SlideShare uma empresa Scribd logo
CONCEITOS BÁSICOS
 É uma das maneiras de ler e interpretar
o mundo físico e social
 Conjunto de regras quanto à maneira
correta de colher, organizar, quantificar
e trabalhar as informações e
compartilha-las
 Um processo de inferência (*) lógica
que guia a tomada de decisões.
Metodologia científica - Conceitos Básicos
Metodologia científica - Conceitos Básicos
- A maioria dos pesquisadores é
composta, apenas, de seres humanos
dotados de uma certa inteligência que
procuram ser imparciais em suas
observações;
- Pessoas persistentes
- Com um certo grau de teimosia
A PALAVRA CIÊNCIA É
DERIVADA NO LATIM
SCIRE, QUE SIGNIFICA
CONHECER,PORTANTO
CIÊNCIA QUER DIZER:
UMA MANEIRA DE
CONHECER E EXPLICAR
O UNIVERSO FÍSICO E
SOCIAL
 A palavra “ciência” significa o
empreendimento pelo qual a humanidade,
agindo individualmente ou em pequenos ou
grandes grupos, faz uma tentativa organizada,
por meio do estudo objetivo de fenômenos
observados, para descobrir e dominar a cadeia
de causalidades; reúne em forma coordenada
os subsistemas resultantes do conhecimento
por meio de reflexão sistemática; busca a
compreensão dos processos e fenômenos que
ocorrem na natureza e na sociedade
 A ciência é utilizada no controle prático
da natureza;
 A ciência é utilizada na descrição e
compreensão do mundo
 A ciência é utilizada para predizer
 Coerência: apresenta argumentação
estruturada e ausência de contradições;
 Consistência: possui a capacidade de resistir a
argumentações contrárias;
 Originalidade: busca o novo e não a
repetitividade
 Objetivação: tenta reproduzir, ler e
compreender a realidade assim como ela é e
não conforme os princípios
do pesquisador
 O conhecimento científico é aquele verificado
por meio de métodos científicos.
 Constitui-se de uma enorme gama de fatos
verificados por meio de pesquisa.
 Uma das condições fundamentais do
conhecimento é ser produto de uma análise
imparcial dos fatos
 Deve ser de domínio público – portanto a
comunicação é importante.
 A ciência é uma atividade histórica, isto
é, uma atividade situada em termos de
tempo e espaço; o trabalho de um
pesquisador é construído sobre o
trabalho de outras pessoas;
 A comunicação de novos resultados é uma
premissa básica para o progresso da ciência, uma
vez que complementa o conhecimento dos
demais pesquisadores e também oferece
oportunidades para novas pesquisas;
 As descobertas científicas devem ser sujeitas a
novos e independentes exames e verificações por
outros pesquisadores; somente a partir de tais
exames e verificações é que os resultados de uma
pesquisa passam ao domínio geral.
 Teoria é um corpo de conhecimento que
permite provar e/ou explicar fatos e
fenômenos da realidade.
 O ponto básico na construção de uma
teoria é a agregação dos conhecimentos
já existentes em um determinada área
 Processo constante e evolutivo de
realimentação de conhecimentos
científicos
 Prover meios para sua verificação;
 Permitir previsões;
 Estimular novas descobertas
 Indicar áreas que necessitam ser investigadas
 Para tanto, deve ser suficiente estruturada, a fim de
que as explanações oferecidas sejam
compreensíveis.
 Uma teoria é um conjunto inter-
relacionado de definições e proposições
que apresenta uma sistematização do
fenômeno por meio de especificações
das relações entre variáveis, com o
propósito de explicá-lo e de predizer
novos acontecimentos.
 SENSO COMUM é o modo de pensar da
maioria das pessoas, são noções comumente
admitidas pelos indivíduos. Significa o
conhecimento adquirido pelo homem partir de
experiências, vivências e observação do
mundo.
 É um saber que não se baseia em métodos ou
conclusões científicas, e sim no modo comum
e espontâneo de assimilar informações e
conhecimentos úteis no cotidiano.
 O SENSO COMUM é uma herança cultural
que tem a função de orientar a sobrevivência
humana nos mais variados aspectos. Através
do senso comum uma criança aprende o que é
o perigo e a segurança, o que pode e o que não
pode comer, o que é justo e o que é injusto, o
bem e o mal, e outras normas de vida que vão
direcionar o seu modo de agir e pensar, as
suas atitudes e decisões.
 Também faz parte do SENSO COMUM os
conselhos e ditos populares que são tidos
como verdades e seguidos pelo povo. Por
exemplo: “Deve-se cortar os cabelos na lua
crescente para que cresçam mais rápido”.
CONHECIMENTO
FILOSÓFICO
É fruto do raciocínio e da
reflexão humana. É o
conhecimento especulativo
sobre fenômenos, gerando
conceitos subjetivos. Busca dar
sentido aos fenômenos gerais do
universo, ultrapassando os
limites formais da ciência.
 É o conhecimento que se baseia no filosofar, na
interrogação como instrumento para decifrar
elementos imperceptíveis aos sentidos, é uma
busca partindo do material para o universal, exige
um método racional, diferente do método
experimental (científico), levando em conta os
diferentes objetos de estudo.
 O objeto de análise da filosofia são ideias, relações
conceptuais, exigências lógicas que não são
redutíveis a realidades materiais e, por essa razão,
não são passíveis de observação sensorial direta ou
indireta (por instrumentos), como a que é exigida
pelo conhecimento
científico.
A maquina substituirá quase
totalmente o homem?
A clonagem humana será uma
prática aceita universalmente?
O conhecimento tecnológico é
um benefício para o homem?
Quando chegará a vez do
combate à fome e à miséria?
 CONHECIMENTO RELIGIOSO, isto é,
teológico, apoia-se em doutrinas que contêm
proposições sagradas (valorativas), por terem
sido reveladas pelo sobrenatural
(inspiracional) e, por esse motivo, tais
verdades são consideradas infalíveis e
indiscutíveis (exatas);
 "O jeito de ver pela fé é fechar os olhos da
razão."
(Benjamin Franklin)
É um conhecimento sistemático do
mundo (origem, significado, finalidade e
destino) como obra de um criador divino;
suas evidências não são verificadas: está
sempre implícita uma atitude de fé
perante um conhecimento revelado.
A adesão das pessoas passa a ser um ato
de fé, pois a visão sistemática do mundo é
interpretada como decorrente do ato de
um criador divino, cujas evidências não
são postas em dúvida nem sequer
verificáveis.
(Lakatos, Eva M. e Marconi, Marina A., "Metodologia
Científica", Editora Atlas S.A., São Paulo SP. 1991, p.15)
O mito é uma narrativa,
uma fala, que contém em
si diversas ideias. É uma
mensagem cifrada, que
não é entendida
facilmente por quem não
está dentro da cultura de
que o mito faz parte.
O mito pode também transmitir, de geração a geração,
uma espécie de conhecimento, muitas vezes sobre a
origem do mundo, algumas sobre processos de cura,
outras sobre interpretações de fenômenos da natureza
e, ainda, sobre a sociedade e a relação entre os
homens, através de histórias mitológicas
MÍTICO
A imaginação é mais importante que o
conhecimento.
Albert Einstein
A mente que se abre a uma nova idéia
jamais voltará ao seu tamanho original
Albert Einstein
Os ideais que iluminaram o meu caminho
são a bondade, a beleza e a verdade.
Albert Einstein
A imaginação é mais importante que a
ciência, porque a ciência é limitada, ao
passo que a imaginação abrange o mundo
inteiro.
Albert Einstein
O ser humano vivência a si mesmo, seus pensamentos
como algo separado do resto do universo - numa espécie
de ilusão de ótica de sua consciência. E essa ilusão é uma
espécie de prisão que nos restringe a nossos desejos
pessoais, conceitos e ao afeto por pessoas mais próximas.
Nossa principal tarefa é a de nos livrarmos dessa prisão,
ampliando o nosso círculo de compaixão, para que ele
abranja todos os seres vivos e toda a natureza em sua
beleza. Ninguém conseguirá alcançar completamente
esse objetivo, mas lutar pela sua realização já é por si só
parte de nossa liberação e o alicerce de nossa segurança
interior.
Albert Einstein

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conhecimento cientifico
Conhecimento cientificoConhecimento cientifico
Conhecimento cientifico
Lucila Pesce
 
Slides do texto teoria e pratica ciêntifica 14 09 2011
Slides do texto teoria e pratica ciêntifica 14 09 2011Slides do texto teoria e pratica ciêntifica 14 09 2011
Slides do texto teoria e pratica ciêntifica 14 09 2011
marcocarnaz
 
O que é conhecimento
O que é conhecimentoO que é conhecimento
O que é conhecimento
Marcelo Ferreira Boia
 
Tipos de conhecimentos
Tipos de conhecimentosTipos de conhecimentos
Tipos de conhecimentos
Edinei Messias
 
Teoria e prática científica
Teoria e prática científicaTeoria e prática científica
Teoria e prática científica
AndreaDItaliano
 
Aula 01 - Conhecimento Científico
Aula 01 - Conhecimento CientíficoAula 01 - Conhecimento Científico
Aula 01 - Conhecimento Científico
Ghiordanno Bruno
 
Metodologia científica
Metodologia científicaMetodologia científica
Metodologia científica
Raul Pacheco
 
Metodologia de pesquisa i 2015
Metodologia de pesquisa i 2015Metodologia de pesquisa i 2015
Metodologia de pesquisa i 2015
Alexandre Felipe
 
Os diversos tipos de conhecimento
Os diversos tipos de conhecimentoOs diversos tipos de conhecimento
Os diversos tipos de conhecimento
luciano barros
 
Ciências, tipos de conhecimentos e espirito científico
Ciências, tipos de conhecimentos e espirito científico Ciências, tipos de conhecimentos e espirito científico
Ciências, tipos de conhecimentos e espirito científico
Edimar Sartoro
 
A atitude científica
A atitude científicaA atitude científica
A atitude científica
MARISE VON FRUHAUF HUBLARD
 
Cleide a construção do conhecimento científico na pesquisa
Cleide   a construção do conhecimento científico na pesquisaCleide   a construção do conhecimento científico na pesquisa
Cleide a construção do conhecimento científico na pesquisa
17Cleide
 
Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)
Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)
Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)
Anna Keyla Polle
 
Metodologia do trabalho científico
Metodologia do trabalho científicoMetodologia do trabalho científico
Metodologia do trabalho científico
dayenimelo
 
O que é Conhecimento
O que é ConhecimentoO que é Conhecimento
O que é Conhecimento
albiofabian
 
Conhecimento filosófico
Conhecimento filosóficoConhecimento filosófico
Conhecimento filosófico
Sandro Lôbo
 
conhecimento [conceito e tipos]
 conhecimento [conceito e tipos] conhecimento [conceito e tipos]
conhecimento [conceito e tipos]
Marcelo Dias Maj Marcelo CML
 
Os Tipos de Conhecimento
Os Tipos de ConhecimentoOs Tipos de Conhecimento
Os Tipos de Conhecimento
Jonathan Nascyn
 
Conhecimento Científico
Conhecimento CientíficoConhecimento Científico
Conhecimento Científico
Slovich
 

Mais procurados (20)

Conhecimento cientifico
Conhecimento cientificoConhecimento cientifico
Conhecimento cientifico
 
Slides do texto teoria e pratica ciêntifica 14 09 2011
Slides do texto teoria e pratica ciêntifica 14 09 2011Slides do texto teoria e pratica ciêntifica 14 09 2011
Slides do texto teoria e pratica ciêntifica 14 09 2011
 
O que é conhecimento
O que é conhecimentoO que é conhecimento
O que é conhecimento
 
Tipos de conhecimentos
Tipos de conhecimentosTipos de conhecimentos
Tipos de conhecimentos
 
Teoria e prática científica
Teoria e prática científicaTeoria e prática científica
Teoria e prática científica
 
Aula 01 - Conhecimento Científico
Aula 01 - Conhecimento CientíficoAula 01 - Conhecimento Científico
Aula 01 - Conhecimento Científico
 
Metodologia científica
Metodologia científicaMetodologia científica
Metodologia científica
 
Metodologia de pesquisa i 2015
Metodologia de pesquisa i 2015Metodologia de pesquisa i 2015
Metodologia de pesquisa i 2015
 
Os diversos tipos de conhecimento
Os diversos tipos de conhecimentoOs diversos tipos de conhecimento
Os diversos tipos de conhecimento
 
Ciências, tipos de conhecimentos e espirito científico
Ciências, tipos de conhecimentos e espirito científico Ciências, tipos de conhecimentos e espirito científico
Ciências, tipos de conhecimentos e espirito científico
 
A atitude científica
A atitude científicaA atitude científica
A atitude científica
 
Cleide a construção do conhecimento científico na pesquisa
Cleide   a construção do conhecimento científico na pesquisaCleide   a construção do conhecimento científico na pesquisa
Cleide a construção do conhecimento científico na pesquisa
 
Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)
Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)
Teoria e Prática Científica SEVERINO (2007)
 
Metodologia do trabalho científico
Metodologia do trabalho científicoMetodologia do trabalho científico
Metodologia do trabalho científico
 
O que é Conhecimento
O que é ConhecimentoO que é Conhecimento
O que é Conhecimento
 
Conhecimento filosófico
Conhecimento filosóficoConhecimento filosófico
Conhecimento filosófico
 
conhecimento [conceito e tipos]
 conhecimento [conceito e tipos] conhecimento [conceito e tipos]
conhecimento [conceito e tipos]
 
Os Tipos de Conhecimento
Os Tipos de ConhecimentoOs Tipos de Conhecimento
Os Tipos de Conhecimento
 
Conhecimento Científico
Conhecimento CientíficoConhecimento Científico
Conhecimento Científico
 
O conhecimento
O conhecimentoO conhecimento
O conhecimento
 

Destaque

Internshipoftheweek42 venezuela-121002181730-phpapp02
Internshipoftheweek42 venezuela-121002181730-phpapp02Internshipoftheweek42 venezuela-121002181730-phpapp02
Internshipoftheweek42 venezuela-121002181730-phpapp02
rositzastoycheva
 
Historische tatsachen nr. 06 hans-kehrl realitaten im dritten reich
Historische tatsachen nr. 06 hans-kehrl realitaten im dritten reichHistorische tatsachen nr. 06 hans-kehrl realitaten im dritten reich
Historische tatsachen nr. 06 hans-kehrl realitaten im dritten reich
RareBooksnRecords
 
Carta
CartaCarta
Carta
jeserchef
 
Top 8 medical billing coordinator resume samples
Top 8 medical billing coordinator resume samplesTop 8 medical billing coordinator resume samples
Top 8 medical billing coordinator resume samples
tonychoper5105
 
Ablona value space colored - force atlas layout
Ablona value space   colored - force atlas layoutAblona value space   colored - force atlas layout
Ablona value space colored - force atlas layout
Ablona AB
 
“Caso real”, brindar consejos a los internautas sobre los peligros del Internet"
“Caso real”, brindar consejos a los internautas sobre los peligros del Internet"“Caso real”, brindar consejos a los internautas sobre los peligros del Internet"
“Caso real”, brindar consejos a los internautas sobre los peligros del Internet"
Mirnitha Flores
 
Sentir el Viento
Sentir el VientoSentir el Viento
Sentir el Viento
kiteproki
 
Ingles
InglesIngles
Ingles
JUAN ROSAS
 
Experiencia de filtracon de agua
Experiencia de filtracon de aguaExperiencia de filtracon de agua
Experiencia de filtracon de agua
Teresa Ahumada
 
La ranita
La ranitaLa ranita
Rationale for pdhpe
Rationale for pdhpeRationale for pdhpe
Rationale for pdhpe
melsuni
 
NO ME HAGAS ENOJAR
NO ME HAGAS ENOJARNO ME HAGAS ENOJAR
NO ME HAGAS ENOJAR
Ibeer Peña
 

Destaque (12)

Internshipoftheweek42 venezuela-121002181730-phpapp02
Internshipoftheweek42 venezuela-121002181730-phpapp02Internshipoftheweek42 venezuela-121002181730-phpapp02
Internshipoftheweek42 venezuela-121002181730-phpapp02
 
Historische tatsachen nr. 06 hans-kehrl realitaten im dritten reich
Historische tatsachen nr. 06 hans-kehrl realitaten im dritten reichHistorische tatsachen nr. 06 hans-kehrl realitaten im dritten reich
Historische tatsachen nr. 06 hans-kehrl realitaten im dritten reich
 
Carta
CartaCarta
Carta
 
Top 8 medical billing coordinator resume samples
Top 8 medical billing coordinator resume samplesTop 8 medical billing coordinator resume samples
Top 8 medical billing coordinator resume samples
 
Ablona value space colored - force atlas layout
Ablona value space   colored - force atlas layoutAblona value space   colored - force atlas layout
Ablona value space colored - force atlas layout
 
“Caso real”, brindar consejos a los internautas sobre los peligros del Internet"
“Caso real”, brindar consejos a los internautas sobre los peligros del Internet"“Caso real”, brindar consejos a los internautas sobre los peligros del Internet"
“Caso real”, brindar consejos a los internautas sobre los peligros del Internet"
 
Sentir el Viento
Sentir el VientoSentir el Viento
Sentir el Viento
 
Ingles
InglesIngles
Ingles
 
Experiencia de filtracon de agua
Experiencia de filtracon de aguaExperiencia de filtracon de agua
Experiencia de filtracon de agua
 
La ranita
La ranitaLa ranita
La ranita
 
Rationale for pdhpe
Rationale for pdhpeRationale for pdhpe
Rationale for pdhpe
 
NO ME HAGAS ENOJAR
NO ME HAGAS ENOJARNO ME HAGAS ENOJAR
NO ME HAGAS ENOJAR
 

Semelhante a Metodologia científica - Conceitos Básicos

Revisão
RevisãoRevisão
Fundamentos das Ciências Sociais
Fundamentos das Ciências SociaisFundamentos das Ciências Sociais
Fundamentos das Ciências Sociais
Maria Clara Silva
 
MIC-Métodos-2021.pptx
MIC-Métodos-2021.pptxMIC-Métodos-2021.pptx
MIC-Métodos-2021.pptx
VenncioCorreia
 
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mpRacionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
alemisturini
 
Metodologia Científica na Publicação de Artigos no Brasil
Metodologia Científica na Publicação de Artigos no BrasilMetodologia Científica na Publicação de Artigos no Brasil
Metodologia Científica na Publicação de Artigos no Brasil
Gisele Finatti Baraglio
 
teoriaepratica-SEVERINO
teoriaepratica-SEVERINOteoriaepratica-SEVERINO
teoriaepratica-SEVERINO
Bianca Casonato
 
Ciência e senso comum: concepções e abordagens
Ciência e senso comum: concepções e abordagensCiência e senso comum: concepções e abordagens
Ciência e senso comum: concepções e abordagens
10ª Coordenadoria Regional de Educação -10ª CRE
 
Aula de conhecimento 2010.2
Aula de conhecimento 2010.2Aula de conhecimento 2010.2
Aula de conhecimento 2010.2
Franciele De Sousa E Silva
 
Apostila do projeto integrador i
Apostila do projeto integrador iApostila do projeto integrador i
Apostila do projeto integrador i
Elizabete Dias
 
Trabalho metodologia
Trabalho metodologiaTrabalho metodologia
Trabalho metodologia
Alcione Luiza
 
Alberto antonio nhatirre, turma r9, numero 01
Alberto antonio nhatirre, turma r9, numero 01Alberto antonio nhatirre, turma r9, numero 01
Alberto antonio nhatirre, turma r9, numero 01
Alberto Nhatirre
 
Produção do conhecimento
Produção do conhecimentoProdução do conhecimento
Produção do conhecimento
Kaires Braga
 
AULA 01 - CONHECIMENTOS E PESQUISA CIENTÍFICA.pptx
AULA 01 - CONHECIMENTOS E PESQUISA CIENTÍFICA.pptxAULA 01 - CONHECIMENTOS E PESQUISA CIENTÍFICA.pptx
AULA 01 - CONHECIMENTOS E PESQUISA CIENTÍFICA.pptx
AntnioNeto744703
 
Filosofia da ciência 1º ano do ensino medio
Filosofia da ciência 1º ano do ensino medioFilosofia da ciência 1º ano do ensino medio
Filosofia da ciência 1º ano do ensino medio
ThiagoDionsioPedra
 
Slides texto geraldo_tadeu_conhecimento_e_pesquisa
Slides texto geraldo_tadeu_conhecimento_e_pesquisaSlides texto geraldo_tadeu_conhecimento_e_pesquisa
Slides texto geraldo_tadeu_conhecimento_e_pesquisa
Daniele Moura
 
Metodologia e Prática Científica
Metodologia e Prática CientíficaMetodologia e Prática Científica
Metodologia e Prática Científica
AndreaDItaliano
 
A epistemologia crítica
A epistemologia críticaA epistemologia crítica
A epistemologia crítica
Elisngela9
 
Slide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSC
Slide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSCSlide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSC
Slide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSC
Cândido Silva
 
PPT__Aula 2_Ciencias-Humanas_vs_Naturais.pdf
PPT__Aula 2_Ciencias-Humanas_vs_Naturais.pdfPPT__Aula 2_Ciencias-Humanas_vs_Naturais.pdf
PPT__Aula 2_Ciencias-Humanas_vs_Naturais.pdf
ManuelTalacuece
 
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisaAlvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
André de Oliveira
 

Semelhante a Metodologia científica - Conceitos Básicos (20)

Revisão
RevisãoRevisão
Revisão
 
Fundamentos das Ciências Sociais
Fundamentos das Ciências SociaisFundamentos das Ciências Sociais
Fundamentos das Ciências Sociais
 
MIC-Métodos-2021.pptx
MIC-Métodos-2021.pptxMIC-Métodos-2021.pptx
MIC-Métodos-2021.pptx
 
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mpRacionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
Racionalismo, empirismo e iluminismo brenda 22 mp
 
Metodologia Científica na Publicação de Artigos no Brasil
Metodologia Científica na Publicação de Artigos no BrasilMetodologia Científica na Publicação de Artigos no Brasil
Metodologia Científica na Publicação de Artigos no Brasil
 
teoriaepratica-SEVERINO
teoriaepratica-SEVERINOteoriaepratica-SEVERINO
teoriaepratica-SEVERINO
 
Ciência e senso comum: concepções e abordagens
Ciência e senso comum: concepções e abordagensCiência e senso comum: concepções e abordagens
Ciência e senso comum: concepções e abordagens
 
Aula de conhecimento 2010.2
Aula de conhecimento 2010.2Aula de conhecimento 2010.2
Aula de conhecimento 2010.2
 
Apostila do projeto integrador i
Apostila do projeto integrador iApostila do projeto integrador i
Apostila do projeto integrador i
 
Trabalho metodologia
Trabalho metodologiaTrabalho metodologia
Trabalho metodologia
 
Alberto antonio nhatirre, turma r9, numero 01
Alberto antonio nhatirre, turma r9, numero 01Alberto antonio nhatirre, turma r9, numero 01
Alberto antonio nhatirre, turma r9, numero 01
 
Produção do conhecimento
Produção do conhecimentoProdução do conhecimento
Produção do conhecimento
 
AULA 01 - CONHECIMENTOS E PESQUISA CIENTÍFICA.pptx
AULA 01 - CONHECIMENTOS E PESQUISA CIENTÍFICA.pptxAULA 01 - CONHECIMENTOS E PESQUISA CIENTÍFICA.pptx
AULA 01 - CONHECIMENTOS E PESQUISA CIENTÍFICA.pptx
 
Filosofia da ciência 1º ano do ensino medio
Filosofia da ciência 1º ano do ensino medioFilosofia da ciência 1º ano do ensino medio
Filosofia da ciência 1º ano do ensino medio
 
Slides texto geraldo_tadeu_conhecimento_e_pesquisa
Slides texto geraldo_tadeu_conhecimento_e_pesquisaSlides texto geraldo_tadeu_conhecimento_e_pesquisa
Slides texto geraldo_tadeu_conhecimento_e_pesquisa
 
Metodologia e Prática Científica
Metodologia e Prática CientíficaMetodologia e Prática Científica
Metodologia e Prática Científica
 
A epistemologia crítica
A epistemologia críticaA epistemologia crítica
A epistemologia crítica
 
Slide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSC
Slide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSCSlide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSC
Slide de Iniciação Científica - 2º e 3º do ensino médio da EEJNSC
 
PPT__Aula 2_Ciencias-Humanas_vs_Naturais.pdf
PPT__Aula 2_Ciencias-Humanas_vs_Naturais.pdfPPT__Aula 2_Ciencias-Humanas_vs_Naturais.pdf
PPT__Aula 2_Ciencias-Humanas_vs_Naturais.pdf
 
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisaAlvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
Alvorada rh-tecno-métodos e técnicas de pesquisa
 

Mais de profmariaclarasilva

Mito das três raças
Mito das três raçasMito das três raças
Mito das três raças
profmariaclarasilva
 
Augusto comte
Augusto comteAugusto comte
Augusto comte
profmariaclarasilva
 
Cultura e sociedade
Cultura e sociedadeCultura e sociedade
Cultura e sociedade
profmariaclarasilva
 
Modelos clássicos da análise e compreenção da sociedade e das instituições so...
Modelos clássicos da análise e compreenção da sociedade e das instituições so...Modelos clássicos da análise e compreenção da sociedade e das instituições so...
Modelos clássicos da análise e compreenção da sociedade e das instituições so...
profmariaclarasilva
 
Metodologia científica 1 - Tipos de Pesquisa
Metodologia científica 1 - Tipos de PesquisaMetodologia científica 1 - Tipos de Pesquisa
Metodologia científica 1 - Tipos de Pesquisa
profmariaclarasilva
 
Metodologia Científica - Revisao
Metodologia Científica - RevisaoMetodologia Científica - Revisao
Metodologia Científica - Revisao
profmariaclarasilva
 

Mais de profmariaclarasilva (6)

Mito das três raças
Mito das três raçasMito das três raças
Mito das três raças
 
Augusto comte
Augusto comteAugusto comte
Augusto comte
 
Cultura e sociedade
Cultura e sociedadeCultura e sociedade
Cultura e sociedade
 
Modelos clássicos da análise e compreenção da sociedade e das instituições so...
Modelos clássicos da análise e compreenção da sociedade e das instituições so...Modelos clássicos da análise e compreenção da sociedade e das instituições so...
Modelos clássicos da análise e compreenção da sociedade e das instituições so...
 
Metodologia científica 1 - Tipos de Pesquisa
Metodologia científica 1 - Tipos de PesquisaMetodologia científica 1 - Tipos de Pesquisa
Metodologia científica 1 - Tipos de Pesquisa
 
Metodologia Científica - Revisao
Metodologia Científica - RevisaoMetodologia Científica - Revisao
Metodologia Científica - Revisao
 

Último

IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 

Último (20)

IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 

Metodologia científica - Conceitos Básicos

  • 2.  É uma das maneiras de ler e interpretar o mundo físico e social  Conjunto de regras quanto à maneira correta de colher, organizar, quantificar e trabalhar as informações e compartilha-las  Um processo de inferência (*) lógica que guia a tomada de decisões.
  • 5. - A maioria dos pesquisadores é composta, apenas, de seres humanos dotados de uma certa inteligência que procuram ser imparciais em suas observações; - Pessoas persistentes - Com um certo grau de teimosia
  • 6. A PALAVRA CIÊNCIA É DERIVADA NO LATIM SCIRE, QUE SIGNIFICA CONHECER,PORTANTO CIÊNCIA QUER DIZER: UMA MANEIRA DE CONHECER E EXPLICAR O UNIVERSO FÍSICO E SOCIAL
  • 7.  A palavra “ciência” significa o empreendimento pelo qual a humanidade, agindo individualmente ou em pequenos ou grandes grupos, faz uma tentativa organizada, por meio do estudo objetivo de fenômenos observados, para descobrir e dominar a cadeia de causalidades; reúne em forma coordenada os subsistemas resultantes do conhecimento por meio de reflexão sistemática; busca a compreensão dos processos e fenômenos que ocorrem na natureza e na sociedade
  • 8.  A ciência é utilizada no controle prático da natureza;  A ciência é utilizada na descrição e compreensão do mundo  A ciência é utilizada para predizer
  • 9.  Coerência: apresenta argumentação estruturada e ausência de contradições;  Consistência: possui a capacidade de resistir a argumentações contrárias;  Originalidade: busca o novo e não a repetitividade  Objetivação: tenta reproduzir, ler e compreender a realidade assim como ela é e não conforme os princípios do pesquisador
  • 10.  O conhecimento científico é aquele verificado por meio de métodos científicos.  Constitui-se de uma enorme gama de fatos verificados por meio de pesquisa.  Uma das condições fundamentais do conhecimento é ser produto de uma análise imparcial dos fatos  Deve ser de domínio público – portanto a comunicação é importante.
  • 11.  A ciência é uma atividade histórica, isto é, uma atividade situada em termos de tempo e espaço; o trabalho de um pesquisador é construído sobre o trabalho de outras pessoas;
  • 12.  A comunicação de novos resultados é uma premissa básica para o progresso da ciência, uma vez que complementa o conhecimento dos demais pesquisadores e também oferece oportunidades para novas pesquisas;  As descobertas científicas devem ser sujeitas a novos e independentes exames e verificações por outros pesquisadores; somente a partir de tais exames e verificações é que os resultados de uma pesquisa passam ao domínio geral.
  • 13.  Teoria é um corpo de conhecimento que permite provar e/ou explicar fatos e fenômenos da realidade.  O ponto básico na construção de uma teoria é a agregação dos conhecimentos já existentes em um determinada área  Processo constante e evolutivo de realimentação de conhecimentos científicos
  • 14.  Prover meios para sua verificação;  Permitir previsões;  Estimular novas descobertas  Indicar áreas que necessitam ser investigadas  Para tanto, deve ser suficiente estruturada, a fim de que as explanações oferecidas sejam compreensíveis.
  • 15.  Uma teoria é um conjunto inter- relacionado de definições e proposições que apresenta uma sistematização do fenômeno por meio de especificações das relações entre variáveis, com o propósito de explicá-lo e de predizer novos acontecimentos.
  • 16.  SENSO COMUM é o modo de pensar da maioria das pessoas, são noções comumente admitidas pelos indivíduos. Significa o conhecimento adquirido pelo homem partir de experiências, vivências e observação do mundo.  É um saber que não se baseia em métodos ou conclusões científicas, e sim no modo comum e espontâneo de assimilar informações e conhecimentos úteis no cotidiano.
  • 17.  O SENSO COMUM é uma herança cultural que tem a função de orientar a sobrevivência humana nos mais variados aspectos. Através do senso comum uma criança aprende o que é o perigo e a segurança, o que pode e o que não pode comer, o que é justo e o que é injusto, o bem e o mal, e outras normas de vida que vão direcionar o seu modo de agir e pensar, as suas atitudes e decisões.  Também faz parte do SENSO COMUM os conselhos e ditos populares que são tidos como verdades e seguidos pelo povo. Por exemplo: “Deve-se cortar os cabelos na lua crescente para que cresçam mais rápido”.
  • 18. CONHECIMENTO FILOSÓFICO É fruto do raciocínio e da reflexão humana. É o conhecimento especulativo sobre fenômenos, gerando conceitos subjetivos. Busca dar sentido aos fenômenos gerais do universo, ultrapassando os limites formais da ciência.
  • 19.  É o conhecimento que se baseia no filosofar, na interrogação como instrumento para decifrar elementos imperceptíveis aos sentidos, é uma busca partindo do material para o universal, exige um método racional, diferente do método experimental (científico), levando em conta os diferentes objetos de estudo.  O objeto de análise da filosofia são ideias, relações conceptuais, exigências lógicas que não são redutíveis a realidades materiais e, por essa razão, não são passíveis de observação sensorial direta ou indireta (por instrumentos), como a que é exigida pelo conhecimento científico.
  • 20. A maquina substituirá quase totalmente o homem? A clonagem humana será uma prática aceita universalmente? O conhecimento tecnológico é um benefício para o homem? Quando chegará a vez do combate à fome e à miséria?
  • 21.  CONHECIMENTO RELIGIOSO, isto é, teológico, apoia-se em doutrinas que contêm proposições sagradas (valorativas), por terem sido reveladas pelo sobrenatural (inspiracional) e, por esse motivo, tais verdades são consideradas infalíveis e indiscutíveis (exatas);  "O jeito de ver pela fé é fechar os olhos da razão." (Benjamin Franklin)
  • 22. É um conhecimento sistemático do mundo (origem, significado, finalidade e destino) como obra de um criador divino; suas evidências não são verificadas: está sempre implícita uma atitude de fé perante um conhecimento revelado. A adesão das pessoas passa a ser um ato de fé, pois a visão sistemática do mundo é interpretada como decorrente do ato de um criador divino, cujas evidências não são postas em dúvida nem sequer verificáveis. (Lakatos, Eva M. e Marconi, Marina A., "Metodologia Científica", Editora Atlas S.A., São Paulo SP. 1991, p.15)
  • 23. O mito é uma narrativa, uma fala, que contém em si diversas ideias. É uma mensagem cifrada, que não é entendida facilmente por quem não está dentro da cultura de que o mito faz parte. O mito pode também transmitir, de geração a geração, uma espécie de conhecimento, muitas vezes sobre a origem do mundo, algumas sobre processos de cura, outras sobre interpretações de fenômenos da natureza e, ainda, sobre a sociedade e a relação entre os homens, através de histórias mitológicas MÍTICO
  • 24. A imaginação é mais importante que o conhecimento. Albert Einstein A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original Albert Einstein Os ideais que iluminaram o meu caminho são a bondade, a beleza e a verdade. Albert Einstein A imaginação é mais importante que a ciência, porque a ciência é limitada, ao passo que a imaginação abrange o mundo inteiro. Albert Einstein
  • 25. O ser humano vivência a si mesmo, seus pensamentos como algo separado do resto do universo - numa espécie de ilusão de ótica de sua consciência. E essa ilusão é uma espécie de prisão que nos restringe a nossos desejos pessoais, conceitos e ao afeto por pessoas mais próximas. Nossa principal tarefa é a de nos livrarmos dessa prisão, ampliando o nosso círculo de compaixão, para que ele abranja todos os seres vivos e toda a natureza em sua beleza. Ninguém conseguirá alcançar completamente esse objetivo, mas lutar pela sua realização já é por si só parte de nossa liberação e o alicerce de nossa segurança interior. Albert Einstein