SlideShare uma empresa Scribd logo
Prevenção e combate a
incêndio
Por Nestor W. Neto, Técnico em Segurança do Trabalho
Introdução
O
pessoa de conhecimentos básicos
objetivo desse treinamento é dotar a
a
respeito da prevenção (que é sempre o
mais indicado) e combate a incêndio.
Saber utilizar os equipamentos de combate
a incêndio é muito importante. Extintores,
hidrantes não fazem trabalho sozinho. É
preciso ter pessoas preparadas para usá-
los da forma correta.
O uso do extintor de forma inadequada pode
surtir o efeito inverso, ao invés de apagar
poderá aumentar as chamas.
Quem combate o fogo na empresa?
Em algumas empresas existem as Brigadas
de Incêndio ou os Bombeiros Civis, que são
os especialistas nos uso, em outras, o
SESMT deverá passar a CIPA e aos
funcionários pelo menos uma noção básica.
É importante que em todos os turno tenham
Introdução
Conhecendo o fogo
● Não tem como
uma coisa
combater
que não
conhecemos.
● Precisamos conhecer nosso
inimigo, seus pontos fracos,
para podermos atacar com a
precisão e seriedade que a
situação nos exigi.
Fogo - definição
Definir o fogo é mais complicado do que
parece, aqui temos dois dos vários e
conceitos disponíveis.
Fogo = Reação química de oxidação,
onde há liberação de luz e calor.
Fogo = É tudo que queima, servindo
como campo de ação e propagação
das chamas.
Elementos do fogo
Para ocorrer o fogo é necessário que haja:
- Calor;
- Oxigênio;
- Combustível.
A união desses três elementos é o
que conhecemos por triângulo do
fogo, e na falta de algum desses
elementos é impossível, que haja
fogo.
Quadrado do fogo?
Hoje muito se fala em quadrado e
tetraedro do fogo ,mas, como os métodos
de extinção trabalham com os mesmos
componentes do triângulo, preferimos
focar nele (triângulo).
Imagem: Júnior CBMMA
Princípio de auto-sustentação do
fogo
Causas de incêndio
● Causas Naturais
Quando o incêndio é originado em razão
dos fenômenos da natureza, que agem
por si só, completamente
independentes da vontade humana.
Exemplo: Raio que cai e dá início a um
incêndio
Causas de incêndio
● Causas Artificiais
Quando o incêndio acontece pela ação
direta do homem, ou poderia ser por ele
evitado tomando-se as devidas medidas
de precaução (atos inseguros ou
condições de insegurança). Esses atos
ou condições são:
Causas de Artificiais
Acidental - Quando o incêndio é
proveniente do descuido do homem,
muito embora ele não tenha intenção
de provocar o acidente. Esta é a causa
da maioria dos incêndios.
Proposital - Quando o incêndio tem
origem criminosa, ou seja, houve a
intenção de alguém em provocar o
incêndio.
Formas de propagação do incêndio
Condução
É a transferência de calor diretamente no interior
de um corpo ou através de corpos em contato.
Esta transferência é feita de molécula a molécula
sem que haja transporte da matéria de uma
região para outra.
É o processo pelo qual o calor se propaga da
chama para a mão, através da barra de ferro ou
um incêndio em edifício, a
do incêndio, acontecerá pela
calor pela estrutura metálica,
no caso de
propagação
condução do
Vigas.
Condução
Imagem: http://bombeiroswaldo.blogspot.com.br/
Formas de propagação do incêndio
Convecção
É a transferência do calor de um ponto para outro
(feito por líquidos) ou de forma ascendente (feito
por ar, fumaça e gases), através do transporte de
calor dentro de massas fluidas.
Em edificações verticalizadas essa é a principal
forma de propagação, fazendo a comunicação
do calor pelo interior da edificação através das
escadas, condutos de ventilação, poço dos
elevadores, etc.
Formas de propagação do incêndio
Convecção
Um exemplo de propagação em
convecção aconteceu no Edifício
Joelma
Formas de propagação do incêndio
Irradiação
É a emissão continua de calor, que é uma forma
de energia, denominada ondas calorífica, sob
a forma de radiação, essencialmente no
espectro do infravermelho, que se propaga em
todas as direções através do espaço sem a
necessidade de suporte material.
A intensidade com que os corpos são atingidos
aumenta ou diminui proporcionalmente a
distancia do corpo e a fonte irradiadora.
Formas de propagação do incêndio
Irradiação
Classes de incêndio
CLASSE “A”: São materiais de fácil
combustão, queimam tanto na superfície
como em profundidade, deixando
resíduos. Ex.: madeira, papel, etc.
CLASSE “B”: São
queimam somente
os produtos que
na superfície. Ex.:
gasolina, óleos, graxas, etc.
CLASSE “C”: Ocorre em equipamentos
elétricos energizados.
Ex: motores, quadros de distribuição, etc.
CLASSE “D”: Ocorre em materiais pirofóricos
como magnésio, zircônio, titânio, etc.
Classes de incêndio
Tipos de extintores a
respectiva classe e tipo de
incêndio.
Tipos de extintores:
Para incêndios de classe A
O eficiente é o extintor de água.
Pode-se usar também o extintor de
pó químico e c0² porém não é eficiente
para esse tipo de incêndio. Pois esses
agentes não conseguem penetrar no
material que está queimando
Para classe B
O indicado é o Pó químico (Bicarbonato de
Sódio).
Nesse caso nunca deve ser usado o
extintor de água, pois ele pode aumentar
o as chamas.
Nesse tipo de incêndio o c0²
não é eficiente.
● Para classe C
(CO²)Gás carbono
Pode ser usado também o pó químico,
mas seu uso pode estragar os
equipamentos.
Após desligar a rede elétrica
poderá usar também o extintor
com carga de água.
● Para classe D
A base de Cloreto de Sódio.
O incêndio é extinto pelo isolamento
entre o metal e a atmosfera.
Conhecendo o extintor
● Extintores de
equipamentos
incêndio
indicados
são
para
controlar princípio de incêndio.
Tal limitação se deve ao fato de ter
carga de produto reduzida. Isso
acontece por causa do tamanho do
extintor.
E exatamente por isso a prevenção é
sempre o mais recomendado.
Conhecendo o extintor por
dentro
- Mangueira;
Serve como passagem para o agente
extintor.
- Presurizante;
Serve para expulsar o agente
extintor
do recipiente.
Conhecendo o extintor por
dentro
- Sifão ou Pescador;
Conduz a agente extintor desde
o interior do recipiente para a
válvula de descarga
- Agente extintor;
É o produto químico ou água
que apaga o fogo.
Conhecendo o extintor por
dentro
- Recipiente;
Serve para armazenar o
agente extintor.
- Base;
Serve para apoiar o extintor,
para assim, mantê-lo em pé.
Conhecendo o extintor por
fora
-Manômetro;
Serve para medir a quantidade de produto
no extintor
- Pino de segurança;
Serve para travar o gatilho do extintor.
Conhecendo o extintor por
fora
- Alavanca;
Serve para dar apoio á pressão no
gatilho.
- Gatilho;
Serve para acionar o extintor.
Conhecendo o extintor por
fora
● Pintura;
Normalmente na cor vermelha.
● Selo do INMETRO;
● Anel de identificação;
Serve para identificar a empresa que fez a
recarga do extintor. Por isso, extintor novo
não tem o anel. O anel em questão não
pode apresentar rasuras ou deformações.
Cuidados necessários
ao extintor
● Os extintores devem ser instalados
em local de grande movimentação e
ficar sempre em local de fácil
visualização.
● Devem ser instalados em altura não
superior a 1.60 m.
● O cilindro deverá ter um adesivo com
a logomarca do INMETRO.
Cuidados gerais
● Não obstrua os extintores.
● Não obstrua o acesso aos extintores
e nem os corredores de passagem
de emergência.
● Se o lacre do extintor for rompido
mesmo por acidente, recarregue o
extintor. O lacre é a garantia de que
o equipamento está apto para uso.
Como já vimos acima o fogo consiste em
um triângulo.
Todo combate a incêndio se baseia na
retirada de um ou mais elementos do
triângulo do fogo
Para retirar algum elemento podemos
usar esses métodos:
Princípios de combate
a incêndio
● Abafamento.
● Resfriamento.
● Isolamento.
● Rescaldo.
Princípios de combate a incêndio
Princípios de combate a incêndio
● Abafamento.
Consiste em retirar o oxigênio do
contato com o fogo.
Método indicado:
Extintores de CO², Pó químico, água ou
mesmo terra.
Princípios de combate a incêndio
● Resfriamento.
Consiste em retirar o calor do fogo.
Método indicado:
Água e CO².
Princípios de combate a incêndio
● Isolamento.
Consiste em separar a parte que está
queimando da que não está.
Exemplo: Aceiro.
● Rescaldo.
Conjunto das operações necessárias para
completar a extinção do fogo, impedir a
reignição e colocar o local em condições
de segurança.
Princípios de combate a incêndio
Como usar o extintor
● Procure um extintor apropriado para o
tipo de incêndio, lembre-se das dicas
acima;
● Pegue o extintor segurando-o na
posição vertical;
● Rompa o lacre;
● Retire o pino de segurança;
Como usar o extintor
● Posicione-se a uma distância segura,
mas não fique longe das chamas, isso
torna o combate ineficiente;
● Dirija o jato do o jato para a base
(parte baixa do fogo),
movimentos como se
deve-se
estivesse
varrendo o fogo;
Um combate mal sucedido
● Veja aqui um exemplo de combate a
incêndio mal sucedido. Talvez o fato do
combatente ter ficado muito distante do
fogo tenha causado o fracasso.
1º 2º
● Felizmente nesse caso o prejuízo foi
apenas material.
3º 4º
Um combate mal sucedido
Como usar o hidrante
Verifique o tipo de incêndio, lembre-se
das dicas acima.
O ideal é trabalhar sempre com mais de
uma pessoa, mas, se só tiver uma dá
para usá-lo. Mas, irá requerer esforço
extra.
● Desligue a rede de energia elétrica.
Como usar o hidrante
- Abra a caixa de hidrante.
- Conecte a mangueira
- Conecte o bico da mangueira;
- Segure o bico da mangueira de
maneira firme. Abra um pouco as
pernas para aumentar o apoio;
Como usar o hidrante
Como já dissemos o ideal é trabalho
pelo menos em dupla, para que
nessa hora a outra pessoa abra o
registro.
Abra o registro e combata o fogo. Se o
bico do hidrante tiver regulagem
pode optar por jato neblinado ou jato
compacto. Estude a situação e faça
sua escolha.
Chuveiros automáticos (sprinklers)
● Os chuveiros automáticos são dispositivos
com elemento termo-sensível projetados para
serem acionados em temperaturas pré-
determinadas, lançando automaticamente
água sob a forma de aspersão sobre
determinada área, com vazão e pressão
especificados, para controlar ou extinguir um
foco de incêndio.
Imagem WB Tecnologia
● Os chuveiros automáticos ou sprinklers
são compostos basicamente pelos
seguintes componentes:
● Corpo: parte do chuveiro automático
que contém rosca, para fixação na
tubulação, braços e orifícios de
descarga, e serve como suporte dos
demais componentes;
Chuveiros automáticos (sprinklers)
● Defletor: componente destinado a quebrar
o jato sólido, de modo a distribuir a água,
segundo padrões estabelecidos nas
normas brasileiras;
● Obturador: componente destinado à
vedação do orifício de descarga nos
chuveiros automáticos e que também atua
como base para o elemento termo-sensível
tipo bulbo de vidro;
Chuveiros automáticos (sprinklers)
Imagem WB Tecnologia
● Elemento Termo-Sensível: componente
destinado a liberar o obturador por efeito da
elevação da temperatura de operação e com
isso fazer a água fluir contra o foco de
incêndio.
● Os elementos termo-sensíveis podem ser do
tipo ampola de vidro ou fusíveis de liga
metálica.
Imagem WB Tecnologia
Chuveiros automáticos (sprinklers)
Importante
Não abandone o local do incêndio até
ter certeza de que não se reiniciará.
Muitas vezes basta alguns minutos para
o fogo recomeçar. Se for possível
remova as cinzas para ver se
realmente foi o fim das chamas.
Mantenha os números de emergência
em lugar de fácil visualização

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a prevenoecombateaincndio-150827165846-lva1-app6891.pptx

Treinamento de Brigada de Incêndio
Treinamento de Brigada de IncêndioTreinamento de Brigada de Incêndio
Treinamento de Brigada de Incêndio
Kerginaldo Mota
 
1191714618 1829.incendios
1191714618 1829.incendios1191714618 1829.incendios
1191714618 1829.incendios
Pelo Siro
 
Brigada de incendio
Brigada de incendioBrigada de incendio
Brigada de incendio
Ulysses Gibson
 
brigadadeincendio operacional- 2024.pptx
brigadadeincendio operacional- 2024.pptxbrigadadeincendio operacional- 2024.pptx
brigadadeincendio operacional- 2024.pptx
Treinar Desenvolvimento Pessoal
 
aula-01-combate-a-incendio.ppt
aula-01-combate-a-incendio.pptaula-01-combate-a-incendio.ppt
aula-01-combate-a-incendio.ppt
CladiaRocha
 
TREINAMENTO - COMBATE E PREVENÇÃO INCÊNDIOS PONTEIO.pptx
TREINAMENTO - COMBATE E PREVENÇÃO INCÊNDIOS PONTEIO.pptxTREINAMENTO - COMBATE E PREVENÇÃO INCÊNDIOS PONTEIO.pptx
TREINAMENTO - COMBATE E PREVENÇÃO INCÊNDIOS PONTEIO.pptx
JulianaCoelho579924
 
BRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdf
BRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdfBRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdf
BRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdf
rodrigoamorim203871
 
Treinamento de Brigada Nivel Básico.pptx
Treinamento de Brigada Nivel Básico.pptxTreinamento de Brigada Nivel Básico.pptx
Treinamento de Brigada Nivel Básico.pptx
ReginaldoRibeiro56
 
Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10
Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10
Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10
Shirlene Maciel Rafino
 
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii Slides
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii SlidesSegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii Slides
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii Slides
Santos de Castro
 
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii Slides
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii SlidesSegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii Slides
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii Slides
Santos de Castro
 
APOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORAS
APOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORASAPOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORAS
APOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORAS
TalitaVerdadeiro1
 
Brigada - Incendio.ppt
Brigada - Incendio.pptBrigada - Incendio.ppt
Brigada - Incendio.ppt
carlossilva333486
 
Incendio ronaldo dias
Incendio ronaldo diasIncendio ronaldo dias
Incendio ronaldo dias
Alexandre Bekesius
 
2-Treinamento Brigada de Incêndio.ppt
2-Treinamento Brigada de Incêndio.ppt2-Treinamento Brigada de Incêndio.ppt
2-Treinamento Brigada de Incêndio.ppt
Itayaengenharia
 
Segurança e medicina do trabalho aula5
Segurança e medicina do trabalho aula5Segurança e medicina do trabalho aula5
Segurança e medicina do trabalho aula5
Augusto Junior
 
SPEREIRA-BRIGADA incendio-COND.RESID..pptx
SPEREIRA-BRIGADA incendio-COND.RESID..pptxSPEREIRA-BRIGADA incendio-COND.RESID..pptx
SPEREIRA-BRIGADA incendio-COND.RESID..pptx
LuizHenrique1001
 
Combate a incendio
Combate a incendio Combate a incendio
Combate a incendio
sandra brizolla
 
Treinamento - Prevenção e combate a incêndio.pptx
Treinamento - Prevenção e combate a incêndio.pptxTreinamento - Prevenção e combate a incêndio.pptx
Treinamento - Prevenção e combate a incêndio.pptx
FabiulaGonalves4
 
Brigada de Emergência (Oficial CLC) 2017/2018
Brigada de Emergência (Oficial CLC) 2017/2018Brigada de Emergência (Oficial CLC) 2017/2018
Brigada de Emergência (Oficial CLC) 2017/2018
Claudio Cesar Pontes ن
 

Semelhante a prevenoecombateaincndio-150827165846-lva1-app6891.pptx (20)

Treinamento de Brigada de Incêndio
Treinamento de Brigada de IncêndioTreinamento de Brigada de Incêndio
Treinamento de Brigada de Incêndio
 
1191714618 1829.incendios
1191714618 1829.incendios1191714618 1829.incendios
1191714618 1829.incendios
 
Brigada de incendio
Brigada de incendioBrigada de incendio
Brigada de incendio
 
brigadadeincendio operacional- 2024.pptx
brigadadeincendio operacional- 2024.pptxbrigadadeincendio operacional- 2024.pptx
brigadadeincendio operacional- 2024.pptx
 
aula-01-combate-a-incendio.ppt
aula-01-combate-a-incendio.pptaula-01-combate-a-incendio.ppt
aula-01-combate-a-incendio.ppt
 
TREINAMENTO - COMBATE E PREVENÇÃO INCÊNDIOS PONTEIO.pptx
TREINAMENTO - COMBATE E PREVENÇÃO INCÊNDIOS PONTEIO.pptxTREINAMENTO - COMBATE E PREVENÇÃO INCÊNDIOS PONTEIO.pptx
TREINAMENTO - COMBATE E PREVENÇÃO INCÊNDIOS PONTEIO.pptx
 
BRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdf
BRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdfBRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdf
BRIGADA DE INCÊNDIO - TREINAMENTO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIOS.pdf
 
Treinamento de Brigada Nivel Básico.pptx
Treinamento de Brigada Nivel Básico.pptxTreinamento de Brigada Nivel Básico.pptx
Treinamento de Brigada Nivel Básico.pptx
 
Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10
Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10
Mod 10 combate a incêndios reciclagem nr10
 
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii Slides
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii SlidesSegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii Slides
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii Slides
 
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii Slides
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii SlidesSegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii Slides
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Iii Slides
 
APOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORAS
APOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORASAPOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORAS
APOSTILA BRIGADA - TREINAMENTO BÁSICO 4 HORAS
 
Brigada - Incendio.ppt
Brigada - Incendio.pptBrigada - Incendio.ppt
Brigada - Incendio.ppt
 
Incendio ronaldo dias
Incendio ronaldo diasIncendio ronaldo dias
Incendio ronaldo dias
 
2-Treinamento Brigada de Incêndio.ppt
2-Treinamento Brigada de Incêndio.ppt2-Treinamento Brigada de Incêndio.ppt
2-Treinamento Brigada de Incêndio.ppt
 
Segurança e medicina do trabalho aula5
Segurança e medicina do trabalho aula5Segurança e medicina do trabalho aula5
Segurança e medicina do trabalho aula5
 
SPEREIRA-BRIGADA incendio-COND.RESID..pptx
SPEREIRA-BRIGADA incendio-COND.RESID..pptxSPEREIRA-BRIGADA incendio-COND.RESID..pptx
SPEREIRA-BRIGADA incendio-COND.RESID..pptx
 
Combate a incendio
Combate a incendio Combate a incendio
Combate a incendio
 
Treinamento - Prevenção e combate a incêndio.pptx
Treinamento - Prevenção e combate a incêndio.pptxTreinamento - Prevenção e combate a incêndio.pptx
Treinamento - Prevenção e combate a incêndio.pptx
 
Brigada de Emergência (Oficial CLC) 2017/2018
Brigada de Emergência (Oficial CLC) 2017/2018Brigada de Emergência (Oficial CLC) 2017/2018
Brigada de Emergência (Oficial CLC) 2017/2018
 

Último

gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
Estuda.com
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Festa dos Finalistas .
Festa dos Finalistas                    .Festa dos Finalistas                    .
Festa dos Finalistas .
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
17 Coisas que seus alunos deveriam saber sobre TRI para melhorar sua nota no ...
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 

prevenoecombateaincndio-150827165846-lva1-app6891.pptx

  • 1. Prevenção e combate a incêndio Por Nestor W. Neto, Técnico em Segurança do Trabalho
  • 2. Introdução O pessoa de conhecimentos básicos objetivo desse treinamento é dotar a a respeito da prevenção (que é sempre o mais indicado) e combate a incêndio. Saber utilizar os equipamentos de combate a incêndio é muito importante. Extintores, hidrantes não fazem trabalho sozinho. É preciso ter pessoas preparadas para usá- los da forma correta.
  • 3. O uso do extintor de forma inadequada pode surtir o efeito inverso, ao invés de apagar poderá aumentar as chamas. Quem combate o fogo na empresa? Em algumas empresas existem as Brigadas de Incêndio ou os Bombeiros Civis, que são os especialistas nos uso, em outras, o SESMT deverá passar a CIPA e aos funcionários pelo menos uma noção básica. É importante que em todos os turno tenham Introdução
  • 4. Conhecendo o fogo ● Não tem como uma coisa combater que não conhecemos. ● Precisamos conhecer nosso inimigo, seus pontos fracos, para podermos atacar com a precisão e seriedade que a situação nos exigi.
  • 5. Fogo - definição Definir o fogo é mais complicado do que parece, aqui temos dois dos vários e conceitos disponíveis. Fogo = Reação química de oxidação, onde há liberação de luz e calor. Fogo = É tudo que queima, servindo como campo de ação e propagação das chamas.
  • 6. Elementos do fogo Para ocorrer o fogo é necessário que haja: - Calor; - Oxigênio; - Combustível. A união desses três elementos é o que conhecemos por triângulo do fogo, e na falta de algum desses elementos é impossível, que haja fogo.
  • 7. Quadrado do fogo? Hoje muito se fala em quadrado e tetraedro do fogo ,mas, como os métodos de extinção trabalham com os mesmos componentes do triângulo, preferimos focar nele (triângulo). Imagem: Júnior CBMMA
  • 9. Causas de incêndio ● Causas Naturais Quando o incêndio é originado em razão dos fenômenos da natureza, que agem por si só, completamente independentes da vontade humana. Exemplo: Raio que cai e dá início a um incêndio
  • 10. Causas de incêndio ● Causas Artificiais Quando o incêndio acontece pela ação direta do homem, ou poderia ser por ele evitado tomando-se as devidas medidas de precaução (atos inseguros ou condições de insegurança). Esses atos ou condições são:
  • 11. Causas de Artificiais Acidental - Quando o incêndio é proveniente do descuido do homem, muito embora ele não tenha intenção de provocar o acidente. Esta é a causa da maioria dos incêndios. Proposital - Quando o incêndio tem origem criminosa, ou seja, houve a intenção de alguém em provocar o incêndio.
  • 12. Formas de propagação do incêndio Condução É a transferência de calor diretamente no interior de um corpo ou através de corpos em contato. Esta transferência é feita de molécula a molécula sem que haja transporte da matéria de uma região para outra. É o processo pelo qual o calor se propaga da chama para a mão, através da barra de ferro ou um incêndio em edifício, a do incêndio, acontecerá pela calor pela estrutura metálica, no caso de propagação condução do Vigas.
  • 14. Formas de propagação do incêndio Convecção É a transferência do calor de um ponto para outro (feito por líquidos) ou de forma ascendente (feito por ar, fumaça e gases), através do transporte de calor dentro de massas fluidas. Em edificações verticalizadas essa é a principal forma de propagação, fazendo a comunicação do calor pelo interior da edificação através das escadas, condutos de ventilação, poço dos elevadores, etc.
  • 15. Formas de propagação do incêndio Convecção Um exemplo de propagação em convecção aconteceu no Edifício Joelma
  • 16. Formas de propagação do incêndio Irradiação É a emissão continua de calor, que é uma forma de energia, denominada ondas calorífica, sob a forma de radiação, essencialmente no espectro do infravermelho, que se propaga em todas as direções através do espaço sem a necessidade de suporte material. A intensidade com que os corpos são atingidos aumenta ou diminui proporcionalmente a distancia do corpo e a fonte irradiadora.
  • 17. Formas de propagação do incêndio Irradiação
  • 18. Classes de incêndio CLASSE “A”: São materiais de fácil combustão, queimam tanto na superfície como em profundidade, deixando resíduos. Ex.: madeira, papel, etc. CLASSE “B”: São queimam somente os produtos que na superfície. Ex.: gasolina, óleos, graxas, etc.
  • 19. CLASSE “C”: Ocorre em equipamentos elétricos energizados. Ex: motores, quadros de distribuição, etc. CLASSE “D”: Ocorre em materiais pirofóricos como magnésio, zircônio, titânio, etc. Classes de incêndio
  • 20. Tipos de extintores a respectiva classe e tipo de incêndio.
  • 21. Tipos de extintores: Para incêndios de classe A O eficiente é o extintor de água. Pode-se usar também o extintor de pó químico e c0² porém não é eficiente para esse tipo de incêndio. Pois esses agentes não conseguem penetrar no material que está queimando
  • 22. Para classe B O indicado é o Pó químico (Bicarbonato de Sódio). Nesse caso nunca deve ser usado o extintor de água, pois ele pode aumentar o as chamas. Nesse tipo de incêndio o c0² não é eficiente.
  • 23. ● Para classe C (CO²)Gás carbono Pode ser usado também o pó químico, mas seu uso pode estragar os equipamentos. Após desligar a rede elétrica poderá usar também o extintor com carga de água.
  • 24. ● Para classe D A base de Cloreto de Sódio. O incêndio é extinto pelo isolamento entre o metal e a atmosfera.
  • 25. Conhecendo o extintor ● Extintores de equipamentos incêndio indicados são para controlar princípio de incêndio. Tal limitação se deve ao fato de ter carga de produto reduzida. Isso acontece por causa do tamanho do extintor. E exatamente por isso a prevenção é sempre o mais recomendado.
  • 26. Conhecendo o extintor por dentro - Mangueira; Serve como passagem para o agente extintor. - Presurizante; Serve para expulsar o agente extintor do recipiente.
  • 27. Conhecendo o extintor por dentro - Sifão ou Pescador; Conduz a agente extintor desde o interior do recipiente para a válvula de descarga - Agente extintor; É o produto químico ou água que apaga o fogo.
  • 28. Conhecendo o extintor por dentro - Recipiente; Serve para armazenar o agente extintor. - Base; Serve para apoiar o extintor, para assim, mantê-lo em pé.
  • 29. Conhecendo o extintor por fora -Manômetro; Serve para medir a quantidade de produto no extintor - Pino de segurança; Serve para travar o gatilho do extintor.
  • 30. Conhecendo o extintor por fora - Alavanca; Serve para dar apoio á pressão no gatilho. - Gatilho; Serve para acionar o extintor.
  • 31. Conhecendo o extintor por fora ● Pintura; Normalmente na cor vermelha. ● Selo do INMETRO; ● Anel de identificação; Serve para identificar a empresa que fez a recarga do extintor. Por isso, extintor novo não tem o anel. O anel em questão não pode apresentar rasuras ou deformações.
  • 32. Cuidados necessários ao extintor ● Os extintores devem ser instalados em local de grande movimentação e ficar sempre em local de fácil visualização. ● Devem ser instalados em altura não superior a 1.60 m. ● O cilindro deverá ter um adesivo com a logomarca do INMETRO.
  • 33. Cuidados gerais ● Não obstrua os extintores. ● Não obstrua o acesso aos extintores e nem os corredores de passagem de emergência. ● Se o lacre do extintor for rompido mesmo por acidente, recarregue o extintor. O lacre é a garantia de que o equipamento está apto para uso.
  • 34. Como já vimos acima o fogo consiste em um triângulo. Todo combate a incêndio se baseia na retirada de um ou mais elementos do triângulo do fogo Para retirar algum elemento podemos usar esses métodos: Princípios de combate a incêndio
  • 35. ● Abafamento. ● Resfriamento. ● Isolamento. ● Rescaldo. Princípios de combate a incêndio
  • 36. Princípios de combate a incêndio ● Abafamento. Consiste em retirar o oxigênio do contato com o fogo. Método indicado: Extintores de CO², Pó químico, água ou mesmo terra.
  • 37. Princípios de combate a incêndio ● Resfriamento. Consiste em retirar o calor do fogo. Método indicado: Água e CO².
  • 38. Princípios de combate a incêndio ● Isolamento. Consiste em separar a parte que está queimando da que não está. Exemplo: Aceiro.
  • 39. ● Rescaldo. Conjunto das operações necessárias para completar a extinção do fogo, impedir a reignição e colocar o local em condições de segurança. Princípios de combate a incêndio
  • 40. Como usar o extintor ● Procure um extintor apropriado para o tipo de incêndio, lembre-se das dicas acima; ● Pegue o extintor segurando-o na posição vertical; ● Rompa o lacre; ● Retire o pino de segurança;
  • 41. Como usar o extintor ● Posicione-se a uma distância segura, mas não fique longe das chamas, isso torna o combate ineficiente; ● Dirija o jato do o jato para a base (parte baixa do fogo), movimentos como se deve-se estivesse varrendo o fogo;
  • 42. Um combate mal sucedido ● Veja aqui um exemplo de combate a incêndio mal sucedido. Talvez o fato do combatente ter ficado muito distante do fogo tenha causado o fracasso. 1º 2º
  • 43. ● Felizmente nesse caso o prejuízo foi apenas material. 3º 4º Um combate mal sucedido
  • 44. Como usar o hidrante Verifique o tipo de incêndio, lembre-se das dicas acima. O ideal é trabalhar sempre com mais de uma pessoa, mas, se só tiver uma dá para usá-lo. Mas, irá requerer esforço extra. ● Desligue a rede de energia elétrica.
  • 45. Como usar o hidrante - Abra a caixa de hidrante. - Conecte a mangueira - Conecte o bico da mangueira; - Segure o bico da mangueira de maneira firme. Abra um pouco as pernas para aumentar o apoio;
  • 46. Como usar o hidrante Como já dissemos o ideal é trabalho pelo menos em dupla, para que nessa hora a outra pessoa abra o registro. Abra o registro e combata o fogo. Se o bico do hidrante tiver regulagem pode optar por jato neblinado ou jato compacto. Estude a situação e faça sua escolha.
  • 47. Chuveiros automáticos (sprinklers) ● Os chuveiros automáticos são dispositivos com elemento termo-sensível projetados para serem acionados em temperaturas pré- determinadas, lançando automaticamente água sob a forma de aspersão sobre determinada área, com vazão e pressão especificados, para controlar ou extinguir um foco de incêndio. Imagem WB Tecnologia
  • 48. ● Os chuveiros automáticos ou sprinklers são compostos basicamente pelos seguintes componentes: ● Corpo: parte do chuveiro automático que contém rosca, para fixação na tubulação, braços e orifícios de descarga, e serve como suporte dos demais componentes; Chuveiros automáticos (sprinklers)
  • 49. ● Defletor: componente destinado a quebrar o jato sólido, de modo a distribuir a água, segundo padrões estabelecidos nas normas brasileiras; ● Obturador: componente destinado à vedação do orifício de descarga nos chuveiros automáticos e que também atua como base para o elemento termo-sensível tipo bulbo de vidro; Chuveiros automáticos (sprinklers) Imagem WB Tecnologia
  • 50. ● Elemento Termo-Sensível: componente destinado a liberar o obturador por efeito da elevação da temperatura de operação e com isso fazer a água fluir contra o foco de incêndio. ● Os elementos termo-sensíveis podem ser do tipo ampola de vidro ou fusíveis de liga metálica. Imagem WB Tecnologia Chuveiros automáticos (sprinklers)
  • 51. Importante Não abandone o local do incêndio até ter certeza de que não se reiniciará. Muitas vezes basta alguns minutos para o fogo recomeçar. Se for possível remova as cinzas para ver se realmente foi o fim das chamas. Mantenha os números de emergência em lugar de fácil visualização