaras
Tutorial de introducao as mascarasTutorial de introducao as mascaras
Tutorial de introducao as mascaras
 
Estratégias de Produção de Motion Graphics para Mobile TV: O contexto português
Estratégias de Produção de Motion Graphics para Mobile TV: O contexto portuguêsEstratégias de Produção de Motion Graphics para Mobile TV: O contexto português
Estratégias de Produção de Motion Graphics para Mobile TV: O contexto português
 
Masks & Puppet Tool animation in After Effects
Masks & Puppet Tool animation in After EffectsMasks & Puppet Tool animation in After Effects
Masks & Puppet Tool animation in After Effects
 
Princípios básicos e clássicos de animação
Princípios básicos e clássicos de animaçãoPrincípios básicos e clássicos de animação
Princípios básicos e clássicos de animação
 
www.entaovadesign.com 2014
www.entaovadesign.com 2014www.entaovadesign.com 2014
www.entaovadesign.com 2014
 
Princípios Orientadores de Design de Interfaces para aplicações iTV orientada...
Princípios Orientadores de Design de Interfaces para aplicações iTV orientada...Princípios Orientadores de Design de Interfaces para aplicações iTV orientada...
Princípios Orientadores de Design de Interfaces para aplicações iTV orientada...
 
Provas de Doutoramento de Leonardo Pereira_17 de Dezembro 2013
Provas de Doutoramento de Leonardo Pereira_17 de Dezembro 2013Provas de Doutoramento de Leonardo Pereira_17 de Dezembro 2013
Provas de Doutoramento de Leonardo Pereira_17 de Dezembro 2013
 
Adding paralax to a still picture - From 2D to 2.5D
Adding paralax to a still picture - From 2D to 2.5DAdding paralax to a still picture - From 2D to 2.5D
Adding paralax to a still picture - From 2D to 2.5D
 
O Flash no mundo da Animação
O Flash no mundo da AnimaçãoO Flash no mundo da Animação
O Flash no mundo da Animação
 
Cuidados de Produção de chroma e tracking
Cuidados de Produção de chroma e trackingCuidados de Produção de chroma e tracking
Cuidados de Produção de chroma e tracking
 
Tutorial de retoque
Tutorial de retoqueTutorial de retoque
Tutorial de retoque
 
Introduction to Illustrator's workshop - Covilha October 2012
Introduction to Illustrator's workshop - Covilha October 2012Introduction to Illustrator's workshop - Covilha October 2012
Introduction to Illustrator's workshop - Covilha October 2012
 
Introduction to Photoshop's workshop - Covilha October 2012
Introduction to Photoshop's workshop - Covilha October 2012Introduction to Photoshop's workshop - Covilha October 2012
Introduction to Photoshop's workshop - Covilha October 2012
 
Tutorial de Intro ao Photoshop: Simulação de capa de livro em perspectiva 3D
Tutorial de Intro ao Photoshop: Simulação de capa de livro em perspectiva 3DTutorial de Intro ao Photoshop: Simulação de capa de livro em perspectiva 3D
Tutorial de Intro ao Photoshop: Simulação de capa de livro em perspectiva 3D
 
Introdução ao Photoshop
Introdução ao PhotoshopIntrodução ao Photoshop
Introdução ao Photoshop
 
Apresentação relatório de progresso
Apresentação relatório de progressoApresentação relatório de progresso
Apresentação relatório de progresso
 
Design de Interfaces IPTV para Seniores_Workshop Tecnologias Interativas de a...
Design de Interfaces IPTV para Seniores_Workshop Tecnologias Interativas de a...Design de Interfaces IPTV para Seniores_Workshop Tecnologias Interativas de a...
Design de Interfaces IPTV para Seniores_Workshop Tecnologias Interativas de a...
 
After Effects Camera Tracker Plug in Tutorial
After Effects Camera Tracker Plug in TutorialAfter Effects Camera Tracker Plug in Tutorial
After Effects Camera Tracker Plug in Tutorial
 
Leonardo Pereira's Book cover design portfolio
Leonardo Pereira's Book cover design portfolioLeonardo Pereira's Book cover design portfolio
Leonardo Pereira's Book cover design portfolio
 

Último

D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AntonioVieira539017
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 

Último (20)

D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptxAVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA - 8º ANO 2024.pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 

Princípios clássicos de composição visual e Gráfica para não Designers

  • 1. Universidade do Minho Instituto de Ciências Sociais Departamento de Ciências da Comunicação Professor Leonardo Pereira Ano Curricular - 2010 | 2011 ATELIER AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA I Curso de Ciências da Comunicação - 2º Ano | 2º Semestre Aula 06 PRINCÍPIOS BÁSICOS DE DESIGN GRÁFICO PARA NÃO DESIGNERS 1. PRINCÍPIOS DE COMPOSIÇÃO VISUAL EM DESIGN GRÁFICO
  • 2. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação 01 Princípios de Composição Visual leonardpeartree@gmail.com
  • 3. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de O processo de composição visual é o processo de planeamento, ordenamento e arranjo Composição dos elementos visuais num plano visual. E dividem-se nas seguintes categorias entre outras: Visual 1. Princípios de cor 2. Princípos de Tipografia 3. Princípios de Coerência e unidade Visual 4. Princípios de Hieraquia 5. Princípios de legibilidade 6. Princípios de organização - composição espacial leonardpeartree@gmail.com
  • 4. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de Cor leonardpeartree@gmail.com
  • 5. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios Quando compomos visualmente elementos gráficos num mesmo suporte devemos ter o de cor cuidado de os combinar, em termos cromáticos, de uma forma que não afecte a sua legibilidade e de forma a que, estéticamente, tenhamos uma combinação agradável. Como? • Usar combinações com contraste • Solução fácil - Usar cores complementares • Consultar sistemas online de combinações cromáticas para se guiarem A evitar: • Evitar o uso de demasiadas cores (nem sempre isto é aplicável) • Evitar usar combinações que dificultem a legibilidade de elementos tipográficos • Evitar o uso de gradientes com muitas cores Nem sempre é aplicável esta última regra mas numa primeira fase de aprendizagem não usem! Cinjam-se para já a aprender as regras sem as quebrar. leonardpeartree@gmail.com
  • 6. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios 1. Combinações com contraste 2. Combinações sem contraste de cor Teste Teste Teste Teste Teste Teste Teste leonardpeartree@gmail.com
  • 7. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios Solução fácil - Usar cores complementares de cor Estas cores são cores que se opõem no espectro de cores e que, por isso, se complementam dando origem a combinações equilibradas, vibrantes e agradáveis. leonardpeartree@gmail.com
  • 8. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios Inspiração - Consultar sistemas que nos ajudam a encontrar combinações de cor estéticamente agradáveis e com contraste. http://kuler.adobe.com http://www.colourlovers.com/ http://www.ficml.org/jemimap/style/color/wheel.html http://www.colorhunter.com/ http://www.colorjack.com/sphere/ http://www.colorschemer.com/schemes/ http://www.colr.org/ leonardpeartree@gmail.com
  • 9. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de Tipografia leonardpeartree@gmail.com
  • 10. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de 1. Não utilizar demasiadas fontes diferentes no mesmo trabalho. Tipografia Sim Não Aula de Aula de Atelier Multimédia Atelier Multimédia Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-feiras, Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-feiras, das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria. das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria. Convém não faltar porque os conteúdos são importantes Convém não faltar porque os conteudos são importantes para a vossa formação. para a vossa formacão. leonardpeartree@gmail.com
  • 11. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de 2. Evitar usar apenas caixa alta. Tipografia O uso de apenas caixa alta dificulta a leitura do texto. É melhor usar caixa mista! Sim Não Aula de AULA DE Atelier Multimédia ATELIER MULTIMÉDIA Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-feiras, AULA DECORRENTE NA UNIVERSIDADE DO MINHO ÀS das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria. QUINTAS-FEIRAS, DAS 14:00 ÀS 17:00, MAIS UMA HORA DE Convém não faltar porque os conteúdos são importantes AULA DE TUTORIA. CONVÉM NÃO FALTAR PORQUE OS CON- para a vossa formação. TEÚDOS SÃO IMPORTANTES PARA A VOSSA FORMAÇÃO. leonardpeartree@gmail.com
  • 12. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de 3. Não justificar o texto. Tipografia É preferível alinhar o texto à esquerda ou à direita para não gerar “dentes de cavalo“. Texto alinhado -Sim Texto justificado - Não Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-feiras, Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-fei- das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria. ras, das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria. Convém não faltar porque os conteúdos são importantes Convém não faltar porque os conteú- para a vossa formação. dos são importantes para a vossa formação. Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-feiras, Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-fei- das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria. ras, das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria. Convém não faltar porque os conteúdos são importantes Convém não faltar porque os conteú- para a vossa formação. dos são importantes para a vossa formação. Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-feiras, Aula decorrente na Universidade do Minho às Quintas-fei- das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria. ras, das 14:00 às 17:00, mais uma hora de aula de Tutoria. Convém não faltar porque os conteúdos são importantes Convém não faltar porque os conteú- para a vossa formação. dos são importantes para a vossa formação. leonardpeartree@gmail.com
  • 13. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de 4. Não alongar ou apertar arbitrariamente as letras. Tipografia A menos que seja por razões expressivas, não devemos alongar ou esticar as letras. Sim Não A Texto leonardpeartree@gmail.com
  • 14. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de E nunca se violam as regras? Tipografia A resposta é sim. Sim, violam-se as regras nalgumas situações. Violam-se as regras de tipografia quando queremos dar expressão e acentuar significados na Tipografia. Ou seja, em situações em que se pretende que a Tipografia adquira iconicidade. leonardpeartree@gmail.com
  • 15. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de Coerência e Unidade Visual leonardpeartree@gmail.com
  • 16. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios A coerência e unidade visual obtém-se quando somos coerentes a vários níveis dos de coerência e elementos gráficos que utilizamos: unidade visual • Ao nível da tipografia; • Ao nível da relação da linguagem da tipografia com a linguagem da imagem; • Ao nível da linguagem gráfica e formal utilizada; • Ao nível da relação das cores dos elementos gráficos com as cores das imagens. Vamos ver exemplos! leonardpeartree@gmail.com
  • 17. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios 1. Ao nível da Tipografia de coerência e Quando fazemos um genérico, por exemplo, e quando escolhemos as fontes a usar, unidade visual devemos utilizá-las do início ao fim do genérico. Utilizar no início uma fonte, a meio outra e no fim outra, quebra a unidade visual desejável que geralmente origina a identidade visual de qualquer peça de caracter gráfico. Vamos olhar para dois genéricos onde isso acontece: Ver genérico “Trueblood”: Ver genérico “G. Whisperer”: http://www.youtube.com/ http://www.youtube.com/ watch?v=TcCUPgkyo2I watch?v=8mAJwENnNVM leonardpeartree@gmail.com
  • 18. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios 2. Ao nível da relação da linguagem da tipografia com a linguagem da imagem de coerência e Quando um vídeo em que utilizamos elementos gráficos com uma linguagem muito unidade visual específica, adequar a tipografia a essa mesma linguagem é uma forma de fazer com que a composição visual final seja mais coerente no seu todo e a sua identidade visual seja reforçada. Ora vamos ver o exemplo do vídeoclip de Junior Senior “Move your feet“ onde, à semelhança das ilustrações pixelizadas que foram utilizadas, também a tipografia é pixelizada: Ver videoclip “Move your feet”: http://www.youtube.com/watch?v=SPlQpGeTbIE leonardpeartree@gmail.com
  • 19. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios 2. Ao nível da relação da linguagem da tipografia com a linguagem da imagem de coerência e Outra forma de adptar a linguagem do texto à linguagem formal dos elementos gráficos unidade visual é analisar a sua configuração formal e arranjar fontes cujo desenho tenha as mesmas características (formais, visuais e cromáticas): Texto Texto Texto Texto leonardpeartree@gmail.com
  • 20. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios 2. Ao nível da relação da linguagem da tipografia com a linguagem da imagem de coerência e Ao nível da cor pode também haver coerência e correspondência no tratamento unidade visual da tipografia e da imagem ou elementos gráficos: Texto + texto leonardpeartree@gmail.com
  • 21. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios 2. Ao nível da relação da linguagem da tipografia com a linguagem da imagem de coerência e Quando usamos imagens que depois serão combinadas com tipografia e elementos unidade visual gráficos podemos sempre ir às imagens buscar cores para utilizar nos outros elementos. Ou podemos mesmo fazer o contrário. Usar nas imagens as cores que estão nos elementos gráficos. leonardpeartree@gmail.com
  • 22. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios 3. Ao nível da linguagem gráfica e formal utilizada de coerência e Não devemos misturar elementos gráficos que não tenham o mesmo tratamento gráfico unidade visual ou linguagem visual. A ilustração é uma boa forma de perceber esta coerência que deverá existir nas composições gráficas e visuais que criamos. leonardpeartree@gmail.com
  • 23. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios 3. Ao nível da linguagem gráfica e formal utilizada de coerência e Os Simpsons, o Family Guy e o Futurama, são séries de animação que utilizam unidade visual linguagens visuais e gráficas semelhantes. leonardpeartree@gmail.com
  • 24. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios 3. Ao nível da linguagem gráfica e formal utilizada de coerência e As Power Pufs Girls, o Tom Sawyer e o Ren & Stimpy são séries de animação unidade visual que utilizam linguagens visuais e gráficas diferentes. leonardpeartree@gmail.com
  • 25. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de Hierarquia visual leonardpeartree@gmail.com
  • 26. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios Conseguimos estabelecer hierarquias nas nossas composições pelo: de Hierarquia 1. tamanho relativo dos elementos gráficos visual 2. posição relativa dos elementos gráficos 3. destaque cromático relativo de um elemento gráfico 4. peso relativo da Tipografia entre si 5. tamanho relativo da Tipografia entre si 6. valor cromático relativo da Tipografia entre si leonardpeartree@gmail.com
  • 27. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios 1. Hierarquia pelo tamanho relativo dos elementos gráficos de Hierarquia O que é maior tende a ter maior destaque pelo seu peso visual acrescido, mesmo em visual formas diferenciadas! leonardpeartree@gmail.com
  • 28. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios 2. Hierarquia pela posição relativa dos elementos gráficos de Hierarquia O que está centrado e mais acima no plano ou enquadramento tende a ter mais visual importância visual e destaque do que o que está na periferia do centro visual! leonardpeartree@gmail.com
  • 29. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Alguns exemplos... leonardpeartree@gmail.com
  • 30. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios 3. Hierarquia pelo destaque cromático relativo de um elemento gráfico de Hierarquia O que está numa cor diferente ou sai da norma da cor da maioria dos elementos visual destaca-se e adquire maior importância visual do que os restantes elementos. leonardpeartree@gmail.com
  • 31. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Mais alguns exemplos... leonardpeartree@gmail.com
  • 32. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios 4. Hierarquia pelo peso relativo da Tipografia entre si de Hierarquia visual O uso combinado de vários pesos de uma família tipográfica resulta numa hierarquia em que o destaque fica na tipografia que usa o peso mais “gordo“. BoldLight Design leonardpeartree@gmail.com
  • 33. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios 5. Hierarquia pelo tamanho relativo da Tipografia entre si de Hierarquia visual O uso combinado de vários tamanhos de tipografia, naturalmente que resulta também em importâncias e destaques diferentes, constituindo-se naturalmente uma hierarquia relativa entre os elementos gráficos. leonardpeartree@gmail.com
  • 34. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios 6. Hierarquia pelo valor cromático relativo da Tipografia entre si de Hierarquia visual O uso combinado de duas cores em tipografia, em que uma é mais vibrante do que a outra determina igualmente um destaque visual e uma hierarquia de importância relativa entre os elementos tipográficos. leonardpeartree@gmail.com
  • 35. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de Legibilidade leonardpeartree@gmail.com
  • 36. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de 1. Relação Tipografia-fundo Legibilidade Por vezes há relações entre a tipografia e o fundo que não funcionam e que criam problemas de legibilidade à Tipografia. Há que ter cuidado com este aspecto. Quando temos no fundo uma imagem complexa, ou se muda a cor do texto, ou se usa um batente, ou se usa uma sombra. Caso contrário temos problemas de legibilidade. Não Sim Sim Texto Texto Texto leonardpeartree@gmail.com
  • 37. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de 1. Relação Tipografia-fundo Legibilidade Outra possibilidade passa por se mudar ou alterar a cor da imagem por forma a se criar o contraste necessário à correcta legibilidade do Texto. Ou ainda, não usar imagens no fundo e substituir por uma cor plana (naturalmente forte para gerar contraste também). Sim Sim Texto Texto leonardpeartree@gmail.com
  • 38. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de organização Composição Espacial leonardpeartree@gmail.com
  • 39. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de 1. Composição visual Organização Espacial Quando estamos a colocar elementos gráficos sobre um suporte estes não devem estar aleatoriamente “atirados” sobre o mesmo. Há uma ordem, mais dinâmica ou menos dinâmica, de relação entre os elementos gráficos que deve ser procurada. Esta procura é um acto de composição visual. Mas como é que se consegue? leonardpeartree@gmail.com
  • 40. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de 2. Concordâncias visuais Organização Espacial Reparem como na seguinte imagem e composição tipográfica o texto do lado direito está em concordância perpendicular na sua inclinação com a inclinação da haste direita da letra A centrada na composição. leonardpeartree@gmail.com
  • 41. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de 2. Concordâncias visuais Organização Espacial Neste caso as concordâncias estão também nas concordâncias da perpendiculariedade relativa das inclinações dos textos. leonardpeartree@gmail.com
  • 42. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de 2. Concordâncias visuais Organização Espacial Outro exemplo de concordância compositiva é quando elementos tipográficos são concordantes com o contorno ou forma de outro elemento gráfico não tipográfico, como é o caso desta imagem. leonardpeartree@gmail.com
  • 43. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de 3. Concordâncias estruturais Organização Espacial As concordâncias estruturais referem-se a relações de alinhamentos entre diferentes elementos de uma composição. Este tipo de relações de alinhamento são particular- mente evidentes no contexto impresso e editorial, como se vê nesta imagem. leonardpeartree@gmail.com
  • 44. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Princípios de 3. Concordâncias estruturais Organização Espacial Numa publicação os elementos obedecem a regras de composição assentes em grelhas esquemáticas que justificam a localização e relação entre todos os elementos gráficos. leonardpeartree@gmail.com
  • 45. Universidade do Minho Atelier Audiovisual e Multimédia I - 2010 | 2011 Instituto de Ciências Sociais Professor Leonardo Pereira Departamento de Ciências da Comunicação Conclusão Todos os Princípios aqui apresentados são aplicáveis ao contexto dos Motion Graphics. Usem-nos para vos ajudar a fazer o vosso trabalho bem! leonardpeartree@gmail.com