SlideShare uma empresa Scribd logo
Palestrante: Dalvan Serpa
Movimento cristão culminado no
início do século XVI, e liderado por
Martinho Lutero (1483-1546), na
Alemanha.
By:Dalvan Serpa
 Os pré-reformadores foram intelectuais
que manifestaram suas insatisfações
espirituais por não encontrarem na igreja
romana espaço para que pudessem
exercitar sua fé.
 Não tinham por objetivo criar uma nova
igreja, mas sim, fazer que a voltasse à
Palavra de Deus.
John Wycliffe (132 -1384)
John Huss (1373-1415)
Savonarola (1452-1498)
By:Dalvan Serpa
 De família tradicional na região
de Yorkshire, Inglaterra.
 Era a favor da Bíblia como autoridade, e
não o Papa.
 Foi professor na Universidade de Oxford.
 Fez a primeira tradução completa do
Novo Testamento para o Inglês.
 Dizia que havia um grande contraste
entre o que a Igreja era e o que deveria
ser, defendia reformas.
 Condenava o Papado de Avignon (sede
da Igreja 1309-1377), com seu sistema de
venda de indulgências e a vida luxuosa
dos clérigos.
 Reformador Tcheco.
 Foi reitor na Universidade de Praga, na
Boêmia.
 Suas pregações influenciaram muita
gente.
 Opôs-se às indulgências. “Ninguém podia
vender uma coisa que vem unicamente de
Deus”.
 Foi chamado a comparecer ao Concílio de
Constança para defender-se pessoalmente,
contou com um salvo-conduto do imperador
Sigismundo. Mas foi executado ali mesmo,
1415. ( fogueira).
 Nascido em Florença, Itália, pregava, como
um dos profetas hebreus para vastas
multidões que enchiam sua catedral.
 Seus sermões eram contra a sensualidade e
o pecado da cidade e os vícios do papa.
 Foi enforcado e queimado na grande praça
de Florença em 1498.
 Nasceu em 10 de Novembro de 1483-
Alemanha.
 Seu pai era de classe média alta.
 Lutero era estudante de Direito
Universidade Erfurt-Alemanha.
 Mudou-se de ideia e vendeu todos os
seus livros, tornou-se monge agostiniano.
 Foi enviado para estudar Filosofia e
Teologia e Bíblia de volta em Erfurt.
 Em 1511, foi enviado para Roma, a
serviço da ordem, para arrecadar fundos
para Basílica de São Pedro.
 Em Roma só encontrou obscenidade,
imoralidade e blasfêmia.
 Voltou para Alemanha decepcionado.
 “ Tão logo a moeda no cofre soa, uma alma
do purgatório voa”.
 Foi contra a venda de indulgências.
 95 teses na porta de Winttenberg.
 Na tese de Nº 82 “O papado não livrar
ninguém do purgatório”.
 É uma teologia protestante, que enfatiza
de modo especial a soberania de Deus.
 Três princípios:
 Salvação pela graça mediante a fé;
 Autoridade final e especial das escrituras;
 O sacerdócio de todos os Salvos.
 Os principais reformadores:
 Lutero, Zwínglio, Calvino.
 Nasceu em Wildhaus, Suíça (1484).
 Enfatizava a santificação e a vida do
cristão de modo que Lutero não as
enfatizava.
 As diferenças entre ele e Lutero giravam
em torno do sacramento e da doutrina da
Transubstanciação.
 “O Espírito é o que vivifica; a carne para
nada aproveita” (João: 6.63).
 Nasceu em 10 de julho de 1509,
Noyon, França;
 2ª Geração de reformadores;
 Seu Pai era advogado, classe média
alta;
 Aos 17 anos graduou-se em ciências
humanas; fundamentos educação
clássica (Latim, Lógica e Filosofia).
 Seu pai, Gérard Calvin, era advogado dos
religiosos e secretário do bispo local.
 Em 1523, foi residir em Paris, onde estudou
latim e humanidades.
 Em 1528, iniciou seus estudos jurídicos,
onde também estudou grego.
 Nicolas Couper Reitor da Universidade
Paris, discurso letivo;
 Em seguida Calvino foi acusado de ter
escrito o discurso com teor protestante;
 Fugiu para a Basiléia, por 3 anos ( Obra
as instituas);
 Em uma viagem para Estrarburg, mudou-
se de rota para Genebra, (Guilherme
Farel).
 Tornou se Pastor da Catedral de Saint Pierre.
 Foi expulso em 1538 e retornou para
Estrarburgo, (1º Comentário Romanos).
 Foi chamado de Volta pelo conselho
municipal da cidade de Genebra.
 Veio a falecer em 1564, aos 54 anos de
idade.
 Influenciou John Knox seu discípulo
(Escócia).
 Foi uma reação de “discípulos” de João
Calvino a um protesto dos seguidores
de Jacob Hermann, Remonstrance,
1618-1619.
 Foram formulados pelo Sínodo de Dort-
Holanda.
 Composto por um grupo de 84
Teólogos e 18 representantes
seculares.
1- Depravação Total
2- Eleição Incondicional
3 -Expiação Limitada
4- Graça Irresistível
5- Perseverança dos Santos
 Resultante da queda, o homem é incapaz
de, por si mesmo, crer e escolher Deus.
 Deus precisa primeiro vivificar o homem
para que ele creia e seja salvo.
 Gênesis: 6:5
 Salmos: 51:5 e 58.3
 Romanos: 3:10-18
 Deus, desde a eternidade, antes da
fundação do mundo, elegeu os salvos.
 A salvação não se baseia na capacidade do
homem, tão pouco em suas obras.
 Na misericórdia e graça de Deus, de acordo
com sua vontade
 Romanos 8:29-30; 9:11
 Efésios 2:8, Efésios 1:4-6, 11- 12,
 Ele determinou que a expiação da morte
de Cristo teria efeito eficaz somente para
os eleitos.
 Todos a quem Deus elegeu será salvo,
obra salvífica total e eficaz.
 Mateus 15.13, Mateus 7.21-23
 João 17:09
 Atos 20:28
 A quem Deus elegeu, Ele os chama através
da graça irresistível.
 Isso não significa que Deus esmaga a
vontade do homem, embora pudesse, mas
está baseado na regeneração.
 A Graça Irresistível nunca falha em trazer à
salvação.
 João 1:12-13, João 6:37, Jó 42:2.
 Nenhum dos eleitos se perderá, estão
eternamente seguros da salvação em Cristo
 A perseverança dos santos está também ligada
a santificação, o processo pelo qual o Espírito
Santo torna os eleitos cada vez mais parecidos
com Cristo.
 Jo.10:27-29, Rm 8:29-30
 Ef.1:3-14, Fp. 2:12-13
 Olson, Roger E. História da Teologia Cristã, 2000 mil anos de tradição e reforma. ed.
Vida, São Paulo .2001.
 Disponível > http://cleofas.com.br/historia-da-igreja-fim-do-exilio-de-avinhao-cisma< ,
acesso em ,05 Set.2017 as 21h15.
 Disponível> http://ipmnorte.com/ < Os5 Pontos Calvinismo,2013
 Disponível >http://aquieuaprendi.blogspot.com.br/2014/04/os-pre-reformadores.html, <
acesso em 20 Setembro de 2017 as 18h15.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reforma Protestante, João Calvino
Reforma Protestante, João CalvinoReforma Protestante, João Calvino
Reforma Protestante, João Calvino
Leandro Couto
 
Martinho Lutero
Martinho LuteroMartinho Lutero
Martinho Lutero
Hebertucci
 
Biografia de martinho lutero
Biografia de martinho luteroBiografia de martinho lutero
Biografia de martinho lutero
João Batista
 
AS INSTITUTAS - VOLUME IV - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME IV - ESTUDO - JOÃO CALVINO AS INSTITUTAS - VOLUME IV - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME IV - ESTUDO - JOÃO CALVINO
Teol. Sandra Ferreira
 
Introducao Escatologia Vigilia
Introducao Escatologia VigiliaIntroducao Escatologia Vigilia
Introducao Escatologia Vigilia
Feitosa Lima
 
As institutas 01 estudo
 As institutas 01   estudo As institutas 01   estudo
As institutas 01 estudo
Jonatas Mendes
 
A.origem.do.cristianismo
A.origem.do.cristianismoA.origem.do.cristianismo
A.origem.do.cristianismo
Firmino justino
 
Catolicismo Romano - Seitas e Heresias
Catolicismo Romano - Seitas e HeresiasCatolicismo Romano - Seitas e Heresias
Catolicismo Romano - Seitas e Heresias
Luan Almeida
 
Aulas de escatologia. esquema
Aulas de escatologia. esquemaAulas de escatologia. esquema
Aulas de escatologia. esquema
Mw M
 
Reforma Protestante 1° Ano
Reforma Protestante 1° AnoReforma Protestante 1° Ano
Reforma Protestante 1° Ano
danibronstrup
 
AS INSTITUTAS - VOLUME II - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME II - ESTUDO - JOÃO CALVINO AS INSTITUTAS - VOLUME II - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME II - ESTUDO - JOÃO CALVINO
Teol. Sandra Ferreira
 
Era de Aquário
Era de AquárioEra de Aquário
Era de Aquário
lucena
 
Biografia de martinho lutero
Biografia de martinho luteroBiografia de martinho lutero
Biografia de martinho lutero
Dayane Leopoldo
 
Mês de Kardec
Mês de KardecMês de Kardec
Mês de Kardec
Helio Cruz
 
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos RacionalistasHistória da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
Andre Nascimento
 
História da Igreja #5
História da Igreja #5História da Igreja #5
História da Igreja #5
Respirando Deus
 
Aula 1 teologia pentecostal
Aula 1 teologia pentecostalAula 1 teologia pentecostal
Aula 1 teologia pentecostal
Keiler Vasconcelos
 
Quadro religião comparadas
Quadro religião comparadasQuadro religião comparadas
Quadro religião comparadas
Vítor Santos
 
Estudo bíblico – reforma protestante
Estudo bíblico – reforma protestanteEstudo bíblico – reforma protestante
Estudo bíblico – reforma protestante
Francisco Simas
 
Como surgiu o cristianismo
Como surgiu o cristianismoComo surgiu o cristianismo
Como surgiu o cristianismo
Fatoze
 

Mais procurados (20)

Reforma Protestante, João Calvino
Reforma Protestante, João CalvinoReforma Protestante, João Calvino
Reforma Protestante, João Calvino
 
Martinho Lutero
Martinho LuteroMartinho Lutero
Martinho Lutero
 
Biografia de martinho lutero
Biografia de martinho luteroBiografia de martinho lutero
Biografia de martinho lutero
 
AS INSTITUTAS - VOLUME IV - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME IV - ESTUDO - JOÃO CALVINO AS INSTITUTAS - VOLUME IV - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME IV - ESTUDO - JOÃO CALVINO
 
Introducao Escatologia Vigilia
Introducao Escatologia VigiliaIntroducao Escatologia Vigilia
Introducao Escatologia Vigilia
 
As institutas 01 estudo
 As institutas 01   estudo As institutas 01   estudo
As institutas 01 estudo
 
A.origem.do.cristianismo
A.origem.do.cristianismoA.origem.do.cristianismo
A.origem.do.cristianismo
 
Catolicismo Romano - Seitas e Heresias
Catolicismo Romano - Seitas e HeresiasCatolicismo Romano - Seitas e Heresias
Catolicismo Romano - Seitas e Heresias
 
Aulas de escatologia. esquema
Aulas de escatologia. esquemaAulas de escatologia. esquema
Aulas de escatologia. esquema
 
Reforma Protestante 1° Ano
Reforma Protestante 1° AnoReforma Protestante 1° Ano
Reforma Protestante 1° Ano
 
AS INSTITUTAS - VOLUME II - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME II - ESTUDO - JOÃO CALVINO AS INSTITUTAS - VOLUME II - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME II - ESTUDO - JOÃO CALVINO
 
Era de Aquário
Era de AquárioEra de Aquário
Era de Aquário
 
Biografia de martinho lutero
Biografia de martinho luteroBiografia de martinho lutero
Biografia de martinho lutero
 
Mês de Kardec
Mês de KardecMês de Kardec
Mês de Kardec
 
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos RacionalistasHistória da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
História da Igreja II: Aula 8: Movimentos Racionalistas
 
História da Igreja #5
História da Igreja #5História da Igreja #5
História da Igreja #5
 
Aula 1 teologia pentecostal
Aula 1 teologia pentecostalAula 1 teologia pentecostal
Aula 1 teologia pentecostal
 
Quadro religião comparadas
Quadro religião comparadasQuadro religião comparadas
Quadro religião comparadas
 
Estudo bíblico – reforma protestante
Estudo bíblico – reforma protestanteEstudo bíblico – reforma protestante
Estudo bíblico – reforma protestante
 
Como surgiu o cristianismo
Como surgiu o cristianismoComo surgiu o cristianismo
Como surgiu o cristianismo
 

Semelhante a Palestra 500 anos TULIP- Dalvan Serpa

13 - A reforma e a contrarreforma.pptx
13 - A reforma e a contrarreforma.pptx13 - A reforma e a contrarreforma.pptx
13 - A reforma e a contrarreforma.pptx
PIB Penha - SP
 
um breve resumo reforma.pptx
um breve resumo reforma.pptxum breve resumo reforma.pptx
um breve resumo reforma.pptx
JadsonQuaresma2
 
História da Igreja 2
História da Igreja 2História da Igreja 2
História da Igreja 2
semnazarenovirtual
 
REFORMA PROTESTANTE 500 ANOS ESTUDO.pptx
REFORMA PROTESTANTE 500 ANOS ESTUDO.pptxREFORMA PROTESTANTE 500 ANOS ESTUDO.pptx
REFORMA PROTESTANTE 500 ANOS ESTUDO.pptx
varjaomelo
 
Reforma-Protestante-movimentos-e-solas.ppt
Reforma-Protestante-movimentos-e-solas.pptReforma-Protestante-movimentos-e-solas.ppt
Reforma-Protestante-movimentos-e-solas.ppt
varjaomelo
 
O reinicio de uma igreja espiritual e o fim de uma igreja estatal
O reinicio de uma igreja espiritual e o fim de uma igreja estatalO reinicio de uma igreja espiritual e o fim de uma igreja estatal
O reinicio de uma igreja espiritual e o fim de uma igreja estatal
Samir Isac Dantas
 
A História da Igreja Presbiteriana no Brasil
A História da Igreja Presbiteriana no BrasilA História da Igreja Presbiteriana no Brasil
A História da Igreja Presbiteriana no Brasil
Jocarli Junior
 
AS INSTITUTAS - VOLUME I - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME I - ESTUDO - JOÃO CALVINOAS INSTITUTAS - VOLUME I - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME I - ESTUDO - JOÃO CALVINO
Teol. Sandra Ferreira
 
A fé protestante
A fé protestanteA fé protestante
A fé protestante
Deusdete Soares
 
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5   Quinto Período - A Reforma ProtestanteAula 5   Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
Adriano Pascoa
 
Arminianismoxcalvinismo 130711183939-phpapp02
Arminianismoxcalvinismo 130711183939-phpapp02Arminianismoxcalvinismo 130711183939-phpapp02
Arminianismoxcalvinismo 130711183939-phpapp02
Astolpho Regis
 
Lição 9 Confrontando os Inimigos da Cruz
Lição 9 Confrontando os Inimigos da CruzLição 9 Confrontando os Inimigos da Cruz
Lição 9 Confrontando os Inimigos da Cruz
Antonio Fernandes
 
12 o cristianismo na reforma e na contra-reforma - 12ª aula
12   o cristianismo na reforma e na contra-reforma - 12ª aula12   o cristianismo na reforma e na contra-reforma - 12ª aula
12 o cristianismo na reforma e na contra-reforma - 12ª aula
PIB Penha
 
Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02
Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02
Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02
Mário Oliveira
 
A fê protestante.
A fê protestante.A fê protestante.
A fê protestante.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Reformas religiosas
Reformas religiosasReformas religiosas
Reformas religiosas
Nelson Faustino
 
Identidade Nazarena - M3
Identidade Nazarena - M3Identidade Nazarena - M3
Identidade Nazarena - M3
semnazarenovirtual
 
O suicídio ótica tomista/kotora
O suicídio ótica tomista/kotoraO suicídio ótica tomista/kotora
O suicídio ótica tomista/kotora
PequenoTigre
 
Reforma e contra reforma
Reforma e contra reformaReforma e contra reforma
Reforma e contra reforma
vr1a2011
 
Arminianismo x calvinismo
Arminianismo x calvinismoArminianismo x calvinismo
Arminianismo x calvinismo
Daladier Lima
 

Semelhante a Palestra 500 anos TULIP- Dalvan Serpa (20)

13 - A reforma e a contrarreforma.pptx
13 - A reforma e a contrarreforma.pptx13 - A reforma e a contrarreforma.pptx
13 - A reforma e a contrarreforma.pptx
 
um breve resumo reforma.pptx
um breve resumo reforma.pptxum breve resumo reforma.pptx
um breve resumo reforma.pptx
 
História da Igreja 2
História da Igreja 2História da Igreja 2
História da Igreja 2
 
REFORMA PROTESTANTE 500 ANOS ESTUDO.pptx
REFORMA PROTESTANTE 500 ANOS ESTUDO.pptxREFORMA PROTESTANTE 500 ANOS ESTUDO.pptx
REFORMA PROTESTANTE 500 ANOS ESTUDO.pptx
 
Reforma-Protestante-movimentos-e-solas.ppt
Reforma-Protestante-movimentos-e-solas.pptReforma-Protestante-movimentos-e-solas.ppt
Reforma-Protestante-movimentos-e-solas.ppt
 
O reinicio de uma igreja espiritual e o fim de uma igreja estatal
O reinicio de uma igreja espiritual e o fim de uma igreja estatalO reinicio de uma igreja espiritual e o fim de uma igreja estatal
O reinicio de uma igreja espiritual e o fim de uma igreja estatal
 
A História da Igreja Presbiteriana no Brasil
A História da Igreja Presbiteriana no BrasilA História da Igreja Presbiteriana no Brasil
A História da Igreja Presbiteriana no Brasil
 
AS INSTITUTAS - VOLUME I - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME I - ESTUDO - JOÃO CALVINOAS INSTITUTAS - VOLUME I - ESTUDO - JOÃO CALVINO
AS INSTITUTAS - VOLUME I - ESTUDO - JOÃO CALVINO
 
A fé protestante
A fé protestanteA fé protestante
A fé protestante
 
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5   Quinto Período - A Reforma ProtestanteAula 5   Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
 
Arminianismoxcalvinismo 130711183939-phpapp02
Arminianismoxcalvinismo 130711183939-phpapp02Arminianismoxcalvinismo 130711183939-phpapp02
Arminianismoxcalvinismo 130711183939-phpapp02
 
Lição 9 Confrontando os Inimigos da Cruz
Lição 9 Confrontando os Inimigos da CruzLição 9 Confrontando os Inimigos da Cruz
Lição 9 Confrontando os Inimigos da Cruz
 
12 o cristianismo na reforma e na contra-reforma - 12ª aula
12   o cristianismo na reforma e na contra-reforma - 12ª aula12   o cristianismo na reforma e na contra-reforma - 12ª aula
12 o cristianismo na reforma e na contra-reforma - 12ª aula
 
Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02
Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02
Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02
 
A fê protestante.
A fê protestante.A fê protestante.
A fê protestante.
 
Reformas religiosas
Reformas religiosasReformas religiosas
Reformas religiosas
 
Identidade Nazarena - M3
Identidade Nazarena - M3Identidade Nazarena - M3
Identidade Nazarena - M3
 
O suicídio ótica tomista/kotora
O suicídio ótica tomista/kotoraO suicídio ótica tomista/kotora
O suicídio ótica tomista/kotora
 
Reforma e contra reforma
Reforma e contra reformaReforma e contra reforma
Reforma e contra reforma
 
Arminianismo x calvinismo
Arminianismo x calvinismoArminianismo x calvinismo
Arminianismo x calvinismo
 

Último

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 

Último (20)

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 

Palestra 500 anos TULIP- Dalvan Serpa

  • 2. Movimento cristão culminado no início do século XVI, e liderado por Martinho Lutero (1483-1546), na Alemanha. By:Dalvan Serpa
  • 3.  Os pré-reformadores foram intelectuais que manifestaram suas insatisfações espirituais por não encontrarem na igreja romana espaço para que pudessem exercitar sua fé.  Não tinham por objetivo criar uma nova igreja, mas sim, fazer que a voltasse à Palavra de Deus.
  • 4. John Wycliffe (132 -1384) John Huss (1373-1415) Savonarola (1452-1498) By:Dalvan Serpa
  • 5.  De família tradicional na região de Yorkshire, Inglaterra.  Era a favor da Bíblia como autoridade, e não o Papa.  Foi professor na Universidade de Oxford.  Fez a primeira tradução completa do Novo Testamento para o Inglês.
  • 6.  Dizia que havia um grande contraste entre o que a Igreja era e o que deveria ser, defendia reformas.  Condenava o Papado de Avignon (sede da Igreja 1309-1377), com seu sistema de venda de indulgências e a vida luxuosa dos clérigos.
  • 7.  Reformador Tcheco.  Foi reitor na Universidade de Praga, na Boêmia.  Suas pregações influenciaram muita gente.  Opôs-se às indulgências. “Ninguém podia vender uma coisa que vem unicamente de Deus”.
  • 8.  Foi chamado a comparecer ao Concílio de Constança para defender-se pessoalmente, contou com um salvo-conduto do imperador Sigismundo. Mas foi executado ali mesmo, 1415. ( fogueira).
  • 9.  Nascido em Florença, Itália, pregava, como um dos profetas hebreus para vastas multidões que enchiam sua catedral.  Seus sermões eram contra a sensualidade e o pecado da cidade e os vícios do papa.  Foi enforcado e queimado na grande praça de Florença em 1498.
  • 10.  Nasceu em 10 de Novembro de 1483- Alemanha.  Seu pai era de classe média alta.  Lutero era estudante de Direito Universidade Erfurt-Alemanha.  Mudou-se de ideia e vendeu todos os seus livros, tornou-se monge agostiniano.
  • 11.  Foi enviado para estudar Filosofia e Teologia e Bíblia de volta em Erfurt.  Em 1511, foi enviado para Roma, a serviço da ordem, para arrecadar fundos para Basílica de São Pedro.  Em Roma só encontrou obscenidade, imoralidade e blasfêmia.  Voltou para Alemanha decepcionado.
  • 12.  “ Tão logo a moeda no cofre soa, uma alma do purgatório voa”.  Foi contra a venda de indulgências.  95 teses na porta de Winttenberg.  Na tese de Nº 82 “O papado não livrar ninguém do purgatório”.
  • 13.  É uma teologia protestante, que enfatiza de modo especial a soberania de Deus.  Três princípios:  Salvação pela graça mediante a fé;  Autoridade final e especial das escrituras;  O sacerdócio de todos os Salvos.  Os principais reformadores:  Lutero, Zwínglio, Calvino.
  • 14.  Nasceu em Wildhaus, Suíça (1484).  Enfatizava a santificação e a vida do cristão de modo que Lutero não as enfatizava.  As diferenças entre ele e Lutero giravam em torno do sacramento e da doutrina da Transubstanciação.  “O Espírito é o que vivifica; a carne para nada aproveita” (João: 6.63).
  • 15.  Nasceu em 10 de julho de 1509, Noyon, França;  2ª Geração de reformadores;  Seu Pai era advogado, classe média alta;  Aos 17 anos graduou-se em ciências humanas; fundamentos educação clássica (Latim, Lógica e Filosofia).
  • 16.  Seu pai, Gérard Calvin, era advogado dos religiosos e secretário do bispo local.  Em 1523, foi residir em Paris, onde estudou latim e humanidades.  Em 1528, iniciou seus estudos jurídicos, onde também estudou grego.
  • 17.  Nicolas Couper Reitor da Universidade Paris, discurso letivo;  Em seguida Calvino foi acusado de ter escrito o discurso com teor protestante;  Fugiu para a Basiléia, por 3 anos ( Obra as instituas);  Em uma viagem para Estrarburg, mudou- se de rota para Genebra, (Guilherme Farel).
  • 18.  Tornou se Pastor da Catedral de Saint Pierre.  Foi expulso em 1538 e retornou para Estrarburgo, (1º Comentário Romanos).  Foi chamado de Volta pelo conselho municipal da cidade de Genebra.  Veio a falecer em 1564, aos 54 anos de idade.  Influenciou John Knox seu discípulo (Escócia).
  • 19.  Foi uma reação de “discípulos” de João Calvino a um protesto dos seguidores de Jacob Hermann, Remonstrance, 1618-1619.  Foram formulados pelo Sínodo de Dort- Holanda.  Composto por um grupo de 84 Teólogos e 18 representantes seculares.
  • 20. 1- Depravação Total 2- Eleição Incondicional 3 -Expiação Limitada 4- Graça Irresistível 5- Perseverança dos Santos
  • 21.  Resultante da queda, o homem é incapaz de, por si mesmo, crer e escolher Deus.  Deus precisa primeiro vivificar o homem para que ele creia e seja salvo.  Gênesis: 6:5  Salmos: 51:5 e 58.3  Romanos: 3:10-18
  • 22.  Deus, desde a eternidade, antes da fundação do mundo, elegeu os salvos.  A salvação não se baseia na capacidade do homem, tão pouco em suas obras.  Na misericórdia e graça de Deus, de acordo com sua vontade  Romanos 8:29-30; 9:11  Efésios 2:8, Efésios 1:4-6, 11- 12,
  • 23.  Ele determinou que a expiação da morte de Cristo teria efeito eficaz somente para os eleitos.  Todos a quem Deus elegeu será salvo, obra salvífica total e eficaz.  Mateus 15.13, Mateus 7.21-23  João 17:09  Atos 20:28
  • 24.  A quem Deus elegeu, Ele os chama através da graça irresistível.  Isso não significa que Deus esmaga a vontade do homem, embora pudesse, mas está baseado na regeneração.  A Graça Irresistível nunca falha em trazer à salvação.  João 1:12-13, João 6:37, Jó 42:2.
  • 25.  Nenhum dos eleitos se perderá, estão eternamente seguros da salvação em Cristo  A perseverança dos santos está também ligada a santificação, o processo pelo qual o Espírito Santo torna os eleitos cada vez mais parecidos com Cristo.  Jo.10:27-29, Rm 8:29-30  Ef.1:3-14, Fp. 2:12-13
  • 26.  Olson, Roger E. História da Teologia Cristã, 2000 mil anos de tradição e reforma. ed. Vida, São Paulo .2001.  Disponível > http://cleofas.com.br/historia-da-igreja-fim-do-exilio-de-avinhao-cisma< , acesso em ,05 Set.2017 as 21h15.  Disponível> http://ipmnorte.com/ < Os5 Pontos Calvinismo,2013  Disponível >http://aquieuaprendi.blogspot.com.br/2014/04/os-pre-reformadores.html, < acesso em 20 Setembro de 2017 as 18h15.