SlideShare uma empresa Scribd logo
Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi 
NR- 9 PPRA 
Programa de Prevenção de Riscos Ambientais 
Curso:Tecnólogo em Gestão Ambiental 
Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira
 PADRÃO PARA ELABORAÇÃO DO PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS 
 DOCUMENTO DESENVOLVIDO PARA SER UTILIZADO COMO BASE POR PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS PARA A REALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE PPRA. PPRA
ORIENTAÇÕES BÁSICAS 
 O PPRA DEVERÁ SE ESTENDER A TODAS AS ÁREAS DE TRABALHO OCUPADAS PELA EMPRESA, ESTANDO ARTICULADO COM O PCMSO, QUANDO DISPONÍVEL NA INSTALAÇÃO. 
AS PARTES DO PPRA RELATIVAS À FASE DE RECONHECIMENTO E AVALIAÇÃO AMBIENTAL DEVERÃO SER OBRIGATORIAMENTE REALIZADAS E ASSINADAS POR ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO OU TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO.
PREVENÇÃO DA SAÚDE E A INTEGRIDADE FÍSICA DOS TRABALHADORES, ATRAVÉS DO DESENVOLVIMENTO DAS SEGUINTES ETAPAS: 
ANTECIPAÇÃO; 
RECONHECIMENTO; 
AVALIAÇÃO E CONTROLE DOS RISCOS AMBIENTAIS EXISTENTES NOS LOCAIS DE TRABALHO. 
OBJETIVO
RISCOS AMBIENTAIS 
Para efeito desta NR, consideram-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos e biológicos existentes nos ambientes de trabalho que, em função de sua natureza, concentração ou intensidade e tempo de exposição, são capazes de causar danos à saúde do trabalhador.
AGENTES QUÍMICOS 
Substâncias, compostos ou produtos que possam penetrar no organismo pela via respiratória, nas formas de: 
poeiras, 
fumos, 
névoas, 
neblinas, 
gases ou 
vapores. 
 Substâncias que, pela natureza da atividade de exposição, possam ter contato ou ser absorvidos pelo organismo através da pele ou por ingestão.
AGENTES FÍSICOS 
Diversas formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores, tais como: 
ruído, 
vibrações, 
pressões anormais, 
temperaturas extremas, 
radiações ionizantes, 
radiações não ionizantes, 
ultra-som.
AGENTES BIOLÓGICOS 
 Bactérias, 
 Fungos, 
 Bacilos, 
 Parasitas, 
Protozoários, 
 Vírus.
O PPRA DEVE CONTER OS ASPECTOS ESTRUTURAIS DO PROGRAMA, TAIS COMO: 
 PLANEJAMENTO ANUAL COM O ESTABELECIMENTO DAS METAS A SEREM CUMPRIDAS E COM OS PRAZOS PARA A SUA IMPLANTAÇÃO; 
ESTRATÉGIA E METODOLOGIA DE AÇÃO; 
FORMA DE REGISTRO, MANUTENÇÃO E DIVULGAÇÃO DOS DADOS; 
PPERIODICIDADE E FORMA DE AVALIAÇÃO DO SEU DESENVOLVIMENTO. 
ESTRUTURA DO PPRA
ETAPAS DO PPRA 
O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais deverá incluir as seguintes etapas: 
a) antecipação e reconhecimentos dos riscos; 
b)estabelecimento de prioridades e metas de avaliação e controle; 
c) avaliação dos riscos e da exposição dos trabalhadores; 
d)implantação de medidas de controle e avaliação de sua eficácia; 
e) monitoramento da exposição aos riscos; 
f) registro e divulgação dos dados.
ANTECIPAÇÃO, RECONHECIMENTO 
E AVALIAÇÃO DOS RISCOS AMBIENTAIS 
ANTECIPAÇÃO 
OBJETIVO: IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS POTENCIAIS E A INTRODUÇÃO DAS MEDIDAS DE CONTROLE NECESSÁRIAS, ANTECIPANDO-SE A EXPOSIÇÃO AO RISCO AMBIENTAL. 
 ESTA ETAPA ENVOLVE: 
 A ANÁLISE DE NOVOS PROJETOS; 
 INSTALAÇÕES; 
 PRODUTOS; 
 MÉTODOS OU PROCESSOS DE TRABALHO OU DE MODIFICAÇÃO DAS JÁ EXISTENTES;
ESTA ETAPA ENVOLVE A IDENTIFICAÇÃO E A EXPLICITAÇÃO, DOS RISCOS EXISTENTES NOS AMBIENTES DE TRABALHO. 
AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS NESTA ETAPA SÃO: 
DETERMINAÇÃO E LOCALIZAÇÃO DAS POSSÍVEIS FONTES GERADORAS; 
TRAJETÓRIAS E MEIOS DE PROPAGAÇÃO; 
CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES E DO TIPO DE EXPOSIÇÃO; RECONHECIMENTO
RECONHECIMENTO 
IDENTIFICAÇÃO DAS FUNÇÕES E DETERMINAÇÃO DO NÚMERO DE TRABALHADORES EXPOSTOS AO RISCO; 
OBTENÇÃO DE DADOS EXISTENTES NA EMPRESA; 
INDICATIVOS DE POSSÍVEL COMPROMETIMENTO DA SAÚDE DECORRENTES DO TRABALHO; 
POSSÍVEIS DANOS À SAÚDE RELACIONADOS AOS RISCOS IDENTIFICADOS.
A DESCRIÇÃO DAS MEDIDAS DE CONTROLE JÁ EXISTENTES NA EMPRESA E DAS POSSÍVEIS ALTERAÇÕES PARA AUMENTAR A SUA EFICIÊNCIA NA REDUÇÃO OU ELIMINAÇÃO DOS RISCOS AMBIENTAIS E INFORMAÇÕES OBTIDAS NOS SEGUINTES DOCUMENTOS: 
 MAPAS DE RISCOS AMBIENTAIS. 
 LEVANTAMENTOS DE RISCOS NOS POSTOS DE TRABALHO. 
 ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS – APR. 
RECONHECIMENTO
Identificação 
do Risco 
Causa/Fonte 
Geradora 
Tipo de 
Exposição 
Trabalhadores 
Expostos 
Ruído 
Motores dos 
Caminhões, 
transito de 
veículos 
Contínua 
Auxiliar de Produção 
Óleos Básicos 
Medição do 
nível de 
temperatura 
dos tanques 
Intermitente 
Auxiliar de Produção 
EXEMPLO DE PLANILHA PARA 
RECONHECIMENTO DOS RISCOS
ENVOLVE O MONITORAMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS VISANDO: 
 A DETERMINAÇÃO DA INTENSIDADE DOS AGENTES FÍSICOS; 
A CONCENTRAÇÃO DOS AGENTES QUÍMICOS, VISANDO O DIMENSIONAMENTO DA EXPOSIÇÃO DOS TRABALHADORES; 
AVALIAÇÃO DOS RISCOS
A AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DEVERÁ SER REALIZADA SEMPRE QUE NECESSÁRIA PARA COMPROVAR O CONTROLE DA EXPOSIÇÃO OU A INEXISTÊNCIA DOS RISCOS IDENTIFICADOS NA ETAPA DE RECONHECIMENTO; 
 DIMENSIONAR A EXPOSIÇÃO DOS TRABALHADORES E SUBSIDIAR O EQUACIONAMENTO DAS MEDIDAS DE CONTROLE. AVALIAÇÃO DOS RISCOS
A AVALIAÇÃO DEVERÁ CONSIDERAR AS SEGUINTES ATIVIDADES: 
DEFINIÇÃO E PLANEJAMENTO DA ESTRATÉGIA DE QUANTIFICAÇÃO DOS RISCOS, BASEANDO-SE NOS DADOS E INFORMAÇÕES COLETADOS NA ETAPA ANTERIOR; 
QUANTIFICAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO OU INTENSIDADE ATRAVÉS DE EQUIPAMENTOS E INSTRUMENTOS COMPATÍVEIS AOS RISCOS IDENTIFICADOS E UTILIZANDO-SE DE TÉCNICAS INDICADAS A SEGUIR; 
AVALIAÇÃO DOS RISCOS
AVALIAÇÃO DOS RISCOS 
VERIFICAÇÃO DOS VALORES ENCONTRADOS, SE ESTÃO EM CONFORMIDADE COM OS LIMITES DE TOLERÂNCIA ESTABELECIDOS E O TEMPO DE EXPOSIÇÃO DOS TRABALHADORES; 
VERIFICAÇÃO DAS MEDIDAS DE CONTROLE IMPLANTADAS, SE SÃO EFICIENTES.
Causa 
Fonte 
Geradora 
Tipo De 
Exposição 
N.° 
Trab. 
Expostos 
Avaliação 
Quantitativa 
Medidas De 
Controle 
Existente 
Cabine De 
Pintura 
Continua 
1 
Ppm 
Proteção 
Respiratória 
Peneiramento 
Intermitente 
2 
Mg/M³ 
Enclausuramento 
Obs: Registrar o tipo de instrumental utilizado, marca, modelo e 
calibragem. 
Caso não exista o agente registrar comentário pertinente. 
EXEMPLOS DE PLANILHA: 
AGENTES QUÍMICOS
DEVERÃO SER PROPOSTAS MEDIDAS NECESSÁRIAS E SUFICIENTES PARA A ELIMINAÇÃO, MINIMIZAÇÃO OU CONTROLE DOS RISCOS AMBIENTAIS SEMPRE QUE FOR VERIFICADA UMA OU MAIS DAS SEGUINTES SITUAÇÕES: 
 RISCOS POTENCIAIS NA FASE DE ANTECIPAÇÃO; 
QUANDO FOREM CONSTATADOS RISCOS EVIDENTES A SAÚDE; 
QUANDO, ATRAVÉS DO CONTROLE MÉDICO DA SAÚDE, FICAR CARACTERIZADO O NEXO CAUSAL ENTRE DANOS OBSERVADOS NA SAÚDE DOS TRABALHADORES E A SITUAÇÃO DE TRABALHO A QUE ELES FICAM EXPOSTOS. 
CONTROLE DOS RISCOS AMBIENTAIS
CONTROLE DOS RISCOS AMBIENTAIS SEGUEM ALGUNS EXEMPLOS DE MEDIDAS DE CONTROLE A SEREM CONSIDERADAS: 
SUBSTITUIÇÃO DO AGENTE AGRESSIVO; 
MUDANÇA OU ALTERAÇÃO DO PROCESSO OU OPERAÇÃO; 
ENCLAUSURAMENTO DA FONTE; 
SEGREGAÇÃO DO PROCESSO OU OPERAÇÃO; 
MODIFICAÇÃO DE PROJETOS; 
LIMITAÇÃO DO TEMPO DE EXPOSIÇÃO; 
UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL;
AS MEDIDAS DE CONTROLE A SEREM IMPLANTADAS DEVEM OBEDECER A SEGUINTE ORDEM HIERÁQUICA: 
I – MEDIDAS DE CONTROLE COLETIVO; II – MEDIDAS DE CARÁTER ADMINISTRATIVO OU DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO; E III - UTILIZAÇÃO DE EPI.
CATEGORIAS E INTERPRETAÇÃO DO GRAU DE RISCO 
GRAU DE RISCO CATEGORIA SIGNIFICADO 0 Insignificante Fatores do ambiente ou elementos materiais que não constituem nem um incômodo nem um risco para a saúde ou integridade física 1 Baixo Fatores do ambiente ou elementos materiais que constituem um incômodo sem ser uma fonte de risco para a saúde ou integridade física 2 Moderado Fatores do ambiente ou elementos materiais que constituem um incômodo podendo ser de baixo risco para a saúde ou integridade física 3 Alto ou Sério Fatores do ambiente ou elementos materiais que constituem um risco para a saúde e integridade física do trabalhador, cujos valores ou importâncias estão notavelmente próximos dos limites regulamentares 4 Muito Alto ou Crítico Fatores do ambiente ou elementos materiais que constituem um risco para a saúde e integridade física do trabalhador, com uma probabilidade de acidente ou doença elevada
PRIORIZAÇÃO DAS MEDIDAS DE CONTROLE GRAU DE RISCO PRIORIDADE DESCRIÇÃO 0 e 1 Baixa A implantação da medida de controle não é necessária ou manter as medidas já existentes 2 Média A implantação de medida de controle é necessária porém a prioridade é baixa. Manter as medidas já existentes 3 Alta A implantação de medida de controle é necessária e a prioridade é média,ou a melhoria das medidas já existe 4 Muito Alta Medida de controle necessária e a prioridade é alta. Devem ser adotadas medidas provisórias imediatamente
PERIODICIDADE, FORMA DE AVALIAÇÃO E REVISÃO DO PPRA 
 O PPRA SERÁ REVISADO SEMPRE QUE NECESSÁRIO E PELO MENOS UMA VEZ AO ANO COM O OBJETIVO DE AVALIAR O SEU DESENVOLVIMENTO E REALIZAR OS AJUSTES NECESSÁRIOS; 
 BEM COMO O MONITORAMENTO OU REAVALIAÇÃO PARA VERIFICAÇÃO DA EFICÁCIA DAS MEDIDAS DE CONTROLE IMPLEMENTADAS. 
FIM!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Normas regulamentadoras
Normas regulamentadorasNormas regulamentadoras
Normas regulamentadoras
Nicolle Henriques
 
Mapa de riscos
Mapa de riscosMapa de riscos
Mapa de riscos
Aline Arantes
 
Aula nr 4
Aula nr 4Aula nr 4
Aula nr 4
Juno Dio
 
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas RegulamentadorasAula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
Ghiordanno Bruno
 
Apresentação PGR Etikka.pptx
Apresentação PGR Etikka.pptxApresentação PGR Etikka.pptx
Apresentação PGR Etikka.pptx
Brasilio da Silva
 
Normas regulamentadoras
Normas regulamentadorasNormas regulamentadoras
Normas regulamentadoras
KARLA M. C. ORLANDO
 
Aula 6 epc
Aula 6   epcAula 6   epc
Aula 6 epc
Daniel Moura
 
Saúde Ocupacional
Saúde  OcupacionalSaúde  Ocupacional
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completa
Daniel Lira
 
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
Jonas B. Larrosa
 
Riscos ambientais
Riscos ambientais   Riscos ambientais
Riscos ambientais
Ythia Karla
 
Modelo de pcmso
Modelo de pcmsoModelo de pcmso
Modelo de pcmso
Tersio Gorrasi
 
Segurança do Trabalho - Analise de riscos
Segurança do Trabalho - Analise de riscosSegurança do Trabalho - Analise de riscos
Segurança do Trabalho - Analise de riscos
Claudio Cesar Pontes ن
 
Administração aplicada na Segurança do Trabalho
Administração aplicada na Segurança do TrabalhoAdministração aplicada na Segurança do Trabalho
Administração aplicada na Segurança do Trabalho
Jeane Santos
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
HP Safety Engenharia
 
NR 15 - Insalubridade e Periculosidade
NR 15 - Insalubridade e PericulosidadeNR 15 - Insalubridade e Periculosidade
NR 15 - Insalubridade e Periculosidade
Zanel EPIs de Raspa e Vaqueta
 
Epi e epc
Epi e epcEpi e epc
Epi e epc
Roberto Medina
 
Segurança e higiene do trabalho - Aula 2
Segurança e higiene do trabalho - Aula 2Segurança e higiene do trabalho - Aula 2
Segurança e higiene do trabalho - Aula 2
IBEST ESCOLA
 
Riscos químicos
Riscos químicos Riscos químicos
Riscos químicos
Glediana Ximenes
 

Mais procurados (20)

Normas regulamentadoras
Normas regulamentadorasNormas regulamentadoras
Normas regulamentadoras
 
Mapa de riscos
Mapa de riscosMapa de riscos
Mapa de riscos
 
Aula nr 4
Aula nr 4Aula nr 4
Aula nr 4
 
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas RegulamentadorasAula 2 - Normas Regulamentadoras
Aula 2 - Normas Regulamentadoras
 
Apresentação PGR Etikka.pptx
Apresentação PGR Etikka.pptxApresentação PGR Etikka.pptx
Apresentação PGR Etikka.pptx
 
Normas regulamentadoras
Normas regulamentadorasNormas regulamentadoras
Normas regulamentadoras
 
Aula 6 epc
Aula 6   epcAula 6   epc
Aula 6 epc
 
Saúde Ocupacional
Saúde  OcupacionalSaúde  Ocupacional
Saúde Ocupacional
 
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Nr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completaNr 6 apresentação completa
Nr 6 apresentação completa
 
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
Acidente de trabalho - Causas, Consequências e Prevenção.
 
Riscos ambientais
Riscos ambientais   Riscos ambientais
Riscos ambientais
 
Modelo de pcmso
Modelo de pcmsoModelo de pcmso
Modelo de pcmso
 
Segurança do Trabalho - Analise de riscos
Segurança do Trabalho - Analise de riscosSegurança do Trabalho - Analise de riscos
Segurança do Trabalho - Analise de riscos
 
Administração aplicada na Segurança do Trabalho
Administração aplicada na Segurança do TrabalhoAdministração aplicada na Segurança do Trabalho
Administração aplicada na Segurança do Trabalho
 
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de TrabalhoPalestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
Palestra: Prevenção de Acidentes de Trabalho
 
NR 15 - Insalubridade e Periculosidade
NR 15 - Insalubridade e PericulosidadeNR 15 - Insalubridade e Periculosidade
NR 15 - Insalubridade e Periculosidade
 
Epi e epc
Epi e epcEpi e epc
Epi e epc
 
Segurança e higiene do trabalho - Aula 2
Segurança e higiene do trabalho - Aula 2Segurança e higiene do trabalho - Aula 2
Segurança e higiene do trabalho - Aula 2
 
Riscos químicos
Riscos químicos Riscos químicos
Riscos químicos
 

Destaque

NormaRegulamentadora – 07
NormaRegulamentadora – 07NormaRegulamentadora – 07
NormaRegulamentadora – 07
Jefferson Matheus
 
NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
NR 6 - Equipamento de Proteção IndividualNR 6 - Equipamento de Proteção Individual
NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
emanueltstegeon
 
Nr 7, a teoria e a prática
Nr 7, a teoria e a práticaNr 7, a teoria e a prática
Nr 7, a teoria e a prática
Ana Carolina Castro
 
Nr 7 comentada
Nr 7 comentadaNr 7 comentada
Nr 7 comentada
stoc3214
 
NR7 PCMSO
NR7 PCMSONR7 PCMSO
NR7 PCMSO
Rose Oliveira
 
Uso correto dos EPIs Sidinei
Uso correto dos EPIs   SidineiUso correto dos EPIs   Sidinei
Uso correto dos EPIs Sidinei
Sidiseguranca
 
NR 6
NR 6NR 6

Destaque (7)

NormaRegulamentadora – 07
NormaRegulamentadora – 07NormaRegulamentadora – 07
NormaRegulamentadora – 07
 
NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
NR 6 - Equipamento de Proteção IndividualNR 6 - Equipamento de Proteção Individual
NR 6 - Equipamento de Proteção Individual
 
Nr 7, a teoria e a prática
Nr 7, a teoria e a práticaNr 7, a teoria e a prática
Nr 7, a teoria e a prática
 
Nr 7 comentada
Nr 7 comentadaNr 7 comentada
Nr 7 comentada
 
NR7 PCMSO
NR7 PCMSONR7 PCMSO
NR7 PCMSO
 
Uso correto dos EPIs Sidinei
Uso correto dos EPIs   SidineiUso correto dos EPIs   Sidinei
Uso correto dos EPIs Sidinei
 
NR 6
NR 6NR 6
NR 6
 

Semelhante a Nr9

Palestra ppra
Palestra ppraPalestra ppra
Palestra ppra
Gefherson
 
Ppra de restaurante
Ppra de restaurantePpra de restaurante
Ppra de restaurante
Ozias Paulo
 
Ppra grafica
Ppra   graficaPpra   grafica
Ppra grafica
Diva Brito de Andrade
 
Modelo PPRA
Modelo PPRAModelo PPRA
9-Curso-de-NR-9-PPRA.pptx
9-Curso-de-NR-9-PPRA.pptx9-Curso-de-NR-9-PPRA.pptx
9-Curso-de-NR-9-PPRA.pptx
GUSTAVOARTHURDASILVA1
 
Modelo de ppra
Modelo de ppraModelo de ppra
Modelo de ppra
Eliete França
 
Modelo de Documento Base do PPRA
Modelo de Documento Base do PPRAModelo de Documento Base do PPRA
Modelo de Documento Base do PPRA
carlos ars
 
PPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.ppt
PPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.pptPPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.ppt
PPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.ppt
DemetrioBarbosaSouza1
 
MÓDULO 01- CONCEITOS GERAIS (01).pdf
MÓDULO 01- CONCEITOS GERAIS (01).pdfMÓDULO 01- CONCEITOS GERAIS (01).pdf
MÓDULO 01- CONCEITOS GERAIS (01).pdf
ClaytonMarques12
 
Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA)
Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA)
Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA)
Thalya Lima
 
9-Curso-de-NR-9-PPRA.pdf
9-Curso-de-NR-9-PPRA.pdf9-Curso-de-NR-9-PPRA.pdf
9-Curso-de-NR-9-PPRA.pdf
JadePratas
 
Modelo ppra
Modelo ppraModelo ppra
Modelo ppra
Modelo ppraModelo ppra
Modelo ppra
Paulo Roberto
 
Modelo ppra
Modelo ppraModelo ppra
Modelo ppra
Gleuciane Rocha
 
NR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptx
NR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptxNR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptx
NR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptx
Mauro Mota
 
La 016
La 016La 016
PPRA
PPRAPPRA
PPRA
CEWK2010
 
wbgincana(PPRA)
wbgincana(PPRA)wbgincana(PPRA)
wbgincana(PPRA)
Mirtes Campos
 
Webgincana ppra
Webgincana ppraWebgincana ppra
Webgincana ppra
Mirtes Campos
 
Aula ppra
Aula ppraAula ppra

Semelhante a Nr9 (20)

Palestra ppra
Palestra ppraPalestra ppra
Palestra ppra
 
Ppra de restaurante
Ppra de restaurantePpra de restaurante
Ppra de restaurante
 
Ppra grafica
Ppra   graficaPpra   grafica
Ppra grafica
 
Modelo PPRA
Modelo PPRAModelo PPRA
Modelo PPRA
 
9-Curso-de-NR-9-PPRA.pptx
9-Curso-de-NR-9-PPRA.pptx9-Curso-de-NR-9-PPRA.pptx
9-Curso-de-NR-9-PPRA.pptx
 
Modelo de ppra
Modelo de ppraModelo de ppra
Modelo de ppra
 
Modelo de Documento Base do PPRA
Modelo de Documento Base do PPRAModelo de Documento Base do PPRA
Modelo de Documento Base do PPRA
 
PPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.ppt
PPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.pptPPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.ppt
PPRA CIMENTOS FTM - TRABALHO SLIDES.ppt
 
MÓDULO 01- CONCEITOS GERAIS (01).pdf
MÓDULO 01- CONCEITOS GERAIS (01).pdfMÓDULO 01- CONCEITOS GERAIS (01).pdf
MÓDULO 01- CONCEITOS GERAIS (01).pdf
 
Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA)
Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA)
Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA)
 
9-Curso-de-NR-9-PPRA.pdf
9-Curso-de-NR-9-PPRA.pdf9-Curso-de-NR-9-PPRA.pdf
9-Curso-de-NR-9-PPRA.pdf
 
Modelo ppra
Modelo ppraModelo ppra
Modelo ppra
 
Modelo ppra
Modelo ppraModelo ppra
Modelo ppra
 
Modelo ppra
Modelo ppraModelo ppra
Modelo ppra
 
NR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptx
NR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptxNR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptx
NR01 - Treinamento - ISO 45001 - 2022.pptx
 
La 016
La 016La 016
La 016
 
PPRA
PPRAPPRA
PPRA
 
wbgincana(PPRA)
wbgincana(PPRA)wbgincana(PPRA)
wbgincana(PPRA)
 
Webgincana ppra
Webgincana ppraWebgincana ppra
Webgincana ppra
 
Aula ppra
Aula ppraAula ppra
Aula ppra
 

Nr9

  • 1. Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi NR- 9 PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Curso:Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira
  • 2.  PADRÃO PARA ELABORAÇÃO DO PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS  DOCUMENTO DESENVOLVIDO PARA SER UTILIZADO COMO BASE POR PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS PARA A REALIZAÇÃO DOS SERVIÇOS DE PPRA. PPRA
  • 3. ORIENTAÇÕES BÁSICAS  O PPRA DEVERÁ SE ESTENDER A TODAS AS ÁREAS DE TRABALHO OCUPADAS PELA EMPRESA, ESTANDO ARTICULADO COM O PCMSO, QUANDO DISPONÍVEL NA INSTALAÇÃO. AS PARTES DO PPRA RELATIVAS À FASE DE RECONHECIMENTO E AVALIAÇÃO AMBIENTAL DEVERÃO SER OBRIGATORIAMENTE REALIZADAS E ASSINADAS POR ENGENHEIRO DE SEGURANÇA DO TRABALHO OU TÉCNICO DE SEGURANÇA DO TRABALHO.
  • 4. PREVENÇÃO DA SAÚDE E A INTEGRIDADE FÍSICA DOS TRABALHADORES, ATRAVÉS DO DESENVOLVIMENTO DAS SEGUINTES ETAPAS: ANTECIPAÇÃO; RECONHECIMENTO; AVALIAÇÃO E CONTROLE DOS RISCOS AMBIENTAIS EXISTENTES NOS LOCAIS DE TRABALHO. OBJETIVO
  • 5. RISCOS AMBIENTAIS Para efeito desta NR, consideram-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos e biológicos existentes nos ambientes de trabalho que, em função de sua natureza, concentração ou intensidade e tempo de exposição, são capazes de causar danos à saúde do trabalhador.
  • 6. AGENTES QUÍMICOS Substâncias, compostos ou produtos que possam penetrar no organismo pela via respiratória, nas formas de: poeiras, fumos, névoas, neblinas, gases ou vapores.  Substâncias que, pela natureza da atividade de exposição, possam ter contato ou ser absorvidos pelo organismo através da pele ou por ingestão.
  • 7. AGENTES FÍSICOS Diversas formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores, tais como: ruído, vibrações, pressões anormais, temperaturas extremas, radiações ionizantes, radiações não ionizantes, ultra-som.
  • 8. AGENTES BIOLÓGICOS  Bactérias,  Fungos,  Bacilos,  Parasitas, Protozoários,  Vírus.
  • 9. O PPRA DEVE CONTER OS ASPECTOS ESTRUTURAIS DO PROGRAMA, TAIS COMO:  PLANEJAMENTO ANUAL COM O ESTABELECIMENTO DAS METAS A SEREM CUMPRIDAS E COM OS PRAZOS PARA A SUA IMPLANTAÇÃO; ESTRATÉGIA E METODOLOGIA DE AÇÃO; FORMA DE REGISTRO, MANUTENÇÃO E DIVULGAÇÃO DOS DADOS; PPERIODICIDADE E FORMA DE AVALIAÇÃO DO SEU DESENVOLVIMENTO. ESTRUTURA DO PPRA
  • 10. ETAPAS DO PPRA O Programa de Prevenção de Riscos Ambientais deverá incluir as seguintes etapas: a) antecipação e reconhecimentos dos riscos; b)estabelecimento de prioridades e metas de avaliação e controle; c) avaliação dos riscos e da exposição dos trabalhadores; d)implantação de medidas de controle e avaliação de sua eficácia; e) monitoramento da exposição aos riscos; f) registro e divulgação dos dados.
  • 11. ANTECIPAÇÃO, RECONHECIMENTO E AVALIAÇÃO DOS RISCOS AMBIENTAIS ANTECIPAÇÃO OBJETIVO: IDENTIFICAÇÃO DOS RISCOS POTENCIAIS E A INTRODUÇÃO DAS MEDIDAS DE CONTROLE NECESSÁRIAS, ANTECIPANDO-SE A EXPOSIÇÃO AO RISCO AMBIENTAL.  ESTA ETAPA ENVOLVE:  A ANÁLISE DE NOVOS PROJETOS;  INSTALAÇÕES;  PRODUTOS;  MÉTODOS OU PROCESSOS DE TRABALHO OU DE MODIFICAÇÃO DAS JÁ EXISTENTES;
  • 12. ESTA ETAPA ENVOLVE A IDENTIFICAÇÃO E A EXPLICITAÇÃO, DOS RISCOS EXISTENTES NOS AMBIENTES DE TRABALHO. AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS NESTA ETAPA SÃO: DETERMINAÇÃO E LOCALIZAÇÃO DAS POSSÍVEIS FONTES GERADORAS; TRAJETÓRIAS E MEIOS DE PROPAGAÇÃO; CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES E DO TIPO DE EXPOSIÇÃO; RECONHECIMENTO
  • 13. RECONHECIMENTO IDENTIFICAÇÃO DAS FUNÇÕES E DETERMINAÇÃO DO NÚMERO DE TRABALHADORES EXPOSTOS AO RISCO; OBTENÇÃO DE DADOS EXISTENTES NA EMPRESA; INDICATIVOS DE POSSÍVEL COMPROMETIMENTO DA SAÚDE DECORRENTES DO TRABALHO; POSSÍVEIS DANOS À SAÚDE RELACIONADOS AOS RISCOS IDENTIFICADOS.
  • 14. A DESCRIÇÃO DAS MEDIDAS DE CONTROLE JÁ EXISTENTES NA EMPRESA E DAS POSSÍVEIS ALTERAÇÕES PARA AUMENTAR A SUA EFICIÊNCIA NA REDUÇÃO OU ELIMINAÇÃO DOS RISCOS AMBIENTAIS E INFORMAÇÕES OBTIDAS NOS SEGUINTES DOCUMENTOS:  MAPAS DE RISCOS AMBIENTAIS.  LEVANTAMENTOS DE RISCOS NOS POSTOS DE TRABALHO.  ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS – APR. RECONHECIMENTO
  • 15. Identificação do Risco Causa/Fonte Geradora Tipo de Exposição Trabalhadores Expostos Ruído Motores dos Caminhões, transito de veículos Contínua Auxiliar de Produção Óleos Básicos Medição do nível de temperatura dos tanques Intermitente Auxiliar de Produção EXEMPLO DE PLANILHA PARA RECONHECIMENTO DOS RISCOS
  • 16. ENVOLVE O MONITORAMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS VISANDO:  A DETERMINAÇÃO DA INTENSIDADE DOS AGENTES FÍSICOS; A CONCENTRAÇÃO DOS AGENTES QUÍMICOS, VISANDO O DIMENSIONAMENTO DA EXPOSIÇÃO DOS TRABALHADORES; AVALIAÇÃO DOS RISCOS
  • 17. A AVALIAÇÃO QUANTITATIVA DEVERÁ SER REALIZADA SEMPRE QUE NECESSÁRIA PARA COMPROVAR O CONTROLE DA EXPOSIÇÃO OU A INEXISTÊNCIA DOS RISCOS IDENTIFICADOS NA ETAPA DE RECONHECIMENTO;  DIMENSIONAR A EXPOSIÇÃO DOS TRABALHADORES E SUBSIDIAR O EQUACIONAMENTO DAS MEDIDAS DE CONTROLE. AVALIAÇÃO DOS RISCOS
  • 18. A AVALIAÇÃO DEVERÁ CONSIDERAR AS SEGUINTES ATIVIDADES: DEFINIÇÃO E PLANEJAMENTO DA ESTRATÉGIA DE QUANTIFICAÇÃO DOS RISCOS, BASEANDO-SE NOS DADOS E INFORMAÇÕES COLETADOS NA ETAPA ANTERIOR; QUANTIFICAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO OU INTENSIDADE ATRAVÉS DE EQUIPAMENTOS E INSTRUMENTOS COMPATÍVEIS AOS RISCOS IDENTIFICADOS E UTILIZANDO-SE DE TÉCNICAS INDICADAS A SEGUIR; AVALIAÇÃO DOS RISCOS
  • 19. AVALIAÇÃO DOS RISCOS VERIFICAÇÃO DOS VALORES ENCONTRADOS, SE ESTÃO EM CONFORMIDADE COM OS LIMITES DE TOLERÂNCIA ESTABELECIDOS E O TEMPO DE EXPOSIÇÃO DOS TRABALHADORES; VERIFICAÇÃO DAS MEDIDAS DE CONTROLE IMPLANTADAS, SE SÃO EFICIENTES.
  • 20. Causa Fonte Geradora Tipo De Exposição N.° Trab. Expostos Avaliação Quantitativa Medidas De Controle Existente Cabine De Pintura Continua 1 Ppm Proteção Respiratória Peneiramento Intermitente 2 Mg/M³ Enclausuramento Obs: Registrar o tipo de instrumental utilizado, marca, modelo e calibragem. Caso não exista o agente registrar comentário pertinente. EXEMPLOS DE PLANILHA: AGENTES QUÍMICOS
  • 21. DEVERÃO SER PROPOSTAS MEDIDAS NECESSÁRIAS E SUFICIENTES PARA A ELIMINAÇÃO, MINIMIZAÇÃO OU CONTROLE DOS RISCOS AMBIENTAIS SEMPRE QUE FOR VERIFICADA UMA OU MAIS DAS SEGUINTES SITUAÇÕES:  RISCOS POTENCIAIS NA FASE DE ANTECIPAÇÃO; QUANDO FOREM CONSTATADOS RISCOS EVIDENTES A SAÚDE; QUANDO, ATRAVÉS DO CONTROLE MÉDICO DA SAÚDE, FICAR CARACTERIZADO O NEXO CAUSAL ENTRE DANOS OBSERVADOS NA SAÚDE DOS TRABALHADORES E A SITUAÇÃO DE TRABALHO A QUE ELES FICAM EXPOSTOS. CONTROLE DOS RISCOS AMBIENTAIS
  • 22. CONTROLE DOS RISCOS AMBIENTAIS SEGUEM ALGUNS EXEMPLOS DE MEDIDAS DE CONTROLE A SEREM CONSIDERADAS: SUBSTITUIÇÃO DO AGENTE AGRESSIVO; MUDANÇA OU ALTERAÇÃO DO PROCESSO OU OPERAÇÃO; ENCLAUSURAMENTO DA FONTE; SEGREGAÇÃO DO PROCESSO OU OPERAÇÃO; MODIFICAÇÃO DE PROJETOS; LIMITAÇÃO DO TEMPO DE EXPOSIÇÃO; UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL;
  • 23. AS MEDIDAS DE CONTROLE A SEREM IMPLANTADAS DEVEM OBEDECER A SEGUINTE ORDEM HIERÁQUICA: I – MEDIDAS DE CONTROLE COLETIVO; II – MEDIDAS DE CARÁTER ADMINISTRATIVO OU DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO; E III - UTILIZAÇÃO DE EPI.
  • 24. CATEGORIAS E INTERPRETAÇÃO DO GRAU DE RISCO GRAU DE RISCO CATEGORIA SIGNIFICADO 0 Insignificante Fatores do ambiente ou elementos materiais que não constituem nem um incômodo nem um risco para a saúde ou integridade física 1 Baixo Fatores do ambiente ou elementos materiais que constituem um incômodo sem ser uma fonte de risco para a saúde ou integridade física 2 Moderado Fatores do ambiente ou elementos materiais que constituem um incômodo podendo ser de baixo risco para a saúde ou integridade física 3 Alto ou Sério Fatores do ambiente ou elementos materiais que constituem um risco para a saúde e integridade física do trabalhador, cujos valores ou importâncias estão notavelmente próximos dos limites regulamentares 4 Muito Alto ou Crítico Fatores do ambiente ou elementos materiais que constituem um risco para a saúde e integridade física do trabalhador, com uma probabilidade de acidente ou doença elevada
  • 25. PRIORIZAÇÃO DAS MEDIDAS DE CONTROLE GRAU DE RISCO PRIORIDADE DESCRIÇÃO 0 e 1 Baixa A implantação da medida de controle não é necessária ou manter as medidas já existentes 2 Média A implantação de medida de controle é necessária porém a prioridade é baixa. Manter as medidas já existentes 3 Alta A implantação de medida de controle é necessária e a prioridade é média,ou a melhoria das medidas já existe 4 Muito Alta Medida de controle necessária e a prioridade é alta. Devem ser adotadas medidas provisórias imediatamente
  • 26. PERIODICIDADE, FORMA DE AVALIAÇÃO E REVISÃO DO PPRA  O PPRA SERÁ REVISADO SEMPRE QUE NECESSÁRIO E PELO MENOS UMA VEZ AO ANO COM O OBJETIVO DE AVALIAR O SEU DESENVOLVIMENTO E REALIZAR OS AJUSTES NECESSÁRIOS;  BEM COMO O MONITORAMENTO OU REAVALIAÇÃO PARA VERIFICAÇÃO DA EFICÁCIA DAS MEDIDAS DE CONTROLE IMPLEMENTADAS. FIM!!!