SlideShare uma empresa Scribd logo
Oficina 16: DESAFIOS
A resolução de problemas e desafios para potencializar o raciocínio
lógico matemático nas séries iniciais do ensino fundamental.
Introdução
Nesta oficina trataremos da apropriação de habilidades para resolver
problemas nas séries iniciais do Ensino Fundamental. A proposta é que os
alunos desenvolvam seus próprios métodos e estratégias para resolver
problemas e desafios.
Rousseau, filósofo do século XVIII já advogava sobre a forma peculiar
de pensar de cada criança, “A criança tem maneiras de ver, de pensar e de
sentir que lhe são próprias”. Nesta perspectiva, é importante que se
proporcione à criança a oportunidade de construir sua própria forma de
raciocínio, e, não simplesmente impor formas e regras para resolver situações-
problemas.
Vygotsky (1984), enfatiza a aquisição de conhecimentos pela criança a
partir de suas relações sociais, muito antes de chegar à escola e que os
profissionais da educação não podem ser indiferentes a estes processos
subjetivos de lidar com questões matemáticas:
[...] o aprendizado das crianças começa muito antes
delas freqüentarem a escola. Qualquer situação de
aprendizado com a qual a criança se defronta na escola tem
sempre uma história prévia. Por exemplo, as crianças
começam a estudar aritmética na escola, mas muito antes
elas tiveram alguma experiência com quantidades – elas
tiveram que lidar com operações de divisão, adição,
subtração e determinação de tamanho. Conseqüentemente,
as crianças têm a sua própria aritmética pré-escolar, que
somente psicólogos míopes podem ignorar (VYGOTSKY,
1984 p. 94-95).
Por ser a matemática uma disciplina da área das ciências exatas, é
comum percebermos práticas pedagógicas apoiadas nesta concepção de
exatidão desta ciência. Assim, professores restringem a prática pedagógica à
resolução mecânica de atividades sem levar em conta o trabalho exploratório
que deve estar presente em sala de aula.
Nesta rotina, alunos vão decorando regras e passos para resolução de
situações-problema e muitas vezes se apavoram com a matemática e
associam a ela somente cálculos intermináveis e atividades de difícil resolução.
Proposta da Oficina
Nossa principal proposta é levar o aluno à apropriação de habilidades
para elaborar situações que lhe permita estabelecer estratégias para resolver
problemas diversos, ligados ou não a cálculos numéricos.
As atividades deverão ser trabalhadas sempre em grupo para estimular
a troca de idéias. Este momento de interação entre os membros do grupo é
muito oportuno para observações, por isso é importante que o professor vá
circulando entre os grupos e, preferencialmente, vá fazendo anotações sobre
hipóteses e estratégias levantadas em cada grupo e observando se por
intermédio das discussões e interações, o grupo chegará a uma solução.
Vygotsky (1989), ao definir a Zona de Desenvolvimento Proximal (ZPD),
destaca a importância da interação com os pares. De acordo com ele, “depois
do professor, quem mais contribui para a intervenção nas ZPD dos alunos, são
seus próprios colegas. A criança aprende – e muito - com outras crianças”.
Conteúdo programático da
oficina
Atividades da oficina
Resolução de situações-problema
e desafios com o objetivo de
estimular o raciocínio, o
pensamento hipotético dedutivo e
o pensamento lógico matemático.
Desafio 01: Quantos abraços foram
dados?
Desafio 02: Qual é a cor?
Desafio 03: Onde está o Teobaldo?
Desafio 04: De quantas maneiras
diferentes o sapo pode subir?
Desafio 05: Onde colocar cada figura
geométrica?
Desafio 06: Qual será o número?
Desafio do ônibus
Desafio 07: Onde ficará cada
número?
Desafio 08: Como deixar a soma
igual mexendo somente dois
números?
Desafio 09: Quantos são os porcos e
quantos são os pintinhos?
Desafio 10: Quando o caracol
chegará?
Objetivos:
• Analisar, interpretar, formular e resolver situações-problema, compreendendo
sua aplicabilidade em sua vivência.
• Reconhecer que diferentes situações-problema podem ser resolvidas de
maneiras diversas.
• Desenvolver a habilidade de resolver desafios por meio de estratégias
pessoais e algumas técnicas convencionais.
Atividade 1
Quantos abraços foram dados?
1 – Apresentação do problema
Em uma turma do 2º ano tem 11 alunos. No 1º dia de aula a professora
pediu que se dividissem em dois grupos, um de seis e um de cinco e que em
cada grupo, todas as crianças se abraçassem, para que se conhecessem e
começassem a desenvolver laços de amizade. Quantos abraços foram dados
em cada grupo? Quantos abraços foram dados ao todo? Se fosse formado
somente um grupo de 11 alunos, quantos abraços seriam dados?
Objetivos:
Elaborar estratégia para resolver a situação proposta.
Estimular o relacionamento interpessoal.
Desenvolver habilidades para trabalhar atividade corporal.
Material:
Nesta atividade propositalmente não será oferecido nenhum material. Os
alunos poderão buscar estratégias variadas e elegerem algum material
concreto para simular as crianças, no entanto, o que se espera, é que busquem
a solução utilizando o próprio corpo, ou seja, que se abracem. Caberá a cada
grupo adotar sua forma de registro.
2- Levantamento de hipótese:
O professor pode desafiar os alunos com os seguintes questionamentos:
Quantos abraços serão dados?
Como podem descobrir?
Alguém receberá mais abraço? Quantos? Por quê?
3 - Experimentação:
Os alunos vão testar suas hipóteses por meios próprios determinados por cada
grupo, espera-se que busquem solução com o próprio corpo, caso isso não
aconteça, o professor poderá fazer interferências adequadas.
4 - Discussão Coletiva:
Estimular os alunos a explicarem quais foram as estratégias utilizadas
para resolver a situação-problema. Quantas vezes tentaram até perceber que a
solução estava em um simples abraço.
5- Registro:
O registro poderá ser realizado por desenhos, porém os alunos terão
que ilustrar todas as tentativas. È importante que façam também um texto, que
pode ser coletivo, neste texto, as crianças vão explicitar todas as tentativas, e,
inclusive como perceberam que a solução do problema eram elas próprias.
Atividade 2: Qual é a cor?
1 – Apresentação do problema
Márcio, Mateus, Marcelo e Maurício, são quadrigêmeos e a única
maneira de diferenciá-los é pela cor da camisa. Nem Márcio e nem Maurício
gostam de vermelho. Marcelo sempre usa verde. Maurício pensou em escolher
o amarelo, mas desistiu. A cor favorita de um irmão de Márcio é azul. Que cor
de camisa cada menino usa?
Objetivos:
Trabalhar a interpretação de texto, organização de idéias, elaboração de
prioridades e identificação de informações pertinentes à resolução de uma
situação-problema.
Material:
4 bonequinhos de EVA e a camisas de papel, lápis de cor.
2- Levantamento de hipótese:
O professor poderá levantar os seguintes questionamentos:
Qual é a primeira informação que vocês precisam?
Quem está vestido com qual camisa? Como farão para descobrir?
3 - Experimentação:
Os alunos vão testar suas hipóteses utilizando o material que lhes foi
fornecido. O lápis de cor não será oferecido inicialmente, para que o professor
possa avaliar qual a habilidade dos alunos de buscarem soluções. Quando
chegarem à conclusão que uma saída é pintarem as camisas, os lápis serão
disponibilizados. A partir de então, farão as tentativas de acordo com as
informações do problema. Os alunos poderão perfeitamente adotar outra
solução que não seja pintar as camisas. Ótimo!!! O principal objetivo do
trabalho com enigmas e desafios é estimular o desenvolvimento de habilidades
e estratégias.
4 - Discussão Coletiva:
Estimular a discussão para que todas as soluções, ou busca pelas
soluções possam ser explicitadas. É um momento muito importante para que
os alunos percebam que uma situação-problema pode ter várias soluções.
5 - Registro
Após terem conseguido resolver a situação deverão explicar para a
turma como conseguiram resolver o problema. Registrar em forma de texto e
ilustrar no final. O registro pode ser feito por grupo.
Atividade 3 : Onde está o Teobaldo?
1 – Apresentação do problema
Arnaldo é um coelho corredor! Adora passear pelos campos a toda velocidade.
No momento, ele está correndo de um lado para outro à procura de seu amigo
Teobaldo, o pato. Será que você consegue encontrá-lo?
Objetivos:
Trabalhar a discriminação visual.
Desenvolver a habilidade de análise e síntese.
Desenvolver a habilidade de lidar com perspectivas diferentes.
Material: 1 coelho confeccionado em EVA ou madeira.
2- Levantamento de hipótese:
O professor poderá levantar os seguintes questionamentos:
Onde vocês acham que está o Teobaldo?
O que ele pode estará fazendo?
Será que está longe?
3 - Experimentação:
Os alunos terão que observar a ilustração do cartaz para chegar à resposta. A
princípio desenvolverão a habilidade de análise, ao observar o cartaz como um
toso. Posteriormente, espera-se que desenvolvam o poder de síntese e
analisem as partes. Inicialmente é provável que trabalhem com suposições
mais elementares. Posteriormente vão descobrir que basta virar a figura de
posição.
4 - Discussão Coletiva:
Após terem conseguido resolver a situação deverão explicar para a turma
como conseguiram resolver o problema.
5 - Registro:
O registro poderá ser realizado em forma de um texto coletivo, contendo todas
as hipóteses e a solução do desafio.
Atividade 4: De quantas maneiras diferentes o sapo pode subir?
1 – Apresentação do problema
Um sapo sobe uma escada saltando de um em um ou de dois em dois
degraus, mas não consegue saltar de três em três. A escada possui dez
degraus e obrigatoriamente o sapo pára no sexto degrau para descansar. De
quantas maneiras diferentes o sapo pode subir até o topo dessa escada?
Objetivos
Trabalhar a interpretação de texto e o tratamento dado às informações.
Estimular o raciocínio e a troca de opiniões entre o grupo
Materiais:
Uma escadinha de madeira, um sapo de papel machê.
2 – Levantamento de hipótese
De quantas maneiras o sapo pode subir a escada?
De quantas maneiras ele sobe antes de parar para descansar?
E depois que ele descansa, de quantas maneiras pode subir?
3 – Experimentação:
Os alunos testam as hipóteses levantadas por eles. Vão levando o sapinho
escada acima de acordo com as sugestões dos membros dos grupos.
4 – Discussão coletiva:
Os alunos vão expor diante de toda a turma quais foram os procedimentos
adotados para tentarem solucionar o problema. É importante que exponham
suas dificuldades e quais foram os caminhos adotados para tentar vencê-las.
5 – Registro:
Após confirmarem suas hipóteses, registram a maneira pela qual chegaram ao
resultado. Este registro pode ser coletivo, os alunos vão dizendo quais foram
os procedimentos adotados e a professora vai anotando no quadro. Pode haver
também registro por grupo.
Atividade 5: Onde colocar cada figura geométrica?
1 – Apresentação do problema
Na primeira linha da tabela abaixo estão organizadas quatro figuras
geométricas. Complete a tabela, organizando estas figuras nas outras linhas de
forma que cada figura apareça uma única vez em cada linha, coluna ou
diagonal.
l.
Objetivos:
Desenvolver a capacidade de observação, a capacidade de organizar idéias e
estabelecer prioridades para solucionar uma situação-problema.
Material
4 quadrados, 4 retângulos, 4 círculos e 4 triângulos, cada figura de uma cor
primária.
2– Levantamento de hipóteses:
Qual figura ficará em cada linha?
Quantas vezes cada figura será utilizada?
3– Experimentação:
Deixar que as crianças façam várias tentativas, movimentando as figuras na
tabela.
4– Discussão coletiva:
Os alunos vão discutir as dificuldades encontradas, quantas foram as tentativas
para chegar ao resultado esperado..
5– Registro:
Este registro pode ser feito por meio de desenho, a cada tentativa, deve ser
registrada, não importa se não houve acerto ainda. Os registros parciais serão
importantes até para os alunos organizarem seu raciocínio. Se tentaram da
forma que já foi registrada, deverão agora tentar outra maneira.
Atividade 6: Qual será o número?
1 – Apresentação do problema
Os números que aprecem neste círculo seguem uma ordem. De acordo com
esta ordem, que número deve ocupar o lugar do ponto de interrogação?
Objetivos:
Desenvolver a habilidade de percepção visual, de lógica e de cálculo mental.
Materiais:
Um círculo com os números registrados como mostra a figura.
2 – Levantamento de hipóteses:
Os alunos vão tentar descobrir a lógica, para isto vão levantar hipóteses, as
quais podem ser direcionadas pelo professor:
Será que estes números foram colocados por acaso?
Qual a relação que existe entre os números?
3- Experimentação:
Deixar que as crianças tentem por dedução ou outra forma de resolução.
4 – Discussão coletiva:
Todas as hipóteses que os alunos levantarem devem ser colocadas no
momento da discussão coletiva.
5- Registro:
Registrar em forma de texto todos os passos seguidos para a resolução do
problema. As dificuldades e obstáculos, assim como as novas hipóteses
levantadas também deverão fazer parte do texto.
No registro deverão constar as hipóteses, as tentativas e as conclusões que os
alunos chegarem, principalmente em relação aos números.
Atividade 7: Onde ficará cada número?
1 - Apresentação do problema:
Como é possível escrever nos círculos, os números de 1 a 19 (os já colocados
servem de ajuda), de maneira que nas fileiras com três (tanto horizontais como
diagonais) números, o total seja 30, nas de 4 números seja 40 e nas de 5 seja
50.
Objetivos:
Desenvolver a habilidade de percepção visual, de lógica e de cálculo mental.
Materiais:
Uma cartela contendo o círculo e números móveis para fazerem as tentativas.
2 – Levantamento de hipóteses:
Os alunos vão tentar descobrir a lógica, para isto vão levantar hipóteses, as
quais podem ser direcionadas pelo professor:
Por que estes números foram colocados? Há alguma explicação?
Existe alguma relação entre eles?
Se tirarmos estes números fica mais fácil ou mais difícil? Por quê?
3 – Experimentação;
A experimentação consistirá em fazerem tentativas de organização dos
números para que somem os resultados orientados.
4 – Discussão coletiva:
Todas as hipóteses que os alunos levantarem devem ser colocadas no
momento da discussão coletiva.
5- Registro: No registro devem constar as hipóteses, as tentativas e as conclusões a que
os alunos chegaram.
Atividade 8: Como deixar as somas iguais mexendo somente dois números?
1 - Apresentação do problema:
Coloque a cabeça para funcionar !! Mexa apenas duas peças de modo que a
soma das duas colunas seja igual.
1 3
2 4
7 5
9 8
19 20
Objetivos:
Desenvolver a habilidade de percepção visual, de lógica e de cálculo mental.
Materiais:
Números móveis para fazer as tentativas.
2 – Levantamento de hipóteses:
Os alunos vão tentar descobrir a lógica, para isto vão levantar hipóteses, as
quais podem ser direcionadas pelo professor:
Como deixar os resultados iguais?
Quais serão estes resultados?
Existe alguma relação entre a colocação dos números?
3 – Experimentação;
A experimentação consistirá em fazerem tentativas de organização dos
números para que somem os resultados iguais.
4 – Discussão coletiva:
Todas as hipóteses que os alunos levantarem devem ser colocadas no
momento da discussão coletiva.
5- Registro:
No registro devem constar as hipóteses, as tentativas e as conclusões que os
alunos chegaram.
Atividade 9: Quantos são os porcos e quantos são os pintinhos?
1 - Apresentação do problema:
Em um quintal há 12 animais entre porcos e pintinhos e um total de 34 pés.
Quantos são os porcos e quantos são os pintinhos.
Objetivos:
Desenvolver a habilidade de organização de dados, interpretação de texto,
estratégias para resolver problemas e raciocínio lógico.
Materiais:
Kit de porquinhos e pintinhos em EVA.
2 – Levantamento de hipóteses:
Qual dos animais vocês acham, tem mais no quintal?
Como vocês podem descobrir?
3 – Experimentação;
A experimentação consistirá, com os kits, montar animais e porquinhos.
4 – Discussão coletiva:
Todas as hipóteses que os alunos levantarem devem ser colocadas no
momento da discussão coletiva.
5- Registro:
Registrar em forma de texto por grupo, quais foram os caminhos adotados pelo
grupo para chegar à solução do problema.
Atividade 10: Quando o caracol chegará?
1 - Apresentação do problema:
Um caracol resolve subir uma escada de 10 degraus. Durante o dia, ele
consegue subir três degraus, mas, durante a noite, escorrega dois degraus.
Quantos dias e quantas noites ele vai demorar para chegar ao topo da escada?
Objetivos:
Desenvolver a habilidade de resolver situações por tentativas, utilizando o
pensamento dedutivo e hipotético.
Materiais:
Uma escadinha de madeira de 10 degraus, um caracol de papel machê.
2 – Levantamento de hipóteses:
Quantos dias o caracol vai gastar para subir toda a escada?
Se o caracol não escorregar, quantos dias gastará?
3– Experimentação;
A experimentação consistirá em tentativas sucessivas obedecendo ao
comando do problema.
4– Discussão coletiva:
Todas as hipóteses que os alunos levantarem devem ser colocadas no
momento da discussão coletiva.
5- Registro:
No registro deverá constar as hipóteses, as tentativas e as conclusões que os
alunos chegaram.
Referências Bibliográficas
BRASIL/MEC. Parâmetros curriculares Nacionais: matemática. Brasília:
Secretaria de Educação Fundamental, 1997.
CARRAHER, Terezinha Nunes. Aprender pensando. Contribuições da
psicologia cognitiva para a educação. Petrópolis: Vozes, 1999.
KAMII, Constance. Desvendando a Aritmética: Implicações da Teoria de
Piaget. Campinas: Papirus, 1995.
_______________A criança e o número. Trad. Regina A. de Assis.
Campinas: Papirus, 1990, 28a
ed.
GÁLVEZ, Grécia. A didática da matemática. In: PARRA, Cecília, et. al. Didática
da Matemática: reflexões psicopedagógicas. Porto Alegre – RS: Artes
Médicas, 1996.
SOARES, Eduardo Sarquis. Matemática com o Sarquis. Livro 1. Belo
Horizonte: Formato.
_______________Matemática com o Sarquis. Livro 2. Belo Horizonte:
Formato.
SMOLE, Kátia Stocco. DINIZ, Maria Ignez. Ler, escrever e resolver
problemas. Habilidades básicas para aprender matemática. Porto Alegre:
Artmed, 2001.
VIGOTSKY, L. S. A formação social da mente; o desenvolvimento dos
processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes 1984.
________________Pensamento e linguagem. São Paulo: Livraria Martins
Fontes, 1989.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Velha da multiplicação
Velha da multiplicaçãoVelha da multiplicação
Velha da multiplicação
Rosemary Batista
 
DOMINÓ - PROBLEMAS ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO
DOMINÓ - PROBLEMAS ADIÇÃO E SUBTRAÇÃODOMINÓ - PROBLEMAS ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO
DOMINÓ - PROBLEMAS ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO
Mary Alvarenga
 
Arte - Cores primárias.pdf
Arte - Cores primárias.pdfArte - Cores primárias.pdf
Arte - Cores primárias.pdf
Mary Alvarenga
 
Conhecendo a escola
Conhecendo a escolaConhecendo a escola
Conhecendo a escola
Dário Reis
 
As atividades pré numéricas e a construção do conceito de número pel...
As  atividades  pré numéricas  e  a  construção  do  conceito  de número  pel...As  atividades  pré numéricas  e  a  construção  do  conceito  de número  pel...
As atividades pré numéricas e a construção do conceito de número pel...
Edeil Reis do Espírito Santo
 
Prova números inteiros - 7° ano
Prova números inteiros  - 7° anoProva números inteiros  - 7° ano
Prova números inteiros - 7° ano
Gentil De Almeida Junior
 
Texto e interpretação - A origem do Carnaval
Texto e interpretação - A origem do Carnaval Texto e interpretação - A origem do Carnaval
Texto e interpretação - A origem do Carnaval
Mary Alvarenga
 
Revisão Prova Brasil - 5º ano
Revisão Prova Brasil - 5º anoRevisão Prova Brasil - 5º ano
Revisão Prova Brasil - 5º ano
Mary Alvarenga
 
Avaliação diagnóstica - Matemática - 2º ano do Ensino Fundamental
Avaliação diagnóstica - Matemática - 2º ano do Ensino FundamentalAvaliação diagnóstica - Matemática - 2º ano do Ensino Fundamental
Avaliação diagnóstica - Matemática - 2º ano do Ensino Fundamental
Augusto Bertotto
 
Metade, terça parte, quarta parte
Metade, terça parte, quarta parteMetade, terça parte, quarta parte
Metade, terça parte, quarta parte
elomigues
 
Problematizando com as quatro operações
Problematizando com as quatro operações Problematizando com as quatro operações
Problematizando com as quatro operações
Mary Alvarenga
 
APOSTILA DE MATEMÁTICA COM DESCRITORES - 4º ANO DO E.F.1
APOSTILA DE MATEMÁTICA COM DESCRITORES - 4º ANO DO E.F.1APOSTILA DE MATEMÁTICA COM DESCRITORES - 4º ANO DO E.F.1
APOSTILA DE MATEMÁTICA COM DESCRITORES - 4º ANO DO E.F.1
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Divisão de números decimais
Divisão de números decimaisDivisão de números decimais
Divisão de números decimais
Mary Alvarenga
 
Atividades com descritores matematica PROEB 5º ano
Atividades com descritores matematica PROEB 5º anoAtividades com descritores matematica PROEB 5º ano
Atividades com descritores matematica PROEB 5º ano
Silvânia Silveira
 
21 de abril - Dia de Tiradentes - Texto e atividade
21 de abril - Dia de Tiradentes - Texto e atividade21 de abril - Dia de Tiradentes - Texto e atividade
21 de abril - Dia de Tiradentes - Texto e atividade
Mary Alvarenga
 
As formas geométricas nas artes
As formas geométricas nas artesAs formas geométricas nas artes
As formas geométricas nas artes
danielapistoni
 
Plano de aula educacao fisica
Plano de aula    educacao fisicaPlano de aula    educacao fisica
Plano de aula educacao fisica
ivanetesantos
 
Atividade 3 projeto de artes simone helen drumond
Atividade 3 projeto de artes simone helen drumondAtividade 3 projeto de artes simone helen drumond
Atividade 3 projeto de artes simone helen drumond
SimoneHelenDrumond
 
Interpretação de tirinhas menino maluquinho
Interpretação de tirinhas menino maluquinhoInterpretação de tirinhas menino maluquinho
Interpretação de tirinhas menino maluquinho
Rose Tavares
 
Simetria
SimetriaSimetria
Simetria
Mary Alvarenga
 

Mais procurados (20)

Velha da multiplicação
Velha da multiplicaçãoVelha da multiplicação
Velha da multiplicação
 
DOMINÓ - PROBLEMAS ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO
DOMINÓ - PROBLEMAS ADIÇÃO E SUBTRAÇÃODOMINÓ - PROBLEMAS ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO
DOMINÓ - PROBLEMAS ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO
 
Arte - Cores primárias.pdf
Arte - Cores primárias.pdfArte - Cores primárias.pdf
Arte - Cores primárias.pdf
 
Conhecendo a escola
Conhecendo a escolaConhecendo a escola
Conhecendo a escola
 
As atividades pré numéricas e a construção do conceito de número pel...
As  atividades  pré numéricas  e  a  construção  do  conceito  de número  pel...As  atividades  pré numéricas  e  a  construção  do  conceito  de número  pel...
As atividades pré numéricas e a construção do conceito de número pel...
 
Prova números inteiros - 7° ano
Prova números inteiros  - 7° anoProva números inteiros  - 7° ano
Prova números inteiros - 7° ano
 
Texto e interpretação - A origem do Carnaval
Texto e interpretação - A origem do Carnaval Texto e interpretação - A origem do Carnaval
Texto e interpretação - A origem do Carnaval
 
Revisão Prova Brasil - 5º ano
Revisão Prova Brasil - 5º anoRevisão Prova Brasil - 5º ano
Revisão Prova Brasil - 5º ano
 
Avaliação diagnóstica - Matemática - 2º ano do Ensino Fundamental
Avaliação diagnóstica - Matemática - 2º ano do Ensino FundamentalAvaliação diagnóstica - Matemática - 2º ano do Ensino Fundamental
Avaliação diagnóstica - Matemática - 2º ano do Ensino Fundamental
 
Metade, terça parte, quarta parte
Metade, terça parte, quarta parteMetade, terça parte, quarta parte
Metade, terça parte, quarta parte
 
Problematizando com as quatro operações
Problematizando com as quatro operações Problematizando com as quatro operações
Problematizando com as quatro operações
 
APOSTILA DE MATEMÁTICA COM DESCRITORES - 4º ANO DO E.F.1
APOSTILA DE MATEMÁTICA COM DESCRITORES - 4º ANO DO E.F.1APOSTILA DE MATEMÁTICA COM DESCRITORES - 4º ANO DO E.F.1
APOSTILA DE MATEMÁTICA COM DESCRITORES - 4º ANO DO E.F.1
 
Divisão de números decimais
Divisão de números decimaisDivisão de números decimais
Divisão de números decimais
 
Atividades com descritores matematica PROEB 5º ano
Atividades com descritores matematica PROEB 5º anoAtividades com descritores matematica PROEB 5º ano
Atividades com descritores matematica PROEB 5º ano
 
21 de abril - Dia de Tiradentes - Texto e atividade
21 de abril - Dia de Tiradentes - Texto e atividade21 de abril - Dia de Tiradentes - Texto e atividade
21 de abril - Dia de Tiradentes - Texto e atividade
 
As formas geométricas nas artes
As formas geométricas nas artesAs formas geométricas nas artes
As formas geométricas nas artes
 
Plano de aula educacao fisica
Plano de aula    educacao fisicaPlano de aula    educacao fisica
Plano de aula educacao fisica
 
Atividade 3 projeto de artes simone helen drumond
Atividade 3 projeto de artes simone helen drumondAtividade 3 projeto de artes simone helen drumond
Atividade 3 projeto de artes simone helen drumond
 
Interpretação de tirinhas menino maluquinho
Interpretação de tirinhas menino maluquinhoInterpretação de tirinhas menino maluquinho
Interpretação de tirinhas menino maluquinho
 
Simetria
SimetriaSimetria
Simetria
 

Destaque

Desafio de matemática-Desenvolvendo raciocinio
Desafio  de matemática-Desenvolvendo raciocinio Desafio  de matemática-Desenvolvendo raciocinio
Desafio de matemática-Desenvolvendo raciocinio
Robson S
 
JOGOS MATEMÁTICOS PAIC
JOGOS MATEMÁTICOS  PAIC JOGOS MATEMÁTICOS  PAIC
JOGOS MATEMÁTICOS PAIC
orientadoresdeestudopaic
 
Desafios matemáticos 1
Desafios matemáticos 1Desafios matemáticos 1
Desafios matemáticos 1
Albano
 
Desafios lógica
Desafios lógicaDesafios lógica
Desafios lógica
Aline Lemmertz
 
jogos que estimulam o cérebro.
jogos que estimulam o cérebro.jogos que estimulam o cérebro.
jogos que estimulam o cérebro.
gabriellacepja
 
Jogos matemáticos – trabalhando o raciocínio lógico
Jogos matemáticos – trabalhando o raciocínio lógicoJogos matemáticos – trabalhando o raciocínio lógico
Jogos matemáticos – trabalhando o raciocínio lógico
Nilda de Oliveira Campos
 
Jogos com palitos
Jogos com palitos Jogos com palitos
Jogos com palitos
Charmilla Freire
 
101 desafios matemáticos www.livros gratis.net
101 desafios matemáticos www.livros gratis.net101 desafios matemáticos www.livros gratis.net
101 desafios matemáticos www.livros gratis.net
DarkMare
 
Puzzles Com Moedas
Puzzles Com MoedasPuzzles Com Moedas
Puzzles Com Moedas
Sanclé Porchéra
 
Brincando com a lógica oficina prática
Brincando com a lógica   oficina práticaBrincando com a lógica   oficina prática
Brincando com a lógica oficina prática
Maristela Alcântara
 
Jogos matemáticos 3o 4o 5oano-
Jogos matemáticos 3o 4o 5oano-Jogos matemáticos 3o 4o 5oano-
Jogos matemáticos 3o 4o 5oano-
Vanderlita Gomes B Marquetti
 
Clube da matemática projecto acção de formação
Clube da matemática projecto acção de formaçãoClube da matemática projecto acção de formação
Clube da matemática projecto acção de formação
Isabelrsilva
 
Desafios matematica2 1o2ociclos_out2010[1]
Desafios matematica2 1o2ociclos_out2010[1]Desafios matematica2 1o2ociclos_out2010[1]
Desafios matematica2 1o2ociclos_out2010[1]
Joao Ferreira
 
Resumo e Síntese, Mónica Almeida (CLC)
Resumo e Síntese, Mónica Almeida (CLC)Resumo e Síntese, Mónica Almeida (CLC)
Resumo e Síntese, Mónica Almeida (CLC)
efaesan
 
Desafios matematicos
Desafios matematicosDesafios matematicos
Desafios matematicos
Claudio Roberto Ribeiro Junior
 
Técnicas úteis ao escrever uma síntese
Técnicas úteis ao escrever uma sínteseTécnicas úteis ao escrever uma síntese
Técnicas úteis ao escrever uma síntese
Mayjö .
 
Desafios de lógica
Desafios de lógicaDesafios de lógica
Desafios de lógica
maria edineuma marreira
 
PRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICO
PRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS  NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICOPRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS  NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICO
PRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICO
gepoteriko
 
Jogo dos fósforos
Jogo dos fósforosJogo dos fósforos
Jogo dos fósforos
Joao Ferreira
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntese
denisecgomes
 

Destaque (20)

Desafio de matemática-Desenvolvendo raciocinio
Desafio  de matemática-Desenvolvendo raciocinio Desafio  de matemática-Desenvolvendo raciocinio
Desafio de matemática-Desenvolvendo raciocinio
 
JOGOS MATEMÁTICOS PAIC
JOGOS MATEMÁTICOS  PAIC JOGOS MATEMÁTICOS  PAIC
JOGOS MATEMÁTICOS PAIC
 
Desafios matemáticos 1
Desafios matemáticos 1Desafios matemáticos 1
Desafios matemáticos 1
 
Desafios lógica
Desafios lógicaDesafios lógica
Desafios lógica
 
jogos que estimulam o cérebro.
jogos que estimulam o cérebro.jogos que estimulam o cérebro.
jogos que estimulam o cérebro.
 
Jogos matemáticos – trabalhando o raciocínio lógico
Jogos matemáticos – trabalhando o raciocínio lógicoJogos matemáticos – trabalhando o raciocínio lógico
Jogos matemáticos – trabalhando o raciocínio lógico
 
Jogos com palitos
Jogos com palitos Jogos com palitos
Jogos com palitos
 
101 desafios matemáticos www.livros gratis.net
101 desafios matemáticos www.livros gratis.net101 desafios matemáticos www.livros gratis.net
101 desafios matemáticos www.livros gratis.net
 
Puzzles Com Moedas
Puzzles Com MoedasPuzzles Com Moedas
Puzzles Com Moedas
 
Brincando com a lógica oficina prática
Brincando com a lógica   oficina práticaBrincando com a lógica   oficina prática
Brincando com a lógica oficina prática
 
Jogos matemáticos 3o 4o 5oano-
Jogos matemáticos 3o 4o 5oano-Jogos matemáticos 3o 4o 5oano-
Jogos matemáticos 3o 4o 5oano-
 
Clube da matemática projecto acção de formação
Clube da matemática projecto acção de formaçãoClube da matemática projecto acção de formação
Clube da matemática projecto acção de formação
 
Desafios matematica2 1o2ociclos_out2010[1]
Desafios matematica2 1o2ociclos_out2010[1]Desafios matematica2 1o2ociclos_out2010[1]
Desafios matematica2 1o2ociclos_out2010[1]
 
Resumo e Síntese, Mónica Almeida (CLC)
Resumo e Síntese, Mónica Almeida (CLC)Resumo e Síntese, Mónica Almeida (CLC)
Resumo e Síntese, Mónica Almeida (CLC)
 
Desafios matematicos
Desafios matematicosDesafios matematicos
Desafios matematicos
 
Técnicas úteis ao escrever uma síntese
Técnicas úteis ao escrever uma sínteseTécnicas úteis ao escrever uma síntese
Técnicas úteis ao escrever uma síntese
 
Desafios de lógica
Desafios de lógicaDesafios de lógica
Desafios de lógica
 
PRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICO
PRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS  NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICOPRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS  NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICO
PRODUÇÃO DE SÍNTESES, RESUMOS E RESENHAS NO CONTEXTO ESCOLAR E ACADÊMICO
 
Jogo dos fósforos
Jogo dos fósforosJogo dos fósforos
Jogo dos fósforos
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntese
 

Semelhante a Oficina 16 desafios

situações problema
situações problemasituações problema
situações problema
Raquel Caparroz
 
pnaic formação
pnaic formaçãopnaic formação
pnaic formação
Raquel Caparroz
 
10 09 presencial
10 09 presencial10 09 presencial
10 09 presencial
Raquel Caparroz
 
Conexões matemáticas situações problema
Conexões matemáticas   situações problemaConexões matemáticas   situações problema
Conexões matemáticas situações problema
Aprender com prazer
 
Trabalho michele
Trabalho micheleTrabalho michele
Trabalho michele
Daniella Loureiro
 
Powerpoint unid 4 etel
Powerpoint unid 4 etelPowerpoint unid 4 etel
Powerpoint unid 4 etel
Escola estadual Luiz Moschetti
 
Resolução de problemas e problemoteca
Resolução de problemas e problemotecaResolução de problemas e problemoteca
Resolução de problemas e problemoteca
Joelma Santos
 
Resolução de problemas
Resolução de problemasResolução de problemas
Resolução de problemas
Aline Manzini
 
Subtração sme 2014
Subtração sme 2014Subtração sme 2014
Subtração sme 2014
Rosemary Batista
 
O jeito de ensinar, aprender e compartilhar sempree
O jeito de ensinar, aprender e compartilhar sempreeO jeito de ensinar, aprender e compartilhar sempree
O jeito de ensinar, aprender e compartilhar sempree
Sempree - Saber Empreendedor
 
Síntese caderno4 pnaic
Síntese caderno4 pnaicSíntese caderno4 pnaic
Síntese caderno4 pnaic
Fatima Lima
 
Ensinando com Eficácia. aula sobre como ensinar os DBV.pptx
Ensinando com Eficácia. aula sobre como ensinar os DBV.pptxEnsinando com Eficácia. aula sobre como ensinar os DBV.pptx
Ensinando com Eficácia. aula sobre como ensinar os DBV.pptx
TullyEhlers1
 
O conceito de professor reflexivo e suas possibilidades para o ensino de mate...
O conceito de professor reflexivo e suas possibilidades para o ensino de mate...O conceito de professor reflexivo e suas possibilidades para o ensino de mate...
O conceito de professor reflexivo e suas possibilidades para o ensino de mate...
slucarz
 
640e77a2 b7fa-4f77-b5e4-93013f34afca
640e77a2 b7fa-4f77-b5e4-93013f34afca640e77a2 b7fa-4f77-b5e4-93013f34afca
640e77a2 b7fa-4f77-b5e4-93013f34afca
Marcia Barbosa silva
 
Resolução de problemas
Resolução de problemasResolução de problemas
Resolução de problemas
Glaucia_Vieira
 
Métodos de ensino para a EBD
Métodos de ensino para a EBDMétodos de ensino para a EBD
Métodos de ensino para a EBD
Amor pela EBD
 
6 tecnicas e_jogos_pedagogicos
6 tecnicas e_jogos_pedagogicos6 tecnicas e_jogos_pedagogicos
6 tecnicas e_jogos_pedagogicos
Maria Conceicao Gomes
 
6 tecnicas e_jogos_pedagogicos
6 tecnicas e_jogos_pedagogicos6 tecnicas e_jogos_pedagogicos
6 tecnicas e_jogos_pedagogicos
ElisaCunha17
 
1 encontro caderno 1 Pnaic Matematica
1 encontro caderno 1 Pnaic Matematica1 encontro caderno 1 Pnaic Matematica
1 encontro caderno 1 Pnaic Matematica
Adriana De Almeida Braga
 
PNAIC - MATEMÁTICA - 2014 Caderno 8 Parte - 2 Resolução de Problemas
PNAIC - MATEMÁTICA - 2014 Caderno 8  Parte -  2 Resolução de ProblemasPNAIC - MATEMÁTICA - 2014 Caderno 8  Parte -  2 Resolução de Problemas
PNAIC - MATEMÁTICA - 2014 Caderno 8 Parte - 2 Resolução de Problemas
Felipe Silva
 

Semelhante a Oficina 16 desafios (20)

situações problema
situações problemasituações problema
situações problema
 
pnaic formação
pnaic formaçãopnaic formação
pnaic formação
 
10 09 presencial
10 09 presencial10 09 presencial
10 09 presencial
 
Conexões matemáticas situações problema
Conexões matemáticas   situações problemaConexões matemáticas   situações problema
Conexões matemáticas situações problema
 
Trabalho michele
Trabalho micheleTrabalho michele
Trabalho michele
 
Powerpoint unid 4 etel
Powerpoint unid 4 etelPowerpoint unid 4 etel
Powerpoint unid 4 etel
 
Resolução de problemas e problemoteca
Resolução de problemas e problemotecaResolução de problemas e problemoteca
Resolução de problemas e problemoteca
 
Resolução de problemas
Resolução de problemasResolução de problemas
Resolução de problemas
 
Subtração sme 2014
Subtração sme 2014Subtração sme 2014
Subtração sme 2014
 
O jeito de ensinar, aprender e compartilhar sempree
O jeito de ensinar, aprender e compartilhar sempreeO jeito de ensinar, aprender e compartilhar sempree
O jeito de ensinar, aprender e compartilhar sempree
 
Síntese caderno4 pnaic
Síntese caderno4 pnaicSíntese caderno4 pnaic
Síntese caderno4 pnaic
 
Ensinando com Eficácia. aula sobre como ensinar os DBV.pptx
Ensinando com Eficácia. aula sobre como ensinar os DBV.pptxEnsinando com Eficácia. aula sobre como ensinar os DBV.pptx
Ensinando com Eficácia. aula sobre como ensinar os DBV.pptx
 
O conceito de professor reflexivo e suas possibilidades para o ensino de mate...
O conceito de professor reflexivo e suas possibilidades para o ensino de mate...O conceito de professor reflexivo e suas possibilidades para o ensino de mate...
O conceito de professor reflexivo e suas possibilidades para o ensino de mate...
 
640e77a2 b7fa-4f77-b5e4-93013f34afca
640e77a2 b7fa-4f77-b5e4-93013f34afca640e77a2 b7fa-4f77-b5e4-93013f34afca
640e77a2 b7fa-4f77-b5e4-93013f34afca
 
Resolução de problemas
Resolução de problemasResolução de problemas
Resolução de problemas
 
Métodos de ensino para a EBD
Métodos de ensino para a EBDMétodos de ensino para a EBD
Métodos de ensino para a EBD
 
6 tecnicas e_jogos_pedagogicos
6 tecnicas e_jogos_pedagogicos6 tecnicas e_jogos_pedagogicos
6 tecnicas e_jogos_pedagogicos
 
6 tecnicas e_jogos_pedagogicos
6 tecnicas e_jogos_pedagogicos6 tecnicas e_jogos_pedagogicos
6 tecnicas e_jogos_pedagogicos
 
1 encontro caderno 1 Pnaic Matematica
1 encontro caderno 1 Pnaic Matematica1 encontro caderno 1 Pnaic Matematica
1 encontro caderno 1 Pnaic Matematica
 
PNAIC - MATEMÁTICA - 2014 Caderno 8 Parte - 2 Resolução de Problemas
PNAIC - MATEMÁTICA - 2014 Caderno 8  Parte -  2 Resolução de ProblemasPNAIC - MATEMÁTICA - 2014 Caderno 8  Parte -  2 Resolução de Problemas
PNAIC - MATEMÁTICA - 2014 Caderno 8 Parte - 2 Resolução de Problemas
 

Mais de Professora Cida

De avestruz a zebra 1º ano
De avestruz a zebra 1º anoDe avestruz a zebra 1º ano
De avestruz a zebra 1º ano
Professora Cida
 
De avestruz a zebra 3º ano
De avestruz a zebra 3º anoDe avestruz a zebra 3º ano
De avestruz a zebra 3º ano
Professora Cida
 
1 leitura deleite A Professora D. Fofa
1 leitura deleite A Professora D. Fofa1 leitura deleite A Professora D. Fofa
1 leitura deleite A Professora D. Fofa
Professora Cida
 
Tatu bobo slide
Tatu bobo slideTatu bobo slide
Tatu bobo slide
Professora Cida
 
Sequencia receita culinaria_abril_2012
Sequencia receita culinaria_abril_2012Sequencia receita culinaria_abril_2012
Sequencia receita culinaria_abril_2012
Professora Cida
 
Sequencia didatica _fabulas
Sequencia didatica _fabulasSequencia didatica _fabulas
Sequencia didatica _fabulas
Professora Cida
 
Sequência didática piada
Sequência didática piadaSequência didática piada
Sequência didática piada
Professora Cida
 
Sequência didática língua portuguesa e matemática o piquenique do catapimba
Sequência didática língua portuguesa e matemática o piquenique do catapimbaSequência didática língua portuguesa e matemática o piquenique do catapimba
Sequência didática língua portuguesa e matemática o piquenique do catapimba
Professora Cida
 
Sequencia didatica e o palhaço o que é
Sequencia didatica e o palhaço o que éSequencia didatica e o palhaço o que é
Sequencia didatica e o palhaço o que é
Professora Cida
 
Sequência didática a bruxa
Sequência didática a bruxaSequência didática a bruxa
Sequência didática a bruxa
Professora Cida
 
Sequencia de atividades por e mat primeira semana
Sequencia de atividades por e mat primeira semanaSequencia de atividades por e mat primeira semana
Sequencia de atividades por e mat primeira semana
Professora Cida
 
Projeto tatu e_o_lobo
Projeto tatu e_o_loboProjeto tatu e_o_lobo
Projeto tatu e_o_lobo
Professora Cida
 
Projeto tatu e_bobo
Projeto tatu e_boboProjeto tatu e_bobo
Projeto tatu e_bobo
Professora Cida
 
Projeto frozen
Projeto frozenProjeto frozen
Projeto frozen
Professora Cida
 
Projeto didático leilão de jardim
Projeto didático leilão de jardimProjeto didático leilão de jardim
Projeto didático leilão de jardim
Professora Cida
 
Pnaic, mês de junho
Pnaic, mês de junhoPnaic, mês de junho
Pnaic, mês de junho
Professora Cida
 
Oficina 15 – sistema de numeração
Oficina 15 – sistema de numeraçãoOficina 15 – sistema de numeração
Oficina 15 – sistema de numeração
Professora Cida
 
Oficina 10 flutua ou afunda
Oficina 10 flutua ou afundaOficina 10 flutua ou afunda
Oficina 10 flutua ou afunda
Professora Cida
 
Oficina 03 – plantas
Oficina 03 – plantasOficina 03 – plantas
Oficina 03 – plantas
Professora Cida
 
O sapo que queria beber leite
O sapo que queria beber leiteO sapo que queria beber leite
O sapo que queria beber leite
Professora Cida
 

Mais de Professora Cida (20)

De avestruz a zebra 1º ano
De avestruz a zebra 1º anoDe avestruz a zebra 1º ano
De avestruz a zebra 1º ano
 
De avestruz a zebra 3º ano
De avestruz a zebra 3º anoDe avestruz a zebra 3º ano
De avestruz a zebra 3º ano
 
1 leitura deleite A Professora D. Fofa
1 leitura deleite A Professora D. Fofa1 leitura deleite A Professora D. Fofa
1 leitura deleite A Professora D. Fofa
 
Tatu bobo slide
Tatu bobo slideTatu bobo slide
Tatu bobo slide
 
Sequencia receita culinaria_abril_2012
Sequencia receita culinaria_abril_2012Sequencia receita culinaria_abril_2012
Sequencia receita culinaria_abril_2012
 
Sequencia didatica _fabulas
Sequencia didatica _fabulasSequencia didatica _fabulas
Sequencia didatica _fabulas
 
Sequência didática piada
Sequência didática piadaSequência didática piada
Sequência didática piada
 
Sequência didática língua portuguesa e matemática o piquenique do catapimba
Sequência didática língua portuguesa e matemática o piquenique do catapimbaSequência didática língua portuguesa e matemática o piquenique do catapimba
Sequência didática língua portuguesa e matemática o piquenique do catapimba
 
Sequencia didatica e o palhaço o que é
Sequencia didatica e o palhaço o que éSequencia didatica e o palhaço o que é
Sequencia didatica e o palhaço o que é
 
Sequência didática a bruxa
Sequência didática a bruxaSequência didática a bruxa
Sequência didática a bruxa
 
Sequencia de atividades por e mat primeira semana
Sequencia de atividades por e mat primeira semanaSequencia de atividades por e mat primeira semana
Sequencia de atividades por e mat primeira semana
 
Projeto tatu e_o_lobo
Projeto tatu e_o_loboProjeto tatu e_o_lobo
Projeto tatu e_o_lobo
 
Projeto tatu e_bobo
Projeto tatu e_boboProjeto tatu e_bobo
Projeto tatu e_bobo
 
Projeto frozen
Projeto frozenProjeto frozen
Projeto frozen
 
Projeto didático leilão de jardim
Projeto didático leilão de jardimProjeto didático leilão de jardim
Projeto didático leilão de jardim
 
Pnaic, mês de junho
Pnaic, mês de junhoPnaic, mês de junho
Pnaic, mês de junho
 
Oficina 15 – sistema de numeração
Oficina 15 – sistema de numeraçãoOficina 15 – sistema de numeração
Oficina 15 – sistema de numeração
 
Oficina 10 flutua ou afunda
Oficina 10 flutua ou afundaOficina 10 flutua ou afunda
Oficina 10 flutua ou afunda
 
Oficina 03 – plantas
Oficina 03 – plantasOficina 03 – plantas
Oficina 03 – plantas
 
O sapo que queria beber leite
O sapo que queria beber leiteO sapo que queria beber leite
O sapo que queria beber leite
 

Oficina 16 desafios

  • 1. Oficina 16: DESAFIOS A resolução de problemas e desafios para potencializar o raciocínio lógico matemático nas séries iniciais do ensino fundamental. Introdução Nesta oficina trataremos da apropriação de habilidades para resolver problemas nas séries iniciais do Ensino Fundamental. A proposta é que os alunos desenvolvam seus próprios métodos e estratégias para resolver problemas e desafios. Rousseau, filósofo do século XVIII já advogava sobre a forma peculiar de pensar de cada criança, “A criança tem maneiras de ver, de pensar e de sentir que lhe são próprias”. Nesta perspectiva, é importante que se proporcione à criança a oportunidade de construir sua própria forma de raciocínio, e, não simplesmente impor formas e regras para resolver situações- problemas. Vygotsky (1984), enfatiza a aquisição de conhecimentos pela criança a partir de suas relações sociais, muito antes de chegar à escola e que os profissionais da educação não podem ser indiferentes a estes processos subjetivos de lidar com questões matemáticas: [...] o aprendizado das crianças começa muito antes delas freqüentarem a escola. Qualquer situação de aprendizado com a qual a criança se defronta na escola tem sempre uma história prévia. Por exemplo, as crianças começam a estudar aritmética na escola, mas muito antes elas tiveram alguma experiência com quantidades – elas tiveram que lidar com operações de divisão, adição, subtração e determinação de tamanho. Conseqüentemente, as crianças têm a sua própria aritmética pré-escolar, que somente psicólogos míopes podem ignorar (VYGOTSKY, 1984 p. 94-95). Por ser a matemática uma disciplina da área das ciências exatas, é comum percebermos práticas pedagógicas apoiadas nesta concepção de exatidão desta ciência. Assim, professores restringem a prática pedagógica à resolução mecânica de atividades sem levar em conta o trabalho exploratório que deve estar presente em sala de aula. Nesta rotina, alunos vão decorando regras e passos para resolução de situações-problema e muitas vezes se apavoram com a matemática e associam a ela somente cálculos intermináveis e atividades de difícil resolução. Proposta da Oficina Nossa principal proposta é levar o aluno à apropriação de habilidades para elaborar situações que lhe permita estabelecer estratégias para resolver problemas diversos, ligados ou não a cálculos numéricos. As atividades deverão ser trabalhadas sempre em grupo para estimular a troca de idéias. Este momento de interação entre os membros do grupo é muito oportuno para observações, por isso é importante que o professor vá
  • 2. circulando entre os grupos e, preferencialmente, vá fazendo anotações sobre hipóteses e estratégias levantadas em cada grupo e observando se por intermédio das discussões e interações, o grupo chegará a uma solução. Vygotsky (1989), ao definir a Zona de Desenvolvimento Proximal (ZPD), destaca a importância da interação com os pares. De acordo com ele, “depois do professor, quem mais contribui para a intervenção nas ZPD dos alunos, são seus próprios colegas. A criança aprende – e muito - com outras crianças”. Conteúdo programático da oficina Atividades da oficina Resolução de situações-problema e desafios com o objetivo de estimular o raciocínio, o pensamento hipotético dedutivo e o pensamento lógico matemático. Desafio 01: Quantos abraços foram dados? Desafio 02: Qual é a cor? Desafio 03: Onde está o Teobaldo? Desafio 04: De quantas maneiras diferentes o sapo pode subir? Desafio 05: Onde colocar cada figura geométrica? Desafio 06: Qual será o número? Desafio do ônibus Desafio 07: Onde ficará cada número? Desafio 08: Como deixar a soma igual mexendo somente dois números? Desafio 09: Quantos são os porcos e quantos são os pintinhos? Desafio 10: Quando o caracol chegará? Objetivos: • Analisar, interpretar, formular e resolver situações-problema, compreendendo sua aplicabilidade em sua vivência. • Reconhecer que diferentes situações-problema podem ser resolvidas de maneiras diversas. • Desenvolver a habilidade de resolver desafios por meio de estratégias pessoais e algumas técnicas convencionais.
  • 3. Atividade 1 Quantos abraços foram dados? 1 – Apresentação do problema Em uma turma do 2º ano tem 11 alunos. No 1º dia de aula a professora pediu que se dividissem em dois grupos, um de seis e um de cinco e que em cada grupo, todas as crianças se abraçassem, para que se conhecessem e começassem a desenvolver laços de amizade. Quantos abraços foram dados em cada grupo? Quantos abraços foram dados ao todo? Se fosse formado somente um grupo de 11 alunos, quantos abraços seriam dados? Objetivos: Elaborar estratégia para resolver a situação proposta. Estimular o relacionamento interpessoal. Desenvolver habilidades para trabalhar atividade corporal. Material: Nesta atividade propositalmente não será oferecido nenhum material. Os alunos poderão buscar estratégias variadas e elegerem algum material concreto para simular as crianças, no entanto, o que se espera, é que busquem a solução utilizando o próprio corpo, ou seja, que se abracem. Caberá a cada grupo adotar sua forma de registro. 2- Levantamento de hipótese: O professor pode desafiar os alunos com os seguintes questionamentos: Quantos abraços serão dados? Como podem descobrir? Alguém receberá mais abraço? Quantos? Por quê? 3 - Experimentação: Os alunos vão testar suas hipóteses por meios próprios determinados por cada grupo, espera-se que busquem solução com o próprio corpo, caso isso não aconteça, o professor poderá fazer interferências adequadas.
  • 4. 4 - Discussão Coletiva: Estimular os alunos a explicarem quais foram as estratégias utilizadas para resolver a situação-problema. Quantas vezes tentaram até perceber que a solução estava em um simples abraço. 5- Registro: O registro poderá ser realizado por desenhos, porém os alunos terão que ilustrar todas as tentativas. È importante que façam também um texto, que pode ser coletivo, neste texto, as crianças vão explicitar todas as tentativas, e, inclusive como perceberam que a solução do problema eram elas próprias. Atividade 2: Qual é a cor? 1 – Apresentação do problema Márcio, Mateus, Marcelo e Maurício, são quadrigêmeos e a única maneira de diferenciá-los é pela cor da camisa. Nem Márcio e nem Maurício gostam de vermelho. Marcelo sempre usa verde. Maurício pensou em escolher o amarelo, mas desistiu. A cor favorita de um irmão de Márcio é azul. Que cor de camisa cada menino usa? Objetivos: Trabalhar a interpretação de texto, organização de idéias, elaboração de prioridades e identificação de informações pertinentes à resolução de uma situação-problema. Material: 4 bonequinhos de EVA e a camisas de papel, lápis de cor. 2- Levantamento de hipótese: O professor poderá levantar os seguintes questionamentos: Qual é a primeira informação que vocês precisam? Quem está vestido com qual camisa? Como farão para descobrir? 3 - Experimentação: Os alunos vão testar suas hipóteses utilizando o material que lhes foi fornecido. O lápis de cor não será oferecido inicialmente, para que o professor possa avaliar qual a habilidade dos alunos de buscarem soluções. Quando chegarem à conclusão que uma saída é pintarem as camisas, os lápis serão disponibilizados. A partir de então, farão as tentativas de acordo com as
  • 5. informações do problema. Os alunos poderão perfeitamente adotar outra solução que não seja pintar as camisas. Ótimo!!! O principal objetivo do trabalho com enigmas e desafios é estimular o desenvolvimento de habilidades e estratégias. 4 - Discussão Coletiva: Estimular a discussão para que todas as soluções, ou busca pelas soluções possam ser explicitadas. É um momento muito importante para que os alunos percebam que uma situação-problema pode ter várias soluções. 5 - Registro Após terem conseguido resolver a situação deverão explicar para a turma como conseguiram resolver o problema. Registrar em forma de texto e ilustrar no final. O registro pode ser feito por grupo. Atividade 3 : Onde está o Teobaldo? 1 – Apresentação do problema Arnaldo é um coelho corredor! Adora passear pelos campos a toda velocidade. No momento, ele está correndo de um lado para outro à procura de seu amigo Teobaldo, o pato. Será que você consegue encontrá-lo? Objetivos: Trabalhar a discriminação visual. Desenvolver a habilidade de análise e síntese. Desenvolver a habilidade de lidar com perspectivas diferentes. Material: 1 coelho confeccionado em EVA ou madeira. 2- Levantamento de hipótese: O professor poderá levantar os seguintes questionamentos: Onde vocês acham que está o Teobaldo? O que ele pode estará fazendo? Será que está longe? 3 - Experimentação: Os alunos terão que observar a ilustração do cartaz para chegar à resposta. A princípio desenvolverão a habilidade de análise, ao observar o cartaz como um toso. Posteriormente, espera-se que desenvolvam o poder de síntese e analisem as partes. Inicialmente é provável que trabalhem com suposições mais elementares. Posteriormente vão descobrir que basta virar a figura de posição. 4 - Discussão Coletiva: Após terem conseguido resolver a situação deverão explicar para a turma como conseguiram resolver o problema. 5 - Registro: O registro poderá ser realizado em forma de um texto coletivo, contendo todas as hipóteses e a solução do desafio.
  • 6.
  • 7. Atividade 4: De quantas maneiras diferentes o sapo pode subir? 1 – Apresentação do problema Um sapo sobe uma escada saltando de um em um ou de dois em dois degraus, mas não consegue saltar de três em três. A escada possui dez degraus e obrigatoriamente o sapo pára no sexto degrau para descansar. De quantas maneiras diferentes o sapo pode subir até o topo dessa escada? Objetivos Trabalhar a interpretação de texto e o tratamento dado às informações. Estimular o raciocínio e a troca de opiniões entre o grupo Materiais: Uma escadinha de madeira, um sapo de papel machê. 2 – Levantamento de hipótese De quantas maneiras o sapo pode subir a escada? De quantas maneiras ele sobe antes de parar para descansar? E depois que ele descansa, de quantas maneiras pode subir? 3 – Experimentação: Os alunos testam as hipóteses levantadas por eles. Vão levando o sapinho escada acima de acordo com as sugestões dos membros dos grupos. 4 – Discussão coletiva: Os alunos vão expor diante de toda a turma quais foram os procedimentos adotados para tentarem solucionar o problema. É importante que exponham suas dificuldades e quais foram os caminhos adotados para tentar vencê-las. 5 – Registro:
  • 8. Após confirmarem suas hipóteses, registram a maneira pela qual chegaram ao resultado. Este registro pode ser coletivo, os alunos vão dizendo quais foram os procedimentos adotados e a professora vai anotando no quadro. Pode haver também registro por grupo. Atividade 5: Onde colocar cada figura geométrica? 1 – Apresentação do problema Na primeira linha da tabela abaixo estão organizadas quatro figuras geométricas. Complete a tabela, organizando estas figuras nas outras linhas de forma que cada figura apareça uma única vez em cada linha, coluna ou diagonal. l. Objetivos: Desenvolver a capacidade de observação, a capacidade de organizar idéias e estabelecer prioridades para solucionar uma situação-problema. Material 4 quadrados, 4 retângulos, 4 círculos e 4 triângulos, cada figura de uma cor primária. 2– Levantamento de hipóteses: Qual figura ficará em cada linha? Quantas vezes cada figura será utilizada? 3– Experimentação: Deixar que as crianças façam várias tentativas, movimentando as figuras na tabela. 4– Discussão coletiva: Os alunos vão discutir as dificuldades encontradas, quantas foram as tentativas para chegar ao resultado esperado.. 5– Registro: Este registro pode ser feito por meio de desenho, a cada tentativa, deve ser registrada, não importa se não houve acerto ainda. Os registros parciais serão importantes até para os alunos organizarem seu raciocínio. Se tentaram da forma que já foi registrada, deverão agora tentar outra maneira.
  • 9. Atividade 6: Qual será o número? 1 – Apresentação do problema Os números que aprecem neste círculo seguem uma ordem. De acordo com esta ordem, que número deve ocupar o lugar do ponto de interrogação? Objetivos: Desenvolver a habilidade de percepção visual, de lógica e de cálculo mental. Materiais: Um círculo com os números registrados como mostra a figura. 2 – Levantamento de hipóteses: Os alunos vão tentar descobrir a lógica, para isto vão levantar hipóteses, as quais podem ser direcionadas pelo professor: Será que estes números foram colocados por acaso? Qual a relação que existe entre os números? 3- Experimentação: Deixar que as crianças tentem por dedução ou outra forma de resolução. 4 – Discussão coletiva: Todas as hipóteses que os alunos levantarem devem ser colocadas no momento da discussão coletiva. 5- Registro: Registrar em forma de texto todos os passos seguidos para a resolução do problema. As dificuldades e obstáculos, assim como as novas hipóteses levantadas também deverão fazer parte do texto. No registro deverão constar as hipóteses, as tentativas e as conclusões que os alunos chegarem, principalmente em relação aos números.
  • 10. Atividade 7: Onde ficará cada número? 1 - Apresentação do problema: Como é possível escrever nos círculos, os números de 1 a 19 (os já colocados servem de ajuda), de maneira que nas fileiras com três (tanto horizontais como diagonais) números, o total seja 30, nas de 4 números seja 40 e nas de 5 seja 50. Objetivos: Desenvolver a habilidade de percepção visual, de lógica e de cálculo mental. Materiais: Uma cartela contendo o círculo e números móveis para fazerem as tentativas. 2 – Levantamento de hipóteses: Os alunos vão tentar descobrir a lógica, para isto vão levantar hipóteses, as quais podem ser direcionadas pelo professor: Por que estes números foram colocados? Há alguma explicação? Existe alguma relação entre eles? Se tirarmos estes números fica mais fácil ou mais difícil? Por quê? 3 – Experimentação; A experimentação consistirá em fazerem tentativas de organização dos números para que somem os resultados orientados. 4 – Discussão coletiva: Todas as hipóteses que os alunos levantarem devem ser colocadas no momento da discussão coletiva. 5- Registro: No registro devem constar as hipóteses, as tentativas e as conclusões a que os alunos chegaram.
  • 11. Atividade 8: Como deixar as somas iguais mexendo somente dois números? 1 - Apresentação do problema: Coloque a cabeça para funcionar !! Mexa apenas duas peças de modo que a soma das duas colunas seja igual. 1 3 2 4 7 5 9 8 19 20 Objetivos: Desenvolver a habilidade de percepção visual, de lógica e de cálculo mental. Materiais: Números móveis para fazer as tentativas. 2 – Levantamento de hipóteses: Os alunos vão tentar descobrir a lógica, para isto vão levantar hipóteses, as quais podem ser direcionadas pelo professor: Como deixar os resultados iguais? Quais serão estes resultados? Existe alguma relação entre a colocação dos números? 3 – Experimentação; A experimentação consistirá em fazerem tentativas de organização dos números para que somem os resultados iguais. 4 – Discussão coletiva: Todas as hipóteses que os alunos levantarem devem ser colocadas no momento da discussão coletiva. 5- Registro: No registro devem constar as hipóteses, as tentativas e as conclusões que os alunos chegaram.
  • 12. Atividade 9: Quantos são os porcos e quantos são os pintinhos? 1 - Apresentação do problema: Em um quintal há 12 animais entre porcos e pintinhos e um total de 34 pés. Quantos são os porcos e quantos são os pintinhos. Objetivos: Desenvolver a habilidade de organização de dados, interpretação de texto, estratégias para resolver problemas e raciocínio lógico. Materiais: Kit de porquinhos e pintinhos em EVA. 2 – Levantamento de hipóteses: Qual dos animais vocês acham, tem mais no quintal? Como vocês podem descobrir? 3 – Experimentação; A experimentação consistirá, com os kits, montar animais e porquinhos. 4 – Discussão coletiva: Todas as hipóteses que os alunos levantarem devem ser colocadas no momento da discussão coletiva. 5- Registro: Registrar em forma de texto por grupo, quais foram os caminhos adotados pelo grupo para chegar à solução do problema.
  • 13. Atividade 10: Quando o caracol chegará? 1 - Apresentação do problema: Um caracol resolve subir uma escada de 10 degraus. Durante o dia, ele consegue subir três degraus, mas, durante a noite, escorrega dois degraus. Quantos dias e quantas noites ele vai demorar para chegar ao topo da escada? Objetivos: Desenvolver a habilidade de resolver situações por tentativas, utilizando o pensamento dedutivo e hipotético. Materiais: Uma escadinha de madeira de 10 degraus, um caracol de papel machê. 2 – Levantamento de hipóteses: Quantos dias o caracol vai gastar para subir toda a escada? Se o caracol não escorregar, quantos dias gastará? 3– Experimentação; A experimentação consistirá em tentativas sucessivas obedecendo ao comando do problema. 4– Discussão coletiva: Todas as hipóteses que os alunos levantarem devem ser colocadas no momento da discussão coletiva. 5- Registro: No registro deverá constar as hipóteses, as tentativas e as conclusões que os alunos chegaram.
  • 14. Referências Bibliográficas BRASIL/MEC. Parâmetros curriculares Nacionais: matemática. Brasília: Secretaria de Educação Fundamental, 1997. CARRAHER, Terezinha Nunes. Aprender pensando. Contribuições da psicologia cognitiva para a educação. Petrópolis: Vozes, 1999. KAMII, Constance. Desvendando a Aritmética: Implicações da Teoria de Piaget. Campinas: Papirus, 1995. _______________A criança e o número. Trad. Regina A. de Assis. Campinas: Papirus, 1990, 28a ed. GÁLVEZ, Grécia. A didática da matemática. In: PARRA, Cecília, et. al. Didática da Matemática: reflexões psicopedagógicas. Porto Alegre – RS: Artes Médicas, 1996. SOARES, Eduardo Sarquis. Matemática com o Sarquis. Livro 1. Belo Horizonte: Formato. _______________Matemática com o Sarquis. Livro 2. Belo Horizonte: Formato. SMOLE, Kátia Stocco. DINIZ, Maria Ignez. Ler, escrever e resolver problemas. Habilidades básicas para aprender matemática. Porto Alegre: Artmed, 2001. VIGOTSKY, L. S. A formação social da mente; o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes 1984. ________________Pensamento e linguagem. São Paulo: Livraria Martins Fontes, 1989.