SlideShare uma empresa Scribd logo
O Impiedoso mundo de lameque
"E viu o Senhor que a maldade do
homem se multiplicara sobre a terra e
que toda imaginação dos pensamentos
de seu coração era só má
continuamente."(
Gn 6.5)
O mundo de Lameque em nada diferia
do nosso; resistindo à graça de Deus,
entregaram-se à devassidão, à violência
e à resistência ao Espírito Santo.
O temor do Senhor é o princípio da
sabedoria; bom entendimento têm todos
os que lhe obedecem; o seu louvor
permanece para sempre.
Sl 111:10
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Gênesis 6.1-8
1 - E aconteceu que, como os homens começaram a
multiplicar-se sobre a face da terra, e lhes nasceram
filhas,
2 - viram os filhos de Deus que as filhas dos homens
eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas
as que escolheram.
3 - Então, disse o Senhor: Não contenderá o meu
Espírito para sempre com o homem, porque ele
também é carne; porém os seus dias serão cento e
vinte anos.
4 - Havia, naqueles dias, gigantes na terra; e também
depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas
dos homens e delas geraram filhos; estes eram os
valentes que houve na antiguidade, os varões de
fama.
5 - E viu o Senhor que a maldade do homem se
multiplicara sobre a terra e que toda imaginação dos
pensamentos de seu coração era só má
continuamente.
6 - Então, arrependeu-se o Senhor de haver feito o
homem sobre a terra, e pesou-lhe em seu coração.
7 - E disse o Senhor: Destruirei, de sobre a face da
terra, o homem que criei, desde o homem até ao
animal, até ao réptil e até à ave dos céus; porque me
arrependo de os haver feito.
8 - Noé, porém, achou graça aos olhos do Senhor.
O exemplo de Caim não demorou a generalizar-se. Se
por um lado, sua descendência destaca-se por
empreendedores como Jabal e Jubal, por outro, é
corrompida por homens devassos e violentos como
Lameque. Primeiro bígamo da história, este viria a se
notabilizar também por haver assassinado futilmente
duas pessoas. E, para comemorar o feito, compôs um
poema.
Os pecados de Caim
e Lameque
alastraram-se de tal
maneira que viriam a
depravar, inclusive, a
linhagem piedosa de
Sete.
Vivemos dias
semelhantes. A
devassidão e a
violência nunca
foram tão exaltadas.
Esta geração existe como se não houvesse Deus.
Entretanto, perto está o dia do juízo sobre os
praticantes da iniquidade.
Lameque é o mais perfeito símbolo da depravação
total daquele período.
Apesar da Queda, o mundo antediluviano era farto e
pródigo. Sua ecologia era perfeita; sua tecnologia,
considerável.
1. Fartura de pão. A Terra, embora amaldiçoada, era
fértil e nada retinha à primeira civilização. Todos
comiam e bebiam à vontade (Mt 24.38,39). O pão
não precisava ser racionado, o azeite era abundante e
o vinho escorria dos lagares.
Tem-se a impressão de que as pessoas daquela época
viviam em permanente festança. Ninguém era capaz
de reconhecer que do Senhor é a Terra e a sua
plenitude (Sl 24.1).
2. Saúde perfeita. Tais
facilidades propiciaram aos
antediluvianos uma saúde
perfeita. Não era incomum
encontrar pessoas de quase
mil anos (Gn 5.27). Na
genealogia de Adão,
deparamo-nos com homens
mais velhos que muitos dos
países do mundo.
Imaginemos a folha corrida de um pecador de 900
anos. Nove séculos de completa depravação. Quantos
roubos, assassinatos, adultérios, mentiras e
intolerâncias. Aos olhos do santo Deus, era algo
abominável.
3. Beleza perfeita. Se a
saúde era perfeita, a
beleza daquela geração
era singular, haja vista
a formosura das filhas
de Lameque. Não
demorou para que
viessem a encantar os
filhos de Sete (Gn
6.1,2).
Imitando a bigamia de Lameque, estes homens,
outrora tão piedosos, tornaram-se polígamos
incorrigíveis
Com tanta comida e bebida, por que não viver em
prazeres? Já que a vida era contada em séculos,
ninguém haveria de morrer amanhã. Sua filosofia não
era apenas a busca pelo prazer, mas também
diabolicamente libertina. Aquela geração não possuía
qualquer referência moral ou ética.
4. Tecnologia avançada. O mundo de Lameque podia
ostentar um surpreendente avanço tecnológico.
Adão ainda vivia quando Tubalcaim começou a
dedicar-se à metalurgia. Este foi um homem, filho de
Lameque e de Zilá, se tornou conhecido pela sua
habilidade em lidar com o cobre e o ferro (Gn 4.22)
Além da metalurgia, aquela
geração sabia como
trabalhar a madeira e a
cerâmica. O próprio Noé,
aliás, não teve dificuldades
técnicas em construir a
Arca, nem os seus
descendentes, após o
Dilúvio, viram-se impedidos
de erguer a Torre de Babel.
O mundo de Lameque era ingrato e cruel. Voltando-
se contra o Senhor, seus descendentes cometeram os
pecados mais hediondos e abomináveis
1. Devassidão sexual. O
exemplo de Lameque logo
viria a replicar-se por toda a
descendência de Adão. A
família tradicional foi se
degenerando. Os pecados
sexuais, agora, eram
cometidos como se nada fosse
proibido; não havia limites à
fornicação nem ao adultério.
Até os mesmos descendentes de Sete portaram-se
levianamente em meio àquela imoralidade crassa e
gritante; corromperam-se até o inferno. Relata o
autor sagrado: "Viram os filhos de Deus que as filhas
dos homens eram formosas; e tomaram para si
mulheres de todas as que escolheram" (Gn 6.2).
2. Violência sem limites. Os excessos daquela gente
redundaram numa geração truculenta e implacável.
Os assassinos eram cultuados como heróis:
"Havia, naqueles dias, gigantes na terra; e também
depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas
dos homens e delas geraram filhos; estes eram os
valentes que houve na antiguidade, os varões de
fama" (Gn 6.4).
O que dizer do
nosso tempo?
Embora não sejamos
tão fortes, nem tão
longevos, em nada
diferençamo-nos
dos filhos de
Lameque. Nunca o
homem fez-se tão
imoral quanto hoje.
3. Resistência à graça divina. Por muito tempo, o
Espírito de Deus instou junto àquela geração para
que se convertesse e deixasse seus maus caminhos.
Chegou, porém, o dia em que Deus deu um basta em
tudo aquilo.
Declarou o Senhor: "Não contenderá o meu Espírito
para sempre com o homem, porque ele também é
carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos"
(Gn 6.3)
A graça de Deus, ainda que perfeita e infalível, pode
ser resistida, haja vista a geração que saíra do Egito
rumo a Canaã. Não obstante os milagres que
presenciara, endureceu o seu coração de tal forma,
que veio a ser rejeitada pelo Senhor (Hb 3.8).
Isso significa que, mesmo hoje, há crentes que
reagem contrariamente à graça divina (Hb 3.15). Sim,
apesar de saber que o juízo divino é certo.
Noé pregou aos seus contemporâneos durante muito
tempo. Mesmo assim, a sua geração não se curvou
aos apelos divinos. Que diferença dos ninivitas, que
deram ouvidos à pregação de Jonas (Jn 3.10).
1. A pregação de Noé. Apresentado como pregador
da justiça, Noé cumpriu um longo e penoso
ministério (2 Pe 2.5). Enquanto se dava à construção
da arca, conclamava seus contemporâneos ao
arrependimento (1 Pe 3.20).
Se levarmos em conta Gênesis
6.3, concluiremos que o seu
ofício de pregoeiro teve a
duração de 120 anos. Sem
dúvida, foi o mais longo
ministério profético da Bíblia.
Ele pregava com a voz e com
as obras. A construção da arca,
em si, já era uma pregação
carregada de eloquência.
2. Uma geração corrompida. Apesar das instâncias de
Noé, seus contemporâneos corrompiam-se de tal
forma, que se tornaram totalmente depravados.
Ao Senhor, portanto, não restava outra alternativa a
não ser destruir toda aquela civilização: "O fim de
toda carne é vindo perante a minha face; porque a
terra está cheia de violência; e eis que os desfarei
com a terra" (Gn 6.13).
A geração atual assemelha-se à de Noé. Apesar da
pregação do Evangelho, a iniquidade multiplica-se de
tal modo que chega a contaminar, inclusive, o amor
dos fiéis (Mt 24.12). Comem, bebem e entregam-se à
sensualidade, como se não houvesse Deus.
À semelhança de Noé,
proclamemos a Palavra de Deus
a tempo e a fora de tempo; esta
é a nossa missão. Se nos
conformarmos com o mundo,
que esperança haverá aos que
ainda anseiam pelo Evangelho?
Levantemo-nos como
pregoeiros da justiça. Ainda que
soframos zombarias e escárnios,
nossa missão não ficará
inacabada.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Nefilins-Anjos Caídos Extraterrenos
Nefilins-Anjos Caídos ExtraterrenosNefilins-Anjos Caídos Extraterrenos
Nefilins-Anjos Caídos Extraterrenos
Elaine Tomáz Nogueira
 
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
Pr. Andre Luiz
 
8972699 a-trindade-satanica
8972699 a-trindade-satanica8972699 a-trindade-satanica
8972699 a-trindade-satanica
antonio ferreira
 
Sobrevivendo os séculos
Sobrevivendo os séculosSobrevivendo os séculos
Sobrevivendo os séculos
Diego Fortunatto
 
❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR
❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR
❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR
Gerson G. Ramos
 
O povo especial de Deus_Lição original com textos_722013
O povo especial de Deus_Lição original com textos_722013O povo especial de Deus_Lição original com textos_722013
O povo especial de Deus_Lição original com textos_722013
Gerson G. Ramos
 
O impiedoso mundo de lameque final
O impiedoso mundo de lameque   finalO impiedoso mundo de lameque   final
O impiedoso mundo de lameque final
ANTONIO CORDEIRO DA SILVA - ADORADOR
 
Lição 10 - A Origem da Diversidade Cultural da Humanidade
Lição 10 -  A  Origem da Diversidade Cultural da HumanidadeLição 10 -  A  Origem da Diversidade Cultural da Humanidade
Lição 10 - A Origem da Diversidade Cultural da Humanidade
Andrew Guimarães
 
Licao 11 4 t - 2019 - a consequencias do pecado de davi
Licao 11   4 t - 2019 - a consequencias do pecado de daviLicao 11   4 t - 2019 - a consequencias do pecado de davi
Licao 11 4 t - 2019 - a consequencias do pecado de davi
Vilma Longuini
 
Estudo adicional_Nossa missão_932014
Estudo adicional_Nossa missão_932014Estudo adicional_Nossa missão_932014
Estudo adicional_Nossa missão_932014
Gerson G. Ramos
 
Enoque 1 e 2.pdf
Enoque 1 e 2.pdfEnoque 1 e 2.pdf
Enoque 1 e 2.pdf
Val Dias
 
A fronteira final
A fronteira finalA fronteira final
A fronteira final
Bruno Da Montanha
 
Revelation 12
Revelation 12Revelation 12
Revelation 12
Jonatas Cardoso
 
Livro demormon
Livro demormonLivro demormon
Livro demormon
Solange Dal'Evedove
 
O anticristo
O anticristoO anticristo
O anticristo
ESTUDANTETEOLOGIA
 
Apocalipse 012
Apocalipse   012Apocalipse   012
Apocalipse 012
Samuel Fernandes
 
A torre de babel e a nova ordem mundial
A torre de babel e a nova ordem mundialA torre de babel e a nova ordem mundial
A torre de babel e a nova ordem mundial
Eduardo Sousa Gomes
 
Livro de Daniel cap 12
Livro de Daniel cap 12Livro de Daniel cap 12
Livro de Daniel cap 12
Francisco Sousa
 
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
Gerson G. Ramos
 

Mais procurados (19)

Nefilins-Anjos Caídos Extraterrenos
Nefilins-Anjos Caídos ExtraterrenosNefilins-Anjos Caídos Extraterrenos
Nefilins-Anjos Caídos Extraterrenos
 
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
A sobreivência em tempos de crise - Lição 01 - 4º Trimestre de 2016
 
8972699 a-trindade-satanica
8972699 a-trindade-satanica8972699 a-trindade-satanica
8972699 a-trindade-satanica
 
Sobrevivendo os séculos
Sobrevivendo os séculosSobrevivendo os séculos
Sobrevivendo os séculos
 
❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR
❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR
❉ A saga de Jonas_Resp_Liç_432015_GGR
 
O povo especial de Deus_Lição original com textos_722013
O povo especial de Deus_Lição original com textos_722013O povo especial de Deus_Lição original com textos_722013
O povo especial de Deus_Lição original com textos_722013
 
O impiedoso mundo de lameque final
O impiedoso mundo de lameque   finalO impiedoso mundo de lameque   final
O impiedoso mundo de lameque final
 
Lição 10 - A Origem da Diversidade Cultural da Humanidade
Lição 10 -  A  Origem da Diversidade Cultural da HumanidadeLição 10 -  A  Origem da Diversidade Cultural da Humanidade
Lição 10 - A Origem da Diversidade Cultural da Humanidade
 
Licao 11 4 t - 2019 - a consequencias do pecado de davi
Licao 11   4 t - 2019 - a consequencias do pecado de daviLicao 11   4 t - 2019 - a consequencias do pecado de davi
Licao 11 4 t - 2019 - a consequencias do pecado de davi
 
Estudo adicional_Nossa missão_932014
Estudo adicional_Nossa missão_932014Estudo adicional_Nossa missão_932014
Estudo adicional_Nossa missão_932014
 
Enoque 1 e 2.pdf
Enoque 1 e 2.pdfEnoque 1 e 2.pdf
Enoque 1 e 2.pdf
 
A fronteira final
A fronteira finalA fronteira final
A fronteira final
 
Revelation 12
Revelation 12Revelation 12
Revelation 12
 
Livro demormon
Livro demormonLivro demormon
Livro demormon
 
O anticristo
O anticristoO anticristo
O anticristo
 
Apocalipse 012
Apocalipse   012Apocalipse   012
Apocalipse 012
 
A torre de babel e a nova ordem mundial
A torre de babel e a nova ordem mundialA torre de babel e a nova ordem mundial
A torre de babel e a nova ordem mundial
 
Livro de Daniel cap 12
Livro de Daniel cap 12Livro de Daniel cap 12
Livro de Daniel cap 12
 
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
❉ Respostas 612016_Vitória no deserto_GGR
 

Destaque

A Lei, A Carne e o Espírito - Lição 06 - 2º Trimestre de 2016
A Lei, A Carne e o Espírito - Lição 06 - 2º Trimestre de 2016A Lei, A Carne e o Espírito - Lição 06 - 2º Trimestre de 2016
A Lei, A Carne e o Espírito - Lição 06 - 2º Trimestre de 2016
Pr. Andre Luiz
 
09. cheios do espirito santo
09. cheios do espirito santo09. cheios do espirito santo
09. cheios do espirito santo
Jay Wanz
 
Espiritismo e estudos bíblicos rei saul final
Espiritismo e estudos bíblicos rei saul finalEspiritismo e estudos bíblicos rei saul final
Espiritismo e estudos bíblicos rei saul final
LUCAS CANAVARRO
 
O espírito santo no antigo testamento
O espírito santo no antigo testamentoO espírito santo no antigo testamento
O espírito santo no antigo testamento
Leandro Sales
 
Lição 2 a criação dos céus e da terra
Lição 2   a criação dos céus e da terraLição 2   a criação dos céus e da terra
Lição 2 a criação dos céus e da terra
Andrew Guimarães
 
30 as sete pragas
30 as sete pragas30 as sete pragas
30 as sete pragas
Carlos Roberto de Lima
 
Povo hebreu
Povo hebreuPovo hebreu
Povo hebreu
Eliatan Sousa
 
(1) aprendendo com os erros de saul
(1) aprendendo com os erros de saul(1) aprendendo com os erros de saul
(1) aprendendo com os erros de saul
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 
Historia de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unido
Historia de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unidoHistoria de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unido
Historia de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unido
RICARDO CARDOSO
 
Presença e Atuação do Espírito Santo no Antigo Testamento
Presença e Atuação do Espírito Santo no Antigo TestamentoPresença e Atuação do Espírito Santo no Antigo Testamento
Presença e Atuação do Espírito Santo no Antigo Testamento
Rogério Nunes
 
02 a criação dos céus e da terra
02  a criação dos céus e da terra02  a criação dos céus e da terra
02 a criação dos céus e da terra
Márcio Martins
 
O livro de juízes
O livro de juízesO livro de juízes
O livro de juízes
mbrandao7
 
45 Estudo Panorâmico da Bíblia (Juízes)
45   Estudo Panorâmico da Bíblia (Juízes)45   Estudo Panorâmico da Bíblia (Juízes)
45 Estudo Panorâmico da Bíblia (Juízes)
Robson Tavares Fernandes
 
Moisés sua liderança e seus auxiliares
Moisés   sua liderança e seus auxiliaresMoisés   sua liderança e seus auxiliares
Moisés sua liderança e seus auxiliares
Moisés Sampaio
 
História de israel
História de israelHistória de israel
Reis e profetas - aula 1
Reis e profetas  - aula 1Reis e profetas  - aula 1
Reis e profetas - aula 1
Moisés Sampaio
 
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINALIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
Polícia Militar do Estado do Tocantins
 

Destaque (17)

A Lei, A Carne e o Espírito - Lição 06 - 2º Trimestre de 2016
A Lei, A Carne e o Espírito - Lição 06 - 2º Trimestre de 2016A Lei, A Carne e o Espírito - Lição 06 - 2º Trimestre de 2016
A Lei, A Carne e o Espírito - Lição 06 - 2º Trimestre de 2016
 
09. cheios do espirito santo
09. cheios do espirito santo09. cheios do espirito santo
09. cheios do espirito santo
 
Espiritismo e estudos bíblicos rei saul final
Espiritismo e estudos bíblicos rei saul finalEspiritismo e estudos bíblicos rei saul final
Espiritismo e estudos bíblicos rei saul final
 
O espírito santo no antigo testamento
O espírito santo no antigo testamentoO espírito santo no antigo testamento
O espírito santo no antigo testamento
 
Lição 2 a criação dos céus e da terra
Lição 2   a criação dos céus e da terraLição 2   a criação dos céus e da terra
Lição 2 a criação dos céus e da terra
 
30 as sete pragas
30 as sete pragas30 as sete pragas
30 as sete pragas
 
Povo hebreu
Povo hebreuPovo hebreu
Povo hebreu
 
(1) aprendendo com os erros de saul
(1) aprendendo com os erros de saul(1) aprendendo com os erros de saul
(1) aprendendo com os erros de saul
 
Historia de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unido
Historia de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unidoHistoria de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unido
Historia de israel aula 12 e 13 período dos juízes e reino unido
 
Presença e Atuação do Espírito Santo no Antigo Testamento
Presença e Atuação do Espírito Santo no Antigo TestamentoPresença e Atuação do Espírito Santo no Antigo Testamento
Presença e Atuação do Espírito Santo no Antigo Testamento
 
02 a criação dos céus e da terra
02  a criação dos céus e da terra02  a criação dos céus e da terra
02 a criação dos céus e da terra
 
O livro de juízes
O livro de juízesO livro de juízes
O livro de juízes
 
45 Estudo Panorâmico da Bíblia (Juízes)
45   Estudo Panorâmico da Bíblia (Juízes)45   Estudo Panorâmico da Bíblia (Juízes)
45 Estudo Panorâmico da Bíblia (Juízes)
 
Moisés sua liderança e seus auxiliares
Moisés   sua liderança e seus auxiliaresMoisés   sua liderança e seus auxiliares
Moisés sua liderança e seus auxiliares
 
História de israel
História de israelHistória de israel
História de israel
 
Reis e profetas - aula 1
Reis e profetas  - aula 1Reis e profetas  - aula 1
Reis e profetas - aula 1
 
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINALIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
 

Semelhante a O Impiedoso mundo de lameque

LIÇÃO 6 O MUNDO DE LAMEQUE.pptx
LIÇÃO 6 O MUNDO DE LAMEQUE.pptxLIÇÃO 6 O MUNDO DE LAMEQUE.pptx
LIÇÃO 6 O MUNDO DE LAMEQUE.pptx
EliabCosme2
 
O impiedoso mundo de Lameque
O impiedoso mundo de LamequeO impiedoso mundo de Lameque
O impiedoso mundo de Lameque
Ailton da Silva
 
O impiedoso mundo de Lameque
O impiedoso mundo de LamequeO impiedoso mundo de Lameque
O impiedoso mundo de Lameque
Ailton da Silva
 
2015 4º trimestre adultos lição 06.pptx
2015 4º trimestre adultos lição 06.pptx2015 4º trimestre adultos lição 06.pptx
2015 4º trimestre adultos lição 06.pptx
Joel Silva
 
O Impiedoso Mundo de Lameque - Lição 06 - 4ºTrimestre de 2015
O Impiedoso Mundo de Lameque - Lição 06 - 4ºTrimestre de 2015O Impiedoso Mundo de Lameque - Lição 06 - 4ºTrimestre de 2015
O Impiedoso Mundo de Lameque - Lição 06 - 4ºTrimestre de 2015
Pr. Andre Luiz
 
O problem do mundo sem a beleza de deus
O problem do mundo sem a beleza de deusO problem do mundo sem a beleza de deus
O problem do mundo sem a beleza de deus
dimas campos
 
A familia que sobreviveu ao dilúvel
A familia que sobreviveu ao dilúvel A familia que sobreviveu ao dilúvel
A familia que sobreviveu ao dilúvel
ANTONIO CORDEIRO DA SILVA - ADORADOR
 
Lição 7 a família que sobreviveu ao dilúvio
Lição 7   a família que sobreviveu ao dilúvioLição 7   a família que sobreviveu ao dilúvio
Lição 7 a família que sobreviveu ao dilúvio
Andrew Guimarães
 
LIÇÃO 10 - A ORIGEM DA DIVERSIDADE CULTURAL DA HUMANIDADE
LIÇÃO 10 - A ORIGEM DA DIVERSIDADE CULTURAL DA HUMANIDADELIÇÃO 10 - A ORIGEM DA DIVERSIDADE CULTURAL DA HUMANIDADE
LIÇÃO 10 - A ORIGEM DA DIVERSIDADE CULTURAL DA HUMANIDADE
Lourinaldo Serafim
 
Lição 312016 - A rebelião global e os patriarcas + textos_GGR
Lição 312016 - A rebelião global e os patriarcas + textos_GGRLição 312016 - A rebelião global e os patriarcas + textos_GGR
Lição 312016 - A rebelião global e os patriarcas + textos_GGR
Gerson G. Ramos
 
07 a familia que sobreviveu ao diluvio
07  a familia que sobreviveu ao diluvio07  a familia que sobreviveu ao diluvio
07 a familia que sobreviveu ao diluvio
Márcio Martins
 
Nefilins -- Adventistas.Com
Nefilins -- Adventistas.ComNefilins -- Adventistas.Com
Nefilins -- Adventistas.Com
Hermano de Jesus
 
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Vendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textos
Vendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textosVendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textos
Vendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textos
Gerson G. Ramos
 
Lição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvioLição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvio
Elson Juvenal Pinto Loureiro
 
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
NeyCardoso4
 
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISELIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
Andrew Guimarães
 
O retorno dos Nefilim
O retorno dos NefilimO retorno dos Nefilim
O retorno dos Nefilim
Efraim Ben Tzion
 
38. abismo
38. abismo38. abismo
38. abismo
pohlos
 
A Origem da Diversidade Cultural da Humanidade
A Origem da Diversidade Cultural da HumanidadeA Origem da Diversidade Cultural da Humanidade
A Origem da Diversidade Cultural da Humanidade
Márcio Martins
 

Semelhante a O Impiedoso mundo de lameque (20)

LIÇÃO 6 O MUNDO DE LAMEQUE.pptx
LIÇÃO 6 O MUNDO DE LAMEQUE.pptxLIÇÃO 6 O MUNDO DE LAMEQUE.pptx
LIÇÃO 6 O MUNDO DE LAMEQUE.pptx
 
O impiedoso mundo de Lameque
O impiedoso mundo de LamequeO impiedoso mundo de Lameque
O impiedoso mundo de Lameque
 
O impiedoso mundo de Lameque
O impiedoso mundo de LamequeO impiedoso mundo de Lameque
O impiedoso mundo de Lameque
 
2015 4º trimestre adultos lição 06.pptx
2015 4º trimestre adultos lição 06.pptx2015 4º trimestre adultos lição 06.pptx
2015 4º trimestre adultos lição 06.pptx
 
O Impiedoso Mundo de Lameque - Lição 06 - 4ºTrimestre de 2015
O Impiedoso Mundo de Lameque - Lição 06 - 4ºTrimestre de 2015O Impiedoso Mundo de Lameque - Lição 06 - 4ºTrimestre de 2015
O Impiedoso Mundo de Lameque - Lição 06 - 4ºTrimestre de 2015
 
O problem do mundo sem a beleza de deus
O problem do mundo sem a beleza de deusO problem do mundo sem a beleza de deus
O problem do mundo sem a beleza de deus
 
A familia que sobreviveu ao dilúvel
A familia que sobreviveu ao dilúvel A familia que sobreviveu ao dilúvel
A familia que sobreviveu ao dilúvel
 
Lição 7 a família que sobreviveu ao dilúvio
Lição 7   a família que sobreviveu ao dilúvioLição 7   a família que sobreviveu ao dilúvio
Lição 7 a família que sobreviveu ao dilúvio
 
LIÇÃO 10 - A ORIGEM DA DIVERSIDADE CULTURAL DA HUMANIDADE
LIÇÃO 10 - A ORIGEM DA DIVERSIDADE CULTURAL DA HUMANIDADELIÇÃO 10 - A ORIGEM DA DIVERSIDADE CULTURAL DA HUMANIDADE
LIÇÃO 10 - A ORIGEM DA DIVERSIDADE CULTURAL DA HUMANIDADE
 
Lição 312016 - A rebelião global e os patriarcas + textos_GGR
Lição 312016 - A rebelião global e os patriarcas + textos_GGRLição 312016 - A rebelião global e os patriarcas + textos_GGR
Lição 312016 - A rebelião global e os patriarcas + textos_GGR
 
07 a familia que sobreviveu ao diluvio
07  a familia que sobreviveu ao diluvio07  a familia que sobreviveu ao diluvio
07 a familia que sobreviveu ao diluvio
 
Nefilins -- Adventistas.Com
Nefilins -- Adventistas.ComNefilins -- Adventistas.Com
Nefilins -- Adventistas.Com
 
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...
EBD CPAD Lições bíblicas 4° trimestre 2015 lição 7 a família que sobreviveu a...
 
Vendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textos
Vendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textosVendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textos
Vendo por espelho, obscuramente_Liç_712013_original_com_textos
 
Lição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvioLição 7 o diluvio
Lição 7 o diluvio
 
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
.......A CRUZ E O PLANO DA REDENCAO.pptx
 
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISELIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
LIÇÃO 1 - A SOBREVIVÊNCIA EM TEMPOS DE CRISE
 
O retorno dos Nefilim
O retorno dos NefilimO retorno dos Nefilim
O retorno dos Nefilim
 
38. abismo
38. abismo38. abismo
38. abismo
 
A Origem da Diversidade Cultural da Humanidade
A Origem da Diversidade Cultural da HumanidadeA Origem da Diversidade Cultural da Humanidade
A Origem da Diversidade Cultural da Humanidade
 

Mais de Márcio Martins

Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.
Márcio Martins
 
Salvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre ArbítrioSalvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre Arbítrio
Márcio Martins
 
A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.
Márcio Martins
 
A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.
Márcio Martins
 
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
Márcio Martins
 
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Márcio Martins
 
A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.
Márcio Martins
 
A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.
Márcio Martins
 
Uma Promessa de Salvação.
 Uma Promessa de Salvação. Uma Promessa de Salvação.
Uma Promessa de Salvação.
Márcio Martins
 
Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.
Márcio Martins
 
O Mundo Vindouro.
O Mundo Vindouro.O Mundo Vindouro.
O Mundo Vindouro.
Márcio Martins
 
A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.
Márcio Martins
 
As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.
Márcio Martins
 
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
Márcio Martins
 
A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.
Márcio Martins
 
A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.
Márcio Martins
 
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
 A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus. A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
Márcio Martins
 
A identidade do Espírito Santo.
A identidade do Espírito Santo.A identidade do Espírito Santo.
A identidade do Espírito Santo.
Márcio Martins
 
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Márcio Martins
 
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
Márcio Martins
 

Mais de Márcio Martins (20)

Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.
 
Salvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre ArbítrioSalvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre Arbítrio
 
A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.
 
A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.
 
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
 
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
 
A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.
 
A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.
 
Uma Promessa de Salvação.
 Uma Promessa de Salvação. Uma Promessa de Salvação.
Uma Promessa de Salvação.
 
Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.
 
O Mundo Vindouro.
O Mundo Vindouro.O Mundo Vindouro.
O Mundo Vindouro.
 
A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.
 
As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.
 
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
 
A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.
 
A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.
 
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
 A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus. A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
 
A identidade do Espírito Santo.
A identidade do Espírito Santo.A identidade do Espírito Santo.
A identidade do Espírito Santo.
 
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
 
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
 

Último

10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 

Último (14)

10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 

O Impiedoso mundo de lameque

  • 2. "E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente."( Gn 6.5)
  • 3. O mundo de Lameque em nada diferia do nosso; resistindo à graça de Deus, entregaram-se à devassidão, à violência e à resistência ao Espírito Santo.
  • 4. O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; bom entendimento têm todos os que lhe obedecem; o seu louvor permanece para sempre. Sl 111:10
  • 5. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Gênesis 6.1-8 1 - E aconteceu que, como os homens começaram a multiplicar-se sobre a face da terra, e lhes nasceram filhas, 2 - viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram. 3 - Então, disse o Senhor: Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem, porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos.
  • 6. 4 - Havia, naqueles dias, gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os varões de fama. 5 - E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente. 6 - Então, arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem sobre a terra, e pesou-lhe em seu coração.
  • 7. 7 - E disse o Senhor: Destruirei, de sobre a face da terra, o homem que criei, desde o homem até ao animal, até ao réptil e até à ave dos céus; porque me arrependo de os haver feito. 8 - Noé, porém, achou graça aos olhos do Senhor.
  • 8. O exemplo de Caim não demorou a generalizar-se. Se por um lado, sua descendência destaca-se por empreendedores como Jabal e Jubal, por outro, é corrompida por homens devassos e violentos como Lameque. Primeiro bígamo da história, este viria a se notabilizar também por haver assassinado futilmente duas pessoas. E, para comemorar o feito, compôs um poema.
  • 9. Os pecados de Caim e Lameque alastraram-se de tal maneira que viriam a depravar, inclusive, a linhagem piedosa de Sete. Vivemos dias semelhantes. A devassidão e a violência nunca foram tão exaltadas.
  • 10. Esta geração existe como se não houvesse Deus. Entretanto, perto está o dia do juízo sobre os praticantes da iniquidade. Lameque é o mais perfeito símbolo da depravação total daquele período.
  • 11. Apesar da Queda, o mundo antediluviano era farto e pródigo. Sua ecologia era perfeita; sua tecnologia, considerável.
  • 12. 1. Fartura de pão. A Terra, embora amaldiçoada, era fértil e nada retinha à primeira civilização. Todos comiam e bebiam à vontade (Mt 24.38,39). O pão não precisava ser racionado, o azeite era abundante e o vinho escorria dos lagares.
  • 13. Tem-se a impressão de que as pessoas daquela época viviam em permanente festança. Ninguém era capaz de reconhecer que do Senhor é a Terra e a sua plenitude (Sl 24.1).
  • 14. 2. Saúde perfeita. Tais facilidades propiciaram aos antediluvianos uma saúde perfeita. Não era incomum encontrar pessoas de quase mil anos (Gn 5.27). Na genealogia de Adão, deparamo-nos com homens mais velhos que muitos dos países do mundo.
  • 15. Imaginemos a folha corrida de um pecador de 900 anos. Nove séculos de completa depravação. Quantos roubos, assassinatos, adultérios, mentiras e intolerâncias. Aos olhos do santo Deus, era algo abominável.
  • 16. 3. Beleza perfeita. Se a saúde era perfeita, a beleza daquela geração era singular, haja vista a formosura das filhas de Lameque. Não demorou para que viessem a encantar os filhos de Sete (Gn 6.1,2).
  • 17. Imitando a bigamia de Lameque, estes homens, outrora tão piedosos, tornaram-se polígamos incorrigíveis
  • 18. Com tanta comida e bebida, por que não viver em prazeres? Já que a vida era contada em séculos, ninguém haveria de morrer amanhã. Sua filosofia não era apenas a busca pelo prazer, mas também diabolicamente libertina. Aquela geração não possuía qualquer referência moral ou ética.
  • 19. 4. Tecnologia avançada. O mundo de Lameque podia ostentar um surpreendente avanço tecnológico. Adão ainda vivia quando Tubalcaim começou a dedicar-se à metalurgia. Este foi um homem, filho de Lameque e de Zilá, se tornou conhecido pela sua habilidade em lidar com o cobre e o ferro (Gn 4.22)
  • 20. Além da metalurgia, aquela geração sabia como trabalhar a madeira e a cerâmica. O próprio Noé, aliás, não teve dificuldades técnicas em construir a Arca, nem os seus descendentes, após o Dilúvio, viram-se impedidos de erguer a Torre de Babel.
  • 21. O mundo de Lameque era ingrato e cruel. Voltando- se contra o Senhor, seus descendentes cometeram os pecados mais hediondos e abomináveis
  • 22. 1. Devassidão sexual. O exemplo de Lameque logo viria a replicar-se por toda a descendência de Adão. A família tradicional foi se degenerando. Os pecados sexuais, agora, eram cometidos como se nada fosse proibido; não havia limites à fornicação nem ao adultério.
  • 23. Até os mesmos descendentes de Sete portaram-se levianamente em meio àquela imoralidade crassa e gritante; corromperam-se até o inferno. Relata o autor sagrado: "Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram" (Gn 6.2).
  • 24. 2. Violência sem limites. Os excessos daquela gente redundaram numa geração truculenta e implacável. Os assassinos eram cultuados como heróis:
  • 25. "Havia, naqueles dias, gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os varões de fama" (Gn 6.4).
  • 26. O que dizer do nosso tempo? Embora não sejamos tão fortes, nem tão longevos, em nada diferençamo-nos dos filhos de Lameque. Nunca o homem fez-se tão imoral quanto hoje.
  • 27. 3. Resistência à graça divina. Por muito tempo, o Espírito de Deus instou junto àquela geração para que se convertesse e deixasse seus maus caminhos. Chegou, porém, o dia em que Deus deu um basta em tudo aquilo.
  • 28. Declarou o Senhor: "Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem, porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos" (Gn 6.3)
  • 29. A graça de Deus, ainda que perfeita e infalível, pode ser resistida, haja vista a geração que saíra do Egito rumo a Canaã. Não obstante os milagres que presenciara, endureceu o seu coração de tal forma, que veio a ser rejeitada pelo Senhor (Hb 3.8).
  • 30. Isso significa que, mesmo hoje, há crentes que reagem contrariamente à graça divina (Hb 3.15). Sim, apesar de saber que o juízo divino é certo.
  • 31. Noé pregou aos seus contemporâneos durante muito tempo. Mesmo assim, a sua geração não se curvou aos apelos divinos. Que diferença dos ninivitas, que deram ouvidos à pregação de Jonas (Jn 3.10).
  • 32. 1. A pregação de Noé. Apresentado como pregador da justiça, Noé cumpriu um longo e penoso ministério (2 Pe 2.5). Enquanto se dava à construção da arca, conclamava seus contemporâneos ao arrependimento (1 Pe 3.20).
  • 33. Se levarmos em conta Gênesis 6.3, concluiremos que o seu ofício de pregoeiro teve a duração de 120 anos. Sem dúvida, foi o mais longo ministério profético da Bíblia. Ele pregava com a voz e com as obras. A construção da arca, em si, já era uma pregação carregada de eloquência.
  • 34. 2. Uma geração corrompida. Apesar das instâncias de Noé, seus contemporâneos corrompiam-se de tal forma, que se tornaram totalmente depravados.
  • 35. Ao Senhor, portanto, não restava outra alternativa a não ser destruir toda aquela civilização: "O fim de toda carne é vindo perante a minha face; porque a terra está cheia de violência; e eis que os desfarei com a terra" (Gn 6.13).
  • 36. A geração atual assemelha-se à de Noé. Apesar da pregação do Evangelho, a iniquidade multiplica-se de tal modo que chega a contaminar, inclusive, o amor dos fiéis (Mt 24.12). Comem, bebem e entregam-se à sensualidade, como se não houvesse Deus.
  • 37. À semelhança de Noé, proclamemos a Palavra de Deus a tempo e a fora de tempo; esta é a nossa missão. Se nos conformarmos com o mundo, que esperança haverá aos que ainda anseiam pelo Evangelho? Levantemo-nos como pregoeiros da justiça. Ainda que soframos zombarias e escárnios, nossa missão não ficará inacabada.