SlideShare uma empresa Scribd logo
Período composto
por coordenação
Frase, oração e período
Para compreendermos melhor o que vem
a ser período composto por coordenação,
devemos, antes de mais nada, compreender
a diferença entre frase, oração e período.
Frase: é qualquer sentença sem verbo;
Oração: é a sentença que possui verbo ou locução
verbal (dois ou mais verbos em conjunto);
Período: é o conjunto de duas ou mais orações.
Marcações
O que demonstra o número de orações é a
presença de verbos ou locuções verbais. O período
é marcado pela pontuação que determina o fim de
uma sentença. Observe abaixo:
Eu vim.
orações
Eu vi.
períodos
Eu venci.
Marcações
O que demonstra o número de orações é a
presença de verbos ou locuções verbais. O período
é marcado pela pontuação que determina o fim de
uma sentença. Observe abaixo:
Eu vim.
3 orações
Eu vi.
períodos
Eu venci.
Marcações
O que demonstra o número de orações é a
presença de verbos ou locuções verbais. O período
é marcado pela pontuação que determina o fim de
uma sentença. Observe abaixo:
Eu vim.
3 orações
Eu vi.
3 períodos
Eu venci.
Transformação
Há toda uma lógica que devemos conhecer para
a transformação de orações simples em um só
período. Dado o exemplo anterior, veja como ficaria
a transformação.
Eu vim. Oculte os sujeitos que
se repetirem, juntando
Eu vi. as orações e fazendo
as alterações devidas
Eu venci. para a concordância.
Transformação
Há toda uma lógica que devemos conhecer para
a transformação de orações simples em um só
período. Dado o exemplo anterior, veja como ficaria
a transformação.
Eu vim.
Eu vi. “Eu vim, vi e venci.”
(Júlio César)
Eu venci.
Classificação das coordenadas
As orações coordenadas podem ser divididas
em dois grupos: as coordenadas assindéticas e as
coordenadas sindéticas. Mas como identificá-las?
Classificação das coordenadas
As orações coordenadas podem ser divididas
em dois grupos: as coordenadas assindéticas e as
coordenadas sindéticas. Mas como identificá-las?
1. são aquelas que iniciam o
período (sem conjunção)
orações assindéticas
2. são iniciadas por vírgulas e
não apresentam conjunção
orações sindéticas são iniciadas por conjunções
Quais são mesmo as conjunções?
Quadro de conjunções
E, nem, (não só) mas também, como também, mas,
porém, contudo, todavia, entretanto, no entanto, ou,
ou... ou, ora... ora, seja... seja, nem... nem, quer...
quer, já... já, porque, pois (=porque), que (=porque),
assim, então, pois (=então), logo, portanto...
Sendo assim...
Eu vim, vi e venci.
Sendo assim...
Eu vim, vi e venci.
Oração
coordenada
assindética
Sendo assim...
Eu vim, vi e venci.
Oração
coordenada
assindética
Oração
coordenada
assindética
Sendo assim...
Eu vim, vi e venci.
Oração
coordenada
assindética
Oração
coordenada
sindética
Oração
coordenada e conjunção (síndeto)
assindética
Classificação das orações
coordenadas sindéticas
As orações coordenadas sindéticas, como já
vimos, são aquelas que necessitam de conjunções
(também chamados síndetos). Dependendo do
significado de cada conjunção (ou do sentido da
informação), a oração será classificada de uma
forma, conforme mostra o quadro abaixo:
a. conjunções aditivas
b. conjunções adversativas
c. conjunções alternativas
d. conjunções explicativas
e. conjunções conclusivas
Orações coordenadas sindéticas aditivas
São aquelas que estabelecem uma relação de
soma, uma relação de adição de ideias.
O jovem comprou passagem e tomou o primeiro trem.
or. coord. assind. or. coord. sind. aditiva
Não só pedi ajuda mas também eu a obtive.
or. coord. assind. or. coord. sind. aditiva
Conjunções: e, nem, (não só) mas também, como também, assim como
Orações coordenadas sindéticas adversativas
São aquelas que estabelecem uma relação de
contradição, de adversidade, de oposição de ideias.
O jovem comprou passagem mas não tomou o trem.
or. coord. assind. or. coord. sind. adversativa
Eu lhe pedi ajuda, contudo, não a obtive.
or. coord. assind. or. coord. sind. adversativa
Conjunções: mas, porém, contudo, todavia, entretanto, no entanto
Orações coordenadas sindéticas alternativas
São aquelas que estabelecem uma relação de
alternância – de tal forma que a opção por uma ideia
resulte na recusa de outra.
O jovem comprará passagem ou não viajará.
or. coord. assind. or. coord. sind. alternativa
Eu estava desta forma: ora pedia ajuda, ora a oferecia.
or. coord. assind. or. coord. sind. alternativa
Conjunções: ou, ou... ou, ora... ora, quer... quer,
seja... seja, nem... nem
Orações coordenadas sindéticas explicativas
São aquelas que estabelecem uma relação de
explicação, que deve ser entendida como uma
confirmação da oração anterior.
O jovem comprou a passagem porque queria viajar.
or. coord. assind. or. coord. sind. explicativa
Eu pedi sua ajuda pois não sabia fazer os exercícios.
or. coord. assind. or. coord. sind. explicativa
Conjunções: porque, pois (=porque), que (=porque)
Orações coordenadas sindéticas conclusivas
São aquelas que estabelecem uma relação de
conclusão, explicitando um ato pressuposto em um
determinado momento.
O jovem queria viajar, então, comprou a passagem.
or. coord. assind. or. coord. sind. conclusiva
Não sabia fazer os exercícios, pedi, pois, a sua ajuda.
or. coord. assind. or. coord. sind. conclusiva
Conjunções: assim, então, pois (=então), logo, portanto, por conseguinte
Preste bem atenção!
1. Se a conjunção “e” unir dois verbos de sentidos
opostos, a oração coordenada será considerada
adversativa e não aditiva.
Eu entrei na sala de aula e saí pouco tempo depois.
conjunção de
valor adversativo
verbos de
sentidos opostos
Preste bem atenção!
2. A conjunção “nem” tem valor aditivo, mas, se vier
duplicada, ganhará valor alternativo.
Não ganhei troféu nem ganhei medalha nenhuma.
conjunção de valor aditivo
Não tomarei o remédio, nem por bem, nem por mal.
conjunções de
valor alternativo
Preste bem atenção!
3. A conjunção “pois” pode ser interpretada de duas
maneiras diferentes: a primeira delas é quando
significa “porque” (de valor explicativo), a outra é
quando significa “então” (de valor conclusivo).
Vou estudar mais pois preciso de nota na escola.
conjunção de valor explicativo
Preciso de nota na escola, vou, pois, estudar mais.
conjunção de valor conclusivo

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Orações coordenadas.ppt

Aula La Salle.ppt
Aula La Salle.pptAula La Salle.ppt
Aula La Salle.ppt
RaabeCristine
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Marcela Cardoso
 
Orações coordenadas
Orações coordenadas Orações coordenadas
Orações coordenadas
Andriane Cursino
 
Subordinadas %282%29
Subordinadas %282%29Subordinadas %282%29
Subordinadas %282%29
Renata Pereira
 
Articuladores_conectores-do-discurso.pdf
Articuladores_conectores-do-discurso.pdfArticuladores_conectores-do-discurso.pdf
Articuladores_conectores-do-discurso.pdf
RoiRey1
 
Conjunções mapa mental.pdf
Conjunções mapa mental.pdfConjunções mapa mental.pdf
Conjunções mapa mental.pdf
DanielleTakedaBarbos1
 
OraçõEs
OraçõEsOraçõEs
OraçõEs
Luísa Freixo
 
Orações
OraçõesOrações
Orações
Claudia Milena
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
Alice Silva
 
articuladoresdediscurso.doc
articuladoresdediscurso.docarticuladoresdediscurso.doc
articuladoresdediscurso.doc
Isabel273720
 
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdforacoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
SusanaRangel12
 
Orações coordenadas
Orações coordenadasOrações coordenadas
Orações coordenadas
ma.no.el.ne.ves
 
Lingua Portuguesa - Coesão textual interpretação de texto
Lingua Portuguesa - Coesão textual  interpretação de textoLingua Portuguesa - Coesão textual  interpretação de texto
Lingua Portuguesa - Coesão textual interpretação de texto
VanessaMMiranda1
 
Período Composto
Período CompostoPeríodo Composto
Período Composto
Roberto Grande
 
Período composto por coordenação e classificação
Período composto por coordenação e classificaçãoPeríodo composto por coordenação e classificação
Período composto por coordenação e classificação
ErlaDelane2
 
xRTY3cYU7c19IclAoJDZQvF2hva6bmM5KS33tyHR.ppt
xRTY3cYU7c19IclAoJDZQvF2hva6bmM5KS33tyHR.pptxRTY3cYU7c19IclAoJDZQvF2hva6bmM5KS33tyHR.ppt
xRTY3cYU7c19IclAoJDZQvF2hva6bmM5KS33tyHR.ppt
UnidadeEscolarSoJos
 
coordenação e subordinação.pptx
coordenação e subordinação.pptxcoordenação e subordinação.pptx
coordenação e subordinação.pptx
ClaudiaMariaReis
 
3_Aula Coordenação e Período.ppt
3_Aula Coordenação e Período.ppt3_Aula Coordenação e Período.ppt
3_Aula Coordenação e Período.ppt
tatianesouza923757
 
Coordenacao subordinacao[20]
Coordenacao subordinacao[20]Coordenacao subordinacao[20]
Coordenacao subordinacao[20]
MartaNeto8
 
Orações coordenadas e orações subordinadas
Orações coordenadas e orações subordinadasOrações coordenadas e orações subordinadas
Orações coordenadas e orações subordinadas
taizinha
 

Semelhante a Orações coordenadas.ppt (20)

Aula La Salle.ppt
Aula La Salle.pptAula La Salle.ppt
Aula La Salle.ppt
 
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
Oracoes coordenadas-e-subordinadas-2
 
Orações coordenadas
Orações coordenadas Orações coordenadas
Orações coordenadas
 
Subordinadas %282%29
Subordinadas %282%29Subordinadas %282%29
Subordinadas %282%29
 
Articuladores_conectores-do-discurso.pdf
Articuladores_conectores-do-discurso.pdfArticuladores_conectores-do-discurso.pdf
Articuladores_conectores-do-discurso.pdf
 
Conjunções mapa mental.pdf
Conjunções mapa mental.pdfConjunções mapa mental.pdf
Conjunções mapa mental.pdf
 
OraçõEs
OraçõEsOraçõEs
OraçõEs
 
Orações
OraçõesOrações
Orações
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
articuladoresdediscurso.doc
articuladoresdediscurso.docarticuladoresdediscurso.doc
articuladoresdediscurso.doc
 
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdforacoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
oracoes-coordenadas-e-subordinadas-9ano.pdf
 
Orações coordenadas
Orações coordenadasOrações coordenadas
Orações coordenadas
 
Lingua Portuguesa - Coesão textual interpretação de texto
Lingua Portuguesa - Coesão textual  interpretação de textoLingua Portuguesa - Coesão textual  interpretação de texto
Lingua Portuguesa - Coesão textual interpretação de texto
 
Período Composto
Período CompostoPeríodo Composto
Período Composto
 
Período composto por coordenação e classificação
Período composto por coordenação e classificaçãoPeríodo composto por coordenação e classificação
Período composto por coordenação e classificação
 
xRTY3cYU7c19IclAoJDZQvF2hva6bmM5KS33tyHR.ppt
xRTY3cYU7c19IclAoJDZQvF2hva6bmM5KS33tyHR.pptxRTY3cYU7c19IclAoJDZQvF2hva6bmM5KS33tyHR.ppt
xRTY3cYU7c19IclAoJDZQvF2hva6bmM5KS33tyHR.ppt
 
coordenação e subordinação.pptx
coordenação e subordinação.pptxcoordenação e subordinação.pptx
coordenação e subordinação.pptx
 
3_Aula Coordenação e Período.ppt
3_Aula Coordenação e Período.ppt3_Aula Coordenação e Período.ppt
3_Aula Coordenação e Período.ppt
 
Coordenacao subordinacao[20]
Coordenacao subordinacao[20]Coordenacao subordinacao[20]
Coordenacao subordinacao[20]
 
Orações coordenadas e orações subordinadas
Orações coordenadas e orações subordinadasOrações coordenadas e orações subordinadas
Orações coordenadas e orações subordinadas
 

Mais de Ana Vaz

MAPA_EMédio_1 Ano do EM_LINGUAGENS 2024.pdf
MAPA_EMédio_1 Ano do EM_LINGUAGENS 2024.pdfMAPA_EMédio_1 Ano do EM_LINGUAGENS 2024.pdf
MAPA_EMédio_1 Ano do EM_LINGUAGENS 2024.pdf
Ana Vaz
 
Aula 2 – O que é Literatura.pptx
Aula 2 – O que é Literatura.pptxAula 2 – O que é Literatura.pptx
Aula 2 – O que é Literatura.pptx
Ana Vaz
 
Figuras de linguagem.pdf
Figuras de linguagem.pdfFiguras de linguagem.pdf
Figuras de linguagem.pdf
Ana Vaz
 
Aula_13___Verbo (1).pdf
Aula_13___Verbo (1).pdfAula_13___Verbo (1).pdf
Aula_13___Verbo (1).pdf
Ana Vaz
 
4-19-08-L-portuguesa-Grau-comparativo-do-adjetivo-Casa.pdf
4-19-08-L-portuguesa-Grau-comparativo-do-adjetivo-Casa.pdf4-19-08-L-portuguesa-Grau-comparativo-do-adjetivo-Casa.pdf
4-19-08-L-portuguesa-Grau-comparativo-do-adjetivo-Casa.pdf
Ana Vaz
 
Conto de mistério 6º ano.pptx
Conto de mistério 6º ano.pptxConto de mistério 6º ano.pptx
Conto de mistério 6º ano.pptx
Ana Vaz
 
7ano_Transitividade Verbal.pptx
7ano_Transitividade Verbal.pptx7ano_Transitividade Verbal.pptx
7ano_Transitividade Verbal.pptx
Ana Vaz
 
8º-ano-B-Viagem-ao-centro-da-terra-1.pdf
8º-ano-B-Viagem-ao-centro-da-terra-1.pdf8º-ano-B-Viagem-ao-centro-da-terra-1.pdf
8º-ano-B-Viagem-ao-centro-da-terra-1.pdf
Ana Vaz
 
ESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptx
ESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptxESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptx
ESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptx
Ana Vaz
 
Concordância verbal.pptx
Concordância verbal.pptxConcordância verbal.pptx
Concordância verbal.pptx
Ana Vaz
 
aula inglês 2º ANO.pptx
aula inglês 2º ANO.pptxaula inglês 2º ANO.pptx
aula inglês 2º ANO.pptx
Ana Vaz
 
5. Fisiologia Respiratória.pptx
5. Fisiologia Respiratória.pptx5. Fisiologia Respiratória.pptx
5. Fisiologia Respiratória.pptx
Ana Vaz
 
03 Códigos de Cura Grabovoi.pdf
03 Códigos de Cura Grabovoi.pdf03 Códigos de Cura Grabovoi.pdf
03 Códigos de Cura Grabovoi.pdf
Ana Vaz
 
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.pptTEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
Ana Vaz
 
aula1-141201213923-conversion-gate01.pdf
aula1-141201213923-conversion-gate01.pdfaula1-141201213923-conversion-gate01.pdf
aula1-141201213923-conversion-gate01.pdf
Ana Vaz
 
variedades_linguisticas.ppt
variedades_linguisticas.pptvariedades_linguisticas.ppt
variedades_linguisticas.ppt
Ana Vaz
 

Mais de Ana Vaz (16)

MAPA_EMédio_1 Ano do EM_LINGUAGENS 2024.pdf
MAPA_EMédio_1 Ano do EM_LINGUAGENS 2024.pdfMAPA_EMédio_1 Ano do EM_LINGUAGENS 2024.pdf
MAPA_EMédio_1 Ano do EM_LINGUAGENS 2024.pdf
 
Aula 2 – O que é Literatura.pptx
Aula 2 – O que é Literatura.pptxAula 2 – O que é Literatura.pptx
Aula 2 – O que é Literatura.pptx
 
Figuras de linguagem.pdf
Figuras de linguagem.pdfFiguras de linguagem.pdf
Figuras de linguagem.pdf
 
Aula_13___Verbo (1).pdf
Aula_13___Verbo (1).pdfAula_13___Verbo (1).pdf
Aula_13___Verbo (1).pdf
 
4-19-08-L-portuguesa-Grau-comparativo-do-adjetivo-Casa.pdf
4-19-08-L-portuguesa-Grau-comparativo-do-adjetivo-Casa.pdf4-19-08-L-portuguesa-Grau-comparativo-do-adjetivo-Casa.pdf
4-19-08-L-portuguesa-Grau-comparativo-do-adjetivo-Casa.pdf
 
Conto de mistério 6º ano.pptx
Conto de mistério 6º ano.pptxConto de mistério 6º ano.pptx
Conto de mistério 6º ano.pptx
 
7ano_Transitividade Verbal.pptx
7ano_Transitividade Verbal.pptx7ano_Transitividade Verbal.pptx
7ano_Transitividade Verbal.pptx
 
8º-ano-B-Viagem-ao-centro-da-terra-1.pdf
8º-ano-B-Viagem-ao-centro-da-terra-1.pdf8º-ano-B-Viagem-ao-centro-da-terra-1.pdf
8º-ano-B-Viagem-ao-centro-da-terra-1.pdf
 
ESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptx
ESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptxESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptx
ESTRUTURA E PROCESSOS DE FORMAÇÃO DAS PALAVRAS.pptx
 
Concordância verbal.pptx
Concordância verbal.pptxConcordância verbal.pptx
Concordância verbal.pptx
 
aula inglês 2º ANO.pptx
aula inglês 2º ANO.pptxaula inglês 2º ANO.pptx
aula inglês 2º ANO.pptx
 
5. Fisiologia Respiratória.pptx
5. Fisiologia Respiratória.pptx5. Fisiologia Respiratória.pptx
5. Fisiologia Respiratória.pptx
 
03 Códigos de Cura Grabovoi.pdf
03 Códigos de Cura Grabovoi.pdf03 Códigos de Cura Grabovoi.pdf
03 Códigos de Cura Grabovoi.pdf
 
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.pptTEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
TEATRO - Texto teatral gênero, enredo, diálogos, monólogos.ppt
 
aula1-141201213923-conversion-gate01.pdf
aula1-141201213923-conversion-gate01.pdfaula1-141201213923-conversion-gate01.pdf
aula1-141201213923-conversion-gate01.pdf
 
variedades_linguisticas.ppt
variedades_linguisticas.pptvariedades_linguisticas.ppt
variedades_linguisticas.ppt
 

Último

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 

Orações coordenadas.ppt

  • 2. Frase, oração e período Para compreendermos melhor o que vem a ser período composto por coordenação, devemos, antes de mais nada, compreender a diferença entre frase, oração e período. Frase: é qualquer sentença sem verbo; Oração: é a sentença que possui verbo ou locução verbal (dois ou mais verbos em conjunto); Período: é o conjunto de duas ou mais orações.
  • 3. Marcações O que demonstra o número de orações é a presença de verbos ou locuções verbais. O período é marcado pela pontuação que determina o fim de uma sentença. Observe abaixo: Eu vim. orações Eu vi. períodos Eu venci.
  • 4. Marcações O que demonstra o número de orações é a presença de verbos ou locuções verbais. O período é marcado pela pontuação que determina o fim de uma sentença. Observe abaixo: Eu vim. 3 orações Eu vi. períodos Eu venci.
  • 5. Marcações O que demonstra o número de orações é a presença de verbos ou locuções verbais. O período é marcado pela pontuação que determina o fim de uma sentença. Observe abaixo: Eu vim. 3 orações Eu vi. 3 períodos Eu venci.
  • 6. Transformação Há toda uma lógica que devemos conhecer para a transformação de orações simples em um só período. Dado o exemplo anterior, veja como ficaria a transformação. Eu vim. Oculte os sujeitos que se repetirem, juntando Eu vi. as orações e fazendo as alterações devidas Eu venci. para a concordância.
  • 7. Transformação Há toda uma lógica que devemos conhecer para a transformação de orações simples em um só período. Dado o exemplo anterior, veja como ficaria a transformação. Eu vim. Eu vi. “Eu vim, vi e venci.” (Júlio César) Eu venci.
  • 8. Classificação das coordenadas As orações coordenadas podem ser divididas em dois grupos: as coordenadas assindéticas e as coordenadas sindéticas. Mas como identificá-las?
  • 9. Classificação das coordenadas As orações coordenadas podem ser divididas em dois grupos: as coordenadas assindéticas e as coordenadas sindéticas. Mas como identificá-las? 1. são aquelas que iniciam o período (sem conjunção) orações assindéticas 2. são iniciadas por vírgulas e não apresentam conjunção orações sindéticas são iniciadas por conjunções
  • 10. Quais são mesmo as conjunções? Quadro de conjunções E, nem, (não só) mas também, como também, mas, porém, contudo, todavia, entretanto, no entanto, ou, ou... ou, ora... ora, seja... seja, nem... nem, quer... quer, já... já, porque, pois (=porque), que (=porque), assim, então, pois (=então), logo, portanto...
  • 11. Sendo assim... Eu vim, vi e venci.
  • 12. Sendo assim... Eu vim, vi e venci. Oração coordenada assindética
  • 13. Sendo assim... Eu vim, vi e venci. Oração coordenada assindética Oração coordenada assindética
  • 14. Sendo assim... Eu vim, vi e venci. Oração coordenada assindética Oração coordenada sindética Oração coordenada e conjunção (síndeto) assindética
  • 15. Classificação das orações coordenadas sindéticas As orações coordenadas sindéticas, como já vimos, são aquelas que necessitam de conjunções (também chamados síndetos). Dependendo do significado de cada conjunção (ou do sentido da informação), a oração será classificada de uma forma, conforme mostra o quadro abaixo: a. conjunções aditivas b. conjunções adversativas c. conjunções alternativas d. conjunções explicativas e. conjunções conclusivas
  • 16. Orações coordenadas sindéticas aditivas São aquelas que estabelecem uma relação de soma, uma relação de adição de ideias. O jovem comprou passagem e tomou o primeiro trem. or. coord. assind. or. coord. sind. aditiva Não só pedi ajuda mas também eu a obtive. or. coord. assind. or. coord. sind. aditiva Conjunções: e, nem, (não só) mas também, como também, assim como
  • 17. Orações coordenadas sindéticas adversativas São aquelas que estabelecem uma relação de contradição, de adversidade, de oposição de ideias. O jovem comprou passagem mas não tomou o trem. or. coord. assind. or. coord. sind. adversativa Eu lhe pedi ajuda, contudo, não a obtive. or. coord. assind. or. coord. sind. adversativa Conjunções: mas, porém, contudo, todavia, entretanto, no entanto
  • 18. Orações coordenadas sindéticas alternativas São aquelas que estabelecem uma relação de alternância – de tal forma que a opção por uma ideia resulte na recusa de outra. O jovem comprará passagem ou não viajará. or. coord. assind. or. coord. sind. alternativa Eu estava desta forma: ora pedia ajuda, ora a oferecia. or. coord. assind. or. coord. sind. alternativa Conjunções: ou, ou... ou, ora... ora, quer... quer, seja... seja, nem... nem
  • 19. Orações coordenadas sindéticas explicativas São aquelas que estabelecem uma relação de explicação, que deve ser entendida como uma confirmação da oração anterior. O jovem comprou a passagem porque queria viajar. or. coord. assind. or. coord. sind. explicativa Eu pedi sua ajuda pois não sabia fazer os exercícios. or. coord. assind. or. coord. sind. explicativa Conjunções: porque, pois (=porque), que (=porque)
  • 20. Orações coordenadas sindéticas conclusivas São aquelas que estabelecem uma relação de conclusão, explicitando um ato pressuposto em um determinado momento. O jovem queria viajar, então, comprou a passagem. or. coord. assind. or. coord. sind. conclusiva Não sabia fazer os exercícios, pedi, pois, a sua ajuda. or. coord. assind. or. coord. sind. conclusiva Conjunções: assim, então, pois (=então), logo, portanto, por conseguinte
  • 21. Preste bem atenção! 1. Se a conjunção “e” unir dois verbos de sentidos opostos, a oração coordenada será considerada adversativa e não aditiva. Eu entrei na sala de aula e saí pouco tempo depois. conjunção de valor adversativo verbos de sentidos opostos
  • 22. Preste bem atenção! 2. A conjunção “nem” tem valor aditivo, mas, se vier duplicada, ganhará valor alternativo. Não ganhei troféu nem ganhei medalha nenhuma. conjunção de valor aditivo Não tomarei o remédio, nem por bem, nem por mal. conjunções de valor alternativo
  • 23. Preste bem atenção! 3. A conjunção “pois” pode ser interpretada de duas maneiras diferentes: a primeira delas é quando significa “porque” (de valor explicativo), a outra é quando significa “então” (de valor conclusivo). Vou estudar mais pois preciso de nota na escola. conjunção de valor explicativo Preciso de nota na escola, vou, pois, estudar mais. conjunção de valor conclusivo