SlideShare uma empresa Scribd logo
O NAZISMO
• Entre 1918 e 1938, o mundo viveu um período
  chamado “entreguerras”: vinte anos que
  separaram as duas grandes guerras mundiais.
  Com o fim da Primeira Guerra, em 1918, a
  Alemanha, derrotada, encontrava-se em uma
  profunda crise. Para sair da guerra e manter o
  que restou de seu exército, assinou um
  acordo de paz chamado “Tratado de
  Versalhes”.
• Esse tratado, além de responsabilizar a
  Alemanha pela Primeira Guerra, proibia o país
  de fabricar armas, tanques e aviões; obrigava
  a devolução de territórios conquistados e a
  redução do exército alemão, além de exigir o
  pagamento de uma indenização aos países
  vitoriosos, pelos danos de guerra.
Missa na Alemanha:
• Essas imposições criaram na Alemanha um
  clima de revanchismo, revolta, por parte da
  população que estava se sentindo humilhada.
  No final da guerra, Imperador Guilherme II
  renunciou e começou na Alemanha a
  “República de Weimar”.
• Na economia interna alemã vemos uma
  grande inflação: o marco extremamente
  desvalorizado, com uma emissão de moeda
  desgovernada. Socialmente, surgem
  subversões: os ex-combatentes, insatisfeitos
  por terem lutado, perdido e, ainda, estarem
  pagando a dívida, têm uma tendência à rigidez
  militar, luta armada, ou seja, à ditadura.
• Surge também uma classe de enriquecidos,
  que se aproveitou da guerra, e de
  empobrecidos, que emprestou dinheiro ao
  Estado e não recebeu de volta. Existe um
  sistema democrático (a República de Weimar),
  mas existe uma grande pobreza, campo fértil
  para o totalitarismo.
• A situação econômica piora ainda mais quando o
  marco alemão desaba; a moeda alemã só consegue
  se estabilizar em novembro de 1923, quando sua
  cotação atinge 4,6 bilhões de marcos para US$ 1. A
  hiperinflação tem efeito devastador sobre a
  economia, desorganizando a produção e o comércio.
  Em 1931, há mais de 06 milhões de desempregados,
  quase 30 mil falências e a produção cai em todos os
  setores.
• De 1919 até 1929, a chamada República de Weimar
  enfrentou enormes dificuldades. Apesar das
  reformas trabalhistas que limitavam o tempo de
  trabalho a oito horas e de um conselho de patrões e
  empregados criado para orientar a política
  econômica do país, a miséria e a fome
A República de Weimar:
• abatiam-se sobre a Alemanha em
  consequência da contínua desvalorização
  monetária, provocada por necessidade de
  pagar as prestações de guerra aos aliados
  franceses tornou a situação ainda mais crítica.
  Em 1923, a inflação era galopante.
• Nesse contexto de crise, os milhões de
  desempregados, bem como muitos
  integrantes dos grupos dominantes, passaram
  a acreditar nas promessas de Hitler de
  transformar a Alemanha num país rico e
  poderoso.
• Os alemães viam em Hitler uma salvação para
  a crise que o país enfrentava. Rapidamente o
  partido cresceu. Agricultores, jovens,
  soldados, em todas as classes, tornaram-se
  adeptos do novo partido. Mas quando, onde e
  como surgiu o Partido Nazista?
• Primeiro vamos aprender um pouco sobre a
  história de Adolf Hitler para depois falarmos
  de sua ascensão ao poder na Alemanha:
Adolf Hitler:
• Nasceu em 1889, na cidade austríaca de
  Braunau, na Áustria. Adolf Hitler era filho de
  Alois Hitler. Sua mãe, Klara Poezl Hitler, era
  prima de seu pai; e foi até a casa de Alois para
  cuidar da esposa dele que já estava muito
  doente e prestes a morrer. Depois de ficar
  viúvo, Alois decidiu casar-se com Klara.
• Para isso, teve que pedir permissão à Igreja
  Católica, que só liberou o casamento depois
  da gravidez de Klara. Do casamento de Alois e
  Klara nasceram dois filhos: Adolf e Paula.
  Durante os primeiros anos de sua juventude,
  Adolf era conhecido como um rapaz
  inteligente e mal-humorado. Na adolescência,
  foi duas vezes reprovado no exame de
  admissão da Escola de Linz.
Braunau:
Alois Hitler:
Klara Hitler:
Casa de Hitler em Braunau:
• Nesse mesmo período começou a formular
  suas primeiras idéias de caráter anti-semita,
  sendo fortemente influenciado pelo professor
  chamado Leopold Poetsch.
• A relação de Hitler com seus pais era bastante
  ambígua. À mãe dedicava extremo carinho e
  dedicação. Com o pai tinha uma relação
  conflituosa, marcada principalmente pela
  oposição que Alois fazia ao interesse de Adolf
  pelas artes e a arquitetura.
• Frustrado com o seu insucesso na sequência
  de seus estudos, Hitler mudou-se para Viena,
  aos 21 anos, vivendo de pequenos serviços.
  Vivendo em condições precárias, mudou-se
  para Munique quando tinha 25 anos de idade.
Hitler quando estava no exército:
• Com a explosão da Primeira Guerra Mundial,
  decidiu se alistar voluntariamente no Exército
  Alemão, incorporando o 16º Regimento de
  Infantaria Bávaro.
• Lutando bravamente nos campos de batalha,
  conquistou condecorações por bravura
  durante sua atuação militar e recomendações
  de um superior de origem judaica.
• Em 1919, depois de presenciar a derrota
  militar alemã, filiou-se a um pequeno grupo
  político chamado Partido Trabalhista Alemão.
• Em meio às dificuldades que o povo alemão
  enfrentava, esse partido discutia soluções
  extremas mediante os problemas da
  Alemanha. Entre outros pontos, pregavam a
  extinção dos tratados da Primeira Guerra, a
  exclusão sócio-econômica da população
  judaica, melhorias no campo econômico e a
  igualdade de direitos políticos.
• Utilizando seus grandes dotes oratórios, Hitler
  começou a angariar a adesão de novos
  partidários e propôs a mudança do partido
  para o nome de Partido Nacional-Socialista
  dos Trabalhadores Alemães.
• A renovação do nome acompanhou a criação
  de uma nova simbologia ao partido (uma
  bandeira vermelha com uma cruz gamada) e a
  incorporação de milícias comprometidas a
  defender o ideal do partido. As chamadas
  Seções de Assalto (SA) eram incumbidas de
  perturbar as reuniões de grupos marxistas,
  estrangeiros e comunistas.
• A Figura acima é o símbolo do Nazismo:
• A Cruz Suástica - O uso da suástica era
  associado pelos teóricos nazistas à sua
  hipótese da descendência cultural ariana dos
  alemães. É um símbolo utilizado por muitos
  povos antigos e com vários significados
  diferentes.
• Após a organização do Partido Nacional-
  Socialista dos Trabalhadores Alemães
  (Nazista), Hitler percorreu a Alemanha para
  divulgá-lo e conseguir mais adeptos. As
  reuniões do partido eram feitas com alguns
  rituais, como numerosas paradas, ataques
  violentos aos socialistas, além dos uniformes.
• Foi fundado também um jornal partidário.
  Vários adeptos foram recrutados entre
  desempregados. Alguns intelectuais também
  se filiaram.
• Com a crise de 1923, Hitler organizou uma
  manifestação militar para tomar o poder.
  Numa concentração em Munique, avisou que
  uma revolução nacional começara; mas o
  povo não o seguiu.
• Após um conflito com a polícia, Hitler foi
  preso e o Partido Nazista começou um
  declínio contínuo, até que, em 1929, havia
  menos de 120.000 membros. Ele foi
  condenado a cinco anos de prisão, dos quais
  só cumpriu oito meses. Nesse meio tempo,
  escreveu as primeiras linhas de sua obra (um
  misto de autobiografia e manifesto político)
  chamada “Mein Kampf” (Minha Luta).
O Putsch (Golpe) de Munique:
• Quando foi solto, resolveu refazer as diretrizes
  de seu partido incorporando ideias do
  fascismo, noções de disciplina rígida e a
  formação de grupos paramilitares. Adotando
  uma teoria de racista, Hitler dizia que o povo
  alemão era descendente da raça ariana,
  destinada a construir de uma nação forte e
  próspera.
• Para isso deveriam proibir a diversidade étnica
  em seu território, porque senão perderiam
  suas forças produtivas para raças
  descomprometidas com os arianos.
• As eleições presidenciais de 1925 foram vencidas
  pelo Marechal Von Hindenburg que, com a ajuda do
  capital estrangeiro, especialmente norte-americano,
  conseguiu com que a economia do país voltasse a
  crescer lentamente. Esse crescimento, porém, durou
  só até 1929.
• De 1930 em diante, porém, os capitalistas
  estrangeiros começaram a retirar seus
  empréstimos. A inflação recomeçou e a crise
  econômica também. A produção do país
  entrou em declínio. A miséria da população
  permitiu a ascensão política do Partido
  Nazista, bem como do partido Comunista. Nas
  eleições de 1930, essa tendência se
  manifestou claramente.
• Os nazistas elegeram 107 deputados e os
  comunistas 77, em detrimento dos partidos
  liberais. Em 1932, terminava o período
  presidencial de Hindenburg; ele se candidatou
  novamente, tendo Hitler como adversário.
  Foram necessárias duas eleições para decidir
  o pleito. Hitler perdeu, mas obteve um grande
  número de votos.
• Assim, nas eleições parlamentares de 1932, o Partido
  Nazista conseguiu obter 38% dos votos (230
  deputados), mais do que qualquer outro partido.

• Aproveitando-se disso, os nazistas passaram a
  pressionar o presidente e este concedeu a Hitler o
  cargo de chanceler (chefe do governo).
• Em 1933, não suportando as pressões da crise
  econômica alemã, o presidente convocou
  Hitler para ocupar o cargo de chanceler
  (Primeiro-Ministro). Em pouco tempo, Hitler
  conseguiu dar vários golpes políticos que lhe
  deram o controle absoluto da Alemanha.
O Reichstag: Parlamento Alemão
• No poder, Hitler conseguiu rapidamente que o
  Parlamento aprovasse uma lei que lhe
  permitia governar sem dar satisfação de seus
  atos a ninguém. Em seguida, com base nessa
  lei, ordenou a dissolução de todos os partidos,
  com exceção do Partido Nazista.
Paul Von Hindenburg:
• Em agosto de 1934, morreu Hindenburg e Hitler
  passou a ser o presidente da Alemanha, com o título
  de Führer (guia, condutor).

• Fortalecido, o Führer lançou mão de uma
  propaganda sedutora e de violência policial para
  implantar a mais cruel ditadura que a humanidade já
  conhecera.
Joseph Goebbles:
• A propaganda era dirigida por Joseph Goebbles,
  doutor em Humanidades e responsável pelo
  Ministério da Educação do Povo e da Propaganda.
  Esse órgão era encarregado de manter um rígido
  controle sobre os meios de comunicação, escolas e
  universidades e de produzir discursos, hinos,
  símbolos, saudações e palavras de ordem nazista.
Heinrich Himmler:
• Já a violência policial esteve sob o comando de
  Heinrich Himmler, um racista extremado que se
  utilizava da SS (tropas de elite), das SA (tropas de
  choque) e da Gestapo (polícia secreta de Estado)
  para prender, torturar e eliminar os inimigos do
  nazismo.
As SS (Tropa de Elite):
S.A. (Tropas de Choque):
Gestapo (polícia secreta de Estado)
• No plano econômico, o governo hitlerista
  estimulou o crescimento da agricultura, da
  indústria de base e, sobretudo, da indústria
  bélica. Com isso, o desemprego diminuiu, o
  regime ganhou novos adeptos e a Alemanha
  voltou a se equipar novamente, ignorando os
  termos do Tratado de Versalhes.
A Noite dos Longos punhais:
A NOITE DOS LONGOS PUNHAIS
Foi um episódio de conspiração, traição e morte
  nas entranhas do poder da Alemanha nazista.
  Numa mal sucedida resistência à liderança de
  Adolf Hitler, o capitão Ernst Röhm, seu antigo
  colaborador e comandante da Seção de
  Assalto - SA Sturmabteilung, braço militar do
  Partido Nazista, passou a defender
  publicamente a transformação da mesma em
  uma milícia independente, e com poderes
  para controlar o exército alemão.
• A reivindicação de Röhm alarmou os generais,
  que passaram a cobrar de Hitler uma resposta
  enérgica. O ex-colaborador não imaginava o
  seu destino, após cair em desgraça com o
  Führer. Alegando reação a uma rebelião no
  seio da SA, então com dois milhões e meio de
  soldados, Hitler livrou-se de maneira brutal
  dos seus traidores.
• Durante a madrugada, elementos da sua
  guarda pessoal, a SS - Schutzstaffel, invadiram
  o hotel em que Röhm se encontrava na
  companhia de outros líderes da SA.
  Surpreendidos, todos foram detidos e
  rapidamente fuzilados. A inquietação pública
  na capital foi evidente e deu margens aos
  mais aterradores boatos.
• Para conter a agitação, o governo reforçou a
  segurança nas ruas com a SS, e deu ordens
  extremas à imprensa que não noticiasse os
  fatos, sob risco de severa punição aos
  desobedientes. Oficialmente, o governo
  alegou que a SA preparara um golpe contra o
  Reich. Na realidade, porém, Hitler
  concretizava mais uma de suas estratégias de
  poder.
• Como um ano antes ele tinha liquidado a
  esquerda alemã, o massacre significou a
  eliminação dos seus últimos rivais. Sem
  contestação, Hitler era o líder supremo.
• A SS, força de elite ideológica e racial, passou
  a ter grande relevância na estrutura do poder,
  encarregada da segurança interna da
  Alemanha. O banho de sangue custou dezenas
  de vidas, muitas sem qualquer ligação com
  Röhm.
Ernst Röhm. :
A TEORIA DO ESPAÇO VITAL
• O objetivo dos nazistas era construir um império
  ariano, puro e forte, centralizado em torno de Hitler.
  O passo decisivo para esse projeto se tornar
  realidade seria a expansão territorial e a integração
  de todas as comunidades germânicas da Europa num
  "espaço vital" único. Além da própria Alemanha, isso
  incluiria a Áustria, a Tchecoslováquia, a Prússia
  (oeste da Polônia) e a Ucrânia.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fascismo e Nazismo
Fascismo e NazismoFascismo e Nazismo
Fascismo e Nazismo
Paulo Alexandre
 
Fascismo, nazismo e crise de 1929
Fascismo, nazismo e crise de 1929Fascismo, nazismo e crise de 1929
Fascismo, nazismo e crise de 1929kayquealmeida
 
Terceirão
TerceirãoTerceirão
Terceirão
rillaryalvesj
 
Alemanha do fim da 1 gm ao fim da 2 gm
Alemanha   do fim da 1 gm ao fim da 2 gmAlemanha   do fim da 1 gm ao fim da 2 gm
Alemanha do fim da 1 gm ao fim da 2 gmnclj
 
3.crise do capitalismo e regimes totalitários
3.crise do capitalismo e regimes totalitários3.crise do capitalismo e regimes totalitários
3.crise do capitalismo e regimes totalitáriosvaldeck1
 
Os regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºano
Os regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºanoOs regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºano
Os regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºano
HizqeelMajoka
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
Edenilson Morais
 
Crise de 29 e nazifascismo
Crise de 29 e nazifascismoCrise de 29 e nazifascismo
Crise de 29 e nazifascismoSENAI/SC
 
Guerra fria completo
Guerra fria completoGuerra fria completo
Guerra fria completo
Jose Luiz de Oliveira
 
História Geral: crise de 1929 e totalitarismo
História Geral: crise de 1929 e totalitarismoHistória Geral: crise de 1929 e totalitarismo
História Geral: crise de 1929 e totalitarismo
Rafael Lucas da Silva
 
Aula 21 2ª guerra mundial
Aula 21   2ª guerra mundialAula 21   2ª guerra mundial
Aula 21 2ª guerra mundial
Jonatas Carlos
 
20070510105623 regimes totalitarios
20070510105623 regimes totalitarios20070510105623 regimes totalitarios
20070510105623 regimes totalitarios
Alfredo Rocha
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Paulo Alexandre
 
Semestral século xix até nom
Semestral século xix até nomSemestral século xix até nom
Semestral século xix até nomCarlos Glufke
 
A Segunda Guerra MUndial
A Segunda Guerra MUndialA Segunda Guerra MUndial
A Segunda Guerra MUndial
Paulo Alexandre
 
2º ano - Primeira Guerra Mundial
2º ano - Primeira Guerra Mundial2º ano - Primeira Guerra Mundial
2º ano - Primeira Guerra Mundial
Daniel Alves Bronstrup
 
Fascismo, nazismo, segunda guerra mundial
Fascismo, nazismo, segunda guerra mundialFascismo, nazismo, segunda guerra mundial
Fascismo, nazismo, segunda guerra mundial
Lú Carvalho
 
A segunda guerra mundial início
A segunda guerra mundial inícioA segunda guerra mundial início
A segunda guerra mundial iníciohistoriando
 
Resumos de História - 3ºteste 12ºano
Resumos de História - 3ºteste 12ºanoResumos de História - 3ºteste 12ºano
Resumos de História - 3ºteste 12ºano
Maria Rebelo
 

Mais procurados (20)

Fascismo e Nazismo
Fascismo e NazismoFascismo e Nazismo
Fascismo e Nazismo
 
Fascismo, nazismo e crise de 1929
Fascismo, nazismo e crise de 1929Fascismo, nazismo e crise de 1929
Fascismo, nazismo e crise de 1929
 
Terceirão
TerceirãoTerceirão
Terceirão
 
Alemanha do fim da 1 gm ao fim da 2 gm
Alemanha   do fim da 1 gm ao fim da 2 gmAlemanha   do fim da 1 gm ao fim da 2 gm
Alemanha do fim da 1 gm ao fim da 2 gm
 
3.crise do capitalismo e regimes totalitários
3.crise do capitalismo e regimes totalitários3.crise do capitalismo e regimes totalitários
3.crise do capitalismo e regimes totalitários
 
Os regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºano
Os regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºanoOs regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºano
Os regimes fascista e nazi - Resumo - 9ºano
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
 
Crise de 29 e nazifascismo
Crise de 29 e nazifascismoCrise de 29 e nazifascismo
Crise de 29 e nazifascismo
 
Guerra fria completo
Guerra fria completoGuerra fria completo
Guerra fria completo
 
História Geral: crise de 1929 e totalitarismo
História Geral: crise de 1929 e totalitarismoHistória Geral: crise de 1929 e totalitarismo
História Geral: crise de 1929 e totalitarismo
 
Aula 21 2ª guerra mundial
Aula 21   2ª guerra mundialAula 21   2ª guerra mundial
Aula 21 2ª guerra mundial
 
20070510105623 regimes totalitarios
20070510105623 regimes totalitarios20070510105623 regimes totalitarios
20070510105623 regimes totalitarios
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Semestral século xix até nom
Semestral século xix até nomSemestral século xix até nom
Semestral século xix até nom
 
A Segunda Guerra MUndial
A Segunda Guerra MUndialA Segunda Guerra MUndial
A Segunda Guerra MUndial
 
2º ano - Primeira Guerra Mundial
2º ano - Primeira Guerra Mundial2º ano - Primeira Guerra Mundial
2º ano - Primeira Guerra Mundial
 
1 guerra mundial
1 guerra mundial1 guerra mundial
1 guerra mundial
 
Fascismo, nazismo, segunda guerra mundial
Fascismo, nazismo, segunda guerra mundialFascismo, nazismo, segunda guerra mundial
Fascismo, nazismo, segunda guerra mundial
 
A segunda guerra mundial início
A segunda guerra mundial inícioA segunda guerra mundial início
A segunda guerra mundial início
 
Resumos de História - 3ºteste 12ºano
Resumos de História - 3ºteste 12ºanoResumos de História - 3ºteste 12ºano
Resumos de História - 3ºteste 12ºano
 

Destaque

Enfermedad De MéNièRe
Enfermedad De MéNièReEnfermedad De MéNièRe
Enfermedad De MéNièRe
Carlos Aliaga
 
Rebe Y Luis Con Besos
Rebe Y Luis Con BesosRebe Y Luis Con Besos
Rebe Y Luis Con Besosluisyrebe
 
LUIS Y REBE 2
LUIS Y REBE 2LUIS Y REBE 2
LUIS Y REBE 2luisyrebe
 
Pulze Winter 2009 2010
Pulze Winter 2009 2010Pulze Winter 2009 2010
Pulze Winter 2009 2010Margo Malowney
 
US-Hospital
US-HospitalUS-Hospital

Destaque (7)

Enfermedad De MéNièRe
Enfermedad De MéNièReEnfermedad De MéNièRe
Enfermedad De MéNièRe
 
Rebe Y Luis Con Besos
Rebe Y Luis Con BesosRebe Y Luis Con Besos
Rebe Y Luis Con Besos
 
LUIS Y REBE 2
LUIS Y REBE 2LUIS Y REBE 2
LUIS Y REBE 2
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
 
NeumoníA
NeumoníANeumoníA
NeumoníA
 
Pulze Winter 2009 2010
Pulze Winter 2009 2010Pulze Winter 2009 2010
Pulze Winter 2009 2010
 
US-Hospital
US-HospitalUS-Hospital
US-Hospital
 

Semelhante a O nazismo 2012

Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.
Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.
Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
Nazismo - Prof. Altair Aguilar
Nazismo - Prof. Altair AguilarNazismo - Prof. Altair Aguilar
Nazismo - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Nazismo.pptx - aula sobre a ascensão da ideologia nazista e formação do partido
Nazismo.pptx - aula sobre a ascensão da ideologia nazista e formação do partidoNazismo.pptx - aula sobre a ascensão da ideologia nazista e formação do partido
Nazismo.pptx - aula sobre a ascensão da ideologia nazista e formação do partido
flaviasilva1010
 
Goncalo cunha hitlereonazismo
Goncalo cunha hitlereonazismoGoncalo cunha hitlereonazismo
Goncalo cunha hitlereonazismo
Ana Barreiros
 
Nazismo alemão
Nazismo alemãoNazismo alemão
Nazismo alemão
Luiz Costa Junior
 
Roteiro de Aula - Fascismo e Nazismo
Roteiro de Aula - Fascismo e NazismoRoteiro de Aula - Fascismo e Nazismo
Roteiro de Aula - Fascismo e Nazismojosafaslima
 
Nazismo
NazismoNazismo
Os regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europaOs regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europa
Nelia Salles Nantes
 
Estados totalitáriosnazismo ,facismo,getulismo
Estados totalitáriosnazismo ,facismo,getulismoEstados totalitáriosnazismo ,facismo,getulismo
Estados totalitáriosnazismo ,facismo,getulismo
Ricardo Diniz campos
 
Nazismo
NazismoNazismo
Segunda Guerra Mundial - Trabalho
Segunda Guerra Mundial - TrabalhoSegunda Guerra Mundial - Trabalho
Segunda Guerra Mundial - Trabalho
Ana Julia Siteneski
 
Os regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europaOs regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europa
Nelia Salles Nantes
 
Totalitarismo europeu.
Totalitarismo europeu.Totalitarismo europeu.
Totalitarismo europeu.
liveofwarrior
 
Totalitarismo europeu.
Totalitarismo europeu.Totalitarismo europeu.
Totalitarismo europeu.
liveofwarrior
 
3ºano slide - da crise à guerra
3ºano   slide - da crise à guerra3ºano   slide - da crise à guerra
3ºano slide - da crise à guerra
Daniel Alves Bronstrup
 

Semelhante a O nazismo 2012 (20)

Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.
Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.
Segunda Guerra Mundial - Prof.Altair Aguilar.
 
Nazifascismo
NazifascismoNazifascismo
Nazifascismo
 
Nazismo - Prof. Altair Aguilar
Nazismo - Prof. Altair AguilarNazismo - Prof. Altair Aguilar
Nazismo - Prof. Altair Aguilar
 
Nazismo.pptx - aula sobre a ascensão da ideologia nazista e formação do partido
Nazismo.pptx - aula sobre a ascensão da ideologia nazista e formação do partidoNazismo.pptx - aula sobre a ascensão da ideologia nazista e formação do partido
Nazismo.pptx - aula sobre a ascensão da ideologia nazista e formação do partido
 
Goncalo cunha hitlereonazismo
Goncalo cunha hitlereonazismoGoncalo cunha hitlereonazismo
Goncalo cunha hitlereonazismo
 
Nazismo alemão
Nazismo alemãoNazismo alemão
Nazismo alemão
 
Adolf Hitler
Adolf HitlerAdolf Hitler
Adolf Hitler
 
Roteiro de Aula - Fascismo e Nazismo
Roteiro de Aula - Fascismo e NazismoRoteiro de Aula - Fascismo e Nazismo
Roteiro de Aula - Fascismo e Nazismo
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
Os regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europaOs regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europa
 
Estados totalitáriosnazismo ,facismo,getulismo
Estados totalitáriosnazismo ,facismo,getulismoEstados totalitáriosnazismo ,facismo,getulismo
Estados totalitáriosnazismo ,facismo,getulismo
 
Nazismo
NazismoNazismo
Nazismo
 
O Nazismo
O NazismoO Nazismo
O Nazismo
 
História
HistóriaHistória
História
 
Segunda Guerra Mundial - Trabalho
Segunda Guerra Mundial - TrabalhoSegunda Guerra Mundial - Trabalho
Segunda Guerra Mundial - Trabalho
 
Os regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europaOs regimes totalitários na europa
Os regimes totalitários na europa
 
Totalitarismo europeu.
Totalitarismo europeu.Totalitarismo europeu.
Totalitarismo europeu.
 
Totalitarismo europeu.
Totalitarismo europeu.Totalitarismo europeu.
Totalitarismo europeu.
 
Europa Sec.XX
Europa Sec.XXEuropa Sec.XX
Europa Sec.XX
 
3ºano slide - da crise à guerra
3ºano   slide - da crise à guerra3ºano   slide - da crise à guerra
3ºano slide - da crise à guerra
 

Mais de historiando

Os negros no brasil colônia
Os negros no brasil colôniaOs negros no brasil colônia
Os negros no brasil colôniahistoriando
 
O pri meiro reinado
O pri meiro reinadoO pri meiro reinado
O pri meiro reinadohistoriando
 
O império bizantino
O império bizantinoO império bizantino
O império bizantinohistoriando
 
A guerra fria final
A guerra fria   finalA guerra fria   final
A guerra fria finalhistoriando
 
Os francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingioOs francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingiohistoriando
 
A revolução cubana
A revolução cubanaA revolução cubana
A revolução cubanahistoriando
 
A independência do brasil
A independência do brasilA independência do brasil
A independência do brasilhistoriando
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilhistoriando
 
Roma antiga da república ao império
Roma antiga   da república ao impérioRoma antiga   da república ao império
Roma antiga da república ao impériohistoriando
 
A república romana
A república romanaA república romana
A república romanahistoriando
 
Reinos africanos
Reinos africanosReinos africanos
Reinos africanoshistoriando
 
História da áfrica
História da áfricaHistória da áfrica
História da áfricahistoriando
 
A guerra do vietnã
A guerra do vietnãA guerra do vietnã
A guerra do vietnãhistoriando
 
A guerra fria 1945 a 1989
A guerra fria   1945 a 1989A guerra fria   1945 a 1989
A guerra fria 1945 a 1989historiando
 
A 2ª guerra mundial do dia d ao fim da g na europa - 2013
A 2ª guerra mundial  do dia d ao fim da g na europa - 2013A 2ª guerra mundial  do dia d ao fim da g na europa - 2013
A 2ª guerra mundial do dia d ao fim da g na europa - 2013historiando
 
O holocausto e as bombas atômica
O holocausto e as bombas atômicaO holocausto e as bombas atômica
O holocausto e as bombas atômicahistoriando
 

Mais de historiando (20)

Os negros no brasil colônia
Os negros no brasil colôniaOs negros no brasil colônia
Os negros no brasil colônia
 
Os iorubás
Os iorubásOs iorubás
Os iorubás
 
O pri meiro reinado
O pri meiro reinadoO pri meiro reinado
O pri meiro reinado
 
Os árabes
Os árabesOs árabes
Os árabes
 
O império bizantino
O império bizantinoO império bizantino
O império bizantino
 
A guerra fria final
A guerra fria   finalA guerra fria   final
A guerra fria final
 
Os francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingioOs francos, imp. carolingio
Os francos, imp. carolingio
 
A revolução cubana
A revolução cubanaA revolução cubana
A revolução cubana
 
O reino de kush
O reino de kushO reino de kush
O reino de kush
 
A independência do brasil
A independência do brasilA independência do brasil
A independência do brasil
 
A vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasilA vinda da família real ao brasil
A vinda da família real ao brasil
 
Roma antiga da república ao império
Roma antiga   da república ao impérioRoma antiga   da república ao império
Roma antiga da república ao império
 
A república romana
A república romanaA república romana
A república romana
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
Reinos africanos
Reinos africanosReinos africanos
Reinos africanos
 
História da áfrica
História da áfricaHistória da áfrica
História da áfrica
 
A guerra do vietnã
A guerra do vietnãA guerra do vietnã
A guerra do vietnã
 
A guerra fria 1945 a 1989
A guerra fria   1945 a 1989A guerra fria   1945 a 1989
A guerra fria 1945 a 1989
 
A 2ª guerra mundial do dia d ao fim da g na europa - 2013
A 2ª guerra mundial  do dia d ao fim da g na europa - 2013A 2ª guerra mundial  do dia d ao fim da g na europa - 2013
A 2ª guerra mundial do dia d ao fim da g na europa - 2013
 
O holocausto e as bombas atômica
O holocausto e as bombas atômicaO holocausto e as bombas atômica
O holocausto e as bombas atômica
 

O nazismo 2012

  • 2.
  • 3.
  • 4. • Entre 1918 e 1938, o mundo viveu um período chamado “entreguerras”: vinte anos que separaram as duas grandes guerras mundiais. Com o fim da Primeira Guerra, em 1918, a Alemanha, derrotada, encontrava-se em uma profunda crise. Para sair da guerra e manter o que restou de seu exército, assinou um acordo de paz chamado “Tratado de Versalhes”.
  • 5. • Esse tratado, além de responsabilizar a Alemanha pela Primeira Guerra, proibia o país de fabricar armas, tanques e aviões; obrigava a devolução de territórios conquistados e a redução do exército alemão, além de exigir o pagamento de uma indenização aos países vitoriosos, pelos danos de guerra.
  • 7. • Essas imposições criaram na Alemanha um clima de revanchismo, revolta, por parte da população que estava se sentindo humilhada. No final da guerra, Imperador Guilherme II renunciou e começou na Alemanha a “República de Weimar”.
  • 8. • Na economia interna alemã vemos uma grande inflação: o marco extremamente desvalorizado, com uma emissão de moeda desgovernada. Socialmente, surgem subversões: os ex-combatentes, insatisfeitos por terem lutado, perdido e, ainda, estarem pagando a dívida, têm uma tendência à rigidez militar, luta armada, ou seja, à ditadura.
  • 9. • Surge também uma classe de enriquecidos, que se aproveitou da guerra, e de empobrecidos, que emprestou dinheiro ao Estado e não recebeu de volta. Existe um sistema democrático (a República de Weimar), mas existe uma grande pobreza, campo fértil para o totalitarismo.
  • 10. • A situação econômica piora ainda mais quando o marco alemão desaba; a moeda alemã só consegue se estabilizar em novembro de 1923, quando sua cotação atinge 4,6 bilhões de marcos para US$ 1. A hiperinflação tem efeito devastador sobre a economia, desorganizando a produção e o comércio. Em 1931, há mais de 06 milhões de desempregados, quase 30 mil falências e a produção cai em todos os setores.
  • 11. • De 1919 até 1929, a chamada República de Weimar enfrentou enormes dificuldades. Apesar das reformas trabalhistas que limitavam o tempo de trabalho a oito horas e de um conselho de patrões e empregados criado para orientar a política econômica do país, a miséria e a fome
  • 12. A República de Weimar:
  • 13. • abatiam-se sobre a Alemanha em consequência da contínua desvalorização monetária, provocada por necessidade de pagar as prestações de guerra aos aliados franceses tornou a situação ainda mais crítica. Em 1923, a inflação era galopante.
  • 14. • Nesse contexto de crise, os milhões de desempregados, bem como muitos integrantes dos grupos dominantes, passaram a acreditar nas promessas de Hitler de transformar a Alemanha num país rico e poderoso.
  • 15. • Os alemães viam em Hitler uma salvação para a crise que o país enfrentava. Rapidamente o partido cresceu. Agricultores, jovens, soldados, em todas as classes, tornaram-se adeptos do novo partido. Mas quando, onde e como surgiu o Partido Nazista?
  • 16. • Primeiro vamos aprender um pouco sobre a história de Adolf Hitler para depois falarmos de sua ascensão ao poder na Alemanha:
  • 18. • Nasceu em 1889, na cidade austríaca de Braunau, na Áustria. Adolf Hitler era filho de Alois Hitler. Sua mãe, Klara Poezl Hitler, era prima de seu pai; e foi até a casa de Alois para cuidar da esposa dele que já estava muito doente e prestes a morrer. Depois de ficar viúvo, Alois decidiu casar-se com Klara.
  • 19. • Para isso, teve que pedir permissão à Igreja Católica, que só liberou o casamento depois da gravidez de Klara. Do casamento de Alois e Klara nasceram dois filhos: Adolf e Paula. Durante os primeiros anos de sua juventude, Adolf era conhecido como um rapaz inteligente e mal-humorado. Na adolescência, foi duas vezes reprovado no exame de admissão da Escola de Linz.
  • 23. Casa de Hitler em Braunau:
  • 24. • Nesse mesmo período começou a formular suas primeiras idéias de caráter anti-semita, sendo fortemente influenciado pelo professor chamado Leopold Poetsch.
  • 25. • A relação de Hitler com seus pais era bastante ambígua. À mãe dedicava extremo carinho e dedicação. Com o pai tinha uma relação conflituosa, marcada principalmente pela oposição que Alois fazia ao interesse de Adolf pelas artes e a arquitetura.
  • 26. • Frustrado com o seu insucesso na sequência de seus estudos, Hitler mudou-se para Viena, aos 21 anos, vivendo de pequenos serviços. Vivendo em condições precárias, mudou-se para Munique quando tinha 25 anos de idade.
  • 27. Hitler quando estava no exército:
  • 28. • Com a explosão da Primeira Guerra Mundial, decidiu se alistar voluntariamente no Exército Alemão, incorporando o 16º Regimento de Infantaria Bávaro. • Lutando bravamente nos campos de batalha, conquistou condecorações por bravura durante sua atuação militar e recomendações de um superior de origem judaica.
  • 29.
  • 30. • Em 1919, depois de presenciar a derrota militar alemã, filiou-se a um pequeno grupo político chamado Partido Trabalhista Alemão. • Em meio às dificuldades que o povo alemão enfrentava, esse partido discutia soluções extremas mediante os problemas da Alemanha. Entre outros pontos, pregavam a extinção dos tratados da Primeira Guerra, a exclusão sócio-econômica da população judaica, melhorias no campo econômico e a igualdade de direitos políticos.
  • 31. • Utilizando seus grandes dotes oratórios, Hitler começou a angariar a adesão de novos partidários e propôs a mudança do partido para o nome de Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães.
  • 32.
  • 33. • A renovação do nome acompanhou a criação de uma nova simbologia ao partido (uma bandeira vermelha com uma cruz gamada) e a incorporação de milícias comprometidas a defender o ideal do partido. As chamadas Seções de Assalto (SA) eram incumbidas de perturbar as reuniões de grupos marxistas, estrangeiros e comunistas.
  • 34.
  • 35.
  • 36. • A Figura acima é o símbolo do Nazismo: • A Cruz Suástica - O uso da suástica era associado pelos teóricos nazistas à sua hipótese da descendência cultural ariana dos alemães. É um símbolo utilizado por muitos povos antigos e com vários significados diferentes.
  • 37. • Após a organização do Partido Nacional- Socialista dos Trabalhadores Alemães (Nazista), Hitler percorreu a Alemanha para divulgá-lo e conseguir mais adeptos. As reuniões do partido eram feitas com alguns rituais, como numerosas paradas, ataques violentos aos socialistas, além dos uniformes.
  • 38. • Foi fundado também um jornal partidário. Vários adeptos foram recrutados entre desempregados. Alguns intelectuais também se filiaram. • Com a crise de 1923, Hitler organizou uma manifestação militar para tomar o poder. Numa concentração em Munique, avisou que uma revolução nacional começara; mas o povo não o seguiu.
  • 39. • Após um conflito com a polícia, Hitler foi preso e o Partido Nazista começou um declínio contínuo, até que, em 1929, havia menos de 120.000 membros. Ele foi condenado a cinco anos de prisão, dos quais só cumpriu oito meses. Nesse meio tempo, escreveu as primeiras linhas de sua obra (um misto de autobiografia e manifesto político) chamada “Mein Kampf” (Minha Luta).
  • 40. O Putsch (Golpe) de Munique:
  • 41. • Quando foi solto, resolveu refazer as diretrizes de seu partido incorporando ideias do fascismo, noções de disciplina rígida e a formação de grupos paramilitares. Adotando uma teoria de racista, Hitler dizia que o povo alemão era descendente da raça ariana, destinada a construir de uma nação forte e próspera.
  • 42. • Para isso deveriam proibir a diversidade étnica em seu território, porque senão perderiam suas forças produtivas para raças descomprometidas com os arianos.
  • 43. • As eleições presidenciais de 1925 foram vencidas pelo Marechal Von Hindenburg que, com a ajuda do capital estrangeiro, especialmente norte-americano, conseguiu com que a economia do país voltasse a crescer lentamente. Esse crescimento, porém, durou só até 1929.
  • 44. • De 1930 em diante, porém, os capitalistas estrangeiros começaram a retirar seus empréstimos. A inflação recomeçou e a crise econômica também. A produção do país entrou em declínio. A miséria da população permitiu a ascensão política do Partido Nazista, bem como do partido Comunista. Nas eleições de 1930, essa tendência se manifestou claramente.
  • 45. • Os nazistas elegeram 107 deputados e os comunistas 77, em detrimento dos partidos liberais. Em 1932, terminava o período presidencial de Hindenburg; ele se candidatou novamente, tendo Hitler como adversário. Foram necessárias duas eleições para decidir o pleito. Hitler perdeu, mas obteve um grande número de votos.
  • 46. • Assim, nas eleições parlamentares de 1932, o Partido Nazista conseguiu obter 38% dos votos (230 deputados), mais do que qualquer outro partido. • Aproveitando-se disso, os nazistas passaram a pressionar o presidente e este concedeu a Hitler o cargo de chanceler (chefe do governo).
  • 47. • Em 1933, não suportando as pressões da crise econômica alemã, o presidente convocou Hitler para ocupar o cargo de chanceler (Primeiro-Ministro). Em pouco tempo, Hitler conseguiu dar vários golpes políticos que lhe deram o controle absoluto da Alemanha.
  • 49. • No poder, Hitler conseguiu rapidamente que o Parlamento aprovasse uma lei que lhe permitia governar sem dar satisfação de seus atos a ninguém. Em seguida, com base nessa lei, ordenou a dissolução de todos os partidos, com exceção do Partido Nazista.
  • 51. • Em agosto de 1934, morreu Hindenburg e Hitler passou a ser o presidente da Alemanha, com o título de Führer (guia, condutor). • Fortalecido, o Führer lançou mão de uma propaganda sedutora e de violência policial para implantar a mais cruel ditadura que a humanidade já conhecera.
  • 53.
  • 54. • A propaganda era dirigida por Joseph Goebbles, doutor em Humanidades e responsável pelo Ministério da Educação do Povo e da Propaganda. Esse órgão era encarregado de manter um rígido controle sobre os meios de comunicação, escolas e universidades e de produzir discursos, hinos, símbolos, saudações e palavras de ordem nazista.
  • 56. • Já a violência policial esteve sob o comando de Heinrich Himmler, um racista extremado que se utilizava da SS (tropas de elite), das SA (tropas de choque) e da Gestapo (polícia secreta de Estado) para prender, torturar e eliminar os inimigos do nazismo.
  • 57. As SS (Tropa de Elite):
  • 58. S.A. (Tropas de Choque):
  • 60. • No plano econômico, o governo hitlerista estimulou o crescimento da agricultura, da indústria de base e, sobretudo, da indústria bélica. Com isso, o desemprego diminuiu, o regime ganhou novos adeptos e a Alemanha voltou a se equipar novamente, ignorando os termos do Tratado de Versalhes.
  • 61.
  • 62.
  • 63.
  • 64.
  • 65. A Noite dos Longos punhais:
  • 66. A NOITE DOS LONGOS PUNHAIS Foi um episódio de conspiração, traição e morte nas entranhas do poder da Alemanha nazista. Numa mal sucedida resistência à liderança de Adolf Hitler, o capitão Ernst Röhm, seu antigo colaborador e comandante da Seção de Assalto - SA Sturmabteilung, braço militar do Partido Nazista, passou a defender publicamente a transformação da mesma em uma milícia independente, e com poderes para controlar o exército alemão.
  • 67. • A reivindicação de Röhm alarmou os generais, que passaram a cobrar de Hitler uma resposta enérgica. O ex-colaborador não imaginava o seu destino, após cair em desgraça com o Führer. Alegando reação a uma rebelião no seio da SA, então com dois milhões e meio de soldados, Hitler livrou-se de maneira brutal dos seus traidores.
  • 68. • Durante a madrugada, elementos da sua guarda pessoal, a SS - Schutzstaffel, invadiram o hotel em que Röhm se encontrava na companhia de outros líderes da SA. Surpreendidos, todos foram detidos e rapidamente fuzilados. A inquietação pública na capital foi evidente e deu margens aos mais aterradores boatos.
  • 69. • Para conter a agitação, o governo reforçou a segurança nas ruas com a SS, e deu ordens extremas à imprensa que não noticiasse os fatos, sob risco de severa punição aos desobedientes. Oficialmente, o governo alegou que a SA preparara um golpe contra o Reich. Na realidade, porém, Hitler concretizava mais uma de suas estratégias de poder.
  • 70. • Como um ano antes ele tinha liquidado a esquerda alemã, o massacre significou a eliminação dos seus últimos rivais. Sem contestação, Hitler era o líder supremo.
  • 71. • A SS, força de elite ideológica e racial, passou a ter grande relevância na estrutura do poder, encarregada da segurança interna da Alemanha. O banho de sangue custou dezenas de vidas, muitas sem qualquer ligação com Röhm.
  • 73. A TEORIA DO ESPAÇO VITAL • O objetivo dos nazistas era construir um império ariano, puro e forte, centralizado em torno de Hitler. O passo decisivo para esse projeto se tornar realidade seria a expansão territorial e a integração de todas as comunidades germânicas da Europa num "espaço vital" único. Além da própria Alemanha, isso incluiria a Áustria, a Tchecoslováquia, a Prússia (oeste da Polônia) e a Ucrânia.