SlideShare uma empresa Scribd logo
PESQUISA E DESCOBERTAS:
PARA QUE SERVE A HISTÓRIA?
    PROF. JOSÉ HUMBERTO RODRIGUES
Pesadelo
“Quando um muro separa, uma ponte une
  Se a vingança encara, o remorso pune
Você vem me agarra, alguém vem me solta
   Você vai na marra, ela um dia volta
  E se a força é tua, ela um dia é nossa
       Olha o muro, olha o poste
     Olha o dia de ontem chegando
      Que medo você tem de nós
               Olha aí...
 Você corta um verso, eu escrevo outro
 Você me prende vivo, eu escapo morto
     De repente...olha eu de novo
  Perturbando a paz, exigindo o troco
 Vamos por aí, eu e meu cachorro... “

        M. Tapajós e Paulo C. Pinheiro
Música popular brasileira
 Assumiu a presidência em 1961 como candidato da
    UDN.
   Política interna de apoio aos conservadores;
   Desvalorização da moeda.
   Condecoração de Che Guevara
   Renúncia em 25 de agosto de 1961.
   O vice-presidente João Goulart assumi o pais depois de
    intensas negociações.
 Setores      conservadores,  aliados dos
  militares, deram início à campanha de
  desestabilização do governo.
 As “Reformas de Base” foram duramente
  combatidas pela elite
1 - Antecedentes:
 Esgotamento     do   populismo:       manifestações   de
 massa, greves, agravamento de tensões sociais.
 Temor dos EUA com a possibilidade de “novas
 revoluções cubanas” na América Latina.
 Apoio de setores civis conservadores ao golpe militar.

 Doutrina de Segurança Nacional é assimilada pelo
 exército: Guerra total contra o comunismo
 Golpe Militar – 31 de março de 1964
O Brasil após o golpe:
 Ranieri Mazzili (presidente da Câmara) assume
 interinamente.
 Poder de fato = Comando Supremo Revolucionário
 (exército).
 09/04/1964: Ato Institucional nº 1 (AI – 1):
   Demissão de funcionários públicos (civis ou
    militares) leais ao antigo governo.
   Cassações de mandatos de opositores do golpe.
   Prisões de opositores.
   Eleições indiretas para presidente.
Música popular brasileira
 PAEG (Plano de Ação Econômica do Governo):
   Corte de gastos.
   Aumento de tarifas e impostos.
   Fim da Lei da Estabilidade.
   Criação do FGTS (Fundo de Garantia por
   Tempo de Serviço).
                       1
   Aumento salarial ( X ao ano) abaixo da
    inflação.
   Restrição de crédito.
   Arrocho salarial, recessão e desemprego
 Fim da Lei de Remessa de Lucros (1962).
 Desvalorização monetária (cruzeiro novo).
   Compra de empresas nacionais por estrangeiras.
 Renegociação da dívida externa.
 Novos empréstimos.
 Aproximação cada vez maior com EUA.
   “O que é bom para os EUA é bom para o Brasil”
    (Juracy Magalhães – Ministro das Relações
    Exteriores)
 Jul/64 – prorrogação do mandato presidencial até
  mar/67.
 Impopularidade do governo.
 1965: eleições em 11 Estados.
    Candidatos governistas perdem em vários.
 Out/65 – AI – 2: Bipartidarismo
    Extinção dos antigos partidos.
    ARENA (Aliança Renovadora Nacional) –
     partido do governo.
    MDB (Movimento Democrático Brasileiro) –
     oposição ao governo.
    Autorização para fechar órgãos legislativos.
Música popular brasileira
 Fev/66 – AI-3: Eleições indiretas para
 governadores e indicação de prefeitos de capitais
 e cidades estratégicas.
 Constituição de 1967:
   Fortalecimento do Executivo.
   Emendas constitucionais a cargo exclusivo do
    presidente.
   Incorporação de Atos Institucionais.

 LSN (Lei de Segurança Nacional) – defesa da
 pátria contra o “perigo comunista” (repressão
 consentida).
 Decretou-se também o AI-4, que dava ao governo
 poderes para elaborar uma nova Constituição.

 Essa constituição de 1967 tinha como principal
 objetivo fortalecer o poder do presidente e
 enfraquecer o Legislativo e o Judiciário.

 Ao final do governo Castelo Branco, o Alto
 Comando Militar escolheu como novo presidente o
 marechal Artur da Costa e Silva
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
 Nesse governo crescem as manifestações públicas
  contra a ditadura militar, apesar de uma repressão
  policial violenta.
 Greves contra o arrocho salarial, discursos de
  políticos atacando a violência da ditadura, críticas
  à tortura praticada pelos órgãos de segurança.
 No Rio de Janeiro, em 1968, mais de cem mil
  pessoas saíram à rua em passeata, protestando
  contra o assassinato de um estudante pela polícia.
  Arrependido por ter apoiado a
  ditadura, Carlos Lacerda tentou unir-se a antigos
  adversários (Juscelino e João Goulart) para lutar
  por uma nova Constituição e por eleições diretas.
 Diante das pressões da sociedade em favor da
  democracia, o governo militar reagiu
  furiosamente, decretando o AI-5, o mais terrível
  instrumento de força lançado pelo regime militar.
 Milhares de pessoas em todo o país foram presas,
   entre elas Juscelino e Carlos Lacerda; o Congresso
   Nacional foi fechado, mandatos de deputados
  federais, estaduais ,vereadores e prefeitos foram
  cassados.
 O AI-5 dava ao presidente da República
 poderes totais para :
 • Perseguir e reprimir as oposições
 • Decretar estado de sítio, intervir nos estados
 e municípios, demitir funcionários, confiscar bens.
 Os atos do presidente sequer podiam ser submetidos à
  apreciação do Judiciário.
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
“A vida não se resume em festivais”

“O terreiro lá de casa, varre com ponta de sabre e
bala de metralhadora...”

"Marinheiro, marinheiro quero ver você no mar,
 eu também sou marinheiro eu também sei
 governar..”
“Eu já fui até soldado, hoje muito mais amado sou
  chofer de caminhão..”

“Se alguém tem que morrer que seja prá
  melhorar..”
Música popular brasileira
"Noventa Milhões em ação / Pra Frente
Brasil / do meu Coração
Todos juntos vamos / Pra Frente Brasil
Salve a Seleção!
De repente é aquela corrente pra frente
Parece que todo Brasil deu a mão
Todos ligados na mesma emoção
Tudo é um só coração
Todos juntos vamos

Pra frente Brasil! Brasil!

          Salve a seleção!"
 Um dos slogans dessa propaganda dizia: Brasil –
  ame-o ou deixe-o.
   Na prática, isso significava o seguinte: ou você
  apóia o regime militar ou abandona o país.
 Os meios de comunicação – jornais, livros, discos
   musicais, peças de teatro etc – eram vigiados pela
   polícia. Tudo o que desagradasse ao governo era
   severamente censurado. A ditadura não admitia
   críticas, nem oposição pacífica.
 Auge da ditadura.




                      Exército




 Binômio SEGURANÇA X       DESENVOLVIMENTO


           Exército              Tecnocratas
 Prisões, torturas, assassinatos (“desaparecidos”).
 Repressão intensa e eliminação da guerrilha de
 esquerda (SNI, DOI-CODI, OBAN, DOPS...)
 Popularidade: censura e propaganda.
 Slogans ufanistas e otimistas:
 Valorizaçãode conquistas esportivas: futebol e
 automobilismo (associação de vitórias com o sucesso
 do governo
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
 Delfim Netto (Ministro da economia).
 Crescimento de 10% ao ano.
 Facilidades de crédito (bens de consumo)
  Valorização de conquistas esportivas: futebol e
  automobilismo (associação de vitórias com o
  sucesso do governo mo duráveis).
 Arrocho salarial.
 Investimentos externos (favorecimento do
  governo).
 Grandes empréstimos
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
 Abertura “lenta, gradual e segura”.


 Crise econômica.


 Programa PROÁLCOOL.


 2º PND (Plano Nacional de Desenvolvimento):
    Manutenção de modelo anterior.
    Novos empréstimos
    Mais importações.
    Busca de novos mercados para exportação.
    Tentativa de substituir importações.
 Eleições parlamentares (1974): vitória do MDB.


 Fim da censura prévia aos meios de comunicação (1975).


 OUT/1975: assassinato do jornalista Wladimir Herzog sob
  tortura.

 JAN/1976: assassinato do operário Manoel Fiel
  Filho, também torturado.

   Demissão de Ednardo D’Ávila Filho (comandante do 2º
    Exército).

 Lei Falcão (1976): limitação da propaganda política.
Música popular brasileira
Música popular brasileira
 ABR/77: Pacote de Abril:
   Fechamento do Congresso.
   Mandato presidencial de 6 anos.
   Criação dos “senadores biônicos”.
 OUT/78: Fim do AI – 5.
 Início das greves dos sindicatos do ABC paulista (Lula).
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
 “Hei de fazer desse país uma democracia, se
  alguém for contra eu prendo e arrebento.”

 “Eu dava um tiro na cuca”. Obs.: Perguntado, em 1979, por
  um garoto, sobre o que faria se seu pai ganhasse o salário
  mínimo.

 “Eu prefiro o cheiro de estrume de cavalo do que
  cheiro de gente.”

 “Um povo que não sabe nem escovar os dentes não
  está preparado para votar”.

 “Todo povo é uma besta que se deixa levar pelo
  cabresto”
 Continuidade ao processo de abertura política.
 A ANISTIA veio em 1979, mas não beneficiou os
    condenados por seqüestros e atentados políticos.
   A reforma política implementada pelo Estado
    permitiu a volta do pluripartidarismo.
   ARENA se transformou em PDS (Part. Dem.
    Social); MDB se tornou PMDB (Part. Do Mov.
    Democrático Brasileiro). Surgiram o PDT, o PT, o
    PP e o PTB.
   A direita, ligada ao aparelho da repressão, não
    aceitava a abertura – terrorismo: atentado do
    Riocentro, em 1981.
   A oposição lança o movimento DIRETAS JÁ
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
Música popular brasileira
 Ementa Dante de Oliveira – derrotada no
  Congresso.
 Transição democrática: Paulo Maluf (PDS) X
  Tancredo Neves (PMDB)
 15 de janeiro de 1985: Tancredo e Sarney são
  eleitos depois de 21 anos de governos
  militares.
 Na data da posse, 15 de março, Tancredo é
  internado – Sarney assume.
 21 de abril: morre Tancredo.
 Começava a conturbada NOVA REPÚBLICA
“Dormiaa nossa Pátria mãe tão distraída
  Sem perceber que era subtraída Em
       tenebrosas transações.”
   CHICO BUARQUE DE HOLLANDA
Os que lutam

"Há aqueles que lutam um dia; e por isso são
muito bons;

Há aqueles que lutam muitos dias; e por isso
são muito bons;

Há aqueles que lutam anos; e são melhores
ainda;
Porém há aqueles que lutam toda a vida; esses
são os imprescindíveis.“

                                 Bertolt Brecht

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A ditadura militar
A ditadura militarA ditadura militar
A ditadura militar
Gilmar Rodrigues
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
Kelson Barbosa
 
A ditadura militar no Brasil
A ditadura militar no BrasilA ditadura militar no Brasil
A ditadura militar no Brasil
Matheus Kielek
 
Populismo 1946 1964
Populismo 1946 1964Populismo 1946 1964
Populismo 1946 1964
Rodrigo Moysés
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
guiurey
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Lú Carvalho
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
lyslley
 
Brasil ditadura militar 1964 1985
Brasil ditadura militar 1964 1985Brasil ditadura militar 1964 1985
Brasil ditadura militar 1964 1985
dmflores21
 
Ditadura Militar Brasileira
Ditadura Militar BrasileiraDitadura Militar Brasileira
Ditadura Militar Brasileira
Jorge Abdalla
 
Brasil Ditadura Militar
Brasil Ditadura MilitarBrasil Ditadura Militar
Brasil Ditadura Militar
Alexandre Protásio
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
Tatiana Rezende
 
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
7 de Setembro
 
A ditadura militar brasileira (1964 1985) (1)
A ditadura militar brasileira (1964 1985) (1)A ditadura militar brasileira (1964 1985) (1)
A ditadura militar brasileira (1964 1985) (1)
turma21
 
50 anos do Golpe da Ditadura Militar
50 anos do Golpe da Ditadura Militar50 anos do Golpe da Ditadura Militar
50 anos do Golpe da Ditadura Militar
Mauricio da Silva
 
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITARANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
Raimund M Souza
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
Edvaldo S. Júnior
 
Ditadura militar no brasil historia
Ditadura militar no brasil historiaDitadura militar no brasil historia
Ditadura militar no brasil historia
kchioato
 
Ditadura militar anos de chumbo
Ditadura militar anos de chumboDitadura militar anos de chumbo
Ditadura militar anos de chumbo
Tarciso Heli Ferreira Júnior
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
historiando
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Privada
 

Mais procurados (20)

A ditadura militar
A ditadura militarA ditadura militar
A ditadura militar
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
 
A ditadura militar no Brasil
A ditadura militar no BrasilA ditadura militar no Brasil
A ditadura militar no Brasil
 
Populismo 1946 1964
Populismo 1946 1964Populismo 1946 1964
Populismo 1946 1964
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
 
Brasil ditadura militar 1964 1985
Brasil ditadura militar 1964 1985Brasil ditadura militar 1964 1985
Brasil ditadura militar 1964 1985
 
Ditadura Militar Brasileira
Ditadura Militar BrasileiraDitadura Militar Brasileira
Ditadura Militar Brasileira
 
Brasil Ditadura Militar
Brasil Ditadura MilitarBrasil Ditadura Militar
Brasil Ditadura Militar
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
 
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
 
A ditadura militar brasileira (1964 1985) (1)
A ditadura militar brasileira (1964 1985) (1)A ditadura militar brasileira (1964 1985) (1)
A ditadura militar brasileira (1964 1985) (1)
 
50 anos do Golpe da Ditadura Militar
50 anos do Golpe da Ditadura Militar50 anos do Golpe da Ditadura Militar
50 anos do Golpe da Ditadura Militar
 
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITARANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
 
Ditadura militar no brasil historia
Ditadura militar no brasil historiaDitadura militar no brasil historia
Ditadura militar no brasil historia
 
Ditadura militar anos de chumbo
Ditadura militar anos de chumboDitadura militar anos de chumbo
Ditadura militar anos de chumbo
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 

Destaque

Correntes de literatura que marcaram a 1ª metade do século XX
Correntes de literatura que marcaram a 1ª metade do século XXCorrentes de literatura que marcaram a 1ª metade do século XX
Correntes de literatura que marcaram a 1ª metade do século XX
saraquel98
 
BARROCO NO BRASIL
BARROCO NO BRASILBARROCO NO BRASIL
BARROCO NO BRASIL
Luzia de Fatima LayolaNunes
 
Barroco Brasileiro
Barroco  BrasileiroBarroco  Brasileiro
Barroco Brasileiro
Thalles Yvson
 
Barroco Europeu
Barroco EuropeuBarroco Europeu
Barroco Europeu
matheuslw
 
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
Carson Souza
 
Barroco Europeu
Barroco EuropeuBarroco Europeu
Barroco Europeu
Lucas Rodrigues
 
Música no século xx.pptx
Música no século xx.pptxMúsica no século xx.pptx
Música no século xx.pptx
Tomé Valentim
 
Música popular brasileira
Música popular brasileiraMúsica popular brasileira
Música popular brasileira
Taisson Wile
 
Música Brasil
Música BrasilMúsica Brasil
A arte barroca na europa
A arte barroca na europaA arte barroca na europa
A arte barroca na europa
CEF16
 
24. Neoclassicismo
24. Neoclassicismo24. Neoclassicismo
24. Neoclassicismo
guest9c2383
 
Neoclassicismo brasileiro
Neoclassicismo brasileiroNeoclassicismo brasileiro
Neoclassicismo brasileiro
Andréia Peixoto
 
Academicismo e neoclassicismo no brasil
Academicismo e neoclassicismo no brasilAcademicismo e neoclassicismo no brasil
Academicismo e neoclassicismo no brasil
marylusilva
 
Musica brasileira
Musica brasileiraMusica brasileira
Musica brasileira
VIVIAN TROMBINI
 
O barroco no brasil
O barroco no brasilO barroco no brasil
O barroco no brasil
CEF16
 
O Barroco No Brasil
O Barroco No BrasilO Barroco No Brasil
O Barroco No Brasil
Alessandra Oliveira
 
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
Arte Educadora
 
Revisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEMRevisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEM
VIVIAN TROMBINI
 
O barroco
O barrocoO barroco

Destaque (19)

Correntes de literatura que marcaram a 1ª metade do século XX
Correntes de literatura que marcaram a 1ª metade do século XXCorrentes de literatura que marcaram a 1ª metade do século XX
Correntes de literatura que marcaram a 1ª metade do século XX
 
BARROCO NO BRASIL
BARROCO NO BRASILBARROCO NO BRASIL
BARROCO NO BRASIL
 
Barroco Brasileiro
Barroco  BrasileiroBarroco  Brasileiro
Barroco Brasileiro
 
Barroco Europeu
Barroco EuropeuBarroco Europeu
Barroco Europeu
 
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
Neoclassicismo no Brasil - História da Arte.
 
Barroco Europeu
Barroco EuropeuBarroco Europeu
Barroco Europeu
 
Música no século xx.pptx
Música no século xx.pptxMúsica no século xx.pptx
Música no século xx.pptx
 
Música popular brasileira
Música popular brasileiraMúsica popular brasileira
Música popular brasileira
 
Música Brasil
Música BrasilMúsica Brasil
Música Brasil
 
A arte barroca na europa
A arte barroca na europaA arte barroca na europa
A arte barroca na europa
 
24. Neoclassicismo
24. Neoclassicismo24. Neoclassicismo
24. Neoclassicismo
 
Neoclassicismo brasileiro
Neoclassicismo brasileiroNeoclassicismo brasileiro
Neoclassicismo brasileiro
 
Academicismo e neoclassicismo no brasil
Academicismo e neoclassicismo no brasilAcademicismo e neoclassicismo no brasil
Academicismo e neoclassicismo no brasil
 
Musica brasileira
Musica brasileiraMusica brasileira
Musica brasileira
 
O barroco no brasil
O barroco no brasilO barroco no brasil
O barroco no brasil
 
O Barroco No Brasil
O Barroco No BrasilO Barroco No Brasil
O Barroco No Brasil
 
Neoclassicismo
NeoclassicismoNeoclassicismo
Neoclassicismo
 
Revisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEMRevisão de literatura - UEM
Revisão de literatura - UEM
 
O barroco
O barrocoO barroco
O barroco
 

Semelhante a Música popular brasileira

Ditadura militar 64.filé
Ditadura militar 64.filéDitadura militar 64.filé
Ditadura militar 64.filé
mundica broda
 
Ditadura Militar 1964
Ditadura Militar 1964Ditadura Militar 1964
Ditadura Militar 1964
Charlies Ponciano
 
Brasil República - Ditadura Militar
Brasil República - Ditadura MilitarBrasil República - Ditadura Militar
Brasil República - Ditadura Militar
André Torres
 
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp013ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
Daiane Ramalho
 
Brasil ditadura militar 1964 a 1985 pdf
Brasil ditadura militar 1964 a 1985   pdfBrasil ditadura militar 1964 a 1985   pdf
Brasil ditadura militar 1964 a 1985 pdf
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Ditadura militar 1964 1985
Ditadura militar 1964 1985Ditadura militar 1964 1985
Ditadura militar 1964 1985
luciana
 
A Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No BrasilA Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No Brasil
brunourbino
 
Comissaodaverdade
ComissaodaverdadeComissaodaverdade
Comissaodaverdade
aulasdejornalismo
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar disma
Dismael Sagás
 
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASILBRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
Diego Bian Filo Moreira
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
Daniel Alves Bronstrup
 
Trabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historiaTrabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historia
Mateus Cabral
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
Daniel Alves Bronstrup
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
Daniel Alves Bronstrup
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Kerol Brombal
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
Jainny F.
 
A Ditadura Militar no Brasil
A Ditadura Militar no Brasil A Ditadura Militar no Brasil
A Ditadura Militar no Brasil
Adna Myrella
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
João Gonçalves Macedo
 

Semelhante a Música popular brasileira (20)

Ditadura militar 64.filé
Ditadura militar 64.filéDitadura militar 64.filé
Ditadura militar 64.filé
 
Ditadura Militar 1964
Ditadura Militar 1964Ditadura Militar 1964
Ditadura Militar 1964
 
Brasil República - Ditadura Militar
Brasil República - Ditadura MilitarBrasil República - Ditadura Militar
Brasil República - Ditadura Militar
 
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp013ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
3ano ditaduramilitareredemocratizao-121108141325-phpapp01
 
Brasil ditadura militar 1964 a 1985 pdf
Brasil ditadura militar 1964 a 1985   pdfBrasil ditadura militar 1964 a 1985   pdf
Brasil ditadura militar 1964 a 1985 pdf
 
Ditadura militar 1964 1985
Ditadura militar 1964 1985Ditadura militar 1964 1985
Ditadura militar 1964 1985
 
A Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No BrasilA Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No Brasil
 
Comissaodaverdade
ComissaodaverdadeComissaodaverdade
Comissaodaverdade
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar disma
 
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASILBRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
 
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
3º ano - Ditadura Militar e Redemocratização
 
Trabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historiaTrabalho de recuperação de historia
Trabalho de recuperação de historia
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
 
A Ditadura Militar no Brasil
A Ditadura Militar no Brasil A Ditadura Militar no Brasil
A Ditadura Militar no Brasil
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
 

Último

Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
VIAGEM AO PASSADO -
VIAGEM AO PASSADO                        -VIAGEM AO PASSADO                        -
VIAGEM AO PASSADO -
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 

Música popular brasileira

  • 1. PESQUISA E DESCOBERTAS: PARA QUE SERVE A HISTÓRIA? PROF. JOSÉ HUMBERTO RODRIGUES
  • 2. Pesadelo “Quando um muro separa, uma ponte une Se a vingança encara, o remorso pune Você vem me agarra, alguém vem me solta Você vai na marra, ela um dia volta E se a força é tua, ela um dia é nossa Olha o muro, olha o poste Olha o dia de ontem chegando Que medo você tem de nós Olha aí... Você corta um verso, eu escrevo outro Você me prende vivo, eu escapo morto De repente...olha eu de novo Perturbando a paz, exigindo o troco Vamos por aí, eu e meu cachorro... “ M. Tapajós e Paulo C. Pinheiro
  • 4.  Assumiu a presidência em 1961 como candidato da UDN.  Política interna de apoio aos conservadores;  Desvalorização da moeda.  Condecoração de Che Guevara  Renúncia em 25 de agosto de 1961.  O vice-presidente João Goulart assumi o pais depois de intensas negociações.  Setores conservadores, aliados dos militares, deram início à campanha de desestabilização do governo.  As “Reformas de Base” foram duramente combatidas pela elite
  • 5. 1 - Antecedentes:  Esgotamento do populismo: manifestações de massa, greves, agravamento de tensões sociais.  Temor dos EUA com a possibilidade de “novas revoluções cubanas” na América Latina.  Apoio de setores civis conservadores ao golpe militar.  Doutrina de Segurança Nacional é assimilada pelo exército: Guerra total contra o comunismo  Golpe Militar – 31 de março de 1964
  • 6. O Brasil após o golpe:  Ranieri Mazzili (presidente da Câmara) assume interinamente.  Poder de fato = Comando Supremo Revolucionário (exército).  09/04/1964: Ato Institucional nº 1 (AI – 1):  Demissão de funcionários públicos (civis ou militares) leais ao antigo governo.  Cassações de mandatos de opositores do golpe.  Prisões de opositores.  Eleições indiretas para presidente.
  • 8.  PAEG (Plano de Ação Econômica do Governo):  Corte de gastos.  Aumento de tarifas e impostos.  Fim da Lei da Estabilidade.  Criação do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). 1  Aumento salarial ( X ao ano) abaixo da inflação.  Restrição de crédito.  Arrocho salarial, recessão e desemprego
  • 9.  Fim da Lei de Remessa de Lucros (1962).  Desvalorização monetária (cruzeiro novo).  Compra de empresas nacionais por estrangeiras.  Renegociação da dívida externa.  Novos empréstimos.  Aproximação cada vez maior com EUA.  “O que é bom para os EUA é bom para o Brasil” (Juracy Magalhães – Ministro das Relações Exteriores)
  • 10.  Jul/64 – prorrogação do mandato presidencial até mar/67.  Impopularidade do governo.  1965: eleições em 11 Estados.  Candidatos governistas perdem em vários.  Out/65 – AI – 2: Bipartidarismo  Extinção dos antigos partidos.  ARENA (Aliança Renovadora Nacional) – partido do governo.  MDB (Movimento Democrático Brasileiro) – oposição ao governo.  Autorização para fechar órgãos legislativos.
  • 12.  Fev/66 – AI-3: Eleições indiretas para governadores e indicação de prefeitos de capitais e cidades estratégicas.  Constituição de 1967:  Fortalecimento do Executivo.  Emendas constitucionais a cargo exclusivo do presidente.  Incorporação de Atos Institucionais.  LSN (Lei de Segurança Nacional) – defesa da pátria contra o “perigo comunista” (repressão consentida).
  • 13.  Decretou-se também o AI-4, que dava ao governo poderes para elaborar uma nova Constituição.  Essa constituição de 1967 tinha como principal objetivo fortalecer o poder do presidente e enfraquecer o Legislativo e o Judiciário.  Ao final do governo Castelo Branco, o Alto Comando Militar escolheu como novo presidente o marechal Artur da Costa e Silva
  • 21.  Nesse governo crescem as manifestações públicas contra a ditadura militar, apesar de uma repressão policial violenta.  Greves contra o arrocho salarial, discursos de políticos atacando a violência da ditadura, críticas à tortura praticada pelos órgãos de segurança.  No Rio de Janeiro, em 1968, mais de cem mil pessoas saíram à rua em passeata, protestando contra o assassinato de um estudante pela polícia. Arrependido por ter apoiado a ditadura, Carlos Lacerda tentou unir-se a antigos adversários (Juscelino e João Goulart) para lutar por uma nova Constituição e por eleições diretas.
  • 22.  Diante das pressões da sociedade em favor da democracia, o governo militar reagiu furiosamente, decretando o AI-5, o mais terrível instrumento de força lançado pelo regime militar.  Milhares de pessoas em todo o país foram presas, entre elas Juscelino e Carlos Lacerda; o Congresso Nacional foi fechado, mandatos de deputados federais, estaduais ,vereadores e prefeitos foram cassados.
  • 23.  O AI-5 dava ao presidente da República  poderes totais para :  • Perseguir e reprimir as oposições  • Decretar estado de sítio, intervir nos estados  e municípios, demitir funcionários, confiscar bens.  Os atos do presidente sequer podiam ser submetidos à apreciação do Judiciário.
  • 35. “A vida não se resume em festivais” “O terreiro lá de casa, varre com ponta de sabre e bala de metralhadora...” "Marinheiro, marinheiro quero ver você no mar, eu também sou marinheiro eu também sei governar..” “Eu já fui até soldado, hoje muito mais amado sou chofer de caminhão..” “Se alguém tem que morrer que seja prá melhorar..”
  • 37. "Noventa Milhões em ação / Pra Frente Brasil / do meu Coração Todos juntos vamos / Pra Frente Brasil Salve a Seleção! De repente é aquela corrente pra frente Parece que todo Brasil deu a mão Todos ligados na mesma emoção Tudo é um só coração Todos juntos vamos Pra frente Brasil! Brasil! Salve a seleção!"
  • 38.  Um dos slogans dessa propaganda dizia: Brasil – ame-o ou deixe-o. Na prática, isso significava o seguinte: ou você apóia o regime militar ou abandona o país.  Os meios de comunicação – jornais, livros, discos musicais, peças de teatro etc – eram vigiados pela polícia. Tudo o que desagradasse ao governo era severamente censurado. A ditadura não admitia críticas, nem oposição pacífica.
  • 39.  Auge da ditadura. Exército  Binômio SEGURANÇA X DESENVOLVIMENTO Exército Tecnocratas
  • 40.  Prisões, torturas, assassinatos (“desaparecidos”).  Repressão intensa e eliminação da guerrilha de esquerda (SNI, DOI-CODI, OBAN, DOPS...)  Popularidade: censura e propaganda.  Slogans ufanistas e otimistas:  Valorizaçãode conquistas esportivas: futebol e automobilismo (associação de vitórias com o sucesso do governo
  • 44.  Delfim Netto (Ministro da economia).  Crescimento de 10% ao ano.  Facilidades de crédito (bens de consumo) Valorização de conquistas esportivas: futebol e automobilismo (associação de vitórias com o sucesso do governo mo duráveis).  Arrocho salarial.  Investimentos externos (favorecimento do governo).  Grandes empréstimos
  • 62.  Abertura “lenta, gradual e segura”.  Crise econômica.  Programa PROÁLCOOL.  2º PND (Plano Nacional de Desenvolvimento):  Manutenção de modelo anterior.  Novos empréstimos  Mais importações.  Busca de novos mercados para exportação.  Tentativa de substituir importações.
  • 63.  Eleições parlamentares (1974): vitória do MDB.  Fim da censura prévia aos meios de comunicação (1975).  OUT/1975: assassinato do jornalista Wladimir Herzog sob tortura.  JAN/1976: assassinato do operário Manoel Fiel Filho, também torturado.  Demissão de Ednardo D’Ávila Filho (comandante do 2º Exército).  Lei Falcão (1976): limitação da propaganda política.
  • 66.  ABR/77: Pacote de Abril:  Fechamento do Congresso.  Mandato presidencial de 6 anos.  Criação dos “senadores biônicos”.  OUT/78: Fim do AI – 5.  Início das greves dos sindicatos do ABC paulista (Lula).
  • 70.  “Hei de fazer desse país uma democracia, se alguém for contra eu prendo e arrebento.”  “Eu dava um tiro na cuca”. Obs.: Perguntado, em 1979, por um garoto, sobre o que faria se seu pai ganhasse o salário mínimo.  “Eu prefiro o cheiro de estrume de cavalo do que cheiro de gente.”  “Um povo que não sabe nem escovar os dentes não está preparado para votar”.  “Todo povo é uma besta que se deixa levar pelo cabresto”
  • 71.  Continuidade ao processo de abertura política.  A ANISTIA veio em 1979, mas não beneficiou os condenados por seqüestros e atentados políticos.  A reforma política implementada pelo Estado permitiu a volta do pluripartidarismo.  ARENA se transformou em PDS (Part. Dem. Social); MDB se tornou PMDB (Part. Do Mov. Democrático Brasileiro). Surgiram o PDT, o PT, o PP e o PTB.  A direita, ligada ao aparelho da repressão, não aceitava a abertura – terrorismo: atentado do Riocentro, em 1981.  A oposição lança o movimento DIRETAS JÁ
  • 77.  Ementa Dante de Oliveira – derrotada no Congresso.  Transição democrática: Paulo Maluf (PDS) X Tancredo Neves (PMDB)  15 de janeiro de 1985: Tancredo e Sarney são eleitos depois de 21 anos de governos militares.  Na data da posse, 15 de março, Tancredo é internado – Sarney assume.  21 de abril: morre Tancredo.  Começava a conturbada NOVA REPÚBLICA
  • 78. “Dormiaa nossa Pátria mãe tão distraída Sem perceber que era subtraída Em tenebrosas transações.” CHICO BUARQUE DE HOLLANDA
  • 79. Os que lutam "Há aqueles que lutam um dia; e por isso são muito bons; Há aqueles que lutam muitos dias; e por isso são muito bons; Há aqueles que lutam anos; e são melhores ainda; Porém há aqueles que lutam toda a vida; esses são os imprescindíveis.“  Bertolt Brecht