SlideShare uma empresa Scribd logo
FILOSOFIA 11.º ano
FILOSOFIA 11.º ano
Luís Rodrigues
O aperfeiçoamento humano
O que somos e o que
poderemos ser
A humanidade que somos e a que poderemos ser
Fazer com que invisuais vejam, paraplégicos andem e pessoas com
senilidade recuperem a memória serão algumas das conquistas
científicas possíveis nos próximos anos e envolvem campos como a
genética, a neurociência e a engenharia. Por enquanto, o objetivo é a
terapia: permitir que pessoas com deficiências ou doenças
degenerativas possam ter uma vida semelhante à de pessoas sem esses
problemas, ou seja, recuperar as suas funcionalidades.
O aperfeiçoamento humano
FILOSOFIA 11.º ano
A humanidade que somos e a que poderemos ser
«Mas o que acontecerá quando essas tecnologias forem usadas
para aperfeiçoamento: ampliar o “padrão” humano, fazendo-nos mais
fortes, rápidos e inteligentes? Que desafios éticos esperam a
humanidade quando for possível programar filhos aptos a se tornarem
superatletas ou génios? O futuro trans-humano será bom ou mau?»
O aperfeiçoamento humano
FILOSOFIA 11.º ano
A humanidade que somos e a que poderemos ser
Mais fortes e velozes
Os atletas tentam superar-se todos os dias e, quando um milésimo de
segundo pode fazer a diferença, alguns recorrem ao doping com o objetivo de
melhorar o seu desempenho. É tanto assim que, desde 1999, existe uma
organização, a Agência Mundial Antidoping, que tenta controlar o uso dessa
substância.
Com o aperfeiçoamento genético, o uso de drogas pode não ser o único
desafio/problema desta agência. Se houver uma alteração no ADN para que o
atleta seja mais rápido e/ou musculado, os testes de doping não a detetarão.
Começariam, assim, a «desenhar-se» atletas com as caraterísticas apropriadas a
cada modalidade. Mas a criação desse ser modificado poderia trazer problemas,
como o desenvolvimento de cancro, por exemplo.
O aperfeiçoamento humano
FILOSOFIA 11.º ano
«Para combater essa nova forma de doping, a AMA aposta no passaporte
genético. Este seria similar ao passaporte bioquímico que está a ser
implementado atualmente – um perfil específico para o desportista, com vários
marcadores bioquímicos, como o nível de enzimas e hormonas. O passaporte
permite identificar o uso de doping de maneira indireta, pelo seu efeito nesses
marcadores, mesmo que a substância em si não seja detetada. “No caso da
versão genética, poder-se-iam detetar mutações ou sequências de ADN que não
constavam do passaporte do atleta”, explica o médico.»
Que perspetivas temos então para o futuro? Serão estes «superatletas»
banidos de competições oficiais? Haverá um evento em que só eles
participarão, uma espécie de Jogos Superolímpicos?
O aperfeiçoamento humano
FILOSOFIA 11.º ano
A humanidade que somos e a que poderemos ser
Mais fortes e velozes
A humanidade que somos e a que poderemos ser
Mais inteligentes e concentrados
Quem não usou já algum tipo de substância com o objetivo de
melhorar as capacidades cognitivas? O café, por exemplo, para se
manter acordado! No entanto, nos últimos anos, novas modalidades de
melhoramento cognitivo surgiram, como o consumo de drogas que não
foram desenvolvidas com esse objetivo.
«O modafinil é usado para tratar narcolepsia, mas parece ter efeitos
positivos na memória e no estado de alerta. Por sua vez, o
metilfenidato, criado para o tratamento do transtorno do défice de
atenção e da hiperatividade, parece aumentar a concentração em
indivíduos que não sofrem desse mal.»
O aperfeiçoamento humano
FILOSOFIA 11.º ano
«Um dos principais problemas éticos associados a esse tipo de
aperfeiçoamento é que ele ampliaria a desigualdade social, criando
uma elite superinteligente, rica e poderosa, além de polarizar a
sociedade entre os mais e menos aptos.»
O aperfeiçoamento humano
FILOSOFIA 11.º ano
A humanidade que somos e a que poderemos ser
Mais inteligentes e concentrados
A humanidade que somos e a que poderemos ser
Mais inteligentes e concentrados
O filósofo sueco Nick Bostrom, diretor do Instituto do Futuro da Humanidade da Universidade de Oxford, emInglaterra, e a filósofa inglesa Rebecca
Roache, do mesmo instituto, apresentam argumentos contra essa visão:
Na sua perspetiva, a tendência é que as formas de aperfeiçoamento fiquem mais baratas com o tempo, tornando-se acessíveis a todos. Os autores
sublinham que já vivemos numa sociedade polarizada em diversos grupos, altos e baixos, homens e mulheres, doentes e sadios, escolarizados e analfabetos,
mas que não costumam entrar em conflito. Segundo Bostrom, famílias ricas concedem mais oportunidades aos seus filhos, que se traduzem em maior
riqueza material mais tarde. «Caso considere essas desigualdades inadmissíveis, a sociedade, em vez de banir a inovação tecnológica, pode lançar mão de
outros recursos, como taxar mediante impostos determinados melhoramentos ou a sua subvenção pelo sistema público de saúde», sugere.
O aperfeiçoamento humano
FILOSOFIA 11.º ano
A humanidade que somos e a que poderemos ser
Trans-humanistas ou eugenistas?
Os trans-humanistas defendem que o ser humano, tal como é hoje
em dia, não é o fim do seu desenvolvimento, mas uma fase ainda
precoce. Acreditam no melhoramento físico e cognitivo dos humanos.
O aperfeiçoamento humano
FILOSOFIA 11.º ano
A humanidade que somos e a que poderemos ser
Trans-humanistas ou eugenistas?
Por outro lado, os bioconservadores continuam a alertar para os perigos que as novas tecnologias trarão para a sociedade.
«Uma das principais críticas é que o trans-humanismo, na verdade, defende uma nova versão da eugenia, movimento da
primeira metade do século XX que procurava a melhoria da espécie humana mediante a promoção da procriação de
indivíduos considerados “aptos” e dificultando a de pessoas não dotadas de qualidades “positivas”, como portadores de
deficiências físicas e mentais, homossexuais e certas etnias, entre outros.»
«Os métodos de prevenção da reprodução incluíam esterilização obrigatória, abortos forçados, segregação racial, eutanásia
e extermínio em massa, o que culminou com o genocídio de milhões de judeus e ciganos na Alemanha nazi.»
O aperfeiçoamento humano
FILOSOFIA 11.º ano
Os trans-humanistas não aceitam esta crítica. Afirmam que o trans-
humanismo defende os princípios da autonomia do corpo e da
liberdade procriativa. Ou seja, ninguém deve ser forçado a usar
qualquer tipo de tecnologia. Defendem que o deverão fazer para, por
exemplo evitar que se nasça com doenças como, por exemplo, a fibrose
cística. Assim, as crianças poderiam ter uma vida mais saudável e feliz.
Ou até ir mais longe e sentir-se na obrigação moral de «tomar
precauções» para garantir essa vida mais saudável e feliz da criança,
manipulando, se for preciso, os genes dos embriões.
O aperfeiçoamento humano
FILOSOFIA 11.º ano
A humanidade que somos e a que poderemos ser
Trans-humanistas ou eugenistas?
A humanidade que somos e a que poderemos ser
Tipos de humanidade
Bostrom, um dos fundadores da Associação Trans-humanista, pensa que
«Preservar a “humanidade” em vez de cultivar a “humanitariedade” significa
idolatrar tanto o que temos de mau quanto o que temos de bom.»
O neurocientista sueco Anders Sandberg pensa que a mudança da
humanidade e a sua evolução em direção a um ser pós-humano não é um
problema, assim como não foi a dos nossos ancestrais símios que passaram a
humanos. «Tornaram-se pós-símios e puderam experimentar e realizar coisas
como a linguagem, a música e a filosofia. Mas os pós-humanos compartilharão
muitas caraterísticas connosco, assim como temos com os símios. Se nos
aperfeiçoarmos de maneira cuidadosa, manteremos as boas partes humanas e
ganharemos novas habilidades», defende.
O aperfeiçoamento humano
FILOSOFIA 11.º ano

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a O que somos e o que poderemos ser

Mídia e comportamento
Mídia e comportamento Mídia e comportamento
Mídia e comportamento
Rodrigo Abrantes
 
Dependencia Tecnologica
Dependencia TecnologicaDependencia Tecnologica
Dependencia Tecnologica
Correios
 
A arte perdida de cuidar
A arte perdida de cuidar A arte perdida de cuidar
A arte perdida de cuidar
Isadora Cavenago Fillus
 
Bioética
BioéticaBioética
Bioética
mluisavalente
 
Bioética
BioéticaBioética
Bioética
mluisavalente
 
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CONQUISTA DA IMORTALIDADE DOS SERES HUMANOS...
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CONQUISTA DA IMORTALIDADE DOS SERES HUMANOS...COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CONQUISTA DA IMORTALIDADE DOS SERES HUMANOS...
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CONQUISTA DA IMORTALIDADE DOS SERES HUMANOS...
Faga1939
 
Trabalho Bioetica e Manipulação Genetica. filosofia
Trabalho Bioetica e Manipulação Genetica. filosofiaTrabalho Bioetica e Manipulação Genetica. filosofia
Trabalho Bioetica e Manipulação Genetica. filosofia
João Bastos
 
Adolescência e Psicologia
Adolescência e PsicologiaAdolescência e Psicologia
Adolescência e Psicologia
Aline Stechitti
 
Lipoaspiração slide
Lipoaspiração  slideLipoaspiração  slide
Lipoaspiração slide
Christina Darrieux Pacheco
 
Trabalho filosofia sobre a clonagem[1]
Trabalho filosofia sobre a clonagem[1]Trabalho filosofia sobre a clonagem[1]
Trabalho filosofia sobre a clonagem[1]
Digitalves
 
Revista direito v.1 n.1, 2015 (3)
Revista direito v.1 n.1, 2015 (3)Revista direito v.1 n.1, 2015 (3)
Revista direito v.1 n.1, 2015 (3)
RosimeireAyer
 
Apresentacao de ponta grossa
Apresentacao de ponta grossaApresentacao de ponta grossa
Apresentacao de ponta grossa
Priscila Alves
 
Preconceito
PreconceitoPreconceito
Preconceito
ProfFernandaBraga
 
Artigo racismo sexismo e eugenia
Artigo racismo sexismo e eugeniaArtigo racismo sexismo e eugenia
Artigo racismo sexismo e eugenia
População Negra e Saúde
 
Neurociencias (4)
Neurociencias (4)Neurociencias (4)
Neurociencias (4)
Jeane Araujo
 
Ciência, tecnologia e bioética.pdf
Ciência, tecnologia e bioética.pdfCiência, tecnologia e bioética.pdf
Ciência, tecnologia e bioética.pdf
PatrciaDeOliveirados
 
3-genoma-humano-e-manipulac3a7c3a3o-genetica-em-humanos1.ppt
3-genoma-humano-e-manipulac3a7c3a3o-genetica-em-humanos1.ppt3-genoma-humano-e-manipulac3a7c3a3o-genetica-em-humanos1.ppt
3-genoma-humano-e-manipulac3a7c3a3o-genetica-em-humanos1.ppt
JuliocesarRodrigues34
 
Profissionais da área de saúde e as entidades de atendimento médico hospitala...
Profissionais da área de saúde e as entidades de atendimento médico hospitala...Profissionais da área de saúde e as entidades de atendimento médico hospitala...
Profissionais da área de saúde e as entidades de atendimento médico hospitala...
Sérgio Henrique da Silva Pereira
 
Aborto 2010 - Abordagem jurídica
Aborto 2010 - Abordagem jurídicaAborto 2010 - Abordagem jurídica
Aborto 2010 - Abordagem jurídica
Seminario de Bioetica
 
O homem em busca da imortalidade
O homem em busca da imortalidadeO homem em busca da imortalidade
O homem em busca da imortalidade
Fernando Alcoforado
 

Semelhante a O que somos e o que poderemos ser (20)

Mídia e comportamento
Mídia e comportamento Mídia e comportamento
Mídia e comportamento
 
Dependencia Tecnologica
Dependencia TecnologicaDependencia Tecnologica
Dependencia Tecnologica
 
A arte perdida de cuidar
A arte perdida de cuidar A arte perdida de cuidar
A arte perdida de cuidar
 
Bioética
BioéticaBioética
Bioética
 
Bioética
BioéticaBioética
Bioética
 
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CONQUISTA DA IMORTALIDADE DOS SERES HUMANOS...
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CONQUISTA DA IMORTALIDADE DOS SERES HUMANOS...COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CONQUISTA DA IMORTALIDADE DOS SERES HUMANOS...
COMO TORNAR REALIDADE A UTOPIA DA CONQUISTA DA IMORTALIDADE DOS SERES HUMANOS...
 
Trabalho Bioetica e Manipulação Genetica. filosofia
Trabalho Bioetica e Manipulação Genetica. filosofiaTrabalho Bioetica e Manipulação Genetica. filosofia
Trabalho Bioetica e Manipulação Genetica. filosofia
 
Adolescência e Psicologia
Adolescência e PsicologiaAdolescência e Psicologia
Adolescência e Psicologia
 
Lipoaspiração slide
Lipoaspiração  slideLipoaspiração  slide
Lipoaspiração slide
 
Trabalho filosofia sobre a clonagem[1]
Trabalho filosofia sobre a clonagem[1]Trabalho filosofia sobre a clonagem[1]
Trabalho filosofia sobre a clonagem[1]
 
Revista direito v.1 n.1, 2015 (3)
Revista direito v.1 n.1, 2015 (3)Revista direito v.1 n.1, 2015 (3)
Revista direito v.1 n.1, 2015 (3)
 
Apresentacao de ponta grossa
Apresentacao de ponta grossaApresentacao de ponta grossa
Apresentacao de ponta grossa
 
Preconceito
PreconceitoPreconceito
Preconceito
 
Artigo racismo sexismo e eugenia
Artigo racismo sexismo e eugeniaArtigo racismo sexismo e eugenia
Artigo racismo sexismo e eugenia
 
Neurociencias (4)
Neurociencias (4)Neurociencias (4)
Neurociencias (4)
 
Ciência, tecnologia e bioética.pdf
Ciência, tecnologia e bioética.pdfCiência, tecnologia e bioética.pdf
Ciência, tecnologia e bioética.pdf
 
3-genoma-humano-e-manipulac3a7c3a3o-genetica-em-humanos1.ppt
3-genoma-humano-e-manipulac3a7c3a3o-genetica-em-humanos1.ppt3-genoma-humano-e-manipulac3a7c3a3o-genetica-em-humanos1.ppt
3-genoma-humano-e-manipulac3a7c3a3o-genetica-em-humanos1.ppt
 
Profissionais da área de saúde e as entidades de atendimento médico hospitala...
Profissionais da área de saúde e as entidades de atendimento médico hospitala...Profissionais da área de saúde e as entidades de atendimento médico hospitala...
Profissionais da área de saúde e as entidades de atendimento médico hospitala...
 
Aborto 2010 - Abordagem jurídica
Aborto 2010 - Abordagem jurídicaAborto 2010 - Abordagem jurídica
Aborto 2010 - Abordagem jurídica
 
O homem em busca da imortalidade
O homem em busca da imortalidadeO homem em busca da imortalidade
O homem em busca da imortalidade
 

Mais de Luis De Sousa Rodrigues

O essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofiaO essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofia
Luis De Sousa Rodrigues
 
Unidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebroUnidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebro
Luis De Sousa Rodrigues
 
Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Tipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagemTipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagem
Luis De Sousa Rodrigues
 
Teorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoçõesTeorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoções
Luis De Sousa Rodrigues
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
Luis De Sousa Rodrigues
 
Raízes da vinculação
Raízes da vinculaçãoRaízes da vinculação
Raízes da vinculação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Processos conativos
Processos conativosProcessos conativos
Processos conativos
Luis De Sousa Rodrigues
 
Perturbações da vinculação
Perturbações da vinculaçãoPerturbações da vinculação
Perturbações da vinculação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Perceção e gestalt
Perceção e gestaltPerceção e gestalt
Perceção e gestalt
Luis De Sousa Rodrigues
 
Os processos emocionais
Os processos emocionaisOs processos emocionais
Os processos emocionais
Luis De Sousa Rodrigues
 
Os grupos
Os gruposOs grupos
O sistema nervoso
O sistema nervosoO sistema nervoso
O sistema nervoso
Luis De Sousa Rodrigues
 
O que nos torna humanos
O que nos torna humanosO que nos torna humanos
O que nos torna humanos
Luis De Sousa Rodrigues
 
Maslow e a motivação
Maslow e a motivaçãoMaslow e a motivação
Maslow e a motivação
Luis De Sousa Rodrigues
 
Lateralidade cerebral
Lateralidade cerebralLateralidade cerebral
Lateralidade cerebral
Luis De Sousa Rodrigues
 
Freud 9
Freud 9Freud 9
Freud 8
Freud 8Freud 8
Freud 7
Freud 7Freud 7
Freud 6
Freud 6Freud 6

Mais de Luis De Sousa Rodrigues (20)

O essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofiaO essencial para os exames de filosofia
O essencial para os exames de filosofia
 
Unidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebroUnidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebro
 
Tipos de vinculação
Tipos de vinculaçãoTipos de vinculação
Tipos de vinculação
 
Tipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagemTipos de aprendizagem
Tipos de aprendizagem
 
Teorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoçõesTeorias sobre as emoções
Teorias sobre as emoções
 
Relações precoces
Relações precocesRelações precoces
Relações precoces
 
Raízes da vinculação
Raízes da vinculaçãoRaízes da vinculação
Raízes da vinculação
 
Processos conativos
Processos conativosProcessos conativos
Processos conativos
 
Perturbações da vinculação
Perturbações da vinculaçãoPerturbações da vinculação
Perturbações da vinculação
 
Perceção e gestalt
Perceção e gestaltPerceção e gestalt
Perceção e gestalt
 
Os processos emocionais
Os processos emocionaisOs processos emocionais
Os processos emocionais
 
Os grupos
Os gruposOs grupos
Os grupos
 
O sistema nervoso
O sistema nervosoO sistema nervoso
O sistema nervoso
 
O que nos torna humanos
O que nos torna humanosO que nos torna humanos
O que nos torna humanos
 
Maslow e a motivação
Maslow e a motivaçãoMaslow e a motivação
Maslow e a motivação
 
Lateralidade cerebral
Lateralidade cerebralLateralidade cerebral
Lateralidade cerebral
 
Freud 9
Freud 9Freud 9
Freud 9
 
Freud 8
Freud 8Freud 8
Freud 8
 
Freud 7
Freud 7Freud 7
Freud 7
 
Freud 6
Freud 6Freud 6
Freud 6
 

O que somos e o que poderemos ser

  • 1. FILOSOFIA 11.º ano FILOSOFIA 11.º ano Luís Rodrigues O aperfeiçoamento humano O que somos e o que poderemos ser
  • 2. A humanidade que somos e a que poderemos ser Fazer com que invisuais vejam, paraplégicos andem e pessoas com senilidade recuperem a memória serão algumas das conquistas científicas possíveis nos próximos anos e envolvem campos como a genética, a neurociência e a engenharia. Por enquanto, o objetivo é a terapia: permitir que pessoas com deficiências ou doenças degenerativas possam ter uma vida semelhante à de pessoas sem esses problemas, ou seja, recuperar as suas funcionalidades. O aperfeiçoamento humano FILOSOFIA 11.º ano
  • 3. A humanidade que somos e a que poderemos ser «Mas o que acontecerá quando essas tecnologias forem usadas para aperfeiçoamento: ampliar o “padrão” humano, fazendo-nos mais fortes, rápidos e inteligentes? Que desafios éticos esperam a humanidade quando for possível programar filhos aptos a se tornarem superatletas ou génios? O futuro trans-humano será bom ou mau?» O aperfeiçoamento humano FILOSOFIA 11.º ano
  • 4. A humanidade que somos e a que poderemos ser Mais fortes e velozes Os atletas tentam superar-se todos os dias e, quando um milésimo de segundo pode fazer a diferença, alguns recorrem ao doping com o objetivo de melhorar o seu desempenho. É tanto assim que, desde 1999, existe uma organização, a Agência Mundial Antidoping, que tenta controlar o uso dessa substância. Com o aperfeiçoamento genético, o uso de drogas pode não ser o único desafio/problema desta agência. Se houver uma alteração no ADN para que o atleta seja mais rápido e/ou musculado, os testes de doping não a detetarão. Começariam, assim, a «desenhar-se» atletas com as caraterísticas apropriadas a cada modalidade. Mas a criação desse ser modificado poderia trazer problemas, como o desenvolvimento de cancro, por exemplo. O aperfeiçoamento humano FILOSOFIA 11.º ano
  • 5. «Para combater essa nova forma de doping, a AMA aposta no passaporte genético. Este seria similar ao passaporte bioquímico que está a ser implementado atualmente – um perfil específico para o desportista, com vários marcadores bioquímicos, como o nível de enzimas e hormonas. O passaporte permite identificar o uso de doping de maneira indireta, pelo seu efeito nesses marcadores, mesmo que a substância em si não seja detetada. “No caso da versão genética, poder-se-iam detetar mutações ou sequências de ADN que não constavam do passaporte do atleta”, explica o médico.» Que perspetivas temos então para o futuro? Serão estes «superatletas» banidos de competições oficiais? Haverá um evento em que só eles participarão, uma espécie de Jogos Superolímpicos? O aperfeiçoamento humano FILOSOFIA 11.º ano A humanidade que somos e a que poderemos ser Mais fortes e velozes
  • 6. A humanidade que somos e a que poderemos ser Mais inteligentes e concentrados Quem não usou já algum tipo de substância com o objetivo de melhorar as capacidades cognitivas? O café, por exemplo, para se manter acordado! No entanto, nos últimos anos, novas modalidades de melhoramento cognitivo surgiram, como o consumo de drogas que não foram desenvolvidas com esse objetivo. «O modafinil é usado para tratar narcolepsia, mas parece ter efeitos positivos na memória e no estado de alerta. Por sua vez, o metilfenidato, criado para o tratamento do transtorno do défice de atenção e da hiperatividade, parece aumentar a concentração em indivíduos que não sofrem desse mal.» O aperfeiçoamento humano FILOSOFIA 11.º ano
  • 7. «Um dos principais problemas éticos associados a esse tipo de aperfeiçoamento é que ele ampliaria a desigualdade social, criando uma elite superinteligente, rica e poderosa, além de polarizar a sociedade entre os mais e menos aptos.» O aperfeiçoamento humano FILOSOFIA 11.º ano A humanidade que somos e a que poderemos ser Mais inteligentes e concentrados
  • 8. A humanidade que somos e a que poderemos ser Mais inteligentes e concentrados O filósofo sueco Nick Bostrom, diretor do Instituto do Futuro da Humanidade da Universidade de Oxford, emInglaterra, e a filósofa inglesa Rebecca Roache, do mesmo instituto, apresentam argumentos contra essa visão: Na sua perspetiva, a tendência é que as formas de aperfeiçoamento fiquem mais baratas com o tempo, tornando-se acessíveis a todos. Os autores sublinham que já vivemos numa sociedade polarizada em diversos grupos, altos e baixos, homens e mulheres, doentes e sadios, escolarizados e analfabetos, mas que não costumam entrar em conflito. Segundo Bostrom, famílias ricas concedem mais oportunidades aos seus filhos, que se traduzem em maior riqueza material mais tarde. «Caso considere essas desigualdades inadmissíveis, a sociedade, em vez de banir a inovação tecnológica, pode lançar mão de outros recursos, como taxar mediante impostos determinados melhoramentos ou a sua subvenção pelo sistema público de saúde», sugere. O aperfeiçoamento humano FILOSOFIA 11.º ano
  • 9. A humanidade que somos e a que poderemos ser Trans-humanistas ou eugenistas? Os trans-humanistas defendem que o ser humano, tal como é hoje em dia, não é o fim do seu desenvolvimento, mas uma fase ainda precoce. Acreditam no melhoramento físico e cognitivo dos humanos. O aperfeiçoamento humano FILOSOFIA 11.º ano
  • 10. A humanidade que somos e a que poderemos ser Trans-humanistas ou eugenistas? Por outro lado, os bioconservadores continuam a alertar para os perigos que as novas tecnologias trarão para a sociedade. «Uma das principais críticas é que o trans-humanismo, na verdade, defende uma nova versão da eugenia, movimento da primeira metade do século XX que procurava a melhoria da espécie humana mediante a promoção da procriação de indivíduos considerados “aptos” e dificultando a de pessoas não dotadas de qualidades “positivas”, como portadores de deficiências físicas e mentais, homossexuais e certas etnias, entre outros.» «Os métodos de prevenção da reprodução incluíam esterilização obrigatória, abortos forçados, segregação racial, eutanásia e extermínio em massa, o que culminou com o genocídio de milhões de judeus e ciganos na Alemanha nazi.» O aperfeiçoamento humano FILOSOFIA 11.º ano
  • 11. Os trans-humanistas não aceitam esta crítica. Afirmam que o trans- humanismo defende os princípios da autonomia do corpo e da liberdade procriativa. Ou seja, ninguém deve ser forçado a usar qualquer tipo de tecnologia. Defendem que o deverão fazer para, por exemplo evitar que se nasça com doenças como, por exemplo, a fibrose cística. Assim, as crianças poderiam ter uma vida mais saudável e feliz. Ou até ir mais longe e sentir-se na obrigação moral de «tomar precauções» para garantir essa vida mais saudável e feliz da criança, manipulando, se for preciso, os genes dos embriões. O aperfeiçoamento humano FILOSOFIA 11.º ano A humanidade que somos e a que poderemos ser Trans-humanistas ou eugenistas?
  • 12. A humanidade que somos e a que poderemos ser Tipos de humanidade Bostrom, um dos fundadores da Associação Trans-humanista, pensa que «Preservar a “humanidade” em vez de cultivar a “humanitariedade” significa idolatrar tanto o que temos de mau quanto o que temos de bom.» O neurocientista sueco Anders Sandberg pensa que a mudança da humanidade e a sua evolução em direção a um ser pós-humano não é um problema, assim como não foi a dos nossos ancestrais símios que passaram a humanos. «Tornaram-se pós-símios e puderam experimentar e realizar coisas como a linguagem, a música e a filosofia. Mas os pós-humanos compartilharão muitas caraterísticas connosco, assim como temos com os símios. Se nos aperfeiçoarmos de maneira cuidadosa, manteremos as boas partes humanas e ganharemos novas habilidades», defende. O aperfeiçoamento humano FILOSOFIA 11.º ano