SlideShare uma empresa Scribd logo
PLANEJAMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE
                                               GESTÃO DE RISCOS E SEGURANÇA DO PACIENTE
                                                                             BERLITZ F. A.; BLOEMER, M. C. M.                                                                                                      Poster n° 141
                                                                      Ghanem Laboratório Clínico - Santa Catarina, Brasil                                                                                    Trabalho selecionado para
                                                                                                                                                                                                                 apresentação oral
                                                                              (47) 3028.3001 – (47) 9172.9136
                                                                           sustentabilidade@grupoghanem.com.br




Introdução                                                                                           Resultados

Segundo a ISO 31000:2009 a Gestão de Riscos consiste “em atividades coordenadas para
dirigir e controlar uma organização no que diz respeito ao risco”. Risco é o efeito da
incerteza sobre os objetivos. Quando nos propomos a realizar um processo, atividade ou
projeto, qualquer situação que desvie do objetivo pode ser considerada um risco. A
atividade de saúde tem risco inerente e atribuível. O risco atribuível é aquele sobre o qual
temos gerência e, portanto, pode ser eliminado ou reduzido a risco residual.
Um dos principais riscos relacionados ao processo dos serviços de saúde está relacionado à
Segurança do Paciente. Assim, considera-se essencial a definição e implementação de
políticas e processos visando a Gestão de Riscos e Segurança dos Pacientes nos laboratórios
clínicos. Segundo a OMS (2009), entende-se como Segurança do Paciente, “a redução, ao
mínimo aceitável, do risco do dano desnecessário associado à assistência a saúde”.
Visando formalizar o seu comprometimento histórico com a Segurança do Paciente, o                                                                                      Estratificação, priorização e plano de controle para riscos
                                                                                                                                                                             mapeados com relação à Segurança do Paciente
Ghanem Laboratório Clínico definiu, no início de 2012, o COMPROMISSO GHANEM COM A
GESTÃO DE RISCOS E SEGURANÇA DO PACIENTE: “Respeitamos a Vida, atuamos com
excelência e somos comprometidos com todos os aspectos relacionados à segurança de
nossos clientes. Entendemos que a competitividade no negócio é resultado de uma atuação
ética e legal, com geração de valor para todos os steakholders, associada à melhoria
contínua de processos e minimização dos riscos associados à operação”.
                                                                                                                                                                        Capacitações das equipes no novo Sistema de Gestão de Riscos e
Com esse norteador principal, foi planejado e implantado o Sistema de Gestão de Riscos e                Mapeamento de riscos relacionados à Segurança do Paciente
                                                                                                                                                                                   Segurança do Paciente: presencial e vídeo
Segurança do Paciente (SGRSP) do Grupo Ghanem.



 Objetivos
Demonstrar o planejamento e implantação de Sistema de Gestão de Riscos e Segurança do
Paciente (SGRSP).



 Casuística e Métodos
A partir da avaliação da necessidade de implantar sistema formal e abrangente para a
gestão de riscos organizacionais e da segurança do paciente, foi criado um grupo para                    Processo padronizado para notificação e tratamento
                                                                                                                                                                    Formulário para notificação de eventos adversos relacionados à
                                                                                                          de eventos relacionados à Segurança do Paciente
estudar o tema e propor um projeto com esse foco principal. Normas (PALC e ISO 31000),                                                                                              Riscos e Segurança da Paciente

recomendações internacionais e Benchmarking de mercado foram estudados e, alinhando
estes à cultura organizacional e norteadores estratégicos, foram geradas diretrizes
específicas, incluindo a geração de uma política, objetivos e metas. Todos os principais
processos de negócio foram mapeados segundo a dimensão de riscos e segurança do
                                                                                                       Conclusões
paciente, com identificação de pontos de atenção e priorização para ações corretivas e
preventivas (critérios: gravidade e probabilidade; 4 níveis de prioridade). Procedimentos             Mesmo que ações pontuais visando a gestão de riscos e segurança do paciente já
documentados foram padronizados para o SGRSP e seus principais processos. Para a gestão               estivessem sendo implementadas, o planejamento global de um SGRSP, motivado
da eficácia do SGRSP, um sistema de medição para estes processos foi planejado e                      principalmente pelas recomendações da Norma PALC, geraram expressivos ganhos
incorporado à gestão de indicadores da organização. Um sistema de notificação e análise               para a organização, que pode monitorar continuamente os seus processos sob a
de eventos foi implantado como prática de gestão abrangente a todos os processos da                   dimensão de riscos e segurança do paciente.
organização. Após planejamento do SGRSP, este foi implantado e disseminado via                        O SGRSP permitiu intervenção ágil e proativa nos processos, contribuindo para a
capacitações específicas.                                                                             prevenção de eventos e minimização dos impactos ao laboratório e clientes.


 Referências Bibliográficas
• Norma do Programa de Acreditação de Laboratórios Clínicos (PALC) - versão 2010. Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial.
• Shcolink, W. “Errar é Humano. Até que Ponto?”. Boletim ControlLab Qualifique. ControlLab. No. 27. Out 2009.
• Plebani, M. The detection and prevention of errors in laboratory medicine. Ann Clin Biochem. 2010; 47: 101-110.
• ABNT NBR ISO/IEC 31010:2012. Gestão de riscos - Técnicas para o processo de avaliação de riscos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o ErroOficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
Proqualis
 
Implementação do núcleo de segurança do paciente e elaboração do plano de seg...
Implementação do núcleo de segurança do paciente e elaboração do plano de seg...Implementação do núcleo de segurança do paciente e elaboração do plano de seg...
Implementação do núcleo de segurança do paciente e elaboração do plano de seg...
Proqualis
 
Aula 3 programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...
Aula 3   programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...Aula 3   programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...
Aula 3 programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...
Milena de Oliveira Matos Carvalho
 
10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente
07082001
 
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
JONAS ARAUJO
 
Implementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Implementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo CruzImplementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Implementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Proqualis
 
Segurança do paciente e procedimento invasivo - Tópico 10_Guia Curricular da OMS
Segurança do paciente e procedimento invasivo - Tópico 10_Guia Curricular da OMSSegurança do paciente e procedimento invasivo - Tópico 10_Guia Curricular da OMS
Segurança do paciente e procedimento invasivo - Tópico 10_Guia Curricular da OMS
Proqualis
 
Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...
Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...
Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...
Proqualis
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
HIAGO SANTOS
 
Plano de-segurança-do-paciente
Plano de-segurança-do-pacientePlano de-segurança-do-paciente
Plano de-segurança-do-paciente
Mateus Rocha Simao
 
A ATUAÇÃO DA ENFERMEIRA DE LIGAÇAO NO MODELO CHC/UFPR DE GESTÃO DE ALTAS
A ATUAÇÃO DA ENFERMEIRA DE  LIGAÇAO NO MODELO CHC/UFPR DE  GESTÃO DE ALTASA ATUAÇÃO DA ENFERMEIRA DE  LIGAÇAO NO MODELO CHC/UFPR DE  GESTÃO DE ALTAS
A ATUAÇÃO DA ENFERMEIRA DE LIGAÇAO NO MODELO CHC/UFPR DE GESTÃO DE ALTAS
Portal da Inovação em Saúde
 
Aprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMS
Aprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMSAprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMS
Aprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMS
Proqualis
 
Compreender e gerenciar o risco clínico - Tópico 6_Guia Curricular da OMS
Compreender e gerenciar o risco clínico - Tópico 6_Guia Curricular da OMSCompreender e gerenciar o risco clínico - Tópico 6_Guia Curricular da OMS
Compreender e gerenciar o risco clínico - Tópico 6_Guia Curricular da OMS
Proqualis
 
Por que empregar fatores humanos é importante para a segurança do paciente? -...
Por que empregar fatores humanos é importante para a segurança do paciente? -...Por que empregar fatores humanos é importante para a segurança do paciente? -...
Por que empregar fatores humanos é importante para a segurança do paciente? -...
Proqualis
 
Aula sobre o papel da liderança na implementação de práticas seguras
Aula sobre o papel da liderança na implementação de práticas segurasAula sobre o papel da liderança na implementação de práticas seguras
Aula sobre o papel da liderança na implementação de práticas seguras
Proqualis
 
Ppt coletiva seguranca_paciente_final
Ppt coletiva seguranca_paciente_finalPpt coletiva seguranca_paciente_final
Ppt coletiva seguranca_paciente_final
Jornal do Commercio
 
Segurança do paciente pediátrico
Segurança do paciente pediátricoSegurança do paciente pediátrico
Segurança do paciente pediátrico
Flavia Danyelle Oliveira Nunes
 
Aula sobre notificação e análise de incidentes
Aula sobre notificação e análise de incidentesAula sobre notificação e análise de incidentes
Aula sobre notificação e análise de incidentes
Proqualis
 
Medicação sem danos: o terceiro desafio global da OMS
Medicação sem danos: o terceiro desafio global da OMSMedicação sem danos: o terceiro desafio global da OMS
Medicação sem danos: o terceiro desafio global da OMS
Proqualis
 
Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015
Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015
Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015
Proqualis
 

Mais procurados (20)

Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o ErroOficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
 
Implementação do núcleo de segurança do paciente e elaboração do plano de seg...
Implementação do núcleo de segurança do paciente e elaboração do plano de seg...Implementação do núcleo de segurança do paciente e elaboração do plano de seg...
Implementação do núcleo de segurança do paciente e elaboração do plano de seg...
 
Aula 3 programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...
Aula 3   programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...Aula 3   programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...
Aula 3 programa de segurança do paciente - qualidade em saúde e indicadores...
 
10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente10 passos seguranca_paciente
10 passos seguranca_paciente
 
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
Segurança do paciente e gerencimento de risco (slide)
 
Implementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Implementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo CruzImplementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
Implementação do Check List de Cirurgia Segura Hospital Alemão Oswaldo Cruz
 
Segurança do paciente e procedimento invasivo - Tópico 10_Guia Curricular da OMS
Segurança do paciente e procedimento invasivo - Tópico 10_Guia Curricular da OMSSegurança do paciente e procedimento invasivo - Tópico 10_Guia Curricular da OMS
Segurança do paciente e procedimento invasivo - Tópico 10_Guia Curricular da OMS
 
Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...
Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...
Indicadores para Monitoramento da Qualidade em Saúde - Foco na Segurança do P...
 
Segurança do paciente
Segurança do pacienteSegurança do paciente
Segurança do paciente
 
Plano de-segurança-do-paciente
Plano de-segurança-do-pacientePlano de-segurança-do-paciente
Plano de-segurança-do-paciente
 
A ATUAÇÃO DA ENFERMEIRA DE LIGAÇAO NO MODELO CHC/UFPR DE GESTÃO DE ALTAS
A ATUAÇÃO DA ENFERMEIRA DE  LIGAÇAO NO MODELO CHC/UFPR DE  GESTÃO DE ALTASA ATUAÇÃO DA ENFERMEIRA DE  LIGAÇAO NO MODELO CHC/UFPR DE  GESTÃO DE ALTAS
A ATUAÇÃO DA ENFERMEIRA DE LIGAÇAO NO MODELO CHC/UFPR DE GESTÃO DE ALTAS
 
Aprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMS
Aprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMSAprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMS
Aprender com os erros para evitar danos - Tópico 5_Guia Curricular da OMS
 
Compreender e gerenciar o risco clínico - Tópico 6_Guia Curricular da OMS
Compreender e gerenciar o risco clínico - Tópico 6_Guia Curricular da OMSCompreender e gerenciar o risco clínico - Tópico 6_Guia Curricular da OMS
Compreender e gerenciar o risco clínico - Tópico 6_Guia Curricular da OMS
 
Por que empregar fatores humanos é importante para a segurança do paciente? -...
Por que empregar fatores humanos é importante para a segurança do paciente? -...Por que empregar fatores humanos é importante para a segurança do paciente? -...
Por que empregar fatores humanos é importante para a segurança do paciente? -...
 
Aula sobre o papel da liderança na implementação de práticas seguras
Aula sobre o papel da liderança na implementação de práticas segurasAula sobre o papel da liderança na implementação de práticas seguras
Aula sobre o papel da liderança na implementação de práticas seguras
 
Ppt coletiva seguranca_paciente_final
Ppt coletiva seguranca_paciente_finalPpt coletiva seguranca_paciente_final
Ppt coletiva seguranca_paciente_final
 
Segurança do paciente pediátrico
Segurança do paciente pediátricoSegurança do paciente pediátrico
Segurança do paciente pediátrico
 
Aula sobre notificação e análise de incidentes
Aula sobre notificação e análise de incidentesAula sobre notificação e análise de incidentes
Aula sobre notificação e análise de incidentes
 
Medicação sem danos: o terceiro desafio global da OMS
Medicação sem danos: o terceiro desafio global da OMSMedicação sem danos: o terceiro desafio global da OMS
Medicação sem danos: o terceiro desafio global da OMS
 
Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015
Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015
Segurança do Paciente na Atenção ao Parto e ao Nascimento_abril 2015
 

Destaque

19 Double π0 Photoproduction on the Proton at GRAAL - Physical Review Letters...
19 Double π0 Photoproduction on the Proton at GRAAL - Physical Review Letters...19 Double π0 Photoproduction on the Proton at GRAAL - Physical Review Letters...
19 Double π0 Photoproduction on the Proton at GRAAL - Physical Review Letters...
Cristian Randieri PhD
 
living things: 5 kingdoms
living things: 5 kingdomsliving things: 5 kingdoms
living things: 5 kingdoms
JOSE_ESPEJO
 
Kepada gb internship
Kepada gb internshipKepada gb internship
Kepada gb internship
Salina Tumin
 
Unit plan pp 2
Unit plan pp 2Unit plan pp 2
Unit plan pp 2
Sturdavent1
 
Informática y convergencia tecnológica
Informática y convergencia tecnológicaInformática y convergencia tecnológica
Informática y convergencia tecnológica
nepocamico
 
Creating displays of virtual objects and events
Creating displays of virtual objects and eventsCreating displays of virtual objects and events
Creating displays of virtual objects and events
Marie Vans
 
KK CV - QAM
KK CV - QAMKK CV - QAM
KK CV - QAM
Kamlesh Chaudhary
 

Destaque (8)

19 Double π0 Photoproduction on the Proton at GRAAL - Physical Review Letters...
19 Double π0 Photoproduction on the Proton at GRAAL - Physical Review Letters...19 Double π0 Photoproduction on the Proton at GRAAL - Physical Review Letters...
19 Double π0 Photoproduction on the Proton at GRAAL - Physical Review Letters...
 
living things: 5 kingdoms
living things: 5 kingdomsliving things: 5 kingdoms
living things: 5 kingdoms
 
Kepada gb internship
Kepada gb internshipKepada gb internship
Kepada gb internship
 
Unit plan pp 2
Unit plan pp 2Unit plan pp 2
Unit plan pp 2
 
Informática y convergencia tecnológica
Informática y convergencia tecnológicaInformática y convergencia tecnológica
Informática y convergencia tecnológica
 
Creating displays of virtual objects and events
Creating displays of virtual objects and eventsCreating displays of virtual objects and events
Creating displays of virtual objects and events
 
KK CV - QAM
KK CV - QAMKK CV - QAM
KK CV - QAM
 
MEng courses degrees
MEng courses degreesMEng courses degrees
MEng courses degrees
 

Semelhante a PLANEJAMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS E SEGURANÇA DO PACIENTE

PATRICIA FERNANDA.pdf
PATRICIA FERNANDA.pdfPATRICIA FERNANDA.pdf
PATRICIA FERNANDA.pdf
CeliaLourdes1
 
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE(1).pptx
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE(1).pptxApresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE(1).pptx
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE(1).pptx
PROFESSORA NIVEL TECNICO E SUPERIOR
 
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE.pptx
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE.pptxApresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE.pptx
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE.pptx
CoachCharlesBSilva
 
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE (1).pptx
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE (1).pptxApresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE (1).pptx
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE (1).pptx
CoachCharlesBSilva
 
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Proqualis
 
Diretriz ebserh implant_seguranca_paciente
Diretriz ebserh implant_seguranca_pacienteDiretriz ebserh implant_seguranca_paciente
Diretriz ebserh implant_seguranca_paciente
Alciris
 
slide segurança do paciente.pptxnnnnnnnn
slide segurança do paciente.pptxnnnnnnnnslide segurança do paciente.pptxnnnnnnnn
slide segurança do paciente.pptxnnnnnnnn
pamelacastro71
 
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptxSlides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
AliaCristiano
 
Cultura de la Seguridad del Paciente
Cultura de la Seguridad del PacienteCultura de la Seguridad del Paciente
Cultura de la Seguridad del Paciente
Cmp Consejo Nacional
 
OHSAS 18001
OHSAS 18001OHSAS 18001
OHSAS 18001
Giselle Willys
 
Agentes químicos - Fundacentro
Agentes químicos - FundacentroAgentes químicos - Fundacentro
Agentes químicos - Fundacentro
Jerione Soares Maia
 
Avaliação qualitativa de riscos químicos
Avaliação qualitativa de riscos químicosAvaliação qualitativa de riscos químicos
Avaliação qualitativa de riscos químicos
Luis Araujo
 
Gerenciamento de riscos
Gerenciamento de riscos Gerenciamento de riscos
Gerenciamento de riscos
Mari Lima
 
PPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.ppt
PPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.pptPPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.ppt
PPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.ppt
DemetrioBarbosaSouza1
 
Segurança do trabalho
Segurança do trabalhoSegurança do trabalho
Segurança do trabalho
Mona Lisa Oliveira Borges
 
NR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptx
NR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptxNR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptx
NR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptx
Mauro Mota
 
Mapa de Riscos PCMSO
Mapa de Riscos PCMSOMapa de Riscos PCMSO
Mapa de Riscos PCMSO
Carlos Moreira
 
PGR_PAVIBRAS_CONTAINERS_assinado_assinado.docx
PGR_PAVIBRAS_CONTAINERS_assinado_assinado.docxPGR_PAVIBRAS_CONTAINERS_assinado_assinado.docx
PGR_PAVIBRAS_CONTAINERS_assinado_assinado.docx
Ricardo Barros
 
Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar
Tecpreve Tecpreve
 
Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar
Tecpreve Tecpreve
 

Semelhante a PLANEJAMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS E SEGURANÇA DO PACIENTE (20)

PATRICIA FERNANDA.pdf
PATRICIA FERNANDA.pdfPATRICIA FERNANDA.pdf
PATRICIA FERNANDA.pdf
 
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE(1).pptx
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE(1).pptxApresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE(1).pptx
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE(1).pptx
 
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE.pptx
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE.pptxApresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE.pptx
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE.pptx
 
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE (1).pptx
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE (1).pptxApresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE (1).pptx
Apresentação Padrão - Oficina Tutorial 9 AAE (1).pptx
 
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
Aula: Desafios para o efetivo funcionamento dos Núcleos de Segurança do Pacie...
 
Diretriz ebserh implant_seguranca_paciente
Diretriz ebserh implant_seguranca_pacienteDiretriz ebserh implant_seguranca_paciente
Diretriz ebserh implant_seguranca_paciente
 
slide segurança do paciente.pptxnnnnnnnn
slide segurança do paciente.pptxnnnnnnnnslide segurança do paciente.pptxnnnnnnnn
slide segurança do paciente.pptxnnnnnnnn
 
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptxSlides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
Slides. Avaliação de Risco Profissional.pptx
 
Cultura de la Seguridad del Paciente
Cultura de la Seguridad del PacienteCultura de la Seguridad del Paciente
Cultura de la Seguridad del Paciente
 
OHSAS 18001
OHSAS 18001OHSAS 18001
OHSAS 18001
 
Agentes químicos - Fundacentro
Agentes químicos - FundacentroAgentes químicos - Fundacentro
Agentes químicos - Fundacentro
 
Avaliação qualitativa de riscos químicos
Avaliação qualitativa de riscos químicosAvaliação qualitativa de riscos químicos
Avaliação qualitativa de riscos químicos
 
Gerenciamento de riscos
Gerenciamento de riscos Gerenciamento de riscos
Gerenciamento de riscos
 
PPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.ppt
PPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.pptPPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.ppt
PPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.ppt
 
Segurança do trabalho
Segurança do trabalhoSegurança do trabalho
Segurança do trabalho
 
NR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptx
NR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptxNR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptx
NR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptx
 
Mapa de Riscos PCMSO
Mapa de Riscos PCMSOMapa de Riscos PCMSO
Mapa de Riscos PCMSO
 
PGR_PAVIBRAS_CONTAINERS_assinado_assinado.docx
PGR_PAVIBRAS_CONTAINERS_assinado_assinado.docxPGR_PAVIBRAS_CONTAINERS_assinado_assinado.docx
PGR_PAVIBRAS_CONTAINERS_assinado_assinado.docx
 
Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar
 
Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar Ppra usina de açucar
Ppra usina de açucar
 

Mais de Fernando Berlitz

Proceso de Excelencia: Cómo manejamos estos conceptos actualmente.
Proceso de Excelencia: Cómo manejamos estos conceptos actualmente.  Proceso de Excelencia: Cómo manejamos estos conceptos actualmente.
Proceso de Excelencia: Cómo manejamos estos conceptos actualmente.
Fernando Berlitz
 
"Do you know what you're paying for? How Four Laboratories used 21st Century ...
"Do you know what you're paying for? How Four Laboratories used 21st Century ..."Do you know what you're paying for? How Four Laboratories used 21st Century ...
"Do you know what you're paying for? How Four Laboratories used 21st Century ...
Fernando Berlitz
 
REDESENHO DE PROCESSOS TÉCNICOS E ADEQUAÇÃO DE ESTRUTURA GERENCIAL: ALINHANDO...
REDESENHO DE PROCESSOS TÉCNICOS E ADEQUAÇÃO DE ESTRUTURA GERENCIAL: ALINHANDO...REDESENHO DE PROCESSOS TÉCNICOS E ADEQUAÇÃO DE ESTRUTURA GERENCIAL: ALINHANDO...
REDESENHO DE PROCESSOS TÉCNICOS E ADEQUAÇÃO DE ESTRUTURA GERENCIAL: ALINHANDO...
Fernando Berlitz
 
A PROPOSED APPROACH TO ANALYTICAL METHOD LONG-TERM STABILITY ASSESSMENT
A PROPOSED APPROACH TO ANALYTICAL METHOD LONG-TERM STABILITY ASSESSMENTA PROPOSED APPROACH TO ANALYTICAL METHOD LONG-TERM STABILITY ASSESSMENT
A PROPOSED APPROACH TO ANALYTICAL METHOD LONG-TERM STABILITY ASSESSMENT
Fernando Berlitz
 
Modelo PEEM - Maturidade processos
Modelo PEEM - Maturidade processosModelo PEEM - Maturidade processos
Modelo PEEM - Maturidade processos
Fernando Berlitz
 
Projeto BPM em um Laboratório de Ensaios Especializados
Projeto BPM em um Laboratório de Ensaios EspecializadosProjeto BPM em um Laboratório de Ensaios Especializados
Projeto BPM em um Laboratório de Ensaios Especializados
Fernando Berlitz
 
DETERMINAÇÃO DE INTERVALOS DE REFERÊNCIA PEDIÁTRICOS PARA HEMOGLOBINA E HEMAT...
DETERMINAÇÃO DE INTERVALOS DE REFERÊNCIA PEDIÁTRICOS PARA HEMOGLOBINA E HEMAT...DETERMINAÇÃO DE INTERVALOS DE REFERÊNCIA PEDIÁTRICOS PARA HEMOGLOBINA E HEMAT...
DETERMINAÇÃO DE INTERVALOS DE REFERÊNCIA PEDIÁTRICOS PARA HEMOGLOBINA E HEMAT...
Fernando Berlitz
 
LABORATÓRIO CLÍNICO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA, DO PROJETO AOS RESULTADOS
LABORATÓRIO CLÍNICO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA, DO PROJETO AOS RESULTADOSLABORATÓRIO CLÍNICO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA, DO PROJETO AOS RESULTADOS
LABORATÓRIO CLÍNICO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA, DO PROJETO AOS RESULTADOS
Fernando Berlitz
 
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NO LABORATÓRIO CLÍNICO
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NO LABORATÓRIO CLÍNICOPLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NO LABORATÓRIO CLÍNICO
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NO LABORATÓRIO CLÍNICO
Fernando Berlitz
 
Métricas de Controle de Processo
Métricas de Controle de ProcessoMétricas de Controle de Processo
Métricas de Controle de Processo
Fernando Berlitz
 
Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010
Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010
Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010
Fernando Berlitz
 
Curso Validação Métodos - Congresso SBAC 2009 - Fernando Berlitz
Curso Validação Métodos - Congresso SBAC 2009 - Fernando BerlitzCurso Validação Métodos - Congresso SBAC 2009 - Fernando Berlitz
Curso Validação Métodos - Congresso SBAC 2009 - Fernando Berlitz
Fernando Berlitz
 

Mais de Fernando Berlitz (12)

Proceso de Excelencia: Cómo manejamos estos conceptos actualmente.
Proceso de Excelencia: Cómo manejamos estos conceptos actualmente.  Proceso de Excelencia: Cómo manejamos estos conceptos actualmente.
Proceso de Excelencia: Cómo manejamos estos conceptos actualmente.
 
"Do you know what you're paying for? How Four Laboratories used 21st Century ...
"Do you know what you're paying for? How Four Laboratories used 21st Century ..."Do you know what you're paying for? How Four Laboratories used 21st Century ...
"Do you know what you're paying for? How Four Laboratories used 21st Century ...
 
REDESENHO DE PROCESSOS TÉCNICOS E ADEQUAÇÃO DE ESTRUTURA GERENCIAL: ALINHANDO...
REDESENHO DE PROCESSOS TÉCNICOS E ADEQUAÇÃO DE ESTRUTURA GERENCIAL: ALINHANDO...REDESENHO DE PROCESSOS TÉCNICOS E ADEQUAÇÃO DE ESTRUTURA GERENCIAL: ALINHANDO...
REDESENHO DE PROCESSOS TÉCNICOS E ADEQUAÇÃO DE ESTRUTURA GERENCIAL: ALINHANDO...
 
A PROPOSED APPROACH TO ANALYTICAL METHOD LONG-TERM STABILITY ASSESSMENT
A PROPOSED APPROACH TO ANALYTICAL METHOD LONG-TERM STABILITY ASSESSMENTA PROPOSED APPROACH TO ANALYTICAL METHOD LONG-TERM STABILITY ASSESSMENT
A PROPOSED APPROACH TO ANALYTICAL METHOD LONG-TERM STABILITY ASSESSMENT
 
Modelo PEEM - Maturidade processos
Modelo PEEM - Maturidade processosModelo PEEM - Maturidade processos
Modelo PEEM - Maturidade processos
 
Projeto BPM em um Laboratório de Ensaios Especializados
Projeto BPM em um Laboratório de Ensaios EspecializadosProjeto BPM em um Laboratório de Ensaios Especializados
Projeto BPM em um Laboratório de Ensaios Especializados
 
DETERMINAÇÃO DE INTERVALOS DE REFERÊNCIA PEDIÁTRICOS PARA HEMOGLOBINA E HEMAT...
DETERMINAÇÃO DE INTERVALOS DE REFERÊNCIA PEDIÁTRICOS PARA HEMOGLOBINA E HEMAT...DETERMINAÇÃO DE INTERVALOS DE REFERÊNCIA PEDIÁTRICOS PARA HEMOGLOBINA E HEMAT...
DETERMINAÇÃO DE INTERVALOS DE REFERÊNCIA PEDIÁTRICOS PARA HEMOGLOBINA E HEMAT...
 
LABORATÓRIO CLÍNICO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA, DO PROJETO AOS RESULTADOS
LABORATÓRIO CLÍNICO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA, DO PROJETO AOS RESULTADOSLABORATÓRIO CLÍNICO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA, DO PROJETO AOS RESULTADOS
LABORATÓRIO CLÍNICO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA, DO PROJETO AOS RESULTADOS
 
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NO LABORATÓRIO CLÍNICO
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NO LABORATÓRIO CLÍNICOPLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NO LABORATÓRIO CLÍNICO
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO NO LABORATÓRIO CLÍNICO
 
Métricas de Controle de Processo
Métricas de Controle de ProcessoMétricas de Controle de Processo
Métricas de Controle de Processo
 
Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010
Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010
Apresentação - Indicadores de desempenho analítico - Congresso SBPC 2010
 
Curso Validação Métodos - Congresso SBAC 2009 - Fernando Berlitz
Curso Validação Métodos - Congresso SBAC 2009 - Fernando BerlitzCurso Validação Métodos - Congresso SBAC 2009 - Fernando Berlitz
Curso Validação Métodos - Congresso SBAC 2009 - Fernando Berlitz
 

PLANEJAMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS E SEGURANÇA DO PACIENTE

  • 1. PLANEJAMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS E SEGURANÇA DO PACIENTE BERLITZ F. A.; BLOEMER, M. C. M. Poster n° 141 Ghanem Laboratório Clínico - Santa Catarina, Brasil Trabalho selecionado para apresentação oral (47) 3028.3001 – (47) 9172.9136 sustentabilidade@grupoghanem.com.br Introdução Resultados Segundo a ISO 31000:2009 a Gestão de Riscos consiste “em atividades coordenadas para dirigir e controlar uma organização no que diz respeito ao risco”. Risco é o efeito da incerteza sobre os objetivos. Quando nos propomos a realizar um processo, atividade ou projeto, qualquer situação que desvie do objetivo pode ser considerada um risco. A atividade de saúde tem risco inerente e atribuível. O risco atribuível é aquele sobre o qual temos gerência e, portanto, pode ser eliminado ou reduzido a risco residual. Um dos principais riscos relacionados ao processo dos serviços de saúde está relacionado à Segurança do Paciente. Assim, considera-se essencial a definição e implementação de políticas e processos visando a Gestão de Riscos e Segurança dos Pacientes nos laboratórios clínicos. Segundo a OMS (2009), entende-se como Segurança do Paciente, “a redução, ao mínimo aceitável, do risco do dano desnecessário associado à assistência a saúde”. Visando formalizar o seu comprometimento histórico com a Segurança do Paciente, o Estratificação, priorização e plano de controle para riscos mapeados com relação à Segurança do Paciente Ghanem Laboratório Clínico definiu, no início de 2012, o COMPROMISSO GHANEM COM A GESTÃO DE RISCOS E SEGURANÇA DO PACIENTE: “Respeitamos a Vida, atuamos com excelência e somos comprometidos com todos os aspectos relacionados à segurança de nossos clientes. Entendemos que a competitividade no negócio é resultado de uma atuação ética e legal, com geração de valor para todos os steakholders, associada à melhoria contínua de processos e minimização dos riscos associados à operação”. Capacitações das equipes no novo Sistema de Gestão de Riscos e Com esse norteador principal, foi planejado e implantado o Sistema de Gestão de Riscos e Mapeamento de riscos relacionados à Segurança do Paciente Segurança do Paciente: presencial e vídeo Segurança do Paciente (SGRSP) do Grupo Ghanem. Objetivos Demonstrar o planejamento e implantação de Sistema de Gestão de Riscos e Segurança do Paciente (SGRSP). Casuística e Métodos A partir da avaliação da necessidade de implantar sistema formal e abrangente para a gestão de riscos organizacionais e da segurança do paciente, foi criado um grupo para Processo padronizado para notificação e tratamento Formulário para notificação de eventos adversos relacionados à de eventos relacionados à Segurança do Paciente estudar o tema e propor um projeto com esse foco principal. Normas (PALC e ISO 31000), Riscos e Segurança da Paciente recomendações internacionais e Benchmarking de mercado foram estudados e, alinhando estes à cultura organizacional e norteadores estratégicos, foram geradas diretrizes específicas, incluindo a geração de uma política, objetivos e metas. Todos os principais processos de negócio foram mapeados segundo a dimensão de riscos e segurança do Conclusões paciente, com identificação de pontos de atenção e priorização para ações corretivas e preventivas (critérios: gravidade e probabilidade; 4 níveis de prioridade). Procedimentos Mesmo que ações pontuais visando a gestão de riscos e segurança do paciente já documentados foram padronizados para o SGRSP e seus principais processos. Para a gestão estivessem sendo implementadas, o planejamento global de um SGRSP, motivado da eficácia do SGRSP, um sistema de medição para estes processos foi planejado e principalmente pelas recomendações da Norma PALC, geraram expressivos ganhos incorporado à gestão de indicadores da organização. Um sistema de notificação e análise para a organização, que pode monitorar continuamente os seus processos sob a de eventos foi implantado como prática de gestão abrangente a todos os processos da dimensão de riscos e segurança do paciente. organização. Após planejamento do SGRSP, este foi implantado e disseminado via O SGRSP permitiu intervenção ágil e proativa nos processos, contribuindo para a capacitações específicas. prevenção de eventos e minimização dos impactos ao laboratório e clientes. Referências Bibliográficas • Norma do Programa de Acreditação de Laboratórios Clínicos (PALC) - versão 2010. Sociedade Brasileira de Patologia Clínica e Medicina Laboratorial. • Shcolink, W. “Errar é Humano. Até que Ponto?”. Boletim ControlLab Qualifique. ControlLab. No. 27. Out 2009. • Plebani, M. The detection and prevention of errors in laboratory medicine. Ann Clin Biochem. 2010; 47: 101-110. • ABNT NBR ISO/IEC 31010:2012. Gestão de riscos - Técnicas para o processo de avaliação de riscos.