SlideShare uma empresa Scribd logo
O CUIDADO AO FALAR
E A RELIGIÃO
PURA
3º Trimestre de 2014
Lição 5
Pr. Moisés Sampaio de Paula
TEXTO ÁUREO
Pr.MoisésSampaiodePaula
2
"[...] Mas todo o homem seja pronto
para ouvir, tardio para falar, tardio
para se irar"
(Tg 1.19).
VERDADE PRÁTICA
Pr.MoisésSampaiodePaula
3
As nossas palavras podem, ou
não, evidenciar a sabedoria de
Deus.
Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
• Aprender sobre estar "pronto para ouvir" e
"tardio para falar".
• Compreender a importância de ser
praticante, e não só ouvinte.
• Saber qual é a religião pura e verdadeira.
OBJETIVOS
Pr.MoisésSampaiodePaula
4
Uma pergunta
O que é religião?
Pr.MoisésSampaiodePaula
5
Palavra chave
Pr.MoisésSampaiodePaula
6
I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg
1.19,20)
1. Pronto para ouvir.
2. Tardio para falar.
3. Controle a sua ira.
II. PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA
(Tg 1.21-25)
1. Enxertai-vos da Palavra (21).
2. Praticai a Palavra (22-24).
3. Persevere ouvindo e agindo (v.25).
III. A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27)
1. A falsa religiosidade.
2. A verdadeira religião (v.27).
3. Guardando-se da corrupção (v.27).
Esboço da Lição
Pr.MoisésSampaiodePaula
7
INTRODUÇÃO
• Na lição dessa semana vamos
estudar a maneira adequada de
o crente usar um instrumento
maravilhoso, mas ao mesmo
tempo, potencialmente perigoso:
a fala.
• Este assunto está interligado à
temática da verdadeira religião
que agrada a Deus.
Pr.MoisésSampaiodePaula
8
INTRODUÇÃO
• O fenômeno da fala é uma das
fontes de expressão do
pensamento humano, como
também é responsável pelo
processo de comunicação e de
formação da identidade cultural
de uma sociedade. As pessoas
querem falar às outras àquilo
que pensam. O crente, todavia,
tem o compromisso de não
apenas falar o que pensa, mas
agir como propõe o Evangelho.
Pr.MoisésSampaiodePaula
9
Pense nisso!
Ouvir não é uma atitude fácil.
Demanda tempo, paciência,
perseverança e concentração.
O ato de ouvir é uma obra
doadora. Quem ouve uma
pessoa, doa o seu tempo e a
sua atenção. A princípio, quem
ouve pode aparentar uma
atitude passiva, mas na
verdade esta pessoa realiza
uma intensa atividade de
pensar e de raciocinar.
Pr.MoisésSampaiodePaula
10
I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO
PARA FALAR (Tg 1.19,20)
• 1. Pronto para ouvir.
• 2. Tardio para falar.
• 3. Controle a sua ira.
Pr.MoisésSampaiodePaula
11
I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO
PARA FALAR (Tg 1.19,20)
• Para alguns crentes, a
pessoa sábia é a que
sempre tem algo a falar.
• Ouvir é um
empreendimento
trabalhoso e, por isso,
ignorado por muitos.
Pr.MoisésSampaiodePaula
12
1. Pronto para ouvir.
I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO
PARA FALAR (Tg 1.19,20)
• Diferentemente, as
Escrituras admoestam-nos
a ser prontos para ouvir.
• No versículo 19, Tiago
introduz o seu ensino sobre
o "ouvir" e o "falar"
destacando a expressão
sabei isto.
Pr.MoisésSampaiodePaula
13
1. Pronto para ouvir.
Com essa expressão, ele
demonstra a sua preocupação
pastoral com os seus leitores.
I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO
PARA FALAR (Tg 1.19,20)
• Outro termo no versículo 19
chama-nos a atenção:
pronto.
• No grego, a palavra
significa "rápido", "ligeiro"
e "veloz". Ali, o escritor
sacro incentiva-nos a estar
disponíveis a ouvir.
Pr.MoisésSampaiodePaula
14
1. Pronto para ouvir.
É uma atitude que depende de uma disposição e também da
decisão em ouvir o outro.
I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO
PARA FALAR (Tg 1.19,20)
• A exemplo do profeta Samuel,
que desde a sua infância foi
ensinado a ouvir a voz divina
(1 Sm 3.10; 16.6-13), o povo
de Deus deve persistir em
escutar os desígnios do Pai,
pois nesses últimos dias têm
Ele falado através do seu
Filho, o Verbo Vivo de Deus
(Hb 1.1; cf. Jo 1.1).
Pr.MoisésSampaiodePaula
15
1. Pronto para ouvir.
I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO
PARA FALAR (Tg 1.19,20)
• Quem ouve com atenção
adquire a rara capacidade
de opinar acerca de
qualquer assunto.
• É justamente por isso que a
Carta de Tiago exorta-nos a
ser tardios para falar (v.19).
Pr.MoisésSampaiodePaula
16
2. Tardio para falar.
Uma palavra dita sem pensar, fora de tempo, e sem
conhecimento dos fatos, pode provocar verdadeiras
tragédias.
I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO
PARA FALAR (Tg 1.19,20)
• Diante de Faraó, José aproveitou
sabiamente um momento ímpar
em sua vida.
1. Antes de responder às
perguntas sobre os sonhos do
monarca, José as ouviu e
refletiu sobre elas.
2. Em seguida, orientado pelo
Senhor, respondeu sabiamente
Faraó (Gn 41.16).
Pr.MoisésSampaiodePaula
17
2. Tardio para falar.
I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO
PARA FALAR (Tg 1.19,20)
• Temos de aprender a refletir sobre
o que vamos dizer e falar no
tempo certo.
• Pese bem as palavras, e ore como
o rei Davi: "Põe, ó SENHOR, uma
guarda à minha boca; guarda a
porta dos meus lábios" (Sl
141.3).
Pr.MoisésSampaiodePaula
18
2. Tardio para falar.
Pr.MoisésSampaiodePaula
19
I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO
PARA FALAR (Tg 1.19,20)
• Uma terceira admoestação
encontrada no versículo 19
da carta de Tiago expressa
o seguinte: tardios para se
irar.
• A ira é um profundo
sentimento de ódio e
rancor contra a outra
pessoa.
Pr.MoisésSampaiodePaula
20
3. Controle a sua ira.
I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO
PARA FALAR (Tg 1.19,20)
• Uma vez descontrolada,
ela não produz a justiça
de Deus, mas uma
justiça segundo o critério
da pessoa que sofreu o
dano: a vingança.
Pr.MoisésSampaiodePaula
21
3. Controle a sua ira.
I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO
PARA FALAR (Tg 1.19,20)
• A Palavra de Deus não proíbe o
crente de ficar indignado contra a
injustiça (Is 58.1,7; Lc 19.45).
• Ao mesmo tempo, ela estabelece
limites para o nosso
temperamento não se achar
irrefletido, descontrolado,
deixando-nos impulsivamente
irados (Ef 4.26; Pv 17.27).
Pr.MoisésSampaiodePaula
22
3. Controle a sua ira.
I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO
PARA FALAR (Tg 1.19,20)
• O cristão, templo do Espírito
Santo, tem de levar a sua mente
cativa a Cristo (2 Co 10.5) e
manifestar o fruto do Santo
Espírito: o domínio próprio (Gl
5.22 - ARA).
Pr.MoisésSampaiodePaula
23
3. Controle a sua ira.
Fuja da aparência do mal.
Tenha autocontrole.
A raiva
Pr.MoisésSampaiodePaula
24
A raiva
Pr.MoisésSampaiodePaula
25
Pr.MoisésSampaiodePaula
26
SINOPSE DO TÓPICO (1)
Pr.MoisésSampaiodePaula
27
À luz da Palavra de Deus
aprendemos que o crente
deve ser tardio para falar e
pronto para ouvir. Por isso,
a ira é um sentimento que
deve ser controlado pelo
crente.
Perguntas
Pr.MoisésSampaiodePaula
28
1. Tiago introduz o seu ensino sobre
o "ouvir" e o "falar" destacando a
expressão "sabei isto". O que ele
deseja demonstrar com essa
expressão?
R. Com essa expressão, ele demonstra a sua
preocupação pastoral com os seus leitores.
Perguntas
Pr.MoisésSampaiodePaula
29
2. Segundo a lição, o que é ira?
R. A ira é um profundo sentimento de ódio e
rancor contra a outra pessoa.
II. PRATICANTE E NÃO APENAS
OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25)
• 1. Enxertai-vos da Palavra (21).
• 2. Praticai a Palavra (22-24).
• 3. Persevere ouvindo e agindo (v.25).
Pr.MoisésSampaiodePaula
30
II. PRATICANTE E NÃO APENAS
OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25)
• A Palavra de Deus é o guia
maior do crente.
• Para que a Palavra atinja
efetivamente o coração do
servo de Deus, este precisa
acolhê-la com pureza e
sinceridade.
Pr.MoisésSampaiodePaula
31
1. Enxertai-vos da Palavra (21).
II. PRATICANTE E NÃO APENAS
OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25)
• Firme uma posição radical rejeitando
toda a imundícia e a malícia mundana
(v.19); recebendo o Evangelho com
mansidão e sobriedade.
1. Leia os Evangelhos!
2. Persiga em conhecer a mensagem
divina de Cristo Jesus, mas,
3. Abra o coração para ouvir a voz do
Senhor.
Pr.MoisésSampaiodePaula
32
1. Enxertai-vos da Palavra (21).
II. PRATICANTE E NÃO APENAS
OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25)
• O escritor sacro não tem
interesse em que o leitor da
epístola apenas acolha a
Palavra no coração, antes
deseja que o crente a
pratique (v.22).
• Não pode haver incoerência
entre o que se "diz" e o que se
"faz" para quem é discípulo de
Jesus.
Pr.MoisésSampaiodePaula
33
2. Praticai a Palavra (22-24).
Se amar a Deus e ao
próximo são os
maiores dos
mandamentos, então,
devemos porfiar em
vivê-los.
II. PRATICANTE E NÃO APENAS
OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25)
• Quem acolhe a Palavra
rejeita tudo o que é:
Pr.MoisésSampaiodePaula
34
2. Praticai a Palavra (22-24).
imundo
maligno
perverso
injusto,
dissimulado,
insincero.
II. PRATICANTE E NÃO APENAS
OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25)
• Não apenas isso, mas
igualmente abre a porta do
coração para
• “Tudo o que é verdadeiro,
tudo o que é honesto,
tudo o que é justo, tudo o
que é puro, tudo o que é
amável, tudo o que é de
boa fama" (Fp 4.8).
Pr.MoisésSampaiodePaula
35
2. Praticai a Palavra (22-24).
II. PRATICANTE E NÃO APENAS
OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25)
• Do contrário, seremos
identificados com o
homem que contempla a
própria imagem no
espelho e depois se retira
esquecendo-se
completamente dela.
Pr.MoisésSampaiodePaula
36
2. Praticai a Palavra (22-24).
II. PRATICANTE E NÃO APENAS
OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25)
• Há pessoas que olham
para o Evangelho e
ouvem, mas sem memória
e perseverança, não dão
nenhuma resposta ou
sequência ao chamado de
Jesus Cristo (vv.23,24).
Deus nos livre desse
engodo!
Pr.MoisésSampaiodePaula
37
2. Praticai a Palavra (22-24).
II. PRATICANTE E NÃO APENAS
OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25)
• Tiago conclui este ponto da
epístola da seguinte
maneira:
Pr.MoisésSampaiodePaula
38
3. Persevere ouvindo e agindo (v.25).
Quem é cuidadoso para com a lei, nela
persevera; não apenas ouvindo-a
negligentemente, mas praticando-a
zelosamente.
II. PRATICANTE E NÃO APENAS
OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25)
• Alguém, um dia, disse
que os evangélicos são
poderosos no discurso,
mas fracos na prática do
mesmo discurso.
Falamos, mas não
vivemos!
Pr.MoisésSampaiodePaula
39
3. Persevere ouvindo e agindo (v.25).
II. PRATICANTE E NÃO APENAS
OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25)
• Precisamos analisar nossa vida
em amor e sinceridade.
Entremos na presença de Deus
com o rosto descoberto, coração
rasgado e alma despida.
• No tempo em que vivemos não
dá para passar despercebidos
na dissimulação, ou seja,
fingindo ser algo que na verdade
não somos.
Pr.MoisésSampaiodePaula
40
3. Persevere ouvindo e agindo (v.25).
SINOPSE DO TÓPICO (2)
Pr.MoisésSampaiodePaula
41
O crente deve encher-se da
Palavra, praticar a Palavra
e perseverar na Palavra.
Perguntas
Pr.MoisésSampaiodePaula
42
3. Qual é o guia maior do crente?
R. A Palavra de Deus.
Perguntas
Pr.MoisésSampaiodePaula
43
4. O que ocorre quando não nos
entregamos inteiramente ao Senhor?
R. Quem não se entrega inteiramente ao
Senhor pratica uma religião vã e falsa.
III. A RELIGIÃO PURA E
VERDADEIRA (Tg 1.26,27)
• 1. A falsa religiosidade.
• 2. A verdadeira religião (v.27).
• 3. Guardando-se da corrupção (v.27).
Pr.MoisésSampaiodePaula
44
III. A RELIGIÃO PURA E
VERDADEIRA (Tg 1.26,27)
• Apesar de algumas pessoas
se considerarem religiosas
por frequentarem um
templo, as Escrituras
revelam o significado da
verdadeira religião.
• Ela reprova todo o ativismo
religioso feito em "nome de
Deus", mas em detrimento
do próximo.
Pr.MoisésSampaiodePaula
45
1. A falsa religiosidade.
III. A RELIGIÃO PURA E
VERDADEIRA (Tg 1.26,27)
• Aqui, a língua do crente
tem um papel
importante.
• Tiago diz que é possível
enganar o próprio
coração quando
deixamos de refrear a
nossa língua.
Pr.MoisésSampaiodePaula
46
1. A falsa religiosidade.
III. A RELIGIÃO PURA E
VERDADEIRA (Tg 1.26,27)
• Ora, o coração é a sede
dos desejos, dos
sentimentos e das
vontades. E a boca só fala
daquilo que o coração está
cheio (Mt 12.34).
• É incompatível com o
Evangelho, viver a graça de
Deus sem mergulhar no
Reino dEle.
Pr.MoisésSampaiodePaula
47
1. A falsa religiosidade.
III. A RELIGIÃO PURA E
VERDADEIRA (Tg 1.26,27)
• Quem não se entrega
inteiramente ao Senhor
pratica uma religião vã e
falsa.
• Não podemos ser como a
pessoa capaz de fazer
uma belíssima oração por
um faminto, e depois
despedi-lo sem lhe dar um
único grão de arroz.
Pr.MoisésSampaiodePaula
48
1. A falsa religiosidade.
III. A RELIGIÃO PURA E
VERDADEIRA (Tg 1.26,27)
• A religião pura, santa e
imaculada, de acordo
com o autor sacro, é
suprir a necessidade do
próximo: "Visitar os
órfãos e as viúvas nas
suas tribulações".
Pr.MoisésSampaiodePaula
49
2. A verdadeira religião (v.27).
III. A RELIGIÃO PURA E
VERDADEIRA (Tg 1.26,27)
• O problema hoje é que a
nossa atenção, quase
sempre, está voltada para o
prazer pessoal.
• Temos os olhos fechados
para os necessitados que
na maioria das vezes
cultuam a Deus,
assentados, ao nosso lado.
Pr.MoisésSampaiodePaula
50
2. A verdadeira religião (v.27).
III. A RELIGIÃO PURA E
VERDADEIRA (Tg 1.26,27)
• Lembremo-nos da vida
de Jesus Cristo! Ele não
apenas olhou para os
marginalizados, mas foi
até eles e os acolheu
em amor (Mt 25.35-45).
Pr.MoisésSampaiodePaula
51
2. A verdadeira religião (v.27).
III. A RELIGIÃO PURA E
VERDADEIRA (Tg 1.26,27)
• A religião que agrada a
Deus é aquela cujos
discípulos professam e
bendizem o seu nome,
visitando e acolhendo os
necessitados nas
aflições.
Pr.MoisésSampaiodePaula
52
2. A verdadeira religião (v.27).
III. A RELIGIÃO PURA E
VERDADEIRA (Tg 1.26,27)
• Além de recomendar a
obrigatoriedade de
visitarmos os órfãos e as
viúvas, a Epístola de Tiago
menciona outro aspecto da
verdadeira religião:
guardar-se da
corrupção do mundo.
Pr.MoisésSampaiodePaula
53
3. Guardando-se da corrupção (v.27).
III. A RELIGIÃO PURA E
VERDADEIRA (Tg 1.26,27)
• A religião falsa está
mergulhada:
1. No egoísmo,
2. Na corrupção e
3. Nos interesses
maléficos do sistema
pecaminoso.
Pr.MoisésSampaiodePaula
54
3. Guardando-se da corrupção (v.27).
III. A RELIGIÃO PURA E
VERDADEIRA (Tg 1.26,27)
• A igreja deve manter-se
longe da corrupção.
•Estamos no mundo,
mas não fazemos
parte do seu
sistema!
• O Evangelho nada tem com
os seus valores e preceitos
Pr.MoisésSampaiodePaula
55
3. Guardando-se da corrupção (v.27).
SINOPSE DO TÓPICO (3)
Pr.MoisésSampaiodePaula
56
A verdadeira religião está
em olharmos para o
necessitado, irmos até ele e
acolhê-lo.
Perguntas
Pr.MoisésSampaiodePaula
57
5. Segundo a lição, qual é a religião
que agrada a Deus?
R. A religião que agrada a Deus é aquela cujos
discípulos professam e bendizem o seu nome,
visitando e acolhendo os necessitados nas
suas aflições.
Conclusão
• Nessa semana aprendemos
sobre o cuidado que devemos
ter com o ouvir e o falar.
Estudamos também acerca da
religião pura e imaculada que
alegra a Deus: visitar os órfãos
e as viúvas nas tribulações e
guardarmo-nos da corrupção do
mundo.
Pr.MoisésSampaiodePaula
58
Conclusão
• Que os nossos ouvidos estejam
prontos para ouvir, a nossa
língua para falar sabiamente e a
nossa vida para praticar tudo
quanto aprendemos do
Evangelho. Embora estejamos
em um mundo turbulento,
devemos exalar o bom perfume
de Cristo por onde formos (2 Co
2.15).
Pr.MoisésSampaiodePaula
59
Subsídio Bibliológico
Pr.MoisésSampaiodePaula
60
A U X Í L I O B I B L I O G R Á F I C O I
Subsídio Histórico-Cultural
"Se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor, é semelhante ao varão que contempla ao
espelho o seu rosto natural; porque se contempla a si mesmo, e foi-se, e logo se esqueceu de
como era (1.23,24). O verbo traduzido como 'contempla' é katanoounti, que indica 'um
escrutínio atento'. Esta pequena alegoria descreve uma pessoa que encontra um espelho e
olha intensamente para si mesma.
A alegoria depende de uma questão simples. Por que as pessoas olham-se no espelho?
Embora alguns possam simplesmente desejar admirar-se, na maioria dos casos nós olhamos
no espelho para guiar nossos atos. Como devo pentear o meu cabelo? Meu rosto está sujo? E
nós agimos com base no que vemos. Mas o que acontece se olharmos com atenção, e nos
afastarmos, simplesmente esquecendo a sujeira em nosso rosto, ou aquela mecha que fica em
pé de maneira tão selvagem? Então o espelho terá provado ser totalmente irrelevante e nosso
exame completamente sem significado. Da mesma maneira, Tiago argumenta que olhar para a
Palavra de Deus e não agir de acordo com o que vemos ali significa que o que encontramos
nas Escrituras não tem significado para nós. Não é a pessoa que conhece o que diz a Bíblia
que é abençoada, mas sim a pessoa que faz o que a Bíblia diz (RICHARDS, Lawrence O.
Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, p.514).
Subsídio Bibliológico
Pr.MoisésSampaiodePaula
61
A U X Í L I O B I B L I O G R Á F I C O I I
Subsídio Teológico
"A Religião Pura e Imaculada (1.26,27). Fazendo eco com seu conselho anterior de ser 'tardio no falar' (1.19), e
antecipando discussões mais detalhadas do discurso humano que aparecerão posteriormente (3.2-12; 4.11-16), Tiago
revela, nesse ponto, que um dos sinais para se saber se o comportamento religioso de alguém é ou não agradável a
Deus, é a capacidade de 'manter a língua sob rédeas curtas'.
Nesse conselho ele inclui a proibição contra discursos vulgares ou mal intencionados, porém os dois exemplos de
discurso impróprio, colocados imediatamente após essa declaração, ilustram outras ofensas da linguagem humana que
devem ser refreadas pelos cristãos.
Os crentes devem estar seguros de que suas palavras e suas ações sejam consistentes umas com as outras. Tiago
ilustra esse problema, ao lembrar a seus leitores que já ofenderam a honra das pessoas que estão a seu lado, e que
também acreditam que Deus está especialmente preocupado com o uso de uma linguagem que mostre favoritismo
dentro da comunidade da fé, o que destrói a unidade da vontade de Deus (2.1-5).
O discurso humano tanto pode ser usado como sinal dos cuidados de uma piedade religiosa como serve até de
pretexto para a falta da prática daqueles atos que Deus poderia desejar (2.15,16). Assim, os crentes deveriam falar
apenas daquilo que estão desejosos de colocar em prática: devem 'praticar o que pregam', e não cair em 'vazios
religiosos'. Uma pessoa que não controla sua língua, seu modo de falar, engana a si próprio, e sua religião não serve
para nada (v.26).
[...] Aos olhos de Deus, uma religião pura e imaculada tem tanto a ver com o que fazemos como com o que
deixamos de fazer. Em parte por ter suas raízes nos movimentos de renovação da santidade, em parte por causa de sua
rejeição ao 'movimento do evangelho social' do início do século vinte, os pentecostais foram rápidos em realçar a
santidade das pessoas e lentos ao se pronunciar a respeito da responsabilidade social. Tiago nos lembra que isso não é
uma questão de 'fazer isto ou aquilo' mas de fazer 'tanto isto como aquilo'" (STRONSTAD, Roger; ARRINGTON, French
L. (Eds.) Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento. 4.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2004, pp.1669,70).
Pr.MoisésSampaiodePaula
62
Pr. Moisés Sampaio
• Pastor auxiliar da Igreja Assembleia
de Deus em Rio Branco, AC, Brasil.
• Palestrante de seminários e
pregador no Brasil e exterior.
• Contato

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015
A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015
A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015
Gerson G. Ramos
 
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURALIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
Ismael Isidio
 
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUALIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
Ismael Isidio
 
O Cuidado ao Falar e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar  e a Religião PuraO Cuidado ao Falar  e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar e a Religião Pura
Adenísio dos Reis
 
Dons de revelação
Dons de revelaçãoDons de revelação
Dons de revelação
Moisés Sampaio
 
Vivendo os últimos dias
Vivendo os últimos diasVivendo os últimos dias
Vivendo os últimos dias
Antonio Rodrigues
 
Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
Natalino das Neves Neves
 
O ministério do pastor
O ministério do pastorO ministério do pastor
O ministério do pastor
Moisés Sampaio
 
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
Natalino das Neves Neves
 
Dons de elocução
Dons de elocuçãoDons de elocução
Dons de elocução
Moisés Sampaio
 
Perguntas e curiosidades bíblicas questionários - celso brasil -####
Perguntas e curiosidades bíblicas   questionários - celso brasil -####Perguntas e curiosidades bíblicas   questionários - celso brasil -####
Perguntas e curiosidades bíblicas questionários - celso brasil -####
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 
Testes e curiosidades bíblicas celso brasil
Testes e curiosidades bíblicas   celso brasilTestes e curiosidades bíblicas   celso brasil
Testes e curiosidades bíblicas celso brasil
Celso do Rozário Brasil Gonçalves
 
Conheça 10 dicas para entender as parábolas de Jesus
Conheça 10 dicas para entender as parábolas de JesusConheça 10 dicas para entender as parábolas de Jesus
Conheça 10 dicas para entender as parábolas de Jesus
Juraci Rocha
 
Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15
Pedro no Piel
 
3aulabibliologia 180623135630
3aulabibliologia 1806231356303aulabibliologia 180623135630
3aulabibliologia 180623135630
rafaeldesouza76
 
UMA CARTA DE AMOR
UMA CARTA DE AMORUMA CARTA DE AMOR
Fiéis à verdade
Fiéis à verdadeFiéis à verdade
Fiéis à verdade
Antonio Rodrigues
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
Joel de Oliveira
 
Vivendo de maneira santa
Vivendo de maneira santaVivendo de maneira santa
Vivendo de maneira santa
Antonio Rodrigues
 
Como estudar a bíblia
Como estudar a bíbliaComo estudar a bíblia
Como estudar a bíblia
Bruno Cesar Santos de Sousa
 

Mais procurados (20)

A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015
A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015
A humildade dos sábios_Lição_original com textos_1212015
 
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURALIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
LIÇÃO 5 – O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
 
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUALIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
LIÇÃO 08 – O CUIDADO COM A LÍNGUA
 
O Cuidado ao Falar e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar  e a Religião PuraO Cuidado ao Falar  e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar e a Religião Pura
 
Dons de revelação
Dons de revelaçãoDons de revelação
Dons de revelação
 
Vivendo os últimos dias
Vivendo os últimos diasVivendo os últimos dias
Vivendo os últimos dias
 
Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
Lição 4 - A tentação de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018
 
O ministério do pastor
O ministério do pastorO ministério do pastor
O ministério do pastor
 
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
 
Dons de elocução
Dons de elocuçãoDons de elocução
Dons de elocução
 
Perguntas e curiosidades bíblicas questionários - celso brasil -####
Perguntas e curiosidades bíblicas   questionários - celso brasil -####Perguntas e curiosidades bíblicas   questionários - celso brasil -####
Perguntas e curiosidades bíblicas questionários - celso brasil -####
 
Testes e curiosidades bíblicas celso brasil
Testes e curiosidades bíblicas   celso brasilTestes e curiosidades bíblicas   celso brasil
Testes e curiosidades bíblicas celso brasil
 
Conheça 10 dicas para entender as parábolas de Jesus
Conheça 10 dicas para entender as parábolas de JesusConheça 10 dicas para entender as parábolas de Jesus
Conheça 10 dicas para entender as parábolas de Jesus
 
Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15
 
3aulabibliologia 180623135630
3aulabibliologia 1806231356303aulabibliologia 180623135630
3aulabibliologia 180623135630
 
UMA CARTA DE AMOR
UMA CARTA DE AMORUMA CARTA DE AMOR
UMA CARTA DE AMOR
 
Fiéis à verdade
Fiéis à verdadeFiéis à verdade
Fiéis à verdade
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 133º trimestre 2015 adolescentes lição 13
3º trimestre 2015 adolescentes lição 13
 
Vivendo de maneira santa
Vivendo de maneira santaVivendo de maneira santa
Vivendo de maneira santa
 
Como estudar a bíblia
Como estudar a bíbliaComo estudar a bíblia
Como estudar a bíblia
 

Destaque

Epístolas gerais aula 2
Epístolas gerais aula 2Epístolas gerais aula 2
Epístolas gerais aula 2
Moisés Sampaio
 
O Deus que intervém na história
O Deus que intervém na históriaO Deus que intervém na história
O Deus que intervém na história
Moisés Sampaio
 
O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
Moisés Sampaio
 
Jesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiroJesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiro
Moisés Sampaio
 
As limitações dos discípulos
As limitações dos discípulosAs limitações dos discípulos
As limitações dos discípulos
Moisés Sampaio
 
Daniel nosso contemporaneo
Daniel nosso contemporaneoDaniel nosso contemporaneo
Daniel nosso contemporaneo
Moisés Sampaio
 
A peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
A peregrinação de Israel no deserto até o SinaiA peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
A peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
Moisés Sampaio
 
Livros históricos aula 3
Livros  históricos aula 3Livros  históricos aula 3
Livros históricos aula 3
Moisés Sampaio
 
Curso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEPCurso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEP
Moisés Sampaio
 
1. introducao
1. introducao1. introducao
1. introducao
Moisés Sampaio
 
Historia da igreja I aula 2
Historia da igreja I  aula 2Historia da igreja I  aula 2
Historia da igreja I aula 2
Moisés Sampaio
 
Historia da igreja i aula 3
Historia da igreja i  aula 3Historia da igreja i  aula 3
Historia da igreja i aula 3
Moisés Sampaio
 
Lança o teu pão sobre as águas
Lança o teu pão sobre as águasLança o teu pão sobre as águas
Lança o teu pão sobre as águas
Moisés Sampaio
 
O divórcio
O divórcioO divórcio
O divórcio
Moisés Sampaio
 
Historia da igreja i aula 1
Historia da igreja i  aula 1Historia da igreja i  aula 1
Historia da igreja i aula 1
Moisés Sampaio
 
Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1
Moisés Sampaio
 
Como baixar os estudo no slideshare
Como baixar os estudo no slideshareComo baixar os estudo no slideshare
Como baixar os estudo no slideshare
Moisés Sampaio
 
Tiago – fé que se mostra pelas obras
Tiago – fé que se mostra pelas obrasTiago – fé que se mostra pelas obras
Tiago – fé que se mostra pelas obras
Moisés Sampaio
 

Destaque (18)

Epístolas gerais aula 2
Epístolas gerais aula 2Epístolas gerais aula 2
Epístolas gerais aula 2
 
O Deus que intervém na história
O Deus que intervém na históriaO Deus que intervém na história
O Deus que intervém na história
 
O evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo LucasO evangelho segundo Lucas
O evangelho segundo Lucas
 
Jesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiroJesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiro
 
As limitações dos discípulos
As limitações dos discípulosAs limitações dos discípulos
As limitações dos discípulos
 
Daniel nosso contemporaneo
Daniel nosso contemporaneoDaniel nosso contemporaneo
Daniel nosso contemporaneo
 
A peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
A peregrinação de Israel no deserto até o SinaiA peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
A peregrinação de Israel no deserto até o Sinai
 
Livros históricos aula 3
Livros  históricos aula 3Livros  históricos aula 3
Livros históricos aula 3
 
Curso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEPCurso de teologia IBADEP
Curso de teologia IBADEP
 
1. introducao
1. introducao1. introducao
1. introducao
 
Historia da igreja I aula 2
Historia da igreja I  aula 2Historia da igreja I  aula 2
Historia da igreja I aula 2
 
Historia da igreja i aula 3
Historia da igreja i  aula 3Historia da igreja i  aula 3
Historia da igreja i aula 3
 
Lança o teu pão sobre as águas
Lança o teu pão sobre as águasLança o teu pão sobre as águas
Lança o teu pão sobre as águas
 
O divórcio
O divórcioO divórcio
O divórcio
 
Historia da igreja i aula 1
Historia da igreja i  aula 1Historia da igreja i  aula 1
Historia da igreja i aula 1
 
Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1
 
Como baixar os estudo no slideshare
Como baixar os estudo no slideshareComo baixar os estudo no slideshare
Como baixar os estudo no slideshare
 
Tiago – fé que se mostra pelas obras
Tiago – fé que se mostra pelas obrasTiago – fé que se mostra pelas obras
Tiago – fé que se mostra pelas obras
 

Semelhante a O cuidado ao falar e a religião pura

O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA - LIÇÃO 5 - 3°TRI.2014
O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA - LIÇÃO 5 - 3°TRI.2014O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA - LIÇÃO 5 - 3°TRI.2014
O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA - LIÇÃO 5 - 3°TRI.2014
Pr. Andre Luiz
 
O Cuidado ao Falar e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar e a Religião PuraO Cuidado ao Falar e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar e a Religião Pura
Antonio Fernandes
 
O cuidado com aquilo que falamos
O cuidado com aquilo que falamosO cuidado com aquilo que falamos
O cuidado com aquilo que falamos
Moisés Sampaio
 
A importância da sabedoria humilde
A importância da sabedoria humildeA importância da sabedoria humilde
A importância da sabedoria humilde
Moisés Sampaio
 
Ocuidadocomaquiloquefalamos 131024214921-phpapp0
Ocuidadocomaquiloquefalamos 131024214921-phpapp0Ocuidadocomaquiloquefalamos 131024214921-phpapp0
Ocuidadocomaquiloquefalamos 131024214921-phpapp0
Edivane Lima
 
Lição 04
Lição 04Lição 04
Licão 05 3ºtrimestre2014
Licão 05 3ºtrimestre2014Licão 05 3ºtrimestre2014
Licão 05 3ºtrimestre2014
Junia Queles
 
Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018
Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018
Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018
Ramón Zazatt
 
O cuidado com a lingua
O cuidado com a linguaO cuidado com a lingua
O cuidado com a lingua
Moisés Sampaio
 
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOTREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
igrejafecrista
 
Lição 2- Para Ouvir e Anunciar a Palavra de Deus
Lição 2- Para Ouvir e Anunciar a Palavra de DeusLição 2- Para Ouvir e Anunciar a Palavra de Deus
Lição 2- Para Ouvir e Anunciar a Palavra de Deus
Éder Tomé
 
Evangelize do seu jeito 1990
Evangelize do seu jeito  1990Evangelize do seu jeito  1990
Evangelize do seu jeito 1990
Colégio Estadual Ocidental
 
Lição 07
Lição 07Lição 07
Lição 1 - Parábola: Uma Lição para a Vida
Lição 1 - Parábola: Uma Lição para a VidaLição 1 - Parábola: Uma Lição para a Vida
Lição 1 - Parábola: Uma Lição para a Vida
Éder Tomé
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
Moisés Sampaio
 
2014 3 TRI LIÇÃO 5 - O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
2014 3 TRI LIÇÃO 5 - O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA2014 3 TRI LIÇÃO 5 - O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
2014 3 TRI LIÇÃO 5 - O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
Natalino das Neves Neves
 
Lição 08- Conflitos Familiares
Lição 08- Conflitos FamiliaresLição 08- Conflitos Familiares
Lição 08- Conflitos Familiares
Maxsuel Aquino
 
Como estudar a Biblia
Como estudar a BibliaComo estudar a Biblia
Como estudar a Biblia
Andre Nascimento
 
Evangelismo pessoal
Evangelismo pessoalEvangelismo pessoal
Evangelismo pessoal
Antonio Filho
 
Pregando as parábolas de jesus o semeador
Pregando as parábolas de jesus   o semeadorPregando as parábolas de jesus   o semeador
Pregando as parábolas de jesus o semeador
Rev. Giovanni Guimarães
 

Semelhante a O cuidado ao falar e a religião pura (20)

O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA - LIÇÃO 5 - 3°TRI.2014
O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA - LIÇÃO 5 - 3°TRI.2014O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA - LIÇÃO 5 - 3°TRI.2014
O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA - LIÇÃO 5 - 3°TRI.2014
 
O Cuidado ao Falar e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar e a Religião PuraO Cuidado ao Falar e a Religião Pura
O Cuidado ao Falar e a Religião Pura
 
O cuidado com aquilo que falamos
O cuidado com aquilo que falamosO cuidado com aquilo que falamos
O cuidado com aquilo que falamos
 
A importância da sabedoria humilde
A importância da sabedoria humildeA importância da sabedoria humilde
A importância da sabedoria humilde
 
Ocuidadocomaquiloquefalamos 131024214921-phpapp0
Ocuidadocomaquiloquefalamos 131024214921-phpapp0Ocuidadocomaquiloquefalamos 131024214921-phpapp0
Ocuidadocomaquiloquefalamos 131024214921-phpapp0
 
Lição 04
Lição 04Lição 04
Lição 04
 
Licão 05 3ºtrimestre2014
Licão 05 3ºtrimestre2014Licão 05 3ºtrimestre2014
Licão 05 3ºtrimestre2014
 
Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018
Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018
Unidade 2 - Descobrindo um Método para Estudar a Bíblia - versão 2018
 
O cuidado com a lingua
O cuidado com a linguaO cuidado com a lingua
O cuidado com a lingua
 
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOTREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
 
Lição 2- Para Ouvir e Anunciar a Palavra de Deus
Lição 2- Para Ouvir e Anunciar a Palavra de DeusLição 2- Para Ouvir e Anunciar a Palavra de Deus
Lição 2- Para Ouvir e Anunciar a Palavra de Deus
 
Evangelize do seu jeito 1990
Evangelize do seu jeito  1990Evangelize do seu jeito  1990
Evangelize do seu jeito 1990
 
Lição 07
Lição 07Lição 07
Lição 07
 
Lição 1 - Parábola: Uma Lição para a Vida
Lição 1 - Parábola: Uma Lição para a VidaLição 1 - Parábola: Uma Lição para a Vida
Lição 1 - Parábola: Uma Lição para a Vida
 
Não darás falso testemunho
Não darás falso testemunhoNão darás falso testemunho
Não darás falso testemunho
 
2014 3 TRI LIÇÃO 5 - O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
2014 3 TRI LIÇÃO 5 - O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA2014 3 TRI LIÇÃO 5 - O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
2014 3 TRI LIÇÃO 5 - O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
 
Lição 08- Conflitos Familiares
Lição 08- Conflitos FamiliaresLição 08- Conflitos Familiares
Lição 08- Conflitos Familiares
 
Como estudar a Biblia
Como estudar a BibliaComo estudar a Biblia
Como estudar a Biblia
 
Evangelismo pessoal
Evangelismo pessoalEvangelismo pessoal
Evangelismo pessoal
 
Pregando as parábolas de jesus o semeador
Pregando as parábolas de jesus   o semeadorPregando as parábolas de jesus   o semeador
Pregando as parábolas de jesus o semeador
 

Mais de Moisés Sampaio

AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário proféticoAS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
Moisés Sampaio
 
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demôniosO poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
Moisés Sampaio
 
Poder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e mortePoder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e morte
Moisés Sampaio
 
Mulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram JesusMulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram Jesus
Moisés Sampaio
 
Jesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulosJesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulos
Moisés Sampaio
 
A tentação de Jesus
A tentação de JesusA tentação de Jesus
A tentação de Jesus
Moisés Sampaio
 
A infância de Jesus
A infância de JesusA infância de Jesus
A infância de Jesus
Moisés Sampaio
 
O nascimento de Jesus
O nascimento de JesusO nascimento de Jesus
O nascimento de Jesus
Moisés Sampaio
 
A igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de DeusA igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de Deus
Moisés Sampaio
 
9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum
Moisés Sampaio
 
8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia
Moisés Sampaio
 
Não cobiçarás
Não cobiçarásNão cobiçarás
Não cobiçarás
Moisés Sampaio
 
7- Tiberíades
7- Tiberíades7- Tiberíades
7- Tiberíades
Moisés Sampaio
 
6 meggido
6   meggido6   meggido
6 meggido
Moisés Sampaio
 
5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo
Moisés Sampaio
 
4 - Haifa
4 - Haifa4 - Haifa
4 - Haifa
Moisés Sampaio
 
3 - Cesaréia Marítima
3 - Cesaréia Marítima3 - Cesaréia Marítima
3 - Cesaréia Marítima
Moisés Sampaio
 
2-Jaffa
2-Jaffa2-Jaffa
1 - Tel Aviv
1 - Tel Aviv1 - Tel Aviv
1 - Tel Aviv
Moisés Sampaio
 
Não furtarás
Não furtarásNão furtarás
Não furtarás
Moisés Sampaio
 

Mais de Moisés Sampaio (20)

AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário proféticoAS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
AS SETENTA semanas de Daniel o calendário profético
 
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demôniosO poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
O poder de Jesus sobre a natureza e os demônios
 
Poder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e mortePoder sobre as doenças e morte
Poder sobre as doenças e morte
 
Mulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram JesusMulheres que ajudaram Jesus
Mulheres que ajudaram Jesus
 
Jesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulosJesus escolhe seus discípulos
Jesus escolhe seus discípulos
 
A tentação de Jesus
A tentação de JesusA tentação de Jesus
A tentação de Jesus
 
A infância de Jesus
A infância de JesusA infância de Jesus
A infância de Jesus
 
O nascimento de Jesus
O nascimento de JesusO nascimento de Jesus
O nascimento de Jesus
 
A igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de DeusA igreja e a lei de Deus
A igreja e a lei de Deus
 
9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum9 - Cafarnaum
9 - Cafarnaum
 
8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia8 - Mar da Galiléia
8 - Mar da Galiléia
 
Não cobiçarás
Não cobiçarásNão cobiçarás
Não cobiçarás
 
7- Tiberíades
7- Tiberíades7- Tiberíades
7- Tiberíades
 
6 meggido
6   meggido6   meggido
6 meggido
 
5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo5 - Monte Carmelo
5 - Monte Carmelo
 
4 - Haifa
4 - Haifa4 - Haifa
4 - Haifa
 
3 - Cesaréia Marítima
3 - Cesaréia Marítima3 - Cesaréia Marítima
3 - Cesaréia Marítima
 
2-Jaffa
2-Jaffa2-Jaffa
2-Jaffa
 
1 - Tel Aviv
1 - Tel Aviv1 - Tel Aviv
1 - Tel Aviv
 
Não furtarás
Não furtarásNão furtarás
Não furtarás
 

Último

1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 

O cuidado ao falar e a religião pura

  • 1. O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA 3º Trimestre de 2014 Lição 5 Pr. Moisés Sampaio de Paula
  • 2. TEXTO ÁUREO Pr.MoisésSampaiodePaula 2 "[...] Mas todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar" (Tg 1.19).
  • 3. VERDADE PRÁTICA Pr.MoisésSampaiodePaula 3 As nossas palavras podem, ou não, evidenciar a sabedoria de Deus.
  • 4. Após esta aula, o aluno deverá estar apto a: • Aprender sobre estar "pronto para ouvir" e "tardio para falar". • Compreender a importância de ser praticante, e não só ouvinte. • Saber qual é a religião pura e verdadeira. OBJETIVOS Pr.MoisésSampaiodePaula 4
  • 5. Uma pergunta O que é religião? Pr.MoisésSampaiodePaula 5
  • 7. I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20) 1. Pronto para ouvir. 2. Tardio para falar. 3. Controle a sua ira. II. PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25) 1. Enxertai-vos da Palavra (21). 2. Praticai a Palavra (22-24). 3. Persevere ouvindo e agindo (v.25). III. A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27) 1. A falsa religiosidade. 2. A verdadeira religião (v.27). 3. Guardando-se da corrupção (v.27). Esboço da Lição Pr.MoisésSampaiodePaula 7
  • 8. INTRODUÇÃO • Na lição dessa semana vamos estudar a maneira adequada de o crente usar um instrumento maravilhoso, mas ao mesmo tempo, potencialmente perigoso: a fala. • Este assunto está interligado à temática da verdadeira religião que agrada a Deus. Pr.MoisésSampaiodePaula 8
  • 9. INTRODUÇÃO • O fenômeno da fala é uma das fontes de expressão do pensamento humano, como também é responsável pelo processo de comunicação e de formação da identidade cultural de uma sociedade. As pessoas querem falar às outras àquilo que pensam. O crente, todavia, tem o compromisso de não apenas falar o que pensa, mas agir como propõe o Evangelho. Pr.MoisésSampaiodePaula 9
  • 10. Pense nisso! Ouvir não é uma atitude fácil. Demanda tempo, paciência, perseverança e concentração. O ato de ouvir é uma obra doadora. Quem ouve uma pessoa, doa o seu tempo e a sua atenção. A princípio, quem ouve pode aparentar uma atitude passiva, mas na verdade esta pessoa realiza uma intensa atividade de pensar e de raciocinar. Pr.MoisésSampaiodePaula 10
  • 11. I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20) • 1. Pronto para ouvir. • 2. Tardio para falar. • 3. Controle a sua ira. Pr.MoisésSampaiodePaula 11
  • 12. I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20) • Para alguns crentes, a pessoa sábia é a que sempre tem algo a falar. • Ouvir é um empreendimento trabalhoso e, por isso, ignorado por muitos. Pr.MoisésSampaiodePaula 12 1. Pronto para ouvir.
  • 13. I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20) • Diferentemente, as Escrituras admoestam-nos a ser prontos para ouvir. • No versículo 19, Tiago introduz o seu ensino sobre o "ouvir" e o "falar" destacando a expressão sabei isto. Pr.MoisésSampaiodePaula 13 1. Pronto para ouvir. Com essa expressão, ele demonstra a sua preocupação pastoral com os seus leitores.
  • 14. I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20) • Outro termo no versículo 19 chama-nos a atenção: pronto. • No grego, a palavra significa "rápido", "ligeiro" e "veloz". Ali, o escritor sacro incentiva-nos a estar disponíveis a ouvir. Pr.MoisésSampaiodePaula 14 1. Pronto para ouvir. É uma atitude que depende de uma disposição e também da decisão em ouvir o outro.
  • 15. I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20) • A exemplo do profeta Samuel, que desde a sua infância foi ensinado a ouvir a voz divina (1 Sm 3.10; 16.6-13), o povo de Deus deve persistir em escutar os desígnios do Pai, pois nesses últimos dias têm Ele falado através do seu Filho, o Verbo Vivo de Deus (Hb 1.1; cf. Jo 1.1). Pr.MoisésSampaiodePaula 15 1. Pronto para ouvir.
  • 16. I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20) • Quem ouve com atenção adquire a rara capacidade de opinar acerca de qualquer assunto. • É justamente por isso que a Carta de Tiago exorta-nos a ser tardios para falar (v.19). Pr.MoisésSampaiodePaula 16 2. Tardio para falar. Uma palavra dita sem pensar, fora de tempo, e sem conhecimento dos fatos, pode provocar verdadeiras tragédias.
  • 17. I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20) • Diante de Faraó, José aproveitou sabiamente um momento ímpar em sua vida. 1. Antes de responder às perguntas sobre os sonhos do monarca, José as ouviu e refletiu sobre elas. 2. Em seguida, orientado pelo Senhor, respondeu sabiamente Faraó (Gn 41.16). Pr.MoisésSampaiodePaula 17 2. Tardio para falar.
  • 18. I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20) • Temos de aprender a refletir sobre o que vamos dizer e falar no tempo certo. • Pese bem as palavras, e ore como o rei Davi: "Põe, ó SENHOR, uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios" (Sl 141.3). Pr.MoisésSampaiodePaula 18 2. Tardio para falar.
  • 20. I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20) • Uma terceira admoestação encontrada no versículo 19 da carta de Tiago expressa o seguinte: tardios para se irar. • A ira é um profundo sentimento de ódio e rancor contra a outra pessoa. Pr.MoisésSampaiodePaula 20 3. Controle a sua ira.
  • 21. I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20) • Uma vez descontrolada, ela não produz a justiça de Deus, mas uma justiça segundo o critério da pessoa que sofreu o dano: a vingança. Pr.MoisésSampaiodePaula 21 3. Controle a sua ira.
  • 22. I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20) • A Palavra de Deus não proíbe o crente de ficar indignado contra a injustiça (Is 58.1,7; Lc 19.45). • Ao mesmo tempo, ela estabelece limites para o nosso temperamento não se achar irrefletido, descontrolado, deixando-nos impulsivamente irados (Ef 4.26; Pv 17.27). Pr.MoisésSampaiodePaula 22 3. Controle a sua ira.
  • 23. I. PRONTO PARA OUVIR E TARDIO PARA FALAR (Tg 1.19,20) • O cristão, templo do Espírito Santo, tem de levar a sua mente cativa a Cristo (2 Co 10.5) e manifestar o fruto do Santo Espírito: o domínio próprio (Gl 5.22 - ARA). Pr.MoisésSampaiodePaula 23 3. Controle a sua ira. Fuja da aparência do mal. Tenha autocontrole.
  • 27. SINOPSE DO TÓPICO (1) Pr.MoisésSampaiodePaula 27 À luz da Palavra de Deus aprendemos que o crente deve ser tardio para falar e pronto para ouvir. Por isso, a ira é um sentimento que deve ser controlado pelo crente.
  • 28. Perguntas Pr.MoisésSampaiodePaula 28 1. Tiago introduz o seu ensino sobre o "ouvir" e o "falar" destacando a expressão "sabei isto". O que ele deseja demonstrar com essa expressão? R. Com essa expressão, ele demonstra a sua preocupação pastoral com os seus leitores.
  • 29. Perguntas Pr.MoisésSampaiodePaula 29 2. Segundo a lição, o que é ira? R. A ira é um profundo sentimento de ódio e rancor contra a outra pessoa.
  • 30. II. PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25) • 1. Enxertai-vos da Palavra (21). • 2. Praticai a Palavra (22-24). • 3. Persevere ouvindo e agindo (v.25). Pr.MoisésSampaiodePaula 30
  • 31. II. PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25) • A Palavra de Deus é o guia maior do crente. • Para que a Palavra atinja efetivamente o coração do servo de Deus, este precisa acolhê-la com pureza e sinceridade. Pr.MoisésSampaiodePaula 31 1. Enxertai-vos da Palavra (21).
  • 32. II. PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25) • Firme uma posição radical rejeitando toda a imundícia e a malícia mundana (v.19); recebendo o Evangelho com mansidão e sobriedade. 1. Leia os Evangelhos! 2. Persiga em conhecer a mensagem divina de Cristo Jesus, mas, 3. Abra o coração para ouvir a voz do Senhor. Pr.MoisésSampaiodePaula 32 1. Enxertai-vos da Palavra (21).
  • 33. II. PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25) • O escritor sacro não tem interesse em que o leitor da epístola apenas acolha a Palavra no coração, antes deseja que o crente a pratique (v.22). • Não pode haver incoerência entre o que se "diz" e o que se "faz" para quem é discípulo de Jesus. Pr.MoisésSampaiodePaula 33 2. Praticai a Palavra (22-24). Se amar a Deus e ao próximo são os maiores dos mandamentos, então, devemos porfiar em vivê-los.
  • 34. II. PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25) • Quem acolhe a Palavra rejeita tudo o que é: Pr.MoisésSampaiodePaula 34 2. Praticai a Palavra (22-24). imundo maligno perverso injusto, dissimulado, insincero.
  • 35. II. PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25) • Não apenas isso, mas igualmente abre a porta do coração para • “Tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama" (Fp 4.8). Pr.MoisésSampaiodePaula 35 2. Praticai a Palavra (22-24).
  • 36. II. PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25) • Do contrário, seremos identificados com o homem que contempla a própria imagem no espelho e depois se retira esquecendo-se completamente dela. Pr.MoisésSampaiodePaula 36 2. Praticai a Palavra (22-24).
  • 37. II. PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25) • Há pessoas que olham para o Evangelho e ouvem, mas sem memória e perseverança, não dão nenhuma resposta ou sequência ao chamado de Jesus Cristo (vv.23,24). Deus nos livre desse engodo! Pr.MoisésSampaiodePaula 37 2. Praticai a Palavra (22-24).
  • 38. II. PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25) • Tiago conclui este ponto da epístola da seguinte maneira: Pr.MoisésSampaiodePaula 38 3. Persevere ouvindo e agindo (v.25). Quem é cuidadoso para com a lei, nela persevera; não apenas ouvindo-a negligentemente, mas praticando-a zelosamente.
  • 39. II. PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25) • Alguém, um dia, disse que os evangélicos são poderosos no discurso, mas fracos na prática do mesmo discurso. Falamos, mas não vivemos! Pr.MoisésSampaiodePaula 39 3. Persevere ouvindo e agindo (v.25).
  • 40. II. PRATICANTE E NÃO APENAS OUVINTE DA PALAVRA (Tg 1.21-25) • Precisamos analisar nossa vida em amor e sinceridade. Entremos na presença de Deus com o rosto descoberto, coração rasgado e alma despida. • No tempo em que vivemos não dá para passar despercebidos na dissimulação, ou seja, fingindo ser algo que na verdade não somos. Pr.MoisésSampaiodePaula 40 3. Persevere ouvindo e agindo (v.25).
  • 41. SINOPSE DO TÓPICO (2) Pr.MoisésSampaiodePaula 41 O crente deve encher-se da Palavra, praticar a Palavra e perseverar na Palavra.
  • 42. Perguntas Pr.MoisésSampaiodePaula 42 3. Qual é o guia maior do crente? R. A Palavra de Deus.
  • 43. Perguntas Pr.MoisésSampaiodePaula 43 4. O que ocorre quando não nos entregamos inteiramente ao Senhor? R. Quem não se entrega inteiramente ao Senhor pratica uma religião vã e falsa.
  • 44. III. A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27) • 1. A falsa religiosidade. • 2. A verdadeira religião (v.27). • 3. Guardando-se da corrupção (v.27). Pr.MoisésSampaiodePaula 44
  • 45. III. A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27) • Apesar de algumas pessoas se considerarem religiosas por frequentarem um templo, as Escrituras revelam o significado da verdadeira religião. • Ela reprova todo o ativismo religioso feito em "nome de Deus", mas em detrimento do próximo. Pr.MoisésSampaiodePaula 45 1. A falsa religiosidade.
  • 46. III. A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27) • Aqui, a língua do crente tem um papel importante. • Tiago diz que é possível enganar o próprio coração quando deixamos de refrear a nossa língua. Pr.MoisésSampaiodePaula 46 1. A falsa religiosidade.
  • 47. III. A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27) • Ora, o coração é a sede dos desejos, dos sentimentos e das vontades. E a boca só fala daquilo que o coração está cheio (Mt 12.34). • É incompatível com o Evangelho, viver a graça de Deus sem mergulhar no Reino dEle. Pr.MoisésSampaiodePaula 47 1. A falsa religiosidade.
  • 48. III. A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27) • Quem não se entrega inteiramente ao Senhor pratica uma religião vã e falsa. • Não podemos ser como a pessoa capaz de fazer uma belíssima oração por um faminto, e depois despedi-lo sem lhe dar um único grão de arroz. Pr.MoisésSampaiodePaula 48 1. A falsa religiosidade.
  • 49. III. A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27) • A religião pura, santa e imaculada, de acordo com o autor sacro, é suprir a necessidade do próximo: "Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações". Pr.MoisésSampaiodePaula 49 2. A verdadeira religião (v.27).
  • 50. III. A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27) • O problema hoje é que a nossa atenção, quase sempre, está voltada para o prazer pessoal. • Temos os olhos fechados para os necessitados que na maioria das vezes cultuam a Deus, assentados, ao nosso lado. Pr.MoisésSampaiodePaula 50 2. A verdadeira religião (v.27).
  • 51. III. A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27) • Lembremo-nos da vida de Jesus Cristo! Ele não apenas olhou para os marginalizados, mas foi até eles e os acolheu em amor (Mt 25.35-45). Pr.MoisésSampaiodePaula 51 2. A verdadeira religião (v.27).
  • 52. III. A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27) • A religião que agrada a Deus é aquela cujos discípulos professam e bendizem o seu nome, visitando e acolhendo os necessitados nas aflições. Pr.MoisésSampaiodePaula 52 2. A verdadeira religião (v.27).
  • 53. III. A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27) • Além de recomendar a obrigatoriedade de visitarmos os órfãos e as viúvas, a Epístola de Tiago menciona outro aspecto da verdadeira religião: guardar-se da corrupção do mundo. Pr.MoisésSampaiodePaula 53 3. Guardando-se da corrupção (v.27).
  • 54. III. A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27) • A religião falsa está mergulhada: 1. No egoísmo, 2. Na corrupção e 3. Nos interesses maléficos do sistema pecaminoso. Pr.MoisésSampaiodePaula 54 3. Guardando-se da corrupção (v.27).
  • 55. III. A RELIGIÃO PURA E VERDADEIRA (Tg 1.26,27) • A igreja deve manter-se longe da corrupção. •Estamos no mundo, mas não fazemos parte do seu sistema! • O Evangelho nada tem com os seus valores e preceitos Pr.MoisésSampaiodePaula 55 3. Guardando-se da corrupção (v.27).
  • 56. SINOPSE DO TÓPICO (3) Pr.MoisésSampaiodePaula 56 A verdadeira religião está em olharmos para o necessitado, irmos até ele e acolhê-lo.
  • 57. Perguntas Pr.MoisésSampaiodePaula 57 5. Segundo a lição, qual é a religião que agrada a Deus? R. A religião que agrada a Deus é aquela cujos discípulos professam e bendizem o seu nome, visitando e acolhendo os necessitados nas suas aflições.
  • 58. Conclusão • Nessa semana aprendemos sobre o cuidado que devemos ter com o ouvir e o falar. Estudamos também acerca da religião pura e imaculada que alegra a Deus: visitar os órfãos e as viúvas nas tribulações e guardarmo-nos da corrupção do mundo. Pr.MoisésSampaiodePaula 58
  • 59. Conclusão • Que os nossos ouvidos estejam prontos para ouvir, a nossa língua para falar sabiamente e a nossa vida para praticar tudo quanto aprendemos do Evangelho. Embora estejamos em um mundo turbulento, devemos exalar o bom perfume de Cristo por onde formos (2 Co 2.15). Pr.MoisésSampaiodePaula 59
  • 60. Subsídio Bibliológico Pr.MoisésSampaiodePaula 60 A U X Í L I O B I B L I O G R Á F I C O I Subsídio Histórico-Cultural "Se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor, é semelhante ao varão que contempla ao espelho o seu rosto natural; porque se contempla a si mesmo, e foi-se, e logo se esqueceu de como era (1.23,24). O verbo traduzido como 'contempla' é katanoounti, que indica 'um escrutínio atento'. Esta pequena alegoria descreve uma pessoa que encontra um espelho e olha intensamente para si mesma. A alegoria depende de uma questão simples. Por que as pessoas olham-se no espelho? Embora alguns possam simplesmente desejar admirar-se, na maioria dos casos nós olhamos no espelho para guiar nossos atos. Como devo pentear o meu cabelo? Meu rosto está sujo? E nós agimos com base no que vemos. Mas o que acontece se olharmos com atenção, e nos afastarmos, simplesmente esquecendo a sujeira em nosso rosto, ou aquela mecha que fica em pé de maneira tão selvagem? Então o espelho terá provado ser totalmente irrelevante e nosso exame completamente sem significado. Da mesma maneira, Tiago argumenta que olhar para a Palavra de Deus e não agir de acordo com o que vemos ali significa que o que encontramos nas Escrituras não tem significado para nós. Não é a pessoa que conhece o que diz a Bíblia que é abençoada, mas sim a pessoa que faz o que a Bíblia diz (RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, p.514).
  • 61. Subsídio Bibliológico Pr.MoisésSampaiodePaula 61 A U X Í L I O B I B L I O G R Á F I C O I I Subsídio Teológico "A Religião Pura e Imaculada (1.26,27). Fazendo eco com seu conselho anterior de ser 'tardio no falar' (1.19), e antecipando discussões mais detalhadas do discurso humano que aparecerão posteriormente (3.2-12; 4.11-16), Tiago revela, nesse ponto, que um dos sinais para se saber se o comportamento religioso de alguém é ou não agradável a Deus, é a capacidade de 'manter a língua sob rédeas curtas'. Nesse conselho ele inclui a proibição contra discursos vulgares ou mal intencionados, porém os dois exemplos de discurso impróprio, colocados imediatamente após essa declaração, ilustram outras ofensas da linguagem humana que devem ser refreadas pelos cristãos. Os crentes devem estar seguros de que suas palavras e suas ações sejam consistentes umas com as outras. Tiago ilustra esse problema, ao lembrar a seus leitores que já ofenderam a honra das pessoas que estão a seu lado, e que também acreditam que Deus está especialmente preocupado com o uso de uma linguagem que mostre favoritismo dentro da comunidade da fé, o que destrói a unidade da vontade de Deus (2.1-5). O discurso humano tanto pode ser usado como sinal dos cuidados de uma piedade religiosa como serve até de pretexto para a falta da prática daqueles atos que Deus poderia desejar (2.15,16). Assim, os crentes deveriam falar apenas daquilo que estão desejosos de colocar em prática: devem 'praticar o que pregam', e não cair em 'vazios religiosos'. Uma pessoa que não controla sua língua, seu modo de falar, engana a si próprio, e sua religião não serve para nada (v.26). [...] Aos olhos de Deus, uma religião pura e imaculada tem tanto a ver com o que fazemos como com o que deixamos de fazer. Em parte por ter suas raízes nos movimentos de renovação da santidade, em parte por causa de sua rejeição ao 'movimento do evangelho social' do início do século vinte, os pentecostais foram rápidos em realçar a santidade das pessoas e lentos ao se pronunciar a respeito da responsabilidade social. Tiago nos lembra que isso não é uma questão de 'fazer isto ou aquilo' mas de fazer 'tanto isto como aquilo'" (STRONSTAD, Roger; ARRINGTON, French L. (Eds.) Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento. 4.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2004, pp.1669,70).
  • 62. Pr.MoisésSampaiodePaula 62 Pr. Moisés Sampaio • Pastor auxiliar da Igreja Assembleia de Deus em Rio Branco, AC, Brasil. • Palestrante de seminários e pregador no Brasil e exterior. • Contato