SlideShare uma empresa Scribd logo
O arrependimento - Texto Básico: Salmos 32
Texto Áureo: Mateus 4.17. Daí por diante, passou Jesus a
pregar e a dizer: Arrependei-vos, porque está próximo o reino
dos céus.
1
2
Escavações arqueológicas revelaram o
que alguns estudiosos bíblicos acreditam
ser as ruínas da torre. Se assim for, é
provável que as ruínas pertencem a uma
segunda torre, que foi reconstruída após a
primeira torre desabar. As ruínas são uma
Introdução: Por Salvação recebida refiro-me a parte do homem
em receber a salvação, planejada, realizada por Deus a favor
do homem. O que acontece quando o homem descobre que
Deus planejou sua salvação, mandou seu filho realizará e
mandou seus servos proclamá-la. Nesta lição estudaremos
sobre o arrependimento que é o início da volta para Deus.
Definição: é uma profunda convicção da falta de conformidade
com a norma de Deus, aliada a uma profunda tristeza por
causa do pecado, bem como o desejo de abandoná-lo
O arrependimento
No grego a palavra usada para arrependimento – metánoia significa
mudança da mente, mudança do homem interior. Uma mudança
profunda e radical; incluindo as faculdades de percepção,
compreensão, emoção, juízo que o Espírito de Deus opera num
homem na experiência da salvação.
1.Os três aspectos do arrependimento. O
arrependimento abrange todo o nosso ser,
como veremos a seguirO aspecto intelectual
O aspecto emocional:
O aspecto volitivo
O arrependido passa a ver tudo de maneira diferente. É uma
mudança de ideias em relação ao pecado, a Deus e o próprio eu. O
pecado passa a ser reconhecido como culpa pessoal.
a
Salmos 51.3-4. Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu
pecado está sempre diante de mim. 4 Pequei contra ti, contra ti
somente, e fiz o que é mau perante os teus olhos, de maneira que
serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar.
A misericórdia e benignidade de Deus são a base do seu clamor: “apaga
as minhas transgressões”. Davi sentiu uma culpa profunda por sua
conivência, mentira, adultério e, finalmente, assassinato.
Confira o Salmos 32 – Este Salmo é uma oração, primeiramente,
por perdão, com uma confissão humilde de atos pecaminosos
proveniente de uma natureza pecaminosa como sua raiz amarga; e,
depois, por renovação e santificação através do Espírito Santo
O arrependimento leva-nos a abominar nossas ações e até a nós
mesmos. Jó 42.5-6. Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus
olhos te veem. 6 Por isso, me abomino e me arrependo no pó e na cinza.
O profeta Isaías completa dizendo: Toda a nossa justiça torna-se
trapo de imundícia: Is 64.6. Mas todos nós somos como o imundo, e
todas as nossas justiças, como trapo da imundícia; todos nós
murchamos como a folha, e as nossas iniquidades, como um vento, nos
arrebatam.
Descobrimos que o conjunto de ideias que tínhamos de nós mesmo
não é verdadeiro. Rm 3.4. De maneira nenhuma! Seja Deus
verdadeiro, e mentiroso, todo homem, segundo está escrito: Para seres
justificado nas tuas palavras e venhas a vencer quando fores julgado.
Quando compreendemos isso passamos a esperar pela misericórdia de
Deus. Ele tem sempre razão e nós não. Deus é Santo e nós indignos
diante Dele. Is 6.3-5. E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo,
santo, santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua
glória. 4 As bases do limiar se moveram à voz do que clamava, e a casa
se encheu de fumaça. 5 Então, disse eu: ai de mim! Estou perdido!
Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de
impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos!
Tomamos consciência da impureza do nosso eu. Sl 51.7.
Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais
alvo que a neve.
Este aspecto do arrependimento é chamado de conhecimento do pecado:
Rm 3.20. visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei,
em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado (Sl 51.3; Sl
32.3).
São as emoções que sente uma
pessoa arrependida. São elas:
b
Sentimento de culpa e do juízo divino: Is 6.5. Então, disse eu: ai de
mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no
meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o
Senhor dos Exércitos!
É sentir o pecado como uma miséria a ponto de chorar por telo
praticado: Tg 4.9-10. Afligi-vos, lamentai e chorai. Converta-se o
vosso riso em pranto, e a vossa alegria, em tristeza. 10 Humilhai-vos
na presença do Senhor, e ele vos exaltará.
Sentir-se indigno diante de Deus: Lucas 15.19-21. já não sou digno
de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus trabalhadores.
20 E, levantando-se, foi para seu pai. Vinha ele ainda longe, quando
seu pai o avistou, e, compadecido dele, correndo, o abraçou, e beijou.
21 E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não
sou digno de ser chamado teu filho.
Neste aspecto do arrependimento, nos sentimentos indignos de
receber qualquer coisa de Deus por nossas obras, daí, ficamos
dependendo inteiramente da graça de Deus.
Bem-aventurado aquele cuja iniquidade é perdoada, cujo pecado é
coberto. 2 Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não atribui
iniquidade e em cujo espírito não há dolo. Salmos 32.1-2.
É uma mudança da vontade e da disposição. Esta
é a volta íntima contra o pecado. É o aspecto do
arrependimento pelo qual tomamos a decisão de
abandonar o pecado e isto é feito assim.
c
Confessando e deixando. Provérbios 28.13. O que encobre as suas
transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa
alcançará misericórdia.
É próprio da natureza humana esconder o pecado ou passar por
cima dos enganos. Entretanto, é difícil aprender de um engano que
não se reconhece. E o que tem que bom em um engano se não nos
ensinar algo? Para aprender de um engano precisamos admiti-lo,
confessá-lo, analisá-lo e levar a cabo os ajustes necessários para
que não volte a acontecer outra vez. Todos cometemos enganos,
mas só os tolos os repetem.
Agindo: Lucas 15.20-21. E, levantando-se, foi para seu pai. Vinha
ele ainda longe, quando seu pai o avistou, e, compadecido dele,
correndo, o abraçou, e beijou. 21 E o filho lhe disse: Pai, pequei
contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho.
Assim com a ajuda do Espírito de Deus tomamos a iniciativa de
abandonar o pecado e buscar o perdão de Deus.
João 16.7-13 Mas eu vos digo a verdade: convém-vos que eu vá,
porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se,
porém, eu for, eu vo-lo enviarei. 8 Quando ele vier, convencerá o
mundo do pecado, da justiça e do juízo: 9 do pecado, porque não
crêem em mim; 10 da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis
mais; 11 do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado. 12
Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar
agora; 13 quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a
toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que
tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir.
v8. και ελθων εκεινος ελεγξει τον κοσμον περι αμαρτιας
και περι δικαιοσυνης και περι κρισεως
Há muito que ouve o plano de Deus, mas são pouco que
ouvem com os ouvidos críticos a ponto de levar a sua vida
para uma análise da vida perante Deus. A falta de
compreensão do plano da salvação tem levado muitas
pessoas acharem que só através de um esforço próprio, é
que um dia poderão servir a Deus.
Porém se nós pudéssemos nos prepara para a salvação, não haveria a
necessidade de Jesus morre em nosso lugar. Jeremias 13.23. Será
que o etíope pode mudar a sua pele? Ou o leopardo as suas pintas?
Assim também vocês são incapazes de fazer o bem, vocês que estão
acostumados a praticar o mal.
A resposta é não: Nós estamos tão habituados a fazer o mal que
perdeu a habilidade para trocar o mal pelo bem. Is 1.16-17. Lavai-vos,
purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos;
cessai de fazer o mal. 17Aprendei a fazer o bem; atendei à justiça,
repreendei ao opressor; defendei o direito do órfão, pleiteai a causa das
viúvas.
Na parábola do filho prodigo: Lucas 15.11-24. Encontramos os três
aspectos do arrependimento.
“Então, caindo em si,” Lucas 15.17. 1
“Já não sou digno de ser chamado teu
filho” Lucas 15.19.
2
“Então, levantando-se, foi ter com o seu
pai” Lucas 15.20.
3
O arrependimento - Texto Básico: Salmos 32
Paulo chama de tristeza segundo Deus: 2 Co 7.10a.
Porque a tristeza segundo Deus produz
arrependimento para a salvação, que a ninguém traz
pesar; (É produzido por Deus no interior do homem e
leva este a ter consciência do pecado e
conseguintemente busca a salvação).
a
É aquele sentimento mórbido de culpa que não tem sua
origem em Deus. É um sentimento de culpa causado pela
consciência e leva autodestruição. Paulo chama de tristeza
do mundo: 2 Co 7.10b. mas a tristeza do mundo produz
morte.
b
Biblicamente falando, encontramos exemplo de arrependimento em
Pedro. Lc 22.60-62. E de remorso em Judas Mt 27.3-5.
Pedro: Lucas 22.60-62. 61 O Senhor voltou-se e olhou diretamente para
Pedro. Então Pedro se lembrou da palavra que o Senhor lhe tinha dito:
"Antes que o galo cante hoje, você me negará três vezes". 62 Saindo dali,
chorou amargamente.
Judas: Mateus 27.3-5. Quando Judas, que o havia traído, viu que Jesus
fora condenado, foi tomado de remorso e devolveu aos chefes dos
sacerdotes e aos líderes religiosos as trinta moedas de prata. 4 E disse:
"Pequei, pois traí sangue inocente". E eles retrucaram: "Que nos importa?
A responsabilidade é sua". 5 Então Judas jogou o dinheiro dentro do
templo, saindo, foi e enforcou-se.
O arrependimento - Texto Básico: Salmos 32
Ocupa um lugar de destaque na pregação cristã. É indispensável para o perdão. Os
pregadores enfatizavam de forma veemente o arrependimento. O arrependimento era a
tônica na pregação dos servos do Senhor.
1 João 1.8-10. Se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamo-nos
a nós mesmos, e a verdade não está em nós. 9 Se confessarmos os
nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos
purificar de toda injustiça. 10 Se afirmarmos que não temos cometido
pecado, fazemos de Deus um mentiroso, e a sua palavra não está em
nós.
Vejamos a. João Batista: Mateus 3.1-2.
b. O Senhor Jesus: Marcos 1.15.
c. Os apóstolos: Marcos 6.12.
d. Pedro: Atos 2.38.
e. Paulo: Atos 17.30.
4
A pregação do Evangelho
1. A bondade de Deus e o arrependimento: 2 Tm 2.25. instruindo com mansidão os que
resistem, a ver se, porventura, Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a
verdade. 2 Pe 3.9. Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada;
pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que
todos cheguem ao arrependimento.
a. Mateus 12.41. Os ninivitas ressurgirão no Juízo com esta geração e a condenarão,
porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis que está aqui quem é mais do
que Jonas
b. Lucas 24.47. e, em seu nome, se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados,
em todas as nações, começando por Jerusalém
2. Através da repreensão e castigo: Apocalipse 3.19. Eu repreendo e disciplino a quantos
amo. Sê, pois, zeloso e arrepende-te.
3. Da ameaça de juízo: Jonas 3.4-10. Existem vários meios em que Deus usa que
não escrevo aqui, porém o meio usado é a
pregação da Palavra de Deus.
2 Crônicas 7. 14. e se o meu povo, que se chama pelo
meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face,
e se converter dos seus maus caminhos, então, eu
ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei
a sua terra.
1. O arrependimento e uma necessidade universal: Lucas 13.3-5.
Jesus declara que todos precisam se arrepender, caso contrário todos
perecerão.
2. Deus não deseja a perdição de ninguém, mas que todos venham a
arrepender-se. 2 Pedro 3.9. Não retarda o Senhor a sua promessa, como
alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco,
não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao
arrependimento.
3. Todos precisam de arrependimento porque todos pecaram e
destituídos estão da glória de Deus: Romanos 3.23-25. Porque todos
pecaram e destituídos estão da glória de Deus, 24 sendo justificados
gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus, 25
ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para
demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos,
sob a paciência de Deus;
Mateus 3.8. Estes frutos são aquelas ações, atitudes e
comportamento que revelam nosso arrependimento.
Atos 26.20. mas anunciei primeiramente aos de Damasco e
em Jerusalém, por toda a região da Judéia, e aos gentios,
que se arrependessem e se convertessem a Deus,
praticando obras dignas de arrependimento. Isto prova a
veracidade do nosso arrependimento.
2 Crônicas 34.18-19. Além disso, Safã, o escrivão, fez saber ao
rei, dizendo: O sacerdote Hilquias me deu um livro. E Safã leu
nele perante o rei. 19 Sucedeu, pois, que, ouvindo o rei as
palavras da Lei, rasgou as suas vestes. (o rei Josias)
Há alegria no céu: Lucas 15.10.
Pecados são perdoados: At 2.38.
Provoca desejo de repara o mal feito a outros: Lucas 19.8.
Juntamente arrependimento e fé, conduzem o homem à conversão: Atos 3.20-21.
Todas as demais bênçãos da vida cristã podem dizer que de certa maneira são
resultados do arrependimento. 2 Crônicas 7.11-16.
Conclusão: Pelo arrependimento Deus nos leva a ver qual o nosso
verdadeiro estado espiritual, bem como um grande desejo de um
salvador, concluímos que arrependimento é em primeiro lugar a
descoberta de que estamos fora da lei de Deus, em segundo lugar uma
tristeza por causa do pecado, e em terceiro lugar o desejo de
abandonar o pecado.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

INTIMIDADE COM DEUS
INTIMIDADE COM DEUSINTIMIDADE COM DEUS
Face a face com Deus
Face a face com DeusFace a face com Deus
Face a face com Deus
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
Vida de oração
Vida de oraçãoVida de oração
Vida de oração
Márcio Melânia
 
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser SuestimadaLição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Éder Tomé
 
O drama do sofrimento do justo
O drama do sofrimento do justoO drama do sofrimento do justo
O drama do sofrimento do justo
Eid Marques
 
O Chamado de Deus
O Chamado de DeusO Chamado de Deus
O Chamado de Deus
Fabiano EducarCristão
 
Reencontro em Peniel
Reencontro  em PenielReencontro  em Peniel
Reencontro em Peniel
Ramón Zazatt
 
6. sinais da volta de jesus
6. sinais da volta de jesus6. sinais da volta de jesus
6. sinais da volta de jesus
Moisés Sampaio
 
20. o livro de esdras
20. o livro de esdras20. o livro de esdras
20. o livro de esdras
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
38. O Profeta Jonas
38. O Profeta Jonas38. O Profeta Jonas
Daniel 10
Daniel 10Daniel 10
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo JesusLição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Éder Tomé
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
valmarques
 
sLição 5 jesus e a implantação do reino de deus
sLição 5   jesus e a implantação do reino de deussLição 5   jesus e a implantação do reino de deus
sLição 5 jesus e a implantação do reino de deus
Nayara Mayla Brito Damasceno
 
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristãoLição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Erberson Pinheiro
 
1000 Mil esboços para sermões e pregações
1000 Mil esboços para sermões e pregações1000 Mil esboços para sermões e pregações
1000 Mil esboços para sermões e pregações
Gesiel Oliveira
 
Panorama do AT - Sofonias
Panorama do AT - SofoniasPanorama do AT - Sofonias
Panorama do AT - Sofonias
Respirando Deus
 
O poder da oração
O poder da oraçãoO poder da oração
O poder da oração
Daniel de Carvalho Luz
 
Santificação
SantificaçãoSantificação
Santificação
Luan Almeida
 
As Obras da Carne e o Fruto do Espirito
As Obras da Carne e o Fruto do EspiritoAs Obras da Carne e o Fruto do Espirito
As Obras da Carne e o Fruto do Espirito
Márcio Martins
 

Mais procurados (20)

INTIMIDADE COM DEUS
INTIMIDADE COM DEUSINTIMIDADE COM DEUS
INTIMIDADE COM DEUS
 
Face a face com Deus
Face a face com DeusFace a face com Deus
Face a face com Deus
 
Vida de oração
Vida de oraçãoVida de oração
Vida de oração
 
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser SuestimadaLição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
Lição 1 – Batalha Espiritual – A Realidade não Pode ser Suestimada
 
O drama do sofrimento do justo
O drama do sofrimento do justoO drama do sofrimento do justo
O drama do sofrimento do justo
 
O Chamado de Deus
O Chamado de DeusO Chamado de Deus
O Chamado de Deus
 
Reencontro em Peniel
Reencontro  em PenielReencontro  em Peniel
Reencontro em Peniel
 
6. sinais da volta de jesus
6. sinais da volta de jesus6. sinais da volta de jesus
6. sinais da volta de jesus
 
20. o livro de esdras
20. o livro de esdras20. o livro de esdras
20. o livro de esdras
 
38. O Profeta Jonas
38. O Profeta Jonas38. O Profeta Jonas
38. O Profeta Jonas
 
Daniel 10
Daniel 10Daniel 10
Daniel 10
 
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo JesusLição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
Lição 6 - A grande e perfeita salvação de Cristo Jesus
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
 
sLição 5 jesus e a implantação do reino de deus
sLição 5   jesus e a implantação do reino de deussLição 5   jesus e a implantação do reino de deus
sLição 5 jesus e a implantação do reino de deus
 
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristãoLição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
 
1000 Mil esboços para sermões e pregações
1000 Mil esboços para sermões e pregações1000 Mil esboços para sermões e pregações
1000 Mil esboços para sermões e pregações
 
Panorama do AT - Sofonias
Panorama do AT - SofoniasPanorama do AT - Sofonias
Panorama do AT - Sofonias
 
O poder da oração
O poder da oraçãoO poder da oração
O poder da oração
 
Santificação
SantificaçãoSantificação
Santificação
 
As Obras da Carne e o Fruto do Espirito
As Obras da Carne e o Fruto do EspiritoAs Obras da Carne e o Fruto do Espirito
As Obras da Carne e o Fruto do Espirito
 

Semelhante a O arrependimento - Texto Básico: Salmos 32

Estudo sobre arrependimento
Estudo sobre arrependimentoEstudo sobre arrependimento
Estudo sobre arrependimento
Vilmar Nascimento
 
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013
Gerson G. Ramos
 
Preparando o caminho para a presença manifesta de deus
Preparando o caminho para a presença manifesta de deusPreparando o caminho para a presença manifesta de deus
Preparando o caminho para a presença manifesta de deus
Carla Rodrigo
 
Quarta feira de cinzas - Ano C
Quarta feira de cinzas - Ano CQuarta feira de cinzas - Ano C
Quarta feira de cinzas - Ano C
José Lima
 
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Lição_original com t...
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Lição_original com t...Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Lição_original com t...
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Lição_original com t...
Gerson G. Ramos
 
Arrependimento
ArrependimentoArrependimento
Arrependimento
Sidinei Kauer
 
Ministração para libertação interior e perdão
Ministração para libertação interior e perdãoMinistração para libertação interior e perdão
Ministração para libertação interior e perdão
Anésio Lopes Júnior
 
Leituras: 24° Domingo Tempo Comum - Ano C - "Evan. mais breve"
Leituras: 24° Domingo Tempo Comum - Ano C - "Evan. mais breve"Leituras: 24° Domingo Tempo Comum - Ano C - "Evan. mais breve"
Leituras: 24° Domingo Tempo Comum - Ano C - "Evan. mais breve"
José Lima
 
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...
Natalino das Neves Neves
 
O batismo e as tentações_222015_GGR
O batismo e as tentações_222015_GGRO batismo e as tentações_222015_GGR
O batismo e as tentações_222015_GGR
Gerson G. Ramos
 
Consequências de viver no pecado
Consequências de viver no pecadoConsequências de viver no pecado
Consequências de viver no pecado
Edmir Tavares de Arruda Junior
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Celso Napoleon
 
Leituras: Quarta-Feira de Cinzas - Ano A
Leituras: Quarta-Feira de Cinzas - Ano ALeituras: Quarta-Feira de Cinzas - Ano A
Leituras: Quarta-Feira de Cinzas - Ano A
José Lima
 
02 preparacao
02 preparacao02 preparacao
02 preparacao
Bruna Brito
 
3 os atributos de deus e a adoração
3 os atributos de deus e a adoração3 os atributos de deus e a adoração
3 os atributos de deus e a adoração
Rogério Moreira
 
O trabalho de conversão - John Owen
O trabalho de conversão - John OwenO trabalho de conversão - John Owen
O trabalho de conversão - John Owen
Silvio Dutra
 
“Para que todos sejam um”
“Para que todos sejam um”“Para que todos sejam um”
“Para que todos sejam um”
JUERP
 
Arrependimento
ArrependimentoArrependimento
Arrependimento
Pastor Robson Colaço
 
Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESEPurpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
dearl1
 
Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESEPurpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
dearl1
 

Semelhante a O arrependimento - Texto Básico: Salmos 32 (20)

Estudo sobre arrependimento
Estudo sobre arrependimentoEstudo sobre arrependimento
Estudo sobre arrependimento
 
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013
 
Preparando o caminho para a presença manifesta de deus
Preparando o caminho para a presença manifesta de deusPreparando o caminho para a presença manifesta de deus
Preparando o caminho para a presença manifesta de deus
 
Quarta feira de cinzas - Ano C
Quarta feira de cinzas - Ano CQuarta feira de cinzas - Ano C
Quarta feira de cinzas - Ano C
 
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Lição_original com t...
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Lição_original com t...Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Lição_original com t...
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Lição_original com t...
 
Arrependimento
ArrependimentoArrependimento
Arrependimento
 
Ministração para libertação interior e perdão
Ministração para libertação interior e perdãoMinistração para libertação interior e perdão
Ministração para libertação interior e perdão
 
Leituras: 24° Domingo Tempo Comum - Ano C - "Evan. mais breve"
Leituras: 24° Domingo Tempo Comum - Ano C - "Evan. mais breve"Leituras: 24° Domingo Tempo Comum - Ano C - "Evan. mais breve"
Leituras: 24° Domingo Tempo Comum - Ano C - "Evan. mais breve"
 
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...
DISCIPULADO - CONHECENDO O AMOR DE DEUS - LIÇÃO 3 - O substituto de nossos pe...
 
O batismo e as tentações_222015_GGR
O batismo e as tentações_222015_GGRO batismo e as tentações_222015_GGR
O batismo e as tentações_222015_GGR
 
Consequências de viver no pecado
Consequências de viver no pecadoConsequências de viver no pecado
Consequências de viver no pecado
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Leituras: Quarta-Feira de Cinzas - Ano A
Leituras: Quarta-Feira de Cinzas - Ano ALeituras: Quarta-Feira de Cinzas - Ano A
Leituras: Quarta-Feira de Cinzas - Ano A
 
02 preparacao
02 preparacao02 preparacao
02 preparacao
 
3 os atributos de deus e a adoração
3 os atributos de deus e a adoração3 os atributos de deus e a adoração
3 os atributos de deus e a adoração
 
O trabalho de conversão - John Owen
O trabalho de conversão - John OwenO trabalho de conversão - John Owen
O trabalho de conversão - John Owen
 
“Para que todos sejam um”
“Para que todos sejam um”“Para que todos sejam um”
“Para que todos sejam um”
 
Arrependimento
ArrependimentoArrependimento
Arrependimento
 
Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESEPurpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
 
Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESEPurpose of Missionary Work PORTUGUESE
Purpose of Missionary Work PORTUGUESE
 

Mais de Pr Neto

Adotados por deuslião_11
Adotados por deuslião_11Adotados por deuslião_11
Adotados por deuslião_11
Pr Neto
 
Espírito santo
Espírito santoEspírito santo
Espírito santo
Pr Neto
 
Selição 07 a-salvação_pela_graça
Selição 07 a-salvação_pela_graçaSelição 07 a-salvação_pela_graça
Selição 07 a-salvação_pela_graça
Pr Neto
 
Lição 01 uma_promessa_de_salvação
Lição 01 uma_promessa_de_salvaçãoLição 01 uma_promessa_de_salvação
Lição 01 uma_promessa_de_salvação
Pr Neto
 
Batismo nas águas
Batismo nas águasBatismo nas águas
Batismo nas águas
Pr Neto
 
A indentidade do Espírito Santo
A indentidade do Espírito SantoA indentidade do Espírito Santo
A indentidade do Espírito Santo
Pr Neto
 
LIÇÃO_04 Jesus cristo
LIÇÃO_04 Jesus cristoLIÇÃO_04 Jesus cristo
LIÇÃO_04 Jesus cristo
Pr Neto
 
Tabernáculo_PARTE_01
Tabernáculo_PARTE_01Tabernáculo_PARTE_01
Tabernáculo_PARTE_01
Pr Neto
 
A santissima trindade
A santissima trindadeA santissima trindade
A santissima trindade
Pr Neto
 
Regeneração
RegeneraçãoRegeneração
Regeneração
Pr Neto
 
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIAINSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
Pr Neto
 
Fé_Completo
Fé_CompletoFé_Completo
Fé_Completo
Pr Neto
 
Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017
Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017
Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017
Pr Neto
 
LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
 LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
Pr Neto
 
SÓ JESUS
SÓ JESUSSÓ JESUS
SÓ JESUS
Pr Neto
 
A ressureição de cristo parte 02
A ressureição de cristo parte 02A ressureição de cristo parte 02
A ressureição de cristo parte 02
Pr Neto
 
A ressurreição de_ cristo_parte_01
A  ressurreição  de_ cristo_parte_01A  ressurreição  de_ cristo_parte_01
A ressurreição de_ cristo_parte_01
Pr Neto
 
Lição 13 jesus cristo o modelo supremo de caráter_editado
Lição 13 jesus cristo o modelo supremo de caráter_editadoLição 13 jesus cristo o modelo supremo de caráter_editado
Lição 13 jesus cristo o modelo supremo de caráter_editado
Pr Neto
 
Escola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdade
Escola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdadeEscola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdade
Escola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdade
Pr Neto
 
José, o pai_terreno_de_Jesus
José, o pai_terreno_de_JesusJosé, o pai_terreno_de_Jesus
José, o pai_terreno_de_Jesus
Pr Neto
 

Mais de Pr Neto (20)

Adotados por deuslião_11
Adotados por deuslião_11Adotados por deuslião_11
Adotados por deuslião_11
 
Espírito santo
Espírito santoEspírito santo
Espírito santo
 
Selição 07 a-salvação_pela_graça
Selição 07 a-salvação_pela_graçaSelição 07 a-salvação_pela_graça
Selição 07 a-salvação_pela_graça
 
Lição 01 uma_promessa_de_salvação
Lição 01 uma_promessa_de_salvaçãoLição 01 uma_promessa_de_salvação
Lição 01 uma_promessa_de_salvação
 
Batismo nas águas
Batismo nas águasBatismo nas águas
Batismo nas águas
 
A indentidade do Espírito Santo
A indentidade do Espírito SantoA indentidade do Espírito Santo
A indentidade do Espírito Santo
 
LIÇÃO_04 Jesus cristo
LIÇÃO_04 Jesus cristoLIÇÃO_04 Jesus cristo
LIÇÃO_04 Jesus cristo
 
Tabernáculo_PARTE_01
Tabernáculo_PARTE_01Tabernáculo_PARTE_01
Tabernáculo_PARTE_01
 
A santissima trindade
A santissima trindadeA santissima trindade
A santissima trindade
 
Regeneração
RegeneraçãoRegeneração
Regeneração
 
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIAINSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
 
Fé_Completo
Fé_CompletoFé_Completo
Fé_Completo
 
Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017
Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017
Revista da escola_bíblica_3_trimestre_2017
 
LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
 LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
LIÇÃO_01_INSPIRAÇÃO DIVINA E AUTORIDADE DA BÍBLIA
 
SÓ JESUS
SÓ JESUSSÓ JESUS
SÓ JESUS
 
A ressureição de cristo parte 02
A ressureição de cristo parte 02A ressureição de cristo parte 02
A ressureição de cristo parte 02
 
A ressurreição de_ cristo_parte_01
A  ressurreição  de_ cristo_parte_01A  ressurreição  de_ cristo_parte_01
A ressurreição de_ cristo_parte_01
 
Lição 13 jesus cristo o modelo supremo de caráter_editado
Lição 13 jesus cristo o modelo supremo de caráter_editadoLição 13 jesus cristo o modelo supremo de caráter_editado
Lição 13 jesus cristo o modelo supremo de caráter_editado
 
Escola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdade
Escola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdadeEscola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdade
Escola Bíblica Jônatas Um exemplo de lealdade
 
José, o pai_terreno_de_Jesus
José, o pai_terreno_de_JesusJosé, o pai_terreno_de_Jesus
José, o pai_terreno_de_Jesus
 

Último

Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
mfixa3824
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
luartfelt
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
FranciscoAudisio2
 

Último (20)

Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
 

O arrependimento - Texto Básico: Salmos 32

  • 2. Texto Áureo: Mateus 4.17. Daí por diante, passou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus. 1
  • 3. 2
  • 4. Escavações arqueológicas revelaram o que alguns estudiosos bíblicos acreditam ser as ruínas da torre. Se assim for, é provável que as ruínas pertencem a uma segunda torre, que foi reconstruída após a primeira torre desabar. As ruínas são uma
  • 5. Introdução: Por Salvação recebida refiro-me a parte do homem em receber a salvação, planejada, realizada por Deus a favor do homem. O que acontece quando o homem descobre que Deus planejou sua salvação, mandou seu filho realizará e mandou seus servos proclamá-la. Nesta lição estudaremos sobre o arrependimento que é o início da volta para Deus. Definição: é uma profunda convicção da falta de conformidade com a norma de Deus, aliada a uma profunda tristeza por causa do pecado, bem como o desejo de abandoná-lo O arrependimento
  • 6. No grego a palavra usada para arrependimento – metánoia significa mudança da mente, mudança do homem interior. Uma mudança profunda e radical; incluindo as faculdades de percepção, compreensão, emoção, juízo que o Espírito de Deus opera num homem na experiência da salvação. 1.Os três aspectos do arrependimento. O arrependimento abrange todo o nosso ser, como veremos a seguirO aspecto intelectual O aspecto emocional: O aspecto volitivo
  • 7. O arrependido passa a ver tudo de maneira diferente. É uma mudança de ideias em relação ao pecado, a Deus e o próprio eu. O pecado passa a ser reconhecido como culpa pessoal. a
  • 8. Salmos 51.3-4. Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. 4 Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mau perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar. A misericórdia e benignidade de Deus são a base do seu clamor: “apaga as minhas transgressões”. Davi sentiu uma culpa profunda por sua conivência, mentira, adultério e, finalmente, assassinato. Confira o Salmos 32 – Este Salmo é uma oração, primeiramente, por perdão, com uma confissão humilde de atos pecaminosos proveniente de uma natureza pecaminosa como sua raiz amarga; e, depois, por renovação e santificação através do Espírito Santo
  • 9. O arrependimento leva-nos a abominar nossas ações e até a nós mesmos. Jó 42.5-6. Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te veem. 6 Por isso, me abomino e me arrependo no pó e na cinza. O profeta Isaías completa dizendo: Toda a nossa justiça torna-se trapo de imundícia: Is 64.6. Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como trapo da imundícia; todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniquidades, como um vento, nos arrebatam. Descobrimos que o conjunto de ideias que tínhamos de nós mesmo não é verdadeiro. Rm 3.4. De maneira nenhuma! Seja Deus verdadeiro, e mentiroso, todo homem, segundo está escrito: Para seres justificado nas tuas palavras e venhas a vencer quando fores julgado.
  • 10. Quando compreendemos isso passamos a esperar pela misericórdia de Deus. Ele tem sempre razão e nós não. Deus é Santo e nós indignos diante Dele. Is 6.3-5. E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória. 4 As bases do limiar se moveram à voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça. 5 Então, disse eu: ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos! Tomamos consciência da impureza do nosso eu. Sl 51.7. Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que a neve. Este aspecto do arrependimento é chamado de conhecimento do pecado: Rm 3.20. visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado (Sl 51.3; Sl 32.3).
  • 11. São as emoções que sente uma pessoa arrependida. São elas: b
  • 12. Sentimento de culpa e do juízo divino: Is 6.5. Então, disse eu: ai de mim! Estou perdido! Porque sou homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos! É sentir o pecado como uma miséria a ponto de chorar por telo praticado: Tg 4.9-10. Afligi-vos, lamentai e chorai. Converta-se o vosso riso em pranto, e a vossa alegria, em tristeza. 10 Humilhai-vos na presença do Senhor, e ele vos exaltará. Sentir-se indigno diante de Deus: Lucas 15.19-21. já não sou digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus trabalhadores. 20 E, levantando-se, foi para seu pai. Vinha ele ainda longe, quando seu pai o avistou, e, compadecido dele, correndo, o abraçou, e beijou. 21 E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho.
  • 13. Neste aspecto do arrependimento, nos sentimentos indignos de receber qualquer coisa de Deus por nossas obras, daí, ficamos dependendo inteiramente da graça de Deus. Bem-aventurado aquele cuja iniquidade é perdoada, cujo pecado é coberto. 2 Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não atribui iniquidade e em cujo espírito não há dolo. Salmos 32.1-2.
  • 14. É uma mudança da vontade e da disposição. Esta é a volta íntima contra o pecado. É o aspecto do arrependimento pelo qual tomamos a decisão de abandonar o pecado e isto é feito assim. c
  • 15. Confessando e deixando. Provérbios 28.13. O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia. É próprio da natureza humana esconder o pecado ou passar por cima dos enganos. Entretanto, é difícil aprender de um engano que não se reconhece. E o que tem que bom em um engano se não nos ensinar algo? Para aprender de um engano precisamos admiti-lo, confessá-lo, analisá-lo e levar a cabo os ajustes necessários para que não volte a acontecer outra vez. Todos cometemos enganos, mas só os tolos os repetem. Agindo: Lucas 15.20-21. E, levantando-se, foi para seu pai. Vinha ele ainda longe, quando seu pai o avistou, e, compadecido dele, correndo, o abraçou, e beijou. 21 E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho.
  • 16. Assim com a ajuda do Espírito de Deus tomamos a iniciativa de abandonar o pecado e buscar o perdão de Deus. João 16.7-13 Mas eu vos digo a verdade: convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vós outros; se, porém, eu for, eu vo-lo enviarei. 8 Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: 9 do pecado, porque não crêem em mim; 10 da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais; 11 do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado. 12 Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora; 13 quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir. v8. και ελθων εκεινος ελεγξει τον κοσμον περι αμαρτιας και περι δικαιοσυνης και περι κρισεως
  • 17. Há muito que ouve o plano de Deus, mas são pouco que ouvem com os ouvidos críticos a ponto de levar a sua vida para uma análise da vida perante Deus. A falta de compreensão do plano da salvação tem levado muitas pessoas acharem que só através de um esforço próprio, é que um dia poderão servir a Deus.
  • 18. Porém se nós pudéssemos nos prepara para a salvação, não haveria a necessidade de Jesus morre em nosso lugar. Jeremias 13.23. Será que o etíope pode mudar a sua pele? Ou o leopardo as suas pintas? Assim também vocês são incapazes de fazer o bem, vocês que estão acostumados a praticar o mal. A resposta é não: Nós estamos tão habituados a fazer o mal que perdeu a habilidade para trocar o mal pelo bem. Is 1.16-17. Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer o mal. 17Aprendei a fazer o bem; atendei à justiça, repreendei ao opressor; defendei o direito do órfão, pleiteai a causa das viúvas. Na parábola do filho prodigo: Lucas 15.11-24. Encontramos os três aspectos do arrependimento.
  • 19. “Então, caindo em si,” Lucas 15.17. 1
  • 20. “Já não sou digno de ser chamado teu filho” Lucas 15.19. 2
  • 21. “Então, levantando-se, foi ter com o seu pai” Lucas 15.20. 3
  • 23. Paulo chama de tristeza segundo Deus: 2 Co 7.10a. Porque a tristeza segundo Deus produz arrependimento para a salvação, que a ninguém traz pesar; (É produzido por Deus no interior do homem e leva este a ter consciência do pecado e conseguintemente busca a salvação). a
  • 24. É aquele sentimento mórbido de culpa que não tem sua origem em Deus. É um sentimento de culpa causado pela consciência e leva autodestruição. Paulo chama de tristeza do mundo: 2 Co 7.10b. mas a tristeza do mundo produz morte. b
  • 25. Biblicamente falando, encontramos exemplo de arrependimento em Pedro. Lc 22.60-62. E de remorso em Judas Mt 27.3-5. Pedro: Lucas 22.60-62. 61 O Senhor voltou-se e olhou diretamente para Pedro. Então Pedro se lembrou da palavra que o Senhor lhe tinha dito: "Antes que o galo cante hoje, você me negará três vezes". 62 Saindo dali, chorou amargamente. Judas: Mateus 27.3-5. Quando Judas, que o havia traído, viu que Jesus fora condenado, foi tomado de remorso e devolveu aos chefes dos sacerdotes e aos líderes religiosos as trinta moedas de prata. 4 E disse: "Pequei, pois traí sangue inocente". E eles retrucaram: "Que nos importa? A responsabilidade é sua". 5 Então Judas jogou o dinheiro dentro do templo, saindo, foi e enforcou-se.
  • 27. Ocupa um lugar de destaque na pregação cristã. É indispensável para o perdão. Os pregadores enfatizavam de forma veemente o arrependimento. O arrependimento era a tônica na pregação dos servos do Senhor. 1 João 1.8-10. Se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. 9 Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça. 10 Se afirmarmos que não temos cometido pecado, fazemos de Deus um mentiroso, e a sua palavra não está em nós. Vejamos a. João Batista: Mateus 3.1-2. b. O Senhor Jesus: Marcos 1.15. c. Os apóstolos: Marcos 6.12. d. Pedro: Atos 2.38. e. Paulo: Atos 17.30.
  • 28. 4
  • 29. A pregação do Evangelho
  • 30. 1. A bondade de Deus e o arrependimento: 2 Tm 2.25. instruindo com mansidão os que resistem, a ver se, porventura, Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade. 2 Pe 3.9. Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento. a. Mateus 12.41. Os ninivitas ressurgirão no Juízo com esta geração e a condenarão, porque se arrependeram com a pregação de Jonas. E eis que está aqui quem é mais do que Jonas b. Lucas 24.47. e, em seu nome, se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém 2. Através da repreensão e castigo: Apocalipse 3.19. Eu repreendo e disciplino a quantos amo. Sê, pois, zeloso e arrepende-te. 3. Da ameaça de juízo: Jonas 3.4-10. Existem vários meios em que Deus usa que não escrevo aqui, porém o meio usado é a pregação da Palavra de Deus.
  • 31. 2 Crônicas 7. 14. e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.
  • 32. 1. O arrependimento e uma necessidade universal: Lucas 13.3-5. Jesus declara que todos precisam se arrepender, caso contrário todos perecerão. 2. Deus não deseja a perdição de ninguém, mas que todos venham a arrepender-se. 2 Pedro 3.9. Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento. 3. Todos precisam de arrependimento porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus: Romanos 3.23-25. Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus, 24 sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus, 25 ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus;
  • 33. Mateus 3.8. Estes frutos são aquelas ações, atitudes e comportamento que revelam nosso arrependimento. Atos 26.20. mas anunciei primeiramente aos de Damasco e em Jerusalém, por toda a região da Judéia, e aos gentios, que se arrependessem e se convertessem a Deus, praticando obras dignas de arrependimento. Isto prova a veracidade do nosso arrependimento.
  • 34. 2 Crônicas 34.18-19. Além disso, Safã, o escrivão, fez saber ao rei, dizendo: O sacerdote Hilquias me deu um livro. E Safã leu nele perante o rei. 19 Sucedeu, pois, que, ouvindo o rei as palavras da Lei, rasgou as suas vestes. (o rei Josias)
  • 35. Há alegria no céu: Lucas 15.10. Pecados são perdoados: At 2.38. Provoca desejo de repara o mal feito a outros: Lucas 19.8. Juntamente arrependimento e fé, conduzem o homem à conversão: Atos 3.20-21. Todas as demais bênçãos da vida cristã podem dizer que de certa maneira são resultados do arrependimento. 2 Crônicas 7.11-16. Conclusão: Pelo arrependimento Deus nos leva a ver qual o nosso verdadeiro estado espiritual, bem como um grande desejo de um salvador, concluímos que arrependimento é em primeiro lugar a descoberta de que estamos fora da lei de Deus, em segundo lugar uma tristeza por causa do pecado, e em terceiro lugar o desejo de abandonar o pecado.