SlideShare uma empresa Scribd logo
PACTO NACIONAL
PELA
ALFABETIZAÇÃO NA
IDADE CERTA
Sejam todas bem vindas
para mais um ano de
socialização de
conhecimentos e
aprendizagens.
Orientadora:
Elisabete Feliciano dos Santos
e-mail:
probete.feliciano@gmail.com
Blog:
pnaicbetefeliciano.blogspot.com.br
O registro reflexivo é um dos mais valiosos instrumentos
para sabermos sobre nós mesmos, pessoal e
profissionalmente, já que possibilita uma análise sobre o
trabalho realizado juntamente com a sistematização dos
saberes adquiridos e utilizados no exercício da profissão.
De fato, o professor é ao mesmo tempo o autor e o principal
ator da narração escrita por ele.
É como diz Clarice Lispector: “ escrevo porque a medida
que escrevo vou me entendendo e entendendo o que quero
dizer, entendo o que posso fazer. Escrevo porque sinto
necessidade de aprofundar as coisas, de vê-las como
realmente são...”
Professor, escreva refletindo sobre o seu momento no
curso e sobre o momento do grupo no qual está inserido.
Estamos aprendendo juntos.
Registros reflexivos de cada encontro
Portfólios - Tarefas
Caderno 1
ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO
A organização do trabalho pedagógico requer
que pense em modos onde situem o aluno em
um ambiente de atividade matemática,
possibilitando que ele aprenda, além de
codificar e decodificar os símbolos
matemáticos; a realizar variadas leituras de
mundo, levantar conjecturas e validá-las,
argumentar e justificar procedimentos.
 Pautado no diálogo e nas interações;
 Na comunicação de ideias;
 Na mediação do professor;
 Na intencionalidade pedagógica para ensinar de forma a
ampliar as possibilidades das aprendizagens.
Tal intencionalidade requer um planejamento consistente
do professor, com vários fatores intervenientes no processo
como: a prática do professor, o material e a metodologia
utilizados, dentre outros.
CARACTERIZAR A COMUNIDADE
DE APRENDIZAGEM DA SALA DE
AULA COM VISTAS À
ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA
DE TODOS OS ALUNOS
DESTACAR A INTENCIONALIDADE
PEDAGÓGICA COMO ELEMENTO
ESSENCIAL NO PROCESSO DE
ALFABETIZAÇÃO
APONTAR POSSIBILIDADES PARA
A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO
PEDAGÓGICO
COMPARTILHAR VIVÊNCIAS DE
PROFESSORES QUE BUSCAM
GARANTIR OS DIREITOS DE
APRENDIZAGEM DE
MATEMÁTICA DOS ALUNOS.
CADERNO 01
OBJETIVOS
Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1
DIFERENTES FORMAS DE
PLANEJAMENTO
A essência das ações docentes se sustenta em
preparar e planejar cuidadosamente as aulas.
O planejamento:
• Deve ser um orientador da ação docente;
• Deve refletir um processo de racionalização,
organização e coordenação do fazer
pedagógico.
Pensar a organização do trabalho envolve as diferentes
formas de planejamento.
Planejamento
Anual
Planejamento
Bimestral ou
Similares
Planejamento
Semanal
O planejamento anual deverá ser produzido no coletivo da escola,
compartilhado entre professores do ciclo de alfabetização e a
coordenação pedagógica. Para tal, será necessário:
 Conhecer o que e como os professores dos anos anteriores
trabalharam;
 A escolha de conteúdos matemáticos leva em conta documentos
oficiais e deve estar intimamente vinculada à construção do
planejamento pedagógico pelo coletivo da escola, ou seja, organizar
a aula de maneira intencional, planejada, criativa, capaz de produzir
efeitos positivos para a aprendizagem dos alunos.
Ao planejar, o professor deve ter
clareza de que é necessário:
• Ativar conhecimentos prévios;
• Possibilitar que os alunos construam seu conhecimento
mediatizado pelo professor;
• Possibilitar que os alunos realizem tentativas para elaborar
respostas aos desafios propostos;
• Escutar cuidadosamente o aluno;
• Utilizar recursos diversos;
• Ter clareza dos critérios avaliativos (discutidos na escola), do
perfil de turma (discutidos no PNAIC);
• Conhecer o objeto de estudo de cada área do conhecimento.
É importante considerar que o planejamento é flexível. Isso por
quê:
 O cotidiano da sala de aula é tempo/espaço de
imprevisibilidade.
“O professor frequentemente se encontra diante de situações
comuns que alteram a dinâmica da sala de aula, interferindo no
processo ensino/aprendizagem. O planejado, vai sendo
atravessado pelos fatos que se impõem ao previsto, criando novas
demandas, novas possibilidades, novos obstáculos, fazendo com
que o preestabelecido precise ser constantemente revisto e
reorganizado”. (ESTEBAN, 2001, p. 172)
O que fazer com os alunos que ainda não estão onde
deveriam estar?
 A resposta a essa questão também precisa ser debatida no
coletivo da escola.
 Sabe-se que os alunos aprendem de modos diferentes e têm
tempos diferentes de aprendizagem.
 Será necessário criar novas estratégias de ensino de modo
que os alunos sintam-se desafiados a avançar.
Podemos destacar alguns tópicos importantes
que devem ser levados em consideração na sala
de aula e no planejamento.
 Escutar cuidadosamente os alunos;
 Observar e avaliar o processo;
 Fornecer sugestões adequadas;
 Interpretar suas formas de raciocinar;
 Possibilitar que os estudantes debatam sobre o assunto,
cabendo ao professor encorajar a formação de uma
comunidade de aprendizagem em sala de aula.
“À medida que o professor vai ajustando seu discurso
às questões apresentadas pelos alunos, ele contribui
para que esses construam novos conhecimentos.
Essa postura em nada se parece com a de
transmissão ou informação de conceitos e teorias.
Professor, a vida das ações docentes, se sustentam
no preparar e planejar cuidadosamente as aulas
semanalmente.”
PLANEJAMENTO SEMANAL
• Deve ser organizado sequencial ao que foi
trabalhado na semana anterior;
• Cabe ao professor decidir quais
estratégias deve utilizar para realizar a
retomada do que foi trabalhado;
• O que será trabalhado na semana deverá
contribuir para a continuidade da
aprendizagem dos alunos.
PLANEJAMENTO SEMANAL
QUAIS ATIVIDADES DA SEMANA GARANTIRÃO A
CONTINUIDADE NA CONSTRUÇÃO DO
CONCEITO ?
O conceito deve ser trabalhado de forma
contínua e não apenas em um momento
estanque. Portanto, é fundamental ao
planejar, primar pela qualidade das
atividades elaboradas em detrimento a
quantidade das mesmas.
• Exemplo: A noção de tempo exige um
trabalho rotineiro com a organização
temporal; (ROTINA)
• O livro de literatura – fonte inesgotável de
aprendizagens.
A IMPORTÂNCIA DA RETOMADA DE
CONTEÚDOS
• Como retomar um determinado conteúdo
para consolidar a aprendizagem e
possibilitar a compreensão a todos?
• Que diversidade de materiais a escola
possui para a retomada desse conteúdo?
FIO DE CONTAS
Dependendo do conteúdo que será trabalhado, é preciso
pensar desde questões relativas à necessidade e possibilidade
de fornecer materiais impressos em tempo adequado até
sobre a organização do espaço da sala de aula:
 Os alunos trabalharão individualmente, em duplas ou em
grupo?
 Como será a disposição das carteiras em cada situação?
 O mobiliário e espaço da escola favorece diferentes
organizações?
 Os materiais de uso coletivo estão colocados ao alcance dos
alunos?
ORGANIZAÇÃO DA SALA DE
AULA:
FAZENDO A AULA
ACONTECER
No primeiro ciclo de alfabetização a sala de aula é um ambiente
formativo que ocupa uma posição central no processo de
alfabetização.
 A importância da presença de materiais que remetam para a
função social da Matemática, como: gráficos, tabelas,
informações numéricas diversas, etc;
 As brincadeiras e as expressões culturais da infância
precisam estar presentes;
 Trazer para as aulas as experiências vividas é imprescindível,
respeitando as culturas da infância.
 ABERTURA DA AULA;
 A ORGANIZAÇÃO DA SALA;
 O FECHAMENTO DAS
ATIVIDADES
ATIVIDADES UTILIZANDO MEDIDAS
DE TEMPO
• Leitura do calendário diariamente.
A professora convida um aluno a vir fixar os
números de 01 a 30 ou 31 no calendário
confeccionado.
ATIVIDADE COM VELAS
• A professora leva até a sala 3 (três) velas
de cores diferentes. Explica para as
crianças que acenderá as velas em 3
(três) momentos diferentes para que
todos possam analisar o tempo.
• A primeira vela será acesa no início da
aula até o recreio;
• A segunda vela será acesa durante o
recreio;
• A terceira vela será acesa do término do
recreio até o encerramento da aula.
PROBLEMATIZAÇÃO
• Qual vela queimou mais? Por quê?
• Qual vela queimou menos? Por quê?
Produção do cartaz com a organização
da semana
DOMINGO SEGUNDA-
FEIRA
TERÇA-
FEIRA
QUARTA-
FEIRA
QUINTA-
FEIRA
SEXTA-
FEIRA
SÁBADO
DIA DE
DESCANSO
FLÚOR Contação
de história
Informática HINO
NACIONAL
ANIVERSARI
ANTES DA
SEMANA
QUAIS MATERIAIS A ESCOLA POSSUI
PARA PLANEJAR CONSIDERANDO
RECURSOS DIDÁTICOS?
• Quais livros literários podem ser utilizados
para contextualizar o trabalho com a
linguagem matemática;
• Quais jogos a escola possui?
• Há mapas, bandeiras, globo terrestre?
MATERIAIS MANIPULÁVEIS
QUADRO VALOR LUGAR
BLOCOS LÓGICOS
MATERIAIS MANIPULÁVEIS –
SUCATA
JOGO
Um jogo necessita de vários momentos uma
vez que:
• Muitas vezes, num primeiro momento, a
criança precisa conhecer o material e
manuseá-lo. Trabalhar nessa perspectiva
significa orientar a prática a partir da
concepção de infância (a criança é
naturalmente curiosa);
• Num segundo momento já há mais
aproveitamento do tempo para que haja a
sistematização do conteúdo proposto.
JOGOS MATEMÁTICOS
EXEMPLOS:
• Nunca dez
• Jogos digitais educacionais
• (UCAA – offline)
USO DA LITERATURA
VÍDEOS
Exemplos:
• 101 Dálmatas (verificar contagem de
centena, formação de
agrupamentos)
• Ursinho Pooh 1,2,3 Descobrindo os
números e as contas (elementos
gráficos, linguagem matemática)
• Donald no País da Matemágica
(proporções, aplicações da
Matemática no meio social)
AO UTILIZAR UM RECURSO FAZ-SE
NECESSÁRIO:
• Planejar em consonância com o objetivo
e o conteúdo;
• Ter clareza dos objetivos (o que pretendo
alcançar?)
• Compreender que o recurso é somente
um meio para a apropriação do
conhecimento, o que garante a superação
das dificuldades é a mediação.
PLANEJAMENTO E INTERDISCIPLINARIEDADE
Só é possível planejar interdisciplinarmente
se houver clareza/ aprofundamento do objeto
de estudo de cada área do conhecimento.
• Exemplo: Se solicitarmos um desenho
trabalhando com determinado conteúdo da
língua portuguesa não necessariamente,
estaremos trabalhando com arte.
APRENDIZAGEM CONTEXTUALIZADA E
SIGNIFICATIVA
Organização de
situações-
problema a partir
de encartes,
panfletos, folders –
que contenham
objetos que
possam despertar
interesse no
universo infantil.
Objetos que ilustram
concretamente
problematizações cotidianas.
Exemplos: réplicas de
dinheiro, balanças, relógios,
réguas etc.
Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1
QUAIS SÃO OS COMPONENTES TÉCNICOS QUE UM
PLANEJAMENTO DEVE TER? ( LOPES, 1989)
• Conteúdo ( o quê?);
• Objetivos (para quê?);
• Encaminhamento metodológico (Como?);
• Critérios Avaliativos? (O que efetivamente
foi apropriado)?
QUE OUTROS COMPONENTES
PODERÍAMOS ACRESCENTAR NA
CONCEPÇÃO QUE TEMOS
• Divisão do tempo ( atividades
permanentes, atividades que variam e que
são contextuais)
• Espaços: Como o espaço será
organizado;
• Retomada/ recuperação paralela;
Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1
• SUGESTÕES DE ATIVIDADES
JOGO QUEBRA CABEÇA DOS RELÓGIOS:
• SUGESTÕES DE ATIVIDADES
DITADO DE HORAS:
ATIVIDADE 1
O texto “Diferentes Formas de Planejamento”
destaca a importância do planejamento anual e
durante o período letivo. Quais encaminhamentos
planejou para este ano com relação à
Alfabetização Matemática? Informe e discuta o
que houve de mudanças em relação ao que fez no
ano passado? O planejamento deste ano está
considerando as ideias presentes no texto?
ATIVIDADE 2 –Pg. 40-44
“Negociando significados na leitura de um texto de problema” -
Professora Eliana Rossi - Município de Itatiba, SP.
Turma de 3º ano, com 23 alunos, 2013. Propôs o seguinte
problema, sem questionamento, com o objetivo dos alunos
aprenderem a interpretar situações-problema, analisar o gênero
textual, familiarizando-se com sua estrutura e linguagem, notarem
a falta da questão problematizadora e produzi-la:
ÚRSULA É UMA URSINHA. ELA PRECISA
APRENDER A ANDAR NA CORDA-BAMBA
PARA GANHAR UM EMPREGO NO CIRCO
COMO MALABARISTA. TODOS OS DIAS
ÚRSULA AUMENTA EM 5 CENTÍMETROS A
ALTURA DO ARAME EM QUE ELA TREINA.
HOJE O ARAME ESTAVA A 15 CM DO SOLO.
TAREFA DE CASA
• Ler o texto: Compartilhando – Caderno 1 –
Organização do Trabalho Pedagógico (p. 46 a
66).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

CONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
CONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃOCONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
CONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
Julhinha Camara
 
Habilidades e Competências
Habilidades e CompetênciasHabilidades e Competências
Habilidades e Competências
Alexandre Lopes
 
Literatura Infantil Slides
Literatura Infantil   SlidesLiteratura Infantil   Slides
Literatura Infantil Slides
estercotrim
 
Slides leitura
Slides leituraSlides leitura
Slides leitura
proletramentoalfa
 
Planejamento Escolar 2014
Planejamento Escolar 2014Planejamento Escolar 2014
Planejamento Escolar 2014
Claudia Elisabete Silva
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
Almeida Emilene Santos
 
Literatura infantil Adriano
Literatura infantil AdrianoLiteratura infantil Adriano
Literatura infantil Adriano
Adriano De Campos
 
Gestão da sala de aula
Gestão da sala de aulaGestão da sala de aula
Gestão da sala de aula
Raquel Pereira
 
Adaptações curriculares
Adaptações curricularesAdaptações curriculares
Adaptações curriculares
Elisete Nunes
 
Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)
PamelaAschoff
 
Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2
suelyaparecida
 
Sequencia didática
Sequencia didáticaSequencia didática
Sequencia didática
Magda Marques
 
ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA
ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICAALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA
ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA
Leonarda Macedo
 
Unidade 6 projetos e sequências didáticas final
Unidade 6 projetos e sequências didáticas finalUnidade 6 projetos e sequências didáticas final
Unidade 6 projetos e sequências didáticas final
Naysa Taboada
 
CADERNO PNAIC 3 - CONSTRUÇÃO DO SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL
CADERNO PNAIC 3 - CONSTRUÇÃO DO SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMALCADERNO PNAIC 3 - CONSTRUÇÃO DO SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL
CADERNO PNAIC 3 - CONSTRUÇÃO DO SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL
Aline Caixeta
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aulaGestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
formacaodecoordenadores
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
Adriana Pereira
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
Magda Marques
 
Alfabetização e letramento matemático pnaic
Alfabetização e letramento matemático pnaicAlfabetização e letramento matemático pnaic
Alfabetização e letramento matemático pnaic
Magda Marques
 
Adequação curricular
Adequação curricularAdequação curricular
Adequação curricular
Anaí Peña
 

Mais procurados (20)

CONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
CONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃOCONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
CONCEPÇÕES DE ALFABETIZAÇÃO: O QUE ENSINAR NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO
 
Habilidades e Competências
Habilidades e CompetênciasHabilidades e Competências
Habilidades e Competências
 
Literatura Infantil Slides
Literatura Infantil   SlidesLiteratura Infantil   Slides
Literatura Infantil Slides
 
Slides leitura
Slides leituraSlides leitura
Slides leitura
 
Planejamento Escolar 2014
Planejamento Escolar 2014Planejamento Escolar 2014
Planejamento Escolar 2014
 
Educação inclusiva
Educação inclusivaEducação inclusiva
Educação inclusiva
 
Literatura infantil Adriano
Literatura infantil AdrianoLiteratura infantil Adriano
Literatura infantil Adriano
 
Gestão da sala de aula
Gestão da sala de aulaGestão da sala de aula
Gestão da sala de aula
 
Adaptações curriculares
Adaptações curricularesAdaptações curriculares
Adaptações curriculares
 
Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)
 
Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2Gestão de sala de aula 2
Gestão de sala de aula 2
 
Sequencia didática
Sequencia didáticaSequencia didática
Sequencia didática
 
ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA
ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICAALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA
ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA
 
Unidade 6 projetos e sequências didáticas final
Unidade 6 projetos e sequências didáticas finalUnidade 6 projetos e sequências didáticas final
Unidade 6 projetos e sequências didáticas final
 
CADERNO PNAIC 3 - CONSTRUÇÃO DO SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL
CADERNO PNAIC 3 - CONSTRUÇÃO DO SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMALCADERNO PNAIC 3 - CONSTRUÇÃO DO SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL
CADERNO PNAIC 3 - CONSTRUÇÃO DO SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL
 
Gestão de sala de aula
Gestão de sala de aulaGestão de sala de aula
Gestão de sala de aula
 
Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento
Alfabetização e Letramento
 
Organização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógico
 
Alfabetização e letramento matemático pnaic
Alfabetização e letramento matemático pnaicAlfabetização e letramento matemático pnaic
Alfabetização e letramento matemático pnaic
 
Adequação curricular
Adequação curricularAdequação curricular
Adequação curricular
 

Semelhante a Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1

Apresentar caderno 1
Apresentar caderno 1Apresentar caderno 1
Apresentar caderno 1
weleslima
 
CADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICA
CADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICACADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICA
CADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICA
Aline Caixeta
 
2 encontro 1 momento pnaic matematica
2 encontro 1 momento pnaic matematica2 encontro 1 momento pnaic matematica
2 encontro 1 momento pnaic matematica
Adriana De Almeida Braga
 
rotina-na-alfabetizac3a7c3a3o.pptx
rotina-na-alfabetizac3a7c3a3o.pptxrotina-na-alfabetizac3a7c3a3o.pptx
rotina-na-alfabetizac3a7c3a3o.pptx
Maria685414
 
2encontropnaic2014vniaok 140722165357-phpapp01
2encontropnaic2014vniaok 140722165357-phpapp012encontropnaic2014vniaok 140722165357-phpapp01
2encontropnaic2014vniaok 140722165357-phpapp01
Maria Angelica Pimentel
 
2º encontro pnaic 2014 vânia ok
2º encontro pnaic 2014 vânia ok2º encontro pnaic 2014 vânia ok
2º encontro pnaic 2014 vânia ok
Wanya Castro
 
2º encontro pnaic 2014
2º encontro pnaic 20142º encontro pnaic 2014
2º encontro pnaic 2014
miesbella
 
PNAIC - Ano 2 unidade 2
PNAIC - Ano 2   unidade 2PNAIC - Ano 2   unidade 2
PNAIC - Ano 2 unidade 2
ElieneDias
 
Modulo 3
Modulo 3Modulo 3
Ambiente alfabetizados em Matemática - PNAIC Bertioga
Ambiente alfabetizados em Matemática - PNAIC BertiogaAmbiente alfabetizados em Matemática - PNAIC Bertioga
Ambiente alfabetizados em Matemática - PNAIC Bertioga
Aline Manzini
 
Pacto nacional pela alfabetização na idade certa
Pacto nacional pela alfabetização na idade certaPacto nacional pela alfabetização na idade certa
Pacto nacional pela alfabetização na idade certa
Cida Nenê Leite
 
RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE TOUROS NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014
RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE TOUROS NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE TOUROS NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014
RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE TOUROS NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014
Claudio Pessoa
 
sequencia didatica.pptx
sequencia didatica.pptxsequencia didatica.pptx
sequencia didatica.pptx
EdnaRita2
 
Pnaic mat caderno 1_pg001-072
Pnaic mat caderno 1_pg001-072Pnaic mat caderno 1_pg001-072
Pnaic mat caderno 1_pg001-072
weleslima
 
Pnaic mat caderno 1_pg001-072
Pnaic mat caderno 1_pg001-072Pnaic mat caderno 1_pg001-072
Pnaic mat caderno 1_pg001-072
Gilka Guimaraes
 
Sequnciadidticanaeducaoinfantil 140619123922-phpapp01
Sequnciadidticanaeducaoinfantil 140619123922-phpapp01Sequnciadidticanaeducaoinfantil 140619123922-phpapp01
Sequnciadidticanaeducaoinfantil 140619123922-phpapp01
Simone Queiroz
 
Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil
Luiza Carvalho
 
Segunda reunião de coordenadores
Segunda reunião de coordenadoresSegunda reunião de coordenadores
Segunda reunião de coordenadores
Rosemary Batista
 
DIREITOS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA
DIREITOS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESADIREITOS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA
DIREITOS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA
Aprender com prazer
 
Formação 05 abril suam
Formação 05 abril suamFormação 05 abril suam
Formação 05 abril suam
Dyone Andrade
 

Semelhante a Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1 (20)

Apresentar caderno 1
Apresentar caderno 1Apresentar caderno 1
Apresentar caderno 1
 
CADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICA
CADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICACADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICA
CADERNO 01 - PNAIC MATEMÁTICA
 
2 encontro 1 momento pnaic matematica
2 encontro 1 momento pnaic matematica2 encontro 1 momento pnaic matematica
2 encontro 1 momento pnaic matematica
 
rotina-na-alfabetizac3a7c3a3o.pptx
rotina-na-alfabetizac3a7c3a3o.pptxrotina-na-alfabetizac3a7c3a3o.pptx
rotina-na-alfabetizac3a7c3a3o.pptx
 
2encontropnaic2014vniaok 140722165357-phpapp01
2encontropnaic2014vniaok 140722165357-phpapp012encontropnaic2014vniaok 140722165357-phpapp01
2encontropnaic2014vniaok 140722165357-phpapp01
 
2º encontro pnaic 2014 vânia ok
2º encontro pnaic 2014 vânia ok2º encontro pnaic 2014 vânia ok
2º encontro pnaic 2014 vânia ok
 
2º encontro pnaic 2014
2º encontro pnaic 20142º encontro pnaic 2014
2º encontro pnaic 2014
 
PNAIC - Ano 2 unidade 2
PNAIC - Ano 2   unidade 2PNAIC - Ano 2   unidade 2
PNAIC - Ano 2 unidade 2
 
Modulo 3
Modulo 3Modulo 3
Modulo 3
 
Ambiente alfabetizados em Matemática - PNAIC Bertioga
Ambiente alfabetizados em Matemática - PNAIC BertiogaAmbiente alfabetizados em Matemática - PNAIC Bertioga
Ambiente alfabetizados em Matemática - PNAIC Bertioga
 
Pacto nacional pela alfabetização na idade certa
Pacto nacional pela alfabetização na idade certaPacto nacional pela alfabetização na idade certa
Pacto nacional pela alfabetização na idade certa
 
RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE TOUROS NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014
RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE TOUROS NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE TOUROS NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014
RELATO DE EXPERIÊNCIA DO MUNICÍPIO DE TOUROS NO SEMINÁRIO FINAL DO PNAIC 2014
 
sequencia didatica.pptx
sequencia didatica.pptxsequencia didatica.pptx
sequencia didatica.pptx
 
Pnaic mat caderno 1_pg001-072
Pnaic mat caderno 1_pg001-072Pnaic mat caderno 1_pg001-072
Pnaic mat caderno 1_pg001-072
 
Pnaic mat caderno 1_pg001-072
Pnaic mat caderno 1_pg001-072Pnaic mat caderno 1_pg001-072
Pnaic mat caderno 1_pg001-072
 
Sequnciadidticanaeducaoinfantil 140619123922-phpapp01
Sequnciadidticanaeducaoinfantil 140619123922-phpapp01Sequnciadidticanaeducaoinfantil 140619123922-phpapp01
Sequnciadidticanaeducaoinfantil 140619123922-phpapp01
 
Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil Sequência didática na educação infantil
Sequência didática na educação infantil
 
Segunda reunião de coordenadores
Segunda reunião de coordenadoresSegunda reunião de coordenadores
Segunda reunião de coordenadores
 
DIREITOS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA
DIREITOS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESADIREITOS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA
DIREITOS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA
 
Formação 05 abril suam
Formação 05 abril suamFormação 05 abril suam
Formação 05 abril suam
 

Mais de Bete Feliciano

Leitura Deleite: O Tempo
Leitura Deleite: O TempoLeitura Deleite: O Tempo
Leitura Deleite: O Tempo
Bete Feliciano
 
Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2
Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2
Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2
Bete Feliciano
 
Pauta Caderno 1 - Parte 2
Pauta Caderno 1 - Parte 2Pauta Caderno 1 - Parte 2
Pauta Caderno 1 - Parte 2
Bete Feliciano
 
Pauta do 1º encontro cader1no
Pauta do 1º encontro cader1noPauta do 1º encontro cader1no
Pauta do 1º encontro cader1no
Bete Feliciano
 
JOGO DO NIM
JOGO DO NIMJOGO DO NIM
JOGO DO NIM
Bete Feliciano
 
Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1
Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1
Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1
Bete Feliciano
 
Leitura Deleite: Como começa
Leitura Deleite: Como começaLeitura Deleite: Como começa
Leitura Deleite: Como começa
Bete Feliciano
 
Calendário 2014
Calendário 2014Calendário 2014
Calendário 2014
Bete Feliciano
 
Slides Unidade 8
Slides Unidade 8Slides Unidade 8
Slides Unidade 8
Bete Feliciano
 
Cinderela
CinderelaCinderela
Cinderela
Bete Feliciano
 
Branca de Neve e os Sete Anões
Branca de Neve e os Sete AnõesBranca de Neve e os Sete Anões
Branca de Neve e os Sete Anões
Bete Feliciano
 
Pauta Unidade 8
Pauta Unidade 8Pauta Unidade 8
Pauta Unidade 8
Bete Feliciano
 
Quadros de monitoramento de atividades realizadas
Quadros de monitoramento de atividades realizadasQuadros de monitoramento de atividades realizadas
Quadros de monitoramento de atividades realizadas
Bete Feliciano
 
Folha com as perguntas para os grupos
Folha com as perguntas para os gruposFolha com as perguntas para os grupos
Folha com as perguntas para os grupos
Bete Feliciano
 
Diversidade - Tatiana Belinky
Diversidade - Tatiana BelinkyDiversidade - Tatiana Belinky
Diversidade - Tatiana Belinky
Bete Feliciano
 
Unidade 7
Unidade 7Unidade 7
Unidade 7
Bete Feliciano
 
Pauta Unidade 7
Pauta Unidade 7Pauta Unidade 7
Pauta Unidade 7
Bete Feliciano
 
Portifólio do PACTO - Orientações
Portifólio do PACTO - OrientaçõesPortifólio do PACTO - Orientações
Portifólio do PACTO - Orientações
Bete Feliciano
 
Amigo chocolate
Amigo chocolateAmigo chocolate
Amigo chocolate
Bete Feliciano
 
Sequência didática do livro viviana rainha do pijama
Sequência didática do livro viviana rainha do pijamaSequência didática do livro viviana rainha do pijama
Sequência didática do livro viviana rainha do pijama
Bete Feliciano
 

Mais de Bete Feliciano (20)

Leitura Deleite: O Tempo
Leitura Deleite: O TempoLeitura Deleite: O Tempo
Leitura Deleite: O Tempo
 
Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2
Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2
Organizacão do Trabalho Pedagógico - parte 2
 
Pauta Caderno 1 - Parte 2
Pauta Caderno 1 - Parte 2Pauta Caderno 1 - Parte 2
Pauta Caderno 1 - Parte 2
 
Pauta do 1º encontro cader1no
Pauta do 1º encontro cader1noPauta do 1º encontro cader1no
Pauta do 1º encontro cader1no
 
JOGO DO NIM
JOGO DO NIMJOGO DO NIM
JOGO DO NIM
 
Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1
Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1
Organização do Trabalho Pedagógico - Caderno 1 - Parte 1
 
Leitura Deleite: Como começa
Leitura Deleite: Como começaLeitura Deleite: Como começa
Leitura Deleite: Como começa
 
Calendário 2014
Calendário 2014Calendário 2014
Calendário 2014
 
Slides Unidade 8
Slides Unidade 8Slides Unidade 8
Slides Unidade 8
 
Cinderela
CinderelaCinderela
Cinderela
 
Branca de Neve e os Sete Anões
Branca de Neve e os Sete AnõesBranca de Neve e os Sete Anões
Branca de Neve e os Sete Anões
 
Pauta Unidade 8
Pauta Unidade 8Pauta Unidade 8
Pauta Unidade 8
 
Quadros de monitoramento de atividades realizadas
Quadros de monitoramento de atividades realizadasQuadros de monitoramento de atividades realizadas
Quadros de monitoramento de atividades realizadas
 
Folha com as perguntas para os grupos
Folha com as perguntas para os gruposFolha com as perguntas para os grupos
Folha com as perguntas para os grupos
 
Diversidade - Tatiana Belinky
Diversidade - Tatiana BelinkyDiversidade - Tatiana Belinky
Diversidade - Tatiana Belinky
 
Unidade 7
Unidade 7Unidade 7
Unidade 7
 
Pauta Unidade 7
Pauta Unidade 7Pauta Unidade 7
Pauta Unidade 7
 
Portifólio do PACTO - Orientações
Portifólio do PACTO - OrientaçõesPortifólio do PACTO - Orientações
Portifólio do PACTO - Orientações
 
Amigo chocolate
Amigo chocolateAmigo chocolate
Amigo chocolate
 
Sequência didática do livro viviana rainha do pijama
Sequência didática do livro viviana rainha do pijamaSequência didática do livro viviana rainha do pijama
Sequência didática do livro viviana rainha do pijama
 

Último

FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 

Último (20)

FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 

Organização do Trabalho Pedagógico - Parte 1

  • 2. Sejam todas bem vindas para mais um ano de socialização de conhecimentos e aprendizagens.
  • 3. Orientadora: Elisabete Feliciano dos Santos e-mail: probete.feliciano@gmail.com Blog: pnaicbetefeliciano.blogspot.com.br
  • 4. O registro reflexivo é um dos mais valiosos instrumentos para sabermos sobre nós mesmos, pessoal e profissionalmente, já que possibilita uma análise sobre o trabalho realizado juntamente com a sistematização dos saberes adquiridos e utilizados no exercício da profissão. De fato, o professor é ao mesmo tempo o autor e o principal ator da narração escrita por ele. É como diz Clarice Lispector: “ escrevo porque a medida que escrevo vou me entendendo e entendendo o que quero dizer, entendo o que posso fazer. Escrevo porque sinto necessidade de aprofundar as coisas, de vê-las como realmente são...” Professor, escreva refletindo sobre o seu momento no curso e sobre o momento do grupo no qual está inserido. Estamos aprendendo juntos.
  • 5. Registros reflexivos de cada encontro Portfólios - Tarefas
  • 7. ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO A organização do trabalho pedagógico requer que pense em modos onde situem o aluno em um ambiente de atividade matemática, possibilitando que ele aprenda, além de codificar e decodificar os símbolos matemáticos; a realizar variadas leituras de mundo, levantar conjecturas e validá-las, argumentar e justificar procedimentos.
  • 8.  Pautado no diálogo e nas interações;  Na comunicação de ideias;  Na mediação do professor;  Na intencionalidade pedagógica para ensinar de forma a ampliar as possibilidades das aprendizagens. Tal intencionalidade requer um planejamento consistente do professor, com vários fatores intervenientes no processo como: a prática do professor, o material e a metodologia utilizados, dentre outros.
  • 9. CARACTERIZAR A COMUNIDADE DE APRENDIZAGEM DA SALA DE AULA COM VISTAS À ALFABETIZAÇÃO MATEMÁTICA DE TODOS OS ALUNOS DESTACAR A INTENCIONALIDADE PEDAGÓGICA COMO ELEMENTO ESSENCIAL NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO APONTAR POSSIBILIDADES PARA A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO COMPARTILHAR VIVÊNCIAS DE PROFESSORES QUE BUSCAM GARANTIR OS DIREITOS DE APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA DOS ALUNOS. CADERNO 01 OBJETIVOS
  • 11. DIFERENTES FORMAS DE PLANEJAMENTO A essência das ações docentes se sustenta em preparar e planejar cuidadosamente as aulas. O planejamento: • Deve ser um orientador da ação docente; • Deve refletir um processo de racionalização, organização e coordenação do fazer pedagógico.
  • 12. Pensar a organização do trabalho envolve as diferentes formas de planejamento. Planejamento Anual Planejamento Bimestral ou Similares Planejamento Semanal
  • 13. O planejamento anual deverá ser produzido no coletivo da escola, compartilhado entre professores do ciclo de alfabetização e a coordenação pedagógica. Para tal, será necessário:  Conhecer o que e como os professores dos anos anteriores trabalharam;  A escolha de conteúdos matemáticos leva em conta documentos oficiais e deve estar intimamente vinculada à construção do planejamento pedagógico pelo coletivo da escola, ou seja, organizar a aula de maneira intencional, planejada, criativa, capaz de produzir efeitos positivos para a aprendizagem dos alunos.
  • 14. Ao planejar, o professor deve ter clareza de que é necessário: • Ativar conhecimentos prévios; • Possibilitar que os alunos construam seu conhecimento mediatizado pelo professor; • Possibilitar que os alunos realizem tentativas para elaborar respostas aos desafios propostos; • Escutar cuidadosamente o aluno; • Utilizar recursos diversos; • Ter clareza dos critérios avaliativos (discutidos na escola), do perfil de turma (discutidos no PNAIC); • Conhecer o objeto de estudo de cada área do conhecimento.
  • 15. É importante considerar que o planejamento é flexível. Isso por quê:  O cotidiano da sala de aula é tempo/espaço de imprevisibilidade. “O professor frequentemente se encontra diante de situações comuns que alteram a dinâmica da sala de aula, interferindo no processo ensino/aprendizagem. O planejado, vai sendo atravessado pelos fatos que se impõem ao previsto, criando novas demandas, novas possibilidades, novos obstáculos, fazendo com que o preestabelecido precise ser constantemente revisto e reorganizado”. (ESTEBAN, 2001, p. 172)
  • 16. O que fazer com os alunos que ainda não estão onde deveriam estar?
  • 17.  A resposta a essa questão também precisa ser debatida no coletivo da escola.  Sabe-se que os alunos aprendem de modos diferentes e têm tempos diferentes de aprendizagem.  Será necessário criar novas estratégias de ensino de modo que os alunos sintam-se desafiados a avançar.
  • 18. Podemos destacar alguns tópicos importantes que devem ser levados em consideração na sala de aula e no planejamento.  Escutar cuidadosamente os alunos;  Observar e avaliar o processo;  Fornecer sugestões adequadas;  Interpretar suas formas de raciocinar;  Possibilitar que os estudantes debatam sobre o assunto, cabendo ao professor encorajar a formação de uma comunidade de aprendizagem em sala de aula.
  • 19. “À medida que o professor vai ajustando seu discurso às questões apresentadas pelos alunos, ele contribui para que esses construam novos conhecimentos. Essa postura em nada se parece com a de transmissão ou informação de conceitos e teorias. Professor, a vida das ações docentes, se sustentam no preparar e planejar cuidadosamente as aulas semanalmente.” PLANEJAMENTO SEMANAL
  • 20. • Deve ser organizado sequencial ao que foi trabalhado na semana anterior; • Cabe ao professor decidir quais estratégias deve utilizar para realizar a retomada do que foi trabalhado; • O que será trabalhado na semana deverá contribuir para a continuidade da aprendizagem dos alunos. PLANEJAMENTO SEMANAL
  • 21. QUAIS ATIVIDADES DA SEMANA GARANTIRÃO A CONTINUIDADE NA CONSTRUÇÃO DO CONCEITO ? O conceito deve ser trabalhado de forma contínua e não apenas em um momento estanque. Portanto, é fundamental ao planejar, primar pela qualidade das atividades elaboradas em detrimento a quantidade das mesmas.
  • 22. • Exemplo: A noção de tempo exige um trabalho rotineiro com a organização temporal; (ROTINA) • O livro de literatura – fonte inesgotável de aprendizagens.
  • 23. A IMPORTÂNCIA DA RETOMADA DE CONTEÚDOS • Como retomar um determinado conteúdo para consolidar a aprendizagem e possibilitar a compreensão a todos? • Que diversidade de materiais a escola possui para a retomada desse conteúdo?
  • 25. Dependendo do conteúdo que será trabalhado, é preciso pensar desde questões relativas à necessidade e possibilidade de fornecer materiais impressos em tempo adequado até sobre a organização do espaço da sala de aula:  Os alunos trabalharão individualmente, em duplas ou em grupo?  Como será a disposição das carteiras em cada situação?  O mobiliário e espaço da escola favorece diferentes organizações?  Os materiais de uso coletivo estão colocados ao alcance dos alunos?
  • 26. ORGANIZAÇÃO DA SALA DE AULA: FAZENDO A AULA ACONTECER
  • 27. No primeiro ciclo de alfabetização a sala de aula é um ambiente formativo que ocupa uma posição central no processo de alfabetização.  A importância da presença de materiais que remetam para a função social da Matemática, como: gráficos, tabelas, informações numéricas diversas, etc;  As brincadeiras e as expressões culturais da infância precisam estar presentes;  Trazer para as aulas as experiências vividas é imprescindível, respeitando as culturas da infância.
  • 28.  ABERTURA DA AULA;  A ORGANIZAÇÃO DA SALA;  O FECHAMENTO DAS ATIVIDADES
  • 29. ATIVIDADES UTILIZANDO MEDIDAS DE TEMPO • Leitura do calendário diariamente. A professora convida um aluno a vir fixar os números de 01 a 30 ou 31 no calendário confeccionado.
  • 30. ATIVIDADE COM VELAS • A professora leva até a sala 3 (três) velas de cores diferentes. Explica para as crianças que acenderá as velas em 3 (três) momentos diferentes para que todos possam analisar o tempo.
  • 31. • A primeira vela será acesa no início da aula até o recreio; • A segunda vela será acesa durante o recreio; • A terceira vela será acesa do término do recreio até o encerramento da aula.
  • 32. PROBLEMATIZAÇÃO • Qual vela queimou mais? Por quê? • Qual vela queimou menos? Por quê?
  • 33. Produção do cartaz com a organização da semana DOMINGO SEGUNDA- FEIRA TERÇA- FEIRA QUARTA- FEIRA QUINTA- FEIRA SEXTA- FEIRA SÁBADO DIA DE DESCANSO FLÚOR Contação de história Informática HINO NACIONAL ANIVERSARI ANTES DA SEMANA
  • 34. QUAIS MATERIAIS A ESCOLA POSSUI PARA PLANEJAR CONSIDERANDO RECURSOS DIDÁTICOS? • Quais livros literários podem ser utilizados para contextualizar o trabalho com a linguagem matemática; • Quais jogos a escola possui? • Há mapas, bandeiras, globo terrestre?
  • 38. JOGO Um jogo necessita de vários momentos uma vez que: • Muitas vezes, num primeiro momento, a criança precisa conhecer o material e manuseá-lo. Trabalhar nessa perspectiva significa orientar a prática a partir da concepção de infância (a criança é naturalmente curiosa); • Num segundo momento já há mais aproveitamento do tempo para que haja a sistematização do conteúdo proposto.
  • 39. JOGOS MATEMÁTICOS EXEMPLOS: • Nunca dez • Jogos digitais educacionais • (UCAA – offline)
  • 41. VÍDEOS Exemplos: • 101 Dálmatas (verificar contagem de centena, formação de agrupamentos) • Ursinho Pooh 1,2,3 Descobrindo os números e as contas (elementos gráficos, linguagem matemática) • Donald no País da Matemágica (proporções, aplicações da Matemática no meio social)
  • 42. AO UTILIZAR UM RECURSO FAZ-SE NECESSÁRIO: • Planejar em consonância com o objetivo e o conteúdo; • Ter clareza dos objetivos (o que pretendo alcançar?) • Compreender que o recurso é somente um meio para a apropriação do conhecimento, o que garante a superação das dificuldades é a mediação.
  • 43. PLANEJAMENTO E INTERDISCIPLINARIEDADE Só é possível planejar interdisciplinarmente se houver clareza/ aprofundamento do objeto de estudo de cada área do conhecimento. • Exemplo: Se solicitarmos um desenho trabalhando com determinado conteúdo da língua portuguesa não necessariamente, estaremos trabalhando com arte.
  • 44. APRENDIZAGEM CONTEXTUALIZADA E SIGNIFICATIVA Organização de situações- problema a partir de encartes, panfletos, folders – que contenham objetos que possam despertar interesse no universo infantil.
  • 45. Objetos que ilustram concretamente problematizações cotidianas. Exemplos: réplicas de dinheiro, balanças, relógios, réguas etc.
  • 47. QUAIS SÃO OS COMPONENTES TÉCNICOS QUE UM PLANEJAMENTO DEVE TER? ( LOPES, 1989) • Conteúdo ( o quê?); • Objetivos (para quê?); • Encaminhamento metodológico (Como?); • Critérios Avaliativos? (O que efetivamente foi apropriado)?
  • 48. QUE OUTROS COMPONENTES PODERÍAMOS ACRESCENTAR NA CONCEPÇÃO QUE TEMOS • Divisão do tempo ( atividades permanentes, atividades que variam e que são contextuais) • Espaços: Como o espaço será organizado; • Retomada/ recuperação paralela;
  • 50. • SUGESTÕES DE ATIVIDADES JOGO QUEBRA CABEÇA DOS RELÓGIOS:
  • 51. • SUGESTÕES DE ATIVIDADES DITADO DE HORAS:
  • 52. ATIVIDADE 1 O texto “Diferentes Formas de Planejamento” destaca a importância do planejamento anual e durante o período letivo. Quais encaminhamentos planejou para este ano com relação à Alfabetização Matemática? Informe e discuta o que houve de mudanças em relação ao que fez no ano passado? O planejamento deste ano está considerando as ideias presentes no texto?
  • 53. ATIVIDADE 2 –Pg. 40-44 “Negociando significados na leitura de um texto de problema” - Professora Eliana Rossi - Município de Itatiba, SP. Turma de 3º ano, com 23 alunos, 2013. Propôs o seguinte problema, sem questionamento, com o objetivo dos alunos aprenderem a interpretar situações-problema, analisar o gênero textual, familiarizando-se com sua estrutura e linguagem, notarem a falta da questão problematizadora e produzi-la: ÚRSULA É UMA URSINHA. ELA PRECISA APRENDER A ANDAR NA CORDA-BAMBA PARA GANHAR UM EMPREGO NO CIRCO COMO MALABARISTA. TODOS OS DIAS ÚRSULA AUMENTA EM 5 CENTÍMETROS A ALTURA DO ARAME EM QUE ELA TREINA. HOJE O ARAME ESTAVA A 15 CM DO SOLO.
  • 54. TAREFA DE CASA • Ler o texto: Compartilhando – Caderno 1 – Organização do Trabalho Pedagógico (p. 46 a 66).