SlideShare uma empresa Scribd logo
Pedro da Maia
Incluída na longa analepse que se inicia no capítulo I, a história exemplar de Pedro da Maia
norteia-se pelos princípios naturalistas, segundo os quais a personalidade do indivíduo
dependia da conjugação de três fatores: a hereditariedade, a educação e o meio.
1. Educação
2. Hereditariedade
3. Meio
• O Romantismo (Ultrarromantismo) hiper-sentimental e lamechas: «romantismo torpe»;
• o vaguear pelos lupanares e botequins;
• a vida de boémia, «dissipada e turbulenta», de «estroinice banal»: os distúrbios no Marrare, as
«façanhas nas esperas de toiros, de cavalos esfalfados", as pateadas em São carlos;
• as devoções (as leituras devotas);
• a família (a mãe).
Numa perspetiva determinista, o comportamento do Homem não é espontâneo, mas
influenciado por determinados fatores: a hereditariedade, o meio e a educação.
Pedro cresce pequeno, nervoso e indiferente a quaisquer interesses, apesar da sua
inteligência viva, com grande paixão pela mãe, cuja morte provoca nele longos dias de
prostração e apatia, seguidos de outros de dissipação e estúrdia para afogar o seu sofrimento, a
sua dor, e novamente de uma fase de abatimento e devoção religiosa. Tornar-se-á num bom
representante dessa exaltação sentimental que, posteriormente, o fará fracassar no suicídio, de
toda uma geração romântica, orientando-se pelos valores indiviodualistas, desligada dos
problemas sociais. Dessa fase será libertado pela paixão por Maria Monforte.
* * * * * * * * * * * * * * *
4. Comportamentos
• A promessa, feita após a morte da mãe, de dormir durante um ano sobre as lajes do pátio;
• as visitas diárias ao túmulo da mãe, carregado de luto pesado;
• os distúrbios, a boémia e a estroinice;
• as leituras devotas;
• a mudança frequente de comportamentos e atitudes.
5. A paixão por Maria Monforte
5.1. A paixão romântica
• paixão súbita / à primeira vista => paixão fatal;
• namoro"à antiga";
• escrita diária de duas cartas febris de seis folhas de papel a Maria;
• oferta de ramos das mais belas camélias dos jardins de Benfica;
• as ausências ao jantar em Benfica;
• as crises de abatimento.
5.2. A oposição de Afonso
• ao conhecer os pormenores hediondos relativos à família de Maria Monforte, Afonso
opõe-se ao relacionamento amoroso;
• recusa ao filho a autorização para se casar com ela (o que não impede o casamento);
• o talher de Pedro é retirado da mesa;
• Vilaça nota em Afonso, que nele se apoia pesadamente, a primeira tremura do velho;
• a referência a Pedro é riscada da conversação.
5.3. Os presságios
• a parecença de Pedro com um avô da mãe, que enlouquecera e se enforcara: aponta para o
suicídio de Pedro;
• a paixão por Maria é descrita como"um amor à Romeu, vindo de repente numa troca de olhares
fatal...":
• a oposição paterna (de Afonso da Maia);
• a presença do fatalismo;
• os indícios de tragédia (a morte dos amantes na peça de Shakespeare encontra,
n'Os Maias, equivalência na morte de Pedro;
• o vestido cor-de-rosa: a cor simboliza a vida romântico em que Pedro se enleou;
• a cor dos olhos de Maria ("azul sombrio"): sugere a existência de sombras, ou seja,
complicações, naquela relação amorosa;
• a ramagem de um verde triste: constitui o prenúncio da tristeza que ensombrará a relação;
• a sombrinha que envolve totalmente Pedro da Maia parecia a Afonso"... uma larga mancha de
sangue...":
• o suicídio de Pedro;
• o incesto de Carlos e Maria Eduarda (a relação amorosa entre dois irmãos de
sangue),
• o ramo que se esfolha num vaso do Japão sugere a morte de Pedro.
Em jeito de conclusão, assinale-se o estado de espírito de Pedro nos momentos que antecedem
o seu suicídio e que vem comprovar estarmos na presença de uma personagem que é «um
fraco em tudo». Com efeito, ele surge em casa do pai num estado de absoluto desespero e
descomposto: enlameado, desalinhado, com a face lívida, os cabelos revoltos um olhar de
loucura. Como rosto devastado, envelhecido, chora perdidamente, lançando-se nos braços do
pai.
Num primeiro momento, ainda pensa perseguir Maria e Tancredo, mas desiste rapidamente
dessa intenção, revelando, desde já, a sua incapacidade para reagir frontalmente às situações
adversas. Ao longo da noite que antecede a morte, Pedro revela grande agitação e falta de auto
domínio, sobretudo por não saber o que fazer e por se ver naquela situação. Por momentos,
revela toda a sua fúria contra o «amigo» Tancredo, que fugiu com a esposa, e contra esta, que
o atraiçoou fugindo e deixando-o numa situação miserável. Antes do momento fatal, escreve
uma carta final ao pai.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. PessoaA "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. Pessoa
Dina Baptista
 
Ação "Os Maias"
Ação "Os Maias"Ação "Os Maias"
Ação "Os Maias"
Marta Jorge
 
Os Maias - intriga
Os Maias - intrigaOs Maias - intriga
Os Maias - intriga
António Fernandes
 
Resumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os MaiasResumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os Maias
Raffaella Ergün
 
Memorial do Convento, de José Saramago
Memorial do Convento, de José SaramagoMemorial do Convento, de José Saramago
Memorial do Convento, de José Saramago
Dina Baptista
 
Os Maias - aspetos básicos
Os Maias - aspetos básicosOs Maias - aspetos básicos
Os Maias - aspetos básicos
António Fernandes
 
Intertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os LusíadasIntertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
António Teixeira
 
O dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereçaO dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereça
Helena Coutinho
 
Resumos de Português: Memorial do convento
Resumos de Português: Memorial do conventoResumos de Português: Memorial do convento
Resumos de Português: Memorial do convento
Raffaella Ergün
 
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaRomantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Lurdes Augusto
 
João da Ega
João da EgaJoão da Ega
João da Ega
Tomás Pinto
 
"Mensagem" de Fernando Pessoa: "O Infante D. Henrique"
"Mensagem" de Fernando Pessoa: "O Infante D. Henrique""Mensagem" de Fernando Pessoa: "O Infante D. Henrique"
"Mensagem" de Fernando Pessoa: "O Infante D. Henrique"
CatarinaSilva1000
 
Memorial do convento - Personagens
Memorial do convento - PersonagensMemorial do convento - Personagens
Memorial do convento - Personagens
MiguelavRodrigues
 
Personagens memorial do convento
Personagens memorial do conventoPersonagens memorial do convento
Personagens memorial do convento
paulouhf
 
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Lurdes Augusto
 
Memorial do convento
Memorial do conventoMemorial do convento
Memorial do convento
João Pedro Rodrigues
 
Memorial do convento / Scarlatti
Memorial do convento / ScarlattiMemorial do convento / Scarlatti
Memorial do convento / Scarlatti
Gvcs Gaba
 
Memorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estiloMemorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estilo
FilipaFonseca
 
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI. Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Rita Magalhães
 
Capítulo XVII - MC
Capítulo XVII - MCCapítulo XVII - MC
Capítulo XVII - MC
12anogolega
 

Mais procurados (20)

A "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. PessoaA "Mensagem", de F. Pessoa
A "Mensagem", de F. Pessoa
 
Ação "Os Maias"
Ação "Os Maias"Ação "Os Maias"
Ação "Os Maias"
 
Os Maias - intriga
Os Maias - intrigaOs Maias - intriga
Os Maias - intriga
 
Resumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os MaiasResumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os Maias
 
Memorial do Convento, de José Saramago
Memorial do Convento, de José SaramagoMemorial do Convento, de José Saramago
Memorial do Convento, de José Saramago
 
Os Maias - aspetos básicos
Os Maias - aspetos básicosOs Maias - aspetos básicos
Os Maias - aspetos básicos
 
Intertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os LusíadasIntertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
Intertextualidade Mensagem e Os Lusíadas
 
O dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereçaO dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereça
 
Resumos de Português: Memorial do convento
Resumos de Português: Memorial do conventoResumos de Português: Memorial do convento
Resumos de Português: Memorial do convento
 
Romantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de SousaRomantismo, Frei Luís de Sousa
Romantismo, Frei Luís de Sousa
 
João da Ega
João da EgaJoão da Ega
João da Ega
 
"Mensagem" de Fernando Pessoa: "O Infante D. Henrique"
"Mensagem" de Fernando Pessoa: "O Infante D. Henrique""Mensagem" de Fernando Pessoa: "O Infante D. Henrique"
"Mensagem" de Fernando Pessoa: "O Infante D. Henrique"
 
Memorial do convento - Personagens
Memorial do convento - PersonagensMemorial do convento - Personagens
Memorial do convento - Personagens
 
Personagens memorial do convento
Personagens memorial do conventoPersonagens memorial do convento
Personagens memorial do convento
 
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição (exceto cap. VI, VII, VIII) de Camilo Castelo Branco
 
Memorial do convento
Memorial do conventoMemorial do convento
Memorial do convento
 
Memorial do convento / Scarlatti
Memorial do convento / ScarlattiMemorial do convento / Scarlatti
Memorial do convento / Scarlatti
 
Memorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estiloMemorial do Convento - linguagem e estilo
Memorial do Convento - linguagem e estilo
 
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI. Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
Os Maias - Capitulos XII, XV e XVI.
 
Capítulo XVII - MC
Capítulo XVII - MCCapítulo XVII - MC
Capítulo XVII - MC
 

Semelhante a Os Maias

Os maias analise global
Os maias   analise globalOs maias   analise global
Os maias analise global
Ana Ferreira
 
Os maias personagens
Os maias personagensOs maias personagens
Os maias personagens
Fátima Teixeira Kika
 
sintese_farsa_ines.ppt
sintese_farsa_ines.pptsintese_farsa_ines.ppt
sintese_farsa_ines.ppt
cnlx
 
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Zita Dias
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
luisprista
 
Resumos obras - Romantismo
Resumos obras - RomantismoResumos obras - Romantismo
Resumos obras - Romantismo
Andriane Cursino
 
mua8.pptx
mua8.pptxmua8.pptx
mua8.pptx
ToSCompany
 
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensOs Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Lurdes Augusto
 
EntrePalavras 10_O_Que_E_Auto_da_Feira.pdf
EntrePalavras 10_O_Que_E_Auto_da_Feira.pdfEntrePalavras 10_O_Que_E_Auto_da_Feira.pdf
EntrePalavras 10_O_Que_E_Auto_da_Feira.pdf
AngelaRamos98
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
Bruno Soares
 
Análise literária josimar porto -paes-uema-2012
Análise literária josimar porto -paes-uema-2012Análise literária josimar porto -paes-uema-2012
Análise literária josimar porto -paes-uema-2012
minafirmeza
 
-Resumos-Dos-Maias.pdf
-Resumos-Dos-Maias.pdf-Resumos-Dos-Maias.pdf
-Resumos-Dos-Maias.pdf
sandrasilvaae6181
 
281094411-Amor-de-Perdicao-Camilo-Castelo-Branco-Analise.pdf
281094411-Amor-de-Perdicao-Camilo-Castelo-Branco-Analise.pdf281094411-Amor-de-Perdicao-Camilo-Castelo-Branco-Analise.pdf
281094411-Amor-de-Perdicao-Camilo-Castelo-Branco-Analise.pdf
Tnia32
 
Amor perdic
Amor perdicAmor perdic
Amor perdic
Elisangela Ribeiro
 
Resenha das principais obras de clarice lispector
Resenha das principais obras de clarice lispectorResenha das principais obras de clarice lispector
Resenha das principais obras de clarice lispector
Vitor Morais
 
clara_dos_anjos análise PAVE.pptx
clara_dos_anjos análise PAVE.pptxclara_dos_anjos análise PAVE.pptx
clara_dos_anjos análise PAVE.pptx
PabloGabrielKdabra
 
Livros da literatura brasileira
Livros da literatura brasileiraLivros da literatura brasileira
Livros da literatura brasileira
Gabriel Martins
 
Resumos de literaturaportuguesa
Resumos de literaturaportuguesaResumos de literaturaportuguesa
Resumos de literaturaportuguesa
Rosário Pinto
 
Maria moises de Camilo Castelo Branco
Maria moises de Camilo Castelo BrancoMaria moises de Camilo Castelo Branco
Maria moises de Camilo Castelo Branco
Universidade Lusófona/ Faculdade de direito
 
Inocência-Visconde de Taunay
Inocência-Visconde de TaunayInocência-Visconde de Taunay
Inocência-Visconde de Taunay
Ragloferreira
 

Semelhante a Os Maias (20)

Os maias analise global
Os maias   analise globalOs maias   analise global
Os maias analise global
 
Os maias personagens
Os maias personagensOs maias personagens
Os maias personagens
 
sintese_farsa_ines.ppt
sintese_farsa_ines.pptsintese_farsa_ines.ppt
sintese_farsa_ines.ppt
 
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
Apresentaoparadcimoprimeiroanode2012 3aula79-80-130228123846-phpapp01
 
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
Apresentação para décimo primeiro ano de 2012 3, aula 79-80
 
Resumos obras - Romantismo
Resumos obras - RomantismoResumos obras - Romantismo
Resumos obras - Romantismo
 
mua8.pptx
mua8.pptxmua8.pptx
mua8.pptx
 
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagensOs Maias de Eça de Queirós - personagens
Os Maias de Eça de Queirós - personagens
 
EntrePalavras 10_O_Que_E_Auto_da_Feira.pdf
EntrePalavras 10_O_Que_E_Auto_da_Feira.pdfEntrePalavras 10_O_Que_E_Auto_da_Feira.pdf
EntrePalavras 10_O_Que_E_Auto_da_Feira.pdf
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
 
Análise literária josimar porto -paes-uema-2012
Análise literária josimar porto -paes-uema-2012Análise literária josimar porto -paes-uema-2012
Análise literária josimar porto -paes-uema-2012
 
-Resumos-Dos-Maias.pdf
-Resumos-Dos-Maias.pdf-Resumos-Dos-Maias.pdf
-Resumos-Dos-Maias.pdf
 
281094411-Amor-de-Perdicao-Camilo-Castelo-Branco-Analise.pdf
281094411-Amor-de-Perdicao-Camilo-Castelo-Branco-Analise.pdf281094411-Amor-de-Perdicao-Camilo-Castelo-Branco-Analise.pdf
281094411-Amor-de-Perdicao-Camilo-Castelo-Branco-Analise.pdf
 
Amor perdic
Amor perdicAmor perdic
Amor perdic
 
Resenha das principais obras de clarice lispector
Resenha das principais obras de clarice lispectorResenha das principais obras de clarice lispector
Resenha das principais obras de clarice lispector
 
clara_dos_anjos análise PAVE.pptx
clara_dos_anjos análise PAVE.pptxclara_dos_anjos análise PAVE.pptx
clara_dos_anjos análise PAVE.pptx
 
Livros da literatura brasileira
Livros da literatura brasileiraLivros da literatura brasileira
Livros da literatura brasileira
 
Resumos de literaturaportuguesa
Resumos de literaturaportuguesaResumos de literaturaportuguesa
Resumos de literaturaportuguesa
 
Maria moises de Camilo Castelo Branco
Maria moises de Camilo Castelo BrancoMaria moises de Camilo Castelo Branco
Maria moises de Camilo Castelo Branco
 
Inocência-Visconde de Taunay
Inocência-Visconde de TaunayInocência-Visconde de Taunay
Inocência-Visconde de Taunay
 

Mais de FJDOliveira

aepal12_as_03.pptx
aepal12_as_03.pptxaepal12_as_03.pptx
aepal12_as_03.pptx
FJDOliveira
 
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdf
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdfTabelas_CCT_08_10_2021.pdf
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdf
FJDOliveira
 
EX-Port639-F1-2023-V1.pdf
EX-Port639-F1-2023-V1.pdfEX-Port639-F1-2023-V1.pdf
EX-Port639-F1-2023-V1.pdf
FJDOliveira
 
EX-Port639-F1-2023-V2.pdf
EX-Port639-F1-2023-V2.pdfEX-Port639-F1-2023-V2.pdf
EX-Port639-F1-2023-V2.pdf
FJDOliveira
 
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdfEX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
FJDOliveira
 
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdfRetoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
FJDOliveira
 
IP-EX-Port639-2023-2.pdf
IP-EX-Port639-2023-2.pdfIP-EX-Port639-2023-2.pdf
IP-EX-Port639-2023-2.pdf
FJDOliveira
 
Apoio12_EN_G_II.pdf
Apoio12_EN_G_II.pdfApoio12_EN_G_II.pdf
Apoio12_EN_G_II.pdf
FJDOliveira
 
Intertextualidade_Sintese1.pdf
Intertextualidade_Sintese1.pdfIntertextualidade_Sintese1.pdf
Intertextualidade_Sintese1.pdf
FJDOliveira
 
DICAS_EN_PORT12.pdf
DICAS_EN_PORT12.pdfDICAS_EN_PORT12.pdf
DICAS_EN_PORT12.pdf
FJDOliveira
 
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdfConteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
FJDOliveira
 
doc_ef_57.pdf
doc_ef_57.pdfdoc_ef_57.pdf
doc_ef_57.pdf
FJDOliveira
 
doc_ef_41.pdf
doc_ef_41.pdfdoc_ef_41.pdf
doc_ef_41.pdf
FJDOliveira
 
doc_ef_13.pdf
doc_ef_13.pdfdoc_ef_13.pdf
doc_ef_13.pdf
FJDOliveira
 
doc_ef_42.pdf
doc_ef_42.pdfdoc_ef_42.pdf
doc_ef_42.pdf
FJDOliveira
 
doc_ef_43.pdf
doc_ef_43.pdfdoc_ef_43.pdf
doc_ef_43.pdf
FJDOliveira
 
Teste3
Teste3Teste3
Teste3
FJDOliveira
 
Teste2
Teste2Teste2
Teste2
FJDOliveira
 
Teste1
Teste1Teste1
Teste1
FJDOliveira
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
FJDOliveira
 

Mais de FJDOliveira (20)

aepal12_as_03.pptx
aepal12_as_03.pptxaepal12_as_03.pptx
aepal12_as_03.pptx
 
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdf
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdfTabelas_CCT_08_10_2021.pdf
Tabelas_CCT_08_10_2021.pdf
 
EX-Port639-F1-2023-V1.pdf
EX-Port639-F1-2023-V1.pdfEX-Port639-F1-2023-V1.pdf
EX-Port639-F1-2023-V1.pdf
 
EX-Port639-F1-2023-V2.pdf
EX-Port639-F1-2023-V2.pdfEX-Port639-F1-2023-V2.pdf
EX-Port639-F1-2023-V2.pdf
 
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdfEX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
EX-Port639-F1-2023-CC-VD_net.pdf
 
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdfRetoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
Retoma_Educacao_Literaria_10_11_12.pdf
 
IP-EX-Port639-2023-2.pdf
IP-EX-Port639-2023-2.pdfIP-EX-Port639-2023-2.pdf
IP-EX-Port639-2023-2.pdf
 
Apoio12_EN_G_II.pdf
Apoio12_EN_G_II.pdfApoio12_EN_G_II.pdf
Apoio12_EN_G_II.pdf
 
Intertextualidade_Sintese1.pdf
Intertextualidade_Sintese1.pdfIntertextualidade_Sintese1.pdf
Intertextualidade_Sintese1.pdf
 
DICAS_EN_PORT12.pdf
DICAS_EN_PORT12.pdfDICAS_EN_PORT12.pdf
DICAS_EN_PORT12.pdf
 
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdfConteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
Conteudos_EN_PORT12_GI_III_2013_2022.pdf
 
doc_ef_57.pdf
doc_ef_57.pdfdoc_ef_57.pdf
doc_ef_57.pdf
 
doc_ef_41.pdf
doc_ef_41.pdfdoc_ef_41.pdf
doc_ef_41.pdf
 
doc_ef_13.pdf
doc_ef_13.pdfdoc_ef_13.pdf
doc_ef_13.pdf
 
doc_ef_42.pdf
doc_ef_42.pdfdoc_ef_42.pdf
doc_ef_42.pdf
 
doc_ef_43.pdf
doc_ef_43.pdfdoc_ef_43.pdf
doc_ef_43.pdf
 
Teste3
Teste3Teste3
Teste3
 
Teste2
Teste2Teste2
Teste2
 
Teste1
Teste1Teste1
Teste1
 
Os Maias
Os MaiasOs Maias
Os Maias
 

Último

Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdfCorreio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdfEsquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 

Último (20)

Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdfCorreio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdfEsquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
Esquadrilhas de Ligação e Observação (ELO).pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 

Os Maias

  • 1. Pedro da Maia Incluída na longa analepse que se inicia no capítulo I, a história exemplar de Pedro da Maia norteia-se pelos princípios naturalistas, segundo os quais a personalidade do indivíduo dependia da conjugação de três fatores: a hereditariedade, a educação e o meio. 1. Educação 2. Hereditariedade
  • 2. 3. Meio • O Romantismo (Ultrarromantismo) hiper-sentimental e lamechas: «romantismo torpe»; • o vaguear pelos lupanares e botequins; • a vida de boémia, «dissipada e turbulenta», de «estroinice banal»: os distúrbios no Marrare, as «façanhas nas esperas de toiros, de cavalos esfalfados", as pateadas em São carlos; • as devoções (as leituras devotas); • a família (a mãe). Numa perspetiva determinista, o comportamento do Homem não é espontâneo, mas influenciado por determinados fatores: a hereditariedade, o meio e a educação. Pedro cresce pequeno, nervoso e indiferente a quaisquer interesses, apesar da sua inteligência viva, com grande paixão pela mãe, cuja morte provoca nele longos dias de prostração e apatia, seguidos de outros de dissipação e estúrdia para afogar o seu sofrimento, a sua dor, e novamente de uma fase de abatimento e devoção religiosa. Tornar-se-á num bom representante dessa exaltação sentimental que, posteriormente, o fará fracassar no suicídio, de toda uma geração romântica, orientando-se pelos valores indiviodualistas, desligada dos problemas sociais. Dessa fase será libertado pela paixão por Maria Monforte. * * * * * * * * * * * * * * * 4. Comportamentos • A promessa, feita após a morte da mãe, de dormir durante um ano sobre as lajes do pátio; • as visitas diárias ao túmulo da mãe, carregado de luto pesado; • os distúrbios, a boémia e a estroinice; • as leituras devotas; • a mudança frequente de comportamentos e atitudes. 5. A paixão por Maria Monforte 5.1. A paixão romântica • paixão súbita / à primeira vista => paixão fatal; • namoro"à antiga"; • escrita diária de duas cartas febris de seis folhas de papel a Maria; • oferta de ramos das mais belas camélias dos jardins de Benfica; • as ausências ao jantar em Benfica; • as crises de abatimento.
  • 3. 5.2. A oposição de Afonso • ao conhecer os pormenores hediondos relativos à família de Maria Monforte, Afonso opõe-se ao relacionamento amoroso; • recusa ao filho a autorização para se casar com ela (o que não impede o casamento); • o talher de Pedro é retirado da mesa; • Vilaça nota em Afonso, que nele se apoia pesadamente, a primeira tremura do velho; • a referência a Pedro é riscada da conversação. 5.3. Os presságios • a parecença de Pedro com um avô da mãe, que enlouquecera e se enforcara: aponta para o suicídio de Pedro; • a paixão por Maria é descrita como"um amor à Romeu, vindo de repente numa troca de olhares fatal...": • a oposição paterna (de Afonso da Maia); • a presença do fatalismo; • os indícios de tragédia (a morte dos amantes na peça de Shakespeare encontra, n'Os Maias, equivalência na morte de Pedro; • o vestido cor-de-rosa: a cor simboliza a vida romântico em que Pedro se enleou; • a cor dos olhos de Maria ("azul sombrio"): sugere a existência de sombras, ou seja, complicações, naquela relação amorosa; • a ramagem de um verde triste: constitui o prenúncio da tristeza que ensombrará a relação; • a sombrinha que envolve totalmente Pedro da Maia parecia a Afonso"... uma larga mancha de sangue...": • o suicídio de Pedro; • o incesto de Carlos e Maria Eduarda (a relação amorosa entre dois irmãos de sangue), • o ramo que se esfolha num vaso do Japão sugere a morte de Pedro. Em jeito de conclusão, assinale-se o estado de espírito de Pedro nos momentos que antecedem o seu suicídio e que vem comprovar estarmos na presença de uma personagem que é «um fraco em tudo». Com efeito, ele surge em casa do pai num estado de absoluto desespero e descomposto: enlameado, desalinhado, com a face lívida, os cabelos revoltos um olhar de loucura. Como rosto devastado, envelhecido, chora perdidamente, lançando-se nos braços do pai. Num primeiro momento, ainda pensa perseguir Maria e Tancredo, mas desiste rapidamente dessa intenção, revelando, desde já, a sua incapacidade para reagir frontalmente às situações
  • 4. adversas. Ao longo da noite que antecede a morte, Pedro revela grande agitação e falta de auto domínio, sobretudo por não saber o que fazer e por se ver naquela situação. Por momentos, revela toda a sua fúria contra o «amigo» Tancredo, que fugiu com a esposa, e contra esta, que o atraiçoou fugindo e deixando-o numa situação miserável. Antes do momento fatal, escreve uma carta final ao pai.