SlideShare uma empresa Scribd logo
MODELOS DE NEGÓCIOS
DIGITAIS
Grupo 7: Daniela Adão Pereira n° 12.209.052-5
Julia Brandini Barboza n° 12.209.117-6
Juliete Pereira Firmo n° 12.209.078-0
Vitor Eidi Ando Yamada n° 12.211.264-2
Agenda
• E-tailers (ex Amazon.com);
• Manufacturers selling on-line;
• Fee-subscription-based companies;
• Airlines selling online tickets;
• Online Entertainment.
• Modelos de Negócios Digitais
• e-Business, e-Comerce;
e-Procurement; e-Marketplace;
• Produtividade e Internet;
• Economia Digital;
• Shopbots;
• Social Data;
• Otimização para mecanismos
de buscas;
• Search Engine Marketing;
Modelos de negócios
• É um termo utilizado para descrever a geração de receita,
criação de valor;
• Segundo Amit e Zott: “Modelos de negócios pode ser definido
como a descrição do conteúdo, estrutura e governança de
transações projetadas para criar valor através da exploração
de oportunidades de negócio”.
• Os avanços nas tecnologias digitais abriram novas
oportunidades entre empresas, parceiros e clientes. Isso faz
com que os modelos de negócios tornaram-se uma possível
fonte de criação de valor.
Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
E-Business e E-Commerce
E-Business: São negócios efetuados pela internet não
envolvendo necessariamente transação comercial.
E-Commerce: É o comércio eletrônico de bens físicos e de
bens intangíveis.
Fonte: P Timmers – Eletronic markets, 1998
Modelos de Negócios Digitais – Web 1.0
B2B: Comércio feito entre empresas.
B2C: Comércio feito entre empresa e consumidor.
C2C: Comércio feito entre consumidores.
Fonte: Internet B2B
Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0
Anúncios: Propagandas on-line.
Controle de assinatura: O
objetivo deste modelo de negócio é
obter o maior número de
visitantes.
Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0
Venda de bens: Venda de material como varejistas da web.
White labels: Criar um produto que outra empresa pode
colocar sua marca.
Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0
Pagamento único: Um
pagamento único o faz
proprietário e lhe proporciona
um tempo de vida do serviço.
Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0
Moeda virtual: Os usuários precisam de alguma moeda virtual
para o progresso em um jogo ou para realizar as ações
desejadas.
Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0
Bens virtuais: São presentes virtuais em um mundo virtual, ou
seja, os bits são trocados.
Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0
Lead generation: Criação ou
geração de interesse do
consumidor em potencial .
Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0
Produto de informação:
Uma forma de alavancar as
informações ou dados que
possuímos, a fim de ganhar
dinheiro.
Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0
Acesso a dados: Empresas que ganham dinheiro oferecendo
serviços.
Ecossistema: Uma plataforma, neste caso chamado appstore,
onde usuários compram e baixam aplicativos que foram
desenvolvidos por desenvolvedores terceiros.
Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
E-Procurement
Definição
É compra de bens e serviços, por meio da Internet sendo que ele
pode ser implementado através de um processo manual ou usando
um software de gestão do tipo ferramenta de ERP.
Vantagens:
 Maior automação dos processos relacionados a produção de bens
e serviços;
 Busca por novos fornecedores de bens e serviços, diminuindo
gastos com material.
Fonte: www.e-commerce.org.br
E-MARKETPLACE
Definição
É um site onde produtos e serviços de vários vendedores são
ofertados e até comercializados. Geralmente são focados em
nichos e segmentos de mercado específicos.
Fonte: www. ecommercenews.com.br
Produtividade
Ao falar de qualidade de vida, a renda per capita
é a métrica mais importante, pois para obter
aumento do padrão de vida no país, há a
necessidade de aumentar a produção por
pessoa.
Wired for Inovation
Produtividade e Internet
Segundo Erik Brynjolfsson
“É o crescimento da
produtividade, mais do que
qualquer outra estatística
econômica, que determina o
nosso padrão de vida.
Seven Pillars of Productivity
Se a produtividade cresce a 1% ao ano, o nível de
vida vai dobrar a cada 70 anos”
Produtividade e Internet
• Sete práticas de caracterizar as empresas altamente
produtivas transformando-os em organizações
digitais.
 I: Mover do analógico para processos digitais
 II: Abrir o acesso à informação
 III: Capacitar os colaboradores
 IV: Use incentivos baseados no mérito
 V: Investir em cultura corporativa
 VI:. Recrutar as pessoas certas
 VII:. Investir em capital humano
Seven Pillars of Productivity
Economia Digital
• É um fenômeno onde o sistema da economia
está baseada em transações de negócios
digitais.
•Novas
Tecnologias
•$ Investimento
Empresa A
•Novas práticas e
processos de troca de
informações
Internetwork •Novas
Tecnologias
•$ Investimento
Empresa B
ORLIKOWSKI, W. - The Trush Is Not Out There: An Enacted View of the “Digital Economy”
Moldar e
Direcionar
Refletir nossas
aspirações e
valores
Pesquisa s
sistemáricas do
Internetworking
Mudança
organizacional
Economia Digital
• Segundo Orlikowski “A melhor forma de
prever o futuro é inventá-lo”.
ORLIKOWSKI, W. - The Trush Is Not Out There: An Enacted View of the “Digital Economy
Economia Digital
www.buscapecompany.com.br
Winning the Race With Ever-Smarter Machines
Vencer a corrida com máquinas cada vez mais velozes. Erik Brynjolfsson
E-Bit
• Recolhe dados diretamente do comprador
online, diariamente, gerando informações
detalhadas sobre o e-commerce.
• Fornece estas informações:
Certificação para as empresas de compras online.
E-bit ajuda
Informações de comércio eletrônico
Relatório Web Shoppers2014 - www.ebit.com.br
E-bit - Comércio Eletrônico
Em 2013:
• O comércio eletrônico faturou R$28,8 bi, um
crescimento de 28% em relação a 2012
• 9,1 mi de pessoas fizeram sua 1ª compra online e
51,3 mi já fizeram apenas uma compra na internet.
• Compras concluídas por dispositivo móvel ao longo
do ano passou de 2,5% para 4,8%.
Número de pedidos: 88,3 mi – 32%
maior que 2012.
Relatório Web Shoppers2014 – www.ebit.com.br / Worldbank
Porém o comércio eletrônico é 0,1% do PIB do Brasil
E-bit - Comércio Eletrônico
• Estima-se que o setor cresça 20% para 2014
faturando R$ 34,6 bilhões
• Categoria mais vendida:
Social Data
• São informações na
forma de dados;
• São compartilhados de
forma sem
precedentes;
• Podem conter
informações valiosas.
Fonte: WANG, Hui. ; WEIGEND, Andreas , Data Mining for Financial Decision Making
Social Data
Field Data Mining:
• Organizações:
Coletores
Passivos de
Dados
Exploradores
Ativos de
Dados
Fonte: WANG, Hui. ; WEIGEND, Andreas , Data Mining for Financial Decision Making
• Objetivo: Descoberta de
informações valiosas;
• Onde: Em grandes conjuntos
de dados;
• Como: Utilização de conceitos
desde a Estatística Moderna
até o Gerenciamento de
Dados;
• Benefício: O conhecimento
adquirido auxilia na Tomada de
Decisão.
Social Data
Field Data Mining:
• Desafios do Data Mining:
Coletar informações e
utilizá-las para uma
tomada de decisão;
• Alto nível de dificuldade e
grandes recompensas.
Fonte: WANG, Hui. ; WEIGEND, Andreas , Data Mining for Financial Decision Making
Social Data
Andreas Weigend:
• Professor da Stanford
University e da UC
Berkeley;
• Cientista-chefe da Amazon;
• Consultor de Companhias
como a MasterCard e
United HealthCare.
Fonte: http://www.weigend.com/
Social Data
Andreas Weigend:
• Revolução de Dados
Sociais;
• Consumidores
compartilham dados de
forma sem precedentes;
Fonte: http://www.weigend.com/
Search Engine Marketing (SEM)
• Um processo de marketing de internet que visa obter
mais visibilidade nos motores de busca;
• O Google Adwords é pago para que a publicidade
apareça nos resultados de busca;
• Utiliza o Pay-Per-Click (PPC).
Fonte: : JERKOVIC, JOHN I. , SEO Warrior
Search Engine Marketing (SEM)
Importância do Tráfego SEM:
• Relevância da publicidade se torna valiosa;
• Companhias lucram pela exposição da publicidade;
• Outras companhias SEM:
Fonte: : JERKOVIC, JOHN I. , SEO Warrior
Search Engine Optimization (SEO)
• Processo de otimização do website para o
propósito de se conseguir tráfego livre ou
gratuito nos motores de busca, com o objetivo
de tornar o site popular.
Fonte: : JERKOVIC, JOHN I. , SEO Warrior
Search Engine Optimization (SEO)
• Um Website otimizado é melhor compreendido
pelos rastreadores dos motores de busca, tendo
melhores chances em atingir rankings maiores
no SERPS.
• SERPS: Search Engine Result Pages
É uma lista de Webpages quando é feita uma
pesquisa nos motores de busca.
Fonte: : JERKOVIC, JOHN I. , SEO Warrior
SEO x SEM
SEO x SEM
Vantagens do SEM:
• A visibilidade da
publicidade pode ser
aumentada de
imediato pagando-se
pela exposição;
Desvantagens do SEM:
• Os Websites
publicados devem
estar bem preparados
para os visitantes.
Fonte: : JERKOVIC, JOHN I. , SEO Warrior
Vantagens do SEO:
• O ranking de
publicidade sobe à
medida que o
Website é otimizado;
Desvantagens do SEO:
• Depende do SEM.
A Falência da
• Loja de Varejo Online
vendedora de produtos para
animais de estimação;
• Utilizava o Método B2C;
• Criado em 1998, esteve na rota
de sucesso em 1999.
Fonte: : BUCHOLTZ, Chris; Poor Product Choices Doom E-tailers (2000)
A Falência da
• Utilizou o dinheiro de seus
investidores para aumentar o
Marketing e expandir seus
CD’s;
• Faliu pela falta de melhores
alternativas a seus clientes.
Fonte: : FISCHER, Jeff; Why Pets.com Died (2000)
Shopbots
• São ferramentas automatizadas que permitem os
usuários encontrarem facilmente preços e
características de produtos de varejistas online.
Fonte: The Impact of Shopbots on Electronic Markets - Michael D. Smith - 2002
É a primeira empresa brasileira
que veicula publicidade de
anunciantes em blogs, sites e
redes sociais.
Fonte rentável
Cadastro do site,
blog ou rede
social
Fonte: http://boo-box.com/
Campanhas a
partir de R$ 10
Publico alvo
• Software que permite a
criação de lojas virtuais,
visando obter o máximo
aproveitamento online.
Enterprise Edition
Para empresas em rápido crescimento e
grande porte
Community Edition
Para quem é desenvolvedor e quer explorar
a flexexibilidade da plataforma
Magento Go
Para pequenas empresas.
Fonte: www.magento.com
Varejistas Online (e-tailer)
RANKING EMPRESAS PAÍS
FATURAMENTO
(US$)
1 Amazon EUA 51,7 bi
2 Apple.inc EUA 8,6 bi
3 Wal-Mart EUA 7,5 bi
4 Otto Alemanha 7,41 bi
5 Beijing Jingdong Century Trading China 6,66 bi
6 Tesco Reino Unido 4,76 bi
7 Liberty Interactive EUA 4,39 bi
8 Dell.inc EUA 4,37 bi
9 Casino França 3,42 bi
10 Jia.com China 3,2 bi
(...)
15 B2W (Submarino, Americanas.com, Shoptime) Brasil 2,47 bi
45 Hermes (Comprafácil.com) Brasil 1,03 bi
TOP 50 MAIORES VAREJISTAS ONLINE
Fonte: Relatório 2014 Global Powers of Retailing – Deloitte. p-G28
Varejistas Online (e-tailer)
Fabricantes com venda Online
Modelos de negócios baseados em
assinaturas
• Produtos onde o cliente paga uma assinatura
para tê-los entregues em casa ou acesso
online
Modelos de negócios baseados em
assinaturas
• Produtos onde o cliente paga uma assinatura
para tê-los entregues em casa ou acesso
online
FREE PREMIUM FREEMIUM
FREEMIUM
• Empresas que fornecem de graça o produto
principal aos usuários
• Para acessar a versão full deve-se
pagar pelo produto “premium”
Fonte:http://www.investimentosenoticias.com.br/ultimas-noticias/tempo-real/consumidores-economizam-rs-10-mi-com-promocoes-de-passagens-aereas.html
Pesquisa pela agência
virtual
6 meses
(out/13 à mar/14)
Economia:
10 milhões em compras
online
Até 80% desconto
Venda de passagens aéreas Online
Entretenimento Online
1. Grand Theft Auto 4: US$ 100 milhões
2. Gran Turismo 5: US$ 80 milhões de dólares (Em desenvolvimento)
3. Shenmue: US$ 70 milhões
4. Too Human: US$ 60 milhões
5. Metal Gear Solid 4: US$ 60 milhões
6. Halo 3: US$ 55 milhões
7. APB: US$ 50 milhões (Em desenvolvimento)
8. LA Noire: US$ 50 milhões (Em desenvolvimento)
9. Final Fantasy XII: US$ 48 milhões
10. Killzone 2: US$ 45 milhões
Fonte: Digital Battle
Bibliografia
 BRYNJOLFSSON, Erik; SAUNDERS,Adam. Wired For Innovation. MIT, 2010
 BRYNJOLFSSON, Erik. Winning The Race with Ever-Smarter Machines. MIT, 2012
 WANG, Hui; WEIGEND, Andreas S. Data mining for financial decision making. Decision support systems, v. 37, n. 4, p. 457-460, 2004
 JERKOVIC, John I.. SEO Warrior, O’Reilly Media, 2009
 ORLIKOWSKI ,WANDA J. ; IACONO, C. SUZANNE . The truth is not out there: An enacted view of the “Digital Economy”, p. 352 – 380, MIT.
 P. Timmers. Business Models for Electronic Markets, 1998
 R Amit, C zott; Strategic management journal, 2001
 www.ebit.com.br
 www.buscapecompany.com.br
 www.e-commerce.org.br
 www.ecommercenews.com.br
 www.deloitte.com
 www.digitalbusinessmodelguru.com
 www.freemium.org
 www.investimentosenoticias.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

WebShoppers 12ª Edição
WebShoppers 12ª EdiçãoWebShoppers 12ª Edição
WebShoppers 12ª Edição
Romero Rodrigues
 
Estrutura Estratégica, Negocial e Arquitetural Para Que as Organizações Parti...
Estrutura Estratégica, Negocial e Arquitetural Para Que as Organizações Parti...Estrutura Estratégica, Negocial e Arquitetural Para Que as Organizações Parti...
Estrutura Estratégica, Negocial e Arquitetural Para Que as Organizações Parti...
Rogerounielo França
 
WebShoppers 9ª Edição
WebShoppers 9ª EdiçãoWebShoppers 9ª Edição
WebShoppers 9ª Edição
Romero Rodrigues
 
O Comércio Eletrônico como ferramenta estratégica de vendas para as empresas
O Comércio Eletrônico como ferramenta estratégica de vendas para as empresasO Comércio Eletrônico como ferramenta estratégica de vendas para as empresas
O Comércio Eletrônico como ferramenta estratégica de vendas para as empresas
marviowesley
 
A ponte entre o DBM e as mídias digitais
A ponte entre o DBM e as mídias digitaisA ponte entre o DBM e as mídias digitais
A ponte entre o DBM e as mídias digitais
Marketdata Solutions Brasil
 
A evolução dos meios de pagamentos digitais
A evolução dos meios de pagamentos digitaisA evolução dos meios de pagamentos digitais
A evolução dos meios de pagamentos digitais
Felipe Correia
 

Mais procurados (6)

WebShoppers 12ª Edição
WebShoppers 12ª EdiçãoWebShoppers 12ª Edição
WebShoppers 12ª Edição
 
Estrutura Estratégica, Negocial e Arquitetural Para Que as Organizações Parti...
Estrutura Estratégica, Negocial e Arquitetural Para Que as Organizações Parti...Estrutura Estratégica, Negocial e Arquitetural Para Que as Organizações Parti...
Estrutura Estratégica, Negocial e Arquitetural Para Que as Organizações Parti...
 
WebShoppers 9ª Edição
WebShoppers 9ª EdiçãoWebShoppers 9ª Edição
WebShoppers 9ª Edição
 
O Comércio Eletrônico como ferramenta estratégica de vendas para as empresas
O Comércio Eletrônico como ferramenta estratégica de vendas para as empresasO Comércio Eletrônico como ferramenta estratégica de vendas para as empresas
O Comércio Eletrônico como ferramenta estratégica de vendas para as empresas
 
A ponte entre o DBM e as mídias digitais
A ponte entre o DBM e as mídias digitaisA ponte entre o DBM e as mídias digitais
A ponte entre o DBM e as mídias digitais
 
A evolução dos meios de pagamentos digitais
A evolução dos meios de pagamentos digitaisA evolução dos meios de pagamentos digitais
A evolução dos meios de pagamentos digitais
 

Semelhante a NPA810 modelos de negócios digitais - 1º semestre 2014 FEI

MODELOS DE NEGÓCIOS DIGITAIS
MODELOS DE NEGÓCIOS DIGITAISMODELOS DE NEGÓCIOS DIGITAIS
MODELOS DE NEGÓCIOS DIGITAIS
diogoljk
 
Modelos de Negócios Digitais
Modelos de Negócios DigitaisModelos de Negócios Digitais
Modelos de Negócios Digitais
diogoljk
 
Modelos de e business final
Modelos de e business finalModelos de e business final
Modelos de e business final
liraandre
 
Modelos de Negocios Digitais
Modelos de Negocios DigitaisModelos de Negocios Digitais
Modelos de Negocios Digitais
Melissa Pace Gerhard
 
Reunião sobre Open Banking na FIESP em 20/09/2018
Reunião sobre Open Banking na FIESP em 20/09/2018Reunião sobre Open Banking na FIESP em 20/09/2018
Reunião sobre Open Banking na FIESP em 20/09/2018
Fernando Galdino
 
Setor Bancário no Ambiente Digital
Setor Bancário no Ambiente Digital Setor Bancário no Ambiente Digital
Setor Bancário no Ambiente Digital
Nino Carvalho - Consultor e Professor
 
WebShoppers 10ª Edição
WebShoppers 10ª EdiçãoWebShoppers 10ª Edição
WebShoppers 10ª Edição
Romero Rodrigues
 
E-Commerce 3.0: Venda para Pessoas e Não Computadores
E-Commerce 3.0: Venda para Pessoas e Não ComputadoresE-Commerce 3.0: Venda para Pessoas e Não Computadores
E-Commerce 3.0: Venda para Pessoas e Não Computadores
Tuilux
 
Palestra IATIVA: Marketing para Internet - Como o Corretor pode potencializar...
Palestra IATIVA: Marketing para Internet - Como o Corretor pode potencializar...Palestra IATIVA: Marketing para Internet - Como o Corretor pode potencializar...
Palestra IATIVA: Marketing para Internet - Como o Corretor pode potencializar...
Honorio Melo
 
WebShoppers 11ª Edição
WebShoppers 11ª EdiçãoWebShoppers 11ª Edição
WebShoppers 11ª Edição
Romero Rodrigues
 
Seminário de E-commerce para Micro e Pequena Empresa - 26.11 Parte 2
Seminário de E-commerce para Micro e Pequena Empresa - 26.11 Parte 2Seminário de E-commerce para Micro e Pequena Empresa - 26.11 Parte 2
Seminário de E-commerce para Micro e Pequena Empresa - 26.11 Parte 2
Associação Comercial de São Paulo
 
WebShoppers 14ª Edição
WebShoppers 14ª EdiçãoWebShoppers 14ª Edição
WebShoppers 14ª Edição
Romero Rodrigues
 
Modelos de negócios digitais seminário 6 - abr 2013
Modelos de negócios digitais   seminário 6 - abr 2013Modelos de negócios digitais   seminário 6 - abr 2013
Modelos de negócios digitais seminário 6 - abr 2013
thidevido
 
APADi Apresentação 2011
APADi Apresentação 2011APADi Apresentação 2011
Princípios Básicos do Marketing Digital
Princípios Básicos do Marketing DigitalPrincípios Básicos do Marketing Digital
Princípios Básicos do Marketing Digital
joaojacomel
 
Apresentação de slides negócios.pptx
Apresentação de slides negócios.pptxApresentação de slides negócios.pptx
Apresentação de slides negócios.pptx
FernandaSilva968202
 
Como integrar o ambiente digital à estratégia de negócios - ProXXIma 2014
Como integrar o ambiente digital à estratégia de negócios - ProXXIma 2014Como integrar o ambiente digital à estratégia de negócios - ProXXIma 2014
Como integrar o ambiente digital à estratégia de negócios - ProXXIma 2014
Sthefan Berwanger
 
Intensivo 80h - Planejamento de Marketing Digital
Intensivo 80h - Planejamento de Marketing DigitalIntensivo 80h - Planejamento de Marketing Digital
Intensivo 80h - Planejamento de Marketing Digital
Escola do Marketing Digital
 
Planejamento de Marketing Digital - Intensivo40h - mar12 - Prof. Jessé Rodrigues
Planejamento de Marketing Digital - Intensivo40h - mar12 - Prof. Jessé RodriguesPlanejamento de Marketing Digital - Intensivo40h - mar12 - Prof. Jessé Rodrigues
Planejamento de Marketing Digital - Intensivo40h - mar12 - Prof. Jessé Rodrigues
Escola do Marketing Digital
 
Fórum E-Commerce Brasil | Como a construção de uma comunidade genuína de clie...
Fórum E-Commerce Brasil | Como a construção de uma comunidade genuína de clie...Fórum E-Commerce Brasil | Como a construção de uma comunidade genuína de clie...
Fórum E-Commerce Brasil | Como a construção de uma comunidade genuína de clie...
E-Commerce Brasil
 

Semelhante a NPA810 modelos de negócios digitais - 1º semestre 2014 FEI (20)

MODELOS DE NEGÓCIOS DIGITAIS
MODELOS DE NEGÓCIOS DIGITAISMODELOS DE NEGÓCIOS DIGITAIS
MODELOS DE NEGÓCIOS DIGITAIS
 
Modelos de Negócios Digitais
Modelos de Negócios DigitaisModelos de Negócios Digitais
Modelos de Negócios Digitais
 
Modelos de e business final
Modelos de e business finalModelos de e business final
Modelos de e business final
 
Modelos de Negocios Digitais
Modelos de Negocios DigitaisModelos de Negocios Digitais
Modelos de Negocios Digitais
 
Reunião sobre Open Banking na FIESP em 20/09/2018
Reunião sobre Open Banking na FIESP em 20/09/2018Reunião sobre Open Banking na FIESP em 20/09/2018
Reunião sobre Open Banking na FIESP em 20/09/2018
 
Setor Bancário no Ambiente Digital
Setor Bancário no Ambiente Digital Setor Bancário no Ambiente Digital
Setor Bancário no Ambiente Digital
 
WebShoppers 10ª Edição
WebShoppers 10ª EdiçãoWebShoppers 10ª Edição
WebShoppers 10ª Edição
 
E-Commerce 3.0: Venda para Pessoas e Não Computadores
E-Commerce 3.0: Venda para Pessoas e Não ComputadoresE-Commerce 3.0: Venda para Pessoas e Não Computadores
E-Commerce 3.0: Venda para Pessoas e Não Computadores
 
Palestra IATIVA: Marketing para Internet - Como o Corretor pode potencializar...
Palestra IATIVA: Marketing para Internet - Como o Corretor pode potencializar...Palestra IATIVA: Marketing para Internet - Como o Corretor pode potencializar...
Palestra IATIVA: Marketing para Internet - Como o Corretor pode potencializar...
 
WebShoppers 11ª Edição
WebShoppers 11ª EdiçãoWebShoppers 11ª Edição
WebShoppers 11ª Edição
 
Seminário de E-commerce para Micro e Pequena Empresa - 26.11 Parte 2
Seminário de E-commerce para Micro e Pequena Empresa - 26.11 Parte 2Seminário de E-commerce para Micro e Pequena Empresa - 26.11 Parte 2
Seminário de E-commerce para Micro e Pequena Empresa - 26.11 Parte 2
 
WebShoppers 14ª Edição
WebShoppers 14ª EdiçãoWebShoppers 14ª Edição
WebShoppers 14ª Edição
 
Modelos de negócios digitais seminário 6 - abr 2013
Modelos de negócios digitais   seminário 6 - abr 2013Modelos de negócios digitais   seminário 6 - abr 2013
Modelos de negócios digitais seminário 6 - abr 2013
 
APADi Apresentação 2011
APADi Apresentação 2011APADi Apresentação 2011
APADi Apresentação 2011
 
Princípios Básicos do Marketing Digital
Princípios Básicos do Marketing DigitalPrincípios Básicos do Marketing Digital
Princípios Básicos do Marketing Digital
 
Apresentação de slides negócios.pptx
Apresentação de slides negócios.pptxApresentação de slides negócios.pptx
Apresentação de slides negócios.pptx
 
Como integrar o ambiente digital à estratégia de negócios - ProXXIma 2014
Como integrar o ambiente digital à estratégia de negócios - ProXXIma 2014Como integrar o ambiente digital à estratégia de negócios - ProXXIma 2014
Como integrar o ambiente digital à estratégia de negócios - ProXXIma 2014
 
Intensivo 80h - Planejamento de Marketing Digital
Intensivo 80h - Planejamento de Marketing DigitalIntensivo 80h - Planejamento de Marketing Digital
Intensivo 80h - Planejamento de Marketing Digital
 
Planejamento de Marketing Digital - Intensivo40h - mar12 - Prof. Jessé Rodrigues
Planejamento de Marketing Digital - Intensivo40h - mar12 - Prof. Jessé RodriguesPlanejamento de Marketing Digital - Intensivo40h - mar12 - Prof. Jessé Rodrigues
Planejamento de Marketing Digital - Intensivo40h - mar12 - Prof. Jessé Rodrigues
 
Fórum E-Commerce Brasil | Como a construção de uma comunidade genuína de clie...
Fórum E-Commerce Brasil | Como a construção de uma comunidade genuína de clie...Fórum E-Commerce Brasil | Como a construção de uma comunidade genuína de clie...
Fórum E-Commerce Brasil | Como a construção de uma comunidade genuína de clie...
 

Último

Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
pereiramarcossantos0
 
Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123
GabrielGarcia356832
 
Aula Vigor de Sementes - Aula Vigor de Sementes
Aula Vigor de Sementes - Aula Vigor de SementesAula Vigor de Sementes - Aula Vigor de Sementes
Aula Vigor de Sementes - Aula Vigor de Sementes
WeltonAgostinhoDias1
 
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdfAULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
MaxwellBentodeOlivei1
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
Consultoria Acadêmica
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
Consultoria Acadêmica
 
AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024
AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024
AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024
Consultoria Acadêmica
 
Elementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.ppt
Elementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.pptElementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.ppt
Elementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.ppt
Wagner Moraes
 

Último (8)

Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
Simbologia e Terminologia de Instrumentação da Norma ISA 5.1 - Simbologia_ISA...
 
Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123Apresentação concreto autodesempenho 123
Apresentação concreto autodesempenho 123
 
Aula Vigor de Sementes - Aula Vigor de Sementes
Aula Vigor de Sementes - Aula Vigor de SementesAula Vigor de Sementes - Aula Vigor de Sementes
Aula Vigor de Sementes - Aula Vigor de Sementes
 
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdfAULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
AULA LEI DOS SENOS OU COSSENOS - parte final (3) (1).pdf
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL COMUNICAÇÃO ASSERTIVA E INTERPESSOA...
 
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
AE03 - ESTUDO CONTEMPORÂNEO E TRANSVERSAL EMPREENDEDORISMO CORPORATIVO UNICES...
 
AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024
AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024
AE03 - LOGISTICA EMPRESARIAL UNICESUMAR 52/2024
 
Elementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.ppt
Elementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.pptElementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.ppt
Elementos de Máquina aplicados na tornearia mecânica.ppt
 

NPA810 modelos de negócios digitais - 1º semestre 2014 FEI

  • 1. MODELOS DE NEGÓCIOS DIGITAIS Grupo 7: Daniela Adão Pereira n° 12.209.052-5 Julia Brandini Barboza n° 12.209.117-6 Juliete Pereira Firmo n° 12.209.078-0 Vitor Eidi Ando Yamada n° 12.211.264-2
  • 2. Agenda • E-tailers (ex Amazon.com); • Manufacturers selling on-line; • Fee-subscription-based companies; • Airlines selling online tickets; • Online Entertainment. • Modelos de Negócios Digitais • e-Business, e-Comerce; e-Procurement; e-Marketplace; • Produtividade e Internet; • Economia Digital; • Shopbots; • Social Data; • Otimização para mecanismos de buscas; • Search Engine Marketing;
  • 3. Modelos de negócios • É um termo utilizado para descrever a geração de receita, criação de valor; • Segundo Amit e Zott: “Modelos de negócios pode ser definido como a descrição do conteúdo, estrutura e governança de transações projetadas para criar valor através da exploração de oportunidades de negócio”. • Os avanços nas tecnologias digitais abriram novas oportunidades entre empresas, parceiros e clientes. Isso faz com que os modelos de negócios tornaram-se uma possível fonte de criação de valor. Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
  • 4. E-Business e E-Commerce E-Business: São negócios efetuados pela internet não envolvendo necessariamente transação comercial. E-Commerce: É o comércio eletrônico de bens físicos e de bens intangíveis. Fonte: P Timmers – Eletronic markets, 1998
  • 5. Modelos de Negócios Digitais – Web 1.0 B2B: Comércio feito entre empresas. B2C: Comércio feito entre empresa e consumidor. C2C: Comércio feito entre consumidores. Fonte: Internet B2B
  • 6. Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0 Anúncios: Propagandas on-line. Controle de assinatura: O objetivo deste modelo de negócio é obter o maior número de visitantes. Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
  • 7. Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0 Venda de bens: Venda de material como varejistas da web. White labels: Criar um produto que outra empresa pode colocar sua marca. Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
  • 8. Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0 Pagamento único: Um pagamento único o faz proprietário e lhe proporciona um tempo de vida do serviço. Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
  • 9. Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0 Moeda virtual: Os usuários precisam de alguma moeda virtual para o progresso em um jogo ou para realizar as ações desejadas. Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
  • 10. Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0 Bens virtuais: São presentes virtuais em um mundo virtual, ou seja, os bits são trocados. Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
  • 11. Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0 Lead generation: Criação ou geração de interesse do consumidor em potencial . Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
  • 12. Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0 Produto de informação: Uma forma de alavancar as informações ou dados que possuímos, a fim de ganhar dinheiro. Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
  • 13. Modelos de Negócios Digitais – Web 2.0 Acesso a dados: Empresas que ganham dinheiro oferecendo serviços. Ecossistema: Uma plataforma, neste caso chamado appstore, onde usuários compram e baixam aplicativos que foram desenvolvidos por desenvolvedores terceiros. Fonte: R Amit, C Zott – Strategic management journal, 2001
  • 14. E-Procurement Definição É compra de bens e serviços, por meio da Internet sendo que ele pode ser implementado através de um processo manual ou usando um software de gestão do tipo ferramenta de ERP. Vantagens:  Maior automação dos processos relacionados a produção de bens e serviços;  Busca por novos fornecedores de bens e serviços, diminuindo gastos com material. Fonte: www.e-commerce.org.br
  • 15. E-MARKETPLACE Definição É um site onde produtos e serviços de vários vendedores são ofertados e até comercializados. Geralmente são focados em nichos e segmentos de mercado específicos. Fonte: www. ecommercenews.com.br
  • 16. Produtividade Ao falar de qualidade de vida, a renda per capita é a métrica mais importante, pois para obter aumento do padrão de vida no país, há a necessidade de aumentar a produção por pessoa. Wired for Inovation
  • 17. Produtividade e Internet Segundo Erik Brynjolfsson “É o crescimento da produtividade, mais do que qualquer outra estatística econômica, que determina o nosso padrão de vida. Seven Pillars of Productivity Se a produtividade cresce a 1% ao ano, o nível de vida vai dobrar a cada 70 anos”
  • 18. Produtividade e Internet • Sete práticas de caracterizar as empresas altamente produtivas transformando-os em organizações digitais.  I: Mover do analógico para processos digitais  II: Abrir o acesso à informação  III: Capacitar os colaboradores  IV: Use incentivos baseados no mérito  V: Investir em cultura corporativa  VI:. Recrutar as pessoas certas  VII:. Investir em capital humano Seven Pillars of Productivity
  • 19. Economia Digital • É um fenômeno onde o sistema da economia está baseada em transações de negócios digitais. •Novas Tecnologias •$ Investimento Empresa A •Novas práticas e processos de troca de informações Internetwork •Novas Tecnologias •$ Investimento Empresa B ORLIKOWSKI, W. - The Trush Is Not Out There: An Enacted View of the “Digital Economy”
  • 20. Moldar e Direcionar Refletir nossas aspirações e valores Pesquisa s sistemáricas do Internetworking Mudança organizacional Economia Digital • Segundo Orlikowski “A melhor forma de prever o futuro é inventá-lo”. ORLIKOWSKI, W. - The Trush Is Not Out There: An Enacted View of the “Digital Economy
  • 22. Winning the Race With Ever-Smarter Machines Vencer a corrida com máquinas cada vez mais velozes. Erik Brynjolfsson
  • 23. E-Bit • Recolhe dados diretamente do comprador online, diariamente, gerando informações detalhadas sobre o e-commerce. • Fornece estas informações: Certificação para as empresas de compras online. E-bit ajuda Informações de comércio eletrônico Relatório Web Shoppers2014 - www.ebit.com.br
  • 24. E-bit - Comércio Eletrônico Em 2013: • O comércio eletrônico faturou R$28,8 bi, um crescimento de 28% em relação a 2012 • 9,1 mi de pessoas fizeram sua 1ª compra online e 51,3 mi já fizeram apenas uma compra na internet. • Compras concluídas por dispositivo móvel ao longo do ano passou de 2,5% para 4,8%. Número de pedidos: 88,3 mi – 32% maior que 2012. Relatório Web Shoppers2014 – www.ebit.com.br / Worldbank Porém o comércio eletrônico é 0,1% do PIB do Brasil
  • 25. E-bit - Comércio Eletrônico • Estima-se que o setor cresça 20% para 2014 faturando R$ 34,6 bilhões • Categoria mais vendida:
  • 26. Social Data • São informações na forma de dados; • São compartilhados de forma sem precedentes; • Podem conter informações valiosas. Fonte: WANG, Hui. ; WEIGEND, Andreas , Data Mining for Financial Decision Making
  • 27. Social Data Field Data Mining: • Organizações: Coletores Passivos de Dados Exploradores Ativos de Dados Fonte: WANG, Hui. ; WEIGEND, Andreas , Data Mining for Financial Decision Making • Objetivo: Descoberta de informações valiosas; • Onde: Em grandes conjuntos de dados; • Como: Utilização de conceitos desde a Estatística Moderna até o Gerenciamento de Dados; • Benefício: O conhecimento adquirido auxilia na Tomada de Decisão.
  • 28. Social Data Field Data Mining: • Desafios do Data Mining: Coletar informações e utilizá-las para uma tomada de decisão; • Alto nível de dificuldade e grandes recompensas. Fonte: WANG, Hui. ; WEIGEND, Andreas , Data Mining for Financial Decision Making
  • 29. Social Data Andreas Weigend: • Professor da Stanford University e da UC Berkeley; • Cientista-chefe da Amazon; • Consultor de Companhias como a MasterCard e United HealthCare. Fonte: http://www.weigend.com/
  • 30. Social Data Andreas Weigend: • Revolução de Dados Sociais; • Consumidores compartilham dados de forma sem precedentes; Fonte: http://www.weigend.com/
  • 31. Search Engine Marketing (SEM) • Um processo de marketing de internet que visa obter mais visibilidade nos motores de busca; • O Google Adwords é pago para que a publicidade apareça nos resultados de busca; • Utiliza o Pay-Per-Click (PPC). Fonte: : JERKOVIC, JOHN I. , SEO Warrior
  • 32. Search Engine Marketing (SEM) Importância do Tráfego SEM: • Relevância da publicidade se torna valiosa; • Companhias lucram pela exposição da publicidade; • Outras companhias SEM: Fonte: : JERKOVIC, JOHN I. , SEO Warrior
  • 33. Search Engine Optimization (SEO) • Processo de otimização do website para o propósito de se conseguir tráfego livre ou gratuito nos motores de busca, com o objetivo de tornar o site popular. Fonte: : JERKOVIC, JOHN I. , SEO Warrior
  • 34. Search Engine Optimization (SEO) • Um Website otimizado é melhor compreendido pelos rastreadores dos motores de busca, tendo melhores chances em atingir rankings maiores no SERPS. • SERPS: Search Engine Result Pages É uma lista de Webpages quando é feita uma pesquisa nos motores de busca. Fonte: : JERKOVIC, JOHN I. , SEO Warrior
  • 36. SEO x SEM Vantagens do SEM: • A visibilidade da publicidade pode ser aumentada de imediato pagando-se pela exposição; Desvantagens do SEM: • Os Websites publicados devem estar bem preparados para os visitantes. Fonte: : JERKOVIC, JOHN I. , SEO Warrior Vantagens do SEO: • O ranking de publicidade sobe à medida que o Website é otimizado; Desvantagens do SEO: • Depende do SEM.
  • 37. A Falência da • Loja de Varejo Online vendedora de produtos para animais de estimação; • Utilizava o Método B2C; • Criado em 1998, esteve na rota de sucesso em 1999. Fonte: : BUCHOLTZ, Chris; Poor Product Choices Doom E-tailers (2000)
  • 38. A Falência da • Utilizou o dinheiro de seus investidores para aumentar o Marketing e expandir seus CD’s; • Faliu pela falta de melhores alternativas a seus clientes. Fonte: : FISCHER, Jeff; Why Pets.com Died (2000)
  • 39. Shopbots • São ferramentas automatizadas que permitem os usuários encontrarem facilmente preços e características de produtos de varejistas online. Fonte: The Impact of Shopbots on Electronic Markets - Michael D. Smith - 2002
  • 40. É a primeira empresa brasileira que veicula publicidade de anunciantes em blogs, sites e redes sociais. Fonte rentável Cadastro do site, blog ou rede social Fonte: http://boo-box.com/ Campanhas a partir de R$ 10 Publico alvo
  • 41. • Software que permite a criação de lojas virtuais, visando obter o máximo aproveitamento online. Enterprise Edition Para empresas em rápido crescimento e grande porte Community Edition Para quem é desenvolvedor e quer explorar a flexexibilidade da plataforma Magento Go Para pequenas empresas. Fonte: www.magento.com
  • 42.
  • 43. Varejistas Online (e-tailer) RANKING EMPRESAS PAÍS FATURAMENTO (US$) 1 Amazon EUA 51,7 bi 2 Apple.inc EUA 8,6 bi 3 Wal-Mart EUA 7,5 bi 4 Otto Alemanha 7,41 bi 5 Beijing Jingdong Century Trading China 6,66 bi 6 Tesco Reino Unido 4,76 bi 7 Liberty Interactive EUA 4,39 bi 8 Dell.inc EUA 4,37 bi 9 Casino França 3,42 bi 10 Jia.com China 3,2 bi (...) 15 B2W (Submarino, Americanas.com, Shoptime) Brasil 2,47 bi 45 Hermes (Comprafácil.com) Brasil 1,03 bi TOP 50 MAIORES VAREJISTAS ONLINE Fonte: Relatório 2014 Global Powers of Retailing – Deloitte. p-G28
  • 46. Modelos de negócios baseados em assinaturas • Produtos onde o cliente paga uma assinatura para tê-los entregues em casa ou acesso online Modelos de negócios baseados em assinaturas • Produtos onde o cliente paga uma assinatura para tê-los entregues em casa ou acesso online
  • 47. FREE PREMIUM FREEMIUM FREEMIUM • Empresas que fornecem de graça o produto principal aos usuários • Para acessar a versão full deve-se pagar pelo produto “premium”
  • 48. Fonte:http://www.investimentosenoticias.com.br/ultimas-noticias/tempo-real/consumidores-economizam-rs-10-mi-com-promocoes-de-passagens-aereas.html Pesquisa pela agência virtual 6 meses (out/13 à mar/14) Economia: 10 milhões em compras online Até 80% desconto Venda de passagens aéreas Online
  • 49. Entretenimento Online 1. Grand Theft Auto 4: US$ 100 milhões 2. Gran Turismo 5: US$ 80 milhões de dólares (Em desenvolvimento) 3. Shenmue: US$ 70 milhões 4. Too Human: US$ 60 milhões 5. Metal Gear Solid 4: US$ 60 milhões 6. Halo 3: US$ 55 milhões 7. APB: US$ 50 milhões (Em desenvolvimento) 8. LA Noire: US$ 50 milhões (Em desenvolvimento) 9. Final Fantasy XII: US$ 48 milhões 10. Killzone 2: US$ 45 milhões Fonte: Digital Battle
  • 50. Bibliografia  BRYNJOLFSSON, Erik; SAUNDERS,Adam. Wired For Innovation. MIT, 2010  BRYNJOLFSSON, Erik. Winning The Race with Ever-Smarter Machines. MIT, 2012  WANG, Hui; WEIGEND, Andreas S. Data mining for financial decision making. Decision support systems, v. 37, n. 4, p. 457-460, 2004  JERKOVIC, John I.. SEO Warrior, O’Reilly Media, 2009  ORLIKOWSKI ,WANDA J. ; IACONO, C. SUZANNE . The truth is not out there: An enacted view of the “Digital Economy”, p. 352 – 380, MIT.  P. Timmers. Business Models for Electronic Markets, 1998  R Amit, C zott; Strategic management journal, 2001  www.ebit.com.br  www.buscapecompany.com.br  www.e-commerce.org.br  www.ecommercenews.com.br  www.deloitte.com  www.digitalbusinessmodelguru.com  www.freemium.org  www.investimentosenoticias.com.br