SlideShare uma empresa Scribd logo
Professor Marco Antonio
Mudançadefase Os estados de agregação da matéria
A matéria possui três estados de
agregação a serem considerados:
sólido, líquido e gasoso
Mudançadefase Os estados de agregação da matéria
Sólido
• caracterizado por uma elevada força de coesão
entre as moléculas, garantindo forma e volume
bem definidos.
Líquido
• a força de coesão entre as moléculas é menos
intensa e a substância apresenta volume definido,
mas forma variável (do recipiente).
Gasoso
• as forças de coesão praticamente são inexistentes,
fazendo com que nem volume nem forma sejam
definidos. Nesse estado, a substância se distribui
por todo o espaço disponível.
Mudançadefase Mudança de estado (ou fase)
Modificando-se as condições de
pressão e/ou temperatura, pode
haver a passagem de um estado
de agregação para outro.
Mudançadefase Mudança de estado (ou fase)
Vaporização
• passagem de
uma fase
líquida para a
gasosa.
•transformação
inversa é a
liquefação ou
condensação
Fusão
• passagem de
uma fase sólida
para líquida.
• transformação
inversa é a
solidificação.
Sublimação
• passagem
diretamente da
fase sólida para
a gasosa.
As principais mudanças de fase são:
Mudançadefase Tipos de vaporização
 Evaporação: processo espontâneo e lento que ocorre
na superfície do líquido, independente da temperatura.
Por exemplo, roupas estendidas em um varal, suor do
corpo, superfícies de lagos.
Mudançadefase Tipos de vaporização
Mudançadefase Tipos de vaporização
 Ebulição: processo no qual há formação tumultuosa de
bolhas, ocorrendo em toda massa líquida. A ebulição
se verifica a uma determinada temperatura
(temperatura de ebulição) que depende da pressão
exercida sobre a superfície do líquido.
Por exemplo, a água entra em ebulição a 100ºC, sob
pressão normal (1 atmosfera).
Mudançadefase Tipos de vaporização
 Calefação: é uma vaporização forçada, pois realiza-se a
uma temperatura acima do ponto de ebulição.
Nesses casos, o líquido vaporiza antes de atingir a
superfície da chapa.
Mudançadefase Tipos de vaporização
A transformação inversa da
vaporização é a liquefação
ou condensação.
Mudançadefase Fusão
É a passagem de uma fase
sólida para líquida. A
transformação inversa da
fusão é a solidificação.
Mudançadefase Regelo – uma anomalia
O Regelo é um fenômeno segundo o qual algumas
substâncias, quando submetidas a determinada pressão,
fundem-se e voltam a solidificar-se quando a pressão
extra é removida.
Mudançadefase Regelo – uma anomalia
Mais do que devido à pressão exercida pelos patins, o
gelo da pista derrete à passagem dos patinadores por
efeito do atrito que aquece a região de contato com a
lâmina do patim.
Mudançadefase Regelo – uma anomalia
Porém, o regelo é um dos motivos de haver
deslizamento de neve acumulada no alto das montanhas:
o peso aumenta a pressão na base, provocando a fusão
da massa de gelo.
Mudançadefase Sobrefusão ou Superfusão
A sobrefusão é o fenômeno que consiste em uma
substância encontrar-se no estado líquido numa
temperatura abaixo da sua temperatura de solidificação.
Mudançadefase Sobrefusão ou Superfusão
Mudançadefase Exemplo de aplicação
ER2- Sabe-se que uma amostra de 60g de água está
super-resfriada, na temperatura de -4ºC. Ao ser
perturbada, uma parte da amostra se transforma em
gelo. Dados: calor específico da água cágua = 1 cal/gºC e
o calor latente de fusão do gelo Lfusão = 80 cal/g.
Calcule:
a) a quantidade de água em sobrefusão que se
solidifica;
b) a porcentagem da água congelada.
Mudançadefase Sublimação
Sublimação é a passagem diretamente da fase sólida
para a gasosa. Exemplos: naftalina e gelo seco (CO2).
A sublimação inversa é também denominada
cristalização e acontece quando uma substância passa
diretamente da fase gasosa para a sólida.
Mudançadefase Influência da Pressão
 Quando um corpo se funde, de modo geral, ele aumenta de
volume. Para uma substância que tenha esse comportamento,
observa-se que um aumento na pressão exercida sobre ela
acarreta um aumento em sua temperatura de fusão (e,
consequentemente, em sua temperatura de solidificação).
 A vaporização ocorre graças à fuga de partículas através da
fronteira líquido-gás; assim, um aumento na pressão acarreta
um aumento na temperatura de ebulição, pois uma pressão
mais elevada tende a dificultar a vaporização, literalmente
empurrando as partículas de volta à superfície do líquido.
E por conta desse fenômeno que foram
desenvolvidas as panelas de pressão.
Mudançadefase Algumas observações importantes
 Lei da mudança de fase: Sob pressão
constante, durante a mudança de fase a
temperatura permanece constante.
 Calor latente (L): Numericamente é a
quantidade de calor que a substância troca
(ganha ou perde), por unidade de massa,
durante a mudança de estado, mantendo-se
constante a temperatura.
 Experimentalmente, verificamos que a fusão e
a vaporização são processos endotérmicos,
ou seja, consomem calor. Já a liquefação e a
solidificação são processos exotérmicos, ou
seja, cedem calor.
Mudançadefase Diagrama de fases
Cada um dos diagramas de fases é composto de três curvas e
representa as fases da matéria termodinamicamente em função da
pressão e da temperatura.
Mudançadefase Diagrama de fases
Trecho 1 - Curva de fusão ou
solidificação: é a curva que separa o
estado sólido do líquido. Cada ponto
dela corresponde ao estado de
coexistência das fases sólida e líquida.
Um material que apresente condições de
pressão e temperatura sobre esse trecho
estará em fusão ou solidificação.
Mudançadefase Diagrama de fases
Trecho 2 - Curva de vaporização ou
condensação: é a curva que separa os
estados líquido e gasoso. Em cada ponto
dela coexistem as fases líquida e gasosa.
Sob essa condição de pressão e
temperatura a substância estará em
vaporização ou condensação.
Mudançadefase Diagrama de fases
Trecho 3 - Curva de sublimação ou
ressublimação (sublimação inversa): é a
curva que separa diretamente o estado
sólido do gasoso, sem passar pelo
estado líquido, na qual coexistem as
fases sólida e gasosa da substância.
Nesse trecho há a sublimação ou a
ressublimação.
Mudançadefase Diagrama de fases
Os dois pontos destacados no diagrama
de fases representam, respectivamente:
 o ponto triplo (PT), que indica a
pressão pT e temperatura T da
substância em que coexistem os três
estados físicos em equilíbrio;
 o ponto crítico (Pc), que indica a
temperatura crítica C de uma
substância além da qual o estado
gasoso é chamado de gás e não mais
de vapor.
A pressão correspondente à temperatura
crítica é a pressão de vapor do ponto
crítico, também chamada pressão crítica
(pc).
Mudançadefase Diagrama de fases
Mudançadefase Observações
• Vapor é a substância na fase gasosa a uma temperatura igual ou
inferior à temperatura crítica. O vapor pode ser condensado
(transformado em líquido) ou cristalizado (transformado em
sólido) por aumento de pressão, mantida constante a
temperatura (Figura);
• Gás é a substância na fase gasosa a uma temperatura superior à
temperatura crítica. Mantida constante a temperatura, o gás não
pode ser condensado por aumento de pressão.
Mudançadefase Aplicação
ER3. No diagrama de fases da figura, a linha azul representa a
curva de fusão ou solidificação de certa substância pura.
a) Em que fase se encontra a substância nos pontos A, B, C e D
b) Descreva as transformações experimentadas quando a substância
passa do ponto A para os pontos B, C e D, respectivamente.
c) O que deveria acontecer, se a mudança fosse do ponto D ao
ponto A?
Mudançadefase Aplicação
ER4. A figura a seguir representa o diagrama de fases, fora de
escala, da substância água pura. Considere que 100 g de água
recebam calor, sofrendo uma transformação, sob a pressão
constante de 1 atm.
a) o que ocorre nos pontos A, B, C, D e T;
b) o valor da temperatura D;
c) a quantidade de calor que a água necessita receber na
transformação do ponto A até o ponto C.
Dados:
• o calor específico do gelo: cgelo =
0,5 cal/g°C;
• o calor específico da água: cágua =
1,0 cal/g°C; e
• o calor latente de fusão do gelo:
LF = 80 cal/g, determine:
Mudançadefase Aplicação
ER5. Aquece-se uniformemente um recipiente contendo 500 g de
gelo a 0 °C, derretendo-o completamente. Supondo que todo
calor tenha sido usado apenas para a fusão do gelo e
considerando o calor latente de fusão do gelo LF = 80 cal/g, calcule
a quantidade de calor necessária para derreter todo o gelo.
Mudançadefase Aplicação
O diagrama de fases apresentado abaixo é de uma substância
hipotética.
a) Em que fase a substância se encontra quando sob pressão de
300 mm Hg e à temperatura de 10ºC?
b) Em que fase a substância se encontra quando sob pressão de
300 mm Hg e à temperatura de 30ºC?
c) Qual é o nome da mudança de fase que ocorre quando a
substância passa de B para A?
Mudançadefase Aplicação
O diagrama de fases apresentado abaixo é de uma substância
hipotética.
d) Qual é o nome da mudança de fase que ocorre quando a
substância passa de D para E?
e) Em que fase a substância não poderá se encontrar se estiver
submetida a uma pressão inferior à do ponto triplo T?
f) Sendo C o ponto crítico, é possível liquefazer a substância, por
meio de uma compressão isotérmica, estando à temperatura de
70ºC?
Mudançadefase Aplicação
Resolução:
a) Sólida: corresponde ao ponto A do diagrama
b) Líquida: corresponde ao ponto B do diagrama
c) Solidificação: a substância passa do estado líquido para o estado
sólido.
d) Liquefação ou Condensação: a substância passa do estado
gasoso para o estado líquido
e) A substância não poderá estar na fase Liquida
f) Para θ > θc, a substância (gás) não se liquefaz por compressão
isotérmica.
Mudançadefase Aplicação
(FMABC-SP) O gráfico
representa o diagrama de
fases do “gelo seco”. PT e PC
representam, respectivamente,
ponto triplo e ponto crítico da
substância. Analise este
diagrama e assinale a
alternativa correta.
a) Acima de 31 ºC, a substância apresenta-se no estado gasoso.
b) É possível liquefazer o gás apenas aumentando a temperatura de -
56,6 ºC para 31 ºC.
c) A substância apresenta-se no estado sólido para valores de pressão
acima de uma atmosfera.
d) A substância apresenta-se sempre no estado líquido para a
temperatura de 20 ºC.
e) A substância apresenta-se em mudança de estado para a pressão
de 5,1 atm e temperatura de -10 ºC.
X
Mudançadefase Aplicação
É dado o diagrama de fases de
uma substância pura. Responda
às questões.
a) Que mudança de fase ocorre quando a substância passa do
estado D para o estado E?
b) Que mudança de fase ocorre quando a substância passa do
estado E para o estado G?
c) Qual o significado físico do ponto B no diagrama?
d) Sob pressão normal (1 atm) e à temperatura ambiente de 18 °C,
em que fase se encontra a substância?
FIM
www.netfisica.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Física energia
Física   energiaFísica   energia
Física energia
Joshwan Aragão Almeida
 
Gases e transformações
Gases  e transformaçõesGases  e transformações
Gases e transformações
Aninha Felix Vieira Dias
 
Substância e mistura 9º ano
Substância e mistura 9º anoSubstância e mistura 9º ano
Substância e mistura 9º ano
Karla Almeida
 
Aula de calorimetria
Aula de calorimetriaAula de calorimetria
Aula de calorimetria
Derbiano Alves Soares
 
Calor e Temperatura
Calor e Temperatura Calor e Temperatura
Calor e Temperatura
MarcelaMarita
 
Mudança de fase
Mudança de faseMudança de fase
Mudança de fase
Gleyton Gomes
 
Plano de aula Cinemática
Plano de aula CinemáticaPlano de aula Cinemática
Plano de aula Cinemática
LucianaOliveira403
 
01. substâncias e misturas
01. substâncias e misturas01. substâncias e misturas
01. substâncias e misturas
Augusto Sérgio Costa Souza
 
9 ano mudanças de estado físico
9 ano mudanças de estado físico9 ano mudanças de estado físico
9 ano mudanças de estado físico
crisbassanimedeiros
 
Aula de física movimento, repouso, velocidade média
Aula de física  movimento, repouso, velocidade médiaAula de física  movimento, repouso, velocidade média
Aula de física movimento, repouso, velocidade média
luam1969
 
Mudança de estado
Mudança de estadoMudança de estado
Mudança de estado
Rildo Borges
 
Estados físicos da matéria
Estados físicos da matériaEstados físicos da matéria
Estados físicos da matéria
Carlos Priante
 
Física 2º ano ensino médio ondulatória comprimento, frequência, amplitude e...
Física 2º ano ensino médio   ondulatória comprimento, frequência, amplitude e...Física 2º ano ensino médio   ondulatória comprimento, frequência, amplitude e...
Física 2º ano ensino médio ondulatória comprimento, frequência, amplitude e...
Tiago Gomes da Silva
 
Movimento Uniforme
Movimento UniformeMovimento Uniforme
Movimento Uniforme
Guilherme Machado
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
Rildo Borges
 
Primeira lei da termodinâmica
Primeira lei da termodinâmicaPrimeira lei da termodinâmica
Primeira lei da termodinâmica
Jamilly Andrade
 
Separação de misturas - jogo e técnicas - Química em Prática - www.quimicaemp...
Separação de misturas - jogo e técnicas - Química em Prática - www.quimicaemp...Separação de misturas - jogo e técnicas - Química em Prática - www.quimicaemp...
Separação de misturas - jogo e técnicas - Química em Prática - www.quimicaemp...
Karoline dos Santos Tarnowski
 
Dilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidosDilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidos
O mundo da FÍSICA
 
Métodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturasMétodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturas
Karol Maia
 

Mais procurados (20)

Física energia
Física   energiaFísica   energia
Física energia
 
Gases e transformações
Gases  e transformaçõesGases  e transformações
Gases e transformações
 
Substância e mistura 9º ano
Substância e mistura 9º anoSubstância e mistura 9º ano
Substância e mistura 9º ano
 
Aula de calorimetria
Aula de calorimetriaAula de calorimetria
Aula de calorimetria
 
Calor e Temperatura
Calor e Temperatura Calor e Temperatura
Calor e Temperatura
 
Mudança de fase
Mudança de faseMudança de fase
Mudança de fase
 
Plano de aula Cinemática
Plano de aula CinemáticaPlano de aula Cinemática
Plano de aula Cinemática
 
01. substâncias e misturas
01. substâncias e misturas01. substâncias e misturas
01. substâncias e misturas
 
9 ano mudanças de estado físico
9 ano mudanças de estado físico9 ano mudanças de estado físico
9 ano mudanças de estado físico
 
CALORIMETRIA
CALORIMETRIACALORIMETRIA
CALORIMETRIA
 
Aula de física movimento, repouso, velocidade média
Aula de física  movimento, repouso, velocidade médiaAula de física  movimento, repouso, velocidade média
Aula de física movimento, repouso, velocidade média
 
Mudança de estado
Mudança de estadoMudança de estado
Mudança de estado
 
Estados físicos da matéria
Estados físicos da matériaEstados físicos da matéria
Estados físicos da matéria
 
Física 2º ano ensino médio ondulatória comprimento, frequência, amplitude e...
Física 2º ano ensino médio   ondulatória comprimento, frequência, amplitude e...Física 2º ano ensino médio   ondulatória comprimento, frequência, amplitude e...
Física 2º ano ensino médio ondulatória comprimento, frequência, amplitude e...
 
Movimento Uniforme
Movimento UniformeMovimento Uniforme
Movimento Uniforme
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
Primeira lei da termodinâmica
Primeira lei da termodinâmicaPrimeira lei da termodinâmica
Primeira lei da termodinâmica
 
Separação de misturas - jogo e técnicas - Química em Prática - www.quimicaemp...
Separação de misturas - jogo e técnicas - Química em Prática - www.quimicaemp...Separação de misturas - jogo e técnicas - Química em Prática - www.quimicaemp...
Separação de misturas - jogo e técnicas - Química em Prática - www.quimicaemp...
 
Dilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidosDilatação térmica dos líquidos
Dilatação térmica dos líquidos
 
Métodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturasMétodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturas
 

Destaque

Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
Marco Antonio Sanches
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
Marco Antonio Sanches
 
Oficina App Inventor
Oficina App InventorOficina App Inventor
Oficina App Inventor
Marco Antonio Sanches
 
Física e química introdução estado físico da matéria
Física e química introdução estado físico da matériaFísica e química introdução estado físico da matéria
Física e química introdução estado físico da matéria
Carlos Alexandre Ribeiro Dorte
 
Química - Estados físicos da matéria e separação de misturas
Química - Estados físicos da matéria e separação de misturasQuímica - Estados físicos da matéria e separação de misturas
Química - Estados físicos da matéria e separação de misturas
Cláudia Augusto
 
Unidades de medida... e notação científica
Unidades de medida... e notação científicaUnidades de medida... e notação científica
Unidades de medida... e notação científica
Marco Antonio Sanches
 
Lista 2° ano
Lista 2° anoLista 2° ano
Lista 2° ano
Wellington Sampaio
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
Marco Antonio Sanches
 
Força e movimento
Força e movimentoForça e movimento
Força e movimento
Marco Antonio Sanches
 
Calorimetria I
Calorimetria ICalorimetria I
Calorimetria I
Marco Antonio Sanches
 
Carol
CarolCarol
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
Bio Sem Limites
 
Trabalho e energia
Trabalho e energiaTrabalho e energia
Trabalho e energia
Marco Antonio Sanches
 
Impulso e Quantidade de Movimento - Exercícios de revisão
Impulso e Quantidade de Movimento - Exercícios de revisãoImpulso e Quantidade de Movimento - Exercícios de revisão
Impulso e Quantidade de Movimento - Exercícios de revisão
Marco Antonio Sanches
 
diagrama em fases
diagrama em fasesdiagrama em fases
diagrama em fases
wilkapedro
 
Introdução à Refração
Introdução à RefraçãoIntrodução à Refração
Introdução à Refração
Samara Brito
 
Calor E 1a Lei Da TermodinâMica
Calor E 1a  Lei Da TermodinâMicaCalor E 1a  Lei Da TermodinâMica
Calor E 1a Lei Da TermodinâMica
dalgo
 
Simulado trabalho e energia
Simulado trabalho e energiaSimulado trabalho e energia
Simulado trabalho e energia
Marco Antonio Sanches
 
Alotropia
AlotropiaAlotropia
lei gauss - questões resolvidas
lei gauss - questões resolvidaslei gauss - questões resolvidas
lei gauss - questões resolvidas
Níkolas Marques
 

Destaque (20)

Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
 
Oficina App Inventor
Oficina App InventorOficina App Inventor
Oficina App Inventor
 
Física e química introdução estado físico da matéria
Física e química introdução estado físico da matériaFísica e química introdução estado físico da matéria
Física e química introdução estado físico da matéria
 
Química - Estados físicos da matéria e separação de misturas
Química - Estados físicos da matéria e separação de misturasQuímica - Estados físicos da matéria e separação de misturas
Química - Estados físicos da matéria e separação de misturas
 
Unidades de medida... e notação científica
Unidades de medida... e notação científicaUnidades de medida... e notação científica
Unidades de medida... e notação científica
 
Lista 2° ano
Lista 2° anoLista 2° ano
Lista 2° ano
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
 
Força e movimento
Força e movimentoForça e movimento
Força e movimento
 
Calorimetria I
Calorimetria ICalorimetria I
Calorimetria I
 
Carol
CarolCarol
Carol
 
Termoquímica
TermoquímicaTermoquímica
Termoquímica
 
Trabalho e energia
Trabalho e energiaTrabalho e energia
Trabalho e energia
 
Impulso e Quantidade de Movimento - Exercícios de revisão
Impulso e Quantidade de Movimento - Exercícios de revisãoImpulso e Quantidade de Movimento - Exercícios de revisão
Impulso e Quantidade de Movimento - Exercícios de revisão
 
diagrama em fases
diagrama em fasesdiagrama em fases
diagrama em fases
 
Introdução à Refração
Introdução à RefraçãoIntrodução à Refração
Introdução à Refração
 
Calor E 1a Lei Da TermodinâMica
Calor E 1a  Lei Da TermodinâMicaCalor E 1a  Lei Da TermodinâMica
Calor E 1a Lei Da TermodinâMica
 
Simulado trabalho e energia
Simulado trabalho e energiaSimulado trabalho e energia
Simulado trabalho e energia
 
Alotropia
AlotropiaAlotropia
Alotropia
 
lei gauss - questões resolvidas
lei gauss - questões resolvidaslei gauss - questões resolvidas
lei gauss - questões resolvidas
 

Semelhante a Mudança de fase

Diagrama de fases
Diagrama de fasesDiagrama de fases
Diagrama de fases
Marco Antonio Sanches
 
Calorimetria 2
Calorimetria 2Calorimetria 2
Calorimetria 2
Fábio Ribeiro
 
Calorimetria 2
Calorimetria 2Calorimetria 2
Calorimetria 2
Fábio Ribeiro
 
Mudança de estado
Mudança de estadoMudança de estado
Mudança de estado
Rildo Borges
 
Mudança de estado
Mudança de estadoMudança de estado
Mudança de estado
Rildo Borges
 
Termodinamica
Termodinamica Termodinamica
Termodinamica
alonsowollmersheiser
 
Termodinamica capitulo1
Termodinamica capitulo1Termodinamica capitulo1
Termodinamica capitulo1
Zazone Carvalho da Silva
 
TermAula 2
TermAula 2TermAula 2
TermAula 2
milton junior
 
Apostila de termodinâmica Cap.1
Apostila de termodinâmica Cap.1Apostila de termodinâmica Cap.1
Apostila de termodinâmica Cap.1
Beron_21
 
AULA - MUDANÇAS DE ESTADO FÍSICO DAS SUBSTÂNCIAS.pptx
AULA - MUDANÇAS DE ESTADO FÍSICO DAS SUBSTÂNCIAS.pptxAULA - MUDANÇAS DE ESTADO FÍSICO DAS SUBSTÂNCIAS.pptx
AULA - MUDANÇAS DE ESTADO FÍSICO DAS SUBSTÂNCIAS.pptx
RaulCsar8
 
Termometria
TermometriaTermometria
Termometria
carlos_isfm
 
Propriedades_da_substancia_pura aula.pptx
Propriedades_da_substancia_pura aula.pptxPropriedades_da_substancia_pura aula.pptx
Propriedades_da_substancia_pura aula.pptx
aulasdojeff
 
Mudanças de fase
Mudanças de faseMudanças de fase
Mudanças de fase
Isabella Silva
 
Mudança de fase
Mudança de faseMudança de fase
Mudança de fase
Wellington Sampaio
 
Mudança de fase
Mudança de faseMudança de fase
Mudança de fase
Rildo Borges
 
FISICA CALORIMETRIA FISICA CALOR FORMULAS SLIDE
FISICA CALORIMETRIA FISICA CALOR FORMULAS SLIDEFISICA CALORIMETRIA FISICA CALOR FORMULAS SLIDE
FISICA CALORIMETRIA FISICA CALOR FORMULAS SLIDE
elenufba
 
Mudança de fase (2017)
Mudança de fase (2017)Mudança de fase (2017)
Mudança de fase (2017)
Marco Antonio Sanches
 
AULA TEORICA 6. EQUILIBRIO DE FASES SUBSTANCIAS PURAS.pptx
AULA TEORICA 6. EQUILIBRIO DE FASES SUBSTANCIAS PURAS.pptxAULA TEORICA 6. EQUILIBRIO DE FASES SUBSTANCIAS PURAS.pptx
AULA TEORICA 6. EQUILIBRIO DE FASES SUBSTANCIAS PURAS.pptx
eulaliapedrochissamb
 
Aula 06 Estados da materia - sólidos, líquidos e gases - Prof. Nelson Virgilio
Aula 06   Estados da materia - sólidos, líquidos e gases - Prof. Nelson VirgilioAula 06   Estados da materia - sólidos, líquidos e gases - Prof. Nelson Virgilio
Aula 06 Estados da materia - sólidos, líquidos e gases - Prof. Nelson Virgilio
Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
ProCLAUDIA/LUCIANE MEIJON/SOARES
 

Semelhante a Mudança de fase (20)

Diagrama de fases
Diagrama de fasesDiagrama de fases
Diagrama de fases
 
Calorimetria 2
Calorimetria 2Calorimetria 2
Calorimetria 2
 
Calorimetria 2
Calorimetria 2Calorimetria 2
Calorimetria 2
 
Mudança de estado
Mudança de estadoMudança de estado
Mudança de estado
 
Mudança de estado
Mudança de estadoMudança de estado
Mudança de estado
 
Termodinamica
Termodinamica Termodinamica
Termodinamica
 
Termodinamica capitulo1
Termodinamica capitulo1Termodinamica capitulo1
Termodinamica capitulo1
 
TermAula 2
TermAula 2TermAula 2
TermAula 2
 
Apostila de termodinâmica Cap.1
Apostila de termodinâmica Cap.1Apostila de termodinâmica Cap.1
Apostila de termodinâmica Cap.1
 
AULA - MUDANÇAS DE ESTADO FÍSICO DAS SUBSTÂNCIAS.pptx
AULA - MUDANÇAS DE ESTADO FÍSICO DAS SUBSTÂNCIAS.pptxAULA - MUDANÇAS DE ESTADO FÍSICO DAS SUBSTÂNCIAS.pptx
AULA - MUDANÇAS DE ESTADO FÍSICO DAS SUBSTÂNCIAS.pptx
 
Termometria
TermometriaTermometria
Termometria
 
Propriedades_da_substancia_pura aula.pptx
Propriedades_da_substancia_pura aula.pptxPropriedades_da_substancia_pura aula.pptx
Propriedades_da_substancia_pura aula.pptx
 
Mudanças de fase
Mudanças de faseMudanças de fase
Mudanças de fase
 
Mudança de fase
Mudança de faseMudança de fase
Mudança de fase
 
Mudança de fase
Mudança de faseMudança de fase
Mudança de fase
 
FISICA CALORIMETRIA FISICA CALOR FORMULAS SLIDE
FISICA CALORIMETRIA FISICA CALOR FORMULAS SLIDEFISICA CALORIMETRIA FISICA CALOR FORMULAS SLIDE
FISICA CALORIMETRIA FISICA CALOR FORMULAS SLIDE
 
Mudança de fase (2017)
Mudança de fase (2017)Mudança de fase (2017)
Mudança de fase (2017)
 
AULA TEORICA 6. EQUILIBRIO DE FASES SUBSTANCIAS PURAS.pptx
AULA TEORICA 6. EQUILIBRIO DE FASES SUBSTANCIAS PURAS.pptxAULA TEORICA 6. EQUILIBRIO DE FASES SUBSTANCIAS PURAS.pptx
AULA TEORICA 6. EQUILIBRIO DE FASES SUBSTANCIAS PURAS.pptx
 
Aula 06 Estados da materia - sólidos, líquidos e gases - Prof. Nelson Virgilio
Aula 06   Estados da materia - sólidos, líquidos e gases - Prof. Nelson VirgilioAula 06   Estados da materia - sólidos, líquidos e gases - Prof. Nelson Virgilio
Aula 06 Estados da materia - sólidos, líquidos e gases - Prof. Nelson Virgilio
 
Propriedades coligativas
Propriedades coligativasPropriedades coligativas
Propriedades coligativas
 

Mais de Marco Antonio Sanches

Hidrostática (versão 2018)
Hidrostática (versão 2018)Hidrostática (versão 2018)
Hidrostática (versão 2018)
Marco Antonio Sanches
 
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Marco Antonio Sanches
 
Mecânica - Série ENEM
Mecânica - Série ENEMMecânica - Série ENEM
Mecânica - Série ENEM
Marco Antonio Sanches
 
Estudo dos receptores (2017)
Estudo dos receptores (2017)Estudo dos receptores (2017)
Estudo dos receptores (2017)
Marco Antonio Sanches
 
Óptica geométrica (2017)
Óptica geométrica (2017)Óptica geométrica (2017)
Óptica geométrica (2017)
Marco Antonio Sanches
 
Estudo dos Geradores (2017)
Estudo dos Geradores (2017)Estudo dos Geradores (2017)
Estudo dos Geradores (2017)
Marco Antonio Sanches
 
Termodinâmica (2017)
Termodinâmica (2017)Termodinâmica (2017)
Termodinâmica (2017)
Marco Antonio Sanches
 
Primeira Lei da Termodinâmica
Primeira Lei da TermodinâmicaPrimeira Lei da Termodinâmica
Primeira Lei da Termodinâmica
Marco Antonio Sanches
 
Associação de resistores
Associação de resistoresAssociação de resistores
Associação de resistores
Marco Antonio Sanches
 
Ondulatória
OndulatóriaOndulatória
Ondulatória
Marco Antonio Sanches
 
Calorimetria (2017)
Calorimetria (2017)Calorimetria (2017)
Calorimetria (2017)
Marco Antonio Sanches
 
Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)
Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)
Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)
Marco Antonio Sanches
 
Hidrostática - revisão 2º EM (2017)
Hidrostática - revisão 2º EM (2017)Hidrostática - revisão 2º EM (2017)
Hidrostática - revisão 2º EM (2017)
Marco Antonio Sanches
 
Estudo dos gases
Estudo dos gasesEstudo dos gases
Estudo dos gases
Marco Antonio Sanches
 
Apostila eletrostática
Apostila eletrostáticaApostila eletrostática
Apostila eletrostática
Marco Antonio Sanches
 
Óptica da visão - apostila
Óptica da visão - apostilaÓptica da visão - apostila
Óptica da visão - apostila
Marco Antonio Sanches
 
Hidrostática reforço
Hidrostática   reforçoHidrostática   reforço
Hidrostática reforço
Marco Antonio Sanches
 
Termologia - I-Termometria
Termologia - I-TermometriaTermologia - I-Termometria
Termologia - I-Termometria
Marco Antonio Sanches
 
Hidrostática
HidrostáticaHidrostática
Hidrostática
Marco Antonio Sanches
 
Impulso e Quantidade de Movimento - Exercícios
Impulso e Quantidade de Movimento - ExercíciosImpulso e Quantidade de Movimento - Exercícios
Impulso e Quantidade de Movimento - Exercícios
Marco Antonio Sanches
 

Mais de Marco Antonio Sanches (20)

Hidrostática (versão 2018)
Hidrostática (versão 2018)Hidrostática (versão 2018)
Hidrostática (versão 2018)
 
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
 
Mecânica - Série ENEM
Mecânica - Série ENEMMecânica - Série ENEM
Mecânica - Série ENEM
 
Estudo dos receptores (2017)
Estudo dos receptores (2017)Estudo dos receptores (2017)
Estudo dos receptores (2017)
 
Óptica geométrica (2017)
Óptica geométrica (2017)Óptica geométrica (2017)
Óptica geométrica (2017)
 
Estudo dos Geradores (2017)
Estudo dos Geradores (2017)Estudo dos Geradores (2017)
Estudo dos Geradores (2017)
 
Termodinâmica (2017)
Termodinâmica (2017)Termodinâmica (2017)
Termodinâmica (2017)
 
Primeira Lei da Termodinâmica
Primeira Lei da TermodinâmicaPrimeira Lei da Termodinâmica
Primeira Lei da Termodinâmica
 
Associação de resistores
Associação de resistoresAssociação de resistores
Associação de resistores
 
Ondulatória
OndulatóriaOndulatória
Ondulatória
 
Calorimetria (2017)
Calorimetria (2017)Calorimetria (2017)
Calorimetria (2017)
 
Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)
Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)
Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)
 
Hidrostática - revisão 2º EM (2017)
Hidrostática - revisão 2º EM (2017)Hidrostática - revisão 2º EM (2017)
Hidrostática - revisão 2º EM (2017)
 
Estudo dos gases
Estudo dos gasesEstudo dos gases
Estudo dos gases
 
Apostila eletrostática
Apostila eletrostáticaApostila eletrostática
Apostila eletrostática
 
Óptica da visão - apostila
Óptica da visão - apostilaÓptica da visão - apostila
Óptica da visão - apostila
 
Hidrostática reforço
Hidrostática   reforçoHidrostática   reforço
Hidrostática reforço
 
Termologia - I-Termometria
Termologia - I-TermometriaTermologia - I-Termometria
Termologia - I-Termometria
 
Hidrostática
HidrostáticaHidrostática
Hidrostática
 
Impulso e Quantidade de Movimento - Exercícios
Impulso e Quantidade de Movimento - ExercíciosImpulso e Quantidade de Movimento - Exercícios
Impulso e Quantidade de Movimento - Exercícios
 

Último

EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 

Último (20)

EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 

Mudança de fase

  • 2. Mudançadefase Os estados de agregação da matéria A matéria possui três estados de agregação a serem considerados: sólido, líquido e gasoso
  • 3. Mudançadefase Os estados de agregação da matéria Sólido • caracterizado por uma elevada força de coesão entre as moléculas, garantindo forma e volume bem definidos. Líquido • a força de coesão entre as moléculas é menos intensa e a substância apresenta volume definido, mas forma variável (do recipiente). Gasoso • as forças de coesão praticamente são inexistentes, fazendo com que nem volume nem forma sejam definidos. Nesse estado, a substância se distribui por todo o espaço disponível.
  • 4. Mudançadefase Mudança de estado (ou fase) Modificando-se as condições de pressão e/ou temperatura, pode haver a passagem de um estado de agregação para outro.
  • 5. Mudançadefase Mudança de estado (ou fase) Vaporização • passagem de uma fase líquida para a gasosa. •transformação inversa é a liquefação ou condensação Fusão • passagem de uma fase sólida para líquida. • transformação inversa é a solidificação. Sublimação • passagem diretamente da fase sólida para a gasosa. As principais mudanças de fase são:
  • 6. Mudançadefase Tipos de vaporização  Evaporação: processo espontâneo e lento que ocorre na superfície do líquido, independente da temperatura. Por exemplo, roupas estendidas em um varal, suor do corpo, superfícies de lagos.
  • 7. Mudançadefase Tipos de vaporização
  • 8. Mudançadefase Tipos de vaporização  Ebulição: processo no qual há formação tumultuosa de bolhas, ocorrendo em toda massa líquida. A ebulição se verifica a uma determinada temperatura (temperatura de ebulição) que depende da pressão exercida sobre a superfície do líquido. Por exemplo, a água entra em ebulição a 100ºC, sob pressão normal (1 atmosfera).
  • 9. Mudançadefase Tipos de vaporização  Calefação: é uma vaporização forçada, pois realiza-se a uma temperatura acima do ponto de ebulição. Nesses casos, o líquido vaporiza antes de atingir a superfície da chapa.
  • 10. Mudançadefase Tipos de vaporização A transformação inversa da vaporização é a liquefação ou condensação.
  • 11. Mudançadefase Fusão É a passagem de uma fase sólida para líquida. A transformação inversa da fusão é a solidificação.
  • 12. Mudançadefase Regelo – uma anomalia O Regelo é um fenômeno segundo o qual algumas substâncias, quando submetidas a determinada pressão, fundem-se e voltam a solidificar-se quando a pressão extra é removida.
  • 13. Mudançadefase Regelo – uma anomalia Mais do que devido à pressão exercida pelos patins, o gelo da pista derrete à passagem dos patinadores por efeito do atrito que aquece a região de contato com a lâmina do patim.
  • 14. Mudançadefase Regelo – uma anomalia Porém, o regelo é um dos motivos de haver deslizamento de neve acumulada no alto das montanhas: o peso aumenta a pressão na base, provocando a fusão da massa de gelo.
  • 15. Mudançadefase Sobrefusão ou Superfusão A sobrefusão é o fenômeno que consiste em uma substância encontrar-se no estado líquido numa temperatura abaixo da sua temperatura de solidificação.
  • 17. Mudançadefase Exemplo de aplicação ER2- Sabe-se que uma amostra de 60g de água está super-resfriada, na temperatura de -4ºC. Ao ser perturbada, uma parte da amostra se transforma em gelo. Dados: calor específico da água cágua = 1 cal/gºC e o calor latente de fusão do gelo Lfusão = 80 cal/g. Calcule: a) a quantidade de água em sobrefusão que se solidifica; b) a porcentagem da água congelada.
  • 18. Mudançadefase Sublimação Sublimação é a passagem diretamente da fase sólida para a gasosa. Exemplos: naftalina e gelo seco (CO2). A sublimação inversa é também denominada cristalização e acontece quando uma substância passa diretamente da fase gasosa para a sólida.
  • 19. Mudançadefase Influência da Pressão  Quando um corpo se funde, de modo geral, ele aumenta de volume. Para uma substância que tenha esse comportamento, observa-se que um aumento na pressão exercida sobre ela acarreta um aumento em sua temperatura de fusão (e, consequentemente, em sua temperatura de solidificação).  A vaporização ocorre graças à fuga de partículas através da fronteira líquido-gás; assim, um aumento na pressão acarreta um aumento na temperatura de ebulição, pois uma pressão mais elevada tende a dificultar a vaporização, literalmente empurrando as partículas de volta à superfície do líquido. E por conta desse fenômeno que foram desenvolvidas as panelas de pressão.
  • 20. Mudançadefase Algumas observações importantes  Lei da mudança de fase: Sob pressão constante, durante a mudança de fase a temperatura permanece constante.  Calor latente (L): Numericamente é a quantidade de calor que a substância troca (ganha ou perde), por unidade de massa, durante a mudança de estado, mantendo-se constante a temperatura.  Experimentalmente, verificamos que a fusão e a vaporização são processos endotérmicos, ou seja, consomem calor. Já a liquefação e a solidificação são processos exotérmicos, ou seja, cedem calor.
  • 21. Mudançadefase Diagrama de fases Cada um dos diagramas de fases é composto de três curvas e representa as fases da matéria termodinamicamente em função da pressão e da temperatura.
  • 22. Mudançadefase Diagrama de fases Trecho 1 - Curva de fusão ou solidificação: é a curva que separa o estado sólido do líquido. Cada ponto dela corresponde ao estado de coexistência das fases sólida e líquida. Um material que apresente condições de pressão e temperatura sobre esse trecho estará em fusão ou solidificação.
  • 23. Mudançadefase Diagrama de fases Trecho 2 - Curva de vaporização ou condensação: é a curva que separa os estados líquido e gasoso. Em cada ponto dela coexistem as fases líquida e gasosa. Sob essa condição de pressão e temperatura a substância estará em vaporização ou condensação.
  • 24. Mudançadefase Diagrama de fases Trecho 3 - Curva de sublimação ou ressublimação (sublimação inversa): é a curva que separa diretamente o estado sólido do gasoso, sem passar pelo estado líquido, na qual coexistem as fases sólida e gasosa da substância. Nesse trecho há a sublimação ou a ressublimação.
  • 25. Mudançadefase Diagrama de fases Os dois pontos destacados no diagrama de fases representam, respectivamente:  o ponto triplo (PT), que indica a pressão pT e temperatura T da substância em que coexistem os três estados físicos em equilíbrio;  o ponto crítico (Pc), que indica a temperatura crítica C de uma substância além da qual o estado gasoso é chamado de gás e não mais de vapor. A pressão correspondente à temperatura crítica é a pressão de vapor do ponto crítico, também chamada pressão crítica (pc).
  • 27. Mudançadefase Observações • Vapor é a substância na fase gasosa a uma temperatura igual ou inferior à temperatura crítica. O vapor pode ser condensado (transformado em líquido) ou cristalizado (transformado em sólido) por aumento de pressão, mantida constante a temperatura (Figura); • Gás é a substância na fase gasosa a uma temperatura superior à temperatura crítica. Mantida constante a temperatura, o gás não pode ser condensado por aumento de pressão.
  • 28. Mudançadefase Aplicação ER3. No diagrama de fases da figura, a linha azul representa a curva de fusão ou solidificação de certa substância pura. a) Em que fase se encontra a substância nos pontos A, B, C e D b) Descreva as transformações experimentadas quando a substância passa do ponto A para os pontos B, C e D, respectivamente. c) O que deveria acontecer, se a mudança fosse do ponto D ao ponto A?
  • 29. Mudançadefase Aplicação ER4. A figura a seguir representa o diagrama de fases, fora de escala, da substância água pura. Considere que 100 g de água recebam calor, sofrendo uma transformação, sob a pressão constante de 1 atm. a) o que ocorre nos pontos A, B, C, D e T; b) o valor da temperatura D; c) a quantidade de calor que a água necessita receber na transformação do ponto A até o ponto C. Dados: • o calor específico do gelo: cgelo = 0,5 cal/g°C; • o calor específico da água: cágua = 1,0 cal/g°C; e • o calor latente de fusão do gelo: LF = 80 cal/g, determine:
  • 30. Mudançadefase Aplicação ER5. Aquece-se uniformemente um recipiente contendo 500 g de gelo a 0 °C, derretendo-o completamente. Supondo que todo calor tenha sido usado apenas para a fusão do gelo e considerando o calor latente de fusão do gelo LF = 80 cal/g, calcule a quantidade de calor necessária para derreter todo o gelo.
  • 31. Mudançadefase Aplicação O diagrama de fases apresentado abaixo é de uma substância hipotética. a) Em que fase a substância se encontra quando sob pressão de 300 mm Hg e à temperatura de 10ºC? b) Em que fase a substância se encontra quando sob pressão de 300 mm Hg e à temperatura de 30ºC? c) Qual é o nome da mudança de fase que ocorre quando a substância passa de B para A?
  • 32. Mudançadefase Aplicação O diagrama de fases apresentado abaixo é de uma substância hipotética. d) Qual é o nome da mudança de fase que ocorre quando a substância passa de D para E? e) Em que fase a substância não poderá se encontrar se estiver submetida a uma pressão inferior à do ponto triplo T? f) Sendo C o ponto crítico, é possível liquefazer a substância, por meio de uma compressão isotérmica, estando à temperatura de 70ºC?
  • 33. Mudançadefase Aplicação Resolução: a) Sólida: corresponde ao ponto A do diagrama b) Líquida: corresponde ao ponto B do diagrama c) Solidificação: a substância passa do estado líquido para o estado sólido. d) Liquefação ou Condensação: a substância passa do estado gasoso para o estado líquido e) A substância não poderá estar na fase Liquida f) Para θ > θc, a substância (gás) não se liquefaz por compressão isotérmica.
  • 34. Mudançadefase Aplicação (FMABC-SP) O gráfico representa o diagrama de fases do “gelo seco”. PT e PC representam, respectivamente, ponto triplo e ponto crítico da substância. Analise este diagrama e assinale a alternativa correta. a) Acima de 31 ºC, a substância apresenta-se no estado gasoso. b) É possível liquefazer o gás apenas aumentando a temperatura de - 56,6 ºC para 31 ºC. c) A substância apresenta-se no estado sólido para valores de pressão acima de uma atmosfera. d) A substância apresenta-se sempre no estado líquido para a temperatura de 20 ºC. e) A substância apresenta-se em mudança de estado para a pressão de 5,1 atm e temperatura de -10 ºC. X
  • 35. Mudançadefase Aplicação É dado o diagrama de fases de uma substância pura. Responda às questões. a) Que mudança de fase ocorre quando a substância passa do estado D para o estado E? b) Que mudança de fase ocorre quando a substância passa do estado E para o estado G? c) Qual o significado físico do ponto B no diagrama? d) Sob pressão normal (1 atm) e à temperatura ambiente de 18 °C, em que fase se encontra a substância?