SlideShare uma empresa Scribd logo
O Modelo "Full Stack Agile Business Analysis"
na Transformação Organizacional
Campinas, 3 a 5 de Outubro de 2018
LUIZ CLAUDIO PARZIANELLO
CEO | Surya Gestão para um Mundo Digital
parzianello@suryatec.com.br
• Sócio-fundador e CEO da empresa Surya | Gestão Digital para um Mundo Digital.
• Engenheiro Eletricista pela PUCRS e Mestre em Engenharia Biomédica pela USP,
professor em MBA na PUCRS e UNIRITTER.
• Atua na área de TI há mais de 30 anos e de gestão há 20 anos, sendo um dos
pioneiros na adoção e disseminação das Metodologias Ágeis no Brasil. Tornou-se
especialista em resolução de problemas complexos de negócio utilizando modelos
de análise (Lean-Agile Business Analysis) e gestão (Agile Management).
• Atuou e ainda atua para empresas como UNICRED, SICREDI, GetNet, Banrisul,
Citibank, Arezzo&Co, Lojas Renner, Jovem Pan, Grupo RBS, FAURGS, ThyssenKrupp
Elevadores, Terra Networks, FIERGS, REFAP/Petrobrás, Ministério do Planejamento
de Angola, Instituto do Coração/HCFMUSP, entre muitas outras.
• Foi fundador e presidente do IIBA Porto Alegre Chapter (International Institute of
Business Analysis) e um dos autores da Agile Extension to the BABOK (Business
Analysis Body of Knowledge), projeto conjunto entre International Instititute of
Business Analysis (IIBA) e Agile Alliance. Tradutor do livro “Implementando o
Desenvolvimento Lean de Software: Do conceito ao Dinheiro”, de Mary e Tom
Poppendieck. É autor e líder da abordagem Lean Business Analysis no Brasil.
Luiz C. Parzianello
Consultor, palestrante e
professor universitário.
“Um movimento que tem por objetivo
promover debates que nos tornem mais capazes
de enfrentar os desafios da nova economia por
meio de Liderança, Cultura e Gestão.”
“Uma abordagem da Análise de Negócios
que viabiliza a aceleração de resultados
empresariais com novos modelos de gestão
e cultura organizacional baseados no
Pensamento Enxuto da nova economia.”
O que é Análise
de Negócios?
BABOK 1(2005) Análise de negócios é o conjunto de tarefas,
conhecimentos e técnicas necessários para se
identificar necessidades de negócios e
determinar soluções para os problemas.
BABOK 2 (2009) Análise de negócios é o conjunto de tarefas e
técnicas usadas para se trabalhar como uma
ligação entre as partes interessadas a fim de se
compreender a estrutura, as políticas e as
operações de uma organização, bem como
recomendar soluções que viabilizem a conquista
de seus objetivos.
BABOK 3 (2015) Análise de negócios é a prática de tornar possível
a mudança num empreendimento mediante a
definição de suas necessidades e a recomendação
de soluções que agreguem valor para as partes
interessadas. A análise de negócios faz com que
uma empresa articule as necessidades e as razões
para a mudança, projetando e descrevendo
soluções que possam agregar valor.
Conquistar
Objetivos
Necessidades
e Soluções
Viabilizar
a Mudança
“Análise de Negócios é uma área do
conhecimento que viabiliza a mudança de
um determinado contexto organizacional,
mediante a correta definição de suas
necessidades e a efetiva recomendação
de soluções que agreguem valor às suas
partes interessadas”.
BABOK 3 – Corpo do Conhecimento da
Análise de Negócios (IIBA, 2015)
Os Conceitos Essenciais
da Análise de Negócios
Baseado no Business Analysis Core
Concept Model (BACCMTM) do IIBA
Pessoas
(Partes Interessadas)
Valor
(Percepção)
Contexto
(Ambiente)
NecessidadesMudanças
Soluções
Agente de
Mudança
1) Em negócios, ANÁLISE é essencial
para o aprendizado e a tomada de
decisão.
2) As PESSOAS são a origem de tudo,
dos problemas às soluções.
3) CONTEXTO é mais importante que
conteúdo em ambientes de negócio.
4) VALOR é uma percepção humana da
importância ou utilidade das coisas.
Alguns Pressupostos para a Análise de Negócios
5) A maior NECESSIDADE de qualquer
negócio é o desenvolvimento de
melhores capacidades.
6) SOLUÇÕES são determinadas em
diferentes perspectivas de crenças e
valores da gestão de negócios.
7) A MUDANÇA é inerente a todos os
sistemas vivos e processos
evolucionários.
Áreas do
Conhecimento da
Análise de
Negócios
3.0
Business Analysis
Body of Knowledge
Necessidades
Escopo da solução
Estratégia
Detalhes da solução
Especificações
Provas de conceito / Protótipos
Projeto Piloto / Versão Beta
Operação
Comunicação Conhecimento
Processo
Planejamento e
Monitoramento da
Análise de Negócios
Análise da Estratégia
Análise de Requisitos
e Definição da
Solução
Gerenciamento do
Ciclo de Vida dos
Requisitos
Avaliação da
Solução
Elicitação e
Colaboração
The Full Stack
Agile Business
Analysis Model
O QUE É?
Um modelo de análise concebido para
explicar as relações causais que
determinam o sucesso de uma
Transformação Ágil nas perspectivas de
Pessoas, Processos, Produtos e Negócios,
a partir da Gestão, Cultura e Liderança
organizacional.
Parzianello e Piveta, 2017
PARA QUE SERVE?
1) Auxiliar no desenvolvimento da
estratégia de transformação e
aceleração de resultados.
2) Identificar gaps de liderança,
gestão e cultura organizacional
para a nova economia.
3) Orientar gestores e membros da
equipe de transformação nos
modelos de liderança necessários.
QUAIS OS FUNDAMENTOS?
Este modelo tem como base de
seus elementos e composição:
1) Níveis Lógicos de Aprendizagem e
Mudança, de Robert Dilts (PNL).
2) Horizontes de Planejamento da
Agile Extension to the BABOK 2.0
3) Elementos das abordagens Lean,
Modern Agile e ExO.
ResultadosEmpresa
Um Modelo para a Transformação Organizacional
EngajamentoIndivíduo
Horizonte da
Execução
Atitudes, Práticas,
Hábitos e Artefatos
Perspectiva dos
Processos
CURTO PRAZO
Horizonte das
Iniciativas
Conhecimentos
e Habilidades
Perspectiva dos
Produtos e Serviços
MÉDIO PRAZO
Horizonte da
Estratégia
Estados
Emocionais
Perspectiva dos
Negócios
LONGO PRAZO
Horizonte da
Liderança
Identidade
e Missão
Perspectiva de
Pessoas
TRANSCENDÊNCIA
Cultura Experiências
Capacidades
Organizacionais
Propósito
Ambientes e
Comportamentos
Crenças e Valores
< Δt
New capabilities been
developed during this time?
Digital and Exponential Organizations
“Não desperdice meu
tempo e dinheiro!”
Frank Robinson
in 2001
1. Foco no que agregue valor para o negócio.
2. Identificação de como é gerado o valor, com a
redução de desperdícios e ciclos de produção.
3. Criação de fluxo contínuo, com a eliminação
dos grandes lotes, trabalho inacabado e
variabilidade do processo.
4. Produção sob demanda, com a eliminação dos
estoques desnecessários.
5. Cultura da melhoria contínua em todos os
aspectos da organização.
Século XX  EFICIÊNCIA
Século XXI  EFICÁCIA
Um Pensamento
Enxuto
MANIFESTO ÁGIL (2001)
Estamos descobrindo melhores formas de desenvolver
software, fazendo-o nós mesmos e ajudando os outros a
fazerem o mesmo. Através deste trabalho, passamos a valorizar:
Indivíduos e suas relações
mais que processos e ferramentas
Software em funcionamento (soluções efetivas)
mais que documentação abrangente
Colaboração com o cliente
mais que negociação de contratos
Responder a mudanças
mais que seguir um plano
Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, valorizamos
mais os itens à esquerda.
17 gurus do desenvolvimento de software baseados em
métodos sendo consolidados desde os anos 80.
The Heart of Agile
Alistair Cockburn
Entregar
Colaborar Refletir
Melhorar
PROCESSOPRODUTOCULTURA 12 Princípios do Manifesto Ágil
1 2 3 4
5 6 7 8
9 10 11 12
Compreender as mudançasEntregar em ciclos curtos
Colaborar na criação Evitar desperdícios
Ritmo sustentável
Comunicar e interagir
Empoderar a equipe
Agregar valor ao cliente Produtos que funcionem
Confiar e dar suporte
Buscar a excelência
Melhorar continuamente
Modern Agile
by Joshua Kerievsky
Experimentar
e aprender
rapidamente
Tornar as
pessoas incríveis
Entregar valor
continuamente
Tornar a segurança
um pré-requisito
Agilidade
Moderna
Um Modelo para a Transformação Organizacional
Horizonte da
Execução
Atitudes, Práticas,
Hábitos e Artefatos
Horizonte das
Iniciativas
Conhecimentos
e Habilidades
Ambientes e
Comportamentos
Perspectiva dos
Processos
Perspectiva dos
Produtos e Serviços
Horizonte da
Estratégia
Estados
Emocionais
Perspectiva dos
Negócios
Capacidades
Organizacionais
Crenças e Valores
Horizonte da
Liderança
Identidade
e Missão
Propósito
Perspectiva de
Pessoas
Como
CURTO PRAZO MÉDIO PRAZO LONGO PRAZO
Porque
TRANSCENDÊNCIA
Perspectiva do
Cliente
O Que
ENCANTAMENTO
ResultadosEmpresa
EngajamentoIndivíduo
Cultura Experiências
Resultados
Incríveis
Experiências
Incríveis
Engajamento
Gestão
Pessoas e
Tecnologias
Incríveis
April, 2016January, 2011
The Full Stack Agile Business Analysis Model
Horizonte da
Execução
Atitudes, Práticas,
Hábitos e Artefatos
Horizonte das
Iniciativas
Conhecimentos
e Habilidades
Ambientes e
Comportamentos
Perspectiva dos
Processos
Perspectiva dos
Produtos e Serviços
Horizonte da
Estratégia
Estados
Emocionais
Perspectiva dos
Negócios
Capacidades
Organizacionais
Crenças e Valores
Horizonte da
Liderança
Identidade
e Missão
Propósito
Perspectiva de
Pessoas
Como
CURTO PRAZO MÉDIO PRAZO LONGO PRAZO
Porque
TRANSCENDÊNCIA
Perspectiva do
Cliente
O Que
ENCANTAMENTO
Gestão
Empresa
Indivíduo
Cultura
Resultados
Incríveis
Experiências
Incríveis
Engajamento
Fluxo de Valor,
Inspeção e
Adaptação
Foco no Cliente,
Experimentação e
Aprendizagem
Foco no Mercado,
Crescimento e
Inovação
Inspiração,
Transformação
e Confiança
Pessoas e
Tecnologias
Incríveis
The Full Stack Agile Business Analysis Model
Horizonte da
Execução
Atitudes, Práticas,
Hábitos e Artefatos
Horizonte das
Iniciativas
Conhecimentos
e Habilidades
Ambientes e
Comportamentos
Perspectiva dos
Processos
Perspectiva dos
Produtos e Serviços
Horizonte da
Estratégia
Estados
Emocionais
Perspectiva dos
Negócios
Capacidades
Organizacionais
Crenças e Valores
Horizonte da
Liderança
Identidade
e Missão
Propósito
Perspectiva de
Pessoas
Como
CURTO PRAZO MÉDIO PRAZO LONGO PRAZO
Porque
TRANSCENDÊNCIA
Perspectiva do
Cliente
O Que
ENCANTAMENTO
Gestão
Pessoas e
Tecnologias
Incríveis
Empresa
Indivíduo
Cultura
Resultados
Incríveis
Experiências
Incríveis
Engajamento
Fluxo de Valor,
Inspeção e
Adaptação
Foco no Cliente,
Experimentação e
Aprendizagem
Foco no Mercado,
Crescimento e
Inovação
Inspiração,
Transformação
e Confiança
Team
Product
Owner
Business
Owner
Líder
Coach
Líder
Visionário
The Full Stack
Agile Business
Analysis Model
APRENDIZADOS UTILIZANDO O MODELO:
1) Resultados rápidos podem ser conquistados no horizonte
da EXECUÇÃO, a partir de iniciativas bottom-up focadas
no discovery e delivery na perspectiva de PROCESSO, com
abordagens como Scrum e Kanban.
2) A evolução dos processos irá trazer à tona inúmeros gaps
de capacidade na perspectiva de PRODUTOS e SERVIÇOS.
INICIATIVAS bottom-up devem contemplar o discovery e
delivery de novas capacidades organizacionais a partir da
experimentação e aprendizagem junto ao cliente, com
abordagens como Design Thinking e Lean Inception.
3) Três meses são suficientes para observarmos resultados
efetivos de mudança (cases) com esta abordagem.
4) A evolução de produtos e serviços irá trazer à tona inúmeros
gaps de capacidade na perspectiva de NEGÓCIO. É neste
momento que uma iniciativa top-down passa a suportar as
demais iniciativas bottom-up da transformação, focando no
discovery e delivery do horizonte da ESTRATÉGIA, com
abordagens exponenciais.
5) Para todos os HORIZONTES e PERSPECTIVAS, o maior gargalo
da transformação tem sido a falta de liderança em gestores e
membros das equipes de mudança. Uma liderança Visionária,
Coach e Participativa torna-se imperativa neste cenário de
transformação.
6) Um segundo ciclo de 3 meses é suficiente para observarmos
resultados efetivos na abordagem top-down.
Onde:
𝑹𝒊 representa os resultados incríveis produzidos pelo negócio,
∆𝒕 representa o tempo necessário para a conquista desses resultados,
𝑷𝒊 e 𝑻𝒊 representam as pessoas e tecnologias incríveis que alavancarão os resultados,
𝑬𝒊 representa as experiências incríveis das partes interessadas que alavancarão o negócio.
Negócio Incrível = Ri
Ei
Pi + Ti
A Fórmula dos Negócios Incríveis da Nova Economia
Δt
×
Parzianello e Piveta, 2017
LUIZ CLAUDIO PARZIANELLO
parzianello@suryatec.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Workshop gestao publica desafios e solucoes para entrega de melhores result...
Workshop gestao publica   desafios e solucoes para entrega de melhores result...Workshop gestao publica   desafios e solucoes para entrega de melhores result...
Workshop gestao publica desafios e solucoes para entrega de melhores result...
EloGroup
 
Folder flip
Folder flipFolder flip
A visão sistêmica da estratégia, gestão e processos Rodolfo Cardoso DSc (UFF)
A visão sistêmica da estratégia, gestão e processos   Rodolfo Cardoso DSc (UFF)A visão sistêmica da estratégia, gestão e processos   Rodolfo Cardoso DSc (UFF)
A visão sistêmica da estratégia, gestão e processos Rodolfo Cardoso DSc (UFF)
EloGroup
 
Workshop Organização
Workshop   OrganizaçãoWorkshop   Organização
Workshop Organização
EloGroup
 
Proposta de um modelo de escalonamento de metodologia ágil para grandes organ...
Proposta de um modelo de escalonamento de metodologia ágil para grandes organ...Proposta de um modelo de escalonamento de metodologia ágil para grandes organ...
Proposta de um modelo de escalonamento de metodologia ágil para grandes organ...
Jaffer Veronezi
 
Apostila gestão e análise de processos organizacional
Apostila gestão e análise de processos organizacionalApostila gestão e análise de processos organizacional
Apostila gestão e análise de processos organizacional
Rizia Santos
 
Workshop Redesenho de Serviços Públicos
Workshop   Redesenho de Serviços PúblicosWorkshop   Redesenho de Serviços Públicos
Workshop Redesenho de Serviços Públicos
EloGroup
 
Workshop Estratégia
Workshop   EstratégiaWorkshop   Estratégia
Workshop Estratégia
EloGroup
 
Workshop Gestão Integrada
Workshop   Gestão IntegradaWorkshop   Gestão Integrada
Workshop Gestão Integrada
EloGroup
 
Gestão por processos
Gestão por processosGestão por processos
Gestão por processos
toni984
 
Gestao por Processos
Gestao por ProcessosGestao por Processos
Gestao por Processos
Adeildo Caboclo
 
DevOps - Reduza o tempo de entrega da sua TI
DevOps - Reduza o tempo de entrega da sua TIDevOps - Reduza o tempo de entrega da sua TI
DevOps - Reduza o tempo de entrega da sua TI
MJV Technology & Innovation Brasil
 
[Café com BPM Setor Público] Como conceber transformações
[Café com BPM Setor Público] Como conceber transformações[Café com BPM Setor Público] Como conceber transformações
[Café com BPM Setor Público] Como conceber transformações
EloGroup
 
[BPM Global Trends 2014] Bruno Palvarini (MPOG) – Gestão de Processos Voltada...
[BPM Global Trends 2014] Bruno Palvarini (MPOG) – Gestão de Processos Voltada...[BPM Global Trends 2014] Bruno Palvarini (MPOG) – Gestão de Processos Voltada...
[BPM Global Trends 2014] Bruno Palvarini (MPOG) – Gestão de Processos Voltada...
EloGroup
 
A Gap Process Management - Paul Harmon
A Gap Process Management - Paul HarmonA Gap Process Management - Paul Harmon
A Gap Process Management - Paul Harmon
EloGroup
 
Métodos de Gestão de Mudança Organizacional e seu uso para a transformação di...
Métodos de Gestão de Mudança Organizacional e seu uso para a transformação di...Métodos de Gestão de Mudança Organizacional e seu uso para a transformação di...
Métodos de Gestão de Mudança Organizacional e seu uso para a transformação di...
Nelson Rosamilha, PMP, PRINCE2 Practitioner, BB, MsC
 
[Workshop] Governança de TI, 1ª Edição
[Workshop] Governança de TI, 1ª Edição[Workshop] Governança de TI, 1ª Edição
[Workshop] Governança de TI, 1ª Edição
Alessandro Almeida
 
Aula 1 Modelagem De Processos
Aula 1   Modelagem De ProcessosAula 1   Modelagem De Processos
Aula 1 Modelagem De Processos
Marcos Barato
 
13349263 apostila-de-gestao-de-processos
13349263 apostila-de-gestao-de-processos13349263 apostila-de-gestao-de-processos
13349263 apostila-de-gestao-de-processos
Giullia13
 
Mudanca Paradigma CIO / CIO Paradigm Change
Mudanca Paradigma CIO / CIO Paradigm ChangeMudanca Paradigma CIO / CIO Paradigm Change
Mudanca Paradigma CIO / CIO Paradigm Change
Nelson Cunha
 

Mais procurados (20)

Workshop gestao publica desafios e solucoes para entrega de melhores result...
Workshop gestao publica   desafios e solucoes para entrega de melhores result...Workshop gestao publica   desafios e solucoes para entrega de melhores result...
Workshop gestao publica desafios e solucoes para entrega de melhores result...
 
Folder flip
Folder flipFolder flip
Folder flip
 
A visão sistêmica da estratégia, gestão e processos Rodolfo Cardoso DSc (UFF)
A visão sistêmica da estratégia, gestão e processos   Rodolfo Cardoso DSc (UFF)A visão sistêmica da estratégia, gestão e processos   Rodolfo Cardoso DSc (UFF)
A visão sistêmica da estratégia, gestão e processos Rodolfo Cardoso DSc (UFF)
 
Workshop Organização
Workshop   OrganizaçãoWorkshop   Organização
Workshop Organização
 
Proposta de um modelo de escalonamento de metodologia ágil para grandes organ...
Proposta de um modelo de escalonamento de metodologia ágil para grandes organ...Proposta de um modelo de escalonamento de metodologia ágil para grandes organ...
Proposta de um modelo de escalonamento de metodologia ágil para grandes organ...
 
Apostila gestão e análise de processos organizacional
Apostila gestão e análise de processos organizacionalApostila gestão e análise de processos organizacional
Apostila gestão e análise de processos organizacional
 
Workshop Redesenho de Serviços Públicos
Workshop   Redesenho de Serviços PúblicosWorkshop   Redesenho de Serviços Públicos
Workshop Redesenho de Serviços Públicos
 
Workshop Estratégia
Workshop   EstratégiaWorkshop   Estratégia
Workshop Estratégia
 
Workshop Gestão Integrada
Workshop   Gestão IntegradaWorkshop   Gestão Integrada
Workshop Gestão Integrada
 
Gestão por processos
Gestão por processosGestão por processos
Gestão por processos
 
Gestao por Processos
Gestao por ProcessosGestao por Processos
Gestao por Processos
 
DevOps - Reduza o tempo de entrega da sua TI
DevOps - Reduza o tempo de entrega da sua TIDevOps - Reduza o tempo de entrega da sua TI
DevOps - Reduza o tempo de entrega da sua TI
 
[Café com BPM Setor Público] Como conceber transformações
[Café com BPM Setor Público] Como conceber transformações[Café com BPM Setor Público] Como conceber transformações
[Café com BPM Setor Público] Como conceber transformações
 
[BPM Global Trends 2014] Bruno Palvarini (MPOG) – Gestão de Processos Voltada...
[BPM Global Trends 2014] Bruno Palvarini (MPOG) – Gestão de Processos Voltada...[BPM Global Trends 2014] Bruno Palvarini (MPOG) – Gestão de Processos Voltada...
[BPM Global Trends 2014] Bruno Palvarini (MPOG) – Gestão de Processos Voltada...
 
A Gap Process Management - Paul Harmon
A Gap Process Management - Paul HarmonA Gap Process Management - Paul Harmon
A Gap Process Management - Paul Harmon
 
Métodos de Gestão de Mudança Organizacional e seu uso para a transformação di...
Métodos de Gestão de Mudança Organizacional e seu uso para a transformação di...Métodos de Gestão de Mudança Organizacional e seu uso para a transformação di...
Métodos de Gestão de Mudança Organizacional e seu uso para a transformação di...
 
[Workshop] Governança de TI, 1ª Edição
[Workshop] Governança de TI, 1ª Edição[Workshop] Governança de TI, 1ª Edição
[Workshop] Governança de TI, 1ª Edição
 
Aula 1 Modelagem De Processos
Aula 1   Modelagem De ProcessosAula 1   Modelagem De Processos
Aula 1 Modelagem De Processos
 
13349263 apostila-de-gestao-de-processos
13349263 apostila-de-gestao-de-processos13349263 apostila-de-gestao-de-processos
13349263 apostila-de-gestao-de-processos
 
Mudanca Paradigma CIO / CIO Paradigm Change
Mudanca Paradigma CIO / CIO Paradigm ChangeMudanca Paradigma CIO / CIO Paradigm Change
Mudanca Paradigma CIO / CIO Paradigm Change
 

Semelhante a O Modelo "Full Stack Agile Business Analysis" na Transformação Organizacional

Um Nova Gestão de Negócios para uma Nova Economia
Um Nova Gestão de Negócios para uma Nova EconomiaUm Nova Gestão de Negócios para uma Nova Economia
Um Nova Gestão de Negócios para uma Nova Economia
Luiz C. Parzianello
 
O Pensamento Lean-Agile nos Negócios do Século XXI
O Pensamento Lean-Agile nos Negócios do Século XXIO Pensamento Lean-Agile nos Negócios do Século XXI
O Pensamento Lean-Agile nos Negócios do Século XXI
Luiz C. Parzianello
 
Pragmatismo, Agilidade e Resultados na Gestão de Negócios
Pragmatismo, Agilidade e Resultados na Gestão de NegóciosPragmatismo, Agilidade e Resultados na Gestão de Negócios
Pragmatismo, Agilidade e Resultados na Gestão de Negócios
Luiz C. Parzianello
 
Business Design Thinking
Business Design ThinkingBusiness Design Thinking
Business Design Thinking
Rildo (@rildosan) Santos
 
Resumo do Guia BABOK® 3
Resumo do Guia BABOK®  3 Resumo do Guia BABOK®  3
Resumo do Guia BABOK® 3
Rildo (@rildosan) Santos
 
Apresentação Competência de gestores de projeto.pdf
Apresentação Competência de gestores de projeto.pdfApresentação Competência de gestores de projeto.pdf
Apresentação Competência de gestores de projeto.pdf
ssuser8451c6
 
A Análise de Negócios como Modelo de Competências para o HR Business Partner
A Análise de Negócios como Modelo deCompetências para o HR Business PartnerA Análise de Negócios como Modelo deCompetências para o HR Business Partner
A Análise de Negócios como Modelo de Competências para o HR Business Partner
Luiz C. Parzianello
 
Estratégia para adoção ágil - diário de um coach
Estratégia para adoção ágil - diário de um coachEstratégia para adoção ágil - diário de um coach
Estratégia para adoção ágil - diário de um coach
João Paulo Novais
 
TDC2018FLN | Trilha DT - Process Design Thinking
TDC2018FLN | Trilha DT - Process Design ThinkingTDC2018FLN | Trilha DT - Process Design Thinking
TDC2018FLN | Trilha DT - Process Design Thinking
tdc-globalcode
 
Entrevista a João Paulo Pinto
Entrevista a João Paulo PintoEntrevista a João Paulo Pinto
Entrevista a João Paulo Pinto
CLT Valuebased Services
 
Portfolio Segatto
Portfolio SegattoPortfolio Segatto
Portfolio Segatto
Fabiana Segattp
 
Uma abordagem geral da Análise de Negócios
Uma abordagem geral da Análise de NegóciosUma abordagem geral da Análise de Negócios
Uma abordagem geral da Análise de Negócios
José Vieira
 
Infobrasil - 2013
Infobrasil - 2013Infobrasil - 2013
Infobrasil - 2013
Odecilia
 
Arquitetura Corporativa como instrumento para a gestão da evolução das organi...
Arquitetura Corporativa como instrumento para a gestão da evolução das organi...Arquitetura Corporativa como instrumento para a gestão da evolução das organi...
Arquitetura Corporativa como instrumento para a gestão da evolução das organi...
Centus Consultoria
 
Artigo ti uso de business intelligence na gestão de projetos
Artigo ti   uso de business intelligence na gestão de projetosArtigo ti   uso de business intelligence na gestão de projetos
Artigo ti uso de business intelligence na gestão de projetos
Philippe Moreira
 
RH AGIL - AS EVOLUÇÕES INDUSTRIAIS NO BRASIL
RH AGIL - AS EVOLUÇÕES INDUSTRIAIS NO BRASILRH AGIL - AS EVOLUÇÕES INDUSTRIAIS NO BRASIL
RH AGIL - AS EVOLUÇÕES INDUSTRIAIS NO BRASIL
OBERDANHENRIQUEFIORE
 
FERRAMENTAS E TEORIAS PARA ESTRATÉGIAS, NEGÓCIOS, INOVAÇÃO E PROCESSOS
FERRAMENTAS E TEORIAS PARA ESTRATÉGIAS, NEGÓCIOS, INOVAÇÃO E PROCESSOSFERRAMENTAS E TEORIAS PARA ESTRATÉGIAS, NEGÓCIOS, INOVAÇÃO E PROCESSOS
FERRAMENTAS E TEORIAS PARA ESTRATÉGIAS, NEGÓCIOS, INOVAÇÃO E PROCESSOS
João Rafael Lopes
 
O MODELO DE DESIGN THINKING COMO INDUTOR DA INOVAÇÃO NAS EMPRESAS: UM ESTUDO ...
O MODELO DE DESIGN THINKING COMO INDUTOR DA INOVAÇÃO NAS EMPRESAS: UM ESTUDO ...O MODELO DE DESIGN THINKING COMO INDUTOR DA INOVAÇÃO NAS EMPRESAS: UM ESTUDO ...
O MODELO DE DESIGN THINKING COMO INDUTOR DA INOVAÇÃO NAS EMPRESAS: UM ESTUDO ...
Luiz Bonini
 
Inovação na era da colaboratividade
Inovação na era da colaboratividadeInovação na era da colaboratividade
Inovação na era da colaboratividade
ABGI Brasil
 
Minicurso Fundamentos da Análise de Negócio 3.0
Minicurso Fundamentos da Análise de Negócio 3.0Minicurso Fundamentos da Análise de Negócio 3.0
Minicurso Fundamentos da Análise de Negócio 3.0
Rildo (@rildosan) Santos
 

Semelhante a O Modelo "Full Stack Agile Business Analysis" na Transformação Organizacional (20)

Um Nova Gestão de Negócios para uma Nova Economia
Um Nova Gestão de Negócios para uma Nova EconomiaUm Nova Gestão de Negócios para uma Nova Economia
Um Nova Gestão de Negócios para uma Nova Economia
 
O Pensamento Lean-Agile nos Negócios do Século XXI
O Pensamento Lean-Agile nos Negócios do Século XXIO Pensamento Lean-Agile nos Negócios do Século XXI
O Pensamento Lean-Agile nos Negócios do Século XXI
 
Pragmatismo, Agilidade e Resultados na Gestão de Negócios
Pragmatismo, Agilidade e Resultados na Gestão de NegóciosPragmatismo, Agilidade e Resultados na Gestão de Negócios
Pragmatismo, Agilidade e Resultados na Gestão de Negócios
 
Business Design Thinking
Business Design ThinkingBusiness Design Thinking
Business Design Thinking
 
Resumo do Guia BABOK® 3
Resumo do Guia BABOK®  3 Resumo do Guia BABOK®  3
Resumo do Guia BABOK® 3
 
Apresentação Competência de gestores de projeto.pdf
Apresentação Competência de gestores de projeto.pdfApresentação Competência de gestores de projeto.pdf
Apresentação Competência de gestores de projeto.pdf
 
A Análise de Negócios como Modelo de Competências para o HR Business Partner
A Análise de Negócios como Modelo deCompetências para o HR Business PartnerA Análise de Negócios como Modelo deCompetências para o HR Business Partner
A Análise de Negócios como Modelo de Competências para o HR Business Partner
 
Estratégia para adoção ágil - diário de um coach
Estratégia para adoção ágil - diário de um coachEstratégia para adoção ágil - diário de um coach
Estratégia para adoção ágil - diário de um coach
 
TDC2018FLN | Trilha DT - Process Design Thinking
TDC2018FLN | Trilha DT - Process Design ThinkingTDC2018FLN | Trilha DT - Process Design Thinking
TDC2018FLN | Trilha DT - Process Design Thinking
 
Entrevista a João Paulo Pinto
Entrevista a João Paulo PintoEntrevista a João Paulo Pinto
Entrevista a João Paulo Pinto
 
Portfolio Segatto
Portfolio SegattoPortfolio Segatto
Portfolio Segatto
 
Uma abordagem geral da Análise de Negócios
Uma abordagem geral da Análise de NegóciosUma abordagem geral da Análise de Negócios
Uma abordagem geral da Análise de Negócios
 
Infobrasil - 2013
Infobrasil - 2013Infobrasil - 2013
Infobrasil - 2013
 
Arquitetura Corporativa como instrumento para a gestão da evolução das organi...
Arquitetura Corporativa como instrumento para a gestão da evolução das organi...Arquitetura Corporativa como instrumento para a gestão da evolução das organi...
Arquitetura Corporativa como instrumento para a gestão da evolução das organi...
 
Artigo ti uso de business intelligence na gestão de projetos
Artigo ti   uso de business intelligence na gestão de projetosArtigo ti   uso de business intelligence na gestão de projetos
Artigo ti uso de business intelligence na gestão de projetos
 
RH AGIL - AS EVOLUÇÕES INDUSTRIAIS NO BRASIL
RH AGIL - AS EVOLUÇÕES INDUSTRIAIS NO BRASILRH AGIL - AS EVOLUÇÕES INDUSTRIAIS NO BRASIL
RH AGIL - AS EVOLUÇÕES INDUSTRIAIS NO BRASIL
 
FERRAMENTAS E TEORIAS PARA ESTRATÉGIAS, NEGÓCIOS, INOVAÇÃO E PROCESSOS
FERRAMENTAS E TEORIAS PARA ESTRATÉGIAS, NEGÓCIOS, INOVAÇÃO E PROCESSOSFERRAMENTAS E TEORIAS PARA ESTRATÉGIAS, NEGÓCIOS, INOVAÇÃO E PROCESSOS
FERRAMENTAS E TEORIAS PARA ESTRATÉGIAS, NEGÓCIOS, INOVAÇÃO E PROCESSOS
 
O MODELO DE DESIGN THINKING COMO INDUTOR DA INOVAÇÃO NAS EMPRESAS: UM ESTUDO ...
O MODELO DE DESIGN THINKING COMO INDUTOR DA INOVAÇÃO NAS EMPRESAS: UM ESTUDO ...O MODELO DE DESIGN THINKING COMO INDUTOR DA INOVAÇÃO NAS EMPRESAS: UM ESTUDO ...
O MODELO DE DESIGN THINKING COMO INDUTOR DA INOVAÇÃO NAS EMPRESAS: UM ESTUDO ...
 
Inovação na era da colaboratividade
Inovação na era da colaboratividadeInovação na era da colaboratividade
Inovação na era da colaboratividade
 
Minicurso Fundamentos da Análise de Negócio 3.0
Minicurso Fundamentos da Análise de Negócio 3.0Minicurso Fundamentos da Análise de Negócio 3.0
Minicurso Fundamentos da Análise de Negócio 3.0
 

O Modelo "Full Stack Agile Business Analysis" na Transformação Organizacional

  • 1. O Modelo "Full Stack Agile Business Analysis" na Transformação Organizacional Campinas, 3 a 5 de Outubro de 2018 LUIZ CLAUDIO PARZIANELLO CEO | Surya Gestão para um Mundo Digital parzianello@suryatec.com.br
  • 2. • Sócio-fundador e CEO da empresa Surya | Gestão Digital para um Mundo Digital. • Engenheiro Eletricista pela PUCRS e Mestre em Engenharia Biomédica pela USP, professor em MBA na PUCRS e UNIRITTER. • Atua na área de TI há mais de 30 anos e de gestão há 20 anos, sendo um dos pioneiros na adoção e disseminação das Metodologias Ágeis no Brasil. Tornou-se especialista em resolução de problemas complexos de negócio utilizando modelos de análise (Lean-Agile Business Analysis) e gestão (Agile Management). • Atuou e ainda atua para empresas como UNICRED, SICREDI, GetNet, Banrisul, Citibank, Arezzo&Co, Lojas Renner, Jovem Pan, Grupo RBS, FAURGS, ThyssenKrupp Elevadores, Terra Networks, FIERGS, REFAP/Petrobrás, Ministério do Planejamento de Angola, Instituto do Coração/HCFMUSP, entre muitas outras. • Foi fundador e presidente do IIBA Porto Alegre Chapter (International Institute of Business Analysis) e um dos autores da Agile Extension to the BABOK (Business Analysis Body of Knowledge), projeto conjunto entre International Instititute of Business Analysis (IIBA) e Agile Alliance. Tradutor do livro “Implementando o Desenvolvimento Lean de Software: Do conceito ao Dinheiro”, de Mary e Tom Poppendieck. É autor e líder da abordagem Lean Business Analysis no Brasil. Luiz C. Parzianello Consultor, palestrante e professor universitário.
  • 3. “Um movimento que tem por objetivo promover debates que nos tornem mais capazes de enfrentar os desafios da nova economia por meio de Liderança, Cultura e Gestão.” “Uma abordagem da Análise de Negócios que viabiliza a aceleração de resultados empresariais com novos modelos de gestão e cultura organizacional baseados no Pensamento Enxuto da nova economia.”
  • 4. O que é Análise de Negócios? BABOK 1(2005) Análise de negócios é o conjunto de tarefas, conhecimentos e técnicas necessários para se identificar necessidades de negócios e determinar soluções para os problemas. BABOK 2 (2009) Análise de negócios é o conjunto de tarefas e técnicas usadas para se trabalhar como uma ligação entre as partes interessadas a fim de se compreender a estrutura, as políticas e as operações de uma organização, bem como recomendar soluções que viabilizem a conquista de seus objetivos. BABOK 3 (2015) Análise de negócios é a prática de tornar possível a mudança num empreendimento mediante a definição de suas necessidades e a recomendação de soluções que agreguem valor para as partes interessadas. A análise de negócios faz com que uma empresa articule as necessidades e as razões para a mudança, projetando e descrevendo soluções que possam agregar valor. Conquistar Objetivos Necessidades e Soluções Viabilizar a Mudança
  • 5. “Análise de Negócios é uma área do conhecimento que viabiliza a mudança de um determinado contexto organizacional, mediante a correta definição de suas necessidades e a efetiva recomendação de soluções que agreguem valor às suas partes interessadas”. BABOK 3 – Corpo do Conhecimento da Análise de Negócios (IIBA, 2015) Os Conceitos Essenciais da Análise de Negócios Baseado no Business Analysis Core Concept Model (BACCMTM) do IIBA Pessoas (Partes Interessadas) Valor (Percepção) Contexto (Ambiente) NecessidadesMudanças Soluções Agente de Mudança
  • 6. 1) Em negócios, ANÁLISE é essencial para o aprendizado e a tomada de decisão. 2) As PESSOAS são a origem de tudo, dos problemas às soluções. 3) CONTEXTO é mais importante que conteúdo em ambientes de negócio. 4) VALOR é uma percepção humana da importância ou utilidade das coisas. Alguns Pressupostos para a Análise de Negócios 5) A maior NECESSIDADE de qualquer negócio é o desenvolvimento de melhores capacidades. 6) SOLUÇÕES são determinadas em diferentes perspectivas de crenças e valores da gestão de negócios. 7) A MUDANÇA é inerente a todos os sistemas vivos e processos evolucionários.
  • 7. Áreas do Conhecimento da Análise de Negócios 3.0 Business Analysis Body of Knowledge Necessidades Escopo da solução Estratégia Detalhes da solução Especificações Provas de conceito / Protótipos Projeto Piloto / Versão Beta Operação Comunicação Conhecimento Processo Planejamento e Monitoramento da Análise de Negócios Análise da Estratégia Análise de Requisitos e Definição da Solução Gerenciamento do Ciclo de Vida dos Requisitos Avaliação da Solução Elicitação e Colaboração
  • 8. The Full Stack Agile Business Analysis Model O QUE É? Um modelo de análise concebido para explicar as relações causais que determinam o sucesso de uma Transformação Ágil nas perspectivas de Pessoas, Processos, Produtos e Negócios, a partir da Gestão, Cultura e Liderança organizacional. Parzianello e Piveta, 2017 PARA QUE SERVE? 1) Auxiliar no desenvolvimento da estratégia de transformação e aceleração de resultados. 2) Identificar gaps de liderança, gestão e cultura organizacional para a nova economia. 3) Orientar gestores e membros da equipe de transformação nos modelos de liderança necessários. QUAIS OS FUNDAMENTOS? Este modelo tem como base de seus elementos e composição: 1) Níveis Lógicos de Aprendizagem e Mudança, de Robert Dilts (PNL). 2) Horizontes de Planejamento da Agile Extension to the BABOK 2.0 3) Elementos das abordagens Lean, Modern Agile e ExO.
  • 9. ResultadosEmpresa Um Modelo para a Transformação Organizacional EngajamentoIndivíduo Horizonte da Execução Atitudes, Práticas, Hábitos e Artefatos Perspectiva dos Processos CURTO PRAZO Horizonte das Iniciativas Conhecimentos e Habilidades Perspectiva dos Produtos e Serviços MÉDIO PRAZO Horizonte da Estratégia Estados Emocionais Perspectiva dos Negócios LONGO PRAZO Horizonte da Liderança Identidade e Missão Perspectiva de Pessoas TRANSCENDÊNCIA Cultura Experiências Capacidades Organizacionais Propósito Ambientes e Comportamentos Crenças e Valores
  • 10. < Δt New capabilities been developed during this time? Digital and Exponential Organizations
  • 11. “Não desperdice meu tempo e dinheiro!” Frank Robinson in 2001
  • 12. 1. Foco no que agregue valor para o negócio. 2. Identificação de como é gerado o valor, com a redução de desperdícios e ciclos de produção. 3. Criação de fluxo contínuo, com a eliminação dos grandes lotes, trabalho inacabado e variabilidade do processo. 4. Produção sob demanda, com a eliminação dos estoques desnecessários. 5. Cultura da melhoria contínua em todos os aspectos da organização. Século XX  EFICIÊNCIA Século XXI  EFICÁCIA Um Pensamento Enxuto
  • 13. MANIFESTO ÁGIL (2001) Estamos descobrindo melhores formas de desenvolver software, fazendo-o nós mesmos e ajudando os outros a fazerem o mesmo. Através deste trabalho, passamos a valorizar: Indivíduos e suas relações mais que processos e ferramentas Software em funcionamento (soluções efetivas) mais que documentação abrangente Colaboração com o cliente mais que negociação de contratos Responder a mudanças mais que seguir um plano Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, valorizamos mais os itens à esquerda. 17 gurus do desenvolvimento de software baseados em métodos sendo consolidados desde os anos 80. The Heart of Agile Alistair Cockburn Entregar Colaborar Refletir Melhorar
  • 14. PROCESSOPRODUTOCULTURA 12 Princípios do Manifesto Ágil 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 Compreender as mudançasEntregar em ciclos curtos Colaborar na criação Evitar desperdícios Ritmo sustentável Comunicar e interagir Empoderar a equipe Agregar valor ao cliente Produtos que funcionem Confiar e dar suporte Buscar a excelência Melhorar continuamente
  • 15. Modern Agile by Joshua Kerievsky Experimentar e aprender rapidamente Tornar as pessoas incríveis Entregar valor continuamente Tornar a segurança um pré-requisito Agilidade Moderna
  • 16. Um Modelo para a Transformação Organizacional Horizonte da Execução Atitudes, Práticas, Hábitos e Artefatos Horizonte das Iniciativas Conhecimentos e Habilidades Ambientes e Comportamentos Perspectiva dos Processos Perspectiva dos Produtos e Serviços Horizonte da Estratégia Estados Emocionais Perspectiva dos Negócios Capacidades Organizacionais Crenças e Valores Horizonte da Liderança Identidade e Missão Propósito Perspectiva de Pessoas Como CURTO PRAZO MÉDIO PRAZO LONGO PRAZO Porque TRANSCENDÊNCIA Perspectiva do Cliente O Que ENCANTAMENTO ResultadosEmpresa EngajamentoIndivíduo Cultura Experiências Resultados Incríveis Experiências Incríveis Engajamento Gestão Pessoas e Tecnologias Incríveis April, 2016January, 2011
  • 17. The Full Stack Agile Business Analysis Model Horizonte da Execução Atitudes, Práticas, Hábitos e Artefatos Horizonte das Iniciativas Conhecimentos e Habilidades Ambientes e Comportamentos Perspectiva dos Processos Perspectiva dos Produtos e Serviços Horizonte da Estratégia Estados Emocionais Perspectiva dos Negócios Capacidades Organizacionais Crenças e Valores Horizonte da Liderança Identidade e Missão Propósito Perspectiva de Pessoas Como CURTO PRAZO MÉDIO PRAZO LONGO PRAZO Porque TRANSCENDÊNCIA Perspectiva do Cliente O Que ENCANTAMENTO Gestão Empresa Indivíduo Cultura Resultados Incríveis Experiências Incríveis Engajamento Fluxo de Valor, Inspeção e Adaptação Foco no Cliente, Experimentação e Aprendizagem Foco no Mercado, Crescimento e Inovação Inspiração, Transformação e Confiança Pessoas e Tecnologias Incríveis
  • 18. The Full Stack Agile Business Analysis Model Horizonte da Execução Atitudes, Práticas, Hábitos e Artefatos Horizonte das Iniciativas Conhecimentos e Habilidades Ambientes e Comportamentos Perspectiva dos Processos Perspectiva dos Produtos e Serviços Horizonte da Estratégia Estados Emocionais Perspectiva dos Negócios Capacidades Organizacionais Crenças e Valores Horizonte da Liderança Identidade e Missão Propósito Perspectiva de Pessoas Como CURTO PRAZO MÉDIO PRAZO LONGO PRAZO Porque TRANSCENDÊNCIA Perspectiva do Cliente O Que ENCANTAMENTO Gestão Pessoas e Tecnologias Incríveis Empresa Indivíduo Cultura Resultados Incríveis Experiências Incríveis Engajamento Fluxo de Valor, Inspeção e Adaptação Foco no Cliente, Experimentação e Aprendizagem Foco no Mercado, Crescimento e Inovação Inspiração, Transformação e Confiança Team Product Owner Business Owner Líder Coach Líder Visionário
  • 19. The Full Stack Agile Business Analysis Model APRENDIZADOS UTILIZANDO O MODELO: 1) Resultados rápidos podem ser conquistados no horizonte da EXECUÇÃO, a partir de iniciativas bottom-up focadas no discovery e delivery na perspectiva de PROCESSO, com abordagens como Scrum e Kanban. 2) A evolução dos processos irá trazer à tona inúmeros gaps de capacidade na perspectiva de PRODUTOS e SERVIÇOS. INICIATIVAS bottom-up devem contemplar o discovery e delivery de novas capacidades organizacionais a partir da experimentação e aprendizagem junto ao cliente, com abordagens como Design Thinking e Lean Inception. 3) Três meses são suficientes para observarmos resultados efetivos de mudança (cases) com esta abordagem. 4) A evolução de produtos e serviços irá trazer à tona inúmeros gaps de capacidade na perspectiva de NEGÓCIO. É neste momento que uma iniciativa top-down passa a suportar as demais iniciativas bottom-up da transformação, focando no discovery e delivery do horizonte da ESTRATÉGIA, com abordagens exponenciais. 5) Para todos os HORIZONTES e PERSPECTIVAS, o maior gargalo da transformação tem sido a falta de liderança em gestores e membros das equipes de mudança. Uma liderança Visionária, Coach e Participativa torna-se imperativa neste cenário de transformação. 6) Um segundo ciclo de 3 meses é suficiente para observarmos resultados efetivos na abordagem top-down.
  • 20. Onde: 𝑹𝒊 representa os resultados incríveis produzidos pelo negócio, ∆𝒕 representa o tempo necessário para a conquista desses resultados, 𝑷𝒊 e 𝑻𝒊 representam as pessoas e tecnologias incríveis que alavancarão os resultados, 𝑬𝒊 representa as experiências incríveis das partes interessadas que alavancarão o negócio. Negócio Incrível = Ri Ei Pi + Ti A Fórmula dos Negócios Incríveis da Nova Economia Δt × Parzianello e Piveta, 2017