SlideShare uma empresa Scribd logo
O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século XIX
Considerações iniciais
 A ordem política europeia do século XIX, foi deflagrada pelo Congresso de
Viena (1814-1815), que pretendia restaurar as forças absolutistas do Antigo
Regime.
Mas, diante dos resultados liberalizantes do processo revolucionário francês, as
determinações do Congresso soaram como como o “último suspiro”, o “canto
do cisne” da declinante hegemonia absolutista na Europa.
Considerações iniciais
 Culturalmente, o imaginário europeu desse período foi fortemente
influenciado pelo Romantismo.
O Romantismo exaltava os sentimentos humanos e a valorização da natureza
diante da emergência da sociedade industrial. Acabou influenciando a estética
revolucionária das diferentes manifestações artísticas do século XIX.
De Porto a Paris: A reação contra as determinações do Congresso de Viena
 No período que se estabelece entre o Congresso de Viena (1815) e a eclosão da
Primeira Guerra Mundial (1914), a sociedade europeia testemunhou diferentes
manifestações sociais, promovidas por variados grupos da sociedade:
 Burgueses; Nobres dissidentes; Campesinato; Proletariado urbano.
Revolução do Portode 1820:
 Movimento encabeçado por grupos progressistas influenciados pelos ideais
liberais, que livraram Portugal da dominação inglesa (Lorde Beresford).
 As chamadas Cortes Revolucionárias exigiram o retorno imediato de D. João
VI e limitaram seu poder a uma constituição, estabelecendo um governo
liberal em Portugal.
Paris 1830:
 Embasado pelo Congresso de Viena, a França voltou a ser governada pela
dinastia Bourbon. Luiz XVIII procurou atuar dentro dos limites da constituição,
mas a partir de sua morte, seu irmão Carlos X, de tendência ultrarrealista
restaura o absolutismo na França.
Paris 1830:
 Com a vitória dos políticos liberais nas eleições em1830, Carlos X dissolveu a
Assembleia francesa, limitando o universo de eleitores e suprimindo a
liberdade de imprensa.
 A reação das forças populares e burguesas foram imediatas provocando a
queda de Carlos X.
Do Ludismo ao Anarquismo: a força das utopias transformadoras:
O cenário a partir do qual se desenvolveu esses movimentos:
 O processo de industrialização iniciado na Inglaterra no século XVIII, fortaleceu
o poder econômico e político da classe burguesa.
 Mas, o mesmo processo impôs condições desumanas de trabalho a classe
operária: Longas jornadas de trabalho; Baixos salários; Péssimas condições de
moradia; Exploração do trabalho feminino e infantil.
Industrialização e suas consequências:
Ludismo:
 O Ludismo surgiu na Inglaterra no final do século XVIII, foi o primeiro
movimento operário organizado. Teria sido inspirado no “lendário” cidadão
Ned Ludham, que insatisfeito com as condições de trabalho, defendeu a
destruição do maquinário da fábrica onde trabalhava.
 Karl Marx caracterizou o movimento como ingênuo e romântico. (Por quê?).
Ludismo:
Cartismo:
 Esse movimento da classe operária tem sua origem na carta redigida por
WilliamLovett e Feargus O’Connor, em 1838, a chamada “Carta do Povo”, na
qual estavamregistradas as reivindicações que os participantes do movimento
desejavamver implementadas.
 A carta continha as seguintes exigências:
• Sufrágio (voto) universal;
• voto secreto;
• pagamento aos membros aos deputados à câmara dos comuns;
• reeleição anual do parlamento;
• Fim do censo;
• Igualdade dos direitos eleitorais.
Cartismo:
 O movimento Cartista procurou sem sucesso, entre 1838 e 1850, pressionar o
Parlamento no atendimento de suas reivindicações.
 Somente a partir do final da década de 1860, com exceção da proposta de
reeleição do parlamento, as reivindicações foram atendidas.
As doutrinas operárias:
 O socialismo e o anarquismo caracterizam-se pela crítica ao sistema capitalista,
defendendo a construção de uma sociedade igualitária estabelecida combase
na supressão da propriedade privada dos meios de produção e da extinção da
divisão social.
Os precursores da doutrinasocialista:
 Na década de 1830, surgiram na Europa pensadores políticos associados a
classe burguesa, que idealizavam uma sociedade fundamentada no
voluntarismo e na generosidade. Propunham uma política patronal de caráter
assistencialista.
 Apesar do mérito de pensadores como Fourier, Owen e Saint-Simon, os
trabalhos destes foram rotulados como “Socialismo Utópico”, por Karl Marx.
Os precursores da doutrinasocialista:
 Louis Blanc e Pierre Prouhon foram defensores da criação de cooperativas
patrocinadas pelo Estado e bancos que emprestassem dinheiro sem juros aos
trabalhadores.
 Proudhon também defendia a substituição do Estado por uma república de
pequenos proprietários. O pensamento deste influenciará mais tarde o ideário
anarquista.
O socialismo marxista:
 Entre 1846 e 1848, a ordem capitalista viu-se diante de uma crise no setor
econômico e uma prolongada seca que atingiu a produção agrícola.
 Foi a partir dessa conjuntura que Karl Marx e Friedrich Engels, publicaram “O
Manifesto Comunista” (1848), no qual convoca a união da classe trabalhadora
em torno da ação revolucionária contra a ordem capitalista vigente, para desta
forma promover a construção de uma sociedade igualitária.
O socialismo marxista:
 Para os ideólogos do socialismo marxista, a luta de classes é umelemento
intrínseco ao processo evolutivo da sociedade humana.
 Marx e Engels percebiam a “luta de classes”como um agente dialético, por
meio do qual a sociedade humana, gradualmente, acessaria o estágio da
riqueza igualitária.
O socialismo marxista:
 “A história de todas as sociedades que existiram até nossos dias tem sido a
história das lutas das classes. Homem livre e escravo, patrício e plebeu, senhor
e servo, mestre de corporação e oficial, numa palavra, opressores e oprimidos,
em constante oposição, têm vivido numa guerra ininterrupta, ora franca, ora
disfarçada, uma guerra que terminou sempre, ou por uma transformação
evolucionária da sociedade inteira, ou pela destruição das suas classes em
luta”.
(Manifesto do Partido Comunista. In: K. Marx e F. Engels. Obras escolhidas. Rio
de Janeiro: Vitória, 1961. p. 26-29. (Fragmento).
Eclosões revolucionárias:
 A expressão “Primavera dos Povos”, utilizada para definir a conjuntura
europeia no ano de 1848, corresponde a um conjunto de manifestações sociais
caracterizadas pela diversidade de propostas ideológicas:
o Liberalismo; o Socialismo; o Nacionalismo.
Catolicismo social:
 O cenário de desigualdade social e de exploração contra o proletariado
industrial estimulou a Igreja Católica, no final do século XIX, a manifestar a sua
opinião em relação à ordem capitalista vigente. A Igreja estava preocupada
com a questão social.
 A Carta Encíclica Rerum Novarum (“Das coisas novas”) do papa Leão XIII,
criticou os abusos da exploração capitalista. As críticas se caracterizampor:
Não admitir as ideias socialistas; o Necessidade da harmonia entre patrões e
empregados; Busca da dignidade humana; Promoção da justiça social.
Anarquismo:
 O pensamento anarquista inspirou-se, inicialmente, nos pressupostos de
WilliamGodwin (1756-1836), que criticava as diferentes formas de autoridade,
defendia o exercício pleno da liberdade e a extinção da propriedade privada.
 Principais defensores do anarquismo: Mikhail Bakunin; Leon Tolstoi; Peter
Kropotsky; Enrico Malatesta.
Anarquismo:
 O pensamento anarquista propunha a total destruição da ordem capitalista e a
supressão de todas as formas de governo, de autoridade e poder.
 O anarquismo propunha uma sociedade igualitária, semfase intermediária
(socialismo), como defendia os marxistas.
Internacionais socialistas:
 Tinham o objetivo de organizar politicamente as classes operárias.
 Primeira AIT (Londres: 1864-1876)
Não conseguiu definir um programa de ação comum, devido as divergências
entre socialistas (seguidores de Marx) e os anarquistas (seguidores de
Bakunin). Os anarquistas acabaramexpulsos.
 Durante os trabalhos da Primeira AIT, eclodiu na França o movimento definido
como Comuna de Paris.
Internacionais socialistas:
 Segunda AIT (Paris: 1889-1914)
Organizada pelo movimento sindical francês, por iniciativa de Frederich Engels.
Defendia a tese revisionista, que consistia num socialismo reformista e não
mais revolucionário, ou seja, defendia a aliança da esquerda com setores
progressistas da burguesia.
Internacionais socialistas:
 Terceira AIT (Moscou: 1918-1935)
Nesta Lênin defendeu a criação de Partidos Comunistas nacionais, que
pudessem promover a ação revolucionária socialista, pois era contrário à Social
– Democracia (que defendia o reformismo).
 Como desdobramento foram criados: Criação do PCC (Partido Comunista
Chinês); e o do PCB (Partido Comunista Brasileiro).
Internacionais socialistas:
 Quarta internacional (México: 1938-1953)
 Organizada por Trotsky criticava o burocratismo do regime soviético. Trotsky
foi vítima de perseguição pelo governo de Stálin.
Nacionalismos: a autodeterminaçãodos povos:
• Movimentos nacionais expressam a reação a dominação estrangeira;
• Forte desenvolvimento industrial em regiões germânicas e italianas;
• Arte, música e literatura são usadas como elementos para formação do Estado.
Unificação da Itália:
• A Unificação Italiana foi conduzida pelo Reino Sardo – Piemontês;
• O Império Austríaco dominava boa parte da região, havia um Estado Pontifício e as
Duas Sicilias dominado pelos Bourbons da França;
• Sociedade Secreta dos Carbonários;
• O Resorgimento e o Conde Cavour;
• Os Camisas Vermelhas e Garibaldi.
Unificação da Alemanha:
• A Unificação Alemã foi conduzida pela Prússia;
• Otto Von Bismark primeiro-ministro;
• A Zollverein;
• A Prússia derrota a Áustria na Guerra das Sete Semanas;
• Com a vitória na Guerra Franco-Prussiana, nasce o II Reich sob a liderança do Kaiser
Guilherme.
Considerações Finais:
 Ao longo do século XIX, observamos além das disputas entre diversos grupos
sociais, como burguesia e proletariado, também ressaltamos que essas
disputas foram em muitos momentos influenciadas por diferentes correntes
de pensamentos, como o LIBERALISMO e os diferentes SOCIALISMOS.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Doutrinas sociais do século XIX
Doutrinas sociais do século XIXDoutrinas sociais do século XIX
Doutrinas sociais do século XIX
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
As teorias socialistas 1
As teorias socialistas 1As teorias socialistas 1
As teorias socialistas 1
Alan
 
Anarquismo,comunismo e socialismo
Anarquismo,comunismo e socialismo Anarquismo,comunismo e socialismo
Anarquismo,comunismo e socialismo
Michele Macedo
 
Doutrinas sociais
Doutrinas sociaisDoutrinas sociais
Doutrinas sociais
ProfessoresColeguium
 
Socialismo utópico
Socialismo utópicoSocialismo utópico
Socialismo utópico
Bruna Camargo
 
As bases ideológicas do socialismo
As bases ideológicas do socialismoAs bases ideológicas do socialismo
As bases ideológicas do socialismo
Victor Said
 
Socialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismoSocialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismo
ProfessoresColeguium
 
Aula sobre Socialismo
Aula sobre SocialismoAula sobre Socialismo
Aula sobre Socialismo
clauverlevy
 
Ideologias do século XIX
Ideologias do século XIXIdeologias do século XIX
Ideologias do século XIX
Marcos Torquato
 
Ideologias políticas do século xix
Ideologias políticas do século xixIdeologias políticas do século xix
Ideologias políticas do século xix
Privada
 
Séc xix o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Séc xix   o mundo em transformação - socialismo - liberalismoSéc xix   o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Séc xix o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Douglas Barraqui
 
Teorias sociais do século xix
Teorias  sociais do século xixTeorias  sociais do século xix
Teorias sociais do século xix
Educador Lamarão
 
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas SociaisMovimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
eiprofessor
 
Movimentos sociais e politicos da europa no século
Movimentos sociais e politicos da europa no séculoMovimentos sociais e politicos da europa no século
Movimentos sociais e politicos da europa no século
Vagner Roberto
 
Socialismo caracteristícas e princípios
Socialismo caracteristícas e princípiosSocialismo caracteristícas e princípios
Socialismo caracteristícas e princípios
Eddieuepg
 
Ideologias do século XIX e Primavera dos posvos
Ideologias do século XIX e Primavera dos posvosIdeologias do século XIX e Primavera dos posvos
Ideologias do século XIX e Primavera dos posvos
Alessandro Ferreira
 
Doutrinas sociais
Doutrinas sociaisDoutrinas sociais
Doutrinas sociais
PROFºWILTONREIS
 
Questões história simulado enem
Questões   história simulado enemQuestões   história simulado enem
Questões história simulado enem
José Soares
 
ula no Formato de Power Point sobre Comunismo
ula no Formato de Power Point sobre Comunismoula no Formato de Power Point sobre Comunismo
ula no Formato de Power Point sobre Comunismo
clauverlevy
 
História do Socialismo Utópico e Científico
História do Socialismo Utópico e CientíficoHistória do Socialismo Utópico e Científico
História do Socialismo Utópico e Científico
Marcos Mamute
 

Mais procurados (20)

Doutrinas sociais do século XIX
Doutrinas sociais do século XIXDoutrinas sociais do século XIX
Doutrinas sociais do século XIX
 
As teorias socialistas 1
As teorias socialistas 1As teorias socialistas 1
As teorias socialistas 1
 
Anarquismo,comunismo e socialismo
Anarquismo,comunismo e socialismo Anarquismo,comunismo e socialismo
Anarquismo,comunismo e socialismo
 
Doutrinas sociais
Doutrinas sociaisDoutrinas sociais
Doutrinas sociais
 
Socialismo utópico
Socialismo utópicoSocialismo utópico
Socialismo utópico
 
As bases ideológicas do socialismo
As bases ideológicas do socialismoAs bases ideológicas do socialismo
As bases ideológicas do socialismo
 
Socialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismoSocialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismo
 
Aula sobre Socialismo
Aula sobre SocialismoAula sobre Socialismo
Aula sobre Socialismo
 
Ideologias do século XIX
Ideologias do século XIXIdeologias do século XIX
Ideologias do século XIX
 
Ideologias políticas do século xix
Ideologias políticas do século xixIdeologias políticas do século xix
Ideologias políticas do século xix
 
Séc xix o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Séc xix   o mundo em transformação - socialismo - liberalismoSéc xix   o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
Séc xix o mundo em transformação - socialismo - liberalismo
 
Teorias sociais do século xix
Teorias  sociais do século xixTeorias  sociais do século xix
Teorias sociais do século xix
 
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas SociaisMovimento Operário e Doutrinas Sociais
Movimento Operário e Doutrinas Sociais
 
Movimentos sociais e politicos da europa no século
Movimentos sociais e politicos da europa no séculoMovimentos sociais e politicos da europa no século
Movimentos sociais e politicos da europa no século
 
Socialismo caracteristícas e princípios
Socialismo caracteristícas e princípiosSocialismo caracteristícas e princípios
Socialismo caracteristícas e princípios
 
Ideologias do século XIX e Primavera dos posvos
Ideologias do século XIX e Primavera dos posvosIdeologias do século XIX e Primavera dos posvos
Ideologias do século XIX e Primavera dos posvos
 
Doutrinas sociais
Doutrinas sociaisDoutrinas sociais
Doutrinas sociais
 
Questões história simulado enem
Questões   história simulado enemQuestões   história simulado enem
Questões história simulado enem
 
ula no Formato de Power Point sobre Comunismo
ula no Formato de Power Point sobre Comunismoula no Formato de Power Point sobre Comunismo
ula no Formato de Power Point sobre Comunismo
 
História do Socialismo Utópico e Científico
História do Socialismo Utópico e CientíficoHistória do Socialismo Utópico e Científico
História do Socialismo Utópico e Científico
 

Semelhante a O embate entre as correntes liberaias e os socialismos no século xix ppt

Liberalismo e Socialismo no século XIX
Liberalismo e Socialismo no século XIXLiberalismo e Socialismo no século XIX
Liberalismo e Socialismo no século XIX
Edenilson Morais
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Capitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e Liberismo
Capitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e LiberismoCapitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e Liberismo
Capitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e Liberismo
Inês Oliveira
 
Socialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismoSocialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismo
ProfessoresColeguium
 
Anarquismo e Socialismo Utópico
Anarquismo e Socialismo UtópicoAnarquismo e Socialismo Utópico
Anarquismo e Socialismo Utópico
Carla Brígida
 
Basicão – 3ºano século xix
Basicão – 3ºano   século xixBasicão – 3ºano   século xix
Basicão – 3ºano século xix
Rafael Noronha
 
Socialismo 9º Ano
Socialismo 9º AnoSocialismo 9º Ano
Socialismo 9º Ano
Lucas Weiby
 
Heg rev. russa -2010
Heg rev. russa -2010Heg rev. russa -2010
Heg rev. russa -2010
Yuri Silver
 
O PAPEL DO PARTIDO COMO AGENTE DE EDUCAÇÃO
O PAPEL DO PARTIDO COMO AGENTE DE EDUCAÇÃOO PAPEL DO PARTIDO COMO AGENTE DE EDUCAÇÃO
O PAPEL DO PARTIDO COMO AGENTE DE EDUCAÇÃO
ujcpe
 
Movimentos do século xix
Movimentos do século xixMovimentos do século xix
Movimentos do século xix
Max22Rodrigues
 
Socialismo, Anarquismo e Revolução Russa 1917
Socialismo, Anarquismo e Revolução Russa 1917Socialismo, Anarquismo e Revolução Russa 1917
Socialismo, Anarquismo e Revolução Russa 1917
jose brandaos
 
História
HistóriaHistória
História
dinicmax
 
revolução industrial
revolução industrialrevolução industrial
revolução industrial
Jeferson Nascimento
 
Com geral 059
Com geral 059Com geral 059
Com geral 059
YedaCarla
 
1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix 3º ano
1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix   3º ano1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix   3º ano
1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix 3º ano
dayvidprofessor
 
As teorias socialistas
As teorias socialistasAs teorias socialistas
As teorias socialistas
Alan
 
Resumo - Revolução Industrial.pdf
Resumo - Revolução Industrial.pdfResumo - Revolução Industrial.pdf
Resumo - Revolução Industrial.pdf
RAFAELASCARI1
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
Allan Almeida de Araújo
 
Totalitarismo na europa
Totalitarismo na europaTotalitarismo na europa
Movimento operário e as ideias socialistas
Movimento operário e as ideias socialistasMovimento operário e as ideias socialistas
Movimento operário e as ideias socialistas
Edilene Ruth Pereira
 

Semelhante a O embate entre as correntes liberaias e os socialismos no século xix ppt (20)

Liberalismo e Socialismo no século XIX
Liberalismo e Socialismo no século XIXLiberalismo e Socialismo no século XIX
Liberalismo e Socialismo no século XIX
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
 
Capitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e Liberismo
Capitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e LiberismoCapitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e Liberismo
Capitalismo, Comunismo, Socialismo, Marxismo, Anarquismo e Liberismo
 
Socialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismoSocialismos e anarquismo
Socialismos e anarquismo
 
Anarquismo e Socialismo Utópico
Anarquismo e Socialismo UtópicoAnarquismo e Socialismo Utópico
Anarquismo e Socialismo Utópico
 
Basicão – 3ºano século xix
Basicão – 3ºano   século xixBasicão – 3ºano   século xix
Basicão – 3ºano século xix
 
Socialismo 9º Ano
Socialismo 9º AnoSocialismo 9º Ano
Socialismo 9º Ano
 
Heg rev. russa -2010
Heg rev. russa -2010Heg rev. russa -2010
Heg rev. russa -2010
 
O PAPEL DO PARTIDO COMO AGENTE DE EDUCAÇÃO
O PAPEL DO PARTIDO COMO AGENTE DE EDUCAÇÃOO PAPEL DO PARTIDO COMO AGENTE DE EDUCAÇÃO
O PAPEL DO PARTIDO COMO AGENTE DE EDUCAÇÃO
 
Movimentos do século xix
Movimentos do século xixMovimentos do século xix
Movimentos do século xix
 
Socialismo, Anarquismo e Revolução Russa 1917
Socialismo, Anarquismo e Revolução Russa 1917Socialismo, Anarquismo e Revolução Russa 1917
Socialismo, Anarquismo e Revolução Russa 1917
 
História
HistóriaHistória
História
 
revolução industrial
revolução industrialrevolução industrial
revolução industrial
 
Com geral 059
Com geral 059Com geral 059
Com geral 059
 
1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix 3º ano
1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix   3º ano1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix   3º ano
1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século xix 3º ano
 
As teorias socialistas
As teorias socialistasAs teorias socialistas
As teorias socialistas
 
Resumo - Revolução Industrial.pdf
Resumo - Revolução Industrial.pdfResumo - Revolução Industrial.pdf
Resumo - Revolução Industrial.pdf
 
Revolução Industrial
Revolução IndustrialRevolução Industrial
Revolução Industrial
 
Totalitarismo na europa
Totalitarismo na europaTotalitarismo na europa
Totalitarismo na europa
 
Movimento operário e as ideias socialistas
Movimento operário e as ideias socialistasMovimento operário e as ideias socialistas
Movimento operário e as ideias socialistas
 

Último

Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Miguel Delamontagne
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 

Último (20)

Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
Ensinar Programação 📚 Python 🐍 Método Inovador e Prático 🚀
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 

O embate entre as correntes liberaias e os socialismos no século xix ppt

  • 1. O embate entre as correntes liberais e os socialismos no século XIX Considerações iniciais  A ordem política europeia do século XIX, foi deflagrada pelo Congresso de Viena (1814-1815), que pretendia restaurar as forças absolutistas do Antigo Regime. Mas, diante dos resultados liberalizantes do processo revolucionário francês, as determinações do Congresso soaram como como o “último suspiro”, o “canto do cisne” da declinante hegemonia absolutista na Europa. Considerações iniciais  Culturalmente, o imaginário europeu desse período foi fortemente influenciado pelo Romantismo. O Romantismo exaltava os sentimentos humanos e a valorização da natureza diante da emergência da sociedade industrial. Acabou influenciando a estética revolucionária das diferentes manifestações artísticas do século XIX. De Porto a Paris: A reação contra as determinações do Congresso de Viena  No período que se estabelece entre o Congresso de Viena (1815) e a eclosão da Primeira Guerra Mundial (1914), a sociedade europeia testemunhou diferentes manifestações sociais, promovidas por variados grupos da sociedade:  Burgueses; Nobres dissidentes; Campesinato; Proletariado urbano. Revolução do Portode 1820:  Movimento encabeçado por grupos progressistas influenciados pelos ideais liberais, que livraram Portugal da dominação inglesa (Lorde Beresford).  As chamadas Cortes Revolucionárias exigiram o retorno imediato de D. João VI e limitaram seu poder a uma constituição, estabelecendo um governo liberal em Portugal. Paris 1830:  Embasado pelo Congresso de Viena, a França voltou a ser governada pela dinastia Bourbon. Luiz XVIII procurou atuar dentro dos limites da constituição, mas a partir de sua morte, seu irmão Carlos X, de tendência ultrarrealista restaura o absolutismo na França. Paris 1830:  Com a vitória dos políticos liberais nas eleições em1830, Carlos X dissolveu a Assembleia francesa, limitando o universo de eleitores e suprimindo a liberdade de imprensa.  A reação das forças populares e burguesas foram imediatas provocando a queda de Carlos X. Do Ludismo ao Anarquismo: a força das utopias transformadoras: O cenário a partir do qual se desenvolveu esses movimentos:
  • 2.  O processo de industrialização iniciado na Inglaterra no século XVIII, fortaleceu o poder econômico e político da classe burguesa.  Mas, o mesmo processo impôs condições desumanas de trabalho a classe operária: Longas jornadas de trabalho; Baixos salários; Péssimas condições de moradia; Exploração do trabalho feminino e infantil. Industrialização e suas consequências: Ludismo:  O Ludismo surgiu na Inglaterra no final do século XVIII, foi o primeiro movimento operário organizado. Teria sido inspirado no “lendário” cidadão Ned Ludham, que insatisfeito com as condições de trabalho, defendeu a destruição do maquinário da fábrica onde trabalhava.  Karl Marx caracterizou o movimento como ingênuo e romântico. (Por quê?). Ludismo:
  • 3. Cartismo:  Esse movimento da classe operária tem sua origem na carta redigida por WilliamLovett e Feargus O’Connor, em 1838, a chamada “Carta do Povo”, na qual estavamregistradas as reivindicações que os participantes do movimento desejavamver implementadas.  A carta continha as seguintes exigências: • Sufrágio (voto) universal; • voto secreto; • pagamento aos membros aos deputados à câmara dos comuns; • reeleição anual do parlamento; • Fim do censo; • Igualdade dos direitos eleitorais. Cartismo:  O movimento Cartista procurou sem sucesso, entre 1838 e 1850, pressionar o Parlamento no atendimento de suas reivindicações.  Somente a partir do final da década de 1860, com exceção da proposta de reeleição do parlamento, as reivindicações foram atendidas. As doutrinas operárias:  O socialismo e o anarquismo caracterizam-se pela crítica ao sistema capitalista, defendendo a construção de uma sociedade igualitária estabelecida combase na supressão da propriedade privada dos meios de produção e da extinção da divisão social. Os precursores da doutrinasocialista:  Na década de 1830, surgiram na Europa pensadores políticos associados a classe burguesa, que idealizavam uma sociedade fundamentada no voluntarismo e na generosidade. Propunham uma política patronal de caráter assistencialista.  Apesar do mérito de pensadores como Fourier, Owen e Saint-Simon, os trabalhos destes foram rotulados como “Socialismo Utópico”, por Karl Marx. Os precursores da doutrinasocialista:  Louis Blanc e Pierre Prouhon foram defensores da criação de cooperativas patrocinadas pelo Estado e bancos que emprestassem dinheiro sem juros aos trabalhadores.  Proudhon também defendia a substituição do Estado por uma república de pequenos proprietários. O pensamento deste influenciará mais tarde o ideário anarquista. O socialismo marxista:  Entre 1846 e 1848, a ordem capitalista viu-se diante de uma crise no setor econômico e uma prolongada seca que atingiu a produção agrícola.
  • 4.  Foi a partir dessa conjuntura que Karl Marx e Friedrich Engels, publicaram “O Manifesto Comunista” (1848), no qual convoca a união da classe trabalhadora em torno da ação revolucionária contra a ordem capitalista vigente, para desta forma promover a construção de uma sociedade igualitária. O socialismo marxista:  Para os ideólogos do socialismo marxista, a luta de classes é umelemento intrínseco ao processo evolutivo da sociedade humana.  Marx e Engels percebiam a “luta de classes”como um agente dialético, por meio do qual a sociedade humana, gradualmente, acessaria o estágio da riqueza igualitária. O socialismo marxista:  “A história de todas as sociedades que existiram até nossos dias tem sido a história das lutas das classes. Homem livre e escravo, patrício e plebeu, senhor e servo, mestre de corporação e oficial, numa palavra, opressores e oprimidos, em constante oposição, têm vivido numa guerra ininterrupta, ora franca, ora disfarçada, uma guerra que terminou sempre, ou por uma transformação evolucionária da sociedade inteira, ou pela destruição das suas classes em luta”. (Manifesto do Partido Comunista. In: K. Marx e F. Engels. Obras escolhidas. Rio de Janeiro: Vitória, 1961. p. 26-29. (Fragmento). Eclosões revolucionárias:  A expressão “Primavera dos Povos”, utilizada para definir a conjuntura europeia no ano de 1848, corresponde a um conjunto de manifestações sociais caracterizadas pela diversidade de propostas ideológicas: o Liberalismo; o Socialismo; o Nacionalismo. Catolicismo social:  O cenário de desigualdade social e de exploração contra o proletariado industrial estimulou a Igreja Católica, no final do século XIX, a manifestar a sua opinião em relação à ordem capitalista vigente. A Igreja estava preocupada com a questão social.  A Carta Encíclica Rerum Novarum (“Das coisas novas”) do papa Leão XIII, criticou os abusos da exploração capitalista. As críticas se caracterizampor: Não admitir as ideias socialistas; o Necessidade da harmonia entre patrões e empregados; Busca da dignidade humana; Promoção da justiça social. Anarquismo:  O pensamento anarquista inspirou-se, inicialmente, nos pressupostos de WilliamGodwin (1756-1836), que criticava as diferentes formas de autoridade, defendia o exercício pleno da liberdade e a extinção da propriedade privada.  Principais defensores do anarquismo: Mikhail Bakunin; Leon Tolstoi; Peter Kropotsky; Enrico Malatesta.
  • 5. Anarquismo:  O pensamento anarquista propunha a total destruição da ordem capitalista e a supressão de todas as formas de governo, de autoridade e poder.  O anarquismo propunha uma sociedade igualitária, semfase intermediária (socialismo), como defendia os marxistas. Internacionais socialistas:  Tinham o objetivo de organizar politicamente as classes operárias.  Primeira AIT (Londres: 1864-1876) Não conseguiu definir um programa de ação comum, devido as divergências entre socialistas (seguidores de Marx) e os anarquistas (seguidores de Bakunin). Os anarquistas acabaramexpulsos.  Durante os trabalhos da Primeira AIT, eclodiu na França o movimento definido como Comuna de Paris. Internacionais socialistas:  Segunda AIT (Paris: 1889-1914) Organizada pelo movimento sindical francês, por iniciativa de Frederich Engels. Defendia a tese revisionista, que consistia num socialismo reformista e não mais revolucionário, ou seja, defendia a aliança da esquerda com setores progressistas da burguesia. Internacionais socialistas:  Terceira AIT (Moscou: 1918-1935) Nesta Lênin defendeu a criação de Partidos Comunistas nacionais, que pudessem promover a ação revolucionária socialista, pois era contrário à Social – Democracia (que defendia o reformismo).  Como desdobramento foram criados: Criação do PCC (Partido Comunista Chinês); e o do PCB (Partido Comunista Brasileiro). Internacionais socialistas:  Quarta internacional (México: 1938-1953)  Organizada por Trotsky criticava o burocratismo do regime soviético. Trotsky foi vítima de perseguição pelo governo de Stálin. Nacionalismos: a autodeterminaçãodos povos: • Movimentos nacionais expressam a reação a dominação estrangeira; • Forte desenvolvimento industrial em regiões germânicas e italianas; • Arte, música e literatura são usadas como elementos para formação do Estado. Unificação da Itália: • A Unificação Italiana foi conduzida pelo Reino Sardo – Piemontês; • O Império Austríaco dominava boa parte da região, havia um Estado Pontifício e as Duas Sicilias dominado pelos Bourbons da França; • Sociedade Secreta dos Carbonários;
  • 6. • O Resorgimento e o Conde Cavour; • Os Camisas Vermelhas e Garibaldi. Unificação da Alemanha: • A Unificação Alemã foi conduzida pela Prússia; • Otto Von Bismark primeiro-ministro; • A Zollverein; • A Prússia derrota a Áustria na Guerra das Sete Semanas; • Com a vitória na Guerra Franco-Prussiana, nasce o II Reich sob a liderança do Kaiser Guilherme. Considerações Finais:  Ao longo do século XIX, observamos além das disputas entre diversos grupos sociais, como burguesia e proletariado, também ressaltamos que essas disputas foram em muitos momentos influenciadas por diferentes correntes de pensamentos, como o LIBERALISMO e os diferentes SOCIALISMOS.