SlideShare uma empresa Scribd logo
Todos Envolvidos
na Missão!
A Dinâmica do
Testemunho
No plano divino, a missão “deveria” ser cumprida com a
participação de cada cristão. Jesus nos deu a missão e nos
ensinou como evangelizar o mundo. A pregação do evangelho,
para Ele, não é algo que você passa fazer somente no tempo
livre. É um estilo de vida. Cada cristão deve iluminar o mundo
com sua vida e procurar uma pessoa no círculo dos seus amigos,
familiares, vizinhos e colegas de trabalho, para levá-la a Jesus.
André começou a seguir a Jesus
graças ao testemunho de seu mestre João
Batista.
O testemunho de João foi direcionado
aos seus discípulos. Entre eles existia um
relacionamento de amizade.
Está comprovado que o testemunho de
um conhecido é mais poderoso que o de
uma pessoa desconhecida. Se você deseja
ter sucesso ao compartilhar o evangelho,
é melhor começar com seus amigos.
A Dinâmica do Testemunho
Todos Envolvidos na Missão
Quemfoi umdos
primeiros seguidores de
Jesus?
(João 1:35-37 e 40)
“Todo verdadeiro discípulo nasce no reino
de Deus como missionário”
(O Desejado de Todas as Nações, p. 128).
 Missionário é aquele que cumpre a
missão. Descobre Jesus e não pode
permanecer calado. Compartilha sua
descoberta com outros.
Você já compartilhou sua fé hoje com outros?
Pense nas pessoas com as quais se relaciona:
Quantas ainda não conhecem Jesus?
A Dinâmica do Testemunho
Todos Envolvidos na Missão
O que o Espirito de
Profeciadiz sobre os que
nascemno reino de Deus?
André achou primeiramente Pedro. O
verbo-chave aqui é “achar”. Você não pode
achar o que não está procurando.
André procurou por Pedro, que, além de
ser seu irmão, era seu colega de trabalho.
Ambos eram pescadores.
Poucas pessoas estão dispostas a prestar
atenção a desconhecidos. André teve
resultados ao evangelizar Pedro, porque
ambos eram irmãos.
A Dinâmica do Testemunho
Todos Envolvidos na Missão
Qual foi a primeira coisa
que André fez após se
tornar umseguidor de
Jesus?
(João1:41)
Filipe era de Betsaida, a cidade de André e
Pedro. Isso sugere a ideia de que foi Pedro quem o
procurou e lhe contou sobre Jesus.
Betsaida era uma região pequena e ficava nos
arredores de Cafarnaum, que também era uma
cidade pequena. Nas cidades pequenas todos se
conhecem. Então, Pedro aproveitou a oportunidade
para evangelizar seu vizinho Felipe.
“Em Sua sabedoria, o Senhor põe os que estão
à procura da verdade em contato com seus
semelhantes que a conhecem. É plano do Céu que
os que receberam a luz a comuniquem aos que se
acham em trevas” (Atos dos Apóstolos, p. 75).
Você está cumprindo o plano divino em sua vida?
A Dinâmica do Testemunho
Todos Envolvidos na Missão
Jesus quando chegouà Galileia,
achouFilipe e o convidoupara
segui-Lo. Quem
tinha evangelizado Filipe?
(João1:43, 44)
“No círculo familiar, no lar do vizinho, à
cabeceira do doente, de maneira tranquila
podeis ler as Escrituras e falar acerca de
Jesus e da verdade”
(Testemunhos Seletos, v. 3, p. 62).
A Dinâmica do Testemunho
Todos Envolvidos na Missão
Onde deveríamos falar de
Jesus às pessoas?
Você não pode começar
tentando convencer as pessoas
sobre suas novas convicções. Isso
levantaria preconceitos que depois
se transformariam em muros
intransponíveis.
 Você precisa mudar de atitude.
 Seja amável e cortês.
Ellen White afirma:
“Cristo orientou: “Aprendei de Mim, [...] e encontrareis descanso para
a vossa alma” (Mateus 11:29). Por que não aprendemos diariamente do
Salvador? Por que não vivemos em constante comunhão com Ele, de
modo que em nossos vínculos uns com os outros, possamos falar e agir
bondosa e cortesmente? Por que não honramos o Salvador ao
manifestarmos ternura e amor uns pelos outros? Se falarmos e
agirmos em harmonia com os princípios do Céu, os descrentes
serão aproximados de Cristo ao se associarem conosco”
(Testemunhos Para a Igreja, v. 9, p. 190).
Ellen White escreveu:
“Filipe sabia que seu amigo estava
examinando as profecias e, enquanto
Natanael orava sob uma figueira, descobriu-
lhe o retiro. Muitas vezes haviam orado juntos
nesse isolado lugar, ocultos pela folhagem”.
(O Desejado de Todas as Nações, p. 140).
Perceba as expressões “amigo” e “haviam
orado juntos”. Isso é a chave se você deseja
ter sucesso no cumprimento da missão: Um
amigo conta para outro o que Jesus fez na
sua vida.
A Dinâmica do Testemunho
Todos Envolvidos na Missão
O que Filipe fez após sua
conversão?
(João1:45)
“Com a vocação de João, André e Simão,
Filipe e Natanael, começou o fundamento da
igreja cristã. João dirigiu dois de seus discípulos
a Cristo. Então, um deles, André, achou a seu
irmão, e chamou-o para o Salvador. Foi logo
chamado Filipe, e este foi em busca de
Natanael. Esses exemplos nos devem ensinar a
importância do esforço pessoal, de fazer apelos
diretos a nossos parentes, amigos e vizinhos
[...]. Na própria família, na vizinhança, na
cidade em que residimos há trabalho para
fazermos como missionários de Cristo”.
(O Desejado de Todas as Nações, p. 141).
A Dinâmica do Testemunho
Todos Envolvidos na Missão
No plano divino, qual é o
melhor lugar para
evangelizar?
Foi assim que começaram a divulgação do
evangelho e a formação da igreja cristã, e, se quisermos
terminar a missão, precisamos ensinar a cada membro
da igreja a procurar um familiar, conhecido, colega de
trabalho ou um amigo e levá-lo a Jesus.
“Muitos há que necessitam do serviço de
amoráveis corações cristãos. Têm-se imergido
na ruína muitos que poderiam ter sido salvos,
houvessem seus vizinhos, homens e mulheres
comuns, se esforçado em benefício deles.
Muitos há à espera de que alguém se lhes dirija
pessoalmente. Na própria família, na
vizinhança, na cidade em que residimos há
trabalho para fazermos como missionários de
Cristo”.
(O Desejado de Todas as Nações, p. 141).
A Dinâmica do Testemunho
Todos Envolvidos na Missão
O que o Espírito de Profecia diz
em relação a nossa
responsabilidade para com as
pessoas que conhecemos?
A Dinâmica do Testemunho
Todos Envolvidos na Missão
O que a Bíblia diz em relação a
nossa responsabilidade de
testemunhar as pessoas?
 Ezequiel 3:17-18
 Ezequiel 33:1-6 e 7-9
 Isaías 43:10-11
 Atos 1:8
 Apocalipse 10:11
 Apocalipse 14:6-12
O mundo já estaria evangelizado se
tivéssemos seguido o plano mestre de
Jesus Cristo e nos preocupado em motivar
cada membro da igreja a procurar seus
amigos, familiares e vizinhos. Porém,
infelizmente, o plano divino se tornou “mais
um método” em meio de tantos outros.
A Dinâmica do Testemunho
Todos Envolvidos na Missão
Entendo que o plano original de Jesus é
que cada cristão procure seus amigos,
familiares e conhecidos, levando-lhes a luz
do evangelho. Por isso, decido procurar no
meu círculo de amizade as pessoas que
evangelizarei.
Começarei, hoje, escrevendo o nome e o
telefone de cinco delas, para estar
visitando-às durante a semana.
Minha
Decisão!
Todos Envolvidos na Missão
A Dinâmica do Testemunho
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx

Lição 4 - Ele Sim !
Lição 4 - Ele Sim !Lição 4 - Ele Sim !
Lição 4 - Ele Sim !
Éder Tomé
 
Cat04
Cat04Cat04
Caminho para o encantamento missionário
Caminho para o encantamento missionárioCaminho para o encantamento missionário
Caminho para o encantamento missionário
Paróquia Nossa Senhora das Mercês
 
Novena ao Padroeiro Santo André 2010
Novena ao Padroeiro Santo André 2010Novena ao Padroeiro Santo André 2010
Novena ao Padroeiro Santo André 2010
José Vieira Dos Santos
 
Encontro com o Padroeiro Santo André 2011
Encontro com o Padroeiro Santo André 2011Encontro com o Padroeiro Santo André 2011
Encontro com o Padroeiro Santo André 2011
José Vieira Dos Santos
 
Encontro com Cristo
Encontro com CristoEncontro com Cristo
Encontro com Cristo
mcredentorista
 
Cartapastoral 2out2011
Cartapastoral 2out2011Cartapastoral 2out2011
Cartapastoral 2out2011
João Rufino de Sales
 
Evangelismo pessoal
Evangelismo pessoalEvangelismo pessoal
Evangelismo pessoal
Antonio Filho
 
Say-Yes-.-apresentação-do-projeto-Diocese-do-PORTO.ppt
Say-Yes-.-apresentação-do-projeto-Diocese-do-PORTO.pptSay-Yes-.-apresentação-do-projeto-Diocese-do-PORTO.ppt
Say-Yes-.-apresentação-do-projeto-Diocese-do-PORTO.ppt
alessandraoliveira324
 
Lição 6 as funções da igreja
Lição  6  as funções da igrejaLição  6  as funções da igreja
Lição 6 as funções da igreja
César Aguiar
 
A função de discipulado da igreja
A função de discipulado da igrejaA função de discipulado da igreja
A função de discipulado da igreja
Pr. Carlos Magno Ramos
 
Lição 6 a igreja e a obra missionária
Lição 6 a igreja e a obra missionáriaLição 6 a igreja e a obra missionária
Lição 6 a igreja e a obra missionária
Adriana Cunha
 
Curso basico de evangelismo
Curso basico de evangelismoCurso basico de evangelismo
Curso basico de evangelismo
Antonio Rodrigues
 
Comunhão e mutualidade
Comunhão e  mutualidadeComunhão e  mutualidade
Comunhão e mutualidade
Cleudson Corrêa
 
Mensagem do papa bento xvi
Mensagem do papa bento xviMensagem do papa bento xvi
Mensagem do papa bento xvi
Leutherio
 
Lição 1 - A tarefa de testemunhar de Cristo
Lição 1 - A tarefa de testemunhar de CristoLição 1 - A tarefa de testemunhar de Cristo
Lição 1 - A tarefa de testemunhar de Cristo
Éder Tomé
 
6º Encontro ano da fé documento de aparecida
6º Encontro ano da fé   documento de aparecida6º Encontro ano da fé   documento de aparecida
6º Encontro ano da fé documento de aparecida
Comunidade Católica NS Candelária Indaiatuba
 
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Robson Santana
 
redentoristando-pedro.blogspot.com
redentoristando-pedro.blogspot.comredentoristando-pedro.blogspot.com
redentoristando-pedro.blogspot.com
pmgv5
 
blog do irmão pedro magalhaes
blog do irmão pedro magalhaesblog do irmão pedro magalhaes
blog do irmão pedro magalhaes
pmgv5
 

Semelhante a O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx (20)

Lição 4 - Ele Sim !
Lição 4 - Ele Sim !Lição 4 - Ele Sim !
Lição 4 - Ele Sim !
 
Cat04
Cat04Cat04
Cat04
 
Caminho para o encantamento missionário
Caminho para o encantamento missionárioCaminho para o encantamento missionário
Caminho para o encantamento missionário
 
Novena ao Padroeiro Santo André 2010
Novena ao Padroeiro Santo André 2010Novena ao Padroeiro Santo André 2010
Novena ao Padroeiro Santo André 2010
 
Encontro com o Padroeiro Santo André 2011
Encontro com o Padroeiro Santo André 2011Encontro com o Padroeiro Santo André 2011
Encontro com o Padroeiro Santo André 2011
 
Encontro com Cristo
Encontro com CristoEncontro com Cristo
Encontro com Cristo
 
Cartapastoral 2out2011
Cartapastoral 2out2011Cartapastoral 2out2011
Cartapastoral 2out2011
 
Evangelismo pessoal
Evangelismo pessoalEvangelismo pessoal
Evangelismo pessoal
 
Say-Yes-.-apresentação-do-projeto-Diocese-do-PORTO.ppt
Say-Yes-.-apresentação-do-projeto-Diocese-do-PORTO.pptSay-Yes-.-apresentação-do-projeto-Diocese-do-PORTO.ppt
Say-Yes-.-apresentação-do-projeto-Diocese-do-PORTO.ppt
 
Lição 6 as funções da igreja
Lição  6  as funções da igrejaLição  6  as funções da igreja
Lição 6 as funções da igreja
 
A função de discipulado da igreja
A função de discipulado da igrejaA função de discipulado da igreja
A função de discipulado da igreja
 
Lição 6 a igreja e a obra missionária
Lição 6 a igreja e a obra missionáriaLição 6 a igreja e a obra missionária
Lição 6 a igreja e a obra missionária
 
Curso basico de evangelismo
Curso basico de evangelismoCurso basico de evangelismo
Curso basico de evangelismo
 
Comunhão e mutualidade
Comunhão e  mutualidadeComunhão e  mutualidade
Comunhão e mutualidade
 
Mensagem do papa bento xvi
Mensagem do papa bento xviMensagem do papa bento xvi
Mensagem do papa bento xvi
 
Lição 1 - A tarefa de testemunhar de Cristo
Lição 1 - A tarefa de testemunhar de CristoLição 1 - A tarefa de testemunhar de Cristo
Lição 1 - A tarefa de testemunhar de Cristo
 
6º Encontro ano da fé documento de aparecida
6º Encontro ano da fé   documento de aparecida6º Encontro ano da fé   documento de aparecida
6º Encontro ano da fé documento de aparecida
 
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
 
redentoristando-pedro.blogspot.com
redentoristando-pedro.blogspot.comredentoristando-pedro.blogspot.com
redentoristando-pedro.blogspot.com
 
blog do irmão pedro magalhaes
blog do irmão pedro magalhaesblog do irmão pedro magalhaes
blog do irmão pedro magalhaes
 

Último

Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
mfixa3824
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
AlexandreJr7
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
OBrasilParaCristoRad
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
LaerciodeSouzaSilva1
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 

Último (20)

Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 

O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx

  • 3. No plano divino, a missão “deveria” ser cumprida com a participação de cada cristão. Jesus nos deu a missão e nos ensinou como evangelizar o mundo. A pregação do evangelho, para Ele, não é algo que você passa fazer somente no tempo livre. É um estilo de vida. Cada cristão deve iluminar o mundo com sua vida e procurar uma pessoa no círculo dos seus amigos, familiares, vizinhos e colegas de trabalho, para levá-la a Jesus.
  • 4. André começou a seguir a Jesus graças ao testemunho de seu mestre João Batista. O testemunho de João foi direcionado aos seus discípulos. Entre eles existia um relacionamento de amizade. Está comprovado que o testemunho de um conhecido é mais poderoso que o de uma pessoa desconhecida. Se você deseja ter sucesso ao compartilhar o evangelho, é melhor começar com seus amigos. A Dinâmica do Testemunho Todos Envolvidos na Missão Quemfoi umdos primeiros seguidores de Jesus? (João 1:35-37 e 40)
  • 5. “Todo verdadeiro discípulo nasce no reino de Deus como missionário” (O Desejado de Todas as Nações, p. 128).  Missionário é aquele que cumpre a missão. Descobre Jesus e não pode permanecer calado. Compartilha sua descoberta com outros. Você já compartilhou sua fé hoje com outros? Pense nas pessoas com as quais se relaciona: Quantas ainda não conhecem Jesus? A Dinâmica do Testemunho Todos Envolvidos na Missão O que o Espirito de Profeciadiz sobre os que nascemno reino de Deus?
  • 6. André achou primeiramente Pedro. O verbo-chave aqui é “achar”. Você não pode achar o que não está procurando. André procurou por Pedro, que, além de ser seu irmão, era seu colega de trabalho. Ambos eram pescadores. Poucas pessoas estão dispostas a prestar atenção a desconhecidos. André teve resultados ao evangelizar Pedro, porque ambos eram irmãos. A Dinâmica do Testemunho Todos Envolvidos na Missão Qual foi a primeira coisa que André fez após se tornar umseguidor de Jesus? (João1:41)
  • 7. Filipe era de Betsaida, a cidade de André e Pedro. Isso sugere a ideia de que foi Pedro quem o procurou e lhe contou sobre Jesus. Betsaida era uma região pequena e ficava nos arredores de Cafarnaum, que também era uma cidade pequena. Nas cidades pequenas todos se conhecem. Então, Pedro aproveitou a oportunidade para evangelizar seu vizinho Felipe. “Em Sua sabedoria, o Senhor põe os que estão à procura da verdade em contato com seus semelhantes que a conhecem. É plano do Céu que os que receberam a luz a comuniquem aos que se acham em trevas” (Atos dos Apóstolos, p. 75). Você está cumprindo o plano divino em sua vida? A Dinâmica do Testemunho Todos Envolvidos na Missão Jesus quando chegouà Galileia, achouFilipe e o convidoupara segui-Lo. Quem tinha evangelizado Filipe? (João1:43, 44)
  • 8. “No círculo familiar, no lar do vizinho, à cabeceira do doente, de maneira tranquila podeis ler as Escrituras e falar acerca de Jesus e da verdade” (Testemunhos Seletos, v. 3, p. 62). A Dinâmica do Testemunho Todos Envolvidos na Missão Onde deveríamos falar de Jesus às pessoas?
  • 9. Você não pode começar tentando convencer as pessoas sobre suas novas convicções. Isso levantaria preconceitos que depois se transformariam em muros intransponíveis.  Você precisa mudar de atitude.  Seja amável e cortês.
  • 10. Ellen White afirma: “Cristo orientou: “Aprendei de Mim, [...] e encontrareis descanso para a vossa alma” (Mateus 11:29). Por que não aprendemos diariamente do Salvador? Por que não vivemos em constante comunhão com Ele, de modo que em nossos vínculos uns com os outros, possamos falar e agir bondosa e cortesmente? Por que não honramos o Salvador ao manifestarmos ternura e amor uns pelos outros? Se falarmos e agirmos em harmonia com os princípios do Céu, os descrentes serão aproximados de Cristo ao se associarem conosco” (Testemunhos Para a Igreja, v. 9, p. 190).
  • 11. Ellen White escreveu: “Filipe sabia que seu amigo estava examinando as profecias e, enquanto Natanael orava sob uma figueira, descobriu- lhe o retiro. Muitas vezes haviam orado juntos nesse isolado lugar, ocultos pela folhagem”. (O Desejado de Todas as Nações, p. 140). Perceba as expressões “amigo” e “haviam orado juntos”. Isso é a chave se você deseja ter sucesso no cumprimento da missão: Um amigo conta para outro o que Jesus fez na sua vida. A Dinâmica do Testemunho Todos Envolvidos na Missão O que Filipe fez após sua conversão? (João1:45)
  • 12. “Com a vocação de João, André e Simão, Filipe e Natanael, começou o fundamento da igreja cristã. João dirigiu dois de seus discípulos a Cristo. Então, um deles, André, achou a seu irmão, e chamou-o para o Salvador. Foi logo chamado Filipe, e este foi em busca de Natanael. Esses exemplos nos devem ensinar a importância do esforço pessoal, de fazer apelos diretos a nossos parentes, amigos e vizinhos [...]. Na própria família, na vizinhança, na cidade em que residimos há trabalho para fazermos como missionários de Cristo”. (O Desejado de Todas as Nações, p. 141). A Dinâmica do Testemunho Todos Envolvidos na Missão No plano divino, qual é o melhor lugar para evangelizar?
  • 13. Foi assim que começaram a divulgação do evangelho e a formação da igreja cristã, e, se quisermos terminar a missão, precisamos ensinar a cada membro da igreja a procurar um familiar, conhecido, colega de trabalho ou um amigo e levá-lo a Jesus.
  • 14. “Muitos há que necessitam do serviço de amoráveis corações cristãos. Têm-se imergido na ruína muitos que poderiam ter sido salvos, houvessem seus vizinhos, homens e mulheres comuns, se esforçado em benefício deles. Muitos há à espera de que alguém se lhes dirija pessoalmente. Na própria família, na vizinhança, na cidade em que residimos há trabalho para fazermos como missionários de Cristo”. (O Desejado de Todas as Nações, p. 141). A Dinâmica do Testemunho Todos Envolvidos na Missão O que o Espírito de Profecia diz em relação a nossa responsabilidade para com as pessoas que conhecemos?
  • 15. A Dinâmica do Testemunho Todos Envolvidos na Missão O que a Bíblia diz em relação a nossa responsabilidade de testemunhar as pessoas?  Ezequiel 3:17-18  Ezequiel 33:1-6 e 7-9  Isaías 43:10-11  Atos 1:8  Apocalipse 10:11  Apocalipse 14:6-12
  • 16. O mundo já estaria evangelizado se tivéssemos seguido o plano mestre de Jesus Cristo e nos preocupado em motivar cada membro da igreja a procurar seus amigos, familiares e vizinhos. Porém, infelizmente, o plano divino se tornou “mais um método” em meio de tantos outros. A Dinâmica do Testemunho Todos Envolvidos na Missão
  • 17. Entendo que o plano original de Jesus é que cada cristão procure seus amigos, familiares e conhecidos, levando-lhes a luz do evangelho. Por isso, decido procurar no meu círculo de amizade as pessoas que evangelizarei. Começarei, hoje, escrevendo o nome e o telefone de cinco delas, para estar visitando-às durante a semana. Minha Decisão! Todos Envolvidos na Missão A Dinâmica do Testemunho