SlideShare uma empresa Scribd logo
[object Object],Prof Joselito
Movimentos do Sistema Solar
assim surgiu o nosso ... Sol Vénus Terra Marte Mercúrio Júpiter Saturno Urano Neptuno Plutão Sistema Solar
Sol engolirá a Terra em 7,6 mil milhões de anos ,[object Object]
Origem dos  seres vivos Desde a Antiguidade o problema da origem da vida e dos seres vivos preocupa o ser humano. Antigas doutrinas da Índia, da Babilónia e do Egito  ensinavam que rãs, cobras e crocodilos eram gerados pelo lodo dos rios. Esses seres, que apareciam inexplicavelmente no lodo, eram  encarados como manifestações da vontade dos deuses e gerados espontaneamente. A Terra formou-se há +/-  4,5 mil milhões de anos. As primeiras evidências de seres vivos em eras geológicas passadas datam de 3,5 mil milhões de anos. Mil milhões de anos teriam passado desde a origem do nosso planeta. Durante esse período, ocorreram modificações para o aparecimento de vida.
O Conceito Assim como explicar "o que é a vida" é ainda obscuro para a Ciência, explicar "como surgiu a vida”. Existem várias teorias que tentam esclarecer como isso ocorreu. Algumas delas coexistem actualmente e não há como comprová-las ou refutá-las. Outras teorias, como a da  Geração Espontânea  tiveram grande valor e impacto na época em que foram divulgadas, mas hoje já foi provado que partem de premissas equivocadas. Veja as teorias mais importantes e interessantes: GERAÇÃO ESPONTÂNEA OU ABIOGÉNESE  E  BIOGÉNESE  
1. Teoria da Geração Espontânea (abiogénese) Foi formulada por Aristóteles (384-322 a.C.), na Grécia antiga e dizia que os seres vivos surgem da matéria bruta, espontaneamente. De acordo com essa teoria, existiriam dois princípios, um passivo, que é a matéria, e outro ativo, que é a forma. No momento em que as condições fossem favoráveis, esses princípios se conjugariam, originando vida. Aristóteles, por exemplo, chegou a afirmar que os crocodilos do Rio Nilo surgiam da lama. Outros cientistas, seguindo o raciocínio de Aristóteles descreveram processos de Geração Espontânea: Paracelso explicou como gerar sapos, tartarugas e ratos a partir do ar, água, palha, madeira em decomposição, entre outros materiais; Van Helmont explicou como gerar camundongos a partir de uma camisa suada em contato com gérmen de trigo (nesse caso, o suor humano seria o 'princípio activo'). A teoria da Geração Espontânea é contestada no século XVII, o cientista Francisco Redi (1626-1698) realizou experiências controladas para provar que a Geração Espontânea não existia.
Teoria da abiogénese x Teoria da biogênese   Aristóteles (384 a322 a. C.) acreditava no “princípio activo” ou “vital”  teria a capacidade de transformar a matéria bruta num ser vivo.   Teoria da geração espontânea ou  Teoria da abiogénese a=negação; bio=vida; gênese= origem, formação Todos os seres vivos originam-se espontaneamente da matéria bruta . Jan Baptist van Helmont –  “receita”   para produzir seres vivos- camisa suada e suja com grãos de trigo em local protegido = ratos. Pela geração espontânea explicava-se o aparecimento, na espécie humana, de vermes  intestinais, como lombrigas, ou o aparecimento de vermes  no lixo, na carne  e nos frutos. Seriam dotados de um “princípio activo”. Algumas pessoas acreditam que   o  caruncho ou gorgulho do milho surge espontaneamente.
Biogénese x abiogénese Em meados do séc. XVII - Francesco Redi (1626-1697) elaborou uma experiência que, na época abalou a teoria da geração espontânea. Francesco Redi tentou combater a idéia de Aristóteles fazendo experiências com pedaços de carne e frascos de vidro (metade abertos e outra metade cobertos com gaze). Após alguns dias pôde-se notar que os "vermes"(larvas de mosca) apareciam apenas nos frascos abertos. Foi provado que os insetos eram atraídos pela carne em decomposição. Foi fortalecida a teoria da biogênese.
Needham x Spallanzani Em 1745 –  John T. Needham  (1713-1781) fez experiências laboratoriais, nas quais submetia à fervura frascos contendo substâncias nutritivas. Após a fervura, fechava os frascos com rolhas e deixava-os em repouso por alguns dias. Depois examinava ao microscópio e observava pequenos microrganismos. Ele disse que os microrganismos teriam surgido por geração espontânea. A solução nutritiva continha uma “força vital”. Lazzaro Spallanzani  (1729-1799) - 25 anos mais tarde, um padre italiano, repetiu os experimentos de Needham, com algumas modificações, e obteve resultados diferentes. Needham não ferveu o suficiente para matar  todos os microrganismos existentes nela, esterilizando-a. Needham respondeu que ao ferver por muito tempo a força  vital era destruída. Spallanzani não conseguiu explicar a sua hipótese, fortalecendo a abiogénese.
Louis Pasteur Por volta de 1860, Louis Pasteur (1822-1895 )  conseguiu  provar definitivamente que os seres vivos originam-se de outros seres vivos. Ele realizou experiências com balões do tipo “pescoço de cisne” como mostra na figura: 1 3 4 5 2
Experiência de Pasteur ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
LOUIS PASTEUR  (1822 – 1895) “RESOLVEU” A POLÉMICA DA ORIGEM DOS MICROORGANISMOS
 
Abiogénese  x   Biogénese ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
ATÉ SÉCULO XVII  GERAÇÃO ESPONTÂNEA(ABIOGÉNESE)  x  CRIAÇÃO DIVINA (CRIACIONISMO) A PARTIR DO SÉCULO XVII  SURGIRAM DÚVIDAS LOUIS PASTEUR CHARLES DARWIN
Hipóteses sobre a origem da vida ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
1. Hipótese da Criação Divina  (criacionismo-fixismo) Trata-se de uma das hipóteses mais antigas conhecidas. Propõe que Deus tenha criado o universo e a vida. Não é possível comprová-la, nem tão pouco refutá-la. As ideias criacionistas originalmente surgiram junto com uma outra linha de raciocínio: o fixismo. O pensamento era: uma vez que Deus criou o universo e a vida, tudo é perfeito e está adequadamente pronto,  não há evolução ou alteração na 'criação'.   Atualmente o fixismo foi substituído pelo evolucionismo, dadas as evidências da ocorrência da evolução das espécies. Mas o criacionismo continua vivo.
2-Panspermia ou Hip ótese cosmozóica Esta teoria explica que a vida sempre existiu no Universo. Ter-se-ia originado noutros planetas e chegado à Terra através de uma possível radiação emitida por partículas luminosas.  Admite-se que micróbios vindos em partículas de poeira ou em meteoritos de origem extraterrestre foram a fonte da vida da Terra. Arrhenius  denominou esta forma de vida de cosmozoários e  Schultz  de biógenos. Estas criaturas poderiam contaminar a superfície de qualquer planeta com condições básicas para a vida.  Esta teoria tem pouca aceitação.
3-A hipótese de Oparin e Haldane Evolução Química Oparin , A I (1894-1980 Haldane, J.B.S (1892-1964) Os primeiros seres vivos- Moléculas orgânicas que se teriam formado  na atmosfera primitiva e depois nos mares a partir de substâncias inorgânicas .  Metano - CH 4 Amónia - NH 3 Hidrogénio - H 2 Vapor de H 2 O Década de 1920- hipóteses semelhantes  Composição química da atmosfera primitiva
Terra Primitiva
ESQUEMA DA HIPÓTESE DE OPARIN E HALDANE
Esquema  da Hipótese de Oparin e Haldane coacervados Primeiras células procarióticas Atmosfera primitiva Mares primitivos
Formação do caldo nutritivo
Metano CH4 Amónia NH3 Nesse momento teriam surgido os primeiros seres vivos
COACERVADOS AGLOMERADOS DE PROTEÍNAS.
STANLEY MILLER  RECRIOU PROVÁVEL ATMOSFERA DA TERRA PRIMITIVA (1953) (COMPROVOU A TEORIA DE OPARIN) MISTUROU CH 4  , NH 3  , H 2  e H 2 O SUBMETIDA A DESCARGAS ELÉTRICAS (SIMULANDO RAIOS) DURANTE 1 SEMANA (ENCONTROU AMINOÁCIDOS NO LÍQUIDO)
Oparin não teve condições de provar sua hipótese. Mas, em 1953, Stanley Miller que na época trabalhava com Harold C. Urey na Universidade de Chicago, realizou em laboratório uma experiência. Colocou num balão de vidro: metano, amónia, hidrogénio e vapor de água. Submeteu-os a aquecimento prolongado. Uma centelha elétrica de alta tensão cortava continuamente o ambiente onde estavam contidos os gases. Ao fim de certo tempo, Miller comprovou o aparecimento de moléculas de aminoácido no interior do balão, que se acumulavam no tubo em U. Pouco tempo depois, em 1958, Sidney Fox (1912-1998) submeteu uma mistura de aminoácidos secos a aquecimento prolongado e demonstrou que eles reagiam entre si, formando cadeias peptídicas, com o aparecimento de moléculas protéicas pequenas.  Essas proteínas, quando aquecidas em solução aquosa, unem-se espontaneamente, formando microsferas.  Estas ficam separadas do meio por uma membrana, podem aumentar de tamanho em função do acúmulo de outras proteínas no seu interior e podem até mesmo dividir-se.  Não são seres vivos. As experiências de Miller e Fox comprovaram a veracidade da hipótese de Oparin. A experiência de Miller
A experiência de  Miller A experiência de Miller-Urey = Construído um aparelho que simulava as condições  da Terra primitiva introduziu nele os componentes  que provavelmente constituíam a atmosfera naquela época  Metano CH 4 Amônia NH 3 Hidrogênio H 2 Vapor de  H 2 O
 
 
Onde apareceram as primeiras formas de vida? Em Ambientes Aquáticos
Que condições permitiram o aparecimento de vida? No início... ,[object Object],[object Object],[object Object],Quentes Vulcões (lavas e cinzas) Hidrogénio + gases tóxicos R E S U L T O U da Atividade vulcânica Amónia; Metano, Monóxido de Carbono ,[object Object],Queimavam a Terra
Características que permitem a existência de vida: Distância ao Sol Existência de Atmosfera Água Líquida Aparecimento e manutenção de vida Temperatura
Origem da Vida na Terra Acção dos Raios  Ultravioleta Descargas eléctricas + Primeiros compostos orgânicos Acumularam-se nos mares primitivos
O tempo geológico
Evolução por Metabolismo Hipótese heterotrófica - procarionte, heterótrofico, anaeróbico (fermentação) Hipótese autotrófica - procarionte, autótrofico, anaeróbico (fermentação)
200-65 milhões anos atrás. Extinção dos dinossauros  t = 6 milhões anos atrás Surgem os Hominídeos  Primeiros mamíferos  t = 200-25 mil anos atrás  Homo de Neanderthal  18
OBRIGADO!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Origem da vida 9 ano ppt
Origem da vida 9 ano pptOrigem da vida 9 ano ppt
Origem da vida 9 ano ppt
Katia Nunes
 
Aula origem da vida
Aula   origem da vidaAula   origem da vida
Aula origem da vida
Neil Azevedo
 
Teorias e Origem da Vida
Teorias e Origem da Vida Teorias e Origem da Vida
Teorias e Origem da Vida
Vanessa Anzolin
 
Cap 9 a origem da vida
Cap 9 a origem da vidaCap 9 a origem da vida
Cap 9 a origem da vida
Joao Balbi
 
9 ano origem da vida
9  ano origem da vida9  ano origem da vida
9 ano origem da vida
Jane Jeiza
 
A Origem da Vida
A Origem da VidaA Origem da Vida
A Origem da Vida
Emily Almeida
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
Brenno Miranda
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida
A origem da vida
César Milani
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
Marcia Bantim
 
Origem Da Vida
Origem Da VidaOrigem Da Vida
Origem Da Vida
Diego Yamazaki Bolano
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
anacapelo
 
Origem dos primeiros seres vivos
Origem dos primeiros seres vivosOrigem dos primeiros seres vivos
Origem dos primeiros seres vivos
seeinseeya
 
Origem da vida 1º ano
Origem da vida   1º anoOrigem da vida   1º ano
Origem da vida 1º ano
Luciana Mendes
 
Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]
Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]
Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]
Ronaldo Santana
 
Origem e Teorias da Vida
Origem e Teorias da Vida Origem e Teorias da Vida
Origem e Teorias da Vida
Laguat
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
Wesley Germano Otávio
 
I. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vidaI. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vida
Rebeca Vale
 
Origem da vida evolução histórica
Origem da vida   evolução históricaOrigem da vida   evolução histórica
Origem da vida evolução histórica
Evandro Sanguinetto
 
A origem da vida 1º ano
A origem da vida   1º anoA origem da vida   1º ano
A origem da vida 1º ano
camaceio
 
Aula sobre origem da vida
Aula sobre origem da vidaAula sobre origem da vida
Aula sobre origem da vida
Gracieli Henicka
 

Mais procurados (20)

Origem da vida 9 ano ppt
Origem da vida 9 ano pptOrigem da vida 9 ano ppt
Origem da vida 9 ano ppt
 
Aula origem da vida
Aula   origem da vidaAula   origem da vida
Aula origem da vida
 
Teorias e Origem da Vida
Teorias e Origem da Vida Teorias e Origem da Vida
Teorias e Origem da Vida
 
Cap 9 a origem da vida
Cap 9 a origem da vidaCap 9 a origem da vida
Cap 9 a origem da vida
 
9 ano origem da vida
9  ano origem da vida9  ano origem da vida
9 ano origem da vida
 
A Origem da Vida
A Origem da VidaA Origem da Vida
A Origem da Vida
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida
A origem da vida
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
Origem Da Vida
Origem Da VidaOrigem Da Vida
Origem Da Vida
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
Origem dos primeiros seres vivos
Origem dos primeiros seres vivosOrigem dos primeiros seres vivos
Origem dos primeiros seres vivos
 
Origem da vida 1º ano
Origem da vida   1º anoOrigem da vida   1º ano
Origem da vida 1º ano
 
Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]
Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]
Aula Biologia: Origem da Vida [1° Ano Ensino Médio]
 
Origem e Teorias da Vida
Origem e Teorias da Vida Origem e Teorias da Vida
Origem e Teorias da Vida
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
I. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vidaI. 2 Origem da vida
I. 2 Origem da vida
 
Origem da vida evolução histórica
Origem da vida   evolução históricaOrigem da vida   evolução histórica
Origem da vida evolução histórica
 
A origem da vida 1º ano
A origem da vida   1º anoA origem da vida   1º ano
A origem da vida 1º ano
 
Aula sobre origem da vida
Aula sobre origem da vidaAula sobre origem da vida
Aula sobre origem da vida
 

Destaque

Teorias sobre-origem-da-vida-
Teorias sobre-origem-da-vida-Teorias sobre-origem-da-vida-
Teorias sobre-origem-da-vida-
profatatiana
 
T.D CITOLOGIA
T.D CITOLOGIAT.D CITOLOGIA
T.D CITOLOGIA
Joselito Oliveira Neto
 
Bio Celular
Bio CelularBio Celular
Bio Celular
ISJ
 
Evolucao
EvolucaoEvolucao
1EM #5 Origem da vida na terra
1EM #5 Origem da vida na terra1EM #5 Origem da vida na terra
1EM #5 Origem da vida na terra
Professô Kyoshi
 
Citologia
CitologiaCitologia
Aula origem da_vida
Aula origem da_vidaAula origem da_vida
Aula origem da_vida
edu.biologia
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
marianamanfroi
 

Destaque (8)

Teorias sobre-origem-da-vida-
Teorias sobre-origem-da-vida-Teorias sobre-origem-da-vida-
Teorias sobre-origem-da-vida-
 
T.D CITOLOGIA
T.D CITOLOGIAT.D CITOLOGIA
T.D CITOLOGIA
 
Bio Celular
Bio CelularBio Celular
Bio Celular
 
Evolucao
EvolucaoEvolucao
Evolucao
 
1EM #5 Origem da vida na terra
1EM #5 Origem da vida na terra1EM #5 Origem da vida na terra
1EM #5 Origem da vida na terra
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Aula origem da_vida
Aula origem da_vidaAula origem da_vida
Aula origem da_vida
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 

Semelhante a Origem da vida

Teorias da origem
Teorias da origemTeorias da origem
Teorias da origem
giovannimusetti
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida
A origem da vida
Renata Cabral
 
Durval origem da vida - versão definitiva
Durval   origem da vida - versão definitivaDurval   origem da vida - versão definitiva
Durval origem da vida - versão definitiva
tenraquel
 
Origem da vida na terra (1ª aula)
Origem da vida na terra   (1ª aula)Origem da vida na terra   (1ª aula)
Origem da vida na terra (1ª aula)
Blogzarife
 
Biologia modulo i
Biologia modulo iBiologia modulo i
Biologia modulo i
Rita de Cássia Freitas
 
Biogênese e abiogênese
Biogênese e abiogêneseBiogênese e abiogênese
Biogênese e abiogênese
Andreza Viegas
 
Biogênese e abiogênese123
Biogênese e abiogênese123Biogênese e abiogênese123
Biogênese e abiogênese123
Andreza Viegas
 
7ª SéRie Origem Vida
7ª SéRie   Origem Vida7ª SéRie   Origem Vida
7ª SéRie Origem Vida
SESI 422 - Americana
 
Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia
adrielguitar
 
B.molecular unidade #1
B.molecular unidade #1B.molecular unidade #1
B.molecular unidade #1
HinataTakahashi
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
Alexandre Borcem
 
Em busca das origens ~ a origem da vida
Em busca das origens ~ a origem da vidaEm busca das origens ~ a origem da vida
Em busca das origens ~ a origem da vida
Ninho Cristo
 
7ano a origem_da_vida
7ano a origem_da_vida7ano a origem_da_vida
7ano a origem_da_vida
Jacqueline Alexandrino
 
Aulão a origem da vida
Aulão a origem da vidaAulão a origem da vida
Aulão a origem da vida
César Milani
 
Texto de apoio de biologia evolutica 2019
Texto de apoio de biologia evolutica 2019Texto de apoio de biologia evolutica 2019
Texto de apoio de biologia evolutica 2019
IsmaelRafael
 
A origem da vida.
A origem da vida.A origem da vida.
A origem da vida.
Lara Lídia
 
A origem da vida Por Maiane Viana
A origem da vida Por Maiane VianaA origem da vida Por Maiane Viana
A origem da vida Por Maiane Viana
Maianny Vianna
 
A origem dos seres vivos, confrontando concepções
A origem dos seres vivos, confrontando concepçõesA origem dos seres vivos, confrontando concepções
A origem dos seres vivos, confrontando concepções
Beth_bio
 
AULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptx
AULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptxAULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptx
AULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptx
AdemirSantos70
 
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlosOrigem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Luiz Carlos
 

Semelhante a Origem da vida (20)

Teorias da origem
Teorias da origemTeorias da origem
Teorias da origem
 
A origem da vida
A origem da vidaA origem da vida
A origem da vida
 
Durval origem da vida - versão definitiva
Durval   origem da vida - versão definitivaDurval   origem da vida - versão definitiva
Durval origem da vida - versão definitiva
 
Origem da vida na terra (1ª aula)
Origem da vida na terra   (1ª aula)Origem da vida na terra   (1ª aula)
Origem da vida na terra (1ª aula)
 
Biologia modulo i
Biologia modulo iBiologia modulo i
Biologia modulo i
 
Biogênese e abiogênese
Biogênese e abiogêneseBiogênese e abiogênese
Biogênese e abiogênese
 
Biogênese e abiogênese123
Biogênese e abiogênese123Biogênese e abiogênese123
Biogênese e abiogênese123
 
7ª SéRie Origem Vida
7ª SéRie   Origem Vida7ª SéRie   Origem Vida
7ª SéRie Origem Vida
 
Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia
 
B.molecular unidade #1
B.molecular unidade #1B.molecular unidade #1
B.molecular unidade #1
 
Origem da vida
Origem da vidaOrigem da vida
Origem da vida
 
Em busca das origens ~ a origem da vida
Em busca das origens ~ a origem da vidaEm busca das origens ~ a origem da vida
Em busca das origens ~ a origem da vida
 
7ano a origem_da_vida
7ano a origem_da_vida7ano a origem_da_vida
7ano a origem_da_vida
 
Aulão a origem da vida
Aulão a origem da vidaAulão a origem da vida
Aulão a origem da vida
 
Texto de apoio de biologia evolutica 2019
Texto de apoio de biologia evolutica 2019Texto de apoio de biologia evolutica 2019
Texto de apoio de biologia evolutica 2019
 
A origem da vida.
A origem da vida.A origem da vida.
A origem da vida.
 
A origem da vida Por Maiane Viana
A origem da vida Por Maiane VianaA origem da vida Por Maiane Viana
A origem da vida Por Maiane Viana
 
A origem dos seres vivos, confrontando concepções
A origem dos seres vivos, confrontando concepçõesA origem dos seres vivos, confrontando concepções
A origem dos seres vivos, confrontando concepções
 
AULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptx
AULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptxAULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptx
AULA BIO - 02 - ORIG DA VIDA.pptx
 
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlosOrigem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
Origem da vida aula 1º ano do ensino médio-luiz carlos
 

Mais de Joselito Oliveira Neto

Apresentação reino fungi e reino monera
Apresentação reino fungi e reino moneraApresentação reino fungi e reino monera
Apresentação reino fungi e reino monera
Joselito Oliveira Neto
 
Simularce
SimularceSimularce
Exercícios mendel
Exercícios mendelExercícios mendel
Exercícios mendel
Joselito Oliveira Neto
 
T.d vírus
T.d vírusT.d vírus
1°leidemendel
1°leidemendel1°leidemendel
1°leidemendel
Joselito Oliveira Neto
 
Virus um grupo a parte
Virus  um grupo a parteVirus  um grupo a parte
Virus um grupo a parte
Joselito Oliveira Neto
 
Genética 01
Genética 01Genética 01
Genetica 01- Introdução
Genetica 01- Introdução Genetica 01- Introdução
Genetica 01- Introdução
Joselito Oliveira Neto
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
Joselito Oliveira Neto
 

Mais de Joselito Oliveira Neto (9)

Apresentação reino fungi e reino monera
Apresentação reino fungi e reino moneraApresentação reino fungi e reino monera
Apresentação reino fungi e reino monera
 
Simularce
SimularceSimularce
Simularce
 
Exercícios mendel
Exercícios mendelExercícios mendel
Exercícios mendel
 
T.d vírus
T.d vírusT.d vírus
T.d vírus
 
1°leidemendel
1°leidemendel1°leidemendel
1°leidemendel
 
Virus um grupo a parte
Virus  um grupo a parteVirus  um grupo a parte
Virus um grupo a parte
 
Genética 01
Genética 01Genética 01
Genética 01
 
Genetica 01- Introdução
Genetica 01- Introdução Genetica 01- Introdução
Genetica 01- Introdução
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 

Último

cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 

Último (20)

cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 

Origem da vida

  • 1.
  • 3. assim surgiu o nosso ... Sol Vénus Terra Marte Mercúrio Júpiter Saturno Urano Neptuno Plutão Sistema Solar
  • 4.
  • 5. Origem dos seres vivos Desde a Antiguidade o problema da origem da vida e dos seres vivos preocupa o ser humano. Antigas doutrinas da Índia, da Babilónia e do Egito ensinavam que rãs, cobras e crocodilos eram gerados pelo lodo dos rios. Esses seres, que apareciam inexplicavelmente no lodo, eram encarados como manifestações da vontade dos deuses e gerados espontaneamente. A Terra formou-se há +/- 4,5 mil milhões de anos. As primeiras evidências de seres vivos em eras geológicas passadas datam de 3,5 mil milhões de anos. Mil milhões de anos teriam passado desde a origem do nosso planeta. Durante esse período, ocorreram modificações para o aparecimento de vida.
  • 6. O Conceito Assim como explicar "o que é a vida" é ainda obscuro para a Ciência, explicar "como surgiu a vida”. Existem várias teorias que tentam esclarecer como isso ocorreu. Algumas delas coexistem actualmente e não há como comprová-las ou refutá-las. Outras teorias, como a da Geração Espontânea tiveram grande valor e impacto na época em que foram divulgadas, mas hoje já foi provado que partem de premissas equivocadas. Veja as teorias mais importantes e interessantes: GERAÇÃO ESPONTÂNEA OU ABIOGÉNESE E BIOGÉNESE  
  • 7. 1. Teoria da Geração Espontânea (abiogénese) Foi formulada por Aristóteles (384-322 a.C.), na Grécia antiga e dizia que os seres vivos surgem da matéria bruta, espontaneamente. De acordo com essa teoria, existiriam dois princípios, um passivo, que é a matéria, e outro ativo, que é a forma. No momento em que as condições fossem favoráveis, esses princípios se conjugariam, originando vida. Aristóteles, por exemplo, chegou a afirmar que os crocodilos do Rio Nilo surgiam da lama. Outros cientistas, seguindo o raciocínio de Aristóteles descreveram processos de Geração Espontânea: Paracelso explicou como gerar sapos, tartarugas e ratos a partir do ar, água, palha, madeira em decomposição, entre outros materiais; Van Helmont explicou como gerar camundongos a partir de uma camisa suada em contato com gérmen de trigo (nesse caso, o suor humano seria o 'princípio activo'). A teoria da Geração Espontânea é contestada no século XVII, o cientista Francisco Redi (1626-1698) realizou experiências controladas para provar que a Geração Espontânea não existia.
  • 8. Teoria da abiogénese x Teoria da biogênese Aristóteles (384 a322 a. C.) acreditava no “princípio activo” ou “vital” teria a capacidade de transformar a matéria bruta num ser vivo. Teoria da geração espontânea ou Teoria da abiogénese a=negação; bio=vida; gênese= origem, formação Todos os seres vivos originam-se espontaneamente da matéria bruta . Jan Baptist van Helmont – “receita” para produzir seres vivos- camisa suada e suja com grãos de trigo em local protegido = ratos. Pela geração espontânea explicava-se o aparecimento, na espécie humana, de vermes intestinais, como lombrigas, ou o aparecimento de vermes no lixo, na carne e nos frutos. Seriam dotados de um “princípio activo”. Algumas pessoas acreditam que o caruncho ou gorgulho do milho surge espontaneamente.
  • 9. Biogénese x abiogénese Em meados do séc. XVII - Francesco Redi (1626-1697) elaborou uma experiência que, na época abalou a teoria da geração espontânea. Francesco Redi tentou combater a idéia de Aristóteles fazendo experiências com pedaços de carne e frascos de vidro (metade abertos e outra metade cobertos com gaze). Após alguns dias pôde-se notar que os "vermes"(larvas de mosca) apareciam apenas nos frascos abertos. Foi provado que os insetos eram atraídos pela carne em decomposição. Foi fortalecida a teoria da biogênese.
  • 10. Needham x Spallanzani Em 1745 – John T. Needham (1713-1781) fez experiências laboratoriais, nas quais submetia à fervura frascos contendo substâncias nutritivas. Após a fervura, fechava os frascos com rolhas e deixava-os em repouso por alguns dias. Depois examinava ao microscópio e observava pequenos microrganismos. Ele disse que os microrganismos teriam surgido por geração espontânea. A solução nutritiva continha uma “força vital”. Lazzaro Spallanzani (1729-1799) - 25 anos mais tarde, um padre italiano, repetiu os experimentos de Needham, com algumas modificações, e obteve resultados diferentes. Needham não ferveu o suficiente para matar todos os microrganismos existentes nela, esterilizando-a. Needham respondeu que ao ferver por muito tempo a força vital era destruída. Spallanzani não conseguiu explicar a sua hipótese, fortalecendo a abiogénese.
  • 11. Louis Pasteur Por volta de 1860, Louis Pasteur (1822-1895 ) conseguiu provar definitivamente que os seres vivos originam-se de outros seres vivos. Ele realizou experiências com balões do tipo “pescoço de cisne” como mostra na figura: 1 3 4 5 2
  • 12.
  • 13. LOUIS PASTEUR (1822 – 1895) “RESOLVEU” A POLÉMICA DA ORIGEM DOS MICROORGANISMOS
  • 14.  
  • 15.
  • 16. ATÉ SÉCULO XVII GERAÇÃO ESPONTÂNEA(ABIOGÉNESE) x CRIAÇÃO DIVINA (CRIACIONISMO) A PARTIR DO SÉCULO XVII SURGIRAM DÚVIDAS LOUIS PASTEUR CHARLES DARWIN
  • 17.
  • 18. 1. Hipótese da Criação Divina (criacionismo-fixismo) Trata-se de uma das hipóteses mais antigas conhecidas. Propõe que Deus tenha criado o universo e a vida. Não é possível comprová-la, nem tão pouco refutá-la. As ideias criacionistas originalmente surgiram junto com uma outra linha de raciocínio: o fixismo. O pensamento era: uma vez que Deus criou o universo e a vida, tudo é perfeito e está adequadamente pronto, não há evolução ou alteração na 'criação'. Atualmente o fixismo foi substituído pelo evolucionismo, dadas as evidências da ocorrência da evolução das espécies. Mas o criacionismo continua vivo.
  • 19. 2-Panspermia ou Hip ótese cosmozóica Esta teoria explica que a vida sempre existiu no Universo. Ter-se-ia originado noutros planetas e chegado à Terra através de uma possível radiação emitida por partículas luminosas. Admite-se que micróbios vindos em partículas de poeira ou em meteoritos de origem extraterrestre foram a fonte da vida da Terra. Arrhenius denominou esta forma de vida de cosmozoários e Schultz de biógenos. Estas criaturas poderiam contaminar a superfície de qualquer planeta com condições básicas para a vida. Esta teoria tem pouca aceitação.
  • 20. 3-A hipótese de Oparin e Haldane Evolução Química Oparin , A I (1894-1980 Haldane, J.B.S (1892-1964) Os primeiros seres vivos- Moléculas orgânicas que se teriam formado na atmosfera primitiva e depois nos mares a partir de substâncias inorgânicas . Metano - CH 4 Amónia - NH 3 Hidrogénio - H 2 Vapor de H 2 O Década de 1920- hipóteses semelhantes Composição química da atmosfera primitiva
  • 22. ESQUEMA DA HIPÓTESE DE OPARIN E HALDANE
  • 23. Esquema da Hipótese de Oparin e Haldane coacervados Primeiras células procarióticas Atmosfera primitiva Mares primitivos
  • 24. Formação do caldo nutritivo
  • 25. Metano CH4 Amónia NH3 Nesse momento teriam surgido os primeiros seres vivos
  • 27. STANLEY MILLER RECRIOU PROVÁVEL ATMOSFERA DA TERRA PRIMITIVA (1953) (COMPROVOU A TEORIA DE OPARIN) MISTUROU CH 4 , NH 3 , H 2 e H 2 O SUBMETIDA A DESCARGAS ELÉTRICAS (SIMULANDO RAIOS) DURANTE 1 SEMANA (ENCONTROU AMINOÁCIDOS NO LÍQUIDO)
  • 28. Oparin não teve condições de provar sua hipótese. Mas, em 1953, Stanley Miller que na época trabalhava com Harold C. Urey na Universidade de Chicago, realizou em laboratório uma experiência. Colocou num balão de vidro: metano, amónia, hidrogénio e vapor de água. Submeteu-os a aquecimento prolongado. Uma centelha elétrica de alta tensão cortava continuamente o ambiente onde estavam contidos os gases. Ao fim de certo tempo, Miller comprovou o aparecimento de moléculas de aminoácido no interior do balão, que se acumulavam no tubo em U. Pouco tempo depois, em 1958, Sidney Fox (1912-1998) submeteu uma mistura de aminoácidos secos a aquecimento prolongado e demonstrou que eles reagiam entre si, formando cadeias peptídicas, com o aparecimento de moléculas protéicas pequenas. Essas proteínas, quando aquecidas em solução aquosa, unem-se espontaneamente, formando microsferas. Estas ficam separadas do meio por uma membrana, podem aumentar de tamanho em função do acúmulo de outras proteínas no seu interior e podem até mesmo dividir-se. Não são seres vivos. As experiências de Miller e Fox comprovaram a veracidade da hipótese de Oparin. A experiência de Miller
  • 29. A experiência de Miller A experiência de Miller-Urey = Construído um aparelho que simulava as condições da Terra primitiva introduziu nele os componentes que provavelmente constituíam a atmosfera naquela época Metano CH 4 Amônia NH 3 Hidrogênio H 2 Vapor de H 2 O
  • 30.  
  • 31.  
  • 32. Onde apareceram as primeiras formas de vida? Em Ambientes Aquáticos
  • 33.
  • 34. Características que permitem a existência de vida: Distância ao Sol Existência de Atmosfera Água Líquida Aparecimento e manutenção de vida Temperatura
  • 35. Origem da Vida na Terra Acção dos Raios Ultravioleta Descargas eléctricas + Primeiros compostos orgânicos Acumularam-se nos mares primitivos
  • 37. Evolução por Metabolismo Hipótese heterotrófica - procarionte, heterótrofico, anaeróbico (fermentação) Hipótese autotrófica - procarionte, autótrofico, anaeróbico (fermentação)
  • 38. 200-65 milhões anos atrás. Extinção dos dinossauros t = 6 milhões anos atrás Surgem os Hominídeos Primeiros mamíferos t = 200-25 mil anos atrás Homo de Neanderthal 18

Notas do Editor

  1. Pela abiogênese se explicava o surgimento, na espécie humana, de vermes intestinais,