SlideShare uma empresa Scribd logo
1




Reflexões sobre a avaliação de
       cursos no Brasil

          Alexandre Gracioso
      Vice-Presidente Acadêmico
                ESPM
         agracioso@espm.br
2


  Entre os indicadores atualmente utilizados, meu foco
                    será no ENADE



IGC                                                              Escola




                                    Curso                                                       Curso
CPC                                 ADM                                                         CSO

                    Conclui                       Entrant                       Conclui                       Entrant
ENADE / IDD          ntes                           es                           ntes                           es


          Aluno 1   Aluno 2   Aluno n   Aluno 1   Aluno2    Aluno n   Aluno 1   Aluno 2   Aluno n   Aluno 1   Aluno2    Aluno n




                                                                                          2
3


Questões que pretendo abordar
• Avaliação é necessária?

• A área deve se reinventar? Como os estudantes
  avaliam seus cursos do ponto de vista da exigência e
  dos desafios?

• O componente específico do ENADE é aderente à
  realidade e evolução da profissão da Administração?

• Que variáveis o gestor/coordenador pode manipular?

• Caso ESPM 2009
4


    Um processo avaliativo é
  necessário? Creio que sim…
• Tendência internacional

• Demanda da sociedade por mais transparência

• Consciência cidadã

• Oportunidade de reflexão sobre o estágio de
  desenvolvimento de cada IES
5


                 Evolução de vagas, candidatos e
                          ingressantes
                                Administração                     Todos os cursos

                                                   2010/                       2010/
                       2007   2008   2009   2010   2007    2007 2008 2009 2010 2007


               CANDS   469    505    528    461    -2%     2915 3091 3455 3344         15%
Particulares




               VAGAS   201    204    181    171    -15%    1190   1202   1162   1182   -1%


               INGS    636    667    629    634     0%     3666 3833 3780 3987         9%


               CANDS   125    140    119    162    30%     2277 2444 2583 3365         48%


               VAGAS    17     17     18     18     6%     292    304    349    409    40%
Públicas




               INGS     65     68     71     73    12%     1214 1247 1336 1462         20%
6


        Ociosidade média para cursos
         selecionados (Censo 2011)
                        % Vagas ociosas
60%
          51%
50%                   48%
                                43%
40%

30%                                          28%

20%
                                                          10%
10%

0%
      Administração   Todos     Eng.      Arquitetura   Eng. Civil
                              Produção
7


  Como você avalia o nível de exigência
            de seu curso?
                              % Respondentes
                        % Entrantes     % Concluintes

                                 58%


                      40%              40%

                27%
       17%
 10%
                                                 5%     3%      1%   1%

 Deveria ter    Deveria ter      Exigiu na      Deveria ter    Deveria ter
exigido muito   exigido um      medida certa    exigido um    exigido muito
    mais        pouco mais                     pouco menos       menos
8

         A composição da prova é aderente à
              evolução da profissão?
     Principais diferenças entre as diretrizes de 2003 e de 1998
                            para ADM [1]
Item       Principais diferenças encontradas

              Privilegia   a   formação   técnico-científica,   em   relação   a   formação
               humanística, em 2003;
              Pede o desenvolvimento de uma visão crítica e estratégica de forma explícita;

              Menciona o trabalho do administrador em equipes multiprofissionais.        Em
Perfil
               1998, mencionava-se somente equipes multifuncionais;

              Requer que o administrador saiba tomar decisões com base em parâmetros
               relevantes para a sociedade de forma a melhorar o padrão de vida da
               comunidade.
9

           A composição da prova é aderente à
                evolução da profissão?
 Principais diferenças entre as diretrizes de 2003 e de 1998
                        para ADM [2]
Item          Principais diferenças encontradas

                 Pede melhor preparo científico para compreender e sistematizar conhecimentos
                  teóricos e metodológicos;
                 Inclui a habilidade para lidar com conflitos organizacionais;
                 Dá maior ênfase à tomada de decisões;
Habilidades      Pede a compreensão de problemas interorganizacionais;

                 Dá ênfase ao desenvolvimento de modelos de gestão inovadores, ao passo que
                  em 1998, pedia-se somente a habilidade de se adaptar a modelos inovadores
                  implementados na empresa;
                 Cobra explicitamente a integração entre teoria e prática.
Conteúdo         Inclui responsabilidade social e exclui globalização e qualidade

                 Diminui o número de questões discursivas de cinco, de caráter geral, para duas,
Formato
                  em formato de estudo de caso.
10


    Como gestor/coordenador pode
  influenciar o resultado no ENADE?


• Resultado ENADE = f(Capacitação +
 Conscientização + Motivação +
 Modelagem da Prova + Aplicação da
 Prova + Erro)

• Alunos e Professores
11


Modelo conceitual proposto
               Estrutura do modelo conceitual proposto na tese com as hipóteses principais



                                                                                              ALUNO
   Características individuais do aluno:
   Características individuais do aluno:
                                                                    H1

                Recursos familiares:
                Recursos familiares:                                 H2                       Proficiência
                                                                                              Proficiência

                                                                     H3
               Avaliação da escola:
               Avaliação da escola:

                                                                             ESCOLA
                                                                                                    H4



Caracterís-                   Caracterís-                    Caracterís-
                                                             Caracterís-                     Projeto peda-
                                                                                             Projeto peda-
Caracterís-                   Caracterís-
                                                           ticas do corpo                       gógico
                                                                                                gógico
ticas gerais
ticas gerais                ticas do corpo
                            ticas do corpo                 ticas do corpo
                                docente
                                docente                       discente
                                                               discente



                                              AGRUPAMENTO ESTRATÉGICO
12
Percentual do desempenho explicado por
        diferenças entre escolas
EFEITOS ALEATÓRIOS – VALOR ABSOLUTO (PERCENTUAL)
Nível 1 (Alunos) Intercepto       146 (78.5%)  146 (89.4%)  146 (89.4%)    145 (87.8%)
Nível 2 (Escolas) Intercepto      29 (15.4%)    14 (8.7%)    14 (8.7%)      14 (8.5%)
                  Intercepto       11 (6.1%)     3 (1.9%)     3 (1.9%)     0.98 (0.6%)
                  Competências_e                                           2.79 (1.7%)
                  Docentes_e                                               1.00 (0.6%)
Nível 3           Ti_e                                                     0.41 (0.2%)
(Agrupamentos) Inglês_e                                                    0.31 (0.2%)
                  Dout_e                                                   0.53 (0.3%)
Variância Total                  185 (100.0%) 163 (100.0%) 163 (100.0%)   165 (100.0%)


  Em linha com resultados de estudos anteriores, as escolas explicam
  15% da variância total encontrada nos resultados. Os grupos
  estratégicos explicam cerca de 6% da variância total.
13
Impacto das variáveis explicativas de segundo nível
                     (escola)

Controlável pelo   Variável          Efeitos                Efeitos aleatórios
gestor?                               fixos       Seguidora     Aspirante    Líderes
                                                      s              s

Sim                Competências_   6.24 (1.21)      -2.09          0.34          1.74
                   e

                   Docentes_e      -2.92 (0.91)     1.22           -0.16         -1.06
                   CandVaga_e      1.75 (0.20)      0.00           0.00          0.00
                   TI_e              15.49          -0.76          0.13          0.63
                                     (2.94)

                   Inglês_e        7.88 (1.27)      -0.44          -0.05         0.49
                   Dout_e          4.82 (1.44)      0.60           -0.29         -0.31
Não                Raça_e          11.27 (1.31)     0.00           0.00          0.00
Considerações de estudantes
que fizeram o ENADE em 2009
• Estudantes:
   – Fizeram a prova sem empenho máximo

   – Faltou comunicação

   – Sem motivação e sem consciência de impactos de longo prazo

• Professores não estavam engajados

• Exame:
   – Alguns pontos na prova que desconheciam

   – Formato diferente daquele com que estavam habituados
15


      Para concluir, fica uma
            sugestão
• O resultado do ENADE deve ter

 conseqüências para os estudantes, de tal

 forma que eles realizem o exame com

 responsabilidade

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a PAINEL 1 - “AS PERCEPÇÕES DA MANTENEDORA SOBRE OS IMPACTOS DA AVALIAÇÃO NA GESTÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO” | Alexandre Gracioso

Talentos rio info
Talentos rio infoTalentos rio info
Talentos rio info
Bruno De Siqueira Costa
 
Análise dos ENADEs 2009, 2012 e 2015
Análise dos ENADEs 2009, 2012 e 2015Análise dos ENADEs 2009, 2012 e 2015
Análise dos ENADEs 2009, 2012 e 2015
CRA - MG
 
DEFININDO DISPOSITIVOS DE AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
DEFININDO DISPOSITIVOS DE AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIADEFININDO DISPOSITIVOS DE AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
DEFININDO DISPOSITIVOS DE AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
Adriano Lima
 
Relato Experiência Taxonomia SOLO
Relato Experiência Taxonomia SOLORelato Experiência Taxonomia SOLO
Relato Experiência Taxonomia SOLO
Camilo Almendra
 
(30/10/2012) Espaço Angrad - Prof. Mario César Barreto Moraes
(30/10/2012) Espaço Angrad - Prof. Mario César Barreto Moraes (30/10/2012) Espaço Angrad - Prof. Mario César Barreto Moraes
(30/10/2012) Espaço Angrad - Prof. Mario César Barreto Moraes
ANGRAD
 
(Legado 16) Gestão de Projetos Inicial
(Legado 16) Gestão de Projetos Inicial(Legado 16) Gestão de Projetos Inicial
(Legado 16) Gestão de Projetos Inicial
Ink_conteudos
 
Coordenador Como Gestor Empreendedor
Coordenador Como Gestor EmpreendedorCoordenador Como Gestor Empreendedor
Coordenador Como Gestor Empreendedor
Michelle Oliveira
 
Gp aula-12
Gp aula-12Gp aula-12
Gp aula-12
Samuel Fernandes
 
Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Administração - Adm Rui Otá...
Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Administração - Adm Rui Otá...Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Administração - Adm Rui Otá...
Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Administração - Adm Rui Otá...
CRA - MG
 
Lições Aprendidas Agregando Valor Ao Gerenciamento De Projetos
Lições Aprendidas Agregando Valor Ao Gerenciamento De ProjetosLições Aprendidas Agregando Valor Ao Gerenciamento De Projetos
Lições Aprendidas Agregando Valor Ao Gerenciamento De Projetos
Helio Ferenhof, Dr. Eng, MBA, PMP, ITIL .'.
 
Curso Gestão de Processos, Projetos e TI p/ APPGG-SP
Curso Gestão de Processos, Projetos e TI p/ APPGG-SPCurso Gestão de Processos, Projetos e TI p/ APPGG-SP
Curso Gestão de Processos, Projetos e TI p/ APPGG-SP
Estratégia Concursos
 
Sessão de sensibilização caf brochura
Sessão de sensibilização caf brochuraSessão de sensibilização caf brochura
Sessão de sensibilização caf brochura
wmessjtalha
 
Apresentação 17 e 18 janeiro 2012
Apresentação 17 e 18 janeiro 2012Apresentação 17 e 18 janeiro 2012
Apresentação 17 e 18 janeiro 2012
dulpinto
 
Rgp avaliação interna
Rgp avaliação internaRgp avaliação interna
Rgp avaliação interna
icochito
 
Curso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDO
Curso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDOCurso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDO
Curso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDO
Estratégia Concursos
 
Oficina de Questões Padrão ENADE
Oficina de Questões Padrão ENADEOficina de Questões Padrão ENADE
Oficina de Questões Padrão ENADE
Renata Homem de Mello
 
O VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONI
O VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONIO VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONI
O VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONI
Telmo Ferreira
 
Another Step - I Encontro Nacional da CAF Educação
Another Step - I Encontro Nacional da CAF EducaçãoAnother Step - I Encontro Nacional da CAF Educação
Another Step - I Encontro Nacional da CAF Educação
Hugo Caldeira
 
Conduzindo pesquisa científica em jogos de empresas
Conduzindo pesquisa científica em jogos de empresasConduzindo pesquisa científica em jogos de empresas
Conduzindo pesquisa científica em jogos de empresas
ANGRAD
 
CORPORATE EDUCATION- STRATEGY
CORPORATE EDUCATION- STRATEGYCORPORATE EDUCATION- STRATEGY
CORPORATE EDUCATION- STRATEGY
INSTITUTO MVC
 

Semelhante a PAINEL 1 - “AS PERCEPÇÕES DA MANTENEDORA SOBRE OS IMPACTOS DA AVALIAÇÃO NA GESTÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO” | Alexandre Gracioso (20)

Talentos rio info
Talentos rio infoTalentos rio info
Talentos rio info
 
Análise dos ENADEs 2009, 2012 e 2015
Análise dos ENADEs 2009, 2012 e 2015Análise dos ENADEs 2009, 2012 e 2015
Análise dos ENADEs 2009, 2012 e 2015
 
DEFININDO DISPOSITIVOS DE AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
DEFININDO DISPOSITIVOS DE AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIADEFININDO DISPOSITIVOS DE AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
DEFININDO DISPOSITIVOS DE AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
 
Relato Experiência Taxonomia SOLO
Relato Experiência Taxonomia SOLORelato Experiência Taxonomia SOLO
Relato Experiência Taxonomia SOLO
 
(30/10/2012) Espaço Angrad - Prof. Mario César Barreto Moraes
(30/10/2012) Espaço Angrad - Prof. Mario César Barreto Moraes (30/10/2012) Espaço Angrad - Prof. Mario César Barreto Moraes
(30/10/2012) Espaço Angrad - Prof. Mario César Barreto Moraes
 
(Legado 16) Gestão de Projetos Inicial
(Legado 16) Gestão de Projetos Inicial(Legado 16) Gestão de Projetos Inicial
(Legado 16) Gestão de Projetos Inicial
 
Coordenador Como Gestor Empreendedor
Coordenador Como Gestor EmpreendedorCoordenador Como Gestor Empreendedor
Coordenador Como Gestor Empreendedor
 
Gp aula-12
Gp aula-12Gp aula-12
Gp aula-12
 
Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Administração - Adm Rui Otá...
Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Administração - Adm Rui Otá...Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Administração - Adm Rui Otá...
Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Administração - Adm Rui Otá...
 
Lições Aprendidas Agregando Valor Ao Gerenciamento De Projetos
Lições Aprendidas Agregando Valor Ao Gerenciamento De ProjetosLições Aprendidas Agregando Valor Ao Gerenciamento De Projetos
Lições Aprendidas Agregando Valor Ao Gerenciamento De Projetos
 
Curso Gestão de Processos, Projetos e TI p/ APPGG-SP
Curso Gestão de Processos, Projetos e TI p/ APPGG-SPCurso Gestão de Processos, Projetos e TI p/ APPGG-SP
Curso Gestão de Processos, Projetos e TI p/ APPGG-SP
 
Sessão de sensibilização caf brochura
Sessão de sensibilização caf brochuraSessão de sensibilização caf brochura
Sessão de sensibilização caf brochura
 
Apresentação 17 e 18 janeiro 2012
Apresentação 17 e 18 janeiro 2012Apresentação 17 e 18 janeiro 2012
Apresentação 17 e 18 janeiro 2012
 
Rgp avaliação interna
Rgp avaliação internaRgp avaliação interna
Rgp avaliação interna
 
Curso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDO
Curso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDOCurso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDO
Curso Tecnologia da Informação (I) p/ SMG/SP - APDO
 
Oficina de Questões Padrão ENADE
Oficina de Questões Padrão ENADEOficina de Questões Padrão ENADE
Oficina de Questões Padrão ENADE
 
O VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONI
O VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONIO VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONI
O VERDADEIRO PODER - VICENTE FALCONI
 
Another Step - I Encontro Nacional da CAF Educação
Another Step - I Encontro Nacional da CAF EducaçãoAnother Step - I Encontro Nacional da CAF Educação
Another Step - I Encontro Nacional da CAF Educação
 
Conduzindo pesquisa científica em jogos de empresas
Conduzindo pesquisa científica em jogos de empresasConduzindo pesquisa científica em jogos de empresas
Conduzindo pesquisa científica em jogos de empresas
 
CORPORATE EDUCATION- STRATEGY
CORPORATE EDUCATION- STRATEGYCORPORATE EDUCATION- STRATEGY
CORPORATE EDUCATION- STRATEGY
 

Mais de ANGRAD

Novas técnicas organizacionais e as tecnologias aceleradas
Novas técnicas organizacionais e as tecnologias aceleradasNovas técnicas organizacionais e as tecnologias aceleradas
Novas técnicas organizacionais e as tecnologias aceleradas
ANGRAD
 
Carreira e Pós-Graduação Stricto Sensu
Carreira e Pós-Graduação Stricto SensuCarreira e Pós-Graduação Stricto Sensu
Carreira e Pós-Graduação Stricto Sensu
ANGRAD
 
ENANGRAD 2018 - ENADE
ENANGRAD 2018 - ENADEENANGRAD 2018 - ENADE
ENANGRAD 2018 - ENADE
ANGRAD
 
Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...
Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...
Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...
ANGRAD
 
Assurance of Learning - The ECU Story
Assurance of Learning - The ECU StoryAssurance of Learning - The ECU Story
Assurance of Learning - The ECU Story
ANGRAD
 
Gestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivo
Gestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivoGestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivo
Gestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivo
ANGRAD
 
Estado da Arte da EAD
Estado da Arte da EADEstado da Arte da EAD
Estado da Arte da EAD
ANGRAD
 
ENANGRAD 2018 - Acreditação Internacional
ENANGRAD 2018 - Acreditação InternacionalENANGRAD 2018 - Acreditação Internacional
ENANGRAD 2018 - Acreditação Internacional
ANGRAD
 
ENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBA
ENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBAENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBA
ENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBA
ANGRAD
 
Oficina sobre os ODS
Oficina sobre os ODSOficina sobre os ODS
Oficina sobre os ODS
ANGRAD
 
Case prático: filiação e credenciamento da IMED
Case prático: filiação e credenciamento da IMEDCase prático: filiação e credenciamento da IMED
Case prático: filiação e credenciamento da IMED
ANGRAD
 
Case: Saint Paul Escola de Negócios
Case: Saint Paul Escola de NegóciosCase: Saint Paul Escola de Negócios
Case: Saint Paul Escola de Negócios
ANGRAD
 
Método do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e Utilização
Método do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e UtilizaçãoMétodo do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e Utilização
Método do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e Utilização
ANGRAD
 
O Estudante como protagonista do/no Processo de Aprendizagem
O Estudante como protagonista do/no Processo de AprendizagemO Estudante como protagonista do/no Processo de Aprendizagem
O Estudante como protagonista do/no Processo de Aprendizagem
ANGRAD
 
Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...
Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...
Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...
ANGRAD
 
Iniciação Científica no Curso de Administração
Iniciação Científica no Curso de AdministraçãoIniciação Científica no Curso de Administração
Iniciação Científica no Curso de Administração
ANGRAD
 
Aprendizagem Significativa
Aprendizagem SignificativaAprendizagem Significativa
Aprendizagem Significativa
ANGRAD
 
Aprendizagem Significativa em Administração
Aprendizagem Significativa em AdministraçãoAprendizagem Significativa em Administração
Aprendizagem Significativa em Administração
ANGRAD
 
5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
ANGRAD
 
4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
ANGRAD
 

Mais de ANGRAD (20)

Novas técnicas organizacionais e as tecnologias aceleradas
Novas técnicas organizacionais e as tecnologias aceleradasNovas técnicas organizacionais e as tecnologias aceleradas
Novas técnicas organizacionais e as tecnologias aceleradas
 
Carreira e Pós-Graduação Stricto Sensu
Carreira e Pós-Graduação Stricto SensuCarreira e Pós-Graduação Stricto Sensu
Carreira e Pós-Graduação Stricto Sensu
 
ENANGRAD 2018 - ENADE
ENANGRAD 2018 - ENADEENANGRAD 2018 - ENADE
ENANGRAD 2018 - ENADE
 
Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...
Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...
Como o poder da visão e inteligência artificial pode trazer inclusão ao ambie...
 
Assurance of Learning - The ECU Story
Assurance of Learning - The ECU StoryAssurance of Learning - The ECU Story
Assurance of Learning - The ECU Story
 
Gestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivo
Gestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivoGestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivo
Gestão da evasão na EAD: discussão a partir de um modelo preditivo
 
Estado da Arte da EAD
Estado da Arte da EADEstado da Arte da EAD
Estado da Arte da EAD
 
ENANGRAD 2018 - Acreditação Internacional
ENANGRAD 2018 - Acreditação InternacionalENANGRAD 2018 - Acreditação Internacional
ENANGRAD 2018 - Acreditação Internacional
 
ENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBA
ENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBAENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBA
ENANGRAD 2019 - Apresentação ANAMBA
 
Oficina sobre os ODS
Oficina sobre os ODSOficina sobre os ODS
Oficina sobre os ODS
 
Case prático: filiação e credenciamento da IMED
Case prático: filiação e credenciamento da IMEDCase prático: filiação e credenciamento da IMED
Case prático: filiação e credenciamento da IMED
 
Case: Saint Paul Escola de Negócios
Case: Saint Paul Escola de NegóciosCase: Saint Paul Escola de Negócios
Case: Saint Paul Escola de Negócios
 
Método do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e Utilização
Método do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e UtilizaçãoMétodo do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e Utilização
Método do Caso como Recurso Pedagógico: Benefícios e Utilização
 
O Estudante como protagonista do/no Processo de Aprendizagem
O Estudante como protagonista do/no Processo de AprendizagemO Estudante como protagonista do/no Processo de Aprendizagem
O Estudante como protagonista do/no Processo de Aprendizagem
 
Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...
Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...
Sinaes – INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO NAS MODALIDADES PRES...
 
Iniciação Científica no Curso de Administração
Iniciação Científica no Curso de AdministraçãoIniciação Científica no Curso de Administração
Iniciação Científica no Curso de Administração
 
Aprendizagem Significativa
Aprendizagem SignificativaAprendizagem Significativa
Aprendizagem Significativa
 
Aprendizagem Significativa em Administração
Aprendizagem Significativa em AdministraçãoAprendizagem Significativa em Administração
Aprendizagem Significativa em Administração
 
5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
5 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
 
4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
4 - Novas Tecnologias e Inovação no Ensino da Administração
 

PAINEL 1 - “AS PERCEPÇÕES DA MANTENEDORA SOBRE OS IMPACTOS DA AVALIAÇÃO NA GESTÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO” | Alexandre Gracioso

  • 1. 1 Reflexões sobre a avaliação de cursos no Brasil Alexandre Gracioso Vice-Presidente Acadêmico ESPM agracioso@espm.br
  • 2. 2 Entre os indicadores atualmente utilizados, meu foco será no ENADE IGC Escola Curso Curso CPC ADM CSO Conclui Entrant Conclui Entrant ENADE / IDD ntes es ntes es Aluno 1 Aluno 2 Aluno n Aluno 1 Aluno2 Aluno n Aluno 1 Aluno 2 Aluno n Aluno 1 Aluno2 Aluno n 2
  • 3. 3 Questões que pretendo abordar • Avaliação é necessária? • A área deve se reinventar? Como os estudantes avaliam seus cursos do ponto de vista da exigência e dos desafios? • O componente específico do ENADE é aderente à realidade e evolução da profissão da Administração? • Que variáveis o gestor/coordenador pode manipular? • Caso ESPM 2009
  • 4. 4 Um processo avaliativo é necessário? Creio que sim… • Tendência internacional • Demanda da sociedade por mais transparência • Consciência cidadã • Oportunidade de reflexão sobre o estágio de desenvolvimento de cada IES
  • 5. 5 Evolução de vagas, candidatos e ingressantes Administração Todos os cursos 2010/ 2010/ 2007 2008 2009 2010 2007 2007 2008 2009 2010 2007 CANDS 469 505 528 461 -2% 2915 3091 3455 3344 15% Particulares VAGAS 201 204 181 171 -15% 1190 1202 1162 1182 -1% INGS 636 667 629 634 0% 3666 3833 3780 3987 9% CANDS 125 140 119 162 30% 2277 2444 2583 3365 48% VAGAS 17 17 18 18 6% 292 304 349 409 40% Públicas INGS 65 68 71 73 12% 1214 1247 1336 1462 20%
  • 6. 6 Ociosidade média para cursos selecionados (Censo 2011) % Vagas ociosas 60% 51% 50% 48% 43% 40% 30% 28% 20% 10% 10% 0% Administração Todos Eng. Arquitetura Eng. Civil Produção
  • 7. 7 Como você avalia o nível de exigência de seu curso? % Respondentes % Entrantes % Concluintes 58% 40% 40% 27% 17% 10% 5% 3% 1% 1% Deveria ter Deveria ter Exigiu na Deveria ter Deveria ter exigido muito exigido um medida certa exigido um exigido muito mais pouco mais pouco menos menos
  • 8. 8 A composição da prova é aderente à evolução da profissão? Principais diferenças entre as diretrizes de 2003 e de 1998 para ADM [1] Item Principais diferenças encontradas  Privilegia a formação técnico-científica, em relação a formação humanística, em 2003;  Pede o desenvolvimento de uma visão crítica e estratégica de forma explícita;  Menciona o trabalho do administrador em equipes multiprofissionais. Em Perfil 1998, mencionava-se somente equipes multifuncionais;  Requer que o administrador saiba tomar decisões com base em parâmetros relevantes para a sociedade de forma a melhorar o padrão de vida da comunidade.
  • 9. 9 A composição da prova é aderente à evolução da profissão? Principais diferenças entre as diretrizes de 2003 e de 1998 para ADM [2] Item Principais diferenças encontradas  Pede melhor preparo científico para compreender e sistematizar conhecimentos teóricos e metodológicos;  Inclui a habilidade para lidar com conflitos organizacionais;  Dá maior ênfase à tomada de decisões; Habilidades  Pede a compreensão de problemas interorganizacionais;  Dá ênfase ao desenvolvimento de modelos de gestão inovadores, ao passo que em 1998, pedia-se somente a habilidade de se adaptar a modelos inovadores implementados na empresa;  Cobra explicitamente a integração entre teoria e prática. Conteúdo  Inclui responsabilidade social e exclui globalização e qualidade  Diminui o número de questões discursivas de cinco, de caráter geral, para duas, Formato em formato de estudo de caso.
  • 10. 10 Como gestor/coordenador pode influenciar o resultado no ENADE? • Resultado ENADE = f(Capacitação + Conscientização + Motivação + Modelagem da Prova + Aplicação da Prova + Erro) • Alunos e Professores
  • 11. 11 Modelo conceitual proposto Estrutura do modelo conceitual proposto na tese com as hipóteses principais ALUNO Características individuais do aluno: Características individuais do aluno: H1 Recursos familiares: Recursos familiares: H2 Proficiência Proficiência H3 Avaliação da escola: Avaliação da escola: ESCOLA H4 Caracterís- Caracterís- Caracterís- Caracterís- Projeto peda- Projeto peda- Caracterís- Caracterís- ticas do corpo gógico gógico ticas gerais ticas gerais ticas do corpo ticas do corpo ticas do corpo docente docente discente discente AGRUPAMENTO ESTRATÉGICO
  • 12. 12 Percentual do desempenho explicado por diferenças entre escolas EFEITOS ALEATÓRIOS – VALOR ABSOLUTO (PERCENTUAL) Nível 1 (Alunos) Intercepto 146 (78.5%) 146 (89.4%) 146 (89.4%) 145 (87.8%) Nível 2 (Escolas) Intercepto 29 (15.4%) 14 (8.7%) 14 (8.7%) 14 (8.5%) Intercepto 11 (6.1%) 3 (1.9%) 3 (1.9%) 0.98 (0.6%) Competências_e 2.79 (1.7%) Docentes_e 1.00 (0.6%) Nível 3 Ti_e 0.41 (0.2%) (Agrupamentos) Inglês_e 0.31 (0.2%) Dout_e 0.53 (0.3%) Variância Total 185 (100.0%) 163 (100.0%) 163 (100.0%) 165 (100.0%) Em linha com resultados de estudos anteriores, as escolas explicam 15% da variância total encontrada nos resultados. Os grupos estratégicos explicam cerca de 6% da variância total.
  • 13. 13 Impacto das variáveis explicativas de segundo nível (escola) Controlável pelo Variável Efeitos Efeitos aleatórios gestor? fixos Seguidora Aspirante Líderes s s Sim Competências_ 6.24 (1.21) -2.09 0.34 1.74 e Docentes_e -2.92 (0.91) 1.22 -0.16 -1.06 CandVaga_e 1.75 (0.20) 0.00 0.00 0.00 TI_e 15.49 -0.76 0.13 0.63 (2.94) Inglês_e 7.88 (1.27) -0.44 -0.05 0.49 Dout_e 4.82 (1.44) 0.60 -0.29 -0.31 Não Raça_e 11.27 (1.31) 0.00 0.00 0.00
  • 14. Considerações de estudantes que fizeram o ENADE em 2009 • Estudantes: – Fizeram a prova sem empenho máximo – Faltou comunicação – Sem motivação e sem consciência de impactos de longo prazo • Professores não estavam engajados • Exame: – Alguns pontos na prova que desconheciam – Formato diferente daquele com que estavam habituados
  • 15. 15 Para concluir, fica uma sugestão • O resultado do ENADE deve ter conseqüências para os estudantes, de tal forma que eles realizem o exame com responsabilidade