SlideShare uma empresa Scribd logo
MST – Video de Introdução




   http://youtu.be/_yFHNZycDUY




                                 1
O Humano no MST e o MST no Humano

Universidade Cruzeiro do Sul – Psicologia comunitária
Alunos:
Orlando da Silva Souza        RGM: 89351-0
Cláudio Gilberto da Silva     RGM: 85363-1
Elerson Luis da Silva         RGM: 85905-2

Supervisão: Prof. Dr. Mario de Souza Costa

                                                        2
Fundação
                           O MST foi fundado em 1984 a partir de um encontro Nacional
                           realizado em Cascavel no Paraná, entre os camponeses da
                           região que já vinham realizando ocupações em contestação ao
                           autoritarismo que os oprimiam.

                           o Lutar pela terra
                           o Lutar pela reforma agrária
                           o Lutar por mudanças sociais no país



Participantes do Movimento
o Posseiros
o Migrantes
o Meeiros e Pequenos agricultores

Fatores da opressão
o   Ditadura militar
o   Privação do direito de produzir alimentos
o   Alagamento do solo pelas barragens de hidroelétricas
o   Uso massivo e mecanizado de agratóxicos


                                                                                     3
A BANDEIRA DO MST




Cor vermelha: Representa o sangue que corre em nossas veias
Cor branca: Representa a paz pela qual lutamos
Cor verde: Representa a esperança de vitória a cada latifúndio que conquistamos
Cor preta: Representa o nosso luto e a nossa homenagem a todos os
trabalhadores e trabalhadoras que tombaram, lutando pela nova sociedade
Mapa do Brasil: Representa que o MST está organizado nacionalmente
Trabalhador e Trabalhadora: Representa a necessidade da luta ser feita por
mulheres e homens, pelas famílias inteiras
Facão: Representa as nossas ferramentas de trabalho, de luta e de resistência

                                                                                  4
PRIMEIRA VISITA AO ASSENTAMENTO




                                  5
1ª Visita ao assentamento
        Agradecimentos ao Alexandre e ao Pedro militantes no
        movimento a mais de dez anos, pela recepção e por tudo o que
        nos informaram sobre o MST.




De acordo com Alexandre e Pedro o local ocupado pertence a
sabesp estava destinado a implantação de um “lixão” pela
prefeitura

                                                                  6
1ª Visita ao assentamento
Durante o diálogo aberto foi exposto por Alexandre e Pedro, a
história, o fundamento e os objetivos do movimento




                                                                7
1ª Visita ao assentamento
Houve debate sobre a visão externa ao movimento e a força da
mídia contraditória, entre outros




                                                           8
1ª Visita ao assentamento
Conhecendo a área que localiza-se na cidade de perús.




                                                        9
1ª Visita ao assentamento
Conhecendo o projeto da casa ecológica que está sendo
contruida pelo Alexandre e Pedro




                                                        10
HISTÓRICO DE LUTAS




                     1
Principais Lutas e conquistas
1979 – Centenas de agricultores ocupam as Granjas Macali e Brilhante, no Rio
Grande do Sul.
1981 – Um novo acampamento surge próximo a estas áreas: A Encruzilhada
Natalino.




                                                                               12
1985 – O Plano Nacional de Reforma Agrária (PNRA) previa assentar 1,4
milhão de famílias, porém, fracassou.

1990 – Foi aprovada a Lei Agrária 8.629 pelo vice presidente Itamar Franco.
Eliminando vieses jurídicos que impossibilitassem desapropriações.

1995 – Massacre de Corumbiara em Rondônia.

1996 – Massacre de Eldorado dos Carajás, no Pará.

1997 – Marcha Nacional pelo emprego e Reforma Agrária quando 100 mil
pessoas receberam o MST em Brasília.




                                                                              13
1ª Fase: Ocupação




O MST tem 90 mil famílias acampadas (aproximadamente 400 mil pessoas),
vivendo em mais de mil acampamentos, distribuídos em 23 Estados e no
Distrito Federal.
                                                                         14
2ª Fase: Produção
    Assentamentos: espaço de vida, trabalho e produção




Uma das principais contribuições dos assentamentos do MST para a
sociedade brasileira foi cumprir o compromisso de produzir arroz, feijão, leite,
queijo, frutas, legumes e verduras para o povo brasileiro.
Fruto da organização de mais de 100 cooperativas e mais de 1.900
associações


                                                                                   15
3ª Fase: Educação e Cidadania




Há 300 mil trabalhadores e trabalhadoras rurais estudando, entre crianças e
adolescentes sem-terra, dos quais 120 mil em escolas públicas. Mais de 350
mil integrantes do MST já se formaram em cursos de alfabetização, ensino
fundamental, médio, superior e cursos técnicos.


                                                                              16
4ª Fase: Formação e ampliação




Por meio de parcerias com universidade públicas, trabalhadores e
trabalhadoras rurais do MST estudam em 50 instituições de ensino. Há
aproximadamente 100 turmas de cursos formais e mais de 5 mil educandos
nessas instituições. São cursos técnicos de nível médio (como Administração
de Cooperativas, Saúde Comunitária, Magistério e Agroecologia), cursos
superiores e especializações (como Pedagogia, Letras, Licenciatura em
Educação do Campo, Ciências Agrárias, Agronomia, Veterinária, Direito,
Geografia, História).

                                                                              17
RECONHECIMENTO DA SOCIEDADE




                              18
19
2
Apoio ao MST




http://youtu.be/kedi0TmEOOY




                              2
A MÍDIA DO CAPITALISMO




                         22
DO OUTRO LADO O SISTEMA OPRESSOR




O ano era 1996. Em abril, 19 trabalhadores rurais sem-terra foram
assassinados pela Polícia Militar do Pará enquanto realizavam uma marcha
pacífica, no conhecido Massacre de Eldorado dos Carajás. Dois anos depois,
no mesmo estado, os camponeses Fusquinha e Doutor também foram vítimas
da violência do latifúndio.


                                                                             23
VÍDEO: A visão da MIDIA




                          2
VIDEO: Morte e vida severina




       http://youtu.be/pQwOD4tIEmk




                                     2
VIDEO: Outra realidade




                         2
A SEGUNDA VISITA AO ASSENTAMENTO
           ENTREVISTA




                                   27
2ª Visita ao assentamento
Agradecimentos a Maria militante no movimento a mais de 10
anos, pelo acolhimento e pela entrevista concedida




                                                             28
VIDEO: Entrevista




 http://youtu.be/cRS1KA_gjnc




                               2

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mst e o estado brasileiro vfinal
Mst e o estado brasileiro vfinalMst e o estado brasileiro vfinal
Mst e o estado brasileiro vfinal
Wladimir Farias Tenorio Filho
 
Prof Demétrio Melo- Brasil: Estrutura Fundiária e Reforma Agrária
Prof Demétrio Melo- Brasil: Estrutura Fundiária e Reforma AgráriaProf Demétrio Melo- Brasil: Estrutura Fundiária e Reforma Agrária
Prof Demétrio Melo- Brasil: Estrutura Fundiária e Reforma Agrária
Deto - Geografia
 
MST
MSTMST
Apresentação situação agrária no brasil
Apresentação situação agrária no brasilApresentação situação agrária no brasil
Apresentação situação agrária no brasil
Marcelo Monti Bica
 
Trabalho de sociologia
Trabalho de sociologiaTrabalho de sociologia
Trabalho de sociologia
ronualdo
 
Aula 31 a questão agrária no brasil (economia brasileira)
Aula 31    a questão agrária no brasil (economia brasileira)Aula 31    a questão agrária no brasil (economia brasileira)
Aula 31 a questão agrária no brasil (economia brasileira)
petecoslides
 
As questões do debate sobre a reforma agrária no brasil
As questões do debate sobre a reforma agrária no brasilAs questões do debate sobre a reforma agrária no brasil
As questões do debate sobre a reforma agrária no brasil
Gabriella Vieira
 
A questão agraria brasileira
A questão agraria brasileiraA questão agraria brasileira
A questão agraria brasileira
vitor moraes ribeiro
 
Reforma Agrária Brasileira/Assuntos Possíveis para Enem!
Reforma Agrária Brasileira/Assuntos Possíveis para Enem!Reforma Agrária Brasileira/Assuntos Possíveis para Enem!
Reforma Agrária Brasileira/Assuntos Possíveis para Enem!
Joemille Leal
 
2º Md Grupo 05
2º Md   Grupo 052º Md   Grupo 05
2º Md Grupo 05
ProfMario De Mori
 
MST
MSTMST
Mst
MstMst
Questão agrária no brasil
Questão agrária no brasil Questão agrária no brasil
Questão agrária no brasil
João Paulo M. Marinho
 
Estrutura fundiária brasileira
Estrutura fundiária brasileiraEstrutura fundiária brasileira
Estrutura fundiária brasileira
Colégio Nova Geração COC
 
Agricultura no brasil
Agricultura no brasilAgricultura no brasil
Agricultura no brasil
Michelle Isabel Ferreira
 
2º Ma Grupo 05
2º Ma   Grupo 052º Ma   Grupo 05
2º Ma Grupo 05
ProfMario De Mori
 
Conflitos fundiários e reforma agrária no Brasil
Conflitos fundiários e reforma agrária no BrasilConflitos fundiários e reforma agrária no Brasil
Conflitos fundiários e reforma agrária no Brasil
promotorfarias
 
www.CentroApoio.com - Geografia - Reforma Agrária - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com - Geografia - Reforma Agrária - Vídeo Aulaswww.CentroApoio.com - Geografia - Reforma Agrária - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com - Geografia - Reforma Agrária - Vídeo Aulas
Vídeo Aulas Apoio
 
2º Mb Grupo 05
2º Mb   Grupo 052º Mb   Grupo 05
2º Mb Grupo 05
ProfMario De Mori
 
Reforma Agrária no Brasil
Reforma Agrária no BrasilReforma Agrária no Brasil
Reforma Agrária no Brasil
quimsfilho
 

Mais procurados (20)

Mst e o estado brasileiro vfinal
Mst e o estado brasileiro vfinalMst e o estado brasileiro vfinal
Mst e o estado brasileiro vfinal
 
Prof Demétrio Melo- Brasil: Estrutura Fundiária e Reforma Agrária
Prof Demétrio Melo- Brasil: Estrutura Fundiária e Reforma AgráriaProf Demétrio Melo- Brasil: Estrutura Fundiária e Reforma Agrária
Prof Demétrio Melo- Brasil: Estrutura Fundiária e Reforma Agrária
 
MST
MSTMST
MST
 
Apresentação situação agrária no brasil
Apresentação situação agrária no brasilApresentação situação agrária no brasil
Apresentação situação agrária no brasil
 
Trabalho de sociologia
Trabalho de sociologiaTrabalho de sociologia
Trabalho de sociologia
 
Aula 31 a questão agrária no brasil (economia brasileira)
Aula 31    a questão agrária no brasil (economia brasileira)Aula 31    a questão agrária no brasil (economia brasileira)
Aula 31 a questão agrária no brasil (economia brasileira)
 
As questões do debate sobre a reforma agrária no brasil
As questões do debate sobre a reforma agrária no brasilAs questões do debate sobre a reforma agrária no brasil
As questões do debate sobre a reforma agrária no brasil
 
A questão agraria brasileira
A questão agraria brasileiraA questão agraria brasileira
A questão agraria brasileira
 
Reforma Agrária Brasileira/Assuntos Possíveis para Enem!
Reforma Agrária Brasileira/Assuntos Possíveis para Enem!Reforma Agrária Brasileira/Assuntos Possíveis para Enem!
Reforma Agrária Brasileira/Assuntos Possíveis para Enem!
 
2º Md Grupo 05
2º Md   Grupo 052º Md   Grupo 05
2º Md Grupo 05
 
MST
MSTMST
MST
 
Mst
MstMst
Mst
 
Questão agrária no brasil
Questão agrária no brasil Questão agrária no brasil
Questão agrária no brasil
 
Estrutura fundiária brasileira
Estrutura fundiária brasileiraEstrutura fundiária brasileira
Estrutura fundiária brasileira
 
Agricultura no brasil
Agricultura no brasilAgricultura no brasil
Agricultura no brasil
 
2º Ma Grupo 05
2º Ma   Grupo 052º Ma   Grupo 05
2º Ma Grupo 05
 
Conflitos fundiários e reforma agrária no Brasil
Conflitos fundiários e reforma agrária no BrasilConflitos fundiários e reforma agrária no Brasil
Conflitos fundiários e reforma agrária no Brasil
 
www.CentroApoio.com - Geografia - Reforma Agrária - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com - Geografia - Reforma Agrária - Vídeo Aulaswww.CentroApoio.com - Geografia - Reforma Agrária - Vídeo Aulas
www.CentroApoio.com - Geografia - Reforma Agrária - Vídeo Aulas
 
2º Mb Grupo 05
2º Mb   Grupo 052º Mb   Grupo 05
2º Mb Grupo 05
 
Reforma Agrária no Brasil
Reforma Agrária no BrasilReforma Agrária no Brasil
Reforma Agrária no Brasil
 

Semelhante a MST Seminário de psicologia - unicsul

reforma agraria-.ppt
reforma agraria-.pptreforma agraria-.ppt
reforma agraria-.ppt
JANEGLAUCESILVANEDEL
 
Conexão Rural e Natural
Conexão Rural e Natural Conexão Rural e Natural
Conexão Rural e Natural
Blanco agriCultura
 
GRITO 2023 COM OBJETIVOS, EIXOS E PROPOSTA DIA 30.09.2023.pptx
GRITO 2023 COM OBJETIVOS,  EIXOS E PROPOSTA DIA 30.09.2023.pptxGRITO 2023 COM OBJETIVOS,  EIXOS E PROPOSTA DIA 30.09.2023.pptx
GRITO 2023 COM OBJETIVOS, EIXOS E PROPOSTA DIA 30.09.2023.pptx
Paulo David
 
Chão de minha Utopia
Chão de minha UtopiaChão de minha Utopia
Chão de minha Utopia
iicabrasil
 
Pastoral 200
Pastoral 200Pastoral 200
Pastoral 200
Uhgopaiva
 
Apresentação realidade agrária plebiscito pela propriedade da terra
Apresentação realidade agrária   plebiscito pela propriedade da terraApresentação realidade agrária   plebiscito pela propriedade da terra
Apresentação realidade agrária plebiscito pela propriedade da terra
diego_coliveira
 
A roda e a agroecologia
A roda e a agroecologiaA roda e a agroecologia
A roda e a agroecologia
Blanco agriCultura
 
Recuperação 1º bimestre História 8º ano
Recuperação 1º bimestre História 8º anoRecuperação 1º bimestre História 8º ano
Recuperação 1º bimestre História 8º ano
Nelson Silva
 
Tipos de produção agrícola - extensiva e intensiva
Tipos de produção agrícola - extensiva e intensivaTipos de produção agrícola - extensiva e intensiva
Tipos de produção agrícola - extensiva e intensiva
LusRobertoCavalcanti
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
Dell Andrade
 
Repressão no Campo em São Paulo
Repressão no Campo em São PauloRepressão no Campo em São Paulo
Repressão no Campo em São Paulo
comissaodaverdadesp
 
A LUTA PELA POSSE DA TERRA NO MARANHÃO: CASO DE CAXIAS/MA
A LUTA PELA POSSE DA TERRA NO MARANHÃO: CASO DE CAXIAS/MAA LUTA PELA POSSE DA TERRA NO MARANHÃO: CASO DE CAXIAS/MA
A LUTA PELA POSSE DA TERRA NO MARANHÃO: CASO DE CAXIAS/MA
Henrique Soares
 
Brasil: Declaração da Assembleia dos Movimentos Sociais
Brasil: Declaração da Assembleia dos Movimentos SociaisBrasil: Declaração da Assembleia dos Movimentos Sociais
Brasil: Declaração da Assembleia dos Movimentos Sociais
Crónicas del despojo
 
Comunidades amazonicas en Rodonia, Brasil. Marcio Halla.
Comunidades amazonicas en Rodonia, Brasil. Marcio Halla.Comunidades amazonicas en Rodonia, Brasil. Marcio Halla.
Comunidades amazonicas en Rodonia, Brasil. Marcio Halla.
SUSMAI
 
Introducao
IntroducaoIntroducao
Introducao
pegelson
 
Agronegócio e Sustentabilidade.pdf
Agronegócio e Sustentabilidade.pdfAgronegócio e Sustentabilidade.pdf
Agronegócio e Sustentabilidade.pdf
PatriciaBarili1
 
Edgar Rodrigues - História do movimento anarquista em Portugal
Edgar Rodrigues - História do movimento anarquista em PortugalEdgar Rodrigues - História do movimento anarquista em Portugal
Edgar Rodrigues - História do movimento anarquista em Portugal
João Soares
 
Ii encontro de estudos e pesquisas em questão agrária e educação no campo no ...
Ii encontro de estudos e pesquisas em questão agrária e educação no campo no ...Ii encontro de estudos e pesquisas em questão agrária e educação no campo no ...
Ii encontro de estudos e pesquisas em questão agrária e educação no campo no ...
Tatiana Carvalho
 
Tl n7 a luta dos povos da floresta (chico mendes)
Tl n7   a luta dos povos da floresta (chico mendes)Tl n7   a luta dos povos da floresta (chico mendes)
Tl n7 a luta dos povos da floresta (chico mendes)
eduardo carneiro
 
Portfólio horta orgânica
Portfólio horta orgânicaPortfólio horta orgânica
Portfólio horta orgânica
franciele souza
 

Semelhante a MST Seminário de psicologia - unicsul (20)

reforma agraria-.ppt
reforma agraria-.pptreforma agraria-.ppt
reforma agraria-.ppt
 
Conexão Rural e Natural
Conexão Rural e Natural Conexão Rural e Natural
Conexão Rural e Natural
 
GRITO 2023 COM OBJETIVOS, EIXOS E PROPOSTA DIA 30.09.2023.pptx
GRITO 2023 COM OBJETIVOS,  EIXOS E PROPOSTA DIA 30.09.2023.pptxGRITO 2023 COM OBJETIVOS,  EIXOS E PROPOSTA DIA 30.09.2023.pptx
GRITO 2023 COM OBJETIVOS, EIXOS E PROPOSTA DIA 30.09.2023.pptx
 
Chão de minha Utopia
Chão de minha UtopiaChão de minha Utopia
Chão de minha Utopia
 
Pastoral 200
Pastoral 200Pastoral 200
Pastoral 200
 
Apresentação realidade agrária plebiscito pela propriedade da terra
Apresentação realidade agrária   plebiscito pela propriedade da terraApresentação realidade agrária   plebiscito pela propriedade da terra
Apresentação realidade agrária plebiscito pela propriedade da terra
 
A roda e a agroecologia
A roda e a agroecologiaA roda e a agroecologia
A roda e a agroecologia
 
Recuperação 1º bimestre História 8º ano
Recuperação 1º bimestre História 8º anoRecuperação 1º bimestre História 8º ano
Recuperação 1º bimestre História 8º ano
 
Tipos de produção agrícola - extensiva e intensiva
Tipos de produção agrícola - extensiva e intensivaTipos de produção agrícola - extensiva e intensiva
Tipos de produção agrícola - extensiva e intensiva
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
 
Repressão no Campo em São Paulo
Repressão no Campo em São PauloRepressão no Campo em São Paulo
Repressão no Campo em São Paulo
 
A LUTA PELA POSSE DA TERRA NO MARANHÃO: CASO DE CAXIAS/MA
A LUTA PELA POSSE DA TERRA NO MARANHÃO: CASO DE CAXIAS/MAA LUTA PELA POSSE DA TERRA NO MARANHÃO: CASO DE CAXIAS/MA
A LUTA PELA POSSE DA TERRA NO MARANHÃO: CASO DE CAXIAS/MA
 
Brasil: Declaração da Assembleia dos Movimentos Sociais
Brasil: Declaração da Assembleia dos Movimentos SociaisBrasil: Declaração da Assembleia dos Movimentos Sociais
Brasil: Declaração da Assembleia dos Movimentos Sociais
 
Comunidades amazonicas en Rodonia, Brasil. Marcio Halla.
Comunidades amazonicas en Rodonia, Brasil. Marcio Halla.Comunidades amazonicas en Rodonia, Brasil. Marcio Halla.
Comunidades amazonicas en Rodonia, Brasil. Marcio Halla.
 
Introducao
IntroducaoIntroducao
Introducao
 
Agronegócio e Sustentabilidade.pdf
Agronegócio e Sustentabilidade.pdfAgronegócio e Sustentabilidade.pdf
Agronegócio e Sustentabilidade.pdf
 
Edgar Rodrigues - História do movimento anarquista em Portugal
Edgar Rodrigues - História do movimento anarquista em PortugalEdgar Rodrigues - História do movimento anarquista em Portugal
Edgar Rodrigues - História do movimento anarquista em Portugal
 
Ii encontro de estudos e pesquisas em questão agrária e educação no campo no ...
Ii encontro de estudos e pesquisas em questão agrária e educação no campo no ...Ii encontro de estudos e pesquisas em questão agrária e educação no campo no ...
Ii encontro de estudos e pesquisas em questão agrária e educação no campo no ...
 
Tl n7 a luta dos povos da floresta (chico mendes)
Tl n7   a luta dos povos da floresta (chico mendes)Tl n7   a luta dos povos da floresta (chico mendes)
Tl n7 a luta dos povos da floresta (chico mendes)
 
Portfólio horta orgânica
Portfólio horta orgânicaPortfólio horta orgânica
Portfólio horta orgânica
 

Último

O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
VIAGEM AO PASSADO -
VIAGEM AO PASSADO                        -VIAGEM AO PASSADO                        -
VIAGEM AO PASSADO -
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdfIntendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
Intendência da Aeronáutica. Somos um, sou você Intendência!.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdfRelatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
Relatório do Ministério da Defesa (MD) 2017.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 

MST Seminário de psicologia - unicsul

  • 1. MST – Video de Introdução http://youtu.be/_yFHNZycDUY 1
  • 2. O Humano no MST e o MST no Humano Universidade Cruzeiro do Sul – Psicologia comunitária Alunos: Orlando da Silva Souza RGM: 89351-0 Cláudio Gilberto da Silva RGM: 85363-1 Elerson Luis da Silva RGM: 85905-2 Supervisão: Prof. Dr. Mario de Souza Costa 2
  • 3. Fundação O MST foi fundado em 1984 a partir de um encontro Nacional realizado em Cascavel no Paraná, entre os camponeses da região que já vinham realizando ocupações em contestação ao autoritarismo que os oprimiam. o Lutar pela terra o Lutar pela reforma agrária o Lutar por mudanças sociais no país Participantes do Movimento o Posseiros o Migrantes o Meeiros e Pequenos agricultores Fatores da opressão o Ditadura militar o Privação do direito de produzir alimentos o Alagamento do solo pelas barragens de hidroelétricas o Uso massivo e mecanizado de agratóxicos 3
  • 4. A BANDEIRA DO MST Cor vermelha: Representa o sangue que corre em nossas veias Cor branca: Representa a paz pela qual lutamos Cor verde: Representa a esperança de vitória a cada latifúndio que conquistamos Cor preta: Representa o nosso luto e a nossa homenagem a todos os trabalhadores e trabalhadoras que tombaram, lutando pela nova sociedade Mapa do Brasil: Representa que o MST está organizado nacionalmente Trabalhador e Trabalhadora: Representa a necessidade da luta ser feita por mulheres e homens, pelas famílias inteiras Facão: Representa as nossas ferramentas de trabalho, de luta e de resistência 4
  • 5. PRIMEIRA VISITA AO ASSENTAMENTO 5
  • 6. 1ª Visita ao assentamento Agradecimentos ao Alexandre e ao Pedro militantes no movimento a mais de dez anos, pela recepção e por tudo o que nos informaram sobre o MST. De acordo com Alexandre e Pedro o local ocupado pertence a sabesp estava destinado a implantação de um “lixão” pela prefeitura 6
  • 7. 1ª Visita ao assentamento Durante o diálogo aberto foi exposto por Alexandre e Pedro, a história, o fundamento e os objetivos do movimento 7
  • 8. 1ª Visita ao assentamento Houve debate sobre a visão externa ao movimento e a força da mídia contraditória, entre outros 8
  • 9. 1ª Visita ao assentamento Conhecendo a área que localiza-se na cidade de perús. 9
  • 10. 1ª Visita ao assentamento Conhecendo o projeto da casa ecológica que está sendo contruida pelo Alexandre e Pedro 10
  • 12. Principais Lutas e conquistas 1979 – Centenas de agricultores ocupam as Granjas Macali e Brilhante, no Rio Grande do Sul. 1981 – Um novo acampamento surge próximo a estas áreas: A Encruzilhada Natalino. 12
  • 13. 1985 – O Plano Nacional de Reforma Agrária (PNRA) previa assentar 1,4 milhão de famílias, porém, fracassou. 1990 – Foi aprovada a Lei Agrária 8.629 pelo vice presidente Itamar Franco. Eliminando vieses jurídicos que impossibilitassem desapropriações. 1995 – Massacre de Corumbiara em Rondônia. 1996 – Massacre de Eldorado dos Carajás, no Pará. 1997 – Marcha Nacional pelo emprego e Reforma Agrária quando 100 mil pessoas receberam o MST em Brasília. 13
  • 14. 1ª Fase: Ocupação O MST tem 90 mil famílias acampadas (aproximadamente 400 mil pessoas), vivendo em mais de mil acampamentos, distribuídos em 23 Estados e no Distrito Federal. 14
  • 15. 2ª Fase: Produção Assentamentos: espaço de vida, trabalho e produção Uma das principais contribuições dos assentamentos do MST para a sociedade brasileira foi cumprir o compromisso de produzir arroz, feijão, leite, queijo, frutas, legumes e verduras para o povo brasileiro. Fruto da organização de mais de 100 cooperativas e mais de 1.900 associações 15
  • 16. 3ª Fase: Educação e Cidadania Há 300 mil trabalhadores e trabalhadoras rurais estudando, entre crianças e adolescentes sem-terra, dos quais 120 mil em escolas públicas. Mais de 350 mil integrantes do MST já se formaram em cursos de alfabetização, ensino fundamental, médio, superior e cursos técnicos. 16
  • 17. 4ª Fase: Formação e ampliação Por meio de parcerias com universidade públicas, trabalhadores e trabalhadoras rurais do MST estudam em 50 instituições de ensino. Há aproximadamente 100 turmas de cursos formais e mais de 5 mil educandos nessas instituições. São cursos técnicos de nível médio (como Administração de Cooperativas, Saúde Comunitária, Magistério e Agroecologia), cursos superiores e especializações (como Pedagogia, Letras, Licenciatura em Educação do Campo, Ciências Agrárias, Agronomia, Veterinária, Direito, Geografia, História). 17
  • 19. 19
  • 20. 2
  • 22. A MÍDIA DO CAPITALISMO 22
  • 23. DO OUTRO LADO O SISTEMA OPRESSOR O ano era 1996. Em abril, 19 trabalhadores rurais sem-terra foram assassinados pela Polícia Militar do Pará enquanto realizavam uma marcha pacífica, no conhecido Massacre de Eldorado dos Carajás. Dois anos depois, no mesmo estado, os camponeses Fusquinha e Doutor também foram vítimas da violência do latifúndio. 23
  • 24. VÍDEO: A visão da MIDIA 2
  • 25. VIDEO: Morte e vida severina http://youtu.be/pQwOD4tIEmk 2
  • 27. A SEGUNDA VISITA AO ASSENTAMENTO ENTREVISTA 27
  • 28. 2ª Visita ao assentamento Agradecimentos a Maria militante no movimento a mais de 10 anos, pelo acolhimento e pela entrevista concedida 28