SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 193
O Especialista da Toalha 
Presbítero 
Márcio Melânia
introdução
1. Quem eu sou como líder? 
2. O que é Liderança Cristã 
3. Estilos de Liderança 
4. Técnicas de um líder 
5. Princípios de um Líder 
6. Uma Abordagem bíblica 
7. Ética 
8. Juízos de norma e valor 
9. Aprendizado Ético 
10.A Comunidade 
11.Missão e Visão 
12.Desintoxicando a alma 
13.O Tempo 
14.Conclusão 
3
Ao entardecer do Dia da Páscoa, Jesus sabia que aquela seria a última noite dEle sobre a terra, antes de 
voltar para o Seu Pai. Durante a ceia, o Diabo já havia inspirado Judas Iscariotes, filho de Simão, que aquela 
era a noite para ele executar o seu plano de trair Jesus. Jesus sabia que receberia do Pai todas as coisas, que 
tinha vindo de Deus e voltaria para Deus. E como Ele amava aos seus discípulos! 
Assim foi que Ele Se levantou da mesa da ceia, tirou o manto, enrolou uma toalha numa bacia, e começou a lavar os pés dos discípulos, enxugando com a toalha que Quando chegou a Evangelho Simão Pedro, este lhe disse: "Mestre, o Senhor não deve estar lavando de 
na cintura, derramou água 
tinha à sua volta. 
nossos pés assim! " 
Jesus respondeu: "Você não entende agora porque Eu estou fazendo isso; mais tarde entenderá". "Não", 
protestou Pedro. "O Senhor nunca lavará os meus pés! " "Mas se Eu não lavar, você não pode ser o Meu 
companheiro", respondeu Jesus. Simão Pedro exclamou: "Então, lava-me as mãos e a cabeça também - e não 
somente os pés! " 
Jesus respondeu: "Aquele João que tomou um banho completo 13.1-só necessita lavar os pés 17 
para ficar totalmente 
limpo. Ora, vocês estão limpos - mas isto não é verdade a respeito de todos aqui". 
Pois Jesus sabia por quem seria traído. Era isso que Ele queria dizer quando falou: "Nem todos vocês estão 
limpos". 
Depois de lavar os pés deles, Jesus vestiu o manto novamente, acomodou-Se e perguntou: "Vocês entendem 
o que Eu estava fazendo? Vocês Me chamam Mestre e Senhor, e fazem bem em dizer assim, porque é 
verdade. E já que Eu, O Senhor e o Mestre, lavei os pés de vocês, vocês devem lavar os pés uns dos outros. 
Eu dei um exemplo para ser seguido: façam como eu fiz com vocês. A verdade é que um empregado não é 
maior do que o seu patrão. Nem um mensageiro é mais importante do que aquele que o envia. Vocês já 
sabem estas coisas - agora façam assim! Este é o modo de receber as bênçãos.” 
4
COMO ANDA SUA 
AUTOIMAGEM? 
5
6
7
8
como as outras pessoas o veem?
O grito do nosso maior inimigo 
Eu sou assim! 
Vá até o espelho e olhe para ele. 
Você conhece essa pessoa que está refletida à sua frente? 
Ela é o que você sonhava ser? 
É generosa? É um bom marido, uma boa esposa, um bom filho, 
uma boa filha? Mas principalmente, pergunte ao seu reflexo: Você 
é um bom exemplo? 
Aqueles que se espelharem em você serão boas pessoas? 
Como seria o mundo se fosse 
habitado por pessoas iguais a 
você? 10
A análise 
Lamentações 3.40 
“Esquadrinhemos os nossos caminhos, provemo-los, e voltemos 
para o Senhor.” 
1 Coríntios 11.28 
“Examine-se, pois, o homem a si mesmo...” 
11
O DIAGRAMA DO ICEBERG 
© Copyright Showeet.com 
FATORES COGNITIVOS 
FATORES EMOCIONAIS 
SUPERFICIALMENTE 
PROFUNDAMENTE 
PENSAMENTO, RACIOCÍNIO, 
TOMADA DE DECISÃO, LÓGICA, 
RECUPERAÇÃO, ATENÇÃO, 
PERCEPÇÃO 
SURPRESA, ALEGRIA, RAIVA, 
MEDO, AMOR, ACEITAÇÃO, 
PERCEPÇÃO, EXPECTATIVA, NOJO, 
TRISTEZA
VOCÊ É A 
MENSAGEM!
"Sim, é claro que vocês são uma carta escrita 
pelo próprio Cristo e entregue por nós. Ela não 
foi escrita com tinta, mas com o Espírito do 
Deus vivo; ela não está gravada em placas de 
pedra, mas em corações humanos." 
2 Coríntios 3.3 (NTLH-Br) 
14
quem eu sou 
como líder?
1. Como tenho gasto o meu tempo? 
2. Tenho constantemente comunicando a visão do Reino de Deus e as Sua 
prioridade? 
3. Estou atento a mudanças que exigem mudanças no modo como organizamos 
e tocamos meu ministério? 
4. Meu estilo de liderança reflete quem de fato sou? 
5. Como me comporto sob pressão, e que sinais transmito a minha equipe? 
6. Sou suficientemente assertivo/afirmativo, ou virei um líder hesitante? 
7. Forneço ao meu pessoal um feedback construtivo, direto, no momento 
oportuno? 
8. Conto com duas ou três pessoas capazes de me dizer aquilo que preciso 
ouvir, por mais desagradável que seja? 
9. Defini, ainda que apenas para mim, pessoas capazes de assumir a liderança? 
10.Minha definição de líder reflete minhas ações diárias? 
16
líderes nascem 
feitos ou se 
tornam líderes?
Chefe versus Líder 
CHEFE 
Existe para controlar o que 
em cima foi decidido, 
e para ter certeza que 
embaixo foi feito 
CHEFE X LÍDER 
CHEFES são obedecidos 
LÍDERES são respeitados 
Enquanto que o chefe busca o controle, 
o líder facilita a mudança. 
O chefe olha para o dia a dia, o líder 
amplia o futuro. 
18
Diferenças entre ser chefe e ser líder 
CHEFE LÍDER 
• Administra – mantém o sistema • Inova – cria o sistema 
• É uma cópia • É original 
• Focaliza sistemas e estrutura • Focaliza e valoriza pessoas – olha a “missão” 
• Busca e depende de controles • Facilita a mudança e inspira confiança 
• Pensa a curto prazo • Tem visão a longo prazo 
• Pergunta “como”, “quando” • Pergunta “por que” 
• Olha apenas os resultados imediatos • Tem seus olhos para o futuro 
• Aceita o “status quo” – “sacerdote” • Desafia o “status quo” – “profeta” 
• Mantém os procedimentos, é dependente • Busca novas alternativas 
19
Diferenças entre ser chefe e ser líder 
CHEFE LÍDER 
• Segue projetos estabelecidos • Estabelece projetos 
• Enfoque contábil • Enfoque histórico 
• Atividade “braçal” • Atividade reflexiva, visionária 
• Trabalha e produz • Muda o rumo 
• Planeja rotina do dia a dia • Determina a direção da organização 
• Vê se as coisas estão funcionando • Busca novos caminhos para a organização 
• Faz certo as coisas – eficiente • Faz as coisas certas – eficaz 
• Faz com que as pessoas façam 
coisas 
• Faz com que as pessoas queiram fazer as coisas – 
apela para valores/crenças 
20
o que é 
liderança 
cristã?
O que é Liderança? 
É o processo de conduzir um grupo e influencia-lo para o alcance de suas metas.
O que é Liderança? 
Liderança é também uma disciplina pessoal deliberada: 
“A liderança é a disciplina de deliberadamente exercer influência especial dentro 
de um grupo para movê-lo em direção a alvos de permanência benéfica que 
satisfazem as necessidades reais do grupo.” 
Dr. John Haggai 
John Haggai. Lead on – leadership that endures in a changing world. USA, Harvest House Publishers, 1990.
O que é Liderança? 
No Novo Testamento, liderar para Deus é servir os liderados 
com o propósito de influenciá-los a se tornarem cada vez mais 
parecidos com o Senhor Jesus Cristo no ser, viver e fazer.
Liderança é interferir seriamente na 
vida de outras pessoas. 
Max DePree 
25
“Liderança é a arte de 
conseguir que uma 
pessoa faça o que 
você quer que seja 
feito, simplesmente 
por que a pessoa 
deseja fazê-lo”. 
Dwight D. Eisenhower
“Liderança é como a 
beleza, difícil de 
definir e fácil de 
reconhecer.” 
Warren Bennis
Liderança é 
Influência, 
nem mais nem 
menos! 
John C. Maxwell
A liderança é um processo de influência. 
Cada vez que você influenciar o pensamento, o 
comportamento o desenvolvimento de alguém com o objetivo de 
ajudar este alguém a alcançar umameta na vida pessoal ou 
espiritual estará assumindo a função de líder. 
29
Quais são as características de um verdadeiro líder? 
O verdadeiro líder é aquele que consegue influenciar 
fortemente outras pessoas à ação, sem o uso da força ou do 
medo. Tem sua base na atitude pessoal, na competência 
e no carisma, levando os demais a admirar, respeitar e 
defender o líder e suas ideias. 
30
“ Liderar não é 
manipular, liderar 
é influenciar.” 
Não se deixe manipular, é você 
quem determina seu Valor! 
31
Liderança cristã também é 
• Ajudar a descobrir o potencial adormecido; 
• ajudar a descobrir a vida abundante em Cristo; 
• ajudar a ver novas possibilidades; 
• apoiar e encorajar; 
• elevar a autoestima; 
• ajudar a pessoa a eleger Deus a sua fonte de valor 
pessoal; 
• andar junto, discipular. 
32
Resumindo: Liderança Cristã… 
• É aquela que adota, como princípios 
fundamentais de sua prática e da sua ética, os 
ensinamentos de Jesus e seus apóstolos. 
• É aquela que se inspira na liderança de Jesus e se 
empenha por reproduzir esse modelo. 
34
“Naquela mesma ocasião dei a seguinte ordem aos juízes: 
- Julguem todas as causas com justiça, seja entre dois israelitas, 
seja entre um israelita e um estrangeiro que vive no meio do povo. 
- Sejam honestos e justos nas suas decisões. 
- Tratem todos de modo igual, tanto os humildes como os poderosos. 
- Não tenham medo de ninguém, pois a sentença que vocês derem 
virá de Deus. 
- Se algum caso for muito difícil para vocês, tragam para mim, que 
eu o julgarei.” 
Deuteronômio 1:16-18 
35
Liderança Cristã 
Atitude Cristã 
Discernimento 
Espiritual 
Fazer Boas escolhas consistentes e agir 
sobre as mesmas o tornará um líder Cristão 
Ser capaz de tomar uma ação de acordo 
com sua decisão e sustentar sua decisão 
baseado no seu julgamento ético. 
Reconhecer o dilema e ter opinião formada 
sobre o problema 
Consciência Cristã Ser capaz de reconhecer um dilema ético
“Uma forte liderança faz com que uma boa 
empresa seja ainda melhor, 
da mesma forma que, uma fraca liderança 
reduz o seu potencial e, com o tempo, o 
destrói.” 
Ram Charan 
37
Intervalo 
10 minutos
estilos de 
liderança 
39
• Autocrática: decide tudo sozinho. Não dá espaço para novos 
líderes. Exigente. Foco nos "resultados" e não nas pessoas. 
• Democrática: não decide nada, deixa tudo para que os liderados 
decidam. Foco nas pessoas e não no objetivo. 
• Volúvel: vai de acordo com a "onda". 
Muda o objetivo de acordo com 
“as novidades". 
40
• Detalhista: perde-se em detalhes e perfeccionismos. Preocupa-se 
mais com os métodos que o objetivo. 
• Responsável: assume a responsabilidade da liderança, 
motivando o grupo a atingir o objetivo. Trabalha com foco nas 
pessoas sem perder de vista o objetivo. 
41
técnicas de 
um líder
• Comunicar: 
Informar de maneira clara, direta e simples. Transmitir a visão 
da necessidade de conseguir o objetivo. 
43
• Delegar: 
Acionar os recursos dos seus liderados ("dons") na direção do 
objetivo. Fazer com que 1+1 seja igual a 3, e não 2. Organizar 
tarefas e funções. Formar equipes. 
44
• Inovar: 
Aceitar mudanças e novas idéias. A única coisa que o bom líder 
não cede é quanto ao objetivo. No caso do líder cristão, não 
cede quanto à doutrina bíblica. 
45
• Motivar: 
Incentivar novas lideranças. Elogiar. Estimular a participação 
dos liderados nos processos que levam ao objetivo final. Ser 
exemplo de conduta. 
46
• Planejar: 
Ter uma visão de longo prazo, definindo prioridades. Treinar as 
lideranças. Adotar metodologias compatíveis com os objetivos. 
47
princípios 
de um líder
1) Os líderes tocam o coração antes de 
pedir ajuda 49
2) O potencial de um líder é determinado 
pelas pessoas mais próximas dele: 50
3) Não existe sucesso do dia para a noite. 
Liderança é aprendizado 51
4) A verdadeira medida da Liderança é a 
influência - nada mais, nada menos 52
5) Qualquer um pode pilotar o barco, mas só 
um Líder sabe traçar o percurso 53
6) Quando o verdadeiro líder fala, as 
pessoas ouvem 54
7) Só líderes seguros delegam poder aos 
outros: 55
8) Credibilidade: 56
parentesis
ESCUTATÓRIA
1 Não faça excursões mentais enquanto a pessoa 
está falando - não divague os pensamentos. 
• Tente antecipar mentalmente onde a pessoa quer 
chegar 
• Analise o que a pessoa está falando 
• Pense se há evidência ou veracidade no que ela está 
falando 
• Faça deduções (nas “entrelinhas”)
2 Cuidado com o que você vai falar 
Por exemplo: 
“Eu entendo, estou entendendo” 
mas não demonstre nem com a 
expressão facial que você concorda ou 
discorda com o que está sendo dito.
3 Desenvolva a “surdez emocional” 
Procure não se emocionar com os 
sentimentos da pessoa, você ainda não 
ouviu o outro lado e não sabe quem está 
com a razão.
4 Desenvolva seu ouvido sensitivo 
5 Evite explicações difíceis. Não se comprometa. 
6 Nunca mude a conversa prematuramente. 
Deixe a pessoa desabafar
7 Não pretenda estar atendo, quando na verdade 
você não está. 
8 Evite distrações. 
9 Nunca fique rabiscando na hora da conversa
10 Nunca se esquive de ouvir a pessoa que está 
precisando falar-lhe 
Lembre-se... 
Jesus dava atenção 
a todos.
fecha 
parentesis
uma 
abordagem 
bíblica
Exemplos de Liderança - MOISÉS 
• (Preparação no Egito) – Conhecimento técnico 
“O homem respondeu: 
— Quem pôs você como nosso chefe ou nosso juiz? 
Você está querendo me matar como matou o egípcio? 
Então Moisés ficou com medo e pensou: 
“Já descobriram o que eu fiz.” - Êxodo 2.14 
• (Pastor no Deserto) 
Conhecimento de si mesmo – busca de habilidades 
Moisés cuidava das ovelhas e das cabras de Jetro, o seu sogro, o sacerdote de Midiã. Um dia Moisés levou o 
rebanho para o outro lado do deserto e foi até o monte Sinai, o monte sagrado. - Êxodo 3.1 
• (Utilização na Prática) – resoluções de conflitos. 
O SENHOR disse a Moisés: — Por que você está me pedindo ajuda? Diga ao povo que marche. Êxodo 14.15 
67
Exemplos de Liderança - PAULO 
• Autoconfiança, Saber quem é. 
Gálatas 1.1 
“Paulo, apóstolo, não da parte de homens, nem por intermédio de 
homem algum, mas por Jesus Cristo e por Deus Pai, que o 
ressuscitou dentre os mortos...” 
• Utilização de todas as ferramentas possíveis. 
Atos 17.23 
“porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também 
um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, 
que vós honrais não o conhecendo é o que eu vos anuncio.” 
• Delegação de Responsabilidades. 
2Timóteo 2.5 
- A necessidade do estabelecimento e compreensão da Missão e Visão. 
- O líder bem sucedido não é o mais inteligente e sim o mais motivado. 
- Líderes de esfera local e líderes de esfera global.
o 
maior 
exemplo 
JESUS
• Seu objetivo: salvar os homens do pecado, do mal e da morte. 
• Comunicou: sua mensagem de 
amor e nova vida, na linguagem do povo 
da época (parábolas). Pregou em 
aramaico (língua corrente da Palestina). 
• Delegou: a missão de espalhar a mensagem de salvação a todo o 
mundo. 
71
• Inovou: rompeu com as arcaicas tradições religiosas da época. Ensinou ao 
ar livre, concedeu perdão a prostitutas e cobradores de impostos, curou no 
sábado. 
• Motivou: enviou Seu Espírito para que 
seus discípulos saíssem das casas-esconderijos. 
Foi exemplo de conduta em 
todas as áreas humanas. 
• Planejou: deu ordens específicas ("amai-vos uns aos outros..." etc.) e 
escolheu 12 homens para a liderança, treinando-os durante 3 anos. 
72
• Liderança de Pessoas Difíceis 
(não fazer acepção de pessoas) 
Mateus 9.10 
Mais tarde, enquanto Jesus estava jantando na casa de 
Mateus, muitos cobradores de impostos e outras pessoas de 
má fama chegaram e sentaram-se à mesa com Jesus e os 
seus discípulos. 
• Sempre ver o melhor das Pessoas 
• Reconhecer as limitações das pessoas e perdoá-las por isso 
Mateus 26.31 
“E Jesus disse aos discípulos: — Esta noite todos vocês vão fugir e me abandonar, pois as Escrituras 
Sagradas dizem: “Matarei o pastor, e as ovelhas serão espalhadas.” 
73
Liderança pessoal 
Resultado: Perspectiva 
Mateus 3.13 – 4.11 
Liderança de 
organização/comunidade 
Resultado: Efetividade e 
Reconciliação 
Mateus 28.19 – 20 
Liderança um-a-um 
Resultado: Confiança 
Mateus 4.18;24 
Liderança de equipe/família 
Resultado: União e Legado 
Mateus 10.5–10 
Modelo de liderança 
transformacional
“Não é o discípulo mais do que 
o seu mestre; mas todo o que 
for bem instruído será como o 
seu mestre.” 
Lucas 6.40 
Disposição para ENSINAR 
75
Tenha consciência 
de que está ensinando 
muito mais que 
uma tarefa. 
Está abrindo mentes e 
corações, está 
formando vidas.
“Então lhes ensinava muitas coisas por parábolas, e lhes dizia no seu 
ensino: 
Ouvi: Eis que o semeador saiu a semear; e aconteceu que, quando 
semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho, e vieram as aves 
e a comeram. 
Outra caiu no solo pedregoso, onde não havia muita terra: e logo nasceu, 
porque não tinha terra profunda; mas, saindo o sol, queimou-se; e, porque 
não tinha raiz, secou-se. 
E outra caiu entre espinhos; e cresceram os espinhos, e a sufocaram; e não 
deu fruto. 
Mas outras caíram em boa terra e, vingando e crescendo, davam fruto; e 
um grão produzia trinta, outro sessenta, e outro cem. 
E disse-lhes: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. 
Parábola de Jesus relatada no Livro de Marcos 4.2-9 77
Disposição para aprender 
Sobre aprender – Profeta Oséias 4.6 
“Meu povo esta 
sendo destruído, 
porque lhe falta o 
conhecimento.” 
78
Liderança servidora 
Seis Princípios para a Liderança servidora 
Dependência - Filipenses. 2.07 
Aprovação - Salmo. 40.8 
Modéstia - Mateus 4.05 
Empatia - João 8.1-11 
Otimismo - Isaias 42.4 
Unção - Atos 10.37-38
Qualidades da Liderança servidora 
Caráter 
Liderança 
Servidora 
Liderança 
inepta 
Visão Competência 
Liderança 
imatura 
Liderança 
estagnada 
Adapted from a model developed by Jeff Russell
Liderança natural e espiritual 
• Autoconfiante 
• Conhece os homens 
• Decisivo 
• Ambicioso 
• Cria estratégia 
• Gosta de comando 
• Procura recompensa pessoal 
• Independente 
• Confia em Deus 
• Conhece a Deus e os homens 
• Procura a vontade de Deus 
• Humilde 
• Segue o padrão de Deus 
Sente prazer em obedecer 
Ama a Deus e aos outros 
Depende de Deus 
81
O propósito da disciplina 
Não é para descarregar a sua raiva 
Não é para agredir compalavras 
É um outro modo de ensinar 
Disciplina vem de Discípulo = aprendiz 
82
Domínio das emoções 
Razão x Emoção
Como Deus escolhe líderes 
Entre muitos - Nm 13.2; At 6.3 
Bons seguidores (discípulos a apóstolos) 
Potencial (Mt 4.18-19, 1Pe 5.1) 
Por ser confiável - At 1.09 
Aqueles que aprendem com os erros 
(Contraste Judas e Pedro)
ética
86
Decisão 
87
Certo 
Errado 
88
O que é Ética afinal??? 
• Ética é um conjunto de princípios que norteiam nossas 
decisões diárias 
• Esse princípios são como que sinais de trânsito indicando 
nossa conduta na vida 
• A ética tem a ver com praticamente todas as esferas de nossa 
vida: 
– Pessoal – consigo mesmo 
– Social – com o próximo (amigos, família, etc) 
– Profissional – como funcionário ou patrão 
– Pública – cidadania responsável 
89
Ética→decisões→liderança 
• Somos “um ser que decide” 
• Sempre decidimos 
– a “não decisão” é uma decisão→ a de “não decidir” 
• Somos responsáveis pela nossa vida 
• Sofremos influências diversas na tomada 
de decisões 
90
leitura 
Fundamentos da Ética Cristã
• Origem: Ethos = costume, hábito 
• Definição: “Ética é a conduta ideal do individuo” 
• É a ciência da Moral, teórica ou prática 
• A gama de significados abrange desde o sistema 
religioso até ao hábito pessoal 
• Ética Cristã: “Conjunto de regras de conduta, aceitas 
pelos cristãos, tendo por fundamento a Palavra de 
Deus.” 
92
Ética Cristã 
• O cristão deve basear-se na Palavra de Deus 
para fazer o que é certo ou errado. 
• A Ética Cristã não depende da situação, dos 
meios ou dos fins (Salmos 119.105) 
94
Ética relacional 
– duas possibilidades de Leituras 
EU - TU EU – ISTO 
Deus - Homem Homem – Deus 
Amor incondicional Amor interesseiro 
Interdependência Individualismo 
Bondade Maldade 
Sinceridade Hipocrisia – segundas intenções 
Participação Autoritarismo, exclusão 
União na diversidade Exclusão 
Diálogo Contestação 
Convivência Posse ou marginalização 
95
Ética 
- duas possibilidades de Leituras 
Leitura Antropológica Leitura Teológica 
A partir do homem A partir de Deus 
Cosmovisão humana Óptica divina 
Realidade Humana Realidade da criação dentro da soberania 
divina 
Ética subjetiva vinda do interior do homem Ética objetiva vinda de fonte externa ao 
homem 
A justiça é vista do ponto de vista humano O sofrimento humano pode ter significado 
teológico e pode ser necessário 
O caráter humano é essencialmente bom e 
confiável 
O caráter humano é essencialmente 
corrompido e enganoso 
Os instintos e sensações humanas devem 
ser liberados 
Os instintos e sensações devem ser 
gerenciados 96
grupo 
análise de casos 
Pena de Morte – Eutanásia – Aborto – Homossexualismo – Política – Corrupção – Drogas – Bulying – Internet
Intervalo 
para o almoço 
- UMA HORA -
Juízo de 
valor ou 
norma 
101
Juízo de valor ou norma 
 A decisão sobre dizer ou não a verdade está estreitamente ligada aos 
sistemas de valores de uma sociedade. 
 Há coisas que valorizamos, consideramos boas e procuramos fazer. 
 Por outro lado, sentimo-nos mal quando não conseguimos evitar ações 
que julgamos más ou reprováveis. 
 Em outras palavras, somos capazes de estabelecer juízos de valor, 
diferenciando o bem e o mal, e de agir conforme essa diferenciação. 
 Esses juízos nos permitem estabelecer princípios morais que procuramos 
seguir e que convém serem seguidos por todos. 102
Mas por que escolhemos fazer o bem? 
• De forma geral escolhemos fazer o bem, seguindo princípios morais, 
porque, caso contrário, seria quase impossível o convívio social. Imagine 
se cada um pudesse estabelecer suas próprias normas. 
• Certamente predominaria a insegurança, principalmente se as pessoas 
tivessem como princípio a mentira, o egoísmo ou o uso da violência física 
ou psíquica.
Aprendizado Ético 
• Cegueira ética (não reconhecem os problemas éticos porque estão 
pensando em outras coisas) 
• Mudez ética (tem ética mas falham ao enfatizar os valores) 
• Incoerência ética (é um fracasso para resolver inconsistências 
éticas) 
• Paralisia ética (imóveis, temem as conseqüências) 
• Hipocrisia ética (fala uma coisa e faz outra, são um perigo, porque 
as vezes tem convicção do que falam mas não tem ética) 
• Duplicidade ética (tem valores confusos, por exemplo, no trabalho 
e em casa) 
• Duplicidade ética (acreditam que sua empresa já tem ética e não 
precisam fazer auto-avaliação nenhuma) 105
Exemplo 
Aja com sinceridade, 
justiça e integridade. 
Desta forma, 
ensinará tais 
valores sem esforço.
“Em tudo te dá por 
exemplo de boas obras; 
na doutrina mostra 
integridade, sobriedade, 
linguagem sã e 
irrepreensível...” 
Tito 2.7-8 
107
a 
comunidade
A anatomia de uma Comunidade ─ Gente 
Uma comunidade é formada por pessoas com cultura, formação, educação, costumes, tradição, diferentes. 
Diversidade 109
Comunidade sem Alinhamento 
dissensão e divisão 
É necessário termos uma direção ÚNICA! 
Qual é esta Direção? 110
Jesus deve ser o centro 
Direcionado e alinhados 
A palavra deve ser a BASE 
Jesus 
Univocidade 111
“Completai o meu gozo, para que 
tenhais o mesmo modo de pensar, 
tendo o mesmo amor, o mesmo 
ânimo, pensando a mesma coisa.” 
Filipenses 2.2
“Sede unânimes entre vós; não 
ambicioneis coisas altivas mas 
acomodai-vos às humildes; não 
sejais sábios aos vossos olhos.” 
Romanos 12.16
“Irmãos, não faleis mal uns dos 
outros. Quem fala mal de um 
irmão, e julga a seu irmão, fala mal 
da lei, e julga a lei; ora, se julgas a 
lei, não és observador da lei, mas 
juiz. Há um só legislador e juiz, 
aquele que pode salvar e destruir; 
tu, porém, quem és, que julgas ao 
próximo?” 
Tiago 4.11,12
A inteligência nos 
relacionamentos - Comunhão
A vida é relacionamento, o 
resto não passa de detalhe. 
Essa é a maior verdade. 
Tudo na vida que realmente 
importa resume-se aos 
relacionamentos. 
_ Dr. Gary Smalley
O Senhor disse: 
“Não é bom que o homem esteja só” 
_Gênesis 2.18 
117
Abraham Maslow ensinou há muito tempo… 
50 anos atrás, Maslow pesquisou motivação humana e descobriu 
que as necessidades impulsionam a motivação. 
118 
Moralidade, criatividade, 
espontaneidade, solução de 
problemas, reconhecimento de 
fatos 
Amor próprio, confiança, respeito 
Amizade, família, intimidade 
sexual 
Integridade física, segurança no 
trabalho, saúde, proteção jurídica, 
da família e da propriedade 
privada 
Ar, alimentação, sexo, sono, 
excreção 
Auto realização 
Auto estima 
Amor 
Segurança / 
Proteção 
Necessidades 
Fisiológicas 
5 
4 
3 
2 
1
Desde nossas necessidades mais básicas de alimentação, 
vestimenta, abrigo, segurança e ou as nossas mais sofisticadas 
necessidades de satisfação do ego e auto realização, somos 
impulsionados para preencher essas necessidades. 
Normalmente, experimentamos alguma tensão interna (por 
exemplo, a tensão da fome quando precisamos comer), até que 
a necessidade seja satisfeita. Esta tensão nos motiva 
constantemente, até que a necessidade seja satisfeita. 
119
Nos dias de hoje temos uma crise de relacionamento 
• Amizades de uma vida toda se tornam amargas; 
• Adolescentes fogem de casa; 
• Companheiros de trabalho brigam, um deixa a 
empresa; 
• Namorados rompem; 
• Recém-casados têm a primeira briga; 
• Irmãos adultos deixam de se falar durante anos; 
• Casamento de quinze anos acaba em divórcio; 
• Adolescente solitário comete suicídio.
Disciplina e relacionamento 
R + R - R = R + R 
“Regras e Regulamentos menos 
Relacionamentos é igual a 
Ressentimentos e Rebeliões.” 
121
Postura e asserção Patologias nos relacionamentos 
“Noventa por 
cento da arte de 
viver consiste em 
se dar bem com 
pessoas que você 
não gosta.”
O DNA dos relacionamentos 
1.Fomos feitos para nos relacionar; 
2.Fomos feitos com a capacidade 
de escolher; 
3.Fomos feitos para assumirmos 
responsabilidade por nós 
mesmos. 
123
Qualidades de uma relacionamento saudável 
Deus 
Harmonia 
Saudável 
Complexado 
Os outros Eu 
Conflito 
Solitário 
Os relacionamentos 
não são uma opção 
Você foi feito para 
três tipos de 
relacionamentos: 
com os outros, com 
você mesmos e 
com Deus. 
124
Os três relacionamentos devem estar equilibrados 
Você 
Os outros 
Deus 
125
Os três relacionamentos devem estar equilibrados 
Mateus 22.37 – 39 
“Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o 
teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. 
Este é o grande e primeiro mandamento. 
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo 
como a ti mesmo.” 
126
leitura 
Reconstruindo Relacionamentos
Você comanda seus botões 
Não dê aos outros o poder de controlar seus sentimentos 
Não dependa dos outros para ser feliz 
Romanos 12.18 
“Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com 
todos os homens.” 
128
Síndrome de Procusto 
Na mitologia grega, um gigante chamado Procusto convidava pessoas para 
passarem a noite em sua cama de ferro. Mas havia uma armadilha nesta 
hospitalidade: ele insistia que os visitantes coubessem, com perfeição, na cama. Se 
eram muito baixos, ele os esticava; se eram altos, cortava suas pernas. 
Por mais artificial que isto possa parecer, será que não gastamos um bocado de 
energia emocional tentando alterar ou "enquadrar" outras pessoas de formas 
diversas, embora menos drásticas? 
Esperamos, com frequência, que os outros vivam segundo nossos padrões e ideais, 
ajustando-se aos nossos conceitos de como eles deveriam ser. Ou então, 
assumimos a responsabilidade de torná-los felizes, bem ajustados e 
emocionalmente saudáveis. 
A verdade é que grande parte dos atritos que existem nos relacionamentos 
acontecem quando tentamos impor nossa vontade aos outros - quando tentamos 
administrá-los e controlá-los. 
129
130
Romanos 15.1 
1 Ora nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas 
dos fracos, e não agradar a nós mesmos. 
Expulsemos o espírito de Procusto de nossas vidas e que flua em nós o 
Espírito de Deus, que criou pessoas de estatura alta e baixa, gordos e 
magros, negros e brancos, mulheres e homens, ricos e pobres, ilustres e 
desconhecidos, inteligentes e sábios, doutores e os que detêm só o 
conhecimento popular. 
Aprendamos então a conviver com as diferenças, respeitando 
a individualidade e a forma que cada um vê o mundo no 
Senhor. 131
Criando um ambiente relacionamento harmonioso 
1.Respeite o muro; 
2.Honre os outros; 
3.Não julgue; 
4.Valorize as diferenças; 
5.Seja digno de confiança. 
Romanos 13.7 
“Dai a cada um o que lhe é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, 
imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra.” 
Romanos 12.10 
“Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em 
honra uns aos outros.” 132
133
Qualquer um pode zangar-se 
- isso é fácil. 
Mas zangar-se com a pessoa 
certa, na medida certa, na 
hora certa, pelo motivo certo 
e da maneira certa - 
não é fácil!
135
O cuidar bem de si mesmo e o grande mandamento 
O avião está caindo: 
Coloque a máscara primeiro em você! 
Primeiro você muda a si mesmo, para depois poder ajudar os 
outros a mudarem. 
Marcos 12.30,31 
“Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu 
entendimento e de todas as tuas forças. 
E o segundo é este: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do 
que esses.” 
136
primeiro você! 
Não seria egoísmo? 
Mateus 14.23 
“Tendo-as despedido, subiu ao monte para 
orar à parte. Ao anoitecer, estava ali sozinho.” 
João 6.15 
“Percebendo, pois, Jesus que estavam prestes 
a vir e levá-lo à força para o fazerem rei, 
tornou a retirar-se para o monte, ele sozinho.” 
137
Intervalo 
10 minutos
Hoje em dia muito se fala em “DETOX”… 
tem suco DETOX, dieta DETOX, shampoo e 
creme para limpar os cabelos e livrá-los das 
impurezas e até um bar que serve 
respirador com oxigênio para 
“DESINTOXICAR” você da poluição 
diariamente inspirada. 
Mas e a alma? Será que a gente desintoxica 
na frequência que deveria? E afinal de 
contas, o que é desintoxicar a alma?140
Bom, isso depende de cada um! 
Mas eu diria que um bom começo é se livrar – 
mesmo que temporariamente – do stress, das 
rotinas, dos hábitos, dos excessos, do que não é 
necessário. 
Até o conforto pode ser um veneno para alma. 
Às vezes você está tão confortável em uma 
situação que acaba resistindo à ideia de mudar. 
141
Nós não somos um corpo com uma alma, 
somos uma alma com um corpo. Enquanto 
o mundo nos ensina corretamente a 
desintoxicar nossos corpos, algumas vezes 
precisamos desintoxicar nossas almas. 
“E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e 
todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam 
plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda 
de nosso SENHOR Jesus Cristo.” 
1 Tessalonicenses 5.23 
142
"Assim como nós somos aquilo que 
comemos fisicamente, também somos o 
que consumimos espiritualmente. Se 
não monitorarmos e ajustarmos a nossa 
dieta adequadamente, as nossas almas 
estarão em perigo de absorver o mais 
letal veneno." 
143
Mateus 16. 26 
“Pois, que adiantará ao homem 
ganhar o mundo inteiro e perder a 
sua alma? Ou, o que o homem 
poderá dar em troca de sua alma?” 
144
Primeira parte 
comportamentos 
tóxicos
Autoengano 
“O ser humano mente 
para si mesmo com o 
objetivo de enganar de 
forma mais eficaz os 
outros.” 
_Robert Trivers 
Robert L. Trivers é um dos fundadores da Sociobiologia. Publicou uma 
série de artigos na década de 1970 sobre as bases genéticas do 
comportamento sexual e altruísmo recíproco.
Autoengano 
Jeremias 17.9 – 10 
“Enganoso é o coração, mais do que todas 
as coisas, e perverso; quem o conhecerá? 
Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração e 
provo os rins; e isto para dar a cada um 
segundo os seus caminhos e segundo o 
fruto das suas ações.” 
147
Autoengano 
• Não tenho problemas com esse 
tipo de coisa; 
• Na verdade, isso não tem a menor 
importância. É só o meu jeito de 
lidar com as coisas. 
• Não sou tão ruim quanto a maioria 
das pessoas. 
• Consigo parar quando bem 
entender. 
• Eu sou assim; é só isso. 
148
O autoengano de Pedro 
Mateus 26.33, 35 
"Respondeu-lhe Pedro: “Ainda que venhas a ser 
motivo de escândalo para todos, eu jamais te 
abandonarei!” 
Então Pedro lhe declarou: “Mesmo que seja 
necessário que eu morra junto a ti, de modo 
algum te negarei!” E todos os discípulos fizeram 
a mesma afirmação.” 
149
O nosso cérebro é abastecido 
diariamente com uma quantidade 
absurda de informações que são 
percebidas através de coisas que: 
Vemos; 
Ouvimos; 
Sentimos. 
Tudo isso sem filtrar... 
A leitura diária das Escrituras, é um 
exercício essencial para fortalecer nossa 
mente para filtrarmos aquilo que convém 
para a saúde da nossa alma. 
150
151 
Antídoto contra intoxicação 
Salmos 119.11 
“Guardei no coração a tua palavra para 
não pecar contra ti.” 
Hebreus 4.12 
“Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e 
mais afiada que qualquer espada de dois 
gumes; ela penetra até o ponto de dividir 
alma e espírito, juntas e medulas, e julga 
os pensamentos e as intenções do 
coração.”
152 
Efésios 4.22-24 
“Quanto à antiga maneira de viver, 
vocês foram ensinados a despir-se do 
velho homem, que se corrompe por 
desejos enganosos, a serem 
renovados no modo de pensar 
e a revestir-se do novo homem, criado 
para ser semelhante a Deus em justiça e 
santidade provenientes da verdade.”
Renovados no modo de 
pensar 
Renovar a mente é um 
processo que exige foco, 
determinação seriedade, 
trabalho e esforço. É se tornar 
uma nova pessoa com uma 
nova mente. 
153
Renovados no modo de pensar 
Romanos 12.2 
“Não se amoldem ao padrão deste 
mundo, mas transformem-se pela 
renovação da sua mente, para que 
sejam capazes de experimentar e 
comprovar a boa, agradável e 
perfeita vontade de Deus.” 
154
155 
Segunda parte 
Emoções 
tóxicas
156 
Complexidade Humana 
Emoçãoé parte fundamental desta 
complexidade 
Há quem diga que a Emoção é o 
INIMIGO N.1 dos Cristãos. 
O que vemos quando olhamos no espelho, é apenas o involucro 
exterior do que realmente somos. 
Muita coisa acontece em nosso interior que reside em um lugar 
muito mais profundo que não conseguimos ver no espelho.
Complexidade Humana 
Romanos 7.15 
“Pois o que faço, não o 
entendo; porque o que quero, 
isso não pratico; mas o que 
aborreço, isso faço.” 
157
Quero fazer o bem, mas faço o mal! 
A emoção pode impedir que sigamos ou 
façamos a vontade de Deus. 
1 Pedro 3.3,4 
“O vosso adorno não seja o enfeite exterior, 
como as tranças dos cabelos, o uso de joias 
de ouro, ou o luxo dos vestidos, mas seja o 
do íntimo do coração, no incorruptível traje 
de um espírito manso e tranquilo, que és, 
para que permaneçam as coisas.” 
158
Emoções são contagiosas
PALAVRAS: o gatilho das emoções 
Mateus 12.36 
“Digo-vos, pois, que de toda palavra 
fútil que os homens disserem, hão de 
dar conta no dia do juízo.” 
Provérbios 10.19 
“Na multidão de palavras não falta 
transgressão; mas o que refreia os 
seus lábios é prudente.” 
160
Coisas que deprimem 
Salmo 43.5 
“Por que estás abatida, ó minha alma? 
e por que te perturbas dentro de mim? 
Espera em Deus, pois ainda o louvarei, 
a ele que é o meu socorro, e o meu 
Deus.” 
161
Os “Ds” da depressão 
Desespero 
Dívida 
Desânimo 
Doença 
Decepção 
Desassossego 
Destruição 
Divisão 
162
Desespero 
2 Coríntios 4.8 
“Em tudo somos atribulados, mas 
não angustiados; perplexos, mas 
não desesperados;” 
163
Desânimo 
Deuteronômio 1.21 
“Eis aqui o Senhor teu Deus tem 
posto esta terra diante de ti; sobe, 
apodera-te dela, como te falou o 
Senhor Deus de teus pais; não 
temas, e não te desanimes.” 
164
Decepção 
Provérbios 15.22 
“Onde não há conselho, os projetos 
decepcionam; mas com a 
multidão de conselheiros se 
estabelecem.” 
165
Destruição 
Salmos 103.1–4 (KJV) 
“Bendize, ó minha alma, ao SENHOR... 
Que redime a tua vida da 
destruição; que te coroa de 
benignidade e de misericórdia...”
Dívida 
2 Reis 4.7 
“Veio ela, pois, e o fez saber ao homem 
de Deus. Disse-lhe ele: Vai, vende o 
azeite, e paga a tua dívida; e tu e 
teus filhos vivei do resto.” 
167
Doença 
Mateus 8. 17 
“para que se cumprisse o que fora dito 
pelo profeta Isaías: Ele tomou sobre si as 
nossas enfermidades, e levou as nossas 
doenças.” 
168
Desassossego 
Salmo 18:6 
“Na minha angústia invoquei o Senhor, 
sim, clamei ao meu Deus; do seu templo 
ouviu ele a minha voz; o clamor que eu 
lhe fiz chegou aos seus ouvidos.” 
169
tempo
“Portanto, vede prudentemente como 
andais, não como néscios, e sim como 
sábios, remindo o tempo, porque 
os dias são maus.” (ARA) 
“...aproveitando ao máximo cada 
oportunidade, porque os dias são 
maus.” (NVI) 
“Por esta razão, não vos torneis insensatos, 
mas procurai compreender qual a vontade 
do Senhor.” 
Efésios 5.15-17 
171
Chronos 
Tempo linear, 
quantitativo. 
Mc 9.21; Gl 4.4; Ap 2.21
Kairos 
Pontual, qualitativo, 
oportunidade 
2 Co 6.2; Hb 11.15; Rm 11.5 
173
Tudo tem seu tempo determinado - Eclesiastes 3 
Tempo e modo para todo propósito para as 
obrigações 
Eclesiastes 8.5-6
Deus planejou e ensinou a planejar - Isaías 46.9-11 
• Ideia do Sábado - Criação e Lei 
• Festas religiosas ligadas a vida civil. 
– Páscoa e Pães Asmos – (14-21 Nisã) 
• Saída do Egito – Primícias da Cevada 
– Festa das Semanas – (6 Sivã) 
• Recebimento da Lei – Fim da colheita da 
Cevada e colheita do trigo. 
– Tabernáculos – (15 a 21 Tisri) 
• Peregrinação no deserto – Colheita Uva 
175
A eternidade de Deus e a finitude do homem. 
“Mostra-me, Senhor, o fim da 
minha vida e o número dos meus 
dias, para que eu saiba quão frágil 
sou. 
Deste aos meus dias o 
comprimento de um palmo; a 
duração da minha vida é nada 
diante de ti. De fato, o homem não 
passa de um sopro.” 
Salmos 34.4,5
Como planejar o tempo 
• Seja metódico - mas não torne isto uma obsessão; 
• Seja pontual - A pontualidade faz parte da mordomia do tempo. 
• Seja equilibrado - Devemos dar tempo às coisas, na proporção do seu valor. 
• Evite os ladrões do tempo. Tais como: 
– Coisas fora do lugar 
– Cartas compridas 
– Espera de pessoas 
– Deixar de delegar 
– Falta de preparação 
– Correspondência desnecessária 
– Organização deficiente 
– Ligação telefônicas quilométricas 
– Trabalho mal feito. Se você não tem tempo para fazer agora, quando terá tempo para 
177 
fazê-lo novamente?
Como planejar o tempo 
• Respeite seu ritmo 
• Tenha horários livres 
• Mantenha o foco 
• Coloque as coisas em ordem 
• Abra mão de algumas coisas 
• Delegue mais 
• Concentre no que agrega valor 
• Cuidado com e-mail 
• Saiba dizer “não” 178
IMPORTANTE OU URGENTE 
URGENTE NÃO-URGENTE 
IMPORTANTE 
NÃO 
IMPORTANTE 
179
IMPORTANTE OU URGENTE 
URGENTE NÃO-URGENTE 
Não são de resolução 
imediata mas 
acrescentam VALOR e 
RESULTADOS 
Nem acrescentam valor 
nem são de aplicação 
imediata 
Acrescentam VALOR e 
RESULTADOS e são de 
resolução imediata 
IMPORTANTE 
NÃO 
IMPORTANTE 
São de resolução 
imediata mas não 
acrescentam VALOR 
180
IMPORTANTE OU URGENTE 
URGENTE NÃO-URGENTE 
DESPERDÍCIO 
Detalhes 
Atividades agradáveis 
Passatempos 
Pequenas tarefas 
ENGANO 
Interrupções 
Telefonemas 
Reuniões 
Atividades Populares 
LIDERANÇA 
Prevenção 
Recreação 
Aprendizado e estudo 
Planejamento 
Relacionamentos 
SOBREVIVÊNCIA 
Crises 
Projetos com datas estabelecidas 
Problemas inesperados 
Ir ao médico por dores fortes 
IMPORTANTE 
NÃO 
IMPORTANTE 
181
IMPORTANTE OU URGENTE 
URGENTE NÃO-URGENTE 
FAÇA MAIS 
TARDE 
DELEGUE A 
ALGUÉM 
DETERMINE 
QUANDO VAI 
FAZER 
FAÇA 
IMEDIATAMENTE 
IMPORTANTE 
NÃO 
IMPORTANTE 
182
IMPORTANTE OU URGENTE 
URGENTE NÃO-URGENTE 
DESPERDÍCIO 
5% 
ENGANO 
15% 
LIDERANÇA 
60% 
SOBREVIVÊNCIA 
20% 
IMPORTANTE 
NÃO 
IMPORTANTE 
183
O tempo 
Deus pede estrita conta do meu tempo, 
É forçoso do tempo já dar conta, 
Mas, como dar em tempo tanta conta, 
Eu, que gastei sem conta tanto tempo? 
Para ter minha conta feita a tempo, 
Dado me foi bom tempo e não fiz conta; 
Não quis, sobrando tempo, fazer conta, 
Quero hoje fazer conta e falta tempo. 
Oh! vós, que tendes tempo sem ter conta, 
Não gasteis vosso tempo em passatempo; 
Cuidai, enquanto é tempo, em fazer conta. 
Mas, oh! se os que contam com seu tempo 
fizessem desse tempo alguma conta, 
Não choravam sem conta o não ter tempo. 
Por Laurindo Rabello da Silva 
184
185 
O tempo 
voa
Diferença entre “foco no problema” e 
“foco na solução” 
• A NASA iniciou o lançamento de astronautas ao espaço e 
descobriu logo em seguida que canetas não funcionariam com 
gravidade zero. Para resolver este problema, contrataram a 
Andersen Consulting, hoje Accenture. Empregaram quase uma 
década e 12 milhões de dólares. Conseguiram desenvolver uma 
caneta que escreve com gravidade zero, de ponta cabeça, 
debaixo d’àgua, em praticamente qualquer superfície, incluindo 
cristal e em variações extremas de temperatura. 
• Já os russos... 
... Usaram um LÁPIS! 186
Não podemos mais ser consumidores da realidade, 
mas instrumentos de sua transformação e 
construção. 
Em vez de sermos esponja ou óleo, vamos ser o 
tempero para a vida. Como sal... 
Vamos ser luz para nosso ambiente! 
187
Senhor, 
... Faça-me um instrumento de sua paz... 
Onde houver ódio, que eu semeie a paz; 
Onde houver injúria, perdão; 
Onde houver dúvida, fé; 
Onde houver trevas, luz; 
Onde houver tristeza, alegria... 
(Francisco de Assis) 
188
Não devemos esperar por tempos fáceis, mas 
por líderes fortes de caráter. 
Não devemos esperar por tarefas iguais ao 
nosso poder, mas por poder igual às nossas 
tarefas. (Philip Brooks) 
189
191 
Dias 
trabalhosos...
192
Muito Grato! 
Presbítero Márcio Melânia 
marcio.melania@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Uma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibradaUma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibradaMoisés Sampaio
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósÉder Tomé
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroEdnilson do Valle
 
Apresentação1- A família : Plano de Deus - Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
Apresentação1- A família : Plano de Deus -   Estudo bíblico 1 - 19-10-2014Apresentação1- A família : Plano de Deus -   Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
Apresentação1- A família : Plano de Deus - Estudo bíblico 1 - 19-10-2014Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
3T14 - L01 - O perfil bíblico de um líder
3T14 - L01 - O perfil bíblico de um líder3T14 - L01 - O perfil bíblico de um líder
3T14 - L01 - O perfil bíblico de um líderElieser Fidelis de Souza
 
A Formação do Caráter Cristão
A Formação do Caráter CristãoA Formação do Caráter Cristão
A Formação do Caráter CristãoMárcio Martins
 
Série Igreja A igreja que queremos ser
Série Igreja   A igreja que queremos serSérie Igreja   A igreja que queremos ser
Série Igreja A igreja que queremos serEid Marques
 
Esboço De Sermão comentado – 40 Pregações e Estudos Biblicos Sobre familia e ...
Esboço De Sermão comentado – 40 Pregações e Estudos Biblicos Sobre familia e ...Esboço De Sermão comentado – 40 Pregações e Estudos Biblicos Sobre familia e ...
Esboço De Sermão comentado – 40 Pregações e Estudos Biblicos Sobre familia e ...assembleiano
 
Os Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da CarneOs Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da CarneMárcio Martins
 
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo JesusLição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo JesusÉder Tomé
 

Mais procurados (20)

Aperfeiçoamento de liderança cristã
Aperfeiçoamento de liderança cristãAperfeiçoamento de liderança cristã
Aperfeiçoamento de liderança cristã
 
Palestra maturidade cristã
Palestra   maturidade cristãPalestra   maturidade cristã
Palestra maturidade cristã
 
Uma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibradaUma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibrada
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
 
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do ObreiroCETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
CETADEB - Lição 4 e 5 - O Preparo do Obreiro
 
Apresentação1- A família : Plano de Deus - Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
Apresentação1- A família : Plano de Deus -   Estudo bíblico 1 - 19-10-2014Apresentação1- A família : Plano de Deus -   Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
Apresentação1- A família : Plano de Deus - Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
 
3T14 - L01 - O perfil bíblico de um líder
3T14 - L01 - O perfil bíblico de um líder3T14 - L01 - O perfil bíblico de um líder
3T14 - L01 - O perfil bíblico de um líder
 
Uma vida com propósitos
Uma  vida com propósitosUma  vida com propósitos
Uma vida com propósitos
 
A Formação do Caráter Cristão
A Formação do Caráter CristãoA Formação do Caráter Cristão
A Formação do Caráter Cristão
 
Disciplina de Liderança
Disciplina de LiderançaDisciplina de Liderança
Disciplina de Liderança
 
O poder da palavra de Deus
O poder da palavra de DeusO poder da palavra de Deus
O poder da palavra de Deus
 
Série Igreja A igreja que queremos ser
Série Igreja   A igreja que queremos serSérie Igreja   A igreja que queremos ser
Série Igreja A igreja que queremos ser
 
Esboço De Sermão comentado – 40 Pregações e Estudos Biblicos Sobre familia e ...
Esboço De Sermão comentado – 40 Pregações e Estudos Biblicos Sobre familia e ...Esboço De Sermão comentado – 40 Pregações e Estudos Biblicos Sobre familia e ...
Esboço De Sermão comentado – 40 Pregações e Estudos Biblicos Sobre familia e ...
 
Os Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da CarneOs Perigos das Obras da Carne
Os Perigos das Obras da Carne
 
Escola bíblica dominical
Escola bíblica dominicalEscola bíblica dominical
Escola bíblica dominical
 
Treinamento para diáconos
Treinamento para diáconosTreinamento para diáconos
Treinamento para diáconos
 
Mulheres moldadas pela Palavra de Deus
Mulheres moldadas pela Palavra de Deus Mulheres moldadas pela Palavra de Deus
Mulheres moldadas pela Palavra de Deus
 
Principais Tipos de Sermão
Principais Tipos de SermãoPrincipais Tipos de Sermão
Principais Tipos de Sermão
 
O discipulado na prática
O discipulado na práticaO discipulado na prática
O discipulado na prática
 
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo JesusLição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
 

Destaque

Estudo para liderança
Estudo para liderançaEstudo para liderança
Estudo para liderançaIvo Souza
 
Liderança cristã
Liderança cristãLiderança cristã
Liderança cristãDiego Rocha
 
éTica cristã slides
éTica cristã   slideséTica cristã   slides
éTica cristã slidesJose Ventura
 
Comunicação Organizacional
Comunicação OrganizacionalComunicação Organizacional
Comunicação OrganizacionalHFaria80
 
A organização do ram mundial atual
A organização do ram   mundial atualA organização do ram   mundial atual
A organização do ram mundial atualAmigos com Cristo
 
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015Pr. Andre Luiz
 
Uma Igreja na Cidade: Implicações para Economia
Uma Igreja na Cidade: Implicações para EconomiaUma Igreja na Cidade: Implicações para Economia
Uma Igreja na Cidade: Implicações para EconomiaDaniel Faria Jr.
 
Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local Regio Davis
 
Por Uma Adoração Completa
Por Uma  Adoração CompletaPor Uma  Adoração Completa
Por Uma Adoração CompletaAllen Porto
 
Lição 13 A morte de eliseu
Lição 13 A morte de eliseuLição 13 A morte de eliseu
Lição 13 A morte de eliseuDaniel Viana
 
Propósitos bíblicos para o discipulado
Propósitos bíblicos para o discipuladoPropósitos bíblicos para o discipulado
Propósitos bíblicos para o discipuladoJoary Jossué Carlesso
 
Grupo de Louvor, Igreja & Adoração
Grupo de Louvor, Igreja & AdoraçãoGrupo de Louvor, Igreja & Adoração
Grupo de Louvor, Igreja & AdoraçãoElder Moraes
 
PEQUENOS GRUPOS Lição 11
PEQUENOS GRUPOS Lição 11PEQUENOS GRUPOS Lição 11
PEQUENOS GRUPOS Lição 11prweber
 
A igreja como agente de transformação integral
A igreja como agente de transformação integral A igreja como agente de transformação integral
A igreja como agente de transformação integral Alípio Vallim
 

Destaque (20)

Estudo para liderança
Estudo para liderançaEstudo para liderança
Estudo para liderança
 
Liderança cristã
Liderança cristãLiderança cristã
Liderança cristã
 
ética cristã
ética cristãética cristã
ética cristã
 
éTica cristã slides
éTica cristã   slideséTica cristã   slides
éTica cristã slides
 
Comunicação Organizacional
Comunicação OrganizacionalComunicação Organizacional
Comunicação Organizacional
 
A organização do ram mundial atual
A organização do ram   mundial atualA organização do ram   mundial atual
A organização do ram mundial atual
 
Visão e aliança
Visão e aliançaVisão e aliança
Visão e aliança
 
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
A Organização de Uma Igreja Local - Lição 11 - 3º Trimestre de 2015
 
Uma Igreja na Cidade: Implicações para Economia
Uma Igreja na Cidade: Implicações para EconomiaUma Igreja na Cidade: Implicações para Economia
Uma Igreja na Cidade: Implicações para Economia
 
Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local Lição 11 - A organização de uma igreja local
Lição 11 - A organização de uma igreja local
 
Manual Presbiteriano
Manual PresbiterianoManual Presbiteriano
Manual Presbiteriano
 
Por Uma Adoração Completa
Por Uma  Adoração CompletaPor Uma  Adoração Completa
Por Uma Adoração Completa
 
Grupos pequenos
Grupos pequenosGrupos pequenos
Grupos pequenos
 
Lição 13 A morte de eliseu
Lição 13 A morte de eliseuLição 13 A morte de eliseu
Lição 13 A morte de eliseu
 
Propósitos bíblicos para o discipulado
Propósitos bíblicos para o discipuladoPropósitos bíblicos para o discipulado
Propósitos bíblicos para o discipulado
 
III Funções e ministérios
III Funções e ministériosIII Funções e ministérios
III Funções e ministérios
 
Grupo de Louvor, Igreja & Adoração
Grupo de Louvor, Igreja & AdoraçãoGrupo de Louvor, Igreja & Adoração
Grupo de Louvor, Igreja & Adoração
 
PEQUENOS GRUPOS Lição 11
PEQUENOS GRUPOS Lição 11PEQUENOS GRUPOS Lição 11
PEQUENOS GRUPOS Lição 11
 
A igreja como agente de transformação integral
A igreja como agente de transformação integral A igreja como agente de transformação integral
A igreja como agente de transformação integral
 
éTica cristã 2010.2 puc-rio
éTica cristã 2010.2 puc-rioéTica cristã 2010.2 puc-rio
éTica cristã 2010.2 puc-rio
 

Semelhante a O Especialista da Toalha - Curso de Liderança Cristã

Administração eclesiastica
Administração eclesiasticaAdministração eclesiastica
Administração eclesiasticaEdivaldo Pereira
 
Liderança cristã - Conversa com a Igreja
Liderança cristã - Conversa com a IgrejaLiderança cristã - Conversa com a Igreja
Liderança cristã - Conversa com a IgrejaPaulo Ferreira
 
Liderança Cristã Seguindo os Passos de Jesus
Liderança Cristã   Seguindo os Passos de JesusLiderança Cristã   Seguindo os Passos de Jesus
Liderança Cristã Seguindo os Passos de JesusMiguel Braga
 
Curso de liderança Igreja Urbana
 Curso de liderança Igreja Urbana  Curso de liderança Igreja Urbana
Curso de liderança Igreja Urbana IgrejaUrbana
 
Liderança
LiderançaLiderança
LiderançaNoimix
 
O Líder servidor II - A essência da liderança na prática
O Líder servidor II - A essência da liderança na práticaO Líder servidor II - A essência da liderança na prática
O Líder servidor II - A essência da liderança na práticaGeyvison Ludugerio
 
Novo Paradigma da Liderança
Novo Paradigma da LiderançaNovo Paradigma da Liderança
Novo Paradigma da LiderançaSagrada_Ordem
 
Príncipios de liderança rev01
Príncipios de liderança rev01Príncipios de liderança rev01
Príncipios de liderança rev01CfapAL
 
Curso liderança IG. BAT. CENTRAL 2013
Curso liderança IG. BAT. CENTRAL  2013Curso liderança IG. BAT. CENTRAL  2013
Curso liderança IG. BAT. CENTRAL 2013Gildelanio Da Silva
 
Liderana 140316043242-phpapp02
Liderana 140316043242-phpapp02Liderana 140316043242-phpapp02
Liderana 140316043242-phpapp02Universidade Unesa
 
aperfeioamentodelideranacristo.pptx
aperfeioamentodelideranacristo.pptxaperfeioamentodelideranacristo.pptx
aperfeioamentodelideranacristo.pptxPaduaRodrigues2
 
EBD Jovens cosmo visão
EBD Jovens cosmo visãoEBD Jovens cosmo visão
EBD Jovens cosmo visãoWiltonLima20
 
Treinamento lideranca jni
Treinamento lideranca jniTreinamento lideranca jni
Treinamento lideranca jniJoao Cerqueira
 
Resenha os 10 mandamentos para vencer na vida
Resenha os 10 mandamentos para vencer na vidaResenha os 10 mandamentos para vencer na vida
Resenha os 10 mandamentos para vencer na vidaAndré Sandiêgo Falcão
 
Sou lider e agora pr marcio
Sou lider e agora pr marcioSou lider e agora pr marcio
Sou lider e agora pr marcioMarcio Pereira
 

Semelhante a O Especialista da Toalha - Curso de Liderança Cristã (20)

Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
Administração eclesiastica
Administração eclesiasticaAdministração eclesiastica
Administração eclesiastica
 
Liderança cristã - Conversa com a Igreja
Liderança cristã - Conversa com a IgrejaLiderança cristã - Conversa com a Igreja
Liderança cristã - Conversa com a Igreja
 
Liderança Cristã Seguindo os Passos de Jesus
Liderança Cristã   Seguindo os Passos de JesusLiderança Cristã   Seguindo os Passos de Jesus
Liderança Cristã Seguindo os Passos de Jesus
 
Curso de liderança Igreja Urbana
 Curso de liderança Igreja Urbana  Curso de liderança Igreja Urbana
Curso de liderança Igreja Urbana
 
Liderança
LiderançaLiderança
Liderança
 
O Líder servidor II - A essência da liderança na prática
O Líder servidor II - A essência da liderança na práticaO Líder servidor II - A essência da liderança na prática
O Líder servidor II - A essência da liderança na prática
 
Pim
PimPim
Pim
 
Novo Paradigma da Liderança
Novo Paradigma da LiderançaNovo Paradigma da Liderança
Novo Paradigma da Liderança
 
treinamentolideranca
treinamentoliderancatreinamentolideranca
treinamentolideranca
 
Príncipios de liderança rev01
Príncipios de liderança rev01Príncipios de liderança rev01
Príncipios de liderança rev01
 
Curso liderança IG. BAT. CENTRAL 2013
Curso liderança IG. BAT. CENTRAL  2013Curso liderança IG. BAT. CENTRAL  2013
Curso liderança IG. BAT. CENTRAL 2013
 
Liderana 140316043242-phpapp02
Liderana 140316043242-phpapp02Liderana 140316043242-phpapp02
Liderana 140316043242-phpapp02
 
Homens mentores de_homens
Homens mentores de_homensHomens mentores de_homens
Homens mentores de_homens
 
aperfeioamentodelideranacristo.pptx
aperfeioamentodelideranacristo.pptxaperfeioamentodelideranacristo.pptx
aperfeioamentodelideranacristo.pptx
 
EBD Jovens cosmo visão
EBD Jovens cosmo visãoEBD Jovens cosmo visão
EBD Jovens cosmo visão
 
Liderança ao estilo do mestre 1
Liderança ao estilo do mestre 1Liderança ao estilo do mestre 1
Liderança ao estilo do mestre 1
 
Treinamento lideranca jni
Treinamento lideranca jniTreinamento lideranca jni
Treinamento lideranca jni
 
Resenha os 10 mandamentos para vencer na vida
Resenha os 10 mandamentos para vencer na vidaResenha os 10 mandamentos para vencer na vida
Resenha os 10 mandamentos para vencer na vida
 
Sou lider e agora pr marcio
Sou lider e agora pr marcioSou lider e agora pr marcio
Sou lider e agora pr marcio
 

Mais de Márcio Melânia

Falando sobre relacionamentos
Falando sobre relacionamentosFalando sobre relacionamentos
Falando sobre relacionamentosMárcio Melânia
 
Maceió Antiga - Um resgate em imagens
Maceió Antiga - Um resgate em imagensMaceió Antiga - Um resgate em imagens
Maceió Antiga - Um resgate em imagensMárcio Melânia
 
O mercado de trabalho no futuro
O mercado de trabalho no futuroO mercado de trabalho no futuro
O mercado de trabalho no futuroMárcio Melânia
 
A importância da qualificação
A importância da qualificaçãoA importância da qualificação
A importância da qualificaçãoMárcio Melânia
 
Economia e Desenvolvimento Regional - Elaboração do painel
Economia e Desenvolvimento Regional - Elaboração do painelEconomia e Desenvolvimento Regional - Elaboração do painel
Economia e Desenvolvimento Regional - Elaboração do painelMárcio Melânia
 
Desenvolvimento Regional - 11a aula
Desenvolvimento Regional - 11a aulaDesenvolvimento Regional - 11a aula
Desenvolvimento Regional - 11a aulaMárcio Melânia
 
Desenvolvimento Regional - 10a aula
Desenvolvimento Regional - 10a aulaDesenvolvimento Regional - 10a aula
Desenvolvimento Regional - 10a aulaMárcio Melânia
 
Desenvolvimento Regional - 9a aula
Desenvolvimento Regional - 9a aulaDesenvolvimento Regional - 9a aula
Desenvolvimento Regional - 9a aulaMárcio Melânia
 
Desenvolvimento Regional - 8a aula
Desenvolvimento Regional - 8a aulaDesenvolvimento Regional - 8a aula
Desenvolvimento Regional - 8a aulaMárcio Melânia
 
Desenvolvimento Regional - 7a aula
Desenvolvimento Regional - 7a aulaDesenvolvimento Regional - 7a aula
Desenvolvimento Regional - 7a aulaMárcio Melânia
 
Desenvolvimento Regional - 6a aula
Desenvolvimento Regional - 6a aulaDesenvolvimento Regional - 6a aula
Desenvolvimento Regional - 6a aulaMárcio Melânia
 
Desenvolvimento Regional - 5a aula
Desenvolvimento Regional - 5a aulaDesenvolvimento Regional - 5a aula
Desenvolvimento Regional - 5a aulaMárcio Melânia
 
Desenvolvimento Regional - 4a aula
Desenvolvimento Regional - 4a aulaDesenvolvimento Regional - 4a aula
Desenvolvimento Regional - 4a aulaMárcio Melânia
 
Desenvolvimento Regional - 3a aula
Desenvolvimento Regional - 3a aulaDesenvolvimento Regional - 3a aula
Desenvolvimento Regional - 3a aulaMárcio Melânia
 
Desenvolvimento Regional - 2a aula
Desenvolvimento Regional - 2a aulaDesenvolvimento Regional - 2a aula
Desenvolvimento Regional - 2a aulaMárcio Melânia
 
Desenvolvimento Regional - 1a aula
Desenvolvimento Regional - 1a aulaDesenvolvimento Regional - 1a aula
Desenvolvimento Regional - 1a aulaMárcio Melânia
 
Sinais da Segunda Vinda de Jesus
Sinais da Segunda Vinda de JesusSinais da Segunda Vinda de Jesus
Sinais da Segunda Vinda de JesusMárcio Melânia
 
13 atitudes para uma liderança de sucesso
13 atitudes para uma liderança de sucesso13 atitudes para uma liderança de sucesso
13 atitudes para uma liderança de sucessoMárcio Melânia
 
10 dicas para sua apresentação
10 dicas para sua apresentação10 dicas para sua apresentação
10 dicas para sua apresentaçãoMárcio Melânia
 

Mais de Márcio Melânia (20)

Falando sobre relacionamentos
Falando sobre relacionamentosFalando sobre relacionamentos
Falando sobre relacionamentos
 
Maceió Antiga - Um resgate em imagens
Maceió Antiga - Um resgate em imagensMaceió Antiga - Um resgate em imagens
Maceió Antiga - Um resgate em imagens
 
Como estudar
Como estudarComo estudar
Como estudar
 
O mercado de trabalho no futuro
O mercado de trabalho no futuroO mercado de trabalho no futuro
O mercado de trabalho no futuro
 
A importância da qualificação
A importância da qualificaçãoA importância da qualificação
A importância da qualificação
 
Economia e Desenvolvimento Regional - Elaboração do painel
Economia e Desenvolvimento Regional - Elaboração do painelEconomia e Desenvolvimento Regional - Elaboração do painel
Economia e Desenvolvimento Regional - Elaboração do painel
 
Desenvolvimento Regional - 11a aula
Desenvolvimento Regional - 11a aulaDesenvolvimento Regional - 11a aula
Desenvolvimento Regional - 11a aula
 
Desenvolvimento Regional - 10a aula
Desenvolvimento Regional - 10a aulaDesenvolvimento Regional - 10a aula
Desenvolvimento Regional - 10a aula
 
Desenvolvimento Regional - 9a aula
Desenvolvimento Regional - 9a aulaDesenvolvimento Regional - 9a aula
Desenvolvimento Regional - 9a aula
 
Desenvolvimento Regional - 8a aula
Desenvolvimento Regional - 8a aulaDesenvolvimento Regional - 8a aula
Desenvolvimento Regional - 8a aula
 
Desenvolvimento Regional - 7a aula
Desenvolvimento Regional - 7a aulaDesenvolvimento Regional - 7a aula
Desenvolvimento Regional - 7a aula
 
Desenvolvimento Regional - 6a aula
Desenvolvimento Regional - 6a aulaDesenvolvimento Regional - 6a aula
Desenvolvimento Regional - 6a aula
 
Desenvolvimento Regional - 5a aula
Desenvolvimento Regional - 5a aulaDesenvolvimento Regional - 5a aula
Desenvolvimento Regional - 5a aula
 
Desenvolvimento Regional - 4a aula
Desenvolvimento Regional - 4a aulaDesenvolvimento Regional - 4a aula
Desenvolvimento Regional - 4a aula
 
Desenvolvimento Regional - 3a aula
Desenvolvimento Regional - 3a aulaDesenvolvimento Regional - 3a aula
Desenvolvimento Regional - 3a aula
 
Desenvolvimento Regional - 2a aula
Desenvolvimento Regional - 2a aulaDesenvolvimento Regional - 2a aula
Desenvolvimento Regional - 2a aula
 
Desenvolvimento Regional - 1a aula
Desenvolvimento Regional - 1a aulaDesenvolvimento Regional - 1a aula
Desenvolvimento Regional - 1a aula
 
Sinais da Segunda Vinda de Jesus
Sinais da Segunda Vinda de JesusSinais da Segunda Vinda de Jesus
Sinais da Segunda Vinda de Jesus
 
13 atitudes para uma liderança de sucesso
13 atitudes para uma liderança de sucesso13 atitudes para uma liderança de sucesso
13 atitudes para uma liderança de sucesso
 
10 dicas para sua apresentação
10 dicas para sua apresentação10 dicas para sua apresentação
10 dicas para sua apresentação
 

Último

Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfAntonio Barros
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAElianeAlves383563
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdfAntonio Barros
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 

Último (20)

Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 

O Especialista da Toalha - Curso de Liderança Cristã

  • 1. O Especialista da Toalha Presbítero Márcio Melânia
  • 3. 1. Quem eu sou como líder? 2. O que é Liderança Cristã 3. Estilos de Liderança 4. Técnicas de um líder 5. Princípios de um Líder 6. Uma Abordagem bíblica 7. Ética 8. Juízos de norma e valor 9. Aprendizado Ético 10.A Comunidade 11.Missão e Visão 12.Desintoxicando a alma 13.O Tempo 14.Conclusão 3
  • 4. Ao entardecer do Dia da Páscoa, Jesus sabia que aquela seria a última noite dEle sobre a terra, antes de voltar para o Seu Pai. Durante a ceia, o Diabo já havia inspirado Judas Iscariotes, filho de Simão, que aquela era a noite para ele executar o seu plano de trair Jesus. Jesus sabia que receberia do Pai todas as coisas, que tinha vindo de Deus e voltaria para Deus. E como Ele amava aos seus discípulos! Assim foi que Ele Se levantou da mesa da ceia, tirou o manto, enrolou uma toalha numa bacia, e começou a lavar os pés dos discípulos, enxugando com a toalha que Quando chegou a Evangelho Simão Pedro, este lhe disse: "Mestre, o Senhor não deve estar lavando de na cintura, derramou água tinha à sua volta. nossos pés assim! " Jesus respondeu: "Você não entende agora porque Eu estou fazendo isso; mais tarde entenderá". "Não", protestou Pedro. "O Senhor nunca lavará os meus pés! " "Mas se Eu não lavar, você não pode ser o Meu companheiro", respondeu Jesus. Simão Pedro exclamou: "Então, lava-me as mãos e a cabeça também - e não somente os pés! " Jesus respondeu: "Aquele João que tomou um banho completo 13.1-só necessita lavar os pés 17 para ficar totalmente limpo. Ora, vocês estão limpos - mas isto não é verdade a respeito de todos aqui". Pois Jesus sabia por quem seria traído. Era isso que Ele queria dizer quando falou: "Nem todos vocês estão limpos". Depois de lavar os pés deles, Jesus vestiu o manto novamente, acomodou-Se e perguntou: "Vocês entendem o que Eu estava fazendo? Vocês Me chamam Mestre e Senhor, e fazem bem em dizer assim, porque é verdade. E já que Eu, O Senhor e o Mestre, lavei os pés de vocês, vocês devem lavar os pés uns dos outros. Eu dei um exemplo para ser seguido: façam como eu fiz com vocês. A verdade é que um empregado não é maior do que o seu patrão. Nem um mensageiro é mais importante do que aquele que o envia. Vocês já sabem estas coisas - agora façam assim! Este é o modo de receber as bênçãos.” 4
  • 5. COMO ANDA SUA AUTOIMAGEM? 5
  • 6. 6
  • 7. 7
  • 8. 8
  • 9. como as outras pessoas o veem?
  • 10. O grito do nosso maior inimigo Eu sou assim! Vá até o espelho e olhe para ele. Você conhece essa pessoa que está refletida à sua frente? Ela é o que você sonhava ser? É generosa? É um bom marido, uma boa esposa, um bom filho, uma boa filha? Mas principalmente, pergunte ao seu reflexo: Você é um bom exemplo? Aqueles que se espelharem em você serão boas pessoas? Como seria o mundo se fosse habitado por pessoas iguais a você? 10
  • 11. A análise Lamentações 3.40 “Esquadrinhemos os nossos caminhos, provemo-los, e voltemos para o Senhor.” 1 Coríntios 11.28 “Examine-se, pois, o homem a si mesmo...” 11
  • 12. O DIAGRAMA DO ICEBERG © Copyright Showeet.com FATORES COGNITIVOS FATORES EMOCIONAIS SUPERFICIALMENTE PROFUNDAMENTE PENSAMENTO, RACIOCÍNIO, TOMADA DE DECISÃO, LÓGICA, RECUPERAÇÃO, ATENÇÃO, PERCEPÇÃO SURPRESA, ALEGRIA, RAIVA, MEDO, AMOR, ACEITAÇÃO, PERCEPÇÃO, EXPECTATIVA, NOJO, TRISTEZA
  • 13. VOCÊ É A MENSAGEM!
  • 14. "Sim, é claro que vocês são uma carta escrita pelo próprio Cristo e entregue por nós. Ela não foi escrita com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo; ela não está gravada em placas de pedra, mas em corações humanos." 2 Coríntios 3.3 (NTLH-Br) 14
  • 15. quem eu sou como líder?
  • 16. 1. Como tenho gasto o meu tempo? 2. Tenho constantemente comunicando a visão do Reino de Deus e as Sua prioridade? 3. Estou atento a mudanças que exigem mudanças no modo como organizamos e tocamos meu ministério? 4. Meu estilo de liderança reflete quem de fato sou? 5. Como me comporto sob pressão, e que sinais transmito a minha equipe? 6. Sou suficientemente assertivo/afirmativo, ou virei um líder hesitante? 7. Forneço ao meu pessoal um feedback construtivo, direto, no momento oportuno? 8. Conto com duas ou três pessoas capazes de me dizer aquilo que preciso ouvir, por mais desagradável que seja? 9. Defini, ainda que apenas para mim, pessoas capazes de assumir a liderança? 10.Minha definição de líder reflete minhas ações diárias? 16
  • 17. líderes nascem feitos ou se tornam líderes?
  • 18. Chefe versus Líder CHEFE Existe para controlar o que em cima foi decidido, e para ter certeza que embaixo foi feito CHEFE X LÍDER CHEFES são obedecidos LÍDERES são respeitados Enquanto que o chefe busca o controle, o líder facilita a mudança. O chefe olha para o dia a dia, o líder amplia o futuro. 18
  • 19. Diferenças entre ser chefe e ser líder CHEFE LÍDER • Administra – mantém o sistema • Inova – cria o sistema • É uma cópia • É original • Focaliza sistemas e estrutura • Focaliza e valoriza pessoas – olha a “missão” • Busca e depende de controles • Facilita a mudança e inspira confiança • Pensa a curto prazo • Tem visão a longo prazo • Pergunta “como”, “quando” • Pergunta “por que” • Olha apenas os resultados imediatos • Tem seus olhos para o futuro • Aceita o “status quo” – “sacerdote” • Desafia o “status quo” – “profeta” • Mantém os procedimentos, é dependente • Busca novas alternativas 19
  • 20. Diferenças entre ser chefe e ser líder CHEFE LÍDER • Segue projetos estabelecidos • Estabelece projetos • Enfoque contábil • Enfoque histórico • Atividade “braçal” • Atividade reflexiva, visionária • Trabalha e produz • Muda o rumo • Planeja rotina do dia a dia • Determina a direção da organização • Vê se as coisas estão funcionando • Busca novos caminhos para a organização • Faz certo as coisas – eficiente • Faz as coisas certas – eficaz • Faz com que as pessoas façam coisas • Faz com que as pessoas queiram fazer as coisas – apela para valores/crenças 20
  • 21. o que é liderança cristã?
  • 22. O que é Liderança? É o processo de conduzir um grupo e influencia-lo para o alcance de suas metas.
  • 23. O que é Liderança? Liderança é também uma disciplina pessoal deliberada: “A liderança é a disciplina de deliberadamente exercer influência especial dentro de um grupo para movê-lo em direção a alvos de permanência benéfica que satisfazem as necessidades reais do grupo.” Dr. John Haggai John Haggai. Lead on – leadership that endures in a changing world. USA, Harvest House Publishers, 1990.
  • 24. O que é Liderança? No Novo Testamento, liderar para Deus é servir os liderados com o propósito de influenciá-los a se tornarem cada vez mais parecidos com o Senhor Jesus Cristo no ser, viver e fazer.
  • 25. Liderança é interferir seriamente na vida de outras pessoas. Max DePree 25
  • 26. “Liderança é a arte de conseguir que uma pessoa faça o que você quer que seja feito, simplesmente por que a pessoa deseja fazê-lo”. Dwight D. Eisenhower
  • 27. “Liderança é como a beleza, difícil de definir e fácil de reconhecer.” Warren Bennis
  • 28. Liderança é Influência, nem mais nem menos! John C. Maxwell
  • 29. A liderança é um processo de influência. Cada vez que você influenciar o pensamento, o comportamento o desenvolvimento de alguém com o objetivo de ajudar este alguém a alcançar umameta na vida pessoal ou espiritual estará assumindo a função de líder. 29
  • 30. Quais são as características de um verdadeiro líder? O verdadeiro líder é aquele que consegue influenciar fortemente outras pessoas à ação, sem o uso da força ou do medo. Tem sua base na atitude pessoal, na competência e no carisma, levando os demais a admirar, respeitar e defender o líder e suas ideias. 30
  • 31. “ Liderar não é manipular, liderar é influenciar.” Não se deixe manipular, é você quem determina seu Valor! 31
  • 32. Liderança cristã também é • Ajudar a descobrir o potencial adormecido; • ajudar a descobrir a vida abundante em Cristo; • ajudar a ver novas possibilidades; • apoiar e encorajar; • elevar a autoestima; • ajudar a pessoa a eleger Deus a sua fonte de valor pessoal; • andar junto, discipular. 32
  • 33.
  • 34. Resumindo: Liderança Cristã… • É aquela que adota, como princípios fundamentais de sua prática e da sua ética, os ensinamentos de Jesus e seus apóstolos. • É aquela que se inspira na liderança de Jesus e se empenha por reproduzir esse modelo. 34
  • 35. “Naquela mesma ocasião dei a seguinte ordem aos juízes: - Julguem todas as causas com justiça, seja entre dois israelitas, seja entre um israelita e um estrangeiro que vive no meio do povo. - Sejam honestos e justos nas suas decisões. - Tratem todos de modo igual, tanto os humildes como os poderosos. - Não tenham medo de ninguém, pois a sentença que vocês derem virá de Deus. - Se algum caso for muito difícil para vocês, tragam para mim, que eu o julgarei.” Deuteronômio 1:16-18 35
  • 36. Liderança Cristã Atitude Cristã Discernimento Espiritual Fazer Boas escolhas consistentes e agir sobre as mesmas o tornará um líder Cristão Ser capaz de tomar uma ação de acordo com sua decisão e sustentar sua decisão baseado no seu julgamento ético. Reconhecer o dilema e ter opinião formada sobre o problema Consciência Cristã Ser capaz de reconhecer um dilema ético
  • 37. “Uma forte liderança faz com que uma boa empresa seja ainda melhor, da mesma forma que, uma fraca liderança reduz o seu potencial e, com o tempo, o destrói.” Ram Charan 37
  • 40. • Autocrática: decide tudo sozinho. Não dá espaço para novos líderes. Exigente. Foco nos "resultados" e não nas pessoas. • Democrática: não decide nada, deixa tudo para que os liderados decidam. Foco nas pessoas e não no objetivo. • Volúvel: vai de acordo com a "onda". Muda o objetivo de acordo com “as novidades". 40
  • 41. • Detalhista: perde-se em detalhes e perfeccionismos. Preocupa-se mais com os métodos que o objetivo. • Responsável: assume a responsabilidade da liderança, motivando o grupo a atingir o objetivo. Trabalha com foco nas pessoas sem perder de vista o objetivo. 41
  • 42. técnicas de um líder
  • 43. • Comunicar: Informar de maneira clara, direta e simples. Transmitir a visão da necessidade de conseguir o objetivo. 43
  • 44. • Delegar: Acionar os recursos dos seus liderados ("dons") na direção do objetivo. Fazer com que 1+1 seja igual a 3, e não 2. Organizar tarefas e funções. Formar equipes. 44
  • 45. • Inovar: Aceitar mudanças e novas idéias. A única coisa que o bom líder não cede é quanto ao objetivo. No caso do líder cristão, não cede quanto à doutrina bíblica. 45
  • 46. • Motivar: Incentivar novas lideranças. Elogiar. Estimular a participação dos liderados nos processos que levam ao objetivo final. Ser exemplo de conduta. 46
  • 47. • Planejar: Ter uma visão de longo prazo, definindo prioridades. Treinar as lideranças. Adotar metodologias compatíveis com os objetivos. 47
  • 49. 1) Os líderes tocam o coração antes de pedir ajuda 49
  • 50. 2) O potencial de um líder é determinado pelas pessoas mais próximas dele: 50
  • 51. 3) Não existe sucesso do dia para a noite. Liderança é aprendizado 51
  • 52. 4) A verdadeira medida da Liderança é a influência - nada mais, nada menos 52
  • 53. 5) Qualquer um pode pilotar o barco, mas só um Líder sabe traçar o percurso 53
  • 54. 6) Quando o verdadeiro líder fala, as pessoas ouvem 54
  • 55. 7) Só líderes seguros delegam poder aos outros: 55
  • 59. 1 Não faça excursões mentais enquanto a pessoa está falando - não divague os pensamentos. • Tente antecipar mentalmente onde a pessoa quer chegar • Analise o que a pessoa está falando • Pense se há evidência ou veracidade no que ela está falando • Faça deduções (nas “entrelinhas”)
  • 60. 2 Cuidado com o que você vai falar Por exemplo: “Eu entendo, estou entendendo” mas não demonstre nem com a expressão facial que você concorda ou discorda com o que está sendo dito.
  • 61. 3 Desenvolva a “surdez emocional” Procure não se emocionar com os sentimentos da pessoa, você ainda não ouviu o outro lado e não sabe quem está com a razão.
  • 62. 4 Desenvolva seu ouvido sensitivo 5 Evite explicações difíceis. Não se comprometa. 6 Nunca mude a conversa prematuramente. Deixe a pessoa desabafar
  • 63. 7 Não pretenda estar atendo, quando na verdade você não está. 8 Evite distrações. 9 Nunca fique rabiscando na hora da conversa
  • 64. 10 Nunca se esquive de ouvir a pessoa que está precisando falar-lhe Lembre-se... Jesus dava atenção a todos.
  • 67. Exemplos de Liderança - MOISÉS • (Preparação no Egito) – Conhecimento técnico “O homem respondeu: — Quem pôs você como nosso chefe ou nosso juiz? Você está querendo me matar como matou o egípcio? Então Moisés ficou com medo e pensou: “Já descobriram o que eu fiz.” - Êxodo 2.14 • (Pastor no Deserto) Conhecimento de si mesmo – busca de habilidades Moisés cuidava das ovelhas e das cabras de Jetro, o seu sogro, o sacerdote de Midiã. Um dia Moisés levou o rebanho para o outro lado do deserto e foi até o monte Sinai, o monte sagrado. - Êxodo 3.1 • (Utilização na Prática) – resoluções de conflitos. O SENHOR disse a Moisés: — Por que você está me pedindo ajuda? Diga ao povo que marche. Êxodo 14.15 67
  • 68. Exemplos de Liderança - PAULO • Autoconfiança, Saber quem é. Gálatas 1.1 “Paulo, apóstolo, não da parte de homens, nem por intermédio de homem algum, mas por Jesus Cristo e por Deus Pai, que o ressuscitou dentre os mortos...” • Utilização de todas as ferramentas possíveis. Atos 17.23 “porque, passando eu e vendo os vossos santuários, achei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, que vós honrais não o conhecendo é o que eu vos anuncio.” • Delegação de Responsabilidades. 2Timóteo 2.5 - A necessidade do estabelecimento e compreensão da Missão e Visão. - O líder bem sucedido não é o mais inteligente e sim o mais motivado. - Líderes de esfera local e líderes de esfera global.
  • 70.
  • 71. • Seu objetivo: salvar os homens do pecado, do mal e da morte. • Comunicou: sua mensagem de amor e nova vida, na linguagem do povo da época (parábolas). Pregou em aramaico (língua corrente da Palestina). • Delegou: a missão de espalhar a mensagem de salvação a todo o mundo. 71
  • 72. • Inovou: rompeu com as arcaicas tradições religiosas da época. Ensinou ao ar livre, concedeu perdão a prostitutas e cobradores de impostos, curou no sábado. • Motivou: enviou Seu Espírito para que seus discípulos saíssem das casas-esconderijos. Foi exemplo de conduta em todas as áreas humanas. • Planejou: deu ordens específicas ("amai-vos uns aos outros..." etc.) e escolheu 12 homens para a liderança, treinando-os durante 3 anos. 72
  • 73. • Liderança de Pessoas Difíceis (não fazer acepção de pessoas) Mateus 9.10 Mais tarde, enquanto Jesus estava jantando na casa de Mateus, muitos cobradores de impostos e outras pessoas de má fama chegaram e sentaram-se à mesa com Jesus e os seus discípulos. • Sempre ver o melhor das Pessoas • Reconhecer as limitações das pessoas e perdoá-las por isso Mateus 26.31 “E Jesus disse aos discípulos: — Esta noite todos vocês vão fugir e me abandonar, pois as Escrituras Sagradas dizem: “Matarei o pastor, e as ovelhas serão espalhadas.” 73
  • 74. Liderança pessoal Resultado: Perspectiva Mateus 3.13 – 4.11 Liderança de organização/comunidade Resultado: Efetividade e Reconciliação Mateus 28.19 – 20 Liderança um-a-um Resultado: Confiança Mateus 4.18;24 Liderança de equipe/família Resultado: União e Legado Mateus 10.5–10 Modelo de liderança transformacional
  • 75. “Não é o discípulo mais do que o seu mestre; mas todo o que for bem instruído será como o seu mestre.” Lucas 6.40 Disposição para ENSINAR 75
  • 76. Tenha consciência de que está ensinando muito mais que uma tarefa. Está abrindo mentes e corações, está formando vidas.
  • 77. “Então lhes ensinava muitas coisas por parábolas, e lhes dizia no seu ensino: Ouvi: Eis que o semeador saiu a semear; e aconteceu que, quando semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho, e vieram as aves e a comeram. Outra caiu no solo pedregoso, onde não havia muita terra: e logo nasceu, porque não tinha terra profunda; mas, saindo o sol, queimou-se; e, porque não tinha raiz, secou-se. E outra caiu entre espinhos; e cresceram os espinhos, e a sufocaram; e não deu fruto. Mas outras caíram em boa terra e, vingando e crescendo, davam fruto; e um grão produzia trinta, outro sessenta, e outro cem. E disse-lhes: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. Parábola de Jesus relatada no Livro de Marcos 4.2-9 77
  • 78. Disposição para aprender Sobre aprender – Profeta Oséias 4.6 “Meu povo esta sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento.” 78
  • 79. Liderança servidora Seis Princípios para a Liderança servidora Dependência - Filipenses. 2.07 Aprovação - Salmo. 40.8 Modéstia - Mateus 4.05 Empatia - João 8.1-11 Otimismo - Isaias 42.4 Unção - Atos 10.37-38
  • 80. Qualidades da Liderança servidora Caráter Liderança Servidora Liderança inepta Visão Competência Liderança imatura Liderança estagnada Adapted from a model developed by Jeff Russell
  • 81. Liderança natural e espiritual • Autoconfiante • Conhece os homens • Decisivo • Ambicioso • Cria estratégia • Gosta de comando • Procura recompensa pessoal • Independente • Confia em Deus • Conhece a Deus e os homens • Procura a vontade de Deus • Humilde • Segue o padrão de Deus Sente prazer em obedecer Ama a Deus e aos outros Depende de Deus 81
  • 82. O propósito da disciplina Não é para descarregar a sua raiva Não é para agredir compalavras É um outro modo de ensinar Disciplina vem de Discípulo = aprendiz 82
  • 83. Domínio das emoções Razão x Emoção
  • 84. Como Deus escolhe líderes Entre muitos - Nm 13.2; At 6.3 Bons seguidores (discípulos a apóstolos) Potencial (Mt 4.18-19, 1Pe 5.1) Por ser confiável - At 1.09 Aqueles que aprendem com os erros (Contraste Judas e Pedro)
  • 86. 86
  • 89. O que é Ética afinal??? • Ética é um conjunto de princípios que norteiam nossas decisões diárias • Esse princípios são como que sinais de trânsito indicando nossa conduta na vida • A ética tem a ver com praticamente todas as esferas de nossa vida: – Pessoal – consigo mesmo – Social – com o próximo (amigos, família, etc) – Profissional – como funcionário ou patrão – Pública – cidadania responsável 89
  • 90. Ética→decisões→liderança • Somos “um ser que decide” • Sempre decidimos – a “não decisão” é uma decisão→ a de “não decidir” • Somos responsáveis pela nossa vida • Sofremos influências diversas na tomada de decisões 90
  • 91. leitura Fundamentos da Ética Cristã
  • 92. • Origem: Ethos = costume, hábito • Definição: “Ética é a conduta ideal do individuo” • É a ciência da Moral, teórica ou prática • A gama de significados abrange desde o sistema religioso até ao hábito pessoal • Ética Cristã: “Conjunto de regras de conduta, aceitas pelos cristãos, tendo por fundamento a Palavra de Deus.” 92
  • 93.
  • 94. Ética Cristã • O cristão deve basear-se na Palavra de Deus para fazer o que é certo ou errado. • A Ética Cristã não depende da situação, dos meios ou dos fins (Salmos 119.105) 94
  • 95. Ética relacional – duas possibilidades de Leituras EU - TU EU – ISTO Deus - Homem Homem – Deus Amor incondicional Amor interesseiro Interdependência Individualismo Bondade Maldade Sinceridade Hipocrisia – segundas intenções Participação Autoritarismo, exclusão União na diversidade Exclusão Diálogo Contestação Convivência Posse ou marginalização 95
  • 96. Ética - duas possibilidades de Leituras Leitura Antropológica Leitura Teológica A partir do homem A partir de Deus Cosmovisão humana Óptica divina Realidade Humana Realidade da criação dentro da soberania divina Ética subjetiva vinda do interior do homem Ética objetiva vinda de fonte externa ao homem A justiça é vista do ponto de vista humano O sofrimento humano pode ter significado teológico e pode ser necessário O caráter humano é essencialmente bom e confiável O caráter humano é essencialmente corrompido e enganoso Os instintos e sensações humanas devem ser liberados Os instintos e sensações devem ser gerenciados 96
  • 97.
  • 98.
  • 99. grupo análise de casos Pena de Morte – Eutanásia – Aborto – Homossexualismo – Política – Corrupção – Drogas – Bulying – Internet
  • 100. Intervalo para o almoço - UMA HORA -
  • 101. Juízo de valor ou norma 101
  • 102. Juízo de valor ou norma  A decisão sobre dizer ou não a verdade está estreitamente ligada aos sistemas de valores de uma sociedade.  Há coisas que valorizamos, consideramos boas e procuramos fazer.  Por outro lado, sentimo-nos mal quando não conseguimos evitar ações que julgamos más ou reprováveis.  Em outras palavras, somos capazes de estabelecer juízos de valor, diferenciando o bem e o mal, e de agir conforme essa diferenciação.  Esses juízos nos permitem estabelecer princípios morais que procuramos seguir e que convém serem seguidos por todos. 102
  • 103.
  • 104. Mas por que escolhemos fazer o bem? • De forma geral escolhemos fazer o bem, seguindo princípios morais, porque, caso contrário, seria quase impossível o convívio social. Imagine se cada um pudesse estabelecer suas próprias normas. • Certamente predominaria a insegurança, principalmente se as pessoas tivessem como princípio a mentira, o egoísmo ou o uso da violência física ou psíquica.
  • 105. Aprendizado Ético • Cegueira ética (não reconhecem os problemas éticos porque estão pensando em outras coisas) • Mudez ética (tem ética mas falham ao enfatizar os valores) • Incoerência ética (é um fracasso para resolver inconsistências éticas) • Paralisia ética (imóveis, temem as conseqüências) • Hipocrisia ética (fala uma coisa e faz outra, são um perigo, porque as vezes tem convicção do que falam mas não tem ética) • Duplicidade ética (tem valores confusos, por exemplo, no trabalho e em casa) • Duplicidade ética (acreditam que sua empresa já tem ética e não precisam fazer auto-avaliação nenhuma) 105
  • 106. Exemplo Aja com sinceridade, justiça e integridade. Desta forma, ensinará tais valores sem esforço.
  • 107. “Em tudo te dá por exemplo de boas obras; na doutrina mostra integridade, sobriedade, linguagem sã e irrepreensível...” Tito 2.7-8 107
  • 109. A anatomia de uma Comunidade ─ Gente Uma comunidade é formada por pessoas com cultura, formação, educação, costumes, tradição, diferentes. Diversidade 109
  • 110. Comunidade sem Alinhamento dissensão e divisão É necessário termos uma direção ÚNICA! Qual é esta Direção? 110
  • 111. Jesus deve ser o centro Direcionado e alinhados A palavra deve ser a BASE Jesus Univocidade 111
  • 112. “Completai o meu gozo, para que tenhais o mesmo modo de pensar, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, pensando a mesma coisa.” Filipenses 2.2
  • 113. “Sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altivas mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios aos vossos olhos.” Romanos 12.16
  • 114. “Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Quem fala mal de um irmão, e julga a seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; ora, se julgas a lei, não és observador da lei, mas juiz. Há um só legislador e juiz, aquele que pode salvar e destruir; tu, porém, quem és, que julgas ao próximo?” Tiago 4.11,12
  • 115. A inteligência nos relacionamentos - Comunhão
  • 116. A vida é relacionamento, o resto não passa de detalhe. Essa é a maior verdade. Tudo na vida que realmente importa resume-se aos relacionamentos. _ Dr. Gary Smalley
  • 117. O Senhor disse: “Não é bom que o homem esteja só” _Gênesis 2.18 117
  • 118. Abraham Maslow ensinou há muito tempo… 50 anos atrás, Maslow pesquisou motivação humana e descobriu que as necessidades impulsionam a motivação. 118 Moralidade, criatividade, espontaneidade, solução de problemas, reconhecimento de fatos Amor próprio, confiança, respeito Amizade, família, intimidade sexual Integridade física, segurança no trabalho, saúde, proteção jurídica, da família e da propriedade privada Ar, alimentação, sexo, sono, excreção Auto realização Auto estima Amor Segurança / Proteção Necessidades Fisiológicas 5 4 3 2 1
  • 119. Desde nossas necessidades mais básicas de alimentação, vestimenta, abrigo, segurança e ou as nossas mais sofisticadas necessidades de satisfação do ego e auto realização, somos impulsionados para preencher essas necessidades. Normalmente, experimentamos alguma tensão interna (por exemplo, a tensão da fome quando precisamos comer), até que a necessidade seja satisfeita. Esta tensão nos motiva constantemente, até que a necessidade seja satisfeita. 119
  • 120. Nos dias de hoje temos uma crise de relacionamento • Amizades de uma vida toda se tornam amargas; • Adolescentes fogem de casa; • Companheiros de trabalho brigam, um deixa a empresa; • Namorados rompem; • Recém-casados têm a primeira briga; • Irmãos adultos deixam de se falar durante anos; • Casamento de quinze anos acaba em divórcio; • Adolescente solitário comete suicídio.
  • 121. Disciplina e relacionamento R + R - R = R + R “Regras e Regulamentos menos Relacionamentos é igual a Ressentimentos e Rebeliões.” 121
  • 122. Postura e asserção Patologias nos relacionamentos “Noventa por cento da arte de viver consiste em se dar bem com pessoas que você não gosta.”
  • 123. O DNA dos relacionamentos 1.Fomos feitos para nos relacionar; 2.Fomos feitos com a capacidade de escolher; 3.Fomos feitos para assumirmos responsabilidade por nós mesmos. 123
  • 124. Qualidades de uma relacionamento saudável Deus Harmonia Saudável Complexado Os outros Eu Conflito Solitário Os relacionamentos não são uma opção Você foi feito para três tipos de relacionamentos: com os outros, com você mesmos e com Deus. 124
  • 125. Os três relacionamentos devem estar equilibrados Você Os outros Deus 125
  • 126. Os três relacionamentos devem estar equilibrados Mateus 22.37 – 39 “Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.” 126
  • 128. Você comanda seus botões Não dê aos outros o poder de controlar seus sentimentos Não dependa dos outros para ser feliz Romanos 12.18 “Se for possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens.” 128
  • 129. Síndrome de Procusto Na mitologia grega, um gigante chamado Procusto convidava pessoas para passarem a noite em sua cama de ferro. Mas havia uma armadilha nesta hospitalidade: ele insistia que os visitantes coubessem, com perfeição, na cama. Se eram muito baixos, ele os esticava; se eram altos, cortava suas pernas. Por mais artificial que isto possa parecer, será que não gastamos um bocado de energia emocional tentando alterar ou "enquadrar" outras pessoas de formas diversas, embora menos drásticas? Esperamos, com frequência, que os outros vivam segundo nossos padrões e ideais, ajustando-se aos nossos conceitos de como eles deveriam ser. Ou então, assumimos a responsabilidade de torná-los felizes, bem ajustados e emocionalmente saudáveis. A verdade é que grande parte dos atritos que existem nos relacionamentos acontecem quando tentamos impor nossa vontade aos outros - quando tentamos administrá-los e controlá-los. 129
  • 130. 130
  • 131. Romanos 15.1 1 Ora nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos. Expulsemos o espírito de Procusto de nossas vidas e que flua em nós o Espírito de Deus, que criou pessoas de estatura alta e baixa, gordos e magros, negros e brancos, mulheres e homens, ricos e pobres, ilustres e desconhecidos, inteligentes e sábios, doutores e os que detêm só o conhecimento popular. Aprendamos então a conviver com as diferenças, respeitando a individualidade e a forma que cada um vê o mundo no Senhor. 131
  • 132. Criando um ambiente relacionamento harmonioso 1.Respeite o muro; 2.Honre os outros; 3.Não julgue; 4.Valorize as diferenças; 5.Seja digno de confiança. Romanos 13.7 “Dai a cada um o que lhe é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem temor, temor; a quem honra, honra.” Romanos 12.10 “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros.” 132
  • 133. 133
  • 134. Qualquer um pode zangar-se - isso é fácil. Mas zangar-se com a pessoa certa, na medida certa, na hora certa, pelo motivo certo e da maneira certa - não é fácil!
  • 135. 135
  • 136. O cuidar bem de si mesmo e o grande mandamento O avião está caindo: Coloque a máscara primeiro em você! Primeiro você muda a si mesmo, para depois poder ajudar os outros a mudarem. Marcos 12.30,31 “Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de todas as tuas forças. E o segundo é este: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que esses.” 136
  • 137. primeiro você! Não seria egoísmo? Mateus 14.23 “Tendo-as despedido, subiu ao monte para orar à parte. Ao anoitecer, estava ali sozinho.” João 6.15 “Percebendo, pois, Jesus que estavam prestes a vir e levá-lo à força para o fazerem rei, tornou a retirar-se para o monte, ele sozinho.” 137
  • 139.
  • 140. Hoje em dia muito se fala em “DETOX”… tem suco DETOX, dieta DETOX, shampoo e creme para limpar os cabelos e livrá-los das impurezas e até um bar que serve respirador com oxigênio para “DESINTOXICAR” você da poluição diariamente inspirada. Mas e a alma? Será que a gente desintoxica na frequência que deveria? E afinal de contas, o que é desintoxicar a alma?140
  • 141. Bom, isso depende de cada um! Mas eu diria que um bom começo é se livrar – mesmo que temporariamente – do stress, das rotinas, dos hábitos, dos excessos, do que não é necessário. Até o conforto pode ser um veneno para alma. Às vezes você está tão confortável em uma situação que acaba resistindo à ideia de mudar. 141
  • 142. Nós não somos um corpo com uma alma, somos uma alma com um corpo. Enquanto o mundo nos ensina corretamente a desintoxicar nossos corpos, algumas vezes precisamos desintoxicar nossas almas. “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo.” 1 Tessalonicenses 5.23 142
  • 143. "Assim como nós somos aquilo que comemos fisicamente, também somos o que consumimos espiritualmente. Se não monitorarmos e ajustarmos a nossa dieta adequadamente, as nossas almas estarão em perigo de absorver o mais letal veneno." 143
  • 144. Mateus 16. 26 “Pois, que adiantará ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou, o que o homem poderá dar em troca de sua alma?” 144
  • 146. Autoengano “O ser humano mente para si mesmo com o objetivo de enganar de forma mais eficaz os outros.” _Robert Trivers Robert L. Trivers é um dos fundadores da Sociobiologia. Publicou uma série de artigos na década de 1970 sobre as bases genéticas do comportamento sexual e altruísmo recíproco.
  • 147. Autoengano Jeremias 17.9 – 10 “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração e provo os rins; e isto para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações.” 147
  • 148. Autoengano • Não tenho problemas com esse tipo de coisa; • Na verdade, isso não tem a menor importância. É só o meu jeito de lidar com as coisas. • Não sou tão ruim quanto a maioria das pessoas. • Consigo parar quando bem entender. • Eu sou assim; é só isso. 148
  • 149. O autoengano de Pedro Mateus 26.33, 35 "Respondeu-lhe Pedro: “Ainda que venhas a ser motivo de escândalo para todos, eu jamais te abandonarei!” Então Pedro lhe declarou: “Mesmo que seja necessário que eu morra junto a ti, de modo algum te negarei!” E todos os discípulos fizeram a mesma afirmação.” 149
  • 150. O nosso cérebro é abastecido diariamente com uma quantidade absurda de informações que são percebidas através de coisas que: Vemos; Ouvimos; Sentimos. Tudo isso sem filtrar... A leitura diária das Escrituras, é um exercício essencial para fortalecer nossa mente para filtrarmos aquilo que convém para a saúde da nossa alma. 150
  • 151. 151 Antídoto contra intoxicação Salmos 119.11 “Guardei no coração a tua palavra para não pecar contra ti.” Hebreus 4.12 “Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra até o ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e as intenções do coração.”
  • 152. 152 Efésios 4.22-24 “Quanto à antiga maneira de viver, vocês foram ensinados a despir-se do velho homem, que se corrompe por desejos enganosos, a serem renovados no modo de pensar e a revestir-se do novo homem, criado para ser semelhante a Deus em justiça e santidade provenientes da verdade.”
  • 153. Renovados no modo de pensar Renovar a mente é um processo que exige foco, determinação seriedade, trabalho e esforço. É se tornar uma nova pessoa com uma nova mente. 153
  • 154. Renovados no modo de pensar Romanos 12.2 “Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” 154
  • 155. 155 Segunda parte Emoções tóxicas
  • 156. 156 Complexidade Humana Emoçãoé parte fundamental desta complexidade Há quem diga que a Emoção é o INIMIGO N.1 dos Cristãos. O que vemos quando olhamos no espelho, é apenas o involucro exterior do que realmente somos. Muita coisa acontece em nosso interior que reside em um lugar muito mais profundo que não conseguimos ver no espelho.
  • 157. Complexidade Humana Romanos 7.15 “Pois o que faço, não o entendo; porque o que quero, isso não pratico; mas o que aborreço, isso faço.” 157
  • 158. Quero fazer o bem, mas faço o mal! A emoção pode impedir que sigamos ou façamos a vontade de Deus. 1 Pedro 3.3,4 “O vosso adorno não seja o enfeite exterior, como as tranças dos cabelos, o uso de joias de ouro, ou o luxo dos vestidos, mas seja o do íntimo do coração, no incorruptível traje de um espírito manso e tranquilo, que és, para que permaneçam as coisas.” 158
  • 160. PALAVRAS: o gatilho das emoções Mateus 12.36 “Digo-vos, pois, que de toda palavra fútil que os homens disserem, hão de dar conta no dia do juízo.” Provérbios 10.19 “Na multidão de palavras não falta transgressão; mas o que refreia os seus lábios é prudente.” 160
  • 161. Coisas que deprimem Salmo 43.5 “Por que estás abatida, ó minha alma? e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele que é o meu socorro, e o meu Deus.” 161
  • 162. Os “Ds” da depressão Desespero Dívida Desânimo Doença Decepção Desassossego Destruição Divisão 162
  • 163. Desespero 2 Coríntios 4.8 “Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desesperados;” 163
  • 164. Desânimo Deuteronômio 1.21 “Eis aqui o Senhor teu Deus tem posto esta terra diante de ti; sobe, apodera-te dela, como te falou o Senhor Deus de teus pais; não temas, e não te desanimes.” 164
  • 165. Decepção Provérbios 15.22 “Onde não há conselho, os projetos decepcionam; mas com a multidão de conselheiros se estabelecem.” 165
  • 166. Destruição Salmos 103.1–4 (KJV) “Bendize, ó minha alma, ao SENHOR... Que redime a tua vida da destruição; que te coroa de benignidade e de misericórdia...”
  • 167. Dívida 2 Reis 4.7 “Veio ela, pois, e o fez saber ao homem de Deus. Disse-lhe ele: Vai, vende o azeite, e paga a tua dívida; e tu e teus filhos vivei do resto.” 167
  • 168. Doença Mateus 8. 17 “para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta Isaías: Ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e levou as nossas doenças.” 168
  • 169. Desassossego Salmo 18:6 “Na minha angústia invoquei o Senhor, sim, clamei ao meu Deus; do seu templo ouviu ele a minha voz; o clamor que eu lhe fiz chegou aos seus ouvidos.” 169
  • 170. tempo
  • 171. “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus.” (ARA) “...aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus.” (NVI) “Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor.” Efésios 5.15-17 171
  • 172. Chronos Tempo linear, quantitativo. Mc 9.21; Gl 4.4; Ap 2.21
  • 173. Kairos Pontual, qualitativo, oportunidade 2 Co 6.2; Hb 11.15; Rm 11.5 173
  • 174. Tudo tem seu tempo determinado - Eclesiastes 3 Tempo e modo para todo propósito para as obrigações Eclesiastes 8.5-6
  • 175. Deus planejou e ensinou a planejar - Isaías 46.9-11 • Ideia do Sábado - Criação e Lei • Festas religiosas ligadas a vida civil. – Páscoa e Pães Asmos – (14-21 Nisã) • Saída do Egito – Primícias da Cevada – Festa das Semanas – (6 Sivã) • Recebimento da Lei – Fim da colheita da Cevada e colheita do trigo. – Tabernáculos – (15 a 21 Tisri) • Peregrinação no deserto – Colheita Uva 175
  • 176. A eternidade de Deus e a finitude do homem. “Mostra-me, Senhor, o fim da minha vida e o número dos meus dias, para que eu saiba quão frágil sou. Deste aos meus dias o comprimento de um palmo; a duração da minha vida é nada diante de ti. De fato, o homem não passa de um sopro.” Salmos 34.4,5
  • 177. Como planejar o tempo • Seja metódico - mas não torne isto uma obsessão; • Seja pontual - A pontualidade faz parte da mordomia do tempo. • Seja equilibrado - Devemos dar tempo às coisas, na proporção do seu valor. • Evite os ladrões do tempo. Tais como: – Coisas fora do lugar – Cartas compridas – Espera de pessoas – Deixar de delegar – Falta de preparação – Correspondência desnecessária – Organização deficiente – Ligação telefônicas quilométricas – Trabalho mal feito. Se você não tem tempo para fazer agora, quando terá tempo para 177 fazê-lo novamente?
  • 178. Como planejar o tempo • Respeite seu ritmo • Tenha horários livres • Mantenha o foco • Coloque as coisas em ordem • Abra mão de algumas coisas • Delegue mais • Concentre no que agrega valor • Cuidado com e-mail • Saiba dizer “não” 178
  • 179. IMPORTANTE OU URGENTE URGENTE NÃO-URGENTE IMPORTANTE NÃO IMPORTANTE 179
  • 180. IMPORTANTE OU URGENTE URGENTE NÃO-URGENTE Não são de resolução imediata mas acrescentam VALOR e RESULTADOS Nem acrescentam valor nem são de aplicação imediata Acrescentam VALOR e RESULTADOS e são de resolução imediata IMPORTANTE NÃO IMPORTANTE São de resolução imediata mas não acrescentam VALOR 180
  • 181. IMPORTANTE OU URGENTE URGENTE NÃO-URGENTE DESPERDÍCIO Detalhes Atividades agradáveis Passatempos Pequenas tarefas ENGANO Interrupções Telefonemas Reuniões Atividades Populares LIDERANÇA Prevenção Recreação Aprendizado e estudo Planejamento Relacionamentos SOBREVIVÊNCIA Crises Projetos com datas estabelecidas Problemas inesperados Ir ao médico por dores fortes IMPORTANTE NÃO IMPORTANTE 181
  • 182. IMPORTANTE OU URGENTE URGENTE NÃO-URGENTE FAÇA MAIS TARDE DELEGUE A ALGUÉM DETERMINE QUANDO VAI FAZER FAÇA IMEDIATAMENTE IMPORTANTE NÃO IMPORTANTE 182
  • 183. IMPORTANTE OU URGENTE URGENTE NÃO-URGENTE DESPERDÍCIO 5% ENGANO 15% LIDERANÇA 60% SOBREVIVÊNCIA 20% IMPORTANTE NÃO IMPORTANTE 183
  • 184. O tempo Deus pede estrita conta do meu tempo, É forçoso do tempo já dar conta, Mas, como dar em tempo tanta conta, Eu, que gastei sem conta tanto tempo? Para ter minha conta feita a tempo, Dado me foi bom tempo e não fiz conta; Não quis, sobrando tempo, fazer conta, Quero hoje fazer conta e falta tempo. Oh! vós, que tendes tempo sem ter conta, Não gasteis vosso tempo em passatempo; Cuidai, enquanto é tempo, em fazer conta. Mas, oh! se os que contam com seu tempo fizessem desse tempo alguma conta, Não choravam sem conta o não ter tempo. Por Laurindo Rabello da Silva 184
  • 185. 185 O tempo voa
  • 186. Diferença entre “foco no problema” e “foco na solução” • A NASA iniciou o lançamento de astronautas ao espaço e descobriu logo em seguida que canetas não funcionariam com gravidade zero. Para resolver este problema, contrataram a Andersen Consulting, hoje Accenture. Empregaram quase uma década e 12 milhões de dólares. Conseguiram desenvolver uma caneta que escreve com gravidade zero, de ponta cabeça, debaixo d’àgua, em praticamente qualquer superfície, incluindo cristal e em variações extremas de temperatura. • Já os russos... ... Usaram um LÁPIS! 186
  • 187. Não podemos mais ser consumidores da realidade, mas instrumentos de sua transformação e construção. Em vez de sermos esponja ou óleo, vamos ser o tempero para a vida. Como sal... Vamos ser luz para nosso ambiente! 187
  • 188. Senhor, ... Faça-me um instrumento de sua paz... Onde houver ódio, que eu semeie a paz; Onde houver injúria, perdão; Onde houver dúvida, fé; Onde houver trevas, luz; Onde houver tristeza, alegria... (Francisco de Assis) 188
  • 189. Não devemos esperar por tempos fáceis, mas por líderes fortes de caráter. Não devemos esperar por tarefas iguais ao nosso poder, mas por poder igual às nossas tarefas. (Philip Brooks) 189
  • 190.
  • 192. 192
  • 193. Muito Grato! Presbítero Márcio Melânia marcio.melania@gmail.com