SlideShare uma empresa Scribd logo
O MÉTODO CIENTÍFICO
(O falsificacionismo e a crítica de
K. Popper ao método indutivo)
• A problemática sobre o método científico
advém de uma das suas características
• Método indutivo VS. Método hipotético-
dedutivo
O MÉTODO CIENTÍFICO
• A Ciência é metódica;
• Possui uma especificidade
metodológica
O Método indutivo parte dos seguintes pressupostos:
• Os indutivistas defendem que só o conhecimento que resulta deste método
se pode considerar como científico.
É o método indutivo que permite demarcar a ciência de outras formas
de conhecimento.
• Segundo os indutivistas a ciência evolui a partir da acumulação de
novos dados. Na prática, as novas teorias acrescentam
conhecimentos sem alterar a sua estrutura.
• No método indutivo a tónica é colocada na
verificação e confirmação da teoria através
da experiência.
O MÉTODO INDUTIVO
ETAPAS DO MÉTODO
INDUTIVO
O ganso 1 é branco;
O ganso 2 é branco;
O ganso 3 é branco;
O ganso 1000 é branco
Relação entre o ganso
e a cor (Branco)
Compara-se e classifica-
se os fenómenos tentando
aproximá-los ou
estabelecer relações entre
eles.
Todos os gansos são
brancos.
A relação entre o ganso e
a cor é generalizada e
traduzida em lei universal.
Se observo mil gansos e se todos eles são brancos, concluo que todos os gansos
são brancos.
CRÍTICAS AO MÉTODO INDUTIVO
(O problema da indução)
David Hume – Séc. XVIII Karl Popper – Séc. XX
Num argumento indutivo, as premissas não
fornecem supostamente uma garantia de que
a conclusão é verdadeira. As premissas
fornecem apenas indícios de que a conclusão
é verdadeira. Não podemos garantir que o
que aconteça no passado e no presente,
aconteça também no futuro.
A Ciência não se baseia na indução,
progredindo em vez disso através da
“falsificação”“falsificação” de teorias.
“Não é, portanto, a razão o guia da vida, mas
o hábito que por si só determina em todos os
casos a mente a supor o futuro conforme ao
passado”
David Hume, Tratado sobre a Natureza Humana
“Acredito que todos os gansos são brancos,
mas numa visita à Nova Zelândia, vejo um
ganso negro. A minha observação de que
existe um ganso negro falsifica, torna falsa a
minha teoria original de que “todos os gansos
são brancos”.
Popper propõe a substituição do método
indutivo pelo hipotético-dedutivohipotético-dedutivo e o
falsificacionismofalsificacionismo em vez do verificacionismo.
• Para Karl Popper o critério que permite distinguir o conhecimento científico
(ciência) de outras formas de conhecimento (pseudociência – Ex: teoria do
inconsciente de Freud ou o marxismo) é o critério de falsificacionismo.
• O problema da demarcação entre ciências e pseudociências é
resolvido através deste critério.
• Para Popper, o trabalho dos cientistas não se deve centrar na
verificação e confirmação da teoria. Em vez disso, o cientista deve
trabalhar no sentido de falsificar a teoria.
• O trabalho do cientista deve servir para testar a
resistência da hipótese à falsificação. A teoria
será tanto mais válida quanto mais resistir à
sua falsificação.
O MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO
ETAPAS DO MÉTODO
HIPOTÉTICO-DEDUTIVO
Resulta de uma
observação ativa.
O problema surge
em função de um
interesse ou
crença particular.
A formulação de hipóteses
é uma atividade criativa
(resulta de um raciocínio
abdutivo).
As hipóteses são
explicações provisórias
(são conjeturas).
Depois da formulação
das hipóteses, deduz-
se as consequências a
partir delas.
As hipóteses são
testadas,
experimentadas e
confrontadas com a
realidade. Os
resultados podem
confirmar ou
invalidar as
hipóteses.
• Uma das regras do método hipotético-dedutivo é a aplicação do Modus
Tollens:
O MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO
e a aplicação do MODUS TOLLENS
Se P, então Q: P Q
Não Q: ~ Q
Logo, não P: ~ P
Se P implica Q,
Q é falso,
Podemos concluir que P é falso
Todos os gansos são brancos;
O ganso da minha tia devia ser branco,
mas é vermelho;
Logo, a teoria de que todos os gansos são
brancos é falsa.
O método hipotético-dedutivo preconizado por Popper considera dois
pressupostos que permitem distinguir o conhecimento científico dos demais
conhecimentos:
1 – Nenhuma teoria científica pode ser confirmada como sendo verdadeira;
2 – Uma teoria científica só pode ser provada que é falsa.
CRITÉRIO VERIFICACIONISTA
VS
CRITÉRIO FALSIFICACIONISTA
• Para o verificacionismo, a
experiência científica deverá servir
para verificar e confirmar a hipótese.
A tónica é colocada na verificação e
confirmação.
• Segundo o critério verificacionista,
basta um número de casos
particulares para validar a hipótese.
Um conjunto de casos particulares
leva à generalização. A hipótese
“transforma-se” em lei científica.
• Para o falsificacionismo a
experiência científica deverá servir
para falsificar / tornar falsas as
hipóteses.
• Um enunciado será científico se for
passível de ser empiricamente
falsificável.
• Segundo o critério falsificacionista,
uma teoria será tanto mais válida
quanto mais resistir à falsificação.
Critério Verificacionista Critério Falsificacionista
Falsificacionismo de K. Popper
“O método da ciência é o
método de conjeturas
audazes e engenhosas
seguidas de tentativas
rigorosas de falseá-las. Só
sobrevivem as teorias mais
aptas. Nunca se pode dizer
licitamente que uma teoria é
verdadeira, pode-se dizer
com otimismo que é a
melhor disponível, que é
melhor do que qualquer das
que existiam antes.”
K. Popper, Conhecimento
Objetivo (1975)
Falsificacionismo de K. Popper
Para concluir:Para concluir:
(…) «só há um caminho para a ciência:(…) «só há um caminho para a ciência:
encontrar um problema, ver a sua beleza eencontrar um problema, ver a sua beleza e
apaixonar-se por ele; casar e viver feliz comapaixonar-se por ele; casar e viver feliz com
ele até que a morte nos separe – a não serele até que a morte nos separe – a não ser
que obtenhamos uma solução. Mas, mesmoque obtenhamos uma solução. Mas, mesmo
que obtenhamos uma solução, poderemosque obtenhamos uma solução, poderemos
então descobrir, para nosso deleite, aentão descobrir, para nosso deleite, a
existência de toda uma família de problemas-existência de toda uma família de problemas-
filhos, encantadores ainda que talvez difíceis,filhos, encantadores ainda que talvez difíceis,
para cujo bem-estar poderemos trabalhar,para cujo bem-estar poderemos trabalhar,
com um sentido, até ao fim dos nossos dias».com um sentido, até ao fim dos nossos dias».
Karl Popper, “O Futuro está Aberto” (p.3)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Objectividade científica e racionalidade científica
Objectividade científica e racionalidade científicaObjectividade científica e racionalidade científica
Objectividade científica e racionalidade científica
AMLDRP
 
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
InesTeixeiraDuarte
 
Conhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - PopperConhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - Popper
Jorge Barbosa
 
Extração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11º
Extração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11ºExtração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11º
Extração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11º
Francisco Palaio
 
Valor modal das frases
Valor modal das frasesValor modal das frases
Valor modal das frases
nando_reis
 
O que é paradigma segundo thomas kuhn
O que é paradigma segundo thomas kuhnO que é paradigma segundo thomas kuhn
O que é paradigma segundo thomas kuhn
Míria Alves Cirqueira
 
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de PerdiçãoResumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
Alexandre R
 
Relatório de química
Relatório de químicaRelatório de química
Relatório de química
ADSONTORREZANE
 
Karl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º anoKarl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º ano
FilipaFonseca
 
Conhecimento Científico - Kuhn
Conhecimento Científico - KuhnConhecimento Científico - Kuhn
Conhecimento Científico - Kuhn
Jorge Barbosa
 
Hume
HumeHume
Método Científico
Método CientíficoMétodo Científico
Método Científico
margaridabt
 
A filosofia moral de kant
A filosofia moral de kantA filosofia moral de kant
A filosofia moral de kant
Filazambuja
 
O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
António Fernandes
 
David hume e o Empirismo
David hume e o EmpirismoDavid hume e o Empirismo
David hume e o Empirismo
Joana Filipa Rodrigues
 
A ciência normal e a extraordinária
A ciência normal e a extraordináriaA ciência normal e a extraordinária
A ciência normal e a extraordinária
Luis De Sousa Rodrigues
 
Senso Comum e Ciência
Senso Comum e CiênciaSenso Comum e Ciência
Senso Comum e Ciência
Jorge Barbosa
 
O indutivismo
O indutivismoO indutivismo
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Vanda Sousa
 
O que é conhecimento - filosofia
O que é conhecimento - filosofiaO que é conhecimento - filosofia
O que é conhecimento - filosofia
Marcelo Avila
 

Mais procurados (20)

Objectividade científica e racionalidade científica
Objectividade científica e racionalidade científicaObjectividade científica e racionalidade científica
Objectividade científica e racionalidade científica
 
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
Filosofia 10º Ano - O Problema do Livre-Arbítrio
 
Conhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - PopperConhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - Popper
 
Extração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11º
Extração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11ºExtração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11º
Extração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11º
 
Valor modal das frases
Valor modal das frasesValor modal das frases
Valor modal das frases
 
O que é paradigma segundo thomas kuhn
O que é paradigma segundo thomas kuhnO que é paradigma segundo thomas kuhn
O que é paradigma segundo thomas kuhn
 
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de PerdiçãoResumo por Capítulos Amor de Perdição
Resumo por Capítulos Amor de Perdição
 
Relatório de química
Relatório de químicaRelatório de química
Relatório de química
 
Karl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º anoKarl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º ano
 
Conhecimento Científico - Kuhn
Conhecimento Científico - KuhnConhecimento Científico - Kuhn
Conhecimento Científico - Kuhn
 
Hume
HumeHume
Hume
 
Método Científico
Método CientíficoMétodo Científico
Método Científico
 
A filosofia moral de kant
A filosofia moral de kantA filosofia moral de kant
A filosofia moral de kant
 
O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
 
David hume e o Empirismo
David hume e o EmpirismoDavid hume e o Empirismo
David hume e o Empirismo
 
A ciência normal e a extraordinária
A ciência normal e a extraordináriaA ciência normal e a extraordinária
A ciência normal e a extraordinária
 
Senso Comum e Ciência
Senso Comum e CiênciaSenso Comum e Ciência
Senso Comum e Ciência
 
O indutivismo
O indutivismoO indutivismo
O indutivismo
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
 
O que é conhecimento - filosofia
O que é conhecimento - filosofiaO que é conhecimento - filosofia
O que é conhecimento - filosofia
 

Destaque

Slide
SlideSlide
método científico indutivo dedutivo
método científico indutivo dedutivométodo científico indutivo dedutivo
método científico indutivo dedutivo
Lene Gomes
 
Método científico indutivo
Método científico   indutivoMétodo científico   indutivo
Método científico indutivo
Augusto Magalhães
 
21 o método científico
21 o método científico21 o método científico
21 o método científico
Joao Balbi
 
Hermeneutica
Hermeneutica Hermeneutica
Hermeneutica
Nancy Garcia
 
Comparação entre as éticas de kant e de mill
Comparação entre as éticas de kant e de millComparação entre as éticas de kant e de mill
Comparação entre as éticas de kant e de mill
Luis De Sousa Rodrigues
 
A teoria ética utilitarista de mill
A teoria ética utilitarista de millA teoria ética utilitarista de mill
A teoria ética utilitarista de mill
Luis De Sousa Rodrigues
 
ARGUMENTAÇÃO E RETÓRICA
ARGUMENTAÇÃO E RETÓRICAARGUMENTAÇÃO E RETÓRICA
ARGUMENTAÇÃO E RETÓRICA
norberto faria
 
Métodos deductivo y inductivo
 Métodos deductivo y inductivo Métodos deductivo y inductivo
Métodos deductivo y inductivo
Luz Castellano
 
Hermeneutica
HermeneuticaHermeneutica
Hermeneutica
Jenniferbarrios
 
Método_hipotético dedutivo
Método_hipotético dedutivoMétodo_hipotético dedutivo
Método_hipotético dedutivo
Isabel Moura
 
Gêneros textuais no ensino de língua - Marcuschi
Gêneros textuais no ensino de língua - MarcuschiGêneros textuais no ensino de língua - Marcuschi
Gêneros textuais no ensino de língua - Marcuschi
Gabriela Pileggi
 
Método dedutivo.
Método dedutivo.Método dedutivo.
Método dedutivo.
juliannetupinamba
 
Englishteachers2010
Englishteachers2010Englishteachers2010
Englishteachers2010
FALE - UFMG
 
Problema da demarcação - Karl Popper
Problema da demarcação - Karl PopperProblema da demarcação - Karl Popper
Problema da demarcação - Karl Popper
Jair Lucio Prados Ribeiro
 
Popper 11ºN (2009)
Popper 11ºN (2009)Popper 11ºN (2009)
Popper 11ºN (2009)
Joaquim Melro
 
Concepções de mundo e geografia
Concepções de mundo e geografiaConcepções de mundo e geografia
Concepções de mundo e geografia
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Popper e a indução
Popper e a induçãoPopper e a indução
Popper e a indução
Luis De Sousa Rodrigues
 
Gaston bachelard - Seminario
Gaston bachelard - SeminarioGaston bachelard - Seminario
Gaston bachelard - Seminario
J. Naury N. Oliveira
 

Destaque (20)

Slide
SlideSlide
Slide
 
método científico indutivo dedutivo
método científico indutivo dedutivométodo científico indutivo dedutivo
método científico indutivo dedutivo
 
Método científico indutivo
Método científico   indutivoMétodo científico   indutivo
Método científico indutivo
 
21 o método científico
21 o método científico21 o método científico
21 o método científico
 
Hermeneutica
Hermeneutica Hermeneutica
Hermeneutica
 
Comparação entre as éticas de kant e de mill
Comparação entre as éticas de kant e de millComparação entre as éticas de kant e de mill
Comparação entre as éticas de kant e de mill
 
A teoria ética utilitarista de mill
A teoria ética utilitarista de millA teoria ética utilitarista de mill
A teoria ética utilitarista de mill
 
ARGUMENTAÇÃO E RETÓRICA
ARGUMENTAÇÃO E RETÓRICAARGUMENTAÇÃO E RETÓRICA
ARGUMENTAÇÃO E RETÓRICA
 
Métodos deductivo y inductivo
 Métodos deductivo y inductivo Métodos deductivo y inductivo
Métodos deductivo y inductivo
 
Hermeneutica
HermeneuticaHermeneutica
Hermeneutica
 
Método_hipotético dedutivo
Método_hipotético dedutivoMétodo_hipotético dedutivo
Método_hipotético dedutivo
 
Gêneros textuais no ensino de língua - Marcuschi
Gêneros textuais no ensino de língua - MarcuschiGêneros textuais no ensino de língua - Marcuschi
Gêneros textuais no ensino de língua - Marcuschi
 
Método dedutivo.
Método dedutivo.Método dedutivo.
Método dedutivo.
 
Popper contra o indutivismo
Popper contra o indutivismoPopper contra o indutivismo
Popper contra o indutivismo
 
Englishteachers2010
Englishteachers2010Englishteachers2010
Englishteachers2010
 
Problema da demarcação - Karl Popper
Problema da demarcação - Karl PopperProblema da demarcação - Karl Popper
Problema da demarcação - Karl Popper
 
Popper 11ºN (2009)
Popper 11ºN (2009)Popper 11ºN (2009)
Popper 11ºN (2009)
 
Concepções de mundo e geografia
Concepções de mundo e geografiaConcepções de mundo e geografia
Concepções de mundo e geografia
 
Popper e a indução
Popper e a induçãoPopper e a indução
Popper e a indução
 
Gaston bachelard - Seminario
Gaston bachelard - SeminarioGaston bachelard - Seminario
Gaston bachelard - Seminario
 

Semelhante a Método indutivo vs hipotetico dedutivo

Popper
PopperPopper
11º b final
11º b   final11º b   final
11º b final
j_sdias
 
Popper
PopperPopper
O que e ciencia afinal
O que e ciencia afinalO que e ciencia afinal
O que e ciencia afinal
Ivo Mai
 
Método Científico em 6 passos
Método Científico em 6 passosMétodo Científico em 6 passos
Método Científico em 6 passos
Thiago Xavier
 
Construção da ciência
Construção da ciênciaConstrução da ciência
Construção da ciência
MariaSantos508206
 
eqt11_estatuto_conhecimento_cientifico.pptx
eqt11_estatuto_conhecimento_cientifico.pptxeqt11_estatuto_conhecimento_cientifico.pptx
eqt11_estatuto_conhecimento_cientifico.pptx
MnicaMatos22
 
Karl Popper e o Falsificacionismo
Karl Popper e o FalsificacionismoKarl Popper e o Falsificacionismo
Karl Popper e o Falsificacionismo
guestbdb4ab6
 
O conhecimento e a lógica
O conhecimento e a lógicaO conhecimento e a lógica
O conhecimento e a lógica
Arlindo Picoli
 
MÉTODO CIENTÍFICO.pptx
MÉTODO CIENTÍFICO.pptxMÉTODO CIENTÍFICO.pptx
MÉTODO CIENTÍFICO.pptx
TixaAlmeida
 
Verificab..
Verificab..Verificab..
Verificab..
pyteroliva
 
A01 +metodologia+cientifica
A01 +metodologia+cientificaA01 +metodologia+cientifica
A01 +metodologia+cientifica
Adriana Guimarães
 
Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01
Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01
Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01
MARISTA , UVA, FIC, FAINTER, GÊNESIS
 
Ciência
CiênciaCiência
16 o método científico
16 o método científico16 o método científico
16 o método científico
Joao Balbi
 
filosofia cartazes.docx
filosofia cartazes.docxfilosofia cartazes.docx
filosofia cartazes.docx
BolachinhaMaria1
 
REA_DOSSIE SOBRE A FILOSOFIA DA CIENCIA DE KARL POPPER.docx
REA_DOSSIE SOBRE A FILOSOFIA DA CIENCIA DE KARL POPPER.docxREA_DOSSIE SOBRE A FILOSOFIA DA CIENCIA DE KARL POPPER.docx
REA_DOSSIE SOBRE A FILOSOFIA DA CIENCIA DE KARL POPPER.docx
ElianeMacedo22
 
Epistemologia20032007empowerpoint
Epistemologia20032007empowerpointEpistemologia20032007empowerpoint
Epistemologia20032007empowerpoint
amajordao
 
Fontes de Info em C&T - Labjor/Unicamp - Aula 4
Fontes de Info em C&T - Labjor/Unicamp - Aula 4Fontes de Info em C&T - Labjor/Unicamp - Aula 4
Fontes de Info em C&T - Labjor/Unicamp - Aula 4
Marcelo Knobel
 
Metodologia cientíca - tipos de método
Metodologia cientíca - tipos de métodoMetodologia cientíca - tipos de método
Metodologia cientíca - tipos de método
Letícia Oliveira
 

Semelhante a Método indutivo vs hipotetico dedutivo (20)

Popper
PopperPopper
Popper
 
11º b final
11º b   final11º b   final
11º b final
 
Popper
PopperPopper
Popper
 
O que e ciencia afinal
O que e ciencia afinalO que e ciencia afinal
O que e ciencia afinal
 
Método Científico em 6 passos
Método Científico em 6 passosMétodo Científico em 6 passos
Método Científico em 6 passos
 
Construção da ciência
Construção da ciênciaConstrução da ciência
Construção da ciência
 
eqt11_estatuto_conhecimento_cientifico.pptx
eqt11_estatuto_conhecimento_cientifico.pptxeqt11_estatuto_conhecimento_cientifico.pptx
eqt11_estatuto_conhecimento_cientifico.pptx
 
Karl Popper e o Falsificacionismo
Karl Popper e o FalsificacionismoKarl Popper e o Falsificacionismo
Karl Popper e o Falsificacionismo
 
O conhecimento e a lógica
O conhecimento e a lógicaO conhecimento e a lógica
O conhecimento e a lógica
 
MÉTODO CIENTÍFICO.pptx
MÉTODO CIENTÍFICO.pptxMÉTODO CIENTÍFICO.pptx
MÉTODO CIENTÍFICO.pptx
 
Verificab..
Verificab..Verificab..
Verificab..
 
A01 +metodologia+cientifica
A01 +metodologia+cientificaA01 +metodologia+cientifica
A01 +metodologia+cientifica
 
Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01
Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01
Apresentaomtodohipottico dedutivo-131102095730-phpapp01
 
Ciência
CiênciaCiência
Ciência
 
16 o método científico
16 o método científico16 o método científico
16 o método científico
 
filosofia cartazes.docx
filosofia cartazes.docxfilosofia cartazes.docx
filosofia cartazes.docx
 
REA_DOSSIE SOBRE A FILOSOFIA DA CIENCIA DE KARL POPPER.docx
REA_DOSSIE SOBRE A FILOSOFIA DA CIENCIA DE KARL POPPER.docxREA_DOSSIE SOBRE A FILOSOFIA DA CIENCIA DE KARL POPPER.docx
REA_DOSSIE SOBRE A FILOSOFIA DA CIENCIA DE KARL POPPER.docx
 
Epistemologia20032007empowerpoint
Epistemologia20032007empowerpointEpistemologia20032007empowerpoint
Epistemologia20032007empowerpoint
 
Fontes de Info em C&T - Labjor/Unicamp - Aula 4
Fontes de Info em C&T - Labjor/Unicamp - Aula 4Fontes de Info em C&T - Labjor/Unicamp - Aula 4
Fontes de Info em C&T - Labjor/Unicamp - Aula 4
 
Metodologia cientíca - tipos de método
Metodologia cientíca - tipos de métodoMetodologia cientíca - tipos de método
Metodologia cientíca - tipos de método
 

Mais de j_sdias

Ppt 11º c
Ppt 11º cPpt 11º c
Ppt 11º c
j_sdias
 
Joana ribeiro
Joana ribeiroJoana ribeiro
Joana ribeiro
j_sdias
 
Francisca cardoso
Francisca cardosoFrancisca cardoso
Francisca cardoso
j_sdias
 
Maria pontes
Maria pontesMaria pontes
Maria pontes
j_sdias
 
Assistências rafaela francisca cardoso
Assistências rafaela francisca cardosoAssistências rafaela francisca cardoso
Assistências rafaela francisca cardoso
j_sdias
 
Regência 18 francisca cardoso
Regência 18 francisca cardosoRegência 18 francisca cardoso
Regência 18 francisca cardoso
j_sdias
 
Regência 16 e 17 francisca cardoso
Regência 16 e 17 francisca cardosoRegência 16 e 17 francisca cardoso
Regência 16 e 17 francisca cardoso
j_sdias
 
Regência 14 e 15 francisca cardoso
Regência 14 e 15 francisca cardosoRegência 14 e 15 francisca cardoso
Regência 14 e 15 francisca cardoso
j_sdias
 
Heteroavaliação regência-18
Heteroavaliação regência-18Heteroavaliação regência-18
Heteroavaliação regência-18
j_sdias
 
Heteroavaliação regência-14-e-15
Heteroavaliação regência-14-e-15Heteroavaliação regência-14-e-15
Heteroavaliação regência-14-e-15
j_sdias
 
Ficha de heteroavaliação joana r ibeiro 3.
Ficha de heteroavaliação joana r ibeiro 3.Ficha de heteroavaliação joana r ibeiro 3.
Ficha de heteroavaliação joana r ibeiro 3.
j_sdias
 
Ficha de heteroavaliação joana ribeiro 2.
Ficha de heteroavaliação joana ribeiro 2.Ficha de heteroavaliação joana ribeiro 2.
Ficha de heteroavaliação joana ribeiro 2.
j_sdias
 
Ficha de heteroavaliação joana ribeiro 1
Ficha de heteroavaliação joana ribeiro   1Ficha de heteroavaliação joana ribeiro   1
Ficha de heteroavaliação joana ribeiro 1
j_sdias
 
Heteroavaliação maria pontes 2.
Heteroavaliação maria pontes 2.Heteroavaliação maria pontes 2.
Heteroavaliação maria pontes 2.
j_sdias
 
Heteroavaliação maria pontes 3.
Heteroavaliação maria pontes 3.Heteroavaliação maria pontes 3.
Heteroavaliação maria pontes 3.
j_sdias
 
Heteroavaliação maria pontes 1
Heteroavaliação maria pontes   1Heteroavaliação maria pontes   1
Heteroavaliação maria pontes 1
j_sdias
 
Auto avaliação 3
Auto avaliação 3Auto avaliação 3
Auto avaliação 3
j_sdias
 
Auto avaliação 2
Auto avaliação 2Auto avaliação 2
Auto avaliação 2
j_sdias
 
Auto avaliação 1
Auto avaliação  1Auto avaliação  1
Auto avaliação 1
j_sdias
 
Nota nº de aulas lecionadas
Nota   nº de aulas lecionadasNota   nº de aulas lecionadas
Nota nº de aulas lecionadas
j_sdias
 

Mais de j_sdias (20)

Ppt 11º c
Ppt 11º cPpt 11º c
Ppt 11º c
 
Joana ribeiro
Joana ribeiroJoana ribeiro
Joana ribeiro
 
Francisca cardoso
Francisca cardosoFrancisca cardoso
Francisca cardoso
 
Maria pontes
Maria pontesMaria pontes
Maria pontes
 
Assistências rafaela francisca cardoso
Assistências rafaela francisca cardosoAssistências rafaela francisca cardoso
Assistências rafaela francisca cardoso
 
Regência 18 francisca cardoso
Regência 18 francisca cardosoRegência 18 francisca cardoso
Regência 18 francisca cardoso
 
Regência 16 e 17 francisca cardoso
Regência 16 e 17 francisca cardosoRegência 16 e 17 francisca cardoso
Regência 16 e 17 francisca cardoso
 
Regência 14 e 15 francisca cardoso
Regência 14 e 15 francisca cardosoRegência 14 e 15 francisca cardoso
Regência 14 e 15 francisca cardoso
 
Heteroavaliação regência-18
Heteroavaliação regência-18Heteroavaliação regência-18
Heteroavaliação regência-18
 
Heteroavaliação regência-14-e-15
Heteroavaliação regência-14-e-15Heteroavaliação regência-14-e-15
Heteroavaliação regência-14-e-15
 
Ficha de heteroavaliação joana r ibeiro 3.
Ficha de heteroavaliação joana r ibeiro 3.Ficha de heteroavaliação joana r ibeiro 3.
Ficha de heteroavaliação joana r ibeiro 3.
 
Ficha de heteroavaliação joana ribeiro 2.
Ficha de heteroavaliação joana ribeiro 2.Ficha de heteroavaliação joana ribeiro 2.
Ficha de heteroavaliação joana ribeiro 2.
 
Ficha de heteroavaliação joana ribeiro 1
Ficha de heteroavaliação joana ribeiro   1Ficha de heteroavaliação joana ribeiro   1
Ficha de heteroavaliação joana ribeiro 1
 
Heteroavaliação maria pontes 2.
Heteroavaliação maria pontes 2.Heteroavaliação maria pontes 2.
Heteroavaliação maria pontes 2.
 
Heteroavaliação maria pontes 3.
Heteroavaliação maria pontes 3.Heteroavaliação maria pontes 3.
Heteroavaliação maria pontes 3.
 
Heteroavaliação maria pontes 1
Heteroavaliação maria pontes   1Heteroavaliação maria pontes   1
Heteroavaliação maria pontes 1
 
Auto avaliação 3
Auto avaliação 3Auto avaliação 3
Auto avaliação 3
 
Auto avaliação 2
Auto avaliação 2Auto avaliação 2
Auto avaliação 2
 
Auto avaliação 1
Auto avaliação  1Auto avaliação  1
Auto avaliação 1
 
Nota nº de aulas lecionadas
Nota   nº de aulas lecionadasNota   nº de aulas lecionadas
Nota nº de aulas lecionadas
 

Último

Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Maurício Bratz
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FredFringeFringeDola
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdfPrimeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
Primeira fase do modernismo Mapa Mental.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 

Método indutivo vs hipotetico dedutivo

  • 1. O MÉTODO CIENTÍFICO (O falsificacionismo e a crítica de K. Popper ao método indutivo)
  • 2. • A problemática sobre o método científico advém de uma das suas características • Método indutivo VS. Método hipotético- dedutivo O MÉTODO CIENTÍFICO • A Ciência é metódica; • Possui uma especificidade metodológica
  • 3. O Método indutivo parte dos seguintes pressupostos: • Os indutivistas defendem que só o conhecimento que resulta deste método se pode considerar como científico. É o método indutivo que permite demarcar a ciência de outras formas de conhecimento. • Segundo os indutivistas a ciência evolui a partir da acumulação de novos dados. Na prática, as novas teorias acrescentam conhecimentos sem alterar a sua estrutura. • No método indutivo a tónica é colocada na verificação e confirmação da teoria através da experiência. O MÉTODO INDUTIVO
  • 4. ETAPAS DO MÉTODO INDUTIVO O ganso 1 é branco; O ganso 2 é branco; O ganso 3 é branco; O ganso 1000 é branco Relação entre o ganso e a cor (Branco) Compara-se e classifica- se os fenómenos tentando aproximá-los ou estabelecer relações entre eles. Todos os gansos são brancos. A relação entre o ganso e a cor é generalizada e traduzida em lei universal. Se observo mil gansos e se todos eles são brancos, concluo que todos os gansos são brancos.
  • 5. CRÍTICAS AO MÉTODO INDUTIVO (O problema da indução) David Hume – Séc. XVIII Karl Popper – Séc. XX Num argumento indutivo, as premissas não fornecem supostamente uma garantia de que a conclusão é verdadeira. As premissas fornecem apenas indícios de que a conclusão é verdadeira. Não podemos garantir que o que aconteça no passado e no presente, aconteça também no futuro. A Ciência não se baseia na indução, progredindo em vez disso através da “falsificação”“falsificação” de teorias. “Não é, portanto, a razão o guia da vida, mas o hábito que por si só determina em todos os casos a mente a supor o futuro conforme ao passado” David Hume, Tratado sobre a Natureza Humana “Acredito que todos os gansos são brancos, mas numa visita à Nova Zelândia, vejo um ganso negro. A minha observação de que existe um ganso negro falsifica, torna falsa a minha teoria original de que “todos os gansos são brancos”. Popper propõe a substituição do método indutivo pelo hipotético-dedutivohipotético-dedutivo e o falsificacionismofalsificacionismo em vez do verificacionismo.
  • 6. • Para Karl Popper o critério que permite distinguir o conhecimento científico (ciência) de outras formas de conhecimento (pseudociência – Ex: teoria do inconsciente de Freud ou o marxismo) é o critério de falsificacionismo. • O problema da demarcação entre ciências e pseudociências é resolvido através deste critério. • Para Popper, o trabalho dos cientistas não se deve centrar na verificação e confirmação da teoria. Em vez disso, o cientista deve trabalhar no sentido de falsificar a teoria. • O trabalho do cientista deve servir para testar a resistência da hipótese à falsificação. A teoria será tanto mais válida quanto mais resistir à sua falsificação. O MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO
  • 7. ETAPAS DO MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO Resulta de uma observação ativa. O problema surge em função de um interesse ou crença particular. A formulação de hipóteses é uma atividade criativa (resulta de um raciocínio abdutivo). As hipóteses são explicações provisórias (são conjeturas). Depois da formulação das hipóteses, deduz- se as consequências a partir delas. As hipóteses são testadas, experimentadas e confrontadas com a realidade. Os resultados podem confirmar ou invalidar as hipóteses.
  • 8. • Uma das regras do método hipotético-dedutivo é a aplicação do Modus Tollens: O MÉTODO HIPOTÉTICO-DEDUTIVO e a aplicação do MODUS TOLLENS Se P, então Q: P Q Não Q: ~ Q Logo, não P: ~ P Se P implica Q, Q é falso, Podemos concluir que P é falso Todos os gansos são brancos; O ganso da minha tia devia ser branco, mas é vermelho; Logo, a teoria de que todos os gansos são brancos é falsa. O método hipotético-dedutivo preconizado por Popper considera dois pressupostos que permitem distinguir o conhecimento científico dos demais conhecimentos: 1 – Nenhuma teoria científica pode ser confirmada como sendo verdadeira; 2 – Uma teoria científica só pode ser provada que é falsa.
  • 9. CRITÉRIO VERIFICACIONISTA VS CRITÉRIO FALSIFICACIONISTA • Para o verificacionismo, a experiência científica deverá servir para verificar e confirmar a hipótese. A tónica é colocada na verificação e confirmação. • Segundo o critério verificacionista, basta um número de casos particulares para validar a hipótese. Um conjunto de casos particulares leva à generalização. A hipótese “transforma-se” em lei científica. • Para o falsificacionismo a experiência científica deverá servir para falsificar / tornar falsas as hipóteses. • Um enunciado será científico se for passível de ser empiricamente falsificável. • Segundo o critério falsificacionista, uma teoria será tanto mais válida quanto mais resistir à falsificação. Critério Verificacionista Critério Falsificacionista
  • 10. Falsificacionismo de K. Popper “O método da ciência é o método de conjeturas audazes e engenhosas seguidas de tentativas rigorosas de falseá-las. Só sobrevivem as teorias mais aptas. Nunca se pode dizer licitamente que uma teoria é verdadeira, pode-se dizer com otimismo que é a melhor disponível, que é melhor do que qualquer das que existiam antes.” K. Popper, Conhecimento Objetivo (1975)
  • 11. Falsificacionismo de K. Popper Para concluir:Para concluir: (…) «só há um caminho para a ciência:(…) «só há um caminho para a ciência: encontrar um problema, ver a sua beleza eencontrar um problema, ver a sua beleza e apaixonar-se por ele; casar e viver feliz comapaixonar-se por ele; casar e viver feliz com ele até que a morte nos separe – a não serele até que a morte nos separe – a não ser que obtenhamos uma solução. Mas, mesmoque obtenhamos uma solução. Mas, mesmo que obtenhamos uma solução, poderemosque obtenhamos uma solução, poderemos então descobrir, para nosso deleite, aentão descobrir, para nosso deleite, a existência de toda uma família de problemas-existência de toda uma família de problemas- filhos, encantadores ainda que talvez difíceis,filhos, encantadores ainda que talvez difíceis, para cujo bem-estar poderemos trabalhar,para cujo bem-estar poderemos trabalhar, com um sentido, até ao fim dos nossos dias».com um sentido, até ao fim dos nossos dias». Karl Popper, “O Futuro está Aberto” (p.3)