SlideShare uma empresa Scribd logo
Liderança do PT na Alesp
Liderança do PT na Alesp
. O grupo Alstom é uma empresa multinacional francesa que fornece
trens, material ferroviário e equipamentos para sistemas de energia.
. O Ministério Público da Suíça, a partir de investigações iniciadas em
2004, constatou o pagamento de propinas do grupo Alstom para o alto
escalão do governo paulista.
. O percentual médio da propina era inicialmente de 8% sobre o valor
dos contratos e superfaturamento de 30%.
. Esses pagamentos foram para subornar autoridades e, com isso,
“comprar” licitações e prolongar contratos de forma irregular, muitos
por mais de 20 anos.
Principais autoridades envolvidas:
. Jorge Fagali Neto: ex- secretário estadual de Transporte e irmão do presidente do Metrô
no governo Serra. O Ministério Público suíço bloqueou uma de suas contas no exterior no
valor de US$ 7,5 milhões;
. Robson Marinho: ex- chefe da Casa Civil do governo Covas e atual conselheiro do
Tribunal de Contas do Estado de São Paulo;
. Luiz Carlos Frayze David: ex-presidente do Metrô de SP, foi um dos acusados pelo
acidente na linha 4. É conselheiro da Dersa, responsável pelo Rodoanel. Na sua gestão no
DER e no Metrô, acumulou contratos julgados irregulares pelo Tribunal de Contas no valor
de R$ 658 milhões;
. Benedito Dantas Chiarardia: ex-diretor da Dersa. Envolvido em vários contratos
irregulares na CPTM e em outras secretarias no valor de R$ 325 milhões;
. José Luiz Alquéres: ex- presidente da Alstom. Preside atualmente a Light do Rio de
Janeiro;
. José Sidnei Colombo Martini: diretor da Alstom/Cegelec até 1999 e, na sequência,
presidente da CTEEP (Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista), antes e
depois da privatização;
. Claudio de Senna Frederico: secretário de Transportes Metropolitanos, na gestão
Mário Covas.
. A Siemens é uma empresa multinacional alemã que, entre outras atividades,
fabrica e reforma trens e outros equipamentos.
. Denúncias mostram que a Siemens também pagou propinas aos governos Covas,
Alckmin e Serra, atuando junto com o grupo Alstom.
. O principal contrato se refere à fase I da linha 5 da CPTM entre Capão Redondo
e Largo Treze, construída entre 2001 e 2005. O valor corrigido da obra é de R$ 1,3
bilhão, recebido pelo consórcio formado pela Alstom e pela Siemens. O valor da
propina paga chegou a R$ 105 milhões (8% do valor da obra) e o
superfaturamento de 30%, que seria de R$ 394 milhões.
. Estes pagamentos foram realizados através das off shores Leraway Consulting
S/A (Procint projetos e consultoria internacional) e Gantown Consulting
S/A (Constech Assessoria e Consultoria Internacional Ltda).
. As filiais brasileiras destas empresas doaram para a campanha de Alckmin e
acompanharam a licitação da Parceria Público Privada da Linha 4 do Metrô de SP.
Principais envolvidos:
. Atual presidente da CPTM, Mário Manuel Seabra
Rodrigues Bandeira, com contratos e aditamentos
julgados irregulares no valor de R$ 915 milhões, e o atual
diretor de Operação e Manutenção, José Luiz
Lavorente;
. O atual secretário de Transportes Metropolitanos: Jurandir
Fernando Ribeiro Fernandes, que também ocupou o
mesmo cargo na gestão anterior do governador Geraldo
Alckmin.
Além das empresa Siemens e Alstom, participaram do
esquema fraudulento gigantes internacionais da área de
transportes e infraestrutura:
. a canadense Bombardier,
. as espanholas CAF e Temoinsa,
. a sueco-suíça ABB e
. a japonesa Mitsui.
A investigação inclui, ainda, a TTrans, de Giavina-Bianchi, e
empresas de menor porte como a Tejofran, a MGE, a TCBR
Tecnologia, a Iesa e a Serveng-Civilsan.
. Construção da fase 1 da Linha 5 do Metrô;
. Projeto Boa Viagem da CPTM (2005 a 2010), para reforma,modernização e
serviço de manutenção de trens;
. Extensão da Linha 2 do Metrô;
. Construção e PPP da linha 4 do Metrô;
. Concorrências para aquisição de trens pela CPTM, com previsão de
desenvolvimento de sistemas, treinamento de pessoal, apoio técnico e
serviços complementares;
. Concorrência para a manutenção dos trens das Séries – 2000;
. Concorrência para a manutenção dos trens das Séries - 3000;
. Concorrência para a manutenção dos trens das Séries - 2100.
. Este levantamento tem como fonte de informações o site do
Tribunal de Contas do Estado – TCE - e diversas pesquisas
realizadas na internet.
. O TCE, na maior parte dos casos julgados, traz apenas
informações do valor original do contrato e deixa de declarar os
valores dos seus aditivos e de suas prorrogações.
. Na maioria dos julgamentos consultados, não há informações
sobre o valor gasto com cada contrato.
. Os valores foram atualizados pelo IGP-DI até junho de 2013.
Em 2004, as investigações do caso Alstom e Siemens começaram na
Suíça.
A Liderança do PT fez levantamentos dos contratos do caso Alstom e
Siemens e produziu duas apresentações que subsidiaram coletivas à
imprensa.
A partir de 2008, a Liderança do PT entrou com mais de 15
representações nos ministérios públicos Estadual e Federal, que
denunciavam direcionamento nas licitações para aquisição e reformas de
trens, construção e extensão de linhas metroferroviárias no Estado de São
Paulo. Denunciou prática de corrupção, formação de cartel, lavagem de
dinheiro, pagamento de propinas a autoridades públicas e prorrogações
ilegais de contratos.
O Ministério Público alemão condenou a Siemens e apontou pagamento
de propinas de R$ 24,4 milhões para funcionários de alto escalão do
governo do PSDB.
Nas representações, a Liderança do PT denunciou também a ilegalidade de
aditivos com a Cofesbra e a Mafersa. O TCE-SP apontou superfaturamento de
mais de R$ 23 milhões na compra de trens da Cofesbra.
No ano passado, nova representação sobre ilegalidades em quatro contratos
assinados em 2008 e 2009 para reforma de 200 trens do Metrô nas linhas 1
(azul) e 3 (vermelha), com valor corrigido de R$ 2,2 bilhões, evidenciaou que
o cartel continuava atuando e, neste caso, levando a uma situação em que o
preço de um trem reformado custou quase o preço de um novo.
A Bancada do PT coleta assinaturas para apresentar pedido de CPI na
Assembleia Legislativa para investigar este esquema.
Os deputados do PT protocolaram uma série de requerimentos nas Comissões
de Transportes e de Infraestrutura com o objetivo de ouvir os envolvidos no
caso.
A Bancada pediu ao MP o afastamento dos agentes públicos envolvidos e a
suspensão dos contratos.

Mais conteúdo relacionado

Mais de Luiz Carlos Azenha

Impeachment de Alexandre de Moraes
Impeachment de Alexandre de MoraesImpeachment de Alexandre de Moraes
Impeachment de Alexandre de Moraes
Luiz Carlos Azenha
 
Prisão de Jefferson
Prisão de JeffersonPrisão de Jefferson
Prisão de Jefferson
Luiz Carlos Azenha
 
TV Brasil
TV BrasilTV Brasil
Pesquisa Bolsonaro
Pesquisa BolsonaroPesquisa Bolsonaro
Pesquisa Bolsonaro
Luiz Carlos Azenha
 
MP aciona organizadores
MP aciona organizadoresMP aciona organizadores
MP aciona organizadores
Luiz Carlos Azenha
 
Segunda parte
Segunda parteSegunda parte
Segunda parte
Luiz Carlos Azenha
 
DOI-CODI
DOI-CODIDOI-CODI
Representacao copa america
Representacao copa americaRepresentacao copa america
Representacao copa america
Luiz Carlos Azenha
 
Cepedisa usp-linha-do-tempo-maio-2021 v2
Cepedisa usp-linha-do-tempo-maio-2021 v2Cepedisa usp-linha-do-tempo-maio-2021 v2
Cepedisa usp-linha-do-tempo-maio-2021 v2
Luiz Carlos Azenha
 
Palestras Lula
Palestras LulaPalestras Lula
Palestras Lula
Luiz Carlos Azenha
 
Integra denuncia-pgr-deputado-daniel
Integra denuncia-pgr-deputado-danielIntegra denuncia-pgr-deputado-daniel
Integra denuncia-pgr-deputado-daniel
Luiz Carlos Azenha
 
Impactos lavajatoeconomia
Impactos lavajatoeconomiaImpactos lavajatoeconomia
Impactos lavajatoeconomia
Luiz Carlos Azenha
 
Carta aberta-aos-participantes-da-cupula-de-lideres-sobre-o-clima
Carta aberta-aos-participantes-da-cupula-de-lideres-sobre-o-climaCarta aberta-aos-participantes-da-cupula-de-lideres-sobre-o-clima
Carta aberta-aos-participantes-da-cupula-de-lideres-sobre-o-clima
Luiz Carlos Azenha
 
Plano de vacinação
Plano de vacinaçãoPlano de vacinação
Plano de vacinação
Luiz Carlos Azenha
 
Propaganda
PropagandaPropaganda
Propaganda
Luiz Carlos Azenha
 
Sorocaba
SorocabaSorocaba
16 case of_hauschildt_v._denmark
16 case of_hauschildt_v._denmark16 case of_hauschildt_v._denmark
16 case of_hauschildt_v._denmark
Luiz Carlos Azenha
 
Sorocaba
SorocabaSorocaba
Peticao0014 210413180413
Peticao0014 210413180413Peticao0014 210413180413
Peticao0014 210413180413
Luiz Carlos Azenha
 
Peca 106-hc-164493 020420213158
Peca 106-hc-164493 020420213158Peca 106-hc-164493 020420213158
Peca 106-hc-164493 020420213158
Luiz Carlos Azenha
 

Mais de Luiz Carlos Azenha (20)

Impeachment de Alexandre de Moraes
Impeachment de Alexandre de MoraesImpeachment de Alexandre de Moraes
Impeachment de Alexandre de Moraes
 
Prisão de Jefferson
Prisão de JeffersonPrisão de Jefferson
Prisão de Jefferson
 
TV Brasil
TV BrasilTV Brasil
TV Brasil
 
Pesquisa Bolsonaro
Pesquisa BolsonaroPesquisa Bolsonaro
Pesquisa Bolsonaro
 
MP aciona organizadores
MP aciona organizadoresMP aciona organizadores
MP aciona organizadores
 
Segunda parte
Segunda parteSegunda parte
Segunda parte
 
DOI-CODI
DOI-CODIDOI-CODI
DOI-CODI
 
Representacao copa america
Representacao copa americaRepresentacao copa america
Representacao copa america
 
Cepedisa usp-linha-do-tempo-maio-2021 v2
Cepedisa usp-linha-do-tempo-maio-2021 v2Cepedisa usp-linha-do-tempo-maio-2021 v2
Cepedisa usp-linha-do-tempo-maio-2021 v2
 
Palestras Lula
Palestras LulaPalestras Lula
Palestras Lula
 
Integra denuncia-pgr-deputado-daniel
Integra denuncia-pgr-deputado-danielIntegra denuncia-pgr-deputado-daniel
Integra denuncia-pgr-deputado-daniel
 
Impactos lavajatoeconomia
Impactos lavajatoeconomiaImpactos lavajatoeconomia
Impactos lavajatoeconomia
 
Carta aberta-aos-participantes-da-cupula-de-lideres-sobre-o-clima
Carta aberta-aos-participantes-da-cupula-de-lideres-sobre-o-climaCarta aberta-aos-participantes-da-cupula-de-lideres-sobre-o-clima
Carta aberta-aos-participantes-da-cupula-de-lideres-sobre-o-clima
 
Plano de vacinação
Plano de vacinaçãoPlano de vacinação
Plano de vacinação
 
Propaganda
PropagandaPropaganda
Propaganda
 
Sorocaba
SorocabaSorocaba
Sorocaba
 
16 case of_hauschildt_v._denmark
16 case of_hauschildt_v._denmark16 case of_hauschildt_v._denmark
16 case of_hauschildt_v._denmark
 
Sorocaba
SorocabaSorocaba
Sorocaba
 
Peticao0014 210413180413
Peticao0014 210413180413Peticao0014 210413180413
Peticao0014 210413180413
 
Peca 106-hc-164493 020420213158
Peca 106-hc-164493 020420213158Peca 106-hc-164493 020420213158
Peca 106-hc-164493 020420213158
 

O caso Siemens e Alstom

  • 1. Liderança do PT na Alesp Liderança do PT na Alesp
  • 2. . O grupo Alstom é uma empresa multinacional francesa que fornece trens, material ferroviário e equipamentos para sistemas de energia. . O Ministério Público da Suíça, a partir de investigações iniciadas em 2004, constatou o pagamento de propinas do grupo Alstom para o alto escalão do governo paulista. . O percentual médio da propina era inicialmente de 8% sobre o valor dos contratos e superfaturamento de 30%. . Esses pagamentos foram para subornar autoridades e, com isso, “comprar” licitações e prolongar contratos de forma irregular, muitos por mais de 20 anos.
  • 3. Principais autoridades envolvidas: . Jorge Fagali Neto: ex- secretário estadual de Transporte e irmão do presidente do Metrô no governo Serra. O Ministério Público suíço bloqueou uma de suas contas no exterior no valor de US$ 7,5 milhões; . Robson Marinho: ex- chefe da Casa Civil do governo Covas e atual conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo; . Luiz Carlos Frayze David: ex-presidente do Metrô de SP, foi um dos acusados pelo acidente na linha 4. É conselheiro da Dersa, responsável pelo Rodoanel. Na sua gestão no DER e no Metrô, acumulou contratos julgados irregulares pelo Tribunal de Contas no valor de R$ 658 milhões; . Benedito Dantas Chiarardia: ex-diretor da Dersa. Envolvido em vários contratos irregulares na CPTM e em outras secretarias no valor de R$ 325 milhões; . José Luiz Alquéres: ex- presidente da Alstom. Preside atualmente a Light do Rio de Janeiro; . José Sidnei Colombo Martini: diretor da Alstom/Cegelec até 1999 e, na sequência, presidente da CTEEP (Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista), antes e depois da privatização; . Claudio de Senna Frederico: secretário de Transportes Metropolitanos, na gestão Mário Covas.
  • 4. . A Siemens é uma empresa multinacional alemã que, entre outras atividades, fabrica e reforma trens e outros equipamentos. . Denúncias mostram que a Siemens também pagou propinas aos governos Covas, Alckmin e Serra, atuando junto com o grupo Alstom. . O principal contrato se refere à fase I da linha 5 da CPTM entre Capão Redondo e Largo Treze, construída entre 2001 e 2005. O valor corrigido da obra é de R$ 1,3 bilhão, recebido pelo consórcio formado pela Alstom e pela Siemens. O valor da propina paga chegou a R$ 105 milhões (8% do valor da obra) e o superfaturamento de 30%, que seria de R$ 394 milhões. . Estes pagamentos foram realizados através das off shores Leraway Consulting S/A (Procint projetos e consultoria internacional) e Gantown Consulting S/A (Constech Assessoria e Consultoria Internacional Ltda). . As filiais brasileiras destas empresas doaram para a campanha de Alckmin e acompanharam a licitação da Parceria Público Privada da Linha 4 do Metrô de SP.
  • 5. Principais envolvidos: . Atual presidente da CPTM, Mário Manuel Seabra Rodrigues Bandeira, com contratos e aditamentos julgados irregulares no valor de R$ 915 milhões, e o atual diretor de Operação e Manutenção, José Luiz Lavorente; . O atual secretário de Transportes Metropolitanos: Jurandir Fernando Ribeiro Fernandes, que também ocupou o mesmo cargo na gestão anterior do governador Geraldo Alckmin.
  • 6. Além das empresa Siemens e Alstom, participaram do esquema fraudulento gigantes internacionais da área de transportes e infraestrutura: . a canadense Bombardier, . as espanholas CAF e Temoinsa, . a sueco-suíça ABB e . a japonesa Mitsui. A investigação inclui, ainda, a TTrans, de Giavina-Bianchi, e empresas de menor porte como a Tejofran, a MGE, a TCBR Tecnologia, a Iesa e a Serveng-Civilsan.
  • 7. . Construção da fase 1 da Linha 5 do Metrô; . Projeto Boa Viagem da CPTM (2005 a 2010), para reforma,modernização e serviço de manutenção de trens; . Extensão da Linha 2 do Metrô; . Construção e PPP da linha 4 do Metrô; . Concorrências para aquisição de trens pela CPTM, com previsão de desenvolvimento de sistemas, treinamento de pessoal, apoio técnico e serviços complementares; . Concorrência para a manutenção dos trens das Séries – 2000; . Concorrência para a manutenção dos trens das Séries - 3000; . Concorrência para a manutenção dos trens das Séries - 2100.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12. . Este levantamento tem como fonte de informações o site do Tribunal de Contas do Estado – TCE - e diversas pesquisas realizadas na internet. . O TCE, na maior parte dos casos julgados, traz apenas informações do valor original do contrato e deixa de declarar os valores dos seus aditivos e de suas prorrogações. . Na maioria dos julgamentos consultados, não há informações sobre o valor gasto com cada contrato. . Os valores foram atualizados pelo IGP-DI até junho de 2013.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20. Em 2004, as investigações do caso Alstom e Siemens começaram na Suíça. A Liderança do PT fez levantamentos dos contratos do caso Alstom e Siemens e produziu duas apresentações que subsidiaram coletivas à imprensa. A partir de 2008, a Liderança do PT entrou com mais de 15 representações nos ministérios públicos Estadual e Federal, que denunciavam direcionamento nas licitações para aquisição e reformas de trens, construção e extensão de linhas metroferroviárias no Estado de São Paulo. Denunciou prática de corrupção, formação de cartel, lavagem de dinheiro, pagamento de propinas a autoridades públicas e prorrogações ilegais de contratos. O Ministério Público alemão condenou a Siemens e apontou pagamento de propinas de R$ 24,4 milhões para funcionários de alto escalão do governo do PSDB.
  • 21. Nas representações, a Liderança do PT denunciou também a ilegalidade de aditivos com a Cofesbra e a Mafersa. O TCE-SP apontou superfaturamento de mais de R$ 23 milhões na compra de trens da Cofesbra. No ano passado, nova representação sobre ilegalidades em quatro contratos assinados em 2008 e 2009 para reforma de 200 trens do Metrô nas linhas 1 (azul) e 3 (vermelha), com valor corrigido de R$ 2,2 bilhões, evidenciaou que o cartel continuava atuando e, neste caso, levando a uma situação em que o preço de um trem reformado custou quase o preço de um novo. A Bancada do PT coleta assinaturas para apresentar pedido de CPI na Assembleia Legislativa para investigar este esquema. Os deputados do PT protocolaram uma série de requerimentos nas Comissões de Transportes e de Infraestrutura com o objetivo de ouvir os envolvidos no caso. A Bancada pediu ao MP o afastamento dos agentes públicos envolvidos e a suspensão dos contratos.

Notas do Editor

  1. Freqüentemente, os apresentadores têm que mostrar um material de natureza técnica para um público que não está familiarizado com o tópico nem com o vocabulário. O material pode ser complexo ou cheio de detalhes. Para apresentar o material eficientemente, use as seguintes diretrizes da Dale Carnegie Training®.   Considere o tempo disponível e prepare-se para organizar seu material. Divida sua apresentação em segmentos claros. Siga uma progressão lógica. Mantenha seu foco constantemente. Feche a apresentação com um resumo, repetição das etapas-chave ou uma conclusão lógica.   Lembre-se do público constantemente. Por exemplo, certifique-se de que os dados estejam claros e que as informações sejam relevantes. Mantenha o nível de detalhes e vocabulário apropriados ao público. Use recursos visuais para dar suporte a etapas ou pontos-chave. Fique alerta às necessidades dos seus ouvintes e obterá um público mais receptivo.