SlideShare uma empresa Scribd logo
Alunos: Pedro e Felipe
              N° 7 e 18
   Professor : Rodrigo
     Matéria: Biologia
O que são métodos contraceptivos




 Métodos anticoncepcionais são formas naturais ou
 artificiais de se evitar a gravidez. Eles devem ser usados
 assim que o resolve iniciar um relacionamento mais
 intimo e deseja evitar a gravidez
Para que eles servem?
 A prevenção da gestação não planejada é fundamental,
 principalmente para adolescentes e adultos jovens
 sexualmente ativos , que devem ser orientados
 precocemente, uma vez que a idade para inicio das
 relações sexuais está diminuindo cada vez mais,
 enquanto estão aumentando o número de
 adolescentes grávidas.
Quais são eles?            Como saber qual usar?
                            A escolha do método
 Os métodos                 contraceptivo deve ser
  contraceptivos podem       sempre personalizada
  ser divididos              lavando-se em conta
  didaticamente em:          fatores como idade,
  comportamentais, de        número de filhos,
                             compreensão e tolerância
  barreira, dispositivos     ao método, desejo de
  intra-uterino(DIU),        procriação e a presença de
  métodos hormonais e        doenças crônicas que
  cirúrgicos                 possam agrava-se com o
                             uso de determinado
                             método
O que são Métodos Naturais?




 Os métodos naturais dispensam medicamentos ou
 qualquer tipo de aparelho durante a relação sexual. E
 não protege de nenhuma doença sexualmente
 transmissível.
O que é tabelinha?




 A tabelinha consiste em não manter relações sexuais
 nos dias férteis da mulher (período de ovulação). Num
 ciclo de 28 dias, o dia fértil é o 14. Para identificar o
 período fértil por este método é preciso fazer uma
 observação rigorosa do ciclo menstrual.
Como fazer a tabelinha?
 Após 6 meses de observação, deve-se calcular a
    diferença entre ciclo mais curto e o mais longo. Se a
    diferença for maior que 10 dias, a mulher não pode
    utilizar a Tabelinha. Exemplos de ciclos:
   Ciclo Menor: 27 dias
   Ciclo Maior : 31 dias
   Diferença: 04 Dias
   Devera diminuir 18 dias do ciclo mais curto e depois
    diminuir 11 do número de dias do ciclo mais longo.
 Exemplo:
 N° de dias do ciclo mais curto: 27 – 18 = 9
 N° de dias do ciclo mais longo: 31 – 11= 20
 O período fértil, vai do 9° ao 20° dia do ciclo
  menstrual. Dessa forma, se não quiser engravidar, ela
  não poderá manter relação sexual, durante esse
  período
Vantagens e desvantagens da   Mulheres que não podem usar a
tabelinha                     tabelinha
 Exige um período longo de      Adolescentes
  observação antes de poder      Que estão entrando na
  ser usada.                      menopausa
 Não é possível manter
  relação sexual durante o       Que estão no periodo de 6 meses
  período fértil.                 de observação e montagem da
 Sua eficácia está               tabela
  relacionada a um               Que pararam a pilula a pouco
  equilíbrio do ciclo             tempo
  menstrual da mulher, que       Que estão amamentando
  poderá desregular se ela
  ficar doente, tiver uma        Que não pode engravidar porque
  emoção forte, uma               correm risco de saude ou de vida
  depressão ou coisa             Que não tem o ciclo menstrual
  semelhante.
                                  regular
Temperatura Corporal Basal
 A mulher deve verificar a
  sua temperatura corporal
  da mesma maneira( oral,
  vaginal, retal), no mesmo
  horário, todas manhãs,
  antes de se levantar. Ela
  deve aprender a ler o
  termômetro e registrar a
  sua leitura em um gráfico
  especial. A temperatura
  da mulher sobe o,2° a
  0,5°C no período após a
  ovulação
  (aproximadamente no
  meio do ciclo menstrual,
  para muitas mulheres).
Muco cervical ou Método de
  Billings
 Baseia-se na ocorrência de modificação cíclicas no muco cervical, através
  das quais as mulheres podem observar a se estão no período fértil. Neste
  caso a mulher deve pesquisar a presença do muco todos os
  dias, observando atentamente a sensação ocasionada pelo
  mesmo, buscando perceber claramente as mudanças progressivas que
  ocorrem. É importante interromper a atividade sexual ao menor sinal da
  presença do muco, após o período de secura vaginal que normalmente
  sucede à menstruação.
Vantagens
 é fácil de usar;
 simples de aprender;
 não necessita de drogas ou dispositivos;
 não apresenta efeitos colaterais;
 pode ser usado em qualquer etapa da vida fértil da
  mulher (amamentação, stress, pré-menopausa...);
 é moralmente aceito em todas as culturas;
 pode ser usado por mulheres cegas e analfabetas;
 o casal divide a responsabilidade no planejamento
  familiar.
Coito interrompido
 Coito interrompido é um método
 de contracepção no qual, durante a relação
 sexual, o pênis é removido da vagina logo antes
 da ejaculação, impedindo a deposição de sêmen no
 interior da vagina. Este método tem sido utilizado
 amplamente pelos últimos 2.000 anos e seu uso em
 1991 foi estimado em 38 milhões de casais em todo o
 mundo. As taxas de falha observadas de coito
 interrompido variam dependendo da população
 estudada: estudos mostraram taxas de falhas de 15-28%
 por ano
Vantagens
 A vantagem do coito interrompido é a de que pode ser
  utilizado por qualquer pessoa que tiver vontade ou não
  tiver acesso a outras formas de contracepção. (Alguns
 homens preferem fazer isso de modo que eles protejam
 suas parceiras dos possíveis efeitos adversos dos
 contraceptivos.)[ Este método não tem custos, não
 requer dispositivos artificiais, não têm efeitos colaterais
 físicos, e pode ser praticado sem a prescrição ou consulta
 médica.
Desvantagens
 O coito interrompido não é eficiente na prevenção
  de DSTs, como HIV, já que o pré-ejaculado pode carregar
  partículas de vírus ou bactérias que podem infectar o
  parceiro se este fluido entrar em contato com membranas
  mucosas. Entretanto, a redução no volume dos fluidos
  corporais trocados durante a relação sexual pode reduzir a
  propensão da transmissão de doenças devido ao menor
  número de patógenos presentes.
 Este método pode ser difícil para alguns homens utilizar. A
  interrupção da relação sexual pode deixar os parceiros
  insatisfeitos, como alguns homens relataram que o ato é
  análogo a sair de um cinema um pouco antes do grande
  final de um bom filme.
Prevalência
 Mundialmente, 3% das mulheres em idade fértil
  confiam no método do coito interrompido como seu
  método contraceptivo primário. A popularidade
  regional do método varia amplamente, de uma baixa
  taxa de 1% no continente Africano até 16% na Ásia
  Ocidental. (Dados de pesquisas da década de 1990.)
 Nos Estados Unidos, 56% das mulheres em idade
  reprodutiva já tiveram um parceiro que usava o coito
  interrompido. Em 2002, 2,5% estavam usando o coito
  interrompido como seu método primário de
  contracepção
Bibliografia
 http://pt.wikipedia.org/wiki/Coito_interrompido
 http://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A9todo_de_ovul
  a%C3%A7%C3%A3o_Billings
 http://www.afh.bio.br/reprod/reprod8.asp
 https://brasileiro.tripod.com/Metodos/Index.html
 http://boasauda.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDoc
  lD=3951&ReturnCaltD=17

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Métodos contraceptivos naturais
Métodos contraceptivos naturaisMétodos contraceptivos naturais
Métodos contraceptivos naturais
Alice Cruz
 
Métodos Anticoncepcionais
Métodos AnticoncepcionaisMétodos Anticoncepcionais
Métodos Anticoncepcionais
fabiozb
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
Isabel Lopes
 
biologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivosbiologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivos
Daniela Filipa Sousa
 
Metodos contraceptivos barreira
Metodos contraceptivos barreiraMetodos contraceptivos barreira
Metodos contraceptivos barreira
gracindabento
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
Razvan Balaci
 
Gravidez na Adolescência
Gravidez na AdolescênciaGravidez na Adolescência
Gravidez na Adolescência
Michele Pó
 
Gravidez na Adolescência
Gravidez na AdolescênciaGravidez na Adolescência
Gravidez na Adolescência
LuisMagina
 
Métodos Contracetivos Naturais
Métodos Contracetivos NaturaisMétodos Contracetivos Naturais
Métodos Contracetivos Naturais
gabinetedossegredos
 
Métodos naturais e métodos não naturais
Métodos naturais e métodos não naturaisMétodos naturais e métodos não naturais
Métodos naturais e métodos não naturais
Gonçalo Gonçalves
 
Contraceptivos
ContraceptivosContraceptivos
Contraceptivos
Eunice Palma
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
Paulo Gomes
 
Apresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionaisApresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionais
joao11batista
 
MéTodos Contraceptivos
MéTodos ContraceptivosMéTodos Contraceptivos
MéTodos Contraceptivos
veronicasilva
 
Métodos contraceptivos trabalho internato
Métodos contraceptivos   trabalho internatoMétodos contraceptivos   trabalho internato
Métodos contraceptivos trabalho internato
Thiago Henrique
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
jluis505
 
Metodos Naturais
Metodos Naturais Metodos Naturais
Metodos Naturais
DarkWolf
 
Métodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonaisMétodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonais
zeopas
 
Métodos contraceptivos 9º ano
Métodos contraceptivos 9º anoMétodos contraceptivos 9º ano
Métodos contraceptivos 9º ano
Sofia Ribeiro
 
Seminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 anoSeminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 ano
NTE RJ14/SEEDUC RJ
 

Mais procurados (20)

Métodos contraceptivos naturais
Métodos contraceptivos naturaisMétodos contraceptivos naturais
Métodos contraceptivos naturais
 
Métodos Anticoncepcionais
Métodos AnticoncepcionaisMétodos Anticoncepcionais
Métodos Anticoncepcionais
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
biologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivosbiologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivos
 
Metodos contraceptivos barreira
Metodos contraceptivos barreiraMetodos contraceptivos barreira
Metodos contraceptivos barreira
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
Gravidez na Adolescência
Gravidez na AdolescênciaGravidez na Adolescência
Gravidez na Adolescência
 
Gravidez na Adolescência
Gravidez na AdolescênciaGravidez na Adolescência
Gravidez na Adolescência
 
Métodos Contracetivos Naturais
Métodos Contracetivos NaturaisMétodos Contracetivos Naturais
Métodos Contracetivos Naturais
 
Métodos naturais e métodos não naturais
Métodos naturais e métodos não naturaisMétodos naturais e métodos não naturais
Métodos naturais e métodos não naturais
 
Contraceptivos
ContraceptivosContraceptivos
Contraceptivos
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Apresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionaisApresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionais
 
MéTodos Contraceptivos
MéTodos ContraceptivosMéTodos Contraceptivos
MéTodos Contraceptivos
 
Métodos contraceptivos trabalho internato
Métodos contraceptivos   trabalho internatoMétodos contraceptivos   trabalho internato
Métodos contraceptivos trabalho internato
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
 
Metodos Naturais
Metodos Naturais Metodos Naturais
Metodos Naturais
 
Métodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonaisMétodos contraceptivos hormonais
Métodos contraceptivos hormonais
 
Métodos contraceptivos 9º ano
Métodos contraceptivos 9º anoMétodos contraceptivos 9º ano
Métodos contraceptivos 9º ano
 
Seminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 anoSeminário métodos contraceptivos 8 ano
Seminário métodos contraceptivos 8 ano
 

Semelhante a Métodos anticoncepcionais naturais

Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
Gerson Melo
 
Gravidez na Adolescencia
Gravidez  na AdolescenciaGravidez  na Adolescencia
Gravidez na Adolescencia
Larissa Averna
 
Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescênciaSexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência
Ana Paula Silva
 
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.pptmtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
NAYRARAFAELAVIDO
 
MéTodos Contraceptivos
MéTodos  ContraceptivosMéTodos  Contraceptivos
MéTodos Contraceptivos
tiafer96
 
Métodos contracetivos; trabalhos de alunos
Métodos contracetivos; trabalhos de alunos Métodos contracetivos; trabalhos de alunos
Métodos contracetivos; trabalhos de alunos
Sofia Ribeiro
 
Métodos 8°b
Métodos 8°bMétodos 8°b
Métodos 8°b
Rosário Souza
 
Métodos 8°b
Métodos 8°bMétodos 8°b
Métodos 8°b
Rosário Souza
 
Folheto Gravidez na adolescencia
Folheto Gravidez na adolescenciaFolheto Gravidez na adolescencia
Folheto Gravidez na adolescencia
Dessa Reis
 
Métodos contraceptivos humanos
Métodos contraceptivos humanosMétodos contraceptivos humanos
Métodos contraceptivos humanos
Clécio Bubela
 
ApresentaçãO2
ApresentaçãO2ApresentaçãO2
ApresentaçãO2
biocientistas
 
Métodos Naturais
Métodos NaturaisMétodos Naturais
Métodos Naturais
biocientistas
 
56984013-Metodos-Contraceptivos-Slides.ppt
56984013-Metodos-Contraceptivos-Slides.ppt56984013-Metodos-Contraceptivos-Slides.ppt
56984013-Metodos-Contraceptivos-Slides.ppt
enferikarodrigues
 
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-35 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
Pelo Siro
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
emrcja
 
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Pelo Siro
 
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, VitorMétodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
jluis505
 
Rita silva metodos_contraceptivos_naturais
Rita silva metodos_contraceptivos_naturaisRita silva metodos_contraceptivos_naturais
Rita silva metodos_contraceptivos_naturais
Cláudia Bonifácio
 

Semelhante a Métodos anticoncepcionais naturais (20)

Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
 
Gravidez na Adolescencia
Gravidez  na AdolescenciaGravidez  na Adolescencia
Gravidez na Adolescencia
 
Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescênciaSexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência
 
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.pptmtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
mtodos-contraceptivos-1199534859604562-3.ppt
 
MéTodos Contraceptivos
MéTodos  ContraceptivosMéTodos  Contraceptivos
MéTodos Contraceptivos
 
Métodos contracetivos; trabalhos de alunos
Métodos contracetivos; trabalhos de alunos Métodos contracetivos; trabalhos de alunos
Métodos contracetivos; trabalhos de alunos
 
Métodos 8°b
Métodos 8°bMétodos 8°b
Métodos 8°b
 
Métodos 8°b
Métodos 8°bMétodos 8°b
Métodos 8°b
 
Folheto Gravidez na adolescencia
Folheto Gravidez na adolescenciaFolheto Gravidez na adolescencia
Folheto Gravidez na adolescencia
 
Métodos contraceptivos humanos
Métodos contraceptivos humanosMétodos contraceptivos humanos
Métodos contraceptivos humanos
 
ApresentaçãO2
ApresentaçãO2ApresentaçãO2
ApresentaçãO2
 
Métodos Naturais
Métodos NaturaisMétodos Naturais
Métodos Naturais
 
56984013-Metodos-Contraceptivos-Slides.ppt
56984013-Metodos-Contraceptivos-Slides.ppt56984013-Metodos-Contraceptivos-Slides.ppt
56984013-Metodos-Contraceptivos-Slides.ppt
 
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-35 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
 
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
 
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
 
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
Mtodos contraceptivos-1199534859604562-3
 
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, VitorMétodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
 
Rita silva metodos_contraceptivos_naturais
Rita silva metodos_contraceptivos_naturaisRita silva metodos_contraceptivos_naturais
Rita silva metodos_contraceptivos_naturais
 

Último

Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
rickriordan
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
DelcioVumbuca
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
marjoguedes1
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
AmaroAlmeidaChimbala
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
sula31
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Último (6)

Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdfVacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
Vacina, conceito, tipos, produção, aplicaçãopdf
 
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de suturaTipos de pontos e suturas técnicas de sutura
Tipos de pontos e suturas técnicas de sutura
 
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptxSíndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido (SDR).pptx
 
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
5. SISTEMA ENDOCRINO-- (2).pptx florentino
 
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
Programa de Saúde do Adolescente( PROSAD)
 
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
Livro do Instituto da Saúde: amplia visões e direitos no ciclo gravídico-puer...
 

Métodos anticoncepcionais naturais

  • 1. Alunos: Pedro e Felipe N° 7 e 18 Professor : Rodrigo Matéria: Biologia
  • 2. O que são métodos contraceptivos  Métodos anticoncepcionais são formas naturais ou artificiais de se evitar a gravidez. Eles devem ser usados assim que o resolve iniciar um relacionamento mais intimo e deseja evitar a gravidez
  • 3. Para que eles servem?  A prevenção da gestação não planejada é fundamental, principalmente para adolescentes e adultos jovens sexualmente ativos , que devem ser orientados precocemente, uma vez que a idade para inicio das relações sexuais está diminuindo cada vez mais, enquanto estão aumentando o número de adolescentes grávidas.
  • 4. Quais são eles? Como saber qual usar?  A escolha do método  Os métodos contraceptivo deve ser contraceptivos podem sempre personalizada ser divididos lavando-se em conta didaticamente em: fatores como idade, comportamentais, de número de filhos, compreensão e tolerância barreira, dispositivos ao método, desejo de intra-uterino(DIU), procriação e a presença de métodos hormonais e doenças crônicas que cirúrgicos possam agrava-se com o uso de determinado método
  • 5. O que são Métodos Naturais?  Os métodos naturais dispensam medicamentos ou qualquer tipo de aparelho durante a relação sexual. E não protege de nenhuma doença sexualmente transmissível.
  • 6. O que é tabelinha?  A tabelinha consiste em não manter relações sexuais nos dias férteis da mulher (período de ovulação). Num ciclo de 28 dias, o dia fértil é o 14. Para identificar o período fértil por este método é preciso fazer uma observação rigorosa do ciclo menstrual.
  • 7. Como fazer a tabelinha?  Após 6 meses de observação, deve-se calcular a diferença entre ciclo mais curto e o mais longo. Se a diferença for maior que 10 dias, a mulher não pode utilizar a Tabelinha. Exemplos de ciclos:  Ciclo Menor: 27 dias  Ciclo Maior : 31 dias  Diferença: 04 Dias  Devera diminuir 18 dias do ciclo mais curto e depois diminuir 11 do número de dias do ciclo mais longo.
  • 8.  Exemplo:  N° de dias do ciclo mais curto: 27 – 18 = 9  N° de dias do ciclo mais longo: 31 – 11= 20  O período fértil, vai do 9° ao 20° dia do ciclo menstrual. Dessa forma, se não quiser engravidar, ela não poderá manter relação sexual, durante esse período
  • 9. Vantagens e desvantagens da Mulheres que não podem usar a tabelinha tabelinha  Exige um período longo de  Adolescentes observação antes de poder  Que estão entrando na ser usada. menopausa  Não é possível manter relação sexual durante o  Que estão no periodo de 6 meses período fértil. de observação e montagem da  Sua eficácia está tabela relacionada a um  Que pararam a pilula a pouco equilíbrio do ciclo tempo menstrual da mulher, que  Que estão amamentando poderá desregular se ela ficar doente, tiver uma  Que não pode engravidar porque emoção forte, uma correm risco de saude ou de vida depressão ou coisa  Que não tem o ciclo menstrual semelhante. regular
  • 10. Temperatura Corporal Basal  A mulher deve verificar a sua temperatura corporal da mesma maneira( oral, vaginal, retal), no mesmo horário, todas manhãs, antes de se levantar. Ela deve aprender a ler o termômetro e registrar a sua leitura em um gráfico especial. A temperatura da mulher sobe o,2° a 0,5°C no período após a ovulação (aproximadamente no meio do ciclo menstrual, para muitas mulheres).
  • 11. Muco cervical ou Método de Billings  Baseia-se na ocorrência de modificação cíclicas no muco cervical, através das quais as mulheres podem observar a se estão no período fértil. Neste caso a mulher deve pesquisar a presença do muco todos os dias, observando atentamente a sensação ocasionada pelo mesmo, buscando perceber claramente as mudanças progressivas que ocorrem. É importante interromper a atividade sexual ao menor sinal da presença do muco, após o período de secura vaginal que normalmente sucede à menstruação.
  • 12. Vantagens  é fácil de usar;  simples de aprender;  não necessita de drogas ou dispositivos;  não apresenta efeitos colaterais;  pode ser usado em qualquer etapa da vida fértil da mulher (amamentação, stress, pré-menopausa...);  é moralmente aceito em todas as culturas;  pode ser usado por mulheres cegas e analfabetas;  o casal divide a responsabilidade no planejamento familiar.
  • 13. Coito interrompido  Coito interrompido é um método de contracepção no qual, durante a relação sexual, o pênis é removido da vagina logo antes da ejaculação, impedindo a deposição de sêmen no interior da vagina. Este método tem sido utilizado amplamente pelos últimos 2.000 anos e seu uso em 1991 foi estimado em 38 milhões de casais em todo o mundo. As taxas de falha observadas de coito interrompido variam dependendo da população estudada: estudos mostraram taxas de falhas de 15-28% por ano
  • 14. Vantagens  A vantagem do coito interrompido é a de que pode ser utilizado por qualquer pessoa que tiver vontade ou não tiver acesso a outras formas de contracepção. (Alguns homens preferem fazer isso de modo que eles protejam suas parceiras dos possíveis efeitos adversos dos contraceptivos.)[ Este método não tem custos, não requer dispositivos artificiais, não têm efeitos colaterais físicos, e pode ser praticado sem a prescrição ou consulta médica.
  • 15. Desvantagens  O coito interrompido não é eficiente na prevenção de DSTs, como HIV, já que o pré-ejaculado pode carregar partículas de vírus ou bactérias que podem infectar o parceiro se este fluido entrar em contato com membranas mucosas. Entretanto, a redução no volume dos fluidos corporais trocados durante a relação sexual pode reduzir a propensão da transmissão de doenças devido ao menor número de patógenos presentes.  Este método pode ser difícil para alguns homens utilizar. A interrupção da relação sexual pode deixar os parceiros insatisfeitos, como alguns homens relataram que o ato é análogo a sair de um cinema um pouco antes do grande final de um bom filme.
  • 16. Prevalência  Mundialmente, 3% das mulheres em idade fértil confiam no método do coito interrompido como seu método contraceptivo primário. A popularidade regional do método varia amplamente, de uma baixa taxa de 1% no continente Africano até 16% na Ásia Ocidental. (Dados de pesquisas da década de 1990.)  Nos Estados Unidos, 56% das mulheres em idade reprodutiva já tiveram um parceiro que usava o coito interrompido. Em 2002, 2,5% estavam usando o coito interrompido como seu método primário de contracepção
  • 17. Bibliografia  http://pt.wikipedia.org/wiki/Coito_interrompido  http://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A9todo_de_ovul a%C3%A7%C3%A3o_Billings  http://www.afh.bio.br/reprod/reprod8.asp  https://brasileiro.tripod.com/Metodos/Index.html  http://boasauda.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDoc lD=3951&ReturnCaltD=17