SlideShare uma empresa Scribd logo
EVAÍ OLIVEIRA 
LETRAS VERNÁCULAS – 4.º PERÍODO
 Parâmetros Curriculares Nacionais 
– base desenvolvida pelo Governo 
Federal, na qual educadores 
encontram referências para 
preparar suas aulas em todas as 
disciplinas e séries escolares.
 A linguagem e participação social 
têm estreita relação com o 
domínio da língua; 
 É por meio dela que o homem se 
comunica, tem acesso a 
informações, expressa e defende 
seu ponto de vista, partilha e/ou 
constrói visões de mundo, produz 
conhecimento.
 Assim, um projeto educativo 
contribui para a formação de 
cidadãos; 
 A linguagem pode estar em várias 
práticas sociais, e é produzida 
numa conversa de bar, numa lista 
de compras, numa carta.
 A Língua evolui a cada momento 
histórico; 
 A partir desta perspectiva, ela é 
um sistema de signos históricos e 
sociais que possibilita ao homem 
significar o mundo e a realidade.
 Todo texto se organiza dentro de um 
determinado gênero; que constitui 
formas diferentes de enunciados 
disponíveis na cultura, caracterizado 
por três elementos: conteúdo 
temático, estilo e construção 
composicional.
 Os gêneros dão forma ao texto e é por 
isso que quando um começa com “Era 
uma vez” não há dúvidas que aí 
encontra-se um conto; 
 Diante de “Senhoras e senhores”, a 
expectativa é ouvir um 
pronunciamento. E assim por diante.
 Aluno 
 Língua 
 Ensino
 O primeiro é o sujeito da ação; 
aquele que age sobre o 
conhecimento; 
 O segundo elemento tem como 
objeto do conhecimento a LP, tal 
como se fala e se escreve fora da 
escola.
 E a última variável corresponde ao 
ensino e à prática educacional, 
que organiza a medição entre 
sujeito e objeto do conhecimento.
 Cabe, portanto, à escola viabilizar 
o acesso dos alunos ao universo 
dos textos que circulam 
socialmente, ensinar a produzi-los 
e a interpretá-los.
Um exemplo: nas aulas de Língua 
Portuguesa não se ensina a 
trabalhar com textos expositivos, 
como os utilizados na área de 
história, geografia, ciências.
 E nem nas próprias matérias tais 
textos são usados, pois os 
professores consideram que 
trabalhar com esses escritos, é 
uma atividade específica da 
Língua Portuguesa.
 Todas as disciplinas têm a 
responsabilidade de ensinar e utilizar 
os textos de que fazem uso, mas é a 
Língua Portuguesa que tem o papel 
de fazê-lo de modo sistemático.
 No Brasil, existem variedades 
linguísticas em decorrência de 
cada classe social e estados 
(geograficamente falando), e essa 
diversidade muitas vezes é 
sinônimo de preconceito na 
sociedade.
 Este último deve ser enfrentado 
na escola como parte do objeto 
educacional.
 Para isso a Língua Portuguesa 
deve se livrar do mito “do que é 
certo”, que defende que se deve 
transmitir a escrita sendo o 
espelho da fala, e com isso seria 
preciso consertar a fala do aluno 
para que ele escreva bem.
 Esse tipo de conduta, além de 
desvalorizar a forma de falar de cada 
estudante, denota desconhecimento que 
a escrita de uma língua não corresponde 
inteiramente a nenhum dos seus 
dialetos, por mais que eles tenham 
prestigio num determinado momento 
histórico.
 A questão não é falar certo ou errado, 
mas saber com que forma utilizar a 
linguagem dentro de sala de aula; 
 Cabe à instituição educacional ensinar 
ao aluno a usufruir a língua oral nas 
diversas situações comunicativas.
 Não é papel da escola, ensinar o 
aluno a falar, isso é aprendido pela 
criança muito antes da idade escolar; 
 Expressar-se oralmente é algo que 
requer confiança de si mesmo.
 Para ocorrer a produção oral deve-se 
fazer o seguinte: atividades em grupo, 
no qual haja pesquisas e apresentação 
dos resultados; debates entre os 
alunos; oralidade de um texto criado 
pelo estudante e sua análise.
 Durante o estágio de 
alfabetização, o professor deveria 
ensinar o sistema alfabético da 
escrita e algumas conversações 
ortográficas do Português, o que 
garante ao aluno ler e escrever 
por si só.
 O segundo estágio se 
desenvolveria em duas linhas 
básicas: exercícios de redação e 
treinos ortográficos e gramaticais.
 Por trás desses dois estágios está 
a teoria que concebe a capacidade 
de produzir textos pelo próprio 
punho.
 Os dois processos ocorrem de 
forma simultânea, um diz respeito 
à aprendizagem de um 
conhecimento de natureza 
notacional: a escrita alfabética; 
 O outro se refere à aprendizagem 
da língua escrita.
 Deve-se trabalhar a leitura em 
sala de aula diariamente de forma 
silenciosa e em voz alta, porém, 
alguns cuidados devem ser 
tomados.
 Antes do aluno, ou grupo, fazer a 
leitura para o restante da classe, 
esta deve ser lida com os olhos, 
para uma análise prévia e 
conclusão de possíveis dúvidas.
 No caso de um texto gerar mais de 
uma interpretação entre as pessoas, 
estas deverão discutir até chegarem 
numa interpretação coerente entre 
todos; 
 O professor deve, apenas, mediar tal 
discussão.
 O ensino da ortografia se dá em 
forma de ditados, redações etc.; 
 Ainda que tenha um forte apelo à 
memória, a aprendizagem de tal não 
é um processo passivo, trata-se de 
uma construção individual.
 O trabalho com a normatização deve 
estar contextualizado nas situações 
em que os alunos tenham razões 
para escrever corretamente, em que 
a legibilidade seja fundamental, por 
que existem, de fato, leitores para a 
escrita que produzem.
 Diferente de outros aspectos, 
como a pontuação, as restrições 
ortográficas estão definidas 
basicamente no nível da palavra; 
 A primeira ideia é que a 
pontuação serviria para indicar as 
pausas na leitura em voz alta.
 Aprender a pontuar é aprender a 
reagrupar o fluxo do texto, de 
forma a indicar ao leitor os 
sentidos propostos pelo autor, 
obtendo os efeitos estilísticos.
 O escritor indica as separações 
(pontuando) e sua natureza 
(escolhendo o sinal), e com isso, 
estabelece as formas de articulação 
entre as partes que afetam as 
possibilidades de sentido.
 A LP deve levar em consideração os 
seguintes aspectos: sua utilização 
nas diferentes situações de 
comunicação de fato; as 
necessidades colocadas pelas 
situações de ensino e aprendizagem.
 É interessante levar os alunos 
para a biblioteca, para 
pesquisarem.
 Deve existir à disposição deles: 
textos de variados gêneros, livros 
dos mais diversos estilos, vídeos, 
jornais, revistas, recursos 
audiovisual, slides, cartazes, 
fotografias, transparências, gravador.
 Este, por exemplo, é útil para 
revisão oral: entonação, ritmo, 
redundância no uso de certos 
termos.
 http://www.infoescola.com/pedagogia/para 
metros-curriculares-nacionais-da-lingua-portuguesa/ 
 Parâmetros Curriculares Nacionais da Língua 
Portuguesa
Blogue Gramática Normativa (www.normativagrammatica.blogspot.com.br/)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sobre Análise Linguística.ppt
Sobre Análise Linguística.pptSobre Análise Linguística.ppt
Sobre Análise Linguística.ppt
AmandaBatista95
 
Eixo analise linguistica
Eixo analise linguisticaEixo analise linguistica
Eixo analise linguistica
Pactoufba
 
Linguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidadeLinguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidade
Karen Olivan
 
fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto)
 fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto) fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto)
fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto)
Taty Cruz
 
Teorias da enunciação
Teorias da enunciaçãoTeorias da enunciação
Teorias da enunciação
ma.no.el.ne.ves
 
Metáfora e Linguística Cognitiva
Metáfora e Linguística CognitivaMetáfora e Linguística Cognitiva
Metáfora e Linguística Cognitiva
Ge Homrich
 
Linguística textual
Linguística textualLinguística textual
Linguística textual
Fernanda Câmara
 
Aula iv introdução ao pensamento de bakhtin
Aula iv   introdução ao pensamento de bakhtinAula iv   introdução ao pensamento de bakhtin
Aula iv introdução ao pensamento de bakhtin
Professor Gleidison Carvalho
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
Carolina Loçasso Pereira
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
Adriana Pereira
 
Português instrumental I
Português instrumental IPortuguês instrumental I
Português instrumental I
Sinara Lustosa
 
Linguistica slides
Linguistica slidesLinguistica slides
Linguistica slides
facope
 
Leitura e Produção Textual
Leitura e Produção TextualLeitura e Produção Textual
Leitura e Produção Textual
Ewerton Gindri
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
marlospg
 
Fundamentos metodologia língua portuguesa
Fundamentos metodologia língua portuguesaFundamentos metodologia língua portuguesa
Fundamentos metodologia língua portuguesa
Glacemi Loch
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
Andriane Cursino
 
Leitura e produção
Leitura e produçãoLeitura e produção
Leitura e produção
Kelly Ariane Buás Bráz
 
Projeto de pesquia em língua Portuguesa
Projeto de pesquia em língua PortuguesaProjeto de pesquia em língua Portuguesa
Projeto de pesquia em língua Portuguesa
Jose Arnaldo Silva
 
Análise de (do) discurso
Análise de (do) discursoAnálise de (do) discurso
Tipologia e gênero textual
Tipologia e gênero textualTipologia e gênero textual
Tipologia e gênero textual
Andriane Cursino
 

Mais procurados (20)

Sobre Análise Linguística.ppt
Sobre Análise Linguística.pptSobre Análise Linguística.ppt
Sobre Análise Linguística.ppt
 
Eixo analise linguistica
Eixo analise linguisticaEixo analise linguistica
Eixo analise linguistica
 
Linguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidadeLinguagem, língua, escrita e oralidade
Linguagem, língua, escrita e oralidade
 
fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto)
 fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto) fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto)
fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto)
 
Teorias da enunciação
Teorias da enunciaçãoTeorias da enunciação
Teorias da enunciação
 
Metáfora e Linguística Cognitiva
Metáfora e Linguística CognitivaMetáfora e Linguística Cognitiva
Metáfora e Linguística Cognitiva
 
Linguística textual
Linguística textualLinguística textual
Linguística textual
 
Aula iv introdução ao pensamento de bakhtin
Aula iv   introdução ao pensamento de bakhtinAula iv   introdução ao pensamento de bakhtin
Aula iv introdução ao pensamento de bakhtin
 
Gêneros literários
Gêneros literáriosGêneros literários
Gêneros literários
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
 
Português instrumental I
Português instrumental IPortuguês instrumental I
Português instrumental I
 
Linguistica slides
Linguistica slidesLinguistica slides
Linguistica slides
 
Leitura e Produção Textual
Leitura e Produção TextualLeitura e Produção Textual
Leitura e Produção Textual
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
 
Fundamentos metodologia língua portuguesa
Fundamentos metodologia língua portuguesaFundamentos metodologia língua portuguesa
Fundamentos metodologia língua portuguesa
 
Introdução à literatura
Introdução à literaturaIntrodução à literatura
Introdução à literatura
 
Leitura e produção
Leitura e produçãoLeitura e produção
Leitura e produção
 
Projeto de pesquia em língua Portuguesa
Projeto de pesquia em língua PortuguesaProjeto de pesquia em língua Portuguesa
Projeto de pesquia em língua Portuguesa
 
Análise de (do) discurso
Análise de (do) discursoAnálise de (do) discurso
Análise de (do) discurso
 
Tipologia e gênero textual
Tipologia e gênero textualTipologia e gênero textual
Tipologia e gênero textual
 

Semelhante a PCNs de Língua Portuguesa

Estágio 1o.dia
Estágio   1o.diaEstágio   1o.dia
Estágio 1o.dia
literenata
 
Proposta curricular 2016 1º ano
Proposta curricular 2016   1º anoProposta curricular 2016   1º ano
Proposta curricular 2016 1º ano
Marcia Susana
 
Bloco2 alfabetizacao letramento_1
Bloco2 alfabetizacao letramento_1Bloco2 alfabetizacao letramento_1
Bloco2 alfabetizacao letramento_1
Gilberta Nogueira
 
Alfabetizacao e letramento_1
Alfabetizacao e letramento_1Alfabetizacao e letramento_1
Alfabetizacao e letramento_1
angelafreire
 
As concepções de ensino e de linguagem
As concepções de ensino e de linguagemAs concepções de ensino e de linguagem
As concepções de ensino e de linguagem
Lilian Buzato
 
Atividade avaliativa de encontro presencial
Atividade avaliativa de encontro presencialAtividade avaliativa de encontro presencial
Atividade avaliativa de encontro presencial
LOCIMAR MASSALAI
 
Aula 1 - Introdução ao estudo da linguagem na perspectiva psicológica.pptx
Aula 1 - Introdução ao estudo da linguagem na perspectiva psicológica.pptxAula 1 - Introdução ao estudo da linguagem na perspectiva psicológica.pptx
Aula 1 - Introdução ao estudo da linguagem na perspectiva psicológica.pptx
alessandrapereira773417
 
A formação-do-professor-alfabetizador-e-a-linguistica
A formação-do-professor-alfabetizador-e-a-linguisticaA formação-do-professor-alfabetizador-e-a-linguistica
A formação-do-professor-alfabetizador-e-a-linguistica
Fernanda Moliterno
 
A leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva socialA leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva social
UPE
 
A leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva socialA leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva social
UPE
 
Ler textos – sessões de questionamento pato
Ler textos – sessões de questionamento patoLer textos – sessões de questionamento pato
Ler textos – sessões de questionamento pato
Rosemary Batista
 
Professor alfabetizador e a Línguistica
Professor alfabetizador e a LínguisticaProfessor alfabetizador e a Línguistica
Professor alfabetizador e a Línguistica
Fernanda Moliterno
 
Direitos de aprendizagens do ciclo de alfabetização
Direitos de aprendizagens do ciclo de alfabetizaçãoDireitos de aprendizagens do ciclo de alfabetização
Direitos de aprendizagens do ciclo de alfabetização
Valéria Maciel
 
M. DA LÍNGUA PORrrrrrrTUGUESA - 02.pptx
M. DA LÍNGUA PORrrrrrrTUGUESA  - 02.pptxM. DA LÍNGUA PORrrrrrrTUGUESA  - 02.pptx
M. DA LÍNGUA PORrrrrrrTUGUESA - 02.pptx
EusbioAndrade1
 
Ii reunião alfabetização_eixos_norteadores
Ii reunião alfabetização_eixos_norteadoresIi reunião alfabetização_eixos_norteadores
Ii reunião alfabetização_eixos_norteadores
Rosemary Batista
 
Apresentação alfabetização e letramento
Apresentação alfabetização e letramentoApresentação alfabetização e letramento
Apresentação alfabetização e letramento
Vivi Veloso
 
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escritaAlfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
Jomari
 
sequecia didatica bliogr5afias do 3 ao 5 ano.pdf
sequecia didatica bliogr5afias do 3 ao 5 ano.pdfsequecia didatica bliogr5afias do 3 ao 5 ano.pdf
sequecia didatica bliogr5afias do 3 ao 5 ano.pdf
RaabedosSantosBorges
 
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula final
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula  finalUnidade 5 a diversidade textual em sala de aula  final
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula final
Naysa Taboada
 
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula final
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula  finalUnidade 5 a diversidade textual em sala de aula  final
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula final
Naysa Taboada
 

Semelhante a PCNs de Língua Portuguesa (20)

Estágio 1o.dia
Estágio   1o.diaEstágio   1o.dia
Estágio 1o.dia
 
Proposta curricular 2016 1º ano
Proposta curricular 2016   1º anoProposta curricular 2016   1º ano
Proposta curricular 2016 1º ano
 
Bloco2 alfabetizacao letramento_1
Bloco2 alfabetizacao letramento_1Bloco2 alfabetizacao letramento_1
Bloco2 alfabetizacao letramento_1
 
Alfabetizacao e letramento_1
Alfabetizacao e letramento_1Alfabetizacao e letramento_1
Alfabetizacao e letramento_1
 
As concepções de ensino e de linguagem
As concepções de ensino e de linguagemAs concepções de ensino e de linguagem
As concepções de ensino e de linguagem
 
Atividade avaliativa de encontro presencial
Atividade avaliativa de encontro presencialAtividade avaliativa de encontro presencial
Atividade avaliativa de encontro presencial
 
Aula 1 - Introdução ao estudo da linguagem na perspectiva psicológica.pptx
Aula 1 - Introdução ao estudo da linguagem na perspectiva psicológica.pptxAula 1 - Introdução ao estudo da linguagem na perspectiva psicológica.pptx
Aula 1 - Introdução ao estudo da linguagem na perspectiva psicológica.pptx
 
A formação-do-professor-alfabetizador-e-a-linguistica
A formação-do-professor-alfabetizador-e-a-linguisticaA formação-do-professor-alfabetizador-e-a-linguistica
A formação-do-professor-alfabetizador-e-a-linguistica
 
A leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva socialA leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva social
 
A leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva socialA leitura numa perspectiva social
A leitura numa perspectiva social
 
Ler textos – sessões de questionamento pato
Ler textos – sessões de questionamento patoLer textos – sessões de questionamento pato
Ler textos – sessões de questionamento pato
 
Professor alfabetizador e a Línguistica
Professor alfabetizador e a LínguisticaProfessor alfabetizador e a Línguistica
Professor alfabetizador e a Línguistica
 
Direitos de aprendizagens do ciclo de alfabetização
Direitos de aprendizagens do ciclo de alfabetizaçãoDireitos de aprendizagens do ciclo de alfabetização
Direitos de aprendizagens do ciclo de alfabetização
 
M. DA LÍNGUA PORrrrrrrTUGUESA - 02.pptx
M. DA LÍNGUA PORrrrrrrTUGUESA  - 02.pptxM. DA LÍNGUA PORrrrrrrTUGUESA  - 02.pptx
M. DA LÍNGUA PORrrrrrrTUGUESA - 02.pptx
 
Ii reunião alfabetização_eixos_norteadores
Ii reunião alfabetização_eixos_norteadoresIi reunião alfabetização_eixos_norteadores
Ii reunião alfabetização_eixos_norteadores
 
Apresentação alfabetização e letramento
Apresentação alfabetização e letramentoApresentação alfabetização e letramento
Apresentação alfabetização e letramento
 
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escritaAlfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
Alfabetização, letramento, variedade linguística, leitura, escrita
 
sequecia didatica bliogr5afias do 3 ao 5 ano.pdf
sequecia didatica bliogr5afias do 3 ao 5 ano.pdfsequecia didatica bliogr5afias do 3 ao 5 ano.pdf
sequecia didatica bliogr5afias do 3 ao 5 ano.pdf
 
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula final
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula  finalUnidade 5 a diversidade textual em sala de aula  final
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula final
 
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula final
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula  finalUnidade 5 a diversidade textual em sala de aula  final
Unidade 5 a diversidade textual em sala de aula final
 

Mais de Evaí Oliveira

Questões de Literatura - ENEM 2011
Questões de Literatura - ENEM 2011Questões de Literatura - ENEM 2011
Questões de Literatura - ENEM 2011
Evaí Oliveira
 
Questões de Literatura - ENEM 2010
Questões de Literatura - ENEM 2010Questões de Literatura - ENEM 2010
Questões de Literatura - ENEM 2010
Evaí Oliveira
 
Questões - termos da oração
Questões - termos da oraçãoQuestões - termos da oração
Questões - termos da oração
Evaí Oliveira
 
O Golpe da Raposa
O Golpe da RaposaO Golpe da Raposa
O Golpe da Raposa
Evaí Oliveira
 
Fonética e Fonologia
Fonética e FonologiaFonética e Fonologia
Fonética e Fonologia
Evaí Oliveira
 
Conto - Segredos do Mar
Conto - Segredos do MarConto - Segredos do Mar
Conto - Segredos do Mar
Evaí Oliveira
 
Conto - O Sequestro
Conto - O SequestroConto - O Sequestro
Conto - O Sequestro
Evaí Oliveira
 
Conto - O Ganhador da Promoção
Conto - O Ganhador da PromoçãoConto - O Ganhador da Promoção
Conto - O Ganhador da Promoção
Evaí Oliveira
 
A Reunião dos Gatos
A Reunião dos GatosA Reunião dos Gatos
A Reunião dos Gatos
Evaí Oliveira
 
Caso 01: Morta pela boca
Caso 01: Morta pela bocaCaso 01: Morta pela boca
Caso 01: Morta pela boca
Evaí Oliveira
 
Variedades na comunicação oral
Variedades na comunicação oralVariedades na comunicação oral
Variedades na comunicação oral
Evaí Oliveira
 
Castro Alves - O Poeta dos Escravos
Castro Alves - O Poeta dos EscravosCastro Alves - O Poeta dos Escravos
Castro Alves - O Poeta dos Escravos
Evaí Oliveira
 
Incentivo à Leitura
Incentivo à LeituraIncentivo à Leitura
Incentivo à Leitura
Evaí Oliveira
 
Estrutura e Funcionamento dos Níveis e Modalidades de Ensino
Estrutura e Funcionamento dos Níveis e Modalidades de EnsinoEstrutura e Funcionamento dos Níveis e Modalidades de Ensino
Estrutura e Funcionamento dos Níveis e Modalidades de Ensino
Evaí Oliveira
 
Biografia de Padre António Vieira
Biografia de Padre António VieiraBiografia de Padre António Vieira
Biografia de Padre António Vieira
Evaí Oliveira
 
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 2
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 2Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 2
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 2
Evaí Oliveira
 
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 1
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 1Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 1
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 1
Evaí Oliveira
 
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 3
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 3Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 3
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 3
Evaí Oliveira
 
Pronomes de tratamento
Pronomes de tratamentoPronomes de tratamento
Pronomes de tratamento
Evaí Oliveira
 
Questões - Regência Verbal e Nominal
Questões - Regência Verbal e NominalQuestões - Regência Verbal e Nominal
Questões - Regência Verbal e Nominal
Evaí Oliveira
 

Mais de Evaí Oliveira (20)

Questões de Literatura - ENEM 2011
Questões de Literatura - ENEM 2011Questões de Literatura - ENEM 2011
Questões de Literatura - ENEM 2011
 
Questões de Literatura - ENEM 2010
Questões de Literatura - ENEM 2010Questões de Literatura - ENEM 2010
Questões de Literatura - ENEM 2010
 
Questões - termos da oração
Questões - termos da oraçãoQuestões - termos da oração
Questões - termos da oração
 
O Golpe da Raposa
O Golpe da RaposaO Golpe da Raposa
O Golpe da Raposa
 
Fonética e Fonologia
Fonética e FonologiaFonética e Fonologia
Fonética e Fonologia
 
Conto - Segredos do Mar
Conto - Segredos do MarConto - Segredos do Mar
Conto - Segredos do Mar
 
Conto - O Sequestro
Conto - O SequestroConto - O Sequestro
Conto - O Sequestro
 
Conto - O Ganhador da Promoção
Conto - O Ganhador da PromoçãoConto - O Ganhador da Promoção
Conto - O Ganhador da Promoção
 
A Reunião dos Gatos
A Reunião dos GatosA Reunião dos Gatos
A Reunião dos Gatos
 
Caso 01: Morta pela boca
Caso 01: Morta pela bocaCaso 01: Morta pela boca
Caso 01: Morta pela boca
 
Variedades na comunicação oral
Variedades na comunicação oralVariedades na comunicação oral
Variedades na comunicação oral
 
Castro Alves - O Poeta dos Escravos
Castro Alves - O Poeta dos EscravosCastro Alves - O Poeta dos Escravos
Castro Alves - O Poeta dos Escravos
 
Incentivo à Leitura
Incentivo à LeituraIncentivo à Leitura
Incentivo à Leitura
 
Estrutura e Funcionamento dos Níveis e Modalidades de Ensino
Estrutura e Funcionamento dos Níveis e Modalidades de EnsinoEstrutura e Funcionamento dos Níveis e Modalidades de Ensino
Estrutura e Funcionamento dos Níveis e Modalidades de Ensino
 
Biografia de Padre António Vieira
Biografia de Padre António VieiraBiografia de Padre António Vieira
Biografia de Padre António Vieira
 
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 2
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 2Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 2
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 2
 
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 1
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 1Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 1
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 1
 
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 3
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 3Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 3
Questões de Língua Portuguesa de Vestibulares - Módulo 3
 
Pronomes de tratamento
Pronomes de tratamentoPronomes de tratamento
Pronomes de tratamento
 
Questões - Regência Verbal e Nominal
Questões - Regência Verbal e NominalQuestões - Regência Verbal e Nominal
Questões - Regência Verbal e Nominal
 

Último

Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Falcão Brasil
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 

PCNs de Língua Portuguesa

  • 1. EVAÍ OLIVEIRA LETRAS VERNÁCULAS – 4.º PERÍODO
  • 2.  Parâmetros Curriculares Nacionais – base desenvolvida pelo Governo Federal, na qual educadores encontram referências para preparar suas aulas em todas as disciplinas e séries escolares.
  • 3.  A linguagem e participação social têm estreita relação com o domínio da língua;  É por meio dela que o homem se comunica, tem acesso a informações, expressa e defende seu ponto de vista, partilha e/ou constrói visões de mundo, produz conhecimento.
  • 4.  Assim, um projeto educativo contribui para a formação de cidadãos;  A linguagem pode estar em várias práticas sociais, e é produzida numa conversa de bar, numa lista de compras, numa carta.
  • 5.  A Língua evolui a cada momento histórico;  A partir desta perspectiva, ela é um sistema de signos históricos e sociais que possibilita ao homem significar o mundo e a realidade.
  • 6.  Todo texto se organiza dentro de um determinado gênero; que constitui formas diferentes de enunciados disponíveis na cultura, caracterizado por três elementos: conteúdo temático, estilo e construção composicional.
  • 7.  Os gêneros dão forma ao texto e é por isso que quando um começa com “Era uma vez” não há dúvidas que aí encontra-se um conto;  Diante de “Senhoras e senhores”, a expectativa é ouvir um pronunciamento. E assim por diante.
  • 8.  Aluno  Língua  Ensino
  • 9.  O primeiro é o sujeito da ação; aquele que age sobre o conhecimento;  O segundo elemento tem como objeto do conhecimento a LP, tal como se fala e se escreve fora da escola.
  • 10.  E a última variável corresponde ao ensino e à prática educacional, que organiza a medição entre sujeito e objeto do conhecimento.
  • 11.  Cabe, portanto, à escola viabilizar o acesso dos alunos ao universo dos textos que circulam socialmente, ensinar a produzi-los e a interpretá-los.
  • 12. Um exemplo: nas aulas de Língua Portuguesa não se ensina a trabalhar com textos expositivos, como os utilizados na área de história, geografia, ciências.
  • 13.  E nem nas próprias matérias tais textos são usados, pois os professores consideram que trabalhar com esses escritos, é uma atividade específica da Língua Portuguesa.
  • 14.  Todas as disciplinas têm a responsabilidade de ensinar e utilizar os textos de que fazem uso, mas é a Língua Portuguesa que tem o papel de fazê-lo de modo sistemático.
  • 15.  No Brasil, existem variedades linguísticas em decorrência de cada classe social e estados (geograficamente falando), e essa diversidade muitas vezes é sinônimo de preconceito na sociedade.
  • 16.  Este último deve ser enfrentado na escola como parte do objeto educacional.
  • 17.  Para isso a Língua Portuguesa deve se livrar do mito “do que é certo”, que defende que se deve transmitir a escrita sendo o espelho da fala, e com isso seria preciso consertar a fala do aluno para que ele escreva bem.
  • 18.  Esse tipo de conduta, além de desvalorizar a forma de falar de cada estudante, denota desconhecimento que a escrita de uma língua não corresponde inteiramente a nenhum dos seus dialetos, por mais que eles tenham prestigio num determinado momento histórico.
  • 19.  A questão não é falar certo ou errado, mas saber com que forma utilizar a linguagem dentro de sala de aula;  Cabe à instituição educacional ensinar ao aluno a usufruir a língua oral nas diversas situações comunicativas.
  • 20.  Não é papel da escola, ensinar o aluno a falar, isso é aprendido pela criança muito antes da idade escolar;  Expressar-se oralmente é algo que requer confiança de si mesmo.
  • 21.  Para ocorrer a produção oral deve-se fazer o seguinte: atividades em grupo, no qual haja pesquisas e apresentação dos resultados; debates entre os alunos; oralidade de um texto criado pelo estudante e sua análise.
  • 22.  Durante o estágio de alfabetização, o professor deveria ensinar o sistema alfabético da escrita e algumas conversações ortográficas do Português, o que garante ao aluno ler e escrever por si só.
  • 23.  O segundo estágio se desenvolveria em duas linhas básicas: exercícios de redação e treinos ortográficos e gramaticais.
  • 24.  Por trás desses dois estágios está a teoria que concebe a capacidade de produzir textos pelo próprio punho.
  • 25.  Os dois processos ocorrem de forma simultânea, um diz respeito à aprendizagem de um conhecimento de natureza notacional: a escrita alfabética;  O outro se refere à aprendizagem da língua escrita.
  • 26.  Deve-se trabalhar a leitura em sala de aula diariamente de forma silenciosa e em voz alta, porém, alguns cuidados devem ser tomados.
  • 27.  Antes do aluno, ou grupo, fazer a leitura para o restante da classe, esta deve ser lida com os olhos, para uma análise prévia e conclusão de possíveis dúvidas.
  • 28.  No caso de um texto gerar mais de uma interpretação entre as pessoas, estas deverão discutir até chegarem numa interpretação coerente entre todos;  O professor deve, apenas, mediar tal discussão.
  • 29.  O ensino da ortografia se dá em forma de ditados, redações etc.;  Ainda que tenha um forte apelo à memória, a aprendizagem de tal não é um processo passivo, trata-se de uma construção individual.
  • 30.  O trabalho com a normatização deve estar contextualizado nas situações em que os alunos tenham razões para escrever corretamente, em que a legibilidade seja fundamental, por que existem, de fato, leitores para a escrita que produzem.
  • 31.  Diferente de outros aspectos, como a pontuação, as restrições ortográficas estão definidas basicamente no nível da palavra;  A primeira ideia é que a pontuação serviria para indicar as pausas na leitura em voz alta.
  • 32.  Aprender a pontuar é aprender a reagrupar o fluxo do texto, de forma a indicar ao leitor os sentidos propostos pelo autor, obtendo os efeitos estilísticos.
  • 33.  O escritor indica as separações (pontuando) e sua natureza (escolhendo o sinal), e com isso, estabelece as formas de articulação entre as partes que afetam as possibilidades de sentido.
  • 34.  A LP deve levar em consideração os seguintes aspectos: sua utilização nas diferentes situações de comunicação de fato; as necessidades colocadas pelas situações de ensino e aprendizagem.
  • 35.  É interessante levar os alunos para a biblioteca, para pesquisarem.
  • 36.  Deve existir à disposição deles: textos de variados gêneros, livros dos mais diversos estilos, vídeos, jornais, revistas, recursos audiovisual, slides, cartazes, fotografias, transparências, gravador.
  • 37.  Este, por exemplo, é útil para revisão oral: entonação, ritmo, redundância no uso de certos termos.
  • 38.  http://www.infoescola.com/pedagogia/para metros-curriculares-nacionais-da-lingua-portuguesa/  Parâmetros Curriculares Nacionais da Língua Portuguesa
  • 39. Blogue Gramática Normativa (www.normativagrammatica.blogspot.com.br/)