SlideShare uma empresa Scribd logo
Campus de Araçatuba
                           Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação


                      NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE TABELAS


Conforme a norma da ABNT NBR 14724 - Informação e documentação - Trabalhos acadêmicos -
Apresentação, orienta o uso da Norma de apresentação tabular - IBGE (1993).
As definições e orientações que utilizaremos para a confecção de tabelas serão orientadas na
Norma de apresentação tabular - IBGE (1993). Caso necessitem de detalhes mais específicos,
possuímos a própria norma para consulta.


DEFINIÇÃO


A Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), define a tabela como forma não
discursiva de apresentar informações, das quais o dado numérico se destaca como informação
central.
Campus de Araçatuba
                          Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação


Elementos da tabela (Figura 1)


Vamos conhecer os elementos principais que compõem uma tabela.




                        Figura 1 - Esqueleto com os elementos da tabela
Campus de Araçatuba
                            Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação


Número - Indicador numérico de uma tabela em um conjunto de tabelas. Deve ser inscrito no seu
topo, sempre que um documento apresentar mais de duas ou mais tabelas, para identificá-la,
permitindo a sua localização. Deve ser escrito em números arábicos, em ordem crescente, precedido
da palavra Tabela.


Exemplo: Tabela 1


Título - Elemento que indica o conteúdo de uma tabela. Deve ser inscrito no seu topo, indicando a
sua natureza, sem abreviação, por extenso, de forma clara e concisa.


Exemplo:
Tabela 1 - Distribuição do número e porcentagem das crianças, segundo o comportamento durante
           aplicação do CDFP de acordo com a faixa etária

Moldura - Conjunto de traços estruturadores dos dados numéricos e dos termos necessários à sua
compreensão. Inscrita no centro, deve ser feito com no mínimo, três traços horizontais. O primeiro
separa o topo. O segundo traço para separar o espaço do cabeçalho. E o terceiro traço para separar o
rodapé. (Figura 1)


Exemplo: (Figura 2)




                                 Figura 2 - Moldura de uma tabela
Campus de Araçatuba
                           Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação

Cabeçalho - Conjunto de termos indicadores do conteúdo das colunas indicadoras e numéricas.
Inscrito no espaço do cabeçalho, para indicar, complementarmente ao título, o conteúdo das
colunas.


Exemplo: (Figura 3)




                                   Figura 3 - Cabeçalho da tabela

Indicador de linha - Conjunto de termos indicadores do conteúdo de uma linha. Indicadas com
palavras ou com notações, de forma clara e concisa.

Exemplo: (Figura 4)




                                   Figura 4 - Indicador de Linha
Campus de Araçatuba
                        Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação


Dado numérico - Quantificação de um fato numérico observado. Quantificado em algarismos
arábicos.


Exemplo: (Figura 5)




                             Figura 5 - Dado numérico da tabela
Campus de Araçatuba
                           Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação


Fonte - Indicação de responsabilidade (pessoa física ou jurída) ou responsável pelos dados
numéricos.
Nota geral - Texto explicativo do conteúdo geral de uma tabela.
Nota específica - Texto explicativo de algum elemento específico de uma tabela.


Exemplo: (Figura 6)




                            Figura 6 - Fonte, Nota geral ou específica
Campus de Araçatuba
                             Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação


DICAS NA DIAGRAMAÇÃO DA TABELA
Se na confecção da tabela ultrapassar em números de linhas ou colunas, deverão ser apresentadas
em duas ou mais partes.
Exemplo 1: quando a tabela ultrapassar a dimensão da página em número de linhas e tiver poucas
colunas. A tabela fica, lado a lado, na mesma página, separando-se as partes por um traço vertical
duplo e repetindo o cabeçalho. (Figura 7)




                          Figura 7 - Tabela com mais linhas e poucas colunas
Campus de Araçatuba
                           Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação


Exemplo 2: quando a tabela ultrapassar a dimensão da página em número de colunas e tiver
poucas linhas. A tabela fica, uma abaixo da outra, na mesma página, separando-se as partes com
traço horizontal duplo e repetindo o cabeçalho das colunas indicadoras e os indicadores de linha.
(Figura 8)




                       Figura 8 - Tabela com menos linhas e mais colunas
Campus de Araçatuba
                            Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação
Exemplo 3: quando a tabela não dá para ser apresentado na mesma página, mesmo fazendo as
orientações acima. A solução é apresentar em diversas páginas que for necessária. Em cada parte da
tabela deverá ter as seguintes indicações: continua (Figura 9) para a primeira, conclusão (Figura
11) para a última e continuação (Figura 10) para as tabelas que ficam entre a primeira e a última.
Cada página da tabela deve ter o conteúdo do topo e o cabeçalho da tabela ou o cabeçalho da parte.
O traço horizontal da moldura que separa o rodapé deve ser apresentado na última linha da tabela, e
logo abaixo, Fonte, Nota geral ou Nota específica na última parte da tabela (conclusão).




                                  Figura 9 - Tabela com (continua)
Campus de Araçatuba
Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação




   Figura 10 - Tabela com (continuação)
Campus de Araçatuba
Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação




     Figura 11 - Tabela com (conclusão)
Campus de Araçatuba
                              Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação


Recomendações gerais:
a) devem ser delimitadas, no alto e em baixo pôr traços horizontais, e somente traços no interior da
  tabela;
b) as tabelas não devem ser delimitadas pôr traços verticais externos;
c) recomenda-se que uma tabela seja elaborada de forma a ser apresentada em uma única página;
d) devem ser numeradas pôr algarismo arábicos;
e) apresentação dos dados numéricos deve obedecer a grafia do Sistema Internacional de
  Unidades adotado também pelo Brasil em 1962 e ratificado pela Resolução nº 12 de 1988 do
  Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - Conmetro, tornando-se
  de uso obrigatório em todo o Território Nacional. Disponível no site do Inmetro;
f) a indicação da expressão quantitativa ou metrológica dos dados numéricos deve ser feita com
  símbolos ou palavras entre parênteses;
g) nos cabeçalhos recomenda-se a indicação com palavras seja feita pôr extenso, sem abreviações;
h) todas indicações colocadas na tabela deve ser de forma clara e concisa;
i) quando a tabela contiver sinais convencionais, deverão ser apresentados em nota geral com o
  respectivo significado;
j) os dados numéricos não podem ficar em branco, pôr convenção temos:
  .. não se aplica dado numérico;
  ... dado numérico não disponível;
  x dado numérico omitido a fim de evitar a individualização da informação;
  - dado numérico igual a zero não resultante de arredondamento
   0; 0,0; 0,00 (dado numérico resultante do arredondamento de um dado numérico originalmente
   positivo);
   -0; -0,0; -0,00 (dado numérico resultante do arredondamento de um dado numérico
   originalmente negativo);
k) recomenda-se que a identificação da fonte seja feita pôr extenso;
l) a classificação outros (as), quando existir, sempre indique um dado numérico proporcionalmente
   inferior aos dados numéricos indicados pelas demais classificações existentes.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Coeficiente de variação
Coeficiente de variaçãoCoeficiente de variação
Coeficiente de variação
Tuane Paixão
 
Balanço Hidrico.pdf
Balanço Hidrico.pdfBalanço Hidrico.pdf
Balanço Hidrico.pdf
FrancielleConstantin
 
Doenca renal cronica_pre_terapia_renal_substitutiva_diagnostico
Doenca renal cronica_pre_terapia_renal_substitutiva_diagnosticoDoenca renal cronica_pre_terapia_renal_substitutiva_diagnostico
Doenca renal cronica_pre_terapia_renal_substitutiva_diagnostico
Arquivo-FClinico
 
A insuficência renal e assistência de enfermagem
A insuficência renal e assistência de enfermagem A insuficência renal e assistência de enfermagem
A insuficência renal e assistência de enfermagem
Cleiton Ribeiro Alves
 
BALANÇO HÍDRICO.pdf
BALANÇO HÍDRICO.pdfBALANÇO HÍDRICO.pdf
BALANÇO HÍDRICO.pdf
VictorSouza352520
 
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-InvasivaMonitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
resenfe2013
 
Aula suporte respiratorio em uti
Aula suporte respiratorio em uti Aula suporte respiratorio em uti
Aula suporte respiratorio em uti
mesquitah
 
Questões aula 1
Questões aula 1Questões aula 1
Questões aula 1
Alexandre Donha
 
oxigenoterapia aula uti
oxigenoterapia aula uti oxigenoterapia aula uti
oxigenoterapia aula uti
LuzzyLeite
 
Assistencia enfermagem icc)
Assistencia enfermagem icc)Assistencia enfermagem icc)
Assistencia enfermagem icc)
sylvaniapaiva
 
Manual de coleta de material biologico
Manual de coleta de material biologicoManual de coleta de material biologico
Manual de coleta de material biologico
Centro Universitário Ages
 
Coleta de sangue venoso
Coleta de sangue venosoColeta de sangue venoso
Coleta de sangue venoso
Centro Universitário Ages
 
Diálise peritoneal
Diálise peritonealDiálise peritoneal
Diálise peritoneal
Anderson Santana
 
4 estrutura do trabalho acadêmico tcc
4 estrutura do trabalho acadêmico   tcc4 estrutura do trabalho acadêmico   tcc
4 estrutura do trabalho acadêmico tcc
diemili
 
Revisão Sistemática da Literatura
Revisão Sistemática da LiteraturaRevisão Sistemática da Literatura
Revisão Sistemática da Literatura
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Hemodiálise e diálise peritoneal
Hemodiálise e diálise peritonealHemodiálise e diálise peritoneal
Hemodiálise e diálise peritoneal
Sonara Pereira
 
Abastecimento de imunobiológicos (soros e vacinas)
Abastecimento de imunobiológicos (soros e vacinas)Abastecimento de imunobiológicos (soros e vacinas)
Abastecimento de imunobiológicos (soros e vacinas)
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
AULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdf
AULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdfAULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdf
AULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdf
KarineRibeiro57
 
Puncao venosa tecnicos
Puncao venosa tecnicosPuncao venosa tecnicos
Puncao venosa tecnicos
shara cedraz
 
Aula tcc
Aula tccAula tcc
Aula tcc
André Bem
 

Mais procurados (20)

Coeficiente de variação
Coeficiente de variaçãoCoeficiente de variação
Coeficiente de variação
 
Balanço Hidrico.pdf
Balanço Hidrico.pdfBalanço Hidrico.pdf
Balanço Hidrico.pdf
 
Doenca renal cronica_pre_terapia_renal_substitutiva_diagnostico
Doenca renal cronica_pre_terapia_renal_substitutiva_diagnosticoDoenca renal cronica_pre_terapia_renal_substitutiva_diagnostico
Doenca renal cronica_pre_terapia_renal_substitutiva_diagnostico
 
A insuficência renal e assistência de enfermagem
A insuficência renal e assistência de enfermagem A insuficência renal e assistência de enfermagem
A insuficência renal e assistência de enfermagem
 
BALANÇO HÍDRICO.pdf
BALANÇO HÍDRICO.pdfBALANÇO HÍDRICO.pdf
BALANÇO HÍDRICO.pdf
 
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-InvasivaMonitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
Monitorização Hemodinâmica Não-Invasiva
 
Aula suporte respiratorio em uti
Aula suporte respiratorio em uti Aula suporte respiratorio em uti
Aula suporte respiratorio em uti
 
Questões aula 1
Questões aula 1Questões aula 1
Questões aula 1
 
oxigenoterapia aula uti
oxigenoterapia aula uti oxigenoterapia aula uti
oxigenoterapia aula uti
 
Assistencia enfermagem icc)
Assistencia enfermagem icc)Assistencia enfermagem icc)
Assistencia enfermagem icc)
 
Manual de coleta de material biologico
Manual de coleta de material biologicoManual de coleta de material biologico
Manual de coleta de material biologico
 
Coleta de sangue venoso
Coleta de sangue venosoColeta de sangue venoso
Coleta de sangue venoso
 
Diálise peritoneal
Diálise peritonealDiálise peritoneal
Diálise peritoneal
 
4 estrutura do trabalho acadêmico tcc
4 estrutura do trabalho acadêmico   tcc4 estrutura do trabalho acadêmico   tcc
4 estrutura do trabalho acadêmico tcc
 
Revisão Sistemática da Literatura
Revisão Sistemática da LiteraturaRevisão Sistemática da Literatura
Revisão Sistemática da Literatura
 
Hemodiálise e diálise peritoneal
Hemodiálise e diálise peritonealHemodiálise e diálise peritoneal
Hemodiálise e diálise peritoneal
 
Abastecimento de imunobiológicos (soros e vacinas)
Abastecimento de imunobiológicos (soros e vacinas)Abastecimento de imunobiológicos (soros e vacinas)
Abastecimento de imunobiológicos (soros e vacinas)
 
AULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdf
AULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdfAULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdf
AULA ANTROPOMETRIA enf 27.pdf
 
Puncao venosa tecnicos
Puncao venosa tecnicosPuncao venosa tecnicos
Puncao venosa tecnicos
 
Aula tcc
Aula tccAula tcc
Aula tcc
 

Semelhante a Normas de apresentação de tabelas

Probabilidade e Estatística - Aula 02
Probabilidade e Estatística - Aula 02Probabilidade e Estatística - Aula 02
Probabilidade e Estatística - Aula 02
Augusto Junior
 
Apresentação Tabelas e Figuras.pptx
Apresentação Tabelas e Figuras.pptxApresentação Tabelas e Figuras.pptx
Apresentação Tabelas e Figuras.pptx
FabioRBarreira
 
Como apresentar os seus dados em gráficos e tabelas
Como apresentar os seus dados em gráficos e tabelasComo apresentar os seus dados em gráficos e tabelas
Como apresentar os seus dados em gráficos e tabelas
Grupo de Estudos em Aprendizagem e Cognição
 
Introduçao tabela dinâmica
Introduçao tabela dinâmicaIntroduçao tabela dinâmica
Introduçao tabela dinâmica
Rodrigo Aiosa
 
O aprendiz de investigador: Apresentar o resultado de uma investigação. Traba...
O aprendiz de investigador: Apresentar o resultado de uma investigação. Traba...O aprendiz de investigador: Apresentar o resultado de uma investigação. Traba...
O aprendiz de investigador: Apresentar o resultado de uma investigação. Traba...
ProjetoLiteracias
 
Unidade 8 Calc
Unidade 8 CalcUnidade 8 Calc
Unidade 8 Calc
maglomaria
 
Slide do 8º emcontro
Slide do 8º emcontroSlide do 8º emcontro
Slide do 8º emcontro
Vaniacalmeida
 
Apresentação - normas para elaboração de TCC
Apresentação - normas para elaboração de TCCApresentação - normas para elaboração de TCC
Apresentação - normas para elaboração de TCC
Biblioteca IFFluminense campus Macaé
 
Apresentação normas para trabalho acadêmico
Apresentação normas para trabalho acadêmicoApresentação normas para trabalho acadêmico
Apresentação normas para trabalho acadêmico
Biblioteca IFFluminense campus Macaé
 
Aula_de_estatistica_tabelas_e_graficos.pptx
Aula_de_estatistica_tabelas_e_graficos.pptxAula_de_estatistica_tabelas_e_graficos.pptx
Aula_de_estatistica_tabelas_e_graficos.pptx
Gentil Eronides
 
Planilha Eletrônica BrOffice CALC
Planilha Eletrônica BrOffice CALCPlanilha Eletrônica BrOffice CALC
Planilha Eletrônica BrOffice CALC
eliz71
 
Slides Calc
Slides CalcSlides Calc
Slides Calc
Faustinho006br
 
UC 3 Planilha Eletrônica - Operador de Microcomputador
UC 3 Planilha Eletrônica - Operador de MicrocomputadorUC 3 Planilha Eletrônica - Operador de Microcomputador
UC 3 Planilha Eletrônica - Operador de Microcomputador
Geovania Pabulla
 
Estatística - trabalho realizado por alunos
Estatística - trabalho realizado por alunosEstatística - trabalho realizado por alunos
Estatística - trabalho realizado por alunos
sofiaduartemce
 
Manual monografia
Manual monografiaManual monografia
Manual monografia
Anni Carolini Santos
 
Aula.3.normas.abnt
Aula.3.normas.abntAula.3.normas.abnt
Aula.3.normas.abnt
Lucas Barbosa
 
8.3 aula 8.3 - tabelas da cdu
8.3   aula 8.3 - tabelas da cdu8.3   aula 8.3 - tabelas da cdu
8.3 aula 8.3 - tabelas da cdu
Cintia Borges
 
Unidade 9
Unidade 9Unidade 9
Unidade 9
Josélia Mendes
 
Tuto calc
Tuto calcTuto calc
Tuto calc
Nte Formosa
 
Slide metodologia.pdf
Slide metodologia.pdfSlide metodologia.pdf
Slide metodologia.pdf
kawannycastro
 

Semelhante a Normas de apresentação de tabelas (20)

Probabilidade e Estatística - Aula 02
Probabilidade e Estatística - Aula 02Probabilidade e Estatística - Aula 02
Probabilidade e Estatística - Aula 02
 
Apresentação Tabelas e Figuras.pptx
Apresentação Tabelas e Figuras.pptxApresentação Tabelas e Figuras.pptx
Apresentação Tabelas e Figuras.pptx
 
Como apresentar os seus dados em gráficos e tabelas
Como apresentar os seus dados em gráficos e tabelasComo apresentar os seus dados em gráficos e tabelas
Como apresentar os seus dados em gráficos e tabelas
 
Introduçao tabela dinâmica
Introduçao tabela dinâmicaIntroduçao tabela dinâmica
Introduçao tabela dinâmica
 
O aprendiz de investigador: Apresentar o resultado de uma investigação. Traba...
O aprendiz de investigador: Apresentar o resultado de uma investigação. Traba...O aprendiz de investigador: Apresentar o resultado de uma investigação. Traba...
O aprendiz de investigador: Apresentar o resultado de uma investigação. Traba...
 
Unidade 8 Calc
Unidade 8 CalcUnidade 8 Calc
Unidade 8 Calc
 
Slide do 8º emcontro
Slide do 8º emcontroSlide do 8º emcontro
Slide do 8º emcontro
 
Apresentação - normas para elaboração de TCC
Apresentação - normas para elaboração de TCCApresentação - normas para elaboração de TCC
Apresentação - normas para elaboração de TCC
 
Apresentação normas para trabalho acadêmico
Apresentação normas para trabalho acadêmicoApresentação normas para trabalho acadêmico
Apresentação normas para trabalho acadêmico
 
Aula_de_estatistica_tabelas_e_graficos.pptx
Aula_de_estatistica_tabelas_e_graficos.pptxAula_de_estatistica_tabelas_e_graficos.pptx
Aula_de_estatistica_tabelas_e_graficos.pptx
 
Planilha Eletrônica BrOffice CALC
Planilha Eletrônica BrOffice CALCPlanilha Eletrônica BrOffice CALC
Planilha Eletrônica BrOffice CALC
 
Slides Calc
Slides CalcSlides Calc
Slides Calc
 
UC 3 Planilha Eletrônica - Operador de Microcomputador
UC 3 Planilha Eletrônica - Operador de MicrocomputadorUC 3 Planilha Eletrônica - Operador de Microcomputador
UC 3 Planilha Eletrônica - Operador de Microcomputador
 
Estatística - trabalho realizado por alunos
Estatística - trabalho realizado por alunosEstatística - trabalho realizado por alunos
Estatística - trabalho realizado por alunos
 
Manual monografia
Manual monografiaManual monografia
Manual monografia
 
Aula.3.normas.abnt
Aula.3.normas.abntAula.3.normas.abnt
Aula.3.normas.abnt
 
8.3 aula 8.3 - tabelas da cdu
8.3   aula 8.3 - tabelas da cdu8.3   aula 8.3 - tabelas da cdu
8.3 aula 8.3 - tabelas da cdu
 
Unidade 9
Unidade 9Unidade 9
Unidade 9
 
Tuto calc
Tuto calcTuto calc
Tuto calc
 
Slide metodologia.pdf
Slide metodologia.pdfSlide metodologia.pdf
Slide metodologia.pdf
 

Mais de Biblioteca FOA

12 de Agosto - Dia Nacional das Artes
12 de Agosto - Dia Nacional das Artes12 de Agosto - Dia Nacional das Artes
12 de Agosto - Dia Nacional das Artes
Biblioteca FOA
 
Feliz Dia dos Pais!
Feliz Dia dos Pais! Feliz Dia dos Pais!
Feliz Dia dos Pais!
Biblioteca FOA
 
25 de Junho – Dia do Imigrante
25 de Junho – Dia do Imigrante25 de Junho – Dia do Imigrante
25 de Junho – Dia do Imigrante
Biblioteca FOA
 
11 de Agosto - Dia do Estudante
11 de Agosto - Dia do Estudante11 de Agosto - Dia do Estudante
11 de Agosto - Dia do Estudante
Biblioteca FOA
 
7 de Julho - Dia Mundial do Chocolate
7 de Julho - Dia Mundial do Chocolate7 de Julho - Dia Mundial do Chocolate
7 de Julho - Dia Mundial do Chocolate
Biblioteca FOA
 
18 de Julho - Dia Internacional de Nelson Mandela
18 de Julho - Dia Internacional de Nelson Mandela18 de Julho - Dia Internacional de Nelson Mandela
18 de Julho - Dia Internacional de Nelson Mandela
Biblioteca FOA
 
Star Wars Day
Star Wars DayStar Wars Day
Star Wars Day
Biblioteca FOA
 
19 de Julho – Dia Nacional do Futebol
19 de Julho – Dia Nacional do Futebol19 de Julho – Dia Nacional do Futebol
19 de Julho – Dia Nacional do Futebol
Biblioteca FOA
 
2 de Julho – Dia do Bombeiro Brasileiro
2 de Julho – Dia do Bombeiro Brasileiro2 de Julho – Dia do Bombeiro Brasileiro
2 de Julho – Dia do Bombeiro Brasileiro
Biblioteca FOA
 
Atendimento humanizado na biblioteca
Atendimento humanizado na bibliotecaAtendimento humanizado na biblioteca
Atendimento humanizado na biblioteca
Biblioteca FOA
 
Feliz Dia das Mães!
Feliz Dia das Mães! Feliz Dia das Mães!
Feliz Dia das Mães!
Biblioteca FOA
 
14 de Junho – Dia Mundial do Doador de Sangue
14 de Junho – Dia Mundial do Doador de Sangue14 de Junho – Dia Mundial do Doador de Sangue
14 de Junho – Dia Mundial do Doador de Sangue
Biblioteca FOA
 
Cartaz da Biblioteca 2019
Cartaz da Biblioteca 2019Cartaz da Biblioteca 2019
Cartaz da Biblioteca 2019
Biblioteca FOA
 
Cartaz da Biblioteca 2018
Cartaz da Biblioteca 2018 Cartaz da Biblioteca 2018
Cartaz da Biblioteca 2018
Biblioteca FOA
 
Cartaz da Biblioteca 2017
Cartaz da Biblioteca 2017Cartaz da Biblioteca 2017
Cartaz da Biblioteca 2017
Biblioteca FOA
 
13 de Maio - Dia da Abolição da Escravatura.
13 de Maio - Dia da Abolição da Escravatura.13 de Maio - Dia da Abolição da Escravatura.
13 de Maio - Dia da Abolição da Escravatura.
Biblioteca FOA
 
Stan lee
Stan leeStan lee
Stan lee
Biblioteca FOA
 
Treinamentos on line pro quest para unesp-maio 2016
Treinamentos on line pro quest para unesp-maio 2016Treinamentos on line pro quest para unesp-maio 2016
Treinamentos on line pro quest para unesp-maio 2016
Biblioteca FOA
 
Capes acesso centralizado
Capes acesso centralizadoCapes acesso centralizado
Capes acesso centralizado
Biblioteca FOA
 
Os desafios contemporâneos das bibliotecas
Os desafios contemporâneos das bibliotecasOs desafios contemporâneos das bibliotecas
Os desafios contemporâneos das bibliotecas
Biblioteca FOA
 

Mais de Biblioteca FOA (20)

12 de Agosto - Dia Nacional das Artes
12 de Agosto - Dia Nacional das Artes12 de Agosto - Dia Nacional das Artes
12 de Agosto - Dia Nacional das Artes
 
Feliz Dia dos Pais!
Feliz Dia dos Pais! Feliz Dia dos Pais!
Feliz Dia dos Pais!
 
25 de Junho – Dia do Imigrante
25 de Junho – Dia do Imigrante25 de Junho – Dia do Imigrante
25 de Junho – Dia do Imigrante
 
11 de Agosto - Dia do Estudante
11 de Agosto - Dia do Estudante11 de Agosto - Dia do Estudante
11 de Agosto - Dia do Estudante
 
7 de Julho - Dia Mundial do Chocolate
7 de Julho - Dia Mundial do Chocolate7 de Julho - Dia Mundial do Chocolate
7 de Julho - Dia Mundial do Chocolate
 
18 de Julho - Dia Internacional de Nelson Mandela
18 de Julho - Dia Internacional de Nelson Mandela18 de Julho - Dia Internacional de Nelson Mandela
18 de Julho - Dia Internacional de Nelson Mandela
 
Star Wars Day
Star Wars DayStar Wars Day
Star Wars Day
 
19 de Julho – Dia Nacional do Futebol
19 de Julho – Dia Nacional do Futebol19 de Julho – Dia Nacional do Futebol
19 de Julho – Dia Nacional do Futebol
 
2 de Julho – Dia do Bombeiro Brasileiro
2 de Julho – Dia do Bombeiro Brasileiro2 de Julho – Dia do Bombeiro Brasileiro
2 de Julho – Dia do Bombeiro Brasileiro
 
Atendimento humanizado na biblioteca
Atendimento humanizado na bibliotecaAtendimento humanizado na biblioteca
Atendimento humanizado na biblioteca
 
Feliz Dia das Mães!
Feliz Dia das Mães! Feliz Dia das Mães!
Feliz Dia das Mães!
 
14 de Junho – Dia Mundial do Doador de Sangue
14 de Junho – Dia Mundial do Doador de Sangue14 de Junho – Dia Mundial do Doador de Sangue
14 de Junho – Dia Mundial do Doador de Sangue
 
Cartaz da Biblioteca 2019
Cartaz da Biblioteca 2019Cartaz da Biblioteca 2019
Cartaz da Biblioteca 2019
 
Cartaz da Biblioteca 2018
Cartaz da Biblioteca 2018 Cartaz da Biblioteca 2018
Cartaz da Biblioteca 2018
 
Cartaz da Biblioteca 2017
Cartaz da Biblioteca 2017Cartaz da Biblioteca 2017
Cartaz da Biblioteca 2017
 
13 de Maio - Dia da Abolição da Escravatura.
13 de Maio - Dia da Abolição da Escravatura.13 de Maio - Dia da Abolição da Escravatura.
13 de Maio - Dia da Abolição da Escravatura.
 
Stan lee
Stan leeStan lee
Stan lee
 
Treinamentos on line pro quest para unesp-maio 2016
Treinamentos on line pro quest para unesp-maio 2016Treinamentos on line pro quest para unesp-maio 2016
Treinamentos on line pro quest para unesp-maio 2016
 
Capes acesso centralizado
Capes acesso centralizadoCapes acesso centralizado
Capes acesso centralizado
 
Os desafios contemporâneos das bibliotecas
Os desafios contemporâneos das bibliotecasOs desafios contemporâneos das bibliotecas
Os desafios contemporâneos das bibliotecas
 

Normas de apresentação de tabelas

  • 1. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE TABELAS Conforme a norma da ABNT NBR 14724 - Informação e documentação - Trabalhos acadêmicos - Apresentação, orienta o uso da Norma de apresentação tabular - IBGE (1993). As definições e orientações que utilizaremos para a confecção de tabelas serão orientadas na Norma de apresentação tabular - IBGE (1993). Caso necessitem de detalhes mais específicos, possuímos a própria norma para consulta. DEFINIÇÃO A Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), define a tabela como forma não discursiva de apresentar informações, das quais o dado numérico se destaca como informação central.
  • 2. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação Elementos da tabela (Figura 1) Vamos conhecer os elementos principais que compõem uma tabela. Figura 1 - Esqueleto com os elementos da tabela
  • 3. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação Número - Indicador numérico de uma tabela em um conjunto de tabelas. Deve ser inscrito no seu topo, sempre que um documento apresentar mais de duas ou mais tabelas, para identificá-la, permitindo a sua localização. Deve ser escrito em números arábicos, em ordem crescente, precedido da palavra Tabela. Exemplo: Tabela 1 Título - Elemento que indica o conteúdo de uma tabela. Deve ser inscrito no seu topo, indicando a sua natureza, sem abreviação, por extenso, de forma clara e concisa. Exemplo: Tabela 1 - Distribuição do número e porcentagem das crianças, segundo o comportamento durante aplicação do CDFP de acordo com a faixa etária Moldura - Conjunto de traços estruturadores dos dados numéricos e dos termos necessários à sua compreensão. Inscrita no centro, deve ser feito com no mínimo, três traços horizontais. O primeiro separa o topo. O segundo traço para separar o espaço do cabeçalho. E o terceiro traço para separar o rodapé. (Figura 1) Exemplo: (Figura 2) Figura 2 - Moldura de uma tabela
  • 4. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação Cabeçalho - Conjunto de termos indicadores do conteúdo das colunas indicadoras e numéricas. Inscrito no espaço do cabeçalho, para indicar, complementarmente ao título, o conteúdo das colunas. Exemplo: (Figura 3) Figura 3 - Cabeçalho da tabela Indicador de linha - Conjunto de termos indicadores do conteúdo de uma linha. Indicadas com palavras ou com notações, de forma clara e concisa. Exemplo: (Figura 4) Figura 4 - Indicador de Linha
  • 5. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação Dado numérico - Quantificação de um fato numérico observado. Quantificado em algarismos arábicos. Exemplo: (Figura 5) Figura 5 - Dado numérico da tabela
  • 6. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação Fonte - Indicação de responsabilidade (pessoa física ou jurída) ou responsável pelos dados numéricos. Nota geral - Texto explicativo do conteúdo geral de uma tabela. Nota específica - Texto explicativo de algum elemento específico de uma tabela. Exemplo: (Figura 6) Figura 6 - Fonte, Nota geral ou específica
  • 7. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação DICAS NA DIAGRAMAÇÃO DA TABELA Se na confecção da tabela ultrapassar em números de linhas ou colunas, deverão ser apresentadas em duas ou mais partes. Exemplo 1: quando a tabela ultrapassar a dimensão da página em número de linhas e tiver poucas colunas. A tabela fica, lado a lado, na mesma página, separando-se as partes por um traço vertical duplo e repetindo o cabeçalho. (Figura 7) Figura 7 - Tabela com mais linhas e poucas colunas
  • 8. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação Exemplo 2: quando a tabela ultrapassar a dimensão da página em número de colunas e tiver poucas linhas. A tabela fica, uma abaixo da outra, na mesma página, separando-se as partes com traço horizontal duplo e repetindo o cabeçalho das colunas indicadoras e os indicadores de linha. (Figura 8) Figura 8 - Tabela com menos linhas e mais colunas
  • 9. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação Exemplo 3: quando a tabela não dá para ser apresentado na mesma página, mesmo fazendo as orientações acima. A solução é apresentar em diversas páginas que for necessária. Em cada parte da tabela deverá ter as seguintes indicações: continua (Figura 9) para a primeira, conclusão (Figura 11) para a última e continuação (Figura 10) para as tabelas que ficam entre a primeira e a última. Cada página da tabela deve ter o conteúdo do topo e o cabeçalho da tabela ou o cabeçalho da parte. O traço horizontal da moldura que separa o rodapé deve ser apresentado na última linha da tabela, e logo abaixo, Fonte, Nota geral ou Nota específica na última parte da tabela (conclusão). Figura 9 - Tabela com (continua)
  • 10. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação Figura 10 - Tabela com (continuação)
  • 11. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação Figura 11 - Tabela com (conclusão)
  • 12. Campus de Araçatuba Serviço Técnico de Biblioteca e Documentação Recomendações gerais: a) devem ser delimitadas, no alto e em baixo pôr traços horizontais, e somente traços no interior da tabela; b) as tabelas não devem ser delimitadas pôr traços verticais externos; c) recomenda-se que uma tabela seja elaborada de forma a ser apresentada em uma única página; d) devem ser numeradas pôr algarismo arábicos; e) apresentação dos dados numéricos deve obedecer a grafia do Sistema Internacional de Unidades adotado também pelo Brasil em 1962 e ratificado pela Resolução nº 12 de 1988 do Conselho Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial - Conmetro, tornando-se de uso obrigatório em todo o Território Nacional. Disponível no site do Inmetro; f) a indicação da expressão quantitativa ou metrológica dos dados numéricos deve ser feita com símbolos ou palavras entre parênteses; g) nos cabeçalhos recomenda-se a indicação com palavras seja feita pôr extenso, sem abreviações; h) todas indicações colocadas na tabela deve ser de forma clara e concisa; i) quando a tabela contiver sinais convencionais, deverão ser apresentados em nota geral com o respectivo significado; j) os dados numéricos não podem ficar em branco, pôr convenção temos: .. não se aplica dado numérico; ... dado numérico não disponível; x dado numérico omitido a fim de evitar a individualização da informação; - dado numérico igual a zero não resultante de arredondamento 0; 0,0; 0,00 (dado numérico resultante do arredondamento de um dado numérico originalmente positivo); -0; -0,0; -0,00 (dado numérico resultante do arredondamento de um dado numérico originalmente negativo); k) recomenda-se que a identificação da fonte seja feita pôr extenso; l) a classificação outros (as), quando existir, sempre indique um dado numérico proporcionalmente inferior aos dados numéricos indicados pelas demais classificações existentes.