SlideShare uma empresa Scribd logo
O FRUTO DE UM
TRABALHO ZELOSO
A IGREJA DO ARREBATAMENTO
TEXTO DO DIA
“Sentindo, assim, tanta afeição por vocês,
decidimos dar-lhes não somente o evangelho de
Deus, mas também a nossa própria vida, porque
vocês se tornaram muito amados por nós.”
1 Tessalonicenses 2:8
SÍNTESE
“O caráter de uma comunidade não se constrói
de modo repentino; é necessário um forte
investimento espiritual – por meio de
DISCIPULADO EFICIENTE e de TESTEMUNHO
PESSOAL EDIFICANTE.”
TEXTO BÍBLICO – 1 TS 2.1-12
1 - Irmãos, vocês mesmos sabem que a visita que lhes fizemos
não foi inútil.
2 - Apesar de termos sido maltratados e insultados em Filipos,
como vocês sabem, com a ajuda de nosso Deus tivemos
coragem de anunciar-lhes o evangelho de Deus, em meio a
muita luta.
3 - Pois nossa exortação não tem origem no erro nem em
motivos impuros, nem temos intenção de enganá-los;
4 - pelo contrário, como homens aprovados por Deus, a ponto
de nos ter sido confiado por ele o evangelho, não falamos
para agradar a pessoas, mas a Deus, que prova os nossos
corações.
5 - Vocês bem sabem a nossa linguagem nunca foi de
bajulação nem de pretexto para ganância; Deus é
testemunha.
6 - Nem buscamos reconhecimento humano, quer de vocês quer
de outros.
7 - Embora, como apóstolos de Cristo, pudéssemos ter sido um
peso, tornamo-nos bondosos entre vocês, como uma mãe que
cuida dos próprios filhos.
8 - Sentindo, assim, tanta afeição por vocês, decidimos dar-lhes
não somente o evangelho de Deus, mas também a nossa própria
vida, porque vocês se tornaram muito amados por nós.
9 - Irmãos, certamente vocês se lembram do nosso trabalho
esgotante e da nossa fadiga; trabalhamos noite e dia para não
sermos pesados a ninguém, enquanto lhes pregávamos o
evangelho de Deus.
10 - Tanto vocês como Deus são testemunhas de como nos
portamos de maneira santa, justa e irrepreensível entre vocês,
os que crêem.
11 - Pois vocês sabem que tratamos cada um como um pai trata
seus filhos,
12 - exortando, consolando e dando testemunho, para que vocês
vivam de maneira digna de Deus, que os chamou para o seu
Reino e glória.
INTRODUÇÃO
• Quais devem ser as motivações daqueles que
se envolvem no ministério de evangelização e
discipulado de novos cristãos?
• Paulo nos apresenta o verdadeiro padrão de
uma plantador de igrejas...
• Assim como os tessalonicenses, aprendamos
com Paulo.
I – O MINISTRO COMO AQUELE QUE
SERVE
• 1 – Aquele que cuida dos outros.
• Coração misericordioso X Individualismo;
• Como uma ama/mãe: v.7, que cuida, que
nutre, que dá carinho;
• Como um pai: v.11, formação de caráter,
admoestando, exortando...
• Não procurando benefícios próprios, mas o
desenvolvimento dos irmãos.
I – O MINISTRO COMO AQUELE QUE
SERVE
• 2 – Aquele que serve mesmo com o perigo de
perder a vida.
• O comprometimento era tal, que em várias
ocasiões o apóstolo testemunha um risco a sua
vida; 2 Co 11. 23-27
• A radicalidade deste tipo vocação pode ser
comparada à chamada de nossos irmãos
missionários que atuam em países hostis ao
Evangelho;
• Jo 4.35 – Levantai os olhos, a ceara tá pronta!
Índia: 360.000.000 de deuses, e
caminha a passos largos para o abismo
Japão: 3ª economia mundial,
prostrados diante de buda; a menor
taxa de cristãos do mundo
África: o animismo e a feitiçaria
escraviza toda uma nação, das 1800
línguas faladas, a Bíblia só foi traduzida
pra 150 delas;
• América Latina: idolatria e feitiçarias fazem
aliança no mesmo altar – sincretismo
religioso;
• Oriente: O Islamismo parece ganhar o mundo,
dentro de poucas estima-se que alcance cerca
de 1.750.000.000 de adeptos;
• Ocidente: o ateísmo e o secularismo galopam
livremente...
• Ásia: 10.980 línguas faladas, temos a Bíblia em
91 delas...
• Europa: considerado hoje, o continente pós-
cristão;
• No mundo, estima-se 2.400.000.000 de
pessoas que não foram atingidas pelo
evangelho, e a Bíblia não foi traduzida nem
para 1/3 das línguas faladas no mundo;
• Quando o presidente, John Kennedy foi
assassinado em 1963, 12 horas depois metade
do mundo já havia sido informado pelos
meios de comunicação da sua morte...
Enquanto o filho de Deus morreu na cruz há
cerca de 2.000 anos, e menos da metade da
população mundial não tem informações
sobre o seu sacrifício!
• E você é de fato cristão?
I – O MINISTRO COMO AQUELE QUE
SERVE
• 3 – Aquele que trabalha para não ser pesado.
• Até nisso Paulo era exemplo;
• Os recursos financeiros que recebia, era
totalmente investido nas igrejas, e nas famílias
carentes.
II – O COMPROMISSO COM A
PALAVRA
• 1 – A pregação como exposição da verdade.
• O foco no trabalho de Paulo com os
tessalonicenses, era a palavra, não fundamentada
na sabedoria humana, mais sim no poder e
inspiração do Espirito Santo;
• Mas, a pregação expositiva vem perdendo
espaço...
• Que tipo de igreja teremos daqui a alguns anos se
os cristãos que a compõem não valorizam a
palavra, ou nem sequer a conhecem?
II – O COMPROMISSO COM A
PALAVRA
• 2 – A necessidade de honrar a Deus e sua
Palavra.
• A quem preocupamo-nos em agradar quando
pregamos o evangelho?
• V.4...
• Àquele que foi vocacionado por Deus cabe o
discernimento e a maturidade para
permanecer firme em sua missão, mesmo
quando todos e tudo levante-se em oposição.
II – O COMPROMISSO COM A
PALAVRA
• 3 – O discernimento e a confiança dos
tessalonicenses.
• Lá a palavra fluía com naturalidade...pq?
• Os cristãos tinham as palavras de Paulo, como
as próprias palavras de Deus... Tinham
discernimento...
III – OS OBJETOS DE UM MINISTÉRIO
ÍNTEGRO
• 1 – Colaborar para o desenvolvimento de
uma comunidade espiritualmente sadia.
• Paulo era totalmente comprometido com a
Igreja e com a obra de Deus, não visava ele
próprio, mais a igreja;
• Hoje, cada vez mais, na igreja, precisamos de
pessoas comprometidas com o crescimento e
amadurecimento de outros.
III – OS OBJETOS DE UM MINISTÉRIO
ÍNTEGRO
• 2 – A edificação mútua.
• Resultado de um ministério sadio;
• Nunca devemos compreender a bênção de
Deus de forma egoísta, na verdade, sempre
que o Senhor abençoa-nos abundantemente,
o seu objetivo é que sejamos capazes de
compartilhar com os outros o muito que Ele
nos tem dado.
III – OS OBJETOS DE UM MINISTÉRIO
ÍNTEGRO
• 3 – Denunciar as ações do maligno.
• É inevitável, a luz sempre desarticula as
trevas...
• A integridade do ministério de Paulo
destacava-se, positivamente, em meio a um
contexto de falsos pregadores e profetas de
baal.
CONCLUSÃO
• O bem-estar da jovem igreja em Tessalônica não
era fruto do acaso, como vimos durante esta
lição;
• O padrão paulino de evangelismo e de
discipulado, fez com que grupo de cristãos,
mesmo tendo convivido pouco com o apóstolo,
tivesse um nível de espiritualidade diferenciado.
• Nós, como Igreja, na atualidade precisamos cada
vez mais disso: AMOR, INTEGRIDADE E
RESPONSABILIDADE.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

1 apresentação de uma igreja em celulas
1 apresentação de uma igreja em celulas1 apresentação de uma igreja em celulas
1 apresentação de uma igreja em celulas
Otoniel Ferreira
 
A Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos serA Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos ser
Hugo Machado
 
A Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos serA Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos ser
Hugo Machado
 
Mensagem EJ - Maturidade
Mensagem EJ - MaturidadeMensagem EJ - Maturidade
Mensagem EJ - Maturidade
Entre Jovens Ministério
 
Edificando uma igreja com proposito
Edificando uma igreja com propositoEdificando uma igreja com proposito
Edificando uma igreja com proposito
Nilto Rodrigues
 
Estudo 6 (Equilíbrio)
Estudo 6 (Equilíbrio)Estudo 6 (Equilíbrio)
Estudo 6 (Equilíbrio)
Daniel Junior
 
SERMÃO ANIVERSÁRIO DA IPI
SERMÃO ANIVERSÁRIO DA IPISERMÃO ANIVERSÁRIO DA IPI
SERMÃO ANIVERSÁRIO DA IPI
Elias Lobo
 
Maturidade Espiritual com DMZeca
Maturidade Espiritual com DMZecaMaturidade Espiritual com DMZeca
Maturidade Espiritual com DMZeca
DM Zeca
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Madura
guestc5d870
 
Provoque seu crescimento parte 02
Provoque seu crescimento   parte 02Provoque seu crescimento   parte 02
Provoque seu crescimento parte 02
Adauto César
 
Maturidade CRISTA
Maturidade CRISTAMaturidade CRISTA
Maturidade CRISTA
vagner costa
 
O cristão e a cultura
O cristão e a culturaO cristão e a cultura
O cristão e a cultura
Amor pela EBD
 
4 elementos para o sucesso no evangelismo
4 elementos para o sucesso no evangelismo4 elementos para o sucesso no evangelismo
4 elementos para o sucesso no evangelismo
prfavinho
 
001 um breve histórico dos pequenos grupos
001   um breve histórico dos pequenos grupos001   um breve histórico dos pequenos grupos
001 um breve histórico dos pequenos grupos
Igreja Batista da Vila Ivonete
 
Malaquias - Cap. 01 parte 03
Malaquias - Cap. 01 parte 03Malaquias - Cap. 01 parte 03
Malaquias - Cap. 01 parte 03
Daniel M Junior
 
A semente
A sementeA semente
A semente
pr_afsalbergaria
 
EMAD lição 05 Segunda Aula
EMAD   lição 05 Segunda AulaEMAD   lição 05 Segunda Aula
EMAD lição 05 Segunda Aula
Atevaldo Fernandes do Nascimento
 
Vasos de honra
Vasos de honraVasos de honra
3 biblia sagrada - nt - epistola de paulo aos galatas cap. 01
3   biblia sagrada - nt - epistola de paulo aos galatas cap. 013   biblia sagrada - nt - epistola de paulo aos galatas cap. 01
3 biblia sagrada - nt - epistola de paulo aos galatas cap. 01
Rachel V.
 
A igreja que queremos ser!
A igreja que queremos ser!A igreja que queremos ser!
A igreja que queremos ser!
mario nunes
 

Mais procurados (20)

1 apresentação de uma igreja em celulas
1 apresentação de uma igreja em celulas1 apresentação de uma igreja em celulas
1 apresentação de uma igreja em celulas
 
A Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos serA Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos ser
 
A Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos serA Igreja que queremos ser
A Igreja que queremos ser
 
Mensagem EJ - Maturidade
Mensagem EJ - MaturidadeMensagem EJ - Maturidade
Mensagem EJ - Maturidade
 
Edificando uma igreja com proposito
Edificando uma igreja com propositoEdificando uma igreja com proposito
Edificando uma igreja com proposito
 
Estudo 6 (Equilíbrio)
Estudo 6 (Equilíbrio)Estudo 6 (Equilíbrio)
Estudo 6 (Equilíbrio)
 
SERMÃO ANIVERSÁRIO DA IPI
SERMÃO ANIVERSÁRIO DA IPISERMÃO ANIVERSÁRIO DA IPI
SERMÃO ANIVERSÁRIO DA IPI
 
Maturidade Espiritual com DMZeca
Maturidade Espiritual com DMZecaMaturidade Espiritual com DMZeca
Maturidade Espiritual com DMZeca
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Madura
 
Provoque seu crescimento parte 02
Provoque seu crescimento   parte 02Provoque seu crescimento   parte 02
Provoque seu crescimento parte 02
 
Maturidade CRISTA
Maturidade CRISTAMaturidade CRISTA
Maturidade CRISTA
 
O cristão e a cultura
O cristão e a culturaO cristão e a cultura
O cristão e a cultura
 
4 elementos para o sucesso no evangelismo
4 elementos para o sucesso no evangelismo4 elementos para o sucesso no evangelismo
4 elementos para o sucesso no evangelismo
 
001 um breve histórico dos pequenos grupos
001   um breve histórico dos pequenos grupos001   um breve histórico dos pequenos grupos
001 um breve histórico dos pequenos grupos
 
Malaquias - Cap. 01 parte 03
Malaquias - Cap. 01 parte 03Malaquias - Cap. 01 parte 03
Malaquias - Cap. 01 parte 03
 
A semente
A sementeA semente
A semente
 
EMAD lição 05 Segunda Aula
EMAD   lição 05 Segunda AulaEMAD   lição 05 Segunda Aula
EMAD lição 05 Segunda Aula
 
Vasos de honra
Vasos de honraVasos de honra
Vasos de honra
 
3 biblia sagrada - nt - epistola de paulo aos galatas cap. 01
3   biblia sagrada - nt - epistola de paulo aos galatas cap. 013   biblia sagrada - nt - epistola de paulo aos galatas cap. 01
3 biblia sagrada - nt - epistola de paulo aos galatas cap. 01
 
A igreja que queremos ser!
A igreja que queremos ser!A igreja que queremos ser!
A igreja que queremos ser!
 

Semelhante a O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens

E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
Joel Silva
 
Epistola de efeso
Epistola de efesoEpistola de efeso
Epistola de efeso
Junior Miranda
 
PRELEÇÃO_Lição 5 - O Caráter da Pregação de Paulo
PRELEÇÃO_Lição 5 - O Caráter da Pregação de PauloPRELEÇÃO_Lição 5 - O Caráter da Pregação de Paulo
PRELEÇÃO_Lição 5 - O Caráter da Pregação de Paulo
Pastor Natalino Das Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
Natalino das Neves Neves
 
01 uma mensagem á igreja local e a liderança
01 uma mensagem á igreja local e a liderança01 uma mensagem á igreja local e a liderança
01 uma mensagem á igreja local e a liderança
José Nilson Virgino
 
3° Trimestre 2015 Lição 01 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 01 Adultos3° Trimestre 2015 Lição 01 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 01 Adultos
Joel Silva
 
3º trimestre 2015 lição 01 adultos
3º trimestre 2015 lição 01 adultos3º trimestre 2015 lição 01 adultos
3º trimestre 2015 lição 01 adultos
Joel Silva
 
2015 3º trimestre adultos lição 01.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 01.pptx2015 3º trimestre adultos lição 01.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 01.pptx
Joel Silva
 
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da IgrejaLBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
boasnovassena
 
LBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERA
LBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERALBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERA
LBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERA
Natalino das Neves Neves
 
Historia da igreja
Historia da igrejaHistoria da igreja
Historia da igreja
ESTUDANTETEOLOGIA
 
2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais
2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais
2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais
Natalino das Neves Neves
 
Romanos 15
Romanos   15Romanos   15
Romanos 15
Joel Silva
 
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno LageO que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
Igreja Presbiteriana Renovada de Castelo Branco
 
Módulo i online
Módulo i onlineMódulo i online
Módulo i online
Luiz Siles
 
Fp 2.16 avante retendo a palavra fiel
Fp 2.16 avante retendo a palavra fielFp 2.16 avante retendo a palavra fiel
Fp 2.16 avante retendo a palavra fiel
Natalino das Neves Neves
 
2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx
Joel Silva
 
Os Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros Cristaos
Os Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros CristaosOs Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros Cristaos
Os Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros Cristaos
tenmario04
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
Pastor Natalino Das Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
Natalino das Neves Neves
 

Semelhante a O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens (20)

E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 02
 
Epistola de efeso
Epistola de efesoEpistola de efeso
Epistola de efeso
 
PRELEÇÃO_Lição 5 - O Caráter da Pregação de Paulo
PRELEÇÃO_Lição 5 - O Caráter da Pregação de PauloPRELEÇÃO_Lição 5 - O Caráter da Pregação de Paulo
PRELEÇÃO_Lição 5 - O Caráter da Pregação de Paulo
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
01 uma mensagem á igreja local e a liderança
01 uma mensagem á igreja local e a liderança01 uma mensagem á igreja local e a liderança
01 uma mensagem á igreja local e a liderança
 
3° Trimestre 2015 Lição 01 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 01 Adultos3° Trimestre 2015 Lição 01 Adultos
3° Trimestre 2015 Lição 01 Adultos
 
3º trimestre 2015 lição 01 adultos
3º trimestre 2015 lição 01 adultos3º trimestre 2015 lição 01 adultos
3º trimestre 2015 lição 01 adultos
 
2015 3º trimestre adultos lição 01.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 01.pptx2015 3º trimestre adultos lição 01.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 01.pptx
 
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da IgrejaLBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
 
LBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERA
LBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERALBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERA
LBJ LIÇÃO 4 - CONSERVANDO UMA VIDA FRUTÍFERA
 
Historia da igreja
Historia da igrejaHistoria da igreja
Historia da igreja
 
2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais
2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais
2014 2 TRI LIÇÃO 2 - O propósito dos dons espirituais
 
Romanos 15
Romanos   15Romanos   15
Romanos 15
 
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno LageO que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
O que Jesus espera da igreja? A estrutura de Deus (3ª parte) by Pr. Nuno Lage
 
Módulo i online
Módulo i onlineMódulo i online
Módulo i online
 
Fp 2.16 avante retendo a palavra fiel
Fp 2.16 avante retendo a palavra fielFp 2.16 avante retendo a palavra fiel
Fp 2.16 avante retendo a palavra fiel
 
2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx
2015 3º trimestre adultos lição 05.pptx
 
Os Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros Cristaos
Os Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros CristaosOs Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros Cristaos
Os Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros Cristaos
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 

Mais de Francelia Carvalho Oliveira

Vivendo uma vida santa - A Igreja do Arrebatamento - Lições Bíblicas dos Jovens
Vivendo uma vida santa - A Igreja do Arrebatamento - Lições Bíblicas dos JovensVivendo uma vida santa - A Igreja do Arrebatamento - Lições Bíblicas dos Jovens
Vivendo uma vida santa - A Igreja do Arrebatamento - Lições Bíblicas dos Jovens
Francelia Carvalho Oliveira
 
A alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos Jovens
A alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos JovensA alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos Jovens
A alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos Jovens
Francelia Carvalho Oliveira
 
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamentoIntrodução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
Francelia Carvalho Oliveira
 
Os primeiros discípulos - lição 05 - O Seu Reino não terá fim
Os primeiros discípulos - lição 05 - O Seu Reino não terá fimOs primeiros discípulos - lição 05 - O Seu Reino não terá fim
Os primeiros discípulos - lição 05 - O Seu Reino não terá fim
Francelia Carvalho Oliveira
 
Ética Cristã - Os Princípios da Ética Cristã
Ética Cristã - Os Princípios da Ética CristãÉtica Cristã - Os Princípios da Ética Cristã
Ética Cristã - Os Princípios da Ética Cristã
Francelia Carvalho Oliveira
 
A tentação de Jesus - Lição 04 - O seu reino não terá fim
A tentação de Jesus - Lição 04 - O seu reino não terá fimA tentação de Jesus - Lição 04 - O seu reino não terá fim
A tentação de Jesus - Lição 04 - O seu reino não terá fim
Francelia Carvalho Oliveira
 
O batismo de Jesus - Lição 03 - O seu reino não terá fim
O batismo de Jesus - Lição 03 - O seu reino não terá fimO batismo de Jesus - Lição 03 - O seu reino não terá fim
O batismo de Jesus - Lição 03 - O seu reino não terá fim
Francelia Carvalho Oliveira
 
Os perigos e as oportunidades das redes sociais - lição 10
Os perigos e as oportunidades das redes sociais - lição 10Os perigos e as oportunidades das redes sociais - lição 10
Os perigos e as oportunidades das redes sociais - lição 10
Francelia Carvalho Oliveira
 
Em tempos de violência cibernética - lição 09
Em tempos de violência cibernética - lição 09Em tempos de violência cibernética - lição 09
Em tempos de violência cibernética - lição 09
Francelia Carvalho Oliveira
 
A resposta cristã para a violência urbana - Seguidores de Cristo
A resposta cristã para a violência urbana - Seguidores de CristoA resposta cristã para a violência urbana - Seguidores de Cristo
A resposta cristã para a violência urbana - Seguidores de Cristo
Francelia Carvalho Oliveira
 
Política e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de Cristo
Política e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de CristoPolítica e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de Cristo
Política e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de Cristo
Francelia Carvalho Oliveira
 
Lidando com o preconceito e a discriminação - Seguidores de Cristo
Lidando com o preconceito e a discriminação - Seguidores de CristoLidando com o preconceito e a discriminação - Seguidores de Cristo
Lidando com o preconceito e a discriminação - Seguidores de Cristo
Francelia Carvalho Oliveira
 
O problema da fome no mundo contemporâneo - Seguidores de Cristo
O problema da fome no mundo contemporâneo - Seguidores de CristoO problema da fome no mundo contemporâneo - Seguidores de Cristo
O problema da fome no mundo contemporâneo - Seguidores de Cristo
Francelia Carvalho Oliveira
 
O cristão diante da pobreza e desigualdade social - Seguidores de Cristo
O cristão diante da pobreza e desigualdade social - Seguidores de CristoO cristão diante da pobreza e desigualdade social - Seguidores de Cristo
O cristão diante da pobreza e desigualdade social - Seguidores de Cristo
Francelia Carvalho Oliveira
 
Refugiados: um problema da atualidade? - Seguidores de Cristo
Refugiados: um problema da atualidade? - Seguidores de CristoRefugiados: um problema da atualidade? - Seguidores de Cristo
Refugiados: um problema da atualidade? - Seguidores de Cristo
Francelia Carvalho Oliveira
 
A cosmovisão cristã em um mundo de vãs ideologias - Seguidores de Cristo
A cosmovisão cristã em um mundo de vãs ideologias - Seguidores de CristoA cosmovisão cristã em um mundo de vãs ideologias - Seguidores de Cristo
A cosmovisão cristã em um mundo de vãs ideologias - Seguidores de Cristo
Francelia Carvalho Oliveira
 
Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz - Seguidores de Cristo
Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz - Seguidores de Cristo  Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz - Seguidores de Cristo
Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz - Seguidores de Cristo
Francelia Carvalho Oliveira
 
O tempo de Deus está próximo - Tempo para todas as coisas
O tempo de Deus está próximo - Tempo para todas as coisasO tempo de Deus está próximo - Tempo para todas as coisas
O tempo de Deus está próximo - Tempo para todas as coisas
Francelia Carvalho Oliveira
 
Milagres no nosso tempo - Tempo para todas as coisas
Milagres no nosso tempo - Tempo para todas as coisasMilagres no nosso tempo - Tempo para todas as coisas
Milagres no nosso tempo - Tempo para todas as coisas
Francelia Carvalho Oliveira
 
Crenças religiosas - Tempo Para todas as coisas
Crenças religiosas - Tempo Para todas as coisasCrenças religiosas - Tempo Para todas as coisas
Crenças religiosas - Tempo Para todas as coisas
Francelia Carvalho Oliveira
 

Mais de Francelia Carvalho Oliveira (20)

Vivendo uma vida santa - A Igreja do Arrebatamento - Lições Bíblicas dos Jovens
Vivendo uma vida santa - A Igreja do Arrebatamento - Lições Bíblicas dos JovensVivendo uma vida santa - A Igreja do Arrebatamento - Lições Bíblicas dos Jovens
Vivendo uma vida santa - A Igreja do Arrebatamento - Lições Bíblicas dos Jovens
 
A alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos Jovens
A alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos JovensA alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos Jovens
A alegria pela nova vida em cristo - Lição Bíblica dos Jovens
 
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamentoIntrodução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
Introdução as Cartas aos Tessalonicenses - Lição I - A igreja do arrebatamento
 
Os primeiros discípulos - lição 05 - O Seu Reino não terá fim
Os primeiros discípulos - lição 05 - O Seu Reino não terá fimOs primeiros discípulos - lição 05 - O Seu Reino não terá fim
Os primeiros discípulos - lição 05 - O Seu Reino não terá fim
 
Ética Cristã - Os Princípios da Ética Cristã
Ética Cristã - Os Princípios da Ética CristãÉtica Cristã - Os Princípios da Ética Cristã
Ética Cristã - Os Princípios da Ética Cristã
 
A tentação de Jesus - Lição 04 - O seu reino não terá fim
A tentação de Jesus - Lição 04 - O seu reino não terá fimA tentação de Jesus - Lição 04 - O seu reino não terá fim
A tentação de Jesus - Lição 04 - O seu reino não terá fim
 
O batismo de Jesus - Lição 03 - O seu reino não terá fim
O batismo de Jesus - Lição 03 - O seu reino não terá fimO batismo de Jesus - Lição 03 - O seu reino não terá fim
O batismo de Jesus - Lição 03 - O seu reino não terá fim
 
Os perigos e as oportunidades das redes sociais - lição 10
Os perigos e as oportunidades das redes sociais - lição 10Os perigos e as oportunidades das redes sociais - lição 10
Os perigos e as oportunidades das redes sociais - lição 10
 
Em tempos de violência cibernética - lição 09
Em tempos de violência cibernética - lição 09Em tempos de violência cibernética - lição 09
Em tempos de violência cibernética - lição 09
 
A resposta cristã para a violência urbana - Seguidores de Cristo
A resposta cristã para a violência urbana - Seguidores de CristoA resposta cristã para a violência urbana - Seguidores de Cristo
A resposta cristã para a violência urbana - Seguidores de Cristo
 
Política e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de Cristo
Política e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de CristoPolítica e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de Cristo
Política e corrupção na perspectiva cristã - Seguidores de Cristo
 
Lidando com o preconceito e a discriminação - Seguidores de Cristo
Lidando com o preconceito e a discriminação - Seguidores de CristoLidando com o preconceito e a discriminação - Seguidores de Cristo
Lidando com o preconceito e a discriminação - Seguidores de Cristo
 
O problema da fome no mundo contemporâneo - Seguidores de Cristo
O problema da fome no mundo contemporâneo - Seguidores de CristoO problema da fome no mundo contemporâneo - Seguidores de Cristo
O problema da fome no mundo contemporâneo - Seguidores de Cristo
 
O cristão diante da pobreza e desigualdade social - Seguidores de Cristo
O cristão diante da pobreza e desigualdade social - Seguidores de CristoO cristão diante da pobreza e desigualdade social - Seguidores de Cristo
O cristão diante da pobreza e desigualdade social - Seguidores de Cristo
 
Refugiados: um problema da atualidade? - Seguidores de Cristo
Refugiados: um problema da atualidade? - Seguidores de CristoRefugiados: um problema da atualidade? - Seguidores de Cristo
Refugiados: um problema da atualidade? - Seguidores de Cristo
 
A cosmovisão cristã em um mundo de vãs ideologias - Seguidores de Cristo
A cosmovisão cristã em um mundo de vãs ideologias - Seguidores de CristoA cosmovisão cristã em um mundo de vãs ideologias - Seguidores de Cristo
A cosmovisão cristã em um mundo de vãs ideologias - Seguidores de Cristo
 
Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz - Seguidores de Cristo
Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz - Seguidores de Cristo  Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz - Seguidores de Cristo
Relevantes como o sal, resplandecentes como a luz - Seguidores de Cristo
 
O tempo de Deus está próximo - Tempo para todas as coisas
O tempo de Deus está próximo - Tempo para todas as coisasO tempo de Deus está próximo - Tempo para todas as coisas
O tempo de Deus está próximo - Tempo para todas as coisas
 
Milagres no nosso tempo - Tempo para todas as coisas
Milagres no nosso tempo - Tempo para todas as coisasMilagres no nosso tempo - Tempo para todas as coisas
Milagres no nosso tempo - Tempo para todas as coisas
 
Crenças religiosas - Tempo Para todas as coisas
Crenças religiosas - Tempo Para todas as coisasCrenças religiosas - Tempo Para todas as coisas
Crenças religiosas - Tempo Para todas as coisas
 

Último

Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 

Último (14)

Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 

O fruto de um trabalho zeloso - Lições Bíblicas dos Jovens

  • 1. O FRUTO DE UM TRABALHO ZELOSO A IGREJA DO ARREBATAMENTO
  • 2. TEXTO DO DIA “Sentindo, assim, tanta afeição por vocês, decidimos dar-lhes não somente o evangelho de Deus, mas também a nossa própria vida, porque vocês se tornaram muito amados por nós.” 1 Tessalonicenses 2:8
  • 3. SÍNTESE “O caráter de uma comunidade não se constrói de modo repentino; é necessário um forte investimento espiritual – por meio de DISCIPULADO EFICIENTE e de TESTEMUNHO PESSOAL EDIFICANTE.”
  • 4. TEXTO BÍBLICO – 1 TS 2.1-12 1 - Irmãos, vocês mesmos sabem que a visita que lhes fizemos não foi inútil. 2 - Apesar de termos sido maltratados e insultados em Filipos, como vocês sabem, com a ajuda de nosso Deus tivemos coragem de anunciar-lhes o evangelho de Deus, em meio a muita luta. 3 - Pois nossa exortação não tem origem no erro nem em motivos impuros, nem temos intenção de enganá-los; 4 - pelo contrário, como homens aprovados por Deus, a ponto de nos ter sido confiado por ele o evangelho, não falamos para agradar a pessoas, mas a Deus, que prova os nossos corações. 5 - Vocês bem sabem a nossa linguagem nunca foi de bajulação nem de pretexto para ganância; Deus é testemunha.
  • 5. 6 - Nem buscamos reconhecimento humano, quer de vocês quer de outros. 7 - Embora, como apóstolos de Cristo, pudéssemos ter sido um peso, tornamo-nos bondosos entre vocês, como uma mãe que cuida dos próprios filhos. 8 - Sentindo, assim, tanta afeição por vocês, decidimos dar-lhes não somente o evangelho de Deus, mas também a nossa própria vida, porque vocês se tornaram muito amados por nós. 9 - Irmãos, certamente vocês se lembram do nosso trabalho esgotante e da nossa fadiga; trabalhamos noite e dia para não sermos pesados a ninguém, enquanto lhes pregávamos o evangelho de Deus. 10 - Tanto vocês como Deus são testemunhas de como nos portamos de maneira santa, justa e irrepreensível entre vocês, os que crêem. 11 - Pois vocês sabem que tratamos cada um como um pai trata seus filhos, 12 - exortando, consolando e dando testemunho, para que vocês vivam de maneira digna de Deus, que os chamou para o seu Reino e glória.
  • 6. INTRODUÇÃO • Quais devem ser as motivações daqueles que se envolvem no ministério de evangelização e discipulado de novos cristãos? • Paulo nos apresenta o verdadeiro padrão de uma plantador de igrejas... • Assim como os tessalonicenses, aprendamos com Paulo.
  • 7. I – O MINISTRO COMO AQUELE QUE SERVE • 1 – Aquele que cuida dos outros. • Coração misericordioso X Individualismo; • Como uma ama/mãe: v.7, que cuida, que nutre, que dá carinho; • Como um pai: v.11, formação de caráter, admoestando, exortando... • Não procurando benefícios próprios, mas o desenvolvimento dos irmãos.
  • 8. I – O MINISTRO COMO AQUELE QUE SERVE • 2 – Aquele que serve mesmo com o perigo de perder a vida. • O comprometimento era tal, que em várias ocasiões o apóstolo testemunha um risco a sua vida; 2 Co 11. 23-27 • A radicalidade deste tipo vocação pode ser comparada à chamada de nossos irmãos missionários que atuam em países hostis ao Evangelho; • Jo 4.35 – Levantai os olhos, a ceara tá pronta!
  • 9. Índia: 360.000.000 de deuses, e caminha a passos largos para o abismo
  • 10. Japão: 3ª economia mundial, prostrados diante de buda; a menor taxa de cristãos do mundo
  • 11. África: o animismo e a feitiçaria escraviza toda uma nação, das 1800 línguas faladas, a Bíblia só foi traduzida pra 150 delas;
  • 12. • América Latina: idolatria e feitiçarias fazem aliança no mesmo altar – sincretismo religioso; • Oriente: O Islamismo parece ganhar o mundo, dentro de poucas estima-se que alcance cerca de 1.750.000.000 de adeptos; • Ocidente: o ateísmo e o secularismo galopam livremente...
  • 13. • Ásia: 10.980 línguas faladas, temos a Bíblia em 91 delas... • Europa: considerado hoje, o continente pós- cristão; • No mundo, estima-se 2.400.000.000 de pessoas que não foram atingidas pelo evangelho, e a Bíblia não foi traduzida nem para 1/3 das línguas faladas no mundo;
  • 14. • Quando o presidente, John Kennedy foi assassinado em 1963, 12 horas depois metade do mundo já havia sido informado pelos meios de comunicação da sua morte... Enquanto o filho de Deus morreu na cruz há cerca de 2.000 anos, e menos da metade da população mundial não tem informações sobre o seu sacrifício! • E você é de fato cristão?
  • 15. I – O MINISTRO COMO AQUELE QUE SERVE • 3 – Aquele que trabalha para não ser pesado. • Até nisso Paulo era exemplo; • Os recursos financeiros que recebia, era totalmente investido nas igrejas, e nas famílias carentes.
  • 16. II – O COMPROMISSO COM A PALAVRA • 1 – A pregação como exposição da verdade. • O foco no trabalho de Paulo com os tessalonicenses, era a palavra, não fundamentada na sabedoria humana, mais sim no poder e inspiração do Espirito Santo; • Mas, a pregação expositiva vem perdendo espaço... • Que tipo de igreja teremos daqui a alguns anos se os cristãos que a compõem não valorizam a palavra, ou nem sequer a conhecem?
  • 17. II – O COMPROMISSO COM A PALAVRA • 2 – A necessidade de honrar a Deus e sua Palavra. • A quem preocupamo-nos em agradar quando pregamos o evangelho? • V.4... • Àquele que foi vocacionado por Deus cabe o discernimento e a maturidade para permanecer firme em sua missão, mesmo quando todos e tudo levante-se em oposição.
  • 18. II – O COMPROMISSO COM A PALAVRA • 3 – O discernimento e a confiança dos tessalonicenses. • Lá a palavra fluía com naturalidade...pq? • Os cristãos tinham as palavras de Paulo, como as próprias palavras de Deus... Tinham discernimento...
  • 19. III – OS OBJETOS DE UM MINISTÉRIO ÍNTEGRO • 1 – Colaborar para o desenvolvimento de uma comunidade espiritualmente sadia. • Paulo era totalmente comprometido com a Igreja e com a obra de Deus, não visava ele próprio, mais a igreja; • Hoje, cada vez mais, na igreja, precisamos de pessoas comprometidas com o crescimento e amadurecimento de outros.
  • 20. III – OS OBJETOS DE UM MINISTÉRIO ÍNTEGRO • 2 – A edificação mútua. • Resultado de um ministério sadio; • Nunca devemos compreender a bênção de Deus de forma egoísta, na verdade, sempre que o Senhor abençoa-nos abundantemente, o seu objetivo é que sejamos capazes de compartilhar com os outros o muito que Ele nos tem dado.
  • 21. III – OS OBJETOS DE UM MINISTÉRIO ÍNTEGRO • 3 – Denunciar as ações do maligno. • É inevitável, a luz sempre desarticula as trevas... • A integridade do ministério de Paulo destacava-se, positivamente, em meio a um contexto de falsos pregadores e profetas de baal.
  • 22. CONCLUSÃO • O bem-estar da jovem igreja em Tessalônica não era fruto do acaso, como vimos durante esta lição; • O padrão paulino de evangelismo e de discipulado, fez com que grupo de cristãos, mesmo tendo convivido pouco com o apóstolo, tivesse um nível de espiritualidade diferenciado. • Nós, como Igreja, na atualidade precisamos cada vez mais disso: AMOR, INTEGRIDADE E RESPONSABILIDADE.