SlideShare uma empresa Scribd logo
O IBICT e promoção da utilização da ferramenta SEER no Brasil   Miguel Ángel Márdero Arellano  MCT/Ibict  [email_address]
Comunicação científica A transformação... Do monopólio total da informação pelos editores, por séculos, através dos periódicos  impressos ;  Ao surgimento da  Web ;  Até chegar ao novo paradigma do  acesso livre  à informação científica.
No Brasil... Podemos encontrar diversas  ferramentas  implementadas baseadas no Modelo  Open Archives , tais como: repositórios digitais, periódicos eletrônicos, bibliotecas digitais de teses e dissertações, etc. O pen A rchives I nitiative – P rotocol of M etadata H arvesting http://www.openarchives.org
No Brasil... Desconhecimento de maior parte da comunidade científica; IBICT é o principal articulador; Sistema de comunicação científica nacional falho contribui para o sucesso de estratégias; Tópico relevante de pesquisa no Brasil; http://www.openarchives.org
Projeto de Lei em tramitação no parlamento brasileiro Um RI em cada universidade Mandatos institucionais Política de acesso aberto Ator principal: IBICT PL 1120/2007 Necessidade de integração com RI’s e periódicos Perspectivas futuras para o  Acesso Livre no Brasil
A editoração eletrônica   Nos anos 90... Começaram a surgir as publicações científicas em  formatos eletrônicos , despertando esperanças em muitos pesquisadores e trazendo perspectivas de um novo contexto de mudanças no sistema tradicional de comunicação científica
A editoração eletrônica Desde 1999... Várias  ferramentas  de provedores de dados e de serviços começaram a ser desenvolvidas em universidades pelo mundo.  Elas tinham o objetivo de serem  de uso aberto  e aplicáveis principalmente à gestão de revistas científicas em repositórios digitais.
Os sistemas de editoração eletrônica de periódicos científicos Surgiram como ferramentas que  gerenciavam  o material que estava disponível na Internet com objetivos de  padronização  e otimização do processo editorial, atendendo as  exigências  de qualidade das bases de dados indexadoras e da comunidade científica.
Os softwares de editoração eletrônica Proporcionaram uma redução do  tempo  destinado à revisão dos originais, ampliando a  visibilidade  das publicações e diminuindo os  custos  com  as publicações.
Funcionalidades dos sistemas de editoração eletrônica Armazenamento  de perfis; Envio  de arquivos on-line; Aceitação de arquivos em diversos  formatos , com imagem e multimídia; Facilidade para envio e edição de vários tipos de  relatórios ; Facilidade e qualidade de  composição , e adaptação a distintos requerimentos gráficos; Gestão de  e-mails  automatizado; Permanente  atualização  do sistema e suporte técnico.  http://www.doi.org
Características dos principais softwares de editoração eletrônicas
Open Journal Systems (OJS)  PKP Research Suport Tools (RST) OCS/SOAC PKP Harvester http://pkp.sfu.ca/ojs-journals
Características do OJS/SEER É uma  solução  prática, econômica e eficiente; Promove a  automação  das atividades de editoração; Permite completa  autonomia  dentro do fluxo editorial; Dispõe de assistência e  registro  on-line de todas as etapas do gerenciamento da revista; Proporciona um espaço para  comunicação  para o autor e o editor nas etapas de submissão, avaliação e editoração.
Mecanismos disponíveis no OJS/SEER Busca  por autor, título, resumo, termos de índice e texto completo para recuperação de informações em todos os números da revista; Acompanhamento  do processo editorial por todos os atores envolvidos na publicação; Divulgação  automatizada; Customização  livre com possibilidades de melhorias e adaptações.
As pesquisas sobre o OJS/SEER Aumento  no número de submissões de artigos; Melhorias na  busca  e recuperação de artigos; O  custo  com a publicação diminui; Otimização na  navegabilidade ; O tempo da  avaliação  pelos pareceristas não apresentaram mudanças significativas; Adoção motivada pela facilidade no uso e pela recomendação institucional.
Motivos para usar o OJS/SEER   Melhoria no processo de  avaliação ; Maior  visibilidade  da revista e da instituição; Ampliação significativa da  captação  de artigos; Maior  interação  entre usuários e registro de todos os diálogos; Transparência  no processo editorial; Importância dos  treinamentos ;  Promoção de novos; mecanismos de  indexação; Exportação e importação de  dados . http://www.doaj.org
Redefinição de papéis no processo de publicação Responsabilidades dos  autores  (auto-arquivamento); Atribuição  de direitos autorais livre; Gerenciamento  editorial abreviado ou estendido; Uso de aplicativos para disseminação e  preservação  de conteúdos http://www.lockss.org
O trabalho do Ibict Ser um centro nacional de  pesquisa , de intercâmbio científico, de formação, treinamento e aperfeiçoamento de pessoal científico, tendo como missão contribuir para o avanço da ciência, da tecnologia e da inovação tecnológica do país, por intermédio do  desenvolvimento  da comunicação e informação nessas áreas.
O trabalho do Ibict Conferir maior  visibilidade  à produção científica brasileira e promover processos efetivos de comunicação científica no País, por meio de criação e manutenção de publicações científicas de acesso aberto.
O trabalho do Ibict Desde 2003 Equipe Treinamentos (presenciais e a distância) Portal Cadastro Nacional (+ de 800 revistas) Serviços de disseminação Comunidades de usuários Eventos Documentação Portais de periódicos INSEER http://seer.ibict.br
O trabalho do Ibict Cursos on-line Destinados às comunidades acadêmicas de universidades públicas brasileiras, especialmente professores e servidores que atuem na gestão de periódicos científicos e em áreas relacionadas à informação científica.  Pode-se considerar que o público tem familiaridade com a linguagem escrita, com o uso de tecnologia e com o processo de comunicação científica.
Considerações finais “ As mudanças nos processos de editoração das publicações científicas em arquivos abertos alteram  aspectos de forma, aumentam o acesso, estimula a qualidade editorial, amplia a divulgação de conteúdos e melhoram a economia.”  JOHN WILLINSKY
Obrigado! Miguel Ángel Márdero Arellano  MCT/Ibict  [email_address]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Experiência colaborativa para implantação de novos serviços e produtos: novas...
Experiência colaborativa para implantação de novos serviços e produtos: novas...Experiência colaborativa para implantação de novos serviços e produtos: novas...
Experiência colaborativa para implantação de novos serviços e produtos: novas...
http://bvsalud.org/
 
Apresentação de projeto Estudo de Usuário
Apresentação de projeto Estudo de UsuárioApresentação de projeto Estudo de Usuário
Apresentação de projeto Estudo de Usuário
Rogerio Almeida
 
O apoio aos utilizadores das bibliotecas da UA bo bom uso da informação
O apoio aos utilizadores das bibliotecas da UA bo bom uso da informaçãoO apoio aos utilizadores das bibliotecas da UA bo bom uso da informação
O apoio aos utilizadores das bibliotecas da UA bo bom uso da informação
Universidade de Aveiro
 
Estudo de usuários - Biblioteca de Manguinhos (Fiocruz)
Estudo de usuários - Biblioteca de Manguinhos (Fiocruz)Estudo de usuários - Biblioteca de Manguinhos (Fiocruz)
Estudo de usuários - Biblioteca de Manguinhos (Fiocruz)
Igor Falce
 
Prática em Mediação da Informação
Prática em Mediação da InformaçãoPrática em Mediação da Informação
Prática em Mediação da Informação
Vilseane Prando
 
O bom uso da informação: citar e referenciar
O bom uso da informação: citar e referenciarO bom uso da informação: citar e referenciar
O bom uso da informação: citar e referenciar
Bella Nolasco
 
REDE BIBLIOSUS: quem somos, onde estamos
REDE BIBLIOSUS: quem somos, onde estamosREDE BIBLIOSUS: quem somos, onde estamos
REDE BIBLIOSUS: quem somos, onde estamos
http://bvsalud.org/
 
Apresentação Grupo de trabalho das Bibliotecas de Ensino Superior 2014 na re...
Apresentação Grupo de trabalho das Bibliotecas de  Ensino Superior 2014 na re...Apresentação Grupo de trabalho das Bibliotecas de  Ensino Superior 2014 na re...
Apresentação Grupo de trabalho das Bibliotecas de Ensino Superior 2014 na re...
Pedro Príncipe
 
Apresentação Estudo Usuário
Apresentação Estudo Usuário Apresentação Estudo Usuário
Apresentação Estudo Usuário
Rogerio Almeida
 

Mais procurados (9)

Experiência colaborativa para implantação de novos serviços e produtos: novas...
Experiência colaborativa para implantação de novos serviços e produtos: novas...Experiência colaborativa para implantação de novos serviços e produtos: novas...
Experiência colaborativa para implantação de novos serviços e produtos: novas...
 
Apresentação de projeto Estudo de Usuário
Apresentação de projeto Estudo de UsuárioApresentação de projeto Estudo de Usuário
Apresentação de projeto Estudo de Usuário
 
O apoio aos utilizadores das bibliotecas da UA bo bom uso da informação
O apoio aos utilizadores das bibliotecas da UA bo bom uso da informaçãoO apoio aos utilizadores das bibliotecas da UA bo bom uso da informação
O apoio aos utilizadores das bibliotecas da UA bo bom uso da informação
 
Estudo de usuários - Biblioteca de Manguinhos (Fiocruz)
Estudo de usuários - Biblioteca de Manguinhos (Fiocruz)Estudo de usuários - Biblioteca de Manguinhos (Fiocruz)
Estudo de usuários - Biblioteca de Manguinhos (Fiocruz)
 
Prática em Mediação da Informação
Prática em Mediação da InformaçãoPrática em Mediação da Informação
Prática em Mediação da Informação
 
O bom uso da informação: citar e referenciar
O bom uso da informação: citar e referenciarO bom uso da informação: citar e referenciar
O bom uso da informação: citar e referenciar
 
REDE BIBLIOSUS: quem somos, onde estamos
REDE BIBLIOSUS: quem somos, onde estamosREDE BIBLIOSUS: quem somos, onde estamos
REDE BIBLIOSUS: quem somos, onde estamos
 
Apresentação Grupo de trabalho das Bibliotecas de Ensino Superior 2014 na re...
Apresentação Grupo de trabalho das Bibliotecas de  Ensino Superior 2014 na re...Apresentação Grupo de trabalho das Bibliotecas de  Ensino Superior 2014 na re...
Apresentação Grupo de trabalho das Bibliotecas de Ensino Superior 2014 na re...
 
Apresentação Estudo Usuário
Apresentação Estudo Usuário Apresentação Estudo Usuário
Apresentação Estudo Usuário
 

Destaque

Fontes de informação em educação: recursos informacionais
Fontes de informação em educação: recursos informacionaisFontes de informação em educação: recursos informacionais
Fontes de informação em educação: recursos informacionais
UFSC
 
Fontes de Informação em Educação
Fontes de Informação em EducaçãoFontes de Informação em Educação
Fontes de Informação em Educação
UFSC
 
Worktoolstudy
WorktoolstudyWorktoolstudy
Worktoolstudy
Jörn Hendrik Ast
 
A questão dos Periódicos no mundo digital
A questão dos Periódicos no mundo digitalA questão dos Periódicos no mundo digital
A questão dos Periódicos no mundo digital
UFSC
 
O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...
O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...
O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...
UFSC
 
Fontes digitais
Fontes digitaisFontes digitais
Fontes digitais
UFSC
 

Destaque (6)

Fontes de informação em educação: recursos informacionais
Fontes de informação em educação: recursos informacionaisFontes de informação em educação: recursos informacionais
Fontes de informação em educação: recursos informacionais
 
Fontes de Informação em Educação
Fontes de Informação em EducaçãoFontes de Informação em Educação
Fontes de Informação em Educação
 
Worktoolstudy
WorktoolstudyWorktoolstudy
Worktoolstudy
 
A questão dos Periódicos no mundo digital
A questão dos Periódicos no mundo digitalA questão dos Periódicos no mundo digital
A questão dos Periódicos no mundo digital
 
O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...
O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...
O papel das publicações científicas e da gestão da informação no cenário acad...
 
Fontes digitais
Fontes digitaisFontes digitais
Fontes digitais
 

Semelhante a O IBICT e promoção da utilização da ferramenta SEER no Brasil

DOI e SEER Persistência
DOI e SEER PersistênciaDOI e SEER Persistência
DOI e SEER Persistência
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Seer 2003-2010
Seer 2003-2010Seer 2003-2010
Arquitetura da informação em periódicos científicos
Arquitetura da informação em periódicos científicosArquitetura da informação em periódicos científicos
Arquitetura da informação em periódicos científicos
UFSC
 
PORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEER
PORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEERPORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEER
PORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEER
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Atualizacao cientifica
Atualizacao cientificaAtualizacao cientifica
Atualizacao cientifica
Joao P. Dubas
 
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: IntersecçõesAcesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Miguel Angel Mardero Arellano
 
PUB In – Publicações Integradas, Inteligentes e Inovadoras
PUB In – Publicações Integradas, Inteligentes e InovadorasPUB In – Publicações Integradas, Inteligentes e Inovadoras
PUB In – Publicações Integradas, Inteligentes e Inovadoras
Projeto RCAAP
 
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSCSistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
UFSC
 
A CULTURA E A DIVERSIDADE NO ACESSO E USO DO PORTAL PERIÓDICOS DA UNIVERSIDAD...
A CULTURA E A DIVERSIDADE NO ACESSO E USO DO PORTAL PERIÓDICOS DA UNIVERSIDAD...A CULTURA E A DIVERSIDADE NO ACESSO E USO DO PORTAL PERIÓDICOS DA UNIVERSIDAD...
A CULTURA E A DIVERSIDADE NO ACESSO E USO DO PORTAL PERIÓDICOS DA UNIVERSIDAD...
UFSC
 
DIRETRIZES PARA CRIAÇÃO DE PERIÓDICOS DE ACESSO LIVRE Estruturação de periódi...
DIRETRIZES PARA CRIAÇÃO DEPERIÓDICOS DE ACESSO LIVREEstruturação de periódi...DIRETRIZES PARA CRIAÇÃO DEPERIÓDICOS DE ACESSO LIVREEstruturação de periódi...
DIRETRIZES PARA CRIAÇÃO DE PERIÓDICOS DE ACESSO LIVRE Estruturação de periódi...
Miguel Arellano
 
Workshop CI 2004
Workshop CI 2004Workshop CI 2004
Repositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na Rede
Repositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na RedeRepositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na Rede
Repositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na Rede
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Psri g5 1º
Psri g5 1ºPsri g5 1º
Psri g5 1º
Duarte Gomes
 
Estadísticas de uso e impacto-Tardelli
Estadísticas de uso e impacto-TardelliEstadísticas de uso e impacto-Tardelli
Estadísticas de uso e impacto-Tardelli
Latindex
 
Bibliotecate
BibliotecateBibliotecate
Bibliotecate
Diana Silva
 
Palestra 01_Visao PPEC
 Palestra 01_Visao PPEC Palestra 01_Visao PPEC
Palestra 01_Visao PPEC
UNICAMP - PPEC
 
Biblioteca-te! Disseminação e partilha de informação nas bibliotecas da Unive...
Biblioteca-te! Disseminação e partilha de informação nas bibliotecas da Unive...Biblioteca-te! Disseminação e partilha de informação nas bibliotecas da Unive...
Biblioteca-te! Disseminação e partilha de informação nas bibliotecas da Unive...
Universidade de Aveiro
 
PB - 2º apresentação intercalar
PB - 2º apresentação intercalarPB - 2º apresentação intercalar
PB - 2º apresentação intercalar
André Afonso
 
SEER - agosto 2008
SEER - agosto 2008SEER - agosto 2008
SEER - agosto 2008
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Patrícia de Almeida Silva - O papel do Portal Periódicos CAPES na democratiza...
Patrícia de Almeida Silva - O papel do Portal Periódicos CAPES na democratiza...Patrícia de Almeida Silva - O papel do Portal Periódicos CAPES na democratiza...
Patrícia de Almeida Silva - O papel do Portal Periódicos CAPES na democratiza...
SciELO - Scientific Electronic Library Online
 

Semelhante a O IBICT e promoção da utilização da ferramenta SEER no Brasil (20)

DOI e SEER Persistência
DOI e SEER PersistênciaDOI e SEER Persistência
DOI e SEER Persistência
 
Seer 2003-2010
Seer 2003-2010Seer 2003-2010
Seer 2003-2010
 
Arquitetura da informação em periódicos científicos
Arquitetura da informação em periódicos científicosArquitetura da informação em periódicos científicos
Arquitetura da informação em periódicos científicos
 
PORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEER
PORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEERPORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEER
PORTAIS DE PERIÓDICOS OJS/SEER
 
Atualizacao cientifica
Atualizacao cientificaAtualizacao cientifica
Atualizacao cientifica
 
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: IntersecçõesAcesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
Acesso livre e Comunicação Científica: Intersecções
 
PUB In – Publicações Integradas, Inteligentes e Inovadoras
PUB In – Publicações Integradas, Inteligentes e InovadorasPUB In – Publicações Integradas, Inteligentes e Inovadoras
PUB In – Publicações Integradas, Inteligentes e Inovadoras
 
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSCSistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) : Portal Periódicos UFSC
 
A CULTURA E A DIVERSIDADE NO ACESSO E USO DO PORTAL PERIÓDICOS DA UNIVERSIDAD...
A CULTURA E A DIVERSIDADE NO ACESSO E USO DO PORTAL PERIÓDICOS DA UNIVERSIDAD...A CULTURA E A DIVERSIDADE NO ACESSO E USO DO PORTAL PERIÓDICOS DA UNIVERSIDAD...
A CULTURA E A DIVERSIDADE NO ACESSO E USO DO PORTAL PERIÓDICOS DA UNIVERSIDAD...
 
DIRETRIZES PARA CRIAÇÃO DE PERIÓDICOS DE ACESSO LIVRE Estruturação de periódi...
DIRETRIZES PARA CRIAÇÃO DEPERIÓDICOS DE ACESSO LIVREEstruturação de periódi...DIRETRIZES PARA CRIAÇÃO DEPERIÓDICOS DE ACESSO LIVREEstruturação de periódi...
DIRETRIZES PARA CRIAÇÃO DE PERIÓDICOS DE ACESSO LIVRE Estruturação de periódi...
 
Workshop CI 2004
Workshop CI 2004Workshop CI 2004
Workshop CI 2004
 
Repositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na Rede
Repositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na RedeRepositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na Rede
Repositórios Institucionais: nova estratégia para publicação científica na Rede
 
Psri g5 1º
Psri g5 1ºPsri g5 1º
Psri g5 1º
 
Estadísticas de uso e impacto-Tardelli
Estadísticas de uso e impacto-TardelliEstadísticas de uso e impacto-Tardelli
Estadísticas de uso e impacto-Tardelli
 
Bibliotecate
BibliotecateBibliotecate
Bibliotecate
 
Palestra 01_Visao PPEC
 Palestra 01_Visao PPEC Palestra 01_Visao PPEC
Palestra 01_Visao PPEC
 
Biblioteca-te! Disseminação e partilha de informação nas bibliotecas da Unive...
Biblioteca-te! Disseminação e partilha de informação nas bibliotecas da Unive...Biblioteca-te! Disseminação e partilha de informação nas bibliotecas da Unive...
Biblioteca-te! Disseminação e partilha de informação nas bibliotecas da Unive...
 
PB - 2º apresentação intercalar
PB - 2º apresentação intercalarPB - 2º apresentação intercalar
PB - 2º apresentação intercalar
 
SEER - agosto 2008
SEER - agosto 2008SEER - agosto 2008
SEER - agosto 2008
 
Patrícia de Almeida Silva - O papel do Portal Periódicos CAPES na democratiza...
Patrícia de Almeida Silva - O papel do Portal Periódicos CAPES na democratiza...Patrícia de Almeida Silva - O papel do Portal Periódicos CAPES na democratiza...
Patrícia de Almeida Silva - O papel do Portal Periódicos CAPES na democratiza...
 

Mais de Miguel Angel Mardero Arellano

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASIL
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASILSISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASIL
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASIL
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Repositórios Digitais Confiáveis
Repositórios Digitais ConfiáveisRepositórios Digitais Confiáveis
Repositórios Digitais Confiáveis
Miguel Angel Mardero Arellano
 
CARINIANA
CARINIANACARINIANA
Introducción al Acceso libre
Introducción al Acceso libreIntroducción al Acceso libre
Introducción al Acceso libre
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Guia de fontes de informação para editores de periódicos científicos
Guia de fontes de informação para editores de periódicos científicosGuia de fontes de informação para editores de periódicos científicos
Guia de fontes de informação para editores de periódicos científicos
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Bibliotecas Digitais e Serviços de Preservação
Bibliotecas Digitais e Serviços de PreservaçãoBibliotecas Digitais e Serviços de Preservação
Bibliotecas Digitais e Serviços de Preservação
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Conhecendo a biblioteca 2.0
Conhecendo a biblioteca 2.0Conhecendo a biblioteca 2.0
Conhecendo a biblioteca 2.0
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação DigitalRepositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Issn In Brazil
Issn In BrazilIssn In Brazil
QUESTÕES PRÁTICAS SOBRE PRESERVAÇÃO DIGITAL
QUESTÕES PRÁTICAS SOBRE PRESERVAÇÃO DIGITALQUESTÕES PRÁTICAS SOBRE PRESERVAÇÃO DIGITAL
QUESTÕES PRÁTICAS SOBRE PRESERVAÇÃO DIGITAL
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Serviços de informação na web 2.0 e 3.0
Serviços de informação na web 2.0 e 3.0Serviços de informação na web 2.0 e 3.0
Serviços de informação na web 2.0 e 3.0
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Novos Serviços de Referência Digital
Novos Serviços de Referência DigitalNovos Serviços de Referência Digital
Novos Serviços de Referência Digital
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Apresentação da tese defesa oral
Apresentação da tese defesa oralApresentação da tese defesa oral
Apresentação da tese defesa oral
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Preservação digital em repositórios confiáveis (PART II)
Preservação digital em repositórios confiáveis (PART II)Preservação digital em repositórios confiáveis (PART II)
Preservação digital em repositórios confiáveis (PART II)
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Preservação digital em repositórios confiáveis (PART I)
Preservação digital em repositórios confiáveis (PART I)Preservação digital em repositórios confiáveis (PART I)
Preservação digital em repositórios confiáveis (PART I)
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Digitalização e Preservação
Digitalização e PreservaçãoDigitalização e Preservação
Digitalização e Preservação
Miguel Angel Mardero Arellano
 
RSS - Cinform 2008
RSS - Cinform 2008RSS - Cinform 2008
RSS - Cinform 2008
Miguel Angel Mardero Arellano
 
Repositórios Institucionais em Ciência e Tecnologia: uma experiência de custo...
Repositórios Institucionais em Ciência e Tecnologia: uma experiência de custo...Repositórios Institucionais em Ciência e Tecnologia: uma experiência de custo...
Repositórios Institucionais em Ciência e Tecnologia: uma experiência de custo...
Miguel Angel Mardero Arellano
 
E-LIS Brazil
E-LIS BrazilE-LIS Brazil
Metodologias para o ensino de Bibliotecas Digitais
Metodologias para o ensino de Bibliotecas DigitaisMetodologias para o ensino de Bibliotecas Digitais
Metodologias para o ensino de Bibliotecas Digitais
Miguel Angel Mardero Arellano
 

Mais de Miguel Angel Mardero Arellano (20)

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASIL
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASILSISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASIL
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PESQUISAS NO BRASIL
 
Repositórios Digitais Confiáveis
Repositórios Digitais ConfiáveisRepositórios Digitais Confiáveis
Repositórios Digitais Confiáveis
 
CARINIANA
CARINIANACARINIANA
CARINIANA
 
Introducción al Acceso libre
Introducción al Acceso libreIntroducción al Acceso libre
Introducción al Acceso libre
 
Guia de fontes de informação para editores de periódicos científicos
Guia de fontes de informação para editores de periódicos científicosGuia de fontes de informação para editores de periódicos científicos
Guia de fontes de informação para editores de periódicos científicos
 
Bibliotecas Digitais e Serviços de Preservação
Bibliotecas Digitais e Serviços de PreservaçãoBibliotecas Digitais e Serviços de Preservação
Bibliotecas Digitais e Serviços de Preservação
 
Conhecendo a biblioteca 2.0
Conhecendo a biblioteca 2.0Conhecendo a biblioteca 2.0
Conhecendo a biblioteca 2.0
 
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação DigitalRepositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
Repositórios, Acesso Livre e Preservação Digital
 
Issn In Brazil
Issn In BrazilIssn In Brazil
Issn In Brazil
 
QUESTÕES PRÁTICAS SOBRE PRESERVAÇÃO DIGITAL
QUESTÕES PRÁTICAS SOBRE PRESERVAÇÃO DIGITALQUESTÕES PRÁTICAS SOBRE PRESERVAÇÃO DIGITAL
QUESTÕES PRÁTICAS SOBRE PRESERVAÇÃO DIGITAL
 
Serviços de informação na web 2.0 e 3.0
Serviços de informação na web 2.0 e 3.0Serviços de informação na web 2.0 e 3.0
Serviços de informação na web 2.0 e 3.0
 
Novos Serviços de Referência Digital
Novos Serviços de Referência DigitalNovos Serviços de Referência Digital
Novos Serviços de Referência Digital
 
Apresentação da tese defesa oral
Apresentação da tese defesa oralApresentação da tese defesa oral
Apresentação da tese defesa oral
 
Preservação digital em repositórios confiáveis (PART II)
Preservação digital em repositórios confiáveis (PART II)Preservação digital em repositórios confiáveis (PART II)
Preservação digital em repositórios confiáveis (PART II)
 
Preservação digital em repositórios confiáveis (PART I)
Preservação digital em repositórios confiáveis (PART I)Preservação digital em repositórios confiáveis (PART I)
Preservação digital em repositórios confiáveis (PART I)
 
Digitalização e Preservação
Digitalização e PreservaçãoDigitalização e Preservação
Digitalização e Preservação
 
RSS - Cinform 2008
RSS - Cinform 2008RSS - Cinform 2008
RSS - Cinform 2008
 
Repositórios Institucionais em Ciência e Tecnologia: uma experiência de custo...
Repositórios Institucionais em Ciência e Tecnologia: uma experiência de custo...Repositórios Institucionais em Ciência e Tecnologia: uma experiência de custo...
Repositórios Institucionais em Ciência e Tecnologia: uma experiência de custo...
 
E-LIS Brazil
E-LIS BrazilE-LIS Brazil
E-LIS Brazil
 
Metodologias para o ensino de Bibliotecas Digitais
Metodologias para o ensino de Bibliotecas DigitaisMetodologias para o ensino de Bibliotecas Digitais
Metodologias para o ensino de Bibliotecas Digitais
 

Último

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 

Último (20)

FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 

O IBICT e promoção da utilização da ferramenta SEER no Brasil

  • 1. O IBICT e promoção da utilização da ferramenta SEER no Brasil Miguel Ángel Márdero Arellano MCT/Ibict [email_address]
  • 2. Comunicação científica A transformação... Do monopólio total da informação pelos editores, por séculos, através dos periódicos impressos ; Ao surgimento da Web ; Até chegar ao novo paradigma do acesso livre à informação científica.
  • 3. No Brasil... Podemos encontrar diversas ferramentas implementadas baseadas no Modelo Open Archives , tais como: repositórios digitais, periódicos eletrônicos, bibliotecas digitais de teses e dissertações, etc. O pen A rchives I nitiative – P rotocol of M etadata H arvesting http://www.openarchives.org
  • 4. No Brasil... Desconhecimento de maior parte da comunidade científica; IBICT é o principal articulador; Sistema de comunicação científica nacional falho contribui para o sucesso de estratégias; Tópico relevante de pesquisa no Brasil; http://www.openarchives.org
  • 5. Projeto de Lei em tramitação no parlamento brasileiro Um RI em cada universidade Mandatos institucionais Política de acesso aberto Ator principal: IBICT PL 1120/2007 Necessidade de integração com RI’s e periódicos Perspectivas futuras para o Acesso Livre no Brasil
  • 6. A editoração eletrônica Nos anos 90... Começaram a surgir as publicações científicas em formatos eletrônicos , despertando esperanças em muitos pesquisadores e trazendo perspectivas de um novo contexto de mudanças no sistema tradicional de comunicação científica
  • 7. A editoração eletrônica Desde 1999... Várias ferramentas de provedores de dados e de serviços começaram a ser desenvolvidas em universidades pelo mundo. Elas tinham o objetivo de serem de uso aberto e aplicáveis principalmente à gestão de revistas científicas em repositórios digitais.
  • 8. Os sistemas de editoração eletrônica de periódicos científicos Surgiram como ferramentas que gerenciavam o material que estava disponível na Internet com objetivos de padronização e otimização do processo editorial, atendendo as exigências de qualidade das bases de dados indexadoras e da comunidade científica.
  • 9. Os softwares de editoração eletrônica Proporcionaram uma redução do tempo destinado à revisão dos originais, ampliando a visibilidade das publicações e diminuindo os custos com as publicações.
  • 10. Funcionalidades dos sistemas de editoração eletrônica Armazenamento de perfis; Envio de arquivos on-line; Aceitação de arquivos em diversos formatos , com imagem e multimídia; Facilidade para envio e edição de vários tipos de relatórios ; Facilidade e qualidade de composição , e adaptação a distintos requerimentos gráficos; Gestão de e-mails automatizado; Permanente atualização do sistema e suporte técnico. http://www.doi.org
  • 11. Características dos principais softwares de editoração eletrônicas
  • 12. Open Journal Systems (OJS) PKP Research Suport Tools (RST) OCS/SOAC PKP Harvester http://pkp.sfu.ca/ojs-journals
  • 13. Características do OJS/SEER É uma solução prática, econômica e eficiente; Promove a automação das atividades de editoração; Permite completa autonomia dentro do fluxo editorial; Dispõe de assistência e registro on-line de todas as etapas do gerenciamento da revista; Proporciona um espaço para comunicação para o autor e o editor nas etapas de submissão, avaliação e editoração.
  • 14. Mecanismos disponíveis no OJS/SEER Busca por autor, título, resumo, termos de índice e texto completo para recuperação de informações em todos os números da revista; Acompanhamento do processo editorial por todos os atores envolvidos na publicação; Divulgação automatizada; Customização livre com possibilidades de melhorias e adaptações.
  • 15. As pesquisas sobre o OJS/SEER Aumento no número de submissões de artigos; Melhorias na busca e recuperação de artigos; O custo com a publicação diminui; Otimização na navegabilidade ; O tempo da avaliação pelos pareceristas não apresentaram mudanças significativas; Adoção motivada pela facilidade no uso e pela recomendação institucional.
  • 16. Motivos para usar o OJS/SEER Melhoria no processo de avaliação ; Maior visibilidade da revista e da instituição; Ampliação significativa da captação de artigos; Maior interação entre usuários e registro de todos os diálogos; Transparência no processo editorial; Importância dos treinamentos ; Promoção de novos; mecanismos de indexação; Exportação e importação de dados . http://www.doaj.org
  • 17. Redefinição de papéis no processo de publicação Responsabilidades dos autores (auto-arquivamento); Atribuição de direitos autorais livre; Gerenciamento editorial abreviado ou estendido; Uso de aplicativos para disseminação e preservação de conteúdos http://www.lockss.org
  • 18. O trabalho do Ibict Ser um centro nacional de pesquisa , de intercâmbio científico, de formação, treinamento e aperfeiçoamento de pessoal científico, tendo como missão contribuir para o avanço da ciência, da tecnologia e da inovação tecnológica do país, por intermédio do desenvolvimento da comunicação e informação nessas áreas.
  • 19. O trabalho do Ibict Conferir maior visibilidade à produção científica brasileira e promover processos efetivos de comunicação científica no País, por meio de criação e manutenção de publicações científicas de acesso aberto.
  • 20. O trabalho do Ibict Desde 2003 Equipe Treinamentos (presenciais e a distância) Portal Cadastro Nacional (+ de 800 revistas) Serviços de disseminação Comunidades de usuários Eventos Documentação Portais de periódicos INSEER http://seer.ibict.br
  • 21. O trabalho do Ibict Cursos on-line Destinados às comunidades acadêmicas de universidades públicas brasileiras, especialmente professores e servidores que atuem na gestão de periódicos científicos e em áreas relacionadas à informação científica. Pode-se considerar que o público tem familiaridade com a linguagem escrita, com o uso de tecnologia e com o processo de comunicação científica.
  • 22. Considerações finais “ As mudanças nos processos de editoração das publicações científicas em arquivos abertos alteram aspectos de forma, aumentam o acesso, estimula a qualidade editorial, amplia a divulgação de conteúdos e melhoram a economia.” JOHN WILLINSKY
  • 23. Obrigado! Miguel Ángel Márdero Arellano MCT/Ibict [email_address]

Notas do Editor

  1. Slide Perspectivas futuras - Ações em andameto