SlideShare uma empresa Scribd logo
Parnasianismo e Simbolismo Características e principais autores
Parnasianismo :
Origem do movimento parnasiano: O movimento parnasiano surgiu na França, com a publicação de uma série de antologias denominadas Parnaso – contemporâneo. Por meio delas, pregava-se um novo modo de fazer poemas: sem o subjetivismo e a emoção dos poetas românticos.
Origem do nome: O nome parnasianismo foi inspirado na mitologia grega, parnaso era o no- me de um monte na Grécia consagrado a Apolo (deus da luz e das artes) e às Musas (entidades mitológicas ligadas à arte).
Principais características: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Poesia descritiva: “ Invejo o ourives quando escrevo: imito o amor com que ele, em ouro o alto relevo faz de uma flor.” (Olavo Bilac)
Principais autores:
Olavo Bilac ,[object Object]
Alberto de Oliveira ,[object Object]
Raimundo Correia ,[object Object]
Vicente de Carvalho ,[object Object]
Simbolismo
Origem do movimento simbolista: O movimento simbolista também surgiu na França, final do século XIX, opondo-se ao Realismo – Naturalismo. A partir de 1881, na França, pin- tores, autores teatrais e escritores influenciados pelo misticismo advin- do do intercâmbio com as artes, com o pensamento em religiões orien- tais, procuravam refletir em suas produções a consonância e essas dife- rentes formas de olhar sobre o mundo, de ver e demonstrar o sentimen- to humano.
Principais características: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Uso da imaginação
Espírito X matéria X
Morte = liberdade da alma =
A mulher, envolvida num clima de sonho
Comparação da poesia com a música: “ Enche de estranhas vibrações sonoras A tua Estrofe, majestosamente... Põe nela todo o incêndio das auroras Para torná-la emocional e ardente.” Cruz e Sousa
Sinestesia Sinestesia  é a percepção através do tato, olfato, paladar, audição e  visão. “ Indefiníveis músicas Supremas/harmonias da cor e do perfume  /.../horas do ocaso, trêmulas, extremas... Cruz e Sousa
Aliterações e assonâncias Repetições de sons consonantais e vocálicos: Supremas, trêmulas, extremas
Principais representantes do Simbolismo no Brasil:
Cruz e Sousa Filho de ex-escravos, sofreu com o preconceito racial e procurou fu- gir desse problema social através da espiritualidade poética. Seus te- mas giram em torno dos mistérios de vida e da morte, do enigma, da existência de Deus, voltando frequentemente para os marginalizados e miseráveis. Foi considerado o melhor poeta simbolista brasileiro, e seus livros Missal e Broquéis são marcos iniciais do Simbolismo no Brasil.
Alphonsus de Guimaraens Poesia espiritualista, carregada pela atmosfera de rituais religiosos, sonhos e melancolia, seu lirismo opõe-se à explosão de Cruz e Sousa. Linguagem simples, mas soube extrair um grande efeito musical da  forma poética que utilizou, era o acento medievalista. Seu lirismo me- lancólico dava um hemisfério envolvente em suas poesias.
Blog Literatura Brasileira Digital elaineruizcederj.blogspot.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Poesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernistaPoesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernista
Luciene Gomes
 
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
Zenia Ferreira
 
Parnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiroParnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiro
Andréia Peixoto
 
Romantismo prosa
Romantismo prosaRomantismo prosa
Resumo das escola literárias.
Resumo das escola literárias.Resumo das escola literárias.
Resumo das escola literárias.
Ajudar Pessoas
 
Arcadismo no Brasil
Arcadismo no BrasilArcadismo no Brasil
Arcadismo no Brasil
Rayane Anchieta
 
1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo
Luciene Gomes
 
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIASLITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
Amelia Barros
 
O modernismo brasileiro
O modernismo brasileiroO modernismo brasileiro
O modernismo brasileiro
Junior Onildo
 
Literatura brasileira
Literatura brasileiraLiteratura brasileira
Literatura brasileira
Fernando Henning
 
Parnasianismo e Simbolismo
Parnasianismo e SimbolismoParnasianismo e Simbolismo
Parnasianismo e Simbolismo
Cynthia Funchal
 
Literaturas Africanas de Língua Portuguesa
Literaturas Africanas de Língua PortuguesaLiteraturas Africanas de Língua Portuguesa
Literaturas Africanas de Língua Portuguesa
Jirede Abisai
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Cláudia Heloísa
 
Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..
guesta61019
 
Romantismo contexto histórico e características
Romantismo   contexto histórico e característicasRomantismo   contexto histórico e características
Romantismo contexto histórico e características
VIVIAN TROMBINI
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Cláudia Heloísa
 
Parnasianismo
ParnasianismoParnasianismo
Parnasianismo
Andriane Cursino
 
Modernismo brasileiro 1ª geração
Modernismo brasileiro 1ª geraçãoModernismo brasileiro 1ª geração
Modernismo brasileiro 1ª geração
Carolina Loçasso Pereira
 
Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)
Equipemundi2014
 

Mais procurados (20)

Poesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernistaPoesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernista
 
Pré modernismo-slides
Pré modernismo-slidesPré modernismo-slides
Pré modernismo-slides
 
Parnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiroParnasianismo brasileiro
Parnasianismo brasileiro
 
Romantismo prosa
Romantismo prosaRomantismo prosa
Romantismo prosa
 
Resumo das escola literárias.
Resumo das escola literárias.Resumo das escola literárias.
Resumo das escola literárias.
 
Arcadismo no Brasil
Arcadismo no BrasilArcadismo no Brasil
Arcadismo no Brasil
 
1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo1ª fase do modernismo
1ª fase do modernismo
 
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIASLITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
LITERATURA: ESCOLAS LITERÁRIAS
 
O modernismo brasileiro
O modernismo brasileiroO modernismo brasileiro
O modernismo brasileiro
 
Literatura brasileira
Literatura brasileiraLiteratura brasileira
Literatura brasileira
 
Parnasianismo e Simbolismo
Parnasianismo e SimbolismoParnasianismo e Simbolismo
Parnasianismo e Simbolismo
 
Literaturas Africanas de Língua Portuguesa
Literaturas Africanas de Língua PortuguesaLiteraturas Africanas de Língua Portuguesa
Literaturas Africanas de Língua Portuguesa
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..Arcadismo[1]..
Arcadismo[1]..
 
Romantismo contexto histórico e características
Romantismo   contexto histórico e característicasRomantismo   contexto histórico e características
Romantismo contexto histórico e características
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Parnasianismo
ParnasianismoParnasianismo
Parnasianismo
 
Modernismo brasileiro 1ª geração
Modernismo brasileiro 1ª geraçãoModernismo brasileiro 1ª geração
Modernismo brasileiro 1ª geração
 
Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)Ppt realismo (1)
Ppt realismo (1)
 

Semelhante a Parnasianismo e simbolismo

simbolismo-120918170412-phpapp02 (2).pdf
simbolismo-120918170412-phpapp02 (2).pdfsimbolismo-120918170412-phpapp02 (2).pdf
simbolismo-120918170412-phpapp02 (2).pdf
MnicaOliveira567571
 
Aula 18 simbolismo em portugal e no brasil
Aula 18   simbolismo em portugal e no brasilAula 18   simbolismo em portugal e no brasil
Aula 18 simbolismo em portugal e no brasil
Jonatas Carlos
 
18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasil
18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasil18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasil
18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasil
AlineEliasReisSantos
 
Simbolismo teoria
Simbolismo teoriaSimbolismo teoria
Simbolismo teoria
VIVIAN TROMBINI
 
Antologia Poética - Vinícius de Moraes - 3ª A - 2011
Antologia Poética - Vinícius de Moraes - 3ª A - 2011Antologia Poética - Vinícius de Moraes - 3ª A - 2011
Antologia Poética - Vinícius de Moraes - 3ª A - 2011
Maria Inês de Souza Vitorino Justino
 
Parnasianismo
ParnasianismoParnasianismo
Parnasianismo
Walace Cestari
 
Simbolismo 2
Simbolismo 2Simbolismo 2
Simbolismo 2
patrick sousa
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Alef Santana
 
Literatura simbolismo
Literatura simbolismoLiteratura simbolismo
Literatura simbolismo
Ana Maria Marques
 
Simbolismo Site
Simbolismo SiteSimbolismo Site
Simbolismo Site
andreguerra
 
O que é simbolismo
O que é simbolismoO que é simbolismo
O que é simbolismo
William Barcellos
 
Unid 3 2gerlane
Unid 3 2gerlaneUnid 3 2gerlane
Unid 3 2gerlane
Ione Dias de Oliveira
 
Unid 3 2gerlane
Unid 3 2gerlaneUnid 3 2gerlane
Unid 3 2gerlane
Gerlane Galvao
 
Parnasianismo
ParnasianismoParnasianismo
Parnasianismo
Ione Dias de Oliveira
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
Josi Motta
 
Mito e poesia
Mito e poesiaMito e poesia
Mito e poesia
Jamille Rabelo
 
Simbol+pré+mod
Simbol+pré+modSimbol+pré+mod
Simbol+pré+mod
Josi Motta
 
Pessoa heteronimos
Pessoa heteronimosPessoa heteronimos
Pessoa heteronimos
FernandoLima654843
 
Literatura simbolismo
Literatura simbolismoLiteratura simbolismo
Literatura simbolismo
José Ricardo Lima
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
Josi Motta
 

Semelhante a Parnasianismo e simbolismo (20)

simbolismo-120918170412-phpapp02 (2).pdf
simbolismo-120918170412-phpapp02 (2).pdfsimbolismo-120918170412-phpapp02 (2).pdf
simbolismo-120918170412-phpapp02 (2).pdf
 
Aula 18 simbolismo em portugal e no brasil
Aula 18   simbolismo em portugal e no brasilAula 18   simbolismo em portugal e no brasil
Aula 18 simbolismo em portugal e no brasil
 
18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasil
18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasil18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasil
18 simbolismo-em-portugal-e-no-brasil
 
Simbolismo teoria
Simbolismo teoriaSimbolismo teoria
Simbolismo teoria
 
Antologia Poética - Vinícius de Moraes - 3ª A - 2011
Antologia Poética - Vinícius de Moraes - 3ª A - 2011Antologia Poética - Vinícius de Moraes - 3ª A - 2011
Antologia Poética - Vinícius de Moraes - 3ª A - 2011
 
Parnasianismo
ParnasianismoParnasianismo
Parnasianismo
 
Simbolismo 2
Simbolismo 2Simbolismo 2
Simbolismo 2
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 
Literatura simbolismo
Literatura simbolismoLiteratura simbolismo
Literatura simbolismo
 
Simbolismo Site
Simbolismo SiteSimbolismo Site
Simbolismo Site
 
O que é simbolismo
O que é simbolismoO que é simbolismo
O que é simbolismo
 
Unid 3 2gerlane
Unid 3 2gerlaneUnid 3 2gerlane
Unid 3 2gerlane
 
Unid 3 2gerlane
Unid 3 2gerlaneUnid 3 2gerlane
Unid 3 2gerlane
 
Parnasianismo
ParnasianismoParnasianismo
Parnasianismo
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
 
Mito e poesia
Mito e poesiaMito e poesia
Mito e poesia
 
Simbol+pré+mod
Simbol+pré+modSimbol+pré+mod
Simbol+pré+mod
 
Pessoa heteronimos
Pessoa heteronimosPessoa heteronimos
Pessoa heteronimos
 
Literatura simbolismo
Literatura simbolismoLiteratura simbolismo
Literatura simbolismo
 
Simbolismo
SimbolismoSimbolismo
Simbolismo
 

Mais de Elaine Blogger

Função de linguagem
Função de linguagemFunção de linguagem
Função de linguagem
Elaine Blogger
 
O cortiço - Aluísio Azevedo
O cortiço - Aluísio AzevedoO cortiço - Aluísio Azevedo
O cortiço - Aluísio Azevedo
Elaine Blogger
 
Figuras de linguagem resumo
Figuras de linguagem resumoFiguras de linguagem resumo
Figuras de linguagem resumo
Elaine Blogger
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
Elaine Blogger
 
Pré modernismo
Pré modernismoPré modernismo
Pré modernismo
Elaine Blogger
 
Tropicália
TropicáliaTropicália
Tropicália
Elaine Blogger
 
Concretismo
ConcretismoConcretismo
Concretismo
Elaine Blogger
 
Primeira fase do modernismo
Primeira fase do modernismoPrimeira fase do modernismo
Primeira fase do modernismo
Elaine Blogger
 

Mais de Elaine Blogger (8)

Função de linguagem
Função de linguagemFunção de linguagem
Função de linguagem
 
O cortiço - Aluísio Azevedo
O cortiço - Aluísio AzevedoO cortiço - Aluísio Azevedo
O cortiço - Aluísio Azevedo
 
Figuras de linguagem resumo
Figuras de linguagem resumoFiguras de linguagem resumo
Figuras de linguagem resumo
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Pré modernismo
Pré modernismoPré modernismo
Pré modernismo
 
Tropicália
TropicáliaTropicália
Tropicália
 
Concretismo
ConcretismoConcretismo
Concretismo
 
Primeira fase do modernismo
Primeira fase do modernismoPrimeira fase do modernismo
Primeira fase do modernismo
 

Último

Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 

Último (20)

Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 

Parnasianismo e simbolismo

  • 1. Parnasianismo e Simbolismo Características e principais autores
  • 3. Origem do movimento parnasiano: O movimento parnasiano surgiu na França, com a publicação de uma série de antologias denominadas Parnaso – contemporâneo. Por meio delas, pregava-se um novo modo de fazer poemas: sem o subjetivismo e a emoção dos poetas românticos.
  • 4. Origem do nome: O nome parnasianismo foi inspirado na mitologia grega, parnaso era o no- me de um monte na Grécia consagrado a Apolo (deus da luz e das artes) e às Musas (entidades mitológicas ligadas à arte).
  • 5.
  • 6. Poesia descritiva: “ Invejo o ourives quando escrevo: imito o amor com que ele, em ouro o alto relevo faz de uma flor.” (Olavo Bilac)
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 13. Origem do movimento simbolista: O movimento simbolista também surgiu na França, final do século XIX, opondo-se ao Realismo – Naturalismo. A partir de 1881, na França, pin- tores, autores teatrais e escritores influenciados pelo misticismo advin- do do intercâmbio com as artes, com o pensamento em religiões orien- tais, procuravam refletir em suas produções a consonância e essas dife- rentes formas de olhar sobre o mundo, de ver e demonstrar o sentimen- to humano.
  • 14.
  • 17. Morte = liberdade da alma =
  • 18. A mulher, envolvida num clima de sonho
  • 19. Comparação da poesia com a música: “ Enche de estranhas vibrações sonoras A tua Estrofe, majestosamente... Põe nela todo o incêndio das auroras Para torná-la emocional e ardente.” Cruz e Sousa
  • 20. Sinestesia Sinestesia é a percepção através do tato, olfato, paladar, audição e visão. “ Indefiníveis músicas Supremas/harmonias da cor e do perfume /.../horas do ocaso, trêmulas, extremas... Cruz e Sousa
  • 21. Aliterações e assonâncias Repetições de sons consonantais e vocálicos: Supremas, trêmulas, extremas
  • 22. Principais representantes do Simbolismo no Brasil:
  • 23. Cruz e Sousa Filho de ex-escravos, sofreu com o preconceito racial e procurou fu- gir desse problema social através da espiritualidade poética. Seus te- mas giram em torno dos mistérios de vida e da morte, do enigma, da existência de Deus, voltando frequentemente para os marginalizados e miseráveis. Foi considerado o melhor poeta simbolista brasileiro, e seus livros Missal e Broquéis são marcos iniciais do Simbolismo no Brasil.
  • 24. Alphonsus de Guimaraens Poesia espiritualista, carregada pela atmosfera de rituais religiosos, sonhos e melancolia, seu lirismo opõe-se à explosão de Cruz e Sousa. Linguagem simples, mas soube extrair um grande efeito musical da forma poética que utilizou, era o acento medievalista. Seu lirismo me- lancólico dava um hemisfério envolvente em suas poesias.
  • 25. Blog Literatura Brasileira Digital elaineruizcederj.blogspot.com