SlideShare uma empresa Scribd logo
Vacina
 Inativada
Poliomielite
    VIP
Vacina Inativada Poliomielite


                     Recomenda para os países da região das Américas:

 Continuar utilizando a VOP até a completa certificação mundial de erradicação da doença;
 Os que utilizam somente a VIP em seus esquemas regulares de vacinação devem utilizá-la
apenas se cumprirem plenamente os requisitos mínimos recomendados pela OMS e Opas;
 Os países que estão considerando o uso da VIP antes que seja alcançada a erradicação
mundial da poliomielite devem utilizar esquemas sequenciais que incluam a VOP e ou
realizar campanhas com VOP;
 Os países que não alcançarem coberturas vacinais iguais ou superiores a 95% em todos os
municípios devem fazer campanhas anuais de vacinação com VOP para a população-alvo de
crianças menores de cinco anos de idade, independentemente do estado vacinal;
 Os países devem manter os padrões de certificação para a vigilância das paralisias
flácidas agudas – PFA (em conformidade com as metas estabelecidas pela OPAS/OMS para os
indicadores de qualidade da vigilância).
Vacina Inativada Poliomielite




   “Vacina Salk", - VIP é constituída por cepas inativadas (mortas) dos
                     três tipos (1, 2 e 3) de poliovírus


        VACINA                                            COMPOSIÇÃO
                      - Poliovírus inativados do tipo I.....40 unidades de antígeno UD*
                      - Poliovírus inativados do tipo II....8 unidades de antígeno UD*
                      -Poliovírus inativados do tipo III...32 unidades de antígeno UD*
Vacina Inativada da
                      Excipientes: 2-fenoxietanol, formaldeído, meio Hanks 199, ácido clorídrico ou
poliomielite          hidróxido de sódio (para ajuste de pH).
Solução injetável     *UD – Unidade de Antígeno-D de acordo com a OMS ou quantidade antigênica
de 0,5 mL             equivalente determinada por método imunoquímico adequado.
                      A vacina também pode conter traços indetectáveis de neomicina, estreptomicina e
                      polimixina B, que são utilizados durante a sua produção. Os três tipos de poliovírus são
                      cultivados em células VERO.
Vacina Oral Atenuada - VOP




 •Contém os 3 sorotipos
• Cultivada em células Vero
• Contém neomicina e estreptomicina
• Altamente eficaz em induzir imunidade:
           50% imune após 1 dose
           95% imune após 3 doses



Pontos positivos
1- sem injeções
2- gera imunidade no sangue e no intestino
3- gera dispersão do vírus vacinal na natureza
  vírus vacinal liberado nas fezes por até 6 semanas
4- gera imunidade de longa duração (provavelmente vida toda)
Vacina Inativada Poliomielite



Esquema vacinal
                   Idade                                            Vacina
2 meses (idade mínima – 6 semanas)                  Vacina inativada poliomielite – VIP
4 meses (intervalo mínimo – 30 dias) *                                VIP
6 meses                                            Vacina oral poliomielite (atenuada) –
                                                                    VOP
15 meses                                                              VOP


                        Nos primeiros 6 meses de idade, o intervalo mínimo de 30 dias só é
                      recomendado se o indivíduo estiver sob risco iminente de exposição à
                     circulação viral (exemplos: viajantes a regiões endêmicas ou em surtos).



    A preferência para a administração da VIP aos 2 e 4 meses de idade tem a finalidade de
     evitar o risco, que é raríssimo, de paralisia associada à vacina, e as da VOP, manter a
   imunidade populacional (de rebanho) contra o risco potencial de introdução de poliovírus
      selvagem através de viajantes oriundos de localidades que ainda apresentam casos
                                   autóctones da poliomielite.
Vacina Inativada Poliomielite




A    VIP só deve ser administrada em criança a partir dos 2 meses de idade
que estiverem iniciando esquema vacinal;

    Se a criança tiver recebido como 1ª dose, na rotina de vacinação, a VOP, o
esquema será completado com VOP;

    Se a criança tiver recebido a 1ª dose e/ou 2ª dose de VIP, deverá seguir
esquema sequencial;

     Se a criança receber VIP aos 2 meses e por algum motivo receber VOP
aos 4 meses, o esquema será completado com VOP;
Vacina Inativada Poliomielite



Situações de adiamento para aplicação
•    as mesmas para as demais vacinas virais do calendário de
    vacinação

Uso simultâneo com outras vacinas
A vacina poliomielite 1, 2 e 3 (inativada) pode ser administrada simultaneamente
   com qualquer outra vacina recomendada pelo Programa Nacional de
   Imunizações. Em caso de
administração concomitante, devem ser utilizadas diferentes agulhas sersítios
                                    Vacinas injetáveis diferentes sempre devem e
   de administração.                 administradas em locais de injeção diferentes

                               •   Se mais de uma injeção for dada em um
                                   mesmo membro, devem ser administradas
                                   pelo menos a 2,5 centímetros de distância
                                   (American Academy of Pediatrics, 2003).
                               •   O local em que cada injeção for administrada
                                   deve ser observado nos registros do
                                   indivíduo, possibilitando a diferenciação de
                                   qualquer reação local.
Vacina Inativada Poliomielite


Via de aplicação e dose

A via de administração preferencial da VIP é a IM,

entretanto, a via subcutânea também pode ser usada, mas em
situações especiais (casos de discrasias sanguíneas).
O local de aplicação preferencial para injeção intramuscular em
bebês é o músculo vasto-lateral da coxa ou região ventroglútea e
para crianças maiores o músculo deltóide.
Conservação

▪ Temperaturas entre +2 e +8ºC;
▪ A vacina não pode ser congelada.
▪
  A vacina pode ser utilizada até 6 horas após aberta.
Vacina Inativada Poliomielite



Estudos de Eficácia
 Estudos mostraram que um mês após a vacinação primária (3 doses), os
níveis de soroproteção foram de100% para os poliovírus vacinais tipos 1 e 3 e
de 99% a 100% para o tipo 2.
 A resposta à vacina poliomielite 1, 2 e 3 (inativada) pode ser reduzida se a
pessoa estiver fazendo o uso de algum tratamento imunossupressor ou se o
paciente tiver alguma imunodeficiência. Nestes casos, recomenda-se o
adiamento da vacinação até o final do tratamento ou da doença.
 Em pacientes com imunodeficiências crônicas, como por
exemplo, em pacientes com HIV, a vacinação é recomendada mesmo que a
resposta a essa vacina seja limitada.
Vacina Inativada Poliomielite



Contra indicações
 Qualquer indivíduo portador de alergia grave (anafilaxia) a qualquer componente da
   vacina (estreptomicina, neomicina, e polimixina B)
 Qualquer pessoa que já apresentou quadro de reação alérgica grave a uma vacinação
   anterior com VIP


Falsas contra indicações
 Pessoas com quadro clínico de doenças respiratórias superiores leve a moderada, com ou
   sem febre baixa,
 Reação local a uma dose prévia da vacina,
 Terapia antimicrobiana atual
 Fase de convalescença de doença aguda.
 Amamentação - não interfere com o sucesso da imunização com a VIP.
 Criança com diarréia.
Vacina Inativada Poliomielite




                  Precauções

 Potencial risco de apneia: monitoramento da respiração de 24 a 72
horas devem ser considerados após a administração da vacina para
imunização primária de bebês prematuros (nascidos com menos de 28
semanas) e principalmente para aqueles com histórico de imaturidade
respiratória.
 Administração    com cuidado em pacientes com trombocitopenia, ou
problemas de coagulação, uma vez que pode haver sangramento nesses
pacientes.
Vacina Inativada Poliomielite




Eventos adversos

É uma vacina bem tolerada, licenciada em mais de 60 países
 Eventos adversos locais mais relatados
         √ Eritema: pode ocorrer em 0,5% a 1,5% dos menores vacinados;

         √ Enduração: ocorre em 3% a 11% dos vacinados;
         √ Hiperestesia ou sensibilidade local aumentada ao toque manual: de 14% a 29%
          dos vacinados.

 Eventos sistêmicos: febre moderada

 Eventos alérgicos: anafilaxia (rara)
Vacina Inativada Poliomielite


  Registro de doses administradas

                                         Esquema Sequencial
          Situação                            VIP/VOP                         Observação
Criança com 1ª ou 1ª e 2ª        Manter o esquema com a vacina           Criança não fará
doses com VOP                    VOP e digitar na caixa específica da    uso da vacina
                                 dose correspondente da vacina VOP       VIP.
Criança com esquema especial     Mantido o esquema com a vacina VIP      Criança não fará uso da
contra poliomielite              e digitar na caixa específica da dose   vacina VOP na D3 e
iniciado com a vacina VIP nos    correspondente da vacina VIP            Reforço, nem na
CRIE                                                                     campanha de vacinação
Criança que no momento da        Criança iniciará esquema seqüencial     Doses da vacina VOP
vacinação está com 2 meses de    VIP/VOP (D1 VIP) e será agendada as     administradas entre
idade e tem uma dose da VOP      demais doses do esquema (D2 VIP, D3     0 e <2 meses de idade
recebida entre 0 a <2 meses de   e REF VOP). As doses deverão ser        não serão consideradas
idade                            registradas na caixa específica do      para o esquema de
                                 esquema seqüencial VIP/VOP.             rotina.
Criança <1 ano iniciando o       Criança fará uso do esquema
esquema vacinal de rotina        sequencial VIP/VOP (D1 e D2 com
contra poliomielite              a VIP e D3 e REF com a VOP)
Vacina Inativada Poliomielite




     No caso de vacinação de crianças ≥5 anos de idade o registro deverá ocorrer nas grades
     e campos específicos das vacinas Poliomielite Oral (VOP) e Poliomielite Inativada (VIP).
       EX: Crianças SEM esquema para poliomielite:
                        ▪ < de 5 anos de idade vacinar a 1ª e 2ª dose com VIP, 3ª e reforço com VOP:
                         registrar no SI-API esquema sequencial VIP-VOP as doses correspondentes.
                         ▪ > de 5 anos de idade vacinar a 1ª e 2ª dose com VIP, 3ª e reforço com VOP:
                         registrar no SI-API, imunos especiais, vacina Inativada da poliomielite a
                          1ª e 2ª doses, e na vacina oral da poliomielite a 3ª dose e o reforço.
                             O esquema VIP-VOP esta disponível no SI-API para o registro de
                                          doses somente até 4 anos de idade


                  O esquema sequencial VIP-VOP pode ser oferecido para crianças < de 7 anos.
               Crianças > de 7 anos SEM dose anterior de vacina da POLIO receberá 3 doses de VIP
         (Intervalo mínimo da 1ª para 2ª dose – 1 mês; intervalo mínimo da 2ª para 3ª dose – 6 meses)¹.

¹ Pediatrics, Recommended Childhood and Adolescent Immunization Schedules .United states 2012. Committee on Infectious Diseases. February 6, 2012

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 3 -_doencas_infecciosas
Aula 3 -_doencas_infecciosasAula 3 -_doencas_infecciosas
Aula 3 -_doencas_infecciosas
Gustavo Henrique
 
MODELO DE BULA VACINA CONTRA FEBRE AMARELA Insert yf port
MODELO DE BULA VACINA CONTRA FEBRE AMARELA  Insert yf portMODELO DE BULA VACINA CONTRA FEBRE AMARELA  Insert yf port
MODELO DE BULA VACINA CONTRA FEBRE AMARELA Insert yf port
ELIAS OMEGA
 
Pp sobre imunização 2
Pp sobre imunização 2Pp sobre imunização 2
Pp sobre imunização 2
Norton Fontella
 
Aula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de ImunizacaoAula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de Imunizacao
Erivaldo Rosendo
 
Vacina triviral
Vacina triviralVacina triviral
Vacina triviral
Ariadne Diana
 
Calendário 2016 Vacinação Infantil EEEP
Calendário 2016 Vacinação Infantil EEEPCalendário 2016 Vacinação Infantil EEEP
Calendário 2016 Vacinação Infantil EEEP
WALFRIDO Farias Gomes
 
Vacinação 2017
Vacinação 2017Vacinação 2017
Vacinação 2017
Isadora Ribeiro
 
Técnicas de administração de vacinas 2016
Técnicas de administração de vacinas 2016Técnicas de administração de vacinas 2016
Técnicas de administração de vacinas 2016
imunizacao
 
Imunização
Imunização Imunização
Imunização
Ismael Costa
 
Manual proced vacinacao
Manual proced vacinacaoManual proced vacinacao
Manual proced vacinacao
Sergio Guimaraes
 
Esquema para profilaxia da raiva - Folder
Esquema para profilaxia da raiva - FolderEsquema para profilaxia da raiva - Folder
Esquema para profilaxia da raiva - Folder
Neuder Wesley
 
Cartilha imunizacao
Cartilha imunizacaoCartilha imunizacao
Cartilha imunizacao
karol_ribeiro
 
Aula 03 dr. eduardo jorge- imunização na mulher
Aula 03   dr. eduardo jorge- imunização na mulherAula 03   dr. eduardo jorge- imunização na mulher
Aula 03 dr. eduardo jorge- imunização na mulher
itgfiles
 
Vacinas aplicando uma vacina selecionada
Vacinas   aplicando uma vacina selecionadaVacinas   aplicando uma vacina selecionada
Vacinas aplicando uma vacina selecionada
Leonardo Alves
 
Pnv
PnvPnv
Apresentação Calendário Vacinal 2016
Apresentação Calendário Vacinal 2016Apresentação Calendário Vacinal 2016
Apresentação Calendário Vacinal 2016
imunizacao
 
2021.01.22 bula paciente--Butantan divulga bula da CoronaVac; saiba quem po...
2021.01.22   bula paciente--Butantan divulga bula da CoronaVac; saiba quem po...2021.01.22   bula paciente--Butantan divulga bula da CoronaVac; saiba quem po...
2021.01.22 bula paciente--Butantan divulga bula da CoronaVac; saiba quem po...
ELIAS OMEGA
 
Programa nacional de imunizacao pni-aula-nadja
Programa nacional de imunizacao pni-aula-nadjaPrograma nacional de imunizacao pni-aula-nadja
Programa nacional de imunizacao pni-aula-nadja
Nadja Salgueiro
 
Programa Nacional de Vacinação 2017
Programa Nacional de Vacinação 2017Programa Nacional de Vacinação 2017
Programa Nacional de Vacinação 2017
Mgfamiliar Net
 
IMUNIZAÇÃO - tudo o que voce sempre quis saber
IMUNIZAÇÃO - tudo o que voce sempre quis saberIMUNIZAÇÃO - tudo o que voce sempre quis saber
IMUNIZAÇÃO - tudo o que voce sempre quis saber
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Mais procurados (20)

Aula 3 -_doencas_infecciosas
Aula 3 -_doencas_infecciosasAula 3 -_doencas_infecciosas
Aula 3 -_doencas_infecciosas
 
MODELO DE BULA VACINA CONTRA FEBRE AMARELA Insert yf port
MODELO DE BULA VACINA CONTRA FEBRE AMARELA  Insert yf portMODELO DE BULA VACINA CONTRA FEBRE AMARELA  Insert yf port
MODELO DE BULA VACINA CONTRA FEBRE AMARELA Insert yf port
 
Pp sobre imunização 2
Pp sobre imunização 2Pp sobre imunização 2
Pp sobre imunização 2
 
Aula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de ImunizacaoAula Programa Nacional de Imunizacao
Aula Programa Nacional de Imunizacao
 
Vacina triviral
Vacina triviralVacina triviral
Vacina triviral
 
Calendário 2016 Vacinação Infantil EEEP
Calendário 2016 Vacinação Infantil EEEPCalendário 2016 Vacinação Infantil EEEP
Calendário 2016 Vacinação Infantil EEEP
 
Vacinação 2017
Vacinação 2017Vacinação 2017
Vacinação 2017
 
Técnicas de administração de vacinas 2016
Técnicas de administração de vacinas 2016Técnicas de administração de vacinas 2016
Técnicas de administração de vacinas 2016
 
Imunização
Imunização Imunização
Imunização
 
Manual proced vacinacao
Manual proced vacinacaoManual proced vacinacao
Manual proced vacinacao
 
Esquema para profilaxia da raiva - Folder
Esquema para profilaxia da raiva - FolderEsquema para profilaxia da raiva - Folder
Esquema para profilaxia da raiva - Folder
 
Cartilha imunizacao
Cartilha imunizacaoCartilha imunizacao
Cartilha imunizacao
 
Aula 03 dr. eduardo jorge- imunização na mulher
Aula 03   dr. eduardo jorge- imunização na mulherAula 03   dr. eduardo jorge- imunização na mulher
Aula 03 dr. eduardo jorge- imunização na mulher
 
Vacinas aplicando uma vacina selecionada
Vacinas   aplicando uma vacina selecionadaVacinas   aplicando uma vacina selecionada
Vacinas aplicando uma vacina selecionada
 
Pnv
PnvPnv
Pnv
 
Apresentação Calendário Vacinal 2016
Apresentação Calendário Vacinal 2016Apresentação Calendário Vacinal 2016
Apresentação Calendário Vacinal 2016
 
2021.01.22 bula paciente--Butantan divulga bula da CoronaVac; saiba quem po...
2021.01.22   bula paciente--Butantan divulga bula da CoronaVac; saiba quem po...2021.01.22   bula paciente--Butantan divulga bula da CoronaVac; saiba quem po...
2021.01.22 bula paciente--Butantan divulga bula da CoronaVac; saiba quem po...
 
Programa nacional de imunizacao pni-aula-nadja
Programa nacional de imunizacao pni-aula-nadjaPrograma nacional de imunizacao pni-aula-nadja
Programa nacional de imunizacao pni-aula-nadja
 
Programa Nacional de Vacinação 2017
Programa Nacional de Vacinação 2017Programa Nacional de Vacinação 2017
Programa Nacional de Vacinação 2017
 
IMUNIZAÇÃO - tudo o que voce sempre quis saber
IMUNIZAÇÃO - tudo o que voce sempre quis saberIMUNIZAÇÃO - tudo o que voce sempre quis saber
IMUNIZAÇÃO - tudo o que voce sempre quis saber
 

Semelhante a Polio inativada

Polio inativada
Polio inativadaPolio inativada
Polio inativada
Liene Campos
 
apresentao1vipevop2-140904003037-phpapp01.pdf
apresentao1vipevop2-140904003037-phpapp01.pdfapresentao1vipevop2-140904003037-phpapp01.pdf
apresentao1vipevop2-140904003037-phpapp01.pdf
AntonioBrunoRufinode
 
A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP)
A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP) A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP)
A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP)
Ana Paula Ribeiro da Fonseca Lopes
 
AB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (3).pdf
AB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (3).pdfAB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (3).pdf
AB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (3).pdf
arymurilo123
 
AB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (2).pdf
AB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (2).pdfAB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (2).pdf
AB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (2).pdf
arymurilo123
 
SaúDe Coletiva ImunizaçãO Parte 2
SaúDe Coletiva ImunizaçãO Parte 2SaúDe Coletiva ImunizaçãO Parte 2
SaúDe Coletiva ImunizaçãO Parte 2
Eduardo Gomes da Silva
 
Sp2 imunização - hupe
Sp2 imunização - hupeSp2 imunização - hupe
Sp2 imunização - hupe
Ismael Costa
 
vacina raiva (inativada) - Butantan.pdf
vacina raiva (inativada) - Butantan.pdfvacina raiva (inativada) - Butantan.pdf
vacina raiva (inativada) - Butantan.pdf
ssuser8658c3
 
Aula de imunização intensivo Estado
Aula de imunização intensivo EstadoAula de imunização intensivo Estado
Aula de imunização intensivo Estado
Ismael Costa
 
Curso de vacinas
Curso de vacinasCurso de vacinas
Curso de vacinas
Michelle Machado
 
Vacinas
Vacinas Vacinas
Vacinas
Júlia Moreira
 
Saladevacina 130912210756-phpapp01
Saladevacina 130912210756-phpapp01Saladevacina 130912210756-phpapp01
Saladevacina 130912210756-phpapp01
Kelly Praxedes
 
Mulher - 20 a 59 anos
Mulher - 20 a 59 anosMulher - 20 a 59 anos
Mulher - 20 a 59 anos
Otavio Soria
 
Bula Coronavac Instituto ButantannZqAapNkAtD0QdDPB7YvjgINpkYlui7K.pdf
Bula Coronavac Instituto ButantannZqAapNkAtD0QdDPB7YvjgINpkYlui7K.pdfBula Coronavac Instituto ButantannZqAapNkAtD0QdDPB7YvjgINpkYlui7K.pdf
Bula Coronavac Instituto ButantannZqAapNkAtD0QdDPB7YvjgINpkYlui7K.pdf
ELIAS OMEGA
 
Calend vac-pacientes-especiais-2015-2016-150915-bx
Calend vac-pacientes-especiais-2015-2016-150915-bxCalend vac-pacientes-especiais-2015-2016-150915-bx
Calend vac-pacientes-especiais-2015-2016-150915-bx
sofiatech
 
Bula Sinovac-Butantan
Bula Sinovac-ButantanBula Sinovac-Butantan
Bula Sinovac-Butantan
Lia Prado
 
5° PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO.pptx
5° PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO.pptx5° PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO.pptx
5° PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO.pptx
WagnerSantos729263
 
AULA 2 - Programa Nacional de Imunização (PNI).pdf
AULA 2 - Programa Nacional de Imunização (PNI).pdfAULA 2 - Programa Nacional de Imunização (PNI).pdf
AULA 2 - Programa Nacional de Imunização (PNI).pdf
AlefySantos2
 
PAV-Actualizado.pptx
PAV-Actualizado.pptxPAV-Actualizado.pptx
PAV-Actualizado.pptx
Estevao Ualane/ Assuntos Medicos
 
Calendário SBIM
Calendário SBIMCalendário SBIM
Calendário SBIM
Fabricio Batistoni
 

Semelhante a Polio inativada (20)

Polio inativada
Polio inativadaPolio inativada
Polio inativada
 
apresentao1vipevop2-140904003037-phpapp01.pdf
apresentao1vipevop2-140904003037-phpapp01.pdfapresentao1vipevop2-140904003037-phpapp01.pdf
apresentao1vipevop2-140904003037-phpapp01.pdf
 
A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP)
A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP) A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP)
A DOENÇA POLIOMIELITE: Vacinas (VIP) e (VOP)
 
AB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (3).pdf
AB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (3).pdfAB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (3).pdf
AB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (3).pdf
 
AB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (2).pdf
AB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (2).pdfAB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (2).pdf
AB 2018 IMUNIZAÇÃO dias 15,16 e 21 08 (2).pdf
 
SaúDe Coletiva ImunizaçãO Parte 2
SaúDe Coletiva ImunizaçãO Parte 2SaúDe Coletiva ImunizaçãO Parte 2
SaúDe Coletiva ImunizaçãO Parte 2
 
Sp2 imunização - hupe
Sp2 imunização - hupeSp2 imunização - hupe
Sp2 imunização - hupe
 
vacina raiva (inativada) - Butantan.pdf
vacina raiva (inativada) - Butantan.pdfvacina raiva (inativada) - Butantan.pdf
vacina raiva (inativada) - Butantan.pdf
 
Aula de imunização intensivo Estado
Aula de imunização intensivo EstadoAula de imunização intensivo Estado
Aula de imunização intensivo Estado
 
Curso de vacinas
Curso de vacinasCurso de vacinas
Curso de vacinas
 
Vacinas
Vacinas Vacinas
Vacinas
 
Saladevacina 130912210756-phpapp01
Saladevacina 130912210756-phpapp01Saladevacina 130912210756-phpapp01
Saladevacina 130912210756-phpapp01
 
Mulher - 20 a 59 anos
Mulher - 20 a 59 anosMulher - 20 a 59 anos
Mulher - 20 a 59 anos
 
Bula Coronavac Instituto ButantannZqAapNkAtD0QdDPB7YvjgINpkYlui7K.pdf
Bula Coronavac Instituto ButantannZqAapNkAtD0QdDPB7YvjgINpkYlui7K.pdfBula Coronavac Instituto ButantannZqAapNkAtD0QdDPB7YvjgINpkYlui7K.pdf
Bula Coronavac Instituto ButantannZqAapNkAtD0QdDPB7YvjgINpkYlui7K.pdf
 
Calend vac-pacientes-especiais-2015-2016-150915-bx
Calend vac-pacientes-especiais-2015-2016-150915-bxCalend vac-pacientes-especiais-2015-2016-150915-bx
Calend vac-pacientes-especiais-2015-2016-150915-bx
 
Bula Sinovac-Butantan
Bula Sinovac-ButantanBula Sinovac-Butantan
Bula Sinovac-Butantan
 
5° PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO.pptx
5° PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO.pptx5° PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO.pptx
5° PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO.pptx
 
AULA 2 - Programa Nacional de Imunização (PNI).pdf
AULA 2 - Programa Nacional de Imunização (PNI).pdfAULA 2 - Programa Nacional de Imunização (PNI).pdf
AULA 2 - Programa Nacional de Imunização (PNI).pdf
 
PAV-Actualizado.pptx
PAV-Actualizado.pptxPAV-Actualizado.pptx
PAV-Actualizado.pptx
 
Calendário SBIM
Calendário SBIMCalendário SBIM
Calendário SBIM
 

Mais de Liene Campos

Vigilância sanitária e embelezamento
Vigilância sanitária e embelezamentoVigilância sanitária e embelezamento
Vigilância sanitária e embelezamento
Liene Campos
 
A mulher trabalhadora no contexto das relações de
A mulher trabalhadora no contexto das relações deA mulher trabalhadora no contexto das relações de
A mulher trabalhadora no contexto das relações de
Liene Campos
 
Programa saude e bem estar seminario para slide share
Programa saude e bem estar seminario  para slide sharePrograma saude e bem estar seminario  para slide share
Programa saude e bem estar seminario para slide share
Liene Campos
 
Programa saude e bem estar seminario
Programa saude e bem estar seminarioPrograma saude e bem estar seminario
Programa saude e bem estar seminario
Liene Campos
 
A importancia da auto estima na mulher graça
A importancia da auto estima na mulher  graçaA importancia da auto estima na mulher  graça
A importancia da auto estima na mulher graça
Liene Campos
 
A mulher trabalhadora no contexto das relações de
A mulher trabalhadora no contexto das relações deA mulher trabalhadora no contexto das relações de
A mulher trabalhadora no contexto das relações de
Liene Campos
 
Apresentação seminário
Apresentação seminárioApresentação seminário
Apresentação seminário
Liene Campos
 
Renato correa controle social
Renato correa   controle socialRenato correa   controle social
Renato correa controle social
Liene Campos
 
Renato correa controle social
Renato correa   controle socialRenato correa   controle social
Renato correa controle social
Liene Campos
 
Apresentação seminário
Apresentação seminárioApresentação seminário
Apresentação seminário
Liene Campos
 
Nutr. silvia aleitamento materno
Nutr. silvia   aleitamento maternoNutr. silvia   aleitamento materno
Nutr. silvia aleitamento materno
Liene Campos
 
Renato correa controle social
Renato correa   controle socialRenato correa   controle social
Renato correa controle social
Liene Campos
 
Apresentação multivacinação
Apresentação multivacinaçãoApresentação multivacinação
Apresentação multivacinação
Liene Campos
 
Reuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robert
Reuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robertReuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robert
Reuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robert
Liene Campos
 
Esquema de vacinacao adolescente (1)
Esquema de vacinacao adolescente (1)Esquema de vacinacao adolescente (1)
Esquema de vacinacao adolescente (1)
Liene Campos
 
Atenção ao recém nascido prematuro de risco em uruguaiana versão3
Atenção ao recém nascido prematuro de risco em uruguaiana versão3Atenção ao recém nascido prematuro de risco em uruguaiana versão3
Atenção ao recém nascido prematuro de risco em uruguaiana versão3
Liene Campos
 
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestraAtendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
Liene Campos
 
Apresentação multivacinação
Apresentação multivacinaçãoApresentação multivacinação
Apresentação multivacinação
Liene Campos
 
Apresentação seminário
Apresentação seminárioApresentação seminário
Apresentação seminário
Liene Campos
 
Reuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robert
Reuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robertReuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robert
Reuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robert
Liene Campos
 

Mais de Liene Campos (20)

Vigilância sanitária e embelezamento
Vigilância sanitária e embelezamentoVigilância sanitária e embelezamento
Vigilância sanitária e embelezamento
 
A mulher trabalhadora no contexto das relações de
A mulher trabalhadora no contexto das relações deA mulher trabalhadora no contexto das relações de
A mulher trabalhadora no contexto das relações de
 
Programa saude e bem estar seminario para slide share
Programa saude e bem estar seminario  para slide sharePrograma saude e bem estar seminario  para slide share
Programa saude e bem estar seminario para slide share
 
Programa saude e bem estar seminario
Programa saude e bem estar seminarioPrograma saude e bem estar seminario
Programa saude e bem estar seminario
 
A importancia da auto estima na mulher graça
A importancia da auto estima na mulher  graçaA importancia da auto estima na mulher  graça
A importancia da auto estima na mulher graça
 
A mulher trabalhadora no contexto das relações de
A mulher trabalhadora no contexto das relações deA mulher trabalhadora no contexto das relações de
A mulher trabalhadora no contexto das relações de
 
Apresentação seminário
Apresentação seminárioApresentação seminário
Apresentação seminário
 
Renato correa controle social
Renato correa   controle socialRenato correa   controle social
Renato correa controle social
 
Renato correa controle social
Renato correa   controle socialRenato correa   controle social
Renato correa controle social
 
Apresentação seminário
Apresentação seminárioApresentação seminário
Apresentação seminário
 
Nutr. silvia aleitamento materno
Nutr. silvia   aleitamento maternoNutr. silvia   aleitamento materno
Nutr. silvia aleitamento materno
 
Renato correa controle social
Renato correa   controle socialRenato correa   controle social
Renato correa controle social
 
Apresentação multivacinação
Apresentação multivacinaçãoApresentação multivacinação
Apresentação multivacinação
 
Reuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robert
Reuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robertReuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robert
Reuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robert
 
Esquema de vacinacao adolescente (1)
Esquema de vacinacao adolescente (1)Esquema de vacinacao adolescente (1)
Esquema de vacinacao adolescente (1)
 
Atenção ao recém nascido prematuro de risco em uruguaiana versão3
Atenção ao recém nascido prematuro de risco em uruguaiana versão3Atenção ao recém nascido prematuro de risco em uruguaiana versão3
Atenção ao recém nascido prematuro de risco em uruguaiana versão3
 
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestraAtendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
Atendimento eficaz ao clente sec.saúde palestra
 
Apresentação multivacinação
Apresentação multivacinaçãoApresentação multivacinação
Apresentação multivacinação
 
Apresentação seminário
Apresentação seminárioApresentação seminário
Apresentação seminário
 
Reuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robert
Reuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robertReuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robert
Reuniao vacaria 12 jul 2012 c. mamo robert
 

Polio inativada

  • 2. Vacina Inativada Poliomielite Recomenda para os países da região das Américas:  Continuar utilizando a VOP até a completa certificação mundial de erradicação da doença;  Os que utilizam somente a VIP em seus esquemas regulares de vacinação devem utilizá-la apenas se cumprirem plenamente os requisitos mínimos recomendados pela OMS e Opas;  Os países que estão considerando o uso da VIP antes que seja alcançada a erradicação mundial da poliomielite devem utilizar esquemas sequenciais que incluam a VOP e ou realizar campanhas com VOP;  Os países que não alcançarem coberturas vacinais iguais ou superiores a 95% em todos os municípios devem fazer campanhas anuais de vacinação com VOP para a população-alvo de crianças menores de cinco anos de idade, independentemente do estado vacinal;  Os países devem manter os padrões de certificação para a vigilância das paralisias flácidas agudas – PFA (em conformidade com as metas estabelecidas pela OPAS/OMS para os indicadores de qualidade da vigilância).
  • 3. Vacina Inativada Poliomielite “Vacina Salk", - VIP é constituída por cepas inativadas (mortas) dos três tipos (1, 2 e 3) de poliovírus VACINA COMPOSIÇÃO - Poliovírus inativados do tipo I.....40 unidades de antígeno UD* - Poliovírus inativados do tipo II....8 unidades de antígeno UD* -Poliovírus inativados do tipo III...32 unidades de antígeno UD* Vacina Inativada da Excipientes: 2-fenoxietanol, formaldeído, meio Hanks 199, ácido clorídrico ou poliomielite hidróxido de sódio (para ajuste de pH). Solução injetável *UD – Unidade de Antígeno-D de acordo com a OMS ou quantidade antigênica de 0,5 mL equivalente determinada por método imunoquímico adequado. A vacina também pode conter traços indetectáveis de neomicina, estreptomicina e polimixina B, que são utilizados durante a sua produção. Os três tipos de poliovírus são cultivados em células VERO.
  • 4. Vacina Oral Atenuada - VOP •Contém os 3 sorotipos • Cultivada em células Vero • Contém neomicina e estreptomicina • Altamente eficaz em induzir imunidade: 50% imune após 1 dose 95% imune após 3 doses Pontos positivos 1- sem injeções 2- gera imunidade no sangue e no intestino 3- gera dispersão do vírus vacinal na natureza vírus vacinal liberado nas fezes por até 6 semanas 4- gera imunidade de longa duração (provavelmente vida toda)
  • 5. Vacina Inativada Poliomielite Esquema vacinal Idade Vacina 2 meses (idade mínima – 6 semanas) Vacina inativada poliomielite – VIP 4 meses (intervalo mínimo – 30 dias) * VIP 6 meses Vacina oral poliomielite (atenuada) – VOP 15 meses VOP Nos primeiros 6 meses de idade, o intervalo mínimo de 30 dias só é recomendado se o indivíduo estiver sob risco iminente de exposição à circulação viral (exemplos: viajantes a regiões endêmicas ou em surtos). A preferência para a administração da VIP aos 2 e 4 meses de idade tem a finalidade de evitar o risco, que é raríssimo, de paralisia associada à vacina, e as da VOP, manter a imunidade populacional (de rebanho) contra o risco potencial de introdução de poliovírus selvagem através de viajantes oriundos de localidades que ainda apresentam casos autóctones da poliomielite.
  • 6. Vacina Inativada Poliomielite A VIP só deve ser administrada em criança a partir dos 2 meses de idade que estiverem iniciando esquema vacinal; Se a criança tiver recebido como 1ª dose, na rotina de vacinação, a VOP, o esquema será completado com VOP; Se a criança tiver recebido a 1ª dose e/ou 2ª dose de VIP, deverá seguir esquema sequencial; Se a criança receber VIP aos 2 meses e por algum motivo receber VOP aos 4 meses, o esquema será completado com VOP;
  • 7. Vacina Inativada Poliomielite Situações de adiamento para aplicação • as mesmas para as demais vacinas virais do calendário de vacinação Uso simultâneo com outras vacinas A vacina poliomielite 1, 2 e 3 (inativada) pode ser administrada simultaneamente com qualquer outra vacina recomendada pelo Programa Nacional de Imunizações. Em caso de administração concomitante, devem ser utilizadas diferentes agulhas sersítios Vacinas injetáveis diferentes sempre devem e de administração. administradas em locais de injeção diferentes • Se mais de uma injeção for dada em um mesmo membro, devem ser administradas pelo menos a 2,5 centímetros de distância (American Academy of Pediatrics, 2003). • O local em que cada injeção for administrada deve ser observado nos registros do indivíduo, possibilitando a diferenciação de qualquer reação local.
  • 8. Vacina Inativada Poliomielite Via de aplicação e dose A via de administração preferencial da VIP é a IM, entretanto, a via subcutânea também pode ser usada, mas em situações especiais (casos de discrasias sanguíneas). O local de aplicação preferencial para injeção intramuscular em bebês é o músculo vasto-lateral da coxa ou região ventroglútea e para crianças maiores o músculo deltóide. Conservação ▪ Temperaturas entre +2 e +8ºC; ▪ A vacina não pode ser congelada. ▪ A vacina pode ser utilizada até 6 horas após aberta.
  • 9. Vacina Inativada Poliomielite Estudos de Eficácia  Estudos mostraram que um mês após a vacinação primária (3 doses), os níveis de soroproteção foram de100% para os poliovírus vacinais tipos 1 e 3 e de 99% a 100% para o tipo 2.  A resposta à vacina poliomielite 1, 2 e 3 (inativada) pode ser reduzida se a pessoa estiver fazendo o uso de algum tratamento imunossupressor ou se o paciente tiver alguma imunodeficiência. Nestes casos, recomenda-se o adiamento da vacinação até o final do tratamento ou da doença.  Em pacientes com imunodeficiências crônicas, como por exemplo, em pacientes com HIV, a vacinação é recomendada mesmo que a resposta a essa vacina seja limitada.
  • 10. Vacina Inativada Poliomielite Contra indicações  Qualquer indivíduo portador de alergia grave (anafilaxia) a qualquer componente da vacina (estreptomicina, neomicina, e polimixina B)  Qualquer pessoa que já apresentou quadro de reação alérgica grave a uma vacinação anterior com VIP Falsas contra indicações  Pessoas com quadro clínico de doenças respiratórias superiores leve a moderada, com ou sem febre baixa,  Reação local a uma dose prévia da vacina,  Terapia antimicrobiana atual  Fase de convalescença de doença aguda.  Amamentação - não interfere com o sucesso da imunização com a VIP.  Criança com diarréia.
  • 11. Vacina Inativada Poliomielite Precauções  Potencial risco de apneia: monitoramento da respiração de 24 a 72 horas devem ser considerados após a administração da vacina para imunização primária de bebês prematuros (nascidos com menos de 28 semanas) e principalmente para aqueles com histórico de imaturidade respiratória.  Administração com cuidado em pacientes com trombocitopenia, ou problemas de coagulação, uma vez que pode haver sangramento nesses pacientes.
  • 12. Vacina Inativada Poliomielite Eventos adversos É uma vacina bem tolerada, licenciada em mais de 60 países  Eventos adversos locais mais relatados √ Eritema: pode ocorrer em 0,5% a 1,5% dos menores vacinados; √ Enduração: ocorre em 3% a 11% dos vacinados; √ Hiperestesia ou sensibilidade local aumentada ao toque manual: de 14% a 29% dos vacinados.  Eventos sistêmicos: febre moderada  Eventos alérgicos: anafilaxia (rara)
  • 13. Vacina Inativada Poliomielite Registro de doses administradas Esquema Sequencial Situação VIP/VOP Observação Criança com 1ª ou 1ª e 2ª Manter o esquema com a vacina Criança não fará doses com VOP VOP e digitar na caixa específica da uso da vacina dose correspondente da vacina VOP VIP. Criança com esquema especial Mantido o esquema com a vacina VIP Criança não fará uso da contra poliomielite e digitar na caixa específica da dose vacina VOP na D3 e iniciado com a vacina VIP nos correspondente da vacina VIP Reforço, nem na CRIE campanha de vacinação Criança que no momento da Criança iniciará esquema seqüencial Doses da vacina VOP vacinação está com 2 meses de VIP/VOP (D1 VIP) e será agendada as administradas entre idade e tem uma dose da VOP demais doses do esquema (D2 VIP, D3 0 e <2 meses de idade recebida entre 0 a <2 meses de e REF VOP). As doses deverão ser não serão consideradas idade registradas na caixa específica do para o esquema de esquema seqüencial VIP/VOP. rotina. Criança <1 ano iniciando o Criança fará uso do esquema esquema vacinal de rotina sequencial VIP/VOP (D1 e D2 com contra poliomielite a VIP e D3 e REF com a VOP)
  • 14. Vacina Inativada Poliomielite No caso de vacinação de crianças ≥5 anos de idade o registro deverá ocorrer nas grades e campos específicos das vacinas Poliomielite Oral (VOP) e Poliomielite Inativada (VIP). EX: Crianças SEM esquema para poliomielite: ▪ < de 5 anos de idade vacinar a 1ª e 2ª dose com VIP, 3ª e reforço com VOP: registrar no SI-API esquema sequencial VIP-VOP as doses correspondentes. ▪ > de 5 anos de idade vacinar a 1ª e 2ª dose com VIP, 3ª e reforço com VOP: registrar no SI-API, imunos especiais, vacina Inativada da poliomielite a 1ª e 2ª doses, e na vacina oral da poliomielite a 3ª dose e o reforço. O esquema VIP-VOP esta disponível no SI-API para o registro de doses somente até 4 anos de idade O esquema sequencial VIP-VOP pode ser oferecido para crianças < de 7 anos. Crianças > de 7 anos SEM dose anterior de vacina da POLIO receberá 3 doses de VIP (Intervalo mínimo da 1ª para 2ª dose – 1 mês; intervalo mínimo da 2ª para 3ª dose – 6 meses)¹. ¹ Pediatrics, Recommended Childhood and Adolescent Immunization Schedules .United states 2012. Committee on Infectious Diseases. February 6, 2012