SlideShare uma empresa Scribd logo
O direito ambiental e sua autonomia atual
O Meio Ambiente como objeto, seus aspectos,
seu conceito e sua natureza jurídica; as fontes e
o conceito de D.A à luz da Teoria Tridimensional;
o Estado de Direito Ambiental, a Ordem Pública
Ambiental e o Estado de Direito Ecológico
O debate acerca da autonomia:
- O conceito de “ramo” do Direito é discutível, pois
implica a existência de setores estanques e um
“paralelismo” entre os ramos do Direito.
- O D.A anteriormente visto como parte de ramos
do Direito (Urbanístico, Administrativo etc.)
- A transversalidade do D.A
- O D.A. não se situa em “paralelo” a outros
“ramos” do Direito... É um direito de
coordenação... Impõe aos demais setores do
universo jurídico o respeito às normas que o
formam, cujo fundamento se encontra na C.F.
(Paulo de Bessa Antunes).
Para efeitos didáticos: os principais “requisitos”
para se reconhecer a autonomia de um ramo
do Direito são o conceito, o objeto, as fontes
e os princípios.
 Art. 225 - Todos têm direito ao meio ambiente
ecologicamente equilibrado, bem de uso comum
do povo e essencial à sadia qualidade de vida,
impondo-se ao Poder Público e à coletividade o
dever de defendê-lo e preservá-lo para as
presentes e futuras gerações.
Ao proclamar o M.A. como “bem de uso comum do
povo”, foi reconhecida a sua natureza de “direito
público subjetivo”... Exigível e exercitável em
face do próprio Estado, que tem (também junto
c/ a coletividade, acrescento) a missão de
protegê-lo (Edis Milaré)
 O bem ambiental não pode ser classificado
como bem público (aqui, no sentido,
dominial; portanto, estatal, acrescento), nem
como bem privado
 Trata-se de uma terceira categoria... Numa
faixa intermediária entre o público e o
privado, denominando-se bem difuso
 Esse bem pertence a todos e a cada um
 Não há como identificar um titular específico
 Seu objeto é insuscetível de divisão (Luis
Paulo Sirvinskas)
 Visualiza-se o ambiente como um macrobem
que, além de bem incorpóreo e imaterial,
configura-se como um bem de uso comum do
povo.
 Isso significa que o proprietário, seja ele
público, seja particular, não poderá dispor da
qualidade do meio ambiente ecologicamente
equilibrado, devido à previsão constitucional,
considerando-o macrobem cuja titularidade
pertence a todos indistintamente.
 Não se deve aceitar a qualificação do bem
ambiental como patrimônio público,
considerando ser o mesmo essencial à sadia
qualidade de vida e, portanto, um bem
pertencente à coletividade; um bem comum
(commons).
 M. A. natural (ou físico): solo, água, ar, flora,
enfim a interação dos seres vivos com o seu
meio.
Art. 3º. Lei 6938/81: o conjunto de
condições, leis, influências e interações de
ordem física, química e biológica, que
permite, abriga e rege a vida em todas as
suas formas (conceito legal)
O direito ambiental e sua autonomia atual
 M. A. artificial: espaço urbano
construído:
 Conjunto de edificações
(espaço urbano fechado) e
e equipamentos públicos
(ruas, praças, parques...espaço
urbano aberto)
O direito ambiental e sua autonomia atual
 M.A. cultural: patrimônio histórico, artístico,
arqueológico, paisagístico, turístico (que têm
valor especial para um determinado povo ou
comunidade)
 Art. 216 (CF) - Constituem patrimônio cultural
brasileiro os bens de natureza material e
imaterial, tomados individualmente ou em
conjunto, portadores de referência à identidade,
à ação, à memória dos diferentes grupos
formadores da sociedade brasileira, nos quais se
incluem:
 V - os conjuntos urbanos e sítios de valor
histórico, paisagístico, artístico, arqueológico,
paleontológico, ecológico e científico.
O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
 M.A. do trabalho – o local onde se desenrola
boa parte da vida do trabalhador, cuja
qualidade de vida está, por isso, em íntima
dependência da qualidade daquele ambiente.
 Art. 200, inciso VIII da C.F.
 Art. 200 - Ao sistema único de saúde
compete, além de outras atribuições, nos
termos da lei:
 VIII - colaborar na proteção do meio
ambiente, nele compreendido o do trabalho.
O direito ambiental e sua autonomia atual
 As viúvas do silêncio: silêncio e dor se
multiplicam nos campos brasileiros:
 http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/
cadernos/regional/silencio-e-dor-se-
multiplicam-nos-campos-brasileiros-
1.269133
 O veneno está na mesa:
https://www.youtube.com/watch?v=V9KJyR9
hxJI
 O veneno está na mesa II:
https://www.youtube.com/watch?v=fyvoKljtv
G4
O Meio ambiente é, assim, a
interação do conjunto de
elementos naturais, artificais e
culturais (e do trabalho,
acrescentaria) que propiciem o
desenvolvimento equilibrado da
vida em todas as suas formas
 Fato (s) (PBA/JATM)
– de maneira geral, a vida humana que
necessita de recursos ambientais, a
superexploração destes, a atual crise
ambiental planetária (que se manifesta pelas
mudanças climáticas, extinção das espécies,
desertificação etc.);
- de maneira específica, os casos de
poluição, desmatamento, degradação etc.
. Valor (ou valoração): Antropocentrismo vs.
Ecocentrismo (ou Ecologia Profunda ou
Biocentrismo)
Ecologia Profunda: não separa os seres humanos
do ambiente natural... Vê o mundo como uma
rede de fenômenos que estão fundamentalmente
interconectados e são interdependentes;
reconhece o valor intrínseco de todos os seres
vivos e concebe os seres humanos apenas como
um fio na teia da vida (Capra, citado por Morato
Leite)
No campo do Direito, traz novas categorias, como
a dos Direitos da Natureza, aí incluidos os
direitos subjetivos de animais, rios e plantas
 Antropocentrismo economicista
(economicocentrismo): reduz o bem ambiental a
valores de ordem econômica, fazendo com que
qualquer consideração ambiental tenha como
“pano de fundo” o proveito econômico pelo ser
humano.
 Antropocentrismo alargado: centra a preservação
ambiental na garantia da dignidade do próprio
ser humano, renegando uma estrita visão
econômica do ambiente..., que é visto como
elementar à vida humana digna.
 SER HUMANO = parte consciente da NATUREZA (a
natureza com a consciência de si mesma)
“Humanismo não antropocêntrico” (Carlos Walter
Porto-Gonçalves)
 Valor autônomo do meio ambiente:
 A CF adotou o antropocentrismo alargado,
porque considerou o ambiente como bem de
uso comum do povo, fornecendo-lhe o
caráter de macrobem.
 Nessa concepção, o ambiente passa a ter um
valor intrínseco. Se todos são titulares e
necessitam do bem ambiental para sua
dignidade, o ambiente ... passa a ser
encarado como bem de valor intrínseco...
sendo necessário para a qualidade da vida
humana.
 Ética global ou planetária (que
se contrapõe à ética
predatória): “age de tal
maneira que tuas ações não
sejam destrutivas da Casa
Comum, a Terra, e de tudo
que nela vive e coexiste
conosco” (Leornado Boff)
 Norma: instrumento que regula a relação
da(s) sociedade(s) humana(s) com o meio
ambiente, em seus aspectos natural, artificial,
cultural e do trabalho, de forma sustentável,
a partir de uma ética planetária e de
solidariedade com as atuais e futuras
gerações (J.A.T.M).
 Conceito:
O Direito Ambiental é a norma que, baseada
no(s) fato(s) ambiental(is), estabelece os
mecanismos normativos capazes de
disciplinar as atividades humanas em relação
ao M.A. (Paulo de Bessa Antunes)
 Uma utopia, dada as profundas
desigualdades sociais e a degradação
ambiental em escala planetária?
 Utopia democrática: pressupõe a
repolitização da realidade e o exercício
radical da cidadania (ampliando até os
direitos humanos da natureza).
 E.D.A.: forma de Estado que propõe a aplicar
o princípio da solidariedade econômica e
social para alcançar um desenvolvimento
sustentável, orientado a buscar a igualdade
substancial entre os cidadãos, mediante o
controle jurídico do uso racional do M.A.
 FUNÇÕES FUNDAMENTAIS DA DISCUSSÃO DO
E.D.A.:
 1. Moldar formas mais adequadas para a
gestão dos riscos e evitar a
irresponsabilidade organizada;
 2. Juridicizar instrumentos preventivos e
precautórios;
 3. Trazer a noção, ao campo do D.A., de
direito integrado;
 4. Buscar a formação da consciência
ambiental;
 5. Propiciar mais compreensão do objeto
estudado.
 A CF 88 instituiu uma verdadeira ordem pública
ambiental, que conduz o Estado de Direito Social
e o modelo político-econômico que adota a
assumirem a forma de Estado de Direito
Ambiental.
 Ordem – porque se atribui organicidade,
coerência interna, coercitividade externa e
direção finalística; porque integra determinações
negativas (de não fazer) e imposições positivas
(de fazer).
 Pública – porque instituída em favor de todos e
contra todos, não sendo ditada nem pelo
mercado ou pela autonomia de vontade
individual (ordem privada).
 Ambiental – não está mais exclusivamente
conectada aos elementos pulverizados da
natureza (florestas, fauna, águas), mas
dotada de enfoque holístico e autônomo, em
que os fragmentos são apreciados e
salvaguardados a partir do todo.
 Reversão do princípio civilístico e
administrativo tradicional.
 A orientação é no sentido de que, na
hipótese de exegese constitucional duvidosa
(...) buscar-se-á a referência ao dever
genérico de defesa e preservação do M.A e
aos princípios da primariedade do M.A, da
função ecológica da propriedade e da
explorabilidade limitada da propriedade.
 Ordem privada que se submete a uma ordem
pública hierarquicamente superior.
 Significa colocar o público-ambiental não como
limite externo ao privado-ambiental, mas como
pressuposto norteador da própria estrutura,
legitimidade e funcionamento da exploração dos
recursos naturais.
 O ponto focal do D.A. e da ordem pública
ambiental não é o amparo à propriedade
individual, mas a proteção do M.A. para todos, os
de hoje (gerações presentes) e os de amanhã
(gerações futuras).
 Sistema integrado e multifacetado:
democratização do domínio ambiental (bem de
uso comum) + coletivização da representação do
M.A., na fórmula um por todos (ação popular) ou
dos vários por todos (ação civil pública).
 http://bdjur.stj.jus.br/jspui/handle/2011/40520
 O Direito Ambiental na era do Antropoceno
 Fatos e consequências jurídicas do Antropoceno:
 1. A humanidade está mudando profundamente a
Terra;
 2. Muitas dessas mudanças terão efeitos
negativos;
 3. Já compreendemos porque e como ocorrem
essas alterações;
 4. Temos o dever de evitar futuras mudanças
negativas e de promover alterações institucionais
e jurídicas necessárias à inversão das tendências
 O Estado de Direito Ecológico (ou Estado
Ecológico de Direito) pauta-se por um
conjunto de normas, princípios e estratégias
jurídicas necessárias para garantir a
preservação de um conjunto de condições de
funcionamento do sistema terrestre que
tornam o Planeta um espaço seguro para o
Homem e o restante dos seres vivos.
 Palavras-chave: Antropoceno. Espaço
operacional seguro. Limites do Planeta
 Visão planetária: o sistema terrestre com
objeto de proteção e patrimônio mundial
(cultural e natural) da humanidade
 O papel do Direito no Antropoceno
 O Direito não é apenas um mecanismo para
resolução dos conflitos, mas, também, um
poderoso indutor de mudanças sociais.
 Avaliação dos critérios de equidade, a partir dos
limites planetários. Nesse sentido a Justiça
(Ecológica) comportaria as seguintes dimensões:
 1. Justiça entre as nações; 2. Justiça entre os
cidadãos; 3. Justiça entre gerações; 4. Justiça entre
as espécies.
 Todos os seres jurídicos no Estado Ecológico de
Direito têm uma obrigação genérica de contribuir
para alcançar um resultado: a manutenção do
sistema terrestre num estado mais próximo das
condições do Holoceno, o único espaço operacional
seguro da humanidade.
- FONTES MATERIAIS:
A ciência, especialmente, as ciências naturais
(descobertas científicas)
Os movimentos sociais e ecológicos
A Doutrina
- FONTES FORMAIS:
A Constituição Federal, as leis, os atos
internacionais, as normas administrativas
(decretos, portarias e resoluções dos órgãos
colegiados, do
CONAMA(http://www.mma.gov.br/port/conama/
), em especial, e a Jurisprudência.
Vídeo: 3 seconds:
https://www.facebook.com/pg/OQueVoceFaria
SeSoubesse/videos/?ref=page_internal
João Alfredo Telles Melo
Professor de Direito Ambiental
Centro Universitário 7 de setembro
O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Programa direito ambiental - uni7 2017
Programa   direito ambiental - uni7 2017Programa   direito ambiental - uni7 2017
Programa direito ambiental - uni7 2017
João Alfredo Telles Melo
 
Os princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atualOs princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atual
João Alfredo Telles Melo
 
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental   aula - movimento ambientalista - atualDireito ambiental   aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
João Alfredo Telles Melo
 
Os princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atualOs princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atual
João Alfredo Telles Melo
 
O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
João Alfredo Telles Melo
 
Os princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atualOs princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atual
João Alfredo Telles Melo
 
Programa direito ambiental - uni7 2017
Programa   direito ambiental - uni7 2017Programa   direito ambiental - uni7 2017
Programa direito ambiental - uni7 2017
João Alfredo Telles Melo
 
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental   aula - movimento ambientalista - atualDireito ambiental   aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
João Alfredo Telles Melo
 
O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
João Alfredo Telles Melo
 
Aula código florestal atual
Aula código florestal atualAula código florestal atual
Aula código florestal atual
João Alfredo Telles Melo
 
Os princípios de direito ambiental
Os princípios de direito ambientalOs princípios de direito ambiental
Os princípios de direito ambiental
João Alfredo Telles Melo
 
PRINCÍPIOS DO DIREITO AMBIENTAL
PRINCÍPIOS DO DIREITO AMBIENTALPRINCÍPIOS DO DIREITO AMBIENTAL
PRINCÍPIOS DO DIREITO AMBIENTAL
brigidoh
 
Direito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostila
Direito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostilaDireito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostila
Direito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostila
Parentoni Santos Nascimento Advocacia Ambiental
 
Direito ambiental _aula_1__slides
Direito ambiental _aula_1__slidesDireito ambiental _aula_1__slides
Direito ambiental _aula_1__slides
Luis Olavo
 
Resumo do texto princípios direito ambiental marina
Resumo do texto princípios direito ambiental marinaResumo do texto princípios direito ambiental marina
Resumo do texto princípios direito ambiental marina
Marina Lopes
 
Direito Ambiental aula 1
Direito Ambiental aula 1Direito Ambiental aula 1
Direito Ambiental aula 1
Jordano Santos Cerqueira
 
Lei 9985 2000 - snuc
Lei 9985   2000 - snucLei 9985   2000 - snuc
Lei 9985 2000 - snuc
João Alfredo Telles Melo
 
Direito ambiental
Direito ambiental Direito ambiental
Direito ambiental
GAVOLUNTARIA
 
Direito ambiental
Direito ambientalDireito ambiental
Direito ambiental
Eliane Damião Alves
 
Direito ambiental _aula_3
Direito ambiental _aula_3Direito ambiental _aula_3
Direito ambiental _aula_3
Luis Olavo
 

Mais procurados (20)

Programa direito ambiental - uni7 2017
Programa   direito ambiental - uni7 2017Programa   direito ambiental - uni7 2017
Programa direito ambiental - uni7 2017
 
Os princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atualOs princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atual
 
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental   aula - movimento ambientalista - atualDireito ambiental   aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
 
Os princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atualOs princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atual
 
O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
 
Os princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atualOs princípios de direito ambiental atual
Os princípios de direito ambiental atual
 
Programa direito ambiental - uni7 2017
Programa   direito ambiental - uni7 2017Programa   direito ambiental - uni7 2017
Programa direito ambiental - uni7 2017
 
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental   aula - movimento ambientalista - atualDireito ambiental   aula - movimento ambientalista - atual
Direito ambiental aula - movimento ambientalista - atual
 
O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
 
Aula código florestal atual
Aula código florestal atualAula código florestal atual
Aula código florestal atual
 
Os princípios de direito ambiental
Os princípios de direito ambientalOs princípios de direito ambiental
Os princípios de direito ambiental
 
PRINCÍPIOS DO DIREITO AMBIENTAL
PRINCÍPIOS DO DIREITO AMBIENTALPRINCÍPIOS DO DIREITO AMBIENTAL
PRINCÍPIOS DO DIREITO AMBIENTAL
 
Direito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostila
Direito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostilaDireito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostila
Direito ambiental legislacao_principios_curso_resumo_apostila
 
Direito ambiental _aula_1__slides
Direito ambiental _aula_1__slidesDireito ambiental _aula_1__slides
Direito ambiental _aula_1__slides
 
Resumo do texto princípios direito ambiental marina
Resumo do texto princípios direito ambiental marinaResumo do texto princípios direito ambiental marina
Resumo do texto princípios direito ambiental marina
 
Direito Ambiental aula 1
Direito Ambiental aula 1Direito Ambiental aula 1
Direito Ambiental aula 1
 
Lei 9985 2000 - snuc
Lei 9985   2000 - snucLei 9985   2000 - snuc
Lei 9985 2000 - snuc
 
Direito ambiental
Direito ambiental Direito ambiental
Direito ambiental
 
Direito ambiental
Direito ambientalDireito ambiental
Direito ambiental
 
Direito ambiental _aula_3
Direito ambiental _aula_3Direito ambiental _aula_3
Direito ambiental _aula_3
 

Semelhante a O direito ambiental e sua autonomia atual

O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
João Alfredo Telles Melo
 
O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
João Alfredo Telles Melo
 
INTRODUÇÃO Ambiente.docx
INTRODUÇÃO  Ambiente.docxINTRODUÇÃO  Ambiente.docx
INTRODUÇÃO Ambiente.docx
EstanislaudeaguilarN
 
Apostila i dir_amb__historia_e_nocoes_introdutorias
Apostila i dir_amb__historia_e_nocoes_introdutoriasApostila i dir_amb__historia_e_nocoes_introdutorias
Apostila i dir_amb__historia_e_nocoes_introdutorias
Neimar Albuquerque
 
Aula 01 - Introdução ao Direito Ambiental (parte 02).pptx
Aula 01 - Introdução ao Direito Ambiental (parte 02).pptxAula 01 - Introdução ao Direito Ambiental (parte 02).pptx
Aula 01 - Introdução ao Direito Ambiental (parte 02).pptx
PabloCavalcanteCosta1
 
Artigo patrimonio cultural_e_meio_ambiente_setembro2006
Artigo patrimonio cultural_e_meio_ambiente_setembro2006Artigo patrimonio cultural_e_meio_ambiente_setembro2006
Artigo patrimonio cultural_e_meio_ambiente_setembro2006
Nilson da Rocha
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
marcoleitedeoliveira
 
Aula 01.ppt
Aula 01.pptAula 01.ppt
Aula 01.ppt
Ícaro Argolo
 
Direito ambiental dr. fabrício - esquema
Direito ambiental   dr. fabrício - esquemaDireito ambiental   dr. fabrício - esquema
Direito ambiental dr. fabrício - esquema
João Paulo Costa Melo
 
Aula 02 politica ambiental
Aula 02  politica ambientalAula 02  politica ambiental
Aula 02 politica ambiental
Sara Ceron Hentges
 
Caderno de direito ambiental nacional e internacional marina
Caderno de direito ambiental nacional e internacional marinaCaderno de direito ambiental nacional e internacional marina
Caderno de direito ambiental nacional e internacional marina
Marina Lopes
 
Tac monografia roberto h
Tac monografia roberto hTac monografia roberto h
Tac monografia roberto h
grazi87
 
Caderno de direito ambiental nacional e internacional Marina lopes
Caderno de direito ambiental nacional e internacional Marina lopesCaderno de direito ambiental nacional e internacional Marina lopes
Caderno de direito ambiental nacional e internacional Marina lopes
Marina Lopes
 
O direito e a preservação do patrimônio cultural brasileiro a proteção dos be...
O direito e a preservação do patrimônio cultural brasileiro a proteção dos be...O direito e a preservação do patrimônio cultural brasileiro a proteção dos be...
O direito e a preservação do patrimônio cultural brasileiro a proteção dos be...
Aline Sesti Cerutti
 
Apresentação do eixo ea na eape 2014
Apresentação do eixo ea na eape 2014Apresentação do eixo ea na eape 2014
Apresentação do eixo ea na eape 2014
Cristiano Lucas Ferreira
 
A Proteção Ambiental do Municipio
A Proteção Ambiental do MunicipioA Proteção Ambiental do Municipio
A Proteção Ambiental do Municipio
Ministério Público de Santa Catarina
 
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e SecuritáriaAula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Direitoedemocraciajulio
DireitoedemocraciajulioDireitoedemocraciajulio
Direitoedemocraciajulio
Julio Rocha
 
Serie textos agua_e_ambiente_web
Serie textos agua_e_ambiente_webSerie textos agua_e_ambiente_web
Serie textos agua_e_ambiente_web
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Faculdade de Direito
 
SLIDE- Direitos Humanos X Direito Ambiental..pptx
SLIDE- Direitos Humanos X Direito Ambiental..pptxSLIDE- Direitos Humanos X Direito Ambiental..pptx
SLIDE- Direitos Humanos X Direito Ambiental..pptx
JulianePatrcia1
 

Semelhante a O direito ambiental e sua autonomia atual (20)

O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
 
O direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atualO direito ambiental e sua autonomia atual
O direito ambiental e sua autonomia atual
 
INTRODUÇÃO Ambiente.docx
INTRODUÇÃO  Ambiente.docxINTRODUÇÃO  Ambiente.docx
INTRODUÇÃO Ambiente.docx
 
Apostila i dir_amb__historia_e_nocoes_introdutorias
Apostila i dir_amb__historia_e_nocoes_introdutoriasApostila i dir_amb__historia_e_nocoes_introdutorias
Apostila i dir_amb__historia_e_nocoes_introdutorias
 
Aula 01 - Introdução ao Direito Ambiental (parte 02).pptx
Aula 01 - Introdução ao Direito Ambiental (parte 02).pptxAula 01 - Introdução ao Direito Ambiental (parte 02).pptx
Aula 01 - Introdução ao Direito Ambiental (parte 02).pptx
 
Artigo patrimonio cultural_e_meio_ambiente_setembro2006
Artigo patrimonio cultural_e_meio_ambiente_setembro2006Artigo patrimonio cultural_e_meio_ambiente_setembro2006
Artigo patrimonio cultural_e_meio_ambiente_setembro2006
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
Aula 01.ppt
Aula 01.pptAula 01.ppt
Aula 01.ppt
 
Direito ambiental dr. fabrício - esquema
Direito ambiental   dr. fabrício - esquemaDireito ambiental   dr. fabrício - esquema
Direito ambiental dr. fabrício - esquema
 
Aula 02 politica ambiental
Aula 02  politica ambientalAula 02  politica ambiental
Aula 02 politica ambiental
 
Caderno de direito ambiental nacional e internacional marina
Caderno de direito ambiental nacional e internacional marinaCaderno de direito ambiental nacional e internacional marina
Caderno de direito ambiental nacional e internacional marina
 
Tac monografia roberto h
Tac monografia roberto hTac monografia roberto h
Tac monografia roberto h
 
Caderno de direito ambiental nacional e internacional Marina lopes
Caderno de direito ambiental nacional e internacional Marina lopesCaderno de direito ambiental nacional e internacional Marina lopes
Caderno de direito ambiental nacional e internacional Marina lopes
 
O direito e a preservação do patrimônio cultural brasileiro a proteção dos be...
O direito e a preservação do patrimônio cultural brasileiro a proteção dos be...O direito e a preservação do patrimônio cultural brasileiro a proteção dos be...
O direito e a preservação do patrimônio cultural brasileiro a proteção dos be...
 
Apresentação do eixo ea na eape 2014
Apresentação do eixo ea na eape 2014Apresentação do eixo ea na eape 2014
Apresentação do eixo ea na eape 2014
 
A Proteção Ambiental do Municipio
A Proteção Ambiental do MunicipioA Proteção Ambiental do Municipio
A Proteção Ambiental do Municipio
 
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e SecuritáriaAula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
 
Direitoedemocraciajulio
DireitoedemocraciajulioDireitoedemocraciajulio
Direitoedemocraciajulio
 
Serie textos agua_e_ambiente_web
Serie textos agua_e_ambiente_webSerie textos agua_e_ambiente_web
Serie textos agua_e_ambiente_web
 
SLIDE- Direitos Humanos X Direito Ambiental..pptx
SLIDE- Direitos Humanos X Direito Ambiental..pptxSLIDE- Direitos Humanos X Direito Ambiental..pptx
SLIDE- Direitos Humanos X Direito Ambiental..pptx
 

Mais de João Alfredo Telles Melo

Aula a crise socioambiental planetária
Aula a crise socioambiental planetáriaAula a crise socioambiental planetária
Aula a crise socioambiental planetária
João Alfredo Telles Melo
 
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
Aula   a crise socioambiental planetária (atual)Aula   a crise socioambiental planetária (atual)
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
João Alfredo Telles Melo
 
Aula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atualAula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atual
João Alfredo Telles Melo
 
Aula ação civil pública atual
Aula ação civil pública atualAula ação civil pública atual
Aula ação civil pública atual
João Alfredo Telles Melo
 
Licenciamento ambiental atual
Licenciamento ambiental atualLicenciamento ambiental atual
Licenciamento ambiental atual
João Alfredo Telles Melo
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
João Alfredo Telles Melo
 
Competência em matéria ambiental
Competência em matéria ambientalCompetência em matéria ambiental
Competência em matéria ambiental
João Alfredo Telles Melo
 
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
Aula   a crise socioambiental planetária (atual)Aula   a crise socioambiental planetária (atual)
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
João Alfredo Telles Melo
 
Programa direito ambiental - fa7 2016
Programa   direito ambiental - fa7 2016Programa   direito ambiental - fa7 2016
Programa direito ambiental - fa7 2016
João Alfredo Telles Melo
 
Aula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atualAula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atual
João Alfredo Telles Melo
 
Aula ação civil pública atual
Aula ação civil pública atualAula ação civil pública atual
Aula ação civil pública atual
João Alfredo Telles Melo
 
ARIE do Cerrado
ARIE do CerradoARIE do Cerrado
ARIE do Cerrado
João Alfredo Telles Melo
 
Lei 9985 2000 - snuc
Lei 9985   2000 - snucLei 9985   2000 - snuc
Lei 9985 2000 - snuc
João Alfredo Telles Melo
 
Aula código florestal atual
Aula código florestal atualAula código florestal atual
Aula código florestal atual
João Alfredo Telles Melo
 
Avaliação de impactos ambientais atual
Avaliação de impactos ambientais atualAvaliação de impactos ambientais atual
Avaliação de impactos ambientais atual
João Alfredo Telles Melo
 
Licenciamento ambiental atual
Licenciamento ambiental atualLicenciamento ambiental atual
Licenciamento ambiental atual
João Alfredo Telles Melo
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
João Alfredo Telles Melo
 
Competência em matéria ambiental
Competência em matéria ambientalCompetência em matéria ambiental
Competência em matéria ambiental
João Alfredo Telles Melo
 

Mais de João Alfredo Telles Melo (18)

Aula a crise socioambiental planetária
Aula a crise socioambiental planetáriaAula a crise socioambiental planetária
Aula a crise socioambiental planetária
 
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
Aula   a crise socioambiental planetária (atual)Aula   a crise socioambiental planetária (atual)
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
 
Aula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atualAula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atual
 
Aula ação civil pública atual
Aula ação civil pública atualAula ação civil pública atual
Aula ação civil pública atual
 
Licenciamento ambiental atual
Licenciamento ambiental atualLicenciamento ambiental atual
Licenciamento ambiental atual
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
 
Competência em matéria ambiental
Competência em matéria ambientalCompetência em matéria ambiental
Competência em matéria ambiental
 
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
Aula   a crise socioambiental planetária (atual)Aula   a crise socioambiental planetária (atual)
Aula a crise socioambiental planetária (atual)
 
Programa direito ambiental - fa7 2016
Programa   direito ambiental - fa7 2016Programa   direito ambiental - fa7 2016
Programa direito ambiental - fa7 2016
 
Aula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atualAula lei de crimes ambientais atual
Aula lei de crimes ambientais atual
 
Aula ação civil pública atual
Aula ação civil pública atualAula ação civil pública atual
Aula ação civil pública atual
 
ARIE do Cerrado
ARIE do CerradoARIE do Cerrado
ARIE do Cerrado
 
Lei 9985 2000 - snuc
Lei 9985   2000 - snucLei 9985   2000 - snuc
Lei 9985 2000 - snuc
 
Aula código florestal atual
Aula código florestal atualAula código florestal atual
Aula código florestal atual
 
Avaliação de impactos ambientais atual
Avaliação de impactos ambientais atualAvaliação de impactos ambientais atual
Avaliação de impactos ambientais atual
 
Licenciamento ambiental atual
Licenciamento ambiental atualLicenciamento ambiental atual
Licenciamento ambiental atual
 
Aula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnamaAula lei pnma e sisnama
Aula lei pnma e sisnama
 
Competência em matéria ambiental
Competência em matéria ambientalCompetência em matéria ambiental
Competência em matéria ambiental
 

O direito ambiental e sua autonomia atual

  • 2. O Meio Ambiente como objeto, seus aspectos, seu conceito e sua natureza jurídica; as fontes e o conceito de D.A à luz da Teoria Tridimensional; o Estado de Direito Ambiental, a Ordem Pública Ambiental e o Estado de Direito Ecológico
  • 3. O debate acerca da autonomia: - O conceito de “ramo” do Direito é discutível, pois implica a existência de setores estanques e um “paralelismo” entre os ramos do Direito. - O D.A anteriormente visto como parte de ramos do Direito (Urbanístico, Administrativo etc.) - A transversalidade do D.A
  • 4. - O D.A. não se situa em “paralelo” a outros “ramos” do Direito... É um direito de coordenação... Impõe aos demais setores do universo jurídico o respeito às normas que o formam, cujo fundamento se encontra na C.F. (Paulo de Bessa Antunes). Para efeitos didáticos: os principais “requisitos” para se reconhecer a autonomia de um ramo do Direito são o conceito, o objeto, as fontes e os princípios.
  • 5.  Art. 225 - Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações. Ao proclamar o M.A. como “bem de uso comum do povo”, foi reconhecida a sua natureza de “direito público subjetivo”... Exigível e exercitável em face do próprio Estado, que tem (também junto c/ a coletividade, acrescento) a missão de protegê-lo (Edis Milaré)
  • 6.  O bem ambiental não pode ser classificado como bem público (aqui, no sentido, dominial; portanto, estatal, acrescento), nem como bem privado  Trata-se de uma terceira categoria... Numa faixa intermediária entre o público e o privado, denominando-se bem difuso  Esse bem pertence a todos e a cada um  Não há como identificar um titular específico  Seu objeto é insuscetível de divisão (Luis Paulo Sirvinskas)
  • 7.  Visualiza-se o ambiente como um macrobem que, além de bem incorpóreo e imaterial, configura-se como um bem de uso comum do povo.  Isso significa que o proprietário, seja ele público, seja particular, não poderá dispor da qualidade do meio ambiente ecologicamente equilibrado, devido à previsão constitucional, considerando-o macrobem cuja titularidade pertence a todos indistintamente.  Não se deve aceitar a qualificação do bem ambiental como patrimônio público, considerando ser o mesmo essencial à sadia qualidade de vida e, portanto, um bem pertencente à coletividade; um bem comum (commons).
  • 8.  M. A. natural (ou físico): solo, água, ar, flora, enfim a interação dos seres vivos com o seu meio. Art. 3º. Lei 6938/81: o conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas (conceito legal)
  • 10.  M. A. artificial: espaço urbano construído:  Conjunto de edificações (espaço urbano fechado) e e equipamentos públicos (ruas, praças, parques...espaço urbano aberto)
  • 12.  M.A. cultural: patrimônio histórico, artístico, arqueológico, paisagístico, turístico (que têm valor especial para um determinado povo ou comunidade)  Art. 216 (CF) - Constituem patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza material e imaterial, tomados individualmente ou em conjunto, portadores de referência à identidade, à ação, à memória dos diferentes grupos formadores da sociedade brasileira, nos quais se incluem:  V - os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico.
  • 15.  M.A. do trabalho – o local onde se desenrola boa parte da vida do trabalhador, cuja qualidade de vida está, por isso, em íntima dependência da qualidade daquele ambiente.  Art. 200, inciso VIII da C.F.  Art. 200 - Ao sistema único de saúde compete, além de outras atribuições, nos termos da lei:  VIII - colaborar na proteção do meio ambiente, nele compreendido o do trabalho.
  • 17.  As viúvas do silêncio: silêncio e dor se multiplicam nos campos brasileiros:  http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/ cadernos/regional/silencio-e-dor-se- multiplicam-nos-campos-brasileiros- 1.269133  O veneno está na mesa: https://www.youtube.com/watch?v=V9KJyR9 hxJI  O veneno está na mesa II: https://www.youtube.com/watch?v=fyvoKljtv G4
  • 18. O Meio ambiente é, assim, a interação do conjunto de elementos naturais, artificais e culturais (e do trabalho, acrescentaria) que propiciem o desenvolvimento equilibrado da vida em todas as suas formas
  • 19.  Fato (s) (PBA/JATM) – de maneira geral, a vida humana que necessita de recursos ambientais, a superexploração destes, a atual crise ambiental planetária (que se manifesta pelas mudanças climáticas, extinção das espécies, desertificação etc.); - de maneira específica, os casos de poluição, desmatamento, degradação etc.
  • 20. . Valor (ou valoração): Antropocentrismo vs. Ecocentrismo (ou Ecologia Profunda ou Biocentrismo) Ecologia Profunda: não separa os seres humanos do ambiente natural... Vê o mundo como uma rede de fenômenos que estão fundamentalmente interconectados e são interdependentes; reconhece o valor intrínseco de todos os seres vivos e concebe os seres humanos apenas como um fio na teia da vida (Capra, citado por Morato Leite) No campo do Direito, traz novas categorias, como a dos Direitos da Natureza, aí incluidos os direitos subjetivos de animais, rios e plantas
  • 21.  Antropocentrismo economicista (economicocentrismo): reduz o bem ambiental a valores de ordem econômica, fazendo com que qualquer consideração ambiental tenha como “pano de fundo” o proveito econômico pelo ser humano.  Antropocentrismo alargado: centra a preservação ambiental na garantia da dignidade do próprio ser humano, renegando uma estrita visão econômica do ambiente..., que é visto como elementar à vida humana digna.  SER HUMANO = parte consciente da NATUREZA (a natureza com a consciência de si mesma) “Humanismo não antropocêntrico” (Carlos Walter Porto-Gonçalves)
  • 22.  Valor autônomo do meio ambiente:  A CF adotou o antropocentrismo alargado, porque considerou o ambiente como bem de uso comum do povo, fornecendo-lhe o caráter de macrobem.  Nessa concepção, o ambiente passa a ter um valor intrínseco. Se todos são titulares e necessitam do bem ambiental para sua dignidade, o ambiente ... passa a ser encarado como bem de valor intrínseco... sendo necessário para a qualidade da vida humana.
  • 23.  Ética global ou planetária (que se contrapõe à ética predatória): “age de tal maneira que tuas ações não sejam destrutivas da Casa Comum, a Terra, e de tudo que nela vive e coexiste conosco” (Leornado Boff)
  • 24.  Norma: instrumento que regula a relação da(s) sociedade(s) humana(s) com o meio ambiente, em seus aspectos natural, artificial, cultural e do trabalho, de forma sustentável, a partir de uma ética planetária e de solidariedade com as atuais e futuras gerações (J.A.T.M).  Conceito: O Direito Ambiental é a norma que, baseada no(s) fato(s) ambiental(is), estabelece os mecanismos normativos capazes de disciplinar as atividades humanas em relação ao M.A. (Paulo de Bessa Antunes)
  • 25.  Uma utopia, dada as profundas desigualdades sociais e a degradação ambiental em escala planetária?  Utopia democrática: pressupõe a repolitização da realidade e o exercício radical da cidadania (ampliando até os direitos humanos da natureza).  E.D.A.: forma de Estado que propõe a aplicar o princípio da solidariedade econômica e social para alcançar um desenvolvimento sustentável, orientado a buscar a igualdade substancial entre os cidadãos, mediante o controle jurídico do uso racional do M.A.
  • 26.  FUNÇÕES FUNDAMENTAIS DA DISCUSSÃO DO E.D.A.:  1. Moldar formas mais adequadas para a gestão dos riscos e evitar a irresponsabilidade organizada;  2. Juridicizar instrumentos preventivos e precautórios;  3. Trazer a noção, ao campo do D.A., de direito integrado;  4. Buscar a formação da consciência ambiental;  5. Propiciar mais compreensão do objeto estudado.
  • 27.  A CF 88 instituiu uma verdadeira ordem pública ambiental, que conduz o Estado de Direito Social e o modelo político-econômico que adota a assumirem a forma de Estado de Direito Ambiental.  Ordem – porque se atribui organicidade, coerência interna, coercitividade externa e direção finalística; porque integra determinações negativas (de não fazer) e imposições positivas (de fazer).  Pública – porque instituída em favor de todos e contra todos, não sendo ditada nem pelo mercado ou pela autonomia de vontade individual (ordem privada).
  • 28.  Ambiental – não está mais exclusivamente conectada aos elementos pulverizados da natureza (florestas, fauna, águas), mas dotada de enfoque holístico e autônomo, em que os fragmentos são apreciados e salvaguardados a partir do todo.  Reversão do princípio civilístico e administrativo tradicional.  A orientação é no sentido de que, na hipótese de exegese constitucional duvidosa (...) buscar-se-á a referência ao dever genérico de defesa e preservação do M.A e aos princípios da primariedade do M.A, da função ecológica da propriedade e da explorabilidade limitada da propriedade.
  • 29.  Ordem privada que se submete a uma ordem pública hierarquicamente superior.  Significa colocar o público-ambiental não como limite externo ao privado-ambiental, mas como pressuposto norteador da própria estrutura, legitimidade e funcionamento da exploração dos recursos naturais.  O ponto focal do D.A. e da ordem pública ambiental não é o amparo à propriedade individual, mas a proteção do M.A. para todos, os de hoje (gerações presentes) e os de amanhã (gerações futuras).  Sistema integrado e multifacetado: democratização do domínio ambiental (bem de uso comum) + coletivização da representação do M.A., na fórmula um por todos (ação popular) ou dos vários por todos (ação civil pública).  http://bdjur.stj.jus.br/jspui/handle/2011/40520
  • 30.  O Direito Ambiental na era do Antropoceno  Fatos e consequências jurídicas do Antropoceno:  1. A humanidade está mudando profundamente a Terra;  2. Muitas dessas mudanças terão efeitos negativos;  3. Já compreendemos porque e como ocorrem essas alterações;  4. Temos o dever de evitar futuras mudanças negativas e de promover alterações institucionais e jurídicas necessárias à inversão das tendências
  • 31.  O Estado de Direito Ecológico (ou Estado Ecológico de Direito) pauta-se por um conjunto de normas, princípios e estratégias jurídicas necessárias para garantir a preservação de um conjunto de condições de funcionamento do sistema terrestre que tornam o Planeta um espaço seguro para o Homem e o restante dos seres vivos.  Palavras-chave: Antropoceno. Espaço operacional seguro. Limites do Planeta  Visão planetária: o sistema terrestre com objeto de proteção e patrimônio mundial (cultural e natural) da humanidade
  • 32.  O papel do Direito no Antropoceno  O Direito não é apenas um mecanismo para resolução dos conflitos, mas, também, um poderoso indutor de mudanças sociais.  Avaliação dos critérios de equidade, a partir dos limites planetários. Nesse sentido a Justiça (Ecológica) comportaria as seguintes dimensões:  1. Justiça entre as nações; 2. Justiça entre os cidadãos; 3. Justiça entre gerações; 4. Justiça entre as espécies.  Todos os seres jurídicos no Estado Ecológico de Direito têm uma obrigação genérica de contribuir para alcançar um resultado: a manutenção do sistema terrestre num estado mais próximo das condições do Holoceno, o único espaço operacional seguro da humanidade.
  • 33. - FONTES MATERIAIS: A ciência, especialmente, as ciências naturais (descobertas científicas) Os movimentos sociais e ecológicos A Doutrina - FONTES FORMAIS: A Constituição Federal, as leis, os atos internacionais, as normas administrativas (decretos, portarias e resoluções dos órgãos colegiados, do CONAMA(http://www.mma.gov.br/port/conama/ ), em especial, e a Jurisprudência.
  • 34. Vídeo: 3 seconds: https://www.facebook.com/pg/OQueVoceFaria SeSoubesse/videos/?ref=page_internal João Alfredo Telles Melo Professor de Direito Ambiental Centro Universitário 7 de setembro