SlideShare uma empresa Scribd logo
O CIRCUITO DE PRODUÇÃO
O ESPAÇO INDUSTRIAL
Escola Estadual CELSO HENRIQUE
TOZZI
2º SÉRIES DO ENSINO MÉDIO 2º BIMESTRE
PROFESSOR GILBERTO
O circuito de produção e  o espaço industrial
• O Brasil teve uma industrialização tardia
•A coroa portuguesa proibia a instalação
do comércio manufatureiro no Brasil
O circuito de produção e  o espaço industrial
O circuito de produção e  o espaço industrial
• A industrialização contribui, principalmente,
para a intensa e rápida urbanização do
território, bem como para as concentrações
econômica, populacional, de infraestrutura e
de investimentos financeiros.
O circuito de produção e  o espaço industrial
O circuito de produção e  o espaço industrial
O circuito de produção e  o espaço industrial
• São Paulo, em função de sua posição geográfica
estratégica e da herança econômica ofertada
pela produção cafeeira, que conferiram a essa
cidade uma ligação com o Oeste e com o Porto
de Santos através das ferrovias.
O circuito de produção e  o espaço industrial
O espaço rural e a
produção agropecuária
Organização agrícola
A Revolução Verde
▶ Cada país do seu jeito
▶ País desenvolvido e país subdesenvolvido
▶ Modernização das técnicas
▶ Telecomunicação no espaço rural
▶ Administração da propriedade e dos
investimentos
▶ O principal apoiador da agricultura familiar é o
Programa Nacional de Fortalecimento da
Agricultura Familiar (Pronaf).
Agricultura familiar
▶ Grande parte do abastecimento nas cidades
▶ Funcionamento do mesmo
Agricultura Empresarial
▶  Invenção e disseminação de novas sementes e
práticas agrícolas.
Revolução Verde
Regime Militar 1964 a 1988
Regime Militar
O regime militar foi o período em que militares conduziram o país.
Essa época ficou marcada na história do Brasil através de Atos
Institucionais que colocavam em prática a censura, a perseguição
política, a supressão de direitos constitucionais, a falta total de
democracia e a repressão àqueles que eram contrários ao regime
militar.
A ditadura militar teve seu inicio com o golpe militar de 1964,
resultando no afastamento do Presidente João Goulart, e
tomando o poder o Marechal Castelo Branco. Foi caracterizado
por personagens afinados como uma revolução instituiu no país
uma ditadura militar, que durou até a eleição de Tancredo Neves
em 1985. Os militares justificam, alegação de uma ameaça
comunista no país.
Golpe Militar de 1964O Golpe Militar marca uma série de
ocorridos no Brasil, e que culminaram
em um golpe de estado no dia 1 de
abril de 1964. esse golpe pôs fim ao
mandato do presidente João Goulart
(Jango), que havia sido de forma
democrática, eleito pelo Partido
Trabalhista Brasileiro (PTB).
Após a tomada de poder pelos
militares, foi estabelecido o AI-1 que
dava ao governo militar o podre de
modificar a constituição, anular
mandatos legislativos, interromper
direitos políticos por 10 anos e
demitir, colocar em disponibilidade ou
compulsoriamente qualquer pessoa
que fosse contra a segurança do
país, o regime democrático e a
probidade da administração pública,
além de determinar eleições indiretas
para a presidência da Republica.
Retirada de Poder
Durante o regime, ocorreu um fortalecimento do poder
Executivo como um regime de exceção, se atribuiu a função
de legislar, em detrimento dos outros poderes.
O Alto Comando das Forças Armadas passou a controlar a
sucessão presidencial, indicando um candidato militar que era
referendado pelo Congresso Nacionais
Liberdade de expressão
A liberdade de expressão era quase inexistente. Partidos
políticos, sindicatos, agremiações estudantis e outras
organizações representativas da sociedade foram suprimidas
ou sofrerem interferências do governo.
Os meios de comunicação e as manifestações artísticas
foram reprimidas pela censura.
A década de 60 iniciou, um período de grandes
transformações na economia do brasil, de modernização da
indústria e de abertura ao capital estrangeiros e do
endividamento externo.
Governo Castello Branco (1964-1967)
Castello Branco, general militar, foi eleito pelo
Congresso Nacional em 1964. em seu
pronunciamento, declarou defender a democracia,
porém ao começar, assume uma posição autoritária.
Estabeleceu eleições indiretas, além de dissolver os
partidos. Vários parlamentares tiveram seus
mandatos cassados, cidadãos tiveram seus direitos
cancelados.
Em seu governo, foi instituído o bipartidarismo. Só
estavam autorizados o funcionamento de dois
partidos: Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e a
Aliança Renovada Nacional (ARENA). Enquanto o
primeiro era de oposição, de certa forma controlada, o
segundo representava os militares .
Governo Costa e Silva (1967-1969)
Em 1967, assume a presidência o General Arthur da Costa e
Silva, após ser eleito pelo Congresso Nacional. Seu governo é
marcado por protestos e manifestações. A oposição ao regime
militar cresce no país. A UNE (União Nacional dos Estudantes)
organiza a passeata dos Cem Mil.
Em Contagem (MG) e Osasco (SP), greves de operários paralisam
fabricas em protesto.
A guerrilha urbana começa a se organizar. Assaltam bancos e
sequestram embaixadores para obterem fundos para o movimento
de oposição armada.
No dia 13 de dezembro de 1968, o governo decreta o Alto
Institucional Número 5 ( AI-5). Aposentou juízes, cassou
mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e
aumentou a repressão militar e policial.
Junta Militar (1969)
Doente, Costa e Silva foi substituído
por uma junta militar formada pelos
ministros Aurélio Tavares (Exercito),
Augusto Rademaker (Marinha) e
Márcio Melo (Aeronáutica).
Dois grupos de esquerda
sequestraram o embaixador do EUA.
Os guerrilheiros exigem a libertação
de 15 presos políticos. Porem, em
18 de setembro, o governo decreta a
Lei de Segurança Nacional.
Decretava o exilio e a pena de morte
em caso de “guerra psicológica
adversa, ou revolucionaria, ou
adversativa.”
No final de 1969, Carlos Mariguella,
foi morto pelas Forças de repressão
em São Paulo.
Governo Medici (1969-1974)
Em 1969, a Junta Militar escolhe
um novo presidente: O General
Emilio Medici. Seu governo é
considerado mais duro e
repressivo do período “Anos de
Chumbo”. A repressão a luta
amada cresce censuras é
colocado em execução. Muitos
professores, políticos, músicos,
artistas e escritores são
investigados, presos, torturado ou
exilado do país. O DOI-Codi
( Destacamento de Operações e
Informações e ao Centro de
Operações de Defesa Interna) atua
como centro de investigação e
repressão do governo militar
O Milagre Econômico
Na área econômico o pais
crescia rapidamente. Este
período (1969-1973) ficou
conhecido como a época do
milagre econômico. O PIB
Brasileiro crescia ao uma
taxa de quase 12 % ao ano ,
enquanto a inflação beirava
18%. Com investimentos
internos geraram milhões de
empregos .
Porem, todo esse
crescimento teve um custo
altíssimo. O empréstimo
estrangeiros geraram um
divida externa elevada para
os padrões econômicos .
Governo de Geisel (1974-1979)Em 1974 assume o General Ernesto Geisel
que começa um lento processo de transição
rumo a democracia . Seu governo coincide
com o fim do milagre econômico e com a
insatisfação popular em alta taxas. A crise
do petróleo e a recessão mundial interferi na
economia. Geisel anuncia a abertura politica
lenta, gradual e segura. Nas eleições de 74
o MDB conquista 59% dos votos para o
Senado, 48% da Câmara dos Deputados e
ganha a maioria das grandes cidades .
Os Militares, não contentes do governo
começa a promover ataques clandestinos
aos membros da esquerda . Em 1975 o
jornalista Vladimir Herzog e assassinado em
São Paulo, nas dependências do DOI-Codi .
Em Janeiro de 76 o operário Manuel Fiel
filho aparece morto em situação
semelhante.
Em 1978 , Geisel acaba com o AI-5,
restaura o habeas-corpus e abre caminho
para a volta da democracia .
Governo Figueiredo (1979-1985)
A vitória MDB nas eleições de 1978 acelera o
processo de redemocratização. O General
Figueiredo decreta a Lei da Anistia, concedendo o
direito de retorno ao Brasil para os exilados e
condenados por crimes políticos. Continuam com
repressão clandestina. Cartas-bombas são
colocadas em órgãos da OAB (Ordem dos
Advogados do Brasil). No dia 30 de abril de 1981
uma bomba explode um show no centro de
convenções do Rio Centro. O atentado
provavelmente promovido por militares embora ate
hoje nada tenha sido provado.
Em 1979, o governo prova Lei que estabelece o
pluripartidarismo no pais. Os partidos voltam a
funcionar dentro da normalidade. A ARENA muda o
nome passa a ser PDS, enquanto o MDB passa a
ser PMDB. Outros partidos são criados: partidos dos
Trabalhadores (PT) e o Partido Democrático
Trabalhista (PDT).
Fim da Ditadura Militar
A redemocratização e a Campanha pelas Direitas já
Nos últimos anos do governo militar, o Brasil apresenta vários problemas. A inflação
é alta e a redenção também. Enquanto isso a oposição ganha terreno com o
surgimento de partidos e com o fortalecimento do sindicatos.
Em 1984, milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já. O
movimento era favorável que garantiam eleições diretas para presidente naquele ano.
Para a decepção do povo, a emenda não foi aprovada pela Câmara dos Deputados.
No dia 15 de Janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheria o deputado Tancredo
Neves, que concorreu com Paulo Maluf, como novo presidente da Republica. Ele fazia
parte da Aliança Democrática- PMDB.
Era o fim do Regime Militar. Porem, Tancredo Neves fica doente antes de assumir e
acaba falecendo. Assume o Vice-presidente José Sarney. Em 1988 é aprovada uma
nova constituição para o Brasil. A Constituição de 1988 apagou os rastros da Ditadura
Militar e estabeleceu princípios democráticos no pais.
“Década Perdida”
Década Perdida
Os ano 80 foi chamada de década perdida no que se refere
ao desenvolvimento econômico. Vivido pelo brasil e por
outros países da América Latina, período de estagnação
formou-se com uma retração agressiva da produção
industrial.
Durante os anos 80, foram verificadas reduções no PIB
(Produto Interno Bruto), sendo que o crescimento médio que
era de 7% (anos 70) caiu para 2% na década de 80.
Costuma-se dizer que foram o enterro da expansão nos anos
70, que ficou conhecida como milagre econômico.
Década Perdida
Dentre este panorama conturbado da
economia surgem diversas tentativas de
reformas monetárias. Porém, todas estas
tentativas terminam em fracassos e os
resultados demonstram-se sem efetividade no
mantimento da estabilidade econômica.
Foi promulgada a Constituição de 1988,
que tornou o fim da Ditadura uma realidade.
Recuperada a participação da população nas
eleições, que levou Fernando Collor de Melo
ao poder no começo dos anos 90.
Década Perdida
Fim dos anos 80, com o fim da Guerra Fria, o brasil ampliou
o processo de abertura da economia. Entretanto, na década
de 90, o presidente eleito frustrou todas as esperanças de
estabilização. Collor conseguiu desagradar grande parte da
classe media brasileira e sofreu um processo de
Impeachment.
Assim Itamar Franco assumiu a presidência.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula ditadura militar
Aula ditadura militarAula ditadura militar
Aula ditadura militar
Cristiano Santana
 
Slides - A real face do regime militar brasileiro
Slides - A real face do regime militar brasileiroSlides - A real face do regime militar brasileiro
Slides - A real face do regime militar brasileiro
Stêvão Clós Limana
 
A Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No BrasilA Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No Brasil
brunourbino
 
Ditadura militar no_brasil
Ditadura militar no_brasilDitadura militar no_brasil
Ditadura militar no_brasil
Itamar Silva
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
Plínio José Inácio
 
A ditadura militar
A ditadura militarA ditadura militar
A ditadura militar
Gilmar Rodrigues
 
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
7 de Setembro
 
Ditadura militar no Brasil - resumo
Ditadura militar no Brasil - resumoDitadura militar no Brasil - resumo
Ditadura militar no Brasil - resumo
Cecília Chagas
 
Regime militar
Regime militarRegime militar
Regime militar
eunamahcado
 
O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)
O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)
O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)
Privada
 
Brasil Ditadura Militar
Brasil Ditadura MilitarBrasil Ditadura Militar
Brasil Ditadura Militar
Alexandre Protásio
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
João Gonçalves Macedo
 
A ditadura militar e a educacao no brasil revisado
A ditadura militar e a educacao no brasil revisadoA ditadura militar e a educacao no brasil revisado
A ditadura militar e a educacao no brasil revisado
Qualificar Empreendedorismo Educacional
 
A Ditadura Militar
A Ditadura MilitarA Ditadura Militar
A Ditadura Militar
Wladmir Coelho
 
Regime Militar Brasileiro - 1964
Regime Militar Brasileiro - 1964Regime Militar Brasileiro - 1964
Regime Militar Brasileiro - 1964
Aline Oliveira
 
Ditadura militar brasileira 1964 1985
Ditadura militar brasileira 1964   1985Ditadura militar brasileira 1964   1985
Ditadura militar brasileira 1964 1985
Ócio do Ofício
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
Fatima Freitas
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
Kelson Barbosa
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
edsonfgodoy
 
Ditadura militar 1964 1985
Ditadura militar 1964 1985Ditadura militar 1964 1985
Ditadura militar 1964 1985
luciana
 

Mais procurados (20)

Aula ditadura militar
Aula ditadura militarAula ditadura militar
Aula ditadura militar
 
Slides - A real face do regime militar brasileiro
Slides - A real face do regime militar brasileiroSlides - A real face do regime militar brasileiro
Slides - A real face do regime militar brasileiro
 
A Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No BrasilA Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No Brasil
 
Ditadura militar no_brasil
Ditadura militar no_brasilDitadura militar no_brasil
Ditadura militar no_brasil
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
 
A ditadura militar
A ditadura militarA ditadura militar
A ditadura militar
 
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
 
Ditadura militar no Brasil - resumo
Ditadura militar no Brasil - resumoDitadura militar no Brasil - resumo
Ditadura militar no Brasil - resumo
 
Regime militar
Regime militarRegime militar
Regime militar
 
O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)
O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)
O Populismo; A República Liberal; Período Democrático. (1946 – 1964)
 
Brasil Ditadura Militar
Brasil Ditadura MilitarBrasil Ditadura Militar
Brasil Ditadura Militar
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
 
A ditadura militar e a educacao no brasil revisado
A ditadura militar e a educacao no brasil revisadoA ditadura militar e a educacao no brasil revisado
A ditadura militar e a educacao no brasil revisado
 
A Ditadura Militar
A Ditadura MilitarA Ditadura Militar
A Ditadura Militar
 
Regime Militar Brasileiro - 1964
Regime Militar Brasileiro - 1964Regime Militar Brasileiro - 1964
Regime Militar Brasileiro - 1964
 
Ditadura militar brasileira 1964 1985
Ditadura militar brasileira 1964   1985Ditadura militar brasileira 1964   1985
Ditadura militar brasileira 1964 1985
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
 
Ditadura militar 1964 1985
Ditadura militar 1964 1985Ditadura militar 1964 1985
Ditadura militar 1964 1985
 

Semelhante a O circuito de produção e o espaço industrial

Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
guiurey
 
Trabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historiaTrabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historia
Mateus Cabral
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Evaldo Lopes
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Karina Reimberg
 
Regime Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Regime Militar no Brasil - Prof. Altair AguilarRegime Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Regime Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
A Ditadura Militar no Brasil
A Ditadura Militar no Brasil A Ditadura Militar no Brasil
A Ditadura Militar no Brasil
Adna Myrella
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar disma
Dismael Sagás
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Ana Paula Silva
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
Jainny F.
 
Texto ditadura 2[1]
Texto ditadura 2[1]Texto ditadura 2[1]
Texto ditadura 2[1]
PIBIDSolondeLucena
 
Brasil contemporâneo rep. parte ii
Brasil contemporâneo   rep. parte iiBrasil contemporâneo   rep. parte ii
Brasil contemporâneo rep. parte ii
Silvia Basso
 
Ditadura 1964
Ditadura 1964Ditadura 1964
Ditadura 1964
BelbelAntunes
 
Ditadura Militar 1964 a 1985 , processo educacional e político
Ditadura Militar 1964 a 1985 , processo educacional e políticoDitadura Militar 1964 a 1985 , processo educacional e político
Ditadura Militar 1964 a 1985 , processo educacional e político
amaurygalvaoag
 
Comissaodaverdade
ComissaodaverdadeComissaodaverdade
Comissaodaverdade
aulasdejornalismo
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
Daniel Alves Bronstrup
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
Daniel Alves Bronstrup
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
Daniel Alves Bronstrup
 
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
RobsonAbreuProfessor
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Elaine Bogo Pavani
 

Semelhante a O circuito de produção e o espaço industrial (20)

Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
 
Trabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historiaTrabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historia
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Regime Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Regime Militar no Brasil - Prof. Altair AguilarRegime Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
Regime Militar no Brasil - Prof. Altair Aguilar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
A Ditadura Militar no Brasil
A Ditadura Militar no Brasil A Ditadura Militar no Brasil
A Ditadura Militar no Brasil
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar disma
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
 
Texto ditadura 2[1]
Texto ditadura 2[1]Texto ditadura 2[1]
Texto ditadura 2[1]
 
Brasil contemporâneo rep. parte ii
Brasil contemporâneo   rep. parte iiBrasil contemporâneo   rep. parte ii
Brasil contemporâneo rep. parte ii
 
Ditadura 1964
Ditadura 1964Ditadura 1964
Ditadura 1964
 
Ditadura Militar 1964 a 1985 , processo educacional e político
Ditadura Militar 1964 a 1985 , processo educacional e políticoDitadura Militar 1964 a 1985 , processo educacional e político
Ditadura Militar 1964 a 1985 , processo educacional e político
 
Comissaodaverdade
ComissaodaverdadeComissaodaverdade
Comissaodaverdade
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
 
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
3ano-ditaduraedemocracianobrasil-210929030546.pptx
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 

Último

Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Yan Kayk da Cruz Ferreira
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
Vanessa F. Rezende
 

Último (20)

Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFVRegistros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
Registros da 8ª edição da FECINTEC - AFV
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
 

O circuito de produção e o espaço industrial

  • 1. O CIRCUITO DE PRODUÇÃO O ESPAÇO INDUSTRIAL Escola Estadual CELSO HENRIQUE TOZZI 2º SÉRIES DO ENSINO MÉDIO 2º BIMESTRE PROFESSOR GILBERTO
  • 3. • O Brasil teve uma industrialização tardia •A coroa portuguesa proibia a instalação do comércio manufatureiro no Brasil
  • 6. • A industrialização contribui, principalmente, para a intensa e rápida urbanização do território, bem como para as concentrações econômica, populacional, de infraestrutura e de investimentos financeiros.
  • 10. • São Paulo, em função de sua posição geográfica estratégica e da herança econômica ofertada pela produção cafeeira, que conferiram a essa cidade uma ligação com o Oeste e com o Porto de Santos através das ferrovias.
  • 12. O espaço rural e a produção agropecuária Organização agrícola A Revolução Verde
  • 13. ▶ Cada país do seu jeito ▶ País desenvolvido e país subdesenvolvido ▶ Modernização das técnicas ▶ Telecomunicação no espaço rural
  • 14. ▶ Administração da propriedade e dos investimentos ▶ O principal apoiador da agricultura familiar é o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Agricultura familiar
  • 15. ▶ Grande parte do abastecimento nas cidades ▶ Funcionamento do mesmo Agricultura Empresarial
  • 16. ▶  Invenção e disseminação de novas sementes e práticas agrícolas. Revolução Verde
  • 18. Regime Militar O regime militar foi o período em que militares conduziram o país. Essa época ficou marcada na história do Brasil através de Atos Institucionais que colocavam em prática a censura, a perseguição política, a supressão de direitos constitucionais, a falta total de democracia e a repressão àqueles que eram contrários ao regime militar. A ditadura militar teve seu inicio com o golpe militar de 1964, resultando no afastamento do Presidente João Goulart, e tomando o poder o Marechal Castelo Branco. Foi caracterizado por personagens afinados como uma revolução instituiu no país uma ditadura militar, que durou até a eleição de Tancredo Neves em 1985. Os militares justificam, alegação de uma ameaça comunista no país.
  • 19. Golpe Militar de 1964O Golpe Militar marca uma série de ocorridos no Brasil, e que culminaram em um golpe de estado no dia 1 de abril de 1964. esse golpe pôs fim ao mandato do presidente João Goulart (Jango), que havia sido de forma democrática, eleito pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Após a tomada de poder pelos militares, foi estabelecido o AI-1 que dava ao governo militar o podre de modificar a constituição, anular mandatos legislativos, interromper direitos políticos por 10 anos e demitir, colocar em disponibilidade ou compulsoriamente qualquer pessoa que fosse contra a segurança do país, o regime democrático e a probidade da administração pública, além de determinar eleições indiretas para a presidência da Republica.
  • 20. Retirada de Poder Durante o regime, ocorreu um fortalecimento do poder Executivo como um regime de exceção, se atribuiu a função de legislar, em detrimento dos outros poderes. O Alto Comando das Forças Armadas passou a controlar a sucessão presidencial, indicando um candidato militar que era referendado pelo Congresso Nacionais
  • 21. Liberdade de expressão A liberdade de expressão era quase inexistente. Partidos políticos, sindicatos, agremiações estudantis e outras organizações representativas da sociedade foram suprimidas ou sofrerem interferências do governo. Os meios de comunicação e as manifestações artísticas foram reprimidas pela censura. A década de 60 iniciou, um período de grandes transformações na economia do brasil, de modernização da indústria e de abertura ao capital estrangeiros e do endividamento externo.
  • 22. Governo Castello Branco (1964-1967) Castello Branco, general militar, foi eleito pelo Congresso Nacional em 1964. em seu pronunciamento, declarou defender a democracia, porém ao começar, assume uma posição autoritária. Estabeleceu eleições indiretas, além de dissolver os partidos. Vários parlamentares tiveram seus mandatos cassados, cidadãos tiveram seus direitos cancelados. Em seu governo, foi instituído o bipartidarismo. Só estavam autorizados o funcionamento de dois partidos: Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e a Aliança Renovada Nacional (ARENA). Enquanto o primeiro era de oposição, de certa forma controlada, o segundo representava os militares .
  • 23. Governo Costa e Silva (1967-1969) Em 1967, assume a presidência o General Arthur da Costa e Silva, após ser eleito pelo Congresso Nacional. Seu governo é marcado por protestos e manifestações. A oposição ao regime militar cresce no país. A UNE (União Nacional dos Estudantes) organiza a passeata dos Cem Mil. Em Contagem (MG) e Osasco (SP), greves de operários paralisam fabricas em protesto. A guerrilha urbana começa a se organizar. Assaltam bancos e sequestram embaixadores para obterem fundos para o movimento de oposição armada. No dia 13 de dezembro de 1968, o governo decreta o Alto Institucional Número 5 ( AI-5). Aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.
  • 24. Junta Militar (1969) Doente, Costa e Silva foi substituído por uma junta militar formada pelos ministros Aurélio Tavares (Exercito), Augusto Rademaker (Marinha) e Márcio Melo (Aeronáutica). Dois grupos de esquerda sequestraram o embaixador do EUA. Os guerrilheiros exigem a libertação de 15 presos políticos. Porem, em 18 de setembro, o governo decreta a Lei de Segurança Nacional. Decretava o exilio e a pena de morte em caso de “guerra psicológica adversa, ou revolucionaria, ou adversativa.” No final de 1969, Carlos Mariguella, foi morto pelas Forças de repressão em São Paulo.
  • 25. Governo Medici (1969-1974) Em 1969, a Junta Militar escolhe um novo presidente: O General Emilio Medici. Seu governo é considerado mais duro e repressivo do período “Anos de Chumbo”. A repressão a luta amada cresce censuras é colocado em execução. Muitos professores, políticos, músicos, artistas e escritores são investigados, presos, torturado ou exilado do país. O DOI-Codi ( Destacamento de Operações e Informações e ao Centro de Operações de Defesa Interna) atua como centro de investigação e repressão do governo militar
  • 26. O Milagre Econômico Na área econômico o pais crescia rapidamente. Este período (1969-1973) ficou conhecido como a época do milagre econômico. O PIB Brasileiro crescia ao uma taxa de quase 12 % ao ano , enquanto a inflação beirava 18%. Com investimentos internos geraram milhões de empregos . Porem, todo esse crescimento teve um custo altíssimo. O empréstimo estrangeiros geraram um divida externa elevada para os padrões econômicos .
  • 27. Governo de Geisel (1974-1979)Em 1974 assume o General Ernesto Geisel que começa um lento processo de transição rumo a democracia . Seu governo coincide com o fim do milagre econômico e com a insatisfação popular em alta taxas. A crise do petróleo e a recessão mundial interferi na economia. Geisel anuncia a abertura politica lenta, gradual e segura. Nas eleições de 74 o MDB conquista 59% dos votos para o Senado, 48% da Câmara dos Deputados e ganha a maioria das grandes cidades . Os Militares, não contentes do governo começa a promover ataques clandestinos aos membros da esquerda . Em 1975 o jornalista Vladimir Herzog e assassinado em São Paulo, nas dependências do DOI-Codi . Em Janeiro de 76 o operário Manuel Fiel filho aparece morto em situação semelhante. Em 1978 , Geisel acaba com o AI-5, restaura o habeas-corpus e abre caminho para a volta da democracia .
  • 28. Governo Figueiredo (1979-1985) A vitória MDB nas eleições de 1978 acelera o processo de redemocratização. O General Figueiredo decreta a Lei da Anistia, concedendo o direito de retorno ao Brasil para os exilados e condenados por crimes políticos. Continuam com repressão clandestina. Cartas-bombas são colocadas em órgãos da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). No dia 30 de abril de 1981 uma bomba explode um show no centro de convenções do Rio Centro. O atentado provavelmente promovido por militares embora ate hoje nada tenha sido provado. Em 1979, o governo prova Lei que estabelece o pluripartidarismo no pais. Os partidos voltam a funcionar dentro da normalidade. A ARENA muda o nome passa a ser PDS, enquanto o MDB passa a ser PMDB. Outros partidos são criados: partidos dos Trabalhadores (PT) e o Partido Democrático Trabalhista (PDT).
  • 29. Fim da Ditadura Militar A redemocratização e a Campanha pelas Direitas já Nos últimos anos do governo militar, o Brasil apresenta vários problemas. A inflação é alta e a redenção também. Enquanto isso a oposição ganha terreno com o surgimento de partidos e com o fortalecimento do sindicatos. Em 1984, milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já. O movimento era favorável que garantiam eleições diretas para presidente naquele ano. Para a decepção do povo, a emenda não foi aprovada pela Câmara dos Deputados. No dia 15 de Janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheria o deputado Tancredo Neves, que concorreu com Paulo Maluf, como novo presidente da Republica. Ele fazia parte da Aliança Democrática- PMDB. Era o fim do Regime Militar. Porem, Tancredo Neves fica doente antes de assumir e acaba falecendo. Assume o Vice-presidente José Sarney. Em 1988 é aprovada uma nova constituição para o Brasil. A Constituição de 1988 apagou os rastros da Ditadura Militar e estabeleceu princípios democráticos no pais.
  • 31. Década Perdida Os ano 80 foi chamada de década perdida no que se refere ao desenvolvimento econômico. Vivido pelo brasil e por outros países da América Latina, período de estagnação formou-se com uma retração agressiva da produção industrial. Durante os anos 80, foram verificadas reduções no PIB (Produto Interno Bruto), sendo que o crescimento médio que era de 7% (anos 70) caiu para 2% na década de 80. Costuma-se dizer que foram o enterro da expansão nos anos 70, que ficou conhecida como milagre econômico.
  • 32. Década Perdida Dentre este panorama conturbado da economia surgem diversas tentativas de reformas monetárias. Porém, todas estas tentativas terminam em fracassos e os resultados demonstram-se sem efetividade no mantimento da estabilidade econômica. Foi promulgada a Constituição de 1988, que tornou o fim da Ditadura uma realidade. Recuperada a participação da população nas eleições, que levou Fernando Collor de Melo ao poder no começo dos anos 90.
  • 33. Década Perdida Fim dos anos 80, com o fim da Guerra Fria, o brasil ampliou o processo de abertura da economia. Entretanto, na década de 90, o presidente eleito frustrou todas as esperanças de estabilização. Collor conseguiu desagradar grande parte da classe media brasileira e sofreu um processo de Impeachment. Assim Itamar Franco assumiu a presidência.