SlideShare uma empresa Scribd logo
PROVA DE REUMATOLOGIA - SUBSTITUTIVA DO SEGUNDO BIMESTRE
1- Paciente do sexo masculino, 45 anos, obeso, hipertenso, diabético, e
usuário eventual de cerveja. Encaminhado ao ambulatório de
reumatologia com quadro de poliartrite intermitente de mãos, punhos,
pés, tornozelo e joelho D com evolução há 10 anos. Ao exame
apresenta tofos em cotovelos, e em segundo dedo da mão D.
1a) Cite 2 diagnósticos diferenciais.
1b) Cite 4 exames que você solicitaria para confirmação do diagnóstico
1c) Cite 2 causas de falência de tratamento
1d) Cite 2 complicações ao uso contínuo e abusivo de anti-inflamatório.
2- Paciente do sexo feminino, 43 anos, jornalista. Há 3 semanas apresenta
dificuldade progressiva para subir escadas, levantar sozinha de uma
cadeira sem apoio, e lavar e secar seu cabelo, associado a poliartrite de
mãos, pés e joelhos. Há 2 dias apresenta engasgos, regurgitação nasal
e tosse frequentes.
2a) Cite 2 diagnósticos diferenciais
2b) Cite 3 exames que você solicitaria para confirmação do diagnóstico
2c) Cite 2 lesões cutâneas características da dermatomiosite
2d)Cite a complicação infecciosa que pode ser evitada com a
instituição terapêutica imediata neste caso.
3- Mulher jovem de 23 anos refere ataques simétricos de intensa palidez
em quirodáctilos, de curta duração é seguido de cianose e
posteriormente de hiperemia. O quadro é desencadeado por ocasião de
temperaturas ambientes baixas ou stress. Ausência de sintomas
sugestivos de Doença do Tecido Conjuntivo. Ausência de cicatriz, ulcera
ou gangrena digital.
3a) Qual é o diagnóstico deste quadro?
3b)Neste caso qual o resultado que você espera da capilaroscopia?
3c) Qual o resultado do FAN (fator anti-nuclear) neste caso ? Citar o
padrão.
3d) Neste caso o que você espera do exame físico e das provas de
atividade inflamatória (PAI)?
4-Com relação ao laboratório em reumatologia citar as doenças que estão mais
relacionadas com a positividade dos seguintes exames:
4a) Anti-DNA nativo
4b) Fator Reumatóide
4c) Anti-Centrômero
4d) Anti-RNP
5- M.T. 62ª, branca, refere que há 2 meses vem apresentando febre
vespertina acompanhada de cefaleia, predominando na região temporal
direita ,intermitente, pulsátil. Queixa-se também de hipersensibilidade
do couro cabeludo ao toque ou ao escovar os cabelos na região direita
da cabeça. Desde então com perda ponderal não mensurada, fadiga,
sensação mal definida de doença, sudorese noturna e anorexia.
Apresenta também claudicação do masseter, que se manifesta após
alguns minutos de mastigação, e amaurose fugaz.
5a) Em 40 a 50% destes pacientes há superposição com qual doença?
5b) Quais as características clinicas com as quais essa doença que se
superpõe se manifesta?
5c) Qual a causa da perda visual mais frequente nestes casos? Citar
outras causas menos frequentes.
5d) Qual exame é considerado “padrão-ouro” para o diagnóstico da
doença em questão?

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Pr subs-2ºbi13 gab

PneumoniaComunitaria_Bernardo.pdf pneumonia adquirida na comunidade
PneumoniaComunitaria_Bernardo.pdf pneumonia adquirida na comunidadePneumoniaComunitaria_Bernardo.pdf pneumonia adquirida na comunidade
PneumoniaComunitaria_Bernardo.pdf pneumonia adquirida na comunidade
WevertRamaoCorreaDaS
 
Pr subs-2ºbi13
Pr subs-2ºbi13Pr subs-2ºbi13
Pr subs-2ºbi13
pauloalambert
 
apresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptxapresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptx
enfermeiraelainnechr
 
Prova de semiologia endocrina questoes respondidas
Prova de semiologia endocrina questoes respondidasProva de semiologia endocrina questoes respondidas
Prova de semiologia endocrina questoes respondidas
Edson Correa
 
ARTRITE REUMATÓIDE
ARTRITE REUMATÓIDEARTRITE REUMATÓIDE
ARTRITE REUMATÓIDE
pauloalambert
 
Arboviroses e Gestação: Vigilância em Saúde e Assistência
Arboviroses e Gestação: Vigilância em Saúde e AssistênciaArboviroses e Gestação: Vigilância em Saúde e Assistência
Arboviroses e Gestação: Vigilância em Saúde e Assistência
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Zika Virus O que sabemos ate agora
Zika Virus  O que sabemos ate agoraZika Virus  O que sabemos ate agora
Zika Virus O que sabemos ate agora
Alexandre Naime Barbosa
 
Dengue Casos Clínicos - Professor Robson
Dengue Casos Clínicos - Professor RobsonDengue Casos Clínicos - Professor Robson
Dengue Casos Clínicos - Professor Robson
Professor Robson
 
30 casos
30 casos30 casos
30 casos
pauloalambert
 
Aula teórico pratica les
Aula teórico pratica lesAula teórico pratica les
Aula teórico pratica les
Cidalia Aguiar
 
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de CasoLAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
Enfº Ícaro Araújo
 
30 casos
30 casos30 casos
30 casos
pauloalambert
 
30 casos
30 casos30 casos
30 casos
pauloalambert
 
30 casos
30 casos30 casos
30 casos
pauloalambert
 
30 casos
30 casos30 casos
30 casos
pauloalambert
 
Casos clinicos dengue
Casos clinicos dengueCasos clinicos dengue
Casos clinicos dengue
Anna de Melo
 
Uso Racional Antibioticos Idosos
Uso Racional Antibioticos IdososUso Racional Antibioticos Idosos
Uso Racional Antibioticos Idosos
Alexandre Naime Barbosa
 
Sessão clinica 16 julho
Sessão clinica   16 julhoSessão clinica   16 julho
Sessão clinica 16 julho
janinemagalhaes
 
Microcephaly and Zika in Brazil
Microcephaly and Zika in BrazilMicrocephaly and Zika in Brazil
Microcephaly and Zika in Brazil
Patricia Garcez
 
1 - Anamnese e historia clínica.pdf
1 - Anamnese e historia clínica.pdf1 - Anamnese e historia clínica.pdf
1 - Anamnese e historia clínica.pdf
Marcio Domingues
 

Semelhante a Pr subs-2ºbi13 gab (20)

PneumoniaComunitaria_Bernardo.pdf pneumonia adquirida na comunidade
PneumoniaComunitaria_Bernardo.pdf pneumonia adquirida na comunidadePneumoniaComunitaria_Bernardo.pdf pneumonia adquirida na comunidade
PneumoniaComunitaria_Bernardo.pdf pneumonia adquirida na comunidade
 
Pr subs-2ºbi13
Pr subs-2ºbi13Pr subs-2ºbi13
Pr subs-2ºbi13
 
apresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptxapresentação estudo de caso LUZA.pptx
apresentação estudo de caso LUZA.pptx
 
Prova de semiologia endocrina questoes respondidas
Prova de semiologia endocrina questoes respondidasProva de semiologia endocrina questoes respondidas
Prova de semiologia endocrina questoes respondidas
 
ARTRITE REUMATÓIDE
ARTRITE REUMATÓIDEARTRITE REUMATÓIDE
ARTRITE REUMATÓIDE
 
Arboviroses e Gestação: Vigilância em Saúde e Assistência
Arboviroses e Gestação: Vigilância em Saúde e AssistênciaArboviroses e Gestação: Vigilância em Saúde e Assistência
Arboviroses e Gestação: Vigilância em Saúde e Assistência
 
Zika Virus O que sabemos ate agora
Zika Virus  O que sabemos ate agoraZika Virus  O que sabemos ate agora
Zika Virus O que sabemos ate agora
 
Dengue Casos Clínicos - Professor Robson
Dengue Casos Clínicos - Professor RobsonDengue Casos Clínicos - Professor Robson
Dengue Casos Clínicos - Professor Robson
 
30 casos
30 casos30 casos
30 casos
 
Aula teórico pratica les
Aula teórico pratica lesAula teórico pratica les
Aula teórico pratica les
 
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de CasoLAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
 
30 casos
30 casos30 casos
30 casos
 
30 casos
30 casos30 casos
30 casos
 
30 casos
30 casos30 casos
30 casos
 
30 casos
30 casos30 casos
30 casos
 
Casos clinicos dengue
Casos clinicos dengueCasos clinicos dengue
Casos clinicos dengue
 
Uso Racional Antibioticos Idosos
Uso Racional Antibioticos IdososUso Racional Antibioticos Idosos
Uso Racional Antibioticos Idosos
 
Sessão clinica 16 julho
Sessão clinica   16 julhoSessão clinica   16 julho
Sessão clinica 16 julho
 
Microcephaly and Zika in Brazil
Microcephaly and Zika in BrazilMicrocephaly and Zika in Brazil
Microcephaly and Zika in Brazil
 
1 - Anamnese e historia clínica.pdf
1 - Anamnese e historia clínica.pdf1 - Anamnese e historia clínica.pdf
1 - Anamnese e historia clínica.pdf
 

Mais de pauloalambert

Dtp 16 21 sp
Dtp 16 21 spDtp 16 21 sp
Dtp 16 21 sp
pauloalambert
 
Dtp 15 21 sp
Dtp 15 21 spDtp 15 21 sp
Dtp 15 21 sp
pauloalambert
 
Dtp 14 21 sp
Dtp 14 21 spDtp 14 21 sp
Dtp 14 21 sp
pauloalambert
 
Dtp 13 21 sp
Dtp 13 21 spDtp 13 21 sp
Dtp 13 21 sp
pauloalambert
 
Dtp 12 21 sp
Dtp 12 21 spDtp 12 21 sp
Dtp 12 21 sp
pauloalambert
 
Dtp 11 21 sp
Dtp 11 21 spDtp 11 21 sp
Dtp 11 21 sp
pauloalambert
 
Dtp 10 21 sp
Dtp 10 21 spDtp 10 21 sp
Dtp 10 21 sp
pauloalambert
 
Dtp 09 21 sp
Dtp 09 21 spDtp 09 21 sp
Dtp 09 21 sp
pauloalambert
 
DTP 08 21 SP
DTP 08 21 SPDTP 08 21 SP
DTP 08 21 SP
pauloalambert
 
DTP 07 21
DTP 07 21DTP 07 21
DTP 07 21
pauloalambert
 
DTP 06 21 SP
DTP 06 21 SPDTP 06 21 SP
DTP 06 21 SP
pauloalambert
 
DTP 05 21 sp
DTP 05 21 spDTP 05 21 sp
DTP 05 21 sp
pauloalambert
 
DTP 0421
DTP 0421DTP 0421
DTP 0421
pauloalambert
 
DTP0321 SP
DTP0321 SPDTP0321 SP
DTP0321 SP
pauloalambert
 
DTP 0221
DTP 0221DTP 0221
DTP 0221
pauloalambert
 
DTP 0221
DTP 0221DTP 0221
DTP 0221
pauloalambert
 
DTP 0121 SP
DTP 0121 SPDTP 0121 SP
DTP 0121 SP
pauloalambert
 
Folha Cornell
Folha CornellFolha Cornell
Folha Cornell
pauloalambert
 
Sinais meningeos 20
Sinais meningeos 20Sinais meningeos 20
Sinais meningeos 20
pauloalambert
 
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAISANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
pauloalambert
 

Mais de pauloalambert (20)

Dtp 16 21 sp
Dtp 16 21 spDtp 16 21 sp
Dtp 16 21 sp
 
Dtp 15 21 sp
Dtp 15 21 spDtp 15 21 sp
Dtp 15 21 sp
 
Dtp 14 21 sp
Dtp 14 21 spDtp 14 21 sp
Dtp 14 21 sp
 
Dtp 13 21 sp
Dtp 13 21 spDtp 13 21 sp
Dtp 13 21 sp
 
Dtp 12 21 sp
Dtp 12 21 spDtp 12 21 sp
Dtp 12 21 sp
 
Dtp 11 21 sp
Dtp 11 21 spDtp 11 21 sp
Dtp 11 21 sp
 
Dtp 10 21 sp
Dtp 10 21 spDtp 10 21 sp
Dtp 10 21 sp
 
Dtp 09 21 sp
Dtp 09 21 spDtp 09 21 sp
Dtp 09 21 sp
 
DTP 08 21 SP
DTP 08 21 SPDTP 08 21 SP
DTP 08 21 SP
 
DTP 07 21
DTP 07 21DTP 07 21
DTP 07 21
 
DTP 06 21 SP
DTP 06 21 SPDTP 06 21 SP
DTP 06 21 SP
 
DTP 05 21 sp
DTP 05 21 spDTP 05 21 sp
DTP 05 21 sp
 
DTP 0421
DTP 0421DTP 0421
DTP 0421
 
DTP0321 SP
DTP0321 SPDTP0321 SP
DTP0321 SP
 
DTP 0221
DTP 0221DTP 0221
DTP 0221
 
DTP 0221
DTP 0221DTP 0221
DTP 0221
 
DTP 0121 SP
DTP 0121 SPDTP 0121 SP
DTP 0121 SP
 
Folha Cornell
Folha CornellFolha Cornell
Folha Cornell
 
Sinais meningeos 20
Sinais meningeos 20Sinais meningeos 20
Sinais meningeos 20
 
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAISANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDAIS
 

Pr subs-2ºbi13 gab

  • 1. PROVA DE REUMATOLOGIA - SUBSTITUTIVA DO SEGUNDO BIMESTRE 1- Paciente do sexo masculino, 45 anos, obeso, hipertenso, diabético, e usuário eventual de cerveja. Encaminhado ao ambulatório de reumatologia com quadro de poliartrite intermitente de mãos, punhos, pés, tornozelo e joelho D com evolução há 10 anos. Ao exame apresenta tofos em cotovelos, e em segundo dedo da mão D. 1a) Cite 2 diagnósticos diferenciais. 1b) Cite 4 exames que você solicitaria para confirmação do diagnóstico 1c) Cite 2 causas de falência de tratamento 1d) Cite 2 complicações ao uso contínuo e abusivo de anti-inflamatório. 2- Paciente do sexo feminino, 43 anos, jornalista. Há 3 semanas apresenta dificuldade progressiva para subir escadas, levantar sozinha de uma cadeira sem apoio, e lavar e secar seu cabelo, associado a poliartrite de mãos, pés e joelhos. Há 2 dias apresenta engasgos, regurgitação nasal e tosse frequentes. 2a) Cite 2 diagnósticos diferenciais 2b) Cite 3 exames que você solicitaria para confirmação do diagnóstico 2c) Cite 2 lesões cutâneas características da dermatomiosite 2d)Cite a complicação infecciosa que pode ser evitada com a instituição terapêutica imediata neste caso. 3- Mulher jovem de 23 anos refere ataques simétricos de intensa palidez em quirodáctilos, de curta duração é seguido de cianose e
  • 2. posteriormente de hiperemia. O quadro é desencadeado por ocasião de temperaturas ambientes baixas ou stress. Ausência de sintomas sugestivos de Doença do Tecido Conjuntivo. Ausência de cicatriz, ulcera ou gangrena digital. 3a) Qual é o diagnóstico deste quadro? 3b)Neste caso qual o resultado que você espera da capilaroscopia? 3c) Qual o resultado do FAN (fator anti-nuclear) neste caso ? Citar o padrão. 3d) Neste caso o que você espera do exame físico e das provas de atividade inflamatória (PAI)? 4-Com relação ao laboratório em reumatologia citar as doenças que estão mais relacionadas com a positividade dos seguintes exames: 4a) Anti-DNA nativo 4b) Fator Reumatóide 4c) Anti-Centrômero 4d) Anti-RNP 5- M.T. 62ª, branca, refere que há 2 meses vem apresentando febre vespertina acompanhada de cefaleia, predominando na região temporal direita ,intermitente, pulsátil. Queixa-se também de hipersensibilidade do couro cabeludo ao toque ou ao escovar os cabelos na região direita da cabeça. Desde então com perda ponderal não mensurada, fadiga, sensação mal definida de doença, sudorese noturna e anorexia. Apresenta também claudicação do masseter, que se manifesta após alguns minutos de mastigação, e amaurose fugaz.
  • 3. 5a) Em 40 a 50% destes pacientes há superposição com qual doença? 5b) Quais as características clinicas com as quais essa doença que se superpõe se manifesta? 5c) Qual a causa da perda visual mais frequente nestes casos? Citar outras causas menos frequentes. 5d) Qual exame é considerado “padrão-ouro” para o diagnóstico da doença em questão?