SlideShare uma empresa Scribd logo
CRIOULO DE CABO VERDE
Quem mi ê? Um fidje de Sanvcênte.
Nascide, crióde, lá na ponta d' Praia.
Lá ondê que mar tâ sparajá debóxe de bôte,
moda barra dum saia.
Cs' ê que m' crê? Cantá nha terra!
Companhal na sê dor;
na nôbréza d' sê alma;
na pobréza d' sê vida!
Sérgio Frusoni
Quen son eu? Un fillo de São Vicente.
nacido, criado, alá na Ponta da Praia.
Alá onde o mar se espreguiza debaixo dos botes,
como a barra dunha saia.
O que eu quero? Cantar a miña terra!
Acompañala na súa dor;
na nobreza da súa alma;
na pobreza da súa vida!
PATUÁ (DIALETO PORTUGUÊS DE MACAU)
Nôsso Macau, nómi sánto,
Vosôtro olá!
Qui ramendá unga jardim;
Fula fresco na tudo cánto
Sã pa ispantá.
Sai semeado, nom têm fim.
José Dos Santos Ferreira
Nossa Macau de nome santo,
Vede vós
Parece un xardín;
Por todos os cantos flores frescas
É de pasmar.
Saen semeadas sen fin.
LÍNGUA PORTUGUESA DE
TIMOR LESTE
Tata-Mailau
É o pico-avô da minha Ilha.
Subi muitas vezes aos seus três mil metros.
E foi no seu alto
Que meu sonho-menino construiu um navio.
Antes.
Ninguém tinha compreendido
Que a ilha
Não é terra isolada pelo mar.
Fernando Sylvan
KRIOL DE GUINÉ BISSAU
Bissau sukuru
Guiné fundu
Murgudjadu na kasabi
n na koba
bu na ntera
Paké nhá ermon
n punta?
si kaminhu i um son son
Odete Costa Semedo
Bissau é un enigma
Guiné é un misterio
mergullada nunha profunda angustia
eu a construír
e ti a destruíres
Por que, meu irmao
pregunto
se o camiño é único?
LINGUA PORTUGUESA
DE MOÇAMBIQUE
Acreditava naquela história
do homem que nunca
chora.
Eu julgava-me um homem.
Na adolescência
meus filmes de aventuras
punham-me muito longe de
ser cobarde
na arrogante criancice do
herói de ferro.
Agora tremo.
E agora choro.
Como um homem treme.
Como chora um homem!
José Craveirinha
LINGUA PORTUGUESA DE
ANGOLA
As horas caminham em espiral
lúgubres com(o)vidas
em calafrios urdidos
vultos à espreita sonegam.
iminentes.
o mundo grita seu cancro
em mil silêncios. cortantes.
de vidro e agonia.
Conceição Cristóvão
LINGUA PORTUGUESA
— Desliga a televisão — disse o pai.
— Vai lá para fora e vive a vida.
Fui e à noite vim
com uma abelha na orelha
um rato no sapato
cola na camisola
giz no nariz
gafanhotos nos bolsos rotos
um escaravelho no joelho
uma formiga na barriga
um leão pela mão
e atrás um camelo a puxar-me o cabelo.
— Não vás mais lá para fora — disse o pai.
— Liga a televisão.
Luísa Ducla Soares
LINGUA PORTUGUESA DO BRASIL
Sentes que o meu verso
Assim tão curto
É um universo?
Cláudio Murilo
FORRO CRIOULO DE
SAO TOMÉ E PRÍNCIPE
Maxibin Poçon tê lôpa
Homè d’ua lôpa tam
X’ê sôbê ê na’ka xê luá fá
Bixi sé sá lôpa cama.
Tomás Medeiros
Maxibim Poçon ten un traxe
É home dun traxe só
Se chove non sae da casa
O mesmo traxe é o pixama.
LINGUA PORTUGUESA DE GOA
Ai meu Deus! em fim tu partes,
Vaes deixar a terra amada,
Tão bella, tão encantada,
A terra de teu paiz!
Onde á sombra da palmeira,
Repousaste feiticeira,
E do Mandovy á beira
Folgaste outr’ora feliz.
Manuel Joaquim da Costa Campos
LINGUA GALEGA (POEMAS DE CARVALHO CALERO)
Cabeleira de chúvia, ollos de néboa.
Maria Silenzo, esfarrapada, à espreita.
Sempre agardando, pola noite, as barcas.
A tua angúria fala con olladas.
Maria Nocturna: no peirán qué esperas?
polo dia non vives?
Naces cada solpor? Cais de primeira estrela?
Mariñeiro que tes a flor de água nos ollos
Cando morras irás ao ceo dos peixeiros.
Ali muge as súas barbas azuis o Rei do Mar,
ácio de xebras, mexillóns e berberechos.
Espida divindade de olímpica vellice,
na súa grande cadeira de cristal.
As mulheres entom usavam capa e corsé,
e íamos à aldeia em coche de cavalos,
e a rua estava ateigada de pregons de sardinhas
e de ingleses que vendiam Bíblias.
O teu retrato ante mim,
por um cristal protegido,
é um espelho duvidoso.
A olhá-lo, o meu rosto vejo
co teu rosto misturado(...)
Assi, vejo diante mim
um rosto que nom é o teu,
um rosto que nom é o meu
e que aos dous se nos parece.
Duvidoso espelho, ante-
cipa-me paternidades.
Pois no fundo do cristal,
milagre, se me revela
a faciana que terá
o filho nosso que dorme
lá, no berce do vindeiro.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Canção do exílio
Canção do exílioCanção do exílio
Canção do exílio
Newltemberg Santos
 
Deuscrioualagoas
DeuscrioualagoasDeuscrioualagoas
Deuscrioualagoas
Ivanete Oliveira
 
Livro digital folclore professora suse mendes
Livro digital folclore professora suse mendesLivro digital folclore professora suse mendes
Livro digital folclore professora suse mendes
Susete Rodrigues Mendes
 
So paraense-sabe-1227184177026624-8
So paraense-sabe-1227184177026624-8So paraense-sabe-1227184177026624-8
So paraense-sabe-1227184177026624-8
Tânia Maria
 
So Paraense Sabe
So Paraense SabeSo Paraense Sabe
So Paraense Sabe
Rosa Silva
 
Capri
CapriCapri
Capri
home
 
Ilha De Capri
Ilha De CapriIlha De Capri
Ilha De Capri
guest4a4e0
 
04.10 o mar e o caracol
04.10   o mar e o caracol04.10   o mar e o caracol
04.10 o mar e o caracol
Masterliduina Moreira
 
Trovas ao pé da ponte
Trovas ao pé da ponteTrovas ao pé da ponte
Trovas ao pé da ponte
mvcirino
 
The Lakes Region Of Rio A RegiãO Dos Lagos
The Lakes Region Of Rio   A RegiãO Dos LagosThe Lakes Region Of Rio   A RegiãO Dos Lagos
The Lakes Region Of Rio A RegiãO Dos Lagos
José Roberto Cordeiro
 
The Lake
The  LakeThe  Lake
The Lake
guest87b767
 
The Lakes Region Of Rio
The Lakes Region Of RioThe Lakes Region Of Rio
The Lakes Region Of Rio
Carmen María Pérez
 
Rio De Janeiro Lakes Of Region
Rio De Janeiro Lakes Of RegionRio De Janeiro Lakes Of Region
Rio De Janeiro Lakes Of Region
Beatris Lopes
 
Região dos Lagos, Rio de Janeiro
Região dos Lagos, Rio de JaneiroRegião dos Lagos, Rio de Janeiro
Região dos Lagos, Rio de Janeiro
Oracy Filho
 
The Lakes Regionof Rio A RegiãOdos Lagos
The Lakes Regionof Rio A RegiãOdos LagosThe Lakes Regionof Rio A RegiãOdos Lagos
The Lakes Regionof Rio A RegiãOdos Lagos
cab3032
 
The Lakes Region Of Rio A Reg
The Lakes Region Of Rio   A Reg The Lakes Region Of Rio   A Reg
The Lakes Region Of Rio A Reg
nimiaazucena
 
Cancao do exilio
Cancao do exilioCancao do exilio
Cancao do exilio
Mensagens Virtuais
 
Canção do exílio intertextualidade
Canção do exílio   intertextualidadeCanção do exílio   intertextualidade
Canção do exílio intertextualidade
jasonrplima
 

Mais procurados (18)

Canção do exílio
Canção do exílioCanção do exílio
Canção do exílio
 
Deuscrioualagoas
DeuscrioualagoasDeuscrioualagoas
Deuscrioualagoas
 
Livro digital folclore professora suse mendes
Livro digital folclore professora suse mendesLivro digital folclore professora suse mendes
Livro digital folclore professora suse mendes
 
So paraense-sabe-1227184177026624-8
So paraense-sabe-1227184177026624-8So paraense-sabe-1227184177026624-8
So paraense-sabe-1227184177026624-8
 
So Paraense Sabe
So Paraense SabeSo Paraense Sabe
So Paraense Sabe
 
Capri
CapriCapri
Capri
 
Ilha De Capri
Ilha De CapriIlha De Capri
Ilha De Capri
 
04.10 o mar e o caracol
04.10   o mar e o caracol04.10   o mar e o caracol
04.10 o mar e o caracol
 
Trovas ao pé da ponte
Trovas ao pé da ponteTrovas ao pé da ponte
Trovas ao pé da ponte
 
The Lakes Region Of Rio A RegiãO Dos Lagos
The Lakes Region Of Rio   A RegiãO Dos LagosThe Lakes Region Of Rio   A RegiãO Dos Lagos
The Lakes Region Of Rio A RegiãO Dos Lagos
 
The Lake
The  LakeThe  Lake
The Lake
 
The Lakes Region Of Rio
The Lakes Region Of RioThe Lakes Region Of Rio
The Lakes Region Of Rio
 
Rio De Janeiro Lakes Of Region
Rio De Janeiro Lakes Of RegionRio De Janeiro Lakes Of Region
Rio De Janeiro Lakes Of Region
 
Região dos Lagos, Rio de Janeiro
Região dos Lagos, Rio de JaneiroRegião dos Lagos, Rio de Janeiro
Região dos Lagos, Rio de Janeiro
 
The Lakes Regionof Rio A RegiãOdos Lagos
The Lakes Regionof Rio A RegiãOdos LagosThe Lakes Regionof Rio A RegiãOdos Lagos
The Lakes Regionof Rio A RegiãOdos Lagos
 
The Lakes Region Of Rio A Reg
The Lakes Region Of Rio   A Reg The Lakes Region Of Rio   A Reg
The Lakes Region Of Rio A Reg
 
Cancao do exilio
Cancao do exilioCancao do exilio
Cancao do exilio
 
Canção do exílio intertextualidade
Canção do exílio   intertextualidadeCanção do exílio   intertextualidade
Canção do exílio intertextualidade
 

Semelhante a Poemas xx en galego sen filtro

Poemas do mar
Poemas do marPoemas do mar
Poemas do mar
cruchinho
 
A biblioteca saiu da escola 1
A biblioteca saiu da escola 1A biblioteca saiu da escola 1
A biblioteca saiu da escola 1
PeroVaz
 
António Nobre
António NobreAntónio Nobre
António Nobre
davidaaduarte
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Isabella Silva
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Isabella Silva
 
Poesias mostra cultural
Poesias mostra culturalPoesias mostra cultural
Poesias mostra cultural
Barbara Coelho
 
O Navio Negreiro
O Navio NegreiroO Navio Negreiro
O Navio Negreiro
guerda30
 
Poetas nacionalismo.pdf
Poetas nacionalismo.pdfPoetas nacionalismo.pdf
Poetas nacionalismo.pdf
Homedigital3
 
Castro Alves Negreiro
Castro Alves NegreiroCastro Alves Negreiro
Castro Alves Negreiro
yurnas
 
Fichas De Poesia
Fichas De PoesiaFichas De Poesia
Fichas De Poesia
Claudia Cravo
 
Fichas De Poesia
Fichas De PoesiaFichas De Poesia
Fichas De Poesia
Claudia Cravo
 
Poemas de Alda Espirito Santo
Poemas de Alda Espirito SantoPoemas de Alda Espirito Santo
Poemas de Alda Espirito Santo
BE ESGN
 
Castro alves navio negreiro
Castro alves   navio negreiroCastro alves   navio negreiro
Castro alves navio negreiro
Talita Travassos
 
EMBRULHO DE LETRAS
EMBRULHO DE LETRASEMBRULHO DE LETRAS
EMBRULHO DE LETRAS
senadecarlosfreitas
 
EMBRULHO DE LETRAS
EMBRULHO DE LETRASEMBRULHO DE LETRAS
EMBRULHO DE LETRAS
senadecarlosfreitas
 
EMBRULHO DE LETRAS
EMBRULHO DE LETRASEMBRULHO DE LETRAS
EMBRULHO DE LETRAS
senadecarlosfreitas
 
Livro ebook
Livro ebookLivro ebook
Livro ebook
senadecarlosfreitas
 
Poema da semana
Poema da semanaPoema da semana
Poema da semana
Raquel Rodriges
 
Poema da semana
Poema da semanaPoema da semana
Poema da semana
Raquel Rodriges
 
Alguma poesia carlos drummond de andrade
Alguma poesia carlos drummond de andradeAlguma poesia carlos drummond de andrade
Alguma poesia carlos drummond de andrade
mariliarosa
 

Semelhante a Poemas xx en galego sen filtro (20)

Poemas do mar
Poemas do marPoemas do mar
Poemas do mar
 
A biblioteca saiu da escola 1
A biblioteca saiu da escola 1A biblioteca saiu da escola 1
A biblioteca saiu da escola 1
 
António Nobre
António NobreAntónio Nobre
António Nobre
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Poesias mostra cultural
Poesias mostra culturalPoesias mostra cultural
Poesias mostra cultural
 
O Navio Negreiro
O Navio NegreiroO Navio Negreiro
O Navio Negreiro
 
Poetas nacionalismo.pdf
Poetas nacionalismo.pdfPoetas nacionalismo.pdf
Poetas nacionalismo.pdf
 
Castro Alves Negreiro
Castro Alves NegreiroCastro Alves Negreiro
Castro Alves Negreiro
 
Fichas De Poesia
Fichas De PoesiaFichas De Poesia
Fichas De Poesia
 
Fichas De Poesia
Fichas De PoesiaFichas De Poesia
Fichas De Poesia
 
Poemas de Alda Espirito Santo
Poemas de Alda Espirito SantoPoemas de Alda Espirito Santo
Poemas de Alda Espirito Santo
 
Castro alves navio negreiro
Castro alves   navio negreiroCastro alves   navio negreiro
Castro alves navio negreiro
 
EMBRULHO DE LETRAS
EMBRULHO DE LETRASEMBRULHO DE LETRAS
EMBRULHO DE LETRAS
 
EMBRULHO DE LETRAS
EMBRULHO DE LETRASEMBRULHO DE LETRAS
EMBRULHO DE LETRAS
 
EMBRULHO DE LETRAS
EMBRULHO DE LETRASEMBRULHO DE LETRAS
EMBRULHO DE LETRAS
 
Livro ebook
Livro ebookLivro ebook
Livro ebook
 
Poema da semana
Poema da semanaPoema da semana
Poema da semana
 
Poema da semana
Poema da semanaPoema da semana
Poema da semana
 
Alguma poesia carlos drummond de andrade
Alguma poesia carlos drummond de andradeAlguma poesia carlos drummond de andrade
Alguma poesia carlos drummond de andrade
 

Mais de cenlf

XXIV Certame de Poesía e imaxe 2024, cartel
XXIV Certame de Poesía e imaxe 2024, cartelXXIV Certame de Poesía e imaxe 2024, cartel
XXIV Certame de Poesía e imaxe 2024, cartel
cenlf
 
Actividades 2023-24.pdf
Actividades 2023-24.pdfActividades 2023-24.pdf
Actividades 2023-24.pdf
cenlf
 
POESIA E IMAXE 2023 - Cartaz
POESIA E IMAXE 2023 - CartazPOESIA E IMAXE 2023 - Cartaz
POESIA E IMAXE 2023 - Cartaz
cenlf
 
Teatro con G 2023.pdf
Teatro con G 2023.pdfTeatro con G 2023.pdf
Teatro con G 2023.pdf
cenlf
 
MODELO DECLARACIÓN RESPONSABLE_MENORES.pdf
MODELO DECLARACIÓN RESPONSABLE_MENORES.pdfMODELO DECLARACIÓN RESPONSABLE_MENORES.pdf
MODELO DECLARACIÓN RESPONSABLE_MENORES.pdf
cenlf
 
Bases xerais para todas as edicións.pdf
Bases xerais  para todas as edicións.pdfBases xerais  para todas as edicións.pdf
Bases xerais para todas as edicións.pdf
cenlf
 
bases especifcas 2023 Certamee literario.pdf
bases especifcas   2023 Certamee literario.pdfbases especifcas   2023 Certamee literario.pdf
bases especifcas 2023 Certamee literario.pdf
cenlf
 
poemas certame 20222023.pdf
poemas certame 20222023.pdfpoemas certame 20222023.pdf
poemas certame 20222023.pdf
cenlf
 
Normas XXIII Certame Poesía e Imaxe 2023.pdf
Normas XXIII Certame Poesía e Imaxe 2023.pdfNormas XXIII Certame Poesía e Imaxe 2023.pdf
Normas XXIII Certame Poesía e Imaxe 2023.pdf
cenlf
 
MOCIDADE COA LINGUA 2023 - BASES
 MOCIDADE COA LINGUA 2023 - BASES MOCIDADE COA LINGUA 2023 - BASES
MOCIDADE COA LINGUA 2023 - BASES
cenlf
 
Bases reguladoras do Certame literario Carmela Loureiro
Bases reguladoras do Certame literario Carmela LoureiroBases reguladoras do Certame literario Carmela Loureiro
Bases reguladoras do Certame literario Carmela Loureiro
cenlf
 
Poemas 2022
Poemas 2022Poemas 2022
Poemas 2022
cenlf
 
Regulamento de participación no XXI Certame de Poesía e Imaxe
Regulamento de participación no XXI Certame de Poesía e ImaxeRegulamento de participación no XXI Certame de Poesía e Imaxe
Regulamento de participación no XXI Certame de Poesía e Imaxe
cenlf
 
Bases certame literario Carmela Loureiro
Bases certame literario Carmela LoureiroBases certame literario Carmela Loureiro
Bases certame literario Carmela Loureiro
cenlf
 
XXI Certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro: Bases
XXI Certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro: BasesXXI Certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro: Bases
XXI Certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro: Bases
cenlf
 
XXI certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro": Poemas
XXI certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro": PoemasXXI certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro": Poemas
XXI certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro": Poemas
cenlf
 
Bases certame literario Carmela Loureiro
Bases certame literario Carmela LoureiroBases certame literario Carmela Loureiro
Bases certame literario Carmela Loureiro
cenlf
 
Bases XX Certame poesia e imaxe
Bases XX Certame poesia e imaxeBases XX Certame poesia e imaxe
Bases XX Certame poesia e imaxe
cenlf
 
Poemas XX en galego sen filtro
Poemas XX en galego sen filtroPoemas XX en galego sen filtro
Poemas XX en galego sen filtro
cenlf
 
Poemas XIX POESÍA E IMAXE, EN GALEGO SEN FILTRO
Poemas XIX POESÍA E IMAXE, EN GALEGO SEN FILTROPoemas XIX POESÍA E IMAXE, EN GALEGO SEN FILTRO
Poemas XIX POESÍA E IMAXE, EN GALEGO SEN FILTRO
cenlf
 

Mais de cenlf (20)

XXIV Certame de Poesía e imaxe 2024, cartel
XXIV Certame de Poesía e imaxe 2024, cartelXXIV Certame de Poesía e imaxe 2024, cartel
XXIV Certame de Poesía e imaxe 2024, cartel
 
Actividades 2023-24.pdf
Actividades 2023-24.pdfActividades 2023-24.pdf
Actividades 2023-24.pdf
 
POESIA E IMAXE 2023 - Cartaz
POESIA E IMAXE 2023 - CartazPOESIA E IMAXE 2023 - Cartaz
POESIA E IMAXE 2023 - Cartaz
 
Teatro con G 2023.pdf
Teatro con G 2023.pdfTeatro con G 2023.pdf
Teatro con G 2023.pdf
 
MODELO DECLARACIÓN RESPONSABLE_MENORES.pdf
MODELO DECLARACIÓN RESPONSABLE_MENORES.pdfMODELO DECLARACIÓN RESPONSABLE_MENORES.pdf
MODELO DECLARACIÓN RESPONSABLE_MENORES.pdf
 
Bases xerais para todas as edicións.pdf
Bases xerais  para todas as edicións.pdfBases xerais  para todas as edicións.pdf
Bases xerais para todas as edicións.pdf
 
bases especifcas 2023 Certamee literario.pdf
bases especifcas   2023 Certamee literario.pdfbases especifcas   2023 Certamee literario.pdf
bases especifcas 2023 Certamee literario.pdf
 
poemas certame 20222023.pdf
poemas certame 20222023.pdfpoemas certame 20222023.pdf
poemas certame 20222023.pdf
 
Normas XXIII Certame Poesía e Imaxe 2023.pdf
Normas XXIII Certame Poesía e Imaxe 2023.pdfNormas XXIII Certame Poesía e Imaxe 2023.pdf
Normas XXIII Certame Poesía e Imaxe 2023.pdf
 
MOCIDADE COA LINGUA 2023 - BASES
 MOCIDADE COA LINGUA 2023 - BASES MOCIDADE COA LINGUA 2023 - BASES
MOCIDADE COA LINGUA 2023 - BASES
 
Bases reguladoras do Certame literario Carmela Loureiro
Bases reguladoras do Certame literario Carmela LoureiroBases reguladoras do Certame literario Carmela Loureiro
Bases reguladoras do Certame literario Carmela Loureiro
 
Poemas 2022
Poemas 2022Poemas 2022
Poemas 2022
 
Regulamento de participación no XXI Certame de Poesía e Imaxe
Regulamento de participación no XXI Certame de Poesía e ImaxeRegulamento de participación no XXI Certame de Poesía e Imaxe
Regulamento de participación no XXI Certame de Poesía e Imaxe
 
Bases certame literario Carmela Loureiro
Bases certame literario Carmela LoureiroBases certame literario Carmela Loureiro
Bases certame literario Carmela Loureiro
 
XXI Certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro: Bases
XXI Certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro: BasesXXI Certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro: Bases
XXI Certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro: Bases
 
XXI certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro": Poemas
XXI certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro": PoemasXXI certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro": Poemas
XXI certame de poesía e imaxe "En galego, sen filtro": Poemas
 
Bases certame literario Carmela Loureiro
Bases certame literario Carmela LoureiroBases certame literario Carmela Loureiro
Bases certame literario Carmela Loureiro
 
Bases XX Certame poesia e imaxe
Bases XX Certame poesia e imaxeBases XX Certame poesia e imaxe
Bases XX Certame poesia e imaxe
 
Poemas XX en galego sen filtro
Poemas XX en galego sen filtroPoemas XX en galego sen filtro
Poemas XX en galego sen filtro
 
Poemas XIX POESÍA E IMAXE, EN GALEGO SEN FILTRO
Poemas XIX POESÍA E IMAXE, EN GALEGO SEN FILTROPoemas XIX POESÍA E IMAXE, EN GALEGO SEN FILTRO
Poemas XIX POESÍA E IMAXE, EN GALEGO SEN FILTRO
 

Último

the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Luana Neres
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
JulianeMelo17
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Ana Da Silva Ponce
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
Mary Alvarenga
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Luana Neres
 

Último (20)

the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
Aula 2 - 6º HIS - Formas de registro da história e da produção do conheciment...
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptxApresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
Apresentação_Primeira_Guerra_Mundial 9 ANO-1.pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdfArundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
Arundhati Roy - O Deus das Pequenas Coisas - ÍNDIA.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Acróstico - Reciclar é preciso
Acróstico   -  Reciclar é preciso Acróstico   -  Reciclar é preciso
Acróstico - Reciclar é preciso
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
Aula 3- 6º HIS - As origens da humanidade, seus deslocamentos e os processos ...
 

Poemas xx en galego sen filtro

  • 1. CRIOULO DE CABO VERDE Quem mi ê? Um fidje de Sanvcênte. Nascide, crióde, lá na ponta d' Praia. Lá ondê que mar tâ sparajá debóxe de bôte, moda barra dum saia. Cs' ê que m' crê? Cantá nha terra! Companhal na sê dor; na nôbréza d' sê alma; na pobréza d' sê vida! Sérgio Frusoni Quen son eu? Un fillo de São Vicente. nacido, criado, alá na Ponta da Praia. Alá onde o mar se espreguiza debaixo dos botes, como a barra dunha saia. O que eu quero? Cantar a miña terra! Acompañala na súa dor; na nobreza da súa alma; na pobreza da súa vida! PATUÁ (DIALETO PORTUGUÊS DE MACAU) Nôsso Macau, nómi sánto, Vosôtro olá! Qui ramendá unga jardim; Fula fresco na tudo cánto Sã pa ispantá. Sai semeado, nom têm fim. José Dos Santos Ferreira Nossa Macau de nome santo, Vede vós Parece un xardín; Por todos os cantos flores frescas É de pasmar. Saen semeadas sen fin. LÍNGUA PORTUGUESA DE TIMOR LESTE Tata-Mailau É o pico-avô da minha Ilha. Subi muitas vezes aos seus três mil metros. E foi no seu alto Que meu sonho-menino construiu um navio. Antes. Ninguém tinha compreendido Que a ilha Não é terra isolada pelo mar. Fernando Sylvan KRIOL DE GUINÉ BISSAU Bissau sukuru Guiné fundu Murgudjadu na kasabi n na koba bu na ntera Paké nhá ermon n punta? si kaminhu i um son son Odete Costa Semedo Bissau é un enigma Guiné é un misterio mergullada nunha profunda angustia eu a construír e ti a destruíres Por que, meu irmao pregunto se o camiño é único?
  • 2. LINGUA PORTUGUESA DE MOÇAMBIQUE Acreditava naquela história do homem que nunca chora. Eu julgava-me um homem. Na adolescência meus filmes de aventuras punham-me muito longe de ser cobarde na arrogante criancice do herói de ferro. Agora tremo. E agora choro. Como um homem treme. Como chora um homem! José Craveirinha LINGUA PORTUGUESA DE ANGOLA As horas caminham em espiral lúgubres com(o)vidas em calafrios urdidos vultos à espreita sonegam. iminentes. o mundo grita seu cancro em mil silêncios. cortantes. de vidro e agonia. Conceição Cristóvão LINGUA PORTUGUESA — Desliga a televisão — disse o pai. — Vai lá para fora e vive a vida. Fui e à noite vim com uma abelha na orelha um rato no sapato cola na camisola giz no nariz gafanhotos nos bolsos rotos um escaravelho no joelho uma formiga na barriga um leão pela mão e atrás um camelo a puxar-me o cabelo. — Não vás mais lá para fora — disse o pai. — Liga a televisão. Luísa Ducla Soares LINGUA PORTUGUESA DO BRASIL Sentes que o meu verso Assim tão curto É um universo? Cláudio Murilo FORRO CRIOULO DE SAO TOMÉ E PRÍNCIPE Maxibin Poçon tê lôpa Homè d’ua lôpa tam X’ê sôbê ê na’ka xê luá fá Bixi sé sá lôpa cama. Tomás Medeiros Maxibim Poçon ten un traxe É home dun traxe só Se chove non sae da casa O mesmo traxe é o pixama. LINGUA PORTUGUESA DE GOA Ai meu Deus! em fim tu partes, Vaes deixar a terra amada, Tão bella, tão encantada, A terra de teu paiz! Onde á sombra da palmeira, Repousaste feiticeira, E do Mandovy á beira Folgaste outr’ora feliz. Manuel Joaquim da Costa Campos
  • 3. LINGUA GALEGA (POEMAS DE CARVALHO CALERO) Cabeleira de chúvia, ollos de néboa. Maria Silenzo, esfarrapada, à espreita. Sempre agardando, pola noite, as barcas. A tua angúria fala con olladas. Maria Nocturna: no peirán qué esperas? polo dia non vives? Naces cada solpor? Cais de primeira estrela? Mariñeiro que tes a flor de água nos ollos Cando morras irás ao ceo dos peixeiros. Ali muge as súas barbas azuis o Rei do Mar, ácio de xebras, mexillóns e berberechos. Espida divindade de olímpica vellice, na súa grande cadeira de cristal. As mulheres entom usavam capa e corsé, e íamos à aldeia em coche de cavalos, e a rua estava ateigada de pregons de sardinhas e de ingleses que vendiam Bíblias. O teu retrato ante mim, por um cristal protegido, é um espelho duvidoso. A olhá-lo, o meu rosto vejo co teu rosto misturado(...) Assi, vejo diante mim um rosto que nom é o teu, um rosto que nom é o meu e que aos dous se nos parece. Duvidoso espelho, ante- cipa-me paternidades. Pois no fundo do cristal, milagre, se me revela a faciana que terá o filho nosso que dorme lá, no berce do vindeiro.